SlideShare uma empresa Scribd logo
ESCOLAS PÚBLICAS
CONDIÇÕES DE SANEAMENTO E
CONSERVAÇÃO
MAIO 2018
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 1
ÍNDICE
Relatório Metodológico
Principais Conclusões
Conclusões da fase Exploratória
◦ 1.1 Escolas Públicas – Estado de conservação e condições
◦ 1.2 As casas de banho - Diagnóstico
◦ 1.3 As casas de banho – Problemas
◦ 1.4 As casas de banho – Impacto
Conclusões da fase Quantitativa
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 2
RELATÓRIO METODOLÓGICO
Target – Mães de crianças do 1º ao 3º Ciclo a frequentar escolas públicas.
Etapa Exploratória – Realização de 2 Focus Group, contrastando escolas eminentemente urbanas
com escolas de zonas rurais (Lisboa e Norte do País)
Etapa quantitativa - Confirmação e sistematização das tendências identificadas na fase qualitativa
e caracterização do parque escolar público em termos de saneamento básico.
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 3
CONCLUSÕES DA FASE
EXPLORATÓRIA
ESTE RELATÓRIO DE ANÁLISE EXPLORATÓRIA DEVERÁ SER ENTENDIDO COMO
UMA FONTE DE INFORMAÇÃO PRELIMINAR PARA O DESENVOLVIMENTO DA
FASE QUANTITATIVA POSTERIOR.
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 4
1.1 ESCOLAS PÚBLICAS – ESTADO DE CONSERVAÇÃO E
CONDIÇÕES
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 5
1.2 As casas de banho - Diagnóstico
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 6
1.2 As casas de banho - Diagnóstico
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 7
1.2 As casas de banho - Diagnóstico
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 8
1.2 As casas de banho - Diagnóstico
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 9
1.2 As casas de banho - Diagnóstico
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 10
1.2 As casas de banho - Diagnóstico
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 11
1.3 As casas de banho - Problemas
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 12
1.4 As casas de banho - Impacto
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 13
CONCLUSÕES DA FASE
QUANTITATIVA
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 14
Notas metodológicas
Uma amostra equilibrada em termos de ciclo de escolaridade;
Foram consideradas duas zonas geográficas, nomeadamente “Lisboa e Porto” que inclui, as duas
grandes zonas metropolitanas e “Outras Zonas” que engloba o resto do País, principalmente pelas
suas caraterísticas mais “rurais”;
Foram consideradas as segmentações Sexo das crianças, Ano de Escolaridade e Zona Geográfica,
que serão apresentadas sempre que existam diferenças significativas que o justifiquem.
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 15
3.1. Caraterização da amostra
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 16
Conclusões
De uma forma geral, e salvo o natural empolamento deste tema por parte dos pais, o parque escolar público do País, parece deficitário ao nível das
suas instalações;
São determinantes nesta avaliação, a dimensão das escolas, que são tanto maiores, quanto mais subimos no ano de escolaridade, em especial pelo
facto do primeiro ciclo se encontrar regra geral em escolas dedicadas (apenas 1º ciclo) e existir uma elevada percentagem de escolas que agregam o
2º e 3º ciclo (mais de 35%). A zona geográfica, em especial as periferias de Lisboa e Porto, que juntamente com os ciclos escolares, vão ser
determinantes nesta análise.
Na sua grande maioria a qualidade das instalações apresenta uma avaliação na zona negativa (abaixo de 3, numa escala de 5) sendo as casas de
banho, espaços exteriores e salas de aula, as zonas mais degradadas das escolas, com queixas mais acentuadas na zona da Grande Lisboa e Porto;
Como seria de esperar e tendo em conta os aspetos identificados como mais deficientes em termos de limpeza e conservação, as casas de banho,
apresentam uma péssima avaliação, sendo as principais queixas das crianças, a falta de papel higiénico e de produtos de higiene pessoal, a par da
limpeza deficiente e mau cheiro;
Claramente e como já foi referido, o primeiro ciclo apresenta uma diferença significativa para melhor, com 45% de referências à ausência de problemas
com a higiene dos WC.
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 17
Conclusões
