SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 72
CLASSIFICAÇÃO DAS
GLÂNDULAS SALIVARES
Componentes













Aby Gaill David;
Aby Ryan David;
Carla Venturini;
Cristiane Ramos;
Ellysaine Iasmin;
Fernando Oliveira;
Karen Konannick;
Luana Araújo;
Maria Ellyka;
Pedro Paulo Monteze;
Raurício Vital;
Thais Checon.
Introdução
Classificação:
Glândulas do Corpo

Endócrinas
(Sem ductos)

Exócrinas
(Com ductos)

Glândulas Salivares
Classificadas:
• Glândulas Tubuloacinares Compostas
• Pelo tipo de secreção
Introdução
Glândulas Salivares
dos Mamíferos

Menores

Maiores
• Glândula Parótida
• Glândula Submandibular
• Glândula Sublingual

•
•
•
•
•

Labial (Superior e inferior)
Vestibular
Glossopalatina
Palatina
Lingual
As glândulas salivares podem ser
classificadas em três tipos de
secreções, quais são essas?
Glândulas Salivares Maiores
Glândulas Salivares Maiores
Glândula Parótida:
 Funções:
◦ liberação de saliva
◦ imunológica (liberação de IgA)

Localização
 Nervo, artéria e veias associados
 Óstio do ducto

Glândulas Salivares Maiores
Glândula submandibular


Localização:
◦ medialmente à mandíbula
◦ abaixo do revestimento parcial da mandíbula



Irrigação:
◦ artérias e veias faciais



Óstio do ducto
Glândulas Salivares Maiores
Glândula Sublingual


Localização:
◦ abaixo do assoalho da cavidade bucal



Constituição:
◦ porção de pequenas glândulas
Glândula Sublingual
Quais são as glândulas salivares
maiores?
Plano Estrutural Geral das
Glândulas Salivares



Arranjo similar aos cachos de uva
Sistema ramificado de ductos
Plano Estrutural Geral de gl.
Tubuloacinar composta


Terminações secretoras:
◦ Serosa
◦ Mucosa
◦ Mista



Tipos de ductos:
◦ Ductos intercalares e estriados
(intralobulares)
◦ Ductos interlobulares


Qual a importância do tecido conjuntivo
para as glândulas?
R: Apoiar as glândulas e conduzir nervos, vasos
sanguíneos e linfáticos.
Sistema de ductos
Ducto intercalar – células cuboideas.
 Ducto estriado – estrias radiais da base
ao núcleo
 Ducto intralobular – intercalar + estriado.
 Ducto interlobular ou excretores –
localizados nos septos conjuntivos.
 Ducto terminal ou principal – desemboca
na cavidade oral.

Ducto estriado
Quais são os ductos que compõem as
glândulas salivares?
Formação da Saliva


A saliva é formada em um processo de 2
estágios:
◦ 1º : produção de secreção primária pelas
células acinares
◦ 2º: modificação da saliva nos ductos
Glândula
Secreção
primária
isotônica

Boca
Ducto
Íons

Saliva
hipotônica
Onde ocorre as trocas de íons para
que a secreção primária isotônica se
torne hipotônica?
Histologia e Função das Unidades
Secretoras


Os ácinos das glândulas salivares são de
três tipos:
◦ seroso,
◦ mucoso
◦ misto.



A célula acinar é um exemplo ideal de
proteína produzida para a exportação,
elas produzem diversas proteínas de
membrana e lipídeos.
Quais as glândulas acinares que irão
sintetizar muco e amilase?
O APARELHO DE GOLGI
É considerado como uma pilha achatada de
compartimento de cisternas
 É responsável pela modificação pós-tradução e pela
seleção de proteínas e lipídios recém-sintetizados;
 FUNÇÃO:
 Centro de armazenamento;
 Transformação;
 Empacotamento;
 Remessa de substâncias celular;

O APARELHO DE GOLGI
VESÍCULAS SECRETORAS
(GRÂNULOS)
São o veiculo para a movimentação de proteínas secretoras
do Golgi para a membrana plasmatica;
 Fatores do citosol:NSF (Fator sensível a N-etilmaleimida) ;
SNAPS (Proteina de ligação NSF solúvel)
 Receptores:
 SNAP ou SNAREs que é dividido em v- SNAREs e tSNAREs .
 A Rab, é uma guanosina trifosfatase monomérica (GTPase)
é encontrada também na membrana vesícular na
configuração Rab-GTP.

