SlideShare uma empresa Scribd logo
ARTE
A arte na nossa vida...
Você pode pensar que não conhece arte, que não convive com
objetos artísticos, mas estamos todos muito próximos da arte. Nossa
vida está cercada dela por todos os lados.
Processo de produção...
Planejamento visual...
Imaginação...
Forma...
Cor...
Volume...
Esse esforço para produzir objetos bonitos, agradáveis ao
olhar, atraentes e harmoniosos, está em todas as culturas,
em todas as civilizações, e em nosso dia-a-dia.
ARTE APLICADA
Arte aplicada ou utilitáriaé o termo usado para
determinar um tipo de arte que seja útil. O
contrário do conceito de "arte pela arte", ou
seja, não apenas uma forma de expressão
artística, conceito essencial às artes atualmente.
Arte aplicada também costuma ser considerado
um termo antiquado para definir as atividades e
profissões ligadas ao design.
Andando pelas ruas da cidade...
Essas formas, tem a função de encantar, de provocar a reflexão e a
admiração, de proporcionar prazer e emoção.
O objeto artístico estimula o pensamento, a sensibilidade e o prazer
estético.
Nem sempre a experiência é
ligada unicamente ao prazer...
Há artistas que procuram provocar
o público...
O que nos atrai é a sensibilidade
do artista, sua imaginação, seu
intelecto, sua percepção especial
da vida, mesmo quando apresenta
aspectos negativos.
Edvard Munch, 1893
Expressionismo
Óleo sobre tela
National Museum of Art
Movimento Dadaísta
Marcel Duchamp
Fonte 1917
ready-made
Roda de bicicleta 1913
• Observe e analise as
imagens de acordo com
os questionamentos:
• Quais dessas imagens
você consideraria como
sendo obra de arte?
• Quais são as
características das
imagens que levam você a
considerar isso?
• Elas são parecidas entre
si e são da mesma época?
Pietá.
Michelangelo. Igreja de São
Pedro,
Vaticano, Itália. C. de 1500
Cadeira Kasese.
Hella Jongerius. 2000.
Poster de Star Wars – Episode III.
LucasFilm. 2005.
Mont Ste. Vitoire.
Paul Cézanne. França. 1885 - 1887.
Castelo na Escócia (Gêmeos)
Cocar indígena – Arte Plumária
Arte é conhecimento. A arte é uma das primeiras manifestações da
humanidade como forma do ser humano marcar sua presença criando
objetos e formas (pintura nas cavernas, templos religiosos, roupas, quadros,
filmes etc.) que representam sua vivência no mundo, comunicando e
expressando suas ideias, sentimentos e sensações para os outros.
1. O Artista cria
transmitindo e expressando
ideias e sentimentos...
2. Na forma de um Objeto Artístico
– a obra de arte que...
3. O Observador vê, analisa,
compreende e aprecia.
Artista Philippe Farraut esculpindo em pedra.
Dentre os possíveis e variados significados que a arte
pode ter podemos resumi-los do seguinte modo:
“... A arte é uma experiência humana de
conhecimento estético que transmite e expressa ideias
e emoções na forma de um objeto artístico (desenho,
pintura, escultura, arquitetura, teatro etc.) e que possui
em si o seu próprio valor.”
Portanto, para apreciarmos a arte é necessário aprender
sobre ela. Aprender a observar, a analisar, a refletir, a
criticar e a emitir opiniões fundamentadas sobre gostos,
estilos, materiais e modos diferentes de fazer arte.
-Pragmática ou utilitária;
-Naturalista;
-Formalista.
FUNÇÃO PRAGMÁTICA OU UTILITÁRIA
A arte serve como meio para se alcançar um fim não-artístico,
não sendo valorizada por si mesma, mas pela sua finalidade.
Segundo este ponto de vista a arte pode estar a serviço para
finalidades pedagógicas, religiosas, políticas.
Não interessa aqui se a obra tem ou não qualidade estética, mas
se a obra cumpre seu papel social de atingir a finalidade a que ela
se prestou.
Arte bizantina, séc XII
Busto de Homero, período helenístico, 320 a.C.
Vaso grego, 400 a.C.
FUNÇÃO NATURALISTA
O que interessa é a representação da realidade ou da imaginação o mais
natural possível para que o conteúdo possa ser identificado e compreendido pelo
observador. A obra de arte naturalista mostra uma realidade que está fora dela,
retratando objetos, pessoas ou lugares. Para a função naturalista o que importa é a
correta representação (perfeição da técnica) para que possamos reconhecer a
imagem retratada; a qualidade de representar o assunto por inteiro; e o poder de
transmitir de maneira convincente o assunto para o observador
FUNÇÃO FORMALISTA
Atribui maior qualidade na forma de apresentação da obra
preocupando-se com seus significados e motivos estéticos.
A função formalista trabalha com os princípios que determinam a
organização da imagem – os elementos e a composição da imagem.
Com o formalismo nas obras, o estudo e entendimento da arte
passaram a ter um caráter menos ligado às duas funções anteriores
importando-se mais em transmitir e expressar ideias e emoções
através de objetos artísticos.
René Magritte,
Isto não é um cachimbo,
1928 -1929.
Surrealismo
