SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
ParaDentro
ParaCima
Para Fora
Para Frente
CÉLULA
CONSAGRAÇÃO
COMUNHÃO
EVANGELISMO
LIDERANÇA
2
Captando a visão do
ministério em células
3
Discussão em grupo
O que faz um grupo transformar
vidas?
O que os líderes podem fazer para que
suas células sejam eficientes e
causem impacto em outras vidas?
4
A visão da célula
“A vida se manifestou; nós a vimos e
dela testemunhamos, e proclamamos a
vocês a vida eterna, que estava com o
Pai e nos foi manifestada. Nós lhes
proclamamos o que vimos e ouvimos
para que vocês também tenham
comunhão conosco. Nossa comunhão é
com o Pai e com seu Filho Jesus
Cristo.” (1 João 1.2-3)
5
A vida em célula envolve:
Experimentar a vida de Cristo…
Em comunidade uns com os outros...
Expandindo sua vida e comunidade
para mais e mais pessoas.
6
Células
São a melhor maneira de unir
discipulado, cuidado ao próximo e
evangelismo.
Têm um sistema de apoio e
treinamento para encorajar suas vidas
e crescimento.
7
Igrejas em células
Unem as pessoas por meio de
relacionamentos.
Unem líderes de célula com a visão da
igreja por meio de supervisão.
Buscam crescer e multiplicar os
grupos alcançando pessoas não
cristãs.
8
Líderes de célula
Seguem a Jesus, o Bom Pastor.
Servem sob a liderança de outros
pastores.
Lideram grupos de não mais do que
15 pessoas.
 Até mesmo Jesus escolheu não
pastorear uma multidão de pessoas (Mt.
9.35—10.4)
 Pregou para 5 mil e pastoreou 12
pessoas.
9
Descrição de tarefas do
líder de célula
 Fortalecer o fraco.
 Curar o ferido.
 Tratar das feridas do que foi machucado.
 Trazer de volta os que se desviaram e
buscar os incrédulos.
 Liderar de maneira amorosa e não áspera.
Ezequiel 34.1-6
10
Como alguém se torna líder
de célula?
Experimentando a vida da célula.
Completando o trilho de treinamento
necessário.
Ajudando em uma célula (1 Tm 3.10).
Recebendo a bênção dos
discipuladores e pastores.
 Demonstrando fidelidade ao Senhor, aos
seus líderes e a outros.
11
Atributos de bons líderes!
Oram diariamente pelos membros da
célula.
Gastam mais tempo com Deus.
Definem alvos para a multiplicação.
Identificam e envolvem novos líderes.
Gastam mais tempo com os membros.
Acompanham os visitantes.
Preparam-se bem para os encontros.
12
Idéias para seu plano:
 Separe um tempo significativo para orar
com seu grupo.
 Tenha “Meias-noites de oração” (vigílias).
 Pode ser preciso usar uma noite diferente da
semana.
 Considere jejuar para colocar as coisas em
movimento.
13
O que é uma célula?
Um encontro semanal?
Um “corpo” de crentes
experimentando comunidade em
Cristo.
Uma família — Cuidando uns dos
outros e estendendo o amor de
Cristo?
 Não é uma família perfeita
 Uma família saudável
 Uma família terapêutica
14
Etapas da vida da célula
Formação — lua-de-mel
Agitação — estágio de conflitos
Maturidade — Decisão de Agir
Ação — evangelismo e multiplicação
CÉLULA
15
Para cultivar comunhão
Inclua as pessoas nas suas atividades
diárias da igreja.
Sentem juntos nos cultos.
Telefonem uns para os outros entre os
encontros da célula.
Defina parceiros de oração pela
célula.
16
Reflexão Pessoal
Em que etapa da vida da célula seu
grupo está agora?
Quais necessidades de
relacionamentos existem em seu
grupo agora?
O que você gostaria de ver
acontecendo nos próximos dois ou
três meses para aprofundar os
relacionamentos em seu grupo?
17
Mobilizando a célula para
o evangelismo
18
Você gostou da maneira
que foi levado a Cristo?
19
Descobertas?
 Muitas pessoas têm uma
imagem mental irreal a
respeito de evangelismo.
 Elas sentem-se nervosas ou
culpadas.
 Mas elas se sentem bem
com a maneira pela qual
foram evangelizadas.
 Os melhores evangelistas
são cristãos comuns.
20
Descobertas?
 O amor ativo é primordial
para levar outros a Cristo.
 Evangelismo leva tempo!
 Como você gostaria de
evangelizar as pessoas?
21
O princípio da amizade
 As pessoas na Bíblia eram freqüentemente
levadas a Cristo por meio de amigos ou
parentes.
 André levou Pedro a Cristo (Jo 1.40-41).
 Mateus levou seus companheiros de trabalho e
amigos incrédulos (Mt 9.10).
 Cornélio influenciou parentes e soldados
amigos a receberem a Cristo (At 10.22-24).
 Lídia e o carcereiro de Filipos levaram suas
famílias a Cristo (At 16).
 A Bíblia dá muitos outros exemplos.
22
Semeadura e Colheita
A figura mais comum a respeito de
evangelismo na Bíblia.
“Um semeia e outro colhe”,
disse Jesus. (Jo 4.37)
Evangelismo leva tempo.
É um processo.
Normalmente envolve várias pessoas.
23
Alcançando os outros
juntos!
Passos simples para o sucesso
24
Declaração de propósito
Quem seu grupo foi chamado para
alcançar? (Um certo grupo de pessoas
ou uma parte da cidade?)
O que vocês querem experimentar
juntos?
25
Defina alvos simples
Quantas pessoas ou famílias você
quer ver chegando a Cristo nos
próximos três meses?
Quando o seu grupo pretende
multiplicar?
26
Festa! Use comida e
diversão!
 Quais aniversários ou feriados estão
próximos que podem ser usados para
alcançar outros por meio de
relacionamentos?
 Quais são alguns interesses dos incrédulos
que seu grupo conhece?
27
Seja amigo de visitantes!
 Mude o encontro das
células de casa em casa
para ser mais fácil convidar
amigos.
 Quando houver visitantes:
 Explique tudo; Use folhas de
músicas!
 Acompanhe os visitantes e
avise-os onde será o
encontro da semana
seguinte.
28
Multiplique-se a si mesmo!
Barnabé Paulo Timóteo
Outros
29
Multiplique-se a si mesmo!
Ore! (Mt 9.37-38)
Veja cada um como um futuro líder.
(Peça a Deus fé.)
Envolva constantemente os outros no
ministério.
Dê responsabilidades às pessoas
ANTES de pedir que elas sejam
líderes.
30
Entregue seu grupo!
Seu ministério
Ministério de seu auxiliar
Primeiros 6 meses do ciclo da célula

