SlideShare uma empresa Scribd logo
Tretrápodes
• AntônioCarlosdeBrito
Sousa
• MikellyBento
• Herica
• Serie:3º ColegialA
Tretrápodes
São cordados do grupo (sub-filo) dos vertebrados, mandibulados (gnatos) e
com quatro patas. As quatro classes são: Anfíbios, Répteis, Aves e
Mamíferos.
ANFÍBIOS
• Evoluíram, provavelmente, de ancestrais que
compartilharam com peixes pulmonados de nadadeiras
articuladas, invadiram o ambiente terrestre, mas ainda
dependem da água (fase aquática e terrestre). As
barbatanas articuladas desenvolveram-se em pernas
locomotoras e hoje são cerca de 4.500 espécies.
Geralmente vivem em regiões quentes (tropicais), mas
também são encontrados em algumas regiões
temperadas. Não foram encontradas espécies marinhas.
São agrupados em 3 ordens:
 Urodela: os que apresentam cauda e cabeça
diferenciada: salamandra
 Anuros: sem cauda, sem pescoço: sapos, pererecas e rãs
(90%)
 Ápode: sem patas como a Cecília (cobra-cega)
Características Gerais
 Pele fina e úmida onde ocorrem as trocas gasosas;
 Pecilotérmicos;
 Pele com glândulas produtoras de muco (evita desidratação e auxilia na
locomoção e troca gasosa);
 Alguns com glândulas de veneno dispersas (sapo com glândulas paratóides);cores
aposemáticas;
 Trocam gases por meio de pulmões saculiformes, por respiração cutânea e
bucofaringeana (adultos);
 Girinos trocam gases por meio de brânquias externas;
 Mudas da pele (pele pode ser ingerida) e pode apresentar cromatóforos;
 Língua musculosa e protrátil para capturar a presa (função terrestre);
 Bioindicadores de poluição da água (extinção)
Características Gerais
• Adultos excretam uréia (mesonéfrons) – economia de água – ambiente
terrestre
 Girinos excretam amônia
 Coração com três cavidades (circulação dupla incompleta)
 Cerebelo pouco desenvolvido
 Olhos desenvolvidos com pálpebras e membrana nictitante
 Membrana timpânica atrás dos olhos
 Órgãos de Jacobson – câmaras nasais - olfato e paladar
 Dióicos de fecundação externa, comportamento de corte (coaxar), amplexo;
 Ovulíparos (botam óvulos não ovos);
 Ovo sem casca (depende da água para não ressecar);
 Desenvolvimento indireto (girino - filtrador) – autofagia da cauda;
 São anamniotos
Amniotos
Os anfíbios são limitados a viverem em
ambientes úmidos. Ao longo da evolução os
vertebrados desenvolvem uma proteção
contra a desidratação. Um ovo com casca
relativamente impermeável. Além disso,
desenvolveram pele áspera impermeável e
rins que excretam urina concentrada, assim,
puderam se distribuir amplamente pelo
ambiente terrestre. O ovo amnioto apresenta
casca calcificada impermeável à água, mas
permite a passagem de gases, portanto não
necessita de ambiente úmido. Dentro da
casca aparecem membranas que protegem o
embrião e auxiliam na sua manutenção, são
elas: âmnio, córion e alantóide. A gema é o
material nutritivo para o desenvolvimento do
embrião até o momento da eclosão do ovo.
Os amniotos são os répteis, aves e
mamíferos.
Répteis
Os répteis são animais que conseguiram dominar de forma eficiente o ambiente
terrestre. Tem seu ápice no período Jurássico (grandes répteis) e hoje
apresentam cerca de sete mil espécies. Os répteis são um grupo parafilético,
pois não inclui as aves, separando-se há certo tempo. No entanto, apresenta
várias semelhanças estruturais e moleculares com esse grupo. Os grandes
répteis tiveram grande irradiação adaptativa e o Brontosaurus pesava mais de 30
toneladas e comia (herbívoro) mais de 230Kg de alimento diariamente. Chifres,
espinhos, garras, bicos cortantes, asas, nadadeiras marcaram o sucesso desses
animais já extintos.
 Chelonios: com carapaça(convexa) e plastrão (ventre) - tartaruga, cágado e
jaboti
 Squamata: apresentam escamas - Serpentes (ofídios) e Lacertílios (lagartos e
lagartixas)Lagartos como cobra-de-vidro são ápodos; quando atacados podem
liberar a cauda (equilíbrio) e depois regenera; dentes na boca e língua pode
sofrer protração e sua ponta tem muco;Ofídeos são desprovidos de
pálpebras, bexiga urinária, esterno e abertura da orelha; Órgãos de Jacobson
desenvolvidos; os maiores répteis atuais (píton e sucuri)
 Crocodila: apresentam escamas e placas dérmicas- jacarés, crocodilos,
