SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
O Avivamento na vida da Igreja
TEXTO ÁUREO
“E todos foram cheios do Espírito Santo e
começaram a falar em outras línguas, conforme o
Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2.4)
VERDADE PRÁTICA
Ao longo dos anos, a Igreja experimenta avivamentos por
meio do batismo no Espírito Santo e da atualidade
dos dons espirituais.
LEITURA DIÁRIA
Segunda – Mt 9.35 Jesus ensinava, pregava e curava as
enfermidades
Terça – At 2.38-39 O batismo no Espírito Santo e para os salvos
Quarta – Mc 16.20 Jesus cooperava com os discípulos na pregação
Quinta – At 2.42 A perseverança dos primeiros crentes
Sexta – At 2.44,45 Comunhão e assistência social na Igreja Primitiva
Sábado – 1 Co 10.3 Fazei tudo para a glória de Deus
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 2.1-13
1- Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo
lugar;
2- e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e
impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.
3- E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais
pousaram sobre cada um deles.
4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras
línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.
5- E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas
as nações que estavam debaixo do céu.
6- E, correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava
confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.
7- E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos
outros: Pois que! Não são galileus todos esses homens que estão
falando?
8- Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em
que somos nascidos?
9- Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, e
Judéia, e Capadócia, e Ponto, e Ásia,
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 2.1-13
10- e Frígia, e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a
Cirene, e forasteiros romanos (tanto judeus como
prosélitos),
11- e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em
nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.
12- E todos se maravilhavam e estavam suspensos,
dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?
13- E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Atos 2.1-13
INTRODUÇÃO
Nos primórdios da Igreja, o povo de Deus era avivado e
caminhava sob a direção do Espírito Santo. Por isso,
nesta lição, estudaremos o papel do enchimento do
Espírito no avivamento primitivo. Analisaremos o
aspecto dinâmico da Igreja e, finalmente, teceremos
algumas considerações quanto ao dinamismo avivado da
Igreja Primitiva para os dias atuais.
PALAVRA-CHAVE: VIDA
I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O
PÚBLICO-ALVO
1- O chamado abrangente de Jesus. A Primeira condição para
receber o Batismo no Espírito Santo é passar pela experiência de
salvação. Sendo necessário arrepender-se e crer no Evangelho
(Mc 1.15), pois sem arrependimento e fé, não há salvação. A
segunda condição é obedecer a Deus, pois nosso arrependimento e
fé devem apresentar frutos dignos (1Jo 5.2-4). E, finalmente, a
terceira condição é santificar-se, pois sem santificação, ninguém
verá a Deus (Hb 12.14). Esse chamado de Jesus é para todas as
pessoas. Ele antecede a experiência do batismo no Espírito Santo.
2- A promessa é para todos os salvos.* Os primeiros a receberem essa
manifestação sobrenatural do Espírito Santo foram os discípulos que,
salvos, se reuniram no cenáculo para perseverar em oração (At 1.12-14).
Eles esperavam o cumprimento da promessa feita por Jesus (At 2.1;
cf.1.4,5,8). E, de repente, o Espírito foi derramado sobre todos os que
estavam reunidos e assentados na casa (At 2.1,2). Ao final do segundo
capítulo de Atos, o apóstolo Pedro afirma que a promessa “diz respeito a
vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quanto Deus,
nosso Senhor, chamar” (At 2.39). Assim, o texto bíblico atesta a
abrangência atemporal e perene da promessa: o batismo no Espírito
Santo e para todos os salvos em todas as épocas, culturas e geografias.
I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O
PÚBLICO-ALVO
3- O engano dos Cessacionistas. O Cessacionismo é
uma corrente da Teologia Reformada e de algumas
igrejas históricas, que afirma que os dons espirituais
cessaram na vida da Igreja. Segundo essa corrente, o
batismo no Espírito Santo e os dons espirituais eram
apenas para os dias apostólicos. Há uma “ginástica de
interpretação bíblica” para justificar essa invencionice
histórica. Há outros ainda que, seguindo seus teólogos,
afirmam que o batismo no Espírito Santo é a própria
conversão.
I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O
PÚBLICO-ALVO
Já estudamos em trimestres anteriores que o Novo Testamento e,
principalmente, o livro de Atos, mostra com detalhes que o batismo no
Espírito Santo é uma experiência distinta da salvação – como vimos
aqui, todos os discípulos que receberam o batismo no Espírito já eram
salvos – e que os dons espirituais transbordaram os limites da igreja
apostólica. Portanto, como pentecostais, afirmamos o batismo no
Espírito Santo com evidência física de falar em línguas estranhas, bem
