SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARÍBA- UEPB
PROGRAMA DE INCENTIVO E BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA
ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO CAIC
JOFFILY
COORDENADORA: MAGLIANA RODRIGUES DA SILVA
SUPERVISORA DE ÁREA: ALESSANDRA MIRANDA
BOLSISTAS: BENILDE CASSANDRA – FERNANDA FÉLIX – FLÁVIA
ROBERTA – JOSEILMA BARROS
PROJETO PIBID LETRAS
Material utilizado para aulas mais dinâmicas e divulgação do projeto.
Folheto de cordel encenado na divulgação do projeto em 2016.2
A MULHER QUE VENDEU O MARIDO POR 1,99 – Janduhi Dantas1
1
Disponível em: http://cadernodepoesiaseafins.blogspot.com.br/2012/08/cordel-mulher-que-vendeu-o-
marido-por-r.html
Hoje em dia, meus amigos
os direitos são iguais
tudo o que faz o marmanjo
hoje a mulher também faz
se o homem se abestalhar
a mulher bota pra trás.
Acabou-se aquele tempo
em que a mulher com presteza
se fazia para o homem
artigo de cama e mesa
a mulher se fez mais forte
mantendo a delicadeza.
Não é mais "mulher de Atenas"
nem "Amélia" de ninguém
eu mesmo sempre entendi
que a mulher direito tem
de sempre só ser tratada
por "meu amor" e "meu bem".
Hoje o trabalho de casa
meio a meio é dividido
para ajudar a mulher
homem não faz alarido
quando a mulher lava a louça
quem enxuga é o marido!
Também na sociedade
é outra a situação
a mulher hoje já faz
tudo o que faz o machão
há mulher que até dirige
trem, trator e caminhão.
Esse fato todo mundo
já deu pra assimilar
a mulher hoje já pode
seu espaço conquistar
quem não concorda com isso
é muito raro encontrar.
Entretanto ainda existe
caso de exploração
o salário da mulher
é de chamar atenção
bem menor que o do homem
fazendo a mesma função.
Também tem cabra safado
que não muda o pensamento
que não respeita a mulher
que não honra o casamento
que a vida de pleibói
não esquece um só momento.
Era assim que Damião
(o ex-marido de Côca)
queria viver: na cama
sem tirar copo da boca
enquanto sua mulher
em casa feito uma louca...
... cuidando de três meninos
lavando roupa e varrendo
feito uma negra-de-ferro
de fome o corpo tremendo
e o marido cachaceiro
pelos botequins bebendo.
Mas diz o velho ditado
que todo mal tem seu fim
e o fim do mal de Côca
um dia chegou enfim
foi quando Côca de estalo
pegou a pensar assim:
"Nessa vida que eu levo
eu não tô vendo futuro
eu me sinto navegando
em mar revolto e escuro
vou remar no meu barquinho
atrás de porto seguro."
"Na próxima raiva que eu tenha
desse meu marido ruim
qualquer mal que me fizer
tomarei como estopim
e a triste casamento
eu vou decidir dar fim."
Estava Côca pensando
na vida quando chegou
Damião morto de bêbado
(nem boa-noite falou
passava da meia-noite)
e na cama se atirou!
Dona Côca foi dormir
muito triste e revoltada
contudo tinha na mente
a sua ação planejada
pra dar novo rumo à vida
já estava preparada.
De manhã Côca acordou
com a braguilha pra trás
deu cinco murros na mesa
e gritou: "Ô Satanás
eu vou te vender na feira
vou já fazer um cartaz!"
Pegou uma cartolina
que ela havia escondido
escreveu nervosamente
com a raiva do bandido:
"Por um e noventa e nove
estou vendendo o marido."
Assim mostrou ter no sangue
sangue de Leila Diniz
Pagu, Maria Bonita
de Anayde Beiriz
(de brasileiras de fibra)
de Margarida e Elis!
Pegou o marido bêbado
de jeito, pela abertura
da direção do mercado
ela saiu à procura
de vender o seu marido
ia com muita secura!
Ficou na feira de Patos
no mais horrendo lugar
(na conhecida U.T.I.)
e começou a gritar:
"Tô vendendo o meu marido
quem de vocês quer comprar?"
Umas bêbadas que estavam
estiradas pelo chão
despertaram com os gritos
e uma do cabelão
perguntou a Dona Côca:
"Qual o preço do gatão?"
"É um e noventa e nove
não está vendo o cartaz?"
Dona Côca respondeu
e a bêbada disse: "O rapaz
tem uma cara simpática
acho até que vale mais."
Damião estava "quieto"
e de ressaca passado
com cordas nos pés e braços
numa cadeira amarrado
também tinha um esparadrapo
em sua boca colado.
Começou a chegar gente
se formou a multidão
em volta de Dona Côca
e o marido Damião
quando deu fé, logo, logo
encostou o camburão.
Nisso um cabo da polícia
do camburão foi descendo
e perguntando abusado:
"Que é que tá acontecendo?"
Alguém disse: "Esta mulher
o marido está vendendo."
Do meio do povo disse
um velho em tom de chacota:
"Esse caneiro já tem
uma cara de meiota
não tem mulher que dê nele
de dois reais uma nota."
E, de fato, ô cabra feio
desalinhado e barbudo
fedendo a cana e a cigarro
com um jeito carrancudo
banguelo, um pouco careca
pra completar barrigudo.
