SlideShare uma empresa Scribd logo
Ficha de Informação/Trabalho nº 1




Os principais acontecimentos pós-guerra:

1945               Fim da Segunda Guerra Mundial

1945               Criação da ONU

1948-49            Bloqueio de Berlim

1961               Construção do Muro de Berlim

1962               Crise dos mísseis de Cuba

1989               Queda do muro de Berlim



Principais consequências políticas da Segunda Guerra Mundial:

-Criação da ONU (1945)

Na Carta das Nações Unidas
estão contidos os objectivos que
presidiram à sua criação: Manter
a     paz    e     a      segurança
internacionais (para evitar novos
conflitos), desenvolver relações
de amizade entre as nações
(baseada     no     principio     de
igualdade    entre     os    povos),
realizar       a        cooperação
internacional (para promover e
estimular    o   respeito      pelos
direitos humanos) .


-Definição das áreas de influência controladas pelos EUA e pela URSS

-Julgamentos de Nuremberga

-Desmembramento da Alemanha e administração conjunta da cidade de BERLIM
( A Alemanha é dividida em quatro partes que ficam sobre a administração dos
vencedores da Guerra: França, Inglaterra, EUA, URSS)


Profª Carla Teixeira                                                     Página 1
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

A Guerra Fria:

A 2ª Guerra Mundial marcou o declínio da Europa e a passagem dos Estados Unidos
e da União Soviética para o primeiro plano da política internacional.

Entre o termo do conflito e o início da década de 50, as duas grandes potências
envolveram-se em sérias disputas ideológicas.

-Os Estados Unidos assumiram-se como defensores dos países democráticos do
ocidente frente ao totalitarismo soviético

-A União soviética afirmou-se como defensora dos povos contra a opressão do
imperialismo americano.




                               Início da Guerra Fria

       O afrontamento entre as duas superpotências e os seus aliados prolongou-
se até meados dos anos 80, altura em que o bloco soviético mostrou os primeiros
sinais de fraqueza.
       Durante este longo período, os EUA e a URSS intimidaram-se mutuamente,
gerando um clima de hostilidade e insegurança que deixou o mundo num permanente
sobressalto. É este clima de tensão internacional que designamos por Guerra Fria.
A guerra fria foi uma autêntica “guerra de nervos” em que cada bloco se procurou
superiorizar ao outro.
As duas superpotências receando-se mutuamente tomaram medidas para reforçar
a sua presença nas respectivas áreas de influência. Os EUA criou o Plano Marshall
que abrangeu quase toda a Europa no ano de 1947.

Este plano não foi aceite por Estaline e por isso forçou os países sob a sua
influência a recusarem a ajuda. Este Plano visava atingir os seguintes objetivos:

   •   Acelerar a recuperação económica da Europa com injecções de capitais para
       permitir a recuperação do mercado

   •   Reafirmar e reforçar hegemonia dos EUA, consolidando o bloco Ocidental
       liderado por aquele país

   •   Impedir a expansão do comunismo


       A guerra fria foi um período de paz armada, em que a paz era impossível,
        mas a guerra era improvável.”
Profª Carla Teixeira                                                         Página 2
Ficha de Informação/Trabalho nº 1




   A expressão “Paz Armada” explica muito bem este período. Os USA e URSS
envolveram-se numa corrida de armamento espalhando exércitos e armamentos nos
seus territórios e nos países aliados. EUA e URSS travaram uma disputa muito
grande no que se refere aos avanços espaciais. Para além dos esforços postos na
constituição de alianças internacionais, os 2 blocos procuravam preparar-se para
uma eventual guerra, investindo grandes somas na concepção e fabrico de
armamento cada vez mais sofisticado.
   Nos primeiros anos do pós-guerra, os Estados Unidos tinham o segredo da
bomba atómica, que consideravam a sua melhor defesa.
Em 1948/49 Estaline declarou um Bloqueio de Berlim, mas falhou. A partir daí a
Alemanha foi divida na República Federal e na República Democrática, por isso em
1961 foi construído o Muro de Berlim.


 A formação de 2 blocos que opunha países democráticos liderados pelos
 EUA e países comunistas liderados pela URSS criou um ambiente de
 tensão , ameaças e provocações, embora nunca as duas potências se
 tenham enfrentado directamente num conflito armado. Esta guerra fria
 consistia em competições pelo controlo do mundo ; pela aquisição de
 armamento poderoso; espionagem( CIA e KGB) , domínio do espaço                  e
 participação indirecta em alguns conflitos, apoiando os países em guerra


     A política de alianças dos Estados Unidos
  Em Outubro de 1962, o mundo esteve à beira da III Guerra mundial, ou, da
   Guerra Nuclear.
    Em termos político-militares, a aliança entre os ocidentais não tardou também a
    Fidel Castro era o representante do regime revolucionário cubano, hostil aos
oficializar-se. A tensão provocada pelo bloqueio de Berlim acelerou as negociações
que conduziram, em 1949,depois aliado da URSS.
   interesses americanos e ao Tratado do Atlântico Norte, firmado entre os
Estados Unidos, o Canadá e 10 nações europeias. A operacionalização deste tratado
   A crise começou quando os soviéticos em resposta à instalação de mísseis
deu origem à Organização do Tratado do Atlântico Norte – OTAN (ou NATO,
   nucleares na Turquia em 1961, e à invasão de Cuba pelos exilados cubanos
em inglês).
   enquadrados e financiados pelos Estados Unidos, instalam mísseis nucleares
    O pacto da OTAN é bem demonstrativo da desconfiança que então impregnava
   em Cuba, apontados para os EUA.
as relações internacionais. A aliança apresenta-se, assim, como uma organização
puramente defensiva, empenhada emas duas super inimigo: a União Soviética.que a
   Houve uma enorme tensão entre resistir a um - potências pois parecia
A URSS respondeu uma guerra nuclear estava muito próxima.
  possibilidade de com a criação do Pacto de Varsóvia que era uma aliança militar
que reunia os países comunistas que tinha como objetivo a defesa contra um ataque
   John Kennedy lançou um ultimato a Nikita Krustchev: ou mandava retirar os
externo.
   mísseis de Cuba ou a guerra nuclear seria inevitável. E fez cercar a ilha por
  unidades de guerra.
Profª Carla Teixeira                                                Página 3
   Ao fim de 13 dias de grande tensão mundial, Moscovo acabou por ceder à
  exigência de Kennedy.
Ficha de Informação/Trabalho nº 1




Após a morte de Estaline, a URSS assumiu uma política de melhor relacionamento
com o mundo ocidental. A partir daí, os dois blocos acordaram e não participaram
em mais conflitos regionais. Em 1989, o regime soviético estava a caminho do seu
fim.

Por isso não fazia sentido continuarem com as rivalidades em Berlim, graças a isso
o Muro de Berlim construído em 1961 cai em Novembro de 1989.




Profª Carla Teixeira                                                       Página 4
Ficha de Informação/Trabalho nº 1



Responde às seguintes questões:

1- Lê o documento que se segue:

    O Congresso declara que a política dos E . U . A . consiste em encorajar os
países da Europa, graças a uma organização comum, a desenvolver esforços
conjuntos, a fim de realizar a cooperação económica da Europa, que é essencial
para assegurar a paz e prosperidade estáveis. Por outro lado, declaro que a
política dos E . U . A . consiste em sustentar e reforçar os princípios da
liberdade individual e a verdadeira independência da Europa, prestando auxílio
aos países que participem num programa comum de reconstrução.

                                                                   G . Marshalll




1.1- Menciona os objectivos do Plano Marshall.

________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

2-Assinala com um V as afirmações verdadeiras e com um F as afirmações
falsas:

          A guerra fria foi marcada pela oposição de 2 blocos: o capitalista e o
          comunista

          O bloco comunista era liderado pela Rússia

          O bloco capitalista era liderado pelo Reino Unido

          EUA e URSS foram as principais potências vencedoras da 2ª Guerra
          Mundial.

          O Plano Marshall permitiu o expansão do comunismo no Mundo.

          O Pacto de Varsóvia constituiu uma reacção da URSS à criação do
          Plano Marshall.

Profª Carla Teixeira                                                      Página 5
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

         O Pacto de Varsóvia constituiu uma reacção da URSS à criação da
         OTAN/NATO




3-Analisa o mapa e a gravura:

Doc.1 Divisão da cidade de Berlim                                   Doc.2- Bloqueio de Berlim




3.1.Explica em que consistiu a Guerra Fria.

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
 Os Estados Partes no presente Tratado,
________________________________________________________________________
Reafirmando a sua fé nos intuitos e princípios da Carta das Nações Unidas e o desejo de viver em paz com
4-Lêos povos e com todos os Governos, Decididos a salvaguardar a liberdade dos seus povos, a sua herança
todos o documento:
comum e a sua civilização, fundadas nos princípios da democracia, das liberdades individuais e do respeito
pelo direito, Desejosos de favorecer a estabilidade e o bem-estar na área do Atlântico Norte, Resolvidos a
congregar os seus esforços para a defesa colectiva e para a preservação da paz e da segurança,

Acordam no presente Tratado do Atlântico Norte:

ARTIGO 3.º

A fim de atingir mais eficazmente os fins deste Tratado, as Partes, tanto individualmente como em conjunto,
manterão e desenvolverão, de maneira contínua e efectiva, pelos seus próprios meios e mediante mútuo
auxílio, a sua capacidade individual e colectiva para resistir a um ataque armado.

