SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
NOÇÕES BASICAS DENOÇÕES BASICAS DE
MECÂNICAMECÂNICA
Instrutor:
Manoel
Serafim
MECÂNICA BASICAMECÂNICA BASICA
Objetivo é termos um conhecimento básico doObjetivo é termos um conhecimento básico do
funcionamento do veículo e dos seusfuncionamento do veículo e dos seus
equipamentos.equipamentos.
Por que é importante para um condutor terPor que é importante para um condutor ter
conhecimentos básicos de mecânica?conhecimentos básicos de mecânica?
• Porque para o CTB, o condutor é obrigado a conservar oPorque para o CTB, o condutor é obrigado a conservar o
veículo em perfeitas condições de uso;veículo em perfeitas condições de uso;
• Pelas infrações e penalidadesPelas infrações e penalidades
previstas para veículos em mauprevistas para veículos em mau
estado de conservação.estado de conservação.
• E pelo fato de, como qualquerE pelo fato de, como qualquer
maquina, o veículo está sujeitomaquina, o veículo está sujeito
a panes. E sempre é bom saber oa panes. E sempre é bom saber o
que esta acontecendo.que esta acontecendo.
PRINCIPAIS EQUIPAMENTOSPRINCIPAIS EQUIPAMENTOS
DE SEGURANÇADE SEGURANÇA
DIREÇÃO;DIREÇÃO;
FREIOS;FREIOS;
SUSPENSÃO;SUSPENSÃO;
PNEUS;PNEUS;
LUZES;LUZES;
LIMPADOR DE PÁRA-BRISA;LIMPADOR DE PÁRA-BRISA;
BUZINA.BUZINA.
ATENÇÃOATENÇÃO
Leia cuidadosamente o manual doLeia cuidadosamente o manual do
proprietário, pois ele mostra todasproprietário, pois ele mostra todas
as particularidades e recursosas particularidades e recursos
específicos de cada modelo;específicos de cada modelo;
Verificar a localização e a funçãoVerificar a localização e a função
de todos os comandos;de todos os comandos;
Saber interpretar corretamenteSaber interpretar corretamente
todos os indicadores do painel.todos os indicadores do painel.
CONHECENDO SEU VEÍCULOCONHECENDO SEU VEÍCULO
Motor;Motor;
Sistema Elétrico;Sistema Elétrico;
Sistema de Transmissão;Sistema de Transmissão;
Sistema de Direção;Sistema de Direção;
Sistema de Suspensão;Sistema de Suspensão;
Sistema de Freio e Estrutura.Sistema de Freio e Estrutura.
• Faz o veículo movimentar.Faz o veículo movimentar.
• Para funcionar utiliza umaPara funcionar utiliza uma
mistura de ar maismistura de ar mais
combustível.combustível.
Tipo de motores:Tipo de motores:
• Motores a combustão;Motores a combustão;
• MotoresMotores
elétricos.elétricos.
Motores a combustão são aqueles que se
utilizam de um combustível misturado com ar.
Pelo fato de a queima ocorrer dentro do cilindro,
estes motores são chamados de motores a
combustão interna.
Os motores a combustão interna são divididos
em dois tipos:
 Motores a combustão por compressão (diesel) e ;
 Motores a combustão por expansão (gasolina, álcool,
GNV).
Motores elétricos embora possuam um
rendimento muito maior que os motores a
combustão e não poluem, a sua utilização
torna-se muito restrita em veículos.
Exemplos:
 Algumas empilhadeiras, ônibus elétricos
(trolebus), e pequenos veículos utilizados em
industria.
FUNCIONAMENTO DOSFUNCIONAMENTO DOS
MOTORES:MOTORES:
A grande maioria dos motores aA grande maioria dos motores a
combustão desenvolvem seu ciclo emcombustão desenvolvem seu ciclo em
quatro fases:quatro fases:
COMBUSTÃO
Os motores de quatro tempos também
é conhecido por Ciclo Otto.
COMBUSTÃO ESCAPAMENTO
PRINCIPAIS RECOMENDAÇÕES:PRINCIPAIS RECOMENDAÇÕES:
 FazerFazer revisões periódicas;revisões periódicas;
 Usar lubrificantes recomendados e trocar noUsar lubrificantes recomendados e trocar no
prazo determinado. A principal função doprazo determinado. A principal função do
lubrificante é reduzir o atrito e o desgaste dolubrificante é reduzir o atrito e o desgaste do
motor.motor.
 Verificar o nível de óleo e a troca do filtro;Verificar o nível de óleo e a troca do filtro;
 Verificar vazamentos;Verificar vazamentos;
 Trocar o filtro de combustível dentro do prazo;Trocar o filtro de combustível dentro do prazo;
 Limpar ou substituir filtro de ar em mau estado;Limpar ou substituir filtro de ar em mau estado;
 Manter carburador ou injeção eletrônicaManter carburador ou injeção eletrônica
regulados.regulados.
ATANÇÃO:
A principal função do carburador é dosar e
pulverizar a mistura ar mais combustível na
proporção recomendada.
Nos motores a diesel, o carburador é substituído
pela bomba injetora, que eleva o combustível a
altas pressões, injetando-o no cilindro para sua
queima.
A injeção eletrônica é um sistema eletrônico que
veio substituir o carburador, poluindo menos,
economizando mais, melhorando o rendimento,
um melhor aproveitamento do combustível e
não utiliza afogador.
SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO OUSISTEMA DE REFRIGERAÇÃO OU
ARREFECIMENTO:ARREFECIMENTO:
Sua função é dissipar o calor gerado peloSua função é dissipar o calor gerado pelo
motor, através do radiador e da ventoinhamotor, através do radiador e da ventoinha
para que não haja superaquecimento.para que não haja superaquecimento.
É composto dos seguintes componentes:É composto dos seguintes componentes:
Ventoinha
Válvula termostáticaRadiador;
Bomba d’água;
Mangueira.
Existem dois tipos de sistemas: a ar e a água
Principais causas de panes:Principais causas de panes:
• Colméia do radiador suja ou entupida;Colméia do radiador suja ou entupida;
• Correia partida ou frouxa;Correia partida ou frouxa;
• Vazamentos nas mangueiras;Vazamentos nas mangueiras;
• Termostato danificado.Termostato danificado.
As recomendações são:As recomendações são:
• Verificar regulamente o nível da água;Verificar regulamente o nível da água;
• Fazer uso de Aditivos;Fazer uso de Aditivos;
• Ficar atentos aos indicadores deFicar atentos aos indicadores de
temperatura;temperatura;
• Completar o nível de água com motorCompletar o nível de água com motor
frio.frio.
Se ferver: Não abra a tampa do radiador e nem tentar colocar
água.
SISTEMA DE ESCAPAMENTO OUSISTEMA DE ESCAPAMENTO OU
EXAUSTÃO:EXAUSTÃO:
Finalidade é eliminar os gazesFinalidade é eliminar os gazes
provenientes da queima doprovenientes da queima do
combustível.combustível.
Formado basicamente por:Formado basicamente por:
• Válvulas, tubulações deVálvulas, tubulações de
escapamento,escapamento,
Catalizado
r Silencioso
Silenciador ou Silencioso:Silenciador ou Silencioso:
Ele tem a função de minimizar o ruídoEle tem a função de minimizar o ruído
produzido pela queima dos gases eproduzido pela queima dos gases e
reduzir a poluição sonora causada pelosreduzir a poluição sonora causada pelos
motores.motores.
Recomendações:Recomendações:
• Verificar os componentes em caso deVerificar os componentes em caso de
barulho excessivo;barulho excessivo;
• Manter as característica em caso deManter as característica em caso de
