SlideShare uma empresa Scribd logo
Modelos de negócio para produtos digitais Eduardo Lorea [email_address]
Objetivos Conhecer a estrutura de um negócio digital: modelos, fontes de receita, gestão de despesas, sustentabilidade Subsidiar a concepção e gestão de negócios em mídia digital
Método Aulas expositivas Leituras Exercício em aula
Avaliação Trabalho  negócio digital Elaborar  Modelo de Negócio  e  Business Plan  para o projeto de produto digital Prazo: 18/06
Programa Introdução RICE, Andrew.  Putting a price on words.  Times Magazine, The New York Times, 16 de maio de 2010, p. 46. Disponível em:  http://www.nytimes.com/2010/05/16/magazine/16Journalism-t.html
Programa Modelos de negócio Conceito OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L.  Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept.  Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em:  http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1 Modelos de receita Tipos ANDERSON, Chris.  Free: o futuro é grátis.  Lisboa: Actual, 2009.
Programa Indicadores de gestão Audiência (adoção x conversão) Receita Despesa
Programa Produtos digitais Tipos Modelos da mídia tradicional Modelos nativos e analogias Modelos emergentes
Programa Business plan O que é, exemplo Exercício prático
Introdução
Introdução Foi “barato” colocar o site no ar (US$ 20,000) Jornalistas profissionais, missão editorial Pagamento: autor recebe 75% da receita publicitária gerada pelas páginas de suas matérias. Sistema cooperativo, “o mercado decide o valor do conteúdo” Problema: há muito conteúdo jornalístico disponível na web. Modelo de negócios originalmente baseado em escassez e escolhas limitadas
Introdução Redações um dia serão sustentadas apenas por receitas publicitárias digitais? True/Slant: pode ser rentável se mantiver estrutura de custos muito baixa e audiência muito alta Examiner.com, Patch, Huffington Post: contribuições não-remuneradas, audiência alta Estratégias: SEO, Mídias digitais. Caso extremo: Demand Media
Introdução O valor médio de uma matéria do True/Slant: US$ 10 AdSense gerou, para os jornalistas Faster Times, pagamentos entre US$ 5 e US$ 75. Audiência: 200 mil usuários únicos. Alternativa 1: pagamento por conteúdo Alternativa 2: estratégias por “audiência a qualquer custo”
Introdução Faster Times: pensou, pensou e... decidiu cobrar.
Introdução Quem sou eu? Um site
Introdução Sites: De onde vem o dinheiro?
Introdução Sites: Como se constrói o resultado? Receita x despesa Receita:  publicidade, assinatura, venda de produtos Despesa:  servidores, pessoal (conteúdo x desenvolvimento), aluguel, equipamentos Indicadores: audiência, assinantes, cliques
1. Modelos de negócio Conceito “ Um modelo de negócio é uma ferramenta conceitual que (...) permite expressar a lógica do negócio de uma empresa (...). É a descrição do valor que a empresa oferece a um ou diversos segmentos de clientes, bem como da arquitetura da empresa (...) para criar, promover e entregar esse capital de valor (...) para gerar fontes de receita lucrativas e sustentáveis.”  OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L.  Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept.  Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em:  http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1
1. Modelos de negócio Adaptado de OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L.  Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept.  Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em:  http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1
1. Modelos de negócio Adaptado de OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L.  Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept.  Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em:  http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1 Notícias gerais? Informação especializada? Serviço? Internautas do Brasil? Bebês de Erechim? Anunciantes nacionais? Locais? Website? Mobile site? App? SMS? Leitores e anunciantes? Compradores? Que atividades serão necessárias? Como serão pagas? Redação? Desenvolvimento/TI? Comercial? Marketing/SEO? Estratégia? Será preciso contratar fornecedores? Agências? Hosts? Ad Networks? Ativadores digitais? Parceria de conteúdo? Telefone? Aluguel? Água, luz? Pessoal? Servidores? Transporte? Equipamentos? Agências? Publicidade? Pagamento por conteúdo? Venda de produtos/serviços?
1. Modelos de negócio Características do mercado de mídia: - Mercado bilateral /  two sided network  (um público consome, outro público paga) - Negócio baseado em credibilidade - Produto nunca acaba - Maior custo: pessoal
1. Modelos de negócio Problemas do mercado de mídia (na era digital): - Mudança de comportamento de consumo de informação - Perda de valor do conteúdo por causa da abundância de oferta - Perda do valor da publicidade por causa da abundância da oferta (de espaço para anúncios) - Indústria de TI quer que conteúdo seja grátis - Geração grátis (?) Adaptado de ANDERSON, Chris.  Free: o futuro é grátis.  Lisboa: Actual, 2009. pp. 167-168