Tendo em conta as situações mais recorrentes ao nível dos problemas de higiene das casas de banho escolares, poderemos a título
indicativo apresentar um indicador de performance (com base na ausência de ocorrências) de 24% para o 1º ciclo e 22% para “outras
zonas”, estando as restantes segmentações sistematicamente abaixo de 20%;
Tendo em conta a frequência das situações e o grau de preocupação ou importância no dia a dia dos alunos (impacto), são determinantes a
falta de papel higiénico, de sabonete, segurança, privacidade, funcionários no local o mau cheiro a falta de limpeza e as sanitas entupidas;
É aqui que se verificam as principais diferenças de segmentação, com destaque para:
◦ Maior impacto das deficiências dos WC para os alunos do sexo feminino, reduzindo-se o nível de impacto nos estudantes masculinos, à falta de papel higiénico
e sanitas entupidas;
◦ O segundo ciclo, onde se verifica um aumento significativo do impacto de todas estas caraterísticas e com destaque ainda para o mau funcionamento dos
autoclismos e lavatórios que não funcionam;
◦ Curiosamente o nível de impacto no primeiro e terceiro ciclo é consideravelmente inferior, o que se justifica pelo primeiro ciclo, apresentar menos problemas
(como se viu anteriormente) e no terceiro ciclo, por se tratar de crianças mais velhas (falta de papel higiénico como determinante). O segundo ciclo, tratando-
se de uma transição escolar, concentra maior preocupação neste tipo de ocorrências, em especial quando se verifica a existência de uma casa de banho por
cada 63 alunos no primeiro ciclo e um rácio do dobro quando transitam para o segundo ciclo (um WC por cada 140 alunos);
◦ O mesmo se passa com as zonas do País fora dos grandes centros, onde o impacto destas situações é bastante inferior, quando comprado com os grandes
centros, com destaque para as sanitas entupidas.
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 18
Conclusões
De uma forma geral, apenas 41% dos alunos das escolas públicas, utilizam as casas de banho escolares,
sempre que necessitam, sendo superior (perto de 60% ) para o primeiro ciclo e nas outras zonas do
País.
Com um peso elevado para a não utilização das casas de banho nas escolas, derivado em parte pelas
suas condições de higiene, as principais preocupações ao nível da saúde, dizem respeito ao risco de
contaminação bacteriológica ou viral, pela utilização de casas de banho sem uma higiene correta e à
privação das necessidades fisiológicas e sua consequente habituação com impacto negativo na saúde.
Este último aspeto é determinante nas diferenças de segmentos com um forte incremento para o sexo
feminino, o segundo e terceiro ciclo e nas grandes zonas urbanas;
Quando confrontadas com a intervenção de uma marca de produtos de limpeza, no apoio às condições
de saneamento escolar, mais de 50% concorda com este tipo de intervenção não surgindo nesta área
de informação recolhida, diferenças significativas de acordo com as segmentações consideradas;
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 19
3.2. Caraterização das Escolas
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 20
3.2. Caraterização das Escolas
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 21
3.3. Instalações sanitárias
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 22
3.3. Instalações sanitárias
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 23
3.3. Instalações sanitárias
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 24
3.3. Instalações sanitárias
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 25
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 26
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 27
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 28
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 29
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 30
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 31
3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes
e impacto no dia a dia
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 32
3.5. Instalações sanitárias – Rotina de utilização
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 33
3.6. Instalações sanitárias – Impacto na Saúde
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 34
3.6. Instalações sanitárias – Impacto na Saúde
ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 35