ARTIGO 5.º

As Partes concordam em que um ataque armado contra uma ou várias delas na Europa ou na América do
Norte será considerado um ataque a todas e, consequentemente, concordam em que, se um tal ataque armado
ao verificar, cada uma, no exercício do direito de legítima defesa, individual ou colectiva, reconhecido pelo
Profª Carla Teixeira das Nações Unidas, prestará assistência à Parte ou Partes assim atacadas,
artigo 51.º da Carta                                                                           Página 6
praticando sem demora, individualmente e de acordo com as restantes Partes, a acção que considerar
necessária , inclusive o emprego da força armada, para restaurar e garantir a segurança nas
região do Atlântico Norte.
Ficha de Informação/Trabalho nº 1




4.1-Indica os objetivos da NATO.

________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________
________________________________________________________________________




                           O início da era espacial


  Datas                                 Acontecimentos
   1957          URSS = 1° satélite artificial no espaço (Sputnik), 1° ser vivo
                                            (Laika)
  1958                            EUA = E X P L O R E R I
  1961                    URSS = 1° homem no espaço (Yuri Gagarin)
   1969                   EUA = chegada do homem à lua (Apolo XI)



   Durante a 2ª Guerra Mundial a Alemanha tinha secretamente desenvolvido a
tecnologia dos foguetes e criado os primeiros mísseis. Em 1945, os cientistas
envolvidos neste projecto emigraram para a URSS e para os Estados Unidos, onde
desempenharam um papel relevante nos respectivos programas espaciais.



Profª Carla Teixeira                                                      Página 7
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

   A URSS colocou-se à cabeça da conquista do espaço [em Outubro-1957 coloca
em órbita o 1º satélite artificial da história].
   A desolação dos Americanos, que até aí tinham considerado a URSS
tecnologicamente inferior, foi grande. Na ânsia de igualarem a proeza russa,
anteciparam o lançamento do seu próprio satélite, mas o foguetão que o
impulsionava explodiu e a experiencia foi um fracasso.

   Nos anos que se seguiram, a aventura espacial alimentou o orgulho nacional
das duas nações.

Em 1957, a URSS lança o foguete Sputnik com um cão lá dentro e em 1969 os EUA
põem o primeiro Homem na Lua.




  Apollo 11 foi a quinta missão tripulada do Programa Apollo e primeira a pousar na
  Lua, em 20 de Julho de 1969. Tripulada pelos astronautas Neil Armstrong

  Armstrong, Edwin 'Buzz' Aldrin e Michael Collins, a missão cumpriu o objectivo
  final do Presidente John F. Kennedy, que, num discurso ao povo norte-americano
  em 1962, estabeleceu o prazo do fim da década para que o programa espacial dos
  Estados Unidos realizasse este feito. Neil Armstrong, comandante da missão, foi
  o primeiro ser humano a pisar na superfície lunar.

  Composta pelo módulo de comando Columbia, o módulo lunar Eagle e o módulo de
  serviço, a Apollo 11, com seus três tripulantes a bordo, foi lançada de Cabo
  Canaveral,    na Flórida às 13:32 UTC de 16 de Julho, na ponta de um foguete
  Saturno V, sob o olhar de centenas de milhares de espectadores que enchiam
  estradas, praias e campos em redor do Centro Espacial Kennedy e de milhões de
  espectadores pela televisão em todo o mundo, para a histórica missão de oito dias
  de duração, que culminou com as duas horas de caminhada de Armstrong e Aldrin
  na Lua.

  Os astronautas deixaram uma placa na Lua, onde se lê: Here Men From Planet
  Earth First Set Foot Upon The Moon. July 1969 A.D. We Came In Peace For All
  Mankind. (Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez a Lua em
  Julho de 1969.

   Viemos em paz, em nome de toda a Humanidade). A placa foi assinada pelos três
  astronautas que participaram da Apolo 11 e pelo Presidente dos Estados Unidos
  Richard Nixon.

  Existem muito poucas fotos de Neil Armstrong na Lua porque ele ficou quase todo
ProfªtempoTeixeira
   o Carla com a câmara fotográfica.                                     Página 8

  Assim, quase todas as fotos que mostram um astronauta sobre o solo lunar
  durante a missão Apollo 11 são de Edwin Aldrin.
Ficha de Informação/Trabalho nº 1




1.1-Qual foi a importância da chegada do Homem à Lua:

A- No contexto da Guerra Fria ______________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
B- Para a Humanidade_____________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________




A prosperidade económica do mundo capitalista e a sociedade
de consumo

A imagem dos EUA que era transmitida pelo cinema e depois pela televisão, era a
de uma sociedade de consumo, símbolo de modernidade: o lar confortável, equipado
com os modernos móveis e a inevitável televisão, as cozinhas-modelo onde o
frigorífico e outros electrodomésticos, os pratos preparados, os cafés solúveis, a
Coca-Cola mostravam as facilidades da vida e os novos hábitos de consumo; o
automóvel como símbolo de ascensão social, a civilização dos tempos livres. Tudo
era o cenário de um mundo novo que as estrelas de cinema, de rádio e televisão,
divulgavam suscitando fascínio pelos novos modos de vida.

Na década de 50/60 houve um grande crescimento económico devido ao aumento:

   •   da produção mundial de bens e serviços;

   •    da produtividade agrícola;



Profª Carla Teixeira                                                      Página 9
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

   •    da produção de energia e produção industrial ;

   •    desenvolvimento dos transportes terrestres, marítimos e aéreos.

A procura também aumentou devido :

   •   forte crescimento demográfico     “BABY BOOM”;

   •     ampliação do mercado   consumidor;

   •     aumento do poder de compra;

   •   aceleração do progresso científico e tecnológico

   •   Grande impulso dado pela publicidade e pelo marketing

A sociedade de consumo

   O efeito mais evidente dos Trinta Gloriosos foi a generalização do conforto
                                                material. A sociedade de consumo
                                                transformou os lares e o estilo de
                                                vida da maioria da população dos
                                                países capitalistas.
                                                    Nesta             sociedade            de
                                                abundância, o cidadão comum é
                                                permanentemente             estimulado      a
                                                despender        mais        do      que    o
                                                necessário.          Multiplicam-se        os
                                                grandes         espaços          comerciais,
                                                verdadeiros            santuários          do
                                                consumo,        onde        os     objectos,
                                                estrategicamente dispostos, se
                                                encontram ao alcance da mão do
                                                potencial         comprador.            Uma
                                                publicidade          bem         orquestrada
                                                lembra as pequenas e grandes
                                                maravilhas       a    que       todos   “têm
                                                direito”    e    que       as     vendas    a
                                                crédito permitem adquirir.




Profª Carla Teixeira                                                               Página 10
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

   O consumismo instala-se duradouramente e torna-se o emblema das economias
capitalistas da segunda metade do século XX.


Responde às questões:

 1-Explica a importância da publicidade .

________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________
________________________________

2-Caracteriza a sociedade de consumo.

________________________________




_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________



     Alterações na estrutura social e nos comportamentos

Depressa a comunidade científica e os leigos se aperceberam do alto preço a pagar
pelos progressos tecnológicos e pela sociedade de consumo. Era necessário reduzir
as experiências nucleares e dar mais atenção ao problema da poluição e do
esgotamento dos recursos naturais.
Um conjunto de organizações e de iniciativas se sucederam, desde os anos 60, com
o objectivo de controlar o crescimento económico e de garantir a protecção
ambiental. Nascia a ecologia.
O baby-boom do pós-guerra determina, nos anos 60, a existência de um excedente
considerável de jovens. Procurando um estilo de vida alternativo ao dos
progenitores, os jovens protagonizaram um poderoso movimento de contestação.
Nos EUA, as universidades de Berkeley e de Columbia, foram ocupadas (1964)
pelos estudantes que exigiam mudanças radicais no funcionamento dos cursos. Para
além das suas reivindicações específicas, os estudantes americanos mostravam-se
atentos aos grandes problemas que os cercavam, o que os fez envolverem-se no


Profª Carla Teixeira                                                    Página 11
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

movimento pacifista que se insurgiu contra a participação dos EUA na guerra do
Vietname.
Em 1968, Paris tornou-se o epicentro de uma revolta estudantil sem precedentes
que atingiu a Europa. Ficou conhecida pelo nome de “Maio de 68”, a revolta
estudantil parisiense. A crise, que começou por ser
um problema estudantil, ganhou rapidamente foros de
sublevação social e política.
Apesar de fracassado, pela reposição pronta da
ordem, o “Maio de 68” tornar-se-ia o símbolo de um
combate em que se viveu um conflito de gerações, o
descontentamento      social  e    a    reacção     ao
autoritarismo.
Uma outra faceta da contestação juvenil fez-se
sentir na revolução dos costumes desencadeada pelo
movimento hippie.
Iniciado nos EUA, caracterizou-se pelo facto de os
jovens assumirem atitudes de contracultura (estilo
de vida juvenil que denuncia os valores materialistas
da sociedade capitalista, aos quais contrapõe a
ausência de regras sociais e morais, o espiritualismo,
o pacifismo e o regresso à Natureza) em oposição às práticas sociais e à moral
tradicional: uso de drogas, despojamento de bens, amor livre, grandes
confraternizações.
 Os Hippies estavam em desacordo com os valores tradicionais da classe média
americana e das economias capitalistas e totalitárias.

       adoptaram um estilo de vida nómada deixando o conforto dos seus lares,
        vivendo em comunidades com outros hippies

       Os hippies usavam roupas velhas e naturalmente rasgadas, para ir em
        oposição ao consumismo, ou então roupas com cores berrantes para fazer
        apologia à psicodélia, além de diversos outros estilos incomuns (tais como
        calças boca-de-sino, camisas tingidas roupas de inspiração indiana). Também
        usavam túnicas, sandálias, cabelos compridos em ambos                  os
        sexos e flores no cabelo.

