SlideShare uma empresa Scribd logo
ENTREVISTA
                                                                            John Diamond, criador do
                                                                                        Alien Arena


                     http://revista.espiritolivre.org | #004 | Julho 2009




                                                                                    ENTREVISTA
                                                                             Sami Kyöstilä, criador do
                                                                                         Frets on Fire




PYTHON                                                                              ENTREVISTA
Análise do livro Python para                                                      Bernhard Wymann,
Desenvolvedores                                                             desenvolvedor do TORCS
GINGA
Ginga brasileira na TV
Interativa

APTITUDE
Gerenciando pacotes


PROMOÇÕES
Sorteios de kits, cds e
camisetas
COM LICENÇA




Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org   |02
EDITORIAL / EXPEDIENTE


Jogos, diversão e                                                                            EXPEDIENTE
                                                                                     Diretor Geral

muito mais...                                                                          João Fernando Costa Júnior

                                                                                     Editor
                                                                                      João Fernando Costa Júnior
       Chegamos nesta quarta edição em meio a muitos eventos, e
ultrapassando a barreira das 100 páginas! Como poderão ver, apesar do tema
                                                                                     Revisão
de capa ser sobre jogos, os eventos permearam o mês de junho e a revista              Marcelo Tonieto
não poderia deixá-los de fora! Portanto, alertamos aos leitores que uma over-
dose de informação os espera.                                                        Arte e Diagramação
       Com o tema de capa, Jogos e Diversão, a Revista Espírito Livre teve a           João Fernando Costa Júnior
honra de ter como entrevistados diversos responsáveis por projetos mundial-
mente conhecidos e já consagrados pela comunidade. Acompanham as entre-              Capa
vistas, matérias que circundam este tema tão discutido, e às vezes até                Nilton Pessanha
inflamado, afinal, muitos dos leitores que nos estão lendo neste momento ain-
da utilizam softwares proprietários afim de terem uma plataforma para seus jo-       Contribuiram nesta edição
gos favoritos. Esta edição tenta mostrar que é possível encontrar títulos de          Aécio Pires
                                                                                      Alessandro Silva
qualidade contendo seu código aberto, demonstrando que a qualidade destes
                                                                                      Alexandre Oliva
aumenta a cada dia, assim como o número de jogos e seus fãs.
                                                                                      Andressa Martins
      As entrevistas desta edição, que são três, revelam um pouco mais sobre          Bernhard Wymann
John Diamond - criador do Alien Arena, Bernhard Wymann - líder da equipe              Carlos Donizete
responsável pelo TORCS e Sami Kyöstilä, criador do Frets on Fire.                     Cárlisson Galdino
                                                                                      Cezar Farias
       A equipe da revista está em constante crescimento tendo desta vez par-         Cezar Taurion
ticipações de Cristiano Rohli, tratando de um tema que inflama conversas, Ce-         Cristiano Roberto Rohling
zar Farias estréia uma coluna sobre Inkscape e outras ferramentas gráficas,           Edgard Costa
Gustavo Freitas apresenta o SEM: Search Engine Marketing, Luiz Eduardo fa-            Evaldo Junior
la de seu livro sobre Python, entre outros. Por justamente junho ter sido palco       Gustavo Freitas
de vários eventos de software livre, temos várias matérias e relatos a respeitos      John Diamond
destes, como poderão ver. Ari Mendes, Andressa Martins, Alessandro Silva,             Jomar Silva
José Josmadelmo e Vladimir di Fiori, diretamente da Argentina, contribuiram           José James F. Teixeira
de forma impecável nestes eventos que ocorreram mês passado.                          José Josmadelmo D. Silva
                                                                                      Juliana Prado
      Continuamos com nossa seção de emails, com comentários e suges-
                                                                                      Lázaro Reinã
tões enviados para a redação da revista. Participe! Envie também o seu co-            Leandro Leal Parente
mentário!                                                                             Luiz Eduardo Borges
       A Revista Espírito Livre trás a relação de ganhadores das três promo-          Marcelo Moreno
ções da edição anterior. E uma novidade: novas promoções estão a caminho,             Moisés Gonçalves
como poderão perceber, isto se deve à inclusão de parceiros que estarão co-           Relsi Hur Maron
nosco ao longo das próximas edições. Basta ficar ligado na revista e no site ofi-     Roberto Salomon
cial da revista [http://revista.espiritolivre.org] para não perder nenhum detalhe.    Sanmara B. Guimarães
                                                                                      Sinara Duarte
      Nossos agradecimentos a todos aqueles que tornaram e tornam este tra-           Tatiana Al-Chueyr
balho possível, inclusive aos que colaboraram com as traduções das entrevis-          Vladmir di Fiori
ta, Andressa Martins, Aécio Pires, Marcelo Tonieto, Juliana Prado, Relsi Hur          Viktor Chagas
Maron, etc.                                                                           Wallisson Narciso
                                                                                      Wesley Samp
       A Revista Espírito Livre, através da colaboração e apoio desta forte equi-     Yamamoto Kenji
pe, vem crescendo e mostra mais uma vez que chegou para ficar, que entrou             Yuri Almeida
no jogo, afim de disponibilizar conteúdo de qualidade, temas relevantes, maté-
rias com o propósito de acrescentar, feita por e para leitores.
                                                                                     Contato
                                                                                      revista@espiritolivre.org

                                                                                     O conteúdo assinado e as imagens que o
                                                                                     integram, são de inteira responsabilidade
                                                                                     de seus respectivos autores, não
                                                                                     representando necessariamente a
       João Fernando Costa Júnior                                                    opinião da Revista Espírito Livre e de
                                                                                     seus responsáveis. Todos os direitos
       Editor                                                                        sobre as imagens são reservados a seus
                                                                                     respectivos proprietários.


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                           |03
EDIÇÃO 003




SUMÁRIO
     CAPA
                                              Entrevista com
43   Evolução dos jogos para
     Linux                                    Bernhard Wymann
     Verdade ou ilusão?

47   Newsgame
     O embaralhamento de fronteiras entre
                                              PÁG. 27
     jornalismo e videogame


     COLUNAS                                  Entrevista com
                                              John Diamond
11   Tron: jogando por liberdade
     Zumzumzum..

                                              PÁG. 35
14   Jogando à Velha
     Torneios eram disputados...



16   Serious Game                             Entrevista com
     Que tal um jogo sério?
                                              Sami Kyöstilä
20   Cordel da Pirataria
     E você, é um pirata?!                    PÁG. 39
24   Ócio Criativo
     Você sabe do que isto trata?


     TECNOLOGIA
     ODF no Brasil
50   O que vemos pelo retrovisor e temos no
     parabrisa


     DESENVOLVIMENTO
                                                   104 AGENDA   06 NOTÍCIAS
53   Virado pra Lua - Parte 4
     Preparando o foguete para a LUA!


55   Portais instantâneos com
     Joomla
     Conhecendo este gerenciador de
     conteúdo
57   Python para
     Desenvolvedores                            EDUCAÇÃO
     Análise do livro
                                          74    Computador e crianças em
                                                casa
     REDE                                       Guia de sobrevivência para pais nas
                                                férias

60   TCOS no Kubuntu 9.04
     Instale o TCOS no Kubuntu com este
     passo-a-passo
                                                SOFTWARE PÚBLICO

     GRÁFICOS                             79    Ginga
                                                Ginga brasileira na TV Interativa


65   Tranformando objetos em                    MULTIMÍDIA
     linhas guias no Inkscape
     É hora de desenhar!
                                          84    Kernel Real-time e Áudio no
                                                Linux
                                                Aumente o som...
     ADMINISTRAÇÃO
68   Gerenciando pacotes com o                  MKT
     Aptitude
     Segura o pacote!
                                          88    SEM: Search Engine
                                                Marketing
                                                Vamos buscar...
     FÓRUM
                                                EVENTOS
71   Porque as pessoas (ainda)
     preferem o Windows?
     Uma boa pergunta...                  89    Relato: CMS Brasil 2009
                                                CMS e conhecimento


                                          92    Relato: III ENSOL
                                                Muita informação e discussões
                                                relevantes

                                          94    Relato: FISL10
                                                Contra a vigilancia e o controle da
                                                internet

                                          98    FISL10
                                                Liberdade e diversidade cultural


                                          101   Relato: M3DDLA
                                                Móvel e embarcado...
09 LEITOR                  10 PROMOÇÕES
                                                HUMOR
                                          102   Os Levados da Breca
                                                Helpdesk
                                                Windows e Mac vs. Linux
                                                Funcionário Público
NOTÍCIAS




NOTÍCIAS
Por João Fernando Costa Júnior

Seja a diferença: Mozilla Service Week!                                  SqueakFest Brasil 2009
                 A Mozilla tem o prazer de anun-                                                      Os     organizadores
                 ciar a primeira Mozilla Service                                                      convidam educado-
                 Week. Durante a semana de                                                            res,     estudantes,
                 14 a 21 de setembro de 2009,                                                         pais e desenvolve-
                 está convocando voluntários pa-                                                      dores a participar
                 ra serem a diferença usando a                                                        da Squeakfest Bra-
                 Internet para melhorar sua co-                          sil, evento internacional voltado à utilização do
                 munidade. A Mozilla é uma co-                           software Squeak Etoys na Educação. Realizada
                 munidade global com a missão                            pela primeira vez fora dos Estados Unidos, a
de fazer a Internet melhor para todos. Quando                            Squeakfest contará com a presença de líderes
membros da nossa comunidade decidem tomar                                das comunidades de uso do Squeak Etoys nos
uma atitude, eles têm o poder de realmente fa-                           Estados Unidos, na Alemanha e em países da
zer a diferença. Busca-se pessoas que queiram                            América Latina que participam da modalidade
compartilhar, se engajar, criar e colaborar ofere-                       1:1 (um laptop por aluno), bem como de pesqui-
cendo seu tempo e talento para organizações lo-                          sadores brasileiros da aplicação da linguagem
cais de interesse público, sem fins lucrativos e                         LOGO, atualmente inculados ao Projeto
pessoas que precisarem de sua ajuda. Quer par-                           UCA/SEED-MEC.         Mais     informações     no
ticipar?! Então visite mozillaservice.org para                           squeakfest.org.
mais informações.

                                                                         Cisco apresenta roteador Linksys 802.11n
Governo Belga torna público software usado                               com Linux
em máquinas de voto eletrônico                                                                A Cisco anunciou a comuni-
                     Após as eleições regionais                                               dade o WRT160NL, um ro-
                     e européias que acontece-                                                teador sem fio 802.11n
                     ram no dia 7 de Junho des-                                               open-source que vem com
                     te ano, o governo belga                                                  Linux. O modelo dá mais
                     decidiu disponibilizar o códi-                                           poderes ao usuário, sem
                     go-fonte do software utiliza-                                            que haja necessidade de
                     do em suas máquinas de                                                   recorrer a hacks no firmwa-
voto electrônico. Também foi tornado público a                           re. Entre outras coisas, a escolha do Linux tam-
especificação do tipo de arquivo usado para a co-                        bém        permite       armazenamento         e
municação entre as máquinas e os servidores                              compartilhamento através de USB, podendo
centrais. O software e a especificação do tipo de                        compartilhar arquivos para qualquer computador
arquivo estão disponíveis no site do orgão belga                         ou dispositivo que reconheça UPnP. O modelo
que regula os atos eleitorais e pode ser conferi-                        já está disponível a U$$ 120 dólares. Informa-
do aqui.                                                                 ções aqui.




Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                   |06
NOTÍCIAS


Amazon disponibiliza parte do código-fonte                               net está a ponto de converter-se no lugar mais
do Kindle DX                                                             regulado que jamais tenhamos conhecido. Isto
                    A Amazon, criadora Kindle                            se deve não somente ao poder legislativo do Es-
                    DX, ganhou as páginas de di-                         tado, mas também à arquitetura das novas tec-
                    versos meios nas últimas se-                         nologias. A ausência de uma discussão política
                    manas ao ser noticiado que                           sobre estas questões já não produz como antes
                    estaria disponibilizando o códi-                     uma liberdade por padrão. Ao contrário, deixa
                    go-fonte usado em seu produ-                         campo livre aos grupos empresariais e ao Esta-
                    to. O que acontece é que a                           do para produzir tecnologias a sua medida. Ex-
                    empresa disponibilizou o códi-                       tender esta discussão é o principal propósito
                    go-fonte de alguns softwares                         deste livro." Quer saber mais então descarregue-
que são usados em seu leitor de ebooks, mais                             o aqui.
especificamente o código das aplicações licencia-
das sob a GNU General Public License, cumprin-                           Palm libera códigos do WebOS usados em
do desta forma os termos desta licença. Assim,                           seu Palm PRE
a empresa está apenas cumprindo os termos
descritos na GPL, caso contrário, provavelmen-                                                A Palm liberou recentemen-
te teria que enfrentar algum processo judicial.                                               te a relação de softwares
                                                                                              open source utilizados no
                                                                                              Palm Pre, bem como o códi-
Conheça o pdfreaders.org!                                                                     go-fonte dos seus patches.
                    Você, que está lendo a Revis-                                             No site http://opensour-
                    ta Espírito Livre neste mo-                                               ce.palm.com podem ser
                    mento, está usando um                                maiores informações sobre tal liberação, bem
                    leitor de PDF de código aber-                        como o downloads dos referidos pacotes. Em
                    to? Se não, o convidamos a                           um blog ligado ao site oficial da Palm é afirmado
                    conhecer o pdfreaders.org.                           que está prevista a liberação do SDK para o fi-
                    A iniciativa partiu originalmen-                     nal do verão americano.
te da Fellowship da Free Software Foundation
Europe (FSFE) e apresenta no referido endere-                            Maior provedor da Noruega é pressionado a
ço uma série de soluções para leitura de seus                            bloquear The Pirate Bay
pdfs através de softwares de código-aberto, obe-
decendo Padrões Abertos, pois estes garantem                                                    O tempo está fechando lá
a interoperabilidade, competição e escolha.                                                     pelos lados da Noruega, e
                                                                                                a tempestade aponta em
                                                                                                direção ao The Pirate
Publicado "El Código 2.0", livro em espanhol                                                    Bay, conhecido site busca-
do autor Lawrence Lessig                                                                        dor de torrents. Diversos
                    O editorial "Traficantes de Su-                                             estúdios de cinema e gra-
                    eños" publicou o novo livro em es-                                          vadoras estão pressionan-
                    panhol de Lawrence Lessig                                                   do o maior provedor da
                    intitulado "El código 2.0", sob a li-                Noruega, a Telenor, a bloquear o acesso ao bus-
                    cença CC e disponível para down-                     cador. Medidas semelhantes já foram tomadas
                    load em formato PDF. Segue                           na Dinamarca e Itália.
                    trecho (traduzido) do livro: "A Inter-


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                   |07
NOTÍCIAS


Mozilla lança Firefox 3.5                                                legalizar o serviço, encontrando maneiras de pa-
                   Após vários meses de desen-                           gar aos provedores de conteúdo e detentores
                   volvimento, eis que a Mozilla fi-                     de direitos autorais sempre que uma música ou
                   nalmente      disponibiliza    a                      filme for baixado no The Pirate Bay. Segundo
                   versão final do Firefox 3.5. As                       Peter Sunde, co-fundador e porta-voz do The Pi-
                   novidades são muitas, mas                             rate Bay, o valor arrecadado com a venda será
                   provavelmente, a mais impor-                          usado para projetos relacionados a internet na
                   tante delas é o suporte do pro-                       forma de ativismo político. Detalhes em
                   tocolo HTML5, que possibilita                         http://thepiratebay.org/blog.
                   entre várias coisas o suporte
para as tags áudio e vídeo. A nova versão do Fi-                         Lançado PostgreSQL 8.4
refox traz ainda suporte a CSS3 e novo motor pa-
ra renderizar Javascript. Para informações e                             O Grupo de Desenvolvimento Global do Post-
download, visite http://www.mozilla.com.                                                    greSQL anuncia o lançamen-
                                                                                            to     da       versão    8.4,
                                                                                            continuando o rápido desen-
FreeDOS completa 15 anos                                                                    volvimento do banco de da-
No último dia 28, o FreeDOS, sistema operacio-                                              dos de código aberto mais
                    nal alternativo ao MS-DOS                                               avançado do mundo, como
                    e compatível com o mes-                                                 afirma a equipe. Esta versão
                    mo, completou 15 anos de                                                contém      várias   melhorias
                    existência. O FreeDOS sur-                           quanto a administração, consulta e programa-
                    giu em 1994, quando o estu-                          ção de bancos de dados PostgreSQL, tornando
                    dante de física Jim Hall                             estas tarefas mais fáceis do que nunca. As mu-
                    decidiu criar um projeto pa-                         danças são significativas, totalizando 293 modifi-
                    ra preservar o sistema, lo-                          cações entre novos recursos e melhorias.
go após a Microsoft anunciar que abandonaria o                           Informações no http://www.postgresql.org.
MS-DOS e que seu novo sistema operacional vi-
ria a ser o Windows 95. Hall então anunciou o                            Sistema educativo holandês torna livre plata-
PD-DOS (Public Domain DOS) em 28 de junho                                forma de gestão e distribuição de vídeos
do mesmo ano. Saiba mais em http://www.free-
dos.org.                                                                                        O código-fonte da Media-
                                                                                                Mosa, plataforma de ges-
                                                                                                tão e distribuição de
The Pirate Bay é vendido e comprador quer in-                                                   conteúdos vídeo criada
troduzir novo modelo de negócios                                                                para o sistema educativo
                              Os fundadores do site con-                                        holandês, tornou-se livre.
                              cordaram em vendê-lo pa-                   O anúncio foi feito pela empresa SURFnet e pe-
                              ra uma rede de pontos de                   la agência pública de suporte de IT do setor edu-
                              acesso públicos na Suécia                  cacional da Holanda, Stichting Kennisnet. Para
                              chamada Global Gaming                      os dois órgãos, a disponibilização do código sob
                              Factory X por 7,8 milhões                  uma licença aberta, neste caso a GPLv2, irá per-
                              de dólares. A Global Ga-                   mitir que qualquer pessoa possa ajudar a me-
                              ming Factory X (GGF) afir-                 lhor a aplicação. MediaRosa é baseada no
                              mou ainda que quer                         Drupal e o seu código pode ser conferido aqui.


