SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 8
Ética Cristã e a
Sexualidade
“Venerado seja entre todos o
matrimônio e o leito sem mácula;
porém aos que se dão à
prostituição e aos adúlteros Deus
os julgará." (Hebreus 13:4)
A sexualidade é uma dádiva
divina que deve ser usufruída
dentro dos parâmetros instituídos
pelo Criador.
Objetivo Geral
Mostrar que a sexualidade é uma dádiva que deve ser
usufruída dentro dos parâmetros instituídos pelo
Criador.
Apresentar o conceito de sexualidade
segundo uma concepção bíblica;
Discutir os propósitos do sexo segundo
as Escrituras Sagradas;
❶
❷
❸ Conscientizar a respeito do casamento
como limite ético para o sexo.
1 Coríntios 7.1-16
1 ORA, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que
o homem não tocasse em mulher;
2 Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua
própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.
3 O marido pague à mulher a devida benevolência, e da
mesma sorte a mulher ao marido.
4 A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas
tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido
não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a
mulher.
5 Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento
mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à
oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não
vos tente pela vossa incontinência.
1 Coríntios 7.1-16
6 Digo, porém, isto como que por permissão e não por
mandamento.
7 Porque quereria que todos os homens fossem como eu
mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de
uma maneira e outro de outra.
8 Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se
ficarem como eu.
9 Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor
casar do que abrasar-se.
10 Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a
mulher não se aparte do marido.
11 Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se
reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.
1 Coríntios 7.1-16
12 Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão
tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele,
não a deixe.
13 E se alguma mulher tem marido descrente, e ele
consente em habitar com ela, não o deixe.
14 Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a
mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte
os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos.
15 Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste
caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus
chamou-nos para a paz.
16 Porque, de onde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido?
ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?
A sexualidade é uma
dádiva divina.
Por isso, estudaremos o
conceito da sexualidade,
o propósito do sexo
segundo as Escrituras e o
casamento como o
parâmetro para o sexo.
Se por um lado a sexualidade tem sido
desvirtuada na sociedade pós-moderna, por outro Lado
alguns cristãos insistem em tratar o assunto como tabu.
Embora o tema possa trazer desconforto para alguns, a
sexualidade humana não pode ser subestimada.
Sexo e sexualidade possuem
conceitos próprios, pois
ambos constituem –se atos
da criação Divina
1 – Conceito de Sexo e Sexualidade
A biologia define “sexo” como um conjunto de características
orgânicas que diferenciam o macho da fêmea. O sexo de um
organismo é definido pelos gametas que produzem. Gametas são
células sexuais que permitem a reprodução dos seres vivos. O
sexo masculino produz gametas conhecidos como
“espermatozoides” e o sexo feminino produz gametas chamados
“óvulos”.
A expressão “sexo” ainda pode ser usada como referência aos
órgãos sexuais ou a prática de atividades sexuais. Já o termo
“sexualidade” representa o conjunto de comportamentos, ações
e práticas dos seres humanos que estão relacionados com a
busca da satisfação do apetite sexual, seja pela necessidade do
prazer ou da procriação da espécie.
1 – Conceito de Sexo e Sexualidade
2 – O sexo foi criado por Deus
No ato da criação Deus fez o homem e a mulher sexualmente
diferentes: “macho e fêmea os criou” (Gn 1.27). Portanto, o sexo
faz parte da constituição anatômica e fisiológica dos seres
humanos. Homens e mulheres, por exemplo, possuem órgãos
sexuais distintos que os diferenciam sexualmente. Sendo criação
divina, o sexo não pode ser tratado como algo imoral ou
indecente. As Escrituras ensinam
que ao término da
criação “viu Deus
tudo quanto tinha
feito, e eis que era
muito bom”
(Gn 1.31).
Desse modo,
o SEXO não
deve ser
visto como
algo
pecaminoso,
sujo ou
proibido.
Tudo o que
Deus fez é
bom.
Sempre fez
parte da
criação original
de Deus a
união sexual
entre o homem
e a sua mulher,
formando
assim, ambos
uma só carne
(Gn 2.24)
2 – O sexo foi criado por Deus
3 – A sexualidade é criação divina
Ao criar o homem e a mulher, Deus também criou a
sexualidade: “E Deus os abençoou e Deus lhes disse:
Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra...” (Gn 1.28). O
relacionamento sexual foi uma dádiva divina concedida ao
primeiro casal, bem como às gerações futuras: “deixará o
varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e
serão ambos uma carne” (Gn 2.24). Sempre fez parte da
criação original de Deus a união sexual entre o homem e a
sua mulher, formando assim, ambos uma só carne.
3 – A sexualidade é criação divina
