SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
As empresas:

 Particularidades
   históricas e
 caracterizações



                                    César Aparecido Teixeira
                    Orientador: Ariovaldo da Costa Botelho Jr.
Objetivos

                     Apresentar:
• Informações e particularidades referentes à
  evolução das empresas;
• A classificação das empresas por porte;
• As principais entidades de apoio às empresas;
• Atuação do consultor de empresas e dos Escritórios
  de Contabilidade na gestão das empresas.
As empresas: particularidades
   históricas e caracterizações

Empresa é um conjunto
     de pessoas que
  trabalham juntas no
  sentido de alcançar
 objetivos por meio da
   gestão de recursos
 humanos, materiais e
       financeiros.
  CHIAVENATO (2004)
Objetivo




“Produzir e oferecer bens e/ou serviços, com
  o objetivo de atender as necessidade e os
            desejos da sociedade”


Empresas + Sociedade = Interdependência
Classificação das Empresas

       • Objetivos: comerciais,
         industriais, de prestação de
         serviços.
       • Tamanho: grande, média,
         pequena e micro.
       • Estrutura: individuais, coletivas,
         públicas, mistas.
       • Volume de trabalho interno:
         simples ou complexas.
       • Estrutura organizacional: linear
         ou militar, funcional, matricial e
         sta.
Setor Econômico 




       Setor primário: corresponde a agricultura;
•


       Setor secundário: corresponde a indústria;
•


    Setor terciário: corresponde ao setor de serviços.
•
Pelo número de proprietários

          • Empresário;
          • Sociedade por quotas;
          • Empresa de responsabilidade
            Limitada (Ltda – terminação do
            nome da empresa);
          • Sociedade anônima (SA –
            terminação do nome da empresa);
          • Cooperativas (CRL – terminação do
            nome da empresa);
          • Em Comandita.
As empresas: particularidades
     históricas e caracterizações
Pelo Porte

    Microempresa – ME;
•
    Empresa de pequeno porte – EPP;
•
    Empresa de médio porte;
•
    Empresa de grande porte.
•


Pelo fim
• Fim lucrativo;
• Fim não lucrativo (Terceiro
  setor).
As empresas e suas
     particularidades históricas
1. Fase artesanal

• Da antiguidade até 1780;

• Regime de produção
 limitado a artesãos;

• Mão de obra intensiva e
 não qualificada;

• Direcionada a agricultura;

• Comércio era de troca por
 troca (escambo)
As empresas e suas
      particularidades históricas
2.
Fase da industrialização

  Revolução industrial (1780 – 1860);
•
   Processo de industrialização ligado as máquinas;
•
   O uso do carvão como nova fonte de energia e o ferro;
•
  A empresa assume um papel relevante no desenvolvimento
•
  da sociedade;
• Utilização de novas máquinas:
– máquina de fiar, tear;
– máquina a vapor, locomotivas, etc.
As empresas e suas
       particularidades históricas
3. Fase de desenvolvimento industrial

• Segunda e terceira revolução industrial (1860 – 1914);
• O ferro é substituído pelo aço e o vapor pela eletricidade e
   derivados de petróleo;
• Desenvolveu-se o motor de
  explosão e motor elétrico;
• Deu-se o desenvolvimento do
  transporte e das comunicações,
  encurtando as distâncias.
As empresas e suas
      particularidades históricas
4. Fase do gigantismo industrial

  Entre as duas grandes guerras mundiais (1914 – 1945);
•
  As empresas atingem enormes proporções;
•
  Operações de âmbito internacional;
•
  Surgem os navios sofisticados e
•
  de grande porte;
• Grandes redes ferroviárias e

