SlideShare uma empresa Scribd logo
1. A RIVALIDADE ENTRE OS ESTADOS
EUROPEUS
2. A FORMAÇÃO DE ALIANÇAS E O
DEFLANGRAR DA GUERRA
3. O MECANISMO DAS ALIANÇAS EM
FUNCIONAMENTO
4. A GUERRA DE MOVIMENTOS
5. 1914-1917, A GUERRA DAS
TRINCHEIRAS
6. A ALTERAÇÃO DAS FORÇAS EM
CONFRONTO
7. 1918, O FIM DA GUERRA
Índice:
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
Tema: Hegemonia e Declínio da Influência Europeia
• Nos inícios do séc XX, a Europa, dominava o mundo
devido à sua superioridade técnica, economica e
cultural.
• Desenvolverão-se rivalidades e disputas:
• Entre Inglaterra e a Alemanha – a industria inglesa
sofria a concorrencia dos produtos alemães nos
mercados internacionais.
• Entre França e a Alemanha – a França desejava
recuperar a Alsácia e a Lorena, perdidas em 1871 a
favor da Alemanha.
• Entre a Rússia e o Império Austro-Húngaro – ambos
os estados procuraram impor a sua influência política
na região dos Balcãs.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• Para se proteger das ameaças dos países vizinhos, os
Estados fizeram, entre si, sistemas de alianças:
• Triplice Aliança (1879, 1882), entre a Alemanha, o
Imperio Austro-Hungaro e a Itália.
• Tríplice Entente (1892-1893, 1907), entre a França, a
Rússia e o Reino Unido.
• Este sistema de alianças era extremamente perigoso
para a segurança europeia.
• Caso acontece-se algum conflito entre dois países, os
restantes tinha de prestar apoio ao seu aliado.
• Foi o que aconteceu nos Balcãs, em 1914.
• A 28 de junho, o arquiduque Francisco Fernando foi
assassinado em Sarajevo, por membros de uma
organização sérvia. Em consequência o Império Austro-
Húngaro declarou guerra à Sérvia.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
DATA ACONTECIMENTO
28 DE JUNHO
A Áustria declara guerra à Sérvia.
31 DE JULHO
Ultimato alemão à Rússia e à França.
1 DE AGOSTO
Mobilização geral na Alemanha e na França.
2 DE AGOSTO
Ultimato alemão à Bélgica, país neutral.
3 DE AGOSTO
Declaração de guerra da Alemanha à França.
4 DE AGOSTO
Invasão da Bélgica pelo exército alemão. A Inglaterra declara
guerra à Alemanha.
• Após a declaração de guerra, os exércitos alemães, entre
agosto e novembro de 1914, avançaram para o ocidente
da Europa.
• De acordo com um plano militar estabelecido (o plano
Schlieffen*) invadiram a Bélgica e dirigiram-se
rapidamente para França.
* Estratégia militar elaborada pelo marechal alemão
Schlieffen, que consistia em conter, a leste, o exército russo
e atacar a França através da Bélgica.
• O Exercito alemão não conseguiu entrar em Paris, em
contra partida as tropas francesas e britânicas venceram.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• No leste da Europa, as tropas alemãs e austro-húngaras
derrotaram o exército russo, obrigando-o a recuar para
leste.
• A esta Fase da 1ª Grande Guerra chama-se guerra de
movimentos, devido à posição assumida pelos exércitos
em confronto.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• Todos pensavam que a guerra iria ser rápida, mas
enganaram-se.
• A guerra de movimentos deu lugar à guerra das
trincheiras*.
* Longa fase do conflito, em que os exércitos se fixaram
atrás de posições fortificadas ou enterradas em trincheiras.
As estratégias militares consistiam em ataques maciços às
linhas inimigas ou em emboscadas e ataques-surpresa.
• Nas trincheiras, os soldados suportavam o frio e a chuva,
os ratos e os parasitas, o poder do fogo do inimigo
(morteiros, granadas, lança-chamas). Conviviam com
mortos e feridos. A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• A partir de 1915, a utilização do gás asfixiante (gás
mostarda) fez numerosas vítimas em ambos os lados.
• Ao logo dos anos de 1916 e 1917, as forças em presença
procuravam, através de fortes investidas, romper as
linhas da frente.
• Assim, no decorrer deste longo período (1914-1918), a
guerra decorreu na Europa ocidental.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• A Alemanha, com a intenção de obrigar a Inglaterra a
render-se, decretou a partir de 1917, o bloqueio
marítimo aos barcos que lhe traziam provisões e
armamento.
• Eram os Estados Unidos que desempenhavam um papel
importante no fornecimento do material de guerra e
armamento. Os americanos apoiavam sobretudo a
Inglaterra e a França, mas passaram a ser atacados no
Atlânticos por submarinos alemães.
• A Tradicional política de não-intervenção foi
abandonada.
• Em 6 de abril de 1917, Wilson, presidente dos Estados
Unidos, declarou guerra à Alemanha.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• Em outubro de 1917, na Rússia, os comunistas através
de uma revolução, tomaram o poder e assinaram de
seguida a paz com a Alemanha (Tratado de Brest-
Litovsk, março de 1918).
• De imediato, os alemães, uma vez libertos da frente
oriental, lançaram uma desesperada ofensiva no norte
de França, no sentido de atingirem Paris antes da
chegada das tropas americanas. Recomeçava, então, a
Guerra dos Movimentos.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
• No verão de 1918, os Aliados, reforçados com a vinda de
soldados americanos e com poderoso material bélico,
estavam em condições de decidir a guerra a seu favor.
• Entre julho e outubro de 1918, os Aliados, contra-
atacaram em várias frentes – em França, nos Balcãs e na
Itália.
• Alemanha veio a fazer o mesmo em 11 de novembro
de 1918.
• Uma Conferência de Paz, realizada em Paris, preparou
acordo de paz com os países derrotados. A Alemanha,
em jungo de 1919, assinou o Tratado de Versalhes,
através do qual foi obrigada a:
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
-- Próximo Slide --
• Restituir a Alsácia e a Lorena à França e entregar
territórios à Polónia;
• Reduzir as forças militares a cem mil homens, sem
artilharia pesada, carros de combate, submarinos e
aviões;
• Pagar pesadas indeminizações aos Aliados.
• Em resultado dos tratados assinados, o mapa político da
Europa alterou-se: os impérios desmembraram-se, isto
é, dividiram-se em vários países e os outros países viram
as suas fronteiras modificadas.
• Ainda em 1919, a Conferência de Paz, criou a Sociedade
das Nações (SDN), organização destinada a assegurar a
paz no mundo. Nela, deveriam ter assento todas as
nações.
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira
-- Ler integralmente a página 28 (UMA EUROPA
DESTROÇADA) do livro Sinais da História 9 --
Bibliografia:
• Sinais da História 9
Luís Ferreira
A 1ª Grande Guerra
Disciplina: História
Colégio Conciliar de Maria Imaculada
Luís Ferreira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
Jorge Almeida
 
Primeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aulaPrimeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aula
Isabela Marquetti
 
2ª guerra mundial
2ª guerra mundial2ª guerra mundial
2ª guerra mundial
Dênis Valério Martins
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
Daniel Alves Bronstrup
 
A 2ª guerra mundial pontos principais
A 2ª guerra mundial   pontos principaisA 2ª guerra mundial   pontos principais
A 2ª guerra mundial pontos principais
Nelia Salles Nantes
 
2 guerra mundial
2 guerra mundial2 guerra mundial
2 guerra mundial
KellyCarvalho2011
 
2º GUERRA MUNDIAL
2º  GUERRA MUNDIAL2º  GUERRA MUNDIAL
2º GUERRA MUNDIAL
Keylla Santtos
 
A Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra MundialA Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra Mundial
AlcidesAvelino1
 
Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
Marcio Cicchelli
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
Susana Simões
 
Segunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumoSegunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumo
Alinnie Moreira
 
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - TrabalhoSegunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Ana Julia Siteneski
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Mylena Silva
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
Janayna Lira
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
Janaína Tavares
 
Segunda guerra mundial (capitulo 25)
Segunda guerra mundial (capitulo 25)Segunda guerra mundial (capitulo 25)
Segunda guerra mundial (capitulo 25)
Wilton Moretto
 