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide online
Módulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide onlineMódulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide online
Módulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide online
Luiz Siles
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
mgno42
 
Desenvolvimento natural da igreja
Desenvolvimento natural da igrejaDesenvolvimento natural da igreja
Desenvolvimento natural da igreja
Marcus D. Ziemann
 

Mais procurados (20)

Como atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célulaComo atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célula
 
A Visão dos Corações MDA
A Visão dos Corações MDAA Visão dos Corações MDA
A Visão dos Corações MDA
 
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipuladoLição 10 - O discípulo e o discipulado
Lição 10 - O discípulo e o discipulado
 
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
Transição e Implantação de Células nas IgrejasTransição e Implantação de Células nas Igrejas
Transição e Implantação de Células nas Igrejas
 
Treinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliaresTreinamento obreiros e auxiliares
Treinamento obreiros e auxiliares
 
Módulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide online
Módulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide onlineMódulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide online
Módulo ii treinamento prático para evangelização urbano no dia do ide online
 
Estudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da IgrejaEstudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da Igreja
 
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a UmTreinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
Treinamento de Líderes de Células e Discipulado Um a Um
 
Apostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreirosApostila preparacao obreiros
Apostila preparacao obreiros
 
Formato para reunião de equipes de liderança em células
Formato para reunião de equipes de liderança em célulasFormato para reunião de equipes de liderança em células
Formato para reunião de equipes de liderança em células
 
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUSAPOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
APOSTILA DO OBREIRO NO SERVIR A DEUS
 