SISTEMA ELÉTRICO:SISTEMA ELÉTRICO:
Fornece energia inicial ao funcionamento doFornece energia inicial ao funcionamento do
motor e ao consumo de outros equipamentosmotor e ao consumo de outros equipamentos
elétricos. Transformando energia química emelétricos. Transformando energia química em
elétrica.elétrica.
SEUS COMPONENTES:SEUS COMPONENTES:
Bateria (acumula e fornece energia para oBateria (acumula e fornece energia para o
motor de partida e demais equipamentosmotor de partida e demais equipamentos
elétricos), motor de partida, ignição (bobina,elétricos), motor de partida, ignição (bobina,
distribuidor, platinado, condensador e velas)distribuidor, platinado, condensador e velas)
ignição eletrônica, alternador, fuzível.ignição eletrônica, alternador, fuzível.
Alternador
Bateria
Motor de Partida
Chave de ignição
Painel de instrumento
Bobina Vela
Platinado
Distribuidor
Cabos
Ignição eletrônica
RECOMENDAÇÕES:RECOMENDAÇÕES:
• Revisar periodicamente;Revisar periodicamente;
• Cuidar para não esquecerCuidar para não esquecer
ligados luzes, aparelhos de som;ligados luzes, aparelhos de som;
• Evitar acionar o motor de partidaEvitar acionar o motor de partida
com os faróis acesso oucom os faróis acesso ou
aparelho de som ligado.aparelho de som ligado.
SISTEMA DE TRANSMISSÃO:SISTEMA DE TRANSMISSÃO:
É ele que transmite o movimento do motorÉ ele que transmite o movimento do motor
para as rodas.para as rodas.
COMPONENTES:COMPONENTES:
Caixa de Cambio
Alavanca de
Cambio
Diferencial
Platô de embreagem
Eixo Cardã
Colar
PARA MOTOCICLETASPARA MOTOCICLETAS
Corrente
Pinhão
Coroa
SISTEMA DE DIREÇÃO:SISTEMA DE DIREÇÃO:
Permite ao condutor dirigir, alterando aPermite ao condutor dirigir, alterando a
sua trajetória.sua trajetória.
Em carros equipados com direçãoEm carros equipados com direção
hidráulica ela ficará mais dura se ohidráulica ela ficará mais dura se o
motor apagar, portanto, mais difícilmotor apagar, portanto, mais difícil
de fazer manobras e curvas.de fazer manobras e curvas.
Volante
Braço de direção
Varão
Terminais
RECOMENDAÇÕES:RECOMENDAÇÕES:
Fazer alinhamento ( geometria ouFazer alinhamento ( geometria ou
balanceamento nos automóveis semprebalanceamento nos automóveis sempre
que necessário);que necessário);
Trafegar com os pneus sempre bemTrafegar com os pneus sempre bem
calibrados;calibrados;
Revisar o sistema sempre que a direçãoRevisar o sistema sempre que a direção
começar a “puxar”, apresentar folga,começar a “puxar”, apresentar folga,
trepidar, fazer ruídos estranhos outrepidar, fazer ruídos estranhos ou
provocar desgaste irregular no pneus.provocar desgaste irregular no pneus.
SISTEMA DE SUSPENSÃO:SISTEMA DE SUSPENSÃO:
Ajusta os pontos de contato do veículo com oAjusta os pontos de contato do veículo com o
solo, compensando as irregularidades.solo, compensando as irregularidades.
Formados basicamente por molas e amortecedores
Principais indicadores de que aPrincipais indicadores de que a
suspensão necessita ser revisada:suspensão necessita ser revisada:
• Ruídos estranhos;Ruídos estranhos;
• Veículo mudou de “comportamento”,Veículo mudou de “comportamento”,
principalmente nas curvas;principalmente nas curvas;
• Veículo que balança muito;Veículo que balança muito;
• Pneus com desgaste irregular.Pneus com desgaste irregular.
ATENÇÃO:ATENÇÃO:
A geometria ou balanceamento serve paraA geometria ou balanceamento serve para
colocar a suspensão dentro dos parâmetroscolocar a suspensão dentro dos parâmetros
do fabricante (a cada 25.000 km ou toda vezdo fabricante (a cada 25.000 km ou toda vez
que a roda bater em um buraco ou meio fio).que a roda bater em um buraco ou meio fio).
SISTEMA DE FREIO:SISTEMA DE FREIO:
Serve para reduzir a velocidade do veículo ouServe para reduzir a velocidade do veículo ou
faze-lo parar completamente, através dofaze-lo parar completamente, através do
acionamento do pedal de freio. Podendoacionamento do pedal de freio. Podendo
ser do tipo “tambor e lona” ou “disco eser do tipo “tambor e lona” ou “disco e
pastilha”.pastilha”.
O freio pode ainda ser:O freio pode ainda ser:
MECÂNICO ou HIDRAULICOMECÂNICO ou HIDRAULICO
O freio de mão é um freio mecânico que atuaO freio de mão é um freio mecânico que atua
nas rodas traseiras.nas rodas traseiras.
Cuidados básicos com os freios:Cuidados básicos com os freios:
Verificar o desgaste das pastilhasVerificar o desgaste das pastilhas
ou lonas regularmente;ou lonas regularmente;
Verificar o nível de fluído do freio;Verificar o nível de fluído do freio;
Desacelerar antes de frear,Desacelerar antes de frear,
usando o motor como freio;usando o motor como freio;
Manter os elementos do sistemaManter os elementos do sistema
em perfeito estado.em perfeito estado.
Freios ABS (Anti-lock Breaking System):Freios ABS (Anti-lock Breaking System):
Evitam o travamento das rodas em frenagens deEvitam o travamento das rodas em frenagens de
emergências.(Fique atento ao indicador do painel).emergências.(Fique atento ao indicador do painel).
PNEUS:PNEUS:
O freios param as rodas, mas são osO freios param as rodas, mas são os
pneus que realmente param o veículo.pneus que realmente param o veículo.
Faz parte do Pneu: Banda de Rodagem,Faz parte do Pneu: Banda de Rodagem,
Flancos, Frisos, Carcaça ou Armadura.Flancos, Frisos, Carcaça ou Armadura.
RECOMENDAÇÕES:RECOMENDAÇÕES:
Calibrar os pneus regularmenteCalibrar os pneus regularmente
(a baixa calibragem causa o desgaste(a baixa calibragem causa o desgaste
prematuro dos pneus e podemprematuro dos pneus e podem
desestabilizar o veículo em curvasdesestabilizar o veículo em curvas
ou manobras de emergência);ou manobras de emergência);
Realizar o balanceamento;Realizar o balanceamento;
Fazer rodízio dos pneus periodicamente;Fazer rodízio dos pneus periodicamente;
Trocar ao pneus com profundidadeTrocar ao pneus com profundidade
de sulcos inferior a 1,6 mm;de sulcos inferior a 1,6 mm;
Manter o estepe em perfeito estado.Manter o estepe em perfeito estado.
ESTRUTURA:ESTRUTURA:
Esqueleto ou base de sustentação doEsqueleto ou base de sustentação do
automóvel: monobloco ou chassi.automóvel: monobloco ou chassi.
Os veículos modernos tem
estrutura que absorve os
impactos e proporcionam
mais segurança aos
ocupantes em caso de
acidente.
EXTINTOR:EXTINTOR:
Em caso de incêndio o
extintor deverá ser
usado dirigindo-o para
a base das chamas,
com movimentos
horizontais na forma
de leque.
PAINEL DE INSTRUMENTOSPAINEL DE INSTRUMENTOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Direção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitaçãoDireção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitaçãoGabrielly Campos
 