 auto-estradas
As empresas e suas
      particularidades históricas
5. Fase moderna
• Conhecida como pós-guerra (1945 – 1980);
• Desenvolvimento científico e tecnológico das empresas;
• Países desenvolvidos e países
  em desenvolvimento;
• Plástico, alumínio, fibras
  sintéticas;
• Novas formas de energia
  (nuclear e a solar);
• Relação direta (empresa,
  consumo e publicidade).
As empresas e suas
      particularidades históricas
6.
Fase de incerteza
• Período de 1980 até os dias de hoje;
• Clima de turbulência. Ambiente externo complexo;
• Escassez de recursos e
  dificuldade para colocar
  os produtos no mercado;
• Década de 80 =
  Economia fechada;
  restrições a importações;
• Década de 90 =
  Economia aberta;
  importação de
  tecnologia.
As empresas e a
caracterização por porte
As empresas e a caracterização
         por porte
As empresas e a caracterização
         por porte
Entidades de apoio às
        empresas
• Maior poder de lobby
• Acesso a tecnologias
• Consultorias facilitadas
• Promoção dos setores
• Promoção de eventos
• Lutas por melhor
  legislação
SEBRAE
• O SEBRAE faz parte de um sistema criado em 1972 -
  Centro Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa
 (Cebrae) vinculado ao Governo Federal. A partir de 1990,
 a entidade desligou-se do setor público,
 transformando-se num serviço social autônomo,
 denominado Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e
 Pequenas Empresas - SEBRAE.
• Formalmente, trata-se de uma entidade civil sem fins
 lucrativos, criada pela Lei nº 8.029, de 12 de abril de
 1990, regulamentada pelo Decreto nº 99.570, de 09 de
 outubro de 1990, posteriormente, alterada pela Lei nº
 8.154, de 28 de dezembro de 1990.
SEBRAE - SP
• Composta por representantes da iniciativa privada e do
  setor público;
• Foco nas micro e pequenas empresas;
• Programas de apoio;
• Consultoria acessível.

 Missão

 Desenvolver e consolidar a força empreendedora voltada
  para o segmento dos pequenos negócios, contribuindo para
 o desenvolvimento de São Paulo e do país.
SEBRAE - SP
               (10 ANOS DE ESTUDOS)

• 27% das empresas paulistas fecham em seu primeiro ano de
  atividade;
• No Brasil existem 5,1 milhões de empresas, sendo que,
  desse total, 98% são micro e pequenas empresas (MPEs).
• Principais causas do fechamento:
       o comportamento empreendedor pouco desenvolvido;
   •
       falta de planejamento prévio;
   •
       gestão deficiente de políticas de apoio;
   •
       flutuações na conjuntura econômica e problemas
   •
       pessoais dos proprietários.
SENAI
Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial

• Criado em 1942, por iniciativa do empresariado do
  setor da indústria;
• Foco no aprendizado industrial, através de cursos
  profissionalizantes;
• Fornecedor de mão-de-obra especializada;
• Estrutura forte, apóia 28 áreas industriais;
• Vasta rede de centros de treinamento;
SESI
             Serviço Social da Indústria


                      Missão
Promover a qualidade de vida do trabalhador e de seus
 dependentes, com foco em educação, saúde e lazer, e
estimular a gestão socialmente responsável da empresa
                      industrial.
SESI

 Objetivos

• Organizar os serviços sociais adequados às
  necessidades e possibilidades locais, regionais e
  nacionais;

• Utilizar os recursos educativos e assistenciais
  existentes, tanto públicos, como particulares;

• Estabelecer convênios, contratos e acordos com órgãos
  profissionais e particulares;

• Promover quaisquer modalidades de cursos e atividades
  especializadas de serviço social.
FIESP
   Federação das Indústrias do Estado de São Paulo


• Atua como intérprete do setor produtivo composto por
  132 sindicatos patronais, os quais representam
  aproximadamente 150 mil indústrias de todos os portes
  e das mais diferentes cadeias produtivas;
• É a maior entidade de classe da indústria brasileira;
• Ou seja, luta pelos interesses da indústria.
BNDES
 Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social


• Órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento,
  Indústria e Comércio Exterior;
• Criado pela Lei nº 1.628, de 20 de junho de 1952;
• Enquadrado como uma empresa pública federal, com
  personalidade jurídica de direito privado e patrimônio
  próprio, pela Lei nº 5.662, de 21 de junho de 1971.
BNDES
• Sua missão é promover o desenvolvimento sustentável e
  competitivo da economia brasileira, com geração de
 emprego e redução das desigualdades sociais e
 regionais.