Piet Mondrian,
Composition II in Red, Blue, and Yellow,
1930.
Abstracionismo
ARTE COMO
PRODUTO
DO HOMEM
FUNÇÃO
SOCIAL
Ultrapassa a função da
comunicação simples e
pura, pois transmite
ideias, sentimentos e
informações já
existentes,
influenciando modos e
atitudes, num
movimento dinâmico de
interação entre o
homem e a sociedade.
CANDIDO PORTINARI, Criança Morta, 1944. Óleo s/ tela, 176 x 190 cm.
Museu de Arte de São Paulo - Assis Chateaubriand.
CANDIDO PORTINARI,
Retirantes, 1944.
Óleo s/ tela, 180x 190 cm.
Museu de Arte de São
Paulo - Assis
Chateaubriand.
Fuzilamento de três de Maio de 1808
Estilo
Romântico
1814
Óleo sobre tela
268 × 347 cm
Museu do Prado
Madrid - Espanha
Francisco de Goya
"Não, a pintura não está feita para decorar casas.
Ela é uma arma de ataque e defesa contra o inimigo."
— Pablo Picasso, sobre Guernica-1937
GUERNICA
óleo sobre tela, 349,3x776,6 cm.
Encontra-se exposto no Centro de Arte
Moderna Reina Sofia, em Madrid. Estilo cubista
Entre 1893 e 1910, o pintor
norueguês expressionista Edvard Munch
(1863-1944) elaborou quatro versões de
"O grito", que se tornou, com o passar
do tempo, um símbolo da angústia universal.
A pintura foi leiloada em maio (2012) por
valor recorde de US$ 119,9 milhões.
Estilo expressionista.
(testemunha os horrores da guerra)
O grito - 1893 e 1910
“Meu trabalho é um grito contra a
barbárie”.
Frans Krajcberg
Nasceu na Polônia em 1921.
Naturalizou-se brasileiro.
Preocupação com a natureza.
FUNÇÃO SOCIAL
Preocupação
com o
meio ambiente.
Linguagens artísticas:
proporcionam prazer estético
PINTURA
DESENHO
MÚSICA
TEATRO
DANÇA
ESCULTURA
FOTOGRAFIA
CINEMA
LINGUAGEM VISUAL
Mensagem visual clara e cativante para seus
receptores.
Se bem empregada, a linguagem visual pode
gerar a sedução e, principalmente, o convencimento
para o consumo.
ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL
- ponto
- linha
- superfície
- volume
- luz
- cor
O Ponto
Pontilhismo, G. Seurat, O Rio Sena, 1888
Georges Seurat - Uma Tarde de Domingo na Ilha de Grande
Jatte – 1884 (pontilhismo ou divisionismo)
Ricardo franco
Arte eletrônica
A linha
Paul Klee
Utilizar diversos tipos de linhas na execução de:
a) Composição figurativa;
b)Composição abstrata;
A Forma
Andres Amador – 2012, EUA
Toda forma tem contorno e superfície, e é
elaborada sobre algum tipo de suporte.
TAMANHO e PROPORÇÃO
FIGURATIVO X ABSTRATO
FORMAS
LIVRES
Wassily Kadinsky; Composition VII 1913
Oil on canvas, 200 x 300 cm; Tretyakov Gallery, Moscow
A dama com o arminho (retrato de Cecilia
Gallerani), 1490.
Leonardo da Vinci.
Figura realista.
Mulher jovem, 1909.
Pablo Picasso.
Figura estilizada.
FORMAS GEOMÉTRICAS
Kazimir Malevich, (1878- 1935)
Vanguarda Russa
Suprematismo- 1915
FORMAS GEOMÉTRICAS COMPOSTAS: muito utilizadas na arte do
designer, na criação de logotipos e marcas.
Juan Gris (1887-1927)
Pintor do cubismo espanhol
Bananas, 1926
Óleo sobre tela
Arlequim co violão, 1919
Óleo sobre tela 116x89 cm
Galerie Louis Leiris. Paris
COMPOSIÇÃO
RITMO
RITMO – define o movimento
em uma composição
SIMETRIA
O Plano
Julian Beever
2010
ANAMORFOSE
http://users.skynet.be/J.Beever/
A Contorcionista,
escultura em
bronze, de
Alfredo
Ceschiatti,
246 cm X 180 cm,
no foyer da Sala
Villa-Lobos, no
Teatro Nacional.
A Textura
Noite estrelada, Vincent van Gogh, 1889, óleo sobre tela, 73,7 cm × 92,1 cm,
Museu de Arte Moderna, Nova York.
Auto-retrato, Vincent van Gogh, 1889
COR
(...)Para este fim, tendo escurecido meu quarto e feito um pequeno
buraco na minha janela para deixar passar uma quantidade
conveniente de luz do Sol, coloquei o meu prisma em uma entrada
para que ela [a luz] pudesse ser assim refratada para a parede
oposta. Isso era inicialmente um divertimento muito prazeroso: ver
todas as cores vividas e intensamente assim produzidas, mas depois
de um tempo dedicando-me a considerá-las mais seriamente, fiquei
surpreso por vê-las...“ ISAAC NEWTON
"Para cumprir minha promessa anterior,
devo sem mais cerimônias adicionais
informar-lhe que no começo do ano de
1666 (época que me dedicava a polir
vidros óptico de formas diferente da
esférica), obtive um prisma de vidro
retangular para tentar observar com ele
o celebre fenômeno das cores.
O Contraste
O contraste torna
visível o mundo.
Distinguir
diferenças
visuais, por mais
sutis que sejam,
é o que torna
possível nossa
interação visual
com o mundo.
LUZ E SOMBRA
Rembrandt Harmenszoon van Rijn
(1606-1669),mestre do barroco holandês.
Filósofo meditando (1632)
Lição de Anatomia do Dr. Tulp (1632)
óleo sobre tela, 216 × 170 cm, museu
Mauritshuis, Haia - Holanda
CARAVAGGIO - São Jerônimo , 1605-1606, Galleria Borghese,
Roma, mestre do barroco italino.
CONTRASTE:positivo e negativo
Atividade:
1. preencher os valores tonais na tabela de luz;
2. preencher a imagem conforme o modelo.
Luz 100% Sombra 100%