O livro poético de Cantares exalta a sexualidade e o amor
entre o marido e a sua esposa (Ct 4.10-12). Portanto, não é
correto “demonizar” o desejo e a satisfação sexual. Assim
como o sexo, a sexualidade também não é má e nem
pecaminosa. O pecado está na depravação sexual que
contraria os princípios estabelecidos nas Escrituras Sagradas.
Para o crente, conceito e perspectivas a
respeito da sexualidade devem ser
definidos pelas Escrituras Sagradas.
1 – Multiplicação da espécie humana
Depois da queda no Éden
(Gn 3.11,23), e a
consequente corrupção
geral (Gn 6.12,13), o
Altíssimo enviou o dilúvio
como juízo para eliminar
o gênero humano (Gn 6.17),
exceto Noé e sua família
(Gn 7.1).
A finalidade primordial do ato sexual refere-se à procriação. Deus
abençoou o primeiro casal e disse-lhes: “Frutificai e multiplicai-vos, e
enchei a terra” (Gn 1.28). Tal como o Criador ordenara a procriação dos
animais (Gn 1.22), também ordenou a reprodução do gênero humano.
Neste ato, Deus concedeu ao ser humano os meios para se multiplicar,
assegurando-lhe a dádiva da fertilidade.
Passado o dilúvio, Noé recebeu a mesma ordem recebida
por Adão: “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos e disse-
lhes: frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra” (Gn 9.1).
1 – Multiplicação da espécie humana
A terra, que outrora
fora despovoada,
agora deveria ser
repovoada por Noé a
fim de dar
continuidade aos
desígnios divinos (Gn
3.15, cf. Rm 16.20).
2 – Satisfação e prazer conjugal
Por muito tempo ensinou-se que a procriação era o único propósito da
relação sexual. O Concílio de Trento (1545-1563) disciplinou a pratica
sexual com fins exclusivos de reprodução e proibiu o sexo aos
domingos, nos dias santos e no jejum quaresmal. Não obstante, a
Bíblia também se refere ao sexo como algo prazeroso e satisfatório
entre o marido e a sua esposa:
e ainda: “Goza
a vida com a
mulher que
amas” (Ec 9.9).
“Seja bendito
o teu
manancial, e
alegra-te com
a mulher da
tua
mocidade...”
(Pv 5.18,19);
Assim, na união conjugal, como também ensina o Novo
Testamento, o homem e a sua mulher devem buscar a satisfação
sexual :
“Não vos priveis um ao outro,
senão por consentimento
mútuo por algum tempo, para
vos aplicardes ao jejum e à
oração; e depois ajuntai-vos
outra vez, para que Satanás
não vos tente pela vossa
incontinência”
(1 Coríntios 7:5)
2 – Satisfação e prazer conjugal
3 – O correto uso do corpo
O sexo estabelece um vínculo tão forte entre os
corpos que os torna uma só pessoa.
No ato sexual ocorre a fusão de corpos: "Assim não são mais
dois, mas uma só carne"(Mt 19.6).
Como os nossos corpos são membros de Cristo (1Co 6.15), e templo do
Espírito Santo (1Co 3.16), as Escrituras proíbem o uso do corpo para
práticas sexuais ilícitas (1Co 6.16).
São condenadas, dentre outras :
❶ as relações incestuosas (Lv 18.6-18),
❷o coito com animal (Lv 18.23),
❸o adultério (Êx 20.14)
❹ e a homossexualidade (Rm 1.26-27).
3 – O correto uso do corpo
3 – O correto uso do corpo
O corpo não pode servir a promiscuidade, mas deve
glorificar a Deus, o nosso Pai (1Co 6.20).
Segundo as Escrituras Sagradas o
propósito do sexo é a multiplicação
da espécie, a satisfação e o prazer
conjugal e o correto uso do corpo.
O casamento é o legítimo limite ético dos impulsos
sexuais que podem ser satisfeitos sem que se
incorra em atos pecaminosos.
1 – Prevenção contra a fornicação
A fornicação está relacionada ao contato sexual entre pessoas
solteiras, ou seja, não casadas. Para prevenir este pecado, o
apóstolo Paulo orienta os cristãos a se casarem: “por causa da
prostituição [ou fornicação], cada um tenha a sua própria mulher, e
cada uma tenha o seu próprio marido.” (1 Co 7.2).
Os ensinos de
Paulo ratificam
o propósito
divino do
casamento, ou
seja, “um
homem para
cada mulher”
(Gn 2.24).
A legitimidade cristã para a satisfação dos apetites sexuais
entre um homem e uma mulher restringe-se ao casamento
monogâmico heterossexual (1Co 7.9).
Toda prática sexual
realizada fora destes
moldes constitui-se
em sexo ilícito.
1 – Prevenção contra a fornicação
2 – O casamento e o leito sem mácula
As Escrituras ensinam que o casamento é digno de honra (Hb 13.4) e que
a união conjugal deve ser respeitada por todos (Mt 19.6). O leito conjugal
não pode ser maculado por ninguém. Quem o desonrar não escapará
do juízo divino (Hb 13.4b). Aqui a desonra refere-se ao uso do corpo para
práticas sexuais ilícitas com ênfase nos casos de relações
extraconjugais (1 Co 6.10). Inclui também as relações conjugais
resultante de divórcios e de segundo casamentos antibíblicos (Mt 19.9).
Embora, muitas vezes, os imorais escapem da reprovação
humana, não poderão fugir da ira divina (Na 1.3). A práxis
da sociedade e a condescendência de muitas igrejas não
invalidam a Palavra de Deus.
2 – O casamento e o leito sem mácula
O casamento foi instituído por
Deus como limite para o sexo.
O sexo e a sexualidade são atos da criação divina e não
podem ser tratados como algo pecaminoso e nem como
mero elemento de procriação ou fonte de prazer. Cabe ao
cristão cumprir o propósito estabelecido por Deus para a
sexualidade (Gn 2.24).
LIÇÃO Nº 8 – ÉTICA CRISTÃ E SEXUALIDADE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 8 - Ética Cristã e Sexualidade
Lição 8 - Ética Cristã e SexualidadeLição 8 - Ética Cristã e Sexualidade
Lição 8 - Ética Cristã e Sexualidade
Éder Tomé
 