VESÍCULAS SECRETORAS
(GRÂNULOS)
VESÍCULAS SECRETORAS
(GRÂNULOS)
CÉLULAS MUCOSAS






As células mucosas são triangulares e
contêm numerosos grânulos contendo
mucina.
Exibem características de células secretoras
de
muco
contendo
glicoproteínas
importantes para as funções lubrificantes da
saliva.
As células mucosas é tipicamente
observadas por possuírem um núcleo basal
achatado. O seu aspecto depende da face
secretora.
CÉLULAS MUCOSAS
CELULAS MIOEPITELIAS
São encontradas entre a lâmina basal e as
células acinares.
 Apresentam longos processos que envolvem
o ácino e o ducto intercalar.
O
sistema
nervoso
Simpático
e
Parassimpático possuem efeito sinérgico,
resultando na estimulação da contração.
 As células mioepitelias fornecem:
 Força isométrica
 Suporte para o parênquima glandular

CELULAS MIOEPITELIAS
O que as células mucosas contém para
que tenha funções lubrificantes?
Estrutura Histológica dos Ácinos
•

•

•

As
células
secretoras
formam
agrupamentos semelhantes a cachos de
uvas
Estruturas localizadas na parte terminal da
glândula e conectada a um sistema de
ductos.
A porção secretora do ácino da glândula
varia de um tipo puramente seroso ou
mucoso para um tipo misto,contendo
tanto células serosas quanto mucosas.
Ácino seroso
• Secretam um material viscoso com
funções protetora ou de lubrificação.
• Formados por grandes células mais ou
menos cúbicas com núcleo basal.
• A maioria dos organelas de células estão
em posição basal e citoplasma.
Ácino Mucoso
As células apresentam citoplasma pálido
de aspecto vacuolado, com leve basófila
basal, núcleo achata sobre a membrana
basal da célula.
A
secreção mucosa é do tipo
glicoprotéica e seu aspecto é viscoso.
 O ácino mucoso apresenta lúmen amplo.

Ácino Misto
A maior parte do ácino é de aspecto
tubular com células mucosas e as
extremidades possuem células serosas
organizadas como uma meia lua.
 Mucosa é liberada ora mais rica em muco,
ora mais rica em proteínas.

Quais são os tipos de secreções?
Células do Tecido Conjuntivo
Estroma

Envolve:
• Ductos
• Ácinos

Função:
• Auxiliar na manutenção:
• homeostase da cavidade bucal
• Processos inflamatórios

Células:
• Plasmócitos
• Fibloblastos
• Macrófagos
• Linfócitos


Qual a função das células do tecido
conjuntivo?
Imunidade Secretora: A Síntese e a
Secreção de Imunoglobina A


Linfócitos B diferenciam-se em plasmócitos
“ tecido conjuntivo de glândulas salivares”



Imunoglobulina secretora (IgA), são secretados
para o interior da cavidade bucal



A síntese de IgA ocorre em plasmócitos
subepitelias no tecido conjuntivo
Imunidade Secretora: A Síntese e a
Secreção de Imunoglobina A
•

•
•

A IgA forma um dímero com duas moléculas
de IgA
liga-se a receptores na superfície
(receptores de polimericos).
O receptor pIg é formado de RER.
Sofre modificações glicosilação, fosforilação


Onde ocorre a síntese de IgA ?
Inervação das Glândulas Salivares



A secreção das glândulas salivares é
regulada principalmente por nervos
autônomos simpáticos e parassimpáticos.
Inervação das Glândulas Salivares
Quais os nervos que participam da inervação
parassimpática da glândula parótida?
Farmacologia das Glândulas Salivares
•

•
•

A inervação autônoma das glândulas salivares
estabelecem uma sensibilidade aos agentes
farmacológicos autônomos.
Nervos simpáticos pós-ganglionares –
norepinefrina
Nervo simpático pré-glanglionar e nervo pré e
pós-ganglionares parassimpáticos – acetilcolina.