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Ana Barreiros
 
Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
gєαทє ℓiмα
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
dpport
 
A arte da performance
A arte da performanceA arte da performance
A arte da performance
Thiago Assumpção
 
Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
Mary Lopes
 
Fundamentos da arte
Fundamentos da arteFundamentos da arte
Fundamentos da arte
Luciana Estivalet
 
Body art/slide
Body art/slideBody art/slide
Body art/slide
Gesse André
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
Turmasthera
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Stefânia Balestero
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
Eponina Alencar
 
Avaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafiteAvaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafite
Casiris Crescencio
 
Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.
Renata_Vasconcelos
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
Lismara de Oliveira
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
Jaiza Nobre
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
Rafael Lucas da Silva
 
Op art
Op artOp art
Op art
sheilabeca
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
Cristiano Acosta
 
Op Art
Op ArtOp Art
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
ArtesElisa
 

Mais procurados (20)

O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Arte e corpo
Arte e corpoArte e corpo
Arte e corpo
 
As linguagens da arte
As linguagens da arteAs linguagens da arte
As linguagens da arte
 
A arte da performance
A arte da performanceA arte da performance
A arte da performance
 
Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019Arte abstrata 2019
Arte abstrata 2019
 
O que é arte?!
O que é arte?!O que é arte?!
O que é arte?!
 
