SlideShare uma empresa Scribd logo
Entroncamentos PVN & iPVN 
Introdução 
1. Configuração PVN Tradicional 
Neste tipo de configuração, Sinalização &Voz via link PSTN existente 
SOPHO iS 
Ramal 
Ramal 
Encaminhamento PVN 
SOPHO iS 
Rede Pública 
ou Privada 
CPU CPU 
Sinalização 
Usuário (voz) 
Ramal 
2. Configuração iPVN 
Neste tipo de configuração, Sinalização via Rede (IP) e voz link PSTN existente 
SOPHO iS 
Ramal 
Ramal 
Encaminhamento iPVN 
SOPHO iS 
Rede Pública 
ou Privada 
CPU 
Sinalização 
Usuário (voz) 
CPU 
Rede de dados
Entroncamentos PVN & iPVN 
Implementação 
1. Rota PVN; 
Implementação: LADO A 
Rede Pública 
035-689 030-234 
A B 
20xx 30xx 
CPU CPU 
SOPHO iS 
Encaminhamento PVN 
SOPHO iS 
Rota 5 (vitual) DPNSS 
Cluster iD: 2 
Árvore: 0 
3(91) 
Árv: saída 
0xx(10) 
Con&Sig: 5 16 
1. Fixação do Cluster-Id de seu sistema : 
CHCLID : <cluster-id>; 
No caso de um esquema de numeração fechado o cluster-Id dever o mesmo que o(s) primeiro(s) 
dígitos(s) dos DNR(s) em seu sistema. 
Para definir se seu sistema está programado Para um esquema de numeração fechado executar: 
DIMDAT : 1,40[,<unit>]; 
Se a resposta for YES, você tem um esquema de numeração fechado. 
CHCLID : 2; 
Quando os DNRs em seu sistema tem o formato: 2xxx.
Entroncamentos PVN & iPVN 
2. Projetar NAC (Network Access Code) na árvore de discagem inicial: (extension/ enquiry/ operator) 
ASINTN: <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/ cv>]]; 
Este (NAC) deve ser o mesmo que o cluster-id do SOPHO iS (oposto) de destino. 
ASINTN : 0,3,3,91,5; 
ASINTN : 1,3,3,91,5; 
ASINTN : 2,3,3,91,5; 
Quando o(s) DNRs do SOPHO iS oposto tiverem o format: 30xx. 
3. Projetar a Destinação DPNSS 5, a correspondente árvore de análise externa e a tabela de 
rotas: 
CHDSTC : <dest>,<tree>,<dialtone-options>,<route-table>[,[<accrep>][,< 
delayed-seizure>[,<numbering-plan>]]]; 
CHDSTC : 5,65,00,5; 
4. Projetar o número discado após o NAC- Network Access Code na árvore de análise de saída 
como um número interno: 
OPEN numbering scheme : DNR Completo 
CLOSED numbering scheme : DNR - NAC 
ASBLCK : <tree>,<number>,<trfc>,<number-length>,<result-id>; 
ASBLCK : 65,0,3,3,10; 
Quando o(s) DNRs no SOPHO iS oposto tiverem o formato 30xx em um esquema de numeração 
fechado (CLOSED numbering scheme) 
5. Criar a Rota : 
CRROUT : <route>[,<unit>]; 
CRROUT : 5[,<unit>]; 
6. Adicionar a rota na Tabela de rota: 
CHROTA : <route-table>[,[<user-type>][,<sequence-table>][,<unit>]]; 
parâmetros adicionais : <route>,<pref-code>,<trfc>[,<smart-box-em>]; 
CHROTA : 5[,,,<unit>]; 5,1,3;
Entroncamentos PVN & iPVN 
7. Personalização das Características de Rota 
CHRTCG : <route>,<gen-opts>,<gen-tone>[,[<cv>][,<bspt>][,<cc-table-nr>]]]; 
CHRTCI : <route>,<inc-opts>,<tone-&-ddi-opts>[,[<tree>][,[<aqueue>][,<bspt>]]]; 
(Não definir a opção S (classe de tráfego) no parâmetro <tone-and-ddi-opts> muito baixa!) 
CHRTCO : <route>,<out-opts>,<atf>[,<bspt>]; 
CHRTCG : 5,0010001000000,222111; 
CHRTCI : 5,10000000000,000599999,35; 
CHRTCO : 5,000000,0; 
8. Atribuir as características do bundle: 
CHBNDC : <unit+bundle>,<dir&neg>,<options>,<con&sig-type>[,[<allcalls>][,<bspt>]]; 
CHBNDC : 5,2,0000000000000000,516; 
9. associar o bundle à rota DPNSS: 
ASBNDL : <route>,<bundle>; 
ASBNDL : 5,5; 
10. Programar a árvore de análise DPNSS de entrada: 
A B 
20xx 30xx 
SOPHO iS 
CPU 
SOPHO iS 
Rota 5(vitual) DPNSS 
Árvore: 0 
3(91) 
Árv: Entrada 
20xx(10) 
CPU 
PMC 
Hatch 
PMC 
Hatch 
Árv: Entrada 
30xx(10) 
Closed numbering scheme: 
Neste caso é possível a execução só do passo 1, ou seja, projetar o DNR interno completo 
(result-id 10) na árvore de entrada: 
ASBLCK : <tree>,<number>,< trfc>,<number-length>,<result-id>; 
Open numbering scheme: 
É necessário uma análise em 2 passos; este tipo de análise; também funciona para um esquema 
de numeração fechado:
Entroncamentos PVN & iPVN 
Passo 1 : 
Análise da identidade do cluster de entrada: 
ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/cv>]]; 
Observe que o <dest/number> deve ser uma ‘dummy destination’ : um número de destinação 
ainda não utilizado no sistema. 
Passo 2 : 
Análise dos dígitos de entrada restantes: 
CHDSTC : <dest>,<tree>,00,0; 
ASBLCK : <tree>,<number>,<trfc>,<number-length>,<result-id>; 
ASINTN : 35,2,3,91,19; 
CHDSTC : 19,19,00,0; 
ASBLCK : 19,0,3,3,10; 
11. Criar o Hatch e colocá-lo em serviço: 
ASPCTB : <shelf>,<brd>,<crt>s/r,<pct-type>,<sig-group>; 
ASPCTB : 11,17,12,16,6104; 
12. Configurar as características PVN do rota DPNSS. 
Rede Pública 
Árv: entrada 
3999(133) 
2997(132) 
2998(132) 
Árv: entrada 
2999(133) 
2997(132) 
2998(132) 
035-689 030-234 
A B 
20xx 30xx 
Rota virtual 5 DPNSS 
CPU CPU 
SOPHO iS 
SOPHO iS 
PVN Sign.Chan.Adress: 00302343999 
PVN Sign.Chan.Adress: 00356892999 
PVN USER Chan.Adress: 2997 e 2998 
Estabelecimento dos canais: Sinalização & Usuário
Entroncamentos PVN & iPVN 
‘Route Identification Number’(RIN): deve ser o mesmo em ambos os SOPHO iSs ; 
‘Main/Sub indication’(m/s): deve ser 0 de um lado e 1 do outro lado. 
CHPVNR : <route>,<sigch-address>,<uca-prefix>,<rin>,<m/s>; 
Additional parameters : 
CHPVNR : 5,00302343999,0030234,0001,0; 
Neste exemplo: 0-0302343999 é o número que o sistema gera quando deve ser estabelecido um 
canal de sinalização. O outro sistema verá o número de entrada: 3999. Este número deve ter um 
result-id 133, no sistema oposto. 
No SOPHO iS oposto programar: 
CHPVNR : 6,00356892999,0035689,0001,1; 
13. Configurar a análise numérica de entrada proveniente da PSTN, de modo a reconhecer um 
canal de sinalização de entrada: 
ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<nbr.length/cv>]]; 
ASINTN : 30,2999,2,133; 
Neste exemplo: 2999 corresponde ao número de entrada, quando o outro lado quiser estabelecer 
um canal de sinalização. 
14. Criar os ‘User Channel Addresses’ que serão enviados para o SOPHO iS oposto quando o 
mesmo pedir um ‘User Channel’ : 
ASPVNU : <uca>[,<unit>]; 
ASPVNU : 2998; 
ASPVNU : 2997; 
15. O SOPHO iS oposto fará uma chamada para estes números. Assim, estes números devem 
estar projetados na árvore de análise de entrada proveniente da PSTN : 
ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/nbr>][,<nbr.length/cv>]]; 
ASINTN : 30,2998,2,132; 
ASINTN : 30,2997,2,132; 
16. Certifique-se de que o ‘outgoing signalling channel address’ e o ‘ user channel addresses’ 
estão projetados na árvore de saída para a conexão PSTN.
Entroncamentos PVN & iPVN 
Signalling e User Channel Addr: ‘0’ 
(Incluidos na árvore Saída para PSTN) 
Rede Pública 
Árv: saída: PSTN 
A B 
20xx 30xx 
SOPHO iS 
Signalling & User Channel Address 
SOPHO iS 
035-689 030-234 
0 (22) 
ASEXTN : <tree>,<number>,<trfc>,<min-length>,<max-length>,<DT.place>[,<tariff-cl.>]; 
Additional parameter : [<route-table>]; 
ASEXTN : 60,0,3,4,12,0; 
; 
17. Quando for necessário, programar os timers: 
CHPVNT : <route>[,<sequence-table>[,<sigch-tu>][,<sigch-tv>,<usrchtu>,<usrch-tv>]]; 
CHPVNT : 5,1,0,0,0,0; 
18. Quando for necessário alterar o PTN-ID default e o código de segurança. Os valores devem 
