MATERIAISPROJETO E
▪ As coberturas verdes contribuem para a sustentabilidadeecológica do ambiente urbano. São constituídas por um sistemade e...
Vantagens Para o Ambiente:1. Combate o efeito albedo ou efeito ilha de calor urbano, fenómeno responsável pelo incremento ...
Instalação in locoOs componentes são instalados no local, por meio de camadas fixas quepermitem o perfeito desempenho do c...
ESTRUTURASMETÁLICASFontes: http://www.metalica.com.br/edificio-multifuncionalhttp://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo....
PISOS
O vinílico ou vinil este tipo de piso é macio e térmico,proporcionando conforto. É indicado para ambientesinternos. As dif...
2. PISO CERÂMICO:Linha Forte de revestimentos cerâmicos fabricados com altaresistência e dureza, altíssima tecnologia. Pro...
Linha Forte é perfeita para definir caminhos preferenciais emcores e combinações diferentes.Características especiaisA Lin...
2. PISO CERÂMICO:Indicações e seus benefíciosLinha Forte Incefra é indicada para todas as áreas externas einternas que exi...
ENERGIA SOLARFOTOVOLTAICAVantagens :O Sol é uma fonte de energia e calor inesgotável, logo a maioria da luzsolar que chega...
ENERGIA SOLARFOTOVOLTAICADesvantagens da Energia Solar FotovoltaicoOs painéis de energia solar fotovoltaico têm um custo d...
BRISE:O brise é um dispositivo arquitetônico utilizado para impedir aincidência direta de radiação solar nos interiores de...
Fontes:http://edificacaodesign.blogspot.com.br/2010/09/brises.html
• Luz natural é aquela proveniente do sol, direta ou dispersa pelas nuvens.Iluminação lateral é aquela onde a luz natural ...
Segundo Nelson Solano & Joana Gonçalves, o controle doambiente não é a totalidade da arquitetura, mas deve ser parteda ord...
Placa sombreadora para evitar luz direta e redirecionarPara uma dada superfície de área, um brise maior é maiseficiente do...
Elemento refletor da luz direta do sol e da luz refletida nacobertura.Tirar partido dos elementos refletores da luz.Contro...
SHEDS: são como dentes, onde alternam faces de poucailuminação e outras quase verticais envidraçadas) Usadasde maneira ger...
VANTAGENS E DESVANTAGENSA iluminação artificial é um dos setores de consumo de energiaelétrica que pode ser, em grande par...
A iluminação natural pode ser lateral ou zenital, a vantagem da segunda é oferecer maior uniformidade e maior iluminância ...
PELE DE VIDROQual é a relação do Homem com o vidro?Talvez esta seja uma questão muito complexa e a respostatambém não pode...
O vidro como pele, reveste casas ou edifícios, garante segurança por receber uma aplicação de películas desegurança que pr...
O vidro na arquitetura - CLIMAAgora, os contemporâneos "pele de vidro" ressuscitam o debate sobre a pertinência de erguer ...
"CATEGORIA"Outra vantagem dos "pele de vidro" citada pelos arquitetos é a facilidade na manutenção e limpeza da fachada. "...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Materiais projeto e

1.393 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.393
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
388
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Materiais projeto e

  1. 1. MATERIAISPROJETO E
  2. 2. ▪ As coberturas verdes contribuem para a sustentabilidadeecológica do ambiente urbano. São constituídas por um sistemade engenharia ligeiro que permite a plantação e crescimento deplantas e flores sobre uma laje convencional. Este é um sistemaintegrado por seis camadas sobrepostas ao telhado do edifício,para assegurar um correto isolamento, quer para a integridadedos materiais de construção, quer para a vida do reino botânicoque acolhe.▪ A vegetação adequada para as coberturas verdes é escolhida emfunção das condições climáticas próprias de cada cidade e dascaracterísticas físicas do edifício. Em geral, ainda que seconcebam coberturas verdes com vegetação caduca ou perene,consideram-se ideais aquelas espécies cuja altura é baixa, quecrescem e se expandem com rapidez, com alta resistência à seca ecarentes de necessidades especiais de irrigação ou nutrição. AAlemanha conta já com mais de treze milhões de metrosquadrados de coberturas verdes e segundo uma normativa dogoverno municipal de Tókio, todos os edifícios construídos depoisde 2001 cuja cobertura tenha extensão superior aos 1000 m2,deverão converter em ‘verde’ pelo menos 20 % de sua superfície.