       Os hippies adoptaram o símbolo da paz que foi
        desenvolvido na Inglaterra como logo para
        uma campanha contra o desarmamento
        nuclear, nos anos 60. Os hippies defendiam
        a “paz” e o “amor”;

       negavam o nacionalismo e a Guerra do
        Vietname,

Profª Carla Teixeira                                                        Página 12
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

      Desconfiavam do poder económico-militar e defendiam os valores da
       natureza.




3-Assinala com um V as afirmações verdadeiras e com um F as afirmações falsas:
       O movimento hippie foi uma forma de contestação à sociedade.
       O Rock in Rio realizou-se em 1969 e foi uma oportunidade de os jovens
       contestarem a sociedade e debaterem novas ideais
       Em Maio de 1969 ocorreu em França um movimento de protesto juvenil
       Os hippies privilegiavam a vida em contato com a natureza
       Os movimentos de protestos juvenis apoiavam a Guerra do Vietname
       Os hippies contestavam a sociedade de consumo




                               A Era da Globalização

Nós vivemos na era da globalização, tudo converge, os limites vão
desaparecendo”. Quem não ouviu, no mínimo, uma destas expressões nos
últimos anos? A globalização
tem o poder de libertar-nos do
isolamento.        Livra-nos       da
exclusão a que nos submete o
proteccionismo,            tornando
possível a livre interacção entre
pessoas e ideias diferentes e
promovendo     o    respeito   e    o
conhecimento           entre       as
diferentes                culturas.
Proporciona maior prosperidade
e bem-estar e torna-nos, efectivamente, participantes do mundo.

A globalização é um fenómeno muito complexo, e não se pode falar dela só no
contexto económico, pois estaríamos a esquecer-nos das mudanças sociais,
culturais e até politicas que a globalização proporcionou.

Alguns historiadores definem a globalização como um processo muito antigo que
começou com as primeiras relações entre os homens.


Profª Carla Teixeira                                                    Página 13
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

Mas, a fase mais importante corresponde aos Descobrimentos, em que pela
primeira vez houve contacto entre Europa, África e América,. E, mais
recentemente, com a separação da URSS e com o enorme desenvolvimento das
telecomunicações e das tecnologias, um desenvolvimento muito rápido que está a
fazer do mundo uma “aldeia global”.

Estamos a viver numa era espectacular, em que o acesso à informação é muito mais
fácil, e isto só será positivo se aproveitarmos esta informação.

Isto nem sempre acontece pois o Homem não dá muito valor às coisas que já
alcançou, quer sempre mais, passando a vida à espera de tempos melhores. No
tempo dos Descobrimentos uma viagem demorava anos, e era uma aventura da qual
o mais provável era não regressarem. Hoje, em 24 horas pode-se fazer a volta ao
Mundo, já que o avião atinge velocidades cada vez maiores e o preço é cada vez
mais acessível.

Antigamente uma notícia precisava de várias semanas para se espalhar pelo Mundo,

       Hoje, com o desenvolvimento da Mass Media, da qual fazem parte a
Internet, a televisão e outros sistemas de produção, difusão e recepção de
informação a informação chega muito mais depressa e a todo o lado.

       O computador ligado a Internet é uma realidade em grande parte das casas
dos países desenvolvidos.

O termo “ CIBERCULTURA” é normalmente aplicado para caracterizar a cultura
emergente da utilização das novas tecnologias de informação e de comunicação, e
distingue-se dos outros meios de comunicação porque:

   •   Permite a comunicação interpessoal, ou seja , cada ponto da rede é
       simultaneamente, transmissor e receptor.

   •   Ao relacionar-se com o seu interlocutor pode fazê-lo usando em simultâneo
       a imagem, o som e a informação escrita em tempo real.

   •   Privilegia-se a comunicação virtual e anónima, dominada pela tecnologia, em
       detrimento das relações interpessoais.

   •   Criam-se códigos de escrita” Hipertextos”em permanente transformação.

   •   As novas tecnologias acabam por interferir no quotidiano das pessoas;

   •   Modificam as formas de comunicação , de pensamento e de comportamento;

   •   Interfere nos seus costumes e hábitos de vida.

Profª Carla Teixeira                                                     Página 14
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

Uma das consequência da globalização que mais controvérsia tem gerado
ultimamente é a transmissão “forçada” da “cultura” americana, que muitos chamam
de americanização. Muitas pessoas seguem os exemplos americanos, a sua
“cultura”.A Coca-Cola alargou a sua influência até à mais pequena aldeia do mundo,
os chineses largaram o arroz e vão comer ao McDonalds, e se ligar o rádio ou a
televisão o mais provável é ouvir música americana e ver filmes americanos em que
quanta maior for a destruição melhor é o filme.

Os Estados Unidos exercem um imperialismo cultural (para além do político e
económico) assustador, hoje muitas pessoas já falam inglês, e até os países com
cultura mais rica já se renderam a este imperialismo.

Com a crescente globalização, as relações entre países melhoraram, há cada vez
mais investimentos estrangeiros, o que gera emprego e traz desenvolvimento e
prosperidade para a zona onde se instala, e com isso há condições para melhorar as
tecnologias.

A globalização permite maior contacto entre culturas e partilha de muitas
informações e conhecimentos para o bem da Humanidade (ou não).
A invenção da Internet"
Embora pareça que são só vantagens isso não é verdade, pois o contraste entre os
A World Wide Web decretou o sucesso da Internet fora dos laboratórios e dos
países ricos e pobres é cada vez maior
centros de investigação. Antes da sua invenção, as redes telemáticas eram
desconhecidas do grande público, e só após a sua introdução elas entraram em milhões
Responde às questões:
de casas em todo o mundo. Muitas vezes as expressões Internet e World Wide Web
são confundidas, mas não são a mesma coisa. A Internet é a rede constituída
1-Lê o documento:
fisicamente pelos computadores e pelas linhas que os ligam; a Web, por sua vez, é o
conjunto de regras, processos e programas que permitem aos ficheiros viajar através
da rede e compor no ecrã do computador um hipertexto de palavras, imagens e sons.

A World Wide Web foi inventada em 1989 pelo físico inglês Tim Berners Lee, que
trabalhava no CERN de Genebra, o maior laboratório europeu para a física de
partículas, onde são realizadas experiências com a duração de meses ou anos e
envolvendo centenas de investigadores espalhados pelo mundo inteiro. Estes cientistas
necessitavam de um sistema prático, rápido e económico para trabalhar e trocar dados
e informações mesmo quando não estivessem fisicamente nos laboratórios do CERN.
Através da World Wide Web, os ficheiros eram guardados em computadores ligados
em rede, aos quais todos os investigadores tinham acesso: para mudar de documento
bastava fazer clique com o rato, como se se estivesse a navegar num único e enorme
hipertexto.

Uma outra reviravolta na difusão da Web nasceu em 1993, na Universidade do Illinois.
Marc Andreessen, um estudante de 23 anos, inventou o browser Mosaic, o primeiro
programa para navegar através dos documentos da Web e que permitia visualizar
também imagens. Andreessen fundou a Netscape Communications, que tem criado
browsers cada vez mais sofisticados, tendo-se tornado um dos mais jovens milionários
Profª Carla Teixeira                                                   Página 15
da história.

                                                        "O Mundo dos Computadores",
Ficha de Informação/Trabalho nº 1




1.1Tendo por base o documento, argumenta sobre as grandes conquistas da
Humanidade na desde o século XX até à actualidade, salientando os aspectos que
consideras mais positivos e os menos positivos.

_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________



2-Explica o significado de globalização.

_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
3-Refere as vantagens e desvantagens da globalização.

_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________




Profª Carla Teixeira                                                    Página 16
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

                             Artes no pós -Guerra


    Quando a Segunda Guerra Mundial termina, o Mundo não é o mesmo.
    Muito em particular a Europa não se encontrava em condições de liderar a
política internacional nem o próprio processo civilizacional. A guerra destruíra-a
como nunca, deixando-a absolutamente arrasada.
    Aos Estados Unidos, um das cabeças do mundo bipolar que se desenhou em
1945, coube assumir uma condução do Oriente.
    Em Nova Iorque produzir-se-ão as alterações mais significativas e as
grandes polémicas no mundo da arte.
    Nos EUA, um generoso mecenato privado irrompia e patrocinava a fundação de
galerias e de grandes museus.
    A Europa devastada pela guerra não fornecia um cenário estimulante para a
produção cultural e, por isso, muitos foram os intelectuais que a América anglo-
saxónica acolheu e incentivou.
    Aos artistas europeus emigrados juntaram-se os talentos americanos,
particularmente activos. Do seu encontro brotou aquela que é designada por Escola
de Nova Iorque, a grande responsável pela dinamização das artes no pós-guerra.
A ela se deveram as experiências vanguardistas do expressionismo abstracto.



A pop art (1958-1965)


   A pop arte desenvolveu-se em simultâneo em Inglaterra e nos EUA.
   A pop arte reconcilia o grande público com a arte. Em primeiro lugar, porque
retoma a figuração e se revela de fácil apreensão. Depois, porque retira os seus
temas e objectos do mundo de produtos e imagens que a sociedade de massas
abundantemente consumia.
   Os quadros substituem-se à publicidade, seja na divulgação de objectos de
consumo corrente, seja na exibição de rostos de artistas e personalidades
famosas.
   O mais importante pintor deste movimento, Andy Warhol, tornou a
serigrafia, um processo mecânico de impressão em série, na obra de arte por
excelência desta corrente.
   Warhol fez da própria arte um objecto de consumo corrente e estandardizado.
   A mesma visão sarcástica sobre os símbolos e ritos do quotidiano da sociedade
de consumo perpassa na pop art inglesa. Os ingleses distinguem-se pelo sense of



Profª Carla Teixeira                                                     Página 17
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

humor subtilmente provocatório. Para além dos processos de impressão, fazem
ainda uso de colagens e da integração de objectos comuns.