ser os mesmos em ambos os lados. 
CHPVNS : [<PTN-ID>]; 
Introduza o Security Code antigo: <SC>; 
Introduza o Security Code novo: <SC>; 
Verificação : <SC>; 
CHPVNS : 9999; 
899111; 
123456; 
123456;
Entroncamentos PVN & iPVN 
2. Rota iPVN; 
Condições Prévias 
 iPVN requer uma licença numérica (license item 29) Para a quantidade de rotas que forem 
liberadas Para serem estendidas através de conexão com sinalização TCP/IP. 
 É requerida uma licença por unidade. 
 A licença PVN (número 11) é também requerida. 
Através do comando OM DILICS : ; 
Verifique se o sistema possui as licenças para DPNSS, PVN e iPVN. 
 Condições prévias de Hardware e Software para o iPVN: 
- SSW 810.21 ou superior. 
- Os sistemas CCS iPVN requerem CIE-2 e Pack firmware FA100.04.01 ou superior. 
- LOSYSOP 120 (iPVN Active) deve estar setado para 'true'. 
- não é possível combiner iPVN com Compressed PVN. 
- Para as conexões do canal de sinalização iPVN nenhum registro FDCR ou TT podem 
ser gerados. 
Rede Pública 
035-689 030-234 
A B 
20xx 30xx 
Rota DPNSS 5 
CPU CPU 
SOPHO iS 
Encaminhamento iPVN 
SOPHO iS 
Rede de dados 192.168.1.20
Entroncamentos PVN & iPVN 
Procedimentos a serem executados em ambos os SOPHO iSs 
1. Executar STWARM Para ativação do parâmetro LOSYSOP 120 (iPVN Active). 
2. Programar o iPVN da mesma maneira que o descrito anteriormente. A única diferença é o 
parâmetro <sigch-address>no comando OM: CHPVNR. 
3. CHPVNR : <route>,<sigch-address>,<uca-prefix>,<rin>,<m/s>; 
CHPVNR : 5,192.168.1.20,0030234,0001,0; 
Neste exemplo, 192.168.1.20 é o endereço IP da CIE-2/CPU3000 do SOPHO iS oposto. 
NOTA: Na inicialização dos sistemas, o SOPHO iS inicia se comportando como um servidor 
TCP/IP, aguardando por pedidos iPVN de entrada de outros sistemas SOPHO iS . O 
servidor aguarda na porta TCP, cujo número é definido pelo LOBOUND 356 : iPVN 
Listen Port (default value is 2595). 
Em caso de falha na conexão Ethernet, é possível fazer a comutação para um PVN 
normal (desde que projetado)
Entroncamentos PVN & iPVN 
3. Projeto PVN, como uma rota overflow 
Rede Pública 
035-689 030-234 
A B 
20xx 30xx 
Rota DPNSS 5 
(Con&Sig: 4 6) 
CPU CPU 
SOPHO iS 
PVN, como Rota Overflow 
SOPHO iS 
Rota Sinalização: 6 
(Con&Sig: 4 6) 
Projeto SOPHO iS - Lado A. 
1. Deletar uma linha da rota DPNSS existente e criar uma nova rota contendo esta linha. Esta 
rota será usada para transportar o canal de sinalização para o outro lado. Como alternativa, 
o canal de sinalização poderá ser transportado através da Rede Pública; neste caso é 
requerido uma rota digital com a Rede Pública. Se for o caso continuar com passo 9. 
DELINE : <shelf>,<board>,<circuit>; 
DELINE : 1012,9,2; 
2. Criar uma nova rota: 
CRROUT : 6[,<unit>]; 
CRROUT : 6; 
3. Criar um CV de voz. Este CV será usado na rota 6 Para evitar que ramal utilize esta rota. 
CRCVAL : <CV>,<VOICE/DATA>; 
CRCVAL : 5,v; 
4. Definir a permissão de conexão CV de modo a permitir a conexão: CV 5 - CV5:
Entroncamentos PVN & iPVN 
CHCVCA : <cv-a>,<cv-b>,<con-allowance>; 
CHCVCA : 5,5,3; 
5. Configurar as características de rota (as mesmas da rota DPNSS existente). Esta rota será 
base para o canal de sinalização; assim, ela deverá estar protegida do usuário comum 
pelo CV (5). 
CHRTCG : <route>,<gen-opts>,<gen-tone>[,[<cv>][,<bspt>][,<cc-table-nr>]]]; 
CHRTCI : <route>,<inc-opts>,<tone-and-ddi-opts>[,[<tree>][,[<aqueue>][,<bspt>]]]; 
CHRTCO : <route>,<out-opts>,<atf>[,<bspt>]; 
CHRTCG : 6,0010001000000,222111,5; 
CHRTCI : 6,1000000000000,000599999,35; 
CHRTCO : 6,000000,0; 
6. Configurar as características de feixe (as mesmas do bundle DPNSS 5 existente). 
CHBNDC : <u+bundle>,<dir-&-neg>,<options>,<con&sig-type>[,[<all-calls>][,bspt]]; 
CHBNDC : 6,2,0000000000000000,46; 
7. Associar o feixe a esta nova rota; 
ASBNDL : <route>,<bundle>; 
ASBNDL : 6,6; 
8. Atribuir a linha deletada, no passo 1, ao novo feixe (bundle). 
ASLINE : <bundle>,<line>,<shelf>,<board>,<circuit>; 
ASLINE : 6,1000,1012,9,2; 
9. Criar uma rota PVN: 
CRROUT : <route>[,<unit>]; 
CRROUT : 7;
Entroncamentos PVN & iPVN 
Rede Pública 
035-689 030-234 
A B (Con&Sig: 4 6) 
20xx Rota DPNSS 5 
30xx 
overflow (Con&Sig: 5 16) 
CPU CPU 
SOPHO iS 
PVN, como Rota Overflow 
SOPHO iS 
Rota PVN: 7 
TABELA de ROTAS: 5 
5 (p) 
7 (n) 
10. Adicionar a rota PVN á Tabela de Rotas da destinação DPNSS: 
CHROTA : <route-table>[,[<user-type>][,<sequence-table>][,<unit>]]; 
Additional parameters : <route>,<pref-code>,<trfc>[,<smart-box-em>]; 
CHROTA : 5[,,,<unit>]; 
CHROTA : 5,1,3; 
7,0,3; 
11. Se o canal de sinalização for transportado através da rota DPNSS (6) real, definir a rota 
com 1 linha como prioritária na tabela de rotas da destinação DPNSS. 
CHROTA : 5,2[,,<unit>]; 
CHROTA : 6,1,3; 
12. Configurar as características de rota PVN: 
CHRTCG : <route>,<gen-opts>,<gen-tone>[,[<cv>][,<bspt>][,<cc-table-nr>]]]; 
CHRTCI : <route>,<inc-opts>,<tone&ddi-opts>[,[<tree>][,[<aqueue>][,<bspt>]]]; 
CHRTCO : <route>,<out-opts>,<atf>[,<bspt>]; 
CHRTCG : 7,0010010000000,222111; 
CHRTCI : 7,10000000000,000599999,35; 
CHRTCO : 7,000000,0; 
13. Configurar as características de feixe 
CHBNDC : <u+bundle>,<dir&neg>,<options>,<con&sig-type>[,[<allcalls>][,<bspt>]]; 
CHBNDC : [uu]007,2,0000000000000000,516; 
14. Associar o bundle á rota PVN: 
ASBNDL : <route>,<bundle>; 
ASBNDL : 7,7;
Entroncamentos PVN & iPVN 
15. Criar o Hatch e colocá-lo ‘Em Serviço’: 
Rota DPNSS 5 ( C on&Sig: 4 6) 
A B 
20xx 30xx 
SOPHO iS 
CPU 
SOPHO iS 
CPU 
PMC 
Hatch 
PMC 
Hatch 
Rota PVN: 7 
overflow (Con&Sig: 5 16) 
ASPCTB : <shelf>,<brd>,<crt>,<pct type>,<sig-group>; 
ASPCTB : 1011,17,12,16,6104; 
SETINS : 1012,17,12; 
16. Definir as características PVN da rota DPNSS: 
1. O Route Identification Number(RIN) deve ser o mesmo em ambos os SOPHO iSs; 
2. O Main/Sub indication (m/s) deve ser 0 de um lado e 1 do outro. 
CHPVNR : <route>,<sigch-address>,<uca-prefix>,<rin>,<m/s>; 
Additional parameters : [<pvn-mode>][,[<cv>][,<tree>]]; 
CHPVNR : 7,3099,0030234,0001,0; ,5; 
Rede Pública 
Árv: entrada 
3099(133) 
2097(132) 
2098(132) 
Árv: entrada 
2099(133) 
2097(132) 
2098(132) 
035-689 030-234 
A B 
20xx Rota DPNSS 5 ( C on&Sig: 4 6) 
30xx 
Rota PVN: 7 
overflow (Con&Sig: 5 16) 
CPU CPU 
SOPHO iS 
SOPHO iS 
PVN Sign.Chan.Adress: 00302343099 
PVN Sign.Chan.Adress: 00356892099 
PVN USER Chan.Adress: 2097 e 2098 
Estabelecimento dos canais: Sinalização & Usuário 
Neste exemplo, 3099 é o número que o sistema irá gerar se um canal de sinalização tiver que ser 
estabelecido. O sistema oposto verá o número de entrada 3099 no link DPNSS real. Este número 
deve conduzir ao Result-id 133 (PVN Signalling Address - hatch) no sistema oposto. 
Se o canal de sinalização tiver que ser estabelecido através da Rede Pública PSTN, altere este 
3099 para 00302343099 e não atribua um CV nos parâmetros adicionais.
Entroncamentos PVN & iPVN 
No SOPHO iS oposto, programar: 
CHPVNR : 6,2099,0035689,0001,1; 
Nos parâmetros adicionais do comando CHPVNR, a árvore para discagem de ramal inicial (0) é 
