SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 74
O Egito AntigoO Egito Antigo
Condições geográficasCondições geográficas
 Localização: nordeste da ÁfricaLocalização: nordeste da África
 Desertos: Saara e Líbia (oeste) e Sinai (leste)Desertos: Saara e Líbia (oeste) e Sinai (leste)
 Mar Mediterrâneo ao norte e Vermelho a lesteMar Mediterrâneo ao norte e Vermelho a leste
 Egito: uma “dádiva do Nilo” (Heródoto)Egito: uma “dádiva do Nilo” (Heródoto)
 Nilo: 6700 km de extensão (2º maior rio doNilo: 6700 km de extensão (2º maior rio do
mundo)mundo)
 Cheias de junho a setembro: húmus fertilizanteCheias de junho a setembro: húmus fertilizante
 agriculturaagricultura
 ““Salve, tu, Nilo! Que te manifestas nesta terra eSalve, tu, Nilo! Que te manifestas nesta terra e
vens dar vida ao Egito!”vens dar vida ao Egito!” (oração ao Nilo)(oração ao Nilo)
Rio NiloRio Nilo
Shaduf
Origem da civilizaçãoOrigem da civilização
 Final do Neolítico há cerca de 4000 a.C.:Final do Neolítico há cerca de 4000 a.C.:
primeiras comunidades sedentárias àsprimeiras comunidades sedentárias às
margens do Nilomargens do Nilo
 Os nomos e os nomarcasOs nomos e os nomarcas
 A união dos nomos em 2 reinos: BaixoA união dos nomos em 2 reinos: Baixo
Egito (norte) e Alto Egito (sul)Egito (norte) e Alto Egito (sul)
 3200 a.C.: Narmer ou Menés unifica o3200 a.C.: Narmer ou Menés unifica o
Egito tornando-se o primeiro faraóEgito tornando-se o primeiro faraó
(“grande casa”)(“grande casa”)
Períodos da história egípciaPeríodos da história egípcia
Período Pré-dinástico (4000 a.C. a 3200 a.C.)Período Pré-dinástico (4000 a.C. a 3200 a.C.)
 Antes das primeiras dinastias de faraósAntes das primeiras dinastias de faraós
Período dinástico (3200 a.C. a 525 a.C.)Período dinástico (3200 a.C. a 525 a.C.)
 Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)
 Médio Império (2000 a.C. a 1580 a.C.)Médio Império (2000 a.C. a 1580 a.C.)
 Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)
 Renascimento Saíta (650 a.C. a 525 a.C.)Renascimento Saíta (650 a.C. a 525 a.C.)
 Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)
1. Antigo Império (3200 a.C. – 2300 a.C.)1. Antigo Império (3200 a.C. – 2300 a.C.)
 3200 a.C.: unificação dos reinos do Alto e Baixo Egito3200 a.C.: unificação dos reinos do Alto e Baixo Egito
por Menés (Narmer), o primeiro faraó (“grande casa”)por Menés (Narmer), o primeiro faraó (“grande casa”)
 Capitais: Tinis, depois MênfisCapitais: Tinis, depois Mênfis
 Grandes pirâmides:Grandes pirâmides:
 Pirâmides de degraus de Djoser (o arquiteto Imhotep)Pirâmides de degraus de Djoser (o arquiteto Imhotep)
e Snefru (“pirâmide torta”)e Snefru (“pirâmide torta”)
 Pirâmides de Gizé: Quéfren, Quéops ePirâmides de Gizé: Quéfren, Quéops e
Miquerinos(2700 – 2600 a.C.)Miquerinos(2700 – 2600 a.C.)
 Entre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poder entre osEntre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poder entre os
nomarcas e o faraónomarcas e o faraó  enfraquecimento do poder realenfraquecimento do poder real
Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)
 3200 a.C. : Menés ou Narmer unifica os3200 a.C. : Menés ou Narmer unifica os
reinos do Alto e Baixo Egito (o 1º primeiroreinos do Alto e Baixo Egito (o 1º primeiro
faraó)faraó)
 Capitais: Tinis, depois MênfisCapitais: Tinis, depois Mênfis
 Construção das pirâmides de Gizé: Quéfren,Construção das pirâmides de Gizé: Quéfren,
Quéops e Miquerinos (2700 – 2600 a.C.)Quéops e Miquerinos (2700 – 2600 a.C.)
 Entre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poderEntre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poder
entre os nomarcas e os faraósentre os nomarcas e os faraós
Pirâmide de Djoser
A pirâmide torta de Snefru
Pirâmides de Gizé: Quéops (146,6 m), Quéfren e Miquerinos
“O homem teme o tempo, e o tempo teme as pirâmides” (Provérbio árabe)