• Sua visão é ser o Banco do desenvolvimento do Brasil,
 instituição de excelência, inovadora e pró-ativa ante os
 desafios da sociedade.
Papéis consultivos
           de apoio às empresas



                        Consultoria

 Processo de aprendizagem mútua de consultor e cliente, com
  base num ciclo constante de pesquisa-ação, isto é, ensaio-
  erro-acerto. Neste processo não apenas o consultor, mas
  também, o cliente deve ter um papel ativo, uma vez que dois
  problemas nunca são iguais e por ser praticamente impossível
  para o consultor a compreensão e entendimento de toda a
  complexidade e interdependência dos sistemas político,
  social, tecnológico e econômico operados pelo cliente
  (GONÇALVES, 1991).
Consultoria
Escritório de
            Contabilidade
• Informações sobre a legislação tributária brasileira;
• Orientações das empresas para o cumprimento das
 obrigações principais (pagamento de tributos) e das
 obrigações acessórias (entrega de declarações, etc.);
• Análise de balanços;
• Redução ou economia de impostos, enquadrando a
 empresa corretamente em um dos tipos tributários:
 Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples;
• Comprometimento e compromisso com empresa que
  trabalha.
Considerações
    finais
    Administrar uma
 empresa é o trabalho
   com e através das
pessoas que objetiva a
 geração de resultados
por meio da utilização
de recursos disponíveis
   (BALBINO, 2007).
PERGUNTAS ?
“ Experiência não é o que acontece
        com um Homem; é o que o
         Homem faz com o que lhe
                         acontece”

                        Aldous Husley
                  Escritor inglês (1894 – 1963)




  MUITO AGRADECIDO!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Art cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoaArt cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoaprofrosane
 
Direito empresaral e tributário1
Direito empresaral e tributário1Direito empresaral e tributário1
Direito empresaral e tributário1iolanda1924
 
Apresentação guia Comercio
Apresentação guia ComercioApresentação guia Comercio
Apresentação guia Comerciotonnybalada
 
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábadoT.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábadoJoão Silva
 
Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4
Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4
Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4Ana Ponton
 
14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore...
 14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore... 14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore...
14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore...Casa de España Lisboa
 
Revista Pontos de Vista (87) Novembro de 2019
Revista Pontos de Vista (87)  Novembro de 2019Revista Pontos de Vista (87)  Novembro de 2019
Revista Pontos de Vista (87) Novembro de 2019Jorge Antunes
 
Espaço SINDIMETAL 24
Espaço SINDIMETAL 24Espaço SINDIMETAL 24
Espaço SINDIMETAL 24SINDIMETAL RS
 

Mais procurados (18)

Jornal dos Comerciários - Nº179
Jornal dos Comerciários - Nº179Jornal dos Comerciários - Nº179
Jornal dos Comerciários - Nº179
 
Jornal dos Comerciários - Nº 178, Abril de 2016
Jornal dos Comerciários - Nº 178, Abril de 2016Jornal dos Comerciários - Nº 178, Abril de 2016
Jornal dos Comerciários - Nº 178, Abril de 2016
 
Art cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoaArt cientifico gestao de pessoa
Art cientifico gestao de pessoa
 
Direito empresaral e tributário1
Direito empresaral e tributário1Direito empresaral e tributário1
Direito empresaral e tributário1
 
Jornal dos Comerciários - Nº 177
Jornal dos Comerciários - Nº 177Jornal dos Comerciários - Nº 177
Jornal dos Comerciários - Nº 177
 
Jornal dos Comerciários - Nº 190 - Julho 2017
Jornal dos Comerciários - Nº 190 - Julho 2017Jornal dos Comerciários - Nº 190 - Julho 2017
Jornal dos Comerciários - Nº 190 - Julho 2017
 
GESTAO DE PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS
GESTAO DE PEQUENAS E MEDIAS EMPRESASGESTAO DE PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS
GESTAO DE PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS
 
Apresentação guia Comercio
Apresentação guia ComercioApresentação guia Comercio
Apresentação guia Comercio
 
Jornal Seccor - Setembro de 2011
Jornal Seccor - Setembro de 2011Jornal Seccor - Setembro de 2011
Jornal Seccor - Setembro de 2011
 
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábadoT.I.G - Administração - Matutino - sábado
T.I.G - Administração - Matutino - sábado
 
Delta Cafés
Delta CafésDelta Cafés
Delta Cafés
 
Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4
Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4
Atps estratégia e dinâmica competitiva passos 3 e 4
 
14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore...
 14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore... 14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore...
14ª Edição de Entrega dos Prémios Excelência Casa de Espanha 2017 às melhore...
 