Segunda guerra
Segunda guerraSegunda guerra
Segunda guerra
Priscila Azeredo
 
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase CA 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
luisant
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
Paloma Morais
 

Mais procurados (19)

II Guerra Mundial
II Guerra MundialII Guerra Mundial
II Guerra Mundial
 
Primeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aulaPrimeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aula
 
2ª guerra mundial
2ª guerra mundial2ª guerra mundial
2ª guerra mundial
 
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)3º ano   Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
3º ano Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945)
 
A 2ª guerra mundial pontos principais
A 2ª guerra mundial   pontos principaisA 2ª guerra mundial   pontos principais
A 2ª guerra mundial pontos principais
 
2 guerra mundial
2 guerra mundial2 guerra mundial
2 guerra mundial
 
2º GUERRA MUNDIAL
2º  GUERRA MUNDIAL2º  GUERRA MUNDIAL
2º GUERRA MUNDIAL
 
A Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra MundialA Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra Mundial
 
Primeira guerra
Primeira guerraPrimeira guerra
Primeira guerra
 
A 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra MundialA 2ª Guerra Mundial
A 2ª Guerra Mundial
 
Segunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumoSegunda Guerra Mundial - resumo
Segunda Guerra Mundial - resumo
 
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - TrabalhoSegunda Guerra Mundial - Trabalho
Segunda Guerra Mundial - Trabalho
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 
A segunda guerra mundial
A segunda guerra mundialA segunda guerra mundial
A segunda guerra mundial
 
Segunda Guerra Mundial
Segunda Guerra MundialSegunda Guerra Mundial
Segunda Guerra Mundial
 
Segunda guerra mundial (capitulo 25)
Segunda guerra mundial (capitulo 25)Segunda guerra mundial (capitulo 25)
Segunda guerra mundial (capitulo 25)
 
Segunda guerra
Segunda guerraSegunda guerra
Segunda guerra
 
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase CA 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
A 2ª Guerra Mundial 3ªFase C
 
Segunda guerra mundial
Segunda guerra mundialSegunda guerra mundial
Segunda guerra mundial
 

Destaque

1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
Mariana Ferreira
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
Mariana Ferreira
 
História - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra MundialHistória - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra Mundial
Carson Souza
 
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBROHIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
Luís Ferreira
 
1ª Guerra Mundial
1ª Guerra Mundial1ª Guerra Mundial
1ª Guerra Mundial
setembro
 
A evocação da 1ª guerra mundial
A evocação da 1ª guerra mundialA evocação da 1ª guerra mundial
A evocação da 1ª guerra mundial
Amora BE
 
Guerra das trincheiras
Guerra das trincheirasGuerra das trincheiras
Guerra das trincheiras
Anaxbeatriz
 
Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)
Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)
Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)
Tavinho Koneski Westphal
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
Sílvia Mendonça
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
Sílvia Mendonça
 
A Guerra Das Trincheiras
A Guerra Das TrincheirasA Guerra Das Trincheiras
A Guerra Das Trincheiras
Sílvia Mendonça
 

Destaque (11)

1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
 
História - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra MundialHistória - Segunda Guerra Mundial
História - Segunda Guerra Mundial
 
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBROHIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
 
1ª Guerra Mundial
1ª Guerra Mundial1ª Guerra Mundial
1ª Guerra Mundial
 
A evocação da 1ª guerra mundial
A evocação da 1ª guerra mundialA evocação da 1ª guerra mundial
A evocação da 1ª guerra mundial
 
Guerra das trincheiras
Guerra das trincheirasGuerra das trincheiras
Guerra das trincheiras
 
Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)
Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)
Koneski 1ª guerra mundial (1914 1918)
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
 
Guerra Das Trincheiras
Guerra Das TrincheirasGuerra Das Trincheiras
Guerra Das Trincheiras
 
A Guerra Das Trincheiras
A Guerra Das TrincheirasA Guerra Das Trincheiras
A Guerra Das Trincheiras
 

Semelhante a HIS - 1 GRANDE GUERRA

Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)
alexandredcg
 
I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3
Colégio Polivalente
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
Nelia Salles Nantes
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
historiando
 