Fundamentos da arte
Fundamentos da arteFundamentos da arte
Fundamentos da arte
 
Body art/slide
Body art/slideBody art/slide
Body art/slide
 
Arte urbana
Arte urbana Arte urbana
Arte urbana
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Arte ensino médio slide 1
Arte ensino médio  slide 1Arte ensino médio  slide 1
Arte ensino médio slide 1
 
Avaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafiteAvaliação 9 ano grafite
Avaliação 9 ano grafite
 
Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.Elementos da linguagem visual.
Elementos da linguagem visual.
 
A figura humana na arte
A figura humana na arteA figura humana na arte
A figura humana na arte
 
História da Arte
História da ArteHistória da Arte
História da Arte
 
O que é arte?
O que é arte?O que é arte?
O que é arte?
 
Op art
Op artOp art
Op art
 
Arte conceitual
Arte conceitualArte conceitual
Arte conceitual
 
Op Art
Op ArtOp Art
Op Art
 
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-Ensino médio  texto- análise de uma obra de arte-
Ensino médio texto- análise de uma obra de arte-
 

Semelhante a Funções da arte

O que é a arte (1)
O que é a arte (1)O que é a arte (1)
O que é a arte (1)
Vasco L
 
Linguagem pictorica
Linguagem pictoricaLinguagem pictorica
Linguagem pictorica
Eduardo Becker Jr.
 
Fundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem VisualFundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem Visual
Eduardo Becker Jr.
 
Fundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem VisualFundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem Visual
Eduardo Becker Jr.
 
Arte e Design
Arte e DesignArte e Design
Arte
ArteArte
Arte
HCA_10I
 
A arte no dia a dia
A arte no dia a diaA arte no dia a dia
A arte no dia a dia
Augusto Pinto
 
Educação visual e tecnológica a arte
Educação visual e tecnológica   a arteEducação visual e tecnológica   a arte
Educação visual e tecnológica a arte
p337
 
Introdução à arte
Introdução à arteIntrodução à arte
Introdução à arte
Ellen_A
 
Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuaisApostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais
Raiane Nunes
 
Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)
Lucimar Avelino
 
Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais
Alexandre Marques
 
Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuaisApostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais
MariGiopato
 
Carmem
CarmemCarmem
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
Eponina Alencar
 
Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)
Fábia Michelle Pereira
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
Jomara Lopes
 
A arte na história
A arte na históriaA arte na história
A arte na história
Artedoiscmb Cmb
 
Pós Modernismo
Pós ModernismoPós Modernismo
Pós Modernismo
Bruno Conti
 
Os finais do século xix
Os finais do século xixOs finais do século xix
Os finais do século xix
Carla Teixeira
 

Semelhante a Funções da arte (20)

O que é a arte (1)
O que é a arte (1)O que é a arte (1)
O que é a arte (1)
 
Linguagem pictorica
Linguagem pictoricaLinguagem pictorica
Linguagem pictorica
 
Fundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem VisualFundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem Visual
 
Fundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem VisualFundamentos da Linguagem Visual
Fundamentos da Linguagem Visual
 
Arte e Design
Arte e DesignArte e Design
Arte e Design
 
Arte
ArteArte
Arte
 
A arte no dia a dia
A arte no dia a diaA arte no dia a dia
A arte no dia a dia
 
Educação visual e tecnológica a arte
Educação visual e tecnológica   a arteEducação visual e tecnológica   a arte
Educação visual e tecnológica a arte
 
Introdução à arte
Introdução à arteIntrodução à arte
Introdução à arte
 
Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuaisApostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais
 
Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)
 
Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais
 
Apostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuaisApostila de-artes-visuais
Apostila de-artes-visuais
 
Carmem
CarmemCarmem
Carmem
 
Arte 1 médio slide
Arte 1 médio slideArte 1 médio slide
Arte 1 médio slide
 
Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)Apostila de-artes-visuais (1)
Apostila de-artes-visuais (1)
 
Abstracionismo
AbstracionismoAbstracionismo
Abstracionismo
 
A arte na história
A arte na históriaA arte na história
A arte na história
 
Pós Modernismo
Pós ModernismoPós Modernismo
Pós Modernismo
 
Os finais do século xix
Os finais do século xixOs finais do século xix
Os finais do século xix
 