Nisso chegou uma velha
que vinha com todo o gás
e disse para si mesma
depois de ler o cartaz
"Hoje eu tiro o prejuízo
com esse lindo rapaz!".
Disse a velha: "Francamente!
Eu estou achando pouco!
Por 1 e 99?!
Tome dois, nem quero o troco!
Deixe-me levar pra casa
esse meu Chico Cuoco!".
Saiu a velha enxerida
de braços com Damião
a polícia prontamente
dispersou a multidão
e Côca tirou por fim
um peso do coração.
Retornou Côca feliz
pra casa entoando hinos
a partir daquele dia
teria novos destinos...
Com os dois reais da venda
comprou de pão pros meninos!
 Material produzido e utilizado para a aula sobre pluralidade cultural e variação
linguística.
Paraense,: Fala muito ‘égua’ início de
frases, como se fosse ‘eita’ no nordeste,
e tu tbm
Levei o farelo – se deu mal
I Rapaz ta ralado (ta complicado)
Esse cabra é papa chiibé (paraense
legítimo)
Diz que = parece
Leso = doido, abestado
Mano, mana = colega
Pior = verdade
Arreda aí = afasta
Toda Pavulagem = metida, frescura
Eu choro = to nem aí
Caboca (cabocla) caboquice = cafonice
Potoca = metira
Me erra – não enche a paciência
NORTE:
https://www.youtube.com/watch?v=uD
3KrqR61XI
Txire algo dali...
Tu num vê isso aí
Aquele negócio escroto
Maix – meismo – txipo
Nego pede
Carioquêixx
CARIOCA ^
FACEIRA – FELIZ
Bah to muito triste hoje
Tchê é tipo “meu” paulista
Guri e guria – menino e menina
Rapariga – moça
Cipá – talvez
Txe liga
Te larga = sai daqui
Te larguei de ti = te abandonei
Cada uma entra ao ritmo da região que representa.
Paraense- Égua, eu sou a paraense, e falo o português, não sou como uns e outros que
diz que fala mas só ta de pavulagem! (Fala olhando pra Carioca)
Carioca- Nego pede pra nóix esculachar meixmo! O carioca é que fala corretamentxe,
ao contrário de vocêix com esses sotaques ridículos!
Gaúcha- Cipá, txê, se nós gaúchos tivessemos esse sotaque ridículo que essa rapariga
aqui tem! (olhando para a nordestina!
Nordestina- Eitaaa! É o quê? Rapariga é você Sá bicha! Você ta pensando que eu nasci
de 7 mês foi? Te orienta abestalhada! Não troco meu falar por nenhum do de vocês.
Situação 1: A Nordestina inicia falando sobre o preconceito que vem sofrendo na
internet. O principal motivo é a xenofobia. Ela diz que não entende porque existe tanto
preconceito se a sua cultura é tão rica, ela diz: - temos Luiz Gonzaga, o rei do baião,
temos Leandro Gomes de Barros, o rei do Cordel, temos Elba Ramalho, Caetano e
Maria Betânia, além disso o São João daqui é o maior do mundo.
Quando ela acaba de dizer isso chega a Carioca, toda trabalhada no preconceito.
Situação 2: A carioca afirma que os nordestinos não sabem ler, como podem dizer que
tem alguma contribuição para a cultura do país? O carioca sim é o povo mais importante
do Brasil, se não fosse suas praias e o carnaval do Carioca o Brasil não era nada. Além
disso, a mulher do Rio é a maixxgoxtosa.
A nordestina diz: E a música, quer dizer que você não conhece o rei do Baião?
A carioca responde: Que? Aqui a gente sabe o que Baile de Favela, conhece colega?
Nisso, chega a Paraense.
Situação 3: Do que vocês estão falando que me deixaram de lado, esquecida lá na
ponta?
A carioca responde: Extamox falando em cultura, então não txemetxe colega, você não
sabe o que é isso.
E a paraense responde: Como assim eu não sei? Parece que é você que não sabe de
nada, e não me conhece. Fique sabendo que eu sou responsável pela riqueza da minha
região e de grande parte da riqueza do país. Eu tenho o maior minério de ferro, mas
você (se dirigindo à carioca) toma toda a visibilidade que deveria ser minha, só porque
tem praias. Eu tenho o açaí que todo mundo ama, e não se esqueça do meu carimbo.
Entendeu agora? Eu sou a melhor, meu povo é da tradição. Fique na sua!
Ainda em meioà discussão entre as três regiões, chega a gaúcha e fica observando a
confusão sem querer se meter, mas diz:
Situação 4: A gaúcha diz: Barbaredadetchê que confusão é essa? E a paraense explica:
estou explicado a essas duas que elas não são melhor que eu, que eu tenho comidas
típicas, tradições, músicas e sou melhor.
A gaúcha com cara de deboche diz: sinto muito, vocês não se enxergam? Eu sou
melhor. Sou eu quem fala o português mais correto, não falo como vocês que os outros
não entendem. Sou descendente dos povos mais ricos, e a minha região é mais educada
e rica do país. Não tem nada a ver com ferro. A gente tem as melhores frutas, o melhor
clima, e todo mundo quer nos visitar. Não vou nem falar (olhando para a carioca) que as
mulheres gaúchas são as mais bonitas do país.