como a atualidade dos dons espirituais na vida da Igreja. Essa
realidade espiritual perpassa todas as épocas, culturas e geografias em
que haja um salvo em Cristo.
I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O
PÚBLICO-ALVO
SINOPSE I
O Batismo no Espírito
Santo é um chamado para
todo crente experimentar o
dom celestial. Portanto, os
sensacionistas estão
equivocados.
II – O DINAMISMO DA IGREJA
APOSTÓLICA
1- A Igreja nasce avivada. Do ponto de vista histórico, a
Igreja passou a existir no dia de Pentecostes. Isso ocorreu
sob a atuação direta do Espírito Santo. A Igreja nasceu
avivada! Assim como o Tabernáculo foi consagrado pela
descida da glória divina (Êx 40.34,35), a Igreja foi
consagrada pela descida do Espírito Santo (At 2).
Portanto, ali no Pentecostes, o Senhor da Igreja iniciou o
maior avivamento da história humana.
II – O DINAMISMO DA IGREJA
APOSTÓLICA
2- A Igreja depois do Pentecostes. Os sinais do poder de Deus nos Atos
dos Apóstolos podem ser resumidos assim: Conversões e Batismos (At
2.41), os quais eram frutos do avivamento espiritual em Jerusalém. Após
o Pentecostes, a Igreja Apostólica pregava na autoridade do nome de
Jesus, na unção e no poder do Espírito Santo. Por isso, nessa igreja havia
perseverança na doutrina, na comunhão e na oração (At 2.42); havia
também temor, sinais e maravilhas (2.43); além de cuidado especial para
com os irmãos carentes (2.44,45; 4.32,33). O avivamento espiritual
da Igreja Apostólica revela um profundo compromisso em duas esferas:
a espiritual (piedade – Palavra e Oração) e a social (Comunhão – suprir a
carência).
SINOPSE II
A igreja do Pentecostes nasceu avivada e permaneceu
avivada. Isso explica o dinamismo dessa Igreja.
III – UM MINISTÉRIO UNGIDO PARA OS
DIAS ATUAIS
1- Na unção do Espírito Santo. A pregação cristã deve
ser acompanhada de poder, sinais e milagres. Esses sinais
podem ser manifestos por meio de salvação de vidas para
Jesus; expulsão de demônios; imposição de mãos sobre
os enfermos para serem curados conforme Jesus declarou
que aconteceria (Mc 16.18). Um ministério avivado,
ungido pelo Espírito Santo, é indispensável à missão da
Igreja nestes dias.
2- Autenticado por Deus. Um ministério ungido não se
desenvolve apenas por intermédio dos instrumentos formais e
acadêmicos dentro dos padrões hermenêuticos, e exegéticos e
homiléticos da pregação. Todos esses instrumentos são
importantes para o aprimoramento do obreiro. Mas só eles não
bastam. É preciso que Deus aprove o trabalho do obreiro. Foi
assim que aconteceu em Marcos, quando Jesus autenticou a
pregação dos discípulos, “confirmando a palavra com sinais que
se seguiram” (Mc 16.20). Portanto, o modelo da pregação do
Novo Testamento é uma mensagem confirmada pelos sinais e
prodígios de Deus.
III – UM MINISTÉRIO UNGIDO PARA OS
DIAS ATUAIS
3- Glorifica a Cristo. O ministério ungido pelo Espírito
glorifica a Cristo e não o homem. Não por acaso, nosso
Senhor declarou que a missão do Espírito Santo é
glorificá-lo (Jo 16.13,14). Assim, toda mensagem do
Evangelho e atividade sob a direção do Espírito Santo
devem glorificar a Cristo. Aos coríntios, o apóstolo Paulo
ensina que “quer comais, quer bebais ou façais outra
qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Co
10.31). Deus em Cristo e que deve ser glorificado a partir
de nossa instrumentalidade na obra do Senhor.
III – UM MINISTÉRIO UNGIDO PARA OS
DIAS ATUAIS
SINOPSE III
Um ministério cristão deve ser ungido pelo Espírito
Santo, autenticado por Deus e glorificar a Cristo.
CONCLUSÃO
A Igreja Apostólica nasceu sob o avivamento do
Pentecostes, debaixo do glorioso batismo no Espírito
Santo. Ao longo de sua história, aprendemos que a razão
do seu êxito não foi o conhecimento humano de seus
pregadores, membros e congregados. O que fez toda a
diferença no ministério da Igreja Apostólica foi a unção
do Espírito Santo sobre essa igreja. Não podemos deixar
a chama apagar. A unção do Espírito Santo continua
disponível hoje.
REVISANDO O CONTEÚDO
1- Qual é a primeira condição para alguém receber o Batismo no
Espírito Santo?
A primeira condição para receber o Batismo no Espírito Santo é a de passar
pela experiência de salvação.
2- O que é e o que defende o Cessacionismo?
Cessacionismo é uma corrente da Teologia Reformada, e de algumas igrejas
históricas, que afirma que os dons espirituais cessaram na vida da Igreja.
3- A partir de quando a Igreja passou a existir sob o ponto de vista
histórico?
Do ponto de vista histórico, a Igreja passou a existir no dia de Pentecostes.
4- Como era caracterizada a pregação da Igreja
Apostólica depois do Pentecostes?
Após o Pentecostes, a Igreja Apostólica pregava na
autoridade do nome de Jesus, na unção e no poder do Espírito
Santo.
5- Quem deve ser glorificado na obra do Senhor?
Deus em Cristo é que deve ser glorificado a partir de nossa
instrumentalidade na obra do Senhor.
REVISANDO O CONTEÚDO
EBD | 1° Trimestre De 2023 | CPAD – Adultos –
TEMA: AVIVAA TUA OBRA – O chamado das
Escrituras ao quebrantamento e ao poder de
Deus | Escola Biblica Dominical | Lição 05: O
Avivamento na Vida da Igreja.
Slides preparados por: Celso Napoleon