“Do alto destas pirâmides quarenta séculos vos contemplam” (Napoleão)
As grandes pirâmidesAs grandes pirâmides
Esfinge: As esfinges
eram as guardiãs dos
templos e das
pirâmides. A esfinge
diante da pirâmide de
Quéfren tem cabeça
humana e corpo de
leão.
Jovem descansa na parede
lateral de uma das pirâmides
de Gizé
Coroas egípcias
Coroa ritual
Cetro, mangual, uraeus, barba cerimonial, was (cetro longo),
nemes
2. Médio Império (2000 a.C. – 1580 a.C.)2. Médio Império (2000 a.C. – 1580 a.C.)
 Os faraós restabelecem o seu poderOs faraós restabelecem o seu poder
 Tebas: nova capitalTebas: nova capital
 Em cerca de 1750 a.C.: os hebreus migramEm cerca de 1750 a.C.: os hebreus migram
para o Egito fugindo de uma grande secapara o Egito fugindo de uma grande seca
 Invasão dos hicsos (período de dominação:Invasão dos hicsos (período de dominação:
1788 a.C. – 1580 a.C.): introdução do ferro,1788 a.C. – 1580 a.C.): introdução do ferro,
do cavalo e dos carros de combatedo cavalo e dos carros de combate
 1580 a.C.: expulsão dos hicsos e1580 a.C.: expulsão dos hicsos e
escravização dos hebreusescravização dos hebreus
Guerreiros hicsos
Faraó em carro de combate
3. Novo Império (1580 a.C. – 662 a.C.)3. Novo Império (1580 a.C. – 662 a.C.)
 Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)
 1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)
 Tutmés IIITutmés III  expansão até o Eufrates (vence a Síria eexpansão até o Eufrates (vence a Síria e
a Fenícia)a Fenícia)
 Amenófis IV: institui o monoteísmo (Aton) e muda oAmenófis IV: institui o monoteísmo (Aton) e muda o
seu nome para Akhenatonseu nome para Akhenaton
 Tutankâmon, o faró-meninoTutankâmon, o faró-menino
 Ramsés IIRamsés II  vence os hititas na batalha de Kadeshvence os hititas na batalha de Kadesh
(1299 a.C.)(1299 a.C.)
 Templos de Karnac, Luxor e Abu-SimbelTemplos de Karnac, Luxor e Abu-Simbel
 662 a.C.: os assírios conquistam o Egito662 a.C.: os assírios conquistam o Egito
Templo de
Karnak
Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)
 Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)
 1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)
 Tutmés IIITutmés III  expansão até o Eufrates (vence a Síria eexpansão até o Eufrates (vence a Síria e
a Fenícia)a Fenícia)
 Amenófis IV institui o monoteísmo (Aton) e muda oAmenófis IV institui o monoteísmo (Aton) e muda o
seu nome para Akhenaton. A rainha Nefertitiseu nome para Akhenaton. A rainha Nefertiti
 Tutancâmon: o faraó-meninoTutancâmon: o faraó-menino
 Ramsés IIRamsés II  vence os hititas na batalha de Kadeshvence os hititas na batalha de Kadesh
(1299 a.C.)(1299 a.C.)
 Templos de Karnac, Luxor e Abu-SimbelTemplos de Karnac, Luxor e Abu-Simbel
 Os Assírios de Assurbanipal conquistam o Egito (662Os Assírios de Assurbanipal conquistam o Egito (662
a.C)a.C)
Templo de
Luxor
Templo de Abu-Simbel
4. Renascimento Saíta (650 a.C. - 525 a.C.)4. Renascimento Saíta (650 a.C. - 525 a.C.)
 A partir de Saís, Psamético I comanda a vitóriaA partir de Saís, Psamético I comanda a vitória
sobre os assíriossobre os assírios
 Necao: tentativa de construção de uma canalNecao: tentativa de construção de uma canal
unindo o Nilo ao Mar Vermelho. Financia ounindo o Nilo ao Mar Vermelho. Financia o
contorno da África pelo fenício Hamoncontorno da África pelo fenício Hamon
 Depois de Necao: enfraquecimento do impérioDepois de Necao: enfraquecimento do império
 Invasão dos persas liderados por CambisesInvasão dos persas liderados por Cambises
(Batalha de Pelusa, 525 a.C.)(Batalha de Pelusa, 525 a.C.)  fim dafim da
independênciaindependência
5. Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)5. Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)
 Os macedônios de Alexandre, o GrandeOs macedônios de Alexandre, o Grande
