SlideShare uma empresa Scribd logo
Filosofia
Política
“A vila”
Qual a melhor filosofia política para
essa nossa vila?
FILOSOFIA POLÍTICAFILOSOFIA POLÍTICA
“É a reflexão crítica e sistemática
sobre o conhecimento político,
sobre as essências, os fins e os
valores da política.”
Nelson de Souza Sampaio
“Consiste no intento de adquirir
conhecimentos certos sobre a essência
do político e sobre a boa ordem política
ou ordem política justa.”
Leo Strauss
Política e Poder
 Política vem do grego ''polis''
cidade-estado, e o campo de
atividade humana que se
refere à cidade e o estado de
interesse público.
 Política é a arte de governar
 “ Política é uma continuação da
Ética, só pode ser aplicada à
vida pública” Aristóteles
Tipologia do Poder
Bertrand Russel diz: “Poder é a
posse dos meios que levam à
produção de efeitos desejados”
– As formas de poder são:
Econômico
Ideológico
Político
O estado
A instituição poderosa da sociedade
“ O estado é a instituição Política
que, dirigida por um governo
soberano, detém o monopólio do
uso da força física, em
determinado território,
subordinando a sociedade que
nele vive.”
Max Weber
Como surgiu o estado?
Nem sempre Existiu o estado.
Como surgiu?
Função do Estado.
O que deve ser o Estado?
Resposta Liberal:
A finalidade do estado é...
Agir como mediador dos conflitos
Promover reconciliação e alcança
harmonia entre os grupos rivais.
P. 294
Função do Estado.
Resposta marxista:
“É a instituição que inteire nessa
luta de modo parcial, quase
sempre tomando partido das
classes sociais dominantes”.
A função é “ Garante o domínio de
classe.
P. 295
Fundamentação do poder político.
Explicação
filosófica para a
organização
social e política.
Platão ( 428-347 a.C.)
O rei-filósofo conhece a justiça.
 O Homem possui 3 almas, ou 3
princípios:
– 1- A alma desejante (satisfação dos
instintos)
– 2 A alma irascível ( princípio de defesa)
– 3-A alma racional ( que busca o
conhecimento)
– Através da Educação o individuo deve equilibrar
essas 3 partes.
Porém a alma racional deve preponderar.
Platão ( 428-347 a.C.)
O rei-filósofo conhece a justiça.
 Platão leva esses conceitos à cidade.
Observa-se:
 1- a classe que o material da riqueza ( alma
desejante)
 2 a classe que garante a defesa da cidade
( alma irascível)
 3- a classe que governa a cidade ( alma
racional)
 -A justiça na cidade depende do equilíbrio
desses 3 elementos
Aristóteles (384-322 a.c)
O homem como animal político
 “O homem como ser social, não
sobrevive isolado”.
 A busca por um bem determinado,
correspondente aos anseios dos
homens deve guiar  e organizar uma
sociedade.
 “A polis grega” é o modelo de
Aristóteles.
 Para Aristóteles, “os homens não são
naturalmente iguais. Uns nascem para
escravidão e outros para o domínio”.
A teoria do direito divino de
governar
Sofre Influências de Platão e
Aristóteles.
As Idéias de que o objetivo da
política visa o bem comum, que
pra Platão era a justiça,e para
Aristóteles era a vida boa e feliz,
traçaram os rumos da política
atual.
Aristóteles (384-322 a.c)
O homem como animal político
Na Idade média, com o
desenvolvimento do
cristianismo, a igreja se
consolidou como um poder
extra político, sustentavam a
idéias de que os governantes
eram representantes de Deus
na terra.
Aristóteles (384-322 a.c)
O homem como animal político
Maquiavel (1469-1527)
O realismo Político
 É reconhecido como
fundador do
pensamento e da
ciência política
moderna
 utiliza de autores e
conceitos da
Antiguidade Clássica
de maneira nova.
 Os conceitos desenvolvidos por ele
rompem com a tradição medieval
teológica e também com a prática,
comum durante o Renascimento, de
propor Estados imaginários perfeitos ¹
 Os fins justificam os meios.
 O Príncipe (1513) : visão realista da
Teoria Política.
 “maquiavélico”
¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Nicolau_Maquiavel
Maquiavel (1469-1527)
O realismo Político
Jean Bodin (1530- 1596)
A defesa do governo nas mãos de um só.
foi um jurista francês, membro do
Parlamento de Paris e professor de
Direito em Toulouse.
Ele é considerado por muitos o pai
da Ciência Política devido a sua
teoria sobre soberania.¹
¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Bodin
Estado onde se considerava o
poder do monarca como absoluto
e de origem divina
um poder perpétuo, ilimitado,
centralizado ou melhor, um poder
que tem como únicas limitações a