O ALUNO INTELIGENTE E OS COLEGAS IGNORANTES
(Trechos do cordel de Janduhi Dantas)
Havia numa escola
entre muitos estudantes
quatro colegas de classe
de estilos contrastrantes:
um que era inteligente
e três bem ignorantes.
A cortina se abre e estarão dois dos quatro alunos sentados nas suas respectivas
cadeiras, como em uma sala de aula. (As cadeiras estarão no palco)
'Falso', 'Mínimo', 'Arrependido'
e o quarto 'Quero-Tentar'
eram os quatro meninos
cuja história vou contar
peço a atenção dos leitores
que o desfecho é exemplar!
O aluno 'Falso' era
preguiçoso e vagabundo
se o assunto era estudar
se sentia moribundo
quando era dia de prova
filava de todo mundo.
(Enquanto essa parte é recitada, o ‘Falso’ irá entrar em cena, e irá falar que estudar não
presta (para a platéia)
FALSO: Esse negócio de estudar não presta não, minha gente, eu vou bem deixar de ta
dormindo, ou por aí com meus colegas pra ta aqui?
PROFESSORA: Deixe de conversa e venha pra aula meu filho, faz uma semana que tu
não aparece!
FALSO: Ah professora, eu tava doente.
PROFESSORA: Duas semana todinha, meu filho?
FALSO: É que na primeira eu tava doente, mas na segunda me recuperando.
PROFESSORA: Vá sente logo.
(A professora fica no quadro escrevendo)
O aluno 'Mínimo', 'esperto'
assim vivia pensando:
'Pra eu passar, basta um 7
vou com a barriga empurrando'
era o tal aluno-cobra
que só passa se arrastando!
A professora irá entregar umas provas. Falso não receberá porquê não fez a prova,
PROFESSORA: Mas meu filho, você ainda pode fazer melhor, você tirou nessa prova
6,5, e eu tive que arredondar pra 7,0 pra não ir pra final, você não quer fazer a
recuperação pra tentar uma nota melhor?
MÍNIMO: Ah não professora, 7,0 já ta muito bom. Só de pensar em estudar mais já me
dá sono. Deus me livre!
O aluno 'Arrependido'
faltava muito à escola
faltava três, ia um dia
queria saber de bola
e no seu time jogava
trombadinha e cheira-cola.
Como sempre o “Arrependido” irá chegar atrasado, os colegas (imaginários) irão deixar
ele na porta do auditório, e ele vai chegar como se tivesse se despedindo desses colegas.
PROFESSORA: Isso são horas, meu filho? (batendo o dedo no relógio)
ARREPENDIDO: Se são horas eu não sei, mas que é um relógio, isso é sim
PROFESSORA: Muito engraçadinho você, pode sentar pra ver se você aprende alguma
coisa ainda.
'Quero-Tentar' era esperto
muito vivo, inteligente
não entendendo o assunto
não ficava indiferente
pedia pra professora:
'Nos explique novamente!'
A professora começa a dar aula de gramática e “Quero-tentar” tem muitas dúvidas, ele
pergunta. E os outros ficam zombando dele, dizendo que ele é idiota e babão.
O tempo, que nunca pára
acabou por transformar
aqueles quatro meninos
em adultos, por lhes dar
hoje a oportunidade
de seu destino encontrar.
'Falso' hoje vive mal
pensando que é artista
vive de enganar o povo
é um grande vigarista
dá golpe de toda espécie
(e a polícia em sua pista!).
O aluno 'Mínimo' hoje
vive miseravelmente
sequer um salário mínimo
'Mínimo' ganha atualmente
vive mais desempregado
faz um bico raramente
Hoje em dia 'Arrependido'
não é feliz, não tem paz
está envolvido em tráfico
de droga com marginais
no jornal tem sua foto
nas páginas policiais.
'Quero-Tentar' hoje em dia
é uma grande autoridade
honesto, simples, leal
(sua personalidade)
se tornou o Presidente
do país 'Felicidade'."
PARA SER LIDO:
Esse cordel nos mostra a importância que a escola tem na nossa vida, e que muitas
vezes quem nós somos nela refletirá em quem seremos amanhã. Por isso devemos nos
perguntar “O que realmente queremos ser?
O ‘Falso’ que por sua preguiça de ir em busca de melhoria para a sua vida, passou o
resto da vida aplicando golpes nas pessoas?
O “Mínimo” que devido só pensar no mínimo de tudo em sua vida, acabou por não
conseguir nada além de algo para não morrer de fome.
O “Arrependido” se arrependeu dos dias que preferiu dormir á vir pra escola estudar, de
ter matado tantas aulas, de ter se envolvido com o crime, e por isso nunca irá ter uma
coisa tão preciosa na vida, chamada, paz.
Ou o “Quero-tentar”, esse não sabia o que o futuro lhe reservava, mas sabia dos seus
sonhos, e resolveu tentar, arriscar em tudo na sua vida, e hoje sabe que cada decepção
foi um impulso para tentar novamente, que cada vitória teve um gostinho de suor,
trabalho e esforço, e por todas as suas conquistas vive em paz, bem e feliz.
E aí o quem vocês querem ser? (ENCERRA)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O sequestro
O sequestroO sequestro
O sequestro
Angelo Tomasini
 