O Que O Sexo Faz Pelo Casamento
O Que O Sexo Faz Pelo CasamentoO Que O Sexo Faz Pelo Casamento
O Que O Sexo Faz Pelo Casamento
Pr Ismael Carvalho
 
Projeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para SempreProjeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para Sempre
Solinftec
 
Sexualidade e afetividade 2
Sexualidade e afetividade   2Sexualidade e afetividade   2
Sexualidade e afetividade 2
familiaregsul4
 
O sexo na bíblia
O sexo na bíbliaO sexo na bíblia
O sexo na bíblia
Pedro Henrique Araújo
 
As colunas de vidros do casamento
As colunas de vidros do casamentoAs colunas de vidros do casamento
As colunas de vidros do casamento
Ev,Israel Leandro
 
A sexualidade dentro do casamento
A sexualidade dentro do casamentoA sexualidade dentro do casamento
A sexualidade dentro do casamento
Vilmar Nascimento
 
Sexo, defraudação e hedonismo
Sexo, defraudação e hedonismoSexo, defraudação e hedonismo
Sexo, defraudação e hedonismo
Rogério Nunes
 
As bases do casamento cristão
As bases do casamento cristãoAs bases do casamento cristão
As bases do casamento cristão
Moisés Sampaio
 
Relacionamento sexual para casais cristãos
Relacionamento sexual para casais cristãosRelacionamento sexual para casais cristãos
Relacionamento sexual para casais cristãos
Arsky
 
Mandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editadoMandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editado
Pr Ismael Carvalho
 
O sexo que os cristãos praticam
O sexo que os cristãos praticamO sexo que os cristãos praticam
O sexo que os cristãos praticam
Pr Ismael Carvalho
 
A familia cristã e os ataques do inimigo
A familia cristã e os ataques do inimigoA familia cristã e os ataques do inimigo
A familia cristã e os ataques do inimigo
jose filho
 
O fruto do espírito 02 - amor, aleria. paz
O fruto do espírito   02 - amor, aleria. pazO fruto do espírito   02 - amor, aleria. paz
O fruto do espírito 02 - amor, aleria. paz
Cleudson Corrêa
 