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                    |08
COLUNA DO LEITOR




EMAILS,
SUGESTÕES E
COMENTÁRIOS                                                                                                      Ayhan YILDIZ - sxc.hu




Você já enviou seu comentário? Ajude a revista                           Parabéns pela iniciativa. Aqui em São Luís do
ficar ainda melhor! Contribua, envie suas suges-                         Maranhão não é nada fácil encontrar apoio de
tões e críticas. Abaixo listamos mais alguns co-                         qualquer natureza quando o assunto é Software
mentários que recebemos:                                                 Livre, e encontrar esta revista foi muito bom.
                                                                         Ribamar Costa - São Luíz/MA
A qualidade da revista está cada vez maior! Ma-
térias diversificadas com base teórica e prática.                        A Revista Espírito Livre é mais uma contribui-
Dá prazer em ler a revista!                                              ção para a disseminação do software livre com
Sandro Brasileiro - Vila Velha/ES                                        qualidade profissional aqui no Brasil. Isso é mui-
                                                                         to bacana, pois, temos uma certa carência de in-
É incrível. Quando penso que a qualidade da re-                          formações "livres" relacionados a softwares
vista chega ao máximo, eles vêm com mais es-                             livres no Brasil que tenha credibilidade o que
sa edição, lançada tão pouco tempo após a                                não quer dizer que não sejam de qualidade, is-
segunda. A equipe Espírito Livre está de para-                           so é importante para citações em artigos ou tra-
béns por nos disponibilizar um material tão farto                        balhos acadêmicos por exemplo. Esta é uma
de qualidade e ótimas matérias de maneira total-                         iniciativa louvável e deve ser promovida sempre
mente gratuita.                                                          que possível.
Ricardo Martiniano da Silva - João Pessoa/PB                             Saulo Vieira de Almeida Filho - Contagem/MG

A Revista está cada dia mais massa e interes-                            Está ficando muito difícil encontrar novas pala-
sante! Parabéns a todos... continuem assim!                              vras para elogiar as edições desta revista. Vou
Rodolfo Azevedo Bueno - Goiânia/GO                                       ter que comprar um dicionário especializado em
                                                                         elogios. Parabenizo pela "espetacular" participa-
Logo que recebi o comunicado do lançamento                               ção feminina nesta edição... Cuidado: estamos
da 3ª edição da revista, entre no site correndo e                        dominando o mundo!!!! rsss
já baixei a minha. É claro que já estou lendo.                           Karla Capucho - Vitória/ES
Parabéns a todos!!!
José Raimundo O. Silva - Taguatinga/DF                                   Gostaria de parabenizá-los pela Revista. O con-
                                                                         teúdo ficou muito bom, assim como a forma de
Parabéns pela ótima revista. Desde o fechamen-                           abordagem. Espero que continue neste ótimo ní-
to da Revista do Linux estávamos precisando                              vel e que se popularize cada vez mais.
de um substituto à altura!                                               Vitor S. Bertoncello - Santa Maria/RS
Seido Nakanishi - São José dos Campos/SP

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                          |09
PROMOÇÕES · RELAÇÃO DE GANHADORES E NOVAS PROMOÇÕES



PROMOÇÕES
 Na edição #004 da Revista Espírito Livre tivemos 3 promoções, onde sorteamos 5 inscrições para
 cada um dos eventos que haviam em questão. Abaixo, segue a lista de ganhadores de cada uma
das promoções. Para aqueles que não ganharam fica o recado: novas promoções estão a caminho!

                                                                 Ganhadores da Promoção CMS Brasil 2009:

                                                                 1. Tiago Bertoni Scarton - Bauru/SP
                                                                 2. Jefferson de Oliveira Marinho - São Paulo/SP
                                                                 3. Sérgio Ricardo Milare - São Paulo/SP
                                                                 4. Arimendes Rodrigues de Oliveira - Embu/SP
                                                                 5. Henrique G. Gularte Pereira - Santa Maria/RS

                                                                  Ganhadores da promoção FISL10:

                                                                  1. Alexandre Alves Correa - Porto Alegre/RS
                                                                  2. Bruno de Jesus Santos - Valença/BA
                                                                  3. Adriana Sommacal - Porto Alegre/RS
                                                                  4. Rafael Ris-Ala Jardim - Campos dos Goytacazes/RJ
                                                                  5. Francisca Juscivania Mendes - Fortaleza/CE

                                                                  Ganhadores da promoção III ENSOL/PB:

                                                                  1. Herbert Vasconcelos Dantas - João Pessoa/PB
                                                                  2. Dhérsy Gabriel Ferreira da Silva - Caruaru/PE
                                                                  3. Eliara Maria Tavares - Paraguaçu/MG
                                                                  4. Calismar Moreira da Cunha - Cariacica/ES
                                                                  5. Marcus Vinícius de Barros Pontes - João Pessoa/PB




                                                                          A VirtualLink em parceria com a Revista Espírito
                                                                         Livre estará sorteando kits de cds e dvds entre os
                                                                         leitores. Basta se inscrever neste link e começar a
                                                                                                torcer!



                                                                             O Clube do Hacker em parceria com a Revista
                                                                              Espírito Livre estará sorteando associações
                                                                             para o clube, entre outros. Basta se inscrever
                                                                                      neste link e cruzar os dedos!



Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                  |10
COLUNA · ALEXANDRE OLIVA




Tron: jogando
por liberdade
Por Alexandre Oliva




                                                                                                              commons.wikimedia.org


                                                        Quem não lembra do zum-       é a chave para uma nova or-
                                                 zumzum sobre o filme “Tron,          dem! Este disco de código sig-
                                                 uma Odisséia Eletrônica”, em         nifica liberdade!”, “Meu usuário
                                                 meados dos anos 1980? Na             tem informação que poderia...
                                                 época eu brincava com videoga-       que poderia tornar este siste-
                                                 mes, era fascinado por progra-       ma novamente livre!” e “Este é
                                                 mação e me interessei muito          o Tron. Ele luta pelos usuári-
                                                 pelo filme. No entanto, por al-      os.” Fez-me pensar se Ri-
                                                 guma razão, não assisti a esse       chard Stallman foi inspirado
                                                 marco na história da ficção cien-    pelo filme, lançado pouco mais
                                                 tífica e dos efeitos especiais an-   de um ano antes do projeto
                                                 tes de esbarrar nele, outro dia,     GNU.
                                                 numa loja de DVDs na Internet.             Tron, pra quem não sabe
                                                       Embora a história seja in-     ou não lembra, era um progra-
                                                 teressante e sedutora como tan-      ma escrito para monitorar as
                                                 tas outras batalhas entre o          comunicações do mainframe
                                                 bem e o mal, e os efeitos de         da ENCOM, computador con-
                                                 computação gráfica ainda im-         trolado pelo malévolo Master
                                                 pressionem, levando-se em            Control Program, ou MCP, ana-
                                                 conta sua idade, o que me fez        grama do então prevalente
                                                 vibrar foram frases como “Esta       CP/M. Kevin, brilhante ex fun-


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                    |11
COLUNA · ALEXANDRE OLIVA


cionário da ENCOM e autor de                          Kevin, digitalizado, encon-   bertando o sistema, os progra-
vários jogos eletrônicos por ela                tra Tron, feito à imagem e seme-    mas,      as     linhas      de
comercializados, tentava inva-                  lhança de seu autor, e muitos       comunicação e os usuários.
dir o mainframe para reunir pro-                outros programas apropriados        Embora algum conhecimento
vas de que era ele o autor dos                  pelo MCP. São todos obriga-         de informática ajudasse a en-
jogos que valeram muitas pro-                   dos a atuar em jogos eletrôni-      tender alguns dos chistes do fil-
moções ao executivo que assu-                   cos, como gladiadores nos           me, como o “End Of Line”, ou
miu sua autoria, numa jogada                    circos do Império Romano. A         “Fim da Linha”, com que o
que lembra a compra do Quick                    preocupação com usuários era        MCP terminava suas conver-
and Dirty Operating System pe-                  ridicularizada e condenada: “O      sas, não precisa ser nem
la Microsoft para fornecer o sis-               MCP os escolheu para servir o       software nem desenvolvedor
tema operacional para o IBM                     sistema na arena de jogos.          para compreender por que foi
PC, assim como vários lances                    Aqueles que continuarem a pro-      tão comemorada a queda do
ainda mais traiçoeiros entre Mi-                fessar a crença nos usuários re-    MCP na ficção.
crosoft e Apple retratados no fil-              ceberão o treinamento padrão             Já no mundo real, o MCP
me “Piratas do Vale do Silício”.                abaixo do padrão, o que acaba-      continua espalhando o terror
      MCP reclamou ao executi-                  rá resultando em sua elimina-       entre jogos e outros tipos de
vo sobre Tron: “Não posso tole-                 ção. Aqueles que renunciarem        programas, através de DRM,
rar        um       programador                 a essa crença supersticiosa e       formatos de arquivo e protoco-
independente me monitorando.                    histérica serão elegíveis para a    los secretos, falta de acesso
Você tem ideia de quantos sis-                  Elite Guerreira do MCP.”            ao código fonte, desvios de pa-
temas eu invadi, de quantos                            Um programa de cálculo       drões estabelecidos, introdu-
programas eu me apropriei?”.                    de juros compostos manifesta-       ção à força de falsos padrões,
Bloqueou o acesso de Tron e                     va sua frustração com os des-       computação em nuvem, licen-
seu autor, que recorreu então                   mandos do MCP: “Fala sério!         ças excessivamente limitadas,
à ajuda de Kevin. Este acaba                    Mandar-me aqui para atuar em        EULAs cada vez mais abusi-
sendo “digitalizado” por uma                    jogos?! Quem ele calcula que        vas e ameaças através de pa-
máquina desenvolvida por um                     é?” Para um guarda do MCP,          tentes de software. Se o MCP
cientista que, em discussão                     ameaçava: “Vocês vão deixar         se valia, para acumular poder,
com o executivo, afirma que “É                  meu usuário muito bravo!”, ao       de acesso indevido a computa-
para atender às requisições                     que o guarda respondia com es-      dores de terceiros, um dos mo-
dos usuários que servem os                      cárnio: “Que maravilha! Outro       tes do AI-5.0 do Senador
computadores!”, de que o exe-                   maluco religioso!” Na época,        Azeredo, outros vilões visionári-
cutivo discorda: “Servem para                   ainda não chamavam aqueles          os da vida real tentam levar a
promover nossos negócios”. Es-                  como nós, que lutamos pelos         cabo o desastre que previu Bill
tava aí plantado o embate en-                   usuários, de xiitas ou fundamen-    Gates em 1991: “Se houves-
tre      o      controle    das                 talistas.                           sem entendido como patentes
computações pelos usuários e                         Depois de jogar e vencer,      seriam concedidas quando a
por aqueles que se creem no di-                 Kevin (“Do outro lado da tela pa-   maior parte das idéias de hoje
reito de obter vantagens abusi-                 recia bem mais fácil!”) e Tron      foram inventadas e houves-
vas       privando-os     desse                 acabam escapando da arena           sem obtido patentes, a indús-
controle, através de negação                    de jogos e, após perseguições       tria     estaria     totalmente
de código fonte, Gestão Digital                 e batalhas emocionantes no es-      estagnada.”
de Restrições (DRM), Tivoiza-                   paço virtual, chegam ao MCP             Não ajuda quando desvi-
ção, direito autoral, patentes,                 e previsivelmente o derrotam, li-   am o foco dos Trons, que lu-
EULAs e por aí vai.

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                              |12
COLUNA · ALEXANDRE OLIVA


                                                                                   jogar o jogo para reconquistar
                                                                                   nossas liberdades, ou deixar
                                                                                   os MCPs tomarem o controle
                                                                                   de tudo e darem a última pala-
              Precisamos de cada                                                   vra até o “Fim da Linha”?

   vez mais Richards e Trons para                                                  Copyright 2009 Alexandre Oliva
   fortalecer a Aliança Rebelde na                                                 Cópia literal, distribuição e publica-
   luta pelas liberdades...                                                        ção da íntegra deste artigo são permi-
                                                                                   tidas em qualquer meio, em todo o
                                                                                   mundo, desde que sejam preserva-
                                                                                   das a nota de copyright, a URL oficial
     Alexandre Oliva                                                               do documento e esta nota de permis-
                                                                                   são.
                                                                                   http://www.fsfla.org/svnwiki/blogs/lxo/
tam pelos usuários, e glorifi-                                                     pub/tron-jogando-por-liberdade
cam os Kevins, que entraram                     vin apenas por acaso participa-
na história em busca de diver-                  ram de batalhas cruciais na
são e atrás de seus próprios in-                longa luta pelos usuários e cer-
teresses mesquinhos. É como                     tamente não tomam partido nes-
glorificar o mercenário Han So-                 sa guerra, assim como Han
lo, de Guerra nas Estrelas, por                 apenas por acaso participou
seu papel na vitória da Aliança                 de uma batalha contra o Impé-                        ALEXANDRE OLIVA
Rebelde, esquecendo de todo                     rio.                                                  é conselheiro da
                                                                                                     Fundação Software
o trabalho anterior feito pelos re-                                                                  Livre América Latina,
                                                     Como cada vez mais inte-
beldes e do total descomprome-                                                                       mantenedor do Linux-
                                                resses mesquinhos cooptam Li-                        libre, evangelizador
timento de Han Solo com a
                                                nuses, Kevins e Hans, que                            do Movimento
causa. Não é à toa que, quan-                                                                        Software Livre e
                                                perseguem, como sempre fize-                         engenheiro de
do a FSF foi agraciada com o
                                                ram, seus próprios interesses,                       compiladores na Red
“Prêmio Linus Torvalds” na                                                                           Hat Brasil. Graduado
                                                precisamos de cada vez mais                          na Unicamp em
[GNU/]LinuxWorld de 1999, Ri-
                                                Richards e Trons para fortale-                       Engenharia de
chard Stallman traçou esse pa-                                                                       Computação e
                                                cer a Aliança Rebelde na luta
ralelo: “É tão irônico como                                                                          Mestrado em
                                                pelas liberdades cerceada pe-                        Ciências da
conceder o Prêmio Han Solo à
                                                los MCPs e pelo Império. Va-                         Computação.
Aliança Rebelde.” Linus e Ke-
                                                mos lutar pelos usuários e




Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                       |13
COLUNA · ROBERTO SALOMON




JOGANDO À VERA
 Por Roberto Salomon


                                                                                                       David-Kingsley Kendel - sxc.hu




                                                      Quando criança, uma das      tensão era palpável. Era possí-
                                                 grandes diversões era o jogo      vel perder até mesmo os preci-
                                                 de bola de gude. Verdadeiros      osos olhos de gato que
                                                 torneios eram disputados eram     entravam no jogo como cam-
                                                 disputados naqueles espaços       peões de algum exército mági-
                                                 onde a grama não crescia. Em      co. Por isso mesmo, na
                                                 Brasília, na época, isso não      maioria das vezes, jogavamos
                                                 era muito difícil de encontrar    à brinca (de brincadeira) e ao
                                                 pois ainda havia muitos cantei-   final da partida, cada um volta-
                                                 ros de obras e gramados acaba-    va para casa com todas as bo-
                                                 dos não eram tão comuns           las intactas (sem trocadilhos,
                                                 quanto hoje. Com o calcanhar      por favor).
                                                 grosso de correr descalço, ca-          Os tempos mudaram e os
                                                 çapas eram cavadas em linha       jogos também. Depois que re-
                                                 ou uma barca era desenhada        solvemos incorporar o compu-
                                                 com o galho ou pedra mais pró-    tador     às   nossas    vidas
                                                 xima. E o jogo começava. O        profissionais,   precisavamos
                                                 maior risco era perder as boli-   dar um jeito de também jogar
                                                 nhas de vidro quando o jogo       com eles. Mesmo quem é da
                                                 era à Vera (ou para valer). A     "geração Atari" não faz idéia


