SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 47
INTRODUÇÃO GERAL À BÍBLIA
Panorama Histórico e
Geográfico do Mundo
Bíblico
No egípcio (Haixuptã) era referente à uma pequena região
do Mênfis. Em grego (Aygiptos). Em hebraico (Mizraym) e,
significam 2 regiões ou 2 distritos. É citado na Bíblia neste
sentido. Pois em hebraico (Aym) significa um dual. Sempre
se refere a duas coisas.
No caso do Egito, é devido à sua divisão em alto e baixo
Egito.
O Egito é rodeado pelos Penedos. Esses Penedos são uma
série de montanhas rochosas. A maior largura desse
corredor de pedras é de 19 Km, mas em alguns locais são
apenas algumas centenas de metros. O rio Nilo passa por
toda esta extensão. Ele nasce na Etiópia e ao desemborcar
no baixo Egito, se divide em 2 braços e recebe o nome de
delta do Nilo.
Principais povos que entraram em contato com o povo israelita:
Egito
A área produtiva do Egito é muito pequena. São
apenas 4% da região. Os demais 96% são desertos
e desabitados. Esta pequena área que é
produtiva
É totalmente dependente do rio Nilo. Por isso, o rio
é considerado como um deus.
Os historiadores dividem a história egípcia em
dinastias. Dinastia era o período que uma família
governava.
Principais povos que entraram em contato com o povo israelita:
Egito
O historiador Maneto (sacerdote egípcio) dividiu a história egípcia em
31 dinastias:
Período Pré-Dinástico – Antes de 3050 a.c.
Egito Arcaico - 3050 a 2686 a.c. (1a e 2a dinastias).
Reino Antigo – 2686 a 2181 a.c. (3a a 6a dinastias). As pirâmides foram
construídas neste período.
Primeiro Período Intermediário – 2181 a 2040 a.c. (7a a 10a dinastias).
Reino Médio – 2040 a 1782 a.c. (11a e 12a dinastias).
Segundo Período Intermediário – 1782 a 1570 a.c. (13a a 17a dinastias).
Segundo historiadores bíblicos, este é o período que o povo hebreu
esteve no Egito.
Novo Reino – 1570 a 1070 a.c. (18a a 20a dinastias). O êxodo de Israel
se deu em 1456 a.c., na 18a dinastia.
Terceiro período Intermediário – 1070 a 664 a.c. (21a a 25a dinastias).
Egito Posterior – 664 a 332 a.c. (21a a 31a dinastias). Em 332 a.c. o
exército de Alexandre, o Grande, invadiu o Egito. Após esta conquista,
o Egito foi entregue nas mãos dos Celeutas.
Egito
Os egípcios produziram muitas literaturas de sabedoria.
Eram conselhos e provérbios para aconselhamentos gerais,
que se diferenciam dos bíblicos (os de Salomão) porque
estes últimos se baseiam na sabedoria divina. Porém,
vários provérbios de Salomão são idênticos aos egípcios.
Os egípcios eram politeístas. Haviam deuses para todas as
ramificações da vida (deus da morte, da fertilidade, do
casamento, etc...).
No período do faraó Akenaton, os egípcios se tornaram
monoteístas, pois conforme decisão deste faraó, só de
devia adorar ao deus-sol. Isto ocorreu na 19a dinastia,
após o êxodo de Israel.Egito
Foi um grande império que conquistou o povo
hebreu.
Era o nome da região que ocupava os dois lados
do rio Tigre. Era também, próximo ao rio Eufrates.
A primeira capital foi Assur. Ao norte, a 97 km. Se
encontrava a cidade de Nínive, que se tornou
uma grande capital. Entre as duas cidades havia
a cidade de Calah, que também foi a capital por
algum tempo.
Os assírios eram formados por uma mistura de
raças. Eram pessoas do Norte, que se uniram a
babilônicos.
Assíria
A história dos assírios se divide em 3 períodos:
1. Antigo Império Assírio – 1950 a 1500 a.c.
(período de expansão cultural e territorial).
Inicialmente se falava a língua assíria.
Posteriormente, tribos semi-nômades foram se
integrando e incluíram línguas semíticas. Dentre
estes povos destacamos os amorreus. O seu líder
Hamurabe, se tornou rei e criou o conhecido
código de Hamurabe, escrito em cuneiforme.
Estabeleceu o seu governo na Babilônia. Eles
subjugaram Babilônia em 1900 a.c.
2. Médio Império Assírio – 1500 a 900 a.c.
Assíria
3. Novo Império Assírio – 900 a 612 a.c. Destacamos neste
período os seguintes reis:
Assurnasirpal II (885 a 860 a.c.). Conquistou o Líbano, os filisteus
e parte oriental da Babilônia.
Salmanazar III (Filho de Assurnasirpal). Lutou contra os israelitas.
Governou de 859 a 825 a.c. Lutou contra a Síria, contra o rei
Acabe e venceu os israelitas.
Tiglate Pileser III (745 a 727 a.c.). Na bíblia é chamado de rei
Pul. Lutou contra Samaria (I Reis 15:19). Após a sua morte, o rei
de Samaria (Oséias) resolveu não mais pagar os tributos aos
assírios.
Salmanazar V (726 a 722 a.c.). Sitiou a cidade de Samaria e
destruiu o reino de Israel do Norte.
Sargão II (704 a 681 a.c.). Deu sequência ao cerco de Samaria
e venceu a batalha.
Senaqueribe (704 a 681 a.c.). Filho de Sargão II. Dizem que
matou o pai para poder reinar.
Assíria
Em 625 a.c., Nabopolassar (pai de
Nabucodonossor) expulsou os assírios de
Babilônia.
Em 6l4 a.c., os babilônicos tomaram a
cidade de Assur.
Em 612 a.c., tomaram a cidade de Nínive
(conforme profecia de Naum).
Assim, exterminou-se o poder assírio.Assíria
Descendente de Babel (porta do céu) na língua
arcadiana. O autor bíblico relaciona como balal,
que quer dizer, no hebraico, confusão.
Principais fases do império babilônico:
Pré-História - ? a 2800 a.c.
Dinástico Antigo – 2800 a 2500 a.c.
Acadiano – 2500 a 2100 a.c. (domínio semítico). A
língua acadiana era composta de 2000 símbolos.
Terceira Dinastia de Ur – 2100 a 2000 a.c. Neste
período, uma dinastia da cidade de Ur assumiu o
poder sobre a Babilônia. O chamado de Abraão
foi neste período.
Babilônia
Período Amorreu – 1900 a 1600 a.c. Tribos
Nômades migraram do deserto árabe, liderados
por Hamurabe e conquistaram a Babilônia.
Domínio Cassita – 1600 a 1170 a.c. Foi invadida
por povos orientais (cossianos). Neste período, a
Babilônia era fraca e Josué entrou na Palestina.
1150 A.C. – O rei Nabucodonossor I expulsou os
Cassitas.
745 a 626 A.C. – O povo Assírio dominou toda a
região Babilônica por Tiglate Pileser III .Babilônia
626 a 539 A.C. – Período Neo-Babilônico. O rei
Nabopolassar assumiu o trono Babilônico.
605 A.C. – O filho de Nabopolassar,
Nabucodonossor II que era líder do exército, foi a
Jerusalém e levou Daniel e os demais israelitas
cativos. Neste ano, Nabopolassar morreu e
Nabucodonossor atravessou à cavalo, em 15
dias, pelo deserto, até Babilônia para assumir o
reinado. Se ele não fosse com urgência, outra
pessoa assumiria o trono no seu lugar.
Babilônia
No ano de 539 a.c., o exército de Ciro invadiu a Babilônia.
O rei Nabonido estava viajando e seu filho Belsasar
assumiu o trono temporariamente. Ele fez uma festa na
qual surgiu a escrita na parede. Belsasar era o 2o no reino.