lei divina e a lei natural.¹
¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Bodin
Jean Bodin (1530- 1596)
A defesa do governo nas mãos de um só.
Montesquieu 1689-1755
Divisão de poderes
Uma das características
mais interessante da
democracia: divisão de
poder
–Executivo
–Legislativo
–Judiciário
Jean Jaques Rousseau 1712-1778
A vontade geral como único fundamento legitimo
O Homem nasceu livre e, não
obstante, esta acorrentado em
toda parte julga-se Senhor dos
mais seres, sem deixa de ser tão
escravo. Como se tem realizado
esta mutação? Ingnoro-o. Quem
pode legitimar-la creio poder
responder esta questão.
HEGEL (1770-1831):
CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
O ESTADO NÃO É:
Uma simples soma de
vários indivíduos;
Formado a partir da
vontade dos indivíduos;
Fruto de um contrato.
Então, O Estado:
Precede o indivíduo;
É concebido como
fundador da sociedade civil.
HEGEL (1770-1831):
CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
Dentro da concepção hegeliana a
realidade é a manifestação da razão
ou Espírito. O estado seria então:
A manifestação do Espírito
Objetivo em seu desenvolvimento,
uma esfera que concilia a
universalidade humana com os
interesses particulares dos
indivíduos da sociedade civil.
HEGEL (1770-1831):
CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
Sendo uma
manifestação da razão, o
Estado possui uma
universalidade que está
acima da soma dos
interesses individuais.
HEGEL (1770-1831):
CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
KARL MARX (1818 -1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820-1895):
O ESTADO COMO PRODUTO E INSTRUMENTO DE
CONTROLE DA CLASSE DOMINANTE:
A sociedade humana
primitiva era uma sociedade
sem classes e sem eram
exercidas pelo conjunto dos
membros da comunidade.
Em algum ponto do
desenvolvimento histórico das
sociedades humanas, algumas
daquelas funções administrativas
tornaram se privativas de um grupo
separado de pessoas que tinha
força para impor normas e
organização à vida coletiva. Assim
através desse núcleo de pessoas
teria surgido o Estado. Assim:
KARL MARX (1818 -1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820-1895):
O ESTADO COMO PRODUTO E INSTRUMENTO DE CONTROLE
DA CLASSE DOMINANTE:
O Estado nem sempre existiu;
O Estado surgiu quando num
determinado estágio do desenvolvimento
econômico surgiu as desigualdades de
classes.
O Estado não é um simples mediador das
lutas de classes, antes atua geralmente
como um instrumento do domínio de
classe.
KARL MARX (1818 -1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820-1895):
O ESTADO COMO PRODUTO E INSTRUMENTO DE CONTROLE
DA CLASSE DOMINANTE:
REGIMES POLÍTICOS
As relações entre a sociedade civil e o
Estado
Regime político é o modo pelo qual o
Estado se relaciona com a sociedade
civil.
Para a Política atual os regimes
políticos são classificados em dois
tipos:
DEMOCRACIA: A participação política do povo.
DEMOCRACIA: (Gr) – Demos: Povo e Cracia :
Poder.
Atenas: Democracia direta – O s cidadãos
participavam diretamente das assembléias e
decidiam os rumos políticos da cidade.
Atualmente: Democracia representativa – Os
cidadãos elegem seus
representantes Políticos para o governo do Estado.
REGIMES POLÍTICOS
Um Estado considerado Democrático:
PARTICIPAÇÃO POLÍTICA DO POVO: O Povo
Participa das decisões políticas elegendo por meio
do voto os seus representantes.
DIVISÃO FUNCIONAL DO PODER POLÍTICO: O
poder político do estado apresenta-se dividido em
vários órgãos que se agrupam em torno dos
poderes (funções): Legislativo (Elabora Leis),
Executivo (Executa leis pela administração pública)
e Judiciário (Aplicaçao das leis e distribuição da
justiça)
REGIMES POLÍTICOS
VIGÊNCIA DO ESTADO DE DIREITO:
O poder político é exercido dentro dos
limites traçados pela lei a todos imposta.
Nesse aspecto a lei subordina tanto o
Estado como a sociedade.
REGIMES POLÍTICOS
Ditadura: Concentração do poder político
DITADURA: (Lt) – Dictare = Ditar ordens
Principais características:
Eliminação da participação popular nas decisões
políticas.
Concentração do poder político: Poder centralizado nas
mãos de um único governante.
Inexistência do Estado de direito: As leis só valem para a
sociedade.
Fortalecimento dos órgãos de repressão.
Controle dos meios de comunicação em massa.
REGIMES POLÍTICOS
Conclusão
O que é
melhor para
nossa vila?
Filosofia poltica