Qual o neurotrasmissor secretado pelos
nervos simpáticos pós-ganglionares?
Regulação da Secreção Salivar
Influências sensoriais e Psíquicas
(visão, olfação, gustação, memória e TGI)

Regulação da Secreção Salivar
Estimulo ou Inibição da Salivação;
 Ação do sistema simpático e parassimpático quanto a
regulação da secreção salivar .
 Vasoconstrição glandular e vasodilatação.
 Contração das células mioepiteliais
 Presença dos ácinos nas glândulas: parótida,
submandibular e sublingual.

Regulação da Secreção Salivar
Considerando os nervos
simpático e
parassimpático, nervos que ativam a secreção
salivar, qual dos mesmos Inibi e estimula a
secreção salivar?

Característica que distinguem as
Glândulas Salivares Maiores e Menores
Glândula Parótida
 É uma glândula puramente serosa em
humanos.
 Na glândula parótida, as células serosas
coram-se intensamente com HE e ductos
intralobulares são proeminentes.
 São monostomáticas.

Glândula Submandibular
Glândula submandibular são do tipo mista.
 O arranjo dos ductos dessa glândula é similar ao
da glândula parótida, mas com mais ductos
estriados e menos ductos intercalares.

Glândula Sublingual
A maioria dos ácinos nesta glândula é secretor
de muco.
 Há uma ausência de estriações nas células
colunares de revestimentos dos ductos
intralobulares que reabsorvem sódio da saliva.

Glândula Salivares Menores
As Glândulas salivares menores estão localizadas
por toda cavidade bucal.
 Elas não são encapsuladas e são nomeadas de
acordo com sua localização. Existem glândulas
salivares menores, serosas, mucosas e mistas.
 Produzem apenas 10% do total da secreção
salivar e aproximadamente 70% da secreção
mucosa. Elas são polistomática

O que são glândulas polistomáticas e
monostomáticas?
Mucocele
Cisto de retenção
dos ductos de
glândulas salivares
menores que contém
muco


Cálculo Salivar
Cálculos dos
ductos salivares
 Mais comum nos
ductos das gl.
submandibular

Cárie

Fluxo salivar
 Incidência de cárie
 Doenças periodontais

Questionário
1ª) Em que região da cavidade bucal está
situado o óstio do ducto da glândula
parótida?
a) abaixo da língua
b) segundo molar superior
c) molares inferiores
d) palato
2ª) Os ácinos na glândula parótida são:
a) Ácinos são mistos com predomínio de
células serosas.
b) Ácinos são serosos.
c) Ácinos também são mistos mais, com
predomínio de células claras.

Aby Gaill David- FACIMP
3ª) Qual é a maior glândula salivar?
a) Parótida
b) Submandibular
c) Sublingual
4ª)
Relacione
o
neurotransmissor
secretado pelos seguintes nervos?
a) Norepinefrina
b) Acetilcolina
( ) Nervos simpáticos pós-ganglionares
( ) Nervos simpáticos pré-ganglionares e
parassimpáticos pré e pós-ganglionares
5ª) A maior parte de saliva secretada na
boca é produzida por qual glândula?
a) Glândula parótida
b) Glândula submandibular
c) Glândula sublingual
Obrigado Pela ‘tenção’
CLASSIFICAÇÃO DAS
GLÂNDULAS SALIVARES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Principios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioPrincipios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioprofcelsoklein
 