A confirmação disto é que ele ofereceu a Daniel o 3o
lugar no reino, se conseguisse decifrar a inscrição na
parede.
Média e
Persa
A capital dos Medos era a cidade Ecbátana. Seus
governantes mais proeminentes foram:
Ciáxares – Foi o mais importante. Se uniu a
Nabucodonossor e conquistaram a cidade de Nínive e
aos Assírios.
Astíages – Sua filha casou-se com o rei Persa Cambises I.
Deste casamento nasceu Ciro.
O rei Persa mais importante foi Artaxerxes. Os Persas
dividiram o império em 127 satrapias ou províncias (Livro
de Ester). Fundaram um sistema de correios, criaram
moeda corrente, língua universal (aramaico) e
construíram até estradas.
Média e
Persa
Em 340 a.c., Felipe II, governador macedônico, unificou a
Grécia. Ela era formada por cidades-estados.
Alexandre Magno (o Grande), que era filho de Felipe II,
estudou com o mestre Aristóteles e teve o desejo de
expandir a cultura grega por todo o mundo. Reuniu um
grande exército para vingar a derrota que a Pérsia havia
imposta aos gregos, há 150 anos antes. Assim, derrotou a
Pérsia e se tornou o maior conquistador da época. Um dos
maiores feitos foi a implantação da língua grega em todo
o mundo. Ao invadir a Palestina, os dominou com
brandura. Morreu aos 34 anos, de bebedice.
Grécia
Após a sua morte, a Grécia foi dividida entre os seguintes
líderes:
Seleuco – Estabeleceu-se na Síria. Chegou a oferecer
sacrifícios com carne de porco, em desonra aos hábitos
judeus. Em 170 a.c., Judas Macabeus estabeleceu um
reinado independente (Judéia).
Ptolomeu – Estabeleceu-se no Egito.
Lisímaco
Cassandro
O período do império grego foi inter-bíblico, isto é, não foi
escrito nenhum livro inspirado neste período. Os únicos
livros bíblicos escritos foram apócrifos: Macabeus,
Sabedoria, etc.
Grécia
Para o estudo bíblico, acompanha-se apenas até
o ano 100 a.d.
Os romanos se orgulhavam de estabelecer a
todo o mundo a Pax-romana. Eles dominaram o
mundo e não estabeleciam fronteiras. As pessoas
podiam ir a qualquer lugar. Só que esta “paz” era
ilusória, pois dominavam com pulso forte e com o
ferro de suas lanças.
Roma
Os principais imperadores foram:
Otávio Augusto (27 a.c. a 14 a.d.) – Foi o primeiro
imperador. Decretou o recenseamento, que
levou José e Maria até Belém.
Tibério (14 a 37 a.d.) – Filho adotivo de Augusto.
Assumiu o poder com 56 anos. Foi um governador
cruel. No 15o ano do seu governo, João Batista
começou o seu ministério e morreu. Jesus Cristo,
também morreu na época do seu governo.
Calígula (37 a 41 a.d.) – Filho de Tibério.
Incompetente, insensível e pervertido. Chegou a
eleger o “seu cavalo” como senador. Foi
assassinado por um oficial da guarda pretoriana.
Roma
Os principais imperadores foram:
Cláudio (41 a 50 a.d.) – Tio de Calígula. Assumiu o
poder apoiado pela guarda pretoriana. Foi o mais
culto dos imperadores. Sua esposa Agripina, o matou
envenenado. O assassinou porque queria que o seu
filho Nero fosse o imperador; embora fosse filho de
outro homem.
Nero (54 a 68 a.d.) – Deu início à perseguição aos
cristãos. Mandou incendiar Roma e colocou a culpa
nos cristãos. Matou os apóstolos Pedro e Paulo.
Chegou a matar a sua mãe e abriu-lhe o ventre para
ver de onde houvera nascido. Suicidou-se.
Ano de 69 A.D. – 4 imperadores lutaram para obter o
poder. Foi um período de anarquia. Estes, foram:
Virgínio Rufo, Galba, Oto e Vespasiano.
Roma
Os principais imperadores foram:
Vespasiano (69 a 79 a.d.) – O seu filho, general Tito,
destruiu a cidade de Jerusalém, sob sua ordem.
Tito (79 a 81 a.d.) – Hábil soldado, colocou fim à guerra
dos judeus. Morreu prematuramente.
Domiciano (81 a 96 a.d.) – Irmão mais novo de Tito. Neste
período, o apóstolo João foi exilado na ilha de Patmos;
após a tentativa de ser morto, sob a ordem do imperador,
ao ser jogado dentro de um caldeirão com óleo
fervendo. Perseguiu aos cristãos e aos senadores de
Roma.
Depois deste período, sucederam-se outros imperadores
sem muita importância para o estudo bíblico. São eles;
Nerva, Trajano, Adriano, Antônio Pio e Marco Aurélio.
Roma
Escritos Antigos
Cuneiforme
Escritos Antigos
Hieroglifos Egípcios
Nuzi – As divindades domésticas representavam símbolos
de propriedade. Eram passados aos herdeiros os ídolos do
lar como representação da posse da herança (por isso,
Raquel e Lia roubaram os ídolos do pai, Labão). Quando
um casal não tinha filhos, poderiam adotar um servo, e
este se tornava o herdeiro. A esposa podia, caso fosse
estéril, oferecer a sua serva para que tivesse filhos. Os pais
quando perto da morte, diziam uma bênção ou faziam
um testamento aos filhos.
Escritos Antigos
Arquivos Hititas – A capital dos Hititas era Hattusas.
Hoje é a região da Turquia. O pacto que os reis
faziam com os seus vassalos era idêntico ao
demonstrado na Bíblia entre Deus e Israel.
Arquivos Egípcios – Amarna era a cidade do
faraó Akinaton. As cartas de Amarna foram
escritas em torno de 1370 a.c. Eram cartas de
pedido de socorro feitos pelos vassalos de Canaã
à faraó contra a invasão do povo de Hapiru (os
hebreus).
Rolos do Mar Morto – Foi a descoberta mais valiosa da
arqueologia para os cristãos. Em 1947 a.d., um beduíno ao
procurar uma de suas cabras, ao jogar uma pedra dentro
de uma das cavernas, escutou o barulho de algo se
quebrando; e, ao entrar na caverna, encontrou alguns
jarros de barro e, dentro destes, alguns rolos. Dizem, que à
noite, usou alguns dos rolos para fazer uma fogueira, pois
desconhecia a valiosa descoberta feita. Isto aconteceu
em Qumram . Excedendo o livro de Ester, todos os livros do
Cânon hebraico foram encontrados. Somente os livros de
Isaías e Levítico estavam completos. Alguns livros
apócrifos, preservados em grego, foram encontrados. São
os livros de Tobias e Eclesiástico.
Qunram - Foram descobertos os mais
antigos manuscritos já conhecidos. Foram
encontrados 600 manuscritos; destes, 200
eram bíblicos. Foram encontrados em 11
cavernas diferentes. 15% em papiro e 85%
em couro. Eles confirmaram a exatidão da
Bíblia.
Designação Técnica:
11 Q Is a
11 – Número da caverna.
Q – Qunram.
Is – Livro bíblico (Isaías)
A – Manuscrito a.
Muraba’t – São manuscritos. Em 1951 a.d.,
um grupo de beduínos descobriram
manuscritos em Wadi Muraba’at (Córregos
Temporais). Foi encontrado um rolo com
textos dos profetas menores datados do II
século a.d. que, correspondem, quase que
perfeitamente, ao texto massorético.
Papiro de Nash – Antes da descoberto dos
rolos do Mar Morto, esta era a mais antiga
testemunha do texto hebraico. Foi
adquirido no Egito por W. L. Nash em 1902