  3. 3. Vantagens Para o Ambiente:1. Combate o efeito albedo ou efeito ilha de calor urbano, fenómeno responsável pelo incremento de temperaturadentro do perímetro de uma cidade devido ao aquecimento que produzem os gases de veículos e aparelhos de ar-condicionado, assim como pela energia solar absorvida pelas superfícies urbanas, depois irradiada à atmosfera comocalor.2. Melhoria da qualidade do ar na cidade devido à capacidade das plantas e árvores para absorver as emissões de CO2.3. Reduz a incidência de ventos.4. Filtra o ar absorvendo partículas de pó até 85%.5. Provoca uma redução das águas pluviais até 70%, e consequente redução da pressão nos esgotos da cidade.6. Proporcionam espaços agradáveis à vista, com possibilidade de uso para lazer, a nível público (jardim ou parqueurbano), ou para os vizinhos de um imóvel, ou para os trabalhadores de uma empresa.7. Aumenta os espaços de habitat para pássaros e borboletas.Vantagens para o edifício:1. Maior longevidade do telhado (estimativa de 40 anos contra os 10/15 das coberturas planas tradicionais)2. Aumento da eficiência energética nos edifícios pelas suas propriedades isolantes, reduzindo assim os custos deaquecimento e refrigeração sem necessitar de isolamento térmico (ROOFMATE).3. Melhoria da acústica do edifício.Desvantagens:1. Sistema construtivo mais caro (mas rapidamente recuperado pela poupança energética).
  4. 4. Instalação in locoOs componentes são instalados no local, por meio de camadas fixas quepermitem o perfeito desempenho do conjunto. Uma instalação in loccobásica possui as camadas de impermeabilização da laje, drenagem ecaptação da água, manta geotêxtil, camada de estabilização das raízes,colmeia com substrato, camada de cobertura com substrato e plantasforrageiras.Fontes:http://casa-e-energia.blogspot.com.br/2008/10/coberturas-verdes.htmlhttp://www.metalica.com.br/coberturas-verdes-frescor-e-alimento
  5. 5. ESTRUTURASMETÁLICASFontes: http://www.metalica.com.br/edificio-multifuncionalhttp://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=19&Cod=104Vantagens:Baixo custo do projeto. Liberdade no projeto arquitetônico.Racionamento de material e mão de obra. Baixo custo de materiais,comparado a alvenaria. Compatibilidade com outros materiais.Rapidez no processo de montagem. Alívio de carga nas fundações.Maior aproveitamento no espaço interno. Resistência a vibrações,chuvas e ventos fortes. Extinção dos problemas de infiltração.Precisão construtiva. Maior aproveitamento de luz solar, baixando ocusto de energia elétrica. Segurança, Flexibilidade. Mobilidade,podendo ser desmontado e remontado em outro local. Facilidade deexpansão, caso deseje posteriormente aumentar a área, sendo quenão aparentando emenda. Organização no canteiro de Obra. Boaventilação, não deixando o local abafado. Versatilidade. Preservaçãodo Meio Ambiente. Baixo custo de manutenção.A estrutura metálica não necessita de contraventamentos fixados nosperfis metálicos para garantir a estabilidade global da estrutura. Aestabilidade desta se dá através do chumbamento da estrutura juntoao núcleo rígido do edifício (caixa de escadas e elevadores) que,executado em concreto armado, resiste aos esforços horizontais àsquais a estrutura está submetida. O material escolhido para os perfismetálicos foi o aço cos-ar-cor, também conhecido como aço patinável.Uma das suas características é a oxidação natural da peça, que produzuma pátina (camada) que protege a estrutura. Outra característica, edo ponto de vista estrutural mais eficiente, é que essa pátina enrijeceainda mais o metal, atingindo uma resistência mecânicaconsideravelmente melhor.