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica BlogFilosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica Blogguestc51fe5
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia políticaricardo13613
 
Filosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesFilosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesMarcos Goulart
 
Filosofia política/Política: para quê?
Filosofia política/Política: para quê?Filosofia política/Política: para quê?
Filosofia política/Política: para quê?Ingrit Silva Sampaio
 
Revisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politicaRevisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politicaFelipe Serra
 
As filosofias políticas
As filosofias políticasAs filosofias políticas
As filosofias políticaslorrane2300
 
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
VvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvVvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvrose soratto
 
Filosofia PolíTica (IntroduçãO)
Filosofia PolíTica (IntroduçãO)Filosofia PolíTica (IntroduçãO)
Filosofia PolíTica (IntroduçãO)profpallaoro
 
Noções e concepções de política
Noções e concepções de políticaNoções e concepções de política
Noções e concepções de políticaDesconFiles
 
Mapa conceitual política
Mapa conceitual políticaMapa conceitual política
Mapa conceitual políticaIsabella Silva
 
Filosofia política
Filosofia política Filosofia política
Filosofia política Elson Junior
 
Elementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estadoElementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estadoDireito Nabuco
 
Política e o Poder
Política e o PoderPolítica e o Poder
Política e o PoderKamila Joyce
 

Mais procurados (20)

Filosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica BlogFilosofia PolíTica Blog
Filosofia PolíTica Blog
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Filosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e AristótelesFilosofia política em Platão e Aristóteles
Filosofia política em Platão e Aristóteles
 
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANOFILOSOFIA  POLÍTICA - 3 ANO
FILOSOFIA POLÍTICA - 3 ANO
 
Filosofia política/Política: para quê?
Filosofia política/Política: para quê?Filosofia política/Política: para quê?
Filosofia política/Política: para quê?
 
Revisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politicaRevisão de filosofia politica
Revisão de filosofia politica
 
As filosofias políticas
As filosofias políticasAs filosofias políticas
As filosofias políticas
 
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
VvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvVvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
 
Teoria das formas de governo e de estado
Teoria das formas de governo e de estadoTeoria das formas de governo e de estado
Teoria das formas de governo e de estado
 
A Vida Politica
A Vida PoliticaA Vida Politica
A Vida Politica
 
Filosofia PolíTica (IntroduçãO)
Filosofia PolíTica (IntroduçãO)Filosofia PolíTica (IntroduçãO)
Filosofia PolíTica (IntroduçãO)
 
Noções e concepções de política
Noções e concepções de políticaNoções e concepções de política
Noções e concepções de política
 
Platão e Aristóteles
Platão e AristótelesPlatão e Aristóteles
Platão e Aristóteles
 
Trabalho filosofia
Trabalho filosofiaTrabalho filosofia
Trabalho filosofia
 
Mapa conceitual política
Mapa conceitual políticaMapa conceitual política
Mapa conceitual política
 
Filosofia política
Filosofia política Filosofia política
Filosofia política
 
Elementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estadoElementos constirutivos do estado
Elementos constirutivos do estado
 
A política de platão
A política de platãoA política de platão
A política de platão
 
Política e o Poder
Política e o PoderPolítica e o Poder
Política e o Poder
 

Semelhante a Filosofia poltica

Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02Clesia Moreira
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaCarson Souza
 
Capitulo13 - POVOS E NAÇÕES
Capitulo13 - POVOS E NAÇÕESCapitulo13 - POVOS E NAÇÕES
Capitulo13 - POVOS E NAÇÕESColegio GGE
 
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5Israel serique
 
Estado- A instituição que detém o poder politico
Estado- A instituição que detém o poder politicoEstado- A instituição que detém o poder politico
Estado- A instituição que detém o poder politicojessica Nogueira
 
