SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 7
12 de Fevereiro de 2017
Gleybson Andrade
Texto Áureo
"Antes, sede uns para com os
outros benignos,
misericordiosos, perdoando-vos
uns aos outros, como também
Deus vos perdoou em Cristo."
(Ef 4.32)
Verdade Prática
A benignidade na vida do
crente torna-o uma
testemunha do amor de
Deus.
Estrutura
I- A BENIGNIDADE FUNDAMENTA-SE NO AMOR
1. O que é benignidade?
2. Jesus, exemplo de benignidade.
3. A benignidade na prática.
II - A PORFIA FUNDAMENTA-SE NA INVEJA E NO ORGULHO
1. Inimizade e porfia.
2. Evódia e Síntique.
3. Miriã e Arão.
III – REVISTAMO – NOS DE BENIGNIDADE
1. Retirando as vestes velhas.
2. Sede benignos.
3. Imitando a conduta de Paulo.
Leitura Bíblica
 Colossenses 3.12 - 17
 12 Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de
entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão,
longanimidade;
 13 Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se
alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou,
assim fazei vós também.
 14 E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição.
 15 E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo,
domine em vossos corações; e sede agradecidos.
 16 A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a
sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com
salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao SENHOR com graça
em vosso coração.
 17 E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do
Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.
Objetivos
 Geral:
 Mostrar que a benignidade é um aspecto do fruto do
Espírito e que a porfia é obra da carne.
 Específicos:
 I. Reconhecer que a benignidade se fundamenta no
amor;
 II. Mostrar que a porfia se fundamenta na inveja e no
orgulho;
 III. Explicar porque precisamos nos revestir de
benignidade.
Vocabulário
 Benignidade
 substantivo feminino
 qualidade ou virtude do que é benigno.
 Porfia
 substantivo feminino
 1. contenda de palavras; discussão, disputa, polêmica.
 "adorava uma p. calorosa"
 2. qualidade do que é persistente; insistência,
perseverança, tenacidade. "trabalhar com p."
Diferença entre Benignidade e
Bondade (lição 8)
 Benignidade é a disposição em ser bondoso com o
próximo. Significa excelência de caráter, pensar bem a
respeito das pessoas (daí o fato de estar ligada com o
julgar).
 Bondade é a ação de ser bom, gentil e reto para com o
próximo.
Devo pensar benignamente e agir com bondade.
 Gálatas 5:22
 22 - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz,
longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão,
temperança.
Frases de ilustres
 Nenhum homem pode me fazer uma bondade mais
verdadeira neste mundo do que orar por mim. (John
Piper)
 O filho de Deus, tem cuidado de guardar o caminho do
Senhor, mais concentrado de coração na busca de Sua
glória, e verá sua amorosa benignidade e a terna
misericórdia do Senhor em sua vida. (Charles
Spurgeon)
Textos Chaves sobre Benignidade
 Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo:
Porquanto com amor eterno te amei, por isso com
benignidade te atraí. Jr 31:3
 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados,
e com a medida com que tiverdes medido vos hão de
medir a vós. Mt 7:2
 Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai,
sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e
sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até
para com os ingratos e maus. Lucas 6:35
Livro dos Salmos
 LOUVAI ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua
benignidade dura para sempre. Salmos 136:1
 Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e
abundante em benignidade para todos os que te
invocam. Salmos 86:5
 Porém tu, Senhor, és um Deus cheio de compaixão, e
piedoso, sofredor, e grande em benignidade e em
verdade. Salmos 86:15
Benignidade Atributo comunicável
da Divindade
 I Corintios 13:4
 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o
amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
 Efésios 4:32
 Antes sede uns para com os outros benignos,
misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como
também Deus vos perdoou em Cristo.
Deus a única fonte de Benignidade
 Piedoso e benigno é o SENHOR, sofredor e de grande
misericórdia. Salmos 145:8
 porque ele é benigno até para com os ingratos e maus.
Lucas 6:35
Benignidade Fundamenta-se no amor
 Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus
é amor. I João 4:8
 E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos
tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus,
e Deus nele. I João 4:16
Jesus benignidade e bondade em
pessoa
 E, Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e possuído de íntima
compaixão para com ela, curou os seus enfermos. Mateus 14:14 (
 Então Jesus, movido de íntima compaixão, tocou-lhes nos olhos,
e logo viram; e eles o seguiram. Mateus 20:34 (saindo de Jericó)
 E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e
disse-lhe: Não chores. Lucas 7:13 (viúva de naim, chorando por
seu filho único)
 Jesus chorou. João 11:35 (por Jerusalém e seus filhos incrédulos)
BENIGNIDADE PORFIA
Fruto do Espírito (Gl 5.20) Obra da carne (Gl 5.21)
É boa (2 Cr 10.7) É má (I Sm 15.23; I Tm 6.4)
Constrói relacionamentos (Gn 26.27-
31; Ef 4.32)
Destrói relacionamentos (Gn 26.20; 2
Co 12.20)
Revela o caráter divino (Ef 4.32; 5.1) Revela o caráter carnal (Gl 5.19)
Promove a paz (Ef 4.32-b) Promove a guerra (Gl 5.20)
Porfia fundamenta-se na Inveja e
no orgulho
 (Frase de John Stott) A inveja é o reverso de uma
moeda chamada vaidade - Ninguém nunca é invejoso
de outros que não é primeiro orgulhoso de si mesmo.
 (Agostinho de Hipona dizia que) o princípio de todo
pecado é o orgulho
 Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e
semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. Mateus
13:25
 O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do
mundo; e os ceifeiros são os anjos. Mateus 13:39
Revistamo-nos de Benignidade
 Romanos 13:14
 Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais
cuidado da carne em suas concupiscências.
 Efésios 6:11
 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que
possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
Paulo homem comum que revelou
em sua vida o Fruto do Espírito
 Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e
amados, de entranhas de misericórdia, de
benignidade, humildade, mansidão, longanimidade;
Colossenses 3:12
 E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo
da perfeição. Colossenses 3:14
 Sede meus imitadores, como também eu sou de
Cristo. I Corintios 11:1
Conclusão
 Segundo o Pastor Osiel Gomes: Se realmente
desejamos expressar um cristianismo vivo, autêntico,
precisamos excluir do nosso meio as porfias, pois são
obras da carne e maculam corpo de Cristo. Precisamos
seguir o exemplo de Jesus Cristo, que, com sua
benignidade, atraía as pessoas para se reconciliarem
com Deus. Jesus manifestou sua benignidade curando
os enfermos, libertando os oprimidos pelo Diabo e
morrendo na cruz pelas nossas ofensas e delitos.
 AMÉM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.
Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.
Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.
Márcio Martins
 
