SlideShare uma empresa Scribd logo
Madeiras
Transformadas
TRANSFORMAÇÃO DA MADEIRA É TODA TECNOLOGIA DE
ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA FIBROSA ORIENTADA DO MATERIAL,
COM A FINALIDADE DE CORRIGIR SUAS CARACTERÍSTICAS
NEGATIVAS, POSSIBILITANDO O APROVEITAMENTO DO MATERIAL
DE QUALIDADE INFERIOR
 VANTAGENS DA TRANSFORMAÇÃO DA MADEIRA
o Homogeneidade de composição e no comportamento físico e mecânico;
oMaior possibilidadede tratamentos de preservação;
oPossibilidade de melhoria de determinadas características físicas ou mecânicas;
oPossibilidade de execução de chapas de grandes dimensões;
oAproveitamento integral do material lenhoso contido nas árvores.
 PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES
o Construção civil
oCompensado para forma
de concreto
oCompensado para Painel
estrutural
oParedes estruturais ou
não estruturais e estrutura
de telhado.
oAmplo uso construtivo,
como: Paredes e teto,
Base de pisos para a
aplicação de carpetes,
pisos de madeira,
ladrilhos, barracões de
obras, pallets tipo
container
 PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES
o Construção civil
Espaço de descanço em MDF
 PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES
o Confecção de móveis
 PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES
o Confecção de móveis
 PRINCIPAIS MADEIRAS TRANSFORMADAS
o COMPENSADO
Compensado é composto por lâminas relativamente finas, coladas umas às outras,
com adesivo ou cola, sempre em número ímpar, de tal forma que algumas propriedades
físicas e mecânicas se tornem superiores às de madeira original.
Vantagens :
Equilibrar tensões e reduzir riscos de
empenamento;
Resistência Uniforme;
Obtenção de chapas de tamanhos variados;
Melhor aproveitamento da madeira.
Desvantagens:
Mais caro, comparado a outros tipos de madeiras
transformadas, como aglomerado
Menos sustentável por ser produzido por madeira
nativa no Brasil;
 COMPENSADO
o Tipos
- Compensados de uso geral
- Compensados para forma de concreto (plastificados)
- Compensado Industrial
- Compensado Naval
- Compensado para Painel Estrutural
- Compensado Decorativo (compensado laminado)
 COMPENSADO
Efficient furniture by Iks Design, 2015
 COMPENSADO
Copenhagen Moldado, Ronan & Erwan Bouroullec
Restaurante BanQ, Boston - Dan Gallagher, 2008
 LVL
o A madeira estrutural composta, assim denominado para
uma extensa gama de produtos, foi desenvolvida em
resposta a uma necessidade por madeira de alta
qualidade e determinado comprimento num período de
escassez deste material nos recursos florestais.
Vantagens do LVL:
Maior resistência: a estrutura reconstituída
dos painéis torna-os mais estáveis;
Flexibilidade dimensional: os painéis podem
ser produzidos com qualquer largura e
comprimento desejado. Além disso, podem
ser produzidas com formas curvilíneas;
Utilização de grande variedade de espécies e
tamanhos de toros, sendo as coníferas as mais
utilizadas;
Os principais usos do LVL são:
- Confecção de paredes estruturais ou não
estruturais;
- Batentes de portas e janelas;
- Corrimãos;
- Degraus de escadas;
- Tampos de mesa;
- Pisos;
- Estruturas de telhados;
- Pontes;
- Estruturas de móveis em geral.
 LVL
TELUS stadium, Quebec - Consortium H2A, 2011
 LVL
Metropol Parasol / Jürgen Mayer-Hermann – Sevilha, Espanha 2011
 MADEIRA AGLOMERADA
o É formada pela reaglomeração de madeira reduzida a pequenos fragmentos, serragem; são
homogêneas (sem veios ou nós), aglutinados por meio de uma resina e, em seguida, prensados sob
altas temperaturas. Durante o processo de produção, são adicionados diversos produtos químicos
para evitar o mofo, a umidade, o ataque de insetos e aumentar a resistência ao fogo.