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                     |14
COLUNA · ROBERTO SALOMON


da emoção que alguns meros                              Mas voltando ao jogo...         Esta estrutura permite
quadrados na tela da TV eram                         O mercado de jogos já é       que novos servidores sejam
capazes de provocar em um jo-                   um mercado maduro onde o           provisionados em segundos
go chamado Pong (comerciali-                    modelo de negócios se reinven-     sempre que um grupo inespe-
zado no Brasil, na época, com                   ta periodicamente. O Linux e o     rado de jogadores resolva en-
o nome TeleJogo, da Philco).                    Software Livre são recém che-      trar on-line ou viajar para
Horas de diversão passadas                      gados a este mundo mas solu-       outras áreas do mundo do jo-
em torno de um círculo dese-                    ções em Linux já ganharam          go. É o Software Livre garantin-
nhado na terra foram substitui-                 uma posição consolidada e rele-    do a jogabilidade de um
das por horas com um controle                   vante. Em especial nos bastido-    sem-número de jogadores.
de videogame na mão em tor-                     res do atual mercado de jogos.            Este tipo de investimento
neios que reuniam os amigos                                                        mostra que o mercado de jo-
na frente da TV do amigo que                          Por ser um mercado es-
                                                sencialmente voltado ao consu-     gos cresceu e se consolidou.
podia comprar o jogo.                                                              Investimentos já são justificá-
                                                midor final, são poucas as
      Evoluiram os computado-                   empresas que investem na pro-      veis e modelos de negócios
res e os jogos não podiam dei-                  dução de jogos para Linux.         são escritos prevendo um retor-
xar de evoluir também. Muitos                   Uma honrosa exceção é a ID,        no grande o suficiente para jus-
evoluiram apenas para aprovei-                  que vem lançãndo versões Li-       tificar   estes    investimentos.
tar os novos recursos gráficos                  nux dos mecanismos de jogos        Linux e soluções de Software
das novas máquinas chegando                     como Doom e Quake. Já nos          Livre são partes integrantes
a um grau de realismo que já ul-                servidores, a história é bem ou-   deste cenário e a tendência é
trapassou o realismo de mui-                    tra. E o melhor dela é que pode-   vermos uma participação cada
tos filmes de ficção científica                 mos usar um grande exemplo         vez maior destas soluções on-
feitos a menos de 20 anos. Ou-                  daqui do Brasil mesmo.             de o dinheiro é gerado.
tros, optaram por manter a tradi-                                                       Da minha parte, continuo
ção de se preocupar com a                             Temos aqui uma empre-
                                                sa chamada Hoplon Infotain-        esperando clientes destes jo-
qualidade do jogo (gameplay,                                                       gos que eu possa jogar. Mes-
para os americanos) criando                     ment que desenvolveu um
                                                jogo no modelo MMORPG              mo que escondido, quando
clássicos que se tornaram qua-                                                     meus filhos não estão por per-
se vícios - Tetris e Bubble Brea-               (Massively Multiplayer Online
                                                Role Playing Game) chamado         to para um desafio à vera.
ker são dois que posso citar do
alto da memória.                                Taikodom. Jogos deste tipo re-
                                                querem o desenvolvimento de          Maiores informações:
      Confesso que tenho uma                    dois componentes essenciais:
dificuldade incrível para enten-                um cliente rico em detalhes grá-   Blog do Roberto Salomon:
der como é que para realizar                    ficos e; uma estrutura de servi-   http://rfsalomon.blogspot.com
um ataque, tenho que pressio-                   dores robusta que aguente
nar três botões do joystick en-                 picos de demanda sem tirar a
quanto movo o controle do                       paciência dos jogadores. O cli-
polegar direito para cima e o                                                                        ROBERTO
                                                ente, por enquanto, é somente                        SALOMON é
do esquerdo para baixo. Meus                    Windows mas o que chama a                            arquiteto de software
filhos, no entanto, parecem                                                                          na IBM e voluntário
                                                atenção mesmo é a infra-estru-                       do projeto
achar isso tudo muito natural,                  tura de servidores que a Ho-                         BrOffice.org.
o que me leva a derrotas amar-                  plon montou: centenas de
gas nas raras ocasiões em                       servidores Linux virtualizados
que eles me deixam jogar.                       em um mainframe IBM.

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                       |15
COLUNA · CÉZAR TAURION




SERIOUS GAME                                                                                          Jean Scheijen - sxc.hu


 Por Cézar Taurion




                                                       Geralmente quando se fa-      (http://en.wikipedia.org/wiki/Se-
                                                 la em games, imagina-se ape-        rious_game).
                                                 nas entretenimento e lazer,              E à medida que a gera-
                                                 para adolescentes despreocu-        ção digital se entranhe nas em-
                                                 pados...Mas, games estão se         presas, mais e mais veremos
                                                 tornando coisa séria, de uso        pressão para termos estas tec-
                                                 empresarial, para diversos          nologias no ambiente de traba-
                                                 usos como o Energyvlle criado       lho. A propósito do assunto
                                                 pela Chevron para divulgar          jogos sérios, a IBM elaborou
                                                 sua política ecoconsciente          um relatório muito interessan-
                                                 (http://www.willyoujoinus.com/)     te, chamado “Virtual Worlds,
                                                 ou          America's      Army     Real Leaders: Online games
                                                 (http://www.americasarmy.           put the future of business lea-
                                                 com/) criado pelo Exército ame-     dership on display”, produzido
                                                 ricano para incentivar o recruta-   em conjunto com a Seriosity
                                                 mento.    Aliás,    o    assunto    Inc, partir de um estudo condu-
                                                 “Serious Games” pode ser vis-       zido por pesquisadores da Uni-
                                                 to em mais detalhes no Wikipe-      versidade de Stanford e MIT
                                                 dia                                 Sloan School of Management.

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                         |16
COLUNA · CÉZAR TAURION


                                                                                   de liderança aprendidas nes-
                                                                                   tes jogos para melhorar sua
              ... games estão se                                                   própria eficácia no trabalho.

    tornando coisa séria, de uso                                                         Uma interessante dedu-
                                                                                   ção do estudo é que embora
    empresarial...                                                                 não se possa dizer que cada
                                                                                   pessoa dentro de um organiza-
                                                                                   ção pode e deve ser um líder,
    Cézar Taurion
                                                                                   lideranças podem eventual-
                                                                                   mente emergir dadas ferramen-
                                                                                   tas     adequadas     para    as
                                                                                   circunstâncias adequadas. Se
      A idéia básica do relatório
                                                                                   vocês quiserem ler o documen-
pode ser sintetizada pela frase                 completo      de   informações.
                                                                                   to (o que eu recomendo!) aces-
de um dos seus pesquisado-                      Além disso a liderança é tempo-
                                                                                   sem
res, Byron Reeves, da Universi-                 rária, muitas vezes surgindo pa-
                                                                                   http://domino.watson.ibm.com/
dade de Stanford que diz: “If                   ra uma determinada missão,
                                                                                   comm/www_innovate.nsf/pa-
you want to see what business                   ao término da qual, nova lide-
                                                                                   ges/world.gio.gaming.html. Re-
leadership may look in three to                 rança aparece. Este último é
                                                                                   comendo também um estudo
five years, look at what’s happe-               um ponto importante, uma vez
                                                                                   muito interessante que analisa
ning in online games”!!!                        que como não há expectativas
                                                                                   psicologia dos gamers MMOG,
                                                da liderança ser permanente,
       O estudo busca ajudar a                                                     em http://www.nickyee.com/da-
                                                acaba-se encorajando colabo-
responder as questões: “Em                                                         edalus/. Infelizmente este proje-
                                                rações e experimentações. Cla-
um cenário de empresas globa-                                                      to está “adormecido”, mas os
                                                ro que surgem líderes que
lizadas, distribuídas e inovado-                                                   documentos continuam disponí-
                                                ficam muito tempo na lideran-
ras,     atuando     de    forma                                                   veis.
                                                ça, mas pela simples razão
colaborativa e virtualizada, co-
                                                que são reconhecidos como tal            Além disso, um outro es-
mo seriam seus líderes? Quais
                                                pela comunidade e não impos-       tudo, feito pela Pew Internet
os skills e competências neces-
                                                tos pela organização. Este mo-     (http://www.pewinternet.org/
sários? Onde conseguir estes
                                                delo contrasta claramente com      Reports/2008/Teens-Video-
skills e competências?”.
                                                o modelo de liderança atual,       Games-and-Civics.aspx) mos-
      Uma proposta é que os jo-                 de posição permanente, que         trou que os games MMOG am-
gos (principalmente os MMOG,                    tende a criar gerentes arredios    pliam as oportunidades de
ou massively multiplayer online                 à experimentações e inova-         interação social e que deveria
games) criam contextos que po-                  ções.                              ser adotada com mais ênfase
dem mostrar como seria a lide-                                                     no ambiente educacional. Pa-
                                                     Uma pesquisa comple-
rança do futuro. Os líderes das                                                    ra verem algumas experiências
                                                mentar feita com uma comuni-
comunidades criadas em torno                                                       de games em educação, ve-
                                                dade de cerca de 200 gamers
destes jogos conquistam esta                                                       jam o site da Local Games
                                                da IBM (funcionários) mostrou
posição por meritocracia e são                                                     Lab, da Universidade de Wis-
                                                que eles acreditam que jogar
influenciadores, mas de forma                                                      consin-Madison, nos EUA, em
                                                MMOG melhora suas competên-
colaborativa e não impositiva,                                                     http://lgl.gameslearningsociety.
                                                cias de liderança no mundo re-
aceitam riscos e falhas, e to-                                                     org/.
                                                al e quatro em cada dez
mam decisões de forma rápida
                                                disseram que aplicam técnicas            Com base nesta propos-
e sem dispor de um conjunto
                                                                                   ta, a IBM lançou há algum tem-

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                             |17
COLUNA · CÉZAR TAURION


po o INNOV8 (o nome é uma
brincadeira com a palavra inno-
vate, usando-se innoveight),                                    Estudo feito pela Pew
um jogo que mostra os funda-
mentos do BPM (Business Pro-                         Internet, mostrou que os games
cess Management), que pode
ser visto em http://www-                             MMOG ampliam as
01.ibm.com/software/solutions/
soa/innov8.html . O INNOV8 é
                                                     oportunidades de interação social
orientado a universidades que
estejam ensinando BPM, é um
                                                     e que deveria ser adotado com
jogo free, e faz parte do progra-                    mais ênfase no ambiente
ma Academic Initiative da IBM.
      Bem, e como o Brasil es-                       educacional.
tá posicionado na indústria de                       Cézar Taurion
games? Entrei no site da Abra-
games e descobri uma pesqui-
sa sobre a indústria brasileira                 games está mais focada em          um jogo interessantíssimo, on-
de        jogos      eletrônicos                consoles e celulares.              de os participantes agem co-
(http://www.abragames.org/
                                                                                   mo se estivessem no século
docs/Abragames-Pesquisa
                                                                                   XXIII. Mas, o coração do jogo
2008.pdf). Alguns dados da pes-                       Claramente temos imen-       é uma tecnologia chamada Bit-
quisa:                                          so potencial para crescimento!     verse, que permite criar ambi-
     a) Existem 42 empresas                     E como se ganha dinheiro pro-      entes de terceira dimensão,
que produzem games no Brasil.                   duzindo games? Por exemplo,        que podem ser usados por ex-
                                                analisando o mercado de            emplo, além de jogos em
     b) O PIB (hardware e                       MMOG, vemos que ele permite
software) de jogos eletrônicos                                                     ações de ensino a distância. O
                                                basicamente dois modelos de        Bitverse foi escrito em Java,
aqui é de cerca de 87,5 mi-                     receita: venda de assinaturas
lhões de reais.                                                                    demonstrando de forma inequí-
                                                ou o que foi adotado pela Ho-      voca a potencialidade desta lin-
     c) 43% da produção dos                     plon, de entregar o jogo de gra-   guagem para jogos. Ah, e uma
softwares de jogos brasileiros                  ça, mas ofertar produtos           curiosidade: a Hoplon usa um
é destinado à exportação. O                     pagos, como roupas, armas, es-     mainframe da IBM. Sabem por-
mercado interno é prejudicado                   paçonaves, etc. Estes produto      que?
pela pirataria e importação ile-                são virtuais, mas custam dinhei-
gal.                                            ro real!                                  Os jogos MMOG e mun-
                                                                                   dos virtuais demandam carac-
     d) Artistas gráficos e pro-                     A Hoplon Infotainment         terísticas próprias. Precisam
gramadores são os perfis profi-                 (www.hoplon.com) é um exem-        de alta capacidade computacio-
sisonais mais comuns na                         plo de sucesso na indústria de     nal, pois muitas vezes são mi-
indústria brasileira de games.                  games brasileira. Foi criada no    lhares e milhares de usuários
                                                ano de 2000, em Florianópolis      simultâneos, demandando tem-
       e) Em termos mundiais, o
                                                e investiu cerca de 15 milhões     pos de resposta em milisegun-
Brasil é apenas 0,16% da indús-
                                                de reais e quatro anos de ár-      dos e qualquer latência afeta o
tria global de games.
                                                duo trabalho para desenvolver      comportamento dos persona-
       f) A industria brasileira de             um jogo MMOG. O Taikodom é


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                            |18
COLUNA · CÉZAR TAURION


gens e objetos. Portanto é ne-                  res parecem congelar em deter-       Maiores informações:
cessário o uso intenso de pro-                  minadas situações. No Second
cessadores para simulação da                    Life cada ilha virtual está em     Site Energyvlle
física nos movimentos dos per-                  um servidor diferente e o tele-    http://www.willyoujoinus.com/
sonagens e objetos. Afinal, as                  porte de uma ilha para outra po-
leis da física devem também va-                 de sofrer alguma latência.         Site America's Army
ler no mundo virtual. Mesmo                                                        http://www.americasarmy.com/
                                                      O ambiente operacional
neste mundo, velhas leis como                   deste tipo de jogo demanda
a da gravidade devem continu-                                                      Artigo na Wikipedia sobre Serious
                                                uma arquitetura de servidores      Game
ar valendo.                                     desenhada para eliminar a la-      http://en.wikipedia.org/wiki/Serious_
      Os jogadores e usuários                   tência, que é o maior inimigo      game
exigem tempos de resposta rá-                   dos jogos online. A latência faz
pidos e ao mesmo tempo, quan-                   com que as ações do jogo pare-     Estudo sobre a psicologia dos
to mais interessante o jogo ou                  çam irreais, lentas, tirando o     gamers MMOG
o mundo virtual, mais e mais                    prazer de jogar. Os servidores     http://www.nickyee.com/daedalus/
usuários se conectam para inte-                 nos jogos MMOG tem adicional-
ragir uns com os outros. Em                     mente a tarefa de gerenciar a      Estudo da Pew Internet
um ambiente de computação                       interação entre os milhares de     http://www.pewinternet.org/Reports/
tradicional, quanto mais usuári-                jogadores, garantindo inclusive    2008/Teens-Video-Games-and-
os conectados, menos tempo                      que suas ações estejam corre-      Civics.aspx
de máquina cada um dispõe.                      tas. Os servidores, são, portan-
Para jogos interativos, degrada-                to, cruciais para que o jogo       Site INNOV8
ções na velocidade dos jogos                    opere adequadamente. Clara-        http://www-01.ibm.com/software/
ou dos mundos virtuais é uma                    mente, o modelo exige compu-       solutions/soa/innov8.html
das piores situações, que pode                  tação sob demanda, onde o
levar ao desestímulo dos seus                   mainframe, pela possibilidade      Site Abragames
usuários e ao fracasso da inicia-               de operar centenas de máqui-       http://www.abragames.org/docs/
tiva.                                           nas virtuais (e em Linux...) sem   Abragames-Pesquisa2008.pdf
     Uma técnica usada em                       necessidade de conexões físi-
muitos jogos e ambientes tridi-                 cas, é uma alternativa extrema-    Site da Hoplon Infotainment
mensionais é a adoção de inú-                   mente      válida.   Como      o   http://www.hoplon.com
meros      servidores     fisicos               Taikodom resolveu este proble-
separados (como no caso do                      ma? Usando um mainframe            Discussão sobre sinergia entre
mundo virtual Second Life). Is-                 System z10 da IBM!                 mainframes e jogos MMOG
to acontece porque um único                           E finalmente, como leitu-    http://spectrum.ieee.org/aug08/6518
servidor de pequeno porte não                   ra adicional, sugiro acessarem
consegue dar conta de cente-                    http://spectrum.ieee.org/aug
nas de milhares de jogadores                    08/6518 para uma discussão
ao mesmo tempo. O problema                      mais exaustiva sobre o a siner-
                                                                                                     CEZAR TAURION é
de se usar vários servidores físi-              gia entre mainframes e jogos                         Gerente de Novas
cos é a latência que aparece                    MMOG.                                                Tecnologias da IBM
                                                                                                     Brasil.
quando a ação sai de um servi-                                                                       Seu blog está
dor para o outro. Quem usa ou                                                                        diponível em
                                                                                                     www.ibm.com/develo
usou o Second Life nota isso                                                                         perworks/blogs/page/
varias vezes, quando os avata-                                                                       ctaurion



Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                      |19
COLUNA · CÁRLISSON GALDINO




                                                 Naquele tempo antigo          Esses homens nesses barcos
                                                 Dos grandes descobrimentos    Dominavam o mar selvagem
                                                 Navios cruzavam mares         Subjugando outros povos
                                                 Levando dor e tormento        Mas tinham uma boa imagem
                                                 Às terras por toda a vida     Pois nos livros de História
                                                 Fossem novas ou antigas       Ainda hoje levam glória
                                                 Sem respeito e violentos      Por cada dessas viagens

                                                 Iam à costa africana          Nesse mar, sem ter direito
                                                 Com suborno ou então bravos   A ter u'a vida de gente
                                                 Deixavam terra levando        Muitos se reagruparam
                                                 Dezenas de homens, escravos   Num caminho diferente
                                                 Outros levavam empregados     Nessa realidade ingrata
                                                 E muitos deles, coitados,     Criaram as naus piratas
                                                 Eram mortos por centavos      E enfrentaram o mar de frente


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                         |20
COLUNA · CÁRLISSON GALDINO


