SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
Baixar para ler offline
O que é a contracepção?O que é a contracepção?
É todo o método que vise impedir a fertilização de um óvulo
ou impedir a nidificação do embriãoou impedir a nidificação do embrião.
Métodos contraceptivos podem ser:
Métodos naturais.
Mé d â i
Métodos não naturais
• Métodos mecânicos.
• Métodos químicos.
• Métodos médico-cirúrgicos.
Métodos Naturais:
• Método do coito interrompido.
• Método das temperaturas.p
• Método de Ogino ou do calendário.Método de Ogino ou do calendário.
• Método de Billings ou do muco cervical• Método de Billings ou do muco cervical.
• Método do coito interrompido
O homem retira o pénis antes de ejacular.
Pouco eficaz (o pénis liberta espermatozóides antes
da ejaculação).
Causa tensão e ansiedade nos homens.
• Método das temperaturasp
Verificação diária da temperatura corporal da mulher.
No período fértil verifica-se um aumento da temperatura, após a ovulação.
Desvantagem: podem existir
oscilações da temperatura sem serem
devidas à ovulaçãodevidas à ovulação.
• Método de Ogino ou do calendário• Método de Ogino ou do calendário
Abstenção de relações sexuais durante o período fértil da mulher.
Desvantagem: possível oscilação
na data da ovulação. Causas
prováveis de alteração, emoções,p ç , ç ,
mudança no ritmo de vida, clima,
nervosismo e doenças.
• Método de Billings ou do muco cervical
Ob ã d lt õ d l l d út fObservação das alterações que o muco segregado pelo colo do útero sofre
durante o ciclo menstrual.
Aspecto do muco ao longo do ciclo.
Desvantagem: Requer prática para
saber distinguir as diferentes fases.
Métodos não naturais:
• Barreiras
• Preservativo
Métodos mecânicos
• Dispositivo intra-
• Diafragma
p
uterino (DIU)
Métodos químicos
• Espermicidas
• HormonasMétodos químicos • Hormonas
Métodos médico-cirúrgicos • Laqueação das trompas
• Vasectomia
Preservativo
Capa de látex fino que deve ser colocado no pénis erecto antes de qualquer
contacto sexual. Recolhe o sémen num reservatório impedindo que ele entre
na vagina.
Preservativos
Assegura uma contracepção eficaz.
Constitui a melhor protecção contra
as doenças sexualmente
Pode provocar alergias.
ç
transmissíveis, a hepatite B e a SIDA.
P s ti F i iPreservativo Feminino
Manga em forma de saco que é colocado na vagina, recobrindo-a internamente.
• Ajuda a impedir uma gravidez e protege
das doenças sexualmente transmissíveis.
• Apresenta algumas dificuldades na
utilização. Não se encontra disponível noç p
mercado português.
DiafragmaDiafragma
Dispositivo de borracha em forma de cúpula que é inserido na vagina
antes da relação sexual. Cobre a entrada do útero impedindo a passagem
dos espermatozóides.
• Diminui o risco de doença inflamatória pélvica• Diminui o risco de doença inflamatória pélvica.
• Apresenta algumas dificuldades na utilização. Não se
encontra disponível no mercado português.
Dispositivo intra-uterino (DIU)p
Pequeno dispositivo de metal ou plástico, (3 a 4 cm de comprimento) de forma
variada, inserido no útero por um médico, onde pode permanecer cerca de 5
anosanos.
• Provoca uma inflamação não permitindo a nidação.Provoca uma inflamação não permitindo a nidação.
• Não interfere no acto sexual e é muito
eficaz, reversível e de longa duração.
Espermicidas
Substâncias químicas que imobilizam ou matam os espermatozóides. Trata-se de
uma contracepção química local. Uma vez colocado deve-se esperar 10 minutos
antes do acto sexual. São também bactericidas.
• É de fácil utilização.
• Interfere no acto sexual, pode
provocar reacções alérgicas e tem
uma alta taxa de insucesso.
HormonasHormonas
É um fármaco composto por várias hormonas sintéticas que impedem a
ovulação. Para tal, deve ser tomado diariamente, geralmente durante 21ovu ação. a a ta , deve se to ado d a a e te, ge a e te du a te
dias consecutivos, seguidos de uma paragem de 7 dias.
• Elevada taxa de sucesso, não interfere na
l ã l l i i l Estrogénios
relação sexual, regulariza os ciclos
menstruais e não altera a fertilidade.
• Exige responsabilidade da mulher para a
g
sua toma diária.
Laqueação das trompas
Cirurgia feita na mulher que corta ou “amarra” as trompas, impedindo a passagem
do oócito. Assim o espermatozóide nunca encontra o gâmeta feminino.do oócito. Assim o espermatozóide nunca encontra o gâmeta feminino.
Cirurgia definitiva e irreversível.
Muito eficaz.
VasectomiaVasectomia
Cirurgia feita no homem que corta ou “amarra” os canais deferentes.
Desta forma os espermatozóides não são expelidos durante a ejaculação.Desta forma os espermatozóides não são expelidos durante a ejaculação.
Cirurgia definitiva e irreversível.
Muito eficaz.
Se a protecção usada não foi eficaz, pode recorrer-se à contracepção de
emergência: a “pílula do dia seguinte”.
Esta pílula deve ser tomada nas 72h seguintes ao acto sexual. Não tem efeito
abortivo, apenas retarda ou inibe a fecundação do oócito. Mas se for tomada
só 72h depois da relação, já não vai impedir a fecundação, mas sim a
implantação do embrião nas paredes do úteroimplantação do embrião nas paredes do útero.
A eficácia é tanto maior quanto mais rápida for a sua toma.
Grau de eficácia dos métodos contraceptivos
Vasectomia e laqueação
das trompasdas trompas.
Pílula
DIU
Preservativo +
espermicida
Diafragma +
preservativo
Preservativo
DiafragmaDiafragma
Espermicida
MétodosMétodos
naturais
Para evitar gestações não desejáveis
deve-se prevenirdeve-se prevenir.
Mais vale prevenir que remediar!!!
CN - METODOS CONTRACEPTIVOS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTsAula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
Aula 8º ano - Métodos contraceptivos e DSTs
 
fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida fecundação, gravidez e início da vida
fecundação, gravidez e início da vida
 
Contraceptivos
ContraceptivosContraceptivos
Contraceptivos
 
Metodos contraceptivos
Metodos contraceptivosMetodos contraceptivos
Metodos contraceptivos
 
8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência8 ano puberdade e adolescência
8 ano puberdade e adolescência
 
Reprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º anoReprodução humana - 8º ano
Reprodução humana - 8º ano
 
Métodos Contraceptivos
Métodos ContraceptivosMétodos Contraceptivos
Métodos Contraceptivos
 
Sexualidade
SexualidadeSexualidade
Sexualidade
 
Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
8 ano sistema reprodutor masculino e feminino
8 ano sistema reprodutor masculino e feminino8 ano sistema reprodutor masculino e feminino
8 ano sistema reprodutor masculino e feminino
 
Reprodução Assexuada
Reprodução AssexuadaReprodução Assexuada
Reprodução Assexuada
 
Puberdade
PuberdadePuberdade
Puberdade
 
METODOS DE BARREIRA
METODOS DE BARREIRA METODOS DE BARREIRA
METODOS DE BARREIRA
 
Tudo sobre Sexualidade
Tudo sobre SexualidadeTudo sobre Sexualidade
Tudo sobre Sexualidade
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
 
Gravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionárioGravidez e desenvolvimento embrionário
Gravidez e desenvolvimento embrionário
 
Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano] Fontes de Energia [8 ano]
Fontes de Energia [8 ano]
 
Adolescência e puberdade
Adolescência e puberdadeAdolescência e puberdade
Adolescência e puberdade
 

Destaque

CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSCN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSLuís Ferreira
 
HIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTILHIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTILLuís Ferreira
 
PORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETAPORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETALuís Ferreira
 
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZACN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZALuís Ferreira
 
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBROHIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBROLuís Ferreira
 
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESEHIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESELuís Ferreira
 
HIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANOHIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANOLuís Ferreira
 
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDECN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDELuís Ferreira
 