Amigo Secreto Do Mef Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E Corrigida
Amigo Secreto Do Mef   Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E CorrigidaAmigo Secreto Do Mef   Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E Corrigida
Amigo Secreto Do Mef Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E Corrigida
guest22506a
 
O tempo e o vento o retrato - erico verissimo
O tempo e o vento    o retrato  - erico verissimoO tempo e o vento    o retrato  - erico verissimo
O tempo e o vento o retrato - erico verissimo
Patrick François Jarwoski
 
Pnaic 7º encontro2 ano
Pnaic 7º encontro2 anoPnaic 7º encontro2 ano
Pnaic 7º encontro2 ano
michelly
 
Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.
Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.
Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.
Sadiasoares
 
Ufjf
UfjfUfjf
Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015
Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015
Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015
Cursinho Universitaria
 
Jornal o piagui ed151 dez20 (1)
Jornal o piagui ed151 dez20 (1)Jornal o piagui ed151 dez20 (1)
Jornal o piagui ed151 dez20 (1)
Mauro Sousa
 
A namorada do meu amigo
A namorada do meu amigoA namorada do meu amigo
A namorada do meu amigo
LuhFigueiredos
 
AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)
AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)
AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)
Bárbara Penido
 
Festival de Marchinhas 2014
Festival de Marchinhas 2014Festival de Marchinhas 2014
Festival de Marchinhas 2014
Andréa Brandão Mappa
 
Hatoum milton _dois_irmaos
Hatoum milton _dois_irmaosHatoum milton _dois_irmaos
Hatoum milton _dois_irmaos
Kárita Borges
 
AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013
AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013
AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013
oficinativa
 
Educacaoem linha12 (1)
Educacaoem linha12 (1)Educacaoem linha12 (1)
Educacaoem linha12 (1)
dartfelipe
 
Textos e pretextos[1]
Textos e pretextos[1]Textos e pretextos[1]
Textos e pretextos[1]
Elisangela Becker
 
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educaçãoRoteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Margarete Tesch
 
Jornal no compasso de magé edição maio 2014
Jornal no compasso de magé   edição maio 2014Jornal no compasso de magé   edição maio 2014
Jornal no compasso de magé edição maio 2014
Fernando Holmes
 
Chicos 41 - Dezembro 2014
Chicos 41 - Dezembro 2014Chicos 41 - Dezembro 2014
Chicos 41 - Dezembro 2014
Chicos Cataletras
 
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo - Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Renata Marani Dourado Marques
 

Mais procurados (20)

O sequestro
O sequestroO sequestro
O sequestro
 
Amigo Secreto Do Mef Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E Corrigida
Amigo Secreto Do Mef   Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E CorrigidaAmigo Secreto Do Mef   Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E Corrigida
Amigo Secreto Do Mef Por Bruno Thomaz Marques Vers O Final E Corrigida
 
O tempo e o vento o retrato - erico verissimo
O tempo e o vento    o retrato  - erico verissimoO tempo e o vento    o retrato  - erico verissimo
O tempo e o vento o retrato - erico verissimo
 
Vila Citrus - Daniel de Carvalho
Vila Citrus - Daniel de CarvalhoVila Citrus - Daniel de Carvalho
Vila Citrus - Daniel de Carvalho
 
Pnaic 7º encontro2 ano
Pnaic 7º encontro2 anoPnaic 7º encontro2 ano
Pnaic 7º encontro2 ano
 
Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.
Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.
Estudo dos Textos Poético, Epistolar e Narrativo.
 
Ufjf
UfjfUfjf
Ufjf
 
Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015
Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015
Prova de conhecimentos gerais - SEU - 2015
 
Jornal o piagui ed151 dez20 (1)
Jornal o piagui ed151 dez20 (1)Jornal o piagui ed151 dez20 (1)
Jornal o piagui ed151 dez20 (1)
 
A namorada do meu amigo
A namorada do meu amigoA namorada do meu amigo
A namorada do meu amigo
 
AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)
AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)
AFFONSO PENNA E OS REPERTÓRIOS DO ENGRANDECIMENTO MINEIRO (1874-1906)
 
Festival de Marchinhas 2014
Festival de Marchinhas 2014Festival de Marchinhas 2014
Festival de Marchinhas 2014
 
Hatoum milton _dois_irmaos
Hatoum milton _dois_irmaosHatoum milton _dois_irmaos
Hatoum milton _dois_irmaos
 
AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013
AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013
AfroPoemas, Biblioteca do CEU 3 Pontes, nov 2013
 
Educacaoem linha12 (1)
Educacaoem linha12 (1)Educacaoem linha12 (1)
Educacaoem linha12 (1)
 
Textos e pretextos[1]
Textos e pretextos[1]Textos e pretextos[1]
Textos e pretextos[1]
 
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educaçãoRoteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
Roteiro didático de história tecnologia aplicada à educação
 
Jornal no compasso de magé edição maio 2014
Jornal no compasso de magé   edição maio 2014Jornal no compasso de magé   edição maio 2014
Jornal no compasso de magé edição maio 2014
 
Chicos 41 - Dezembro 2014
Chicos 41 - Dezembro 2014Chicos 41 - Dezembro 2014
Chicos 41 - Dezembro 2014
 
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo - Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
Avaliaçao 2 bimestre 5 ano - sobre Menino Maluquinho e Ziraldo -
 

Semelhante a ROTEIROS

aula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdf
aula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdfaula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdf
aula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdf
JacquelineAssis3
 
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.pptCURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
LlianGonalves3
 
Modulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisadoModulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisado
pibidbar
 
Enem e Língua Portuguesa
Enem e Língua PortuguesaEnem e Língua Portuguesa
Enem e Língua Portuguesa
Ladjane Pereira
 
Variações linguísticas 2014
Variações linguísticas  2014Variações linguísticas  2014
Variações linguísticas 2014
nixsonmachado
 
Crônica de uma Crioca Sulreal
Crônica de uma Crioca SulrealCrônica de uma Crioca Sulreal
Crônica de uma Crioca Sulreal
gkgilas
 
Academia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptx
Academia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptxAcademia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptx
Academia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptx
ClaudioMarcio34
 
ApresentaçãO Do Que Já Foi Feito
ApresentaçãO Do Que Já Foi FeitoApresentaçãO Do Que Já Foi Feito
ApresentaçãO Do Que Já Foi Feito
E.E.E.M.Magalhães Barata
 
Enem 2014, aspectos gramaticais
Enem 2014, aspectos gramaticaisEnem 2014, aspectos gramaticais
Enem 2014, aspectos gramaticais
ma.no.el.ne.ves
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
Josiane Carlos
 
Baile do interior - Livro de contos.
Baile do interior - Livro de contos.Baile do interior - Livro de contos.
Baile do interior - Livro de contos.
Prg Pio Rambo Gravações
 