Vantagens:
Permite revestimento de um ou dois lados;
É resistente à flexão e à ruptura, absorção de
som e retenção de calor;
Posição sem direção definida das superfícies
das partículas, aumentando a resistência.
Desvantagens:
Empena com facilidade
Suporta menos peso que o MDf/MDP;
Utilizado principalmente na fabricação de
móveis de encaixe e montados com
dispositivo de montagem, cavilhas e cola. Não
é recomendado o uso de pregos e parafusos
não específicos, devido ao risco de ocorrerem
rachaduras.
 MADEIRA AGLOMERADA
Pode ser usada na fabricação de movéis em
geral, normalmente revestida com formica,
laca ou outro material que sele a madeira,
porém pouco resistente e de baixa qualidade.
 OSB
o O OSB é um produto de grande resistência mecânica,
ecologicamente correto, durável, versátil e de qualidades
absolutamente uniformes, que mudam definitivamente o
seu conceito a respeito de painéis estruturais.
oBastante usado na construção de
edifícios de madeira, devido ao seu
baixo custo e facilidade de aplicação.
oTiras de madeira são unidas com
resinas e prensadas sob alta
temperatura
oAlta resistência mecânica, usualmente
utilizadas no revestimento estrutural
do esqueleto metálico de edifícios
Vantagens do OSB:
Sem espaços vazios em seu interior;
Sem problemas de nós soltos nem fendilhado;
Sem problemas de laminação;
Qualidade consistente e uniforme;
Espessura perfeitamente calibrada (menos perdas);
Resistência a impactos;
Excelentes propriedades de isolamento termo-
acústico;
Rigidez instantânea em "framing construction";
Esteticamente atrativo a arquitetos e designers.
 OSB
SHOE STORES! by Minimalstudio architects,
Warsaw ,2012
SUIT store by HAF Studio, Reykjavik – Iceland, 2014
 OSB
Summer Café by Dark Design
Group, Ufa – Russia , 2012
LAMINADO
Normalmente usado como piso, e constituído de lâminas de
madeiras em larguras e comprimentos variados, composta de
aglomerados HDF. A camada superior exibe a estampa
decorativa artificial e vem protegida pelo overlay (resina de
melanina).
VANTAGENS
- Baixo custo
- Fácil limpeza:
- Fácil instalação
- Ecologicamente correto
DESVANTAGENS
- A umidade pode conduzir a uma distorção da
forma do piso laminado
- - A superfície do piso laminado é tão suave
que tende a ser escorregadio.
- Objetos cortantes ou sapatos de salto alto
também estragam o piso laminado por riscá-la
LAMINADO
MDF - HDF
Sendo conhecido mundialmente e ecologicamente correto, o MDF
é um painel de fibras de madeira sendo sua composição
homogênea em toda a sua superfície como em seu interior.
O HDF é um painel cuja característica principal é a alta densidade
com duas faces lisas, podendo ser usinada - por ser um material
de alta densidade, suporta mais peso e pode vencer vãos maiores
sem a necessidade de reforço
Vantagens do MDF
- Facilidade de acabamento;
- Pode se cortado em qualquer sentido;
- Resistente à abrasão;
- Grande maleabilidade.
Desvantagens do MDF
- Suporta menos peso;
- Não pode entrar em contato com a água, nem
com umidade, sem tratamento específico
MDF - HDF
ROOTS side
table by
Gerard de
Hoop for
Odesi, 2015
The Unbutton Collection by
Cristina Bulat, 2014
 ARMAZENAGEM
Em geral devem ser armazenados em local coberto, protegido das intempéries e longe de fontes de
umidade e calor.
As chapas devem ser empilhadas horizontalmente, sobre base firme, nivelada e elevada do chão por
meio de calços adequados. É recomendável que a distância máxima entre os calços seja de 50 cm.
Evitar o empilhamento alternado de chapas com diferenças significativas de dimensões. O
empilhamento máximo deve ser de 6 metros de altura.
 REPRESENTAÇÃO
Representação em desenho técnico segundo ABNT

