SlideShare uma empresa Scribd logo
Fármacos e Produtos
Naturais
Prof. Dr. Heitor Silva
• Farmacognosia: ciência farmacêutica que se
ocupa do estudo das drogas e substâncias
medicamentosas de origem natural: vegetal e
animal (incluindo-se o microbiano). Estuda tanto
substâncias com propriedades terapêuticas como
substâncias tóxicas, excipientes ou outras
substâncias de interesse farmacêutico.
(KUKLINSKI, C. 2003)
vegetais animais
Farmacognosia
Enfoque principal:
plantas
medicinais
minerais
Farmacognosia.pptx
FARMACOGNOSIA
FARMACOLOGIA
BOTÂNICA
QUÍMICA
Etnofarmacologia
Química Farmacologia
Toxicologia
Farmacotécnica
Clínica
Botânica Agronomia
Farmacognosia
Farmacognosia.pptx
As plantas medicinais foram descobertas pelo homem
através da procura por alimentos, e desde então, foram
aplicadas empiricamente para tratamento de patologias.
Plantas com propriedades conservantes;
Plantas com propriedades cosméticas;
Plantas com propriedades medicinais;
Plantas tóxicas.
Farmacognosia.pptx
Dioscórides(40-90 aC) –Escreveu a primeira farmacopeia
conhecida (“De MateriaMedica”).
“Nascimento” da Farmacognosia 1815 – Alemanha
Seydler (Analecta Pharmacognostica) –
Ciência que estudava as matérias de origem natural usadas no
tratamento das enfermidades.
• Segundo dados da OMS 80% da população mundial
depende das práticas tradicionais no que se refere à
atenção primária à saúde, e 85% dessa parcela utiliza
plantas ou preparações a base de vegetais.
matéria - prima vegetal
in natura extratos sub-produtos (óleos,
gomas, resinas etc)
uso não tecnológico:
popular ou nos serviços
de saúde / organizações
que trabalham com
matéria-prima vegetal
(remédios) etc.
uso tecnológico, industrial: indústrias de
medicamentos (fitoterápicos e
químicos), alimentos, condimentos,
cosméticos, perfumes, aromas, produtos
químicos e fitossanitários, pigmentos
etc.
Alguns conceitos
Matéria-prima Vegetal - planta fresca ou droga vegetal ou o preparado
fitoterápico intermediário empregado na fabricação de produto
fitoterápico;
Planta Medicinal – é a planta selecionada, silvestre ou cultivada,
utilizada popularmente como remédio o tratamento de doenças.
Segundo a OMS, é toda e qualquer planta contendo substâncias que
possam ser usadas para prevenir, aliviar, curar ou modificar um
processo fisiológico normal ou fisiológico normal ou patológico e que
possa servir como fonte de fitofármacos e de seus precursores para
síntese químico-farmacêutica;
Droga Vegetal - é a planta ou suas partes que, após processo de coleta,
secagem, estabilização e conservação, justificam seu emprego na
preparação de medicamento;
Alguns conceitos
Planta medicinal
Papoula
Papaver somniferum
Ginkgo
biloba
Exemplo de Droga vegetal
(Curcuma longa – CÚRCUMA)
rizoma Droga vegetal
Camomila recutita
Stryphnodendron
adstringens
Alguns conceitos
Farmacognosia.pptx
Alguns conceitos
Princípio ativo - substância ou grupo delas, quimicamente
caracterizadas, cuja ação farmacológica é conhecida e
responsável, total ou parcialmente, pelos efeitos terapêuticos do
produto fitoterápico;
Produto Fitoterápico - é todo medicamento tecnicamente obtido
e elaborado, empregando-se exclusivamente matérias-primas
ativas vegetais, com finalidade profilática, curativa ou para fins de
diagnósticos, com benefício para o usuário. É o produto final
acabado, embalado e rotulado. Não podem estar incluídas
substâncias ativas de outras origens, não sendo considerado
produto fitoterápico quaisquer substâncias ativas isoladas, ainda
que de origem vegetal, ou mesmo em misturas;
Alguns conceitos
Preparado Fitoterápico Intermediário - produto vegetal triturado,
pulverizado, rasurado, extrato, tintura, óleo fixo ou volátil, cera,
suco e outros, obtido de plantas frescas e de drogas vegetais, por
meio de operações de fracionamento, extração, purificação ou
concentração utilizado na preparação de produto fitoterápico;
Medicamento Fitoterápico Magistral – aquele preparado
atendendo a uma prescrição médica que estabelece sua
composição, forma farmacêutica, posologia e modo de usar.
Devem ser compostos exclusivamente por matéria-prima vegetal,
sem adição de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem
vegetal;
Alguns conceitos
Medicamento Fitoterápico Oficinal – aquele preparado