a.d. Foi doado à biblioteca da
Universidade de Cambridge. Contém uma
cópia danificada dos 10 mandamentos de
Êxodo 20:01 a 17 e de Deuteronômio 5:6 a
21. Contém, também o Shemá
(Deuteronômio 6:4), que é o credo do
judaísmo.
Códice de Leningrado – Encontra-se na
Biblioteca de São Pettersburgo. É o B.19a.
ou L. É o mais antigo manuscrito da Bíblia
hebraica completa. Segundo o seu
Colofão (nota final feita pelos copistas), foi
copiado no ano 1008 a.d. Foi copiado da
família de escribas no século IX, no
Tiberíades, por Ben Asher. É o texto base da
Bíblia hebraica de Sttutgard.
Pentateuco Samaritano – Em algum
momento, após o período pós-exílico,
ocorreu uma separação em definitivo entre
os judeus e os samaritanos. A partir disso, os
samaritanos passaram a preservar e
produzir os seus próprios manuscritos. Só
aceitavam o Pentateuco. Quando os
manuscritos do Mar Morto foram
descobertos, confirmou-se que os
pentateucos samaritanos eram distorcidos.
Targuns do século II também foram encontrados.
Esses targuns são comentários bíblicos traduzidos
do hebraico para o aramaico.
Foram encontrados muitos manuscritos apócrifos
do Judaísmo pré-cristão. São eles: Enoque,
Jubileus e alguns testamentos dos patriarcas.
HISTÓRIA DO TEXTO BÍBLICO
ANTIGO TESTAMENTO
O Antigo Testamento foi escrito em hebraico, e
algumas porções em aramaico. O alfabeto
usado para o Pentateuco foi inventado por volta
do século XVIII a.c. Os primeiros caracteres
alfabéticos foram achados em cavernas de
extração de cobre no Sinai.
Porções do Velho Testamento em Aramaico:
Daniel 2:04 até 7:28
Esdras 4:08 até 6:18
Esdras 7:12 a 26
Jeremias 10:11
Gênesis 31:47
A partir do século VII a.c., o aramaico se
tornou língua universal, substituindo ao
acadiano.
As línguas mundiais, em ordem crescente
são: Acadiano, Aramaico, Grego, Latim,
Francês e Inglês.
Os achados do Mar Morto, se referem a
Qumram e Muraba’at.
Materiais de Escrita
Nos tempos bíblicos se usavam:
Pedras – No Túnel de Siloé foram encontradas
inscrições em pedras, as tábuas da lei de Moisés
foram escritas em pedras e em Jó 19:24, cita-se
também, as pedras.
Tabletes de Argila Mole – Eram feitos escritos em
cuneiforme com estilete.
Ostracon – Eram cacos de cerâmica. No plural é
chamado de ostraca.
Materiais de Escrita
Nos tempos bíblicos se usavam:
Rolos de Couro e Papiro – No 3o milênio a.c., no Egito, já se escrevia
em papiro. No couro, escrevia-se, de preferência, nos de cabra e
ovelha. A partir do ano 200 a.c. descobriu-se uma técnica especial de
tratar o couro, que passou a ser chamado de pergaminho. Mas, só foi
usado em grande escala a partir do século IV a.d. Alcançavam até 7
metros.
Papel – Foi inventado pelos Chineses, mas só foi utilizado a partir do
século VIII a.d.
Códice – Várias tiras de couro ou papiro, que eram montadas em
forma de caderno e costuradas na extremidade. A partir do século IV
a.d., passou a ser usado pelos cristãos, que escreveram todo o Novo
Testamento neste tipo de material.
Instrumentos Para Escrever
Estilete com ponta de diamante para escrever
em pedras.
Talo de junco esmagado (pincel).
Fuligem de lâmpada à óleo (tinta).
Transmissão do Texto
Autógrafo é o texto original. Hoje, só temos cópias destes originais.
Texto Consonantal – As línguas Semíticas não usavam vogais. Os
Massoretas pontuavam as vogais nas consoantes, criando-se o texto
vocalizado. Não haviam ditongos e sempre vinha uma vogal após
uma consoante.
Família de Textos é a transformação de um texto após ser copiado
várias vezes . Nos textos bíblicos, temos as famílias babilônica, egípcia
e da palestina:
Babilônia – Texto Massorético.
Egito – Septuaginta (tradução do Velho Testamento para o grego).
Palestina – Pentateucos Samaritanos.
Os textos mais fiéis aos autógrafos são os Massoréticos.
Alterações Textuais
A partir do século V a.c., os Massoréticos para evitarem
erros, contavam quantas palavras e letras haviam no
original
Mas, mesmo assim, houveram alterações:
Alterações Não Intencionais – Em I Crônicas 1:7 e Gênesis
10:4 foram trocados os nomes Rodamim e Dodamim. Isto
deve ter sido devido a letras similares do alfabeto
quadrado.
Haplografia – Escrevia-se uma vez o que deveria ser
escrito duas vezes (Juízes 20:13)
Ditografia – Escrevia duas vezes o que deveria ser escrito
apenas uma vez (Levítico 20:10).
Homeoteleuco – É a omissão de uma passagem
intermediária, porque o olho do copista pulou de uma
palavra que se pareça. Em I Samuel 14:41, o copista
deixou de escrever 19 palavras hebraicas.
Alterações Intencionais – Foram pelos seguintes motivos:
Disfarçar o significado do texto ou para “proteger” a Deus
ou alguma respeitada figura humana de algum dano. Em
Jó 1:5, no texto original está citado como “abençoar a
Deus”. Em Juízes 18:30, no lugar de Moisés, é citado
Manassés.
Modificar para não causar críticas. Em II Samuel 2:8 (Is-
bosete) e em Crônicas 8:33 (Es-baal).
Após o exílio babilônico, em vez de falar YHWH, diziam
Adonai, para não tomar o nome de Deus em vão. A
palavra Jeová foi a junção dessas duas palavras pelos
Massoretas.
Versões do Antigo Testamento
Septuaginta – O código é LXX. É a versão mais
antiga para o grego. Existe uma história que ela
foi escrita por setenta pessoas em setenta dias.
Foi escrita na Alexandria, Egito; porque havia uma
colônia judaica que falava o grego. O
pentateuco foi traduzido por volta do III século
a.c. Foi a Bíblia dos cristãos primitivos. Foi uma
ponte entre o hebraico e o grego.
Aquila (130 a.d.) – Os judeus não queriam usar a
versão que os cristãos usavam e criaram esta
tradução. Mas, às vezes, era incompreensível. O
que restou desta tradução são fragmentos
hexapláricos e palimpsestos (Raspar um texto e
escrever por cima. Foram encontrados no Cairo,
especialmente nos escritos em couro).
Símaco (170 a.d.) – Era uma versão literal do texto
hebraico e um pouco melhor que a de Aquila. Só
existem fragmentos.
Teodócio (Final do séc. II a.d.) – Era um prosélito (gentio
que se converteu ao judaísmo) e fez uma revisão para os
judeus. São encontrados apenas fragmentos da hexapla.
Hexapla – (Séc. II a.d.) – Produzida por Orígenes. Foi uma
obra em 6 colunas:
1.Texto hebraico.
2.Texto hebraico transliterado.
3. Septuaginta.
4. Aquila.
5. Símaco.
6. Teodócio.
Targuns (Aramaico) - Foram traduções livres da Bíblia para
o aramaico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéÉder Tomé
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosCoop. Fabio Silva
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo André Rocha
 