  6. 6. PISOS
  7. 7. O vinílico ou vinil este tipo de piso é macio e térmico,proporcionando conforto. É indicado para ambientesinternos. As diferentes padronagens disponíveisimitam a textura de outros materiais como a madeira.Pode ser encontrado em forma de tapete, placa oumanta, dispensam argamassa na instalação enormalmente são fixados com cola. Outro diferencialdeste produto é que ele é antichamas. A grandeprocura pelo piso vinílico também se dá pelo fato deconseguir manter a temperatura dos ambientes emqualquer época do ano. Sua maior indicação é paraimóveis onde residem idosos e crianças, pois éantialérgico e livre de sofrer qualquer ataque de traçasou cupins. é de fácil limpeza, térmico e anti-alérgico.O piso vinílico pode ser encontrado nas lojas deconstrução em diversas cores, texturas e espessuras, oque ajuda na hora de planejar o acabamento dareforma ou da construção do imóvel.Mas é bom lembrar que ele só pode ser usado aspartes internas.1. VINÍLICO:
  8. 8. 2. PISO CERÂMICO:Linha Forte de revestimentos cerâmicos fabricados com altaresistência e dureza, altíssima tecnologia. Proporcionando umpiso antiderrapante com maior resistência ao desgaste, atrito eprodutos químicos aliado à facilidade de limpeza. A coleçãocompleta oferece diferentes tipos de relevos e desenhos, nascores bege e cinza, num total de doze opções. Sãorevestimentos submetidos a um tratamento diferenciado emsua superfície esmaltada, no qual recebe altas camadas deóxido de alumínio eletrofundido que adere à massa cerâmicavermelha, aumentando sua dureza. Esse processo produtivoconfere a cada placa uma alta resistência ao atrito, alto tráfegoe riscos, além de evitar impregnação de resíduos e tornar alimpeza mais fácil. Finalizada a composição da massa, as placassofrem uma queima de até 10 minutos a mais, tempo maiorem relação às cerâmicas comuns. Esse procedimento permiteque a camada de óxidos se funda à massa, aumentando aresistência ao desgaste. Une beleza, resistência, segurança epraticidade em revestimentos cerâmicos indicados para áreasexternas, como calçadas, garagens, escadas, rampas, deck depiscinas, áreas de lazer e praças – ou áreas internas com altofluxo de tráfego, incluindo veículos leves. As peças tem 2 mm amais, com sua espessura total de 9 mm. As três opções dedesenhos incentivam a criatividade na formação de paginaçõesinusitadas, atendendo às exigências de arquitetos, decoradorese projetos personalizados.
  9. 9. Linha Forte é perfeita para definir caminhos preferenciais emcores e combinações diferentes.Características especiaisA Linha Forte destaca baixa capacidade de absorção de água,resistência à flexão e gretagem, resistência a produtos químicose manchas aliado a um baixo coeficiente de atrito.Suporta tráfego de veículos, tem maior resistência a quebras,desgaste e riscos, é antiderrapante e preserva sua cor mesmosob forte ação de intempéries.Proteção ”No Slip”Alguns modelos da Linha Forte também recebem o mesmotratamento de superfície dos produtos da Linha Tombo Zero,oferecendo maior segurança contra acidentes e quedas.Testes em laboratório simulando o dia-a-dia de pedestresapontaram uma menor incidência de escorregões, inclusivequando o piso está molhado. Os sulcos, impressos na própriamassa, ajudam a escorrer a água e a manter o piso mais seco.2. PISO CERÂMICO:
  10. 10. 2. PISO CERÂMICO:Indicações e seus benefíciosLinha Forte Incefra é indicada para todas as áreas externas einternas que exigem alta resistência ao tráfego.Calçadas residenciais – No contorno do imóvel, o produto evitainfiltrações nas paredes, auxilia na proteção da pintura quandoaplicada também nos rodapés.Calçadas públicas –Indicado quando com juntas mais largas.Pátios residenciais – Em pisos com bom caimento, aumenta aeficiência do sistema no slip e nos serviços de limpeza emanutenção.Decks de piscinas – Indicada para pisos com bom caimento,facilita a limpeza freqüente para evitar a formação de fungos,auxiliando a evitar quedas em condições normais de uso.Rampas – O produto foi testado, demonstrando boas condiçõesantiderrapantes em áreas de inclinação em 15% e limpeza emanutenção adequadas.Praças públicas – Oferece características antiderrapantes, emvirtude da baixa absorção de água, não dilata sob açãoconstante de sol e chuva.Fontes: http://www.megadicas.com/piso-vinilico-%E2%80%93-vantagens-precos-onde-comprar-fotos-e-modelos/#ixzz1V2DQaBQ5http://www.forumdaconstrucao.com.br/conteudo.php?a=14&Cod=194http://designandointeriores.blogspot.com.br/2011/08/tipos-de-revestimentos.htmlhttp://designceramico.com.br/2011/08/08/novas-tecnologias-em-revestimentos-ceramicos-2/