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva Italo Gabriel
 
Sistema estomatognático
Sistema estomatognáticoSistema estomatognático
Sistema estomatognáticoThamyfs
 
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusalPrincípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusalprofguilhermeterra
 
Anatomia do periodonto
Anatomia do periodontoAnatomia do periodonto
Anatomia do periodontoandressaElopes
 
odontogênese odonto morfo 1
odontogênese   odonto morfo 1odontogênese   odonto morfo 1
odontogênese odonto morfo 1Edson Batista
 
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e CementoHistologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e CementoRaphael Machado
 
Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.
Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.
Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.Rebeca Peixoto
 
Arterias e veias da face 2015
Arterias e veias da face 2015Arterias e veias da face 2015
Arterias e veias da face 2015Gabriel Paixão
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentísticaprofguilhermeterra
 
Manifestações orais de doenças sistêmicas
Manifestações orais de doenças sistêmicasManifestações orais de doenças sistêmicas
Manifestações orais de doenças sistêmicasOyara Mello
 
Microbiologia da cárie
Microbiologia da cárieMicrobiologia da cárie
Microbiologia da cárieOyara Mello
 

Mais procurados (20)

Principios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitárioPrincipios gerais do preparo cavitário
Principios gerais do preparo cavitário
 
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
Odontologia- Funções composição inorgânica e orgânica da saliva
 
Sistema estomatognático
Sistema estomatognáticoSistema estomatognático
Sistema estomatognático
 
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusalPrincípios de oclusão e ajuste oclusal
Princípios de oclusão e ajuste oclusal
 
Anatomia do periodonto
Anatomia do periodontoAnatomia do periodonto
Anatomia do periodonto
 
odontogênese odonto morfo 1
odontogênese   odonto morfo 1odontogênese   odonto morfo 1
odontogênese odonto morfo 1
 
Aula saliva 2012
Aula saliva 2012Aula saliva 2012
Aula saliva 2012
 
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e CementoHistologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
Histologia do Esmalte, Dentina, Polpa e Cemento
 
Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.
Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.
Introdução à Anatomia Dentária e Anatomia dos Dentes Anteriores.
 
Arterias e veias da face 2015
Arterias e veias da face 2015Arterias e veias da face 2015
Arterias e veias da face 2015
 
Cárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à DentísticaCárie com interesse à Dentística
Cárie com interesse à Dentística
 
Erupção Dentária
Erupção DentáriaErupção Dentária
Erupção Dentária
 
Manifestações orais de doenças sistêmicas
Manifestações orais de doenças sistêmicasManifestações orais de doenças sistêmicas
Manifestações orais de doenças sistêmicas
 
Cariologia
CariologiaCariologia
Cariologia
 
Microbiologia da cárie
Microbiologia da cárieMicrobiologia da cárie
Microbiologia da cárie
 
Cárie Dentária
Cárie Dentária Cárie Dentária
Cárie Dentária
 
Apostila anatomia cabeça e pescoço
Apostila anatomia cabeça e pescoçoApostila anatomia cabeça e pescoço
Apostila anatomia cabeça e pescoço
 
LESÕES FUNDAMENTAIS
LESÕES FUNDAMENTAISLESÕES FUNDAMENTAIS
LESÕES FUNDAMENTAIS
 
Mucosa oral
Mucosa oralMucosa oral
Mucosa oral
 
Promoção e educação em saúde bucal
Promoção e educação em saúde bucalPromoção e educação em saúde bucal
Promoção e educação em saúde bucal
 

Semelhante a Odontologia - Classificasção das glândulas salivares

Semelhante a Odontologia - Classificasção das glândulas salivares (20)

Secreção salivar
Secreção salivar   Secreção salivar
Secreção salivar
 
2013 to fisiologia tgi ii
2013  to fisiologia  tgi ii2013  to fisiologia  tgi ii
2013 to fisiologia tgi ii
 
Estudo dirigido glandulas
Estudo dirigido glandulasEstudo dirigido glandulas
Estudo dirigido glandulas
 
Aula 4.2 Fisiologia da digestao- Actividade secretora em animais parte 1 (1)...
Aula 4.2  Fisiologia da digestao- Actividade secretora em animais parte 1 (1)...Aula 4.2  Fisiologia da digestao- Actividade secretora em animais parte 1 (1)...
Aula 4.2 Fisiologia da digestao- Actividade secretora em animais parte 1 (1)...
 
