SlideShare uma empresa Scribd logo
A Primeira guerra mundial 
1914-1918
Preludio da Guerra 
• Entre os anos de 1870 e 1914, o mundo vivia a euforia da chamada 
Belle Époque (Bela Época). Do ponto de vista da burguesia dos 
grandes países industrializados, o planeta experimentava um tempo 
de progresso econômico e tecnológico. Confiantes de que a civilização 
atingira o ápice de suas potencialidades, os países ricos viviam a 
simples expectativa de disseminar seus paradigmas às nações menos 
desenvolvidas. Entretanto, todo esse otimismo encobria um sério 
conjunto de tensões.
• Com o passar do tempo, a relação entre os maiores países 
industrializados se transformou em uma relação marcada pelo signo 
da disputa e da tensão. Nações como Itália, Alemanha e Japão, 
promoveram a modernização de suas economias. Com isso, a 
concorrência pelos territórios imperialistas acabava se acirrando a 
cada dia. Orientados pela lógica do lucro capitalista, as potências 
industriais disputavam cada palmo das matérias-primas e dos 
mercados consumidores mundiais.
• Um dos primeiros sinais dessa vindoura crise se deu por meio de uma 
intensa corrida armamentista. Preocupados em manter e conquistar 
territórios, os países europeus investiam em uma pesada tecnologia 
de guerra e empreendia meios para engrossar as fileiras de seus 
exércitos. Nesse último aspecto, vale lembrar que a ideologia 
nacionalista alimentava um sentimento utópico de superioridade que 
abalava o bom entendimento entre as nações.
• Outra importante experiência ligada a esse clima de rivalidade pôde 
ser observada com o desenvolvimento da chamada “política de 
alianças”. Através da assinatura de acordos político-militares, os 
países europeus se dividiram nos futuros blocos políticos que 
conduziriam a Primeira Guerra Mundial. Por fim, o Velho Mundo 
estava dividido entre a Tríplice Aliança – formada por Alemanha, 
Império Austro-Húngaro e Itália – e a Tríplice Entente – composta por 
Rússia, França e Inglaterra
O Estopim para a guerra 
• Mediante esse contexto, tínhamos formado o terrível “barril de 
pólvora” que explodiria com o início da guerra em 1914. Utilizando da 
disputa política pela região dos Bálcãs, a Europa detonou um conflito 
que inaugurava o temível poder de metralhadoras, submarinos, 
tanques, aviões e gases venenosos. Ao longo de quatro anos, a 
destruição e morte de milhares impuseram a revisão do antigo 
paradigma que lançava o mundo europeu como um modelo a ser 
seguido. 
• Em 28 de junho de 1914, Gavrilo Princip, um estudante sérvio-bósnio 
e membro da Jovem Bósnia, assassinou o herdeiro do trono austro-húngaro, 
o arquiduque Francisco Fernando da Áustria, em Sarajevo, 
na Bósnia.
• A Sérvia sentia-se pelo menos parcialmente protegida pela sua 
aliança com o Império Russo, com o qual partilhava laços religiosos, 
dado os dois países serem maioritariamente ortodoxos. 
• Esta relação com a Rússia, levou a Austro-Hungria a contactar a 
Alemanha, para saber se poderia contar com o apoio do Império 
Alemão para dissuadir a Russia de intervir.
• Pressionado por causa de um suposto ataque sérvio e convencido de que 
tinha o apoio do Kaiser alemão, o velho imperador Habsburgo, Franzis 
Josef I assina a declaração de guerra do império Austro-Hungaro à Sérvia 
em 28 de Julho de 1914. 
• É no entanto frisar que ainda que a guerra tivesse sido declarada, até ali 
tratava-se de um conflito regional, entre dois países da Europa central. 
• No entanto, e sem qualquer declaração de guerra adicional, a Rússia 
decretou de imediato a mobilização geral das suas tropas em preparação 
para um eventual conflito, dando a entender que apoiaria a Sérvia, seu 
tradicional aliado
• De seguida, funcionou o acordo entre as potências da «Triple Entente» (Rússia, França e Grã 
Bretanha). Exactamente no dia em que a Alemanha declarava guerra à Rússia, a França decretava 
a mobilização geral e solicitava à Grã-bretanha que fizesse o mesmo. 
• Inicialmente os britânicos não aceitaram a sugestão e mostraram-se relutantes (ainda que a Royal 
Navy tivesse decretado mobilização parcial em 29 de Julho), mas a guerra tornava-se já inevitável. 
• A 2 de Agosto a Alemanha envia um ultimatum à Bélgica e exige direito de passagem para as suas 
forças através daquele país. A recusa belga leva à declaração de guerra. Em 3 de Agosto a 
Alemanha declara guerra à França e no dia seguinte a França declara guerra à Alemanha. 
• A Inglaterra envia um ultimatum à Alemanha exigindo que os alemães retiram da Bélgica. Perante 
a recusa, a 5 de Agosto é a vez da Grã Bretanha declarar guerra à Alemanha, enquanto que o 
pequeno Montenegro, aliado da Sérvia, declara guerra à Áustria.
• Mais tarde os desenvolvimentos do conflito levariam a que em 30 de 
Outubro a Turquia entrasse na guerra ao lado da Alemanha. 
• Em 1915, a Itália entra no conflito ao lado dos aliados a 25 de Maio 
enquanto que a Bulgária entra na guerra ao lado da Turquia a 5 de 
Outubro. 
• Em 1916 a 9 de Março, a Alemanha e o Império Austro-Hungaro declaram 
guerra a Portugal e a Roménia entra na guerra ao lado dos aliados em 28 
de Agosto. 
• À guerra na Europa escapam apenas a Noruega a Suécia, a Dinamarca, a 
Holanda, a Suiça, a Espanha e a Albânia.
• Após invadir o território belga, o exército alemão logo encontrou 
resistência na fortificada cidade de Liège. Apesar do exército ter 
continuado a rápida marcha rumo à França, a invasão germânica 
