SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
DOCUMENTOS
COMERCIAIS
Rotinas Administrativas
Professora: Hévila Andrade
Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-SA-NC
Neste capítulo, você conhecerá os documentos comerciais e
aprenderá que estes são de grande importância nas empresas, já
que é neles que se baseia a maior parte das operações comerciais.
Ao final deste capítulo você terá subsídios para:
⚫ compreender a importância prática e as consequências legais
do correto preenchimento do documento;
⚫distinguir e classificar as diversas modalidades de documentos.
Agora, você é convidado a verificar alguns tipos de documentos
comerciais utilizados na rotina de um escritório.
DOCUMENTOS
COMERCIAIS
 Documentos Comerciais são impressos onde
são registrados os fenômenos econômicos e
financeiros com a indicação das suas
características qualitativas e quantitativas
no tempo e espaço. Ou seja constituem
meios de provas das transações comerciais
em caso de contestação, servem de base
para lançamentos efetuado nos diversos
livros e tem por conseguinte maior
importância ao constituir a base a partir da
qual se elabora toda a informação para a
contabilidade.
Para que servem:
 São provas das transações
comerciais em caso de contestação.
 Servem de base para lançamentos
efetuado nos diversos livros.
 Constituem a base a partir da qual
se elabora toda a informação da
contabilidade.
Quais são os documentos comerciais:
CHEQUE
NOTA
PROMISSÓRIA
A DUPLICATA
BOLETO BORDERÔ
RECIBO E
NOTA FISCAL
ORDEM DE
PAGAMENTO
DARF
SERVIÇO
POSTAL
CARTA
REGISTRADA
AVISO DE
RECEBIMENTO
(A.R)
MALOTE
ENTREGA
RÁPIDA
TELEGRAMA
CHEQUE
 Cheque é uma ordem de pagamento, à vista ou
a prazo, emitida por uma pessoa contra um
banco, para que este pague uma determinada
importância a uma pessoa, importância esta
que o emitente tem junto ao sacado, derivada
de contrato de depósito bancário ou abertura
de crédito.
 Trata-se de documento por meio do qual o
titular de determinada conta corrente emite
ordem para o banco ou entidade congênere
pagar ou creditar certa quantia a seu favor ou
de outra pessoa, neste caso, o beneficiário.
 A operação com cheque envolve três agentes:
• o emitente (emissor ou sacador), que é aquele
que emite o cheque
• o beneficiário, que é a pessoa a favor de
quem o cheque é emitido
• o sacado, que é o banco onde está depositado
o dinheiro do emitente
Os cheques podem variar de tipo:
1. nominal (ou nominativo) à ordem: Se o valor exceder R$ 100,00, é
obrigado o emitente indicar o nome do beneficiário (pessoa ou empresa
que está efetuando o pagamento). O cheque pode ser depositado ou
pago pelo banco mediante identificação do beneficiário ou pessoa por ele
indicada no verso do cheque.
2. nominal *não à ordem: só pode ser apresentado ao banco pelo
beneficiário indicado no cheque e não pode ser transferido pelo
beneficiário.
3. ao portador: não nomeia um beneficiário e é pagável a quem o
apresente ao banco sacado. Não pode ter valor superior a R$ 100,00.
4. cruzado: tanto o cheque ao portador quanto o nominal podem ser
cruzados, com a colocação de dois traços paralelos, em sentido diagonal,
na frente do documento. Nesse caso, só será pago através de depósito
em conta corrente.
MODELO CHEQUE NOMINAL
MODELO CHEQUE AO PORTADOR
MODELO CHEQUE CRUZADO
Os cheques podem variar de tipo:
5. pré-datado: um financiamento do credor direto com o consumidor negociando a data em que
o cheque será descontado. Não há burocracias nem contratos e títulos. Por isso, é importante
confiar na loja/pessoa com quem se faz a negociação, para evitar que o cheque seja
depositado antes da hora.
6. especial: produto que decorre de uma relação contratual que fornece linha de crédito para
cobrir transações, como cheques que ultrapassem o valor existente na conta. Funciona como
uma operação de crédito vinculada à conta corrente disponibilizando limite para utilização
através movimentação da conta corrente. Isso é feito sem necessidade de comunicação prévia
à instituição financeira. Essas operações devem ter como característica a amortização
automática do saldo devedor quando houver depósitos na conta corrente devedora. É
importante lembrar que o banco cobra juros pelo uso desse crédito.
7. administrativo: não foi feito para circular, mas sim para ser usado em situações específicas.
O cheque administrativo é emitido pelo próprio banco, servindo como garantia de pagamento.
Ele geralmente é emitido para pagamentos de alto valor, onde a existência de fundos deve ser
garantida.
MODELO CHEQUE PRÉ-DATADO
MODELO CHEQUE ESPECIAL
NOTA PROMISSÓRIA
A nota promissória é uma promessa de
pagamento pela qual o emitente se
compromete diretamente com o beneficiário a
pagar-lhe certa quantia em dinheiro. A nota
promissória é diferente da letra de câmbio,
fundamentalmente, no seguinte aspecto: a nota
promissória é promessa de pagamento,
enquanto a letra de câmbio é ordem de
pagamento. Sendo promessa de pagamento a
nota promissória envolve apenas dois
personagens cambiários:
 O emitente: é a pessoa que emite a nota
promissória, na qualidade de devedor do
título.