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoIsrael: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoDaladier Lima
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de MateusRODRIGO FERREIRA
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja ImperialAdriano Pascoa
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoJosue Lima
 
Mapa mental livro de gênesis
Mapa mental livro de gênesisMapa mental livro de gênesis
Mapa mental livro de gênesisCarlos Allvarenga
 

Mais procurados (20)

Livros Históricos
Livros  HistóricosLivros  Históricos
Livros Históricos
 
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de FéLição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
Lição 11 - A Importância da Bíblia como única regra de Fé
 
Slides panorama do velho testamento 2
Slides   panorama do velho testamento 2Slides   panorama do velho testamento 2
Slides panorama do velho testamento 2
 
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos AnjosLição 02 - Doutrina dos Anjos
Lição 02 - Doutrina dos Anjos
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Introdução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamentoIntrodução ao Novo testamento
Introdução ao Novo testamento
 
7. arrebatamento
7. arrebatamento7. arrebatamento
7. arrebatamento
 
Israel: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodoIsrael: Do cativeiro ao êxodo
Israel: Do cativeiro ao êxodo
 
7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico7. O Livro de Levítico
7. O Livro de Levítico
 
Aula 4 - Levíticos
Aula 4 - LevíticosAula 4 - Levíticos
Aula 4 - Levíticos
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 
Panorama do NT - Atos
Panorama do NT - AtosPanorama do NT - Atos
Panorama do NT - Atos
 
estudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateusestudo do evangelho de Mateus
estudo do evangelho de Mateus
 
2. introdução ao novo testamento
2.  introdução ao novo testamento2.  introdução ao novo testamento
2. introdução ao novo testamento
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
 
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 -  Terceiro Período - A Igreja ImperialAula 3 -  Terceiro Período - A Igreja Imperial
Aula 3 - Terceiro Período - A Igreja Imperial
 
O Cânone Das Escrituras
O Cânone Das EscriturasO Cânone Das Escrituras
O Cânone Das Escrituras
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
 
Conhecendo a salvação
Conhecendo a salvaçãoConhecendo a salvação
Conhecendo a salvação
 
Mapa mental livro de gênesis
Mapa mental livro de gênesisMapa mental livro de gênesis
Mapa mental livro de gênesis
 

Semelhante a Introdução geral à bíblia ppt

Semelhante a Introdução geral à bíblia ppt (20)

03 a época histórica de daniel
03 a época histórica de daniel03 a época histórica de daniel
03 a época histórica de daniel
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Mesopotâmia
MesopotâmiaMesopotâmia
Mesopotâmia
 
Antigo oriente
Antigo orienteAntigo oriente
Antigo oriente
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
1° ano EM - Hebreus, fenícios e Persas
 
1ano hebreuspersasefencios-120430134443-phpapp02(1)
1ano hebreuspersasefencios-120430134443-phpapp02(1)1ano hebreuspersasefencios-120430134443-phpapp02(1)
1ano hebreuspersasefencios-120430134443-phpapp02(1)
 
Mesopotamia
MesopotamiaMesopotamia
Mesopotamia
 
Apostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-orientalApostila de-historia-antiga-oriental
Apostila de-historia-antiga-oriental
 
Povos antigos
Povos antigosPovos antigos
Povos antigos
 
Revisao.mesopotamia
Revisao.mesopotamiaRevisao.mesopotamia
Revisao.mesopotamia
 
Antiguidade oriental
Antiguidade orientalAntiguidade oriental
Antiguidade oriental
 
Colégio tiradentes da brigada militar mesopotâmia
Colégio tiradentes da brigada militar   mesopotâmiaColégio tiradentes da brigada militar   mesopotâmia
Colégio tiradentes da brigada militar mesopotâmia
 
Sociedade Antiga
Sociedade AntigaSociedade Antiga
Sociedade Antiga
 
Cidades, passado e presente
Cidades, passado e presenteCidades, passado e presente
Cidades, passado e presente
 
Atividade3
Atividade3Atividade3
Atividade3
 
6º ano cap2 ist rafa
6º ano   cap2 ist rafa6º ano   cap2 ist rafa
6º ano cap2 ist rafa
 
Egito antigo mui bom
Egito antigo mui bomEgito antigo mui bom
Egito antigo mui bom
 
Hebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persasHebreus fenicios e persas
Hebreus fenicios e persas
 
Antigüidade oriental
Antigüidade orientalAntigüidade oriental
Antigüidade oriental
 

Mais de Gilson Barbosa

2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx
2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx
2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptxGilson Barbosa
 
A crítica e seus efeitos jpeg
A crítica e seus efeitos jpegA crítica e seus efeitos jpeg
A crítica e seus efeitos jpegGilson Barbosa
 