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdf
Slide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdfSlide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdf
Slide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdfElaneTavares3
 
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioLição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioÉder Tomé
 
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptxLição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptxCelso Napoleon
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxCelso Napoleon
 
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptxJoel Silva
 
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoLição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoÉder Tomé
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoRODRIGO FERREIRA
 

Mais procurados (20)

Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, O Culto da Igreja Cristã, 1Tr24.pptx
 
Slide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdf
Slide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdfSlide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdf
Slide-Licao-1-1T-2023-CPAD-ADULTOS-Retangular (1).pdf
 
Slides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptx
Slides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptxSlides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptx
Slides Lição 13, CPAD, Aviva, o Senhor, a Tua Obra.pptx
 
Slides Licao 1, Central Gospel, A Excelencia de Cristo, 1Tr23.pptx
Slides Licao 1, Central Gospel, A Excelencia de Cristo, 1Tr23.pptxSlides Licao 1, Central Gospel, A Excelencia de Cristo, 1Tr23.pptx
Slides Licao 1, Central Gospel, A Excelencia de Cristo, 1Tr23.pptx
 
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-ArbítrioLição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
Lição 08 - Salvação e Livre-Arbítrio
 
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptxLição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
Lição 8 - Transgênero - Que Transrealidade é Essa.pptx
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
 
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptxSlides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Uma Visão Bíblica do Corpo, 3Tr23.pptx
 
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptxSlides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
Slides Lição 1, CPAD, A Grande Comissão, Um Enfoque Etnocêntrico.pptx
 
Slides Lição 6, CPAD, Pais Zelosos e Filhos Rebeldes, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 6, CPAD, Pais Zelosos e Filhos Rebeldes, 2Tr23, Pr Henrique.pptxSlides Lição 6, CPAD, Pais Zelosos e Filhos Rebeldes, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 6, CPAD, Pais Zelosos e Filhos Rebeldes, 2Tr23, Pr Henrique.pptx
 
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
2024 1º Trimestre Adulto Lição 01.pptx
 
Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...
Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...
Slides Licao 7, A Responsabilidade e Individual, 4Tr22, Pr Henrique, EBD NA T...
 
SlideShare Lição 2, A Sutileza Da Banalização Da Graça, 3Tr22, Pr Henrique, E...
SlideShare Lição 2, A Sutileza Da Banalização Da Graça, 3Tr22, Pr Henrique, E...SlideShare Lição 2, A Sutileza Da Banalização Da Graça, 3Tr22, Pr Henrique, E...
SlideShare Lição 2, A Sutileza Da Banalização Da Graça, 3Tr22, Pr Henrique, E...
 