 O beneficiário: é a pessoa que se beneficia
da nota promissória, na qualidade de credor
do título.
Requisitos Legais
A nota promissória é o documento formal, devendo, por esta razão, obedecer a diversos
requisitos estabelecidos pela Lei. Esses requisitos são:
•A denominação nota promissória escrita no texto do documento.
•A promessa pura e simples de pagar determinada quantia.
•A data do vencimento ( pagamento ).
•O nome do beneficiário ou à ordem de quem deve ser paga (não se admite
nota promissória ao portador).
•O lugar onde o pagamento deve ser realizado.
•A data em que a nota promissória foi emitida.
MODELO DE NOTA PROMISSÓRIA
DUPLICATA
 A duplicata é o título de crédito emitido
com base em obrigação proveniente de
compra e venda comercial ou prestação de
certos serviços.
 Vejamos um exemplo de como surge uma
duplicata: na venda de uma mercadoria,
com prazo não inferior a 30 dias, o
vendedor deverá extrair a respectiva fatura
para apresentá-la ao comprador. No
momento da emissão da fatura, ou após a
venda, o comerciante poderá extrair uma
duplicata que, sendo assinada pelo
comprador, servirá como documento de
comprovação da dívida.
Requisitos Legais
A duplicata, sendo titulo formal, apresenta os seguintes requisitos previstos em Lei:
A denominação duplicata, a data de sua emissão e o número de ordem.
•O número da fatura.
•A data do vencimento ou a declaração de ser duplicata à vista.
•O nome e o domicílio do vendedor e do comprador.
•A importância a pagar, em algarismos e por extenso.
•A praça de pagamento.
•A cláusula à ordem.
•A declaração do recebimento de sua exatidão e da obrigação de pagá-la, a ser
assinada pelo comprador, como aceite cambial.
•A assinatura do emitente.
MODELO DE DUPLICATA
BOLETO
 É um título, onde o consumidor se
compromete a pagar uma exata quantia para,
assim, ter o direito a obter determinado
produto ou serviço. Nesse documento,
necessariamente, devem vir impressos o
nome do banco que receberá o pagamento, o
nome da empresa ou comerciante (pessoa
física ou jurídica), valor a ser pago, juros,
tarifas e multa que podem incidir se houver
atraso, indicação de quais agências pode ser
feito o pagamento, data do vencimento e
o código de barras. Após o vencimento, é
necessário gerar a segunda via para realizar o
pagamento.
 Para emitir este tipo de título, basta a pessoa
física ou jurídica ter uma conta corrente em
algum banco e pedir junto a sua agência uma
carteira de cobrança.
MODELO DE BOLETO
BORDERÔ
 A palavra borderô vem do francês, bordereau.
Este substantivo significa “registro, relação de
operações financeiras, comerciais e etc.”
 Um Borderô é uma lista ou agrupamento de
títulos, a pagar ou a receber, referentes a bens
de consumo ou serviços prestados. Esse conjunto
de operações bancárias deve ocorrer no mesmo
dia e na mesma conta bancária.
 Adotar os borderôs traz um ganho operacional
enorme para o setor financeiro das empresas.
BORDERÔ
Os borderôs devem reunir os títulos de acordo com seu
objetivo, no caso, se é a pagar ou a receber. Estes títulos
podem ser em diversos formatos como duplicatas,
cheques, boletos, captações de cartão de crédito e etc.
Depois de finalizado, o borderô, seja de contas a receber ou
a pagar, é enviado para o banco ou a outra empresa
responsável para processamento. Depois de processado,
ainda há a cobrança de encargos financeiros e despesas
bancárias correspondentes.
Para enviar o borderô para o banco é possível utilizar um
sistema ERP(Sistema de Gestão Integrado).
MODELO DE BORDERÔ
RECIBO E NOTA FISCAL
RECIBO
Documento expedido por pessoa física ou jurídica, no qual dá quitação de
um valor pago referente à vendas ou serviços prestados.
NOTA FISCAL
É o documento que comprova a existência de um ato comercial (compra e
venda de mercadorias ou prestação de serviços); tem a necessidade maior
de atender às exigências do Fisco, quanto ao trânsito das mercadorias e das
operações realizadas entre adquirentes e fornecedores.
Tipos de Notas Fiscais :
 Mod. 1 - Nota Fiscal de entrada e saída de mercadorias.
 Mod. 2 - Nota Fiscal de venda a consumidor (pode ser substituída pelo
“cupom fiscal” )
ORDENS DE PAGAMENTO
 Ordem de pagamento é uma instrução para
executar uma transação de pagamento fornecida
pelo pagador ao seu provedor de serviços de
pagamento.
 A ordem de pagamento, ou ORPAG, nada mais é
do que uma autorização para que a retirada de
uma quantia do banco com cheques ou remessas
de valores, seja feita sem problemas. Alguns
bancos, porém, ainda reconhecem como ordem de
pagamento apenas transferências feitas para não
correntistas.
MODELO DE ORDEM DE PAGAMENTO
DARF
 O DARF nos atende de maneira eficiente e bem
objetiva. A sigla DARF significa Documento de
Arrecadação das Receitas Federais, o qual é
emitido pelo Ministério da Economia e Secretaria
da Receita Federal.
 Sua finalidade refere-se à cobrança seletiva de
impostos, tendo como objetivo fazer com que os
impostos sejam entregues diretamente aos cofres
federais, facilitando o trabalho dos responsáveis
tributários das empresas, justamente, porque
unifica os pagamentos em uma única guia.
TIPOS DE DARFS