Manual da igreja Anciãos cap. 8
Manual da igreja Anciãos   cap. 8Manual da igreja Anciãos   cap. 8
Manual da igreja Anciãos cap. 8Gilson Barbosa
 
Como controlar o medo de falar em público
Como controlar o medo de falar em públicoComo controlar o medo de falar em público
Como controlar o medo de falar em públicoGilson Barbosa
 
A crítica e seus efeitos
A crítica e seus efeitos A crítica e seus efeitos
A crítica e seus efeitos Gilson Barbosa
 
Palestra casais Compatibilidade
Palestra casais CompatibilidadePalestra casais Compatibilidade
Palestra casais CompatibilidadeGilson Barbosa
 
Treinamento Diáconos IASD
Treinamento Diáconos IASDTreinamento Diáconos IASD
Treinamento Diáconos IASDGilson Barbosa
 
Capítulo 4 o que fazemos...
Capítulo 4 o que fazemos...Capítulo 4 o que fazemos...
Capítulo 4 o que fazemos...Gilson Barbosa
 
Capítulo 3 missão no testamento
Capítulo 3 missão no testamentoCapítulo 3 missão no testamento
Capítulo 3 missão no testamentoGilson Barbosa
 
Capítulo 2 O Que é um Discípulo?
Capítulo 2 O Que é um Discípulo?Capítulo 2 O Que é um Discípulo?
Capítulo 2 O Que é um Discípulo?Gilson Barbosa
 
Capítulo 1 a grande comissão
Capítulo 1 a grande comissãoCapítulo 1 a grande comissão
Capítulo 1 a grande comissãoGilson Barbosa
 
Planejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresPlanejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresGilson Barbosa
 
Curso de diretoria Desbravadores - História
Curso de diretoria Desbravadores - HistóriaCurso de diretoria Desbravadores - História
Curso de diretoria Desbravadores - HistóriaGilson Barbosa
 
Planejando a igreja local
Planejando a igreja localPlanejando a igreja local
Planejando a igreja localGilson Barbosa
 

Mais de Gilson Barbosa (20)

2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx
2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx
2.4 A narrativa da criação no Apocalipse.pptx
 
A crítica e seus efeitos jpeg
A crítica e seus efeitos jpegA crítica e seus efeitos jpeg
A crítica e seus efeitos jpeg
 
Homilética 3
Homilética 3Homilética 3
Homilética 3
 
Manual da igreja Anciãos cap. 8
Manual da igreja Anciãos   cap. 8Manual da igreja Anciãos   cap. 8
Manual da igreja Anciãos cap. 8
 
Tipos de sermões
Tipos de sermõesTipos de sermões
Tipos de sermões
 
Como controlar o medo de falar em público
Como controlar o medo de falar em públicoComo controlar o medo de falar em público
Como controlar o medo de falar em público
 
A crítica e seus efeitos
A crítica e seus efeitos A crítica e seus efeitos
A crítica e seus efeitos
 
Palestra casais Compatibilidade
Palestra casais CompatibilidadePalestra casais Compatibilidade
Palestra casais Compatibilidade
 
Tempo com a família
Tempo com a famíliaTempo com a família
Tempo com a família
 
Treinamento Diáconos IASD
Treinamento Diáconos IASDTreinamento Diáconos IASD
Treinamento Diáconos IASD
 
Capítulo 4 o que fazemos...
Capítulo 4 o que fazemos...Capítulo 4 o que fazemos...
Capítulo 4 o que fazemos...
 
Capítulo 3 missão no testamento
Capítulo 3 missão no testamentoCapítulo 3 missão no testamento
Capítulo 3 missão no testamento
 
Capítulo 2 O Que é um Discípulo?
Capítulo 2 O Que é um Discípulo?Capítulo 2 O Que é um Discípulo?
Capítulo 2 O Que é um Discípulo?
 
Capítulo 1 a grande comissão
Capítulo 1 a grande comissãoCapítulo 1 a grande comissão
Capítulo 1 a grande comissão
 
História da iasd
História da iasdHistória da iasd
História da iasd
 
Planejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresPlanejamento desbravadores
Planejamento desbravadores
 
Curso de diretoria Desbravadores - História
Curso de diretoria Desbravadores - HistóriaCurso de diretoria Desbravadores - História
Curso de diretoria Desbravadores - História
 
A pessoa de cristo
A pessoa de cristoA pessoa de cristo
A pessoa de cristo
 
Planejando a igreja local
Planejando a igreja localPlanejando a igreja local
Planejando a igreja local
 
Mi 10a
Mi 10aMi 10a
Mi 10a
 

Último

Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaDenisRocha28
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequeseanamdp2004
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfnatzarimdonorte
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).natzarimdonorte
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............Nelson Pereira
 
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptxA CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptxPIB Penha
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de DeusAULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de DeusFilipeDuartedeBem
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .natzarimdonorte
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 

Último (15)

Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo DiaSérie: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
Série: O Conflito - Palestra 08. Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
 
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
ARMAGEDOM! O QUE REALMENTE?.............
 
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptxA CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
A CHEGADA DO EVANGELHO À EUROPA - ATOS 16 e 17.pptx
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de DeusAULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus
AULA 08-06-2022.pptx - provas da existência de Deus
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 