atendendo a uma prescrição, cuja fórmula esteja na Farmacopeia
Brasileira ou compêndios ou Formulários reconhecidos
oficialmente. Devem ser compostos exclusivamente por matéria-
prima vegetal, sem adição de substâncias ativas isoladas, ainda
que de origem vegetal;
Fitofármaco – substância química isolada de vegetais, empregada
para modificar ou explorar sistemas fisiológicos dos estados
patológicos em benefício da pessoa à qual se administra;
Morfina
Medicamento fitoterápico brasileiro
contendo planta medicinal brasileira
(Cordiaverbenacea–erva baleeira)
Medicamento contendo fitofármaco retirado de
uma planta medicinal
Jaborandi
Pilocarpus jaborandi
Hulmes
P. Pinnatifoliusn Lem.
Colírio para
o
tratamento
do
glaucoma
folha
Alguns conceitos
Marcadores - constituintes quimicamente definidos presentes na
matéria-prima vegetal, preferencialmente os próprios ativos,
destinados ao controle de qualidade da matéria-prima vegetal,
dos preparados fitoterápicos intermediários e dos produtos
fitoterápicos;
Alopatia – sistema terapêutico da medicina convencional que visa
tratar as doenças por meios contrários a elas. A prescrição
alopática age em sentido oposto; administrado em doses de
material em estado natural. O medicamento alopático produzido
por síntese ou semissintése é escolhido por causar sintomas
opostos àqueles apresentados pelo paciente, proporcionando
efeitos colaterais desagradáveis e sérios;
Alguns conceitos
Homeopatia – significa “sofrimento semelhante”, e está baseada
na lei do tratamento do semelhante. O medicamento
homeopático de origem vegetal, animal ou mineral pode causar
certo quadro de sintomas em um indivíduo saudável, curará o
mesmo quadro de sintomas quando presentes em um indivíduo
doente. O tratamento homeopático trata o indivíduo como um
todo ao invés de unicamente a doença. O medicamento
homeopático corresponde à energia de quantidades diminutas da
substância; proporcionando ausência de efeitos colaterais e
dependência;
Alguns conceitos
Farmacopeia – é o Código Oficial do País que estabelece os
requisitos mínimos de qualidade para os fármacos, insumos,
drogas vegetais, medicamentos e produtos para a saúde. É
elaborada em parceria com universidades credenciadas e
homologada pela Comissão da Farmacopeia e pela agência de
vigilância sanitária. A Farmacopeia Brasileira está em sua 6ª
edição sendo uma entidade que faz parte da ANVISA.
Plantas e suas finalidades:
matéria-prima para:
•medicamentos
•alimentos
•cosméticos
•perfumaria
•aromatizantes
•outros
(Vetiveriazizanioides-Vetiver)
Plantas Medicinais
extrato
total
extrato
purificado
princípio
ativo isolado
purificação semi-síntese
fitocomplexo
medicamento químico
medicamento fitoterápico
remédio
fitoterápico
planta in
natura
Condições para que uma matéria possa
ser considerada como droga, segundo o
sentido farmacognóstico
• Ser de origem vegetal ou animal.
• Ter sido submetida a processo de coleta e
conservação (secagem).
• Não ser obtida por meio de processos extrativos
delicados (droga derivada).
• Possuir propriedades farmacodinâmicas ou ser
considerada como necessidade farmacêutica.
A Farmacognosia estuda tanto
substâncias com propriedades
terapêuticas como substâncias tóxicas,
excipientes e outras substâncias de
interesse farmacêutico, mesmo que
seu uso seja basicamente tecnológico
e não terapêutico (por exemplo, amido,
algodão) (KUKLINSKI, C. 2003).
Farmacognosia.pptx
Farmacognosia.pptx
Objetivos da Farmacognosia
• Determinar a origem sistemática da espécie
(vegetal ou animal) da qual procede a droga.
• Estabelecer características morfoanatômicas,
tanto macroscópicas e microscópicas, como
organolépticas, que permitam a
caracterização da droga.
• Investigar os métodos de produção das
drogas.
• Estabelecer a composição química da
droga, tanto qualitativa como
quantitativamente.
• Obter extratos da droga que contenham
os princípios ativos.
• Controlar a qualidade das drogas:
assegurar a ausência de certos produtos
tóxicos e evitar adulterações e
falsificações.
• Estabelecer as propriedades
farmacológicas, isto é, sua atividade.
• Investigar novos princípios ativos que
possam constituir o ponto de partida para
o desenvolvimento futuro de novos
fármacos.
Farmacognosia.pptx