conquistam o Egito (332 a.C.)conquistam o Egito (332 a.C.)  EgitoEgito
Ptolomaico (305 a.C. a 30 a.C.)Ptolomaico (305 a.C. a 30 a.C.)
 Os romanos dominam o Egito em 30 a.C.Os romanos dominam o Egito em 30 a.C.
(Cleópatra)(Cleópatra)
Obs.: Autonomia política do Egito, só em 1922Obs.: Autonomia política do Egito, só em 1922
Alexandre, o Grande
A biblioteca de Alexandria
Júlio César, Cleópatra e Marco Antônio
A sociedade egípcia
EconomiaEconomia
 Agricultura de regadio (trigo,Agricultura de regadio (trigo,
cevada, linho, uva, cereais, frutas ecevada, linho, uva, cereais, frutas e
legumes)legumes)
 Criação de animais (bois,Criação de animais (bois,
carneiros, cabras, gansos, patos ecarneiros, cabras, gansos, patos e
pombos)pombos)
 Construção de barcos, tecelagemConstrução de barcos, tecelagem
de linho, fabricação de cerâmica,de linho, fabricação de cerâmica,
vidro e papirovidro e papiro
 Grandes navegadores eGrandes navegadores e
comerciantes.comerciantes.
 Trabalhos coletivos para o faraó eTrabalhos coletivos para o faraó e
a nobrezaa nobreza
Aspectos culturaisAspectos culturais
 A crença dos egípcios na imortalidade justifica aA crença dos egípcios na imortalidade justifica a
grandiosidade de suas obrasgrandiosidade de suas obras
 O livro dos mortosO livro dos mortos
 A barca da eternidadeA barca da eternidade
 Ba (alma) e Ka (força vital, espírito)Ba (alma) e Ka (força vital, espírito)
 Teocracia (faraó, o filho de Hórus)Teocracia (faraó, o filho de Hórus)
 MumificaçãoMumificação  desenvolvimento da medicinadesenvolvimento da medicina
 Politeísmo e a adoração aos elementos daPoliteísmo e a adoração aos elementos da
natureza (Antropomorfismo, zoomorfismo enatureza (Antropomorfismo, zoomorfismo e
antropozoomorfismo)antropozoomorfismo)
Barca da eternidade
Ba
O tribunal de Osíris
Fragmento do Livro dos Mortos de Ani
Ammit: o devorador dos mortos
A mumificaçãoA mumificação
Vasos canópicosVasos canópicos
Aspectos culturaisAspectos culturais
 Rá (Amon-Rá), Osíris, Ísis, Hórus, Anúbis,Rá (Amon-Rá), Osíris, Ísis, Hórus, Anúbis,
Ápis, Seth, Aton (Amenófis IV), etc.Ápis, Seth, Aton (Amenófis IV), etc.
 Mastabas, hipogeus, pirâmides e templosMastabas, hipogeus, pirâmides e templos
(Luxor, Karnak e Abu Simbel)(Luxor, Karnak e Abu Simbel)
 Matemática aplicada (geometria)Matemática aplicada (geometria)
 Três tipos de escritas hieroglífica, hierática eTrês tipos de escritas hieroglífica, hierática e
demótica (1822: Champollion decifra a escritademótica (1822: Champollion decifra a escrita
egípcia – a Pedra de Roseta)egípcia – a Pedra de Roseta)
 Curiosidade: Howard Carter e a descoberta daCuriosidade: Howard Carter e a descoberta da
tumba de Tuntacâmon em 1922 (a “maldiçãotumba de Tuntacâmon em 1922 (a “maldição
do faraó”)do faraó”)
Mastabas: As mastabas eram
túmulos recobertos com lajes de
pedra ou de tijolo especial. Tinham
uma capela, a câmara do morto e
outros compartimentos.
Hipogeus: Túmulos escavados nas
rochas, próximo às barrancas do Nilo.
O hipogeu mais famoso foi
Tutancâmon, situado no Vale dos Reis.
Obelisco: Monumento
feito de uma só pedra em
forma de agulha para
marcar algum fato ou
realização. Representa
também um raio do Deus
Sol.
Hieróglifo, hierático e demótico
Jean-François Champollion
Pedra de Roseta
Tutankamon
Howard Carter
“A morte tocará
com suas asas
aquele que
perturbar o sono
do faraó”
Nut (deusa do Céu) e Geb (deus da Terra): os pais dos deuses
Nut
Rá
Ísis
Osíris
Hórus
Flor de lótus, símbolo da fertilidade do
Nilo e também do deus Osíris
Néftis Seth
Anúbis
Hapi: o deus do rio Nilo, simbolizando o Alto e o Baixo Egito
Amon Mut Khonsu Amaunet
Taweret Bes
Maat
Ptah Sekhmet
Khnum criando a humanidade a partir de uma
roda de oleiro
Toth
Hathor
Bastet
Sobek
Ápis
Kephri
Akhenaton adorando o deus Aton
Nekhbet
Serket
Nehebkau
Neith
Meskhenet
Uadjit (Wadjet)
Ankh
Udyat: o olho esquerdo de Hórus