Introdução geral à bíblia ppt

  • 1. INTRODUÇÃO GERAL À BÍBLIA Panorama Histórico e Geográfico do Mundo Bíblico
  • 2. No egípcio (Haixuptã) era referente à uma pequena região do Mênfis. Em grego (Aygiptos). Em hebraico (Mizraym) e, significam 2 regiões ou 2 distritos. É citado na Bíblia neste sentido. Pois em hebraico (Aym) significa um dual. Sempre se refere a duas coisas. No caso do Egito, é devido à sua divisão em alto e baixo Egito. O Egito é rodeado pelos Penedos. Esses Penedos são uma série de montanhas rochosas. A maior largura desse corredor de pedras é de 19 Km, mas em alguns locais são apenas algumas centenas de metros. O rio Nilo passa por toda esta extensão. Ele nasce na Etiópia e ao desemborcar no baixo Egito, se divide em 2 braços e recebe o nome de delta do Nilo. Principais povos que entraram em contato com o povo israelita: Egito
  • 3. A área produtiva do Egito é muito pequena. São apenas 4% da região. Os demais 96% são desertos e desabitados. Esta pequena área que é produtiva É totalmente dependente do rio Nilo. Por isso, o rio é considerado como um deus. Os historiadores dividem a história egípcia em dinastias. Dinastia era o período que uma família governava. Principais povos que entraram em contato com o povo israelita: Egito
  • 4. O historiador Maneto (sacerdote egípcio) dividiu a história egípcia em 31 dinastias: Período Pré-Dinástico – Antes de 3050 a.c. Egito Arcaico - 3050 a 2686 a.c. (1a e 2a dinastias). Reino Antigo – 2686 a 2181 a.c. (3a a 6a dinastias). As pirâmides foram construídas neste período. Primeiro Período Intermediário – 2181 a 2040 a.c. (7a a 10a dinastias). Reino Médio – 2040 a 1782 a.c. (11a e 12a dinastias). Segundo Período Intermediário – 1782 a 1570 a.c. (13a a 17a dinastias). Segundo historiadores bíblicos, este é o período que o povo hebreu esteve no Egito. Novo Reino – 1570 a 1070 a.c. (18a a 20a dinastias). O êxodo de Israel se deu em 1456 a.c., na 18a dinastia. Terceiro período Intermediário – 1070 a 664 a.c. (21a a 25a dinastias). Egito Posterior – 664 a 332 a.c. (21a a 31a dinastias). Em 332 a.c. o exército de Alexandre, o Grande, invadiu o Egito. Após esta conquista, o Egito foi entregue nas mãos dos Celeutas. Egito
  • 5. Os egípcios produziram muitas literaturas de sabedoria. Eram conselhos e provérbios para aconselhamentos gerais, que se diferenciam dos bíblicos (os de Salomão) porque estes últimos se baseiam na sabedoria divina. Porém, vários provérbios de Salomão são idênticos aos egípcios. Os egípcios eram politeístas. Haviam deuses para todas as ramificações da vida (deus da morte, da fertilidade, do casamento, etc...). No período do faraó Akenaton, os egípcios se tornaram monoteístas, pois conforme decisão deste faraó, só de devia adorar ao deus-sol. Isto ocorreu na 19a dinastia, após o êxodo de Israel.Egito
  • 6. Foi um grande império que conquistou o povo hebreu. Era o nome da região que ocupava os dois lados do rio Tigre. Era também, próximo ao rio Eufrates. A primeira capital foi Assur. Ao norte, a 97 km. Se encontrava a cidade de Nínive, que se tornou uma grande capital. Entre as duas cidades havia a cidade de Calah, que também foi a capital por algum tempo. Os assírios eram formados por uma mistura de raças. Eram pessoas do Norte, que se uniram a babilônicos. Assíria
  • 7. A história dos assírios se divide em 3 períodos: 1. Antigo Império Assírio – 1950 a 1500 a.c. (período de expansão cultural e territorial). Inicialmente se falava a língua assíria. Posteriormente, tribos semi-nômades foram se integrando e incluíram línguas semíticas. Dentre estes povos destacamos os amorreus. O seu líder Hamurabe, se tornou rei e criou o conhecido código de Hamurabe, escrito em cuneiforme. Estabeleceu o seu governo na Babilônia. Eles subjugaram Babilônia em 1900 a.c. 2. Médio Império Assírio – 1500 a 900 a.c. Assíria
  • 8. 3. Novo Império Assírio – 900 a 612 a.c. Destacamos neste período os seguintes reis: Assurnasirpal II (885 a 860 a.c.). Conquistou o Líbano, os filisteus e parte oriental da Babilônia. Salmanazar III (Filho de Assurnasirpal). Lutou contra os israelitas. Governou de 859 a 825 a.c. Lutou contra a Síria, contra o rei Acabe e venceu os israelitas. Tiglate Pileser III (745 a 727 a.c.). Na bíblia é chamado de rei Pul. Lutou contra Samaria (I Reis 15:19). Após a sua morte, o rei de Samaria (Oséias) resolveu não mais pagar os tributos aos assírios. Salmanazar V (726 a 722 a.c.). Sitiou a cidade de Samaria e destruiu o reino de Israel do Norte. Sargão II (704 a 681 a.c.). Deu sequência ao cerco de Samaria e venceu a batalha. Senaqueribe (704 a 681 a.c.). Filho de Sargão II. Dizem que matou o pai para poder reinar. Assíria
  • 9. Em 625 a.c., Nabopolassar (pai de Nabucodonossor) expulsou os assírios de Babilônia. Em 6l4 a.c., os babilônicos tomaram a cidade de Assur. Em 612 a.c., tomaram a cidade de Nínive (conforme profecia de Naum). Assim, exterminou-se o poder assírio.Assíria
  • 10. Descendente de Babel (porta do céu) na língua arcadiana. O autor bíblico relaciona como balal, que quer dizer, no hebraico, confusão. Principais fases do império babilônico: Pré-História - ? a 2800 a.c. Dinástico Antigo – 2800 a 2500 a.c. Acadiano – 2500 a 2100 a.c. (domínio semítico). A língua acadiana era composta de 2000 símbolos. Terceira Dinastia de Ur – 2100 a 2000 a.c. Neste período, uma dinastia da cidade de Ur assumiu o poder sobre a Babilônia. O chamado de Abraão foi neste período. Babilônia
  • 11. Período Amorreu – 1900 a 1600 a.c. Tribos Nômades migraram do deserto árabe, liderados por Hamurabe e conquistaram a Babilônia. Domínio Cassita – 1600 a 1170 a.c. Foi invadida por povos orientais (cossianos). Neste período, a Babilônia era fraca e Josué entrou na Palestina. 1150 A.C. – O rei Nabucodonossor I expulsou os Cassitas. 745 a 626 A.C. – O povo Assírio dominou toda a região Babilônica por Tiglate Pileser III .Babilônia
  • 12. 626 a 539 A.C. – Período Neo-Babilônico. O rei Nabopolassar assumiu o trono Babilônico. 605 A.C. – O filho de Nabopolassar, Nabucodonossor II que era líder do exército, foi a Jerusalém e levou Daniel e os demais israelitas cativos. Neste ano, Nabopolassar morreu e Nabucodonossor atravessou à cavalo, em 15 dias, pelo deserto, até Babilônia para assumir o reinado. Se ele não fosse com urgência, outra pessoa assumiria o trono no seu lugar. Babilônia