tinha provocado a decisão britânica de intervir em ajuda a Tríplice 
Entente. Como signatário do Tratado de Londres, o Império Britânico 
estava comprometido a preservar a soberania belga. Para a Grã- 
Bretanha os portos de Antuérpia e Oostende eram importantes 
demais para cair nas mãos de uma potência continental hostil ao 
país.25 Para tanto, enviou um exército para a Bélgica, atrasando o 
avanço alemão.
• Inicialmente os mesmos tiveram uma grande vitória na Batalha das 
Fronteiras (14 de agosto a 24 de agosto de 1914). A Rússia, porém, atacou 
a Prússia Oriental, o que obrigou o deslocamento das tropas alemãs que 
estavam planejadas para ir a Frente Ocidental. A Alemanha derrotou a 
Rússia em uma série de confrontos chamados da Segunda Batalha de 
Tannenberg (17 de agosto a 2 de setembro de 1914). O deslocamento 
imprevisto para combater os russos, porém, acabou permitindo uma 
contra-ofensiva em conjunto das forças francesas e inglesas, que 
conseguiram parar os alemães em seu caminho para Paris, na Primeira 
Batalha do Marne (Setembro de 1914), forçando o exército alemão a lutar 
em duas frentes. O mesmo se postou numa posição defensiva dentro da 
França e conseguiu incapacitar permanentemente 230.000 franceses e 
britânicos.
• Os avanços na tecnologia militar significaram na prática um poder de fogo defensivo mais poderoso que as 
capacidades ofensivas, tornando a guerra extremamente mortífera. O arame farpado era um constante 
obstáculo para os avanços da infantaria; a artilharia, muito mais letal que no século XIX, armada com 
poderosas metralhadoras. Os alemães começaram a usar gás cloro em 1915, no que foi a primeira utilização 
de armas químicas26 , e logo depois ambos os lados usavam da mesma estratégia. Nenhum dos lados 
ganhou a guerra pelo uso de tal artifício, mas eles tornaram a vida nas trincheiras ainda mais miserável 
tornando-se um dos mais temidos e lembrados horrores de guerra. 
• Numa nota curiosa, temos que no início da guerra, chegando a primeira época natalícia, se encontram 
relatos de os soldados de ambos os lados cessarem as hostilidades e mesmo saírem das trincheiras e 
cumprimentarem-se (trégua de Natal). Isto ocorreu sem o consentimento do comando, no entanto, foi um 
evento único. Não se repetiu posteriormente por diversas razões: o número demasiado elevado de baixas 
aumentou os sentimentos de ódio dos soldados e o comando, dados os acontecimentos do primeiro ano, 
tentou usar esta altura para fazer propaganda, o que levou os soldados a desconfiar ainda mais uns dos 
outros. 
• A alimentação era sobretudo à base de carne, vegetais enlatados e biscoitos, sendo os alimentos frescos 
uma raridade.
• A partir de 1917, a situação começou a alterar-se, quer com a entrada em 
cena de novos meios, como o carro de combate e a aviação militar, quer 
com a chegada ao teatro de operações europeu das forças estadunidenses 
ou a substituição de comandantes por outros com nova visão da guerra e 
das tácticas e estratégias mais adequadas; lançam-se, de um lado e de 
outro, grandes ofensivas, que causam profundas alterações no desenho da 
frente, acabando por colocar as tropas alemãs na defensiva e levando por 
fim à sua derrota. É verdade que a Alemanha adquire ainda algum fôlego 
quando a revolução estala no Império Russo e o governo bolchevista, 
chefiado por Lênin, prontamente assina a paz sem condições, (Tratado de 
Brest-Litovski) assim anulando a frente leste, mas essa circunstância não 
será suficiente para evitar a derrota. O armistício que pôs fim à guerra foi 
assinado a 11 de novembro de 1918.
Consequências 
• Mesmo posando ao lado dos vencedores, a Itália saiu frustrada do 
conflito ao não receber os ganhos materiais que esperava. Na 
Alemanha, onde as mais pesadas sanções do Tratado de Versalhes 
foram instituídas, a economia viveu em franca decadência e os índices 
inflacionários alcançaram valores exorbitantes. Esse contexto de 
declínio e degradação acabou criando chances para que Itália e 
Alemanha fossem dominadas por regimes marcados pelo 
nacionalismo extremo e a franca expansão militar.
• A Sociedade das Nações, órgão internacional incumbido de manter a 
paz, não conseguiu cumprir seu papel. O Japão impôs um projeto 
expansionista que culminou com a ocupação da Manchúria. Os 
alemães passaram a descumprir paulatinamente as exigências 
impostas pelos Tratados de Versalhes e realizaram a ocupação da 
região da Renânia. Enquanto isso, os italianos aproveitaram da nova 
situação para realizar a invasão à Etiópia.
• O equilíbrio almejado pelos países também foi impedido pela crise 
econômica que devastou o sistema capitalista no ano de 1929. Sem 
condições de impor seus interesses contra os alemães e italianos, as 
grandes nações europeias passaram a ceder espaço aos interesses 
dos governos totalitários. Aproveitando dessa situação, os regimes de 
Hitler e Mussolini incentivaram a expansão de uma indústria bélica 
que utilizou a Guerra Civil Espanhola como “palco de ensaios” para 
um novo conflito mundial.
• Fortalecidas nessa nova conjuntura política, Itália, Alemanha e Japão 
começaram a engendrar os primeiros passos de uma guerra ainda 
mais sangrenta e devastadora. A tão sonhada paz escoava pelo ralo 
das contradições de uma guerra sustentada pelas contradições 
impostas pelo capitalismo concorrencial. Por fim, o ano de 1939 seria 
o estopim de antigas disputas que não conseguiram ser superadas 
com o trágico saldo da Primeira Guerra.
Prof. Altair Aguilar