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Edilson Jose Barbosa Barbosa
 
O cristão e o namoro
O cristão e o namoroO cristão e o namoro
O cristão e o namoro
Luan Almeida
 
Uma VisãO Cristã Sobre Sexualidade
Uma VisãO Cristã Sobre SexualidadeUma VisãO Cristã Sobre Sexualidade
Uma VisãO Cristã Sobre Sexualidade
Flávia Smarti
 
As famílias e as modernidades
As famílias e as modernidadesAs famílias e as modernidades
As famílias e as modernidades
caselato
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
Autonoma
 
O casamento bíblico
O casamento bíblicoO casamento bíblico
O casamento bíblico
Moisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

Lição 8 - Ética Cristã e Sexualidade
Lição 8 - Ética Cristã e SexualidadeLição 8 - Ética Cristã e Sexualidade
Lição 8 - Ética Cristã e Sexualidade
 
O Que O Sexo Faz Pelo Casamento
O Que O Sexo Faz Pelo CasamentoO Que O Sexo Faz Pelo Casamento
O Que O Sexo Faz Pelo Casamento
 
Projeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para SempreProjeto Casados Para Sempre
Projeto Casados Para Sempre
 
Sexualidade e afetividade 2
Sexualidade e afetividade   2Sexualidade e afetividade   2
Sexualidade e afetividade 2
 
O sexo na bíblia
O sexo na bíbliaO sexo na bíblia
O sexo na bíblia
 
As colunas de vidros do casamento
As colunas de vidros do casamentoAs colunas de vidros do casamento
As colunas de vidros do casamento
 
A sexualidade dentro do casamento
A sexualidade dentro do casamentoA sexualidade dentro do casamento
A sexualidade dentro do casamento
 
Sexo, defraudação e hedonismo
Sexo, defraudação e hedonismoSexo, defraudação e hedonismo
Sexo, defraudação e hedonismo
 
As bases do casamento cristão
As bases do casamento cristãoAs bases do casamento cristão
As bases do casamento cristão
 
Relacionamento sexual para casais cristãos
Relacionamento sexual para casais cristãosRelacionamento sexual para casais cristãos
Relacionamento sexual para casais cristãos
 
Mandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editadoMandamentos para o casal editado
Mandamentos para o casal editado
 
O sexo que os cristãos praticam
O sexo que os cristãos praticamO sexo que os cristãos praticam
O sexo que os cristãos praticam
 
A familia cristã e os ataques do inimigo
A familia cristã e os ataques do inimigoA familia cristã e os ataques do inimigo
A familia cristã e os ataques do inimigo
 
O fruto do espírito 02 - amor, aleria. paz
O fruto do espírito   02 - amor, aleria. pazO fruto do espírito   02 - amor, aleria. paz
O fruto do espírito 02 - amor, aleria. paz
 
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014Apresentação1- A família : Plano de Deus -   Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
Apresentação1- A família : Plano de Deus - Estudo bíblico 1 - 19-10-2014
 
O cristão e o namoro
O cristão e o namoroO cristão e o namoro
O cristão e o namoro
 
Uma VisãO Cristã Sobre Sexualidade
Uma VisãO Cristã Sobre SexualidadeUma VisãO Cristã Sobre Sexualidade
Uma VisãO Cristã Sobre Sexualidade
 
As famílias e as modernidades
As famílias e as modernidadesAs famílias e as modernidades
As famílias e as modernidades
 
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp0155647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
55647979 casadosparasempre-100603144245-phpapp01
 
O casamento bíblico
O casamento bíblicoO casamento bíblico
O casamento bíblico
 

Semelhante a LIÇÃO Nº 8 – ÉTICA CRISTÃ E SEXUALIDADE

LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADELBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
Natalino das Neves Neves
 
O Casamento é para Sempre.pptx
O Casamento é para Sempre.pptxO Casamento é para Sempre.pptx
O Casamento é para Sempre.pptx
NovaAlianaChurch
 
Encontro de Rapazes - Casamento.pptx
Encontro de Rapazes - Casamento.pptxEncontro de Rapazes - Casamento.pptx
Encontro de Rapazes - Casamento.pptx
JeffersonMonteiro46
 