Plano de aula etapa 3
Plano de aula   etapa 3Plano de aula   etapa 3
Plano de aula etapa 3
Caren Cruvinel
 
Poemar modernos 1a fase
Poemar modernos 1a fasePoemar modernos 1a fase
Poemar modernos 1a fase
agmmourao
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
Josiane Carlos
 
INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016
INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016
INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016
blog2012
 
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhjModernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
LisandraSouza21
 
A gávea
A gáveaA gávea
A gávea
Rober Sánchez
 
deb's show
deb's show deb's show
deb's show
Deborah Fernandes
 
Riqueta a grande amiga versao final
Riqueta a grande amiga versao finalRiqueta a grande amiga versao final
Riqueta a grande amiga versao final
Pastor Paulo Francisco
 
A filha de maria angu
A filha de maria anguA filha de maria angu
A filha de maria angu
Jonathan Cunha
 

Semelhante a ROTEIROS (20)

aula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdf
aula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdfaula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdf
aula_2_variedadeslinguisticascompleto.pdf
 
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.pptCURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
CURSO - OFICINA DE TEXTOS.ppt
 
Modulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisadoModulo 2015.2 revisado
Modulo 2015.2 revisado
 
Enem e Língua Portuguesa
Enem e Língua PortuguesaEnem e Língua Portuguesa
Enem e Língua Portuguesa
 
Variações linguísticas 2014
Variações linguísticas  2014Variações linguísticas  2014
Variações linguísticas 2014
 
Crônica de uma Crioca Sulreal
Crônica de uma Crioca SulrealCrônica de uma Crioca Sulreal
Crônica de uma Crioca Sulreal
 
Academia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptx
Academia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptxAcademia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptx
Academia ENEM - Aulão de Véspera ENEM 2020.pptx
 
ApresentaçãO Do Que Já Foi Feito
ApresentaçãO Do Que Já Foi FeitoApresentaçãO Do Que Já Foi Feito
ApresentaçãO Do Que Já Foi Feito
 
Enem 2014, aspectos gramaticais
Enem 2014, aspectos gramaticaisEnem 2014, aspectos gramaticais
Enem 2014, aspectos gramaticais
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
 
Baile do interior - Livro de contos.
Baile do interior - Livro de contos.Baile do interior - Livro de contos.
Baile do interior - Livro de contos.
 
Plano de aula etapa 3
Plano de aula   etapa 3Plano de aula   etapa 3
Plano de aula etapa 3
 
Poemar modernos 1a fase
Poemar modernos 1a fasePoemar modernos 1a fase
Poemar modernos 1a fase
 
Lendas e causos
Lendas e causosLendas e causos
Lendas e causos
 
INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016
INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016
INDICADOS PARA 5ª EDIÇÃO OLIMPÍADA DE LÍNGUA PORTUGUESA 2016
 
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhjModernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
Modernismo - 1ª Fase.ppt efkjebvbwvbwhjbvhj
 
A gávea
A gáveaA gávea
A gávea
 
deb's show
deb's show deb's show
deb's show
 
Riqueta a grande amiga versao final
Riqueta a grande amiga versao finalRiqueta a grande amiga versao final
Riqueta a grande amiga versao final
 
A filha de maria angu
A filha de maria anguA filha de maria angu
A filha de maria angu
 

Mais de Nastrilhas da lingua portuguesa

Roteiro discussão sd 2
Roteiro discussão sd 2Roteiro discussão sd 2
Roteiro discussão sd 2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Nas trilhas da lingua portuguesa módulo 2017.2
Nas trilhas da lingua portuguesa   módulo 2017.2Nas trilhas da lingua portuguesa   módulo 2017.2
Nas trilhas da lingua portuguesa módulo 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Fatores da textualidade pibid 2017.2
Fatores da textualidade   pibid 2017.2Fatores da textualidade   pibid 2017.2
Fatores da textualidade pibid 2017.2
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Quiz – nas trilhas os meninos( mais velho, mais novo)
Quiz – nas trilhas   os meninos( mais velho, mais novo)Quiz – nas trilhas   os meninos( mais velho, mais novo)
Quiz – nas trilhas os meninos( mais velho, mais novo)
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Quiz – nas trilhas narraçao
Quiz – nas trilhas   narraçaoQuiz – nas trilhas   narraçao
Quiz – nas trilhas narraçao
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Momento diversão narrativa de imagem
Momento diversão   narrativa de imagemMomento diversão   narrativa de imagem
Momento diversão narrativa de imagem
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Tempo e espço (1)
Tempo e espço (1)Tempo e espço (1)
Tipologias textuais
Tipologias textuais Tipologias textuais
Tipologias textuais
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Estudo do-gênero-resumo
Estudo do-gênero-resumoEstudo do-gênero-resumo
Estudo do-gênero-resumo
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisãoElementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Cultura e-regionalismo-pibid
Cultura e-regionalismo-pibidCultura e-regionalismo-pibid
Cultura e-regionalismo-pibid
Nastrilhas da lingua portuguesa
 
Que é uma narrativa
Que é uma narrativa Que é uma narrativa
Que é uma narrativa
Nastrilhas da lingua portuguesa
 

Mais de Nastrilhas da lingua portuguesa (20)

Roteiro discussão sd 2
Roteiro discussão sd 2Roteiro discussão sd 2
Roteiro discussão sd 2
 
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1 (1)
 
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
Roteiro encenação-de-encerramento-do-pibid-2017.1
 
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
Roteiro divulgação-da-sequência-2017.1
 
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2Resenhas   produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
Resenhas produtos produzidos pelos alunos do projeto - sd 2017.2
 
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
Roteiros de-discussão- sd - 2017.1
 