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
História Pensante
 
Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)
Valdemir França
 
1guera
1guera1guera
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
SENAI/SC
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Carlos Teles de Menezes Junior
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
antioxidante
 
1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)
Valéria Shoujofan
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
Ygor Henrique
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
paramore146
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Marcia Benaduce
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
profrogerio1
 
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Professora Natália de Oliveira
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Sylvio Bazote
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
7 de Setembro
 
Primeira guerra mundial pdf
Primeira guerra mundial pdfPrimeira guerra mundial pdf
Primeira guerra mundial pdf
Dante Napoli
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
Nelia Salles Nantes
 
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra MundialImperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
ProFessor - Governo do Estado do Rio Grande do Sul
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
José Gomes
 
Primeira guerra mundial.ppt
Primeira guerra mundial.pptPrimeira guerra mundial.ppt
Primeira guerra mundial.ppt
Dismael Sagás
 

Mais procurados (20)

Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
Resumo - Primeira Guerra Mundial (1914-1918) - História Pensante.
 
Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)Primeira guerra mundial (1914 1918)
Primeira guerra mundial (1914 1918)
 
1guera
1guera1guera
1guera
 
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
Primeira guerra mundial (1914 – 1918 )
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)1ª guerra mundial (1914 1918)
1ª guerra mundial (1914 1918)
 
1 guerra mundial
1 guerra mundial1 guerra mundial
1 guerra mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
1ª guerra mundial 1914 a 1918 pdf
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º anoAula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
Aula sobre 1ª Guerra Mundial - 9º ano
 
Primeira guerra mundial pdf
Primeira guerra mundial pdfPrimeira guerra mundial pdf
Primeira guerra mundial pdf
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra MundialImperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
Imperialismo Europeu e Primeira Guerra Mundial
 
A primeira guerra mundial
A primeira guerra mundialA primeira guerra mundial
A primeira guerra mundial
 
Primeira guerra mundial.ppt
Primeira guerra mundial.pptPrimeira guerra mundial.ppt
Primeira guerra mundial.ppt
 