Estudo biblico 22
Estudo biblico 22Estudo biblico 22
Estudo biblico 22
 
Batismo nas águas
Batismo nas águasBatismo nas águas
Batismo nas águas
 
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano DivinoLição 1 - A Igreja e o Plano Divino
Lição 1 - A Igreja e o Plano Divino
 
Slides Lição 2, CPAD, A Deturpação da Doutrina Bíblica do Pecado .pptx
Slides Lição 2, CPAD, A Deturpação da Doutrina Bíblica do Pecado .pptxSlides Lição 2, CPAD, A Deturpação da Doutrina Bíblica do Pecado .pptx
Slides Lição 2, CPAD, A Deturpação da Doutrina Bíblica do Pecado .pptx
 
Slideshare Lição 1, As Sutilezas De Satanás Contra A Igreja De CRISTO, 3Tr22,...
Slideshare Lição 1, As Sutilezas De Satanás Contra A Igreja De CRISTO, 3Tr22,...Slideshare Lição 1, As Sutilezas De Satanás Contra A Igreja De CRISTO, 3Tr22,...
Slideshare Lição 1, As Sutilezas De Satanás Contra A Igreja De CRISTO, 3Tr22,...
 
Soteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da SalvaçãoSoteriologia - Doutrina da Salvação
Soteriologia - Doutrina da Salvação
 
Slides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptx
Slides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptxSlides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptx
Slides Licao 11, CPAD, O Avivamento e a Missao da Igreja.pptx
 

Semelhante a Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx

Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Éder Tomé
 
Uma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptx
Uma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptxUma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptx
Uma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptxJorgeVieira668836
 
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptxLição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptxCelso Napoleon
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusQuenia Damata
 
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...ssusereceac91
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaErberson Pinheiro
 
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.pptLiturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.pptNuno Melo
 
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostal
Lição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostalLição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostal
Lição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostalAilton da Silva
 
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxLição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxCelso Napoleon
 
3 o espirito santo e o crescimento
3   o espirito santo e o crescimento3   o espirito santo e o crescimento
3 o espirito santo e o crescimentoJosé Santos
 

Semelhante a Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx (20)

AMestreEduardo.pptx
AMestreEduardo.pptxAMestreEduardo.pptx
AMestreEduardo.pptx
 
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptxLição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
Lição 13 - O Poder de Deus na Missão da Igreja.pptx
 
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
Lição 12 - A necessidade do batismo com o Espírito Santo.
 
Uma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptx
Uma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptxUma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptx
Uma perspectiva Pentecostal de Evangelismo e Missões.pptx
 
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptxLição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
 
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
SLIDES - LIÇÃO 11 - LUCAS-ATOS O MODELO PENTECOSTAL PARA HOJE - CANAL TEXTO Á...
 
Curso de-ministros
Curso de-ministrosCurso de-ministros
Curso de-ministros
 
Poder do espirito santo
Poder do espirito santoPoder do espirito santo
Poder do espirito santo
 
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitivaLição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
Lição 9 - O legado missionário da igreja primitiva
 
Resumo dei verbum
Resumo dei verbumResumo dei verbum
Resumo dei verbum
 
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.pptLiturgia e Catequese 16x9.ppt
Liturgia e Catequese 16x9.ppt
 
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11: O Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
Tese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologiaTese 10 eclesiologia
Tese 10 eclesiologia
 
Lição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostal
Lição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostalLição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostal
Lição 11 - Um Igreja autenticamente pentecostal
 
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptxLição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
Lição 5 - A Missão da Igreja de Cristo.pptx
 
Homilética - lição - 02
Homilética - lição - 02Homilética - lição - 02
Homilética - lição - 02
 
3 o espirito santo e o crescimento
3   o espirito santo e o crescimento3   o espirito santo e o crescimento
3 o espirito santo e o crescimento
 
A igreja primitiva
A igreja primitivaA igreja primitiva
A igreja primitiva
 
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoLição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de Cristo
 

Mais de Celso Napoleon

Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxLesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxCelso Napoleon
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxLesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxCelso Napoleon
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxLesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxCelso Napoleon
 