Filosofia unidade v
Filosofia unidade vFilosofia unidade v
Filosofia unidade vjoao paulo
 
Políticas públicas educacionais aula 1
Políticas públicas educacionais   aula   1Políticas públicas educacionais   aula   1
Políticas públicas educacionais aula 1Darlan Campos
 
Conceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionaisConceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionaisSyl Vidal
 
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo   ciências politicas - 1ºs pdfResumo   ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo ciências politicas - 1ºs pdfSos Financeira
 
O estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberalO estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberalDavi Islabao
 
TRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptx
TRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptxTRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptx
TRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptxBIANCA WILD
 

Semelhante a Filosofia poltica (20)

Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
Cap14 filosofiapoltica-130123100652-phpapp02
 
Filosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e ÉticaFilosofia, Política e Ética
Filosofia, Política e Ética
 
Política e poder
Política e poderPolítica e poder
Política e poder
 
Capitulo13 - POVOS E NAÇÕES
Capitulo13 - POVOS E NAÇÕESCapitulo13 - POVOS E NAÇÕES
Capitulo13 - POVOS E NAÇÕES
 
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5Ciência Política: Bonavides 3 4 5
Ciência Política: Bonavides 3 4 5
 
Estado- A instituição que detém o poder politico
Estado- A instituição que detém o poder politicoEstado- A instituição que detém o poder politico
Estado- A instituição que detém o poder politico
 
Política de turismo aula 1
Política de turismo   aula 1Política de turismo   aula 1
Política de turismo aula 1
 
Aula 17 - Introdução ao pensamento político
Aula 17 - Introdução ao pensamento políticoAula 17 - Introdução ao pensamento político
Aula 17 - Introdução ao pensamento político
 
Sobre politica e Estado
Sobre politica e EstadoSobre politica e Estado
Sobre politica e Estado
 
Política
PolíticaPolítica
Política
 
Filosofia unidade v
Filosofia unidade vFilosofia unidade v
Filosofia unidade v
 
Políticas públicas educacionais aula 1
Políticas públicas educacionais   aula   1Políticas públicas educacionais   aula   1
Políticas públicas educacionais aula 1
 
Política
PolíticaPolítica
Política
 
Concepções de Estado 02
Concepções  de Estado 02Concepções  de Estado 02
Concepções de Estado 02
 
Conceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionaisConceituando pol ticas_educacionais
Conceituando pol ticas_educacionais
 
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo   ciências politicas - 1ºs pdfResumo   ciências politicas - 1ºs pdf
Resumo ciências politicas - 1ºs pdf
 
O estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberalO estado e o pensamento político liberal
O estado e o pensamento político liberal
 
Concepções do Estado....
Concepções do Estado.... Concepções do Estado....
Concepções do Estado....
 
TRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptx
TRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptxTRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptx
TRABALHO SOCIOLOGIA 3.pptx
 

Último

Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaComando Resgatai
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxmairaviani
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfPastor Robson Colaço
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorCasa Ciências
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessRodrigoGonzlez461291
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédioifbauab
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade geneticMrMartnoficial
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40vitoriaalyce2011
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 

Último (20)

Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na IgrejaJunho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
Junho Violeta - Sugestão de Ações na Igreja
 
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptxATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
ATPCG 27.05 - Recomposição de aprendizagem.pptx
 
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdfEvangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
Evangelismo e Missões Contemporânea Cristã.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/AcumuladorRecurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
Recurso da Casa das Ciências: Bateria/Acumulador
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadessDesastres ambientais e vulnerabilidadess
Desastres ambientais e vulnerabilidadess
 
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao AssédioApresentação Formação em Prevenção ao Assédio
Apresentação Formação em Prevenção ao Assédio
 
hereditariedade é variabilidade genetic
hereditariedade é variabilidade  genetichereditariedade é variabilidade  genetic
hereditariedade é variabilidade genetic
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40Atividade português 7 ano página 38 a 40
Atividade português 7 ano página 38 a 40
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 

