SlideShare uma empresa Scribd logo
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
As catedrais , para nós podem ser simplesmente
edifícios majestosos ,com funções religiosas e que ás
vezes não damos muita importância , mas vamos
abordar vários aspectos das catedrais que tornam
estes edifícios muito importantes. Vamos falar
especialmente das catedrais de arquitectura
Românica , os seus aspectos , a sua planta habitual
e mostrar algumas importantes Sés Catedrais de
arquitectura Românica em Portugal.
A catedralumaSé é um edifício da cátedra,presidida cadeira do
Catedral é ou igreja que contém a igreja ou seja a por um
bispo. ou seja é uma unidade administrativa da igreja maior.
bispo,

Nocatedral antigo a cadeira era o ideal para representar o poder e
A mundo é frequentemente, um enorme edifício
os deveres do bispo, pois era como as pessoas mais importantes
impressionante.
eram representadas.
 Quando estas catedrais são construídas de forma
Uma catedral só é considerada catedral quando tem a presença de
deslumbrante é com o intuito de dar a ideia a quem as vê do
um bispo.
poder e da glória da igreja.
Esse edifício pode ou não ter sido construído como catedral, por
Graças a toda esta belezaesse estatutos chamamos-lhes dedo
isso às igrejas que perderam são os lugares mais visitados
mundo e quase e às que apenas servem temporariamentecidades
proto–catedrais sempre um marco importante para as de
na qual estão inseridas. de pró-catedral.
catedral damos-lhe o nome
É um estilo arquitectónico que surgiu na Europa no século
X e evoluiu para o estilo gótico no fim do século XII.

Caracteriza-se por construções rigorosas e robustas,
com paredes grandes e janelas pequenas, cuja principal
função era resistir a ataques de exércitos inimigos.

Em Portugal , a arquitectura Românica deu-se durante
a Reconquista, de que nasceu Portugal
Um dos melhores expoentes do românico em Portugal é
a Sé Velha de Coimbra, cuja construção data do século XII.
18. Tramo da
1.Torre sineira        3.Nave central com          8.Transepto    11.Absidíolo
                        20. Arco formeiro
                       abóboda de berço
abóboda
2.Contraforte                                                         12.Pórtico
principal
                             5.Nave lateral                           lateral
4.Pilar toral
19. Arco                     com abóbodas
cruciforme                   de arestas                8               15.Cruzeiro

                                              20


                              3         19    18        15       17
                  16
                                  4
                                       5                               10
                                                                 11
                  1      2
                                                                            16.Nártex
10.                    Planta da
Deambulatório                                                           17.Abside e
                       Catedral de                      12
                                                                        altar-mor
                       Santiago de
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
Sé de Braga
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
Sé de Lisboa
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
Sé do Porto
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
Sé Velha de Coimbra
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
História- Sés Catedrais - Estilo Românico
Com este tema , aprendemos mais acerca
destes edifícios , e sua importância para a
história e cultura do nosso país e do mundo.

A sua arquitectura é muito pormenorizada e
especifica e esperamos que as pessoas dêem a
atenção e respeito que as sés catedrais
merecem.
História- Sés Catedrais - Estilo Românico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cultura da Catedral - Arte Mudejar
Cultura da Catedral - Arte MudejarCultura da Catedral - Arte Mudejar
Cultura da Catedral - Arte Mudejar
Carlos Vieira
 
Módulo 4 . A arte sob o signo de Alá
Módulo 4 . A arte sob o signo de AláMódulo 4 . A arte sob o signo de Alá
Módulo 4 . A arte sob o signo de Alá
Carla Freitas
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
Ana Barreiros
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Carlos Vieira
 
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Artur Filipe dos Santos
 
A cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/ArteA cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/Arte
Patrícia Faria
 
Arte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptxArte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptx
JuditeBarbosa1
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
Ana Barreiros
 
O Manuelino
O ManuelinoO Manuelino
O Manuelino
Ana Batista
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
Alessandro Deretti
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
Fernando Veloso
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
Carlos Vieira
 
Palácio de Queluz
Palácio de QueluzPalácio de Queluz
Palácio de Queluz
Carlos Vieira
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
Carla Freitas
 
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalEstilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Rui Nobre
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Carla Freitas
 
Santiago de compostela
Santiago de compostelaSantiago de compostela
Santiago de compostela
Ana Barreiros
 
Módulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românicaMódulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românica
Carla Freitas
 
Angola
AngolaAngola
Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
Ana Barreiros
 

Mais procurados (20)

Cultura da Catedral - Arte Mudejar
Cultura da Catedral - Arte MudejarCultura da Catedral - Arte Mudejar
Cultura da Catedral - Arte Mudejar
 
Módulo 4 . A arte sob o signo de Alá
Módulo 4 . A arte sob o signo de AláMódulo 4 . A arte sob o signo de Alá
Módulo 4 . A arte sob o signo de Alá
 
Arquitetura românica
Arquitetura românicaArquitetura românica
Arquitetura românica
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
Património Cultural - As Catedrais de Portugal - Sé Velha de Coimbra- Artur F...
 
A cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/ArteA cultura do mosteiro/Arte
A cultura do mosteiro/Arte
 
Arte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptxArte Românica e Gótica.pptx
Arte Românica e Gótica.pptx
 
Cultura do mosteiro
Cultura do mosteiroCultura do mosteiro
Cultura do mosteiro
 
O Manuelino
O ManuelinoO Manuelino
O Manuelino
 
Arte Gótica
Arte GóticaArte Gótica
Arte Gótica
 
Românico
RomânicoRomânico
Românico
 
Arte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - PinturaArte do Renascimento - Pintura
Arte do Renascimento - Pintura
 
Palácio de Queluz
Palácio de QueluzPalácio de Queluz
Palácio de Queluz
 
Módulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto HistóricoMódulo 5 - Contexto Histórico
Módulo 5 - Contexto Histórico
 
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em PortugalEstilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
Estilo Manuelino e Estilo Renascentista Em Portugal
 
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de RatesMódulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
Módulo 3 - Caso Prático 2 Igreja de S. Pedro de Rates
 
Santiago de compostela
Santiago de compostelaSantiago de compostela
Santiago de compostela
 
Módulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românicaMódulo 3 - Arquitetura românica
Módulo 3 - Arquitetura românica
 
Angola
AngolaAngola
Angola
 
Arquitetura barroca
Arquitetura barrocaArquitetura barroca
Arquitetura barroca
 

Destaque

Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Carlos Vieira
 
Sé De Braga
Sé De BragaSé De Braga
Sé De Braga
Ana Coelho
 
História das Catedrais
História das CatedraisHistória das Catedrais
História das Catedrais
BiaEsteves
 
Sé Velha de Coimbra
Sé Velha de CoimbraSé Velha de Coimbra
Sé Velha de Coimbra
Eduardo Albuquerque
 
Arquitetura medieval
Arquitetura medievalArquitetura medieval
Arquitetura medieval
luciano barros
 
Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2
Lila Donato
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
cattonia
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Carlos Vieira
 
Gotico em Portugal
Gotico em PortugalGotico em Portugal
Gotico em Portugal
Pedro Carvalho
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
torga
 

Destaque (10)

Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico PortugalCultura do Mosteiro - Românico Portugal
Cultura do Mosteiro - Românico Portugal
 
Sé De Braga
Sé De BragaSé De Braga
Sé De Braga
 
História das Catedrais
História das CatedraisHistória das Catedrais
História das Catedrais
 
Sé Velha de Coimbra
Sé Velha de CoimbraSé Velha de Coimbra
Sé Velha de Coimbra
 
Arquitetura medieval
Arquitetura medievalArquitetura medieval
Arquitetura medieval
 
Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2Aula 04 arquitetura românica parte 2
Aula 04 arquitetura românica parte 2
 
A cultura da catedral contexto
A cultura da catedral   contextoA cultura da catedral   contexto
A cultura da catedral contexto
 
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao MóduloCultura da Catedral - Introdução ao Módulo
Cultura da Catedral - Introdução ao Módulo
 
Gotico em Portugal
Gotico em PortugalGotico em Portugal
Gotico em Portugal
 
Arte Romanica
Arte RomanicaArte Romanica
Arte Romanica
 

Mais de Daniela Ramalho

Relatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Relatório de Estágio no Hotel Penha LongaRelatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Relatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Daniela Ramalho
 
Módulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do TurismoMódulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do Turismo
Daniela Ramalho
 
AINT - Trabalho
AINT - TrabalhoAINT - Trabalho
AINT - Trabalho
Daniela Ramalho
 
Módulo 8
Módulo 8Módulo 8
Módulo 8
Daniela Ramalho
 
Módulo 7 IAT
Módulo 7 IATMódulo 7 IAT
Módulo 7 IAT
Daniela Ramalho
 
Sumários
SumáriosSumários
Sumários
Daniela Ramalho
 
Dia do Turismo-Workshop
Dia do Turismo-WorkshopDia do Turismo-Workshop
Dia do Turismo-Workshop
Daniela Ramalho
 
Relatório do Dia do Turismo
Relatório do Dia do TurismoRelatório do Dia do Turismo
Relatório do Dia do Turismo
Daniela Ramalho
 
TCAT - República Dominicana
TCAT - República DominicanaTCAT - República Dominicana
TCAT - República Dominicana
Daniela Ramalho
 
Departamento Comercial OTET
Departamento Comercial OTET Departamento Comercial OTET
Departamento Comercial OTET
Daniela Ramalho
 
La Ciudad de Barcelona
La Ciudad de BarcelonaLa Ciudad de Barcelona
La Ciudad de Barcelona
Daniela Ramalho
 
Marketing Pessoal Networking
Marketing Pessoal NetworkingMarketing Pessoal Networking
Marketing Pessoal Networking
Daniela Ramalho
 