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula - Farmacotécnica 1
Aula - Farmacotécnica 1Aula - Farmacotécnica 1
Aula - Farmacotécnica 1
RhayNaro
 
36854375 apostila-pratica-farmacotecnica
36854375 apostila-pratica-farmacotecnica36854375 apostila-pratica-farmacotecnica
36854375 apostila-pratica-farmacotecnica
Marcia Cristina
 
Farmacognosia- drogas e princípio ativos
Farmacognosia- drogas e princípio ativosFarmacognosia- drogas e princípio ativos
Farmacognosia- drogas e princípio ativos
Maria Luiza
 
Farmacotécnica
FarmacotécnicaFarmacotécnica
Farmacotécnica
Julia Martins Ulhoa
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Cassyano Correr
 
13 alcaloides
13 alcaloides13 alcaloides
13 alcaloides
Maria Luiza
 
Insumos Ativos e Inertes
Insumos Ativos e InertesInsumos Ativos e Inertes
Insumos Ativos e Inertes
Safia Naser
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Márcio Ravazoli
 
Livro farmacognosia
Livro farmacognosiaLivro farmacognosia
Livro farmacognosia
Nemésio Carlos Silva
 
Fitoterapia racional
Fitoterapia racionalFitoterapia racional
Fitoterapia racional
Márcio Ravazoli
 
Introdução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaIntrodução a Homeopatia
Introdução a Homeopatia
Safia Naser
 
Homeopatia 2 teórica
Homeopatia   2 teóricaHomeopatia   2 teórica
Homeopatia 2 teórica
ilanaseixasladeia
 
Fundamentos da Homeopatia
Fundamentos da HomeopatiaFundamentos da Homeopatia
Fundamentos da Homeopatia
PauloEdson22
 
Flavonoides
FlavonoidesFlavonoides
Plantas Medicinais E NutriçãO
Plantas Medicinais E NutriçãOPlantas Medicinais E NutriçãO
Plantas Medicinais E NutriçãO
PRISCILA7PIVA
 
Métodos de extração
Métodos de extraçãoMétodos de extração
Métodos de extração
vanessaracele
 
C:\Fakepath\Fitoterapia
C:\Fakepath\FitoterapiaC:\Fakepath\Fitoterapia
C:\Fakepath\Fitoterapia
guestb8a1440
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
Venturini Cláudio Luís
 
Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt
apemfc
 
Farmacologia Homeopática
Farmacologia HomeopáticaFarmacologia Homeopática
Farmacologia Homeopática
Safia Naser
 

Mais procurados (20)

Aula - Farmacotécnica 1
Aula - Farmacotécnica 1Aula - Farmacotécnica 1
Aula - Farmacotécnica 1
 
36854375 apostila-pratica-farmacotecnica
36854375 apostila-pratica-farmacotecnica36854375 apostila-pratica-farmacotecnica
36854375 apostila-pratica-farmacotecnica
 
Farmacognosia- drogas e princípio ativos
Farmacognosia- drogas e princípio ativosFarmacognosia- drogas e princípio ativos
Farmacognosia- drogas e princípio ativos
 
Farmacotécnica
FarmacotécnicaFarmacotécnica
Farmacotécnica
 
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços FarmacêuticosLivro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
Livro - Farmácia Clínica e Serviços Farmacêuticos
 
13 alcaloides
13 alcaloides13 alcaloides
13 alcaloides
 
Insumos Ativos e Inertes
Insumos Ativos e InertesInsumos Ativos e Inertes
Insumos Ativos e Inertes
 
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
Fitoterapia (Histórico) SENAC 2013
 