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxLição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxLesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxLição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxLesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxLição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxLesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxLesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxCelso Napoleon
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxCelso Napoleon
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxLesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxCelso Napoleon
 
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxLição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxLesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxCelso Napoleon
 
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptxLesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptxCelso Napoleon
 

Mais de Celso Napoleon (20)

Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptxLesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
Lesson 2 - The Choice between the Narrow Gate and the Wide Gate.pptx
 
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptxLesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
Lesson 1- The Beginning of the Walk.pptx
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptxLesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
Lesson 12 - The Role of Preaching in Worship.pptx
 
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptxLição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
Lição 12 - O Papel da Pregação no Culto.pptx
 
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptxLesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
Lesson 11 - The Worship of the Christian Church.pptx
 
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptxLição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
Lição 11 - O Culto da Igreja Cristã.pptx
 
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptxLesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
Lesson 9 - Baptism – The First Ordinance of the Church.pptx
 
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptxLição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
Lição 10 - A Ceia do Senhor – A Segunda Ordenança da Igreja.pptx
 
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptxLição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
Lição 9 - O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja.pptx
 
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptxLesson 8 - Discipline in the Church.pptx
Lesson 8 - Discipline in the Church.pptx
 
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptxLesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
Lesson 7 - The Ministry of the Church.pptx
 
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptxLição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
Lição 8 - A Disciplina na Igreja - .pptx
 
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptxLição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
Lição 7 - O Ministério da Igreja - 18fev2024.pptx
 
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptxLesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
Lesson 6 - Church: Organism and Organization.pptx
 
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptxLição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
Lição 6 - Igreja: Organismo e Organização.pptx
 
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptxLesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
Lesson 5 - The Mission of the Church of Christ.pptx
 
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptxLesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
Lesson 4 - The Church and the Kingdom of God.pptx
 

Último

LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfnatzarimdonorte
 
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfO Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfSUELLENBALTARDELEU
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .natzarimdonorte
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).natzarimdonorte
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadofreivalentimpesente
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequeseanamdp2004
 

Último (13)

LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdfAS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
AS FESTAS DO CRIADOR FORAM ABOLIDAS NA CRUZ?.pdf
 
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdfO Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
O Livro de Yashar e Jaser - Impressao.pdf
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
O SELO DO ALTÍSSIMO E A MARCA DA BESTA .
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
A Besta que emergiu do Abismo (O OITAVO REI).
 
Material sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significadoMaterial sobre o jubileu e o seu significado
Material sobre o jubileu e o seu significado
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos  Fiéis Festa da Palavra CatequeseOração dos  Fiéis Festa da Palavra Catequese
Oração dos Fiéis Festa da Palavra Catequese
 