aligatores e gavial; pálpebras e membrana nictitante presentes; torce a presa;
língua achatada e não protrátil;
Características Gerais
• Pele grossa com cromatóforos, sem glândulas (somente de cheiro) e impermeável (queratina) dificultando
a perda de água. A queratina auxilia a formação de escamas e placas dérmicas; Ocorre muda;
• Pode ocorrer o aparecimento de glândulas de veneno (serpentes e alguns lagartos);
• Pulmões maiores e mais eficientes que os dos anfíbios, tornando a respiração totalmente pulmonar e não
mais realizada pela pele como nos anfíbios;
• Os répteis apresentam 2 átrios e 1 ventrículo (Septo de Sabatier), com exceção dos crocodilianos que
apresentam 4 câmaras cardíacas.
• Forame de Panizza entre arcos aórticos (mergulho); hemáceas elípticas e nucleadas
• Apresentam cloaca;
• Excretam ácido úrico (maior economia de água); rins metanéfricos
• Maioria dióica com fecundação interna, macho apresenta pênis (hemipênis nos lagartos e serpentes) que
é introduzido na cloaca da fêmea;
• Maioria ovípara, alguns eclodem os ovos dentro do corpo da fêmea (ovovivípara);
• Ovo com casca calcária protetora (fora d’água) – impermeável à água mas permeável aos gases;
• Desenvolvimento direto (embrião com dente único para sair do ovo);
• Os ovos depositados na areia ou ninhos dependem da temperatura para a definição do sexo do animal;
Aves
As aves surgiram dos ancestrais em comum de répteis voadores ou bípedes que criaram penas para adorno de
cópula e controle de temperatura (ainda há divergências de teorias) no período Jurássico. O fato desses animais
conseguirem voar faz com que ocupem um novo espaço e se desloquem com mais facilidade entre locais de
grande distância. Apresentam elevado metabolismo e grande cuidado parental. As aves apresentam cerca de 10
mil espécies das mais variadas cores e tamanhos.
Características Gerais
• presença de penas e membros anteriores transformados em asas
• bico no lugar de dentes
• pele queratinizada com estruturas como: penas, bico, garras e escamas dos pés;
• glândula uropigiana na cauda que produz óleo para impermeabilização das penas;
• pulmões que funcionam como bolsas achatadas coladas paralelamente, além de sacos aéreos (expansões dos
pulmões) facilitando o vôo e a oxigenação dos órgãos (diminuem a densidade corporal);
• homeotermos;
• circulação dupla e completa; hemáceas ovais e nucleadas
• Encéfalo e cerebelo desenvolvidos; grande acuidade visual;
• cloaca;
• fecundação interna por meio de pênis (avestruz, cisne e pato) ou atrito entre as cloacas;
• ovíparos, incubação em ninhos (calor do corpo dos pais) e cuidado parental;
• ovo com casca calcária;
• desenvolvimento direto;
• siringe é o órgão responsável pelo canto, localizado na faringe
Mamíferos
Vertebrados complexos que surgem
de uma linhagem de répteis e
convivem com eles. São adaptados a
diversos ambientes pelo fato de
também serem homeotérmicos.
Apresentam obrigatoriamente: pêlos,
glândulas mamárias e diafragma. Seus
tamanhos e formas são bastante
variados e podem ser aéreos,
terrestres e aquáticos. O leite é o
principal alimento dos filhotes.
Características Gerais
• Pele queratinizada e anexos como: pêlos, unhas, cascos, chifres, cornos...
• Glândulas sudoríparas, mamárias, lacrimais, sebáceas e de cheiro.
• Pulmões alveolares (eficiente)
• Homeotermos
• Circulação dupla e completa (hemáceas anucleadas)
• Ânus separado da abertura urogenital
• Excreta uréia
• Órgãos copulatórios e fecundação interna
• Desenvolvimento direto
• Cuidado parental
• Fêmeas passam por ciclos (cio)
• Novidade evolutiva: útero e placenta
Grupos
• Mamíferos Prototérios ou
Monotremados: ornitorrinco e equidna
- não há mamilos nem vagina e útero,
botam ovos e apresentam bico
• Mamíferos Metatérios: vivíparos
marsupiais – gambá, canguru, coala...
• Eutérios ou placentários (têm placenta
que nutre o embrião): várias ordens
como quirópteros, primatas, cetáceos,
carnívoras, roedores ...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula anfíbios
Aula anfíbiosAula anfíbios
Aula anfíbios
Dacoli
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
Killer Max
 