indicada e CV (5) que é usado para definir o canal de sinalização e de usuário. 
17. Configurar a árvore de análise de entrada no link DPNSS real (árvore 35) para reconhecer 
um canal de sinalização de entrada (Se o canal de sinalização deve ser estabelecido 
através da PSTN no link digital de entrada PSTN: árvore 30): 
ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/cv>]]; 
ASINTN : 35,2099,2,133[,<unit>]; 
Neste exemplo, 2099 é o número de entrada quando o outro lado deseja estabelecer um 
canal de sinalização. 
18. Criar um User Channel Addresses que será enviado para o SOPHO iS oposto quando ele 
solicitar um User Channel. 
ASPVNU : <uca>[,<unit>]; 
ASPVNU : 2098,<unit>; 
ASPVNU : 2097,<unit>; 
19. O SOPHO iS oposto fará uma chamada para estes números; assim, eles devem ser 
projetados na árvore de análise de entrada proveniente da PSTN. 
ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/cv>]]; 
ASINTN : 30,2098,2,132; 
ASINTN : 30,2097,2,132; 
20. Certifique-se de que user channel address e signalling channel addresses de saída, 
estejam projetados na árvore de saída para a Destinação PSTN. Se o canal de sinalização 
for transportado através da rota DPNSS, certifique-se de que o signalling channel address 
de saída esteja projetado na árvore de saída para a Destinação DPNSS. 
ASEXTN : <tree>,<number>,<trfc>,<min-length>,<max-length>,<DTplace>[,<tarif-cl>]; 
Additional parameter : [<route-table>]; 
ASEXTN : 60,0,3,4,12,0; 
; 
21. Se o canal de sinalização for transportado através da rota DPNSS existente, criar e setar 
um CV (ex: 6) na rota PSTN usada para transportar o(s) canal(s) de usuário(s). PVN 
construirá o Canal de Usuário com CV 5. Assim, deverá criada uma permissão de 
conexão de CV5 para CV6 e de CV6 para CV5. Se os usuários de ramal normal devem
Entroncamentos PVN & iPVN 
ainda estar aptos a usar a rota PSTN, deverão também ser criadas as pwermissões de 
conexão de CV6 para CV0 e CV0 para CV6. 
CRCVAL : 6,v; 
DIROUT : 0; 
CHRTCG : 0,0010001000000,222111,6; 
Copiar as ‘general route characteristics’ da rota 0 (rota PSTN) 
CHCVCA : 5,6,3; 
CHCVCA : 6,5,3; 
CHCVCA : 0,6,3; 
CHCVCA : 6,0,3; 
22. Quando necessário, programar os timers: 
CHPVNT:<route>[,<sequence-table>[,<sigch-tu>][,<sigch-tv>,<usrchtu>,<usrch-tv>]]; 
CHPVNT : 5,1,1,5,0,10; 
No caso de o canal de sinalização ser transportado sobre a rota DPNSS existente, setar o 
timer do canal de sinalização para infinito. 
CHPVNT : 5,1,1,16383,0,10; 
Qual tabela de seqüência deverá ser usada, dependerá do comando ASFATI. Se nenhuma 
tabela de seqüência estiver projetada, a tabela de seqüência 1 é default. 
23. Quando for necessário alterar o PTN-ID default e o código de segurança. Os valores 
devem ser os mesmos em ambos os lados. 
CHPVNS : [<PTN-ID>]; 
Introduza o Security Code antigo: <SC>; 
Introduza o Security Code novo: <SC>; 
Verificação : <SC>; 
CHPVNS : 9999; 
899111; 
123456; 
123456;
Entroncamentos PVN & iPVN 
4. Conceitos envolvidos na construção de um link PVN ou iPVN 
1º. Caso: PVN 
Comando OM: CHPVNR 
 Endereço do canal de sinalização (para alcançar o HATCH oposto): 00302343999 
(considerando-se que o 3999 será programado na árvore de entrada do lado oposto com 
Res.Id: 133 (signalling channel). 
 UCA prefix: 0030234 (234 é só o prefixo) 
 RIN route identification Nbr. 0001 (deve se o mesmo em ambos os lados) 
 0/1 master /slave 
(repito o mesmo comando CHPVNR no outro SOPHO iS do entroncamento) 
Canal de Usuário PVN (‘PVN user channel address’) 
Assim que estiver sido estabelecido o canal de sinalização e o protocolo de sinalização DPNSS 
tiver sido inicializado, o SOPHO iS de origem associa um canal de usuário PVN ao canal de 
sinalização. 
Este canal de usuário PVN é estendido da seguinte forma: 
 A unidade de origem solicita ao destino um ‘PVN user channel address’. 
 A unidade de destinação responderá a esta solicitação fornecendo o user channel 
address’ programado através do comando OM: ASPVNU. Subseqüentemente ele não 
usará este número para outras solicitações de ‘PVN user channel address’. 
 A unidade de origem, então, colocará o prefixo do canal de usuário, como programado 
pelo comando OM: CHPVNR, na frente do ’PVN user channel address’, enviando este 
número inteiro. Esta chamada é estendida com o service profile do ramal de origem para o 
qual este canal de usuário está realmente estabelecido. 
 O SOPHO iS de destino deve ter o user channel address’, programado com o Res.ID 132 
na árvore de análise de entrada, onde ele possa ser esperado.
Entroncamentos PVN & iPVN 
OBS: No caso em que o SOPHO iS de destino for um SOPHO iS multi-unidade, então, a 
chamada pode vir em outra unidade, que aquela que tem este user channel address’; a unidade 
onde a chamada chegar, sabe onde encontrar a unidade de destino verdadeira, porque isto foi 
especificado pelo ASINTN, quando da programação do ’PVN user channel address’. 
Exemplo Prático: 
Connected To: 192.168.1.3 - 1-23 
+++ 0055-3333-0810-0001 2009-12-29 +2+ 14:08+ #0099 VDU010 > 
<dinars:0,91; 
DESTINATION ID: D=Destination, L=Line, P=Paging route, Q=A-queue, S=Server, 
U=Unit 
DESTINATION 
TREE CODE ANALYSIS RESULT NUMBER ID NUMBER 
0 91 Network access code 402 D 20 
0 91 Network access code 403 D 21 
EXECUTED 
<didest:20; 
DEST TREE FST-DT SND-DT ACC-REP ROUTE-TABLE DELAY-SEIZURE NUMB-PLAN 
20 20 0 0 0 20 D 0 0 
EXECUTED 
<dirout:20; 
ROUTE UNIT BSPT GEN-OPTS GEN-TONE CV CC-TABLE 
20 1 - 011001010010000 440400 0 - 
INC-OPTS TONE-AND-DDI-OPTS TREE A-QUEUE OVE SCNE 
10100000000 000699999 38 16 - - 
OUT-OPTS ATF 
000100 0 
NO INCOMING DIGIT CONV. ON THIS ROUTE (USE DIDGCO FOR OUTGOING DIGIT CONV.) 
SEQ BUNDLE 
0 20 
EXECUTED
Entroncamentos PVN & iPVN 
<DIPVNR:? 
Display PVN route data 
DIPVNR: [<ROUTE>][,<UNIT>]; 
If ROUTE is omitted, all PVN routes in the specified unit are displayed; 
If UNIT is omitted, the specified route is displayed continuously; 
If both parameters are omitted, all available PVN routes are displayed; 
<dipvnr:20; 
ROUTE UNIT SIGCH-ADDRESS UCA-PREFIX RIN M/S 
20 1 192.168.1.2 *6 0001 0 
PVN FLOWS 
MODE CV TREE STATUS EHWA-HATCH USER-MODE ACT EST START-TIME 
0 0 0 idle - - - normal 0 0 - 
Message 222: Command aborted 
<dinars:38; 
DESTINATION ID: D=Destination, L=Line, P=Paging route, Q=A-queue, S=Server, 
U=Unit 
DESTINATION 
TREE CODE ANALYSIS RESULT NUMBER ID NUMBER 
38 10 Internal number 2 D - 
38 10 Internal number 3 D - 
38 91 Network access code 403 D 21 
38 132 PVN user channel address 4998 U 1 
38 132 PVN user channel address 4999 U 1 
EXECUTED 
<dipvnt:? 
Display PVN sequence table(s) 
DIPVNT: <ROUTE>[,<SEQ-TABLE/ZONE>]; 
If SEQUENCE-TABLE is omitted, all sequence tables for the specified route are 
displayed. 
<dipvnt:20; 
SIGNALLING-CHANNEL USER-CHANNEL 
SEQUENCE-TABLE VALUE TIME-UNIT VALUE TIME-UNIT 
1 40 Minutes 30 Minutes 
2 0 Seconds 0 Seconds 
3 0 Seconds 0 Seconds 
4 0 Seconds 0 Seconds
Entroncamentos PVN & iPVN 
5 0 Seconds 0 Seconds 
EXECUTED 
<dipvnu:? 
Display PVN user channel address(es) 
DIPVNU: [<UNIT>]; 
<dipvnu:; 
UNIT UCA 
1 4998 
1 4999 
EXECUTED