Mais de JulianoFonseca17

Arte 3 série_slide aula 02
Arte 3 série_slide aula 02Arte 3 série_slide aula 02
Arte 3 série_slide aula 02
JulianoFonseca17
 
Arte 3 série_slide aula 14
Arte 3 série_slide aula 14Arte 3 série_slide aula 14
Arte 3 série_slide aula 14
JulianoFonseca17
 
Arte livro
Arte livroArte livro
Arte livro
JulianoFonseca17
 
1 introducao a arte i
1   introducao a arte i1   introducao a arte i
1 introducao a arte i
JulianoFonseca17
 
³Livro respeitar
³Livro respeitar³Livro respeitar
³Livro respeitar
JulianoFonseca17
 
Habilidades arte ef.1
 Habilidades arte   ef.1 Habilidades arte   ef.1
Habilidades arte ef.1
JulianoFonseca17
 

Mais de JulianoFonseca17 (6)

Arte 3 série_slide aula 02
Arte 3 série_slide aula 02Arte 3 série_slide aula 02
Arte 3 série_slide aula 02
 
Arte 3 série_slide aula 14
Arte 3 série_slide aula 14Arte 3 série_slide aula 14
Arte 3 série_slide aula 14
 
Arte livro
Arte livroArte livro
Arte livro
 
1 introducao a arte i
1   introducao a arte i1   introducao a arte i
1 introducao a arte i
 
³Livro respeitar
³Livro respeitar³Livro respeitar
³Livro respeitar
 
Habilidades arte ef.1
 Habilidades arte   ef.1 Habilidades arte   ef.1
Habilidades arte ef.1
 

Último

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
JoeteCarvalho
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 

Último (20)

PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
slides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentarslides de Didática 2.pdf para apresentar
slides de Didática 2.pdf para apresentar
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 