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02
Naldo Silva
 
Aula de História da Primeira Guerra Mundial.pptx
Aula de História da Primeira Guerra Mundial.pptxAula de História da Primeira Guerra Mundial.pptx
Aula de História da Primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Portal do Vestibulando
 
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Dora Alexandra Batista de Sousa Rocha
 
Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02
Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02
Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02
marlete andrade
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
Jorge Coelho
 
A_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdf
A_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdfA_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdf
A_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdf
BIGPREC
 
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
SENAI/SC
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
Nelia Salles Nantes
 
1° GUERRA MUNDIAL.pptx
1° GUERRA MUNDIAL.pptx1° GUERRA MUNDIAL.pptx
1° GUERRA MUNDIAL.pptx
HernandisPereira
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
Marcelo Ferreira Boia
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
antioxidante
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
sissapb
 
Primeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anosPrimeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anos
Íris Ferreira
 
Tema i – a europa e o mundo
Tema i – a europa e o mundoTema i – a europa e o mundo
Tema i – a europa e o mundo
Lucilia Fonseca
 
Tema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xx
Tema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xxTema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xx
Tema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xx
Lucilia Fonseca
 

Semelhante a HIS - 1 GRANDE GUERRA (20)

Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02 (1)
 
I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02
Aprimeiraguerramundial 090925120513-phpapp02
 
Aula de História da Primeira Guerra Mundial.pptx
Aula de História da Primeira Guerra Mundial.pptxAula de História da Primeira Guerra Mundial.pptx
Aula de História da Primeira Guerra Mundial.pptx
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
 
Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02
Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02
Aprimeiraguerramundial slides-130820205900-phpapp02
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
 
A_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdf
A_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdfA_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdf
A_1a_GUERRA_MUNDIAL_Cel_Machado_-_2023.pdf
 
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
1° GUERRA MUNDIAL.pptx
1° GUERRA MUNDIAL.pptx1° GUERRA MUNDIAL.pptx
1° GUERRA MUNDIAL.pptx
 
Primeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundialPrimeira guerra-mundial
Primeira guerra-mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anosPrimeira guerra mundial 9 anos
Primeira guerra mundial 9 anos
 
Tema i – a europa e o mundo
Tema i – a europa e o mundoTema i – a europa e o mundo
Tema i – a europa e o mundo
 
Tema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xx
Tema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xxTema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xx
Tema i – a europa e o mundo no limiar do séc. xx
 

Mais de Luís Ferreira

HIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANOHIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANO
Luís Ferreira
 
CN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISCN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAIS
Luís Ferreira
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
Luís Ferreira
 
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZACN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
Luís Ferreira
 
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDECN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
Luís Ferreira
 
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSCN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
Luís Ferreira
 
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANACN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
Luís Ferreira
 
CN - METODOS CONTRACEPTIVOS
CN - METODOS CONTRACEPTIVOSCN - METODOS CONTRACEPTIVOS
CN - METODOS CONTRACEPTIVOS
Luís Ferreira
 
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOCN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
Luís Ferreira
 
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXHIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
Luís Ferreira
 
HIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTILHIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTIL
Luís Ferreira
 
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANAHIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
Luís Ferreira
 
EMRC - CA SOLUÇÕES
EMRC - CA SOLUÇÕESEMRC - CA SOLUÇÕES
EMRC - CA SOLUÇÕES
Luís Ferreira
 
ING - ENGLISH TEST
ING - ENGLISH TESTING - ENGLISH TEST
ING - ENGLISH TEST
Luís Ferreira
 
EV - TRABALHO
EV - TRABALHOEV - TRABALHO
EV - TRABALHO
Luís Ferreira
 
FQ - FORÇA DE ATRITO
FQ - FORÇA DE ATRITOFQ - FORÇA DE ATRITO
FQ - FORÇA DE ATRITO
Luís Ferreira
 
GEO - TEMA D
GEO - TEMA DGEO - TEMA D
GEO - TEMA D
Luís Ferreira
 
GEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURAGEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURA
Luís Ferreira
 
PORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETAPORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETA
Luís Ferreira
 
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESEHIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
Luís Ferreira
 