   OP ART ou arte cinética
       A Op Art (arte óptica) e a Arte Cinética (com movimento) trocaram a
       crítica festiva e irónica da grande seriedade da arte tradicional pela nova e
                                                      divertida          estética         do
                                                      quotidiano e efémero. Em
                                                      geral,       era        usada      uma
                                                      tecnologia simples (motores
                                                      e     luz)         para         activar
                                                      superfícies             opticamente
                                                      confusas que muitas vezes
                                                      tinham um “ar” de máquina.
                                                      Salientam-se as obras de
                                                      Victor   Vasarely.          A     arte
                                                      óptica era um estilo sem
                                                      referência iconográficas ou
                                                      históricas, jogando com os
                                                      fenómenos          da     percepção
                                                      visual através de complicados




Profª Carla Teixeira                                                             Página 18
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

       jogos geométricos a preto e branco ou a cores que criam ilusões de
       profundidade ou de movimento.

       Caracteriza-se pela:

       -Utilização da ilusão de óptica e do movimento

       -Efeitos provocados pelos jogos de luz



Body Art
A utilização do corpo enquanto suporte para a criação artística, pelo seu
significado e expressividade, é bastante antiga. A criação do movimento Body Art
na Europa e nos Estados Unidos, no final da década de 60, representa o
reconhecimento da capacidade de comunicação do corpo humano, do próprio artista
ou de qualquer outra pessoa, enquanto veículo portador de ideias e de atitudes,
explorando de forma direta e livre de preconceitos temas como o género e a
sexualidade. Foi fortemente influenciado pela cultura do corpo, da nudez, da
comunicação corporal e da liberdade sexual, que marcaram os inícios dos anos 60.
As manifestações de Body Art assumiam geralmente o carácter de performances,
onde os artistas se exprimiam de forma pessoal, revelando tendências muito
diversas. Para alguns, a violência e agressividade, expressos em atos de auto-
mutilação, que atingiam por vezes os limites de resistência do corpo, tinham o
objetivo de chocar o espectador e de lhe provocar reações fortes.


Land Art



Esta        manifestação        apresenta
preocupações ecológicas, recusando a
arte comercial. De tipo conceptual,
esta   arte    efémera     esgota-se    no
próprio acto da sua execução, ficando
dela apenas o registo fotográfica.
Constitui       uma         manifestação
interventiva na paisagem, em grandes
espaços     naturais,     que   se    pode
apresentar     de       maneiras     muitos
variadas.

Minimal Art



Profª Carla Teixeira                                                   Página 19
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

     Apelou à necessidade de recorrer aos elementos básicos e essenciais da matéria plástica.
Decorrente da Land Art, manifestou desprezo pela figuração e empregou um número mínimo de
elementos plásticos e de cores, cujo efeito impessoal é devido ao uso de materiais individuais. Na
sua maioria, as obras desta vertente conceptual são tridimensionais, designando-se por estruturas
primordiais.

     Na pintura pode ser definida pelo número restrito de elementos, sendo muitas vezes
constituída por superfícies monocromáticas, sem qualquer alteração tonal.


        Arte em Portugal pós 25 de Abril
        Até ao 25 de Abril de 1974, Portugal manteve-se isolado, com o peso da Guerra Colonial e
        com a censura e a polícia política que tudo controlavam. Apesar desta situação, surgiram
        algumas rupturas e valores emergentes, como consequência de um mercado de arte mais
        especulativo, de contactos com escolas e artistas estrangeiros e de uma produção mais
        diversificada e personalizada.

        A partir da instauração da democracia, as artes tornaram-se um outro veículo de crítica e
        de construção, desde as artes plásticas ao cinema, à literatura, à dança, à música … com
        obras vanguardistas. Surgem, por todo o país, galerias e locais de exposição, mais
        publicações,      mais artistas e amantes das artes. Assim, o que caracteriza a
        contemporaneidade portuguesa é: uma maior pluralidade expressiva, um espírito de
        experimentação aliado a uma onda de criatividade facilitada pelas inovações tecnológicas,
        uma projecção internacional de      autores e obras, e mais atenção à salvaguarda do
        património, uma adesão e extrapolação às correntes modernas, uma preocupação quanto ao
        desenvolvimento urbano e suburbano, um maior número de arquitecturas de autor, o uso de
        temáticas versando o corpo e o comportamento, a utilização dos multimédia, a prioridade às
        questões ambientais, numa produção onde o artista é um poliapto, trabalhando os mais
        variados materiais, formas, técnicas e áreas, abordando, cada vez mais, questões
        humanitárias, políticas e do quotidiano, num paralelo com o que se faz no estrangeiro.

        Não existe data específica para o arranque da arquitectura contemporânea em Portugal. Os
        registos dos primeiros sinais que a identificam, apontam para uma época ligeiramente
        anterior a 1950. No entanto é sempre referenciado o acontecimento político do 25 de Abril
        de 1974 como data “oficial” a partir da qual foi impulsionada a corrente. As obras de Álvaro
        Siza Vieira , Eduardo Souto Moura, Nuno Teotónio Pereira, entre outros, surgem como
        referência da arquitectura contemporânea das décadas de sessenta, setenta e oitenta.

        Características da Arquitectura Antiga/moderna

         ANTIGA - Durante muitos anos, os materiais de construção neste tipo de arquitectura,
        eram à base de:

        Profª Carla Teixeira                                                       Página 20
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

- Pedra – Cal – Madeira.

MODERNA - As maciças paredes de suporte são substituídas por delgados pilares. As
divisões passam a ser leves e independentes da estrutura.

Maior leveza, flexibilidade e transparência.

   -Utilização     de      novos   materiais,   pré-fabricados:   Aço,   Betão,   Vidro,


- Simplificação dos volumes, geometrização das formas: predomínio das linhas rectas,
sólidos geométricos;



 - Paredes lisas e, geralmente, brancas, abolindo-se a decoração e realçando-se a estrutura
do edifício;




 - Coberturas planas, geralmente transformadas em terraços;



 - Amplas janelas, em fita, ou fachadas-cortina em vidro;




Responde às questões:

1-Observa as imagens:


Profª Carla Teixeira                                                      Página 21
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

Fig 1                                                     Fig 2




1.1-Indica a que estilo artístico pertencem as figuras:

Fig. 1_________________________________________________________
Fig 2_________________________________________________________

1.2-Caracteriza-os.

_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

2-Em que medida o Estado Novo impedia a liberdade criativa?

_____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 2.1-Após o 25 de Abril surgem por todo lado galerias, museus e novas produções
 artísticas. Qual foi a importância destas instituições no novo panorama cultural?

_____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________


Profª Carla Teixeira                                                      Página 22
Ficha de Informação/Trabalho nº 1

 2.2-Indica o nome dos arquitetos portugueses que se têm destacado desde os
 anos 70.

_____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 3- Analisa as obras abaixo representadas à luza da arquitetura contemporânea.




                                                                    Casa da

                                                                    Música

                                                                   Gare do
                                                                     oriente




_____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________
 ____________________________________________________________




Profª Carla Teixeira                                                    Página 23

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Muro de Berlim (1961-1989)
Muro de Berlim (1961-1989)Muro de Berlim (1961-1989)
Muro de Berlim (1961-1989)
Anderson Torres
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
eiprofessor
 
51 - mundo bipolar
51 -  mundo bipolar51 -  mundo bipolar
51 - mundo bipolar
Carla Freitas
 
Organização das Nações Unidas (ONU)
Organização das Nações Unidas (ONU)Organização das Nações Unidas (ONU)
Organização das Nações Unidas (ONU)
Susana Simões
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
Daniel Alves Bronstrup
 
Guerra fria 1
Guerra fria 1Guerra fria 1
Guerra fria 1
Jorge Almeida
 
Guerra fria mundo pós guerra
Guerra fria   mundo pós guerraGuerra fria   mundo pós guerra
Guerra fria mundo pós guerra
Nair Rodrigues Neves Boni
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Kéliton Ferreira
 
A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)
Janayna Lira
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Janaína Tavares
 
Muro De Berlim
Muro De BerlimMuro De Berlim
Muro De Berlim
Ana Paula Casanova
 
O fim da urss
O fim da urssO fim da urss
O fim da urss
Carlos Vieira
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Victor Said
 
Primeira Guerra Mundial (1914 1918)
Primeira Guerra Mundial (1914 1918)Primeira Guerra Mundial (1914 1918)
Primeira Guerra Mundial (1914 1918)
Valéria Shoujofan
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
Rui Neto
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
Isaquel Silva
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
Fatima Freitas
 
12ºonu
12ºonu12ºonu
12ºonu
Ilda Bicacro
 
Apos a guerra fria
Apos a guerra friaApos a guerra fria
Apos a guerra fria
cattonia
 

Mais procurados (20)

Muro de Berlim (1961-1989)
Muro de Berlim (1961-1989)Muro de Berlim (1961-1989)
Muro de Berlim (1961-1989)
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
51 - mundo bipolar
51 -  mundo bipolar51 -  mundo bipolar
51 - mundo bipolar
 
Organização das Nações Unidas (ONU)
Organização das Nações Unidas (ONU)Organização das Nações Unidas (ONU)
Organização das Nações Unidas (ONU)
 
3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria3° ano - Guerra Fria
3° ano - Guerra Fria
 
Guerra fria 1
Guerra fria 1Guerra fria 1
Guerra fria 1
 
Guerra fria mundo pós guerra
Guerra fria   mundo pós guerraGuerra fria   mundo pós guerra
Guerra fria mundo pós guerra
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
 