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Escolas publicas condicoes_de_saneamento_e_conservacao

JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...
JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...
JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...
Editora Moderna
 
Perfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTE
Perfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTEPerfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTE
Perfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTE
Erivelto Teixeira
 
Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...
Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...
Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...
bio_fecli
 
Aee 10 ag_cego_maio_r
Aee 10 ag_cego_maio_rAee 10 ag_cego_maio_r
Aee 10 ag_cego_maio_r
ddfdelfim
 
Projeto Alerta nas Escolas 2013
Projeto Alerta nas Escolas 2013Projeto Alerta nas Escolas 2013
Projeto Alerta nas Escolas 2013
Diego Rocha
 
VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19
VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19
VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19
Portal da Inovação em Saúde
 
Resumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º Trabalho
Resumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º TrabalhoResumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º Trabalho
Resumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º Trabalho
forumdealimetacao
 
Plano Contingência
Plano ContingênciaPlano Contingência
Plano Contingência
Jose Tomaz
 
Apresentação pse
Apresentação pseApresentação pse
Apresentação pse
Lethyciasuartte
 
Avaliação de curso em Educação Ambiental
Avaliação de curso em Educação Ambiental Avaliação de curso em Educação Ambiental
Avaliação de curso em Educação Ambiental
AlexandredeGusmaoPedrini
 
Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...
Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...
Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...
revistas - UEPG
 
Plano contigencia apel_gripe_a
Plano contigencia apel_gripe_aPlano contigencia apel_gripe_a
Plano contigencia apel_gripe_a
Paulo H Bueno
 
Resumo expandido percepção ambiental
Resumo expandido percepção ambientalResumo expandido percepção ambiental
Resumo expandido percepção ambiental
Raullyan Borja Lima e Silva
 
Relatório da auditoria ambiental
Relatório da auditoria ambientalRelatório da auditoria ambiental
Relatório da auditoria ambiental
Ecoleca
 
A percepção de riscos e o meio ambiente
A percepção de riscos e o meio ambienteA percepção de riscos e o meio ambiente
A percepção de riscos e o meio ambiente
Universidade Federal Fluminense
 
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão ReisA educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão Reis
José Moura Carvalho
 
Aproveitamento de Água de Chuva
Aproveitamento de Água de ChuvaAproveitamento de Água de Chuva
Aproveitamento de Água de Chuva
Márcia Carlon
 
LIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃO
LIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃOLIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃO
LIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃO
johnbasadila
 
Jepex 2012 legislação isabelle
Jepex 2012 legislação isabelleJepex 2012 legislação isabelle
Jepex 2012 legislação isabelle
isabellemeunier
 
Projeto impactos ambientais
Projeto impactos ambientaisProjeto impactos ambientais
Projeto impactos ambientais
Escola Tancredo A. Neves
 

Semelhante a Escolas publicas condicoes_de_saneamento_e_conservacao (20)

JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...
JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...
JORNADA DIGITAL #2 | Mudanças físicas no ambiente escolar e saúde pública: de...
 
Perfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTE
Perfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTEPerfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTE
Perfil epidemiológico de parasitos intestinais TIMOR-LESTE
 
Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...
Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...
Excesso de peso e obesidade em alunos do ensino fundamental de iguatu ce cont...
 
Aee 10 ag_cego_maio_r
Aee 10 ag_cego_maio_rAee 10 ag_cego_maio_r
Aee 10 ag_cego_maio_r
 
Projeto Alerta nas Escolas 2013
Projeto Alerta nas Escolas 2013Projeto Alerta nas Escolas 2013
Projeto Alerta nas Escolas 2013
 
VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19
VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19
VIGILANCIA EM SAÚDE NA UFPR CORONAVÍRUS Covid-19
 
Resumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º Trabalho
Resumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º TrabalhoResumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º Trabalho
Resumo Fenerc 2011 -Aripuana 2º Trabalho
 
Plano Contingência
Plano ContingênciaPlano Contingência
Plano Contingência
 
Apresentação pse
Apresentação pseApresentação pse
Apresentação pse
 
Avaliação de curso em Educação Ambiental
Avaliação de curso em Educação Ambiental Avaliação de curso em Educação Ambiental
Avaliação de curso em Educação Ambiental
 
Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...
Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...
Educação infantil diante da pandemia causada pela Covid-19: no cenário o prog...
 
Plano contigencia apel_gripe_a
Plano contigencia apel_gripe_aPlano contigencia apel_gripe_a
Plano contigencia apel_gripe_a
 
Resumo expandido percepção ambiental
Resumo expandido percepção ambientalResumo expandido percepção ambiental
Resumo expandido percepção ambiental
 
Relatório da auditoria ambiental
Relatório da auditoria ambientalRelatório da auditoria ambiental
Relatório da auditoria ambiental
 
A percepção de riscos e o meio ambiente
A percepção de riscos e o meio ambienteA percepção de riscos e o meio ambiente
A percepção de riscos e o meio ambiente
 
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão ReisA educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão Reis
A educação à luz do digital: o olhar da economia da educação - Ana Balcão Reis
 