Mais de Luís Ferreira (20)

HIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANOHIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANO
 
CN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISCN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAIS
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
 
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZACN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
 
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDECN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
 
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSCN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
 
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANACN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
 
CN - METODOS CONTRACEPTIVOS
CN - METODOS CONTRACEPTIVOSCN - METODOS CONTRACEPTIVOS
CN - METODOS CONTRACEPTIVOS
 
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOCN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
 
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXHIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
 
HIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTILHIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTIL
 
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANAHIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
 
EMRC - CA SOLUÇÕES
EMRC - CA SOLUÇÕESEMRC - CA SOLUÇÕES
EMRC - CA SOLUÇÕES
 
ING - ENGLISH TEST
ING - ENGLISH TESTING - ENGLISH TEST
ING - ENGLISH TEST
 
EV - TRABALHO
EV - TRABALHOEV - TRABALHO
EV - TRABALHO
 
FQ - FORÇA DE ATRITO
FQ - FORÇA DE ATRITOFQ - FORÇA DE ATRITO
FQ - FORÇA DE ATRITO
 
GEO - TEMA D
GEO - TEMA DGEO - TEMA D
GEO - TEMA D
 
GEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURAGEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURA
 
PORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETAPORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETA
 
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESEHIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
 

Último

UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
ValdineyRodriguesBez1
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
05-os-pre-socraticos sociologia-28-slides.pptx
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