Funções da arte

  • 2. A arte na nossa vida... Você pode pensar que não conhece arte, que não convive com objetos artísticos, mas estamos todos muito próximos da arte. Nossa vida está cercada dela por todos os lados. Processo de produção... Planejamento visual... Imaginação... Forma... Cor... Volume...
  • 3. Esse esforço para produzir objetos bonitos, agradáveis ao olhar, atraentes e harmoniosos, está em todas as culturas, em todas as civilizações, e em nosso dia-a-dia. ARTE APLICADA
  • 4. Arte aplicada ou utilitáriaé o termo usado para determinar um tipo de arte que seja útil. O contrário do conceito de "arte pela arte", ou seja, não apenas uma forma de expressão artística, conceito essencial às artes atualmente. Arte aplicada também costuma ser considerado um termo antiquado para definir as atividades e profissões ligadas ao design.
  • 5. Andando pelas ruas da cidade... Essas formas, tem a função de encantar, de provocar a reflexão e a admiração, de proporcionar prazer e emoção. O objeto artístico estimula o pensamento, a sensibilidade e o prazer estético.
  • 6. Nem sempre a experiência é ligada unicamente ao prazer... Há artistas que procuram provocar o público... O que nos atrai é a sensibilidade do artista, sua imaginação, seu intelecto, sua percepção especial da vida, mesmo quando apresenta aspectos negativos. Edvard Munch, 1893 Expressionismo Óleo sobre tela National Museum of Art
  • 7. Movimento Dadaísta Marcel Duchamp Fonte 1917 ready-made Roda de bicicleta 1913
  • 8. • Observe e analise as imagens de acordo com os questionamentos: • Quais dessas imagens você consideraria como sendo obra de arte? • Quais são as características das imagens que levam você a considerar isso? • Elas são parecidas entre si e são da mesma época? Pietá. Michelangelo. Igreja de São Pedro, Vaticano, Itália. C. de 1500
  • 9. Cadeira Kasese. Hella Jongerius. 2000. Poster de Star Wars – Episode III. LucasFilm. 2005. Mont Ste. Vitoire. Paul Cézanne. França. 1885 - 1887.
  • 10. Castelo na Escócia (Gêmeos) Cocar indígena – Arte Plumária
  • 11. Arte é conhecimento. A arte é uma das primeiras manifestações da humanidade como forma do ser humano marcar sua presença criando objetos e formas (pintura nas cavernas, templos religiosos, roupas, quadros, filmes etc.) que representam sua vivência no mundo, comunicando e expressando suas ideias, sentimentos e sensações para os outros. 1. O Artista cria transmitindo e expressando ideias e sentimentos... 2. Na forma de um Objeto Artístico – a obra de arte que... 3. O Observador vê, analisa, compreende e aprecia. Artista Philippe Farraut esculpindo em pedra.
  • 12. Dentre os possíveis e variados significados que a arte pode ter podemos resumi-los do seguinte modo: “... A arte é uma experiência humana de conhecimento estético que transmite e expressa ideias e emoções na forma de um objeto artístico (desenho, pintura, escultura, arquitetura, teatro etc.) e que possui em si o seu próprio valor.” Portanto, para apreciarmos a arte é necessário aprender sobre ela. Aprender a observar, a analisar, a refletir, a criticar e a emitir opiniões fundamentadas sobre gostos, estilos, materiais e modos diferentes de fazer arte.
  • 13. -Pragmática ou utilitária; -Naturalista; -Formalista. FUNÇÃO PRAGMÁTICA OU UTILITÁRIA A arte serve como meio para se alcançar um fim não-artístico, não sendo valorizada por si mesma, mas pela sua finalidade. Segundo este ponto de vista a arte pode estar a serviço para finalidades pedagógicas, religiosas, políticas. Não interessa aqui se a obra tem ou não qualidade estética, mas se a obra cumpre seu papel social de atingir a finalidade a que ela se prestou.
  • 14. Arte bizantina, séc XII Busto de Homero, período helenístico, 320 a.C. Vaso grego, 400 a.C.
  • 15. FUNÇÃO NATURALISTA O que interessa é a representação da realidade ou da imaginação o mais natural possível para que o conteúdo possa ser identificado e compreendido pelo observador. A obra de arte naturalista mostra uma realidade que está fora dela, retratando objetos, pessoas ou lugares. Para a função naturalista o que importa é a correta representação (perfeição da técnica) para que possamos reconhecer a imagem retratada; a qualidade de representar o assunto por inteiro; e o poder de transmitir de maneira convincente o assunto para o observador
  • 16. FUNÇÃO FORMALISTA Atribui maior qualidade na forma de apresentação da obra preocupando-se com seus significados e motivos estéticos. A função formalista trabalha com os princípios que determinam a organização da imagem – os elementos e a composição da imagem. Com o formalismo nas obras, o estudo e entendimento da arte passaram a ter um caráter menos ligado às duas funções anteriores importando-se mais em transmitir e expressar ideias e emoções através de objetos artísticos.