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
Nas trilhas da lingua port - cadernodeatividades2107.2
 
Nas trilhas da lingua portuguesa módulo 2017.2
Nas trilhas da lingua portuguesa   módulo 2017.2Nas trilhas da lingua portuguesa   módulo 2017.2
Nas trilhas da lingua portuguesa módulo 2017.2
 
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
Nas trilhas da língua portuguesa sequência didática 2017.2
 
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
Roteiros de-discussão - 2017.2 (contos)
 
Fatores da textualidade pibid 2017.2
Fatores da textualidade   pibid 2017.2Fatores da textualidade   pibid 2017.2
Fatores da textualidade pibid 2017.2
 
Quiz – nas trilhas os meninos( mais velho, mais novo)
Quiz – nas trilhas   os meninos( mais velho, mais novo)Quiz – nas trilhas   os meninos( mais velho, mais novo)
Quiz – nas trilhas os meninos( mais velho, mais novo)
 
Quiz – nas trilhas narraçao
Quiz – nas trilhas   narraçaoQuiz – nas trilhas   narraçao
Quiz – nas trilhas narraçao
 
Momento diversão narrativa de imagem
Momento diversão   narrativa de imagemMomento diversão   narrativa de imagem
Momento diversão narrativa de imagem
 
Tempo e espço (1)
Tempo e espço (1)Tempo e espço (1)
Tempo e espço (1)
 
Tipologias textuais
Tipologias textuais Tipologias textuais
Tipologias textuais
 
Estudo do-gênero-resumo
Estudo do-gênero-resumoEstudo do-gênero-resumo
Estudo do-gênero-resumo
 
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisãoElementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
Elementos da narrativa-conto-de-enigma-e-relato-pessoal-revisão
 
Cultura e-regionalismo-pibid
Cultura e-regionalismo-pibidCultura e-regionalismo-pibid
Cultura e-regionalismo-pibid
 
Que é uma narrativa
Que é uma narrativa Que é uma narrativa
Que é uma narrativa
 

Último

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 

Último (20)

Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 

ROTEIROS

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARÍBA- UEPB PROGRAMA DE INCENTIVO E BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO CAIC JOFFILY COORDENADORA: MAGLIANA RODRIGUES DA SILVA SUPERVISORA DE ÁREA: ALESSANDRA MIRANDA BOLSISTAS: BENILDE CASSANDRA – FERNANDA FÉLIX – FLÁVIA ROBERTA – JOSEILMA BARROS PROJETO PIBID LETRAS Material utilizado para aulas mais dinâmicas e divulgação do projeto. Folheto de cordel encenado na divulgação do projeto em 2016.2 A MULHER QUE VENDEU O MARIDO POR 1,99 – Janduhi Dantas1 1 Disponível em: http://cadernodepoesiaseafins.blogspot.com.br/2012/08/cordel-mulher-que-vendeu-o- marido-por-r.html
  • 2. Hoje em dia, meus amigos os direitos são iguais tudo o que faz o marmanjo hoje a mulher também faz se o homem se abestalhar a mulher bota pra trás. Acabou-se aquele tempo em que a mulher com presteza se fazia para o homem artigo de cama e mesa a mulher se fez mais forte mantendo a delicadeza. Não é mais "mulher de Atenas" nem "Amélia" de ninguém eu mesmo sempre entendi que a mulher direito tem de sempre só ser tratada por "meu amor" e "meu bem". Hoje o trabalho de casa meio a meio é dividido para ajudar a mulher homem não faz alarido quando a mulher lava a louça quem enxuga é o marido! Também na sociedade é outra a situação a mulher hoje já faz tudo o que faz o machão há mulher que até dirige trem, trator e caminhão. Esse fato todo mundo já deu pra assimilar a mulher hoje já pode seu espaço conquistar quem não concorda com isso é muito raro encontrar. Entretanto ainda existe caso de exploração o salário da mulher é de chamar atenção bem menor que o do homem fazendo a mesma função. Também tem cabra safado que não muda o pensamento que não respeita a mulher que não honra o casamento que a vida de pleibói não esquece um só momento. Era assim que Damião (o ex-marido de Côca) queria viver: na cama sem tirar copo da boca enquanto sua mulher em casa feito uma louca... ... cuidando de três meninos lavando roupa e varrendo feito uma negra-de-ferro de fome o corpo tremendo e o marido cachaceiro pelos botequins bebendo. Mas diz o velho ditado que todo mal tem seu fim e o fim do mal de Côca um dia chegou enfim foi quando Côca de estalo pegou a pensar assim: "Nessa vida que eu levo eu não tô vendo futuro eu me sinto navegando em mar revolto e escuro vou remar no meu barquinho atrás de porto seguro." "Na próxima raiva que eu tenha desse meu marido ruim qualquer mal que me fizer tomarei como estopim
  • 3. e a triste casamento eu vou decidir dar fim." Estava Côca pensando na vida quando chegou Damião morto de bêbado (nem boa-noite falou passava da meia-noite) e na cama se atirou! Dona Côca foi dormir muito triste e revoltada contudo tinha na mente a sua ação planejada pra dar novo rumo à vida já estava preparada. De manhã Côca acordou com a braguilha pra trás deu cinco murros na mesa e gritou: "Ô Satanás eu vou te vender na feira vou já fazer um cartaz!" Pegou uma cartolina que ela havia escondido escreveu nervosamente com a raiva do bandido: "Por um e noventa e nove estou vendendo o marido." Assim mostrou ter no sangue sangue de Leila Diniz Pagu, Maria Bonita de Anayde Beiriz (de brasileiras de fibra) de Margarida e Elis! Pegou o marido bêbado de jeito, pela abertura da direção do mercado ela saiu à procura de vender o seu marido ia com muita secura! Ficou na feira de Patos no mais horrendo lugar (na conhecida U.T.I.) e começou a gritar: "Tô vendendo o meu marido quem de vocês quer comprar?" Umas bêbadas que estavam estiradas pelo chão despertaram com os gritos e uma do cabelão perguntou a Dona Côca: "Qual o preço do gatão?" "É um e noventa e nove não está vendo o cartaz?" Dona Côca respondeu e a bêbada disse: "O rapaz tem uma cara simpática acho até que vale mais." Damião estava "quieto" e de ressaca passado com cordas nos pés e braços numa cadeira amarrado também tinha um esparadrapo em sua boca colado. Começou a chegar gente se formou a multidão em volta de Dona Côca e o marido Damião quando deu fé, logo, logo encostou o camburão. Nisso um cabo da polícia do camburão foi descendo e perguntando abusado: "Que é que tá acontecendo?" Alguém disse: "Esta mulher o marido está vendendo." Do meio do povo disse
  • 4. um velho em tom de chacota: "Esse caneiro já tem uma cara de meiota não tem mulher que dê nele de dois reais uma nota." E, de fato, ô cabra feio desalinhado e barbudo fedendo a cana e a cigarro com um jeito carrancudo banguelo, um pouco careca pra completar barrigudo. Nisso chegou uma velha que vinha com todo o gás e disse para si mesma depois de ler o cartaz "Hoje eu tiro o prejuízo com esse lindo rapaz!". Disse a velha: "Francamente! Eu estou achando pouco! Por 1 e 99?! Tome dois, nem quero o troco! Deixe-me levar pra casa esse meu Chico Cuoco!". Saiu a velha enxerida de braços com Damião a polícia prontamente dispersou a multidão e Côca tirou por fim um peso do coração. Retornou Côca feliz pra casa entoando hinos a partir daquele dia teria novos destinos... Com os dois reais da venda comprou de pão pros meninos!
  • 5.  Material produzido e utilizado para a aula sobre pluralidade cultural e variação linguística. Paraense,: Fala muito ‘égua’ início de frases, como se fosse ‘eita’ no nordeste, e tu tbm Levei o farelo – se deu mal I Rapaz ta ralado (ta complicado) Esse cabra é papa chiibé (paraense legítimo) Diz que = parece Leso = doido, abestado Mano, mana = colega Pior = verdade Arreda aí = afasta Toda Pavulagem = metida, frescura Eu choro = to nem aí Caboca (cabocla) caboquice = cafonice Potoca = metira Me erra – não enche a paciência NORTE: https://www.youtube.com/watch?v=uD 3KrqR61XI Txire algo dali... Tu num vê isso aí Aquele negócio escroto Maix – meismo – txipo Nego pede Carioquêixx CARIOCA ^ FACEIRA – FELIZ Bah to muito triste hoje Tchê é tipo “meu” paulista Guri e guria – menino e menina Rapariga – moça Cipá – talvez Txe liga Te larga = sai daqui Te larguei de ti = te abandonei Cada uma entra ao ritmo da região que representa. Paraense- Égua, eu sou a paraense, e falo o português, não sou como uns e outros que diz que fala mas só ta de pavulagem! (Fala olhando pra Carioca) Carioca- Nego pede pra nóix esculachar meixmo! O carioca é que fala corretamentxe, ao contrário de vocêix com esses sotaques ridículos! Gaúcha- Cipá, txê, se nós gaúchos tivessemos esse sotaque ridículo que essa rapariga aqui tem! (olhando para a nordestina!
