SlideShare uma empresa Scribd logo
A Atmosfera e sua Dinâmica
O Tempo e o Clima
Prof. Amoz Oliveira
1ª Série
Atmosfera
• A atmosfera, entre outras
funções protege a superfície
da Terra:
A- Impactos de corpos celestes
(meteoros)
B- Mantêm parte do calor solar
impedindo sua imediata
irradiação para o espaço.
C- Impede variações bruscas
de temperaturas permitindo
a vida terrestre.
Temperatura na Atmosfera.
• Estratosfera (elevação) –
aquecimento do ar na região
entre 20 e 35km, próximo à
camada de ozônio.
• Mesosfera (diminuição de -
5º a -95º) – por causa do
afastamento do calor vindo
da camada de ozônio, pela
ausencia de gases ou nuvens
que possam absorver a
energia solar.
• Termosfera (Elevação -95º a
mais de 1000º) – por causa
da absorção dos raios
ultravioleta pelo oxigênio
atômico.Onde os meteoros
se desintegram.
• Exosfera – Temperatura não
precisa (estima-se que
supere os 1600º)
Tempo e Clima
• Tempo – estado
momentâneo;
condições atmosféricas
ou meteorológicas de
um dado momento ou
lugar:
* Tempo frio, quente,
chuvoso, seco... (tem
curta duração)
• O Clima e algo duradouro,
não muda de um momento
para outro. Isso não quer
dizer que é imutável, mas
que leva mais tempo para
que hajam variações
consideráveis.
• E uma sucessão habitual
dos tipos de tempo, ou
seja: Equivale a um padrão
geral de condições
atmosféricas.
Tempo e Clima
o clima é definido por Max Sorre como uma
"sucessão habitual dos tipos de tempo num
determinado local da superfície terrestre",
enquanto o tempo é apenas o estado da
atmosfera de um lugar, num determinado
momento.
OS FATORES E ELEMENTOS CLIMÁTICOS
FATORES
CLIMÁTICOS
ELEMENTOS
CLIMÁTICOS
CLIMA
ELEMENTOS
TEMPERATURA
PRESSÃO ATMOSFÉRICA
VENTOS
MASSAS DE AR
UMIDADE
NUVENS
PRECIPITAÇÕES
FATORES
LATITUDE
ALTITUDE
CONTINENTALIDADE
MARITIMIDADE
CORRENTES MARÍTIMAS
URBANIZAÇÃO
Elementos atmosféricos ou climáticos (ou fenômenos atmosféricos): São os
elementos que interferem e caracterizam as condições do tempo. São
eles: temperatura, umidade do ar, chuva, vento, pressão atmosférica etc.
Fatores climáticos: Influenciam e modificam a dinâmica dos elementos
atmosféricos, que vão caracterizar o clima de uma determinada região. Os
fatores climáticos são: latitude, altitude, continentalidade, maritimidade,
massas de ar, correntes marítimas, disposição do relevo etc.
. Temperatura Atmosférica: Define-se como o grau de calor existente no ar
atmosférico. Este é proveniente da radiação solar, ou seja, a fonte responsável
pelo calor, pela temperatura na Terra é o Sol.
Contudo, uma parte ao atingir a superfície terrestre é absorvida pelas terras
emersas (continentes e ilhas) e os oceanos, enquanto a outra é refletida e retorna
à atmosfera.
. Umidade do Ar: Refere-se à quantidade de vapor de água existente no ar. A
atmosfera tem uma grande capacidade de conter água, porém esta é limitada.
Quando o seu limite de saturação é atingido, equivale dizer que a umidade
relativa do ar é de 100%. Neste ponto de saturação de água é que ocorrem as
chuvas ou outros tipos de precipitações, como as sólidas (neve e granizo).
Precipitações Atmosféricas: As precipitações ocorrem quando há queda
de água, seja no estado líquido ou sólidos, sobre a superfície terrestre.
Sendo assim, as precipitações podem ocorrer sob a forma de chuvas
(precipitação pluvial), neves (precipitação nival) e granizos. .
Pressão Atmosférica: corresponde ao peso do ar, pois a atmosfera exerce
uma pressão sobre a superfície terrestre e sobre tudo que existe nela.
A pressão atmosférica varia de acordo com a altitude e a temperatura.
Ventos: trata-se do ar em movimento. E a sua movimentação depende das
diferenças de temperaturas entre as zonas climáticas, nas quais se formam
as áreas de alta e baixa pressão, responsáveis pela circulação geral do ar,
como foi citado no elemento anterior.
Massas de Ar
São porções, extensas e
espessas, da atmosfera
que apresentam as
mesmas ou parte das
características peculiares
das regiões onde foram
formadas, seja em termos
de temperatura, umidade
e pressão.
Fatores climáticos
Correntes Marítimas
São massas de água que circulam pelos mares e oceanos, isto é, são
verdadeiros rios com direções e constâncias bem definidas. Possuem suas
próprias condições de temperatura e pressão, exercendo forte influência no
clima nas regiões por onde passam próximas.
Maritimidade e Continentalidade
É a influência da continentalidade. Sob estas condições, os invernos são mais
rigorosos e secos.
Elementos do Clima
Temperatura Atmosférica – Estado térmico do ar atmosférico (frio ou calor
na atmosfera)
A temperatura atmosférica varia conforme alguns fatores, a saber:
A- Latitude.
B- Altitude.
C- Relevo.
Altitude
• A Altitude pode influenciar na temperatura local, visto que
o ar torna-se mais rarefeito conforme a altitude aumenta,
fazendo com que as partículas mantenham uma maior
distância entre si.
Relevo
• O Relevo pode facilitar ou impedir a circulação de
massas de ar, retê-las ou não; alterando assim a
temperatura.
Latitude ALBEDO
• Diferentes Latitudes podem ter diferentes climas, tudo isso por causa da
diferença na incidência solar sobre a superfície terrestre (entre outros fatores).
• Climas:
• I- Polar
• II- Temperado
• III- Tropical
PRESSÃO ATMOSFÉRICA
O matemático francês Blaise Pascal (1623-1662) levou um barômetro para o alto
de uma montanha. Após muitas observações, medições e anotações, ele verificou
que a pressão do ar diminui com a altura. O ar vai ficando rarefeito (diminui a
quantidade de moléculas nele presente), gradativamente, conforme aumenta a
altitude.
O nivel do mar é utilizado como referencial quando se deseja calcular a pressão
atmosférica.
Quanto maior a altitude, mais rarefeito é o ar, e assim, menor é a pressão que ele
exerce sobre nós.
A VARIAÇÃO AS INCIDÊNCIA DOS RAIOS SOLARES NO DECORRER DO ANO NA
SUPERFÍCIE DA TERRA
Na região intertropical, a incidência não apresenta grandes variações
durante o ano. Portanto, nessas regiões, as temperaturas médias são
praticamente constantes e elevadas durante o ano todo, o que
dificulta a identificação das estações. Determina também médias
térmicas elevadas e intensa evapotranspiração, que permitem o
desenvolvimento das florestas tropicais/equatoriais
A Luz solar não atinge de forma idêntica toda a superfície
da terra, provocando Variações relativas à reflexão e/ou
absorção dessa energia.
Como se explica as estações do
ano?
• A inclinação do eixo de rotação da terra em
relação ao sol faz com que estações do ano
sejam diferentes nos hemisférios norte e sul.
• Solstício: época em que os hemisférios são desigualmente iluminados.
• Equinócio: Dias e noites com a mesma duração, 12 horas.
DATA NORTE SUL FENÔMENO
21 dezembro Inverno Verão Solstícios
21 junho Verão Inverno Solstício
21 março Primavera Outono Equinócio
23 setembro Outono Primavera Equinócio
Corrente convectiva
• A diferença de absorção de energia solar nas
regiões que movimenta o ar= ventos.
• Quando a atmosfera é aquecida em sua parte
mais baixa, pode ocorrer a convecção=
movimento vertical do ar. Ocorre pois as
camadas frias são mais densas e com maior
pressão, assim descem, forçando o ar quente
a subir.
Pressão atmosférica
• Força exercida pelo ar sobre uma superfície.
• Essa pressão é alterada pela temperatura e
umidade.
• A massa de ar úmida tem menor pressão em
relação a massa de ar seca.
Movimento do ar
• Como ocorrem desequilibrio de temperatura e
umidade na terra, o ar está sempre em
movimento.
• Os ventos sopram das areas mais frias ( 
pressão e densidade) anticiclonais, para as
areas mais quentes ( denso e pressão)
ciclonais.
Ciclones extratropicais Furacões
Formam em baixa pressão
Temperaturas baixas no centro
Ventos girando no mesmo sentido
Formam em baixa pressão
Temperaturas altas no centro
Ventos girando em sentidos opostos
Ciclones e furacões
Ciclones Extra-Tropicais
Os metereologistas chamam de ciclones extra-tropicais os sistemas de ar de
baixa pressão que se formam sobre os mares fora da zona intertropical,
retirando sua energia das diferenças de temperatura existente entre as
várias camadas da atmosfera. Como é que é? É o seguinte: um sistema de ar
é apenas uma grande quantidade de ar que se move de forma organizada. Já
baixa pressão se refere à força que esta quantidade de ar faz sobre a
superfície da Terra, ou seja, ao seu peso.
Circulação geral da atmosfera
• Próximo ao Equador, o ar quente sobe e o ar
frio dos trópicos ocupa o lugar. Os ventos
alísios correntes de ar que sopram
constantemente das proximidades dos
trópicos ( alta pressão) para o Equador (baixa
pressão).
A Célula de Hadley
• Explica a
circulação
atmosférica do
planeta, o
movimento das
massas de ar
(ventos com
características
comuns que saem
das ZAPA e vão
para as ZBPA.
Brisas
• A explicação do
movimento das
massas de ar
também explica o
movimento das
Brisas Marinhas e
Terrestres.
Frentes
• São áreas de transição entre duas massas de ar. O encontro de
duas massas de ar, uma fria (Seca) e outra quente (úmida)
provoca mudanças significativas no tempo, trazendo nuvens e
chuvas.
Tarefa de casa: Livro 3 – Capitulo 8
Paginas 10 a 13 – É imprescindível a leitura do livro texto
Para compreensão dos conteúdos.
Vídeos.portalsas.com.br (Portalsas) sastvvideos
Assunto> atmosfera