  11. 11. ENERGIA SOLARFOTOVOLTAICAVantagens :O Sol é uma fonte de energia e calor inesgotável, logo a maioria da luzsolar que chega à Terra pode ser convertida pelas centrais de energiasolar fotovoltaico para produzir energia, sendo assim uma fonte deenergia renovável e alternativa.É uma fonte de energia livre, limpa, sem fontes de poluição. No fim devida útil dos equipamentos usados para produzir painéis solaresfotovoltaicos, estes podem ser reutilizados, estando ainda a haverestudos para melhor reutilizar estes materiais.As centrais de conversão de energia solar fotovoltaico podem operardurante anos com pouca manutenção necessária, só é necessáriomanter os painéis limpos de poeiras que impeçam a absorção da luzsolar pelo painel. Custos operacionais são baixos. Apenas tem deinvestir no início da construção de uma central de produção de energiaatravés de energia solar fotovoltaico. Isto em comparação com outrasfontes de energia. A rede elétrica de energia solar é economicamentesuperior em termos de custos quando comparado com ligações decombustível que têm custos de implementação superiores.O uso de uma rede elétrica proveniente de fontes de energia solarfotovoltaica pode ajudar a reduzir o desperdício de transmissão deenergia que ocorre ao longo da linha elétrica.Quando comparado com as fontes de energia fósseis ou nucleares, asquantias investidas na investigação da fonte de energia solarfotovoltaico têm sido diminutas.Células de energia solar fotovoltaico experimentais têm mostradoeficiências de conversão de energia superiores a 40% na célulasfotovoltaicos. A eficiência está a aumentar de acordo com a produçãoem massa.
  12. 12. ENERGIA SOLARFOTOVOLTAICADesvantagens da Energia Solar FotovoltaicoOs painéis de energia solar fotovoltaico têm um custo deinstalação elevado. Mas acaba por compensar com o passardos anos. Ainda para mais se for uma fábrica ou uma quinta deagricultura que use apenas a energia solar fotovoltaico, acabarápor compensar o investimento inicial.A energia solar não é produzida à noite, logo não pode haverconversão de energia solar fotovoltaico durante a noite.A energia solar fotovoltaico necessita de grande densidade deinsolação para trabalhar a um ritmo constante e produtivo.Fontes:http://www.domosolar.net/domotica/energia-solar-fotovoltaico-vantagens-e-desvantagens/http://www.arcoweb.com.br/tecnologia/energia-fotovoltaica-na-arquitetura-no-brasil-19-06-2009.html
  13. 13. BRISE:O brise é um dispositivo arquitetônico utilizado para impedir aincidência direta de radiação solar nos interiores de umedifício, de forma a evitar aí a manifestação de um calorexcessivo. Foi um dos principais elementos compositivosutilizados pela arquitetura moderna, sendo ele próprio umícone de movimentos arquitetônicos como o internationalstyle, embora dispositivos similares sejam encontrados emobras mais antigas. Credita-se ao arquiteto franco-suíço LeCorbusier a sistematização (e, dependendo da fonteconsultada, a própria invenção) dos brise-soleils. Sua obraconhecida como Unidade de habitação de Marseille faz usobastante profundo dos brises, sendo que tais elementospossuem papel de destaque na constituição da linguagemdaquele edifício.Os brises podem ser compostos de materiais diversos, sendocomuns o concreto, a madeira e o alumínio. Normalmentecaracterizam-se como uma série de lâminas, móveis ou não,localizadas em frente às aberturas dos edifícios. No caso deserem móveis, permitem que conforme a necessidade e aconveniência, sejam regulados para aumentar ou diminuir ainsolação no recinto em questão.