 O DARF é separado em dois tipos: Simples e Comum. Eles já
causaram muita confusão por utilizarem termos generalistas para
defini-los. Na imagem abaixo, temos as principais distinções entre
eles:
MODELO DE DARF SIMPLES
DARF Simples:
Conforme apresentado na imagem acima, o DARF Simples entrou
em vigor em 1997 e deixou de ser utilizado em 2011. Nesse período
foi utilizado como única guia para o recolhimento dos tributos das
empresas enquadradas no programa Simples Nacional.
O principal objetivo do DARF Simples era facilitar a vida do pequeno
empresário, utilizando apenas um documento para efetuar o
recolhimento de todos os tributos, ou seja, o pagamento de todos os
impostos da empresa era unificado em uma única guia.
Com o estabelecimento do Simples Nacional em 2011, tal cobrança
foi substituída pelo DAS (Documento de Arrecadação do Simples
Nacional). O DAS também é uma guia de recolhimento único, que
engloba todos os tributos que incidem apenas sobre as empresas
enquadradas no Simples Nacional e MEI.
MODELO DE DARF COMUM
DARF Comum:
Já o DARF Comum surge logo após a instituição do DARF Simples e
está em vigor atualmente. Ele é utilizado para o recolhimento de
todos os tributos de operações financeiras recolhidos ao tesouro
federal.
É por meio do DARF Comum que recolhemos impostos
como: Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), Imposto de
Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), Imposto de Importação,
recolhimento do Programa de Integração Social (PIS) – sobre o
faturamento das empresas – destinado a promover a Integração
Social dos empregados, Imposto sobre Operações de Crédito,
Câmbio e Seguros (IOF) e entre outros.
SERVIÇO POSTAL
 O serviço postal é a materialização do direito á
comunicação, sendo o meio formal utilizado pelas
empresas para se comunicar com seus clientes e
fornecedores. As ferramentas e os produtos do
serviço postal disponíveis são os seguintes:
 Carta registrada;
 Aviso de recebimento (A.R);
 Malote;
 Entrega rápida;
 Telegrama.
CARTA REGISTRADA
É o serviço de envio de
documentos em que o emitente
tem um número de controle para
rastrear o envio da mesma, O
destinatário é obrigado a assinar
o recebimento da encomenda.
MODELO DE CARTA REGISTRADA
Nossa solução de comunicação é exclusiva.
Indispensável para o envio de mensagens
particulares, oficiais ou confidenciais.
O envio de uma Carta pode também conter diálogos
de afeto, sendo um convite ao resgate de emoções!
AVISO DE RECEBIMENTO
Só pode ser utilizada no caso de
carta registrada. No A.R., o ateste
de recebimento pelo destinatário
tem valor jurídico e é repassado
para o remetente.
MODELO DE AVISO DE RECEBIMENTO
O AR somente poderá ser utilizado junto a objetos registrados
É imprescindível o preenchimento correto de todos os campos do
formulário do AR, especialmente os campos destinados aos dados
do remetente e do destinatário. Dados incompletos e/ou incorretos
atrasam ou mesmo impedem a devolução do AR.
MALOTE
É o serviço periódico de envio de
documentos agrupados em uma
pasta (malote), de um local para
outro. Pode ser feito por
funcionários da mesma empresa
ou ser contratado.
MODELO DE MALOTE
Nas maiores cidades do país a coleta de documentos e objetos
pode ser feita em horários diferenciados com embalagens gratuitas
e entrega urgente. Além de poder, acompanhar e alterar o percurso
do seu malote pela internet. É a certeza de comunicação eficiente
da sua empresa com filiais, agências, representantes e parceiros
comerciais.
ENTREGA RÁPIDA
O Sedex, da EBCT Correios, é um
caso de serviço de entrega rápida, em
que os custos são mais elevados que
a entrega normal, mas os prazos de
entrega são menores. Outras
empresas disponibilizam o serviço,
como a americana Fedex.
MODELO DE ENTREGA RÁPIDA
Agilidade e rapidez. Foi centrado nessas duas virtudes que a FedEx
se transformou na maior empresa de entrega expressa de
correspondências, documentos e objetos do mundo. A FedEx diminui
distâncias com uma eficiência espetacular, fazendo com que o
planeta vire um simples bairro. Como diz o slogan: The World on
Time (“O Mundo na Hora”). Nada mais verdadeiro em se tratando de
FedEx.
A encomenda líder do Brasil
Sendo o serviço líder de envios expressos no Brasil, o SEDEX
atende a você de acordo com a sua necessidade, sempre com a
qualidade dos Correios, um dos melhores serviços postais do
mundo!
Disponível em todo o território brasileiro, os Correios oferecem o
serviço de envio ideal para a sua encomenda.
TELEGRAMA
É o serviço que permite
encaminhamento de mensagem
urgentes em âmbito nacional e
internacional. A grande vantagem é
que o telegrama, ao contrário do e-
mail, é considerado uma
comunicação oficial, sendo utilizado
pelas empresas para notificações
judiciais e outros procedimentos
jurídicos.
MODELO TELEGRAMA
Você tem a comodidade de enviar o telegrama via
internet, pelo telefone ou indo até uma agência. A
mensagem chega em até 4 horas ao destinatário,
já que tem tratamento prioritário e é aceito em todo
o território nacional.
EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Jogo da logistica
Jogo da logisticaJogo da logistica
Jogo da logistica
 