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a EM-1ª-SERIE-Aula-de-GEOGRAFIA-A-Atmosfera-e-sua-Dinamica-07-05-2020.ppt

CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.
CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.
CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.
Conceição Fontolan
 
ATMOSFERA - TEMPO E CLIMA
ATMOSFERA - TEMPO E CLIMAATMOSFERA - TEMPO E CLIMA
ATMOSFERA - TEMPO E CLIMA
Vanessa Silva
 
Cliima
CliimaCliima
Climatologia geográfica
Climatologia geográficaClimatologia geográfica
Climatologia geográfica
Gustavo Silva de Souza
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
marcokiko84
 
Fatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticosFatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticos
ETEC de Barueri
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
MARCIANO DANTAS DE MEDEIROS
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
profleofonseca
 
CLIMA : FATORES E ELEMENTOS
CLIMA : FATORES E ELEMENTOSCLIMA : FATORES E ELEMENTOS
CLIMA : FATORES E ELEMENTOS
Conceição Fontolan
 
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMAClima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
luluzivania
 
3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt
SarahAlves89
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
André Luiz Marques
 
Climatologia - elementos e fatores climáticos
Climatologia - elementos e fatores climáticosClimatologia - elementos e fatores climáticos
Climatologia - elementos e fatores climáticos
Juliana P Martins Sena
 
Geografia a 10ºano
Geografia a   10ºanoGeografia a   10ºano
Geografia a 10ºano
MissManson
 
Fatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticosFatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticos
karolpoa
 
A atmosfera e sua dinamica: o tempo e o clima
A atmosfera e sua dinamica: o tempo e o climaA atmosfera e sua dinamica: o tempo e o clima
A atmosfera e sua dinamica: o tempo e o clima
Judson Malta
 
Geografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do Brasil
Geografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do BrasilGeografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do Brasil
Geografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do Brasil
Carson Souza
 
Estado de tempo
Estado de tempoEstado de tempo
Estado de tempo
Tânia Vieira
 
Dinâmica atmosférica
Dinâmica atmosféricaDinâmica atmosférica
Dinâmica atmosférica
dianalove15
 
Descrição do tempo atmosférico
 Descrição do tempo atmosférico Descrição do tempo atmosférico
Descrição do tempo atmosférico
joanacunha9406
 

Semelhante a EM-1ª-SERIE-Aula-de-GEOGRAFIA-A-Atmosfera-e-sua-Dinamica-07-05-2020.ppt (20)

CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.
CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.
CLIMA : FATORES E OS ELEMENTOS CLIMÁTICOS.
 