Piratas, os homens livres                       De tudo que era impressão     Os livreiros da Inglaterra
Diferiam dos demais                             Pois besta em tudo se mete    E o monopólio a nascer
Dentro da embarcação                                                          Não era bem algo novo
Tinham direitos iguais                          E os livreiros desse tempo    E era o bem ao povo
Cultivavam parceria                             Cada editora antiga           Que essa lei veio fazer
Contra toda a tirania                           Precisava de um aval
Confrontando as naus reais                      Para que imprimir consiga     Nasceu o Domínio Público
                                                O aval do Rei, do Estado      Nesta distante Idade
Atacavam naus tiranas                           Que se não for do agrado      Os livreiros exploravam
Roubando o que foi roubado                      Deles, a impressão não siga   Seus direitos à vontade
Matavam os ocupantes                                                          Mas terminado o prazo
Escravos, são libertados                        Um monopólio formado          Toda obra era, no caso
Onde gastar o obtido?                           Pra controlar a leitura       Doada à Humanidade
Tudo o que era conseguido                       Terminou dando poderes
Mundo afora era trocado                         Além do que se procura        Os livreiros reclamaram
                                                Dessa forma os livreiros      Pedindo ampliação
Esses eram os piratas                           Cresceram muito ligeiro       Para aquele monopólio
Daquela época esquecida                         Nessa forma de censura        Mas não teve apelação
Que se ergueram contra reis                                                   Pois se fosse concedida
Nessa tortuosa vida                             Já no século XVIII            Mais outra seria pedida
De "crimes", mas foi assim                      Bem lá no ano de 10           E o prazo seria em vão
Pois em alto mar, no fim,                       Naquela mesma Inglaterra
Não tinham outra saída                          Uma nova lei se fez           Isso lá naquele tempo
                                                Hoje ninguém lembra mais      Eles podiam prever
Mas vamos falar agora                           De direitos autorais          Que se o prazo aumentasse
De algo dos dias atuais                         Foi ela a primeira lei        De novo iam querer
Que é estranho e nasceu                                                       Sempre após mais alguns anos
Já nem tanto tempo faz                          Right em inglês é direito     E o prazo se acumulando
Hoje o tema da poesia                           E copy é copiar               No fim "pra sempre" ia ser
Chamam de pirataria                             O Estatuto de Anne
E os direitos autorais                          Só disso ia tratar            Mas o mais interessante
                                                Direito direcionado           Pros livreiros e editores
Para contar essa história                       Aos livreiros, que afetados   É que o que eles previam
De leis, direito e valor                        Tinham que se acostumar       Houve com novos atores
Temos que entender primeiro                                                   E hoje o direito autoral
Como a gente aqui chegou                        Pois copyright falava         Vale tanto, que é anormal
Por isso, como esperado                         De cópia em larga escala      Pra agradar exploradores
Vamos voltar ao passado                         E o direito é o monopólio
Onde tudo começou                               Sobre cada obra criada        Por que, vê se faz sentido
                                                E esse direito, notamos       A desculpa que eles dão
No ano de 62                                    Durava quatorze anos          Pra monopólio de livros
Do século XVII                                  E o monopólio acabava         É incentivo à criação
O país, a Inglaterra                                                          Se é assim, por que, ora pois
E a censura, um canivete                        Note que essa nova lei        Ele dura anos depois
Cortava a produção                              Não veio favorecer            Da morte do cidadão?



Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                        |21
COLUNA · CÁRLISSON GALDINO


                                                Pra isso que produtores,     Numa empresa transferido
Que eu saiba depois de morto                    Gravadoras, editores         Que é quem dirá se é viável
Eu garanto a você                               Tudo isso se construiu       Atender a esse pedido
Por grande artista que seja                                                  E se ela não publicar
Ele não vai escrever                            Porém esse monopólio         Nenhuma outra poderá
Só se for, caso aconteça                        Garantido ao autor           Pois o direito é exclusivo
Com um médium, mas esqueça                      É o preço que eles cobram
Não é o que a Lei quis dizer                    Pra fazer esse "favor"       Esse jogo de direitos
                                                Se a editora tem confiança   Ilude a maioria
O direito agora vale                            Facilmente a obra alcança    Dos artistas existentes
Por toda a vida do autor                        Além do que se sonhou        Como uma loteria
Depois mais setenta anos                                                     Onde muita gente investe
Depois que a morte chegou                       O autor perde o direito      Mas pra poucos acontece
Pra incentivar o defunto                        Sobre a sua criação          Algum sucesso algum dia
Mesmo estando de pé junto                       Quem vende é atravessador
Continuar a compor                              E lhe paga comissão          E os artistas que investiram
                                                Alguns centavos pingados     Enriquecendo a empresa
Por que funciona assim                          E o maior lucro somado       Olham para os de sucesso
Não é difícil notar                             É da empresa em questão      Não percebem serem presas
"Incentivo" é só desculpa                                                    Sonhando chegarem lá
Para o povo aceitar                             Vejam só que curioso         Seguem a financiar
Quem lucra são editores                         São "direitos autorais"      Essa indústria com firmeza
Sendo atravessadores                            Mas pra chegar no mercado
É a Lei da Grana a mandar                       Alguns contratos se faz      Quem tem direito exclusivo
                                                E os direitos de repente     Cobra o quanto quiser
As empresas mais gigantes                       A que tanto se defende       Esse é o mal do monopólio
Que corrompem os governos                       Do autor não serão mais      Mas sempre é assim que é
Que publicam propagandas                                                     Quando surge alternativa
De produtos tão maneiros                        Como se vendesse a alma      A essa prática nociva
Com um gigantesco ganho                         Para uma empresa privada     Reclamam, não saem do pé
Artistas são seu rebanho                        Nem ele pode copiar
E a Lei garante o dinheiro                      A obra por ele criada        Copiar é ilegal?
                                                Mesmo quando ele morrer      É, mas a Lei que hoje vale
Toda essa exploração                            A empresa é que vai dizer    Foi feita por essa gente
Funciona desse jeito                            Como a obra é usada          Que corromper tudo sabe
O pobre artista cria                                                         Alterando o Direito
O seu trabalho perfeito                         Autores bem talentosos       Para funcionar do jeito
Um trabalho bom e novo                          Que se encontram no caixão   Que melhor a elas agrade
Ele faz é para o povo                           Sem obras suas à venda
Poder ver o que foi feito                       Com fãs, uma legião          Desde os tempos mais antigos
                                                Mesmo a pedidos dos fãs      Alguém canta uma cantiga
Para o povo ter acesso                          Toda essa força é vã         Outro aumenta um pouquinho
Ao que ele produziu                             Pra ter republicação         E ela cresce e toma vida
Não é algo assim tão fácil                                                   Na cultura popular
Atingir todo o Brasil                           Pois o direito estará        Logo ela se tornará



Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                      |22
COLUNA · CÁRLISSON GALDINO


Bem melhor do que a antiga                      Seja massa a multidão         CARLISSON
                                                                              GAUDINO é
                                                É uma questão de Poder        Bacharel em Ciência
Com cultura é desse jeito                       Pra mais lucro acontecer      da Computação e
                                                                              pós-graduado em
Que se faz evolução                             Todos com o mesmo feijão      Produção de
Sempre se inspira nos outros                                                  Software com
                                                                              Ênfase em Software
Na imagem, prosa ou canção                      Deixo então esta pergunta     Livre. Já manteve
Do Teatro à Literatura                          Que ainda não tem solução     projetos como
Cultura gera cultura                            Num país de tradições         IaraJS, Enciclopédia
                                                                              Omega e Losango.
Não queira fingir que não                       Que futuro elas terão?        Hoje mantém
                                                O que será da cultura         pequenos projetos
                                                                              em seu blog
Hoje com toda mudança                           Vivendo na ditadura           Cyaneus. Membro
Que fizeram, quem diria?                        Dos livreiros, da opressão?   da Academia
                                                                              Arapiraquense de
Compartilhar e expandir                                                       Letras e Artes, é
Chamam de Pirataria                             Piratas no fim das contas     autor do Cordel do
                                                                              Software Livre e do
E o direito à cultura?                          Apoiavam igualidade           Cordel do BrOffice.
Criou-se uma ditadura                           Hoje chamam de pirata
Como há muito se temia                          Quem age contra a maldade
                                                E compartilha o que tem
O que querem impedindo                          Dando cultura por bem
O poder da interação                            Quem tem solidariedade
É tornar todos iguais




  19 de setembro - Dia da Liberdade de Software
   Informe-se em www.softwarefreedomday.org

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                               |23
COLUNA · EDGARD COSTA




Ócio Criativo:
você sabe do
que isto trata?
Por Edgard Costa

                                                                                                                  Curtis Fletcher - sxc.hu




     O que se espera de uma Revista direciona-                           de Masi sobre seus escritos que tem como tema
da para Tecnologia? Mostrar o que há de mais                             o atual momento do trabalho e das empresas.
moderno na área, discussões relativas, resolu-                                 A princípio estávamos conversando se o
ções de problemas focados em um determinado                              aluno, que está atualmente frequentando a esco-
software, ou conjunto de códigos fontes.                                 la ao acabar seus estudos, estará apto a se in-
     Mas e as causas do uso destas tecnologi-                            corporar ao mercado de trabalho globalizado e
as será que não mereceriam uma reflexão tam-                             competitivo. Concordávamos com os problemas
bém?                                                                     básicos que já são largamente conhecidos co-
       Eu acho que sim.                                                  mo: analfabetismo funcional, má formação aca-
                                                                         dêmica dos profissionais educadores,problemas
      Você sabe o que é Ócio Criativo? Você já                           estruturais da educação e como estes assuntos
leu algo a respeito? Será que isto já não lhe afe-                       afetarão a produção econômica e o trabalho,
ta ou afetará?                                                           quando a Profa. se referiu ao Ócio Criativo co-
     A primeira vez que tive contato com o esta                          mo sendo mais um enorme problema que deve-
“coisa” denominada Ócio Criativo aconteceu em                            remos enfrentar nos próximos anos.
função de um pequeno debate travado entre a                                   Ócio Criativo? O que significa? Repliquei.
Profa. Dra. Beatriz Fétizon e eu, em minha ca-
sa, em função de uma simpatia comum que são                                   - Você lê Domênico e não sabe isto signifi-
as obras do Sociólogo do Trabalho Domênico                               ca? Me puxando, com os olhos, as orelhas.



Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                        |24
COLUNA · EDGARD COSTA


     Horas depois, recebo por email, três escri-
tos da Profa. Beatriz, que podem ser achados
em seu livro “Sombra e Luz”, sobre educação e
trabalho, no quais ela já fazia referência ao que
é o Ócio Criativo.                                                                      O Brasil tem-
                                                                            se mostrado interessado
Afinal o que é Ócio Criativo
      Tanto a Profa. Beatriz como Domênico de                               em mudar seu destino
Masi fazem referência ao atual momento do tra-
balho onde, em função dos avanços da tecnolo-                               de forma tímida e
gia, realizamos nossas tarefas em menos tempo
com mais qualidade. Isto significa que temos tem-                           dispersa...
po livre ou se desejar ocioso.
                                                                               Edgard Costa
      Domênico, chega a ser radical. Ele diz [1]:
“Quem trabalha mais de oito horas por dia é inca-
paz ou ineficiente frente aos recursos tecnológi-
cos disponíveis”. Pode, a princípio, parecer
absurdo. Mas ele tem razão. O trabalhador, em                            de.
sua grande maioria, não percebe esta ociosida-                                A constatação mais clara deste movimento
de porque continua com a carga horária de traba-                         é que quanto mais avançado tecnologicamente
lho normal realizando tarefas de vários outros                           é um país menos horas trabalhadas ele tem.
trabalhadores da mesma função ou, ainda, reali-                          Quanto mais avançado é um país, maiores são
za muitas tarefas diferentes que poderiam ser de-                        os salários pagos e maior é a estrutura de servi-
legadas a outros trabalhadores numa estrutura                            ços.
de trabalho, digamos, mais antiquada.
      Num exemplo prático um trabalhador que                             O Brasil e o Ócio Criativo
tenha em sua mesa relatórios obtidos através                                 O Brasil vive, neste assunto, o pior dos
de meios automatizados tem que fazer o quê?                              mundos.
Lê-los, compreende-los e tomar decisões. Tare-
fa que não deverá requerer oito horas. Por que is-                            Precisamos ser mais competitivos economi-
to, ainda, demora oito horas ou mais? Porque                             camente. O que significa mais tecnologia. Em te-
administramos mal o nosso tempo ou porque                                se melhorias. Melhores escolas, melhores
não temos habilidades intelectuais suficientes pa-                       professores, melhor material escolar, melhor
ra ler, interpretar, decidir e implementar.                              transporte coletivo, melhor moradia, melhor saú-
                                                                         de e consequentemente melhor trabalhador.
      Em alguns países europeus a quantidade                             Mas não é o que vemos e na velocidade que
de horas trabalhadas tem diminuído sensivelmen-                          precisamos apesar do governo e a sociedade
te a ponto do Ócio Criativo estar se manifestan-                         produtiva ter, razoavelmente, entendido esta rea-
do fortemente. Trabalhadores destes países                               lidade.
estão procurando se reeducar, praticar espor-
tes, realizar trabalhos voluntários ou mesmo tra-                              Quanto mais tecnologia é aplicada no Bra-
balhando em outra empresa. Estão usando seu                              sil, mais pessoas desqualificadas estarão de-
Tempo Ocioso para se reciclar, para ter mais                             sempregadas. É só assistir ao problema dos
saúde, mais cultura, ser mais solidários e conse-                        cortadores de cana no Estado de S. Paulo. As
quentemente sendo criativos com sua ociosida-                            estimativas são de que pelo menos 3 milhões


Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                   |25
COLUNA · EDGARD COSTA


de trabalhadores ficarão desempregados e efeti-                          tivamente criativa no Brasil no século XXI, quan-
vamente ociosos, na pior interpretação da pala-                          tas   empresas       genuinamente      brasileiras
vra, sem o corte manual. O problema é tão sério                          e,consequentemente empresários, encontraría-
que a automatização do corte e o fim das quei-                           mos?
madas estão sendo proteladas para que se                                     Se não encontramos Empresas encontrare-
ache uma solução viável, apesar do governo do                            mos Governos criativos? Da mesma forma não.
Estado de S. Paulo ter firmado data limite.
      Nossas escolas, como bem afirma a Profa.
Beatriz, não formam pessoas que o atual momen-                           Temos alguma esperança?
to do trabalho necessita, pessoas com alto grau                                Podemos ter sim, se não cairmos na tenta-
de compreensão, de raciocínio, com capacidade                            ção de algum governo caudilhesco e coragem
para ler e falar mais de uma língua fluentemen-                          de mudar radicalmente a representação política
te, além dos analfabetos funcionais, pessoas                             tanto na esfera do legislativo federal, estadual
que mal sabem ler ou escrever. Temos, para pio-                          como municipal. O Brasil tem-se mostrado inte-
rar este quadro, uma discussão sem tempo nem                             ressado em mudar seu destino de forma tímida
espaço, que são as cotas escolares. É compreen-                          e dispersa. Não tem sido capaz de reverter na
sível a luta de determinados seguimentos soci-                           velocidade que seria desejada, apesar de ter
ais pela inclusão educional. Mas esta luta                               condições para isto, é verdade. Mas temos que
chegou atrasada. Chegou num momento em                                   reconhecer que mesmo aos trancos e barrancos
que a qualidade do ensino e, consequentemen-                             vamos indo. Mas, temos que ter em mente que
te, do aluno constituem-se prioridade. Qualidade                         para sair do atual estágio de produção para um
não combina com quota que também não combi-                              patamar igual ao do Canadá, teremos que con-
na com aprovação continuada. Aluno mal forma-                            seguir multiplicar e melhorar o que já fazemos
do é candidato a ficar, para sempre, pendurado                           pelo menos por 1000 vezes. Para tanto, precisa-
em programas sociais patrocinados pelo gover-                            mos sair da mesmice e passar encarar com pro-
no, saída que a Profa. Beatriz vê como inexorá-                          fissionalismo, coragem e criatividade o desafio
vel. Quanto mais programas sociais de suporte                            de nos reinventarmos.
ao trabalhador desqualificado, maior é o custo                                 Tarefa para Hércules......
Brasil. Menos nossa economia será competitiva.
                                                                               Voltaremos ao tema oportunamente.
     Este descompasso é maior quando analisa-
mos as desigualdades regionais. Enquanto sul e
sudeste tem algum desenvolvimento tecnológico
avançado, região central, região norte e nordes-                                     Maiores informações:
te estão, na média, desamparados. O sistema                              Artigo sobre o Ócio Criativo na Wikipedia:
educacional nestas áreas é de uma pobreza ím-                            http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%93cio_criativo
par. E não vai ser resolvido, nem no curto, nem
no médio prazo, já que precisa de investimentos                          Site Oficial de Domenico de Mase:
maciços. Talvez no longo prazo. Enxerga-se al-                           http://www.domenicodemasi.it
gumas ilhas tecnológicas,esparsas que, acredi-
to, não chegarão a contaminar o grande                                                      EDGARD COSTA é membro do Grupo de
contingente de trabalhadores no médio prazo.                                                Usuários BrOffice.org do Estado de
                                                                                            S.Paulo, Assurer Cacert – Certificação
     Domênico já havia encontrado, na Europa,                                               Digital e autor do Livro BrOffice da Teoria
                                                                                            à Pratica.
empresas com diferenças administrativas avan-
çadas antes do século XX na Europa. Será que
se aplicarmos o conceito de empresa administra-

Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org                                                                    |26
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004
Revista Espirito Livre 004

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Revista Espirito Livre 004

Revista Espirito Livre 006 Setembro09
Revista Espirito Livre 006 Setembro09Revista Espirito Livre 006 Setembro09
Revista Espirito Livre 006 Setembro09
Anderson Ramos
 
Revista Espirito Livre 008 Novembro09
Revista Espirito Livre 008 Novembro09Revista Espirito Livre 008 Novembro09
Revista Espirito Livre 008 Novembro09
Anderson Ramos
 
Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10
Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10
Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10
Anderson Ramos
 
Revista Espirito Livre 009 Dezembro09
Revista Espirito Livre 009 Dezembro09Revista Espirito Livre 009 Dezembro09
Revista Espirito Livre 009 Dezembro09
Anderson Ramos
 
Revista Espirito Livre nº. 003
Revista Espirito Livre nº. 003Revista Espirito Livre nº. 003
Revista Espirito Livre nº. 003
Anderson Ramos
 
Revista Espirito Livre 007 Outubro09
Revista Espirito Livre 007 Outubro09Revista Espirito Livre 007 Outubro09
Revista Espirito Livre 007 Outubro09
Anderson Ramos
 
Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009
Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009
Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009
Victor Castro
 
Revista espirito livre_024_marco2011
Revista espirito livre_024_marco2011Revista espirito livre_024_marco2011
Revista espirito livre_024_marco2011
Ivaldo Cardoso
 
Revista espirito livre_035_fevereiro2012
Revista espirito livre_035_fevereiro2012Revista espirito livre_035_fevereiro2012
Revista espirito livre_035_fevereiro2012
Filipe Bezerra Sousa
 
teste 2
teste 2teste 2
teste 2
cirandaglobal
 
Ultima Edição
Ultima EdiçãoUltima Edição
Ultima Edição
Niick Couto
 
Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014
Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014
Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014
Daniel Freire
 
Conexus
ConexusConexus
Conexus
Ana Sniesko
 
Livro Flamengo (reparado) Julho 2016
Livro Flamengo (reparado) Julho 2016Livro Flamengo (reparado) Julho 2016
Livro Flamengo (reparado) Julho 2016
Daniel Freire
 
Vintage impressão
Vintage   impressãoVintage   impressão
Vintage impressão
Daniela Sant'ana
 
Revista Espirito Livre 002
Revista Espirito Livre 002Revista Espirito Livre 002
Revista Espirito Livre 002
Anderson Ramos
 

Semelhante a Revista Espirito Livre 004 (16)

Revista Espirito Livre 006 Setembro09
Revista Espirito Livre 006 Setembro09Revista Espirito Livre 006 Setembro09
Revista Espirito Livre 006 Setembro09
 
Revista Espirito Livre 008 Novembro09
Revista Espirito Livre 008 Novembro09Revista Espirito Livre 008 Novembro09
Revista Espirito Livre 008 Novembro09
 
Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10
Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10
Revista Espirito Livre 011 Fevereiro10
 
Revista Espirito Livre 009 Dezembro09
Revista Espirito Livre 009 Dezembro09Revista Espirito Livre 009 Dezembro09
Revista Espirito Livre 009 Dezembro09
 
Revista Espirito Livre nº. 003
Revista Espirito Livre nº. 003Revista Espirito Livre nº. 003
Revista Espirito Livre nº. 003
 
Revista Espirito Livre 007 Outubro09
Revista Espirito Livre 007 Outubro09Revista Espirito Livre 007 Outubro09
Revista Espirito Livre 007 Outubro09
 
Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009
Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009
Revista Espírito Livre - nº 7 - Outubro de 2009
 
Revista espirito livre_024_marco2011
Revista espirito livre_024_marco2011Revista espirito livre_024_marco2011
Revista espirito livre_024_marco2011
 
Revista espirito livre_035_fevereiro2012
Revista espirito livre_035_fevereiro2012Revista espirito livre_035_fevereiro2012
Revista espirito livre_035_fevereiro2012
 
teste 2
teste 2teste 2
teste 2
 
Ultima Edição
Ultima EdiçãoUltima Edição
Ultima Edição
 
Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014
Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014
Monografia Dez.2012/Livro Flamengo 2014
 
Conexus
ConexusConexus
Conexus
 
Livro Flamengo (reparado) Julho 2016
Livro Flamengo (reparado) Julho 2016Livro Flamengo (reparado) Julho 2016
Livro Flamengo (reparado) Julho 2016
 
Vintage impressão
Vintage   impressãoVintage   impressão
Vintage impressão
 
Revista Espirito Livre 002
Revista Espirito Livre 002Revista Espirito Livre 002
Revista Espirito Livre 002
 

Mais de Anderson Ramos

Lei Nº 2272 de 2014
Lei Nº 2272 de 2014Lei Nº 2272 de 2014
Lei Nº 2272 de 2014
Anderson Ramos
 
Lei 2193 de 2012
Lei 2193 de 2012Lei 2193 de 2012
Lei 2193 de 2012
Anderson Ramos
 
Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016
Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016
Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016
Anderson Ramos
 
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Anderson Ramos
 
Projeto meio ambiente
Projeto meio ambienteProjeto meio ambiente
Projeto meio ambiente
Anderson Ramos
 
Termo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMG
Termo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMGTermo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMG
Termo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMG
Anderson Ramos
 
Resolução Nº. 07/2012
Resolução Nº. 07/2012Resolução Nº. 07/2012
Resolução Nº. 07/2012
Anderson Ramos
 
Resolução Nº. 06-2012
Resolução Nº. 06-2012Resolução Nº. 06-2012
Resolução Nº. 06-2012
Anderson Ramos
 
Resolução Nº. 05/2012
Resolução Nº. 05/2012Resolução Nº. 05/2012
Resolução Nº. 05/2012
Anderson Ramos
 
Resolução Nº. 04 2012
Resolução Nº. 04 2012Resolução Nº. 04 2012
Resolução Nº. 04 2012
Anderson Ramos
 
Resolução Nº. 03/2012
Resolução Nº. 03/2012Resolução Nº. 03/2012
Resolução Nº. 03/2012
Anderson Ramos
 
Resolução Nº. 02/2012
Resolução Nº. 02/2012Resolução Nº. 02/2012
Resolução Nº. 02/2012
Anderson Ramos
 
Seleção simplificada 2012 homologação candidatos
Seleção simplificada 2012   homologação candidatosSeleção simplificada 2012   homologação candidatos
Seleção simplificada 2012 homologação candidatos
Anderson Ramos
 
Resolução nº 01/2012
Resolução nº 01/2012Resolução nº 01/2012
Resolução nº 01/2012
Anderson Ramos
 
Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012
Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012
Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012
Anderson Ramos
 
Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012
Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012
Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012
Anderson Ramos
 
RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012
RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012
RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012
Anderson Ramos
 
Convite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO
Convite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINOConvite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO
Convite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO
Anderson Ramos
 
Oficio circular nº 09 2012
Oficio circular nº 09 2012Oficio circular nº 09 2012
Oficio circular nº 09 2012
Anderson Ramos
 

Mais de Anderson Ramos (20)

Lei Nº 2272 de 2014
Lei Nº 2272 de 2014Lei Nº 2272 de 2014
Lei Nº 2272 de 2014
 
Lei 2193 de 2012
Lei 2193 de 2012Lei 2193 de 2012
Lei 2193 de 2012
 
Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016
Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016
Revista voz ativa sinpromg 1ª ed março 2016
 
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
Projeto Meio Ambiente - SESC Ler Goiana 2016
 
Projeto meio ambiente
Projeto meio ambienteProjeto meio ambiente
Projeto meio ambiente
 
Termo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMG
Termo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMGTermo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMG
Termo de Homologação - Seleção Simplificada 2012 SECEDI - PMG
 
Resolução Nº. 07/2012
Resolução Nº. 07/2012Resolução Nº. 07/2012
Resolução Nº. 07/2012
 
Resolução Nº. 06-2012
Resolução Nº. 06-2012Resolução Nº. 06-2012
Resolução Nº. 06-2012
 
Resolução Nº. 05/2012
Resolução Nº. 05/2012Resolução Nº. 05/2012
Resolução Nº. 05/2012
 
Resolução Nº. 04 2012
Resolução Nº. 04 2012Resolução Nº. 04 2012
Resolução Nº. 04 2012
 
Resolução Nº. 03/2012
Resolução Nº. 03/2012Resolução Nº. 03/2012
Resolução Nº. 03/2012
 
Resolução Nº. 02/2012
Resolução Nº. 02/2012Resolução Nº. 02/2012
Resolução Nº. 02/2012
 
Seleção simplificada 2012 homologação candidatos
Seleção simplificada 2012   homologação candidatosSeleção simplificada 2012   homologação candidatos
Seleção simplificada 2012 homologação candidatos
 
Resolução nº 01/2012
Resolução nº 01/2012Resolução nº 01/2012
Resolução nº 01/2012
 
Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012
Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012
Edital de Seleção para Uso Interno nº 01 2012
 
Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012
Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012
Portaria SECEDI nº 26 de 27 de abril de 2012
 
Lei nº. 2191 2012
Lei nº. 2191 2012Lei nº. 2191 2012
Lei nº. 2191 2012
 
RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012
RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012
RELATÓRIO REUNIÃO COM GESTORES 23/02/2012
 
Convite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO
Convite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINOConvite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO
Convite - LANÇAMENTO DO SISTEMA DE ENSINO
 
Oficio circular nº 09 2012
Oficio circular nº 09 2012Oficio circular nº 09 2012
Oficio circular nº 09 2012
 

Último

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
BiancaCristina75
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
ElinarioCosta
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdfCurativo de cateter venoso central na UTI.pdf
Curativo de cateter venoso central na UTI.pdf
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica BasicaExercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
Exercicios de Word Básico para a aulas de informatica Basica
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 