A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)A Guerra Fria (ppt)
A Guerra Fria (ppt)
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Muro De Berlim
Muro De BerlimMuro De Berlim
Muro De Berlim
 
O fim da urss
O fim da urssO fim da urss
O fim da urss
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Primeira Guerra Mundial (1914 1918)
Primeira Guerra Mundial (1914 1918)Primeira Guerra Mundial (1914 1918)
Primeira Guerra Mundial (1914 1918)
 
Crise 1929
Crise 1929Crise 1929
Crise 1929
 
Regimes totalitários
Regimes totalitáriosRegimes totalitários
Regimes totalitários
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
12ºonu
12ºonu12ºonu
12ºonu
 
Apos a guerra fria
Apos a guerra friaApos a guerra fria
Apos a guerra fria
 

Semelhante a O mundo pós guerra

O mundo saido da guerra
O mundo saido da guerraO mundo saido da guerra
O mundo saido da guerra
Joana Ferreira
 
Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]
Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]
Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]
Gustavo Assunção
 
Nicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºbNicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºb
Debora Deorio
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Jorge Almeida
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
Thamires Bragança
 
Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)
Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)
Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)
ProfElessandraMara
 
9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf
9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf
9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf
nevesnivea13
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
drvahl
 
O mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundialO mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundial
José Palma
 
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
JESSICAFRONTELLIRIBE
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
IsabellaPinheiro21
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
JoaoSanto4
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
ErmindaSouza
 
Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra friaMódulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
angelamoliveira
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
Teresa Maia
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
RafaelCentenaro2
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra FriaDa 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
AEDFL
 

Semelhante a O mundo pós guerra (20)

O mundo saido da guerra
O mundo saido da guerraO mundo saido da guerra
O mundo saido da guerra
 
Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]
Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]
Fffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff[1][1]
 
Nicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºbNicolas c. 9ºb
Nicolas c. 9ºb
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
Guerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolarGuerra fria e o mundo bipolar
Guerra fria e o mundo bipolar
 
Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)
Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)
Slide Resumo sobre - Guerra Fria (3° ano Ensino Médio)
 
9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf
9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf
9oano_atividade_historia_18_a_29out2021.docx_ (1).pdf
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
O mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundialO mundo saído da 2ª guerra mundial
O mundo saído da 2ª guerra mundial
 
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
19-GUERRA-FRIA-2019-LISTA.pdf
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
 
Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra friaMódulo 8 unidade 1.2 guerra fria
Módulo 8 unidade 1.2 guerra fria
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
Guerra Fria.ppt
Guerra Fria.pptGuerra Fria.ppt
Guerra Fria.ppt
 
A guerra fria
A guerra friaA guerra fria
A guerra fria
 
Da 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra FriaDa 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
Da 2 Guerra Mundial à Guerra Fria
 

Mais de Carla Teixeira

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.ppt
Carla Teixeira
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt
Carla Teixeira
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppt
Carla Teixeira
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
Carla Teixeira
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
Carla Teixeira
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
Carla Teixeira
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
Carla Teixeira
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
Carla Teixeira
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
Carla Teixeira
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
Carla Teixeira
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
Carla Teixeira
 
Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2
Carla Teixeira
 
Neoclássico parte3
Neoclássico parte3Neoclássico parte3
Neoclássico parte3
Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
Carla Teixeira
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
Carla Teixeira
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
Carla Teixeira
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
Carla Teixeira
 

Mais de Carla Teixeira (20)

A civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.pptA civilização industrial no séc XIX.ppt
A civilização industrial no séc XIX.ppt
 
1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt1-guerra-mundial-esic.ppt
1-guerra-mundial-esic.ppt
 
a polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppta polis no mundo grego.ppt
a polis no mundo grego.ppt
 
O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1O tempo das reformas religiosas parte 1
O tempo das reformas religiosas parte 1
 
Arte renascentista parte 3
Arte renascentista  parte 3Arte renascentista  parte 3
Arte renascentista parte 3
 
Arte renascentista
Arte renascentistaArte renascentista
Arte renascentista
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
 
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
A reforma católica e a contra  reforma- parte 1A reforma católica e a contra  reforma- parte 1
A reforma católica e a contra reforma- parte 1
 
A contra reforma parte 3
A contra reforma  parte 3A contra reforma  parte 3
A contra reforma parte 3
 
A contra reforma parte 2
A contra reforma   parte 2A contra reforma   parte 2
A contra reforma parte 2
 
A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2A arte renascentista parte 2
A arte renascentista parte 2
 
O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1O rococó e o neoclássico parte 1
O rococó e o neoclássico parte 1
 
Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2Neoclássico parte 2
Neoclássico parte 2
 
Neoclássico parte3
Neoclássico parte3Neoclássico parte3
Neoclássico parte3
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1Ficha de trabalho nº 1
Ficha de trabalho nº 1
 
Revolução francesa módulo 7
Revolução francesa  módulo 7Revolução francesa  módulo 7
Revolução francesa módulo 7
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 
Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3Revolução francesa parte 3
Revolução francesa parte 3
 
Revolução francesa 2
Revolução francesa 2Revolução francesa 2
Revolução francesa 2
 