1.2 Modelos de receita “ Não existe almoço grátis” ANDERSON, Chris.  Free: o futuro é grátis.  Lisboa: Actual, 2009.
1.2 Modelos de receita Modelos “grátis” - Subsídios cruzados diretos Compre um e leve outro grátis. Tarifas de vôos “quase grátis”, mas que não incluem bagagem. (aplicável?) - Mercardos não-monetários Em busca de outras formas de valor (reputação, satisfação pessoal, diversão), pessoas e organizações fornecem produtos e serviços sem custo. Artigos na WikiPedia, “auxílio ao Google”, blogs amadores relevantes.  (aplicável?) ANDERSON, Chris.  Free: o futuro é grátis.  Lisboa: Actual, 2009. Capítulo 2 (pp. 29-46), 9 (pp.161-190).
1.2 Modelos de receita Modelos “grátis” - Mercado das três partes Modelo da mídia: pessoas consomem, anunciantes pagam (para ter acesso às pessoas). Nascido com a rádio. Na web, otimizado por relevância, foi adotado por empresas de software (Google, Facebook...) - Freemium Usuários avançados pagam por serviço especial que subsidia o gratuito. Regra dos 5%: como o custo marginal de servir infinitos usuários é praticamente zero, não importa que a proporção dos pagantes em relação ao total seja muito pequena. ANDERSON, Chris.  Free: o futuro é grátis.  Lisboa: Actual, 2009. Capítulo 2 (pp. 29-46)
1.2 Modelos de receita Modelos pagos - Assinaturas por tempo Assinantes pagam (parte) dos jornais/revistas. No Reino Unido, taxa anual de TV financia BBC. No FT.com, há cobrança de assinatura por ano, semana, dia.  - Pagamento por edição Aplicativos de revistas em iPad cobram por edição. PressDisplay permite comprar exemplares individuais de publicações digitais.
1.2 Modelos de receita - Publicidade (anúncios, classificados, merchandising, promoções...) - Pagamento por conteúdo (assinaturas por tempo ou quantidade de conteúdo, compra de edições, apps, micropagamentos (?))
1.2 Modelos de receita - Fontes alternativas (eventos/palestras/publicações, produtos adicionais alavancados por mídia, “quinquilharia”, doações, financiamento público) - Para aprender: modelos “não midiáticos” Há uma série de modelos de receita tradicionalmente não utilizados por empresas de mídia, mas de sucesso em outras indústrias. Exemplos:
1.2 Modelos de receita Tipos “não midiáticos” 1. Broker Cria um ponto de encontro para comprador e vendedor (marketplace). Recebe receita da intermediação do negócio. Exemplo: shoppings virtuais, Buscapé, sites de pesquisa de passagens aéreas. 1. Comércio Venda de produtos físicos ou serviços. Exemplo: lojas virtuais em geral
1.2 Modelos de receita Tipos de receita publicitária online 1. Display ads Formas de remuneração: CPM (custo por mil - sites em geral, ad networks) CPC (custo por clique - Google) CPT (custo por transação - Amazon, Submarino, Buscapé) Patrocínio (seções do Terra, G1, pequenos sites jornalísticos)
1.2 Modelos de receita Tipos de receita publicitária online 2. Lead generation Pagamento por contatos e informações de pessoas que se cadastraram em um site gratuito. 3. Classificados Cobrança por anúncios que conectam um vendedor a um comprador. 4. Email marketing 5. Video 6. Rich media  (anúncios com animação, som, interatividade)
1.2 Modelos de receita Tipos de receita publicitária online 7. Busca /  Search Anunciantes “compram palavras” para que seus anúncios sejam colocados próximos a conteúdos relevantes: nos resultados de busca do buscador ou nas caixas de publicidade contextualizada em outros sites.
1.2 Modelos de receita Internet Advertising Bureau. Internet Advertising Revenue Report 2009: full year results.  Abril de 2010 .  Disponível em:  http://www.iab.net/media/file/IAB-Ad-Revenue-Full-Year-2009.pdf
Exemplos
FT.com: Assinaturas por tempo e “microtempo”
FT.com: Freemium
GigaOm.com: usuários avançados pagam pelo todo
Emarketer.com: usuários avançados pagam pelo todo
WSJ.com: assinatura por tempo
PressDisplay.com: pagamento por edição
NYT.com: Pagamento por funções extra
NYT.com: produtos alavancados pela marca
NYT.com: produtos alavancados pela marca (“quinquilharia”)
Amanhã: financiada por publicações especiais e eventos
E&E Publishing: conteúdo especializado e pago (caro)
Huffpost.com: financiado por publicidade, custo mínimo
True/Slant: cada jornalista “ganha o seu”
MinnPost.com: financiado por doações. Ver “real time adds”
Voiceofsandiego.org: financiado por doações de entidades
Spot.us: pagamento por pauta, distribuição gratuita
Para a próxima aula Ler ANDERSON, Chris.  Free: o futuro é grátis . Lisboa: Actual, 2009.  Capítulos 2 (páginas 29-46), 4 (páginas 71-92) Refletir sobre o projeto: Que audiência pretende alcançar (quantidade e segmento)? Como obterá receita? Qual a mais adequada a esse público? Quais serão as despesas?