HIS - 1 GRANDE GUERRA

  • 1. 1. A RIVALIDADE ENTRE OS ESTADOS EUROPEUS 2. A FORMAÇÃO DE ALIANÇAS E O DEFLANGRAR DA GUERRA 3. O MECANISMO DAS ALIANÇAS EM FUNCIONAMENTO 4. A GUERRA DE MOVIMENTOS 5. 1914-1917, A GUERRA DAS TRINCHEIRAS 6. A ALTERAÇÃO DAS FORÇAS EM CONFRONTO 7. 1918, O FIM DA GUERRA Índice: A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira Tema: Hegemonia e Declínio da Influência Europeia
  • 2. • Nos inícios do séc XX, a Europa, dominava o mundo devido à sua superioridade técnica, economica e cultural. • Desenvolverão-se rivalidades e disputas: • Entre Inglaterra e a Alemanha – a industria inglesa sofria a concorrencia dos produtos alemães nos mercados internacionais. • Entre França e a Alemanha – a França desejava recuperar a Alsácia e a Lorena, perdidas em 1871 a favor da Alemanha. • Entre a Rússia e o Império Austro-Húngaro – ambos os estados procuraram impor a sua influência política na região dos Balcãs. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 3. • Para se proteger das ameaças dos países vizinhos, os Estados fizeram, entre si, sistemas de alianças: • Triplice Aliança (1879, 1882), entre a Alemanha, o Imperio Austro-Hungaro e a Itália. • Tríplice Entente (1892-1893, 1907), entre a França, a Rússia e o Reino Unido. • Este sistema de alianças era extremamente perigoso para a segurança europeia. • Caso acontece-se algum conflito entre dois países, os restantes tinha de prestar apoio ao seu aliado. • Foi o que aconteceu nos Balcãs, em 1914. • A 28 de junho, o arquiduque Francisco Fernando foi assassinado em Sarajevo, por membros de uma organização sérvia. Em consequência o Império Austro- Húngaro declarou guerra à Sérvia. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 4. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira DATA ACONTECIMENTO 28 DE JUNHO A Áustria declara guerra à Sérvia. 31 DE JULHO Ultimato alemão à Rússia e à França. 1 DE AGOSTO Mobilização geral na Alemanha e na França. 2 DE AGOSTO Ultimato alemão à Bélgica, país neutral. 3 DE AGOSTO Declaração de guerra da Alemanha à França. 4 DE AGOSTO Invasão da Bélgica pelo exército alemão. A Inglaterra declara guerra à Alemanha.
  • 5. • Após a declaração de guerra, os exércitos alemães, entre agosto e novembro de 1914, avançaram para o ocidente da Europa. • De acordo com um plano militar estabelecido (o plano Schlieffen*) invadiram a Bélgica e dirigiram-se rapidamente para França. * Estratégia militar elaborada pelo marechal alemão Schlieffen, que consistia em conter, a leste, o exército russo e atacar a França através da Bélgica. • O Exercito alemão não conseguiu entrar em Paris, em contra partida as tropas francesas e britânicas venceram. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 6. • No leste da Europa, as tropas alemãs e austro-húngaras derrotaram o exército russo, obrigando-o a recuar para leste. • A esta Fase da 1ª Grande Guerra chama-se guerra de movimentos, devido à posição assumida pelos exércitos em confronto. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 7. • Todos pensavam que a guerra iria ser rápida, mas enganaram-se. • A guerra de movimentos deu lugar à guerra das trincheiras*. * Longa fase do conflito, em que os exércitos se fixaram atrás de posições fortificadas ou enterradas em trincheiras. As estratégias militares consistiam em ataques maciços às linhas inimigas ou em emboscadas e ataques-surpresa. • Nas trincheiras, os soldados suportavam o frio e a chuva, os ratos e os parasitas, o poder do fogo do inimigo (morteiros, granadas, lança-chamas). Conviviam com mortos e feridos. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 8. • A partir de 1915, a utilização do gás asfixiante (gás mostarda) fez numerosas vítimas em ambos os lados. • Ao logo dos anos de 1916 e 1917, as forças em presença procuravam, através de fortes investidas, romper as linhas da frente. • Assim, no decorrer deste longo período (1914-1918), a guerra decorreu na Europa ocidental. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 9. • A Alemanha, com a intenção de obrigar a Inglaterra a render-se, decretou a partir de 1917, o bloqueio marítimo aos barcos que lhe traziam provisões e armamento. • Eram os Estados Unidos que desempenhavam um papel importante no fornecimento do material de guerra e armamento. Os americanos apoiavam sobretudo a Inglaterra e a França, mas passaram a ser atacados no Atlânticos por submarinos alemães. • A Tradicional política de não-intervenção foi abandonada. • Em 6 de abril de 1917, Wilson, presidente dos Estados Unidos, declarou guerra à Alemanha. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 10. • Em outubro de 1917, na Rússia, os comunistas através de uma revolução, tomaram o poder e assinaram de seguida a paz com a Alemanha (Tratado de Brest- Litovsk, março de 1918). • De imediato, os alemães, uma vez libertos da frente oriental, lançaram uma desesperada ofensiva no norte de França, no sentido de atingirem Paris antes da chegada das tropas americanas. Recomeçava, então, a Guerra dos Movimentos. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira
  • 11. • No verão de 1918, os Aliados, reforçados com a vinda de soldados americanos e com poderoso material bélico, estavam em condições de decidir a guerra a seu favor. • Entre julho e outubro de 1918, os Aliados, contra- atacaram em várias frentes – em França, nos Balcãs e na Itália. • Alemanha veio a fazer o mesmo em 11 de novembro de 1918. • Uma Conferência de Paz, realizada em Paris, preparou acordo de paz com os países derrotados. A Alemanha, em jungo de 1919, assinou o Tratado de Versalhes, através do qual foi obrigada a: A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira -- Próximo Slide --
  • 12. • Restituir a Alsácia e a Lorena à França e entregar territórios à Polónia; • Reduzir as forças militares a cem mil homens, sem artilharia pesada, carros de combate, submarinos e aviões; • Pagar pesadas indeminizações aos Aliados. • Em resultado dos tratados assinados, o mapa político da Europa alterou-se: os impérios desmembraram-se, isto é, dividiram-se em vários países e os outros países viram as suas fronteiras modificadas. • Ainda em 1919, a Conferência de Paz, criou a Sociedade das Nações (SDN), organização destinada a assegurar a paz no mundo. Nela, deveriam ter assento todas as nações. A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira -- Ler integralmente a página 28 (UMA EUROPA DESTROÇADA) do livro Sinais da História 9 --
  • 13. Bibliografia: • Sinais da História 9 Luís Ferreira A 1ª Grande Guerra Disciplina: História Colégio Conciliar de Maria Imaculada Luís Ferreira