IV.1 Peixes
IV.1 PeixesIV.1 Peixes
IV.1 Peixes
Rebeca Vale
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
emanuel
 
Sistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamentoSistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamento
unesp
 
Seleção sexual
Seleção sexualSeleção sexual
Seleção sexual
unesp
 
Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2
Rita Cunha
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
Alexandre Queiroz
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
Bio
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
André Oliver
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
gueste6836123
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Bruno Djvan Ramos Barbosa
 
1º Ano - Protozoários
1º Ano - Protozoários1º Ano - Protozoários
1º Ano - Protozoários
Escola Modelo de Iguatu
 
Apresentação slides sobre os peixes
Apresentação slides sobre os peixes Apresentação slides sobre os peixes
Apresentação slides sobre os peixes
Michelle2789
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
Killer Max
 
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
Professô Kyoshi
 
IV.3 Répteis
IV.3 RépteisIV.3 Répteis
IV.3 Répteis
Rebeca Vale
 
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Janaina Alves
 
Plano de aula 3 moluscos e anelideos
Plano de aula  3 moluscos e anelideosPlano de aula  3 moluscos e anelideos
Plano de aula 3 moluscos e anelideos
familiaestagio
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
profatatiana
 

Mais procurados (20)

Aula anfíbios
Aula anfíbiosAula anfíbios
Aula anfíbios
 
Répteis
RépteisRépteis
Répteis
 
IV.1 Peixes
IV.1 PeixesIV.1 Peixes
IV.1 Peixes
 
Cordados
CordadosCordados
Cordados
 
Sistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamentoSistemas de acasalamento
Sistemas de acasalamento
 
Seleção sexual
Seleção sexualSeleção sexual
Seleção sexual
 
Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2Platelmintos e nematódeos 2
Platelmintos e nematódeos 2
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
 
Platelmintos
PlatelmintosPlatelmintos
Platelmintos
 
Taxonomia
TaxonomiaTaxonomia
Taxonomia
 
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
Sistema Reprodutor Masculino e Feminino
 
1º Ano - Protozoários
1º Ano - Protozoários1º Ano - Protozoários
1º Ano - Protozoários
 
Apresentação slides sobre os peixes
Apresentação slides sobre os peixes Apresentação slides sobre os peixes
Apresentação slides sobre os peixes
 
Anfíbios - Biologia
Anfíbios - BiologiaAnfíbios - Biologia
Anfíbios - Biologia
 
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
2EM #15 Tetrápodes: Anfíbios
 
IV.3 Répteis
IV.3 RépteisIV.3 Répteis
IV.3 Répteis
 
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
Aula - Anfíbios e Répteis (7° ano)
 
Plano de aula 3 moluscos e anelideos
Plano de aula  3 moluscos e anelideosPlano de aula  3 moluscos e anelideos
Plano de aula 3 moluscos e anelideos
 