Sistema digestivo i
Sistema digestivo iSistema digestivo i
Sistema digestivo i
 
Endomembranas
EndomembranasEndomembranas
Endomembranas
 
Histologia Intestino Delgado
Histologia Intestino DelgadoHistologia Intestino Delgado
Histologia Intestino Delgado
 
Sistema Digestivo Glandulas Anexas
Sistema Digestivo   Glandulas AnexasSistema Digestivo   Glandulas Anexas
Sistema Digestivo Glandulas Anexas
 
Glandulas
GlandulasGlandulas
Glandulas
 
Fisiologia - Sistema Digestorio
Fisiologia - Sistema DigestorioFisiologia - Sistema Digestorio
Fisiologia - Sistema Digestorio
 
Aula_Sistema_Digestorio2-09.ppt
Aula_Sistema_Digestorio2-09.pptAula_Sistema_Digestorio2-09.ppt
Aula_Sistema_Digestorio2-09.ppt
 
Fígado e pancreas histo
Fígado e pancreas   histoFígado e pancreas   histo
Fígado e pancreas histo
 
Organelas CITOPLASMATICAS
Organelas CITOPLASMATICASOrganelas CITOPLASMATICAS
Organelas CITOPLASMATICAS
 
Citologia
CitologiaCitologia
Citologia
 
4.1
4.14.1
4.1
 
8 sistema digestório
8   sistema digestório8   sistema digestório
8 sistema digestório
 
Organelas slides
Organelas slidesOrganelas slides
Organelas slides
 
Tecido epitelial.partedoisset2007
Tecido epitelial.partedoisset2007Tecido epitelial.partedoisset2007
Tecido epitelial.partedoisset2007
 
Sistema digestivo ii
Sistema digestivo iiSistema digestivo ii
Sistema digestivo ii
 
Citoplasma - Organelas
Citoplasma - OrganelasCitoplasma - Organelas
Citoplasma - Organelas
 

Mais de Rauricio Vital Mendes

Mais de Rauricio Vital Mendes (6)

Patologia Bucal - Síndrome de Papillon Lefèvre
Patologia Bucal - Síndrome de Papillon LefèvrePatologia Bucal - Síndrome de Papillon Lefèvre
Patologia Bucal - Síndrome de Papillon Lefèvre
 
Odontologia - Hepatite
Odontologia - HepatiteOdontologia - Hepatite
Odontologia - Hepatite
 
Odontologia - Fotografia e flash
Odontologia - Fotografia e flashOdontologia - Fotografia e flash
Odontologia - Fotografia e flash
 
Odontologia - Bioética e genética
Odontologia - Bioética e genéticaOdontologia - Bioética e genética
Odontologia - Bioética e genética
 
Genética dos tumores
Genética dos tumoresGenética dos tumores
Genética dos tumores
 
Promoção de Saúde Bucal - Câncer bucal
Promoção de Saúde Bucal - Câncer bucalPromoção de Saúde Bucal - Câncer bucal
Promoção de Saúde Bucal - Câncer bucal
 

Último

relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdfHELLEN CRISTINA
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosThaiseGerber2
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfHELLEN CRISTINA
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisbertoadelinofelisberto3
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfHELLEN CRISTINA
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfDanieldaSade
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdfIANAHAAS
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfDanieldaSade
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasProf. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (10)

relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion  ais.pdfrelatorio ciencias morfofuncion  ais.pdf
relatorio ciencias morfofuncion ais.pdf
 
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclosCaracterísticas gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
Características gerais dos vírus- Estrutura, ciclos
 