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Grécia antiga - período homérico
Grécia antiga - período homéricoGrécia antiga - período homérico
Grécia antiga - período homérico
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
Egito 1
Egito 1Egito 1
Egito 1
 
Romanos monarquia e república
Romanos   monarquia e repúblicaRomanos   monarquia e república
Romanos monarquia e república
 
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e FeníciosAs primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
As primeiras civilizações: Hebreus, Persas e Fenícios
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
A grécia antiga
A grécia antigaA grécia antiga
A grécia antiga
 
Os faraós do antigo egipto
Os faraós do antigo egiptoOs faraós do antigo egipto
Os faraós do antigo egipto
 
1º ano roma antiga rafa - 2016
1º ano roma antiga   rafa - 20161º ano roma antiga   rafa - 2016
1º ano roma antiga rafa - 2016
 
Civilização Persa
Civilização PersaCivilização Persa
Civilização Persa
 
Império Bizantino
Império BizantinoImpério Bizantino
Império Bizantino
 
Grécia Antiga - 6ºAno
Grécia Antiga - 6ºAnoGrécia Antiga - 6ºAno
Grécia Antiga - 6ºAno
 
1° ano império romano - completo
1° ano    império romano - completo1° ano    império romano - completo
1° ano império romano - completo
 
Antiga Grecia
Antiga GreciaAntiga Grecia
Antiga Grecia
 
3° ano - Grécia Antiga – aula 2
3° ano - Grécia Antiga – aula 23° ano - Grécia Antiga – aula 2
3° ano - Grécia Antiga – aula 2
 
Roma antiga
Roma antigaRoma antiga
Roma antiga
 
Egito slide
Egito slideEgito slide
Egito slide
 
Império Macedônico
Império MacedônicoImpério Macedônico
Império Macedônico
 
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e RomaMapa mental sobre o   Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
Mapa mental sobre o Feudalismo, Grécia Antiga e Roma
 
Periodo classico na Grécia
Periodo classico na GréciaPeriodo classico na Grécia
Periodo classico na Grécia
 

Semelhante a O Egito Antigo

Semelhante a O Egito Antigo (20)

1º ano rafa - antiguidade oriental -egito, mesopotâmia
1º ano   rafa - antiguidade oriental -egito, mesopotâmia 1º ano   rafa - antiguidade oriental -egito, mesopotâmia
1º ano rafa - antiguidade oriental -egito, mesopotâmia
 
ANTIGUIDADE ORIENTAL
ANTIGUIDADE ORIENTALANTIGUIDADE ORIENTAL
ANTIGUIDADE ORIENTAL
 
5° civilizações do oriente médio
5° civilizações do oriente médio5° civilizações do oriente médio
5° civilizações do oriente médio
 
Cronologia Antiga
Cronologia AntigaCronologia Antiga
Cronologia Antiga
 
História de África - parte 2
História de África - parte 2História de África - parte 2
História de África - parte 2
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 
O egito antigo
O egito antigoO egito antigo
O egito antigo
 
Egito Faraônico Antigo Império
Egito Faraônico Antigo ImpérioEgito Faraônico Antigo Império
Egito Faraônico Antigo Império
 
Egito antigo
Egito antigoEgito antigo
Egito antigo
 
Antigüidade oriental
Antigüidade orientalAntigüidade oriental
Antigüidade oriental
 
Os hebreus
Os hebreusOs hebreus
Os hebreus
 
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
Apr histriamesopotamia-100509130457-phpapp01
 
Introdução geral à bíblia ppt
Introdução geral à bíblia pptIntrodução geral à bíblia ppt
Introdução geral à bíblia ppt
 