  • 13. No ano de 539 a.c., o exército de Ciro invadiu a Babilônia. O rei Nabonido estava viajando e seu filho Belsasar assumiu o trono temporariamente. Ele fez uma festa na qual surgiu a escrita na parede. Belsasar era o 2o no reino. A confirmação disto é que ele ofereceu a Daniel o 3o lugar no reino, se conseguisse decifrar a inscrição na parede. Média e Persa
  • 14. A capital dos Medos era a cidade Ecbátana. Seus governantes mais proeminentes foram: Ciáxares – Foi o mais importante. Se uniu a Nabucodonossor e conquistaram a cidade de Nínive e aos Assírios. Astíages – Sua filha casou-se com o rei Persa Cambises I. Deste casamento nasceu Ciro. O rei Persa mais importante foi Artaxerxes. Os Persas dividiram o império em 127 satrapias ou províncias (Livro de Ester). Fundaram um sistema de correios, criaram moeda corrente, língua universal (aramaico) e construíram até estradas. Média e Persa
  • 15. Em 340 a.c., Felipe II, governador macedônico, unificou a Grécia. Ela era formada por cidades-estados. Alexandre Magno (o Grande), que era filho de Felipe II, estudou com o mestre Aristóteles e teve o desejo de expandir a cultura grega por todo o mundo. Reuniu um grande exército para vingar a derrota que a Pérsia havia imposta aos gregos, há 150 anos antes. Assim, derrotou a Pérsia e se tornou o maior conquistador da época. Um dos maiores feitos foi a implantação da língua grega em todo o mundo. Ao invadir a Palestina, os dominou com brandura. Morreu aos 34 anos, de bebedice. Grécia
  • 16. Após a sua morte, a Grécia foi dividida entre os seguintes líderes: Seleuco – Estabeleceu-se na Síria. Chegou a oferecer sacrifícios com carne de porco, em desonra aos hábitos judeus. Em 170 a.c., Judas Macabeus estabeleceu um reinado independente (Judéia). Ptolomeu – Estabeleceu-se no Egito. Lisímaco Cassandro O período do império grego foi inter-bíblico, isto é, não foi escrito nenhum livro inspirado neste período. Os únicos livros bíblicos escritos foram apócrifos: Macabeus, Sabedoria, etc. Grécia
  • 17. Para o estudo bíblico, acompanha-se apenas até o ano 100 a.d. Os romanos se orgulhavam de estabelecer a todo o mundo a Pax-romana. Eles dominaram o mundo e não estabeleciam fronteiras. As pessoas podiam ir a qualquer lugar. Só que esta “paz” era ilusória, pois dominavam com pulso forte e com o ferro de suas lanças. Roma
  • 18. Os principais imperadores foram: Otávio Augusto (27 a.c. a 14 a.d.) – Foi o primeiro imperador. Decretou o recenseamento, que levou José e Maria até Belém. Tibério (14 a 37 a.d.) – Filho adotivo de Augusto. Assumiu o poder com 56 anos. Foi um governador cruel. No 15o ano do seu governo, João Batista começou o seu ministério e morreu. Jesus Cristo, também morreu na época do seu governo. Calígula (37 a 41 a.d.) – Filho de Tibério. Incompetente, insensível e pervertido. Chegou a eleger o “seu cavalo” como senador. Foi assassinado por um oficial da guarda pretoriana. Roma
  • 19. Os principais imperadores foram: Cláudio (41 a 50 a.d.) – Tio de Calígula. Assumiu o poder apoiado pela guarda pretoriana. Foi o mais culto dos imperadores. Sua esposa Agripina, o matou envenenado. O assassinou porque queria que o seu filho Nero fosse o imperador; embora fosse filho de outro homem. Nero (54 a 68 a.d.) – Deu início à perseguição aos cristãos. Mandou incendiar Roma e colocou a culpa nos cristãos. Matou os apóstolos Pedro e Paulo. Chegou a matar a sua mãe e abriu-lhe o ventre para ver de onde houvera nascido. Suicidou-se. Ano de 69 A.D. – 4 imperadores lutaram para obter o poder. Foi um período de anarquia. Estes, foram: Virgínio Rufo, Galba, Oto e Vespasiano. Roma
  • 20. Os principais imperadores foram: Vespasiano (69 a 79 a.d.) – O seu filho, general Tito, destruiu a cidade de Jerusalém, sob sua ordem. Tito (79 a 81 a.d.) – Hábil soldado, colocou fim à guerra dos judeus. Morreu prematuramente. Domiciano (81 a 96 a.d.) – Irmão mais novo de Tito. Neste período, o apóstolo João foi exilado na ilha de Patmos; após a tentativa de ser morto, sob a ordem do imperador, ao ser jogado dentro de um caldeirão com óleo fervendo. Perseguiu aos cristãos e aos senadores de Roma. Depois deste período, sucederam-se outros imperadores sem muita importância para o estudo bíblico. São eles; Nerva, Trajano, Adriano, Antônio Pio e Marco Aurélio. Roma
  • 23. Nuzi – As divindades domésticas representavam símbolos de propriedade. Eram passados aos herdeiros os ídolos do lar como representação da posse da herança (por isso, Raquel e Lia roubaram os ídolos do pai, Labão). Quando um casal não tinha filhos, poderiam adotar um servo, e este se tornava o herdeiro. A esposa podia, caso fosse estéril, oferecer a sua serva para que tivesse filhos. Os pais quando perto da morte, diziam uma bênção ou faziam um testamento aos filhos. Escritos Antigos
  • 24.
  • 25. Arquivos Hititas – A capital dos Hititas era Hattusas. Hoje é a região da Turquia. O pacto que os reis faziam com os seus vassalos era idêntico ao demonstrado na Bíblia entre Deus e Israel. Arquivos Egípcios – Amarna era a cidade do faraó Akinaton. As cartas de Amarna foram escritas em torno de 1370 a.c. Eram cartas de pedido de socorro feitos pelos vassalos de Canaã à faraó contra a invasão do povo de Hapiru (os hebreus).
  • 26.
  • 27. Rolos do Mar Morto – Foi a descoberta mais valiosa da arqueologia para os cristãos. Em 1947 a.d., um beduíno ao procurar uma de suas cabras, ao jogar uma pedra dentro de uma das cavernas, escutou o barulho de algo se quebrando; e, ao entrar na caverna, encontrou alguns jarros de barro e, dentro destes, alguns rolos. Dizem, que à noite, usou alguns dos rolos para fazer uma fogueira, pois desconhecia a valiosa descoberta feita. Isto aconteceu em Qumram . Excedendo o livro de Ester, todos os livros do Cânon hebraico foram encontrados. Somente os livros de Isaías e Levítico estavam completos. Alguns livros apócrifos, preservados em grego, foram encontrados. São os livros de Tobias e Eclesiástico.
  • 28. Qunram - Foram descobertos os mais antigos manuscritos já conhecidos. Foram encontrados 600 manuscritos; destes, 200 eram bíblicos. Foram encontrados em 11 cavernas diferentes. 15% em papiro e 85% em couro. Eles confirmaram a exatidão da Bíblia.
  • 29. Designação Técnica: 11 Q Is a 11 – Número da caverna. Q – Qunram. Is – Livro bíblico (Isaías) A – Manuscrito a.
  • 30. Muraba’t – São manuscritos. Em 1951 a.d., um grupo de beduínos descobriram manuscritos em Wadi Muraba’at (Córregos Temporais). Foi encontrado um rolo com textos dos profetas menores datados do II século a.d. que, correspondem, quase que perfeitamente, ao texto massorético.