Lição 7
Lição 7Lição 7
Lição 7
cledsondrumms
 
Casamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook UltimatoCasamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook Ultimato
Arlisson Bruno Coutinho de Sousa
 
Casamento familia
Casamento familiaCasamento familia
Casamento familia
Davi Montenegro
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
Pastor Natalino Das Neves
 
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominicalO divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
yosseph2013
 
Lição 9 – Não Adulterarás
Lição 9 – Não AdulterarásLição 9 – Não Adulterarás
Lição 9 – Não Adulterarás
Dec Ginásio Coberto I
 
Lição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristã
Lição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristãLição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristã
Lição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristã
Éder Tomé
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
Márcio Pereira
 
Lição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o CasamentoLição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o Casamento
Márcio Pereira
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Éder Tomé
 
Deus e o casamento
Deus e o casamentoDeus e o casamento
Deus e o casamento
Joel Silva
 
Vamos falar sobre sexo
Vamos falar sobre sexo   Vamos falar sobre sexo
Vamos falar sobre sexo
Maressa Almeida
 
curso 2.pptx
curso 2.pptxcurso 2.pptx
curso 2.pptx
ClaudioDeyseRocha1
 
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
FreiSauloSilva
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 063° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
Joel de Oliveira
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 06
3º trimestre 2015 adolescentes lição 063º trimestre 2015 adolescentes lição 06
3º trimestre 2015 adolescentes lição 06
Joel Silva
 

Semelhante a LIÇÃO Nº 8 – ÉTICA CRISTÃ E SEXUALIDADE (20)

LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADELBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
LBA LIÇÃO 8 - ÉTICA CRISTA E SEXUALIDADE
 
O Casamento é para Sempre.pptx
O Casamento é para Sempre.pptxO Casamento é para Sempre.pptx
O Casamento é para Sempre.pptx
 
Encontro de Rapazes - Casamento.pptx
Encontro de Rapazes - Casamento.pptxEncontro de Rapazes - Casamento.pptx
Encontro de Rapazes - Casamento.pptx
 
Lição 7
Lição 7Lição 7
Lição 7
 
Casamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook UltimatoCasamento e Família - ebook Ultimato
Casamento e Família - ebook Ultimato
 
Casamento familia
Casamento familiaCasamento familia
Casamento familia
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominicalO divórcio   lição 07 - para escola bíblica dominical
O divórcio lição 07 - para escola bíblica dominical
 
Lição 9 – Não Adulterarás
Lição 9 – Não AdulterarásLição 9 – Não Adulterarás
Lição 9 – Não Adulterarás
 
Lição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristã
Lição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristãLição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristã
Lição 8 - Relacionamento sexual segundo a perspectiva cristã
 
Lição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o CasamentoLição 10 - Sobre o Casamento
Lição 10 - Sobre o Casamento
 
Lição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o CasamentoLição -10 Sobre o Casamento
Lição -10 Sobre o Casamento
 
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua NaturezaLição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
Lição 13- Sobre a Família e a sua Natureza
 
Deus e o casamento
Deus e o casamentoDeus e o casamento
Deus e o casamento
 
Vamos falar sobre sexo
Vamos falar sobre sexo   Vamos falar sobre sexo
Vamos falar sobre sexo
 
curso 2.pptx
curso 2.pptxcurso 2.pptx
curso 2.pptx
 
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdfI. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
I. CASAMENTO - Uma Aliança Instituída Por Deus.pdf
 
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 063° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
3° trimestre 2015 Adolescentes Lição 06
 
3º trimestre 2015 adolescentes lição 06
3º trimestre 2015 adolescentes lição 063º trimestre 2015 adolescentes lição 06
3º trimestre 2015 adolescentes lição 06
 

Mais de Hamilton Souza

jogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdfjogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdf
Hamilton Souza
 
saude em movimento.ppt
saude em movimento.pptsaude em movimento.ppt
saude em movimento.ppt
Hamilton Souza
 
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADOLição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
Hamilton Souza
 
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANALição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Hamilton Souza
 
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de GlobalismoLição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Hamilton Souza
 
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
 Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
Hamilton Souza
 
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser HumanoLição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
Hamilton Souza
 
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser HumanoLição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
Hamilton Souza
 
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANOLição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Hamilton Souza
 
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira MulherLição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Hamilton Souza
 
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEMLição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Hamilton Souza
 