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vidaLBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
Natalino das Neves Neves
 
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deusLição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Erberson Pinheiro
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Márcio Martins
 
Tolerância em ação
Tolerância em açãoTolerância em ação
Tolerância em ação
Freekidstories
 
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte IU.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
Ramón Zazatt
 
Esperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para crianças
Esperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para criançasEsperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para crianças
Esperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para crianças
Freekidstories
 
Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.
Márcio Martins
 
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para criançasPaciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Freekidstories
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
Márcio Martins
 
Apresentação Graça e Salvação
Apresentação  Graça e SalvaçãoApresentação  Graça e Salvação
Apresentação Graça e Salvação
Márcio Melânia
 
A crise do pecado
A crise do pecadoA crise do pecado
A crise do pecado
Elias Vasconcelos
 
Aula 3 a a queda do homem-21-01-18-apresentada
Aula 3  a a queda do homem-21-01-18-apresentadaAula 3  a a queda do homem-21-01-18-apresentada
Aula 3 a a queda do homem-21-01-18-apresentada
luizribeiro1000
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 GraçaCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
Dr. Paulo Lis
 
O que devo fazer para ser salvo?
O que devo fazer para ser salvo?O que devo fazer para ser salvo?
O que devo fazer para ser salvo?
Rafael Bernardo de Castro
 
O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015
O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015
O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015
Pr. Andre Luiz
 
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
Pr Neto
 
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O ÚLTIMO CHAMADO
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
Márcio Martins
 
Licao11
Licao11Licao11
Licao11
Está Escrito
 

Mais procurados (20)

Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.
Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.
Mansidão:Torna o Crente Apto Para Evitar Pelejas.
 
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vidaLBA Lição 8 - A bondade que confere vida
LBA Lição 8 - A bondade que confere vida
 
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deusLição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
Lição 4 - Salvação - o amor e a misericórdia de deus
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
 
Tolerância em ação
Tolerância em açãoTolerância em ação
Tolerância em ação
 
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte IU.XI - Salvação em Cristo - Parte I
U.XI - Salvação em Cristo - Parte I
 
Esperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para crianças
Esperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para criançasEsperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para crianças
Esperança viva - 40 pensamentos sobre a Quaresma para crianças
 
Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.Fidelidade Firmes na Fé.
Fidelidade Firmes na Fé.
 