Inventários
InventáriosInventários
Inventários
 
Arquivo
ArquivoArquivo
Arquivo
 
Contabilidade geral ppt
Contabilidade geral   pptContabilidade geral   ppt
Contabilidade geral ppt
 
Gestão de Tesouraria
Gestão de TesourariaGestão de Tesouraria
Gestão de Tesouraria
 
Slides Introdução à Contabilidade
Slides  Introdução à ContabilidadeSlides  Introdução à Contabilidade
Slides Introdução à Contabilidade
 
Nota Fiscal Eletrônica
Nota Fiscal EletrônicaNota Fiscal Eletrônica
Nota Fiscal Eletrônica
 
Administração financeira
Administração financeiraAdministração financeira
Administração financeira
 
Contabilidade basica
Contabilidade basicaContabilidade basica
Contabilidade basica
 
Introdução à Contabilidade
Introdução à ContabilidadeIntrodução à Contabilidade
Introdução à Contabilidade
 
Tecnicas de arquivamento
Tecnicas de arquivamentoTecnicas de arquivamento
Tecnicas de arquivamento
 
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
Aula 01  introdução, endereçamento e wmsAula 01  introdução, endereçamento e wms
Aula 01 introdução, endereçamento e wms
 
ECommerce
ECommerceECommerce
ECommerce
 
Documentos comerciais
Documentos comerciais Documentos comerciais
Documentos comerciais
 
Apresentação Franquias
Apresentação FranquiasApresentação Franquias
Apresentação Franquias
 
Treina Cobranca 201008
Treina Cobranca 201008Treina Cobranca 201008
Treina Cobranca 201008
 
Gestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentaçãoGestao estoques apresentação
Gestao estoques apresentação
 
Introdução à Gestão Financeira
Introdução à Gestão FinanceiraIntrodução à Gestão Financeira
Introdução à Gestão Financeira
 
Aula 7 - Contas a receber
Aula 7 - Contas a receberAula 7 - Contas a receber
Aula 7 - Contas a receber
 
Áreas administrativas e suas funções
Áreas administrativas e suas funçõesÁreas administrativas e suas funções
Áreas administrativas e suas funções
 

Semelhante a DOCUMENTOS COMERCIAIS.pptx

O que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaas
O que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaasO que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaas
O que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaasDiogoHFrancisco
 
Pagamento em caixa .pptx
Pagamento em caixa .pptxPagamento em caixa .pptx
Pagamento em caixa .pptxPedroCabral97
 
Documentação Comercial
Documentação ComercialDocumentação Comercial
Documentação Comercialjoaninha09
 
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a PagarGestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a PagarStyllusConsultoria
 