Jornal dos Comerciários - Nº 191 - Agosto de 2017
Jornal dos Comerciários - Nº 191 - Agosto de 2017Jornal dos Comerciários - Nº 191 - Agosto de 2017
Jornal dos Comerciários - Nº 191 - Agosto de 2017
 
Revista Pontos de Vista (87) Novembro de 2019
Revista Pontos de Vista (87)  Novembro de 2019Revista Pontos de Vista (87)  Novembro de 2019
Revista Pontos de Vista (87) Novembro de 2019
 
Conexao Sebrae - Fevereiro 2010
Conexao Sebrae - Fevereiro 2010Conexao Sebrae - Fevereiro 2010
Conexao Sebrae - Fevereiro 2010
 
025186000101011
025186000101011025186000101011
025186000101011
 
Espaço SINDIMETAL 24
Espaço SINDIMETAL 24Espaço SINDIMETAL 24
Espaço SINDIMETAL 24
 

Semelhante a Empresas: Particularidades Históricas e Caracterizações

Balanco 2006 Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas Invest
Balanco 2006  Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas InvestBalanco 2006  Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas Invest
Balanco 2006 Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas Investminasinvest
 
Técnico em administração empreendedorismo
Técnico em administração empreendedorismoTécnico em administração empreendedorismo
Técnico em administração empreendedorismoLuís Roberto de Toledo
 
A Concepção da Ideia
A Concepção da IdeiaA Concepção da Ideia
A Concepção da Ideiacali_sines
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60SINDIMETAL RS
 
Minasinvest Indi Sinopse
Minasinvest Indi SinopseMinasinvest Indi Sinopse
Minasinvest Indi Sinopseminasinvest
 
Apostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de PessoasApostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de PessoasCássio Morelli
 
Parceria Minas Invest Subseam Almg
Parceria Minas Invest Subseam AlmgParceria Minas Invest Subseam Almg
Parceria Minas Invest Subseam Almgminasinvest
 
Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46SINDIMETAL RS
 
Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...
Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...
Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...procondelsudene
 
Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...
Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...
Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...Landoaldo Lima
 
Fundamentos de administração 2
Fundamentos de administração 2Fundamentos de administração 2
Fundamentos de administração 2Andrey Martins
 
Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoNJS Consultoria
 
Minasinvest Promovendo O Desenvolvimento Local
Minasinvest Promovendo O Desenvolvimento LocalMinasinvest Promovendo O Desenvolvimento Local
Minasinvest Promovendo O Desenvolvimento Localminasinvest
 
Palestra Planejando a Abertura da sua Empresa
Palestra Planejando a Abertura da sua EmpresaPalestra Planejando a Abertura da sua Empresa
Palestra Planejando a Abertura da sua Empresasebraeleste1
 

Semelhante a Empresas: Particularidades Históricas e Caracterizações (20)

Balanco 2006 Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas Invest
Balanco 2006  Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas InvestBalanco 2006  Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas Invest
Balanco 2006 Realizacoes Oportunidades E Desafios Da Minas Invest
 
MissãO E VisãO Empresarial
MissãO E VisãO EmpresarialMissãO E VisãO Empresarial
MissãO E VisãO Empresarial
 
Técnico em administração empreendedorismo
Técnico em administração empreendedorismoTécnico em administração empreendedorismo
Técnico em administração empreendedorismo
 
"Como aproveitar os instrumentos financeiros do Portugal 2020" - Maria João M...
"Como aproveitar os instrumentos financeiros do Portugal 2020" - Maria João M..."Como aproveitar os instrumentos financeiros do Portugal 2020" - Maria João M...
"Como aproveitar os instrumentos financeiros do Portugal 2020" - Maria João M...
 
A Concepção da Ideia
A Concepção da IdeiaA Concepção da Ideia
A Concepção da Ideia
 
Apostila adm pm es
Apostila  adm pm esApostila  adm pm es
Apostila adm pm es
 
Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60Espaço SINDIMETAL 60
Espaço SINDIMETAL 60
 
MINAS INVEST
MINAS INVESTMINAS INVEST
MINAS INVEST
 
Minasinvest Indi Sinopse
Minasinvest Indi SinopseMinasinvest Indi Sinopse
Minasinvest Indi Sinopse
 
Apostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de PessoasApostila de Gstão de Pessoas
Apostila de Gstão de Pessoas
 
Parceria Minas Invest Subseam Almg
Parceria Minas Invest Subseam AlmgParceria Minas Invest Subseam Almg
Parceria Minas Invest Subseam Almg
 
Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46Espaço SINDIMETAL 46
Espaço SINDIMETAL 46
 
Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...
Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...
Anotações sobre os Eixos Estruturadores do Pólo de Confecção do Agreste e o D...
 
Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...
Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...
Palestra como obter créditos para alavancar sua empresa, sem vínculo bancário...
 
Revista CGD 2015
Revista CGD 2015Revista CGD 2015
Revista CGD 2015
 
Fundamentos de administração 2
Fundamentos de administração 2Fundamentos de administração 2
Fundamentos de administração 2
 
Aula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismoAula 03 empreendedorismo
Aula 03 empreendedorismo
 
Minasinvest Promovendo O Desenvolvimento Local
Minasinvest Promovendo O Desenvolvimento LocalMinasinvest Promovendo O Desenvolvimento Local
Minasinvest Promovendo O Desenvolvimento Local
 
Palestra Planejando a Abertura da sua Empresa
Palestra Planejando a Abertura da sua EmpresaPalestra Planejando a Abertura da sua Empresa
Palestra Planejando a Abertura da sua Empresa
 
Administração
AdministraçãoAdministração
Administração
 

Mais de TR Consulting

NJE Planejamento 2010
NJE Planejamento 2010NJE Planejamento 2010
NJE Planejamento 2010TR Consulting
 
Geração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo CorporativoGeração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo CorporativoTR Consulting
 
Geração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo CorporativoGeração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo CorporativoTR Consulting
 
Trilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de Treinamento
Trilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de TreinamentoTrilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de Treinamento
Trilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de TreinamentoTR Consulting
 
Proposta de Consultoria
Proposta de ConsultoriaProposta de Consultoria
Proposta de ConsultoriaTR Consulting
 
Governança Corporaiva no cenário global organizacional Edit Presentation
Governança Corporaiva no cenário global organizacional Edit PresentationGovernança Corporaiva no cenário global organizacional Edit Presentation
Governança Corporaiva no cenário global organizacional Edit PresentationTR Consulting
 
Proposta de Consultoria
Proposta de ConsultoriaProposta de Consultoria
Proposta de ConsultoriaTR Consulting
 
Governança Corporaiva no cenário global organizacional
Governança Corporaiva no cenário global organizacionalGovernança Corporaiva no cenário global organizacional
Governança Corporaiva no cenário global organizacionalTR Consulting
 
Intra-empreendedorismo na Administração moderna
Intra-empreendedorismo na Administração modernaIntra-empreendedorismo na Administração moderna
Intra-empreendedorismo na Administração modernaTR Consulting
 
Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...
Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...
Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...TR Consulting
 

Mais de TR Consulting (11)

NJE Planejamento 2010
NJE Planejamento 2010NJE Planejamento 2010
NJE Planejamento 2010
 
Geração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo CorporativoGeração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo Corporativo
 
Geração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo CorporativoGeração Y e o Mundo Corporativo
Geração Y e o Mundo Corporativo
 
Trilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de Treinamento
Trilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de TreinamentoTrilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de Treinamento
Trilhando os caminhos da Competitividade através de Programas de Treinamento
 
Proposta de Consultoria
Proposta de ConsultoriaProposta de Consultoria
Proposta de Consultoria
 
Governança Corporaiva no cenário global organizacional Edit Presentation
Governança Corporaiva no cenário global organizacional Edit PresentationGovernança Corporaiva no cenário global organizacional Edit Presentation
Governança Corporaiva no cenário global organizacional Edit Presentation
 
Proposta de Consultoria
Proposta de ConsultoriaProposta de Consultoria
Proposta de Consultoria
 
Governança Corporaiva no cenário global organizacional
Governança Corporaiva no cenário global organizacionalGovernança Corporaiva no cenário global organizacional
Governança Corporaiva no cenário global organizacional
 
Intra-empreendedorismo na Administração moderna
Intra-empreendedorismo na Administração modernaIntra-empreendedorismo na Administração moderna
Intra-empreendedorismo na Administração moderna
 
Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...
Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...
Acões da Consultoria em Gestão de Pessoas em diferentes cenários administrati...
 