Revista Espirito Livre 004

  • 1. ENTREVISTA John Diamond, criador do Alien Arena http://revista.espiritolivre.org | #004 | Julho 2009 ENTREVISTA Sami Kyöstilä, criador do Frets on Fire PYTHON ENTREVISTA Análise do livro Python para Bernhard Wymann, Desenvolvedores desenvolvedor do TORCS GINGA Ginga brasileira na TV Interativa APTITUDE Gerenciando pacotes PROMOÇÕES Sorteios de kits, cds e camisetas
  • 2. COM LICENÇA Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |02
  • 3. EDITORIAL / EXPEDIENTE Jogos, diversão e EXPEDIENTE Diretor Geral muito mais... João Fernando Costa Júnior Editor João Fernando Costa Júnior Chegamos nesta quarta edição em meio a muitos eventos, e ultrapassando a barreira das 100 páginas! Como poderão ver, apesar do tema Revisão de capa ser sobre jogos, os eventos permearam o mês de junho e a revista Marcelo Tonieto não poderia deixá-los de fora! Portanto, alertamos aos leitores que uma over- dose de informação os espera. Arte e Diagramação Com o tema de capa, Jogos e Diversão, a Revista Espírito Livre teve a João Fernando Costa Júnior honra de ter como entrevistados diversos responsáveis por projetos mundial- mente conhecidos e já consagrados pela comunidade. Acompanham as entre- Capa vistas, matérias que circundam este tema tão discutido, e às vezes até Nilton Pessanha inflamado, afinal, muitos dos leitores que nos estão lendo neste momento ain- da utilizam softwares proprietários afim de terem uma plataforma para seus jo- Contribuiram nesta edição gos favoritos. Esta edição tenta mostrar que é possível encontrar títulos de Aécio Pires Alessandro Silva qualidade contendo seu código aberto, demonstrando que a qualidade destes Alexandre Oliva aumenta a cada dia, assim como o número de jogos e seus fãs. Andressa Martins As entrevistas desta edição, que são três, revelam um pouco mais sobre Bernhard Wymann John Diamond - criador do Alien Arena, Bernhard Wymann - líder da equipe Carlos Donizete responsável pelo TORCS e Sami Kyöstilä, criador do Frets on Fire. Cárlisson Galdino Cezar Farias A equipe da revista está em constante crescimento tendo desta vez par- Cezar Taurion ticipações de Cristiano Rohli, tratando de um tema que inflama conversas, Ce- Cristiano Roberto Rohling zar Farias estréia uma coluna sobre Inkscape e outras ferramentas gráficas, Edgard Costa Gustavo Freitas apresenta o SEM: Search Engine Marketing, Luiz Eduardo fa- Evaldo Junior la de seu livro sobre Python, entre outros. Por justamente junho ter sido palco Gustavo Freitas de vários eventos de software livre, temos várias matérias e relatos a respeitos John Diamond destes, como poderão ver. Ari Mendes, Andressa Martins, Alessandro Silva, Jomar Silva José Josmadelmo e Vladimir di Fiori, diretamente da Argentina, contribuiram José James F. Teixeira de forma impecável nestes eventos que ocorreram mês passado. José Josmadelmo D. Silva Juliana Prado Continuamos com nossa seção de emails, com comentários e suges- Lázaro Reinã tões enviados para a redação da revista. Participe! Envie também o seu co- Leandro Leal Parente mentário! Luiz Eduardo Borges A Revista Espírito Livre trás a relação de ganhadores das três promo- Marcelo Moreno ções da edição anterior. E uma novidade: novas promoções estão a caminho, Moisés Gonçalves como poderão perceber, isto se deve à inclusão de parceiros que estarão co- Relsi Hur Maron nosco ao longo das próximas edições. Basta ficar ligado na revista e no site ofi- Roberto Salomon cial da revista [http://revista.espiritolivre.org] para não perder nenhum detalhe. Sanmara B. Guimarães Sinara Duarte Nossos agradecimentos a todos aqueles que tornaram e tornam este tra- Tatiana Al-Chueyr balho possível, inclusive aos que colaboraram com as traduções das entrevis- Vladmir di Fiori ta, Andressa Martins, Aécio Pires, Marcelo Tonieto, Juliana Prado, Relsi Hur Viktor Chagas Maron, etc. Wallisson Narciso Wesley Samp A Revista Espírito Livre, através da colaboração e apoio desta forte equi- Yamamoto Kenji pe, vem crescendo e mostra mais uma vez que chegou para ficar, que entrou Yuri Almeida no jogo, afim de disponibilizar conteúdo de qualidade, temas relevantes, maté- rias com o propósito de acrescentar, feita por e para leitores. Contato revista@espiritolivre.org O conteúdo assinado e as imagens que o integram, são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores, não representando necessariamente a João Fernando Costa Júnior opinião da Revista Espírito Livre e de seus responsáveis. Todos os direitos Editor sobre as imagens são reservados a seus respectivos proprietários. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |03
  • 4. EDIÇÃO 003 SUMÁRIO CAPA Entrevista com 43 Evolução dos jogos para Linux Bernhard Wymann Verdade ou ilusão? 47 Newsgame O embaralhamento de fronteiras entre PÁG. 27 jornalismo e videogame COLUNAS Entrevista com John Diamond 11 Tron: jogando por liberdade Zumzumzum.. PÁG. 35 14 Jogando à Velha Torneios eram disputados... 16 Serious Game Entrevista com Que tal um jogo sério? Sami Kyöstilä 20 Cordel da Pirataria E você, é um pirata?! PÁG. 39 24 Ócio Criativo Você sabe do que isto trata? TECNOLOGIA ODF no Brasil 50 O que vemos pelo retrovisor e temos no parabrisa DESENVOLVIMENTO 104 AGENDA 06 NOTÍCIAS 53 Virado pra Lua - Parte 4 Preparando o foguete para a LUA! 55 Portais instantâneos com Joomla Conhecendo este gerenciador de conteúdo
  • 5. 57 Python para Desenvolvedores EDUCAÇÃO Análise do livro 74 Computador e crianças em casa REDE Guia de sobrevivência para pais nas férias 60 TCOS no Kubuntu 9.04 Instale o TCOS no Kubuntu com este passo-a-passo SOFTWARE PÚBLICO GRÁFICOS 79 Ginga Ginga brasileira na TV Interativa 65 Tranformando objetos em MULTIMÍDIA linhas guias no Inkscape É hora de desenhar! 84 Kernel Real-time e Áudio no Linux Aumente o som... ADMINISTRAÇÃO 68 Gerenciando pacotes com o MKT Aptitude Segura o pacote! 88 SEM: Search Engine Marketing Vamos buscar... FÓRUM EVENTOS 71 Porque as pessoas (ainda) preferem o Windows? Uma boa pergunta... 89 Relato: CMS Brasil 2009 CMS e conhecimento 92 Relato: III ENSOL Muita informação e discussões relevantes 94 Relato: FISL10 Contra a vigilancia e o controle da internet 98 FISL10 Liberdade e diversidade cultural 101 Relato: M3DDLA Móvel e embarcado... 09 LEITOR 10 PROMOÇÕES HUMOR 102 Os Levados da Breca Helpdesk Windows e Mac vs. Linux Funcionário Público
  • 6. NOTÍCIAS NOTÍCIAS Por João Fernando Costa Júnior Seja a diferença: Mozilla Service Week! SqueakFest Brasil 2009 A Mozilla tem o prazer de anun- Os organizadores ciar a primeira Mozilla Service convidam educado- Week. Durante a semana de res, estudantes, 14 a 21 de setembro de 2009, pais e desenvolve- está convocando voluntários pa- dores a participar ra serem a diferença usando a da Squeakfest Bra- Internet para melhorar sua co- sil, evento internacional voltado à utilização do munidade. A Mozilla é uma co- software Squeak Etoys na Educação. Realizada munidade global com a missão pela primeira vez fora dos Estados Unidos, a de fazer a Internet melhor para todos. Quando Squeakfest contará com a presença de líderes membros da nossa comunidade decidem tomar das comunidades de uso do Squeak Etoys nos uma atitude, eles têm o poder de realmente fa- Estados Unidos, na Alemanha e em países da zer a diferença. Busca-se pessoas que queiram América Latina que participam da modalidade compartilhar, se engajar, criar e colaborar ofere- 1:1 (um laptop por aluno), bem como de pesqui- cendo seu tempo e talento para organizações lo- sadores brasileiros da aplicação da linguagem cais de interesse público, sem fins lucrativos e LOGO, atualmente inculados ao Projeto pessoas que precisarem de sua ajuda. Quer par- UCA/SEED-MEC. Mais informações no ticipar?! Então visite mozillaservice.org para squeakfest.org. mais informações. Cisco apresenta roteador Linksys 802.11n Governo Belga torna público software usado com Linux em máquinas de voto eletrônico A Cisco anunciou a comuni- Após as eleições regionais dade o WRT160NL, um ro- e européias que acontece- teador sem fio 802.11n ram no dia 7 de Junho des- open-source que vem com te ano, o governo belga Linux. O modelo dá mais decidiu disponibilizar o códi- poderes ao usuário, sem go-fonte do software utiliza- que haja necessidade de do em suas máquinas de recorrer a hacks no firmwa- voto electrônico. Também foi tornado público a re. Entre outras coisas, a escolha do Linux tam- especificação do tipo de arquivo usado para a co- bém permite armazenamento e municação entre as máquinas e os servidores compartilhamento através de USB, podendo centrais. O software e a especificação do tipo de compartilhar arquivos para qualquer computador arquivo estão disponíveis no site do orgão belga ou dispositivo que reconheça UPnP. O modelo que regula os atos eleitorais e pode ser conferi- já está disponível a U$$ 120 dólares. Informa- do aqui. ções aqui. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |06
  • 7. NOTÍCIAS Amazon disponibiliza parte do código-fonte net está a ponto de converter-se no lugar mais do Kindle DX regulado que jamais tenhamos conhecido. Isto A Amazon, criadora Kindle se deve não somente ao poder legislativo do Es- DX, ganhou as páginas de di- tado, mas também à arquitetura das novas tec- versos meios nas últimas se- nologias. A ausência de uma discussão política manas ao ser noticiado que sobre estas questões já não produz como antes estaria disponibilizando o códi- uma liberdade por padrão. Ao contrário, deixa go-fonte usado em seu produ- campo livre aos grupos empresariais e ao Esta- to. O que acontece é que a do para produzir tecnologias a sua medida. Ex- empresa disponibilizou o códi- tender esta discussão é o principal propósito go-fonte de alguns softwares deste livro." Quer saber mais então descarregue- que são usados em seu leitor de ebooks, mais o aqui. especificamente o código das aplicações licencia- das sob a GNU General Public License, cumprin- Palm libera códigos do WebOS usados em do desta forma os termos desta licença. Assim, seu Palm PRE a empresa está apenas cumprindo os termos descritos na GPL, caso contrário, provavelmen- A Palm liberou recentemen- te teria que enfrentar algum processo judicial. te a relação de softwares open source utilizados no Palm Pre, bem como o códi- Conheça o pdfreaders.org! go-fonte dos seus patches. Você, que está lendo a Revis- No site http://opensour- ta Espírito Livre neste mo- ce.palm.com podem ser mento, está usando um maiores informações sobre tal liberação, bem leitor de PDF de código aber- como o downloads dos referidos pacotes. Em to? Se não, o convidamos a um blog ligado ao site oficial da Palm é afirmado conhecer o pdfreaders.org. que está prevista a liberação do SDK para o fi- A iniciativa partiu originalmen- nal do verão americano. te da Fellowship da Free Software Foundation Europe (FSFE) e apresenta no referido endere- Maior provedor da Noruega é pressionado a ço uma série de soluções para leitura de seus bloquear The Pirate Bay pdfs através de softwares de código-aberto, obe- decendo Padrões Abertos, pois estes garantem O tempo está fechando lá a interoperabilidade, competição e escolha. pelos lados da Noruega, e a tempestade aponta em direção ao The Pirate Publicado "El Código 2.0", livro em espanhol Bay, conhecido site busca- do autor Lawrence Lessig dor de torrents. Diversos O editorial "Traficantes de Su- estúdios de cinema e gra- eños" publicou o novo livro em es- vadoras estão pressionan- panhol de Lawrence Lessig do o maior provedor da intitulado "El código 2.0", sob a li- Noruega, a Telenor, a bloquear o acesso ao bus- cença CC e disponível para down- cador. Medidas semelhantes já foram tomadas load em formato PDF. Segue na Dinamarca e Itália. trecho (traduzido) do livro: "A Inter- Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |07
  • 8. NOTÍCIAS Mozilla lança Firefox 3.5 legalizar o serviço, encontrando maneiras de pa- Após vários meses de desen- gar aos provedores de conteúdo e detentores volvimento, eis que a Mozilla fi- de direitos autorais sempre que uma música ou nalmente disponibiliza a filme for baixado no The Pirate Bay. Segundo versão final do Firefox 3.5. As Peter Sunde, co-fundador e porta-voz do The Pi- novidades são muitas, mas rate Bay, o valor arrecadado com a venda será provavelmente, a mais impor- usado para projetos relacionados a internet na tante delas é o suporte do pro- forma de ativismo político. Detalhes em tocolo HTML5, que possibilita http://thepiratebay.org/blog. entre várias coisas o suporte para as tags áudio e vídeo. A nova versão do Fi- Lançado PostgreSQL 8.4 refox traz ainda suporte a CSS3 e novo motor pa- ra renderizar Javascript. Para informações e O Grupo de Desenvolvimento Global do Post- download, visite http://www.mozilla.com. greSQL anuncia o lançamen- to da versão 8.4, continuando o rápido desen- FreeDOS completa 15 anos volvimento do banco de da- No último dia 28, o FreeDOS, sistema operacio- dos de código aberto mais nal alternativo ao MS-DOS avançado do mundo, como e compatível com o mes- afirma a equipe. Esta versão mo, completou 15 anos de contém várias melhorias existência. O FreeDOS sur- quanto a administração, consulta e programa- giu em 1994, quando o estu- ção de bancos de dados PostgreSQL, tornando dante de física Jim Hall estas tarefas mais fáceis do que nunca. As mu- decidiu criar um projeto pa- danças são significativas, totalizando 293 modifi- ra preservar o sistema, lo- cações entre novos recursos e melhorias. go após a Microsoft anunciar que abandonaria o Informações no http://www.postgresql.org. MS-DOS e que seu novo sistema operacional vi- ria a ser o Windows 95. Hall então anunciou o Sistema educativo holandês torna livre plata- PD-DOS (Public Domain DOS) em 28 de junho forma de gestão e distribuição de vídeos do mesmo ano. Saiba mais em http://www.free- dos.org. O código-fonte da Media- Mosa, plataforma de ges- tão e distribuição de The Pirate Bay é vendido e comprador quer in- conteúdos vídeo criada troduzir novo modelo de negócios para o sistema educativo Os fundadores do site con- holandês, tornou-se livre. cordaram em vendê-lo pa- O anúncio foi feito pela empresa SURFnet e pe- ra uma rede de pontos de la agência pública de suporte de IT do setor edu- acesso públicos na Suécia cacional da Holanda, Stichting Kennisnet. Para chamada Global Gaming os dois órgãos, a disponibilização do código sob Factory X por 7,8 milhões uma licença aberta, neste caso a GPLv2, irá per- de dólares. A Global Ga- mitir que qualquer pessoa possa ajudar a me- ming Factory X (GGF) afir- lhor a aplicação. MediaRosa é baseada no mou ainda que quer Drupal e o seu código pode ser conferido aqui. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |08
  • 9. COLUNA DO LEITOR EMAILS, SUGESTÕES E COMENTÁRIOS Ayhan YILDIZ - sxc.hu Você já enviou seu comentário? Ajude a revista Parabéns pela iniciativa. Aqui em São Luís do ficar ainda melhor! Contribua, envie suas suges- Maranhão não é nada fácil encontrar apoio de tões e críticas. Abaixo listamos mais alguns co- qualquer natureza quando o assunto é Software mentários que recebemos: Livre, e encontrar esta revista foi muito bom. Ribamar Costa - São Luíz/MA A qualidade da revista está cada vez maior! Ma- térias diversificadas com base teórica e prática. A Revista Espírito Livre é mais uma contribui- Dá prazer em ler a revista! ção para a disseminação do software livre com Sandro Brasileiro - Vila Velha/ES qualidade profissional aqui no Brasil. Isso é mui- to bacana, pois, temos uma certa carência de in- É incrível. Quando penso que a qualidade da re- formações "livres" relacionados a softwares vista chega ao máximo, eles vêm com mais es- livres no Brasil que tenha credibilidade o que sa edição, lançada tão pouco tempo após a não quer dizer que não sejam de qualidade, is- segunda. A equipe Espírito Livre está de para- so é importante para citações em artigos ou tra- béns por nos disponibilizar um material tão farto balhos acadêmicos por exemplo. Esta é uma de qualidade e ótimas matérias de maneira total- iniciativa louvável e deve ser promovida sempre mente gratuita. que possível. Ricardo Martiniano da Silva - João Pessoa/PB Saulo Vieira de Almeida Filho - Contagem/MG A Revista está cada dia mais massa e interes- Está ficando muito difícil encontrar novas pala- sante! Parabéns a todos... continuem assim! vras para elogiar as edições desta revista. Vou Rodolfo Azevedo Bueno - Goiânia/GO ter que comprar um dicionário especializado em elogios. Parabenizo pela "espetacular" participa- Logo que recebi o comunicado do lançamento ção feminina nesta edição... Cuidado: estamos da 3ª edição da revista, entre no site correndo e dominando o mundo!!!! rsss já baixei a minha. É claro que já estou lendo. Karla Capucho - Vitória/ES Parabéns a todos!!! José Raimundo O. Silva - Taguatinga/DF Gostaria de parabenizá-los pela Revista. O con- teúdo ficou muito bom, assim como a forma de Parabéns pela ótima revista. Desde o fechamen- abordagem. Espero que continue neste ótimo ní- to da Revista do Linux estávamos precisando vel e que se popularize cada vez mais. de um substituto à altura! Vitor S. Bertoncello - Santa Maria/RS Seido Nakanishi - São José dos Campos/SP Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |09
  • 10. PROMOÇÕES · RELAÇÃO DE GANHADORES E NOVAS PROMOÇÕES PROMOÇÕES Na edição #004 da Revista Espírito Livre tivemos 3 promoções, onde sorteamos 5 inscrições para cada um dos eventos que haviam em questão. Abaixo, segue a lista de ganhadores de cada uma das promoções. Para aqueles que não ganharam fica o recado: novas promoções estão a caminho! Ganhadores da Promoção CMS Brasil 2009: 1. Tiago Bertoni Scarton - Bauru/SP 2. Jefferson de Oliveira Marinho - São Paulo/SP 3. Sérgio Ricardo Milare - São Paulo/SP 4. Arimendes Rodrigues de Oliveira - Embu/SP 5. Henrique G. Gularte Pereira - Santa Maria/RS Ganhadores da promoção FISL10: 1. Alexandre Alves Correa - Porto Alegre/RS 2. Bruno de Jesus Santos - Valença/BA 3. Adriana Sommacal - Porto Alegre/RS 4. Rafael Ris-Ala Jardim - Campos dos Goytacazes/RJ 5. Francisca Juscivania Mendes - Fortaleza/CE Ganhadores da promoção III ENSOL/PB: 1. Herbert Vasconcelos Dantas - João Pessoa/PB 2. Dhérsy Gabriel Ferreira da Silva - Caruaru/PE 3. Eliara Maria Tavares - Paraguaçu/MG 4. Calismar Moreira da Cunha - Cariacica/ES 5. Marcus Vinícius de Barros Pontes - João Pessoa/PB A VirtualLink em parceria com a Revista Espírito Livre estará sorteando kits de cds e dvds entre os leitores. Basta se inscrever neste link e começar a torcer! O Clube do Hacker em parceria com a Revista Espírito Livre estará sorteando associações para o clube, entre outros. Basta se inscrever neste link e cruzar os dedos! Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |10