O sistema de pagamentos brasileiro. Um guia prático
O sistema de pagamentos brasileiro. Um guia práticoO sistema de pagamentos brasileiro. Um guia prático
O sistema de pagamentos brasileiro. Um guia práticomoreirageo1
 
Documentação comercial
Documentação comercial Documentação comercial
Documentação comercial MigazzLuis
 
Documentação comercial
Documentação  comercialDocumentação  comercial
Documentação comercialjoaoprates
 
Contas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptx
Contas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptxContas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptx
Contas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptxCatarinaSequeira22
 
Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)soraiafilipa17
 
Documentos da área financeira
Documentos da área financeiraDocumentos da área financeira
Documentos da área financeiraValéria Lins
 
01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf
01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf
01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdfEdsonAprovadoMpu
 
Manual de Conciliação.pdf
Manual de Conciliação.pdfManual de Conciliação.pdf
Manual de Conciliação.pdfTcheAlimentar
 
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfivanviana19
 
Ficha de avaliação nº 22 funções do operador de caixa
Ficha de avaliação nº 22 funções do operador de caixaFicha de avaliação nº 22 funções do operador de caixa
Ficha de avaliação nº 22 funções do operador de caixaLeonor Alves
 

Semelhante a DOCUMENTOS COMERCIAIS.pptx (20)

Aula 04 secretariado
Aula 04 secretariadoAula 04 secretariado
Aula 04 secretariado
 
Conceitos Bancários
Conceitos BancáriosConceitos Bancários
Conceitos Bancários
 
O que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaas
O que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaasO que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaas
O que é e para que serve a documentação comercial utilizada pela empresaas
 
Pagamento em caixa .pptx
Pagamento em caixa .pptxPagamento em caixa .pptx
Pagamento em caixa .pptx
 
Documentação Comercial
Documentação ComercialDocumentação Comercial
Documentação Comercial
 
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a PagarGestão Estratégica de Contas a Pagar
Gestão Estratégica de Contas a Pagar
 
O sistema de pagamentos brasileiro. Um guia prático
O sistema de pagamentos brasileiro. Um guia práticoO sistema de pagamentos brasileiro. Um guia prático
O sistema de pagamentos brasileiro. Um guia prático
 
Documentação comercial
Documentação comercial Documentação comercial
Documentação comercial
 
Documentação comercial
Documentação  comercialDocumentação  comercial
Documentação comercial
 
Contas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptx
Contas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptxContas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptx
Contas e Instrumentos de Pagamento V_4.0.pptx
 
Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)Documentação comercial (1)
Documentação comercial (1)
 
Documentos da área financeira
Documentos da área financeiraDocumentos da área financeira
Documentos da área financeira
 
mais....doc
mais....docmais....doc
mais....doc
 
Treinamento Profissional De Cobranca
Treinamento Profissional De CobrancaTreinamento Profissional De Cobranca
Treinamento Profissional De Cobranca
 
Factoring e sua contabilizacao
Factoring e sua contabilizacaoFactoring e sua contabilizacao
Factoring e sua contabilizacao
 
01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf
01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf
01_D_Empresarial_II_-_Teoria_Geral_dos_T_tulos_de_Cr_dit.pdf
 
Manual de Conciliação.pdf
Manual de Conciliação.pdfManual de Conciliação.pdf
Manual de Conciliação.pdf
 
8 gestão financeira
8 gestão financeira8 gestão financeira
8 gestão financeira
 
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdfABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
ABORDAGENS TEÓRICAS DA CONTABILIDADE - Aula 03.pdf
 
Ficha de avaliação nº 22 funções do operador de caixa
Ficha de avaliação nº 22 funções do operador de caixaFicha de avaliação nº 22 funções do operador de caixa
Ficha de avaliação nº 22 funções do operador de caixa
 