Destaque

A primeira guerra mundial apresentação
A primeira guerra mundial   apresentaçãoA primeira guerra mundial   apresentação
A primeira guerra mundial apresentação
Nair Rodrigues Neves Boni
 
A senzala - Prof. Altair Aguilar
A  senzala - Prof. Altair AguilarA  senzala - Prof. Altair Aguilar
A senzala - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Bartolomé de Las Casas - Prof. Altair Aguilar
Bartolomé de Las Casas - Prof. Altair AguilarBartolomé de Las Casas - Prof. Altair Aguilar
Bartolomé de Las Casas - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
África Atlântica - Prof. Altair Aguilar
África Atlântica - Prof. Altair AguilarÁfrica Atlântica - Prof. Altair Aguilar
África Atlântica - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Primeiro Reinado - Prof. Altair Aguilar
Primeiro Reinado - Prof. Altair AguilarPrimeiro Reinado - Prof. Altair Aguilar
Primeiro Reinado - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
 Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
A vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair Aguilar
A vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair AguilarA vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair Aguilar
A vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Francisco Pizarro González - Prof. Altair Aguilar
Francisco Pizarro González - Prof. Altair AguilarFrancisco Pizarro González - Prof. Altair Aguilar
Francisco Pizarro González - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
A consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair Aguilar
A consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair AguilarA consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair Aguilar
A consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.
Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.
Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
Redemocratização do Brasil - Prof. Aguilar
Redemocratização do Brasil - Prof. AguilarRedemocratização do Brasil - Prof. Aguilar
Redemocratização do Brasil - Prof. Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolta dos Malês - Prof. Altair Aguilar
Revolta dos Malês - Prof. Altair AguilarRevolta dos Malês - Prof. Altair Aguilar
Revolta dos Malês - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair AguilarGuerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
PT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair Aguilar
PT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair AguilarPT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair Aguilar
PT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Atualidades - Ucrânia
Atualidades - Ucrânia Atualidades - Ucrânia
Atualidades - Ucrânia
Rafael Noronha
 
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair AguilarRenascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra Civil Vietnã - Prof. Altair Aguilar
Guerra Civil  Vietnã - Prof. Altair AguilarGuerra Civil  Vietnã - Prof. Altair Aguilar
Guerra Civil Vietnã - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Martim Afonso de Sousa - Prof.Altair Aguilar
Martim Afonso de Sousa - Prof.Altair AguilarMartim Afonso de Sousa - Prof.Altair Aguilar
Martim Afonso de Sousa - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Segunda Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar
Segunda Guerra Mundial - Prof. Altair AguilarSegunda Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar
Segunda Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Princesa Isabel - Prof. Altair Aguilar
Princesa Isabel - Prof. Altair AguilarPrincesa Isabel - Prof. Altair Aguilar
Princesa Isabel - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 

Destaque (20)

A primeira guerra mundial apresentação
A primeira guerra mundial   apresentaçãoA primeira guerra mundial   apresentação
A primeira guerra mundial apresentação
 
A senzala - Prof. Altair Aguilar
A  senzala - Prof. Altair AguilarA  senzala - Prof. Altair Aguilar
A senzala - Prof. Altair Aguilar
 
Bartolomé de Las Casas - Prof. Altair Aguilar
Bartolomé de Las Casas - Prof. Altair AguilarBartolomé de Las Casas - Prof. Altair Aguilar
Bartolomé de Las Casas - Prof. Altair Aguilar
 
África Atlântica - Prof. Altair Aguilar
África Atlântica - Prof. Altair AguilarÁfrica Atlântica - Prof. Altair Aguilar
África Atlântica - Prof. Altair Aguilar
 
Primeiro Reinado - Prof. Altair Aguilar
Primeiro Reinado - Prof. Altair AguilarPrimeiro Reinado - Prof. Altair Aguilar
Primeiro Reinado - Prof. Altair Aguilar
 
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
 Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
 
A vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair Aguilar
A vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair AguilarA vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair Aguilar
A vida sobre D.Pedro I - Prof.Altair Aguilar
 
Francisco Pizarro González - Prof. Altair Aguilar
Francisco Pizarro González - Prof. Altair AguilarFrancisco Pizarro González - Prof. Altair Aguilar
Francisco Pizarro González - Prof. Altair Aguilar
 
A consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair Aguilar
A consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair AguilarA consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair Aguilar
A consolidação do Comunismo Soviético - Prof.Altair Aguilar
 
Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.
Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.
Semana da Arte Moderna de 1922 - Prof. Altair Aguilar.
 