  • 31. Papiro de Nash – Antes da descoberto dos rolos do Mar Morto, esta era a mais antiga testemunha do texto hebraico. Foi adquirido no Egito por W. L. Nash em 1902 a.d. Foi doado à biblioteca da Universidade de Cambridge. Contém uma cópia danificada dos 10 mandamentos de Êxodo 20:01 a 17 e de Deuteronômio 5:6 a 21. Contém, também o Shemá (Deuteronômio 6:4), que é o credo do judaísmo.
  • 32. Códice de Leningrado – Encontra-se na Biblioteca de São Pettersburgo. É o B.19a. ou L. É o mais antigo manuscrito da Bíblia hebraica completa. Segundo o seu Colofão (nota final feita pelos copistas), foi copiado no ano 1008 a.d. Foi copiado da família de escribas no século IX, no Tiberíades, por Ben Asher. É o texto base da Bíblia hebraica de Sttutgard.
  • 33. Pentateuco Samaritano – Em algum momento, após o período pós-exílico, ocorreu uma separação em definitivo entre os judeus e os samaritanos. A partir disso, os samaritanos passaram a preservar e produzir os seus próprios manuscritos. Só aceitavam o Pentateuco. Quando os manuscritos do Mar Morto foram descobertos, confirmou-se que os pentateucos samaritanos eram distorcidos.
  • 34. Targuns do século II também foram encontrados. Esses targuns são comentários bíblicos traduzidos do hebraico para o aramaico. Foram encontrados muitos manuscritos apócrifos do Judaísmo pré-cristão. São eles: Enoque, Jubileus e alguns testamentos dos patriarcas.
  • 35. HISTÓRIA DO TEXTO BÍBLICO ANTIGO TESTAMENTO
  • 36. O Antigo Testamento foi escrito em hebraico, e algumas porções em aramaico. O alfabeto usado para o Pentateuco foi inventado por volta do século XVIII a.c. Os primeiros caracteres alfabéticos foram achados em cavernas de extração de cobre no Sinai. Porções do Velho Testamento em Aramaico: Daniel 2:04 até 7:28 Esdras 4:08 até 6:18 Esdras 7:12 a 26 Jeremias 10:11 Gênesis 31:47
  • 37. A partir do século VII a.c., o aramaico se tornou língua universal, substituindo ao acadiano. As línguas mundiais, em ordem crescente são: Acadiano, Aramaico, Grego, Latim, Francês e Inglês. Os achados do Mar Morto, se referem a Qumram e Muraba’at.
  • 38. Materiais de Escrita Nos tempos bíblicos se usavam: Pedras – No Túnel de Siloé foram encontradas inscrições em pedras, as tábuas da lei de Moisés foram escritas em pedras e em Jó 19:24, cita-se também, as pedras. Tabletes de Argila Mole – Eram feitos escritos em cuneiforme com estilete. Ostracon – Eram cacos de cerâmica. No plural é chamado de ostraca.
  • 39. Materiais de Escrita Nos tempos bíblicos se usavam: Rolos de Couro e Papiro – No 3o milênio a.c., no Egito, já se escrevia em papiro. No couro, escrevia-se, de preferência, nos de cabra e ovelha. A partir do ano 200 a.c. descobriu-se uma técnica especial de tratar o couro, que passou a ser chamado de pergaminho. Mas, só foi usado em grande escala a partir do século IV a.d. Alcançavam até 7 metros. Papel – Foi inventado pelos Chineses, mas só foi utilizado a partir do século VIII a.d. Códice – Várias tiras de couro ou papiro, que eram montadas em forma de caderno e costuradas na extremidade. A partir do século IV a.d., passou a ser usado pelos cristãos, que escreveram todo o Novo Testamento neste tipo de material.
  • 40. Instrumentos Para Escrever Estilete com ponta de diamante para escrever em pedras. Talo de junco esmagado (pincel). Fuligem de lâmpada à óleo (tinta).
  • 41. Transmissão do Texto Autógrafo é o texto original. Hoje, só temos cópias destes originais. Texto Consonantal – As línguas Semíticas não usavam vogais. Os Massoretas pontuavam as vogais nas consoantes, criando-se o texto vocalizado. Não haviam ditongos e sempre vinha uma vogal após uma consoante. Família de Textos é a transformação de um texto após ser copiado várias vezes . Nos textos bíblicos, temos as famílias babilônica, egípcia e da palestina: Babilônia – Texto Massorético. Egito – Septuaginta (tradução do Velho Testamento para o grego). Palestina – Pentateucos Samaritanos. Os textos mais fiéis aos autógrafos são os Massoréticos.
  • 42. Alterações Textuais A partir do século V a.c., os Massoréticos para evitarem erros, contavam quantas palavras e letras haviam no original Mas, mesmo assim, houveram alterações:
  • 43. Alterações Não Intencionais – Em I Crônicas 1:7 e Gênesis 10:4 foram trocados os nomes Rodamim e Dodamim. Isto deve ter sido devido a letras similares do alfabeto quadrado. Haplografia – Escrevia-se uma vez o que deveria ser escrito duas vezes (Juízes 20:13) Ditografia – Escrevia duas vezes o que deveria ser escrito apenas uma vez (Levítico 20:10). Homeoteleuco – É a omissão de uma passagem intermediária, porque o olho do copista pulou de uma palavra que se pareça. Em I Samuel 14:41, o copista deixou de escrever 19 palavras hebraicas.
  • 44. Alterações Intencionais – Foram pelos seguintes motivos: Disfarçar o significado do texto ou para “proteger” a Deus ou alguma respeitada figura humana de algum dano. Em Jó 1:5, no texto original está citado como “abençoar a Deus”. Em Juízes 18:30, no lugar de Moisés, é citado Manassés. Modificar para não causar críticas. Em II Samuel 2:8 (Is- bosete) e em Crônicas 8:33 (Es-baal). Após o exílio babilônico, em vez de falar YHWH, diziam Adonai, para não tomar o nome de Deus em vão. A palavra Jeová foi a junção dessas duas palavras pelos Massoretas.
  • 45. Versões do Antigo Testamento Septuaginta – O código é LXX. É a versão mais antiga para o grego. Existe uma história que ela foi escrita por setenta pessoas em setenta dias. Foi escrita na Alexandria, Egito; porque havia uma colônia judaica que falava o grego. O pentateuco foi traduzido por volta do III século a.c. Foi a Bíblia dos cristãos primitivos. Foi uma ponte entre o hebraico e o grego.
  • 46. Aquila (130 a.d.) – Os judeus não queriam usar a versão que os cristãos usavam e criaram esta tradução. Mas, às vezes, era incompreensível. O que restou desta tradução são fragmentos hexapláricos e palimpsestos (Raspar um texto e escrever por cima. Foram encontrados no Cairo, especialmente nos escritos em couro). Símaco (170 a.d.) – Era uma versão literal do texto hebraico e um pouco melhor que a de Aquila. Só existem fragmentos.
  • 47. Teodócio (Final do séc. II a.d.) – Era um prosélito (gentio que se converteu ao judaísmo) e fez uma revisão para os judeus. São encontrados apenas fragmentos da hexapla. Hexapla – (Séc. II a.d.) – Produzida por Orígenes. Foi uma obra em 6 colunas: 1.Texto hebraico. 2.Texto hebraico transliterado. 3. Septuaginta. 4. Aquila. 5. Símaco. 6. Teodócio. Targuns (Aramaico) - Foram traduções livres da Bíblia para o aramaico