  • 11. COLUNA · ALEXANDRE OLIVA Tron: jogando por liberdade Por Alexandre Oliva commons.wikimedia.org Quem não lembra do zum- é a chave para uma nova or- zumzum sobre o filme “Tron, dem! Este disco de código sig- uma Odisséia Eletrônica”, em nifica liberdade!”, “Meu usuário meados dos anos 1980? Na tem informação que poderia... época eu brincava com videoga- que poderia tornar este siste- mes, era fascinado por progra- ma novamente livre!” e “Este é mação e me interessei muito o Tron. Ele luta pelos usuári- pelo filme. No entanto, por al- os.” Fez-me pensar se Ri- guma razão, não assisti a esse chard Stallman foi inspirado marco na história da ficção cien- pelo filme, lançado pouco mais tífica e dos efeitos especiais an- de um ano antes do projeto tes de esbarrar nele, outro dia, GNU. numa loja de DVDs na Internet. Tron, pra quem não sabe Embora a história seja in- ou não lembra, era um progra- teressante e sedutora como tan- ma escrito para monitorar as tas outras batalhas entre o comunicações do mainframe bem e o mal, e os efeitos de da ENCOM, computador con- computação gráfica ainda im- trolado pelo malévolo Master pressionem, levando-se em Control Program, ou MCP, ana- conta sua idade, o que me fez grama do então prevalente vibrar foram frases como “Esta CP/M. Kevin, brilhante ex fun- Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |11
  • 12. COLUNA · ALEXANDRE OLIVA cionário da ENCOM e autor de Kevin, digitalizado, encon- bertando o sistema, os progra- vários jogos eletrônicos por ela tra Tron, feito à imagem e seme- mas, as linhas de comercializados, tentava inva- lhança de seu autor, e muitos comunicação e os usuários. dir o mainframe para reunir pro- outros programas apropriados Embora algum conhecimento vas de que era ele o autor dos pelo MCP. São todos obriga- de informática ajudasse a en- jogos que valeram muitas pro- dos a atuar em jogos eletrôni- tender alguns dos chistes do fil- moções ao executivo que assu- cos, como gladiadores nos me, como o “End Of Line”, ou miu sua autoria, numa jogada circos do Império Romano. A “Fim da Linha”, com que o que lembra a compra do Quick preocupação com usuários era MCP terminava suas conver- and Dirty Operating System pe- ridicularizada e condenada: “O sas, não precisa ser nem la Microsoft para fornecer o sis- MCP os escolheu para servir o software nem desenvolvedor tema operacional para o IBM sistema na arena de jogos. para compreender por que foi PC, assim como vários lances Aqueles que continuarem a pro- tão comemorada a queda do ainda mais traiçoeiros entre Mi- fessar a crença nos usuários re- MCP na ficção. crosoft e Apple retratados no fil- ceberão o treinamento padrão Já no mundo real, o MCP me “Piratas do Vale do Silício”. abaixo do padrão, o que acaba- continua espalhando o terror MCP reclamou ao executi- rá resultando em sua elimina- entre jogos e outros tipos de vo sobre Tron: “Não posso tole- ção. Aqueles que renunciarem programas, através de DRM, rar um programador a essa crença supersticiosa e formatos de arquivo e protoco- independente me monitorando. histérica serão elegíveis para a los secretos, falta de acesso Você tem ideia de quantos sis- Elite Guerreira do MCP.” ao código fonte, desvios de pa- temas eu invadi, de quantos Um programa de cálculo drões estabelecidos, introdu- programas eu me apropriei?”. de juros compostos manifesta- ção à força de falsos padrões, Bloqueou o acesso de Tron e va sua frustração com os des- computação em nuvem, licen- seu autor, que recorreu então mandos do MCP: “Fala sério! ças excessivamente limitadas, à ajuda de Kevin. Este acaba Mandar-me aqui para atuar em EULAs cada vez mais abusi- sendo “digitalizado” por uma jogos?! Quem ele calcula que vas e ameaças através de pa- máquina desenvolvida por um é?” Para um guarda do MCP, tentes de software. Se o MCP cientista que, em discussão ameaçava: “Vocês vão deixar se valia, para acumular poder, com o executivo, afirma que “É meu usuário muito bravo!”, ao de acesso indevido a computa- para atender às requisições que o guarda respondia com es- dores de terceiros, um dos mo- dos usuários que servem os cárnio: “Que maravilha! Outro tes do AI-5.0 do Senador computadores!”, de que o exe- maluco religioso!” Na época, Azeredo, outros vilões visionári- cutivo discorda: “Servem para ainda não chamavam aqueles os da vida real tentam levar a promover nossos negócios”. Es- como nós, que lutamos pelos cabo o desastre que previu Bill tava aí plantado o embate en- usuários, de xiitas ou fundamen- Gates em 1991: “Se houves- tre o controle das talistas. sem entendido como patentes computações pelos usuários e Depois de jogar e vencer, seriam concedidas quando a por aqueles que se creem no di- Kevin (“Do outro lado da tela pa- maior parte das idéias de hoje reito de obter vantagens abusi- recia bem mais fácil!”) e Tron foram inventadas e houves- vas privando-os desse acabam escapando da arena sem obtido patentes, a indús- controle, através de negação de jogos e, após perseguições tria estaria totalmente de código fonte, Gestão Digital e batalhas emocionantes no es- estagnada.” de Restrições (DRM), Tivoiza- paço virtual, chegam ao MCP Não ajuda quando desvi- ção, direito autoral, patentes, e previsivelmente o derrotam, li- am o foco dos Trons, que lu- EULAs e por aí vai. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |12
  • 13. COLUNA · ALEXANDRE OLIVA jogar o jogo para reconquistar nossas liberdades, ou deixar os MCPs tomarem o controle de tudo e darem a última pala- Precisamos de cada vra até o “Fim da Linha”? vez mais Richards e Trons para Copyright 2009 Alexandre Oliva fortalecer a Aliança Rebelde na Cópia literal, distribuição e publica- luta pelas liberdades... ção da íntegra deste artigo são permi- tidas em qualquer meio, em todo o mundo, desde que sejam preserva- das a nota de copyright, a URL oficial Alexandre Oliva do documento e esta nota de permis- são. http://www.fsfla.org/svnwiki/blogs/lxo/ tam pelos usuários, e glorifi- pub/tron-jogando-por-liberdade cam os Kevins, que entraram vin apenas por acaso participa- na história em busca de diver- ram de batalhas cruciais na são e atrás de seus próprios in- longa luta pelos usuários e cer- teresses mesquinhos. É como tamente não tomam partido nes- glorificar o mercenário Han So- sa guerra, assim como Han lo, de Guerra nas Estrelas, por apenas por acaso participou seu papel na vitória da Aliança de uma batalha contra o Impé- ALEXANDRE OLIVA Rebelde, esquecendo de todo rio. é conselheiro da Fundação Software o trabalho anterior feito pelos re- Livre América Latina, Como cada vez mais inte- beldes e do total descomprome- mantenedor do Linux- resses mesquinhos cooptam Li- libre, evangelizador timento de Han Solo com a nuses, Kevins e Hans, que do Movimento causa. Não é à toa que, quan- Software Livre e perseguem, como sempre fize- engenheiro de do a FSF foi agraciada com o ram, seus próprios interesses, compiladores na Red “Prêmio Linus Torvalds” na Hat Brasil. Graduado precisamos de cada vez mais na Unicamp em [GNU/]LinuxWorld de 1999, Ri- Richards e Trons para fortale- Engenharia de chard Stallman traçou esse pa- Computação e cer a Aliança Rebelde na luta ralelo: “É tão irônico como Mestrado em pelas liberdades cerceada pe- Ciências da conceder o Prêmio Han Solo à los MCPs e pelo Império. Va- Computação. Aliança Rebelde.” Linus e Ke- mos lutar pelos usuários e Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |13
  • 14. COLUNA · ROBERTO SALOMON JOGANDO À VERA Por Roberto Salomon David-Kingsley Kendel - sxc.hu Quando criança, uma das tensão era palpável. Era possí- grandes diversões era o jogo vel perder até mesmo os preci- de bola de gude. Verdadeiros osos olhos de gato que torneios eram disputados eram entravam no jogo como cam- disputados naqueles espaços peões de algum exército mági- onde a grama não crescia. Em co. Por isso mesmo, na Brasília, na época, isso não maioria das vezes, jogavamos era muito difícil de encontrar à brinca (de brincadeira) e ao pois ainda havia muitos cantei- final da partida, cada um volta- ros de obras e gramados acaba- va para casa com todas as bo- dos não eram tão comuns las intactas (sem trocadilhos, quanto hoje. Com o calcanhar por favor). grosso de correr descalço, ca- Os tempos mudaram e os çapas eram cavadas em linha jogos também. Depois que re- ou uma barca era desenhada solvemos incorporar o compu- com o galho ou pedra mais pró- tador às nossas vidas xima. E o jogo começava. O profissionais, precisavamos maior risco era perder as boli- dar um jeito de também jogar nhas de vidro quando o jogo com eles. Mesmo quem é da era à Vera (ou para valer). A "geração Atari" não faz idéia Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |14
  • 15. COLUNA · ROBERTO SALOMON da emoção que alguns meros Mas voltando ao jogo... Esta estrutura permite quadrados na tela da TV eram O mercado de jogos já é que novos servidores sejam capazes de provocar em um jo- um mercado maduro onde o provisionados em segundos go chamado Pong (comerciali- modelo de negócios se reinven- sempre que um grupo inespe- zado no Brasil, na época, com ta periodicamente. O Linux e o rado de jogadores resolva en- o nome TeleJogo, da Philco). Software Livre são recém che- trar on-line ou viajar para Horas de diversão passadas gados a este mundo mas solu- outras áreas do mundo do jo- em torno de um círculo dese- ções em Linux já ganharam go. É o Software Livre garantin- nhado na terra foram substitui- uma posição consolidada e rele- do a jogabilidade de um das por horas com um controle vante. Em especial nos bastido- sem-número de jogadores. de videogame na mão em tor- res do atual mercado de jogos. Este tipo de investimento neios que reuniam os amigos mostra que o mercado de jo- na frente da TV do amigo que Por ser um mercado es- sencialmente voltado ao consu- gos cresceu e se consolidou. podia comprar o jogo. Investimentos já são justificá- midor final, são poucas as Evoluiram os computado- empresas que investem na pro- veis e modelos de negócios res e os jogos não podiam dei- dução de jogos para Linux. são escritos prevendo um retor- xar de evoluir também. Muitos Uma honrosa exceção é a ID, no grande o suficiente para jus- evoluiram apenas para aprovei- que vem lançãndo versões Li- tificar estes investimentos. tar os novos recursos gráficos nux dos mecanismos de jogos Linux e soluções de Software das novas máquinas chegando como Doom e Quake. Já nos Livre são partes integrantes a um grau de realismo que já ul- servidores, a história é bem ou- deste cenário e a tendência é trapassou o realismo de mui- tra. E o melhor dela é que pode- vermos uma participação cada tos filmes de ficção científica mos usar um grande exemplo vez maior destas soluções on- feitos a menos de 20 anos. Ou- daqui do Brasil mesmo. de o dinheiro é gerado. tros, optaram por manter a tradi- Da minha parte, continuo ção de se preocupar com a Temos aqui uma empre- sa chamada Hoplon Infotain- esperando clientes destes jo- qualidade do jogo (gameplay, gos que eu possa jogar. Mes- para os americanos) criando ment que desenvolveu um jogo no modelo MMORPG mo que escondido, quando clássicos que se tornaram qua- meus filhos não estão por per- se vícios - Tetris e Bubble Brea- (Massively Multiplayer Online Role Playing Game) chamado to para um desafio à vera. ker são dois que posso citar do alto da memória. Taikodom. Jogos deste tipo re- querem o desenvolvimento de Maiores informações: Confesso que tenho uma dois componentes essenciais: dificuldade incrível para enten- um cliente rico em detalhes grá- Blog do Roberto Salomon: der como é que para realizar ficos e; uma estrutura de servi- http://rfsalomon.blogspot.com um ataque, tenho que pressio- dores robusta que aguente nar três botões do joystick en- picos de demanda sem tirar a quanto movo o controle do paciência dos jogadores. O cli- polegar direito para cima e o ROBERTO ente, por enquanto, é somente SALOMON é do esquerdo para baixo. Meus Windows mas o que chama a arquiteto de software filhos, no entanto, parecem na IBM e voluntário atenção mesmo é a infra-estru- do projeto achar isso tudo muito natural, tura de servidores que a Ho- BrOffice.org. o que me leva a derrotas amar- plon montou: centenas de gas nas raras ocasiões em servidores Linux virtualizados que eles me deixam jogar. em um mainframe IBM. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |15
  • 16. COLUNA · CÉZAR TAURION SERIOUS GAME Jean Scheijen - sxc.hu Por Cézar Taurion Geralmente quando se fa- (http://en.wikipedia.org/wiki/Se- la em games, imagina-se ape- rious_game). nas entretenimento e lazer, E à medida que a gera- para adolescentes despreocu- ção digital se entranhe nas em- pados...Mas, games estão se presas, mais e mais veremos tornando coisa séria, de uso pressão para termos estas tec- empresarial, para diversos nologias no ambiente de traba- usos como o Energyvlle criado lho. A propósito do assunto pela Chevron para divulgar jogos sérios, a IBM elaborou sua política ecoconsciente um relatório muito interessan- (http://www.willyoujoinus.com/) te, chamado “Virtual Worlds, ou America's Army Real Leaders: Online games (http://www.americasarmy. put the future of business lea- com/) criado pelo Exército ame- dership on display”, produzido ricano para incentivar o recruta- em conjunto com a Seriosity mento. Aliás, o assunto Inc, partir de um estudo condu- “Serious Games” pode ser vis- zido por pesquisadores da Uni- to em mais detalhes no Wikipe- versidade de Stanford e MIT dia Sloan School of Management. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |16
  • 17. COLUNA · CÉZAR TAURION de liderança aprendidas nes- tes jogos para melhorar sua ... games estão se própria eficácia no trabalho. tornando coisa séria, de uso Uma interessante dedu- ção do estudo é que embora empresarial... não se possa dizer que cada pessoa dentro de um organiza- ção pode e deve ser um líder, Cézar Taurion lideranças podem eventual- mente emergir dadas ferramen- tas adequadas para as circunstâncias adequadas. Se A idéia básica do relatório vocês quiserem ler o documen- pode ser sintetizada pela frase completo de informações. to (o que eu recomendo!) aces- de um dos seus pesquisado- Além disso a liderança é tempo- sem res, Byron Reeves, da Universi- rária, muitas vezes surgindo pa- http://domino.watson.ibm.com/ dade de Stanford que diz: “If ra uma determinada missão, comm/www_innovate.nsf/pa- you want to see what business ao término da qual, nova lide- ges/world.gio.gaming.html. Re- leadership may look in three to rança aparece. Este último é comendo também um estudo five years, look at what’s happe- um ponto importante, uma vez muito interessante que analisa ning in online games”!!! que como não há expectativas psicologia dos gamers MMOG, da liderança ser permanente, O estudo busca ajudar a em http://www.nickyee.com/da- acaba-se encorajando colabo- responder as questões: “Em edalus/. Infelizmente este proje- rações e experimentações. Cla- um cenário de empresas globa- to está “adormecido”, mas os ro que surgem líderes que lizadas, distribuídas e inovado- documentos continuam disponí- ficam muito tempo na lideran- ras, atuando de forma veis. ça, mas pela simples razão colaborativa e virtualizada, co- que são reconhecidos como tal Além disso, um outro es- mo seriam seus líderes? Quais pela comunidade e não impos- tudo, feito pela Pew Internet os skills e competências neces- tos pela organização. Este mo- (http://www.pewinternet.org/ sários? Onde conseguir estes delo contrasta claramente com Reports/2008/Teens-Video- skills e competências?”. o modelo de liderança atual, Games-and-Civics.aspx) mos- Uma proposta é que os jo- de posição permanente, que trou que os games MMOG am- gos (principalmente os MMOG, tende a criar gerentes arredios pliam as oportunidades de ou massively multiplayer online à experimentações e inova- interação social e que deveria games) criam contextos que po- ções. ser adotada com mais ênfase dem mostrar como seria a lide- no ambiente educacional. Pa- Uma pesquisa comple- rança do futuro. Os líderes das ra verem algumas experiências mentar feita com uma comuni- comunidades criadas em torno de games em educação, ve- dade de cerca de 200 gamers destes jogos conquistam esta jam o site da Local Games da IBM (funcionários) mostrou posição por meritocracia e são Lab, da Universidade de Wis- que eles acreditam que jogar influenciadores, mas de forma consin-Madison, nos EUA, em MMOG melhora suas competên- colaborativa e não impositiva, http://lgl.gameslearningsociety. cias de liderança no mundo re- aceitam riscos e falhas, e to- org/. al e quatro em cada dez mam decisões de forma rápida disseram que aplicam técnicas Com base nesta propos- e sem dispor de um conjunto ta, a IBM lançou há algum tem- Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |17
  • 18. COLUNA · CÉZAR TAURION po o INNOV8 (o nome é uma brincadeira com a palavra inno- vate, usando-se innoveight), Estudo feito pela Pew um jogo que mostra os funda- mentos do BPM (Business Pro- Internet, mostrou que os games cess Management), que pode ser visto em http://www- MMOG ampliam as 01.ibm.com/software/solutions/ soa/innov8.html . O INNOV8 é oportunidades de interação social orientado a universidades que estejam ensinando BPM, é um e que deveria ser adotado com jogo free, e faz parte do progra- mais ênfase no ambiente ma Academic Initiative da IBM. Bem, e como o Brasil es- educacional. tá posicionado na indústria de Cézar Taurion games? Entrei no site da Abra- games e descobri uma pesqui- sa sobre a indústria brasileira games está mais focada em um jogo interessantíssimo, on- de jogos eletrônicos consoles e celulares. de os participantes agem co- (http://www.abragames.org/ mo se estivessem no século docs/Abragames-Pesquisa XXIII. Mas, o coração do jogo 2008.pdf). Alguns dados da pes- Claramente temos imen- é uma tecnologia chamada Bit- quisa: so potencial para crescimento! verse, que permite criar ambi- a) Existem 42 empresas E como se ganha dinheiro pro- entes de terceira dimensão, que produzem games no Brasil. duzindo games? Por exemplo, que podem ser usados por ex- analisando o mercado de emplo, além de jogos em b) O PIB (hardware e MMOG, vemos que ele permite software) de jogos eletrônicos ações de ensino a distância. O basicamente dois modelos de Bitverse foi escrito em Java, aqui é de cerca de 87,5 mi- receita: venda de assinaturas lhões de reais. demonstrando de forma inequí- ou o que foi adotado pela Ho- voca a potencialidade desta lin- c) 43% da produção dos plon, de entregar o jogo de gra- guagem para jogos. Ah, e uma softwares de jogos brasileiros ça, mas ofertar produtos curiosidade: a Hoplon usa um é destinado à exportação. O pagos, como roupas, armas, es- mainframe da IBM. Sabem por- mercado interno é prejudicado paçonaves, etc. Estes produto que? pela pirataria e importação ile- são virtuais, mas custam dinhei- gal. ro real! Os jogos MMOG e mun- dos virtuais demandam carac- d) Artistas gráficos e pro- A Hoplon Infotainment terísticas próprias. Precisam gramadores são os perfis profi- (www.hoplon.com) é um exem- de alta capacidade computacio- sisonais mais comuns na plo de sucesso na indústria de nal, pois muitas vezes são mi- indústria brasileira de games. games brasileira. Foi criada no lhares e milhares de usuários ano de 2000, em Florianópolis simultâneos, demandando tem- e) Em termos mundiais, o e investiu cerca de 15 milhões pos de resposta em milisegun- Brasil é apenas 0,16% da indús- de reais e quatro anos de ár- dos e qualquer latência afeta o tria global de games. duo trabalho para desenvolver comportamento dos persona- f) A industria brasileira de um jogo MMOG. O Taikodom é Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |18