Arte Egípcia; História da Arte
Arte Egípcia; História da ArteArte Egípcia; História da Arte
Arte Egípcia; História da Arte
 
historia da mesopotamia
historia da mesopotamiahistoria da mesopotamia
historia da mesopotamia
 
Hisger3
Hisger3Hisger3
Hisger3
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Arte egípcia
Arte egípciaArte egípcia
Arte egípcia
 
Primeiras Civilizações - Egito Antigo
Primeiras Civilizações - Egito AntigoPrimeiras Civilizações - Egito Antigo
Primeiras Civilizações - Egito Antigo
 
Egito
EgitoEgito
Egito
 

Mais de Professor Marcelo

As constituições brasileiras
As constituições brasileirasAs constituições brasileiras
As constituições brasileirasProfessor Marcelo
 
A crise União Soviética e o leste europeu
A crise União Soviética e o leste europeuA crise União Soviética e o leste europeu
A crise União Soviética e o leste europeuProfessor Marcelo
 
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismoO período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismoProfessor Marcelo
 
A crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeuA crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeuProfessor Marcelo
 
A unificação da Alemanha e da Itália
A unificação da Alemanha e da ItáliaA unificação da Alemanha e da Itália
A unificação da Alemanha e da ItáliaProfessor Marcelo
 
As revoluções liberais européias no século XIX
As revoluções liberais européias no século XIXAs revoluções liberais européias no século XIX
As revoluções liberais européias no século XIXProfessor Marcelo
 
A Independência dos Estados Unidos
A Independência dos Estados UnidosA Independência dos Estados Unidos
A Independência dos Estados UnidosProfessor Marcelo
 

Mais de Professor Marcelo (20)

As constituições brasileiras
As constituições brasileirasAs constituições brasileiras
As constituições brasileiras
 
Ética no cotidiano
Ética no cotidianoÉtica no cotidiano
Ética no cotidiano
 
Os povos pré colombianos
Os povos pré colombianosOs povos pré colombianos
Os povos pré colombianos
 
A nova ordem mundial
A nova ordem mundialA nova ordem mundial
A nova ordem mundial
 
A crise União Soviética e o leste europeu
A crise União Soviética e o leste europeuA crise União Soviética e o leste europeu
A crise União Soviética e o leste europeu
 
Deuses gregos
Deuses gregosDeuses gregos
Deuses gregos
 
A Era da Guerra Fria 2
A Era da Guerra Fria 2A Era da Guerra Fria 2
A Era da Guerra Fria 2
 
A Era da Guerra Fria 1
A Era da Guerra Fria 1A Era da Guerra Fria 1
A Era da Guerra Fria 1
 
A Segunda Guerra Mundial
A Segunda Guerra MundialA Segunda Guerra Mundial
A Segunda Guerra Mundial
 
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismoO período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
O período entre-guerras (1918-1939): crise de 29 e nazifascismo
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
A Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra MundialA Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra Mundial
 
A crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeuA crise da União Soviética e o leste europeu
A crise da União Soviética e o leste europeu
 
O neocolonialismo
O neocolonialismoO neocolonialismo
O neocolonialismo
 
A unificação da Alemanha e da Itália
A unificação da Alemanha e da ItáliaA unificação da Alemanha e da Itália
A unificação da Alemanha e da Itália
 
As novas doutrinas sociais
As novas doutrinas sociaisAs novas doutrinas sociais
As novas doutrinas sociais
 
As revoluções liberais européias no século XIX
As revoluções liberais européias no século XIXAs revoluções liberais européias no século XIX
As revoluções liberais européias no século XIX
 
A Era Napoleônica
A Era NapoleônicaA Era Napoleônica
A Era Napoleônica
 
A Revolução Francesa
A Revolução FrancesaA Revolução Francesa
A Revolução Francesa
 
A Independência dos Estados Unidos
A Independência dos Estados UnidosA Independência dos Estados Unidos
A Independência dos Estados Unidos
 