Primeiros Socorros - Primeira habilitação
Primeiros Socorros - Primeira habilitaçãoPrimeiros Socorros - Primeira habilitação
Primeiros Socorros - Primeira habilitaçãoGabrielly Campos
 
A mecânica básica de veículos
A mecânica básica de veículosA mecânica básica de veículos
A mecânica básica de veículosmarcoaureliosargi
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensivaJorge Franco
 
Direção Defensiva
Direção DefensivaDireção Defensiva
Direção DefensivaLM Frotas
 
Aula direção defensiva
Aula  direção defensivaAula  direção defensiva
Aula direção defensivaJonatas Soares
 
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do TrabalhoEstatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do TrabalhoMárcio Roberto de Mattos
 
Educação no tânsito
Educação no tânsitoEducação no tânsito
Educação no tânsitoliline123
 
1. funcionamento veiculo parte 1
1. funcionamento veiculo parte 11. funcionamento veiculo parte 1
1. funcionamento veiculo parte 1Delma Cris
 
Slide legislação de trânsito
Slide legislação de trânsitoSlide legislação de trânsito
Slide legislação de trânsitoLeOo Bezerra
 
Inst. filipe direção defensiva
Inst. filipe direção defensivaInst. filipe direção defensiva
Inst. filipe direção defensivaFilipe Silva
 

Mais procurados (20)

Direção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitaçãoDireção defensiva - Primeira habilitação
Direção defensiva - Primeira habilitação
 