O mundo pós guerra

  • 1. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Os principais acontecimentos pós-guerra: 1945 Fim da Segunda Guerra Mundial 1945 Criação da ONU 1948-49 Bloqueio de Berlim 1961 Construção do Muro de Berlim 1962 Crise dos mísseis de Cuba 1989 Queda do muro de Berlim Principais consequências políticas da Segunda Guerra Mundial: -Criação da ONU (1945) Na Carta das Nações Unidas estão contidos os objectivos que presidiram à sua criação: Manter a paz e a segurança internacionais (para evitar novos conflitos), desenvolver relações de amizade entre as nações (baseada no principio de igualdade entre os povos), realizar a cooperação internacional (para promover e estimular o respeito pelos direitos humanos) . -Definição das áreas de influência controladas pelos EUA e pela URSS -Julgamentos de Nuremberga -Desmembramento da Alemanha e administração conjunta da cidade de BERLIM ( A Alemanha é dividida em quatro partes que ficam sobre a administração dos vencedores da Guerra: França, Inglaterra, EUA, URSS) Profª Carla Teixeira Página 1
  • 2. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 A Guerra Fria: A 2ª Guerra Mundial marcou o declínio da Europa e a passagem dos Estados Unidos e da União Soviética para o primeiro plano da política internacional. Entre o termo do conflito e o início da década de 50, as duas grandes potências envolveram-se em sérias disputas ideológicas. -Os Estados Unidos assumiram-se como defensores dos países democráticos do ocidente frente ao totalitarismo soviético -A União soviética afirmou-se como defensora dos povos contra a opressão do imperialismo americano. Início da Guerra Fria O afrontamento entre as duas superpotências e os seus aliados prolongou- se até meados dos anos 80, altura em que o bloco soviético mostrou os primeiros sinais de fraqueza. Durante este longo período, os EUA e a URSS intimidaram-se mutuamente, gerando um clima de hostilidade e insegurança que deixou o mundo num permanente sobressalto. É este clima de tensão internacional que designamos por Guerra Fria. A guerra fria foi uma autêntica “guerra de nervos” em que cada bloco se procurou superiorizar ao outro. As duas superpotências receando-se mutuamente tomaram medidas para reforçar a sua presença nas respectivas áreas de influência. Os EUA criou o Plano Marshall que abrangeu quase toda a Europa no ano de 1947. Este plano não foi aceite por Estaline e por isso forçou os países sob a sua influência a recusarem a ajuda. Este Plano visava atingir os seguintes objetivos: • Acelerar a recuperação económica da Europa com injecções de capitais para permitir a recuperação do mercado • Reafirmar e reforçar hegemonia dos EUA, consolidando o bloco Ocidental liderado por aquele país • Impedir a expansão do comunismo A guerra fria foi um período de paz armada, em que a paz era impossível, mas a guerra era improvável.” Profª Carla Teixeira Página 2
  • 3. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 A expressão “Paz Armada” explica muito bem este período. Os USA e URSS envolveram-se numa corrida de armamento espalhando exércitos e armamentos nos seus territórios e nos países aliados. EUA e URSS travaram uma disputa muito grande no que se refere aos avanços espaciais. Para além dos esforços postos na constituição de alianças internacionais, os 2 blocos procuravam preparar-se para uma eventual guerra, investindo grandes somas na concepção e fabrico de armamento cada vez mais sofisticado. Nos primeiros anos do pós-guerra, os Estados Unidos tinham o segredo da bomba atómica, que consideravam a sua melhor defesa. Em 1948/49 Estaline declarou um Bloqueio de Berlim, mas falhou. A partir daí a Alemanha foi divida na República Federal e na República Democrática, por isso em 1961 foi construído o Muro de Berlim. A formação de 2 blocos que opunha países democráticos liderados pelos EUA e países comunistas liderados pela URSS criou um ambiente de tensão , ameaças e provocações, embora nunca as duas potências se tenham enfrentado directamente num conflito armado. Esta guerra fria consistia em competições pelo controlo do mundo ; pela aquisição de armamento poderoso; espionagem( CIA e KGB) , domínio do espaço e participação indirecta em alguns conflitos, apoiando os países em guerra A política de alianças dos Estados Unidos Em Outubro de 1962, o mundo esteve à beira da III Guerra mundial, ou, da Guerra Nuclear. Em termos político-militares, a aliança entre os ocidentais não tardou também a Fidel Castro era o representante do regime revolucionário cubano, hostil aos oficializar-se. A tensão provocada pelo bloqueio de Berlim acelerou as negociações que conduziram, em 1949,depois aliado da URSS. interesses americanos e ao Tratado do Atlântico Norte, firmado entre os Estados Unidos, o Canadá e 10 nações europeias. A operacionalização deste tratado A crise começou quando os soviéticos em resposta à instalação de mísseis deu origem à Organização do Tratado do Atlântico Norte – OTAN (ou NATO, nucleares na Turquia em 1961, e à invasão de Cuba pelos exilados cubanos em inglês). enquadrados e financiados pelos Estados Unidos, instalam mísseis nucleares O pacto da OTAN é bem demonstrativo da desconfiança que então impregnava em Cuba, apontados para os EUA. as relações internacionais. A aliança apresenta-se, assim, como uma organização puramente defensiva, empenhada emas duas super inimigo: a União Soviética.que a Houve uma enorme tensão entre resistir a um - potências pois parecia A URSS respondeu uma guerra nuclear estava muito próxima. possibilidade de com a criação do Pacto de Varsóvia que era uma aliança militar que reunia os países comunistas que tinha como objetivo a defesa contra um ataque John Kennedy lançou um ultimato a Nikita Krustchev: ou mandava retirar os externo. mísseis de Cuba ou a guerra nuclear seria inevitável. E fez cercar a ilha por unidades de guerra. Profª Carla Teixeira Página 3 Ao fim de 13 dias de grande tensão mundial, Moscovo acabou por ceder à exigência de Kennedy.
  • 4. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Após a morte de Estaline, a URSS assumiu uma política de melhor relacionamento com o mundo ocidental. A partir daí, os dois blocos acordaram e não participaram em mais conflitos regionais. Em 1989, o regime soviético estava a caminho do seu fim. Por isso não fazia sentido continuarem com as rivalidades em Berlim, graças a isso o Muro de Berlim construído em 1961 cai em Novembro de 1989. Profª Carla Teixeira Página 4
  • 5. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Responde às seguintes questões: 1- Lê o documento que se segue: O Congresso declara que a política dos E . U . A . consiste em encorajar os países da Europa, graças a uma organização comum, a desenvolver esforços conjuntos, a fim de realizar a cooperação económica da Europa, que é essencial para assegurar a paz e prosperidade estáveis. Por outro lado, declaro que a política dos E . U . A . consiste em sustentar e reforçar os princípios da liberdade individual e a verdadeira independência da Europa, prestando auxílio aos países que participem num programa comum de reconstrução. G . Marshalll 1.1- Menciona os objectivos do Plano Marshall. ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________ 2-Assinala com um V as afirmações verdadeiras e com um F as afirmações falsas: A guerra fria foi marcada pela oposição de 2 blocos: o capitalista e o comunista O bloco comunista era liderado pela Rússia O bloco capitalista era liderado pelo Reino Unido EUA e URSS foram as principais potências vencedoras da 2ª Guerra Mundial. O Plano Marshall permitiu o expansão do comunismo no Mundo. O Pacto de Varsóvia constituiu uma reacção da URSS à criação do Plano Marshall. Profª Carla Teixeira Página 5
  • 6. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 O Pacto de Varsóvia constituiu uma reacção da URSS à criação da OTAN/NATO 3-Analisa o mapa e a gravura: Doc.1 Divisão da cidade de Berlim Doc.2- Bloqueio de Berlim 3.1.Explica em que consistiu a Guerra Fria. ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ Os Estados Partes no presente Tratado, ________________________________________________________________________ Reafirmando a sua fé nos intuitos e princípios da Carta das Nações Unidas e o desejo de viver em paz com 4-Lêos povos e com todos os Governos, Decididos a salvaguardar a liberdade dos seus povos, a sua herança todos o documento: comum e a sua civilização, fundadas nos princípios da democracia, das liberdades individuais e do respeito pelo direito, Desejosos de favorecer a estabilidade e o bem-estar na área do Atlântico Norte, Resolvidos a congregar os seus esforços para a defesa colectiva e para a preservação da paz e da segurança, Acordam no presente Tratado do Atlântico Norte: ARTIGO 3.º A fim de atingir mais eficazmente os fins deste Tratado, as Partes, tanto individualmente como em conjunto, manterão e desenvolverão, de maneira contínua e efectiva, pelos seus próprios meios e mediante mútuo auxílio, a sua capacidade individual e colectiva para resistir a um ataque armado. ARTIGO 5.º As Partes concordam em que um ataque armado contra uma ou várias delas na Europa ou na América do Norte será considerado um ataque a todas e, consequentemente, concordam em que, se um tal ataque armado ao verificar, cada uma, no exercício do direito de legítima defesa, individual ou colectiva, reconhecido pelo Profª Carla Teixeira das Nações Unidas, prestará assistência à Parte ou Partes assim atacadas, artigo 51.º da Carta Página 6 praticando sem demora, individualmente e de acordo com as restantes Partes, a acção que considerar necessária , inclusive o emprego da força armada, para restaurar e garantir a segurança nas região do Atlântico Norte.
  • 7. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 4.1-Indica os objetivos da NATO. ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________ O início da era espacial Datas Acontecimentos 1957 URSS = 1° satélite artificial no espaço (Sputnik), 1° ser vivo (Laika) 1958 EUA = E X P L O R E R I 1961 URSS = 1° homem no espaço (Yuri Gagarin) 1969 EUA = chegada do homem à lua (Apolo XI) Durante a 2ª Guerra Mundial a Alemanha tinha secretamente desenvolvido a tecnologia dos foguetes e criado os primeiros mísseis. Em 1945, os cientistas envolvidos neste projecto emigraram para a URSS e para os Estados Unidos, onde desempenharam um papel relevante nos respectivos programas espaciais. Profª Carla Teixeira Página 7
  • 8. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 A URSS colocou-se à cabeça da conquista do espaço [em Outubro-1957 coloca em órbita o 1º satélite artificial da história]. A desolação dos Americanos, que até aí tinham considerado a URSS tecnologicamente inferior, foi grande. Na ânsia de igualarem a proeza russa, anteciparam o lançamento do seu próprio satélite, mas o foguetão que o impulsionava explodiu e a experiencia foi um fracasso. Nos anos que se seguiram, a aventura espacial alimentou o orgulho nacional das duas nações. Em 1957, a URSS lança o foguete Sputnik com um cão lá dentro e em 1969 os EUA põem o primeiro Homem na Lua. Apollo 11 foi a quinta missão tripulada do Programa Apollo e primeira a pousar na Lua, em 20 de Julho de 1969. Tripulada pelos astronautas Neil Armstrong Armstrong, Edwin 'Buzz' Aldrin e Michael Collins, a missão cumpriu o objectivo final do Presidente John F. Kennedy, que, num discurso ao povo norte-americano em 1962, estabeleceu o prazo do fim da década para que o programa espacial dos Estados Unidos realizasse este feito. Neil Armstrong, comandante da missão, foi o primeiro ser humano a pisar na superfície lunar. Composta pelo módulo de comando Columbia, o módulo lunar Eagle e o módulo de serviço, a Apollo 11, com seus três tripulantes a bordo, foi lançada de Cabo Canaveral, na Flórida às 13:32 UTC de 16 de Julho, na ponta de um foguete Saturno V, sob o olhar de centenas de milhares de espectadores que enchiam estradas, praias e campos em redor do Centro Espacial Kennedy e de milhões de espectadores pela televisão em todo o mundo, para a histórica missão de oito dias de duração, que culminou com as duas horas de caminhada de Armstrong e Aldrin na Lua. Os astronautas deixaram uma placa na Lua, onde se lê: Here Men From Planet Earth First Set Foot Upon The Moon. July 1969 A.D. We Came In Peace For All Mankind. (Aqui os homens do planeta Terra pisaram pela primeira vez a Lua em Julho de 1969. Viemos em paz, em nome de toda a Humanidade). A placa foi assinada pelos três astronautas que participaram da Apolo 11 e pelo Presidente dos Estados Unidos Richard Nixon. Existem muito poucas fotos de Neil Armstrong na Lua porque ele ficou quase todo ProfªtempoTeixeira o Carla com a câmara fotográfica. Página 8 Assim, quase todas as fotos que mostram um astronauta sobre o solo lunar durante a missão Apollo 11 são de Edwin Aldrin.