Filosofia poltica

  • 2.
  • 4. Qual a melhor filosofia política para essa nossa vila?
  • 5. FILOSOFIA POLÍTICAFILOSOFIA POLÍTICA “É a reflexão crítica e sistemática sobre o conhecimento político, sobre as essências, os fins e os valores da política.” Nelson de Souza Sampaio “Consiste no intento de adquirir conhecimentos certos sobre a essência do político e sobre a boa ordem política ou ordem política justa.” Leo Strauss
  • 6. Política e Poder  Política vem do grego ''polis'' cidade-estado, e o campo de atividade humana que se refere à cidade e o estado de interesse público.  Política é a arte de governar  “ Política é uma continuação da Ética, só pode ser aplicada à vida pública” Aristóteles
  • 7. Tipologia do Poder Bertrand Russel diz: “Poder é a posse dos meios que levam à produção de efeitos desejados” – As formas de poder são: Econômico Ideológico Político
  • 8. O estado A instituição poderosa da sociedade “ O estado é a instituição Política que, dirigida por um governo soberano, detém o monopólio do uso da força física, em determinado território, subordinando a sociedade que nele vive.” Max Weber
  • 9. Como surgiu o estado? Nem sempre Existiu o estado. Como surgiu?
  • 10. Função do Estado. O que deve ser o Estado? Resposta Liberal: A finalidade do estado é... Agir como mediador dos conflitos Promover reconciliação e alcança harmonia entre os grupos rivais. P. 294
  • 11. Função do Estado. Resposta marxista: “É a instituição que inteire nessa luta de modo parcial, quase sempre tomando partido das classes sociais dominantes”. A função é “ Garante o domínio de classe. P. 295
  • 12. Fundamentação do poder político. Explicação filosófica para a organização social e política.
  • 13. Platão ( 428-347 a.C.) O rei-filósofo conhece a justiça.  O Homem possui 3 almas, ou 3 princípios: – 1- A alma desejante (satisfação dos instintos) – 2 A alma irascível ( princípio de defesa) – 3-A alma racional ( que busca o conhecimento) – Através da Educação o individuo deve equilibrar essas 3 partes. Porém a alma racional deve preponderar.
  • 14. Platão ( 428-347 a.C.) O rei-filósofo conhece a justiça.  Platão leva esses conceitos à cidade. Observa-se:  1- a classe que o material da riqueza ( alma desejante)  2 a classe que garante a defesa da cidade ( alma irascível)  3- a classe que governa a cidade ( alma racional)  -A justiça na cidade depende do equilíbrio desses 3 elementos
  • 15. Aristóteles (384-322 a.c) O homem como animal político  “O homem como ser social, não sobrevive isolado”.  A busca por um bem determinado, correspondente aos anseios dos homens deve guiar  e organizar uma sociedade.  “A polis grega” é o modelo de Aristóteles.  Para Aristóteles, “os homens não são naturalmente iguais. Uns nascem para escravidão e outros para o domínio”.
  • 16. A teoria do direito divino de governar Sofre Influências de Platão e Aristóteles. As Idéias de que o objetivo da política visa o bem comum, que pra Platão era a justiça,e para Aristóteles era a vida boa e feliz, traçaram os rumos da política atual. Aristóteles (384-322 a.c) O homem como animal político
  • 17. Na Idade média, com o desenvolvimento do cristianismo, a igreja se consolidou como um poder extra político, sustentavam a idéias de que os governantes eram representantes de Deus na terra. Aristóteles (384-322 a.c) O homem como animal político
  • 18. Maquiavel (1469-1527) O realismo Político  É reconhecido como fundador do pensamento e da ciência política moderna  utiliza de autores e conceitos da Antiguidade Clássica de maneira nova.
  • 19.  Os conceitos desenvolvidos por ele rompem com a tradição medieval teológica e também com a prática, comum durante o Renascimento, de propor Estados imaginários perfeitos ¹  Os fins justificam os meios.  O Príncipe (1513) : visão realista da Teoria Política.  “maquiavélico” ¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Nicolau_Maquiavel Maquiavel (1469-1527) O realismo Político
  • 20. Jean Bodin (1530- 1596) A defesa do governo nas mãos de um só. foi um jurista francês, membro do Parlamento de Paris e professor de Direito em Toulouse. Ele é considerado por muitos o pai da Ciência Política devido a sua teoria sobre soberania.¹ ¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Bodin