Primeiros Socorros - Primeira habilitação
Primeiros Socorros - Primeira habilitaçãoPrimeiros Socorros - Primeira habilitação
Primeiros Socorros - Primeira habilitação
 
Legislação de trânsito - Conteúdo Geral
Legislação de trânsito - Conteúdo GeralLegislação de trânsito - Conteúdo Geral
Legislação de trânsito - Conteúdo Geral
 
A mecânica básica de veículos
A mecânica básica de veículosA mecânica básica de veículos
A mecânica básica de veículos
 
Direção defensiva - Alessandro Leal
Direção defensiva - Alessandro LealDireção defensiva - Alessandro Leal
Direção defensiva - Alessandro Leal
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 
Mecânica - Alessandro Leal
Mecânica - Alessandro LealMecânica - Alessandro Leal
Mecânica - Alessandro Leal
 
Mecânica básica
Mecânica básicaMecânica básica
Mecânica básica
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
Direção Defensiva
Direção DefensivaDireção Defensiva
Direção Defensiva
 
Aula direção defensiva
Aula  direção defensivaAula  direção defensiva
Aula direção defensiva
 
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do TrabalhoEstatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
Estatísticas direção defensiva - Especial para Técnicos em Segurança do Trabalho
 
Educação no tânsito
Educação no tânsitoEducação no tânsito
Educação no tânsito
 
1. funcionamento veiculo parte 1
1. funcionamento veiculo parte 11. funcionamento veiculo parte 1
1. funcionamento veiculo parte 1
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
Direção defensiva
Direção defensivaDireção defensiva
Direção defensiva
 
Legislação de trânsito
Legislação de trânsitoLegislação de trânsito
Legislação de trânsito
 
Slide legislação de trânsito
Slide legislação de trânsitoSlide legislação de trânsito
Slide legislação de trânsito
 
Inst. filipe direção defensiva
Inst. filipe direção defensivaInst. filipe direção defensiva
Inst. filipe direção defensiva
 

Destaque

A tabela básica da Série B de 2016
A tabela básica da Série B de 2016A tabela básica da Série B de 2016
A tabela básica da Série B de 2016Cassio Zirpoli
 
Via buraco na pista
Via buraco na pistaVia buraco na pista
Via buraco na pistaneto Serafim
 
Animals throughout the world
Animals throughout the worldAnimals throughout the world
Animals throughout the worldmiguelurdin4a
 
O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015Cassio Zirpoli
 
Econ3323 Business Source Complete
Econ3323 Business Source CompleteEcon3323 Business Source Complete
Econ3323 Business Source CompleteLucia Ravi
 
A review on corrosion causes and prevention
A review on corrosion causes and preventionA review on corrosion causes and prevention
A review on corrosion causes and preventionIAEME Publication
 
Evidence based sources ClinicalKey
Evidence based sources   ClinicalKeyEvidence based sources   ClinicalKey
Evidence based sources ClinicalKeyLucia Ravi
 
Finanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir Somoggi
Finanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir SomoggiFinanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir Somoggi
Finanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir SomoggiAmir Somoggi
 
Trabalho wednot 2
Trabalho wednot 2Trabalho wednot 2
Trabalho wednot 2Inacio Melo
 
Mobilidade urbana-como-evoluir
Mobilidade urbana-como-evoluirMobilidade urbana-como-evoluir
Mobilidade urbana-como-evoluirRoberta Soares
 

Destaque (12)

A tabela básica da Série B de 2016
A tabela básica da Série B de 2016A tabela básica da Série B de 2016
A tabela básica da Série B de 2016
 
Via buraco na pista
Via buraco na pistaVia buraco na pista
Via buraco na pista
 
Francisco de Goya
Francisco de GoyaFrancisco de Goya
Francisco de Goya
 
Animals throughout the world
Animals throughout the worldAnimals throughout the world
Animals throughout the world
 
O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015O balanço financeiro do Náutico em 2015
O balanço financeiro do Náutico em 2015
 
Econ3323 Business Source Complete
Econ3323 Business Source CompleteEcon3323 Business Source Complete
Econ3323 Business Source Complete
 
A review on corrosion causes and prevention
A review on corrosion causes and preventionA review on corrosion causes and prevention
A review on corrosion causes and prevention
 
Evidence based sources ClinicalKey
Evidence based sources   ClinicalKeyEvidence based sources   ClinicalKey
Evidence based sources ClinicalKey
 
Finanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir Somoggi
Finanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir SomoggiFinanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir Somoggi
Finanças dos clubes brasileiros em 2015- Amir Somoggi
 
Trabalho wednot 2
Trabalho wednot 2Trabalho wednot 2
Trabalho wednot 2
 
Mobilidade urbana-como-evoluir
Mobilidade urbana-como-evoluirMobilidade urbana-como-evoluir
Mobilidade urbana-como-evoluir
 
NMRESGI_New Mexico Energy Storage Policy, Plan, and Process_Lewis
NMRESGI_New Mexico Energy Storage Policy, Plan, and Process_LewisNMRESGI_New Mexico Energy Storage Policy, Plan, and Process_Lewis
NMRESGI_New Mexico Energy Storage Policy, Plan, and Process_Lewis
 

Semelhante a Mecânica

Suspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabianoSuspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabianoFernando Mattos
 
Suspenção direção e freios
Suspenção direção e freiosSuspenção direção e freios
Suspenção direção e freiosFernando Mattos
 
Jornada de exatas 2013
Jornada de exatas 2013Jornada de exatas 2013
Jornada de exatas 2013Fabio Tofoli
 