Mais conteúdo relacionado

Destaque

10 Best Ways to Engage and Connect with Employees
10 Best Ways to Engage and Connect with Employees10 Best Ways to Engage and Connect with Employees
10 Best Ways to Engage and Connect with Employees
David Grossman
 
Mobile and apps in corporate communications
Mobile and apps in corporate communicationsMobile and apps in corporate communications
Mobile and apps in corporate communications
Comprend
 
Manufacturing pov jeff green 2016 v2
Manufacturing pov jeff green 2016 v2Manufacturing pov jeff green 2016 v2
Manufacturing pov jeff green 2016 v2
Jeff Green
 
Leadership Insights From TED 2016: Dream
Leadership Insights From TED 2016: DreamLeadership Insights From TED 2016: Dream
Leadership Insights From TED 2016: Dream
TINYpulse Employee Engagement Surveys
 
Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)
Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)
Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)
Staffan Lindgren
 
Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014
Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014
Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014
Sitrion
 
Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...
Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...
Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...
SocialChorus
 
Angel hack presentation
Angel hack presentationAngel hack presentation
Angel hack presentation
Caroline Balinska
 
Volunteering opportunities in india | Volunteering Solutions
Volunteering opportunities in india | Volunteering SolutionsVolunteering opportunities in india | Volunteering Solutions
Volunteering opportunities in india | Volunteering Solutions
Volunteering Solutions
 
Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...
Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...
Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...
Navera
 
MiTiN 2013 Keynote in Detroit Michigan
MiTiN 2013 Keynote in Detroit MichiganMiTiN 2013 Keynote in Detroit Michigan
MiTiN 2013 Keynote in Detroit Michigan
Kirti Vashee
 