DOCUMENTOS COMERCIAIS.pptx

  • 1. DOCUMENTOS COMERCIAIS Rotinas Administrativas Professora: Hévila Andrade Esta Foto de Autor Desconhecido está licenciado em CC BY-SA-NC
  • 2. Neste capítulo, você conhecerá os documentos comerciais e aprenderá que estes são de grande importância nas empresas, já que é neles que se baseia a maior parte das operações comerciais. Ao final deste capítulo você terá subsídios para: ⚫ compreender a importância prática e as consequências legais do correto preenchimento do documento; ⚫distinguir e classificar as diversas modalidades de documentos. Agora, você é convidado a verificar alguns tipos de documentos comerciais utilizados na rotina de um escritório.
  • 3. DOCUMENTOS COMERCIAIS  Documentos Comerciais são impressos onde são registrados os fenômenos econômicos e financeiros com a indicação das suas características qualitativas e quantitativas no tempo e espaço. Ou seja constituem meios de provas das transações comerciais em caso de contestação, servem de base para lançamentos efetuado nos diversos livros e tem por conseguinte maior importância ao constituir a base a partir da qual se elabora toda a informação para a contabilidade.
  • 4. Para que servem:  São provas das transações comerciais em caso de contestação.  Servem de base para lançamentos efetuado nos diversos livros.  Constituem a base a partir da qual se elabora toda a informação da contabilidade.
  • 5. Quais são os documentos comerciais: CHEQUE NOTA PROMISSÓRIA A DUPLICATA BOLETO BORDERÔ RECIBO E NOTA FISCAL
  • 7. CHEQUE  Cheque é uma ordem de pagamento, à vista ou a prazo, emitida por uma pessoa contra um banco, para que este pague uma determinada importância a uma pessoa, importância esta que o emitente tem junto ao sacado, derivada de contrato de depósito bancário ou abertura de crédito.  Trata-se de documento por meio do qual o titular de determinada conta corrente emite ordem para o banco ou entidade congênere pagar ou creditar certa quantia a seu favor ou de outra pessoa, neste caso, o beneficiário.  A operação com cheque envolve três agentes: • o emitente (emissor ou sacador), que é aquele que emite o cheque • o beneficiário, que é a pessoa a favor de quem o cheque é emitido • o sacado, que é o banco onde está depositado o dinheiro do emitente
  • 8. Os cheques podem variar de tipo: 1. nominal (ou nominativo) à ordem: Se o valor exceder R$ 100,00, é obrigado o emitente indicar o nome do beneficiário (pessoa ou empresa que está efetuando o pagamento). O cheque pode ser depositado ou pago pelo banco mediante identificação do beneficiário ou pessoa por ele indicada no verso do cheque. 2. nominal *não à ordem: só pode ser apresentado ao banco pelo beneficiário indicado no cheque e não pode ser transferido pelo beneficiário. 3. ao portador: não nomeia um beneficiário e é pagável a quem o apresente ao banco sacado. Não pode ter valor superior a R$ 100,00. 4. cruzado: tanto o cheque ao portador quanto o nominal podem ser cruzados, com a colocação de dois traços paralelos, em sentido diagonal, na frente do documento. Nesse caso, só será pago através de depósito em conta corrente.
  • 10. MODELO CHEQUE AO PORTADOR
  • 12. Os cheques podem variar de tipo: 5. pré-datado: um financiamento do credor direto com o consumidor negociando a data em que o cheque será descontado. Não há burocracias nem contratos e títulos. Por isso, é importante confiar na loja/pessoa com quem se faz a negociação, para evitar que o cheque seja depositado antes da hora. 6. especial: produto que decorre de uma relação contratual que fornece linha de crédito para cobrir transações, como cheques que ultrapassem o valor existente na conta. Funciona como uma operação de crédito vinculada à conta corrente disponibilizando limite para utilização através movimentação da conta corrente. Isso é feito sem necessidade de comunicação prévia à instituição financeira. Essas operações devem ter como característica a amortização automática do saldo devedor quando houver depósitos na conta corrente devedora. É importante lembrar que o banco cobra juros pelo uso desse crédito. 7. administrativo: não foi feito para circular, mas sim para ser usado em situações específicas. O cheque administrativo é emitido pelo próprio banco, servindo como garantia de pagamento. Ele geralmente é emitido para pagamentos de alto valor, onde a existência de fundos deve ser garantida.
  • 15. NOTA PROMISSÓRIA A nota promissória é uma promessa de pagamento pela qual o emitente se compromete diretamente com o beneficiário a pagar-lhe certa quantia em dinheiro. A nota promissória é diferente da letra de câmbio, fundamentalmente, no seguinte aspecto: a nota promissória é promessa de pagamento, enquanto a letra de câmbio é ordem de pagamento. Sendo promessa de pagamento a nota promissória envolve apenas dois personagens cambiários:  O emitente: é a pessoa que emite a nota promissória, na qualidade de devedor do título.  O beneficiário: é a pessoa que se beneficia da nota promissória, na qualidade de credor do título.