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdfrelatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
relatorio de estagio de terapia ocupacional.pdf
 
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino FelisbertoAltas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
Altas habilidades/superdotação. Adelino Felisberto
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdfRELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO I.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Sífilis.pdf
 
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
01 INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA ANATOMIA HUMANA.pdf
 
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdfManual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
Manual Técnico para Diagnóstico da Infecção pelo HIV.pdf
 
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades PúblicasAlimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
Alimentação / Amamentação Lactentes em Calamidades Públicas
 

Odontologia - Classificasção das glândulas salivares

  • 2. Componentes             Aby Gaill David; Aby Ryan David; Carla Venturini; Cristiane Ramos; Ellysaine Iasmin; Fernando Oliveira; Karen Konannick; Luana Araújo; Maria Ellyka; Pedro Paulo Monteze; Raurício Vital; Thais Checon.
  • 3. Introdução Classificação: Glândulas do Corpo Endócrinas (Sem ductos) Exócrinas (Com ductos) Glândulas Salivares Classificadas: • Glândulas Tubuloacinares Compostas • Pelo tipo de secreção
  • 4. Introdução Glândulas Salivares dos Mamíferos Menores Maiores • Glândula Parótida • Glândula Submandibular • Glândula Sublingual • • • • • Labial (Superior e inferior) Vestibular Glossopalatina Palatina Lingual
  • 5. As glândulas salivares podem ser classificadas em três tipos de secreções, quais são essas?
  • 7. Glândulas Salivares Maiores Glândula Parótida:  Funções: ◦ liberação de saliva ◦ imunológica (liberação de IgA) Localização  Nervo, artéria e veias associados  Óstio do ducto 
  • 9. Glândula submandibular  Localização: ◦ medialmente à mandíbula ◦ abaixo do revestimento parcial da mandíbula  Irrigação: ◦ artérias e veias faciais  Óstio do ducto
  • 10.
  • 11. Glândulas Salivares Maiores Glândula Sublingual  Localização: ◦ abaixo do assoalho da cavidade bucal  Constituição: ◦ porção de pequenas glândulas
  • 13. Quais são as glândulas salivares maiores?
  • 14. Plano Estrutural Geral das Glândulas Salivares   Arranjo similar aos cachos de uva Sistema ramificado de ductos
  • 15. Plano Estrutural Geral de gl. Tubuloacinar composta  Terminações secretoras: ◦ Serosa ◦ Mucosa ◦ Mista  Tipos de ductos: ◦ Ductos intercalares e estriados (intralobulares) ◦ Ductos interlobulares
  • 16.  Qual a importância do tecido conjuntivo para as glândulas? R: Apoiar as glândulas e conduzir nervos, vasos sanguíneos e linfáticos.
  • 17. Sistema de ductos Ducto intercalar – células cuboideas.  Ducto estriado – estrias radiais da base ao núcleo  Ducto intralobular – intercalar + estriado.  Ducto interlobular ou excretores – localizados nos septos conjuntivos.  Ducto terminal ou principal – desemboca na cavidade oral. 
  • 18.
  • 20. Quais são os ductos que compõem as glândulas salivares?
  • 21. Formação da Saliva  A saliva é formada em um processo de 2 estágios: ◦ 1º : produção de secreção primária pelas células acinares ◦ 2º: modificação da saliva nos ductos Glândula Secreção primária isotônica Boca Ducto Íons Saliva hipotônica
  • 22. Onde ocorre as trocas de íons para que a secreção primária isotônica se torne hipotônica?