Catálogo Delco Remy 2016 - Linha Pesada
Catálogo Delco Remy 2016 - Linha PesadaCatálogo Delco Remy 2016 - Linha Pesada
Catálogo Delco Remy 2016 - Linha PesadaPaula Chaves
 
Manual de serviã§os super 100 80507-d03 a-001
Manual de serviã§os super 100   80507-d03 a-001Manual de serviã§os super 100   80507-d03 a-001
Manual de serviã§os super 100 80507-d03 a-001nielson araujo
 
Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2hayabusabr
 
Manual serviã‡os laser 150 v1
Manual serviã‡os laser 150 v1Manual serviã‡os laser 150 v1
Manual serviã‡os laser 150 v1nielson araujo
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_geraisManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_geraisThiago Huari
 
Curso boby cat.ppt
Curso boby cat.pptCurso boby cat.ppt
Curso boby cat.pptsiderlei1230
 
Manual de serviço xlx250 r lubrific
Manual de serviço xlx250 r lubrificManual de serviço xlx250 r lubrific
Manual de serviço xlx250 r lubrificThiago Huari
 
Manual de serviço xlx250 r (1984) mskb7841p lubrific
Manual de serviço xlx250 r (1984)   mskb7841p lubrificManual de serviço xlx250 r (1984)   mskb7841p lubrific
Manual de serviço xlx250 r (1984) mskb7841p lubrificThiago Huari
 

Semelhante a Mecânica (20)

Suspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabianoSuspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
Suspenção direção e freios Lar Luiz fabiano
 
Suspenção direção e freios
Suspenção direção e freiosSuspenção direção e freios
Suspenção direção e freios
 
1. funcionamento veiculo parte 1
1. funcionamento veiculo parte 11. funcionamento veiculo parte 1
1. funcionamento veiculo parte 1
 
Freio motor - Danillo.ppt
Freio motor -  Danillo.pptFreio motor -  Danillo.ppt
Freio motor - Danillo.ppt
 
Jornada de exatas 2013
Jornada de exatas 2013Jornada de exatas 2013
Jornada de exatas 2013
 
Catálogo Delco Remy 2016 - Linha Pesada
Catálogo Delco Remy 2016 - Linha PesadaCatálogo Delco Remy 2016 - Linha Pesada
Catálogo Delco Remy 2016 - Linha Pesada
 
Manual de serviã§os super 100 80507-d03 a-001
Manual de serviã§os super 100   80507-d03 a-001Manual de serviã§os super 100   80507-d03 a-001
Manual de serviã§os super 100 80507-d03 a-001
 
Amarok 2017
Amarok 2017Amarok 2017
Amarok 2017
 
Carros
CarrosCarros
Carros
 
349el 141204074052-conversion-gate01
349el 141204074052-conversion-gate01349el 141204074052-conversion-gate01
349el 141204074052-conversion-gate01
 
Nocoesdemecanica
NocoesdemecanicaNocoesdemecanica
Nocoesdemecanica
 
Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2Catalogo thomson-test-moto2
Catalogo thomson-test-moto2
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 
Ev presentation
Ev presentationEv presentation
Ev presentation
 
Manual serviã‡os laser 150 v1
Manual serviã‡os laser 150 v1Manual serviã‡os laser 150 v1
Manual serviã‡os laser 150 v1
 
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_geraisManaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
Manaul de serviço cbr900 rr fireblade_(3)_(2002~) informacoes_gerais
 
Curso boby cat.ppt
Curso boby cat.pptCurso boby cat.ppt
Curso boby cat.ppt
 
Manual de serviço xlx250 r lubrific
Manual de serviço xlx250 r lubrificManual de serviço xlx250 r lubrific
Manual de serviço xlx250 r lubrific
 
Manual de serviço xlx250 r (1984) mskb7841p lubrific
Manual de serviço xlx250 r (1984)   mskb7841p lubrificManual de serviço xlx250 r (1984)   mskb7841p lubrific
Manual de serviço xlx250 r (1984) mskb7841p lubrific
 

Mais de neto Serafim

Slide curso bombeiro civil modificações - 09.11.21
Slide curso bombeiro civil   modificações - 09.11.21Slide curso bombeiro civil   modificações - 09.11.21
Slide curso bombeiro civil modificações - 09.11.21neto Serafim
 
Exame toxicológico
Exame toxicológicoExame toxicológico
Exame toxicológiconeto Serafim
 
Atualização resoluções
Atualização resoluçõesAtualização resoluções
Atualização resoluçõesneto Serafim
 
Mecânica de motocicletas – constituição da motocicleta
Mecânica de motocicletas – constituição da motocicletaMecânica de motocicletas – constituição da motocicleta
Mecânica de motocicletas – constituição da motocicletaneto Serafim
 
7 curvas x f. centrífuga
7   curvas x f. centrífuga7   curvas x f. centrífuga
7 curvas x f. centrífuganeto Serafim
 
Exemplo para Direção Defensiva
Exemplo para Direção DefensivaExemplo para Direção Defensiva
Exemplo para Direção Defensivaneto Serafim
 
Assunto Primeiros Socorros
Assunto Primeiros SocorrosAssunto Primeiros Socorros
Assunto Primeiros Socorrosneto Serafim
 
Direção Defensiva
Direção DefensivaDireção Defensiva
Direção Defensivaneto Serafim
 

Mais de neto Serafim (20)

Slide curso bombeiro civil modificações - 09.11.21
Slide curso bombeiro civil   modificações - 09.11.21Slide curso bombeiro civil   modificações - 09.11.21
Slide curso bombeiro civil modificações - 09.11.21
 