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 8.3 - Iptables Tabela NAT
Aula 8.3 - Iptables Tabela NATAula 8.3 - Iptables Tabela NAT
Aula 8.3 - Iptables Tabela NAT
Andrei Carniel
 
Iptables Completo Oliver
Iptables   Completo   OliverIptables   Completo   Oliver
Iptables Completo Oliver
marcosserva
 
Criando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet Tracer
Criando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet TracerCriando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet Tracer
Criando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet Tracer
Edenilton Michael
 
R&C 0401 07 1
R&C 0401 07 1R&C 0401 07 1
R&C 0401 07 1
guest6a825195
 
Atividade acl extendida
Atividade acl extendidaAtividade acl extendida
Atividade acl extendida
Arlimar Jacinto
 
Tcpip2
Tcpip2Tcpip2
Armazenagem asi port
Armazenagem asi portArmazenagem asi port
Armazenagem asi port
Pablo Souza
 
Tcpip1
Tcpip1Tcpip1
Conceitos associado às redes
Conceitos associado às redesConceitos associado às redes
Conceitos associado às redes
Agrupamento de Escolas da Batalha
 
Ccnafinalexamptbr
CcnafinalexamptbrCcnafinalexamptbr
Ccnafinalexamptbr
Luiz Souza
 
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
Wellington Oliveira
 
IPTables na prática
IPTables na práticaIPTables na prática
IPTables na prática
aptans
 
Roteamento avançado utilizando Debian
Roteamento avançado utilizando DebianRoteamento avançado utilizando Debian
Roteamento avançado utilizando Debian
Helio Loureiro
 
Configurar tdm410 p-e-aex410p
Configurar tdm410 p-e-aex410pConfigurar tdm410 p-e-aex410p
Configurar tdm410 p-e-aex410p
Lojamundi
 
Iptables Básico
Iptables BásicoIptables Básico
Iptables Básico
Leonardo Damasceno
 
Dicas De Configuração S D H Lucent A D M[1]
Dicas De Configuração  S D H  Lucent  A D M[1]Dicas De Configuração  S D H  Lucent  A D M[1]
Dicas De Configuração S D H Lucent A D M[1]
Fxx
 
(10) network
(10) network(10) network
(10) network
Anderson Lago
 
Resumo comandos cisco
Resumo comandos ciscoResumo comandos cisco
Resumo comandos cisco
Allan Alencar
 

Mais procurados (18)

Aula 8.3 - Iptables Tabela NAT
Aula 8.3 - Iptables Tabela NATAula 8.3 - Iptables Tabela NAT
Aula 8.3 - Iptables Tabela NAT
 
Iptables Completo Oliver
Iptables   Completo   OliverIptables   Completo   Oliver
Iptables Completo Oliver
 
Criando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet Tracer
Criando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet TracerCriando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet Tracer
Criando rede WLAN e SERVIDOR DNS E HTTP no Packet Tracer
 
R&C 0401 07 1
R&C 0401 07 1R&C 0401 07 1
R&C 0401 07 1
 
Atividade acl extendida
Atividade acl extendidaAtividade acl extendida
Atividade acl extendida
 
Tcpip2
Tcpip2Tcpip2
Tcpip2
 
Armazenagem asi port
Armazenagem asi portArmazenagem asi port
Armazenagem asi port
 
Tcpip1
Tcpip1Tcpip1
Tcpip1
 
Conceitos associado às redes
Conceitos associado às redesConceitos associado às redes
Conceitos associado às redes
 
Ccnafinalexamptbr
CcnafinalexamptbrCcnafinalexamptbr
Ccnafinalexamptbr
 
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
WANs e Roteadores Cap. 3 Configurando um Roteador - CCNA 3.1 Wellington Pinto...
 
IPTables na prática
IPTables na práticaIPTables na prática
IPTables na prática
 
Roteamento avançado utilizando Debian
Roteamento avançado utilizando DebianRoteamento avançado utilizando Debian
Roteamento avançado utilizando Debian
 
Configurar tdm410 p-e-aex410p
Configurar tdm410 p-e-aex410pConfigurar tdm410 p-e-aex410p
Configurar tdm410 p-e-aex410p
 
Iptables Básico
Iptables BásicoIptables Básico
Iptables Básico
 
Dicas De Configuração S D H Lucent A D M[1]
Dicas De Configuração  S D H  Lucent  A D M[1]Dicas De Configuração  S D H  Lucent  A D M[1]
Dicas De Configuração S D H Lucent A D M[1]
 
(10) network
(10) network(10) network
(10) network
 
Resumo comandos cisco
Resumo comandos ciscoResumo comandos cisco
Resumo comandos cisco
 

Destaque

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...
MaisoDias
 
Lavoisier11º ano
Lavoisier11º anoLavoisier11º ano
Lavoisier11º ano
rositasousa
 
Sala do educador 2012
Sala do educador 2012Sala do educador 2012
Sala do educador 2012
Gisláide Sena
 
Ruta para proteccion de los derechos de los
Ruta para proteccion de los derechos de losRuta para proteccion de los derechos de los
Ruta para proteccion de los derechos de los
johnjairomaig
 
4566476 exercicios-de-sintaxe
4566476 exercicios-de-sintaxe4566476 exercicios-de-sintaxe
4566476 exercicios-de-sintaxe
Adria Taitai
 
Empresa digital2
Empresa digital2Empresa digital2
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
fespiritacrista
 
dConversiones
dConversionesdConversiones
Voz da Paróquia - Dezembro 2010
Voz da Paróquia - Dezembro 2010Voz da Paróquia - Dezembro 2010
Voz da Paróquia - Dezembro 2010
Fernando Chapeiro
 
Outubro, Mês Internacional das Bibliotecas
Outubro, Mês Internacional das BibliotecasOutubro, Mês Internacional das Bibliotecas
Outubro, Mês Internacional das Bibliotecas
bloglerporquesim
 
Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!
Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!
Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!
Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região
 
08.micrômetro tipos e usos
08.micrômetro  tipos e usos08.micrômetro  tipos e usos
08.micrômetro tipos e usos
Edvaldo Viana
 
Apostila de matematica essa
Apostila de matematica essaApostila de matematica essa
Apostila de matematica essa
professorlinhares
 
Apostila professor Linhares
Apostila professor LinharesApostila professor Linhares
Apostila professor Linhares
professorlinhares
 
Una tarde a pura gimnasia!!!
Una tarde a pura gimnasia!!!Una tarde a pura gimnasia!!!
Una tarde a pura gimnasia!!!
sdelmau
 
Ebd 4°trimestre 2016 Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.
Ebd 4°trimestre 2016  Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.Ebd 4°trimestre 2016  Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.
Ebd 4°trimestre 2016 Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Voz da Paróquia - Novembro 2011
Voz da Paróquia - Novembro 2011Voz da Paróquia - Novembro 2011
Voz da Paróquia - Novembro 2011
Fernando Chapeiro
 
Rocinha colégio nazaré
Rocinha colégio nazaréRocinha colégio nazaré
Rocinha colégio nazaré
Flávio Nassar
 
TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...
TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...
TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...
LAESER IE/UFRJ
 

Destaque (20)

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...
DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL: UM ESTUDO SOB A ÓTICA DE ABASTECIMENTO DO ESTADO...
 
Lavoisier11º ano
Lavoisier11º anoLavoisier11º ano
Lavoisier11º ano
 
Sala do educador 2012
Sala do educador 2012Sala do educador 2012
Sala do educador 2012
 
Ruta para proteccion de los derechos de los
Ruta para proteccion de los derechos de losRuta para proteccion de los derechos de los
Ruta para proteccion de los derechos de los
 
4566476 exercicios-de-sintaxe
4566476 exercicios-de-sintaxe4566476 exercicios-de-sintaxe
4566476 exercicios-de-sintaxe
 
Empresa digital2
Empresa digital2Empresa digital2
Empresa digital2
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 
dConversiones
dConversionesdConversiones
dConversiones
 
Voz da Paróquia - Dezembro 2010
Voz da Paróquia - Dezembro 2010Voz da Paróquia - Dezembro 2010
Voz da Paróquia - Dezembro 2010
 
Fotos
FotosFotos
Fotos
 
Outubro, Mês Internacional das Bibliotecas
Outubro, Mês Internacional das BibliotecasOutubro, Mês Internacional das Bibliotecas
Outubro, Mês Internacional das Bibliotecas
 
Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!
Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!
Deus não é homem para mentir; nem filho do homem para se arrepender!
 
08.micrômetro tipos e usos
08.micrômetro  tipos e usos08.micrômetro  tipos e usos
08.micrômetro tipos e usos
 
Apostila de matematica essa
Apostila de matematica essaApostila de matematica essa
Apostila de matematica essa
 
Apostila professor Linhares
Apostila professor LinharesApostila professor Linhares
Apostila professor Linhares
 
Una tarde a pura gimnasia!!!
Una tarde a pura gimnasia!!!Una tarde a pura gimnasia!!!
Una tarde a pura gimnasia!!!
 