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXHIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXLuís Ferreira
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSLuís Ferreira
 
CN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISCN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISLuís Ferreira
 
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOCN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOLuís Ferreira
 
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANACN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANALuís Ferreira
 
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANAHIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANALuís Ferreira
 

Destaque (20)

CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOSCN - RECURSOS ENERGÉTICOS
CN - RECURSOS ENERGÉTICOS
 
HIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTILHIS - O TRABALHO INFANTIL
HIS - O TRABALHO INFANTIL
 
PORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETAPORT - MISSÃO ROSSETA
PORT - MISSÃO ROSSETA
 
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZACN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
CN - PROTEÇÃO DA NATUREZA
 
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBROHIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
HIS - O GOLPE MILITAR DE 4 DE OUTUBRO
 
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESEHIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
HIS - 1ª GRANDE GUERRA - SINTESE
 
ING - ENGLISH TEST
ING - ENGLISH TESTING - ENGLISH TEST
ING - ENGLISH TEST
 
HIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANOHIS - O ESPAÇO URBANO
HIS - O ESPAÇO URBANO
 
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDECN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
CN - INDICADORES DO ESTADO DE SAUDE
 
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIXHIS - PORTUGAL NO SEC XIX
HIS - PORTUGAL NO SEC XIX
 
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOSCN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
CN - GESTÃO SUSTENTÁVEL DOS RECURSOS
 
CN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAISCN - RECURSOS NATURAIS
CN - RECURSOS NATURAIS
 
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIOCN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
CN - FECUNDAÇÃO E DESENVOLVIMENTO EMBRIONARIO
 
EMRC - CA SOLUÇÕES
EMRC - CA SOLUÇÕESEMRC - CA SOLUÇÕES
EMRC - CA SOLUÇÕES
 
FQ - FORÇA DE ATRITO
FQ - FORÇA DE ATRITOFQ - FORÇA DE ATRITO
FQ - FORÇA DE ATRITO
 
CN - O TABAGISMO
CN - O TABAGISMOCN - O TABAGISMO
CN - O TABAGISMO
 
GEO - TEMA D
GEO - TEMA DGEO - TEMA D
GEO - TEMA D
 
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANACN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
CN - BASES MORFOLÓGICAS E FISIOLÓGICAS DA REPRODUÇÃO HUMANA
 
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANAHIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
HIS - REVOLUÇÃO REPUBLICANA
 
GEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURAGEO - AGRICULTURA
GEO - AGRICULTURA
 

Semelhante a CN - METODOS CONTRACEPTIVOS

Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosClécio Bubela
 
Mc métodos contraceptivos
Mc   métodos contraceptivosMc   métodos contraceptivos
Mc métodos contraceptivosLaurinda Lima
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivosTânia Reis
 
Metodos contracetivos mommomomo
Metodos contracetivos mommomomoMetodos contracetivos mommomomo
Metodos contracetivos mommomomoAfonso Gonçalves
 
Planejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoPlanejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoVania Ribeiro
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivosJoseOliveiraPT
 
Métodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneosMétodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneosrebecabobona
 
Métodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneosMétodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneosrebecabobona
 
Fecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivosFecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivosluizinhovlr
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiarZaara Miranda
 
Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaispedropereiraeu
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Pelo Siro
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Pelo Siro
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Pelo Siro
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaBruno
 
DST’s e Métodos Contraceptivos.pptx
DST’s e Métodos Contraceptivos.pptxDST’s e Métodos Contraceptivos.pptx
DST’s e Métodos Contraceptivos.pptxBrunaCandaten1
 
M+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicosM+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicosCláudia Bonifácio
 

Semelhante a CN - METODOS CONTRACEPTIVOS (20)

Métodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanosMétodos contraceptivos humanos
Métodos contraceptivos humanos
 
Mc métodos contraceptivos
Mc   métodos contraceptivosMc   métodos contraceptivos
Mc métodos contraceptivos
 
Ciências
CiênciasCiências
Ciências
 
Métodos contracetivos
Métodos contracetivosMétodos contracetivos
Métodos contracetivos
 