  • 16. Requisitos Legais A nota promissória é o documento formal, devendo, por esta razão, obedecer a diversos requisitos estabelecidos pela Lei. Esses requisitos são: •A denominação nota promissória escrita no texto do documento. •A promessa pura e simples de pagar determinada quantia. •A data do vencimento ( pagamento ). •O nome do beneficiário ou à ordem de quem deve ser paga (não se admite nota promissória ao portador). •O lugar onde o pagamento deve ser realizado. •A data em que a nota promissória foi emitida.
  • 17. MODELO DE NOTA PROMISSÓRIA
  • 18. DUPLICATA  A duplicata é o título de crédito emitido com base em obrigação proveniente de compra e venda comercial ou prestação de certos serviços.  Vejamos um exemplo de como surge uma duplicata: na venda de uma mercadoria, com prazo não inferior a 30 dias, o vendedor deverá extrair a respectiva fatura para apresentá-la ao comprador. No momento da emissão da fatura, ou após a venda, o comerciante poderá extrair uma duplicata que, sendo assinada pelo comprador, servirá como documento de comprovação da dívida.
  • 19. Requisitos Legais A duplicata, sendo titulo formal, apresenta os seguintes requisitos previstos em Lei: A denominação duplicata, a data de sua emissão e o número de ordem. •O número da fatura. •A data do vencimento ou a declaração de ser duplicata à vista. •O nome e o domicílio do vendedor e do comprador. •A importância a pagar, em algarismos e por extenso. •A praça de pagamento. •A cláusula à ordem. •A declaração do recebimento de sua exatidão e da obrigação de pagá-la, a ser assinada pelo comprador, como aceite cambial. •A assinatura do emitente.
  • 21. BOLETO  É um título, onde o consumidor se compromete a pagar uma exata quantia para, assim, ter o direito a obter determinado produto ou serviço. Nesse documento, necessariamente, devem vir impressos o nome do banco que receberá o pagamento, o nome da empresa ou comerciante (pessoa física ou jurídica), valor a ser pago, juros, tarifas e multa que podem incidir se houver atraso, indicação de quais agências pode ser feito o pagamento, data do vencimento e o código de barras. Após o vencimento, é necessário gerar a segunda via para realizar o pagamento.  Para emitir este tipo de título, basta a pessoa física ou jurídica ter uma conta corrente em algum banco e pedir junto a sua agência uma carteira de cobrança.
  • 23. BORDERÔ  A palavra borderô vem do francês, bordereau. Este substantivo significa “registro, relação de operações financeiras, comerciais e etc.”  Um Borderô é uma lista ou agrupamento de títulos, a pagar ou a receber, referentes a bens de consumo ou serviços prestados. Esse conjunto de operações bancárias deve ocorrer no mesmo dia e na mesma conta bancária.  Adotar os borderôs traz um ganho operacional enorme para o setor financeiro das empresas.
  • 24. BORDERÔ Os borderôs devem reunir os títulos de acordo com seu objetivo, no caso, se é a pagar ou a receber. Estes títulos podem ser em diversos formatos como duplicatas, cheques, boletos, captações de cartão de crédito e etc. Depois de finalizado, o borderô, seja de contas a receber ou a pagar, é enviado para o banco ou a outra empresa responsável para processamento. Depois de processado, ainda há a cobrança de encargos financeiros e despesas bancárias correspondentes. Para enviar o borderô para o banco é possível utilizar um sistema ERP(Sistema de Gestão Integrado).
  • 26. RECIBO E NOTA FISCAL RECIBO Documento expedido por pessoa física ou jurídica, no qual dá quitação de um valor pago referente à vendas ou serviços prestados. NOTA FISCAL É o documento que comprova a existência de um ato comercial (compra e venda de mercadorias ou prestação de serviços); tem a necessidade maior de atender às exigências do Fisco, quanto ao trânsito das mercadorias e das operações realizadas entre adquirentes e fornecedores. Tipos de Notas Fiscais :  Mod. 1 - Nota Fiscal de entrada e saída de mercadorias.  Mod. 2 - Nota Fiscal de venda a consumidor (pode ser substituída pelo “cupom fiscal” )
  • 27.
  • 28.
  • 29. ORDENS DE PAGAMENTO  Ordem de pagamento é uma instrução para executar uma transação de pagamento fornecida pelo pagador ao seu provedor de serviços de pagamento.  A ordem de pagamento, ou ORPAG, nada mais é do que uma autorização para que a retirada de uma quantia do banco com cheques ou remessas de valores, seja feita sem problemas. Alguns bancos, porém, ainda reconhecem como ordem de pagamento apenas transferências feitas para não correntistas.
  • 30. MODELO DE ORDEM DE PAGAMENTO
  • 31. DARF  O DARF nos atende de maneira eficiente e bem objetiva. A sigla DARF significa Documento de Arrecadação das Receitas Federais, o qual é emitido pelo Ministério da Economia e Secretaria da Receita Federal.  Sua finalidade refere-se à cobrança seletiva de impostos, tendo como objetivo fazer com que os impostos sejam entregues diretamente aos cofres federais, facilitando o trabalho dos responsáveis tributários das empresas, justamente, porque unifica os pagamentos em uma única guia.