Ebd 4°trimestre 2016 Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.
Ebd 4°trimestre 2016  Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.Ebd 4°trimestre 2016  Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.
Ebd 4°trimestre 2016 Lição 4 A provisão de Deus no monte do sacrifício.
 
Voz da Paróquia - Novembro 2011
Voz da Paróquia - Novembro 2011Voz da Paróquia - Novembro 2011
Voz da Paróquia - Novembro 2011
 
Rocinha colégio nazaré
Rocinha colégio nazaréRocinha colégio nazaré
Rocinha colégio nazaré
 
TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...
TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...
TEC 2012 01 - A variável cor nas estatísticas do Ministério do Trabalho e Emp...
 

Semelhante a Pvn bаsico

Comando para rede
Comando para redeComando para rede
Comando para rede
Alan Jorge
 
2 encaminhamento
2 encaminhamento2 encaminhamento
2 encaminhamento
zeu1507
 
Comandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76a
Comandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76aComandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76a
Comandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76a
Ls Help Technology Suporte em TI
 
Guia rapido configuracao_tw_rev1
Guia rapido configuracao_tw_rev1Guia rapido configuracao_tw_rev1
Guia rapido configuracao_tw_rev1
Odeberto Borges Vieira L. da Rocha
 
Camada de transporte parte1
Camada de transporte parte1Camada de transporte parte1
Camada de transporte parte1
Universidade Federal do Pampa
 
Antonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paper
Antonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paperAntonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paper
Antonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paper
Joao Galdino Mello de Souza
 
Apostila firewall-consulta
Apostila firewall-consultaApostila firewall-consulta
Apostila firewall-consulta
rafael informática
 
Redes de Computadores 2 - Aula 3 - Roteamento
Redes de Computadores 2 - Aula 3 - RoteamentoRedes de Computadores 2 - Aula 3 - Roteamento
Redes de Computadores 2 - Aula 3 - Roteamento
Cleber Fonseca
 
ATI - Configuracao sippulse
ATI - Configuracao sippulseATI - Configuracao sippulse
ATI - Configuracao sippulse
sippulse
 
Ferramentas hack wifi aircrack
Ferramentas hack wifi aircrackFerramentas hack wifi aircrack
Ferramentas hack wifi aircrack
Pedro Verissimo
 
3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET
3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET
3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET
Vinicius Batista
 
I Pv6 Final 2
I Pv6 Final 2I Pv6 Final 2
I Pv6 Final 2
ptic433
 
5. 18 mar16 qos em redes ip-v2
5. 18 mar16   qos em redes ip-v25. 18 mar16   qos em redes ip-v2
5. 18 mar16 qos em redes ip-v2
ricnicpontounipac
 
Apostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdf
Apostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdfApostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdf
Apostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdf
SilvanildoManoeldaSi
 
Camada de rede parte2
Camada de rede   parte2Camada de rede   parte2
Camada de rede parte2
Universidade Federal do Pampa
 
Julio Silvello - Tms320 C55 X
Julio Silvello -  Tms320 C55 XJulio Silvello -  Tms320 C55 X
Julio Silvello - Tms320 C55 X
jsilvello
 
Manual do Conversor Serial Ethernet CS-Ethernet
Manual do Conversor Serial Ethernet CS-EthernetManual do Conversor Serial Ethernet CS-Ethernet
Manual do Conversor Serial Ethernet CS-Ethernet
Alfacomp Automação Industrial Ltda.
 
Miniseminario fetch size
Miniseminario fetch sizeMiniseminario fetch size
Miniseminario fetch size
Leonardo Silveira
 
Redes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLC
Redes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLCRedes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLC
Redes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLC
Mauro Tapajós
 
Pratica3 redes
Pratica3 redesPratica3 redes
Pratica3 redes
Bruno Riccelli
 

Semelhante a Pvn bаsico (20)

Comando para rede
Comando para redeComando para rede
Comando para rede
 
2 encaminhamento
2 encaminhamento2 encaminhamento
2 encaminhamento
 
Comandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76a
Comandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76aComandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76a
Comandos ip-de-redes-no-windows-1319-ory76a
 
Guia rapido configuracao_tw_rev1
Guia rapido configuracao_tw_rev1Guia rapido configuracao_tw_rev1
Guia rapido configuracao_tw_rev1
 
Camada de transporte parte1
Camada de transporte parte1Camada de transporte parte1
Camada de transporte parte1
 
Antonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paper
Antonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paperAntonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paper
Antonio marquesd matos(nossacaixa)_implementação de redes appn_paper
 
Apostila firewall-consulta
Apostila firewall-consultaApostila firewall-consulta
Apostila firewall-consulta
 
Redes de Computadores 2 - Aula 3 - Roteamento
Redes de Computadores 2 - Aula 3 - RoteamentoRedes de Computadores 2 - Aula 3 - Roteamento
Redes de Computadores 2 - Aula 3 - Roteamento
 
ATI - Configuracao sippulse
ATI - Configuracao sippulseATI - Configuracao sippulse
ATI - Configuracao sippulse
 
Ferramentas hack wifi aircrack
Ferramentas hack wifi aircrackFerramentas hack wifi aircrack
Ferramentas hack wifi aircrack
 
3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET
3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET
3 - TRAFFIC SHAPPING-DUMMYNET
 
I Pv6 Final 2
I Pv6 Final 2I Pv6 Final 2
I Pv6 Final 2
 
5. 18 mar16 qos em redes ip-v2
5. 18 mar16   qos em redes ip-v25. 18 mar16   qos em redes ip-v2
5. 18 mar16 qos em redes ip-v2
 
Apostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdf
Apostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdfApostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdf
Apostila Apresentacao_PWM_PIC16F877A_2015.pdf
 
Camada de rede parte2
Camada de rede   parte2Camada de rede   parte2
Camada de rede parte2
 
Julio Silvello - Tms320 C55 X
Julio Silvello -  Tms320 C55 XJulio Silvello -  Tms320 C55 X
Julio Silvello - Tms320 C55 X
 
Manual do Conversor Serial Ethernet CS-Ethernet
Manual do Conversor Serial Ethernet CS-EthernetManual do Conversor Serial Ethernet CS-Ethernet
Manual do Conversor Serial Ethernet CS-Ethernet
 
Miniseminario fetch size
Miniseminario fetch sizeMiniseminario fetch size
Miniseminario fetch size
 
Redes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLC
Redes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLCRedes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLC
Redes I - 3.Camada de Enlace de Dados LLC
 
Pratica3 redes
Pratica3 redesPratica3 redes
Pratica3 redes
 

Mais de zeu1507

Theven iaula9ce
Theven iaula9ceTheven iaula9ce
Theven iaula9ce
zeu1507
 
Potência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicosPotência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicos
zeu1507
 
Manual controller 01_11
Manual controller 01_11Manual controller 01_11
Manual controller 01_11
zeu1507
 
Capitulo 16
Capitulo 16Capitulo 16
Capitulo 16
zeu1507
 
Capitulo 15
Capitulo 15Capitulo 15
Capitulo 15
zeu1507
 
Capitulo 14
Capitulo 14Capitulo 14
Capitulo 14
zeu1507
 
Capitulo 13
Capitulo 13Capitulo 13
Capitulo 13
zeu1507
 
Capitulo 12
Capitulo 12Capitulo 12
Capitulo 12
zeu1507
 
Capitulo 11
Capitulo 11Capitulo 11
Capitulo 11
zeu1507
 
Capitulo 10
Capitulo 10Capitulo 10
Capitulo 10
zeu1507
 
Capitulo 09
Capitulo 09Capitulo 09
Capitulo 09
zeu1507
 
Capitulo 08
Capitulo 08Capitulo 08
Capitulo 08
zeu1507
 
Capitulo 07
Capitulo 07Capitulo 07
Capitulo 07
zeu1507
 
Capitulo 06
Capitulo 06Capitulo 06
Capitulo 06
zeu1507
 
Capitulo 05
Capitulo 05Capitulo 05
Capitulo 05
zeu1507
 
Capitulo 04
Capitulo 04Capitulo 04
Capitulo 04
zeu1507
 
Capitulo 03
Capitulo 03Capitulo 03
Capitulo 03
zeu1507
 
Capitulo 02
Capitulo 02Capitulo 02
Capitulo 02
zeu1507
 
Capitulo 01
Capitulo 01Capitulo 01
Capitulo 01
zeu1507
 
Apêndice
ApêndiceApêndice
Apêndice
zeu1507
 

Mais de zeu1507 (20)

Theven iaula9ce
Theven iaula9ceTheven iaula9ce
Theven iaula9ce
 
Potência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicosPotência em circuitos trifásicos
Potência em circuitos trifásicos
 
Manual controller 01_11
Manual controller 01_11Manual controller 01_11
Manual controller 01_11
 