  • 6. Nordestina- Eitaaa! É o quê? Rapariga é você Sá bicha! Você ta pensando que eu nasci de 7 mês foi? Te orienta abestalhada! Não troco meu falar por nenhum do de vocês. Situação 1: A Nordestina inicia falando sobre o preconceito que vem sofrendo na internet. O principal motivo é a xenofobia. Ela diz que não entende porque existe tanto preconceito se a sua cultura é tão rica, ela diz: - temos Luiz Gonzaga, o rei do baião, temos Leandro Gomes de Barros, o rei do Cordel, temos Elba Ramalho, Caetano e Maria Betânia, além disso o São João daqui é o maior do mundo. Quando ela acaba de dizer isso chega a Carioca, toda trabalhada no preconceito. Situação 2: A carioca afirma que os nordestinos não sabem ler, como podem dizer que tem alguma contribuição para a cultura do país? O carioca sim é o povo mais importante do Brasil, se não fosse suas praias e o carnaval do Carioca o Brasil não era nada. Além disso, a mulher do Rio é a maixxgoxtosa. A nordestina diz: E a música, quer dizer que você não conhece o rei do Baião? A carioca responde: Que? Aqui a gente sabe o que Baile de Favela, conhece colega? Nisso, chega a Paraense. Situação 3: Do que vocês estão falando que me deixaram de lado, esquecida lá na ponta? A carioca responde: Extamox falando em cultura, então não txemetxe colega, você não sabe o que é isso. E a paraense responde: Como assim eu não sei? Parece que é você que não sabe de nada, e não me conhece. Fique sabendo que eu sou responsável pela riqueza da minha região e de grande parte da riqueza do país. Eu tenho o maior minério de ferro, mas você (se dirigindo à carioca) toma toda a visibilidade que deveria ser minha, só porque tem praias. Eu tenho o açaí que todo mundo ama, e não se esqueça do meu carimbo. Entendeu agora? Eu sou a melhor, meu povo é da tradição. Fique na sua! Ainda em meioà discussão entre as três regiões, chega a gaúcha e fica observando a confusão sem querer se meter, mas diz: Situação 4: A gaúcha diz: Barbaredadetchê que confusão é essa? E a paraense explica: estou explicado a essas duas que elas não são melhor que eu, que eu tenho comidas típicas, tradições, músicas e sou melhor. A gaúcha com cara de deboche diz: sinto muito, vocês não se enxergam? Eu sou melhor. Sou eu quem fala o português mais correto, não falo como vocês que os outros não entendem. Sou descendente dos povos mais ricos, e a minha região é mais educada e rica do país. Não tem nada a ver com ferro. A gente tem as melhores frutas, o melhor clima, e todo mundo quer nos visitar. Não vou nem falar (olhando para a carioca) que as mulheres gaúchas são as mais bonitas do país.
  • 7. O ALUNO INTELIGENTE E OS COLEGAS IGNORANTES (Trechos do cordel de Janduhi Dantas) Havia numa escola entre muitos estudantes quatro colegas de classe de estilos contrastrantes: um que era inteligente e três bem ignorantes. A cortina se abre e estarão dois dos quatro alunos sentados nas suas respectivas cadeiras, como em uma sala de aula. (As cadeiras estarão no palco) 'Falso', 'Mínimo', 'Arrependido' e o quarto 'Quero-Tentar' eram os quatro meninos cuja história vou contar peço a atenção dos leitores que o desfecho é exemplar! O aluno 'Falso' era preguiçoso e vagabundo se o assunto era estudar se sentia moribundo quando era dia de prova filava de todo mundo. (Enquanto essa parte é recitada, o ‘Falso’ irá entrar em cena, e irá falar que estudar não presta (para a platéia) FALSO: Esse negócio de estudar não presta não, minha gente, eu vou bem deixar de ta dormindo, ou por aí com meus colegas pra ta aqui? PROFESSORA: Deixe de conversa e venha pra aula meu filho, faz uma semana que tu não aparece! FALSO: Ah professora, eu tava doente. PROFESSORA: Duas semana todinha, meu filho? FALSO: É que na primeira eu tava doente, mas na segunda me recuperando. PROFESSORA: Vá sente logo. (A professora fica no quadro escrevendo) O aluno 'Mínimo', 'esperto' assim vivia pensando: 'Pra eu passar, basta um 7 vou com a barriga empurrando' era o tal aluno-cobra que só passa se arrastando! A professora irá entregar umas provas. Falso não receberá porquê não fez a prova,
  • 8. PROFESSORA: Mas meu filho, você ainda pode fazer melhor, você tirou nessa prova 6,5, e eu tive que arredondar pra 7,0 pra não ir pra final, você não quer fazer a recuperação pra tentar uma nota melhor? MÍNIMO: Ah não professora, 7,0 já ta muito bom. Só de pensar em estudar mais já me dá sono. Deus me livre! O aluno 'Arrependido' faltava muito à escola faltava três, ia um dia queria saber de bola e no seu time jogava trombadinha e cheira-cola. Como sempre o “Arrependido” irá chegar atrasado, os colegas (imaginários) irão deixar ele na porta do auditório, e ele vai chegar como se tivesse se despedindo desses colegas. PROFESSORA: Isso são horas, meu filho? (batendo o dedo no relógio) ARREPENDIDO: Se são horas eu não sei, mas que é um relógio, isso é sim PROFESSORA: Muito engraçadinho você, pode sentar pra ver se você aprende alguma coisa ainda. 'Quero-Tentar' era esperto muito vivo, inteligente não entendendo o assunto não ficava indiferente pedia pra professora: 'Nos explique novamente!' A professora começa a dar aula de gramática e “Quero-tentar” tem muitas dúvidas, ele pergunta. E os outros ficam zombando dele, dizendo que ele é idiota e babão. O tempo, que nunca pára acabou por transformar aqueles quatro meninos em adultos, por lhes dar hoje a oportunidade de seu destino encontrar. 'Falso' hoje vive mal pensando que é artista vive de enganar o povo é um grande vigarista dá golpe de toda espécie (e a polícia em sua pista!). O aluno 'Mínimo' hoje vive miseravelmente sequer um salário mínimo 'Mínimo' ganha atualmente
  • 9. vive mais desempregado faz um bico raramente Hoje em dia 'Arrependido' não é feliz, não tem paz está envolvido em tráfico de droga com marginais no jornal tem sua foto nas páginas policiais. 'Quero-Tentar' hoje em dia é uma grande autoridade honesto, simples, leal (sua personalidade) se tornou o Presidente do país 'Felicidade'." PARA SER LIDO: Esse cordel nos mostra a importância que a escola tem na nossa vida, e que muitas vezes quem nós somos nela refletirá em quem seremos amanhã. Por isso devemos nos perguntar “O que realmente queremos ser? O ‘Falso’ que por sua preguiça de ir em busca de melhoria para a sua vida, passou o resto da vida aplicando golpes nas pessoas? O “Mínimo” que devido só pensar no mínimo de tudo em sua vida, acabou por não conseguir nada além de algo para não morrer de fome. O “Arrependido” se arrependeu dos dias que preferiu dormir á vir pra escola estudar, de ter matado tantas aulas, de ter se envolvido com o crime, e por isso nunca irá ter uma coisa tão preciosa na vida, chamada, paz. Ou o “Quero-tentar”, esse não sabia o que o futuro lhe reservava, mas sabia dos seus sonhos, e resolveu tentar, arriscar em tudo na sua vida, e hoje sabe que cada decepção foi um impulso para tentar novamente, que cada vitória teve um gostinho de suor, trabalho e esforço, e por todas as suas conquistas vive em paz, bem e feliz. E aí o quem vocês querem ser? (ENCERRA)