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Detalhamento - Metais Lya
Detalhamento - Metais LyaDetalhamento - Metais Lya
Detalhamento - Metais Lya
danilosaccomori
 
Detalhamento - Madeiras de Lei
Detalhamento - Madeiras de LeiDetalhamento - Madeiras de Lei
Detalhamento - Madeiras de Lei
danilosaccomori
 
Aula 8 materiais de construção - aço
Aula 8   materiais de construção - açoAula 8   materiais de construção - aço
Aula 8 materiais de construção - aço
profNICODEMOS
 
Aula revestimentos
Aula   revestimentos Aula   revestimentos
Aula revestimentos
wendellnml
 
Aula de construções
Aula de construçõesAula de construções
Aula de construções
Adalberto Junior
 
Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)
Lais Ferraz
 
Cerâmicas
CerâmicasCerâmicas
Cerâmicas
Aquiles Campagnaro
 
Agregados
AgregadosAgregados
Agregados
David Grubba
 
Estruturas de madeira aula
Estruturas de madeira aulaEstruturas de madeira aula
Estruturas de madeira aula
antonio jose fraga geraldes
 
Aula3 materiais
Aula3 materiaisAula3 materiais
Aula3 materiais
Tiago Cruz
 
Vidros - Detalhamento
Vidros - DetalhamentoVidros - Detalhamento
Vidros - Detalhamento
danilosaccomori
 
Alvenaria estrutural
Alvenaria estruturalAlvenaria estrutural
Alvenaria estrutural
Willian De Sá
 
5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes
Andreia Santiago
 
Apostila madeiras
Apostila madeirasApostila madeiras
Apostila madeiras
Eliezer Silva
 
Aula fundações 2
Aula fundações 2Aula fundações 2
Aula fundações 2
Viviane Vieira
 
Madeiras
MadeirasMadeiras
Estruturas de madeira aulas 4 e 5
Estruturas de madeira   aulas 4 e 5Estruturas de madeira   aulas 4 e 5
Estruturas de madeira aulas 4 e 5
Bruno Vasconcelos
 
Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1
Marcus Gonçalves
 
Materiais de construção civil. materiais cerâmicos
Materiais de construção civil. materiais cerâmicosMateriais de construção civil. materiais cerâmicos
Materiais de construção civil. materiais cerâmicos
ThiagoSantos694
 
Aula 16 impermeabilizacao
Aula 16   impermeabilizacaoAula 16   impermeabilizacao
Aula 16 impermeabilizacao
Mayara Marques
 

Mais procurados (20)

Detalhamento - Metais Lya
Detalhamento - Metais LyaDetalhamento - Metais Lya
Detalhamento - Metais Lya
 
Detalhamento - Madeiras de Lei
Detalhamento - Madeiras de LeiDetalhamento - Madeiras de Lei
Detalhamento - Madeiras de Lei
 
Aula 8 materiais de construção - aço
Aula 8   materiais de construção - açoAula 8   materiais de construção - aço
Aula 8 materiais de construção - aço
 
Aula revestimentos
Aula   revestimentos Aula   revestimentos
Aula revestimentos
 
Aula de construções
Aula de construçõesAula de construções
Aula de construções
 
Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)Madeira (Resistência dos materiais)
Madeira (Resistência dos materiais)
 
Cerâmicas
CerâmicasCerâmicas
Cerâmicas
 
Agregados
AgregadosAgregados
Agregados
 
Estruturas de madeira aula
Estruturas de madeira aulaEstruturas de madeira aula
Estruturas de madeira aula
 
Aula3 materiais
Aula3 materiaisAula3 materiais
Aula3 materiais
 
Vidros - Detalhamento
Vidros - DetalhamentoVidros - Detalhamento
Vidros - Detalhamento
 
Alvenaria estrutural
Alvenaria estruturalAlvenaria estrutural
Alvenaria estrutural
 
5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes5a aula. fundacoes
5a aula. fundacoes
 
Apostila madeiras
Apostila madeirasApostila madeiras
Apostila madeiras
 
Aula fundações 2
Aula fundações 2Aula fundações 2
Aula fundações 2
 
Madeiras
MadeirasMadeiras
Madeiras
 
Estruturas de madeira aulas 4 e 5
Estruturas de madeira   aulas 4 e 5Estruturas de madeira   aulas 4 e 5
Estruturas de madeira aulas 4 e 5
 
Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1Materiais da construção civil1
Materiais da construção civil1
 
Materiais de construção civil. materiais cerâmicos
Materiais de construção civil. materiais cerâmicosMateriais de construção civil. materiais cerâmicos
Materiais de construção civil. materiais cerâmicos
 
Aula 16 impermeabilizacao
Aula 16   impermeabilizacaoAula 16   impermeabilizacao
Aula 16 impermeabilizacao
 

Destaque

Detalhamento - Encaixes Metálicos
Detalhamento - Encaixes MetálicosDetalhamento - Encaixes Metálicos
Detalhamento - Encaixes Metálicos
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais Cozinha
Projeto de Interiores Residenciais CozinhaProjeto de Interiores Residenciais Cozinha
Projeto de Interiores Residenciais Cozinha
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais - Iluminação
Projeto de Interiores Residenciais - IluminaçãoProjeto de Interiores Residenciais - Iluminação
Projeto de Interiores Residenciais - Iluminação
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais - Estúdio
Projeto de Interiores Residenciais - EstúdioProjeto de Interiores Residenciais - Estúdio
Projeto de Interiores Residenciais - Estúdio
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais - Lofts
Projeto de Interiores Residenciais - LoftsProjeto de Interiores Residenciais - Lofts
Projeto de Interiores Residenciais - Lofts
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais
Projeto de Interiores Residenciais   Projeto de Interiores Residenciais
Projeto de Interiores Residenciais
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais - Quarto
Projeto de Interiores Residenciais  - QuartoProjeto de Interiores Residenciais  - Quarto
Projeto de Interiores Residenciais - Quarto
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre LojasProjeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
danilosaccomori
 
Desenho - Normas ABNT
Desenho - Normas ABNTDesenho - Normas ABNT
Desenho - Normas ABNT
danilosaccomori
 
Detalhamento - Áreas Molhadas
Detalhamento - Áreas MolhadasDetalhamento - Áreas Molhadas
Detalhamento - Áreas Molhadas
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Comerciais
Projeto de Interiores Comerciais   Projeto de Interiores Comerciais
Projeto de Interiores Comerciais
danilosaccomori
 
Projeto de Interiores Residenciais - Banho
Projeto de Interiores Residenciais - BanhoProjeto de Interiores Residenciais - Banho
Projeto de Interiores Residenciais - Banho
danilosaccomori
 
Detalhamento - Mobiliário
Detalhamento - MobiliárioDetalhamento - Mobiliário
Detalhamento - Mobiliário
danilosaccomori
 
Detalhamento - Encaixes de Madeira
Detalhamento - Encaixes de MadeiraDetalhamento - Encaixes de Madeira
Detalhamento - Encaixes de Madeira
danilosaccomori
 
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-ConstruirPlantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
danilosaccomori
 
Detalhamento - Escada
Detalhamento - EscadaDetalhamento - Escada
Detalhamento - Escada
danilosaccomori
 
Detalhamento de Telhado
Detalhamento de TelhadoDetalhamento de Telhado
Detalhamento de Telhado
danilosaccomori
 

Destaque (17)

Detalhamento - Encaixes Metálicos
Detalhamento - Encaixes MetálicosDetalhamento - Encaixes Metálicos
Detalhamento - Encaixes Metálicos
 
Projeto de Interiores Residenciais Cozinha
Projeto de Interiores Residenciais CozinhaProjeto de Interiores Residenciais Cozinha
Projeto de Interiores Residenciais Cozinha
 
Projeto de Interiores Residenciais - Iluminação
Projeto de Interiores Residenciais - IluminaçãoProjeto de Interiores Residenciais - Iluminação
Projeto de Interiores Residenciais - Iluminação
 
Projeto de Interiores Residenciais - Estúdio
Projeto de Interiores Residenciais - EstúdioProjeto de Interiores Residenciais - Estúdio
Projeto de Interiores Residenciais - Estúdio
 
Projeto de Interiores Residenciais - Lofts
Projeto de Interiores Residenciais - LoftsProjeto de Interiores Residenciais - Lofts
Projeto de Interiores Residenciais - Lofts
 