ATMOSFERA - TEMPO E CLIMA
ATMOSFERA - TEMPO E CLIMAATMOSFERA - TEMPO E CLIMA
ATMOSFERA - TEMPO E CLIMA
 
Cliima
CliimaCliima
Cliima
 
Climatologia geográfica
Climatologia geográficaClimatologia geográfica
Climatologia geográfica
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
 
Fatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticosFatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticos
 
Clima e vegetação
Clima e vegetaçãoClima e vegetação
Clima e vegetação
 
Climatologia
ClimatologiaClimatologia
Climatologia
 
CLIMA : FATORES E ELEMENTOS
CLIMA : FATORES E ELEMENTOSCLIMA : FATORES E ELEMENTOS
CLIMA : FATORES E ELEMENTOS
 
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMAClima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
Clima final.pptx AULA SIMPLIFICADA SOBRE CLIMA
 
3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt3-clima-blog.ppt
3-clima-blog.ppt
 
Climatologia
Climatologia Climatologia
Climatologia
 
Climatologia - elementos e fatores climáticos
Climatologia - elementos e fatores climáticosClimatologia - elementos e fatores climáticos
Climatologia - elementos e fatores climáticos
 
Geografia a 10ºano
Geografia a   10ºanoGeografia a   10ºano
Geografia a 10ºano
 
Fatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticosFatores e elementos climáticos
Fatores e elementos climáticos
 
A atmosfera e sua dinamica: o tempo e o clima
A atmosfera e sua dinamica: o tempo e o climaA atmosfera e sua dinamica: o tempo e o clima
A atmosfera e sua dinamica: o tempo e o clima
 
Geografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do Brasil
Geografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do BrasilGeografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do Brasil
Geografia - Clima e domínios Morfoclimáticos do Brasil
 
Estado de tempo
Estado de tempoEstado de tempo
Estado de tempo
 
Dinâmica atmosférica
Dinâmica atmosféricaDinâmica atmosférica
Dinâmica atmosférica
 
Descrição do tempo atmosférico
 Descrição do tempo atmosférico Descrição do tempo atmosférico
Descrição do tempo atmosférico
 

Último

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
PatriciaZanoli
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
LEANDROSPANHOL1
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 

Último (20)

As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
2020_09_17 - Biomas Mundiais [Salvo automaticamente].pptx
 
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
7133lllllllllllllllllllllllllllll67.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 