Knowledge transfers within the Organizations
Knowledge transfers within the OrganizationsKnowledge transfers within the Organizations
Knowledge transfers within the Organizations
Dieter Hovorka
 
Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...
Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...
Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...
Alexander Stoter
 
Nexthink-See your infrastructure as never before!!
Nexthink-See your infrastructure as never before!!Nexthink-See your infrastructure as never before!!
Nexthink-See your infrastructure as never before!!
rolandpiedl
 
How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy
How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy
How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy
SocialChorus
 
Closing the Gap: A Look At Technology in Corporate Communications
Closing the Gap: A Look At Technology in Corporate CommunicationsClosing the Gap: A Look At Technology in Corporate Communications
Closing the Gap: A Look At Technology in Corporate Communications
SocialChorus
 
Measuring employee engagement
Measuring employee engagementMeasuring employee engagement
Measuring employee engagement
Kevin Ruck
 
Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide
Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide
Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide
SocialChorus
 

Destaque (19)

10 Best Ways to Engage and Connect with Employees
10 Best Ways to Engage and Connect with Employees10 Best Ways to Engage and Connect with Employees
10 Best Ways to Engage and Connect with Employees
 
Mobile and apps in corporate communications
Mobile and apps in corporate communicationsMobile and apps in corporate communications
Mobile and apps in corporate communications
 
W4hy
W4hyW4hy
W4hy
 
Manufacturing pov jeff green 2016 v2
Manufacturing pov jeff green 2016 v2Manufacturing pov jeff green 2016 v2
Manufacturing pov jeff green 2016 v2
 
Leadership Insights From TED 2016: Dream
Leadership Insights From TED 2016: DreamLeadership Insights From TED 2016: Dream
Leadership Insights From TED 2016: Dream
 
Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)
Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)
Staying ahead of the curve (Digital Corporate Communications)
 
Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014
Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014
Sitrion ONE Tour - Mobile Moments - Dec 2014
 
Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...
Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...
Take a Trip with Employee Advocacy: How TripIt Relies on Employees to Promote...
 
Angel hack presentation
Angel hack presentationAngel hack presentation
Angel hack presentation
 
Volunteering opportunities in india | Volunteering Solutions
Volunteering opportunities in india | Volunteering SolutionsVolunteering opportunities in india | Volunteering Solutions
Volunteering opportunities in india | Volunteering Solutions
 
Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...
Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...
Millennials in the Workplace: It's Time to Think Differently About Employee C...
 
MiTiN 2013 Keynote in Detroit Michigan
MiTiN 2013 Keynote in Detroit MichiganMiTiN 2013 Keynote in Detroit Michigan
MiTiN 2013 Keynote in Detroit Michigan
 
Knowledge transfers within the Organizations
Knowledge transfers within the OrganizationsKnowledge transfers within the Organizations
Knowledge transfers within the Organizations
 
Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...
Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...
Internal Communication as a key competency of Customer Centricity and Custome...
 
Nexthink-See your infrastructure as never before!!
Nexthink-See your infrastructure as never before!!Nexthink-See your infrastructure as never before!!
Nexthink-See your infrastructure as never before!!
 
How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy
How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy
How Reebok Uses Employee Generated Content to Amplify Advocacy
 
Closing the Gap: A Look At Technology in Corporate Communications
Closing the Gap: A Look At Technology in Corporate CommunicationsClosing the Gap: A Look At Technology in Corporate Communications
Closing the Gap: A Look At Technology in Corporate Communications
 
Measuring employee engagement
Measuring employee engagementMeasuring employee engagement
Measuring employee engagement
 
Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide
Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide
Transforming Internal Communications: How to Engage 100,000 Employees Worldwide
 

Semelhante a Modelos de negócios - Aula 1

Aula 02 - Anuncios Digitais
Aula 02 - Anuncios DigitaisAula 02 - Anuncios Digitais
Aula 02 - Anuncios Digitais
renatofrigo
 