  • 19. COLUNA · CÉZAR TAURION gens e objetos. Portanto é ne- res parecem congelar em deter- Maiores informações: cessário o uso intenso de pro- minadas situações. No Second cessadores para simulação da Life cada ilha virtual está em Site Energyvlle física nos movimentos dos per- um servidor diferente e o tele- http://www.willyoujoinus.com/ sonagens e objetos. Afinal, as porte de uma ilha para outra po- leis da física devem também va- de sofrer alguma latência. Site America's Army ler no mundo virtual. Mesmo http://www.americasarmy.com/ O ambiente operacional neste mundo, velhas leis como deste tipo de jogo demanda a da gravidade devem continu- Artigo na Wikipedia sobre Serious uma arquitetura de servidores Game ar valendo. desenhada para eliminar a la- http://en.wikipedia.org/wiki/Serious_ Os jogadores e usuários tência, que é o maior inimigo game exigem tempos de resposta rá- dos jogos online. A latência faz pidos e ao mesmo tempo, quan- com que as ações do jogo pare- Estudo sobre a psicologia dos to mais interessante o jogo ou çam irreais, lentas, tirando o gamers MMOG o mundo virtual, mais e mais prazer de jogar. Os servidores http://www.nickyee.com/daedalus/ usuários se conectam para inte- nos jogos MMOG tem adicional- ragir uns com os outros. Em mente a tarefa de gerenciar a Estudo da Pew Internet um ambiente de computação interação entre os milhares de http://www.pewinternet.org/Reports/ tradicional, quanto mais usuári- jogadores, garantindo inclusive 2008/Teens-Video-Games-and- os conectados, menos tempo que suas ações estejam corre- Civics.aspx de máquina cada um dispõe. tas. Os servidores, são, portan- Para jogos interativos, degrada- to, cruciais para que o jogo Site INNOV8 ções na velocidade dos jogos opere adequadamente. Clara- http://www-01.ibm.com/software/ ou dos mundos virtuais é uma mente, o modelo exige compu- solutions/soa/innov8.html das piores situações, que pode tação sob demanda, onde o levar ao desestímulo dos seus mainframe, pela possibilidade Site Abragames usuários e ao fracasso da inicia- de operar centenas de máqui- http://www.abragames.org/docs/ tiva. nas virtuais (e em Linux...) sem Abragames-Pesquisa2008.pdf Uma técnica usada em necessidade de conexões físi- muitos jogos e ambientes tridi- cas, é uma alternativa extrema- Site da Hoplon Infotainment mensionais é a adoção de inú- mente válida. Como o http://www.hoplon.com meros servidores fisicos Taikodom resolveu este proble- separados (como no caso do ma? Usando um mainframe Discussão sobre sinergia entre mundo virtual Second Life). Is- System z10 da IBM! mainframes e jogos MMOG to acontece porque um único E finalmente, como leitu- http://spectrum.ieee.org/aug08/6518 servidor de pequeno porte não ra adicional, sugiro acessarem consegue dar conta de cente- http://spectrum.ieee.org/aug nas de milhares de jogadores 08/6518 para uma discussão ao mesmo tempo. O problema mais exaustiva sobre o a siner- CEZAR TAURION é de se usar vários servidores físi- gia entre mainframes e jogos Gerente de Novas cos é a latência que aparece MMOG. Tecnologias da IBM Brasil. quando a ação sai de um servi- Seu blog está dor para o outro. Quem usa ou diponível em www.ibm.com/develo usou o Second Life nota isso perworks/blogs/page/ varias vezes, quando os avata- ctaurion Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |19
  • 20. COLUNA · CÁRLISSON GALDINO Naquele tempo antigo Esses homens nesses barcos Dos grandes descobrimentos Dominavam o mar selvagem Navios cruzavam mares Subjugando outros povos Levando dor e tormento Mas tinham uma boa imagem Às terras por toda a vida Pois nos livros de História Fossem novas ou antigas Ainda hoje levam glória Sem respeito e violentos Por cada dessas viagens Iam à costa africana Nesse mar, sem ter direito Com suborno ou então bravos A ter u'a vida de gente Deixavam terra levando Muitos se reagruparam Dezenas de homens, escravos Num caminho diferente Outros levavam empregados Nessa realidade ingrata E muitos deles, coitados, Criaram as naus piratas Eram mortos por centavos E enfrentaram o mar de frente Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |20
  • 21. COLUNA · CÁRLISSON GALDINO Piratas, os homens livres De tudo que era impressão Os livreiros da Inglaterra Diferiam dos demais Pois besta em tudo se mete E o monopólio a nascer Dentro da embarcação Não era bem algo novo Tinham direitos iguais E os livreiros desse tempo E era o bem ao povo Cultivavam parceria Cada editora antiga Que essa lei veio fazer Contra toda a tirania Precisava de um aval Confrontando as naus reais Para que imprimir consiga Nasceu o Domínio Público O aval do Rei, do Estado Nesta distante Idade Atacavam naus tiranas Que se não for do agrado Os livreiros exploravam Roubando o que foi roubado Deles, a impressão não siga Seus direitos à vontade Matavam os ocupantes Mas terminado o prazo Escravos, são libertados Um monopólio formado Toda obra era, no caso Onde gastar o obtido? Pra controlar a leitura Doada à Humanidade Tudo o que era conseguido Terminou dando poderes Mundo afora era trocado Além do que se procura Os livreiros reclamaram Dessa forma os livreiros Pedindo ampliação Esses eram os piratas Cresceram muito ligeiro Para aquele monopólio Daquela época esquecida Nessa forma de censura Mas não teve apelação Que se ergueram contra reis Pois se fosse concedida Nessa tortuosa vida Já no século XVIII Mais outra seria pedida De "crimes", mas foi assim Bem lá no ano de 10 E o prazo seria em vão Pois em alto mar, no fim, Naquela mesma Inglaterra Não tinham outra saída Uma nova lei se fez Isso lá naquele tempo Hoje ninguém lembra mais Eles podiam prever Mas vamos falar agora De direitos autorais Que se o prazo aumentasse De algo dos dias atuais Foi ela a primeira lei De novo iam querer Que é estranho e nasceu Sempre após mais alguns anos Já nem tanto tempo faz Right em inglês é direito E o prazo se acumulando Hoje o tema da poesia E copy é copiar No fim "pra sempre" ia ser Chamam de pirataria O Estatuto de Anne E os direitos autorais Só disso ia tratar Mas o mais interessante Direito direcionado Pros livreiros e editores Para contar essa história Aos livreiros, que afetados É que o que eles previam De leis, direito e valor Tinham que se acostumar Houve com novos atores Temos que entender primeiro E hoje o direito autoral Como a gente aqui chegou Pois copyright falava Vale tanto, que é anormal Por isso, como esperado De cópia em larga escala Pra agradar exploradores Vamos voltar ao passado E o direito é o monopólio Onde tudo começou Sobre cada obra criada Por que, vê se faz sentido E esse direito, notamos A desculpa que eles dão No ano de 62 Durava quatorze anos Pra monopólio de livros Do século XVII E o monopólio acabava É incentivo à criação O país, a Inglaterra Se é assim, por que, ora pois E a censura, um canivete Note que essa nova lei Ele dura anos depois Cortava a produção Não veio favorecer Da morte do cidadão? Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |21
  • 22. COLUNA · CÁRLISSON GALDINO Pra isso que produtores, Numa empresa transferido Que eu saiba depois de morto Gravadoras, editores Que é quem dirá se é viável Eu garanto a você Tudo isso se construiu Atender a esse pedido Por grande artista que seja E se ela não publicar Ele não vai escrever Porém esse monopólio Nenhuma outra poderá Só se for, caso aconteça Garantido ao autor Pois o direito é exclusivo Com um médium, mas esqueça É o preço que eles cobram Não é o que a Lei quis dizer Pra fazer esse "favor" Esse jogo de direitos Se a editora tem confiança Ilude a maioria O direito agora vale Facilmente a obra alcança Dos artistas existentes Por toda a vida do autor Além do que se sonhou Como uma loteria Depois mais setenta anos Onde muita gente investe Depois que a morte chegou O autor perde o direito Mas pra poucos acontece Pra incentivar o defunto Sobre a sua criação Algum sucesso algum dia Mesmo estando de pé junto Quem vende é atravessador Continuar a compor E lhe paga comissão E os artistas que investiram Alguns centavos pingados Enriquecendo a empresa Por que funciona assim E o maior lucro somado Olham para os de sucesso Não é difícil notar É da empresa em questão Não percebem serem presas "Incentivo" é só desculpa Sonhando chegarem lá Para o povo aceitar Vejam só que curioso Seguem a financiar Quem lucra são editores São "direitos autorais" Essa indústria com firmeza Sendo atravessadores Mas pra chegar no mercado É a Lei da Grana a mandar Alguns contratos se faz Quem tem direito exclusivo E os direitos de repente Cobra o quanto quiser As empresas mais gigantes A que tanto se defende Esse é o mal do monopólio Que corrompem os governos Do autor não serão mais Mas sempre é assim que é Que publicam propagandas Quando surge alternativa De produtos tão maneiros Como se vendesse a alma A essa prática nociva Com um gigantesco ganho Para uma empresa privada Reclamam, não saem do pé Artistas são seu rebanho Nem ele pode copiar E a Lei garante o dinheiro A obra por ele criada Copiar é ilegal? Mesmo quando ele morrer É, mas a Lei que hoje vale Toda essa exploração A empresa é que vai dizer Foi feita por essa gente Funciona desse jeito Como a obra é usada Que corromper tudo sabe O pobre artista cria Alterando o Direito O seu trabalho perfeito Autores bem talentosos Para funcionar do jeito Um trabalho bom e novo Que se encontram no caixão Que melhor a elas agrade Ele faz é para o povo Sem obras suas à venda Poder ver o que foi feito Com fãs, uma legião Desde os tempos mais antigos Mesmo a pedidos dos fãs Alguém canta uma cantiga Para o povo ter acesso Toda essa força é vã Outro aumenta um pouquinho Ao que ele produziu Pra ter republicação E ela cresce e toma vida Não é algo assim tão fácil Na cultura popular Atingir todo o Brasil Pois o direito estará Logo ela se tornará Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |22
  • 23. COLUNA · CÁRLISSON GALDINO Bem melhor do que a antiga Seja massa a multidão CARLISSON GAUDINO é É uma questão de Poder Bacharel em Ciência Com cultura é desse jeito Pra mais lucro acontecer da Computação e pós-graduado em Que se faz evolução Todos com o mesmo feijão Produção de Sempre se inspira nos outros Software com Ênfase em Software Na imagem, prosa ou canção Deixo então esta pergunta Livre. Já manteve Do Teatro à Literatura Que ainda não tem solução projetos como Cultura gera cultura Num país de tradições IaraJS, Enciclopédia Omega e Losango. Não queira fingir que não Que futuro elas terão? Hoje mantém O que será da cultura pequenos projetos em seu blog Hoje com toda mudança Vivendo na ditadura Cyaneus. Membro Que fizeram, quem diria? Dos livreiros, da opressão? da Academia Arapiraquense de Compartilhar e expandir Letras e Artes, é Chamam de Pirataria Piratas no fim das contas autor do Cordel do Software Livre e do E o direito à cultura? Apoiavam igualidade Cordel do BrOffice. Criou-se uma ditadura Hoje chamam de pirata Como há muito se temia Quem age contra a maldade E compartilha o que tem O que querem impedindo Dando cultura por bem O poder da interação Quem tem solidariedade É tornar todos iguais 19 de setembro - Dia da Liberdade de Software Informe-se em www.softwarefreedomday.org Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |23
  • 24. COLUNA · EDGARD COSTA Ócio Criativo: você sabe do que isto trata? Por Edgard Costa Curtis Fletcher - sxc.hu O que se espera de uma Revista direciona- de Masi sobre seus escritos que tem como tema da para Tecnologia? Mostrar o que há de mais o atual momento do trabalho e das empresas. moderno na área, discussões relativas, resolu- A princípio estávamos conversando se o ções de problemas focados em um determinado aluno, que está atualmente frequentando a esco- software, ou conjunto de códigos fontes. la ao acabar seus estudos, estará apto a se in- Mas e as causas do uso destas tecnologi- corporar ao mercado de trabalho globalizado e as será que não mereceriam uma reflexão tam- competitivo. Concordávamos com os problemas bém? básicos que já são largamente conhecidos co- Eu acho que sim. mo: analfabetismo funcional, má formação aca- dêmica dos profissionais educadores,problemas Você sabe o que é Ócio Criativo? Você já estruturais da educação e como estes assuntos leu algo a respeito? Será que isto já não lhe afe- afetarão a produção econômica e o trabalho, ta ou afetará? quando a Profa. se referiu ao Ócio Criativo co- A primeira vez que tive contato com o esta mo sendo mais um enorme problema que deve- “coisa” denominada Ócio Criativo aconteceu em remos enfrentar nos próximos anos. função de um pequeno debate travado entre a Ócio Criativo? O que significa? Repliquei. Profa. Dra. Beatriz Fétizon e eu, em minha ca- sa, em função de uma simpatia comum que são - Você lê Domênico e não sabe isto signifi- as obras do Sociólogo do Trabalho Domênico ca? Me puxando, com os olhos, as orelhas. Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |24
  • 25. COLUNA · EDGARD COSTA Horas depois, recebo por email, três escri- tos da Profa. Beatriz, que podem ser achados em seu livro “Sombra e Luz”, sobre educação e trabalho, no quais ela já fazia referência ao que é o Ócio Criativo. O Brasil tem- se mostrado interessado Afinal o que é Ócio Criativo Tanto a Profa. Beatriz como Domênico de em mudar seu destino Masi fazem referência ao atual momento do tra- balho onde, em função dos avanços da tecnolo- de forma tímida e gia, realizamos nossas tarefas em menos tempo com mais qualidade. Isto significa que temos tem- dispersa... po livre ou se desejar ocioso. Edgard Costa Domênico, chega a ser radical. Ele diz [1]: “Quem trabalha mais de oito horas por dia é inca- paz ou ineficiente frente aos recursos tecnológi- cos disponíveis”. Pode, a princípio, parecer absurdo. Mas ele tem razão. O trabalhador, em de. sua grande maioria, não percebe esta ociosida- A constatação mais clara deste movimento de porque continua com a carga horária de traba- é que quanto mais avançado tecnologicamente lho normal realizando tarefas de vários outros é um país menos horas trabalhadas ele tem. trabalhadores da mesma função ou, ainda, reali- Quanto mais avançado é um país, maiores são za muitas tarefas diferentes que poderiam ser de- os salários pagos e maior é a estrutura de servi- legadas a outros trabalhadores numa estrutura ços. de trabalho, digamos, mais antiquada. Num exemplo prático um trabalhador que O Brasil e o Ócio Criativo tenha em sua mesa relatórios obtidos através O Brasil vive, neste assunto, o pior dos de meios automatizados tem que fazer o quê? mundos. Lê-los, compreende-los e tomar decisões. Tare- fa que não deverá requerer oito horas. Por que is- Precisamos ser mais competitivos economi- to, ainda, demora oito horas ou mais? Porque camente. O que significa mais tecnologia. Em te- administramos mal o nosso tempo ou porque se melhorias. Melhores escolas, melhores não temos habilidades intelectuais suficientes pa- professores, melhor material escolar, melhor ra ler, interpretar, decidir e implementar. transporte coletivo, melhor moradia, melhor saú- de e consequentemente melhor trabalhador. Em alguns países europeus a quantidade Mas não é o que vemos e na velocidade que de horas trabalhadas tem diminuído sensivelmen- precisamos apesar do governo e a sociedade te a ponto do Ócio Criativo estar se manifestan- produtiva ter, razoavelmente, entendido esta rea- do fortemente. Trabalhadores destes países lidade. estão procurando se reeducar, praticar espor- tes, realizar trabalhos voluntários ou mesmo tra- Quanto mais tecnologia é aplicada no Bra- balhando em outra empresa. Estão usando seu sil, mais pessoas desqualificadas estarão de- Tempo Ocioso para se reciclar, para ter mais sempregadas. É só assistir ao problema dos saúde, mais cultura, ser mais solidários e conse- cortadores de cana no Estado de S. Paulo. As quentemente sendo criativos com sua ociosida- estimativas são de que pelo menos 3 milhões Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |25
  • 26. COLUNA · EDGARD COSTA de trabalhadores ficarão desempregados e efeti- tivamente criativa no Brasil no século XXI, quan- vamente ociosos, na pior interpretação da pala- tas empresas genuinamente brasileiras vra, sem o corte manual. O problema é tão sério e,consequentemente empresários, encontraría- que a automatização do corte e o fim das quei- mos? madas estão sendo proteladas para que se Se não encontramos Empresas encontrare- ache uma solução viável, apesar do governo do mos Governos criativos? Da mesma forma não. Estado de S. Paulo ter firmado data limite. Nossas escolas, como bem afirma a Profa. Beatriz, não formam pessoas que o atual momen- Temos alguma esperança? to do trabalho necessita, pessoas com alto grau Podemos ter sim, se não cairmos na tenta- de compreensão, de raciocínio, com capacidade ção de algum governo caudilhesco e coragem para ler e falar mais de uma língua fluentemen- de mudar radicalmente a representação política te, além dos analfabetos funcionais, pessoas tanto na esfera do legislativo federal, estadual que mal sabem ler ou escrever. Temos, para pio- como municipal. O Brasil tem-se mostrado inte- rar este quadro, uma discussão sem tempo nem ressado em mudar seu destino de forma tímida espaço, que são as cotas escolares. É compreen- e dispersa. Não tem sido capaz de reverter na sível a luta de determinados seguimentos soci- velocidade que seria desejada, apesar de ter ais pela inclusão educional. Mas esta luta condições para isto, é verdade. Mas temos que chegou atrasada. Chegou num momento em reconhecer que mesmo aos trancos e barrancos que a qualidade do ensino e, consequentemen- vamos indo. Mas, temos que ter em mente que te, do aluno constituem-se prioridade. Qualidade para sair do atual estágio de produção para um não combina com quota que também não combi- patamar igual ao do Canadá, teremos que con- na com aprovação continuada. Aluno mal forma- seguir multiplicar e melhorar o que já fazemos do é candidato a ficar, para sempre, pendurado pelo menos por 1000 vezes. Para tanto, precisa- em programas sociais patrocinados pelo gover- mos sair da mesmice e passar encarar com pro- no, saída que a Profa. Beatriz vê como inexorá- fissionalismo, coragem e criatividade o desafio vel. Quanto mais programas sociais de suporte de nos reinventarmos. ao trabalhador desqualificado, maior é o custo Tarefa para Hércules...... Brasil. Menos nossa economia será competitiva. Voltaremos ao tema oportunamente. Este descompasso é maior quando analisa- mos as desigualdades regionais. Enquanto sul e sudeste tem algum desenvolvimento tecnológico avançado, região central, região norte e nordes- Maiores informações: te estão, na média, desamparados. O sistema Artigo sobre o Ócio Criativo na Wikipedia: educacional nestas áreas é de uma pobreza ím- http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%93cio_criativo par. E não vai ser resolvido, nem no curto, nem no médio prazo, já que precisa de investimentos Site Oficial de Domenico de Mase: maciços. Talvez no longo prazo. Enxerga-se al- http://www.domenicodemasi.it gumas ilhas tecnológicas,esparsas que, acredi- to, não chegarão a contaminar o grande EDGARD COSTA é membro do Grupo de contingente de trabalhadores no médio prazo. Usuários BrOffice.org do Estado de S.Paulo, Assurer Cacert – Certificação Domênico já havia encontrado, na Europa, Digital e autor do Livro BrOffice da Teoria à Pratica. empresas com diferenças administrativas avan- çadas antes do século XX na Europa. Será que se aplicarmos o conceito de empresa administra- Revista Espírito Livre | Julho 2009 | http://revista.espiritolivre.org |26