Projeto de Interiores Residenciais
Projeto de Interiores Residenciais   Projeto de Interiores Residenciais
Projeto de Interiores Residenciais
 
Projeto de Interiores Residenciais - Quarto
Projeto de Interiores Residenciais  - QuartoProjeto de Interiores Residenciais  - Quarto
Projeto de Interiores Residenciais - Quarto
 
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre LojasProjeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
Projeto de Interiores Comerciais - Proporções entre Lojas
 
Desenho - Normas ABNT
Desenho - Normas ABNTDesenho - Normas ABNT
Desenho - Normas ABNT
 
Detalhamento - Áreas Molhadas
Detalhamento - Áreas MolhadasDetalhamento - Áreas Molhadas
Detalhamento - Áreas Molhadas
 
Projeto de Interiores Comerciais
Projeto de Interiores Comerciais   Projeto de Interiores Comerciais
Projeto de Interiores Comerciais
 
Projeto de Interiores Residenciais - Banho
Projeto de Interiores Residenciais - BanhoProjeto de Interiores Residenciais - Banho
Projeto de Interiores Residenciais - Banho
 
Detalhamento - Mobiliário
Detalhamento - MobiliárioDetalhamento - Mobiliário
Detalhamento - Mobiliário
 
Detalhamento - Encaixes de Madeira
Detalhamento - Encaixes de MadeiraDetalhamento - Encaixes de Madeira
Detalhamento - Encaixes de Madeira
 
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-ConstruirPlantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
Plantas Técnicas de Piso, Teto e Demolir-Construir
 
Detalhamento - Escada
Detalhamento - EscadaDetalhamento - Escada
Detalhamento - Escada
 
Detalhamento de Telhado
Detalhamento de TelhadoDetalhamento de Telhado
Detalhamento de Telhado
 

Semelhante a Detalhamento - Madeiras Transformadas

Aula4 materiais
Aula4 materiaisAula4 materiais
Aula4 materiais
Tiago Cruz
 
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdf
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdfMATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdf
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdf
laurabrt2002
 
49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira
49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira
49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira
Renie Melo
 
Manual básico construção casas
Manual básico construção casasManual básico construção casas
Manual básico construção casas
Bruna Batista Gonçalves
 
Tintas e Madeiras.pptx
Tintas e Madeiras.pptxTintas e Madeiras.pptx
Tintas e Madeiras.pptx
GiovannaFerreira84
 
3 elementos estruturais derivados da madeira
3   elementos estruturais derivados da madeira3   elementos estruturais derivados da madeira
3 elementos estruturais derivados da madeira
Oilides vitte Vite
 
Revestimentos em madeira
Revestimentos em madeiraRevestimentos em madeira
Revestimentos em madeira
Luís Trafani
 
Revestimentos em madeira
Revestimentos em madeiraRevestimentos em madeira
Revestimentos em madeira
Luís Trafani
 
Formas para concreto armado
Formas para concreto armadoFormas para concreto armado
Formas para concreto armado
Ana Clara Almeida
 
Emprego de fôrmas de madeira em estrutura de
Emprego de fôrmas de madeira em estrutura deEmprego de fôrmas de madeira em estrutura de
Emprego de fôrmas de madeira em estrutura de
Aldo Werle
 
Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01
Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01
Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01
Bynhã Silva
 
Materiais projeto e
Materiais projeto eMateriais projeto e
Materiais projeto e
Nayra Reis
 
Aula 1 madeira
Aula 1   madeiraAula 1   madeira
Aula 1 madeira
Luiz Santos
 
Madeiras Industrializadas
Madeiras IndustrializadasMadeiras Industrializadas
Madeiras Industrializadas
Dirk Henning
 
Palestra Pertech
Palestra PertechPalestra Pertech
Palestra Pertech
Ludmila Souza
 
Manual mdf
Manual mdfManual mdf
Manual mdf
Henrique Filho
 
aulainicialmadeira_20180223174719.pptx
aulainicialmadeira_20180223174719.pptxaulainicialmadeira_20180223174719.pptx
aulainicialmadeira_20180223174719.pptx
EngChristopherdosSan
 
Revestimento industrial
Revestimento industrialRevestimento industrial
Revestimento industrial
rayssaaelias
 