Redemocratização do Brasil - Prof. Aguilar
Redemocratização do Brasil - Prof. AguilarRedemocratização do Brasil - Prof. Aguilar
Redemocratização do Brasil - Prof. Aguilar
 
Revolta dos Malês - Prof. Altair Aguilar
Revolta dos Malês - Prof. Altair AguilarRevolta dos Malês - Prof. Altair Aguilar
Revolta dos Malês - Prof. Altair Aguilar
 
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair AguilarGuerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
Guerras das Trincheiras - Prof. Altair Aguilar
 
PT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair Aguilar
PT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair AguilarPT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair Aguilar
PT- Partido dos Trabalhadores - Prof.Altair Aguilar
 
Atualidades - Ucrânia
Atualidades - Ucrânia Atualidades - Ucrânia
Atualidades - Ucrânia
 
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair AguilarRenascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
Renascimento Cultural - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra Civil Vietnã - Prof. Altair Aguilar
Guerra Civil  Vietnã - Prof. Altair AguilarGuerra Civil  Vietnã - Prof. Altair Aguilar
Guerra Civil Vietnã - Prof. Altair Aguilar
 
Martim Afonso de Sousa - Prof.Altair Aguilar
Martim Afonso de Sousa - Prof.Altair AguilarMartim Afonso de Sousa - Prof.Altair Aguilar
Martim Afonso de Sousa - Prof.Altair Aguilar
 
Segunda Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar
Segunda Guerra Mundial - Prof. Altair AguilarSegunda Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar
Segunda Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar
 
Princesa Isabel - Prof. Altair Aguilar
Princesa Isabel - Prof. Altair AguilarPrincesa Isabel - Prof. Altair Aguilar
Princesa Isabel - Prof. Altair Aguilar
 

Semelhante a A Primeira Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar

Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Portal do Vestibulando
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
janahlira
 
Primeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aulaPrimeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aula
Isabela Marquetti
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
janahlira
 
I guerra mundial_8aserie
I guerra mundial_8aserieI guerra mundial_8aserie
I guerra mundial_8aserie
sesi8
 
I guerra mundial
I guerra mundialI guerra mundial
I guerra mundial
Bruno-machado Bruno
 
Dsdsdsdsds
DsdsdsdsdsDsdsdsdsds
Dsdsdsdsds
Gui Amaro
 
I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3
Colégio Polivalente
 
I_GUERRA_MUNDIAL.ppt
I_GUERRA_MUNDIAL.pptI_GUERRA_MUNDIAL.ppt
I_GUERRA_MUNDIAL.ppt
ocg50
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Kelly Delfino
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Joao Paulo
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
Joao Paulo
 
Esquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundial
Esquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundialEsquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundial
Esquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundial
FJDOliveira
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Leonardo de Oliveira
 
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Dora Alexandra Batista de Sousa Rocha
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
Janaína Tavares
 
1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf
1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf
1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf
ProfMarcosRocha
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
Rhuan Moriart
 
Primeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdfPrimeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdf
wladson2011
 

Semelhante a A Primeira Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar (20)

Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
Primeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aulaPrimeira guerra mundial.aula
Primeira guerra mundial.aula
 
Historiando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olharesHistoriando sob diversos olhares
Historiando sob diversos olhares
 
I guerra mundial_8aserie
I guerra mundial_8aserieI guerra mundial_8aserie
I guerra mundial_8aserie
 
I guerra mundial
I guerra mundialI guerra mundial
I guerra mundial
 
Dsdsdsdsds
DsdsdsdsdsDsdsdsdsds
Dsdsdsdsds
 
I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3I Guerra Mundial - slide 3
I Guerra Mundial - slide 3
 
I_GUERRA_MUNDIAL.ppt
I_GUERRA_MUNDIAL.pptI_GUERRA_MUNDIAL.ppt
I_GUERRA_MUNDIAL.ppt
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Primeira Guerra Mundial
Primeira Guerra MundialPrimeira Guerra Mundial
Primeira Guerra Mundial
 
Esquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundial
Esquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundialEsquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundial
Esquema de-estudo-da-1c2aa-guerra-mundial
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
Primeira guerra-mundial-100215093347-phpapp01
 
Primeira guerra mundial
Primeira guerra mundialPrimeira guerra mundial
Primeira guerra mundial
 
1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf
1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf
1º guerra mundial - prof marcos rocha.pdf
 
1ª guerra mundial
1ª guerra mundial1ª guerra mundial
1ª guerra mundial
 
Primeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdfPrimeira Guerra Mundial.pdf
Primeira Guerra Mundial.pdf
 