  • 21. Estado onde se considerava o poder do monarca como absoluto e de origem divina um poder perpétuo, ilimitado, centralizado ou melhor, um poder que tem como únicas limitações a lei divina e a lei natural.¹ ¹ http://pt.wikipedia.org/wiki/Jean_Bodin Jean Bodin (1530- 1596) A defesa do governo nas mãos de um só.
  • 22. Montesquieu 1689-1755 Divisão de poderes Uma das características mais interessante da democracia: divisão de poder –Executivo –Legislativo –Judiciário
  • 23. Jean Jaques Rousseau 1712-1778 A vontade geral como único fundamento legitimo O Homem nasceu livre e, não obstante, esta acorrentado em toda parte julga-se Senhor dos mais seres, sem deixa de ser tão escravo. Como se tem realizado esta mutação? Ingnoro-o. Quem pode legitimar-la creio poder responder esta questão.
  • 24. HEGEL (1770-1831): CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO O ESTADO NÃO É: Uma simples soma de vários indivíduos; Formado a partir da vontade dos indivíduos; Fruto de um contrato.
  • 25. Então, O Estado: Precede o indivíduo; É concebido como fundador da sociedade civil. HEGEL (1770-1831): CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
  • 26. Dentro da concepção hegeliana a realidade é a manifestação da razão ou Espírito. O estado seria então: A manifestação do Espírito Objetivo em seu desenvolvimento, uma esfera que concilia a universalidade humana com os interesses particulares dos indivíduos da sociedade civil. HEGEL (1770-1831): CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
  • 27. Sendo uma manifestação da razão, o Estado possui uma universalidade que está acima da soma dos interesses individuais. HEGEL (1770-1831): CONTRA A CONCEPÇÃO LIBERAL DE ESTADO
  • 28. KARL MARX (1818 -1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820-1895): O ESTADO COMO PRODUTO E INSTRUMENTO DE CONTROLE DA CLASSE DOMINANTE: A sociedade humana primitiva era uma sociedade sem classes e sem eram exercidas pelo conjunto dos membros da comunidade.
  • 29. Em algum ponto do desenvolvimento histórico das sociedades humanas, algumas daquelas funções administrativas tornaram se privativas de um grupo separado de pessoas que tinha força para impor normas e organização à vida coletiva. Assim através desse núcleo de pessoas teria surgido o Estado. Assim: KARL MARX (1818 -1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820-1895): O ESTADO COMO PRODUTO E INSTRUMENTO DE CONTROLE DA CLASSE DOMINANTE:
  • 30. O Estado nem sempre existiu; O Estado surgiu quando num determinado estágio do desenvolvimento econômico surgiu as desigualdades de classes. O Estado não é um simples mediador das lutas de classes, antes atua geralmente como um instrumento do domínio de classe. KARL MARX (1818 -1883) E FRIEDRICH ENGELS (1820-1895): O ESTADO COMO PRODUTO E INSTRUMENTO DE CONTROLE DA CLASSE DOMINANTE:
  • 31. REGIMES POLÍTICOS As relações entre a sociedade civil e o Estado Regime político é o modo pelo qual o Estado se relaciona com a sociedade civil. Para a Política atual os regimes políticos são classificados em dois tipos:
  • 32. DEMOCRACIA: A participação política do povo. DEMOCRACIA: (Gr) – Demos: Povo e Cracia : Poder. Atenas: Democracia direta – O s cidadãos participavam diretamente das assembléias e decidiam os rumos políticos da cidade. Atualmente: Democracia representativa – Os cidadãos elegem seus representantes Políticos para o governo do Estado. REGIMES POLÍTICOS
  • 33. Um Estado considerado Democrático: PARTICIPAÇÃO POLÍTICA DO POVO: O Povo Participa das decisões políticas elegendo por meio do voto os seus representantes. DIVISÃO FUNCIONAL DO PODER POLÍTICO: O poder político do estado apresenta-se dividido em vários órgãos que se agrupam em torno dos poderes (funções): Legislativo (Elabora Leis), Executivo (Executa leis pela administração pública) e Judiciário (Aplicaçao das leis e distribuição da justiça) REGIMES POLÍTICOS
  • 34. VIGÊNCIA DO ESTADO DE DIREITO: O poder político é exercido dentro dos limites traçados pela lei a todos imposta. Nesse aspecto a lei subordina tanto o Estado como a sociedade. REGIMES POLÍTICOS
  • 35. Ditadura: Concentração do poder político DITADURA: (Lt) – Dictare = Ditar ordens Principais características: Eliminação da participação popular nas decisões políticas. Concentração do poder político: Poder centralizado nas mãos de um único governante. Inexistência do Estado de direito: As leis só valem para a sociedade. Fortalecimento dos órgãos de repressão. Controle dos meios de comunicação em massa. REGIMES POLÍTICOS
  • 36. Conclusão O que é melhor para nossa vila?