Capitulo 16
Capitulo 16Capitulo 16
Capitulo 16
 
Capitulo 15
Capitulo 15Capitulo 15
Capitulo 15
 
Capitulo 14
Capitulo 14Capitulo 14
Capitulo 14
 
Capitulo 13
Capitulo 13Capitulo 13
Capitulo 13
 
Capitulo 12
Capitulo 12Capitulo 12
Capitulo 12
 
Capitulo 11
Capitulo 11Capitulo 11
Capitulo 11
 
Capitulo 10
Capitulo 10Capitulo 10
Capitulo 10
 
Capitulo 09
Capitulo 09Capitulo 09
Capitulo 09
 
Capitulo 08
Capitulo 08Capitulo 08
Capitulo 08
 
Capitulo 07
Capitulo 07Capitulo 07
Capitulo 07
 
Capitulo 06
Capitulo 06Capitulo 06
Capitulo 06
 
Capitulo 05
Capitulo 05Capitulo 05
Capitulo 05
 
Capitulo 04
Capitulo 04Capitulo 04
Capitulo 04
 
Capitulo 03
Capitulo 03Capitulo 03
Capitulo 03
 
Capitulo 02
Capitulo 02Capitulo 02
Capitulo 02
 
Capitulo 01
Capitulo 01Capitulo 01
Capitulo 01
 
Apêndice
ApêndiceApêndice
Apêndice
 

Último

Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Danilo Pinotti
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
2m Assessoria
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Gabriel de Mattos Faustino
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
Faga1939
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 

Último (10)

Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas PráticasSegurança Digital Pessoal e Boas Práticas
Segurança Digital Pessoal e Boas Práticas
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - ADSIS - ESTRUTURA DE DADOS II - 52_2024.docx
 
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdfEscola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
Escola Virtual - Fundação Bradesco - ITIL - Gabriel Faustino.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
PRODUÇÃO E CONSUMO DE ENERGIA DA PRÉ-HISTÓRIA À ERA CONTEMPORÂNEA E SUA EVOLU...
 