  • 9. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 1.1-Qual foi a importância da chegada do Homem à Lua: A- No contexto da Guerra Fria ______________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ B- Para a Humanidade_____________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ A prosperidade económica do mundo capitalista e a sociedade de consumo A imagem dos EUA que era transmitida pelo cinema e depois pela televisão, era a de uma sociedade de consumo, símbolo de modernidade: o lar confortável, equipado com os modernos móveis e a inevitável televisão, as cozinhas-modelo onde o frigorífico e outros electrodomésticos, os pratos preparados, os cafés solúveis, a Coca-Cola mostravam as facilidades da vida e os novos hábitos de consumo; o automóvel como símbolo de ascensão social, a civilização dos tempos livres. Tudo era o cenário de um mundo novo que as estrelas de cinema, de rádio e televisão, divulgavam suscitando fascínio pelos novos modos de vida. Na década de 50/60 houve um grande crescimento económico devido ao aumento: • da produção mundial de bens e serviços; • da produtividade agrícola; Profª Carla Teixeira Página 9
  • 10. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 • da produção de energia e produção industrial ; • desenvolvimento dos transportes terrestres, marítimos e aéreos. A procura também aumentou devido : • forte crescimento demográfico “BABY BOOM”; • ampliação do mercado consumidor; • aumento do poder de compra; • aceleração do progresso científico e tecnológico • Grande impulso dado pela publicidade e pelo marketing A sociedade de consumo O efeito mais evidente dos Trinta Gloriosos foi a generalização do conforto material. A sociedade de consumo transformou os lares e o estilo de vida da maioria da população dos países capitalistas. Nesta sociedade de abundância, o cidadão comum é permanentemente estimulado a despender mais do que o necessário. Multiplicam-se os grandes espaços comerciais, verdadeiros santuários do consumo, onde os objectos, estrategicamente dispostos, se encontram ao alcance da mão do potencial comprador. Uma publicidade bem orquestrada lembra as pequenas e grandes maravilhas a que todos “têm direito” e que as vendas a crédito permitem adquirir. Profª Carla Teixeira Página 10
  • 11. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 O consumismo instala-se duradouramente e torna-se o emblema das economias capitalistas da segunda metade do século XX. Responde às questões: 1-Explica a importância da publicidade . ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ ________________________________ 2-Caracteriza a sociedade de consumo. ________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Alterações na estrutura social e nos comportamentos Depressa a comunidade científica e os leigos se aperceberam do alto preço a pagar pelos progressos tecnológicos e pela sociedade de consumo. Era necessário reduzir as experiências nucleares e dar mais atenção ao problema da poluição e do esgotamento dos recursos naturais. Um conjunto de organizações e de iniciativas se sucederam, desde os anos 60, com o objectivo de controlar o crescimento económico e de garantir a protecção ambiental. Nascia a ecologia. O baby-boom do pós-guerra determina, nos anos 60, a existência de um excedente considerável de jovens. Procurando um estilo de vida alternativo ao dos progenitores, os jovens protagonizaram um poderoso movimento de contestação. Nos EUA, as universidades de Berkeley e de Columbia, foram ocupadas (1964) pelos estudantes que exigiam mudanças radicais no funcionamento dos cursos. Para além das suas reivindicações específicas, os estudantes americanos mostravam-se atentos aos grandes problemas que os cercavam, o que os fez envolverem-se no Profª Carla Teixeira Página 11
  • 12. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 movimento pacifista que se insurgiu contra a participação dos EUA na guerra do Vietname. Em 1968, Paris tornou-se o epicentro de uma revolta estudantil sem precedentes que atingiu a Europa. Ficou conhecida pelo nome de “Maio de 68”, a revolta estudantil parisiense. A crise, que começou por ser um problema estudantil, ganhou rapidamente foros de sublevação social e política. Apesar de fracassado, pela reposição pronta da ordem, o “Maio de 68” tornar-se-ia o símbolo de um combate em que se viveu um conflito de gerações, o descontentamento social e a reacção ao autoritarismo. Uma outra faceta da contestação juvenil fez-se sentir na revolução dos costumes desencadeada pelo movimento hippie. Iniciado nos EUA, caracterizou-se pelo facto de os jovens assumirem atitudes de contracultura (estilo de vida juvenil que denuncia os valores materialistas da sociedade capitalista, aos quais contrapõe a ausência de regras sociais e morais, o espiritualismo, o pacifismo e o regresso à Natureza) em oposição às práticas sociais e à moral tradicional: uso de drogas, despojamento de bens, amor livre, grandes confraternizações. Os Hippies estavam em desacordo com os valores tradicionais da classe média americana e das economias capitalistas e totalitárias.  adoptaram um estilo de vida nómada deixando o conforto dos seus lares, vivendo em comunidades com outros hippies  Os hippies usavam roupas velhas e naturalmente rasgadas, para ir em oposição ao consumismo, ou então roupas com cores berrantes para fazer apologia à psicodélia, além de diversos outros estilos incomuns (tais como calças boca-de-sino, camisas tingidas roupas de inspiração indiana). Também usavam túnicas, sandálias, cabelos compridos em ambos os sexos e flores no cabelo.  Os hippies adoptaram o símbolo da paz que foi desenvolvido na Inglaterra como logo para uma campanha contra o desarmamento nuclear, nos anos 60. Os hippies defendiam a “paz” e o “amor”;  negavam o nacionalismo e a Guerra do Vietname, Profª Carla Teixeira Página 12
  • 13. Ficha de Informação/Trabalho nº 1  Desconfiavam do poder económico-militar e defendiam os valores da natureza. 3-Assinala com um V as afirmações verdadeiras e com um F as afirmações falsas: O movimento hippie foi uma forma de contestação à sociedade. O Rock in Rio realizou-se em 1969 e foi uma oportunidade de os jovens contestarem a sociedade e debaterem novas ideais Em Maio de 1969 ocorreu em França um movimento de protesto juvenil Os hippies privilegiavam a vida em contato com a natureza Os movimentos de protestos juvenis apoiavam a Guerra do Vietname Os hippies contestavam a sociedade de consumo A Era da Globalização Nós vivemos na era da globalização, tudo converge, os limites vão desaparecendo”. Quem não ouviu, no mínimo, uma destas expressões nos últimos anos? A globalização tem o poder de libertar-nos do isolamento. Livra-nos da exclusão a que nos submete o proteccionismo, tornando possível a livre interacção entre pessoas e ideias diferentes e promovendo o respeito e o conhecimento entre as diferentes culturas. Proporciona maior prosperidade e bem-estar e torna-nos, efectivamente, participantes do mundo. A globalização é um fenómeno muito complexo, e não se pode falar dela só no contexto económico, pois estaríamos a esquecer-nos das mudanças sociais, culturais e até politicas que a globalização proporcionou. Alguns historiadores definem a globalização como um processo muito antigo que começou com as primeiras relações entre os homens. Profª Carla Teixeira Página 13
  • 14. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Mas, a fase mais importante corresponde aos Descobrimentos, em que pela primeira vez houve contacto entre Europa, África e América,. E, mais recentemente, com a separação da URSS e com o enorme desenvolvimento das telecomunicações e das tecnologias, um desenvolvimento muito rápido que está a fazer do mundo uma “aldeia global”. Estamos a viver numa era espectacular, em que o acesso à informação é muito mais fácil, e isto só será positivo se aproveitarmos esta informação. Isto nem sempre acontece pois o Homem não dá muito valor às coisas que já alcançou, quer sempre mais, passando a vida à espera de tempos melhores. No tempo dos Descobrimentos uma viagem demorava anos, e era uma aventura da qual o mais provável era não regressarem. Hoje, em 24 horas pode-se fazer a volta ao Mundo, já que o avião atinge velocidades cada vez maiores e o preço é cada vez mais acessível. Antigamente uma notícia precisava de várias semanas para se espalhar pelo Mundo, Hoje, com o desenvolvimento da Mass Media, da qual fazem parte a Internet, a televisão e outros sistemas de produção, difusão e recepção de informação a informação chega muito mais depressa e a todo o lado. O computador ligado a Internet é uma realidade em grande parte das casas dos países desenvolvidos. O termo “ CIBERCULTURA” é normalmente aplicado para caracterizar a cultura emergente da utilização das novas tecnologias de informação e de comunicação, e distingue-se dos outros meios de comunicação porque: • Permite a comunicação interpessoal, ou seja , cada ponto da rede é simultaneamente, transmissor e receptor. • Ao relacionar-se com o seu interlocutor pode fazê-lo usando em simultâneo a imagem, o som e a informação escrita em tempo real. • Privilegia-se a comunicação virtual e anónima, dominada pela tecnologia, em detrimento das relações interpessoais. • Criam-se códigos de escrita” Hipertextos”em permanente transformação. • As novas tecnologias acabam por interferir no quotidiano das pessoas; • Modificam as formas de comunicação , de pensamento e de comportamento; • Interfere nos seus costumes e hábitos de vida. Profª Carla Teixeira Página 14