  • 23. Histologia e Função das Unidades Secretoras  Os ácinos das glândulas salivares são de três tipos: ◦ seroso, ◦ mucoso ◦ misto.  A célula acinar é um exemplo ideal de proteína produzida para a exportação, elas produzem diversas proteínas de membrana e lipídeos.
  • 24. Quais as glândulas acinares que irão sintetizar muco e amilase?
  • 25. O APARELHO DE GOLGI É considerado como uma pilha achatada de compartimento de cisternas  É responsável pela modificação pós-tradução e pela seleção de proteínas e lipídios recém-sintetizados;  FUNÇÃO:  Centro de armazenamento;  Transformação;  Empacotamento;  Remessa de substâncias celular; 
  • 26. O APARELHO DE GOLGI
  • 27. VESÍCULAS SECRETORAS (GRÂNULOS) São o veiculo para a movimentação de proteínas secretoras do Golgi para a membrana plasmatica;  Fatores do citosol:NSF (Fator sensível a N-etilmaleimida) ; SNAPS (Proteina de ligação NSF solúvel)  Receptores:  SNAP ou SNAREs que é dividido em v- SNAREs e tSNAREs .  A Rab, é uma guanosina trifosfatase monomérica (GTPase) é encontrada também na membrana vesícular na configuração Rab-GTP. 
  • 30. CÉLULAS MUCOSAS    As células mucosas são triangulares e contêm numerosos grânulos contendo mucina. Exibem características de células secretoras de muco contendo glicoproteínas importantes para as funções lubrificantes da saliva. As células mucosas é tipicamente observadas por possuírem um núcleo basal achatado. O seu aspecto depende da face secretora.
  • 32. CELULAS MIOEPITELIAS São encontradas entre a lâmina basal e as células acinares.  Apresentam longos processos que envolvem o ácino e o ducto intercalar. O sistema nervoso Simpático e Parassimpático possuem efeito sinérgico, resultando na estimulação da contração.  As células mioepitelias fornecem:  Força isométrica  Suporte para o parênquima glandular 
  • 34. O que as células mucosas contém para que tenha funções lubrificantes?
  • 35. Estrutura Histológica dos Ácinos • • • As células secretoras formam agrupamentos semelhantes a cachos de uvas Estruturas localizadas na parte terminal da glândula e conectada a um sistema de ductos. A porção secretora do ácino da glândula varia de um tipo puramente seroso ou mucoso para um tipo misto,contendo tanto células serosas quanto mucosas.
  • 36. Ácino seroso • Secretam um material viscoso com funções protetora ou de lubrificação. • Formados por grandes células mais ou menos cúbicas com núcleo basal. • A maioria dos organelas de células estão em posição basal e citoplasma.
  • 37.
  • 38. Ácino Mucoso As células apresentam citoplasma pálido de aspecto vacuolado, com leve basófila basal, núcleo achata sobre a membrana basal da célula. A secreção mucosa é do tipo glicoprotéica e seu aspecto é viscoso.  O ácino mucoso apresenta lúmen amplo. 
  • 39.
  • 40. Ácino Misto A maior parte do ácino é de aspecto tubular com células mucosas e as extremidades possuem células serosas organizadas como uma meia lua.  Mucosa é liberada ora mais rica em muco, ora mais rica em proteínas. 
  • 41.
  • 42. Quais são os tipos de secreções?
  • 43. Células do Tecido Conjuntivo Estroma Envolve: • Ductos • Ácinos Função: • Auxiliar na manutenção: • homeostase da cavidade bucal • Processos inflamatórios Células: • Plasmócitos • Fibloblastos • Macrófagos • Linfócitos
  • 44.  Qual a função das células do tecido conjuntivo?
  • 45. Imunidade Secretora: A Síntese e a Secreção de Imunoglobina A  Linfócitos B diferenciam-se em plasmócitos “ tecido conjuntivo de glândulas salivares”  Imunoglobulina secretora (IgA), são secretados para o interior da cavidade bucal  A síntese de IgA ocorre em plasmócitos subepitelias no tecido conjuntivo
  • 46. Imunidade Secretora: A Síntese e a Secreção de Imunoglobina A • • • A IgA forma um dímero com duas moléculas de IgA liga-se a receptores na superfície (receptores de polimericos). O receptor pIg é formado de RER. Sofre modificações glicosilação, fosforilação