O Egito Antigo

  • 1. O Egito AntigoO Egito Antigo
  • 2. Condições geográficasCondições geográficas  Localização: nordeste da ÁfricaLocalização: nordeste da África  Desertos: Saara e Líbia (oeste) e Sinai (leste)Desertos: Saara e Líbia (oeste) e Sinai (leste)  Mar Mediterrâneo ao norte e Vermelho a lesteMar Mediterrâneo ao norte e Vermelho a leste  Egito: uma “dádiva do Nilo” (Heródoto)Egito: uma “dádiva do Nilo” (Heródoto)  Nilo: 6700 km de extensão (2º maior rio doNilo: 6700 km de extensão (2º maior rio do mundo)mundo)  Cheias de junho a setembro: húmus fertilizanteCheias de junho a setembro: húmus fertilizante  agriculturaagricultura  ““Salve, tu, Nilo! Que te manifestas nesta terra eSalve, tu, Nilo! Que te manifestas nesta terra e vens dar vida ao Egito!”vens dar vida ao Egito!” (oração ao Nilo)(oração ao Nilo)
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7. Origem da civilizaçãoOrigem da civilização  Final do Neolítico há cerca de 4000 a.C.:Final do Neolítico há cerca de 4000 a.C.: primeiras comunidades sedentárias àsprimeiras comunidades sedentárias às margens do Nilomargens do Nilo  Os nomos e os nomarcasOs nomos e os nomarcas  A união dos nomos em 2 reinos: BaixoA união dos nomos em 2 reinos: Baixo Egito (norte) e Alto Egito (sul)Egito (norte) e Alto Egito (sul)  3200 a.C.: Narmer ou Menés unifica o3200 a.C.: Narmer ou Menés unifica o Egito tornando-se o primeiro faraóEgito tornando-se o primeiro faraó (“grande casa”)(“grande casa”)
  • 8.
  • 9.
  • 10. Períodos da história egípciaPeríodos da história egípcia Período Pré-dinástico (4000 a.C. a 3200 a.C.)Período Pré-dinástico (4000 a.C. a 3200 a.C.)  Antes das primeiras dinastias de faraósAntes das primeiras dinastias de faraós Período dinástico (3200 a.C. a 525 a.C.)Período dinástico (3200 a.C. a 525 a.C.)  Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)  Médio Império (2000 a.C. a 1580 a.C.)Médio Império (2000 a.C. a 1580 a.C.)  Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)  Renascimento Saíta (650 a.C. a 525 a.C.)Renascimento Saíta (650 a.C. a 525 a.C.)  Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)
  • 11. 1. Antigo Império (3200 a.C. – 2300 a.C.)1. Antigo Império (3200 a.C. – 2300 a.C.)  3200 a.C.: unificação dos reinos do Alto e Baixo Egito3200 a.C.: unificação dos reinos do Alto e Baixo Egito por Menés (Narmer), o primeiro faraó (“grande casa”)por Menés (Narmer), o primeiro faraó (“grande casa”)  Capitais: Tinis, depois MênfisCapitais: Tinis, depois Mênfis  Grandes pirâmides:Grandes pirâmides:  Pirâmides de degraus de Djoser (o arquiteto Imhotep)Pirâmides de degraus de Djoser (o arquiteto Imhotep) e Snefru (“pirâmide torta”)e Snefru (“pirâmide torta”)  Pirâmides de Gizé: Quéfren, Quéops ePirâmides de Gizé: Quéfren, Quéops e Miquerinos(2700 – 2600 a.C.)Miquerinos(2700 – 2600 a.C.)  Entre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poder entre osEntre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poder entre os nomarcas e o faraónomarcas e o faraó  enfraquecimento do poder realenfraquecimento do poder real
  • 12. Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)Antigo Império (3200 a.C. a 2300 a.C.)  3200 a.C. : Menés ou Narmer unifica os3200 a.C. : Menés ou Narmer unifica os reinos do Alto e Baixo Egito (o 1º primeiroreinos do Alto e Baixo Egito (o 1º primeiro faraó)faraó)  Capitais: Tinis, depois MênfisCapitais: Tinis, depois Mênfis  Construção das pirâmides de Gizé: Quéfren,Construção das pirâmides de Gizé: Quéfren, Quéops e Miquerinos (2700 – 2600 a.C.)Quéops e Miquerinos (2700 – 2600 a.C.)  Entre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poderEntre 2300 – 2100 a.C.: disputa de poder entre os nomarcas e os faraósentre os nomarcas e os faraós
  • 13.
  • 15. A pirâmide torta de Snefru
