SlideShare uma empresa Scribd logo
1. QUAL A IMPORTÂNCIA DO “CÓDIGO DAS ÁGUAS”. 
Foi o marco histórico, institucional, legal da gestão de recursos hídricos no Brasil. Foi importante, pois estabeleceu as normas de condutas sobre o direito da água. 
2. COMENTE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. 
A Política Nacional do Meio Ambiente, estabelecida pela Lei no 6.938, de 31.08.1981, tem como objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visando a assegurar, no país, condições para o desenvolvimento socioeconômico, os interesses da segurança nacional e a proteção da dignidade da vida humana. 
Princípios: 
 Consideração do meio ambiente como patrimônio público, 
 A racionalização do uso da água, 
 Planejamento e a fiscalização do uso de recursos ambientais 
 Controle e zoneamento das atividades potencial ou efetivamente poluidoras 
 A recuperação de áreas degradadas 
 A proteção de áreas ameaçadas de degradação 
 A educação ambiental em todos os níveis de ensino 
3. CITE OS COMPONENTES DA POLÍTICA NACIONAL DOS RECURSOS HÍDRICOS E COMENTE SOBRE UM DELES. 
Essa lei estabelece os seguintes fundamentos que representam o ponto de partida para implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos: 
 A água é um bem de domínio público; 
 A água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico; 
 Em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais;
 A gestão dos recursos hídricos deve sempre proporcionar o uso múltiplo das águas; 
 A bacia hidrográfica é a unidade territorial para implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos e atuação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos; 
 A gestão dos recursos hídricos deve ser descentralizada e contar com a participação do poder público, dos usuários e das comunidades. 
4. CITE OS PRINCIPAIS “INSTRUMENTOS PARA O GERENCIAMENTO DOS RECURSOS HÍDRICOS”. 
Os instrumentos são os recursos a serem utilizados para se trilhar o caminho balizado pelas diretrizes. Dentre eles, destacam–se os Planos de Recursos Hídricos, a outorga de direitos de uso, como meio de assegurar e controlar os direitos de uso desses recursos, a cobrança pelo uso da água, o enquadramento dos corpos de água em classes, segundo os usos preponderantes da água, a compensação a municípios e o Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos. 
Instrumentos: 
1. Plano de recursos hídricos; 
2. Outorga de direito de usos das águas; 
3. Cobrança pelo uso da água; 
4. Enquadramento dos corpos d'água; 
5. Sistemas de informações sobre recursos hídricos.
5. CITE ALGUMAS ATRIBUIÇÕES DO “COMITE DE BACIA” 
Os Comitês de Bacias Hidrográficas têm, entre outras, as atribuições de: 
 Promover o debate das questões relacionadas aos recursos hídricos da bacia; 
 Articular a atuação das entidades que trabalham com este tema; 
 Arbitrar, em primeira instância, os conflitos relacionados a recursos hídricos; 
 Aprovar e acompanhar a execução do Plano de Recursos Hídricos da Bacia; 
 Estabelecer os mecanismos de cobrança pelo uso de recursos hídricos e sugerir os valores a serem cobrados; 
 Estabelecer critérios e promover o rateio de custo das obras de uso múltiplo, de interesse comum ou coletivo. 
6. POR QUE A ÁGUA É TIDA COMO UM FATOR LIMITANTE PARA O SÉCULO XXI. A água é um recurso natural essencial para a sustentação da vida e do meio ambiente. Ela desempenha papel importante no processo de desenvolvimento econômico e social de qualquer país, sendo um dos principais fatores limitantes para o crescimento e desenvolvimento econômico das civilizações. Corre-se um sério risco de escassez, sem precedentes, de água de qualidade para a população mundial. Já é fato que cerca de 1 bilhão de pessoas ou cerca de 15% da população mundial passa sede ou não tem água de qualidade para consumo. Entre 2025 e 2050 a ONU prevê que esse número pode chegar a 5,5 bilhões, se a política atual e o nosso modo de viver continuar da mesma forma.
7. QUAL A SUA OPNIÃO SOBRE A COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA. A Cobrança pelo Uso de Recursos Hídricos é um dos instrumentos de gestão da Política Nacional de Recursos Hídricos, instituída pela Lei nº 9.433/97, e tem como objetivos:  Dar ao usuário uma indicação do real valor da água;  Incentivar o uso racional da água;  Obter recursos financeiros para recuperação das bacias hidrográficas do País. A Cobrança não é um imposto, mas uma remuneração pelo uso de um bem público, cujo preço é fixado a partir de um pacto entre os usuários da água, a sociedade civil e o poder público no âmbito dos Comitês de Bacia Hidrográfica. 
8. QUAL O PAPEL DAS “AGÊNCIAS DE ÁGUA”. 
A Agência de Água terá a área de atuação de um ou mais Comitês de Bacia Hidrográfica e a sua criação dependerá da autorização do Conselho Nacional de Recursos Hídricos, ou dos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos, mediante solicitação de um ou mais Comitês de Bacia Hidrográfica. As Agências de Água serão as responsáveis pela cobrança pelo uso de recursos hídricos em sua jurisdição e exercerão a função de Secretaria Executiva do respectivo Comitê de Bacia Hidrográfica. 9. COMENTE SOBRE A “LEI DE ÁGUA”. Criada em 1997, legislação tem como objetivo promover a disponibilidade de água e a utilização racional e integrada dos recursos hídricos para a atual e as futuras gerações. A lei tem como fundamento a compreensão de que a água é um bem público (não pode ser privatizada), sendo sua gestão baseada em usos múltiplos (abastecimento, energia, irrigação, indústria etc.) e descentralizada, com participação de usuários, da sociedade civil e do governo. O consumo humano e de animais é prioritário em situações de escassez.
Como a Lei das Águas descentraliza a gestão do uso da água, o Estado abre mão de uma parte de seus poderes e compartilha com os diversos segmentos da sociedade uma participação ativa nas decisões. 10. O QUE VOCÊ SABE SOBRE O PRINCÍPIO “POLUIDOR-PAGADOR”. O Princípio do Poluidor-Pagador é um princípio normativo de caráter econômico, porque imputa ao poluidor os custos decorrentes da atividade poluente. Porém, para a otimização dos resultados positivos na proteção do meio ambiente é preciso uma nova formulação desse princípio, ou seja, ele deve ser considerado “uma regra de bom senso econômico, jurídico e político”. Importante mencionar que, o PPP não é exclusivamente um princípio de responsabilidade civil, pois abrange, ou, pelo menos foca outras dimensões não enquadráveis neste último. Igualmente, não é um princípio que “autoriza” a poluição ou que permita a “compra do direito de poluir”, porque ele envolve o cálculo dos custos de reparação do dano ambiental (dimensão econômica) a identificação do poluidor para que o mesmo seja responsabilizado (dimensão jurídica), e por fim, é um principio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

INDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIA
INDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIAINDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIA
INDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIA
rosani_stachiw
 
Aproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundario
Aproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundarioAproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundario
Aproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundario
Tobias Vier Schwambach
 
Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97
THIAGO_12
 
Apresentação Comitê de Bacias Hidrograficas
Apresentação Comitê de Bacias HidrograficasApresentação Comitê de Bacias Hidrograficas
Apresentação Comitê de Bacias Hidrograficas
Luciana Paixão Arquitetura
 
Desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a função
Desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a funçãoDesenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a função
Desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a função
Thaís Bomfim
 
Projeto 123
Projeto 123Projeto 123
Projeto 123
Carol Medeiros
 
Manual de outorga de direito do uso da água
Manual de outorga de direito do uso da águaManual de outorga de direito do uso da água
Manual de outorga de direito do uso da água
Junior Carvalho
 
Apresentação resíduos
 Apresentação resíduos Apresentação resíduos
Apresentação resíduos
Juliana Ferreira
 
Adao Adriano - Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013
Adao Adriano -  Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013Adao Adriano -  Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013
Adao Adriano - Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013
Development Workshop Angola
 
Hidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e bacia
Hidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e baciaHidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e bacia
Hidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e bacia
Gabriel Reis
 
Declaração Universal dos Direitos Da Água
Declaração Universal dos Direitos Da ÁguaDeclaração Universal dos Direitos Da Água
Declaração Universal dos Direitos Da Água
Paula Morgado
 
212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor
212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor
212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor
Emlur
 
áGua
áGuaáGua
Sistema Hídrico
Sistema HídricoSistema Hídrico
Sistema Hídrico
Adriana Heloisa
 