Ebt centec 3
Ebt   centec 3Ebt   centec 3
Ebt centec 3
 
Ebt centec 2
Ebt   centec 2Ebt   centec 2
Ebt centec 2
 
Ebt centec
Ebt   centecEbt   centec
Ebt centec
 
PID
PID PID
PID
 
Os vetos
Os vetosOs vetos
Os vetos
 
Normas gerias
Normas geriasNormas gerias
Normas gerias
 
Estruturas do snt
Estruturas do sntEstruturas do snt
Estruturas do snt
 
Exame toxicológico
Exame toxicológicoExame toxicológico
Exame toxicológico
 
Atualização resoluções
Atualização resoluçõesAtualização resoluções
Atualização resoluções
 
CAR
CARCAR
CAR
 
Direction
DirectionDirection
Direction
 
Retrovisor
RetrovisorRetrovisor
Retrovisor
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 
Mecânica de motocicletas – constituição da motocicleta
Mecânica de motocicletas – constituição da motocicletaMecânica de motocicletas – constituição da motocicleta
Mecânica de motocicletas – constituição da motocicleta
 
7 curvas x f. centrífuga
7   curvas x f. centrífuga7   curvas x f. centrífuga
7 curvas x f. centrífuga
 
Exemplo para Direção Defensiva
Exemplo para Direção DefensivaExemplo para Direção Defensiva
Exemplo para Direção Defensiva
 
Assunto Primeiros Socorros
Assunto Primeiros SocorrosAssunto Primeiros Socorros
Assunto Primeiros Socorros
 
Meio Ambiente
Meio AmbienteMeio Ambiente
Meio Ambiente
 
Direção Defensiva
Direção DefensivaDireção Defensiva
Direção Defensiva
 

Último

Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxlucivaniaholanda
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxpatriciapedroso82
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxmariiiaaa1290
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 

Último (20)

Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptxSismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
Sismologia_7ºano_causas e consequencias.pptx
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 