  • 32. TIPOS DE DARFS  O DARF é separado em dois tipos: Simples e Comum. Eles já causaram muita confusão por utilizarem termos generalistas para defini-los. Na imagem abaixo, temos as principais distinções entre eles:
  • 33. MODELO DE DARF SIMPLES DARF Simples: Conforme apresentado na imagem acima, o DARF Simples entrou em vigor em 1997 e deixou de ser utilizado em 2011. Nesse período foi utilizado como única guia para o recolhimento dos tributos das empresas enquadradas no programa Simples Nacional. O principal objetivo do DARF Simples era facilitar a vida do pequeno empresário, utilizando apenas um documento para efetuar o recolhimento de todos os tributos, ou seja, o pagamento de todos os impostos da empresa era unificado em uma única guia. Com o estabelecimento do Simples Nacional em 2011, tal cobrança foi substituída pelo DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). O DAS também é uma guia de recolhimento único, que engloba todos os tributos que incidem apenas sobre as empresas enquadradas no Simples Nacional e MEI.
  • 34. MODELO DE DARF COMUM DARF Comum: Já o DARF Comum surge logo após a instituição do DARF Simples e está em vigor atualmente. Ele é utilizado para o recolhimento de todos os tributos de operações financeiras recolhidos ao tesouro federal. É por meio do DARF Comum que recolhemos impostos como: Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF), Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), Imposto de Importação, recolhimento do Programa de Integração Social (PIS) – sobre o faturamento das empresas – destinado a promover a Integração Social dos empregados, Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguros (IOF) e entre outros.
  • 35. SERVIÇO POSTAL  O serviço postal é a materialização do direito á comunicação, sendo o meio formal utilizado pelas empresas para se comunicar com seus clientes e fornecedores. As ferramentas e os produtos do serviço postal disponíveis são os seguintes:  Carta registrada;  Aviso de recebimento (A.R);  Malote;  Entrega rápida;  Telegrama.
  • 36. CARTA REGISTRADA É o serviço de envio de documentos em que o emitente tem um número de controle para rastrear o envio da mesma, O destinatário é obrigado a assinar o recebimento da encomenda.
  • 37. MODELO DE CARTA REGISTRADA Nossa solução de comunicação é exclusiva. Indispensável para o envio de mensagens particulares, oficiais ou confidenciais. O envio de uma Carta pode também conter diálogos de afeto, sendo um convite ao resgate de emoções!
  • 38. AVISO DE RECEBIMENTO Só pode ser utilizada no caso de carta registrada. No A.R., o ateste de recebimento pelo destinatário tem valor jurídico e é repassado para o remetente.
  • 39. MODELO DE AVISO DE RECEBIMENTO O AR somente poderá ser utilizado junto a objetos registrados É imprescindível o preenchimento correto de todos os campos do formulário do AR, especialmente os campos destinados aos dados do remetente e do destinatário. Dados incompletos e/ou incorretos atrasam ou mesmo impedem a devolução do AR.
  • 40. MALOTE É o serviço periódico de envio de documentos agrupados em uma pasta (malote), de um local para outro. Pode ser feito por funcionários da mesma empresa ou ser contratado.
  • 41. MODELO DE MALOTE Nas maiores cidades do país a coleta de documentos e objetos pode ser feita em horários diferenciados com embalagens gratuitas e entrega urgente. Além de poder, acompanhar e alterar o percurso do seu malote pela internet. É a certeza de comunicação eficiente da sua empresa com filiais, agências, representantes e parceiros comerciais.
  • 42. ENTREGA RÁPIDA O Sedex, da EBCT Correios, é um caso de serviço de entrega rápida, em que os custos são mais elevados que a entrega normal, mas os prazos de entrega são menores. Outras empresas disponibilizam o serviço, como a americana Fedex.
  • 43. MODELO DE ENTREGA RÁPIDA Agilidade e rapidez. Foi centrado nessas duas virtudes que a FedEx se transformou na maior empresa de entrega expressa de correspondências, documentos e objetos do mundo. A FedEx diminui distâncias com uma eficiência espetacular, fazendo com que o planeta vire um simples bairro. Como diz o slogan: The World on Time (“O Mundo na Hora”). Nada mais verdadeiro em se tratando de FedEx. A encomenda líder do Brasil Sendo o serviço líder de envios expressos no Brasil, o SEDEX atende a você de acordo com a sua necessidade, sempre com a qualidade dos Correios, um dos melhores serviços postais do mundo! Disponível em todo o território brasileiro, os Correios oferecem o serviço de envio ideal para a sua encomenda.
  • 44. TELEGRAMA É o serviço que permite encaminhamento de mensagem urgentes em âmbito nacional e internacional. A grande vantagem é que o telegrama, ao contrário do e- mail, é considerado uma comunicação oficial, sendo utilizado pelas empresas para notificações judiciais e outros procedimentos jurídicos.
  • 45. MODELO TELEGRAMA Você tem a comodidade de enviar o telegrama via internet, pelo telefone ou indo até uma agência. A mensagem chega em até 4 horas ao destinatário, já que tem tratamento prioritário e é aceito em todo o território nacional.