Livro farmacognosia
Livro farmacognosiaLivro farmacognosia
Livro farmacognosia
 
Fitoterapia racional
Fitoterapia racionalFitoterapia racional
Fitoterapia racional
 
Introdução a Homeopatia
Introdução a HomeopatiaIntrodução a Homeopatia
Introdução a Homeopatia
 
Homeopatia 2 teórica
Homeopatia   2 teóricaHomeopatia   2 teórica
Homeopatia 2 teórica
 
Fundamentos da Homeopatia
Fundamentos da HomeopatiaFundamentos da Homeopatia
Fundamentos da Homeopatia
 
Flavonoides
FlavonoidesFlavonoides
Flavonoides
 
Plantas Medicinais E NutriçãO
Plantas Medicinais E NutriçãOPlantas Medicinais E NutriçãO
Plantas Medicinais E NutriçãO
 
Métodos de extração
Métodos de extraçãoMétodos de extração
Métodos de extração
 
C:\Fakepath\Fitoterapia
C:\Fakepath\FitoterapiaC:\Fakepath\Fitoterapia
C:\Fakepath\Fitoterapia
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt Matriciamento fitoterapicos .ppt
Matriciamento fitoterapicos .ppt
 
Farmacologia Homeopática
Farmacologia HomeopáticaFarmacologia Homeopática
Farmacologia Homeopática
 

Semelhante a Farmacognosia.pptx

Importancia da elaboração de monografias de plantas
Importancia da elaboração de monografias de plantasImportancia da elaboração de monografias de plantas
Importancia da elaboração de monografias de plantas
Universidade Anhanguera de São Paulo - Unidade Pirituba
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
Claudio Luis Venturini
 
Fitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptx
Fitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptxFitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptx
Fitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptx
YannAntonio
 
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 spProf Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Universidade Anhanguera de São Paulo - Unidade Pirituba
 
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdfApostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
CarolLima87568
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdfAula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
MARCIARODRIGUES121891
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
GustavoWallaceAlvesd
 
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxintroduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
BruceCosta5
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Farmacia
FarmaciaFarmacia
Farmacia
Vilmar Barbosa
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
marigrace23
 
metodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdf
metodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdfmetodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdf
metodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdf
HebraynNascimentoDea2
 
Vitafoods 2014 presentation
Vitafoods 2014 presentationVitafoods 2014 presentation
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
Jucie Vasconcelos
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
MadjaLdio
 
enfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptxenfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptx
tuttitutti1
 
Aula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemAula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagem
Nito Joao Sunde
 
Fitoterápicos conceitos técnicos
Fitoterápicos  conceitos técnicosFitoterápicos  conceitos técnicos
Fitoterápicos conceitos técnicos
Prefeitura Municipal de Bandeirantes,PR
 
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013   - Introduçao à farmacologiaMedResumos 2013   - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
Maiara Lima
 

Semelhante a Farmacognosia.pptx (20)

Importancia da elaboração de monografias de plantas
Importancia da elaboração de monografias de plantasImportancia da elaboração de monografias de plantas
Importancia da elaboração de monografias de plantas
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
 
Fitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptx
Fitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptxFitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptx
Fitoterapia novo materia completa do curso de farmacia.pptx
 
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 spProf Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
Prof Niraldo Abertura do Curso de Fitoterapia Clínica parte 1 sp
 
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdfApostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
Apostila 01 - ConceitosFarmacêuticos.pdf
 
Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdfAula Plantas medicinais I-2-53.pdf
Aula Plantas medicinais I-2-53.pdf
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
 
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptxintroduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
introduoafarmacologia-221102180142-bc7d9420.pptx
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Farmacia
FarmaciaFarmacia
Farmacia
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
 
metodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdf
metodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdfmetodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdf
metodos-de-extracao-para-producao-de-fitoterapicos.pdf
 
Vitafoods 2014 presentation
Vitafoods 2014 presentationVitafoods 2014 presentation
Vitafoods 2014 presentation
 
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011Farmacologia 01   introdução a farmacologia - med resumos 2011
Farmacologia 01 introdução a farmacologia - med resumos 2011
 
Introdução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptxIntrodução a Farmacologia.pptx
Introdução a Farmacologia.pptx
 
enfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptxenfermagem em far.pptx
enfermagem em far.pptx
 
Aula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagemAula 1 curso de enfermagem
Aula 1 curso de enfermagem
 