Mais de Altair Moisés Aguilar

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarGuerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 

Mais de Altair Moisés Aguilar (20)

Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair AguilarMartinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
Martinho Lutero - Prof. Altair Aguilar
 
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair AguilarOliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
Oliver Cromwell - Prof. Altair Aguilar
 
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair AguilarOs Puritanos - Prof. Altair Aguilar
Os Puritanos - Prof. Altair Aguilar
 
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair AguilarDinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
Dinastia Tudors - Prof. Altair Aguilar
 
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair AguilarCalvinismo - Prof. Altair Aguilar
Calvinismo - Prof. Altair Aguilar
 
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair AguilarA independência Americana - Prof. Altair Aguilar
A independência Americana - Prof. Altair Aguilar
 
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair AguilarGuerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
Guerra das duas Rosas - Prof. Altair Aguilar
 
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair AguilarRevolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Inglesa - Prof. Altair Aguilar
 
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair AguilarCausas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
Causas da Segunda Guerra - Prof.Altair Aguilar
 
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair AguilarEstados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
Estados Islâmicos Terroristas - Prof. Altair Aguilar
 
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair AguilarOs Incas - Prof.Altair Aguilar
Os Incas - Prof.Altair Aguilar
 
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução  Francesa - Prof. Altair AguilarRevolução  Francesa - Prof. Altair Aguilar
Revolução Francesa - Prof. Altair Aguilar
 
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair AguilarDiscurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
Discurso de Adolf Hitler - Prof. Altair Aguilar
 
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair AguilarCampos Nazista - Prof. Altair Aguilar
Campos Nazista - Prof. Altair Aguilar
 
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf  Hitler _ Prof.Altair AguilarAdolf  Hitler _ Prof.Altair Aguilar
Adolf Hitler _ Prof.Altair Aguilar
 
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia  - Prof. Altair AguilarGuerra de Tróia  - Prof. Altair Aguilar
Guerra de Tróia - Prof. Altair Aguilar
 
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair AguilarAlemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
Alemanha Muro de Berlim - Prof. Altair Aguilar
 
Futebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair AguilarFutebol - Prof. Altair Aguilar
Futebol - Prof. Altair Aguilar
 
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair AguilarBabilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
Babilônia a Grande Meretriz - Prof. Altair Aguilar
 
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair AguilarIslamismo - Prof. Altair Aguilar
Islamismo - Prof. Altair Aguilar
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
marcos oliveira
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docxPlanejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
Planejamento_Anual_Ensino_Fundamental_2020.docx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 