Lição 5 O Avivamento na vida da Igreja.pptx

  • 1. O Avivamento na vida da Igreja
  • 2. TEXTO ÁUREO “E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.” (At 2.4)
  • 3. VERDADE PRÁTICA Ao longo dos anos, a Igreja experimenta avivamentos por meio do batismo no Espírito Santo e da atualidade dos dons espirituais.
  • 4. LEITURA DIÁRIA Segunda – Mt 9.35 Jesus ensinava, pregava e curava as enfermidades Terça – At 2.38-39 O batismo no Espírito Santo e para os salvos Quarta – Mc 16.20 Jesus cooperava com os discípulos na pregação Quinta – At 2.42 A perseverança dos primeiros crentes Sexta – At 2.44,45 Comunhão e assistência social na Igreja Primitiva Sábado – 1 Co 10.3 Fazei tudo para a glória de Deus
  • 5. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Atos 2.1-13 1- Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2- e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. 3- E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. 4- E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. 5- E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estavam debaixo do céu.
  • 6. 6- E, correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua. 7- E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois que! Não são galileus todos esses homens que estão falando? 8- Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? 9- Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, e Judéia, e Capadócia, e Ponto, e Ásia, LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Atos 2.1-13
  • 7. 10- e Frígia, e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos (tanto judeus como prosélitos), 11- e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. 12- E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer? 13- E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Atos 2.1-13
  • 8. INTRODUÇÃO Nos primórdios da Igreja, o povo de Deus era avivado e caminhava sob a direção do Espírito Santo. Por isso, nesta lição, estudaremos o papel do enchimento do Espírito no avivamento primitivo. Analisaremos o aspecto dinâmico da Igreja e, finalmente, teceremos algumas considerações quanto ao dinamismo avivado da Igreja Primitiva para os dias atuais. PALAVRA-CHAVE: VIDA
  • 9. I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O PÚBLICO-ALVO 1- O chamado abrangente de Jesus. A Primeira condição para receber o Batismo no Espírito Santo é passar pela experiência de salvação. Sendo necessário arrepender-se e crer no Evangelho (Mc 1.15), pois sem arrependimento e fé, não há salvação. A segunda condição é obedecer a Deus, pois nosso arrependimento e fé devem apresentar frutos dignos (1Jo 5.2-4). E, finalmente, a terceira condição é santificar-se, pois sem santificação, ninguém verá a Deus (Hb 12.14). Esse chamado de Jesus é para todas as pessoas. Ele antecede a experiência do batismo no Espírito Santo.
  • 10. 2- A promessa é para todos os salvos.* Os primeiros a receberem essa manifestação sobrenatural do Espírito Santo foram os discípulos que, salvos, se reuniram no cenáculo para perseverar em oração (At 1.12-14). Eles esperavam o cumprimento da promessa feita por Jesus (At 2.1; cf.1.4,5,8). E, de repente, o Espírito foi derramado sobre todos os que estavam reunidos e assentados na casa (At 2.1,2). Ao final do segundo capítulo de Atos, o apóstolo Pedro afirma que a promessa “diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quanto Deus, nosso Senhor, chamar” (At 2.39). Assim, o texto bíblico atesta a abrangência atemporal e perene da promessa: o batismo no Espírito Santo e para todos os salvos em todas as épocas, culturas e geografias. I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O PÚBLICO-ALVO
  • 11. 3- O engano dos Cessacionistas. O Cessacionismo é uma corrente da Teologia Reformada e de algumas igrejas históricas, que afirma que os dons espirituais cessaram na vida da Igreja. Segundo essa corrente, o batismo no Espírito Santo e os dons espirituais eram apenas para os dias apostólicos. Há uma “ginástica de interpretação bíblica” para justificar essa invencionice histórica. Há outros ainda que, seguindo seus teólogos, afirmam que o batismo no Espírito Santo é a própria conversão. I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O PÚBLICO-ALVO
  • 12. Já estudamos em trimestres anteriores que o Novo Testamento e, principalmente, o livro de Atos, mostra com detalhes que o batismo no Espírito Santo é uma experiência distinta da salvação – como vimos aqui, todos os discípulos que receberam o batismo no Espírito já eram salvos – e que os dons espirituais transbordaram os limites da igreja apostólica. Portanto, como pentecostais, afirmamos o batismo no Espírito Santo com evidência física de falar em línguas estranhas, bem como a atualidade dos dons espirituais na vida da Igreja. Essa realidade espiritual perpassa todas as épocas, culturas e geografias em que haja um salvo em Cristo. I- O BATISMO NO ESPÍRITO SANTO E O PÚBLICO-ALVO