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para criançasPaciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
Paciência em ação - Passagens bíblicas sobre a paciência para crianças
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
 
Apresentação Graça e Salvação
Apresentação  Graça e SalvaçãoApresentação  Graça e Salvação
Apresentação Graça e Salvação
 
A crise do pecado
A crise do pecadoA crise do pecado
A crise do pecado
 
Aula 3 a a queda do homem-21-01-18-apresentada
Aula 3  a a queda do homem-21-01-18-apresentadaAula 3  a a queda do homem-21-01-18-apresentada
Aula 3 a a queda do homem-21-01-18-apresentada
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 GraçaCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação  Aula 2 Graça
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 2 Graça
 
O que devo fazer para ser salvo?
O que devo fazer para ser salvo?O que devo fazer para ser salvo?
O que devo fazer para ser salvo?
 
O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015
O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015
O Evangelho da Graça - Lição 02 - 3º Trimestre de 2015
 
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
O arrependimento - Texto Básico: Salmos 32
 
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
O QUE PRECISO FAZER PARA SER SALVO?
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
 
Licao11
Licao11Licao11
Licao11
 

Semelhante a 1 ebd 2017 lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias

Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Erberson Pinheiro
 
Lição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRILição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRI
Gérson Fagundes da Cunha
 
A esperança que temos
A esperança que temos A esperança que temos
A esperança que temos
Wesley1235
 
3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração
Rogério Moreira
 
PERDÃO.pptx
PERDÃO.pptxPERDÃO.pptx
PERDÃO.pptx
OtonielLopes
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Gerson G. Ramos
 
Identidade discípulo
Identidade discípuloIdentidade discípulo
Identidade discípulo
Sidinei Kauer
 
Benegnidade: um Escudo Protetor Contra as Porfias
Benegnidade: um Escudo Protetor Contra as PorfiasBenegnidade: um Escudo Protetor Contra as Porfias
Benegnidade: um Escudo Protetor Contra as Porfias
Márcio Martins
 
O amor que corrige
O amor que corrigeO amor que corrige
O amor que corrige
Paulo Da Rocha
 
LIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS
LIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIASLIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS
LIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS
Lourinaldo Serafim
 
3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx
3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx
3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx
Tiago Silva
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Jovens do Senhor
Jovens do SenhorJovens do Senhor
Jovens do Senhor
Gediel Mendes
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Gerson G. Ramos
 
Sunda Portuguese Mass
Sunda Portuguese MassSunda Portuguese Mass
Sunda Portuguese Mass
MariadaSilva95
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
Natalino das Neves Neves
 
Leituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano ALeituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano A
José Lima
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
Lucas Martins
 
Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1
Elias Costa
 
Reflexoes biblicas sobre o amor
Reflexoes biblicas sobre o amorReflexoes biblicas sobre o amor
Reflexoes biblicas sobre o amor
Danillo Kott
 

Semelhante a 1 ebd 2017 lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias (20)

Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfiasLição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
Lição 7 - Benignidade: Um escudo protetor contra as porfias
 
Lição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRILição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRI
Lição - nº1 - Deus, Cristo e a Humanidade (6 de abril de 2013) - 2º TRI
 
A esperança que temos
A esperança que temos A esperança que temos
A esperança que temos
 
3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração3 os atributos de deus e a adoração
3 os atributos de deus e a adoração
 
PERDÃO.pptx
PERDÃO.pptxPERDÃO.pptx
PERDÃO.pptx
 
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
Resumo_Reavivamento: nossa grande necessidade_132013
 
Identidade discípulo
Identidade discípuloIdentidade discípulo
Identidade discípulo
 
Benegnidade: um Escudo Protetor Contra as Porfias
Benegnidade: um Escudo Protetor Contra as PorfiasBenegnidade: um Escudo Protetor Contra as Porfias
Benegnidade: um Escudo Protetor Contra as Porfias
 
O amor que corrige
O amor que corrigeO amor que corrige
O amor que corrige
 
LIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS
LIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIASLIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS
LIÇÃO 07 - BENIGNIDADE: UM ESCUDO PROTETOR CONTRA AS PORFIAS
 
3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx
3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx
3-osatributosdedeuseaadorao-150311060807-conversion-gate01 (1).pptx
 
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...Ebd  1° trimestre 2017 lição 7  Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
Ebd 1° trimestre 2017 lição 7 Benignidade: um Escudo Protetor contra as Por...
 