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
luzidio
 
Bambu adriana
Bambu adrianaBambu adriana

Semelhante a Detalhamento - Madeiras Transformadas (20)

Aula4 materiais
Aula4 materiaisAula4 materiais
Aula4 materiais
 
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdf
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdfMATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdf
MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL I - MADEIRA.pdf
 
49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira
49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira
49703688 arquitetura-construcao-manual-basico-construcao-casas-de-madeira
 
Manual básico construção casas
Manual básico construção casasManual básico construção casas
Manual básico construção casas
 
Tintas e Madeiras.pptx
Tintas e Madeiras.pptxTintas e Madeiras.pptx
Tintas e Madeiras.pptx
 
3 elementos estruturais derivados da madeira
3   elementos estruturais derivados da madeira3   elementos estruturais derivados da madeira
3 elementos estruturais derivados da madeira
 
Revestimentos em madeira
Revestimentos em madeiraRevestimentos em madeira
Revestimentos em madeira
 
Revestimentos em madeira
Revestimentos em madeiraRevestimentos em madeira
Revestimentos em madeira
 
Formas para concreto armado
Formas para concreto armadoFormas para concreto armado
Formas para concreto armado
 
Emprego de fôrmas de madeira em estrutura de
Emprego de fôrmas de madeira em estrutura deEmprego de fôrmas de madeira em estrutura de
Emprego de fôrmas de madeira em estrutura de
 
Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01
Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01
Seminarioiiiunidademadeira 130911153106-phpapp01
 
Materiais projeto e
Materiais projeto eMateriais projeto e
Materiais projeto e
 
Aula 1 madeira
Aula 1   madeiraAula 1   madeira
Aula 1 madeira
 
Madeiras Industrializadas
Madeiras IndustrializadasMadeiras Industrializadas
Madeiras Industrializadas
 
Palestra Pertech
Palestra PertechPalestra Pertech
Palestra Pertech
 
Manual mdf
Manual mdfManual mdf
Manual mdf
 
aulainicialmadeira_20180223174719.pptx
aulainicialmadeira_20180223174719.pptxaulainicialmadeira_20180223174719.pptx
aulainicialmadeira_20180223174719.pptx
 
Revestimento industrial
Revestimento industrialRevestimento industrial
Revestimento industrial
 
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
230523_LUZÍDIO CIPIRE_GESSO.pptx
 
Bambu adriana
Bambu adrianaBambu adriana
Bambu adriana
 

Mais de danilosaccomori

Ds ppt em construcao 07
Ds ppt em construcao 07Ds ppt em construcao 07
Ds ppt em construcao 07
danilosaccomori
 
Ds ppt em construcao 06
Ds ppt em construcao 06Ds ppt em construcao 06
Ds ppt em construcao 06
danilosaccomori
 
Ds ppt em construcao 05
Ds ppt em construcao 05Ds ppt em construcao 05
Ds ppt em construcao 05
danilosaccomori
 
Ds ppt em construcao 04
Ds ppt em construcao 04Ds ppt em construcao 04
Ds ppt em construcao 04
danilosaccomori
 
DS PPT em Construcao 03
DS PPT em Construcao 03DS PPT em Construcao 03
DS PPT em Construcao 03
danilosaccomori
 
DS PPT em Construcao 02
DS PPT em Construcao 02DS PPT em Construcao 02
DS PPT em Construcao 02
danilosaccomori
 
DS PPT em Construcao 01
DS PPT em Construcao 01DS PPT em Construcao 01
DS PPT em Construcao 01
danilosaccomori
 

Mais de danilosaccomori (7)

Ds ppt em construcao 07
Ds ppt em construcao 07Ds ppt em construcao 07
Ds ppt em construcao 07
 
Ds ppt em construcao 06
Ds ppt em construcao 06Ds ppt em construcao 06
Ds ppt em construcao 06
 
Ds ppt em construcao 05
Ds ppt em construcao 05Ds ppt em construcao 05
Ds ppt em construcao 05
 
Ds ppt em construcao 04
Ds ppt em construcao 04Ds ppt em construcao 04
Ds ppt em construcao 04
 