Aula 03 - Anúncios Digitais
Aula 03 - Anúncios DigitaisAula 03 - Anúncios Digitais
Aula 03 - Anúncios Digitais
renatofrigo
 
Biz miz o1 m5_u5.1_r2_pt
Biz miz o1 m5_u5.1_r2_ptBiz miz o1 m5_u5.1_r2_pt
Biz miz o1 m5_u5.1_r2_pt
EmanuelePristera
 
Apostila de marketing digital
Apostila de marketing digitalApostila de marketing digital
Apostila de marketing digital
IndicaCursos
 
Treinamento Mídia Online - BAND
Treinamento Mídia Online - BANDTreinamento Mídia Online - BAND
Treinamento Mídia Online - BAND
Gui Loureiro
 
WPI Aula 03
WPI Aula 03WPI Aula 03
WPI Aula 03
Leandro Alves
 
Inteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da Informação
Inteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da InformaçãoInteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da Informação
Inteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da Informação
Alex Vieira, MBA
 
Apresentação leandro rolim mma pdf
Apresentação leandro rolim   mma pdfApresentação leandro rolim   mma pdf
Apresentação leandro rolim mma pdf
Leandro Rolim
 
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_ptBiz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
EmanuelePristera
 
Mídias Sociais - Gerenciando Marcas
Mídias Sociais - Gerenciando MarcasMídias Sociais - Gerenciando Marcas
Mídias Sociais - Gerenciando Marcas
Renan Ranzani
 
O que e web 20
O que e web 20O que e web 20
O que e web 20
Gilberto Leal
 
IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108
IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108
IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108
Mauro Amaral
 
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
Leonardo Longo
 
Webmarketing2
Webmarketing2Webmarketing2
Webmarketing2
guestc9d7d93
 
Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...
Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...
Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...
armindo ferreira
 
Universo digital
Universo digitalUniverso digital
Universo digital
Bruno Pompeu
 
Workshop Abrasel comunicacao
Workshop Abrasel comunicacaoWorkshop Abrasel comunicacao
Workshop Abrasel comunicacao
Janaina Gomes
 
Como Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneiras
Como Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneirasComo Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneiras
Como Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneiras
Tales Augusto
 
I tv infomerciais e as redes sociais[1]
I tv infomerciais e as redes sociais[1]I tv infomerciais e as redes sociais[1]
I tv infomerciais e as redes sociais[1]
Alcino PINHEIRO
 
Marketing para Web
Marketing para WebMarketing para Web
Marketing para Web
Ana Laura Gomes
 

Semelhante a Modelos de negócios - Aula 1 (20)

Aula 02 - Anuncios Digitais
Aula 02 - Anuncios DigitaisAula 02 - Anuncios Digitais
Aula 02 - Anuncios Digitais
 
Aula 03 - Anúncios Digitais
Aula 03 - Anúncios DigitaisAula 03 - Anúncios Digitais
Aula 03 - Anúncios Digitais
 
Biz miz o1 m5_u5.1_r2_pt
Biz miz o1 m5_u5.1_r2_ptBiz miz o1 m5_u5.1_r2_pt
Biz miz o1 m5_u5.1_r2_pt
 
Apostila de marketing digital
Apostila de marketing digitalApostila de marketing digital
Apostila de marketing digital
 
Treinamento Mídia Online - BAND
Treinamento Mídia Online - BANDTreinamento Mídia Online - BAND
Treinamento Mídia Online - BAND
 
WPI Aula 03
WPI Aula 03WPI Aula 03
WPI Aula 03
 
Inteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da Informação
Inteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da InformaçãoInteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da Informação
Inteligencia Competitiva com auxilio da Tecnologia da Informação
 
Apresentação leandro rolim mma pdf
Apresentação leandro rolim   mma pdfApresentação leandro rolim   mma pdf
Apresentação leandro rolim mma pdf
 
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_ptBiz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
Biz miz o1 m3_u3.2_r6_pt
 