  • 16. Pirâmides de Gizé: Quéops (146,6 m), Quéfren e Miquerinos “O homem teme o tempo, e o tempo teme as pirâmides” (Provérbio árabe) “Do alto destas pirâmides quarenta séculos vos contemplam” (Napoleão)
  • 17. As grandes pirâmidesAs grandes pirâmides
  • 18.
  • 19. Esfinge: As esfinges eram as guardiãs dos templos e das pirâmides. A esfinge diante da pirâmide de Quéfren tem cabeça humana e corpo de leão.
  • 20.
  • 21. Jovem descansa na parede lateral de uma das pirâmides de Gizé
  • 23. Cetro, mangual, uraeus, barba cerimonial, was (cetro longo), nemes
  • 24. 2. Médio Império (2000 a.C. – 1580 a.C.)2. Médio Império (2000 a.C. – 1580 a.C.)  Os faraós restabelecem o seu poderOs faraós restabelecem o seu poder  Tebas: nova capitalTebas: nova capital  Em cerca de 1750 a.C.: os hebreus migramEm cerca de 1750 a.C.: os hebreus migram para o Egito fugindo de uma grande secapara o Egito fugindo de uma grande seca  Invasão dos hicsos (período de dominação:Invasão dos hicsos (período de dominação: 1788 a.C. – 1580 a.C.): introdução do ferro,1788 a.C. – 1580 a.C.): introdução do ferro, do cavalo e dos carros de combatedo cavalo e dos carros de combate  1580 a.C.: expulsão dos hicsos e1580 a.C.: expulsão dos hicsos e escravização dos hebreusescravização dos hebreus
  • 25. Guerreiros hicsos Faraó em carro de combate
  • 26. 3. Novo Império (1580 a.C. – 662 a.C.)3. Novo Império (1580 a.C. – 662 a.C.)  Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)  1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)  Tutmés IIITutmés III  expansão até o Eufrates (vence a Síria eexpansão até o Eufrates (vence a Síria e a Fenícia)a Fenícia)  Amenófis IV: institui o monoteísmo (Aton) e muda oAmenófis IV: institui o monoteísmo (Aton) e muda o seu nome para Akhenatonseu nome para Akhenaton  Tutankâmon, o faró-meninoTutankâmon, o faró-menino  Ramsés IIRamsés II  vence os hititas na batalha de Kadeshvence os hititas na batalha de Kadesh (1299 a.C.)(1299 a.C.)  Templos de Karnac, Luxor e Abu-SimbelTemplos de Karnac, Luxor e Abu-Simbel  662 a.C.: os assírios conquistam o Egito662 a.C.: os assírios conquistam o Egito
  • 28. Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)Novo Império (1580 a.C. a 662 a.C.)  Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)Militarismo e expansionismo (apogeu do Egito)  1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)1250 a.C.: Êxodo hebraico (Moisés)  Tutmés IIITutmés III  expansão até o Eufrates (vence a Síria eexpansão até o Eufrates (vence a Síria e a Fenícia)a Fenícia)  Amenófis IV institui o monoteísmo (Aton) e muda oAmenófis IV institui o monoteísmo (Aton) e muda o seu nome para Akhenaton. A rainha Nefertitiseu nome para Akhenaton. A rainha Nefertiti  Tutancâmon: o faraó-meninoTutancâmon: o faraó-menino  Ramsés IIRamsés II  vence os hititas na batalha de Kadeshvence os hititas na batalha de Kadesh (1299 a.C.)(1299 a.C.)  Templos de Karnac, Luxor e Abu-SimbelTemplos de Karnac, Luxor e Abu-Simbel  Os Assírios de Assurbanipal conquistam o Egito (662Os Assírios de Assurbanipal conquistam o Egito (662 a.C)a.C)
  • 29.
  • 32. 4. Renascimento Saíta (650 a.C. - 525 a.C.)4. Renascimento Saíta (650 a.C. - 525 a.C.)  A partir de Saís, Psamético I comanda a vitóriaA partir de Saís, Psamético I comanda a vitória sobre os assíriossobre os assírios  Necao: tentativa de construção de uma canalNecao: tentativa de construção de uma canal unindo o Nilo ao Mar Vermelho. Financia ounindo o Nilo ao Mar Vermelho. Financia o contorno da África pelo fenício Hamoncontorno da África pelo fenício Hamon  Depois de Necao: enfraquecimento do impérioDepois de Necao: enfraquecimento do império  Invasão dos persas liderados por CambisesInvasão dos persas liderados por Cambises (Batalha de Pelusa, 525 a.C.)(Batalha de Pelusa, 525 a.C.)  fim dafim da independênciaindependência