Metodos contracetivos mommomomo
Metodos contracetivos mommomomoMetodos contracetivos mommomomo
Metodos contracetivos mommomomo
 
ContracepçAo
ContracepçAoContracepçAo
ContracepçAo
 
Planejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalhoPlanejamento familiar trabalho
Planejamento familiar trabalho
 
Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionais
 
Métodos contraceptivos
Métodos contraceptivosMétodos contraceptivos
Métodos contraceptivos
 
Métodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneosMétodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneos
 
Métodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneosMétodos anticoncepcionais momentâneos
Métodos anticoncepcionais momentâneos
 
Fecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivosFecundação e métodos contracetivos
Fecundação e métodos contracetivos
 
Planeamento familiar
Planeamento familiarPlaneamento familiar
Planeamento familiar
 
Métodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionaisMétodos anticoncepcionais
Métodos anticoncepcionais
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
 
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
Cn9metodosanticoncepcionais 101122031931-phpapp01
 
Métodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos QuímicaMétodos Contraceptivos Química
Métodos Contraceptivos Química
 
DST’s e Métodos Contraceptivos.pptx
DST’s e Métodos Contraceptivos.pptxDST’s e Métodos Contraceptivos.pptx
DST’s e Métodos Contraceptivos.pptx
 
M+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicosM+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicos
M+®todos contraceptivos n+úo naturais mec+ónicos
 

Último

FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialDouglasVasconcelosMa
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresAna Isabel Correia
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfMarcianaClaudioClaud
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024azulassessoria9
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfGisellySobral
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfAndersonW5
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASricardo644666
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...azulassessoria9
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfAnaAugustaLagesZuqui
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxKeslleyAFerreira
 

Último (20)

Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdfROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
ROTINA DE ESTUDO-APOSTILA ESTUDO ORIENTADO.pdf
 
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
ATIVIDADE 1 - ENF - ENFERMAGEM BASEADA EM EVIDÊNCIAS - 52_2024
 
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdfHistória concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
História concisa da literatura brasileira- Alfredo Bosi..pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVASAPRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
APRENDA COMO USAR CONJUNÇÕES COORDENATIVAS
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptxQuímica-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
Química-ensino médio ESTEQUIOMETRIA.pptx
 