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Hamilton Souza
 
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Hamilton Souza
 
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de AbsalãoLição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
Hamilton Souza
 
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de DaviLição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Hamilton Souza
 
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de DeusLição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Hamilton Souza
 
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVILIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
Hamilton Souza
 
Lição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de DaviLição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de Davi
Hamilton Souza
 
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REILição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
Hamilton Souza
 
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em IsraelLição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Hamilton Souza
 

Mais de Hamilton Souza (20)

jogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdfjogos de estafetas.pdf
jogos de estafetas.pdf
 
saude em movimento.ppt
saude em movimento.pptsaude em movimento.ppt
saude em movimento.ppt
 
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADOLição 11: O HOMEM DO PECADO
Lição 11: O HOMEM DO PECADO
 
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANALição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
Lição 10: SÓ O EVANGELHO MUDA A CULTURA HUMANA
 
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de GlobalismoLição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
Lição 9 - O Primeiro Projeto de Globalismo
 
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
 Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
Lição 8 - O Inicio da Civilização Humana
 
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser HumanoLição 7 - A Queda do Ser Humano
Lição 7 - A Queda do Ser Humano
 
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser HumanoLição 4 - Atributos do Ser Humano
Lição 4 - Atributos do Ser Humano
 
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANOLição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
Lição 3: A NATUREZA DO SER HUMANO
 
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira MulherLição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
Lição 2: A Criação de Eva, a Primeira Mulher
 
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEMLição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
Lição 1: ADÃO, O PRIMEIRO HOMEM
 
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
Revista CPAD Lições Bíblicas Adultos - 1º Trimestre de 2020
 
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI Lição 13: A VELHICE DE DAVI
Lição 13: A VELHICE DE DAVI
 
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de AbsalãoLição 12 - A Rebelião de Absalão
Lição 12 - A Rebelião de Absalão
 
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de DaviLição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
Lição 11 - As Consequências do Pecado de Davi
 
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de DeusLição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
Lição 10 - Pecado do Homem Segundo o Coração de Deus
 
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVILIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
LIÇÃO 9: O REINADO DE DAVI
 
Lição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de DaviLição 8 - O Exílio de Davi
Lição 8 - O Exílio de Davi
 
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REILição 7: DAVI É UNGIDO REI
Lição 7: DAVI É UNGIDO REI
 
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em IsraelLição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
Lição 5 - A Instituição da Monarquia em Israel
 

Último

Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 

Último (20)

Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 

LIÇÃO Nº 8 – ÉTICA CRISTÃ E SEXUALIDADE

  • 1. Lição 8 Ética Cristã e a Sexualidade
  • 2. “Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém aos que se dão à prostituição e aos adúlteros Deus os julgará." (Hebreus 13:4) A sexualidade é uma dádiva divina que deve ser usufruída dentro dos parâmetros instituídos pelo Criador.
  • 3. Objetivo Geral Mostrar que a sexualidade é uma dádiva que deve ser usufruída dentro dos parâmetros instituídos pelo Criador. Apresentar o conceito de sexualidade segundo uma concepção bíblica; Discutir os propósitos do sexo segundo as Escrituras Sagradas; ❶ ❷ ❸ Conscientizar a respeito do casamento como limite ético para o sexo.
  • 4. 1 Coríntios 7.1-16 1 ORA, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher; 2 Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido. 3 O marido pague à mulher a devida benevolência, e da mesma sorte a mulher ao marido. 4 A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no o marido; e também da mesma maneira o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, mas tem-no a mulher. 5 Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência.
  • 5. 1 Coríntios 7.1-16 6 Digo, porém, isto como que por permissão e não por mandamento. 7 Porque quereria que todos os homens fossem como eu mesmo; mas cada um tem de Deus o seu próprio dom, um de uma maneira e outro de outra. 8 Digo, porém, aos solteiros e às viúvas, que lhes é bom se ficarem como eu. 9 Mas, se não podem conter-se, casem-se. Porque é melhor casar do que abrasar-se. 10 Todavia, aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido. 11 Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher.
  • 6. 1 Coríntios 7.1-16 12 Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher descrente, e ela consente em habitar com ele, não a deixe. 13 E se alguma mulher tem marido descrente, e ele consente em habitar com ela, não o deixe. 14 Porque o marido descrente é santificado pela mulher; e a mulher descrente é santificada pelo marido; de outra sorte os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos. 15 Mas, se o descrente se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou irmã, não esta sujeito à servidão; mas Deus chamou-nos para a paz. 16 Porque, de onde sabes, ó mulher, se salvarás teu marido? ou, de onde sabes, ó marido, se salvarás tua mulher?
  • 7. A sexualidade é uma dádiva divina.
  • 8. Por isso, estudaremos o conceito da sexualidade, o propósito do sexo segundo as Escrituras e o casamento como o parâmetro para o sexo. Se por um lado a sexualidade tem sido desvirtuada na sociedade pós-moderna, por outro Lado alguns cristãos insistem em tratar o assunto como tabu. Embora o tema possa trazer desconforto para alguns, a sexualidade humana não pode ser subestimada.
  • 9. Sexo e sexualidade possuem conceitos próprios, pois ambos constituem –se atos da criação Divina
  • 10. 1 – Conceito de Sexo e Sexualidade A biologia define “sexo” como um conjunto de características orgânicas que diferenciam o macho da fêmea. O sexo de um organismo é definido pelos gametas que produzem. Gametas são células sexuais que permitem a reprodução dos seres vivos. O sexo masculino produz gametas conhecidos como “espermatozoides” e o sexo feminino produz gametas chamados “óvulos”.
  • 11. A expressão “sexo” ainda pode ser usada como referência aos órgãos sexuais ou a prática de atividades sexuais. Já o termo “sexualidade” representa o conjunto de comportamentos, ações e práticas dos seres humanos que estão relacionados com a busca da satisfação do apetite sexual, seja pela necessidade do prazer ou da procriação da espécie. 1 – Conceito de Sexo e Sexualidade
  • 12. 2 – O sexo foi criado por Deus No ato da criação Deus fez o homem e a mulher sexualmente diferentes: “macho e fêmea os criou” (Gn 1.27). Portanto, o sexo faz parte da constituição anatômica e fisiológica dos seres humanos. Homens e mulheres, por exemplo, possuem órgãos sexuais distintos que os diferenciam sexualmente. Sendo criação divina, o sexo não pode ser tratado como algo imoral ou indecente. As Escrituras ensinam que ao término da criação “viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom” (Gn 1.31).
  • 13. Desse modo, o SEXO não deve ser visto como algo pecaminoso, sujo ou proibido. Tudo o que Deus fez é bom. Sempre fez parte da criação original de Deus a união sexual entre o homem e a sua mulher, formando assim, ambos uma só carne (Gn 2.24) 2 – O sexo foi criado por Deus
  • 14. 3 – A sexualidade é criação divina Ao criar o homem e a mulher, Deus também criou a sexualidade: “E Deus os abençoou e Deus lhes disse: Frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra...” (Gn 1.28). O relacionamento sexual foi uma dádiva divina concedida ao primeiro casal, bem como às gerações futuras: “deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne” (Gn 2.24). Sempre fez parte da criação original de Deus a união sexual entre o homem e a sua mulher, formando assim, ambos uma só carne.