DS PPT em Construcao 03
DS PPT em Construcao 03DS PPT em Construcao 03
DS PPT em Construcao 03
 
DS PPT em Construcao 02
DS PPT em Construcao 02DS PPT em Construcao 02
DS PPT em Construcao 02
 
DS PPT em Construcao 01
DS PPT em Construcao 01DS PPT em Construcao 01
DS PPT em Construcao 01
 

Detalhamento - Madeiras Transformadas

  • 1. Madeiras Transformadas TRANSFORMAÇÃO DA MADEIRA É TODA TECNOLOGIA DE ALTERAÇÃO DA ESTRUTURA FIBROSA ORIENTADA DO MATERIAL, COM A FINALIDADE DE CORRIGIR SUAS CARACTERÍSTICAS NEGATIVAS, POSSIBILITANDO O APROVEITAMENTO DO MATERIAL DE QUALIDADE INFERIOR
  • 2.  VANTAGENS DA TRANSFORMAÇÃO DA MADEIRA o Homogeneidade de composição e no comportamento físico e mecânico; oMaior possibilidadede tratamentos de preservação; oPossibilidade de melhoria de determinadas características físicas ou mecânicas; oPossibilidade de execução de chapas de grandes dimensões; oAproveitamento integral do material lenhoso contido nas árvores.
  • 3.  PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES o Construção civil oCompensado para forma de concreto oCompensado para Painel estrutural oParedes estruturais ou não estruturais e estrutura de telhado. oAmplo uso construtivo, como: Paredes e teto, Base de pisos para a aplicação de carpetes, pisos de madeira, ladrilhos, barracões de obras, pallets tipo container
  • 4.  PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES o Construção civil Espaço de descanço em MDF
  • 5.  PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES o Confecção de móveis
  • 6.  PRINCIPAIS UTILIZAÇÕES o Confecção de móveis
  • 7.  PRINCIPAIS MADEIRAS TRANSFORMADAS o COMPENSADO Compensado é composto por lâminas relativamente finas, coladas umas às outras, com adesivo ou cola, sempre em número ímpar, de tal forma que algumas propriedades físicas e mecânicas se tornem superiores às de madeira original. Vantagens : Equilibrar tensões e reduzir riscos de empenamento; Resistência Uniforme; Obtenção de chapas de tamanhos variados; Melhor aproveitamento da madeira. Desvantagens: Mais caro, comparado a outros tipos de madeiras transformadas, como aglomerado Menos sustentável por ser produzido por madeira nativa no Brasil;
  • 8.  COMPENSADO o Tipos - Compensados de uso geral - Compensados para forma de concreto (plastificados) - Compensado Industrial - Compensado Naval - Compensado para Painel Estrutural - Compensado Decorativo (compensado laminado)
  • 10.  COMPENSADO Copenhagen Moldado, Ronan & Erwan Bouroullec Restaurante BanQ, Boston - Dan Gallagher, 2008
  • 11.  LVL o A madeira estrutural composta, assim denominado para uma extensa gama de produtos, foi desenvolvida em resposta a uma necessidade por madeira de alta qualidade e determinado comprimento num período de escassez deste material nos recursos florestais. Vantagens do LVL: Maior resistência: a estrutura reconstituída dos painéis torna-os mais estáveis; Flexibilidade dimensional: os painéis podem ser produzidos com qualquer largura e comprimento desejado. Além disso, podem ser produzidas com formas curvilíneas; Utilização de grande variedade de espécies e tamanhos de toros, sendo as coníferas as mais utilizadas; Os principais usos do LVL são: - Confecção de paredes estruturais ou não estruturais; - Batentes de portas e janelas; - Corrimãos; - Degraus de escadas; - Tampos de mesa; - Pisos; - Estruturas de telhados; - Pontes; - Estruturas de móveis em geral.
  • 12.  LVL TELUS stadium, Quebec - Consortium H2A, 2011
  • 13.  LVL Metropol Parasol / Jürgen Mayer-Hermann – Sevilha, Espanha 2011