A Primeira Guerra Mundial - Prof. Altair Aguilar

  • 1. A Primeira guerra mundial 1914-1918
  • 2. Preludio da Guerra • Entre os anos de 1870 e 1914, o mundo vivia a euforia da chamada Belle Époque (Bela Época). Do ponto de vista da burguesia dos grandes países industrializados, o planeta experimentava um tempo de progresso econômico e tecnológico. Confiantes de que a civilização atingira o ápice de suas potencialidades, os países ricos viviam a simples expectativa de disseminar seus paradigmas às nações menos desenvolvidas. Entretanto, todo esse otimismo encobria um sério conjunto de tensões.
  • 3. • Com o passar do tempo, a relação entre os maiores países industrializados se transformou em uma relação marcada pelo signo da disputa e da tensão. Nações como Itália, Alemanha e Japão, promoveram a modernização de suas economias. Com isso, a concorrência pelos territórios imperialistas acabava se acirrando a cada dia. Orientados pela lógica do lucro capitalista, as potências industriais disputavam cada palmo das matérias-primas e dos mercados consumidores mundiais.
  • 4. • Um dos primeiros sinais dessa vindoura crise se deu por meio de uma intensa corrida armamentista. Preocupados em manter e conquistar territórios, os países europeus investiam em uma pesada tecnologia de guerra e empreendia meios para engrossar as fileiras de seus exércitos. Nesse último aspecto, vale lembrar que a ideologia nacionalista alimentava um sentimento utópico de superioridade que abalava o bom entendimento entre as nações.
  • 5. • Outra importante experiência ligada a esse clima de rivalidade pôde ser observada com o desenvolvimento da chamada “política de alianças”. Através da assinatura de acordos político-militares, os países europeus se dividiram nos futuros blocos políticos que conduziriam a Primeira Guerra Mundial. Por fim, o Velho Mundo estava dividido entre a Tríplice Aliança – formada por Alemanha, Império Austro-Húngaro e Itália – e a Tríplice Entente – composta por Rússia, França e Inglaterra
  • 6. O Estopim para a guerra • Mediante esse contexto, tínhamos formado o terrível “barril de pólvora” que explodiria com o início da guerra em 1914. Utilizando da disputa política pela região dos Bálcãs, a Europa detonou um conflito que inaugurava o temível poder de metralhadoras, submarinos, tanques, aviões e gases venenosos. Ao longo de quatro anos, a destruição e morte de milhares impuseram a revisão do antigo paradigma que lançava o mundo europeu como um modelo a ser seguido. • Em 28 de junho de 1914, Gavrilo Princip, um estudante sérvio-bósnio e membro da Jovem Bósnia, assassinou o herdeiro do trono austro-húngaro, o arquiduque Francisco Fernando da Áustria, em Sarajevo, na Bósnia.
  • 7. • A Sérvia sentia-se pelo menos parcialmente protegida pela sua aliança com o Império Russo, com o qual partilhava laços religiosos, dado os dois países serem maioritariamente ortodoxos. • Esta relação com a Rússia, levou a Austro-Hungria a contactar a Alemanha, para saber se poderia contar com o apoio do Império Alemão para dissuadir a Russia de intervir.
  • 8. • Pressionado por causa de um suposto ataque sérvio e convencido de que tinha o apoio do Kaiser alemão, o velho imperador Habsburgo, Franzis Josef I assina a declaração de guerra do império Austro-Hungaro à Sérvia em 28 de Julho de 1914. • É no entanto frisar que ainda que a guerra tivesse sido declarada, até ali tratava-se de um conflito regional, entre dois países da Europa central. • No entanto, e sem qualquer declaração de guerra adicional, a Rússia decretou de imediato a mobilização geral das suas tropas em preparação para um eventual conflito, dando a entender que apoiaria a Sérvia, seu tradicional aliado
  • 9. • De seguida, funcionou o acordo entre as potências da «Triple Entente» (Rússia, França e Grã Bretanha). Exactamente no dia em que a Alemanha declarava guerra à Rússia, a França decretava a mobilização geral e solicitava à Grã-bretanha que fizesse o mesmo. • Inicialmente os britânicos não aceitaram a sugestão e mostraram-se relutantes (ainda que a Royal Navy tivesse decretado mobilização parcial em 29 de Julho), mas a guerra tornava-se já inevitável. • A 2 de Agosto a Alemanha envia um ultimatum à Bélgica e exige direito de passagem para as suas forças através daquele país. A recusa belga leva à declaração de guerra. Em 3 de Agosto a Alemanha declara guerra à França e no dia seguinte a França declara guerra à Alemanha. • A Inglaterra envia um ultimatum à Alemanha exigindo que os alemães retiram da Bélgica. Perante a recusa, a 5 de Agosto é a vez da Grã Bretanha declarar guerra à Alemanha, enquanto que o pequeno Montenegro, aliado da Sérvia, declara guerra à Áustria.
  • 10. • Mais tarde os desenvolvimentos do conflito levariam a que em 30 de Outubro a Turquia entrasse na guerra ao lado da Alemanha. • Em 1915, a Itália entra no conflito ao lado dos aliados a 25 de Maio enquanto que a Bulgária entra na guerra ao lado da Turquia a 5 de Outubro. • Em 1916 a 9 de Março, a Alemanha e o Império Austro-Hungaro declaram guerra a Portugal e a Roménia entra na guerra ao lado dos aliados em 28 de Agosto. • À guerra na Europa escapam apenas a Noruega a Suécia, a Dinamarca, a Holanda, a Suiça, a Espanha e a Albânia.