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Isabela Espíndola
 
A Importância da Água.
A Importância da Água.A Importância da Água.
A Importância da Água.
Milena Castro
 
Informativo insp 78
Informativo insp   78Informativo insp   78
Informativo insp 78
Douglas Siqueira
 
Reúso da água como alternativa sustentável
Reúso da água como alternativa sustentávelReúso da água como alternativa sustentável
Reúso da água como alternativa sustentável
Micheli Bianchini
 
Informativo insp 11
Informativo insp   11Informativo insp   11
Informativo insp 11
Douglas Siqueira
 

Mais procurados (19)

INDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIA
INDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIAINDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIA
INDICADORES DE INSUSTENTABILIDADE HÍDRICA NA AMAZÔNIA
 
Aproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundario
Aproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundarioAproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundario
Aproveitamento da água da chuva e proveniente do esgoto secundario
 
Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97Trabalho sobre a lei 9433 97
Trabalho sobre a lei 9433 97
 
Apresentação Comitê de Bacias Hidrograficas
Apresentação Comitê de Bacias HidrograficasApresentação Comitê de Bacias Hidrograficas
Apresentação Comitê de Bacias Hidrograficas
 
Desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a função
Desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a funçãoDesenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a função
Desenvolvimento sustentável dos recursos hídricos e a função
 
Projeto 123
Projeto 123Projeto 123
Projeto 123
 
Manual de outorga de direito do uso da água
Manual de outorga de direito do uso da águaManual de outorga de direito do uso da água
Manual de outorga de direito do uso da água
 
Apresentação resíduos
 Apresentação resíduos Apresentação resíduos
Apresentação resíduos
 
Adao Adriano - Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013
Adao Adriano -  Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013Adao Adriano -  Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013
Adao Adriano - Direito a Água e Saneamento, 05 Julho 2013
 
Hidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e bacia
Hidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e baciaHidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e bacia
Hidrologia aplicada capitulo 01 introd ciclo e bacia
 
Declaração Universal dos Direitos Da Água
Declaração Universal dos Direitos Da ÁguaDeclaração Universal dos Direitos Da Água
Declaração Universal dos Direitos Da Água
 
212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor
212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor
212433154 apostila-de-gestao-de-recursos-naturais-do-1º-periodo-do-professor
 
áGua
áGuaáGua
áGua
 
Sistema Hídrico
Sistema HídricoSistema Hídrico
Sistema Hídrico
 
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
 
A Importância da Água.
A Importância da Água.A Importância da Água.
A Importância da Água.
 
Informativo insp 78
Informativo insp   78Informativo insp   78
Informativo insp 78
 
Reúso da água como alternativa sustentável
Reúso da água como alternativa sustentávelReúso da água como alternativa sustentável
Reúso da água como alternativa sustentável
 
Informativo insp 11
Informativo insp   11Informativo insp   11
Informativo insp 11
 

Semelhante a Lista 3 Gestão de Recursos Hídricos

Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
Luis Olavo
 
Apostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatórios
Apostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatóriosApostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatórios
Apostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatórios
Thalles Barbosa
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
Evonaldo Gonçalves Vanny
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 
Politica de recursos hidricos no brasil
Politica de recursos hidricos no brasilPolitica de recursos hidricos no brasil
Politica de recursos hidricos no brasil
gbruck53
 
Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2
Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2
Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2
Cleber Calça
 
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife SustentávelSaneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
Deputado Paulo Rubem - PDT
 
Projeto 21 Doc
Projeto 21 DocProjeto 21 Doc
Projeto 21 Doc
Inova Gestão
 
Cartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio Pará
Cartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio ParáCartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio Pará
Cartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio Pará
Agência Peixe Vivo
 
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
Anne Bezerra
 
Si g
Si gSi g
Apres workshop aterro 2010
Apres workshop aterro 2010Apres workshop aterro 2010
Apres workshop aterro 2010
Instituto 5º Elemento
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
Nilton Goulart
 
Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2
Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2
Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2
Nilton Goulart
 
Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...
Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...
Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...
fcmatosbh
 
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Isabela Espíndola
 
Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03
Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03
Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03
UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Faculdade de Direito
 
Programa municipal águas final
Programa municipal águas finalPrograma municipal águas final
Programa municipal águas final
vermtutty
 
Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014
Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014
Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014
vermtutty
 

Semelhante a Lista 3 Gestão de Recursos Hídricos (20)

Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Apostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatórios
Apostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatóriosApostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatórios
Apostila Monitoramento da qualidade da água de rios e reservatórios
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Politica de recursos hidricos no brasil
Politica de recursos hidricos no brasilPolitica de recursos hidricos no brasil
Politica de recursos hidricos no brasil
 
Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2
Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2
Dia mundial da terra, a conversa sera agua 2
 
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife SustentávelSaneamento Básico para um Recife Sustentável
Saneamento Básico para um Recife Sustentável
 
Projeto 21 Doc
Projeto 21 DocProjeto 21 Doc
Projeto 21 Doc
 
Cartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio Pará
Cartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio ParáCartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio Pará
Cartilha Cobrança pelo Uso da Água CBH Rio Pará
 
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
27 apresentacao-cristovao-vicente-scapulatempo-fernandes
 
Si g
Si gSi g
Si g
 
Apres workshop aterro 2010
Apres workshop aterro 2010Apres workshop aterro 2010
Apres workshop aterro 2010
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2
Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2
Aspectos conceituais do gerenciamento de recursos hídricos2
 
Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...
Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...
Matos e Dias (2012) A gestão dos recursos hídricos em MG e a situação da Baci...
 
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
Estudo comparativo em matéria do direito na UNASUL: ênfase nos elementos inte...
 
Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03
Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03
Justia pelas aguas__serie_texto_agua_e_ambiente_03
 
Programa municipal águas final
Programa municipal águas finalPrograma municipal águas final
Programa municipal águas final
 
Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014
Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014
Substitutivo 001 ao Projeto de Lei nº 7091/2014
 