  • 15. 3 – A sexualidade é criação divina O livro poético de Cantares exalta a sexualidade e o amor entre o marido e a sua esposa (Ct 4.10-12). Portanto, não é correto “demonizar” o desejo e a satisfação sexual. Assim como o sexo, a sexualidade também não é má e nem pecaminosa. O pecado está na depravação sexual que contraria os princípios estabelecidos nas Escrituras Sagradas.
  • 16. Para o crente, conceito e perspectivas a respeito da sexualidade devem ser definidos pelas Escrituras Sagradas.
  • 17. 1 – Multiplicação da espécie humana Depois da queda no Éden (Gn 3.11,23), e a consequente corrupção geral (Gn 6.12,13), o Altíssimo enviou o dilúvio como juízo para eliminar o gênero humano (Gn 6.17), exceto Noé e sua família (Gn 7.1). A finalidade primordial do ato sexual refere-se à procriação. Deus abençoou o primeiro casal e disse-lhes: “Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra” (Gn 1.28). Tal como o Criador ordenara a procriação dos animais (Gn 1.22), também ordenou a reprodução do gênero humano. Neste ato, Deus concedeu ao ser humano os meios para se multiplicar, assegurando-lhe a dádiva da fertilidade.
  • 18. Passado o dilúvio, Noé recebeu a mesma ordem recebida por Adão: “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos e disse- lhes: frutificai, e multiplicai-vos, e enchei a terra” (Gn 9.1). 1 – Multiplicação da espécie humana A terra, que outrora fora despovoada, agora deveria ser repovoada por Noé a fim de dar continuidade aos desígnios divinos (Gn 3.15, cf. Rm 16.20).
  • 19. 2 – Satisfação e prazer conjugal Por muito tempo ensinou-se que a procriação era o único propósito da relação sexual. O Concílio de Trento (1545-1563) disciplinou a pratica sexual com fins exclusivos de reprodução e proibiu o sexo aos domingos, nos dias santos e no jejum quaresmal. Não obstante, a Bíblia também se refere ao sexo como algo prazeroso e satisfatório entre o marido e a sua esposa: e ainda: “Goza a vida com a mulher que amas” (Ec 9.9). “Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade...” (Pv 5.18,19);
  • 20. Assim, na união conjugal, como também ensina o Novo Testamento, o homem e a sua mulher devem buscar a satisfação sexual : “Não vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa incontinência” (1 Coríntios 7:5) 2 – Satisfação e prazer conjugal
  • 21.
  • 22. 3 – O correto uso do corpo O sexo estabelece um vínculo tão forte entre os corpos que os torna uma só pessoa. No ato sexual ocorre a fusão de corpos: "Assim não são mais dois, mas uma só carne"(Mt 19.6).
  • 23. Como os nossos corpos são membros de Cristo (1Co 6.15), e templo do Espírito Santo (1Co 3.16), as Escrituras proíbem o uso do corpo para práticas sexuais ilícitas (1Co 6.16). São condenadas, dentre outras : ❶ as relações incestuosas (Lv 18.6-18), ❷o coito com animal (Lv 18.23), ❸o adultério (Êx 20.14) ❹ e a homossexualidade (Rm 1.26-27). 3 – O correto uso do corpo
  • 24. 3 – O correto uso do corpo O corpo não pode servir a promiscuidade, mas deve glorificar a Deus, o nosso Pai (1Co 6.20).
  • 25. Segundo as Escrituras Sagradas o propósito do sexo é a multiplicação da espécie, a satisfação e o prazer conjugal e o correto uso do corpo.
  • 26. O casamento é o legítimo limite ético dos impulsos sexuais que podem ser satisfeitos sem que se incorra em atos pecaminosos.
  • 27. 1 – Prevenção contra a fornicação A fornicação está relacionada ao contato sexual entre pessoas solteiras, ou seja, não casadas. Para prevenir este pecado, o apóstolo Paulo orienta os cristãos a se casarem: “por causa da prostituição [ou fornicação], cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido.” (1 Co 7.2). Os ensinos de Paulo ratificam o propósito divino do casamento, ou seja, “um homem para cada mulher” (Gn 2.24).
  • 28. A legitimidade cristã para a satisfação dos apetites sexuais entre um homem e uma mulher restringe-se ao casamento monogâmico heterossexual (1Co 7.9). Toda prática sexual realizada fora destes moldes constitui-se em sexo ilícito. 1 – Prevenção contra a fornicação
  • 29. 2 – O casamento e o leito sem mácula As Escrituras ensinam que o casamento é digno de honra (Hb 13.4) e que a união conjugal deve ser respeitada por todos (Mt 19.6). O leito conjugal não pode ser maculado por ninguém. Quem o desonrar não escapará do juízo divino (Hb 13.4b). Aqui a desonra refere-se ao uso do corpo para práticas sexuais ilícitas com ênfase nos casos de relações extraconjugais (1 Co 6.10). Inclui também as relações conjugais resultante de divórcios e de segundo casamentos antibíblicos (Mt 19.9).
  • 30. Embora, muitas vezes, os imorais escapem da reprovação humana, não poderão fugir da ira divina (Na 1.3). A práxis da sociedade e a condescendência de muitas igrejas não invalidam a Palavra de Deus. 2 – O casamento e o leito sem mácula
  • 31. O casamento foi instituído por Deus como limite para o sexo.
  • 32. O sexo e a sexualidade são atos da criação divina e não podem ser tratados como algo pecaminoso e nem como mero elemento de procriação ou fonte de prazer. Cabe ao cristão cumprir o propósito estabelecido por Deus para a sexualidade (Gn 2.24).