Mídias Sociais - Gerenciando Marcas
Mídias Sociais - Gerenciando MarcasMídias Sociais - Gerenciando Marcas
Mídias Sociais - Gerenciando Marcas
 
O que e web 20
O que e web 20O que e web 20
O que e web 20
 
IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108
IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108
IGEC - Conteúdo Corporativo Unidade4 3108
 
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online[ESPM] Planejamento de Mídia Online
[ESPM] Planejamento de Mídia Online
 
Webmarketing2
Webmarketing2Webmarketing2
Webmarketing2
 
Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...
Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...
Publicidade Nativa (native marketing) e seu impacto para produtores de conteú...
 
Universo digital
Universo digitalUniverso digital
Universo digital
 
Workshop Abrasel comunicacao
Workshop Abrasel comunicacaoWorkshop Abrasel comunicacao
Workshop Abrasel comunicacao
 
Como Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneiras
Como Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneirasComo Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneiras
Como Ganhar Dinheiro na Internet - 5 maneiras
 
I tv infomerciais e as redes sociais[1]
I tv infomerciais e as redes sociais[1]I tv infomerciais e as redes sociais[1]
I tv infomerciais e as redes sociais[1]
 
Marketing para Web
Marketing para WebMarketing para Web
Marketing para Web
 

Último

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 

Último (20)

Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2021/2022 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 