Nematelmintos
NematelmintosNematelmintos
Nematelmintos
 

Semelhante a Tetrápodes

3 cordados
3 cordados3 cordados
repteis.pdf.............................
repteis.pdf.............................repteis.pdf.............................
repteis.pdf.............................
gabatzdeniseestela
 
Aula cordados
Aula cordadosAula cordados
Aula cordados
denilsonbio
 
Meu trabalho
Meu trabalhoMeu trabalho
Meu trabalho
karolina_santosak3
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
Marcos Albuquerque
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
Marcos Albuquerque
 
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos VertebradosCordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
Carlos Priante
 
Ambiente concluido
Ambiente concluidoAmbiente concluido
Ambiente concluido
Ana Beatriz
 
Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015
Maria Teresa Iannaco Grego
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Resumo: Filo Artrópodes
Resumo: Filo ArtrópodesResumo: Filo Artrópodes
Resumo: Filo Artrópodes
Universidade Estadual de Maringá
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Classe das Aves
Classe das AvesClasse das Aves
Classe das Aves
Giulia Soares
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
AleSclearuc
 
Anfíbios.pdf
Anfíbios.pdfAnfíbios.pdf
Anfíbios.pdf
AntsMirmecofauna
 
Trabalho sobre Anfíbios
Trabalho sobre AnfíbiosTrabalho sobre Anfíbios
Trabalho sobre Anfíbios
Taise Martins
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Altair Hoepers
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Aula Reptilia
Aula ReptiliaAula Reptilia
Aula Reptilia
WillSmith896160
 
Capítulo 09 - vertebrados II
Capítulo 09 - vertebrados IICapítulo 09 - vertebrados II
Capítulo 09 - vertebrados II
Igor Brant
 

Semelhante a Tetrápodes (20)

3 cordados
3 cordados3 cordados
3 cordados
 
repteis.pdf.............................
repteis.pdf.............................repteis.pdf.............................
repteis.pdf.............................
 
Aula cordados
Aula cordadosAula cordados
Aula cordados
 
Meu trabalho
Meu trabalhoMeu trabalho
Meu trabalho
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
 
Zoo introdução
Zoo introduçãoZoo introdução
Zoo introdução
 
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos VertebradosCordados- Zoologia dos Vertebrados
Cordados- Zoologia dos Vertebrados
 
Ambiente concluido
Ambiente concluidoAmbiente concluido
Ambiente concluido
 
Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015Moluscos 3 C 2015
Moluscos 3 C 2015
 
Vertebrados
VertebradosVertebrados
Vertebrados
 
Resumo: Filo Artrópodes
Resumo: Filo ArtrópodesResumo: Filo Artrópodes
Resumo: Filo Artrópodes
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Classe das Aves
Classe das AvesClasse das Aves
Classe das Aves
 
Reino Animal
Reino AnimalReino Animal
Reino Animal
 
Anfíbios.pdf
Anfíbios.pdfAnfíbios.pdf
Anfíbios.pdf
 
Trabalho sobre Anfíbios
Trabalho sobre AnfíbiosTrabalho sobre Anfíbios
Trabalho sobre Anfíbios
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
Aula Reptilia
Aula ReptiliaAula Reptilia
Aula Reptilia
 
Capítulo 09 - vertebrados II
Capítulo 09 - vertebrados IICapítulo 09 - vertebrados II
Capítulo 09 - vertebrados II
 

Último

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
EVERALDODEOLIVEIRA2
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 

Último (9)

Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 

Tetrápodes

  • 2. Tretrápodes São cordados do grupo (sub-filo) dos vertebrados, mandibulados (gnatos) e com quatro patas. As quatro classes são: Anfíbios, Répteis, Aves e Mamíferos.
  • 3. ANFÍBIOS • Evoluíram, provavelmente, de ancestrais que compartilharam com peixes pulmonados de nadadeiras articuladas, invadiram o ambiente terrestre, mas ainda dependem da água (fase aquática e terrestre). As barbatanas articuladas desenvolveram-se em pernas locomotoras e hoje são cerca de 4.500 espécies. Geralmente vivem em regiões quentes (tropicais), mas também são encontrados em algumas regiões temperadas. Não foram encontradas espécies marinhas. São agrupados em 3 ordens:  Urodela: os que apresentam cauda e cabeça diferenciada: salamandra  Anuros: sem cauda, sem pescoço: sapos, pererecas e rãs (90%)  Ápode: sem patas como a Cecília (cobra-cega)
  • 4. Características Gerais  Pele fina e úmida onde ocorrem as trocas gasosas;  Pecilotérmicos;  Pele com glândulas produtoras de muco (evita desidratação e auxilia na locomoção e troca gasosa);  Alguns com glândulas de veneno dispersas (sapo com glândulas paratóides);cores aposemáticas;  Trocam gases por meio de pulmões saculiformes, por respiração cutânea e bucofaringeana (adultos);  Girinos trocam gases por meio de brânquias externas;  Mudas da pele (pele pode ser ingerida) e pode apresentar cromatóforos;  Língua musculosa e protrátil para capturar a presa (função terrestre);  Bioindicadores de poluição da água (extinção)
  • 5.
  • 6. Características Gerais • Adultos excretam uréia (mesonéfrons) – economia de água – ambiente terrestre  Girinos excretam amônia  Coração com três cavidades (circulação dupla incompleta)  Cerebelo pouco desenvolvido  Olhos desenvolvidos com pálpebras e membrana nictitante  Membrana timpânica atrás dos olhos  Órgãos de Jacobson – câmaras nasais - olfato e paladar  Dióicos de fecundação externa, comportamento de corte (coaxar), amplexo;  Ovulíparos (botam óvulos não ovos);  Ovo sem casca (depende da água para não ressecar);  Desenvolvimento indireto (girino - filtrador) – autofagia da cauda;  São anamniotos
  • 7. Amniotos Os anfíbios são limitados a viverem em ambientes úmidos. Ao longo da evolução os vertebrados desenvolvem uma proteção contra a desidratação. Um ovo com casca relativamente impermeável. Além disso, desenvolveram pele áspera impermeável e rins que excretam urina concentrada, assim, puderam se distribuir amplamente pelo ambiente terrestre. O ovo amnioto apresenta casca calcificada impermeável à água, mas permite a passagem de gases, portanto não necessita de ambiente úmido. Dentro da casca aparecem membranas que protegem o embrião e auxiliam na sua manutenção, são elas: âmnio, córion e alantóide. A gema é o material nutritivo para o desenvolvimento do embrião até o momento da eclosão do ovo. Os amniotos são os répteis, aves e mamíferos.
  • 8. Répteis Os répteis são animais que conseguiram dominar de forma eficiente o ambiente terrestre. Tem seu ápice no período Jurássico (grandes répteis) e hoje apresentam cerca de sete mil espécies. Os répteis são um grupo parafilético, pois não inclui as aves, separando-se há certo tempo. No entanto, apresenta várias semelhanças estruturais e moleculares com esse grupo. Os grandes répteis tiveram grande irradiação adaptativa e o Brontosaurus pesava mais de 30 toneladas e comia (herbívoro) mais de 230Kg de alimento diariamente. Chifres, espinhos, garras, bicos cortantes, asas, nadadeiras marcaram o sucesso desses animais já extintos.  Chelonios: com carapaça(convexa) e plastrão (ventre) - tartaruga, cágado e jaboti  Squamata: apresentam escamas - Serpentes (ofídios) e Lacertílios (lagartos e lagartixas)Lagartos como cobra-de-vidro são ápodos; quando atacados podem liberar a cauda (equilíbrio) e depois regenera; dentes na boca e língua pode sofrer protração e sua ponta tem muco;Ofídeos são desprovidos de pálpebras, bexiga urinária, esterno e abertura da orelha; Órgãos de Jacobson desenvolvidos; os maiores répteis atuais (píton e sucuri)  Crocodila: apresentam escamas e placas dérmicas- jacarés, crocodilos, aligatores e gavial; pálpebras e membrana nictitante presentes; torce a presa; língua achatada e não protrátil;