Mecânica

  • 1. NOÇÕES BASICAS DENOÇÕES BASICAS DE MECÂNICAMECÂNICA Instrutor: Manoel Serafim
  • 2. MECÂNICA BASICAMECÂNICA BASICA Objetivo é termos um conhecimento básico doObjetivo é termos um conhecimento básico do funcionamento do veículo e dos seusfuncionamento do veículo e dos seus equipamentos.equipamentos. Por que é importante para um condutor terPor que é importante para um condutor ter conhecimentos básicos de mecânica?conhecimentos básicos de mecânica? • Porque para o CTB, o condutor é obrigado a conservar oPorque para o CTB, o condutor é obrigado a conservar o veículo em perfeitas condições de uso;veículo em perfeitas condições de uso; • Pelas infrações e penalidadesPelas infrações e penalidades previstas para veículos em mauprevistas para veículos em mau estado de conservação.estado de conservação. • E pelo fato de, como qualquerE pelo fato de, como qualquer maquina, o veículo está sujeitomaquina, o veículo está sujeito a panes. E sempre é bom saber oa panes. E sempre é bom saber o que esta acontecendo.que esta acontecendo.
  • 3. PRINCIPAIS EQUIPAMENTOSPRINCIPAIS EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇADE SEGURANÇA DIREÇÃO;DIREÇÃO; FREIOS;FREIOS; SUSPENSÃO;SUSPENSÃO; PNEUS;PNEUS; LUZES;LUZES; LIMPADOR DE PÁRA-BRISA;LIMPADOR DE PÁRA-BRISA; BUZINA.BUZINA.
  • 4. ATENÇÃOATENÇÃO Leia cuidadosamente o manual doLeia cuidadosamente o manual do proprietário, pois ele mostra todasproprietário, pois ele mostra todas as particularidades e recursosas particularidades e recursos específicos de cada modelo;específicos de cada modelo; Verificar a localização e a funçãoVerificar a localização e a função de todos os comandos;de todos os comandos; Saber interpretar corretamenteSaber interpretar corretamente todos os indicadores do painel.todos os indicadores do painel.
  • 5. CONHECENDO SEU VEÍCULOCONHECENDO SEU VEÍCULO Motor;Motor; Sistema Elétrico;Sistema Elétrico; Sistema de Transmissão;Sistema de Transmissão; Sistema de Direção;Sistema de Direção; Sistema de Suspensão;Sistema de Suspensão; Sistema de Freio e Estrutura.Sistema de Freio e Estrutura.
  • 6. • Faz o veículo movimentar.Faz o veículo movimentar. • Para funcionar utiliza umaPara funcionar utiliza uma mistura de ar maismistura de ar mais combustível.combustível. Tipo de motores:Tipo de motores: • Motores a combustão;Motores a combustão; • MotoresMotores elétricos.elétricos.
  • 7. Motores a combustão são aqueles que se utilizam de um combustível misturado com ar. Pelo fato de a queima ocorrer dentro do cilindro, estes motores são chamados de motores a combustão interna. Os motores a combustão interna são divididos em dois tipos:  Motores a combustão por compressão (diesel) e ;  Motores a combustão por expansão (gasolina, álcool, GNV).
  • 8. Motores elétricos embora possuam um rendimento muito maior que os motores a combustão e não poluem, a sua utilização torna-se muito restrita em veículos. Exemplos:  Algumas empilhadeiras, ônibus elétricos (trolebus), e pequenos veículos utilizados em industria.
  • 9. FUNCIONAMENTO DOSFUNCIONAMENTO DOS MOTORES:MOTORES: A grande maioria dos motores aA grande maioria dos motores a combustão desenvolvem seu ciclo emcombustão desenvolvem seu ciclo em quatro fases:quatro fases: COMBUSTÃO Os motores de quatro tempos também é conhecido por Ciclo Otto. COMBUSTÃO ESCAPAMENTO
  • 10. PRINCIPAIS RECOMENDAÇÕES:PRINCIPAIS RECOMENDAÇÕES:  FazerFazer revisões periódicas;revisões periódicas;  Usar lubrificantes recomendados e trocar noUsar lubrificantes recomendados e trocar no prazo determinado. A principal função doprazo determinado. A principal função do lubrificante é reduzir o atrito e o desgaste dolubrificante é reduzir o atrito e o desgaste do motor.motor.  Verificar o nível de óleo e a troca do filtro;Verificar o nível de óleo e a troca do filtro;  Verificar vazamentos;Verificar vazamentos;  Trocar o filtro de combustível dentro do prazo;Trocar o filtro de combustível dentro do prazo;  Limpar ou substituir filtro de ar em mau estado;Limpar ou substituir filtro de ar em mau estado;  Manter carburador ou injeção eletrônicaManter carburador ou injeção eletrônica regulados.regulados.
  • 11.
  • 12. ATANÇÃO: A principal função do carburador é dosar e pulverizar a mistura ar mais combustível na proporção recomendada. Nos motores a diesel, o carburador é substituído pela bomba injetora, que eleva o combustível a altas pressões, injetando-o no cilindro para sua queima. A injeção eletrônica é um sistema eletrônico que veio substituir o carburador, poluindo menos, economizando mais, melhorando o rendimento, um melhor aproveitamento do combustível e não utiliza afogador.
  • 13. SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO OUSISTEMA DE REFRIGERAÇÃO OU ARREFECIMENTO:ARREFECIMENTO: Sua função é dissipar o calor gerado peloSua função é dissipar o calor gerado pelo motor, através do radiador e da ventoinhamotor, através do radiador e da ventoinha para que não haja superaquecimento.para que não haja superaquecimento. É composto dos seguintes componentes:É composto dos seguintes componentes: Ventoinha Válvula termostáticaRadiador; Bomba d’água; Mangueira. Existem dois tipos de sistemas: a ar e a água
  • 14. Principais causas de panes:Principais causas de panes: • Colméia do radiador suja ou entupida;Colméia do radiador suja ou entupida; • Correia partida ou frouxa;Correia partida ou frouxa; • Vazamentos nas mangueiras;Vazamentos nas mangueiras; • Termostato danificado.Termostato danificado. As recomendações são:As recomendações são: • Verificar regulamente o nível da água;Verificar regulamente o nível da água; • Fazer uso de Aditivos;Fazer uso de Aditivos; • Ficar atentos aos indicadores deFicar atentos aos indicadores de temperatura;temperatura; • Completar o nível de água com motorCompletar o nível de água com motor frio.frio. Se ferver: Não abra a tampa do radiador e nem tentar colocar água.
  • 15. SISTEMA DE ESCAPAMENTO OUSISTEMA DE ESCAPAMENTO OU EXAUSTÃO:EXAUSTÃO: Finalidade é eliminar os gazesFinalidade é eliminar os gazes provenientes da queima doprovenientes da queima do combustível.combustível. Formado basicamente por:Formado basicamente por: • Válvulas, tubulações deVálvulas, tubulações de escapamento,escapamento, Catalizado r Silencioso
  • 16. Silenciador ou Silencioso:Silenciador ou Silencioso: Ele tem a função de minimizar o ruídoEle tem a função de minimizar o ruído produzido pela queima dos gases eproduzido pela queima dos gases e reduzir a poluição sonora causada pelosreduzir a poluição sonora causada pelos motores.motores. Recomendações:Recomendações: • Verificar os componentes em caso deVerificar os componentes em caso de barulho excessivo;barulho excessivo; • Manter as característica em caso deManter as característica em caso de