  • 11. • Após invadir o território belga, o exército alemão logo encontrou resistência na fortificada cidade de Liège. Apesar do exército ter continuado a rápida marcha rumo à França, a invasão germânica tinha provocado a decisão britânica de intervir em ajuda a Tríplice Entente. Como signatário do Tratado de Londres, o Império Britânico estava comprometido a preservar a soberania belga. Para a Grã- Bretanha os portos de Antuérpia e Oostende eram importantes demais para cair nas mãos de uma potência continental hostil ao país.25 Para tanto, enviou um exército para a Bélgica, atrasando o avanço alemão.
  • 12. • Inicialmente os mesmos tiveram uma grande vitória na Batalha das Fronteiras (14 de agosto a 24 de agosto de 1914). A Rússia, porém, atacou a Prússia Oriental, o que obrigou o deslocamento das tropas alemãs que estavam planejadas para ir a Frente Ocidental. A Alemanha derrotou a Rússia em uma série de confrontos chamados da Segunda Batalha de Tannenberg (17 de agosto a 2 de setembro de 1914). O deslocamento imprevisto para combater os russos, porém, acabou permitindo uma contra-ofensiva em conjunto das forças francesas e inglesas, que conseguiram parar os alemães em seu caminho para Paris, na Primeira Batalha do Marne (Setembro de 1914), forçando o exército alemão a lutar em duas frentes. O mesmo se postou numa posição defensiva dentro da França e conseguiu incapacitar permanentemente 230.000 franceses e britânicos.
  • 13. • Os avanços na tecnologia militar significaram na prática um poder de fogo defensivo mais poderoso que as capacidades ofensivas, tornando a guerra extremamente mortífera. O arame farpado era um constante obstáculo para os avanços da infantaria; a artilharia, muito mais letal que no século XIX, armada com poderosas metralhadoras. Os alemães começaram a usar gás cloro em 1915, no que foi a primeira utilização de armas químicas26 , e logo depois ambos os lados usavam da mesma estratégia. Nenhum dos lados ganhou a guerra pelo uso de tal artifício, mas eles tornaram a vida nas trincheiras ainda mais miserável tornando-se um dos mais temidos e lembrados horrores de guerra. • Numa nota curiosa, temos que no início da guerra, chegando a primeira época natalícia, se encontram relatos de os soldados de ambos os lados cessarem as hostilidades e mesmo saírem das trincheiras e cumprimentarem-se (trégua de Natal). Isto ocorreu sem o consentimento do comando, no entanto, foi um evento único. Não se repetiu posteriormente por diversas razões: o número demasiado elevado de baixas aumentou os sentimentos de ódio dos soldados e o comando, dados os acontecimentos do primeiro ano, tentou usar esta altura para fazer propaganda, o que levou os soldados a desconfiar ainda mais uns dos outros. • A alimentação era sobretudo à base de carne, vegetais enlatados e biscoitos, sendo os alimentos frescos uma raridade.
  • 14. • A partir de 1917, a situação começou a alterar-se, quer com a entrada em cena de novos meios, como o carro de combate e a aviação militar, quer com a chegada ao teatro de operações europeu das forças estadunidenses ou a substituição de comandantes por outros com nova visão da guerra e das tácticas e estratégias mais adequadas; lançam-se, de um lado e de outro, grandes ofensivas, que causam profundas alterações no desenho da frente, acabando por colocar as tropas alemãs na defensiva e levando por fim à sua derrota. É verdade que a Alemanha adquire ainda algum fôlego quando a revolução estala no Império Russo e o governo bolchevista, chefiado por Lênin, prontamente assina a paz sem condições, (Tratado de Brest-Litovski) assim anulando a frente leste, mas essa circunstância não será suficiente para evitar a derrota. O armistício que pôs fim à guerra foi assinado a 11 de novembro de 1918.
  • 15. Consequências • Mesmo posando ao lado dos vencedores, a Itália saiu frustrada do conflito ao não receber os ganhos materiais que esperava. Na Alemanha, onde as mais pesadas sanções do Tratado de Versalhes foram instituídas, a economia viveu em franca decadência e os índices inflacionários alcançaram valores exorbitantes. Esse contexto de declínio e degradação acabou criando chances para que Itália e Alemanha fossem dominadas por regimes marcados pelo nacionalismo extremo e a franca expansão militar.
  • 16. • A Sociedade das Nações, órgão internacional incumbido de manter a paz, não conseguiu cumprir seu papel. O Japão impôs um projeto expansionista que culminou com a ocupação da Manchúria. Os alemães passaram a descumprir paulatinamente as exigências impostas pelos Tratados de Versalhes e realizaram a ocupação da região da Renânia. Enquanto isso, os italianos aproveitaram da nova situação para realizar a invasão à Etiópia.
  • 17. • O equilíbrio almejado pelos países também foi impedido pela crise econômica que devastou o sistema capitalista no ano de 1929. Sem condições de impor seus interesses contra os alemães e italianos, as grandes nações europeias passaram a ceder espaço aos interesses dos governos totalitários. Aproveitando dessa situação, os regimes de Hitler e Mussolini incentivaram a expansão de uma indústria bélica que utilizou a Guerra Civil Espanhola como “palco de ensaios” para um novo conflito mundial.
  • 18. • Fortalecidas nessa nova conjuntura política, Itália, Alemanha e Japão começaram a engendrar os primeiros passos de uma guerra ainda mais sangrenta e devastadora. A tão sonhada paz escoava pelo ralo das contradições de uma guerra sustentada pelas contradições impostas pelo capitalismo concorrencial. Por fim, o ano de 1939 seria o estopim de antigas disputas que não conseguiram ser superadas com o trágico saldo da Primeira Guerra.