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 

Pvn bаsico

  • 1. Entroncamentos PVN & iPVN Introdução 1. Configuração PVN Tradicional Neste tipo de configuração, Sinalização &Voz via link PSTN existente SOPHO iS Ramal Ramal Encaminhamento PVN SOPHO iS Rede Pública ou Privada CPU CPU Sinalização Usuário (voz) Ramal 2. Configuração iPVN Neste tipo de configuração, Sinalização via Rede (IP) e voz link PSTN existente SOPHO iS Ramal Ramal Encaminhamento iPVN SOPHO iS Rede Pública ou Privada CPU Sinalização Usuário (voz) CPU Rede de dados
  • 2. Entroncamentos PVN & iPVN Implementação 1. Rota PVN; Implementação: LADO A Rede Pública 035-689 030-234 A B 20xx 30xx CPU CPU SOPHO iS Encaminhamento PVN SOPHO iS Rota 5 (vitual) DPNSS Cluster iD: 2 Árvore: 0 3(91) Árv: saída 0xx(10) Con&Sig: 5 16 1. Fixação do Cluster-Id de seu sistema : CHCLID : <cluster-id>; No caso de um esquema de numeração fechado o cluster-Id dever o mesmo que o(s) primeiro(s) dígitos(s) dos DNR(s) em seu sistema. Para definir se seu sistema está programado Para um esquema de numeração fechado executar: DIMDAT : 1,40[,<unit>]; Se a resposta for YES, você tem um esquema de numeração fechado. CHCLID : 2; Quando os DNRs em seu sistema tem o formato: 2xxx.
  • 3. Entroncamentos PVN & iPVN 2. Projetar NAC (Network Access Code) na árvore de discagem inicial: (extension/ enquiry/ operator) ASINTN: <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/ cv>]]; Este (NAC) deve ser o mesmo que o cluster-id do SOPHO iS (oposto) de destino. ASINTN : 0,3,3,91,5; ASINTN : 1,3,3,91,5; ASINTN : 2,3,3,91,5; Quando o(s) DNRs do SOPHO iS oposto tiverem o format: 30xx. 3. Projetar a Destinação DPNSS 5, a correspondente árvore de análise externa e a tabela de rotas: CHDSTC : <dest>,<tree>,<dialtone-options>,<route-table>[,[<accrep>][,< delayed-seizure>[,<numbering-plan>]]]; CHDSTC : 5,65,00,5; 4. Projetar o número discado após o NAC- Network Access Code na árvore de análise de saída como um número interno: OPEN numbering scheme : DNR Completo CLOSED numbering scheme : DNR - NAC ASBLCK : <tree>,<number>,<trfc>,<number-length>,<result-id>; ASBLCK : 65,0,3,3,10; Quando o(s) DNRs no SOPHO iS oposto tiverem o formato 30xx em um esquema de numeração fechado (CLOSED numbering scheme) 5. Criar a Rota : CRROUT : <route>[,<unit>]; CRROUT : 5[,<unit>]; 6. Adicionar a rota na Tabela de rota: CHROTA : <route-table>[,[<user-type>][,<sequence-table>][,<unit>]]; parâmetros adicionais : <route>,<pref-code>,<trfc>[,<smart-box-em>]; CHROTA : 5[,,,<unit>]; 5,1,3;
  • 4. Entroncamentos PVN & iPVN 7. Personalização das Características de Rota CHRTCG : <route>,<gen-opts>,<gen-tone>[,[<cv>][,<bspt>][,<cc-table-nr>]]]; CHRTCI : <route>,<inc-opts>,<tone-&-ddi-opts>[,[<tree>][,[<aqueue>][,<bspt>]]]; (Não definir a opção S (classe de tráfego) no parâmetro <tone-and-ddi-opts> muito baixa!) CHRTCO : <route>,<out-opts>,<atf>[,<bspt>]; CHRTCG : 5,0010001000000,222111; CHRTCI : 5,10000000000,000599999,35; CHRTCO : 5,000000,0; 8. Atribuir as características do bundle: CHBNDC : <unit+bundle>,<dir&neg>,<options>,<con&sig-type>[,[<allcalls>][,<bspt>]]; CHBNDC : 5,2,0000000000000000,516; 9. associar o bundle à rota DPNSS: ASBNDL : <route>,<bundle>; ASBNDL : 5,5; 10. Programar a árvore de análise DPNSS de entrada: A B 20xx 30xx SOPHO iS CPU SOPHO iS Rota 5(vitual) DPNSS Árvore: 0 3(91) Árv: Entrada 20xx(10) CPU PMC Hatch PMC Hatch Árv: Entrada 30xx(10) Closed numbering scheme: Neste caso é possível a execução só do passo 1, ou seja, projetar o DNR interno completo (result-id 10) na árvore de entrada: ASBLCK : <tree>,<number>,< trfc>,<number-length>,<result-id>; Open numbering scheme: É necessário uma análise em 2 passos; este tipo de análise; também funciona para um esquema de numeração fechado:
  • 5. Entroncamentos PVN & iPVN Passo 1 : Análise da identidade do cluster de entrada: ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/cv>]]; Observe que o <dest/number> deve ser uma ‘dummy destination’ : um número de destinação ainda não utilizado no sistema. Passo 2 : Análise dos dígitos de entrada restantes: CHDSTC : <dest>,<tree>,00,0; ASBLCK : <tree>,<number>,<trfc>,<number-length>,<result-id>; ASINTN : 35,2,3,91,19; CHDSTC : 19,19,00,0; ASBLCK : 19,0,3,3,10; 11. Criar o Hatch e colocá-lo em serviço: ASPCTB : <shelf>,<brd>,<crt>s/r,<pct-type>,<sig-group>; ASPCTB : 11,17,12,16,6104; 12. Configurar as características PVN do rota DPNSS. Rede Pública Árv: entrada 3999(133) 2997(132) 2998(132) Árv: entrada 2999(133) 2997(132) 2998(132) 035-689 030-234 A B 20xx 30xx Rota virtual 5 DPNSS CPU CPU SOPHO iS SOPHO iS PVN Sign.Chan.Adress: 00302343999 PVN Sign.Chan.Adress: 00356892999 PVN USER Chan.Adress: 2997 e 2998 Estabelecimento dos canais: Sinalização & Usuário
  • 6. Entroncamentos PVN & iPVN ‘Route Identification Number’(RIN): deve ser o mesmo em ambos os SOPHO iSs ; ‘Main/Sub indication’(m/s): deve ser 0 de um lado e 1 do outro lado. CHPVNR : <route>,<sigch-address>,<uca-prefix>,<rin>,<m/s>; Additional parameters : CHPVNR : 5,00302343999,0030234,0001,0; Neste exemplo: 0-0302343999 é o número que o sistema gera quando deve ser estabelecido um canal de sinalização. O outro sistema verá o número de entrada: 3999. Este número deve ter um result-id 133, no sistema oposto. No SOPHO iS oposto programar: CHPVNR : 6,00356892999,0035689,0001,1; 13. Configurar a análise numérica de entrada proveniente da PSTN, de modo a reconhecer um canal de sinalização de entrada: ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<nbr.length/cv>]]; ASINTN : 30,2999,2,133; Neste exemplo: 2999 corresponde ao número de entrada, quando o outro lado quiser estabelecer um canal de sinalização. 14. Criar os ‘User Channel Addresses’ que serão enviados para o SOPHO iS oposto quando o mesmo pedir um ‘User Channel’ : ASPVNU : <uca>[,<unit>]; ASPVNU : 2998; ASPVNU : 2997; 15. O SOPHO iS oposto fará uma chamada para estes números. Assim, estes números devem estar projetados na árvore de análise de entrada proveniente da PSTN : ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/nbr>][,<nbr.length/cv>]]; ASINTN : 30,2998,2,132; ASINTN : 30,2997,2,132; 16. Certifique-se de que o ‘outgoing signalling channel address’ e o ‘ user channel addresses’ estão projetados na árvore de saída para a conexão PSTN.
  • 7. Entroncamentos PVN & iPVN Signalling e User Channel Addr: ‘0’ (Incluidos na árvore Saída para PSTN) Rede Pública Árv: saída: PSTN A B 20xx 30xx SOPHO iS Signalling & User Channel Address SOPHO iS 035-689 030-234 0 (22) ASEXTN : <tree>,<number>,<trfc>,<min-length>,<max-length>,<DT.place>[,<tariff-cl.>]; Additional parameter : [<route-table>]; ASEXTN : 60,0,3,4,12,0; ; 17. Quando for necessário, programar os timers: CHPVNT : <route>[,<sequence-table>[,<sigch-tu>][,<sigch-tv>,<usrchtu>,<usrch-tv>]]; CHPVNT : 5,1,0,0,0,0; 18. Quando for necessário alterar o PTN-ID default e o código de segurança. Os valores devem ser os mesmos em ambos os lados. CHPVNS : [<PTN-ID>]; Introduza o Security Code antigo: <SC>; Introduza o Security Code novo: <SC>; Verificação : <SC>; CHPVNS : 9999; 899111; 123456; 123456;
  • 8. Entroncamentos PVN & iPVN 2. Rota iPVN; Condições Prévias  iPVN requer uma licença numérica (license item 29) Para a quantidade de rotas que forem liberadas Para serem estendidas através de conexão com sinalização TCP/IP.  É requerida uma licença por unidade.  A licença PVN (número 11) é também requerida. Através do comando OM DILICS : ; Verifique se o sistema possui as licenças para DPNSS, PVN e iPVN.  Condições prévias de Hardware e Software para o iPVN: - SSW 810.21 ou superior. - Os sistemas CCS iPVN requerem CIE-2 e Pack firmware FA100.04.01 ou superior. - LOSYSOP 120 (iPVN Active) deve estar setado para 'true'. - não é possível combiner iPVN com Compressed PVN. - Para as conexões do canal de sinalização iPVN nenhum registro FDCR ou TT podem ser gerados. Rede Pública 035-689 030-234 A B 20xx 30xx Rota DPNSS 5 CPU CPU SOPHO iS Encaminhamento iPVN SOPHO iS Rede de dados 192.168.1.20
  • 9. Entroncamentos PVN & iPVN Procedimentos a serem executados em ambos os SOPHO iSs 1. Executar STWARM Para ativação do parâmetro LOSYSOP 120 (iPVN Active). 2. Programar o iPVN da mesma maneira que o descrito anteriormente. A única diferença é o parâmetro <sigch-address>no comando OM: CHPVNR. 3. CHPVNR : <route>,<sigch-address>,<uca-prefix>,<rin>,<m/s>; CHPVNR : 5,192.168.1.20,0030234,0001,0; Neste exemplo, 192.168.1.20 é o endereço IP da CIE-2/CPU3000 do SOPHO iS oposto. NOTA: Na inicialização dos sistemas, o SOPHO iS inicia se comportando como um servidor TCP/IP, aguardando por pedidos iPVN de entrada de outros sistemas SOPHO iS . O servidor aguarda na porta TCP, cujo número é definido pelo LOBOUND 356 : iPVN Listen Port (default value is 2595). Em caso de falha na conexão Ethernet, é possível fazer a comutação para um PVN normal (desde que projetado)
  • 10. Entroncamentos PVN & iPVN 3. Projeto PVN, como uma rota overflow Rede Pública 035-689 030-234 A B 20xx 30xx Rota DPNSS 5 (Con&Sig: 4 6) CPU CPU SOPHO iS PVN, como Rota Overflow SOPHO iS Rota Sinalização: 6 (Con&Sig: 4 6) Projeto SOPHO iS - Lado A. 1. Deletar uma linha da rota DPNSS existente e criar uma nova rota contendo esta linha. Esta rota será usada para transportar o canal de sinalização para o outro lado. Como alternativa, o canal de sinalização poderá ser transportado através da Rede Pública; neste caso é requerido uma rota digital com a Rede Pública. Se for o caso continuar com passo 9. DELINE : <shelf>,<board>,<circuit>; DELINE : 1012,9,2; 2. Criar uma nova rota: CRROUT : 6[,<unit>]; CRROUT : 6; 3. Criar um CV de voz. Este CV será usado na rota 6 Para evitar que ramal utilize esta rota. CRCVAL : <CV>,<VOICE/DATA>; CRCVAL : 5,v; 4. Definir a permissão de conexão CV de modo a permitir a conexão: CV 5 - CV5:
  • 11. Entroncamentos PVN & iPVN CHCVCA : <cv-a>,<cv-b>,<con-allowance>; CHCVCA : 5,5,3; 5. Configurar as características de rota (as mesmas da rota DPNSS existente). Esta rota será base para o canal de sinalização; assim, ela deverá estar protegida do usuário comum pelo CV (5). CHRTCG : <route>,<gen-opts>,<gen-tone>[,[<cv>][,<bspt>][,<cc-table-nr>]]]; CHRTCI : <route>,<inc-opts>,<tone-and-ddi-opts>[,[<tree>][,[<aqueue>][,<bspt>]]]; CHRTCO : <route>,<out-opts>,<atf>[,<bspt>]; CHRTCG : 6,0010001000000,222111,5; CHRTCI : 6,1000000000000,000599999,35; CHRTCO : 6,000000,0; 6. Configurar as características de feixe (as mesmas do bundle DPNSS 5 existente). CHBNDC : <u+bundle>,<dir-&-neg>,<options>,<con&sig-type>[,[<all-calls>][,bspt]]; CHBNDC : 6,2,0000000000000000,46; 7. Associar o feixe a esta nova rota; ASBNDL : <route>,<bundle>; ASBNDL : 6,6; 8. Atribuir a linha deletada, no passo 1, ao novo feixe (bundle). ASLINE : <bundle>,<line>,<shelf>,<board>,<circuit>; ASLINE : 6,1000,1012,9,2; 9. Criar uma rota PVN: CRROUT : <route>[,<unit>]; CRROUT : 7;