Modelos de negócios - Aula 1

  • 1. Modelos de negócio para produtos digitais Eduardo Lorea [email_address]
  • 2. Objetivos Conhecer a estrutura de um negócio digital: modelos, fontes de receita, gestão de despesas, sustentabilidade Subsidiar a concepção e gestão de negócios em mídia digital
  • 3. Método Aulas expositivas Leituras Exercício em aula
  • 4. Avaliação Trabalho negócio digital Elaborar Modelo de Negócio e Business Plan para o projeto de produto digital Prazo: 18/06
  • 5. Programa Introdução RICE, Andrew. Putting a price on words. Times Magazine, The New York Times, 16 de maio de 2010, p. 46. Disponível em: http://www.nytimes.com/2010/05/16/magazine/16Journalism-t.html
  • 6. Programa Modelos de negócio Conceito OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L. Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept. Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em: http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1 Modelos de receita Tipos ANDERSON, Chris. Free: o futuro é grátis. Lisboa: Actual, 2009.
  • 7. Programa Indicadores de gestão Audiência (adoção x conversão) Receita Despesa
  • 8. Programa Produtos digitais Tipos Modelos da mídia tradicional Modelos nativos e analogias Modelos emergentes
  • 9. Programa Business plan O que é, exemplo Exercício prático
  • 11. Introdução Foi “barato” colocar o site no ar (US$ 20,000) Jornalistas profissionais, missão editorial Pagamento: autor recebe 75% da receita publicitária gerada pelas páginas de suas matérias. Sistema cooperativo, “o mercado decide o valor do conteúdo” Problema: há muito conteúdo jornalístico disponível na web. Modelo de negócios originalmente baseado em escassez e escolhas limitadas
  • 12. Introdução Redações um dia serão sustentadas apenas por receitas publicitárias digitais? True/Slant: pode ser rentável se mantiver estrutura de custos muito baixa e audiência muito alta Examiner.com, Patch, Huffington Post: contribuições não-remuneradas, audiência alta Estratégias: SEO, Mídias digitais. Caso extremo: Demand Media
  • 13. Introdução O valor médio de uma matéria do True/Slant: US$ 10 AdSense gerou, para os jornalistas Faster Times, pagamentos entre US$ 5 e US$ 75. Audiência: 200 mil usuários únicos. Alternativa 1: pagamento por conteúdo Alternativa 2: estratégias por “audiência a qualquer custo”
  • 14. Introdução Faster Times: pensou, pensou e... decidiu cobrar.
  • 15. Introdução Quem sou eu? Um site
  • 16. Introdução Sites: De onde vem o dinheiro?
  • 17. Introdução Sites: Como se constrói o resultado? Receita x despesa Receita: publicidade, assinatura, venda de produtos Despesa: servidores, pessoal (conteúdo x desenvolvimento), aluguel, equipamentos Indicadores: audiência, assinantes, cliques
  • 18. 1. Modelos de negócio Conceito “ Um modelo de negócio é uma ferramenta conceitual que (...) permite expressar a lógica do negócio de uma empresa (...). É a descrição do valor que a empresa oferece a um ou diversos segmentos de clientes, bem como da arquitetura da empresa (...) para criar, promover e entregar esse capital de valor (...) para gerar fontes de receita lucrativas e sustentáveis.” OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L. Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept. Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em: http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1
  • 19. 1. Modelos de negócio Adaptado de OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L. Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept. Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em: http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1
  • 20. 1. Modelos de negócio Adaptado de OSTERWALDER, Alexander; PIGNEUR, Yves; and TUCCI, Christopher L. Clarifying Business Models: Origins, Present, and Future of the Concept. Communications of the Association for Information Systems: Vol. 16, 2005. Disponível em: http://aisel.aisnet.org/cais/vol16/iss1/1 Notícias gerais? Informação especializada? Serviço? Internautas do Brasil? Bebês de Erechim? Anunciantes nacionais? Locais? Website? Mobile site? App? SMS? Leitores e anunciantes? Compradores? Que atividades serão necessárias? Como serão pagas? Redação? Desenvolvimento/TI? Comercial? Marketing/SEO? Estratégia? Será preciso contratar fornecedores? Agências? Hosts? Ad Networks? Ativadores digitais? Parceria de conteúdo? Telefone? Aluguel? Água, luz? Pessoal? Servidores? Transporte? Equipamentos? Agências? Publicidade? Pagamento por conteúdo? Venda de produtos/serviços?
  • 21. 1. Modelos de negócio Características do mercado de mídia: - Mercado bilateral / two sided network (um público consome, outro público paga) - Negócio baseado em credibilidade - Produto nunca acaba - Maior custo: pessoal