A visao-do-mda
A visao-do-mdaA visao-do-mda
A visao-do-mda
 
Lição 5 - Conselhos Valiosos para a Vida Cristã em Família
Lição 5 - Conselhos Valiosos para a Vida Cristã em FamíliaLição 5 - Conselhos Valiosos para a Vida Cristã em Família
Lição 5 - Conselhos Valiosos para a Vida Cristã em Família
 
Curso de evangelismo
Curso de evangelismoCurso de evangelismo
Curso de evangelismo
 
Desenvolvimento natural da igreja
Desenvolvimento natural da igrejaDesenvolvimento natural da igreja
Desenvolvimento natural da igreja
 
Escola bíblica dominical
Escola bíblica dominicalEscola bíblica dominical
Escola bíblica dominical
 
5 funções-da-célula-mda
5 funções-da-célula-mda5 funções-da-célula-mda
5 funções-da-célula-mda
 
Treinamento para diáconos
Treinamento para diáconosTreinamento para diáconos
Treinamento para diáconos
 
PROJETO DISCIPULADO PARA O BRASIL
PROJETO DISCIPULADO PARA O BRASILPROJETO DISCIPULADO PARA O BRASIL
PROJETO DISCIPULADO PARA O BRASIL
 
Escola de Líderes
Escola de LíderesEscola de Líderes
Escola de Líderes
 

Destaque

Visão geral da celula
Visão geral da celulaVisão geral da celula
Visão geral da celula
Rafael Gomes
 
Aula QuíMica
Aula QuíMicaAula QuíMica
Aula QuíMica
wddan
 

Destaque (18)

A célula uma visão geral
A célula uma visão geralA célula uma visão geral
A célula uma visão geral
 
Uma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da CélulaUma Visão Geral da Célula
Uma Visão Geral da Célula
 
Visão geral da celula
Visão geral da celulaVisão geral da celula
Visão geral da celula
 
Aula sobre células
Aula sobre célulasAula sobre células
Aula sobre células
 
Visao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulasVisao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulas
 
Aula 01 Origem da Biologia Celular
Aula 01   Origem da Biologia CelularAula 01   Origem da Biologia Celular
Aula 01 Origem da Biologia Celular
 
Divisão celular mitose e meiose biologia
Divisão celular mitose e meiose biologiaDivisão celular mitose e meiose biologia
Divisão celular mitose e meiose biologia
 
Biologia Celular
Biologia CelularBiologia Celular
Biologia Celular
 
Niveis de organização na biologia
Niveis de organização na biologiaNiveis de organização na biologia
Niveis de organização na biologia
 
Citoplasma e organelas
Citoplasma e organelasCitoplasma e organelas
Citoplasma e organelas
 
Aula QuíMica
Aula QuíMicaAula QuíMica
Aula QuíMica
 
Introdução a química
Introdução a químicaIntrodução a química
Introdução a química
 
II. 1 As células
II. 1 As célulasII. 1 As células
II. 1 As células
 
1. introdução a química
1. introdução a química1. introdução a química
1. introdução a química
 
Introdução a Física
Introdução a FísicaIntrodução a Física
Introdução a Física
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A Célula - Unidade básica da vida
A Célula - Unidade básica da vidaA Célula - Unidade básica da vida
A Célula - Unidade básica da vida
 

Semelhante a CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS

A importância das células
A  importância das célulasA  importância das células
A importância das células
Wildete Silva
 
2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas
2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas
2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas
Roberto Fernandes
 
218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1
218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1
218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1
Rosa Luzia Da Hora
 
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoralDgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Kleber Silva
 

Semelhante a CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS (20)

seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.pptseminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
seminario_melhorando_as_dinamicas.ppt
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
Caderno 1 VIVER - Lição 5
Caderno 1 VIVER - Lição 5 Caderno 1 VIVER - Lição 5
Caderno 1 VIVER - Lição 5
 
A importância das células
A  importância das célulasA  importância das células
A importância das células
 
2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas
2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas
2250831 treinamento-lideres-de-celulas caracteristicas
 
218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1
218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1
218989882 2º-escola-de-lideres-formando-um-lider-de-exito-modulo-1
 
Dna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpcDna a visão da igreja obpc
Dna a visão da igreja obpc
 