Atitudes
AtitudesAtitudes
Atitudes
Daniela Ramalho
 
Módulo 6
Módulo 6Módulo 6
Módulo 6
Daniela Ramalho
 
Trabalho tcat crise impresarial[1]
Trabalho tcat crise impresarial[1]Trabalho tcat crise impresarial[1]
Trabalho tcat crise impresarial[1]
Daniela Ramalho
 

Mais de Daniela Ramalho (15)

Relatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Relatório de Estágio no Hotel Penha LongaRelatório de Estágio no Hotel Penha Longa
Relatório de Estágio no Hotel Penha Longa
 
Módulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do TurismoMódulo 9 -Marketing do Turismo
Módulo 9 -Marketing do Turismo
 
AINT - Trabalho
AINT - TrabalhoAINT - Trabalho
AINT - Trabalho
 
Módulo 8
Módulo 8Módulo 8
Módulo 8
 
Módulo 7 IAT
Módulo 7 IATMódulo 7 IAT
Módulo 7 IAT
 
Sumários
SumáriosSumários
Sumários
 
Dia do Turismo-Workshop
Dia do Turismo-WorkshopDia do Turismo-Workshop
Dia do Turismo-Workshop
 
Relatório do Dia do Turismo
Relatório do Dia do TurismoRelatório do Dia do Turismo
Relatório do Dia do Turismo
 
TCAT - República Dominicana
TCAT - República DominicanaTCAT - República Dominicana
TCAT - República Dominicana
 
Departamento Comercial OTET
Departamento Comercial OTET Departamento Comercial OTET
Departamento Comercial OTET
 
La Ciudad de Barcelona
La Ciudad de BarcelonaLa Ciudad de Barcelona
La Ciudad de Barcelona
 
Marketing Pessoal Networking
Marketing Pessoal NetworkingMarketing Pessoal Networking
Marketing Pessoal Networking
 
Atitudes
AtitudesAtitudes
Atitudes
 
Módulo 6
Módulo 6Módulo 6
Módulo 6
 
Trabalho tcat crise impresarial[1]
Trabalho tcat crise impresarial[1]Trabalho tcat crise impresarial[1]
Trabalho tcat crise impresarial[1]
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
responder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdfresponder de alfabetização e questoe.pdf
responder de alfabetização e questoe.pdf
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 

História- Sés Catedrais - Estilo Românico

  • 3. As catedrais , para nós podem ser simplesmente edifícios majestosos ,com funções religiosas e que ás vezes não damos muita importância , mas vamos abordar vários aspectos das catedrais que tornam estes edifícios muito importantes. Vamos falar especialmente das catedrais de arquitectura Românica , os seus aspectos , a sua planta habitual e mostrar algumas importantes Sés Catedrais de arquitectura Românica em Portugal.
  • 4. A catedralumaSé é um edifício da cátedra,presidida cadeira do Catedral é ou igreja que contém a igreja ou seja a por um bispo. ou seja é uma unidade administrativa da igreja maior. bispo, Nocatedral antigo a cadeira era o ideal para representar o poder e A mundo é frequentemente, um enorme edifício os deveres do bispo, pois era como as pessoas mais importantes impressionante. eram representadas.  Quando estas catedrais são construídas de forma Uma catedral só é considerada catedral quando tem a presença de deslumbrante é com o intuito de dar a ideia a quem as vê do um bispo. poder e da glória da igreja. Esse edifício pode ou não ter sido construído como catedral, por Graças a toda esta belezaesse estatutos chamamos-lhes dedo isso às igrejas que perderam são os lugares mais visitados mundo e quase e às que apenas servem temporariamentecidades proto–catedrais sempre um marco importante para as de na qual estão inseridas. de pró-catedral. catedral damos-lhe o nome
  • 5. É um estilo arquitectónico que surgiu na Europa no século X e evoluiu para o estilo gótico no fim do século XII. Caracteriza-se por construções rigorosas e robustas, com paredes grandes e janelas pequenas, cuja principal função era resistir a ataques de exércitos inimigos. Em Portugal , a arquitectura Românica deu-se durante a Reconquista, de que nasceu Portugal Um dos melhores expoentes do românico em Portugal é a Sé Velha de Coimbra, cuja construção data do século XII.
  • 6. 18. Tramo da 1.Torre sineira 3.Nave central com 8.Transepto 11.Absidíolo 20. Arco formeiro abóboda de berço abóboda 2.Contraforte 12.Pórtico principal 5.Nave lateral lateral 4.Pilar toral 19. Arco com abóbodas cruciforme de arestas 8 15.Cruzeiro 20 3 19 18 15 17 16 4 5 10 11 1 2 16.Nártex 10. Planta da Deambulatório 17.Abside e Catedral de 12 altar-mor Santiago de
  • 22. Sé Velha de Coimbra
  • 26. Com este tema , aprendemos mais acerca destes edifícios , e sua importância para a história e cultura do nosso país e do mundo. A sua arquitectura é muito pormenorizada e especifica e esperamos que as pessoas dêem a atenção e respeito que as sés catedrais merecem.