Aproveitamento de Água de Chuva
Aproveitamento de Água de ChuvaAproveitamento de Água de Chuva
Aproveitamento de Água de Chuva
 
LIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃO
LIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃOLIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃO
LIXO NO BAIRRO PILOTO, DISSERTAÇÃO
 
Jepex 2012 legislação isabelle
Jepex 2012 legislação isabelleJepex 2012 legislação isabelle
Jepex 2012 legislação isabelle
 
Projeto impactos ambientais
Projeto impactos ambientaisProjeto impactos ambientais
Projeto impactos ambientais
 

Mais de sonia afonso

lab7_teste_gramatica_8.docx
lab7_teste_gramatica_8.docxlab7_teste_gramatica_8.docx
lab7_teste_gramatica_8.docx
sonia afonso
 
lab7_teste_gramatica_5.docx
lab7_teste_gramatica_5.docxlab7_teste_gramatica_5.docx
lab7_teste_gramatica_5.docx
sonia afonso
 
Restauração da Independência quem foi aclamado rei.docx
Restauração da Independência quem foi aclamado rei.docxRestauração da Independência quem foi aclamado rei.docx
Restauração da Independência quem foi aclamado rei.docx
sonia afonso
 
O Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docx
O Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docxO Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docx
O Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docx
sonia afonso
 
PenguinPinENG.en.pt (1).pdf
PenguinPinENG.en.pt (1).pdfPenguinPinENG.en.pt (1).pdf
PenguinPinENG.en.pt (1).pdf
sonia afonso
 
Finn_the_fish.pdf
Finn_the_fish.pdfFinn_the_fish.pdf
Finn_the_fish.pdf
sonia afonso
 
15 - DIVERSOS.pdf
15 - DIVERSOS.pdf15 - DIVERSOS.pdf
15 - DIVERSOS.pdf
sonia afonso
 
Condições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docx
Condições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docxCondições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docx
Condições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docx
sonia afonso
 
ALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdf
ALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdfALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdf
ALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdf
sonia afonso
 
classes_palavras
classes_palavrasclasses_palavras
classes_palavras
sonia afonso
 
caderno-atividades-matematica-7oano.pdf
caderno-atividades-matematica-7oano.pdfcaderno-atividades-matematica-7oano.pdf
caderno-atividades-matematica-7oano.pdf
sonia afonso
 
Aeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiaoAeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiao
sonia afonso
 
Grandes ideias-resumo-6-ing
Grandes ideias-resumo-6-ingGrandes ideias-resumo-6-ing
Grandes ideias-resumo-6-ing
sonia afonso
 

Mais de sonia afonso (13)

lab7_teste_gramatica_8.docx
lab7_teste_gramatica_8.docxlab7_teste_gramatica_8.docx
lab7_teste_gramatica_8.docx
 
lab7_teste_gramatica_5.docx
lab7_teste_gramatica_5.docxlab7_teste_gramatica_5.docx
lab7_teste_gramatica_5.docx
 
Restauração da Independência quem foi aclamado rei.docx
Restauração da Independência quem foi aclamado rei.docxRestauração da Independência quem foi aclamado rei.docx
Restauração da Independência quem foi aclamado rei.docx
 
O Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docx
O Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docxO Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docx
O Império Português no século XVI e Lisboa Quinhentista.docx
 
PenguinPinENG.en.pt (1).pdf
PenguinPinENG.en.pt (1).pdfPenguinPinENG.en.pt (1).pdf
PenguinPinENG.en.pt (1).pdf
 
Finn_the_fish.pdf
Finn_the_fish.pdfFinn_the_fish.pdf
Finn_the_fish.pdf
 
15 - DIVERSOS.pdf
15 - DIVERSOS.pdf15 - DIVERSOS.pdf
15 - DIVERSOS.pdf
 
Condições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docx
Condições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docxCondições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docx
Condições da Terra que permitiram o desenvolvimento e a manutenção da vida.docx
 
ALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdf
ALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdfALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdf
ALFA-4º ANO-FICHAS DE CONSOLIDAÇÃO-2.pdf
 
classes_palavras
classes_palavrasclasses_palavras
classes_palavras
 
caderno-atividades-matematica-7oano.pdf
caderno-atividades-matematica-7oano.pdfcaderno-atividades-matematica-7oano.pdf
caderno-atividades-matematica-7oano.pdf
 
Aeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiaoAeplv617 piratas teatro_guiao
Aeplv617 piratas teatro_guiao
 
Grandes ideias-resumo-6-ing
Grandes ideias-resumo-6-ingGrandes ideias-resumo-6-ing
Grandes ideias-resumo-6-ing
 

Último

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.Caça-palavaras  e cruzadinha  - Dígrafos.
Caça-palavaras e cruzadinha - Dígrafos.
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 

Escolas publicas condicoes_de_saneamento_e_conservacao

  • 1. ESCOLAS PÚBLICAS CONDIÇÕES DE SANEAMENTO E CONSERVAÇÃO MAIO 2018 ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 1
  • 2. ÍNDICE Relatório Metodológico Principais Conclusões Conclusões da fase Exploratória ◦ 1.1 Escolas Públicas – Estado de conservação e condições ◦ 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ◦ 1.3 As casas de banho – Problemas ◦ 1.4 As casas de banho – Impacto Conclusões da fase Quantitativa ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 2
  • 3. RELATÓRIO METODOLÓGICO Target – Mães de crianças do 1º ao 3º Ciclo a frequentar escolas públicas. Etapa Exploratória – Realização de 2 Focus Group, contrastando escolas eminentemente urbanas com escolas de zonas rurais (Lisboa e Norte do País) Etapa quantitativa - Confirmação e sistematização das tendências identificadas na fase qualitativa e caracterização do parque escolar público em termos de saneamento básico. ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 3
  • 4. CONCLUSÕES DA FASE EXPLORATÓRIA ESTE RELATÓRIO DE ANÁLISE EXPLORATÓRIA DEVERÁ SER ENTENDIDO COMO UMA FONTE DE INFORMAÇÃO PRELIMINAR PARA O DESENVOLVIMENTO DA FASE QUANTITATIVA POSTERIOR. ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 4
  • 5. 1.1 ESCOLAS PÚBLICAS – ESTADO DE CONSERVAÇÃO E CONDIÇÕES ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 5
  • 6. 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 6
  • 7. 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 7
  • 8. 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 8
  • 9. 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 9
  • 10. 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 10
  • 11. 1.2 As casas de banho - Diagnóstico ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 11
  • 12. 1.3 As casas de banho - Problemas ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 12
  • 13. 1.4 As casas de banho - Impacto ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 13
  • 14. CONCLUSÕES DA FASE QUANTITATIVA ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 14
  • 15. Notas metodológicas Uma amostra equilibrada em termos de ciclo de escolaridade; Foram consideradas duas zonas geográficas, nomeadamente “Lisboa e Porto” que inclui, as duas grandes zonas metropolitanas e “Outras Zonas” que engloba o resto do País, principalmente pelas suas caraterísticas mais “rurais”; Foram consideradas as segmentações Sexo das crianças, Ano de Escolaridade e Zona Geográfica, que serão apresentadas sempre que existam diferenças significativas que o justifiquem. ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 15
  • 16. 3.1. Caraterização da amostra ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 16
  • 17. Conclusões De uma forma geral, e salvo o natural empolamento deste tema por parte dos pais, o parque escolar público do País, parece deficitário ao nível das suas instalações; São determinantes nesta avaliação, a dimensão das escolas, que são tanto maiores, quanto mais subimos no ano de escolaridade, em especial pelo facto do primeiro ciclo se encontrar regra geral em escolas dedicadas (apenas 1º ciclo) e existir uma elevada percentagem de escolas que agregam o 2º e 3º ciclo (mais de 35%). A zona geográfica, em especial as periferias de Lisboa e Porto, que juntamente com os ciclos escolares, vão ser determinantes nesta análise. Na sua grande maioria a qualidade das instalações apresenta uma avaliação na zona negativa (abaixo de 3, numa escala de 5) sendo as casas de banho, espaços exteriores e salas de aula, as zonas mais degradadas das escolas, com queixas mais acentuadas na zona da Grande Lisboa e Porto; Como seria de esperar e tendo em conta os aspetos identificados como mais deficientes em termos de limpeza e conservação, as casas de banho, apresentam uma péssima avaliação, sendo as principais queixas das crianças, a falta de papel higiénico e de produtos de higiene pessoal, a par da limpeza deficiente e mau cheiro; Claramente e como já foi referido, o primeiro ciclo apresenta uma diferença significativa para melhor, com 45% de referências à ausência de problemas com a higiene dos WC. ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 17