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
DISCIPULADO UM A UM.-phpapp02
 
Como-expressar-os-principios-Hoje.pptx
Como-expressar-os-principios-Hoje.pptxComo-expressar-os-principios-Hoje.pptx
Como-expressar-os-principios-Hoje.pptx
 
O caminhar em unidade
O caminhar em unidadeO caminhar em unidade
O caminhar em unidade
 
Visão
VisãoVisão
Visão
 
Apostilha da celulas
Apostilha da celulasApostilha da celulas
Apostilha da celulas
 
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
K papel leigoigrejahojeigrejasinacio19out11
 
PECC - 2 de 5 = Fundamentação Teológica
PECC - 2 de 5 = Fundamentação TeológicaPECC - 2 de 5 = Fundamentação Teológica
PECC - 2 de 5 = Fundamentação Teológica
 
DGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleberDGAE 2011 2015 padrekleber
DGAE 2011 2015 padrekleber
 
Dgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoralDgae 2011 2015 visitapastoral
Dgae 2011 2015 visitapastoral
 
DISCIPULADO NA ESCOLA DOMINICAL: O DESAFIO DE UMA EBD RELACIONAL
DISCIPULADO NA ESCOLA DOMINICAL: O DESAFIO DE UMA EBD RELACIONALDISCIPULADO NA ESCOLA DOMINICAL: O DESAFIO DE UMA EBD RELACIONAL
DISCIPULADO NA ESCOLA DOMINICAL: O DESAFIO DE UMA EBD RELACIONAL
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
 
09 3 t15
09 3 t1509 3 t15
09 3 t15
 
09 3 t15
09 3 t1509 3 t15
09 3 t15
 

Último (7)

Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdfESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
ESPECIALIDADES ARQUEOLOGIA BIBLICA DBV.pdf
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdfLeandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
Leandro Pires - O Eu Superior Nosso Verdadeiro Mestre.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 

CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS

  • 2. 2 Captando a visão do ministério em células
  • 3. 3 Discussão em grupo O que faz um grupo transformar vidas? O que os líderes podem fazer para que suas células sejam eficientes e causem impacto em outras vidas?
  • 4. 4 A visão da célula “A vida se manifestou; nós a vimos e dela testemunhamos, e proclamamos a vocês a vida eterna, que estava com o Pai e nos foi manifestada. Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo.” (1 João 1.2-3)
  • 5. 5 A vida em célula envolve: Experimentar a vida de Cristo… Em comunidade uns com os outros... Expandindo sua vida e comunidade para mais e mais pessoas.
  • 6. 6 Células São a melhor maneira de unir discipulado, cuidado ao próximo e evangelismo. Têm um sistema de apoio e treinamento para encorajar suas vidas e crescimento.
  • 7. 7 Igrejas em células Unem as pessoas por meio de relacionamentos. Unem líderes de célula com a visão da igreja por meio de supervisão. Buscam crescer e multiplicar os grupos alcançando pessoas não cristãs.
  • 8. 8 Líderes de célula Seguem a Jesus, o Bom Pastor. Servem sob a liderança de outros pastores. Lideram grupos de não mais do que 15 pessoas.  Até mesmo Jesus escolheu não pastorear uma multidão de pessoas (Mt. 9.35—10.4)  Pregou para 5 mil e pastoreou 12 pessoas.
  • 9. 9 Descrição de tarefas do líder de célula  Fortalecer o fraco.  Curar o ferido.  Tratar das feridas do que foi machucado.  Trazer de volta os que se desviaram e buscar os incrédulos.  Liderar de maneira amorosa e não áspera. Ezequiel 34.1-6
  • 10. 10 Como alguém se torna líder de célula? Experimentando a vida da célula. Completando o trilho de treinamento necessário. Ajudando em uma célula (1 Tm 3.10). Recebendo a bênção dos discipuladores e pastores.  Demonstrando fidelidade ao Senhor, aos seus líderes e a outros.
  • 11. 11 Atributos de bons líderes! Oram diariamente pelos membros da célula. Gastam mais tempo com Deus. Definem alvos para a multiplicação. Identificam e envolvem novos líderes. Gastam mais tempo com os membros. Acompanham os visitantes. Preparam-se bem para os encontros.
  • 12. 12 Idéias para seu plano:  Separe um tempo significativo para orar com seu grupo.  Tenha “Meias-noites de oração” (vigílias).  Pode ser preciso usar uma noite diferente da semana.  Considere jejuar para colocar as coisas em movimento.
  • 13. 13 O que é uma célula? Um encontro semanal? Um “corpo” de crentes experimentando comunidade em Cristo. Uma família — Cuidando uns dos outros e estendendo o amor de Cristo?  Não é uma família perfeita  Uma família saudável  Uma família terapêutica
  • 14. 14 Etapas da vida da célula Formação — lua-de-mel Agitação — estágio de conflitos Maturidade — Decisão de Agir Ação — evangelismo e multiplicação CÉLULA
  • 15. 15 Para cultivar comunhão Inclua as pessoas nas suas atividades diárias da igreja. Sentem juntos nos cultos. Telefonem uns para os outros entre os encontros da célula. Defina parceiros de oração pela célula.
  • 16. 16 Reflexão Pessoal Em que etapa da vida da célula seu grupo está agora? Quais necessidades de relacionamentos existem em seu grupo agora? O que você gostaria de ver acontecendo nos próximos dois ou três meses para aprofundar os relacionamentos em seu grupo?
  • 17. 17 Mobilizando a célula para o evangelismo
  • 18. 18 Você gostou da maneira que foi levado a Cristo?
  • 19. 19 Descobertas?  Muitas pessoas têm uma imagem mental irreal a respeito de evangelismo.  Elas sentem-se nervosas ou culpadas.  Mas elas se sentem bem com a maneira pela qual foram evangelizadas.  Os melhores evangelistas são cristãos comuns.
  • 20. 20 Descobertas?  O amor ativo é primordial para levar outros a Cristo.  Evangelismo leva tempo!  Como você gostaria de evangelizar as pessoas?
  • 21. 21 O princípio da amizade  As pessoas na Bíblia eram freqüentemente levadas a Cristo por meio de amigos ou parentes.  André levou Pedro a Cristo (Jo 1.40-41).  Mateus levou seus companheiros de trabalho e amigos incrédulos (Mt 9.10).  Cornélio influenciou parentes e soldados amigos a receberem a Cristo (At 10.22-24).  Lídia e o carcereiro de Filipos levaram suas famílias a Cristo (At 16).  A Bíblia dá muitos outros exemplos.
  • 22. 22 Semeadura e Colheita A figura mais comum a respeito de evangelismo na Bíblia. “Um semeia e outro colhe”, disse Jesus. (Jo 4.37) Evangelismo leva tempo. É um processo. Normalmente envolve várias pessoas.
  • 23. 23 Alcançando os outros juntos! Passos simples para o sucesso
  • 24. 24 Declaração de propósito Quem seu grupo foi chamado para alcançar? (Um certo grupo de pessoas ou uma parte da cidade?) O que vocês querem experimentar juntos?
  • 25. 25 Defina alvos simples Quantas pessoas ou famílias você quer ver chegando a Cristo nos próximos três meses? Quando o seu grupo pretende multiplicar?
  • 26. 26 Festa! Use comida e diversão!  Quais aniversários ou feriados estão próximos que podem ser usados para alcançar outros por meio de relacionamentos?  Quais são alguns interesses dos incrédulos que seu grupo conhece?
  • 27. 27 Seja amigo de visitantes!  Mude o encontro das células de casa em casa para ser mais fácil convidar amigos.  Quando houver visitantes:  Explique tudo; Use folhas de músicas!  Acompanhe os visitantes e avise-os onde será o encontro da semana seguinte.
  • 28. 28 Multiplique-se a si mesmo! Barnabé Paulo Timóteo Outros
  • 29. 29 Multiplique-se a si mesmo! Ore! (Mt 9.37-38) Veja cada um como um futuro líder. (Peça a Deus fé.) Envolva constantemente os outros no ministério. Dê responsabilidades às pessoas ANTES de pedir que elas sejam líderes.
  • 30. 30 Entregue seu grupo! Seu ministério Ministério de seu auxiliar Primeiros 6 meses do ciclo da célula

Notas do Editor

  1. 1