  • 13. SINOPSE I O Batismo no Espírito Santo é um chamado para todo crente experimentar o dom celestial. Portanto, os sensacionistas estão equivocados.
  • 14. II – O DINAMISMO DA IGREJA APOSTÓLICA 1- A Igreja nasce avivada. Do ponto de vista histórico, a Igreja passou a existir no dia de Pentecostes. Isso ocorreu sob a atuação direta do Espírito Santo. A Igreja nasceu avivada! Assim como o Tabernáculo foi consagrado pela descida da glória divina (Êx 40.34,35), a Igreja foi consagrada pela descida do Espírito Santo (At 2). Portanto, ali no Pentecostes, o Senhor da Igreja iniciou o maior avivamento da história humana.
  • 15. II – O DINAMISMO DA IGREJA APOSTÓLICA 2- A Igreja depois do Pentecostes. Os sinais do poder de Deus nos Atos dos Apóstolos podem ser resumidos assim: Conversões e Batismos (At 2.41), os quais eram frutos do avivamento espiritual em Jerusalém. Após o Pentecostes, a Igreja Apostólica pregava na autoridade do nome de Jesus, na unção e no poder do Espírito Santo. Por isso, nessa igreja havia perseverança na doutrina, na comunhão e na oração (At 2.42); havia também temor, sinais e maravilhas (2.43); além de cuidado especial para com os irmãos carentes (2.44,45; 4.32,33). O avivamento espiritual da Igreja Apostólica revela um profundo compromisso em duas esferas: a espiritual (piedade – Palavra e Oração) e a social (Comunhão – suprir a carência).
  • 16. SINOPSE II A igreja do Pentecostes nasceu avivada e permaneceu avivada. Isso explica o dinamismo dessa Igreja.
  • 17. III – UM MINISTÉRIO UNGIDO PARA OS DIAS ATUAIS 1- Na unção do Espírito Santo. A pregação cristã deve ser acompanhada de poder, sinais e milagres. Esses sinais podem ser manifestos por meio de salvação de vidas para Jesus; expulsão de demônios; imposição de mãos sobre os enfermos para serem curados conforme Jesus declarou que aconteceria (Mc 16.18). Um ministério avivado, ungido pelo Espírito Santo, é indispensável à missão da Igreja nestes dias.
  • 18. 2- Autenticado por Deus. Um ministério ungido não se desenvolve apenas por intermédio dos instrumentos formais e acadêmicos dentro dos padrões hermenêuticos, e exegéticos e homiléticos da pregação. Todos esses instrumentos são importantes para o aprimoramento do obreiro. Mas só eles não bastam. É preciso que Deus aprove o trabalho do obreiro. Foi assim que aconteceu em Marcos, quando Jesus autenticou a pregação dos discípulos, “confirmando a palavra com sinais que se seguiram” (Mc 16.20). Portanto, o modelo da pregação do Novo Testamento é uma mensagem confirmada pelos sinais e prodígios de Deus. III – UM MINISTÉRIO UNGIDO PARA OS DIAS ATUAIS
  • 19. 3- Glorifica a Cristo. O ministério ungido pelo Espírito glorifica a Cristo e não o homem. Não por acaso, nosso Senhor declarou que a missão do Espírito Santo é glorificá-lo (Jo 16.13,14). Assim, toda mensagem do Evangelho e atividade sob a direção do Espírito Santo devem glorificar a Cristo. Aos coríntios, o apóstolo Paulo ensina que “quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus” (1 Co 10.31). Deus em Cristo e que deve ser glorificado a partir de nossa instrumentalidade na obra do Senhor. III – UM MINISTÉRIO UNGIDO PARA OS DIAS ATUAIS
  • 20. SINOPSE III Um ministério cristão deve ser ungido pelo Espírito Santo, autenticado por Deus e glorificar a Cristo.
  • 21. CONCLUSÃO A Igreja Apostólica nasceu sob o avivamento do Pentecostes, debaixo do glorioso batismo no Espírito Santo. Ao longo de sua história, aprendemos que a razão do seu êxito não foi o conhecimento humano de seus pregadores, membros e congregados. O que fez toda a diferença no ministério da Igreja Apostólica foi a unção do Espírito Santo sobre essa igreja. Não podemos deixar a chama apagar. A unção do Espírito Santo continua disponível hoje.
  • 22. REVISANDO O CONTEÚDO 1- Qual é a primeira condição para alguém receber o Batismo no Espírito Santo? A primeira condição para receber o Batismo no Espírito Santo é a de passar pela experiência de salvação. 2- O que é e o que defende o Cessacionismo? Cessacionismo é uma corrente da Teologia Reformada, e de algumas igrejas históricas, que afirma que os dons espirituais cessaram na vida da Igreja. 3- A partir de quando a Igreja passou a existir sob o ponto de vista histórico? Do ponto de vista histórico, a Igreja passou a existir no dia de Pentecostes.
  • 23. 4- Como era caracterizada a pregação da Igreja Apostólica depois do Pentecostes? Após o Pentecostes, a Igreja Apostólica pregava na autoridade do nome de Jesus, na unção e no poder do Espírito Santo. 5- Quem deve ser glorificado na obra do Senhor? Deus em Cristo é que deve ser glorificado a partir de nossa instrumentalidade na obra do Senhor. REVISANDO O CONTEÚDO
  • 24. EBD | 1° Trimestre De 2023 | CPAD – Adultos – TEMA: AVIVAA TUA OBRA – O chamado das Escrituras ao quebrantamento e ao poder de Deus | Escola Biblica Dominical | Lição 05: O Avivamento na Vida da Igreja. Slides preparados por: Celso Napoleon