Fitoterápicos conceitos técnicos
Fitoterápicos  conceitos técnicosFitoterápicos  conceitos técnicos
Fitoterápicos conceitos técnicos
 
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013   - Introduçao à farmacologiaMedResumos 2013   - Introduçao à farmacologia
MedResumos 2013 - Introduçao à farmacologia
 

Farmacognosia.pptx

  • 2. • Farmacognosia: ciência farmacêutica que se ocupa do estudo das drogas e substâncias medicamentosas de origem natural: vegetal e animal (incluindo-se o microbiano). Estuda tanto substâncias com propriedades terapêuticas como substâncias tóxicas, excipientes ou outras substâncias de interesse farmacêutico. (KUKLINSKI, C. 2003) vegetais animais Farmacognosia Enfoque principal: plantas medicinais minerais
  • 7. As plantas medicinais foram descobertas pelo homem através da procura por alimentos, e desde então, foram aplicadas empiricamente para tratamento de patologias. Plantas com propriedades conservantes; Plantas com propriedades cosméticas; Plantas com propriedades medicinais; Plantas tóxicas.
  • 9. Dioscórides(40-90 aC) –Escreveu a primeira farmacopeia conhecida (“De MateriaMedica”). “Nascimento” da Farmacognosia 1815 – Alemanha Seydler (Analecta Pharmacognostica) – Ciência que estudava as matérias de origem natural usadas no tratamento das enfermidades.
  • 10. • Segundo dados da OMS 80% da população mundial depende das práticas tradicionais no que se refere à atenção primária à saúde, e 85% dessa parcela utiliza plantas ou preparações a base de vegetais. matéria - prima vegetal in natura extratos sub-produtos (óleos, gomas, resinas etc) uso não tecnológico: popular ou nos serviços de saúde / organizações que trabalham com matéria-prima vegetal (remédios) etc. uso tecnológico, industrial: indústrias de medicamentos (fitoterápicos e químicos), alimentos, condimentos, cosméticos, perfumes, aromas, produtos químicos e fitossanitários, pigmentos etc.
  • 11. Alguns conceitos Matéria-prima Vegetal - planta fresca ou droga vegetal ou o preparado fitoterápico intermediário empregado na fabricação de produto fitoterápico; Planta Medicinal – é a planta selecionada, silvestre ou cultivada, utilizada popularmente como remédio o tratamento de doenças. Segundo a OMS, é toda e qualquer planta contendo substâncias que possam ser usadas para prevenir, aliviar, curar ou modificar um processo fisiológico normal ou fisiológico normal ou patológico e que possa servir como fonte de fitofármacos e de seus precursores para síntese químico-farmacêutica; Droga Vegetal - é a planta ou suas partes que, após processo de coleta, secagem, estabilização e conservação, justificam seu emprego na preparação de medicamento;
  • 13. Exemplo de Droga vegetal (Curcuma longa – CÚRCUMA) rizoma Droga vegetal
  • 16. Alguns conceitos Princípio ativo - substância ou grupo delas, quimicamente caracterizadas, cuja ação farmacológica é conhecida e responsável, total ou parcialmente, pelos efeitos terapêuticos do produto fitoterápico; Produto Fitoterápico - é todo medicamento tecnicamente obtido e elaborado, empregando-se exclusivamente matérias-primas ativas vegetais, com finalidade profilática, curativa ou para fins de diagnósticos, com benefício para o usuário. É o produto final acabado, embalado e rotulado. Não podem estar incluídas substâncias ativas de outras origens, não sendo considerado produto fitoterápico quaisquer substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal, ou mesmo em misturas;
  • 17. Alguns conceitos Preparado Fitoterápico Intermediário - produto vegetal triturado, pulverizado, rasurado, extrato, tintura, óleo fixo ou volátil, cera, suco e outros, obtido de plantas frescas e de drogas vegetais, por meio de operações de fracionamento, extração, purificação ou concentração utilizado na preparação de produto fitoterápico; Medicamento Fitoterápico Magistral – aquele preparado atendendo a uma prescrição médica que estabelece sua composição, forma farmacêutica, posologia e modo de usar. Devem ser compostos exclusivamente por matéria-prima vegetal, sem adição de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal;