  • 17. SISTEMA ELÉTRICO:SISTEMA ELÉTRICO: Fornece energia inicial ao funcionamento doFornece energia inicial ao funcionamento do motor e ao consumo de outros equipamentosmotor e ao consumo de outros equipamentos elétricos. Transformando energia química emelétricos. Transformando energia química em elétrica.elétrica. SEUS COMPONENTES:SEUS COMPONENTES: Bateria (acumula e fornece energia para oBateria (acumula e fornece energia para o motor de partida e demais equipamentosmotor de partida e demais equipamentos elétricos), motor de partida, ignição (bobina,elétricos), motor de partida, ignição (bobina, distribuidor, platinado, condensador e velas)distribuidor, platinado, condensador e velas) ignição eletrônica, alternador, fuzível.ignição eletrônica, alternador, fuzível.
  • 18. Alternador Bateria Motor de Partida Chave de ignição Painel de instrumento
  • 20. RECOMENDAÇÕES:RECOMENDAÇÕES: • Revisar periodicamente;Revisar periodicamente; • Cuidar para não esquecerCuidar para não esquecer ligados luzes, aparelhos de som;ligados luzes, aparelhos de som; • Evitar acionar o motor de partidaEvitar acionar o motor de partida com os faróis acesso oucom os faróis acesso ou aparelho de som ligado.aparelho de som ligado.
  • 21. SISTEMA DE TRANSMISSÃO:SISTEMA DE TRANSMISSÃO: É ele que transmite o movimento do motorÉ ele que transmite o movimento do motor para as rodas.para as rodas. COMPONENTES:COMPONENTES: Caixa de Cambio Alavanca de Cambio Diferencial Platô de embreagem Eixo Cardã Colar
  • 22.
  • 23.
  • 25. SISTEMA DE DIREÇÃO:SISTEMA DE DIREÇÃO: Permite ao condutor dirigir, alterando aPermite ao condutor dirigir, alterando a sua trajetória.sua trajetória. Em carros equipados com direçãoEm carros equipados com direção hidráulica ela ficará mais dura se ohidráulica ela ficará mais dura se o motor apagar, portanto, mais difícilmotor apagar, portanto, mais difícil de fazer manobras e curvas.de fazer manobras e curvas. Volante Braço de direção Varão Terminais
  • 26. RECOMENDAÇÕES:RECOMENDAÇÕES: Fazer alinhamento ( geometria ouFazer alinhamento ( geometria ou balanceamento nos automóveis semprebalanceamento nos automóveis sempre que necessário);que necessário); Trafegar com os pneus sempre bemTrafegar com os pneus sempre bem calibrados;calibrados; Revisar o sistema sempre que a direçãoRevisar o sistema sempre que a direção começar a “puxar”, apresentar folga,começar a “puxar”, apresentar folga, trepidar, fazer ruídos estranhos outrepidar, fazer ruídos estranhos ou provocar desgaste irregular no pneus.provocar desgaste irregular no pneus.
  • 27. SISTEMA DE SUSPENSÃO:SISTEMA DE SUSPENSÃO: Ajusta os pontos de contato do veículo com oAjusta os pontos de contato do veículo com o solo, compensando as irregularidades.solo, compensando as irregularidades. Formados basicamente por molas e amortecedores
  • 28. Principais indicadores de que aPrincipais indicadores de que a suspensão necessita ser revisada:suspensão necessita ser revisada: • Ruídos estranhos;Ruídos estranhos; • Veículo mudou de “comportamento”,Veículo mudou de “comportamento”, principalmente nas curvas;principalmente nas curvas; • Veículo que balança muito;Veículo que balança muito; • Pneus com desgaste irregular.Pneus com desgaste irregular. ATENÇÃO:ATENÇÃO: A geometria ou balanceamento serve paraA geometria ou balanceamento serve para colocar a suspensão dentro dos parâmetroscolocar a suspensão dentro dos parâmetros do fabricante (a cada 25.000 km ou toda vezdo fabricante (a cada 25.000 km ou toda vez que a roda bater em um buraco ou meio fio).que a roda bater em um buraco ou meio fio).
  • 29. SISTEMA DE FREIO:SISTEMA DE FREIO: Serve para reduzir a velocidade do veículo ouServe para reduzir a velocidade do veículo ou faze-lo parar completamente, através dofaze-lo parar completamente, através do acionamento do pedal de freio. Podendoacionamento do pedal de freio. Podendo ser do tipo “tambor e lona” ou “disco eser do tipo “tambor e lona” ou “disco e pastilha”.pastilha”. O freio pode ainda ser:O freio pode ainda ser: MECÂNICO ou HIDRAULICOMECÂNICO ou HIDRAULICO O freio de mão é um freio mecânico que atuaO freio de mão é um freio mecânico que atua nas rodas traseiras.nas rodas traseiras.
  • 30. Cuidados básicos com os freios:Cuidados básicos com os freios: Verificar o desgaste das pastilhasVerificar o desgaste das pastilhas ou lonas regularmente;ou lonas regularmente; Verificar o nível de fluído do freio;Verificar o nível de fluído do freio; Desacelerar antes de frear,Desacelerar antes de frear, usando o motor como freio;usando o motor como freio; Manter os elementos do sistemaManter os elementos do sistema em perfeito estado.em perfeito estado. Freios ABS (Anti-lock Breaking System):Freios ABS (Anti-lock Breaking System): Evitam o travamento das rodas em frenagens deEvitam o travamento das rodas em frenagens de emergências.(Fique atento ao indicador do painel).emergências.(Fique atento ao indicador do painel).
  • 31. PNEUS:PNEUS: O freios param as rodas, mas são osO freios param as rodas, mas são os pneus que realmente param o veículo.pneus que realmente param o veículo. Faz parte do Pneu: Banda de Rodagem,Faz parte do Pneu: Banda de Rodagem, Flancos, Frisos, Carcaça ou Armadura.Flancos, Frisos, Carcaça ou Armadura.
  • 32. RECOMENDAÇÕES:RECOMENDAÇÕES: Calibrar os pneus regularmenteCalibrar os pneus regularmente (a baixa calibragem causa o desgaste(a baixa calibragem causa o desgaste prematuro dos pneus e podemprematuro dos pneus e podem desestabilizar o veículo em curvasdesestabilizar o veículo em curvas ou manobras de emergência);ou manobras de emergência); Realizar o balanceamento;Realizar o balanceamento; Fazer rodízio dos pneus periodicamente;Fazer rodízio dos pneus periodicamente; Trocar ao pneus com profundidadeTrocar ao pneus com profundidade de sulcos inferior a 1,6 mm;de sulcos inferior a 1,6 mm; Manter o estepe em perfeito estado.Manter o estepe em perfeito estado.
  • 33. ESTRUTURA:ESTRUTURA: Esqueleto ou base de sustentação doEsqueleto ou base de sustentação do automóvel: monobloco ou chassi.automóvel: monobloco ou chassi. Os veículos modernos tem estrutura que absorve os impactos e proporcionam mais segurança aos ocupantes em caso de acidente.
  • 34. EXTINTOR:EXTINTOR: Em caso de incêndio o extintor deverá ser usado dirigindo-o para a base das chamas, com movimentos horizontais na forma de leque.
  • 35. PAINEL DE INSTRUMENTOSPAINEL DE INSTRUMENTOS