Crédito de Carbono
Crédito de CarbonoCrédito de Carbono
Crédito de Carbono
 

Empresas: Particularidades Históricas e Caracterizações

  • 1. As empresas: Particularidades históricas e caracterizações César Aparecido Teixeira Orientador: Ariovaldo da Costa Botelho Jr.
  • 2. Objetivos Apresentar: • Informações e particularidades referentes à evolução das empresas; • A classificação das empresas por porte; • As principais entidades de apoio às empresas; • Atuação do consultor de empresas e dos Escritórios de Contabilidade na gestão das empresas.
  • 3. As empresas: particularidades históricas e caracterizações Empresa é um conjunto de pessoas que trabalham juntas no sentido de alcançar objetivos por meio da gestão de recursos humanos, materiais e financeiros. CHIAVENATO (2004)
  • 4. Objetivo “Produzir e oferecer bens e/ou serviços, com o objetivo de atender as necessidade e os desejos da sociedade” Empresas + Sociedade = Interdependência
  • 5. Classificação das Empresas • Objetivos: comerciais, industriais, de prestação de serviços. • Tamanho: grande, média, pequena e micro. • Estrutura: individuais, coletivas, públicas, mistas. • Volume de trabalho interno: simples ou complexas. • Estrutura organizacional: linear ou militar, funcional, matricial e sta.
  • 6. Setor Econômico  Setor primário: corresponde a agricultura; • Setor secundário: corresponde a indústria; • Setor terciário: corresponde ao setor de serviços. •
  • 7. Pelo número de proprietários • Empresário; • Sociedade por quotas; • Empresa de responsabilidade Limitada (Ltda – terminação do nome da empresa); • Sociedade anônima (SA – terminação do nome da empresa); • Cooperativas (CRL – terminação do nome da empresa); • Em Comandita.
  • 8. As empresas: particularidades históricas e caracterizações Pelo Porte Microempresa – ME; • Empresa de pequeno porte – EPP; • Empresa de médio porte; • Empresa de grande porte. • Pelo fim • Fim lucrativo; • Fim não lucrativo (Terceiro setor).
  • 9. As empresas e suas particularidades históricas 1. Fase artesanal • Da antiguidade até 1780; • Regime de produção limitado a artesãos; • Mão de obra intensiva e não qualificada; • Direcionada a agricultura; • Comércio era de troca por troca (escambo)
  • 10. As empresas e suas particularidades históricas 2. Fase da industrialização Revolução industrial (1780 – 1860); • Processo de industrialização ligado as máquinas; • O uso do carvão como nova fonte de energia e o ferro; • A empresa assume um papel relevante no desenvolvimento • da sociedade; • Utilização de novas máquinas: – máquina de fiar, tear; – máquina a vapor, locomotivas, etc.
  • 11. As empresas e suas particularidades históricas 3. Fase de desenvolvimento industrial • Segunda e terceira revolução industrial (1860 – 1914); • O ferro é substituído pelo aço e o vapor pela eletricidade e derivados de petróleo; • Desenvolveu-se o motor de explosão e motor elétrico; • Deu-se o desenvolvimento do transporte e das comunicações, encurtando as distâncias.
  • 12. As empresas e suas particularidades históricas 4. Fase do gigantismo industrial Entre as duas grandes guerras mundiais (1914 – 1945); • As empresas atingem enormes proporções; • Operações de âmbito internacional; • Surgem os navios sofisticados e • de grande porte; • Grandes redes ferroviárias e auto-estradas
  • 13. As empresas e suas particularidades históricas 5. Fase moderna • Conhecida como pós-guerra (1945 – 1980); • Desenvolvimento científico e tecnológico das empresas; • Países desenvolvidos e países em desenvolvimento; • Plástico, alumínio, fibras sintéticas; • Novas formas de energia (nuclear e a solar); • Relação direta (empresa, consumo e publicidade).
  • 14. As empresas e suas particularidades históricas 6. Fase de incerteza • Período de 1980 até os dias de hoje; • Clima de turbulência. Ambiente externo complexo; • Escassez de recursos e dificuldade para colocar os produtos no mercado; • Década de 80 = Economia fechada; restrições a importações; • Década de 90 = Economia aberta; importação de tecnologia.
  • 15. As empresas e a caracterização por porte
  • 16. As empresas e a caracterização por porte
  • 17. As empresas e a caracterização por porte
  • 18. Entidades de apoio às empresas • Maior poder de lobby • Acesso a tecnologias • Consultorias facilitadas • Promoção dos setores • Promoção de eventos • Lutas por melhor legislação