Jovens do Senhor
Jovens do SenhorJovens do Senhor
Jovens do Senhor
 
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
Confissão e arrependimento: as condições do reavivamento_Resumo_632013
 
Sunda Portuguese Mass
Sunda Portuguese MassSunda Portuguese Mass
Sunda Portuguese Mass
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
 
Leituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano ALeituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano A
Leituras: 26º Domingo do Tempo Comum - Ano A
 
Primeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDFPrimeira apostila dos jovens - PDF
Primeira apostila dos jovens - PDF
 
Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1
 
Reflexoes biblicas sobre o amor
Reflexoes biblicas sobre o amorReflexoes biblicas sobre o amor
Reflexoes biblicas sobre o amor
 

Mais de ugleybson

PENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.ppt
PENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.pptPENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.ppt
PENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.ppt
ugleybson
 
As 5 linguagens do amor
As 5 linguagens do amorAs 5 linguagens do amor
As 5 linguagens do amor
ugleybson
 
Calendario elim evangelismo
Calendario elim   evangelismoCalendario elim   evangelismo
Calendario elim evangelismo
ugleybson
 
Doutrina da igreja
Doutrina da igrejaDoutrina da igreja
Doutrina da igreja
ugleybson
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
ugleybson
 
História da teologia
História da teologiaHistória da teologia
História da teologia
ugleybson
 
Ebd central aula portas de jerusalem
Ebd central   aula portas de jerusalemEbd central   aula portas de jerusalem
Ebd central aula portas de jerusalem
ugleybson
 

Mais de ugleybson (7)

PENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.ppt
PENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.pptPENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.ppt
PENTECOSTALISMO E PÓS-MODERNIDADE.ppt
 
As 5 linguagens do amor
As 5 linguagens do amorAs 5 linguagens do amor
As 5 linguagens do amor
 
Calendario elim evangelismo
Calendario elim   evangelismoCalendario elim   evangelismo
Calendario elim evangelismo
 
Doutrina da igreja
Doutrina da igrejaDoutrina da igreja
Doutrina da igreja
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
 
História da teologia
História da teologiaHistória da teologia
História da teologia
 
Ebd central aula portas de jerusalem
Ebd central   aula portas de jerusalemEbd central   aula portas de jerusalem
Ebd central aula portas de jerusalem
 

Último

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 

Último (16)

Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 

1 ebd 2017 lição 7 - begnidade um escudo protetor contra as porfias

  • 1. Lição 7 12 de Fevereiro de 2017 Gleybson Andrade
  • 2. Texto Áureo "Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo." (Ef 4.32)
  • 3. Verdade Prática A benignidade na vida do crente torna-o uma testemunha do amor de Deus.
  • 4. Estrutura I- A BENIGNIDADE FUNDAMENTA-SE NO AMOR 1. O que é benignidade? 2. Jesus, exemplo de benignidade. 3. A benignidade na prática. II - A PORFIA FUNDAMENTA-SE NA INVEJA E NO ORGULHO 1. Inimizade e porfia. 2. Evódia e Síntique. 3. Miriã e Arão. III – REVISTAMO – NOS DE BENIGNIDADE 1. Retirando as vestes velhas. 2. Sede benignos. 3. Imitando a conduta de Paulo.
  • 5. Leitura Bíblica  Colossenses 3.12 - 17  12 Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade;  13 Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também.  14 E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição.  15 E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos.  16 A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando ao SENHOR com graça em vosso coração.  17 E, quanto fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai.
  • 6. Objetivos  Geral:  Mostrar que a benignidade é um aspecto do fruto do Espírito e que a porfia é obra da carne.  Específicos:  I. Reconhecer que a benignidade se fundamenta no amor;  II. Mostrar que a porfia se fundamenta na inveja e no orgulho;  III. Explicar porque precisamos nos revestir de benignidade.
  • 7. Vocabulário  Benignidade  substantivo feminino  qualidade ou virtude do que é benigno.  Porfia  substantivo feminino  1. contenda de palavras; discussão, disputa, polêmica.  "adorava uma p. calorosa"  2. qualidade do que é persistente; insistência, perseverança, tenacidade. "trabalhar com p."
  • 8. Diferença entre Benignidade e Bondade (lição 8)  Benignidade é a disposição em ser bondoso com o próximo. Significa excelência de caráter, pensar bem a respeito das pessoas (daí o fato de estar ligada com o julgar).  Bondade é a ação de ser bom, gentil e reto para com o próximo. Devo pensar benignamente e agir com bondade.  Gálatas 5:22  22 - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.
  • 9. Frases de ilustres  Nenhum homem pode me fazer uma bondade mais verdadeira neste mundo do que orar por mim. (John Piper)  O filho de Deus, tem cuidado de guardar o caminho do Senhor, mais concentrado de coração na busca de Sua glória, e verá sua amorosa benignidade e a terna misericórdia do Senhor em sua vida. (Charles Spurgeon)
  • 10. Textos Chaves sobre Benignidade  Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí. Jr 31:3  Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. Mt 7:2  Amai, pois, a vossos inimigos, e fazei bem, e emprestai, sem nada esperardes, e será grande o vosso galardão, e sereis filhos do Altíssimo; porque ele é benigno até para com os ingratos e maus. Lucas 6:35
  • 11. Livro dos Salmos  LOUVAI ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre. Salmos 136:1  Pois tu, Senhor, és bom, e pronto a perdoar, e abundante em benignidade para todos os que te invocam. Salmos 86:5  Porém tu, Senhor, és um Deus cheio de compaixão, e piedoso, sofredor, e grande em benignidade e em verdade. Salmos 86:15
  • 12. Benignidade Atributo comunicável da Divindade  I Corintios 13:4  O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.  Efésios 4:32  Antes sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.
  • 13. Deus a única fonte de Benignidade  Piedoso e benigno é o SENHOR, sofredor e de grande misericórdia. Salmos 145:8  porque ele é benigno até para com os ingratos e maus. Lucas 6:35 Benignidade Fundamenta-se no amor  Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. I João 4:8  E nós conhecemos, e cremos no amor que Deus nos tem. Deus é amor; e quem está em amor está em Deus, e Deus nele. I João 4:16
  • 14. Jesus benignidade e bondade em pessoa  E, Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e possuído de íntima compaixão para com ela, curou os seus enfermos. Mateus 14:14 (  Então Jesus, movido de íntima compaixão, tocou-lhes nos olhos, e logo viram; e eles o seguiram. Mateus 20:34 (saindo de Jericó)  E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores. Lucas 7:13 (viúva de naim, chorando por seu filho único)  Jesus chorou. João 11:35 (por Jerusalém e seus filhos incrédulos)
  • 15. BENIGNIDADE PORFIA Fruto do Espírito (Gl 5.20) Obra da carne (Gl 5.21) É boa (2 Cr 10.7) É má (I Sm 15.23; I Tm 6.4) Constrói relacionamentos (Gn 26.27- 31; Ef 4.32) Destrói relacionamentos (Gn 26.20; 2 Co 12.20) Revela o caráter divino (Ef 4.32; 5.1) Revela o caráter carnal (Gl 5.19) Promove a paz (Ef 4.32-b) Promove a guerra (Gl 5.20)
  • 16. Porfia fundamenta-se na Inveja e no orgulho  (Frase de John Stott) A inveja é o reverso de uma moeda chamada vaidade - Ninguém nunca é invejoso de outros que não é primeiro orgulhoso de si mesmo.  (Agostinho de Hipona dizia que) o princípio de todo pecado é o orgulho  Mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou joio no meio do trigo, e retirou-se. Mateus 13:25  O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos. Mateus 13:39
  • 17. Revistamo-nos de Benignidade  Romanos 13:14  Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.  Efésios 6:11  Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
  • 18. Paulo homem comum que revelou em sua vida o Fruto do Espírito  Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Colossenses 3:12  E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. Colossenses 3:14  Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo. I Corintios 11:1
  • 19. Conclusão  Segundo o Pastor Osiel Gomes: Se realmente desejamos expressar um cristianismo vivo, autêntico, precisamos excluir do nosso meio as porfias, pois são obras da carne e maculam corpo de Cristo. Precisamos seguir o exemplo de Jesus Cristo, que, com sua benignidade, atraía as pessoas para se reconciliarem com Deus. Jesus manifestou sua benignidade curando os enfermos, libertando os oprimidos pelo Diabo e morrendo na cruz pelas nossas ofensas e delitos.  AMÉM