  14. 14. Fontes:http://edificacaodesign.blogspot.com.br/2010/09/brises.html
  15. 15. • Luz natural é aquela proveniente do sol, direta ou dispersa pelas nuvens.Iluminação lateral é aquela onde a luz natural penetra no ambiente através de aberturas situadas nas laterais deuma edificação(exemplo: janelas, porta-janelas,entre outros)Características:As janelas sempre tiveram grande importância na determinação da forma e do caráter dos edifícios. Fatores desegurança, estruturais e tecnológicos também tiveram sua importância;A distribuição da luz natural diminui muito rapidamente à medida que nos afastamos da janela;A boa iluminação está associada à adequada localização das janelas.Em áreas de trabalho é recomendável que asáreas envidraçadas sejam distribuídas homogeneamente na fachada e se estendam até o forro;Os peitoris envidraçados abaixo do plano de trabalho não contribuem para a iluminação.• Iluminação zenital é aquela onde a luz natural penetra no ambiente através de aberturas situadas nacobertura de uma edificação. É uma das formas de iluminar naturalmente e obter uma boa distribuição da luz noambiente. Características da Iluminação Zenital: É adequada para locais profundos e grandes espaçoscontínuos; A iluminação zenital oferece maior uniformidade e maior iluminância média sobre a área de trabalhodo que uma superfície iluminante lateral; Não se deve ter área iluminante zenital superior do que 10% da áreado piso, pois isso pode implicar em problemas térmicos; Apresenta maior necessidade e dificuldade demanutenção do que o lateral. Já que estes tendem a acumular sujeira e diminuir rápida e sensivelmente atransmissão da luz; Maior dificuldade para a localização dos elementos de controle, proteção solar e ventilação;Propicia naturalmente boa ventilação natural pela facilidade de propiciar o efeito chaminé;A distribuição da luz no interior de um ambiente construído dependerá da forma e distribuição dos elementoszenitais, da forma dos seus dimensionamentos, da orientação dos elementos, bem como, do pé-direito do local;
  16. 16. Segundo Nelson Solano & Joana Gonçalves, o controle doambiente não é a totalidade da arquitetura, mas deve ser parteda ordenação básica de qualquer projeto.O arquiteto deve fazer do controle da luz, do som e do calor umproblema seu. Pára que isso seja possível utiliza-se estratégias,como :A luz direta deve ser evitada no plano de trabalho;As paredes podem ser usadas como fonte de reflexão da luz;
  17. 17. Placa sombreadora para evitar luz direta e redirecionarPara uma dada superfície de área, um brise maior é maiseficiente do que vários menores na captura e redirecionamentoda luz.
  18. 18. Elemento refletor da luz direta do sol e da luz refletida nacobertura.Tirar partido dos elementos refletores da luz.Controle da luz no interior do domus através de brises fixos ou móveis.
  19. 19. SHEDS: são como dentes, onde alternam faces de poucailuminação e outras quase verticais envidraçadas) Usadasde maneira geral em fábricas;- LANTERNINS: abertura da parte superior do telhado,excelente para ventilação dentro de ambientes quentes ede pé-direito alto.- CLARABÓIA: bonita, mas necessita muita manutençãoporque é muito horizontal. Pode aumentar a temperatura.- CÚPULA (domo): é uma abóboda. Dá a sensação de que aestrutura é maior do que a realidade.- ÁTRIO: O termo átrio surgiu para designar o pátio centraldas casas gregas e romanas. É o espaço central aberto oucom cobertura translúcida. Geralmente fica na parte maisreservada das casas, porem abertas em seu topo.De qualquer maneira, resolvendo problemas em fabricas eedifícios, ou simplesmente usadas em projetos residenciaiscomo um recurso de iluminação em ambientes centrais esem janelas, a iluminação zenital chama a atenção peloagradável clima que cria em ambientes internos.