  • 33. 5. Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)5. Domínio greco-romano (IV a.C. a I a.C.)  Os macedônios de Alexandre, o GrandeOs macedônios de Alexandre, o Grande conquistam o Egito (332 a.C.)conquistam o Egito (332 a.C.)  EgitoEgito Ptolomaico (305 a.C. a 30 a.C.)Ptolomaico (305 a.C. a 30 a.C.)  Os romanos dominam o Egito em 30 a.C.Os romanos dominam o Egito em 30 a.C. (Cleópatra)(Cleópatra) Obs.: Autonomia política do Egito, só em 1922Obs.: Autonomia política do Egito, só em 1922
  • 35. A biblioteca de Alexandria
  • 36. Júlio César, Cleópatra e Marco Antônio
  • 38. EconomiaEconomia  Agricultura de regadio (trigo,Agricultura de regadio (trigo, cevada, linho, uva, cereais, frutas ecevada, linho, uva, cereais, frutas e legumes)legumes)  Criação de animais (bois,Criação de animais (bois, carneiros, cabras, gansos, patos ecarneiros, cabras, gansos, patos e pombos)pombos)  Construção de barcos, tecelagemConstrução de barcos, tecelagem de linho, fabricação de cerâmica,de linho, fabricação de cerâmica, vidro e papirovidro e papiro  Grandes navegadores eGrandes navegadores e comerciantes.comerciantes.  Trabalhos coletivos para o faraó eTrabalhos coletivos para o faraó e a nobrezaa nobreza
  • 39. Aspectos culturaisAspectos culturais  A crença dos egípcios na imortalidade justifica aA crença dos egípcios na imortalidade justifica a grandiosidade de suas obrasgrandiosidade de suas obras  O livro dos mortosO livro dos mortos  A barca da eternidadeA barca da eternidade  Ba (alma) e Ka (força vital, espírito)Ba (alma) e Ka (força vital, espírito)  Teocracia (faraó, o filho de Hórus)Teocracia (faraó, o filho de Hórus)  MumificaçãoMumificação  desenvolvimento da medicinadesenvolvimento da medicina  Politeísmo e a adoração aos elementos daPoliteísmo e a adoração aos elementos da natureza (Antropomorfismo, zoomorfismo enatureza (Antropomorfismo, zoomorfismo e antropozoomorfismo)antropozoomorfismo)
  • 40.
  • 42. O tribunal de Osíris Fragmento do Livro dos Mortos de Ani
  • 43. Ammit: o devorador dos mortos
  • 46.
  • 47.
  • 48.
  • 49. Aspectos culturaisAspectos culturais  Rá (Amon-Rá), Osíris, Ísis, Hórus, Anúbis,Rá (Amon-Rá), Osíris, Ísis, Hórus, Anúbis, Ápis, Seth, Aton (Amenófis IV), etc.Ápis, Seth, Aton (Amenófis IV), etc.  Mastabas, hipogeus, pirâmides e templosMastabas, hipogeus, pirâmides e templos (Luxor, Karnak e Abu Simbel)(Luxor, Karnak e Abu Simbel)  Matemática aplicada (geometria)Matemática aplicada (geometria)  Três tipos de escritas hieroglífica, hierática eTrês tipos de escritas hieroglífica, hierática e demótica (1822: Champollion decifra a escritademótica (1822: Champollion decifra a escrita egípcia – a Pedra de Roseta)egípcia – a Pedra de Roseta)  Curiosidade: Howard Carter e a descoberta daCuriosidade: Howard Carter e a descoberta da tumba de Tuntacâmon em 1922 (a “maldiçãotumba de Tuntacâmon em 1922 (a “maldição do faraó”)do faraó”)
  • 50. Mastabas: As mastabas eram túmulos recobertos com lajes de pedra ou de tijolo especial. Tinham uma capela, a câmara do morto e outros compartimentos.
  • 51. Hipogeus: Túmulos escavados nas rochas, próximo às barrancas do Nilo. O hipogeu mais famoso foi Tutancâmon, situado no Vale dos Reis.
  • 52. Obelisco: Monumento feito de uma só pedra em forma de agulha para marcar algum fato ou realização. Representa também um raio do Deus Sol.
  • 55. Tutankamon Howard Carter “A morte tocará com suas asas aquele que perturbar o sono do faraó”
  • 56.
  • 57. Nut (deusa do Céu) e Geb (deus da Terra): os pais dos deuses
  • 58. Nut
  • 60. Flor de lótus, símbolo da fertilidade do Nilo e também do deus Osíris
  • 62. Hapi: o deus do rio Nilo, simbolizando o Alto e o Baixo Egito
  • 63. Amon Mut Khonsu Amaunet
  • 66. Khnum criando a humanidade a partir de uma roda de oleiro
  • 67. Toth
  • 71. Akhenaton adorando o deus Aton Nekhbet
  • 74. Ankh Udyat: o olho esquerdo de Hórus