  • 47.  Onde ocorre a síntese de IgA ?
  • 48. Inervação das Glândulas Salivares  A secreção das glândulas salivares é regulada principalmente por nervos autônomos simpáticos e parassimpáticos.
  • 50. Quais os nervos que participam da inervação parassimpática da glândula parótida?
  • 51. Farmacologia das Glândulas Salivares • • • A inervação autônoma das glândulas salivares estabelecem uma sensibilidade aos agentes farmacológicos autônomos. Nervos simpáticos pós-ganglionares – norepinefrina Nervo simpático pré-glanglionar e nervo pré e pós-ganglionares parassimpáticos – acetilcolina.
  • 52.
  • 53.  Qual o neurotrasmissor secretado pelos nervos simpáticos pós-ganglionares?
  • 54. Regulação da Secreção Salivar Influências sensoriais e Psíquicas (visão, olfação, gustação, memória e TGI) 
  • 55. Regulação da Secreção Salivar Estimulo ou Inibição da Salivação;  Ação do sistema simpático e parassimpático quanto a regulação da secreção salivar .  Vasoconstrição glandular e vasodilatação.  Contração das células mioepiteliais  Presença dos ácinos nas glândulas: parótida, submandibular e sublingual. 
  • 56. Regulação da Secreção Salivar Considerando os nervos simpático e parassimpático, nervos que ativam a secreção salivar, qual dos mesmos Inibi e estimula a secreção salivar? 
  • 57. Característica que distinguem as Glândulas Salivares Maiores e Menores Glândula Parótida  É uma glândula puramente serosa em humanos.  Na glândula parótida, as células serosas coram-se intensamente com HE e ductos intralobulares são proeminentes.  São monostomáticas. 
  • 58. Glândula Submandibular Glândula submandibular são do tipo mista.  O arranjo dos ductos dessa glândula é similar ao da glândula parótida, mas com mais ductos estriados e menos ductos intercalares. 
  • 59. Glândula Sublingual A maioria dos ácinos nesta glândula é secretor de muco.  Há uma ausência de estriações nas células colunares de revestimentos dos ductos intralobulares que reabsorvem sódio da saliva. 
  • 60. Glândula Salivares Menores As Glândulas salivares menores estão localizadas por toda cavidade bucal.  Elas não são encapsuladas e são nomeadas de acordo com sua localização. Existem glândulas salivares menores, serosas, mucosas e mistas.  Produzem apenas 10% do total da secreção salivar e aproximadamente 70% da secreção mucosa. Elas são polistomática 
  • 61. O que são glândulas polistomáticas e monostomáticas?
  • 62.
  • 63. Mucocele Cisto de retenção dos ductos de glândulas salivares menores que contém muco 
  • 64. Cálculo Salivar Cálculos dos ductos salivares  Mais comum nos ductos das gl. submandibular 
  • 65. Cárie Fluxo salivar  Incidência de cárie  Doenças periodontais 
  • 66. Questionário 1ª) Em que região da cavidade bucal está situado o óstio do ducto da glândula parótida? a) abaixo da língua b) segundo molar superior c) molares inferiores d) palato
  • 67. 2ª) Os ácinos na glândula parótida são: a) Ácinos são mistos com predomínio de células serosas. b) Ácinos são serosos. c) Ácinos também são mistos mais, com predomínio de células claras. Aby Gaill David- FACIMP
  • 68. 3ª) Qual é a maior glândula salivar? a) Parótida b) Submandibular c) Sublingual
  • 69. 4ª) Relacione o neurotransmissor secretado pelos seguintes nervos? a) Norepinefrina b) Acetilcolina ( ) Nervos simpáticos pós-ganglionares ( ) Nervos simpáticos pré-ganglionares e parassimpáticos pré e pós-ganglionares
  • 70. 5ª) A maior parte de saliva secretada na boca é produzida por qual glândula? a) Glândula parótida b) Glândula submandibular c) Glândula sublingual