CN - METODOS CONTRACEPTIVOS

  • 1.
  • 2. O que é a contracepção?O que é a contracepção? É todo o método que vise impedir a fertilização de um óvulo ou impedir a nidificação do embriãoou impedir a nidificação do embrião. Métodos contraceptivos podem ser: Métodos naturais. Mé d â i Métodos não naturais • Métodos mecânicos. • Métodos químicos. • Métodos médico-cirúrgicos.
  • 3. Métodos Naturais: • Método do coito interrompido. • Método das temperaturas.p • Método de Ogino ou do calendário.Método de Ogino ou do calendário. • Método de Billings ou do muco cervical• Método de Billings ou do muco cervical.
  • 4. • Método do coito interrompido O homem retira o pénis antes de ejacular. Pouco eficaz (o pénis liberta espermatozóides antes da ejaculação). Causa tensão e ansiedade nos homens.
  • 5. • Método das temperaturasp Verificação diária da temperatura corporal da mulher. No período fértil verifica-se um aumento da temperatura, após a ovulação. Desvantagem: podem existir oscilações da temperatura sem serem devidas à ovulaçãodevidas à ovulação.
  • 6. • Método de Ogino ou do calendário• Método de Ogino ou do calendário Abstenção de relações sexuais durante o período fértil da mulher. Desvantagem: possível oscilação na data da ovulação. Causas prováveis de alteração, emoções,p ç , ç , mudança no ritmo de vida, clima, nervosismo e doenças.
  • 7. • Método de Billings ou do muco cervical Ob ã d lt õ d l l d út fObservação das alterações que o muco segregado pelo colo do útero sofre durante o ciclo menstrual. Aspecto do muco ao longo do ciclo. Desvantagem: Requer prática para saber distinguir as diferentes fases.
  • 8. Métodos não naturais: • Barreiras • Preservativo Métodos mecânicos • Dispositivo intra- • Diafragma p uterino (DIU) Métodos químicos • Espermicidas • HormonasMétodos químicos • Hormonas Métodos médico-cirúrgicos • Laqueação das trompas • Vasectomia
  • 9. Preservativo Capa de látex fino que deve ser colocado no pénis erecto antes de qualquer contacto sexual. Recolhe o sémen num reservatório impedindo que ele entre na vagina. Preservativos Assegura uma contracepção eficaz. Constitui a melhor protecção contra as doenças sexualmente Pode provocar alergias. ç transmissíveis, a hepatite B e a SIDA.
  • 10. P s ti F i iPreservativo Feminino Manga em forma de saco que é colocado na vagina, recobrindo-a internamente. • Ajuda a impedir uma gravidez e protege das doenças sexualmente transmissíveis. • Apresenta algumas dificuldades na utilização. Não se encontra disponível noç p mercado português.
  • 11. DiafragmaDiafragma Dispositivo de borracha em forma de cúpula que é inserido na vagina antes da relação sexual. Cobre a entrada do útero impedindo a passagem dos espermatozóides. • Diminui o risco de doença inflamatória pélvica• Diminui o risco de doença inflamatória pélvica. • Apresenta algumas dificuldades na utilização. Não se encontra disponível no mercado português.
  • 12. Dispositivo intra-uterino (DIU)p Pequeno dispositivo de metal ou plástico, (3 a 4 cm de comprimento) de forma variada, inserido no útero por um médico, onde pode permanecer cerca de 5 anosanos. • Provoca uma inflamação não permitindo a nidação.Provoca uma inflamação não permitindo a nidação. • Não interfere no acto sexual e é muito eficaz, reversível e de longa duração.
  • 13. Espermicidas Substâncias químicas que imobilizam ou matam os espermatozóides. Trata-se de uma contracepção química local. Uma vez colocado deve-se esperar 10 minutos antes do acto sexual. São também bactericidas. • É de fácil utilização. • Interfere no acto sexual, pode provocar reacções alérgicas e tem uma alta taxa de insucesso.
  • 14. HormonasHormonas É um fármaco composto por várias hormonas sintéticas que impedem a ovulação. Para tal, deve ser tomado diariamente, geralmente durante 21ovu ação. a a ta , deve se to ado d a a e te, ge a e te du a te dias consecutivos, seguidos de uma paragem de 7 dias. • Elevada taxa de sucesso, não interfere na l ã l l i i l Estrogénios relação sexual, regulariza os ciclos menstruais e não altera a fertilidade. • Exige responsabilidade da mulher para a g sua toma diária.
  • 15. Laqueação das trompas Cirurgia feita na mulher que corta ou “amarra” as trompas, impedindo a passagem do oócito. Assim o espermatozóide nunca encontra o gâmeta feminino.do oócito. Assim o espermatozóide nunca encontra o gâmeta feminino. Cirurgia definitiva e irreversível. Muito eficaz.
  • 16. VasectomiaVasectomia Cirurgia feita no homem que corta ou “amarra” os canais deferentes. Desta forma os espermatozóides não são expelidos durante a ejaculação.Desta forma os espermatozóides não são expelidos durante a ejaculação. Cirurgia definitiva e irreversível. Muito eficaz.
  • 17. Se a protecção usada não foi eficaz, pode recorrer-se à contracepção de emergência: a “pílula do dia seguinte”. Esta pílula deve ser tomada nas 72h seguintes ao acto sexual. Não tem efeito abortivo, apenas retarda ou inibe a fecundação do oócito. Mas se for tomada só 72h depois da relação, já não vai impedir a fecundação, mas sim a implantação do embrião nas paredes do úteroimplantação do embrião nas paredes do útero. A eficácia é tanto maior quanto mais rápida for a sua toma.
  • 18. Grau de eficácia dos métodos contraceptivos Vasectomia e laqueação das trompasdas trompas. Pílula DIU Preservativo + espermicida Diafragma + preservativo Preservativo DiafragmaDiafragma Espermicida MétodosMétodos naturais
  • 19. Para evitar gestações não desejáveis deve-se prevenirdeve-se prevenir. Mais vale prevenir que remediar!!!