  • 15. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Uma das consequência da globalização que mais controvérsia tem gerado ultimamente é a transmissão “forçada” da “cultura” americana, que muitos chamam de americanização. Muitas pessoas seguem os exemplos americanos, a sua “cultura”.A Coca-Cola alargou a sua influência até à mais pequena aldeia do mundo, os chineses largaram o arroz e vão comer ao McDonalds, e se ligar o rádio ou a televisão o mais provável é ouvir música americana e ver filmes americanos em que quanta maior for a destruição melhor é o filme. Os Estados Unidos exercem um imperialismo cultural (para além do político e económico) assustador, hoje muitas pessoas já falam inglês, e até os países com cultura mais rica já se renderam a este imperialismo. Com a crescente globalização, as relações entre países melhoraram, há cada vez mais investimentos estrangeiros, o que gera emprego e traz desenvolvimento e prosperidade para a zona onde se instala, e com isso há condições para melhorar as tecnologias. A globalização permite maior contacto entre culturas e partilha de muitas informações e conhecimentos para o bem da Humanidade (ou não). A invenção da Internet" Embora pareça que são só vantagens isso não é verdade, pois o contraste entre os A World Wide Web decretou o sucesso da Internet fora dos laboratórios e dos países ricos e pobres é cada vez maior centros de investigação. Antes da sua invenção, as redes telemáticas eram desconhecidas do grande público, e só após a sua introdução elas entraram em milhões Responde às questões: de casas em todo o mundo. Muitas vezes as expressões Internet e World Wide Web são confundidas, mas não são a mesma coisa. A Internet é a rede constituída 1-Lê o documento: fisicamente pelos computadores e pelas linhas que os ligam; a Web, por sua vez, é o conjunto de regras, processos e programas que permitem aos ficheiros viajar através da rede e compor no ecrã do computador um hipertexto de palavras, imagens e sons. A World Wide Web foi inventada em 1989 pelo físico inglês Tim Berners Lee, que trabalhava no CERN de Genebra, o maior laboratório europeu para a física de partículas, onde são realizadas experiências com a duração de meses ou anos e envolvendo centenas de investigadores espalhados pelo mundo inteiro. Estes cientistas necessitavam de um sistema prático, rápido e económico para trabalhar e trocar dados e informações mesmo quando não estivessem fisicamente nos laboratórios do CERN. Através da World Wide Web, os ficheiros eram guardados em computadores ligados em rede, aos quais todos os investigadores tinham acesso: para mudar de documento bastava fazer clique com o rato, como se se estivesse a navegar num único e enorme hipertexto. Uma outra reviravolta na difusão da Web nasceu em 1993, na Universidade do Illinois. Marc Andreessen, um estudante de 23 anos, inventou o browser Mosaic, o primeiro programa para navegar através dos documentos da Web e que permitia visualizar também imagens. Andreessen fundou a Netscape Communications, que tem criado browsers cada vez mais sofisticados, tendo-se tornado um dos mais jovens milionários Profª Carla Teixeira Página 15 da história. "O Mundo dos Computadores",
  • 16. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 1.1Tendo por base o documento, argumenta sobre as grandes conquistas da Humanidade na desde o século XX até à actualidade, salientando os aspectos que consideras mais positivos e os menos positivos. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 2-Explica o significado de globalização. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 3-Refere as vantagens e desvantagens da globalização. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ Profª Carla Teixeira Página 16
  • 17. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Artes no pós -Guerra Quando a Segunda Guerra Mundial termina, o Mundo não é o mesmo. Muito em particular a Europa não se encontrava em condições de liderar a política internacional nem o próprio processo civilizacional. A guerra destruíra-a como nunca, deixando-a absolutamente arrasada. Aos Estados Unidos, um das cabeças do mundo bipolar que se desenhou em 1945, coube assumir uma condução do Oriente. Em Nova Iorque produzir-se-ão as alterações mais significativas e as grandes polémicas no mundo da arte. Nos EUA, um generoso mecenato privado irrompia e patrocinava a fundação de galerias e de grandes museus. A Europa devastada pela guerra não fornecia um cenário estimulante para a produção cultural e, por isso, muitos foram os intelectuais que a América anglo- saxónica acolheu e incentivou. Aos artistas europeus emigrados juntaram-se os talentos americanos, particularmente activos. Do seu encontro brotou aquela que é designada por Escola de Nova Iorque, a grande responsável pela dinamização das artes no pós-guerra. A ela se deveram as experiências vanguardistas do expressionismo abstracto. A pop art (1958-1965) A pop arte desenvolveu-se em simultâneo em Inglaterra e nos EUA. A pop arte reconcilia o grande público com a arte. Em primeiro lugar, porque retoma a figuração e se revela de fácil apreensão. Depois, porque retira os seus temas e objectos do mundo de produtos e imagens que a sociedade de massas abundantemente consumia. Os quadros substituem-se à publicidade, seja na divulgação de objectos de consumo corrente, seja na exibição de rostos de artistas e personalidades famosas. O mais importante pintor deste movimento, Andy Warhol, tornou a serigrafia, um processo mecânico de impressão em série, na obra de arte por excelência desta corrente. Warhol fez da própria arte um objecto de consumo corrente e estandardizado. A mesma visão sarcástica sobre os símbolos e ritos do quotidiano da sociedade de consumo perpassa na pop art inglesa. Os ingleses distinguem-se pelo sense of Profª Carla Teixeira Página 17
  • 18. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 humor subtilmente provocatório. Para além dos processos de impressão, fazem ainda uso de colagens e da integração de objectos comuns. OP ART ou arte cinética A Op Art (arte óptica) e a Arte Cinética (com movimento) trocaram a crítica festiva e irónica da grande seriedade da arte tradicional pela nova e divertida estética do quotidiano e efémero. Em geral, era usada uma tecnologia simples (motores e luz) para activar superfícies opticamente confusas que muitas vezes tinham um “ar” de máquina. Salientam-se as obras de Victor Vasarely. A arte óptica era um estilo sem referência iconográficas ou históricas, jogando com os fenómenos da percepção visual através de complicados Profª Carla Teixeira Página 18
  • 19. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 jogos geométricos a preto e branco ou a cores que criam ilusões de profundidade ou de movimento. Caracteriza-se pela: -Utilização da ilusão de óptica e do movimento -Efeitos provocados pelos jogos de luz Body Art A utilização do corpo enquanto suporte para a criação artística, pelo seu significado e expressividade, é bastante antiga. A criação do movimento Body Art na Europa e nos Estados Unidos, no final da década de 60, representa o reconhecimento da capacidade de comunicação do corpo humano, do próprio artista ou de qualquer outra pessoa, enquanto veículo portador de ideias e de atitudes, explorando de forma direta e livre de preconceitos temas como o género e a sexualidade. Foi fortemente influenciado pela cultura do corpo, da nudez, da comunicação corporal e da liberdade sexual, que marcaram os inícios dos anos 60. As manifestações de Body Art assumiam geralmente o carácter de performances, onde os artistas se exprimiam de forma pessoal, revelando tendências muito diversas. Para alguns, a violência e agressividade, expressos em atos de auto- mutilação, que atingiam por vezes os limites de resistência do corpo, tinham o objetivo de chocar o espectador e de lhe provocar reações fortes. Land Art Esta manifestação apresenta preocupações ecológicas, recusando a arte comercial. De tipo conceptual, esta arte efémera esgota-se no próprio acto da sua execução, ficando dela apenas o registo fotográfica. Constitui uma manifestação interventiva na paisagem, em grandes espaços naturais, que se pode apresentar de maneiras muitos variadas. Minimal Art Profª Carla Teixeira Página 19
  • 20. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Apelou à necessidade de recorrer aos elementos básicos e essenciais da matéria plástica. Decorrente da Land Art, manifestou desprezo pela figuração e empregou um número mínimo de elementos plásticos e de cores, cujo efeito impessoal é devido ao uso de materiais individuais. Na sua maioria, as obras desta vertente conceptual são tridimensionais, designando-se por estruturas primordiais. Na pintura pode ser definida pelo número restrito de elementos, sendo muitas vezes constituída por superfícies monocromáticas, sem qualquer alteração tonal. Arte em Portugal pós 25 de Abril Até ao 25 de Abril de 1974, Portugal manteve-se isolado, com o peso da Guerra Colonial e com a censura e a polícia política que tudo controlavam. Apesar desta situação, surgiram algumas rupturas e valores emergentes, como consequência de um mercado de arte mais especulativo, de contactos com escolas e artistas estrangeiros e de uma produção mais diversificada e personalizada. A partir da instauração da democracia, as artes tornaram-se um outro veículo de crítica e de construção, desde as artes plásticas ao cinema, à literatura, à dança, à música … com obras vanguardistas. Surgem, por todo o país, galerias e locais de exposição, mais publicações, mais artistas e amantes das artes. Assim, o que caracteriza a contemporaneidade portuguesa é: uma maior pluralidade expressiva, um espírito de experimentação aliado a uma onda de criatividade facilitada pelas inovações tecnológicas, uma projecção internacional de autores e obras, e mais atenção à salvaguarda do património, uma adesão e extrapolação às correntes modernas, uma preocupação quanto ao desenvolvimento urbano e suburbano, um maior número de arquitecturas de autor, o uso de temáticas versando o corpo e o comportamento, a utilização dos multimédia, a prioridade às questões ambientais, numa produção onde o artista é um poliapto, trabalhando os mais variados materiais, formas, técnicas e áreas, abordando, cada vez mais, questões humanitárias, políticas e do quotidiano, num paralelo com o que se faz no estrangeiro. Não existe data específica para o arranque da arquitectura contemporânea em Portugal. Os registos dos primeiros sinais que a identificam, apontam para uma época ligeiramente anterior a 1950. No entanto é sempre referenciado o acontecimento político do 25 de Abril de 1974 como data “oficial” a partir da qual foi impulsionada a corrente. As obras de Álvaro Siza Vieira , Eduardo Souto Moura, Nuno Teotónio Pereira, entre outros, surgem como referência da arquitectura contemporânea das décadas de sessenta, setenta e oitenta. Características da Arquitectura Antiga/moderna ANTIGA - Durante muitos anos, os materiais de construção neste tipo de arquitectura, eram à base de: Profª Carla Teixeira Página 20
  • 21. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 - Pedra – Cal – Madeira. MODERNA - As maciças paredes de suporte são substituídas por delgados pilares. As divisões passam a ser leves e independentes da estrutura. Maior leveza, flexibilidade e transparência. -Utilização de novos materiais, pré-fabricados: Aço, Betão, Vidro, - Simplificação dos volumes, geometrização das formas: predomínio das linhas rectas, sólidos geométricos; - Paredes lisas e, geralmente, brancas, abolindo-se a decoração e realçando-se a estrutura do edifício; - Coberturas planas, geralmente transformadas em terraços; - Amplas janelas, em fita, ou fachadas-cortina em vidro; Responde às questões: 1-Observa as imagens: Profª Carla Teixeira Página 21
  • 22. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 Fig 1 Fig 2 1.1-Indica a que estilo artístico pertencem as figuras: Fig. 1_________________________________________________________ Fig 2_________________________________________________________ 1.2-Caracteriza-os. _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ _____________________________________________________________ 2-Em que medida o Estado Novo impedia a liberdade criativa? _____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ 2.1-Após o 25 de Abril surgem por todo lado galerias, museus e novas produções artísticas. Qual foi a importância destas instituições no novo panorama cultural? _____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ Profª Carla Teixeira Página 22
  • 23. Ficha de Informação/Trabalho nº 1 2.2-Indica o nome dos arquitetos portugueses que se têm destacado desde os anos 70. _____________________________________________________________ ____________________________________________________________ 3- Analisa as obras abaixo representadas à luza da arquitetura contemporânea. Casa da Música Gare do oriente _____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ ____________________________________________________________ Profª Carla Teixeira Página 23