  • 18. Conclusões Tendo em conta as situações mais recorrentes ao nível dos problemas de higiene das casas de banho escolares, poderemos a título indicativo apresentar um indicador de performance (com base na ausência de ocorrências) de 24% para o 1º ciclo e 22% para “outras zonas”, estando as restantes segmentações sistematicamente abaixo de 20%; Tendo em conta a frequência das situações e o grau de preocupação ou importância no dia a dia dos alunos (impacto), são determinantes a falta de papel higiénico, de sabonete, segurança, privacidade, funcionários no local o mau cheiro a falta de limpeza e as sanitas entupidas; É aqui que se verificam as principais diferenças de segmentação, com destaque para: ◦ Maior impacto das deficiências dos WC para os alunos do sexo feminino, reduzindo-se o nível de impacto nos estudantes masculinos, à falta de papel higiénico e sanitas entupidas; ◦ O segundo ciclo, onde se verifica um aumento significativo do impacto de todas estas caraterísticas e com destaque ainda para o mau funcionamento dos autoclismos e lavatórios que não funcionam; ◦ Curiosamente o nível de impacto no primeiro e terceiro ciclo é consideravelmente inferior, o que se justifica pelo primeiro ciclo, apresentar menos problemas (como se viu anteriormente) e no terceiro ciclo, por se tratar de crianças mais velhas (falta de papel higiénico como determinante). O segundo ciclo, tratando- se de uma transição escolar, concentra maior preocupação neste tipo de ocorrências, em especial quando se verifica a existência de uma casa de banho por cada 63 alunos no primeiro ciclo e um rácio do dobro quando transitam para o segundo ciclo (um WC por cada 140 alunos); ◦ O mesmo se passa com as zonas do País fora dos grandes centros, onde o impacto destas situações é bastante inferior, quando comprado com os grandes centros, com destaque para as sanitas entupidas. ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 18
  • 19. Conclusões De uma forma geral, apenas 41% dos alunos das escolas públicas, utilizam as casas de banho escolares, sempre que necessitam, sendo superior (perto de 60% ) para o primeiro ciclo e nas outras zonas do País. Com um peso elevado para a não utilização das casas de banho nas escolas, derivado em parte pelas suas condições de higiene, as principais preocupações ao nível da saúde, dizem respeito ao risco de contaminação bacteriológica ou viral, pela utilização de casas de banho sem uma higiene correta e à privação das necessidades fisiológicas e sua consequente habituação com impacto negativo na saúde. Este último aspeto é determinante nas diferenças de segmentos com um forte incremento para o sexo feminino, o segundo e terceiro ciclo e nas grandes zonas urbanas; Quando confrontadas com a intervenção de uma marca de produtos de limpeza, no apoio às condições de saneamento escolar, mais de 50% concorda com este tipo de intervenção não surgindo nesta área de informação recolhida, diferenças significativas de acordo com as segmentações consideradas; ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 19
  • 20. 3.2. Caraterização das Escolas ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 20
  • 21. 3.2. Caraterização das Escolas ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 21
  • 22. 3.3. Instalações sanitárias ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 22
  • 23. 3.3. Instalações sanitárias ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 23
  • 24. 3.3. Instalações sanitárias ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 24
  • 25. 3.3. Instalações sanitárias ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 25
  • 26. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 26
  • 27. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 27
  • 28. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 28
  • 29. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 29
  • 30. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 30
  • 31. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 31
  • 32. 3.4. Instalações sanitárias – Situações mais frequentes e impacto no dia a dia ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 32
  • 33. 3.5. Instalações sanitárias – Rotina de utilização ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 33
  • 34. 3.6. Instalações sanitárias – Impacto na Saúde ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 34
  • 35. 3.6. Instalações sanitárias – Impacto na Saúde ESTE ESTUDO PERTENCE À UNILEVER FIMA, LDA. 35