EM-1ª-SERIE-Aula-de-GEOGRAFIA-A-Atmosfera-e-sua-Dinamica-07-05-2020.ppt

  • 1. A Atmosfera e sua Dinâmica O Tempo e o Clima Prof. Amoz Oliveira 1ª Série
  • 2. Atmosfera • A atmosfera, entre outras funções protege a superfície da Terra: A- Impactos de corpos celestes (meteoros) B- Mantêm parte do calor solar impedindo sua imediata irradiação para o espaço. C- Impede variações bruscas de temperaturas permitindo a vida terrestre.
  • 3.
  • 4. Temperatura na Atmosfera. • Estratosfera (elevação) – aquecimento do ar na região entre 20 e 35km, próximo à camada de ozônio. • Mesosfera (diminuição de - 5º a -95º) – por causa do afastamento do calor vindo da camada de ozônio, pela ausencia de gases ou nuvens que possam absorver a energia solar. • Termosfera (Elevação -95º a mais de 1000º) – por causa da absorção dos raios ultravioleta pelo oxigênio atômico.Onde os meteoros se desintegram. • Exosfera – Temperatura não precisa (estima-se que supere os 1600º)
  • 5. Tempo e Clima • Tempo – estado momentâneo; condições atmosféricas ou meteorológicas de um dado momento ou lugar: * Tempo frio, quente, chuvoso, seco... (tem curta duração)
  • 6. • O Clima e algo duradouro, não muda de um momento para outro. Isso não quer dizer que é imutável, mas que leva mais tempo para que hajam variações consideráveis. • E uma sucessão habitual dos tipos de tempo, ou seja: Equivale a um padrão geral de condições atmosféricas. Tempo e Clima o clima é definido por Max Sorre como uma "sucessão habitual dos tipos de tempo num determinado local da superfície terrestre", enquanto o tempo é apenas o estado da atmosfera de um lugar, num determinado momento.
  • 7.
  • 8. OS FATORES E ELEMENTOS CLIMÁTICOS FATORES CLIMÁTICOS ELEMENTOS CLIMÁTICOS CLIMA ELEMENTOS TEMPERATURA PRESSÃO ATMOSFÉRICA VENTOS MASSAS DE AR UMIDADE NUVENS PRECIPITAÇÕES FATORES LATITUDE ALTITUDE CONTINENTALIDADE MARITIMIDADE CORRENTES MARÍTIMAS URBANIZAÇÃO
  • 9. Elementos atmosféricos ou climáticos (ou fenômenos atmosféricos): São os elementos que interferem e caracterizam as condições do tempo. São eles: temperatura, umidade do ar, chuva, vento, pressão atmosférica etc. Fatores climáticos: Influenciam e modificam a dinâmica dos elementos atmosféricos, que vão caracterizar o clima de uma determinada região. Os fatores climáticos são: latitude, altitude, continentalidade, maritimidade, massas de ar, correntes marítimas, disposição do relevo etc.
  • 10. . Temperatura Atmosférica: Define-se como o grau de calor existente no ar atmosférico. Este é proveniente da radiação solar, ou seja, a fonte responsável pelo calor, pela temperatura na Terra é o Sol. Contudo, uma parte ao atingir a superfície terrestre é absorvida pelas terras emersas (continentes e ilhas) e os oceanos, enquanto a outra é refletida e retorna à atmosfera.
  • 11. . Umidade do Ar: Refere-se à quantidade de vapor de água existente no ar. A atmosfera tem uma grande capacidade de conter água, porém esta é limitada. Quando o seu limite de saturação é atingido, equivale dizer que a umidade relativa do ar é de 100%. Neste ponto de saturação de água é que ocorrem as chuvas ou outros tipos de precipitações, como as sólidas (neve e granizo). Precipitações Atmosféricas: As precipitações ocorrem quando há queda de água, seja no estado líquido ou sólidos, sobre a superfície terrestre. Sendo assim, as precipitações podem ocorrer sob a forma de chuvas (precipitação pluvial), neves (precipitação nival) e granizos. . Pressão Atmosférica: corresponde ao peso do ar, pois a atmosfera exerce uma pressão sobre a superfície terrestre e sobre tudo que existe nela. A pressão atmosférica varia de acordo com a altitude e a temperatura. Ventos: trata-se do ar em movimento. E a sua movimentação depende das diferenças de temperaturas entre as zonas climáticas, nas quais se formam as áreas de alta e baixa pressão, responsáveis pela circulação geral do ar, como foi citado no elemento anterior.
  • 12. Massas de Ar São porções, extensas e espessas, da atmosfera que apresentam as mesmas ou parte das características peculiares das regiões onde foram formadas, seja em termos de temperatura, umidade e pressão. Fatores climáticos
  • 13. Correntes Marítimas São massas de água que circulam pelos mares e oceanos, isto é, são verdadeiros rios com direções e constâncias bem definidas. Possuem suas próprias condições de temperatura e pressão, exercendo forte influência no clima nas regiões por onde passam próximas.
  • 14. Maritimidade e Continentalidade É a influência da continentalidade. Sob estas condições, os invernos são mais rigorosos e secos.
  • 15. Elementos do Clima Temperatura Atmosférica – Estado térmico do ar atmosférico (frio ou calor na atmosfera) A temperatura atmosférica varia conforme alguns fatores, a saber: A- Latitude. B- Altitude. C- Relevo.