  • 17. René Magritte, Isto não é um cachimbo, 1928 -1929. Surrealismo Piet Mondrian, Composition II in Red, Blue, and Yellow, 1930. Abstracionismo
  • 18. ARTE COMO PRODUTO DO HOMEM FUNÇÃO SOCIAL Ultrapassa a função da comunicação simples e pura, pois transmite ideias, sentimentos e informações já existentes, influenciando modos e atitudes, num movimento dinâmico de interação entre o homem e a sociedade. CANDIDO PORTINARI, Criança Morta, 1944. Óleo s/ tela, 176 x 190 cm. Museu de Arte de São Paulo - Assis Chateaubriand.
  • 19. CANDIDO PORTINARI, Retirantes, 1944. Óleo s/ tela, 180x 190 cm. Museu de Arte de São Paulo - Assis Chateaubriand.
  • 20. Fuzilamento de três de Maio de 1808 Estilo Romântico 1814 Óleo sobre tela 268 × 347 cm Museu do Prado Madrid - Espanha Francisco de Goya
  • 21. "Não, a pintura não está feita para decorar casas. Ela é uma arma de ataque e defesa contra o inimigo." — Pablo Picasso, sobre Guernica-1937 GUERNICA óleo sobre tela, 349,3x776,6 cm. Encontra-se exposto no Centro de Arte Moderna Reina Sofia, em Madrid. Estilo cubista
  • 22. Entre 1893 e 1910, o pintor norueguês expressionista Edvard Munch (1863-1944) elaborou quatro versões de "O grito", que se tornou, com o passar do tempo, um símbolo da angústia universal. A pintura foi leiloada em maio (2012) por valor recorde de US$ 119,9 milhões. Estilo expressionista. (testemunha os horrores da guerra) O grito - 1893 e 1910
  • 23. “Meu trabalho é um grito contra a barbárie”. Frans Krajcberg Nasceu na Polônia em 1921. Naturalizou-se brasileiro. Preocupação com a natureza. FUNÇÃO SOCIAL Preocupação com o meio ambiente.
  • 31. LINGUAGEM VISUAL Mensagem visual clara e cativante para seus receptores. Se bem empregada, a linguagem visual pode gerar a sedução e, principalmente, o convencimento para o consumo.
  • 32. ELEMENTOS DA LINGUAGEM VISUAL - ponto - linha - superfície - volume - luz - cor
  • 34. Pontilhismo, G. Seurat, O Rio Sena, 1888
  • 35. Georges Seurat - Uma Tarde de Domingo na Ilha de Grande Jatte – 1884 (pontilhismo ou divisionismo)
  • 38.
  • 40.
  • 41. Utilizar diversos tipos de linhas na execução de: a) Composição figurativa; b)Composição abstrata;
  • 42. A Forma Andres Amador – 2012, EUA
  • 43. Toda forma tem contorno e superfície, e é elaborada sobre algum tipo de suporte. TAMANHO e PROPORÇÃO
  • 45. FORMAS LIVRES Wassily Kadinsky; Composition VII 1913 Oil on canvas, 200 x 300 cm; Tretyakov Gallery, Moscow
  • 46. A dama com o arminho (retrato de Cecilia Gallerani), 1490. Leonardo da Vinci. Figura realista. Mulher jovem, 1909. Pablo Picasso. Figura estilizada.
  • 47. FORMAS GEOMÉTRICAS Kazimir Malevich, (1878- 1935) Vanguarda Russa Suprematismo- 1915
  • 48. FORMAS GEOMÉTRICAS COMPOSTAS: muito utilizadas na arte do designer, na criação de logotipos e marcas. Juan Gris (1887-1927) Pintor do cubismo espanhol Bananas, 1926 Óleo sobre tela Arlequim co violão, 1919 Óleo sobre tela 116x89 cm Galerie Louis Leiris. Paris
  • 50. RITMO
  • 51. RITMO – define o movimento em uma composição
  • 55. A Contorcionista, escultura em bronze, de Alfredo Ceschiatti, 246 cm X 180 cm, no foyer da Sala Villa-Lobos, no Teatro Nacional.
  • 57.
  • 58.
  • 59. Noite estrelada, Vincent van Gogh, 1889, óleo sobre tela, 73,7 cm × 92,1 cm, Museu de Arte Moderna, Nova York.
  • 61. COR
  • 62.
  • 63. (...)Para este fim, tendo escurecido meu quarto e feito um pequeno buraco na minha janela para deixar passar uma quantidade conveniente de luz do Sol, coloquei o meu prisma em uma entrada para que ela [a luz] pudesse ser assim refratada para a parede oposta. Isso era inicialmente um divertimento muito prazeroso: ver todas as cores vividas e intensamente assim produzidas, mas depois de um tempo dedicando-me a considerá-las mais seriamente, fiquei surpreso por vê-las...“ ISAAC NEWTON "Para cumprir minha promessa anterior, devo sem mais cerimônias adicionais informar-lhe que no começo do ano de 1666 (época que me dedicava a polir vidros óptico de formas diferente da esférica), obtive um prisma de vidro retangular para tentar observar com ele o celebre fenômeno das cores.
  • 64.
  • 65.
  • 66. O Contraste O contraste torna visível o mundo. Distinguir diferenças visuais, por mais sutis que sejam, é o que torna possível nossa interação visual com o mundo.
  • 67. LUZ E SOMBRA Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606-1669),mestre do barroco holandês. Filósofo meditando (1632) Lição de Anatomia do Dr. Tulp (1632) óleo sobre tela, 216 × 170 cm, museu Mauritshuis, Haia - Holanda
  • 68. CARAVAGGIO - São Jerônimo , 1605-1606, Galleria Borghese, Roma, mestre do barroco italino.
  • 70.
  • 71. Atividade: 1. preencher os valores tonais na tabela de luz; 2. preencher a imagem conforme o modelo. Luz 100% Sombra 100%