  • 14.  MADEIRA AGLOMERADA o É formada pela reaglomeração de madeira reduzida a pequenos fragmentos, serragem; são homogêneas (sem veios ou nós), aglutinados por meio de uma resina e, em seguida, prensados sob altas temperaturas. Durante o processo de produção, são adicionados diversos produtos químicos para evitar o mofo, a umidade, o ataque de insetos e aumentar a resistência ao fogo. Vantagens: Permite revestimento de um ou dois lados; É resistente à flexão e à ruptura, absorção de som e retenção de calor; Posição sem direção definida das superfícies das partículas, aumentando a resistência. Desvantagens: Empena com facilidade Suporta menos peso que o MDf/MDP; Utilizado principalmente na fabricação de móveis de encaixe e montados com dispositivo de montagem, cavilhas e cola. Não é recomendado o uso de pregos e parafusos não específicos, devido ao risco de ocorrerem rachaduras.
  • 15.  MADEIRA AGLOMERADA Pode ser usada na fabricação de movéis em geral, normalmente revestida com formica, laca ou outro material que sele a madeira, porém pouco resistente e de baixa qualidade.
  • 16.  OSB o O OSB é um produto de grande resistência mecânica, ecologicamente correto, durável, versátil e de qualidades absolutamente uniformes, que mudam definitivamente o seu conceito a respeito de painéis estruturais. oBastante usado na construção de edifícios de madeira, devido ao seu baixo custo e facilidade de aplicação. oTiras de madeira são unidas com resinas e prensadas sob alta temperatura oAlta resistência mecânica, usualmente utilizadas no revestimento estrutural do esqueleto metálico de edifícios
  • 17. Vantagens do OSB: Sem espaços vazios em seu interior; Sem problemas de nós soltos nem fendilhado; Sem problemas de laminação; Qualidade consistente e uniforme; Espessura perfeitamente calibrada (menos perdas); Resistência a impactos; Excelentes propriedades de isolamento termo- acústico; Rigidez instantânea em "framing construction"; Esteticamente atrativo a arquitetos e designers.
  • 18.  OSB SHOE STORES! by Minimalstudio architects, Warsaw ,2012 SUIT store by HAF Studio, Reykjavik – Iceland, 2014
  • 19.  OSB Summer Café by Dark Design Group, Ufa – Russia , 2012
  • 20. LAMINADO Normalmente usado como piso, e constituído de lâminas de madeiras em larguras e comprimentos variados, composta de aglomerados HDF. A camada superior exibe a estampa decorativa artificial e vem protegida pelo overlay (resina de melanina). VANTAGENS - Baixo custo - Fácil limpeza: - Fácil instalação - Ecologicamente correto DESVANTAGENS - A umidade pode conduzir a uma distorção da forma do piso laminado - - A superfície do piso laminado é tão suave que tende a ser escorregadio. - Objetos cortantes ou sapatos de salto alto também estragam o piso laminado por riscá-la
  • 22. MDF - HDF Sendo conhecido mundialmente e ecologicamente correto, o MDF é um painel de fibras de madeira sendo sua composição homogênea em toda a sua superfície como em seu interior. O HDF é um painel cuja característica principal é a alta densidade com duas faces lisas, podendo ser usinada - por ser um material de alta densidade, suporta mais peso e pode vencer vãos maiores sem a necessidade de reforço Vantagens do MDF - Facilidade de acabamento; - Pode se cortado em qualquer sentido; - Resistente à abrasão; - Grande maleabilidade. Desvantagens do MDF - Suporta menos peso; - Não pode entrar em contato com a água, nem com umidade, sem tratamento específico
  • 23. MDF - HDF ROOTS side table by Gerard de Hoop for Odesi, 2015 The Unbutton Collection by Cristina Bulat, 2014
  • 24.  ARMAZENAGEM Em geral devem ser armazenados em local coberto, protegido das intempéries e longe de fontes de umidade e calor. As chapas devem ser empilhadas horizontalmente, sobre base firme, nivelada e elevada do chão por meio de calços adequados. É recomendável que a distância máxima entre os calços seja de 50 cm. Evitar o empilhamento alternado de chapas com diferenças significativas de dimensões. O empilhamento máximo deve ser de 6 metros de altura.
  • 25.  REPRESENTAÇÃO Representação em desenho técnico segundo ABNT