  • 19. SEBRAE • O SEBRAE faz parte de um sistema criado em 1972 - Centro Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa (Cebrae) vinculado ao Governo Federal. A partir de 1990, a entidade desligou-se do setor público, transformando-se num serviço social autônomo, denominado Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas - SEBRAE. • Formalmente, trata-se de uma entidade civil sem fins lucrativos, criada pela Lei nº 8.029, de 12 de abril de 1990, regulamentada pelo Decreto nº 99.570, de 09 de outubro de 1990, posteriormente, alterada pela Lei nº 8.154, de 28 de dezembro de 1990.
  • 20. SEBRAE - SP • Composta por representantes da iniciativa privada e do setor público; • Foco nas micro e pequenas empresas; • Programas de apoio; • Consultoria acessível. Missão Desenvolver e consolidar a força empreendedora voltada para o segmento dos pequenos negócios, contribuindo para o desenvolvimento de São Paulo e do país.
  • 21. SEBRAE - SP (10 ANOS DE ESTUDOS) • 27% das empresas paulistas fecham em seu primeiro ano de atividade; • No Brasil existem 5,1 milhões de empresas, sendo que, desse total, 98% são micro e pequenas empresas (MPEs). • Principais causas do fechamento: o comportamento empreendedor pouco desenvolvido; • falta de planejamento prévio; • gestão deficiente de políticas de apoio; • flutuações na conjuntura econômica e problemas • pessoais dos proprietários.
  • 22. SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial • Criado em 1942, por iniciativa do empresariado do setor da indústria; • Foco no aprendizado industrial, através de cursos profissionalizantes; • Fornecedor de mão-de-obra especializada; • Estrutura forte, apóia 28 áreas industriais; • Vasta rede de centros de treinamento;
  • 23. SESI Serviço Social da Indústria Missão Promover a qualidade de vida do trabalhador e de seus dependentes, com foco em educação, saúde e lazer, e estimular a gestão socialmente responsável da empresa industrial.
  • 24. SESI Objetivos • Organizar os serviços sociais adequados às necessidades e possibilidades locais, regionais e nacionais; • Utilizar os recursos educativos e assistenciais existentes, tanto públicos, como particulares; • Estabelecer convênios, contratos e acordos com órgãos profissionais e particulares; • Promover quaisquer modalidades de cursos e atividades especializadas de serviço social.
  • 25. FIESP Federação das Indústrias do Estado de São Paulo • Atua como intérprete do setor produtivo composto por 132 sindicatos patronais, os quais representam aproximadamente 150 mil indústrias de todos os portes e das mais diferentes cadeias produtivas; • É a maior entidade de classe da indústria brasileira; • Ou seja, luta pelos interesses da indústria.
  • 26. BNDES Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social • Órgão vinculado ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; • Criado pela Lei nº 1.628, de 20 de junho de 1952; • Enquadrado como uma empresa pública federal, com personalidade jurídica de direito privado e patrimônio próprio, pela Lei nº 5.662, de 21 de junho de 1971.
  • 27. BNDES • Sua missão é promover o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira, com geração de emprego e redução das desigualdades sociais e regionais. • Sua visão é ser o Banco do desenvolvimento do Brasil, instituição de excelência, inovadora e pró-ativa ante os desafios da sociedade.
  • 28. Papéis consultivos de apoio às empresas Consultoria Processo de aprendizagem mútua de consultor e cliente, com base num ciclo constante de pesquisa-ação, isto é, ensaio- erro-acerto. Neste processo não apenas o consultor, mas também, o cliente deve ter um papel ativo, uma vez que dois problemas nunca são iguais e por ser praticamente impossível para o consultor a compreensão e entendimento de toda a complexidade e interdependência dos sistemas político, social, tecnológico e econômico operados pelo cliente (GONÇALVES, 1991).
  • 30. Escritório de Contabilidade • Informações sobre a legislação tributária brasileira; • Orientações das empresas para o cumprimento das obrigações principais (pagamento de tributos) e das obrigações acessórias (entrega de declarações, etc.); • Análise de balanços; • Redução ou economia de impostos, enquadrando a empresa corretamente em um dos tipos tributários: Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples; • Comprometimento e compromisso com empresa que trabalha.
  • 31. Considerações finais Administrar uma empresa é o trabalho com e através das pessoas que objetiva a geração de resultados por meio da utilização de recursos disponíveis (BALBINO, 2007).
  • 33. “ Experiência não é o que acontece com um Homem; é o que o Homem faz com o que lhe acontece” Aldous Husley Escritor inglês (1894 – 1963) MUITO AGRADECIDO!