Lista 3 Gestão de Recursos Hídricos

  • 1. 1. QUAL A IMPORTÂNCIA DO “CÓDIGO DAS ÁGUAS”. Foi o marco histórico, institucional, legal da gestão de recursos hídricos no Brasil. Foi importante, pois estabeleceu as normas de condutas sobre o direito da água. 2. COMENTE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. A Política Nacional do Meio Ambiente, estabelecida pela Lei no 6.938, de 31.08.1981, tem como objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visando a assegurar, no país, condições para o desenvolvimento socioeconômico, os interesses da segurança nacional e a proteção da dignidade da vida humana. Princípios:  Consideração do meio ambiente como patrimônio público,  A racionalização do uso da água,  Planejamento e a fiscalização do uso de recursos ambientais  Controle e zoneamento das atividades potencial ou efetivamente poluidoras  A recuperação de áreas degradadas  A proteção de áreas ameaçadas de degradação  A educação ambiental em todos os níveis de ensino 3. CITE OS COMPONENTES DA POLÍTICA NACIONAL DOS RECURSOS HÍDRICOS E COMENTE SOBRE UM DELES. Essa lei estabelece os seguintes fundamentos que representam o ponto de partida para implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos:  A água é um bem de domínio público;  A água é um recurso natural limitado, dotado de valor econômico;  Em situações de escassez, o uso prioritário dos recursos hídricos é o consumo humano e a dessedentação de animais;
  • 2.  A gestão dos recursos hídricos deve sempre proporcionar o uso múltiplo das águas;  A bacia hidrográfica é a unidade territorial para implementação da Política Nacional de Recursos Hídricos e atuação do Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos;  A gestão dos recursos hídricos deve ser descentralizada e contar com a participação do poder público, dos usuários e das comunidades. 4. CITE OS PRINCIPAIS “INSTRUMENTOS PARA O GERENCIAMENTO DOS RECURSOS HÍDRICOS”. Os instrumentos são os recursos a serem utilizados para se trilhar o caminho balizado pelas diretrizes. Dentre eles, destacam–se os Planos de Recursos Hídricos, a outorga de direitos de uso, como meio de assegurar e controlar os direitos de uso desses recursos, a cobrança pelo uso da água, o enquadramento dos corpos de água em classes, segundo os usos preponderantes da água, a compensação a municípios e o Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos. Instrumentos: 1. Plano de recursos hídricos; 2. Outorga de direito de usos das águas; 3. Cobrança pelo uso da água; 4. Enquadramento dos corpos d'água; 5. Sistemas de informações sobre recursos hídricos.
  • 3. 5. CITE ALGUMAS ATRIBUIÇÕES DO “COMITE DE BACIA” Os Comitês de Bacias Hidrográficas têm, entre outras, as atribuições de:  Promover o debate das questões relacionadas aos recursos hídricos da bacia;  Articular a atuação das entidades que trabalham com este tema;  Arbitrar, em primeira instância, os conflitos relacionados a recursos hídricos;  Aprovar e acompanhar a execução do Plano de Recursos Hídricos da Bacia;  Estabelecer os mecanismos de cobrança pelo uso de recursos hídricos e sugerir os valores a serem cobrados;  Estabelecer critérios e promover o rateio de custo das obras de uso múltiplo, de interesse comum ou coletivo. 6. POR QUE A ÁGUA É TIDA COMO UM FATOR LIMITANTE PARA O SÉCULO XXI. A água é um recurso natural essencial para a sustentação da vida e do meio ambiente. Ela desempenha papel importante no processo de desenvolvimento econômico e social de qualquer país, sendo um dos principais fatores limitantes para o crescimento e desenvolvimento econômico das civilizações. Corre-se um sério risco de escassez, sem precedentes, de água de qualidade para a população mundial. Já é fato que cerca de 1 bilhão de pessoas ou cerca de 15% da população mundial passa sede ou não tem água de qualidade para consumo. Entre 2025 e 2050 a ONU prevê que esse número pode chegar a 5,5 bilhões, se a política atual e o nosso modo de viver continuar da mesma forma.
  • 4. 7. QUAL A SUA OPNIÃO SOBRE A COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA. A Cobrança pelo Uso de Recursos Hídricos é um dos instrumentos de gestão da Política Nacional de Recursos Hídricos, instituída pela Lei nº 9.433/97, e tem como objetivos:  Dar ao usuário uma indicação do real valor da água;  Incentivar o uso racional da água;  Obter recursos financeiros para recuperação das bacias hidrográficas do País. A Cobrança não é um imposto, mas uma remuneração pelo uso de um bem público, cujo preço é fixado a partir de um pacto entre os usuários da água, a sociedade civil e o poder público no âmbito dos Comitês de Bacia Hidrográfica. 8. QUAL O PAPEL DAS “AGÊNCIAS DE ÁGUA”. A Agência de Água terá a área de atuação de um ou mais Comitês de Bacia Hidrográfica e a sua criação dependerá da autorização do Conselho Nacional de Recursos Hídricos, ou dos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos, mediante solicitação de um ou mais Comitês de Bacia Hidrográfica. As Agências de Água serão as responsáveis pela cobrança pelo uso de recursos hídricos em sua jurisdição e exercerão a função de Secretaria Executiva do respectivo Comitê de Bacia Hidrográfica. 9. COMENTE SOBRE A “LEI DE ÁGUA”. Criada em 1997, legislação tem como objetivo promover a disponibilidade de água e a utilização racional e integrada dos recursos hídricos para a atual e as futuras gerações. A lei tem como fundamento a compreensão de que a água é um bem público (não pode ser privatizada), sendo sua gestão baseada em usos múltiplos (abastecimento, energia, irrigação, indústria etc.) e descentralizada, com participação de usuários, da sociedade civil e do governo. O consumo humano e de animais é prioritário em situações de escassez.
  • 5. Como a Lei das Águas descentraliza a gestão do uso da água, o Estado abre mão de uma parte de seus poderes e compartilha com os diversos segmentos da sociedade uma participação ativa nas decisões. 10. O QUE VOCÊ SABE SOBRE O PRINCÍPIO “POLUIDOR-PAGADOR”. O Princípio do Poluidor-Pagador é um princípio normativo de caráter econômico, porque imputa ao poluidor os custos decorrentes da atividade poluente. Porém, para a otimização dos resultados positivos na proteção do meio ambiente é preciso uma nova formulação desse princípio, ou seja, ele deve ser considerado “uma regra de bom senso econômico, jurídico e político”. Importante mencionar que, o PPP não é exclusivamente um princípio de responsabilidade civil, pois abrange, ou, pelo menos foca outras dimensões não enquadráveis neste último. Igualmente, não é um princípio que “autoriza” a poluição ou que permita a “compra do direito de poluir”, porque ele envolve o cálculo dos custos de reparação do dano ambiental (dimensão econômica) a identificação do poluidor para que o mesmo seja responsabilizado (dimensão jurídica), e por fim, é um principio