  • 9. Características Gerais • Pele grossa com cromatóforos, sem glândulas (somente de cheiro) e impermeável (queratina) dificultando a perda de água. A queratina auxilia a formação de escamas e placas dérmicas; Ocorre muda; • Pode ocorrer o aparecimento de glândulas de veneno (serpentes e alguns lagartos); • Pulmões maiores e mais eficientes que os dos anfíbios, tornando a respiração totalmente pulmonar e não mais realizada pela pele como nos anfíbios; • Os répteis apresentam 2 átrios e 1 ventrículo (Septo de Sabatier), com exceção dos crocodilianos que apresentam 4 câmaras cardíacas. • Forame de Panizza entre arcos aórticos (mergulho); hemáceas elípticas e nucleadas • Apresentam cloaca; • Excretam ácido úrico (maior economia de água); rins metanéfricos • Maioria dióica com fecundação interna, macho apresenta pênis (hemipênis nos lagartos e serpentes) que é introduzido na cloaca da fêmea; • Maioria ovípara, alguns eclodem os ovos dentro do corpo da fêmea (ovovivípara); • Ovo com casca calcária protetora (fora d’água) – impermeável à água mas permeável aos gases; • Desenvolvimento direto (embrião com dente único para sair do ovo); • Os ovos depositados na areia ou ninhos dependem da temperatura para a definição do sexo do animal;
  • 10.
  • 11. Aves As aves surgiram dos ancestrais em comum de répteis voadores ou bípedes que criaram penas para adorno de cópula e controle de temperatura (ainda há divergências de teorias) no período Jurássico. O fato desses animais conseguirem voar faz com que ocupem um novo espaço e se desloquem com mais facilidade entre locais de grande distância. Apresentam elevado metabolismo e grande cuidado parental. As aves apresentam cerca de 10 mil espécies das mais variadas cores e tamanhos.
  • 12. Características Gerais • presença de penas e membros anteriores transformados em asas • bico no lugar de dentes • pele queratinizada com estruturas como: penas, bico, garras e escamas dos pés; • glândula uropigiana na cauda que produz óleo para impermeabilização das penas; • pulmões que funcionam como bolsas achatadas coladas paralelamente, além de sacos aéreos (expansões dos pulmões) facilitando o vôo e a oxigenação dos órgãos (diminuem a densidade corporal); • homeotermos; • circulação dupla e completa; hemáceas ovais e nucleadas • Encéfalo e cerebelo desenvolvidos; grande acuidade visual; • cloaca; • fecundação interna por meio de pênis (avestruz, cisne e pato) ou atrito entre as cloacas; • ovíparos, incubação em ninhos (calor do corpo dos pais) e cuidado parental; • ovo com casca calcária; • desenvolvimento direto; • siringe é o órgão responsável pelo canto, localizado na faringe
  • 13. Mamíferos Vertebrados complexos que surgem de uma linhagem de répteis e convivem com eles. São adaptados a diversos ambientes pelo fato de também serem homeotérmicos. Apresentam obrigatoriamente: pêlos, glândulas mamárias e diafragma. Seus tamanhos e formas são bastante variados e podem ser aéreos, terrestres e aquáticos. O leite é o principal alimento dos filhotes.
  • 14. Características Gerais • Pele queratinizada e anexos como: pêlos, unhas, cascos, chifres, cornos... • Glândulas sudoríparas, mamárias, lacrimais, sebáceas e de cheiro. • Pulmões alveolares (eficiente) • Homeotermos • Circulação dupla e completa (hemáceas anucleadas) • Ânus separado da abertura urogenital • Excreta uréia • Órgãos copulatórios e fecundação interna • Desenvolvimento direto • Cuidado parental • Fêmeas passam por ciclos (cio) • Novidade evolutiva: útero e placenta
  • 15. Grupos • Mamíferos Prototérios ou Monotremados: ornitorrinco e equidna - não há mamilos nem vagina e útero, botam ovos e apresentam bico • Mamíferos Metatérios: vivíparos marsupiais – gambá, canguru, coala... • Eutérios ou placentários (têm placenta que nutre o embrião): várias ordens como quirópteros, primatas, cetáceos, carnívoras, roedores ...