  • 18. Alguns conceitos Medicamento Fitoterápico Oficinal – aquele preparado atendendo a uma prescrição, cuja fórmula esteja na Farmacopeia Brasileira ou compêndios ou Formulários reconhecidos oficialmente. Devem ser compostos exclusivamente por matéria- prima vegetal, sem adição de substâncias ativas isoladas, ainda que de origem vegetal; Fitofármaco – substância química isolada de vegetais, empregada para modificar ou explorar sistemas fisiológicos dos estados patológicos em benefício da pessoa à qual se administra; Morfina
  • 19. Medicamento fitoterápico brasileiro contendo planta medicinal brasileira (Cordiaverbenacea–erva baleeira)
  • 20. Medicamento contendo fitofármaco retirado de uma planta medicinal Jaborandi Pilocarpus jaborandi Hulmes P. Pinnatifoliusn Lem. Colírio para o tratamento do glaucoma folha
  • 21. Alguns conceitos Marcadores - constituintes quimicamente definidos presentes na matéria-prima vegetal, preferencialmente os próprios ativos, destinados ao controle de qualidade da matéria-prima vegetal, dos preparados fitoterápicos intermediários e dos produtos fitoterápicos; Alopatia – sistema terapêutico da medicina convencional que visa tratar as doenças por meios contrários a elas. A prescrição alopática age em sentido oposto; administrado em doses de material em estado natural. O medicamento alopático produzido por síntese ou semissintése é escolhido por causar sintomas opostos àqueles apresentados pelo paciente, proporcionando efeitos colaterais desagradáveis e sérios;
  • 22. Alguns conceitos Homeopatia – significa “sofrimento semelhante”, e está baseada na lei do tratamento do semelhante. O medicamento homeopático de origem vegetal, animal ou mineral pode causar certo quadro de sintomas em um indivíduo saudável, curará o mesmo quadro de sintomas quando presentes em um indivíduo doente. O tratamento homeopático trata o indivíduo como um todo ao invés de unicamente a doença. O medicamento homeopático corresponde à energia de quantidades diminutas da substância; proporcionando ausência de efeitos colaterais e dependência;
  • 23. Alguns conceitos Farmacopeia – é o Código Oficial do País que estabelece os requisitos mínimos de qualidade para os fármacos, insumos, drogas vegetais, medicamentos e produtos para a saúde. É elaborada em parceria com universidades credenciadas e homologada pela Comissão da Farmacopeia e pela agência de vigilância sanitária. A Farmacopeia Brasileira está em sua 6ª edição sendo uma entidade que faz parte da ANVISA.
  • 24. Plantas e suas finalidades: matéria-prima para: •medicamentos •alimentos •cosméticos •perfumaria •aromatizantes •outros (Vetiveriazizanioides-Vetiver)
  • 25. Plantas Medicinais extrato total extrato purificado princípio ativo isolado purificação semi-síntese fitocomplexo medicamento químico medicamento fitoterápico remédio fitoterápico planta in natura
  • 26. Condições para que uma matéria possa ser considerada como droga, segundo o sentido farmacognóstico • Ser de origem vegetal ou animal. • Ter sido submetida a processo de coleta e conservação (secagem). • Não ser obtida por meio de processos extrativos delicados (droga derivada). • Possuir propriedades farmacodinâmicas ou ser considerada como necessidade farmacêutica.
  • 27. A Farmacognosia estuda tanto substâncias com propriedades terapêuticas como substâncias tóxicas, excipientes e outras substâncias de interesse farmacêutico, mesmo que seu uso seja basicamente tecnológico e não terapêutico (por exemplo, amido, algodão) (KUKLINSKI, C. 2003).
  • 30. Objetivos da Farmacognosia • Determinar a origem sistemática da espécie (vegetal ou animal) da qual procede a droga. • Estabelecer características morfoanatômicas, tanto macroscópicas e microscópicas, como organolépticas, que permitam a caracterização da droga. • Investigar os métodos de produção das drogas.
  • 31. • Estabelecer a composição química da droga, tanto qualitativa como quantitativamente. • Obter extratos da droga que contenham os princípios ativos. • Controlar a qualidade das drogas: assegurar a ausência de certos produtos tóxicos e evitar adulterações e falsificações.
  • 32. • Estabelecer as propriedades farmacológicas, isto é, sua atividade. • Investigar novos princípios ativos que possam constituir o ponto de partida para o desenvolvimento futuro de novos fármacos.