  • 12. Entroncamentos PVN & iPVN Rede Pública 035-689 030-234 A B (Con&Sig: 4 6) 20xx Rota DPNSS 5 30xx overflow (Con&Sig: 5 16) CPU CPU SOPHO iS PVN, como Rota Overflow SOPHO iS Rota PVN: 7 TABELA de ROTAS: 5 5 (p) 7 (n) 10. Adicionar a rota PVN á Tabela de Rotas da destinação DPNSS: CHROTA : <route-table>[,[<user-type>][,<sequence-table>][,<unit>]]; Additional parameters : <route>,<pref-code>,<trfc>[,<smart-box-em>]; CHROTA : 5[,,,<unit>]; CHROTA : 5,1,3; 7,0,3; 11. Se o canal de sinalização for transportado através da rota DPNSS (6) real, definir a rota com 1 linha como prioritária na tabela de rotas da destinação DPNSS. CHROTA : 5,2[,,<unit>]; CHROTA : 6,1,3; 12. Configurar as características de rota PVN: CHRTCG : <route>,<gen-opts>,<gen-tone>[,[<cv>][,<bspt>][,<cc-table-nr>]]]; CHRTCI : <route>,<inc-opts>,<tone&ddi-opts>[,[<tree>][,[<aqueue>][,<bspt>]]]; CHRTCO : <route>,<out-opts>,<atf>[,<bspt>]; CHRTCG : 7,0010010000000,222111; CHRTCI : 7,10000000000,000599999,35; CHRTCO : 7,000000,0; 13. Configurar as características de feixe CHBNDC : <u+bundle>,<dir&neg>,<options>,<con&sig-type>[,[<allcalls>][,<bspt>]]; CHBNDC : [uu]007,2,0000000000000000,516; 14. Associar o bundle á rota PVN: ASBNDL : <route>,<bundle>; ASBNDL : 7,7;
  • 13. Entroncamentos PVN & iPVN 15. Criar o Hatch e colocá-lo ‘Em Serviço’: Rota DPNSS 5 ( C on&Sig: 4 6) A B 20xx 30xx SOPHO iS CPU SOPHO iS CPU PMC Hatch PMC Hatch Rota PVN: 7 overflow (Con&Sig: 5 16) ASPCTB : <shelf>,<brd>,<crt>,<pct type>,<sig-group>; ASPCTB : 1011,17,12,16,6104; SETINS : 1012,17,12; 16. Definir as características PVN da rota DPNSS: 1. O Route Identification Number(RIN) deve ser o mesmo em ambos os SOPHO iSs; 2. O Main/Sub indication (m/s) deve ser 0 de um lado e 1 do outro. CHPVNR : <route>,<sigch-address>,<uca-prefix>,<rin>,<m/s>; Additional parameters : [<pvn-mode>][,[<cv>][,<tree>]]; CHPVNR : 7,3099,0030234,0001,0; ,5; Rede Pública Árv: entrada 3099(133) 2097(132) 2098(132) Árv: entrada 2099(133) 2097(132) 2098(132) 035-689 030-234 A B 20xx Rota DPNSS 5 ( C on&Sig: 4 6) 30xx Rota PVN: 7 overflow (Con&Sig: 5 16) CPU CPU SOPHO iS SOPHO iS PVN Sign.Chan.Adress: 00302343099 PVN Sign.Chan.Adress: 00356892099 PVN USER Chan.Adress: 2097 e 2098 Estabelecimento dos canais: Sinalização & Usuário Neste exemplo, 3099 é o número que o sistema irá gerar se um canal de sinalização tiver que ser estabelecido. O sistema oposto verá o número de entrada 3099 no link DPNSS real. Este número deve conduzir ao Result-id 133 (PVN Signalling Address - hatch) no sistema oposto. Se o canal de sinalização tiver que ser estabelecido através da Rede Pública PSTN, altere este 3099 para 00302343099 e não atribua um CV nos parâmetros adicionais.
  • 14. Entroncamentos PVN & iPVN No SOPHO iS oposto, programar: CHPVNR : 6,2099,0035689,0001,1; Nos parâmetros adicionais do comando CHPVNR, a árvore para discagem de ramal inicial (0) é indicada e CV (5) que é usado para definir o canal de sinalização e de usuário. 17. Configurar a árvore de análise de entrada no link DPNSS real (árvore 35) para reconhecer um canal de sinalização de entrada (Se o canal de sinalização deve ser estabelecido através da PSTN no link digital de entrada PSTN: árvore 30): ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/cv>]]; ASINTN : 35,2099,2,133[,<unit>]; Neste exemplo, 2099 é o número de entrada quando o outro lado deseja estabelecer um canal de sinalização. 18. Criar um User Channel Addresses que será enviado para o SOPHO iS oposto quando ele solicitar um User Channel. ASPVNU : <uca>[,<unit>]; ASPVNU : 2098,<unit>; ASPVNU : 2097,<unit>; 19. O SOPHO iS oposto fará uma chamada para estes números; assim, eles devem ser projetados na árvore de análise de entrada proveniente da PSTN. ASINTN : <tree>,<number>,<trfc>,<result-id>[,[<dest/number>][,<numberlength/cv>]]; ASINTN : 30,2098,2,132; ASINTN : 30,2097,2,132; 20. Certifique-se de que user channel address e signalling channel addresses de saída, estejam projetados na árvore de saída para a Destinação PSTN. Se o canal de sinalização for transportado através da rota DPNSS, certifique-se de que o signalling channel address de saída esteja projetado na árvore de saída para a Destinação DPNSS. ASEXTN : <tree>,<number>,<trfc>,<min-length>,<max-length>,<DTplace>[,<tarif-cl>]; Additional parameter : [<route-table>]; ASEXTN : 60,0,3,4,12,0; ; 21. Se o canal de sinalização for transportado através da rota DPNSS existente, criar e setar um CV (ex: 6) na rota PSTN usada para transportar o(s) canal(s) de usuário(s). PVN construirá o Canal de Usuário com CV 5. Assim, deverá criada uma permissão de conexão de CV5 para CV6 e de CV6 para CV5. Se os usuários de ramal normal devem
  • 15. Entroncamentos PVN & iPVN ainda estar aptos a usar a rota PSTN, deverão também ser criadas as pwermissões de conexão de CV6 para CV0 e CV0 para CV6. CRCVAL : 6,v; DIROUT : 0; CHRTCG : 0,0010001000000,222111,6; Copiar as ‘general route characteristics’ da rota 0 (rota PSTN) CHCVCA : 5,6,3; CHCVCA : 6,5,3; CHCVCA : 0,6,3; CHCVCA : 6,0,3; 22. Quando necessário, programar os timers: CHPVNT:<route>[,<sequence-table>[,<sigch-tu>][,<sigch-tv>,<usrchtu>,<usrch-tv>]]; CHPVNT : 5,1,1,5,0,10; No caso de o canal de sinalização ser transportado sobre a rota DPNSS existente, setar o timer do canal de sinalização para infinito. CHPVNT : 5,1,1,16383,0,10; Qual tabela de seqüência deverá ser usada, dependerá do comando ASFATI. Se nenhuma tabela de seqüência estiver projetada, a tabela de seqüência 1 é default. 23. Quando for necessário alterar o PTN-ID default e o código de segurança. Os valores devem ser os mesmos em ambos os lados. CHPVNS : [<PTN-ID>]; Introduza o Security Code antigo: <SC>; Introduza o Security Code novo: <SC>; Verificação : <SC>; CHPVNS : 9999; 899111; 123456; 123456;
  • 16. Entroncamentos PVN & iPVN 4. Conceitos envolvidos na construção de um link PVN ou iPVN 1º. Caso: PVN Comando OM: CHPVNR  Endereço do canal de sinalização (para alcançar o HATCH oposto): 00302343999 (considerando-se que o 3999 será programado na árvore de entrada do lado oposto com Res.Id: 133 (signalling channel).  UCA prefix: 0030234 (234 é só o prefixo)  RIN route identification Nbr. 0001 (deve se o mesmo em ambos os lados)  0/1 master /slave (repito o mesmo comando CHPVNR no outro SOPHO iS do entroncamento) Canal de Usuário PVN (‘PVN user channel address’) Assim que estiver sido estabelecido o canal de sinalização e o protocolo de sinalização DPNSS tiver sido inicializado, o SOPHO iS de origem associa um canal de usuário PVN ao canal de sinalização. Este canal de usuário PVN é estendido da seguinte forma:  A unidade de origem solicita ao destino um ‘PVN user channel address’.  A unidade de destinação responderá a esta solicitação fornecendo o user channel address’ programado através do comando OM: ASPVNU. Subseqüentemente ele não usará este número para outras solicitações de ‘PVN user channel address’.  A unidade de origem, então, colocará o prefixo do canal de usuário, como programado pelo comando OM: CHPVNR, na frente do ’PVN user channel address’, enviando este número inteiro. Esta chamada é estendida com o service profile do ramal de origem para o qual este canal de usuário está realmente estabelecido.  O SOPHO iS de destino deve ter o user channel address’, programado com o Res.ID 132 na árvore de análise de entrada, onde ele possa ser esperado.
  • 17. Entroncamentos PVN & iPVN OBS: No caso em que o SOPHO iS de destino for um SOPHO iS multi-unidade, então, a chamada pode vir em outra unidade, que aquela que tem este user channel address’; a unidade onde a chamada chegar, sabe onde encontrar a unidade de destino verdadeira, porque isto foi especificado pelo ASINTN, quando da programação do ’PVN user channel address’. Exemplo Prático: Connected To: 192.168.1.3 - 1-23 +++ 0055-3333-0810-0001 2009-12-29 +2+ 14:08+ #0099 VDU010 > <dinars:0,91; DESTINATION ID: D=Destination, L=Line, P=Paging route, Q=A-queue, S=Server, U=Unit DESTINATION TREE CODE ANALYSIS RESULT NUMBER ID NUMBER 0 91 Network access code 402 D 20 0 91 Network access code 403 D 21 EXECUTED <didest:20; DEST TREE FST-DT SND-DT ACC-REP ROUTE-TABLE DELAY-SEIZURE NUMB-PLAN 20 20 0 0 0 20 D 0 0 EXECUTED <dirout:20; ROUTE UNIT BSPT GEN-OPTS GEN-TONE CV CC-TABLE 20 1 - 011001010010000 440400 0 - INC-OPTS TONE-AND-DDI-OPTS TREE A-QUEUE OVE SCNE 10100000000 000699999 38 16 - - OUT-OPTS ATF 000100 0 NO INCOMING DIGIT CONV. ON THIS ROUTE (USE DIDGCO FOR OUTGOING DIGIT CONV.) SEQ BUNDLE 0 20 EXECUTED
  • 18. Entroncamentos PVN & iPVN <DIPVNR:? Display PVN route data DIPVNR: [<ROUTE>][,<UNIT>]; If ROUTE is omitted, all PVN routes in the specified unit are displayed; If UNIT is omitted, the specified route is displayed continuously; If both parameters are omitted, all available PVN routes are displayed; <dipvnr:20; ROUTE UNIT SIGCH-ADDRESS UCA-PREFIX RIN M/S 20 1 192.168.1.2 *6 0001 0 PVN FLOWS MODE CV TREE STATUS EHWA-HATCH USER-MODE ACT EST START-TIME 0 0 0 idle - - - normal 0 0 - Message 222: Command aborted <dinars:38; DESTINATION ID: D=Destination, L=Line, P=Paging route, Q=A-queue, S=Server, U=Unit DESTINATION TREE CODE ANALYSIS RESULT NUMBER ID NUMBER 38 10 Internal number 2 D - 38 10 Internal number 3 D - 38 91 Network access code 403 D 21 38 132 PVN user channel address 4998 U 1 38 132 PVN user channel address 4999 U 1 EXECUTED <dipvnt:? Display PVN sequence table(s) DIPVNT: <ROUTE>[,<SEQ-TABLE/ZONE>]; If SEQUENCE-TABLE is omitted, all sequence tables for the specified route are displayed. <dipvnt:20; SIGNALLING-CHANNEL USER-CHANNEL SEQUENCE-TABLE VALUE TIME-UNIT VALUE TIME-UNIT 1 40 Minutes 30 Minutes 2 0 Seconds 0 Seconds 3 0 Seconds 0 Seconds 4 0 Seconds 0 Seconds
  • 19. Entroncamentos PVN & iPVN 5 0 Seconds 0 Seconds EXECUTED <dipvnu:? Display PVN user channel address(es) DIPVNU: [<UNIT>]; <dipvnu:; UNIT UCA 1 4998 1 4999 EXECUTED