  • 16.
  • 17. Altitude • A Altitude pode influenciar na temperatura local, visto que o ar torna-se mais rarefeito conforme a altitude aumenta, fazendo com que as partículas mantenham uma maior distância entre si.
  • 18. Relevo • O Relevo pode facilitar ou impedir a circulação de massas de ar, retê-las ou não; alterando assim a temperatura.
  • 19. Latitude ALBEDO • Diferentes Latitudes podem ter diferentes climas, tudo isso por causa da diferença na incidência solar sobre a superfície terrestre (entre outros fatores). • Climas: • I- Polar • II- Temperado • III- Tropical
  • 20. PRESSÃO ATMOSFÉRICA O matemático francês Blaise Pascal (1623-1662) levou um barômetro para o alto de uma montanha. Após muitas observações, medições e anotações, ele verificou que a pressão do ar diminui com a altura. O ar vai ficando rarefeito (diminui a quantidade de moléculas nele presente), gradativamente, conforme aumenta a altitude. O nivel do mar é utilizado como referencial quando se deseja calcular a pressão atmosférica. Quanto maior a altitude, mais rarefeito é o ar, e assim, menor é a pressão que ele exerce sobre nós.
  • 21. A VARIAÇÃO AS INCIDÊNCIA DOS RAIOS SOLARES NO DECORRER DO ANO NA SUPERFÍCIE DA TERRA Na região intertropical, a incidência não apresenta grandes variações durante o ano. Portanto, nessas regiões, as temperaturas médias são praticamente constantes e elevadas durante o ano todo, o que dificulta a identificação das estações. Determina também médias térmicas elevadas e intensa evapotranspiração, que permitem o desenvolvimento das florestas tropicais/equatoriais A Luz solar não atinge de forma idêntica toda a superfície da terra, provocando Variações relativas à reflexão e/ou absorção dessa energia.
  • 22. Como se explica as estações do ano? • A inclinação do eixo de rotação da terra em relação ao sol faz com que estações do ano sejam diferentes nos hemisférios norte e sul. • Solstício: época em que os hemisférios são desigualmente iluminados. • Equinócio: Dias e noites com a mesma duração, 12 horas. DATA NORTE SUL FENÔMENO 21 dezembro Inverno Verão Solstícios 21 junho Verão Inverno Solstício 21 março Primavera Outono Equinócio 23 setembro Outono Primavera Equinócio
  • 23.
  • 24. Corrente convectiva • A diferença de absorção de energia solar nas regiões que movimenta o ar= ventos. • Quando a atmosfera é aquecida em sua parte mais baixa, pode ocorrer a convecção= movimento vertical do ar. Ocorre pois as camadas frias são mais densas e com maior pressão, assim descem, forçando o ar quente a subir.
  • 25. Pressão atmosférica • Força exercida pelo ar sobre uma superfície. • Essa pressão é alterada pela temperatura e umidade. • A massa de ar úmida tem menor pressão em relação a massa de ar seca.
  • 26. Movimento do ar • Como ocorrem desequilibrio de temperatura e umidade na terra, o ar está sempre em movimento. • Os ventos sopram das areas mais frias (  pressão e densidade) anticiclonais, para as areas mais quentes ( denso e pressão) ciclonais.
  • 27. Ciclones extratropicais Furacões Formam em baixa pressão Temperaturas baixas no centro Ventos girando no mesmo sentido Formam em baixa pressão Temperaturas altas no centro Ventos girando em sentidos opostos Ciclones e furacões
  • 28.
  • 29. Ciclones Extra-Tropicais Os metereologistas chamam de ciclones extra-tropicais os sistemas de ar de baixa pressão que se formam sobre os mares fora da zona intertropical, retirando sua energia das diferenças de temperatura existente entre as várias camadas da atmosfera. Como é que é? É o seguinte: um sistema de ar é apenas uma grande quantidade de ar que se move de forma organizada. Já baixa pressão se refere à força que esta quantidade de ar faz sobre a superfície da Terra, ou seja, ao seu peso.
  • 30. Circulação geral da atmosfera • Próximo ao Equador, o ar quente sobe e o ar frio dos trópicos ocupa o lugar. Os ventos alísios correntes de ar que sopram constantemente das proximidades dos trópicos ( alta pressão) para o Equador (baixa pressão).
  • 31.
  • 32. A Célula de Hadley • Explica a circulação atmosférica do planeta, o movimento das massas de ar (ventos com características comuns que saem das ZAPA e vão para as ZBPA.
  • 33. Brisas • A explicação do movimento das massas de ar também explica o movimento das Brisas Marinhas e Terrestres.
  • 34. Frentes • São áreas de transição entre duas massas de ar. O encontro de duas massas de ar, uma fria (Seca) e outra quente (úmida) provoca mudanças significativas no tempo, trazendo nuvens e chuvas.
  • 35.
  • 36. Tarefa de casa: Livro 3 – Capitulo 8 Paginas 10 a 13 – É imprescindível a leitura do livro texto Para compreensão dos conteúdos. Vídeos.portalsas.com.br (Portalsas) sastvvideos Assunto> atmosfera