  • 22. 1. Modelos de negócio Problemas do mercado de mídia (na era digital): - Mudança de comportamento de consumo de informação - Perda de valor do conteúdo por causa da abundância de oferta - Perda do valor da publicidade por causa da abundância da oferta (de espaço para anúncios) - Indústria de TI quer que conteúdo seja grátis - Geração grátis (?) Adaptado de ANDERSON, Chris. Free: o futuro é grátis. Lisboa: Actual, 2009. pp. 167-168
  • 23. 1.2 Modelos de receita “ Não existe almoço grátis” ANDERSON, Chris. Free: o futuro é grátis. Lisboa: Actual, 2009.
  • 24. 1.2 Modelos de receita Modelos “grátis” - Subsídios cruzados diretos Compre um e leve outro grátis. Tarifas de vôos “quase grátis”, mas que não incluem bagagem. (aplicável?) - Mercardos não-monetários Em busca de outras formas de valor (reputação, satisfação pessoal, diversão), pessoas e organizações fornecem produtos e serviços sem custo. Artigos na WikiPedia, “auxílio ao Google”, blogs amadores relevantes. (aplicável?) ANDERSON, Chris. Free: o futuro é grátis. Lisboa: Actual, 2009. Capítulo 2 (pp. 29-46), 9 (pp.161-190).
  • 25. 1.2 Modelos de receita Modelos “grátis” - Mercado das três partes Modelo da mídia: pessoas consomem, anunciantes pagam (para ter acesso às pessoas). Nascido com a rádio. Na web, otimizado por relevância, foi adotado por empresas de software (Google, Facebook...) - Freemium Usuários avançados pagam por serviço especial que subsidia o gratuito. Regra dos 5%: como o custo marginal de servir infinitos usuários é praticamente zero, não importa que a proporção dos pagantes em relação ao total seja muito pequena. ANDERSON, Chris. Free: o futuro é grátis. Lisboa: Actual, 2009. Capítulo 2 (pp. 29-46)
  • 26. 1.2 Modelos de receita Modelos pagos - Assinaturas por tempo Assinantes pagam (parte) dos jornais/revistas. No Reino Unido, taxa anual de TV financia BBC. No FT.com, há cobrança de assinatura por ano, semana, dia. - Pagamento por edição Aplicativos de revistas em iPad cobram por edição. PressDisplay permite comprar exemplares individuais de publicações digitais.
  • 27. 1.2 Modelos de receita - Publicidade (anúncios, classificados, merchandising, promoções...) - Pagamento por conteúdo (assinaturas por tempo ou quantidade de conteúdo, compra de edições, apps, micropagamentos (?))
  • 28. 1.2 Modelos de receita - Fontes alternativas (eventos/palestras/publicações, produtos adicionais alavancados por mídia, “quinquilharia”, doações, financiamento público) - Para aprender: modelos “não midiáticos” Há uma série de modelos de receita tradicionalmente não utilizados por empresas de mídia, mas de sucesso em outras indústrias. Exemplos:
  • 29. 1.2 Modelos de receita Tipos “não midiáticos” 1. Broker Cria um ponto de encontro para comprador e vendedor (marketplace). Recebe receita da intermediação do negócio. Exemplo: shoppings virtuais, Buscapé, sites de pesquisa de passagens aéreas. 1. Comércio Venda de produtos físicos ou serviços. Exemplo: lojas virtuais em geral
  • 30. 1.2 Modelos de receita Tipos de receita publicitária online 1. Display ads Formas de remuneração: CPM (custo por mil - sites em geral, ad networks) CPC (custo por clique - Google) CPT (custo por transação - Amazon, Submarino, Buscapé) Patrocínio (seções do Terra, G1, pequenos sites jornalísticos)
  • 31. 1.2 Modelos de receita Tipos de receita publicitária online 2. Lead generation Pagamento por contatos e informações de pessoas que se cadastraram em um site gratuito. 3. Classificados Cobrança por anúncios que conectam um vendedor a um comprador. 4. Email marketing 5. Video 6. Rich media (anúncios com animação, som, interatividade)
  • 32. 1.2 Modelos de receita Tipos de receita publicitária online 7. Busca / Search Anunciantes “compram palavras” para que seus anúncios sejam colocados próximos a conteúdos relevantes: nos resultados de busca do buscador ou nas caixas de publicidade contextualizada em outros sites.
  • 33. 1.2 Modelos de receita Internet Advertising Bureau. Internet Advertising Revenue Report 2009: full year results. Abril de 2010 . Disponível em: http://www.iab.net/media/file/IAB-Ad-Revenue-Full-Year-2009.pdf
  • 35. FT.com: Assinaturas por tempo e “microtempo”
  • 41. NYT.com: Pagamento por funções extra
  • 43. NYT.com: produtos alavancados pela marca (“quinquilharia”)
  • 44. Amanhã: financiada por publicações especiais e eventos
  • 45. E&E Publishing: conteúdo especializado e pago (caro)
  • 46. Huffpost.com: financiado por publicidade, custo mínimo
  • 47. True/Slant: cada jornalista “ganha o seu”
  • 48. MinnPost.com: financiado por doações. Ver “real time adds”
  • 49. Voiceofsandiego.org: financiado por doações de entidades
  • 50. Spot.us: pagamento por pauta, distribuição gratuita
  • 51. Para a próxima aula Ler ANDERSON, Chris. Free: o futuro é grátis . Lisboa: Actual, 2009. Capítulos 2 (páginas 29-46), 4 (páginas 71-92) Refletir sobre o projeto: Que audiência pretende alcançar (quantidade e segmento)? Como obterá receita? Qual a mais adequada a esse público? Quais serão as despesas?