  20. 20. VANTAGENS E DESVANTAGENSA iluminação artificial é um dos setores de consumo de energiaelétrica que pode ser, em grande parte, substituído pela luznatural proveniente do Sol. Além da economia proporcionada,a iluminação natural atende as necessidades físicas epsicológicas dos seres humanos.Segundo SICK, 2002 o uso da iluminação natural é aoportunidade de contribuir para a saúde da visão, do confortovisual e o bem-estar das pessoas. Pesquisas apontam para umamaior desempenho em trabalhos realizados em sala de aula/escritório em que havia o contato direto das pessoas com a luznatural.Esse resultado se deve em parte ao fato de que a luznatural apresenta definições de cores muito mais reais que aluz artificial, e a visualização do meio externo, proporciona oconhecimento aproximado das horas do dia e das mudançasclimáticas e atmosféricas.Assim, as vantagens do uso da iluminação natural são aqualidade da luz, a comunicação com o exterior, conservaçãoda energia, bem como economia.Todavia, dependendo daorientação solar, bem como da qualidade da circulação de ar,uma elevação indesejada da temperatura poderá ocorrer,podendo levar a um aumento do consumo de energia elétricadevido à necessidade de usar sistemas de resfriamento de ar.
  21. 21. A iluminação natural pode ser lateral ou zenital, a vantagem da segunda é oferecer maior uniformidade e maior iluminância médiasobre a área de trabalho do que uma superfície iluminante lateral.Sendo a zenital indicada para locais profundos e grandesespaços contínuos. Porém não se deve ter área iluminante zenital maior do que 10% da área do piso, pois senão teremosproblemas térmicos, devido à concentração de calor* 1 que pode ser evitada através de uma boa orientação solar e boacirculação de ar *2 .Devido à dependência das condições externas, tanto a iluminação zenital quanto a lateral, não se tem luz suficiente para todo otempo diário de iluminação, além de em dias nublados e chuvosos a quantidade de luz que chega até nós reduzirconsideravelmente, fazendo com que se utilize iluminação artificial. Já que não é possível dominar o Sol, faz-se necessário ocontrole deste através de sua transmissão e distribuição. Assim sendo, como a luz direta deve ser evitada no plano de trabalho, aluz proveniente de fonte zenital pode ser redirecionada (através de placas sombreadoras, como brises) e refletida (tirando partidode elementos refletores da luz, como as paredes *3 ).Além de não poder superar 10% da área de piso e precisarmos de elementos redirecionadores de luz, bem como sombreadores;outra desvantagem da iluminação zenital é o seu alto custo inicial, assim como a necessidade de manutenção adequada. Istoporque os elementos utilizados neste tipo de iluminação por sua localização e forma, tendem a acumular pó e sujeira diminuindorápida e sensivelmente a transmissão da luz.*1 Um estudo feito em um depósito da Fábrica Robert Bosch (situada na cidade industrial da cidade de Curitiba-PR) demonstrouque mesmo com a utilização de 30% de área de cobertura translúcida, não foi observado desconforto térmico, isso porque o pé-direito da fábrica bastante alto, em torno de 6m, além da pequena permanência de pessoas no recinto.*2 .A iluminação zenital é que essa propicia naturalmente boa ventilação natural pela facilidade de propiciar o efeito chaminé.*3 As paredes de cores claras refletem mais luz.Fontes: http://www.casosdecasa.com.br/index.php/reforma-e-construcao/para-iluminar-grandes-espacos-va-de-iluminacao-zenital/http://www.arq.ufsc.br/arq5661/trabalhos_2006-2/zenital/index.php?pag=vantagens
  22. 22. PELE DE VIDROQual é a relação do Homem com o vidro?Talvez esta seja uma questão muito complexa e a respostatambém não poderia ser tão simples. Isso porque é de naturezaHumana tentar “humanizar” aquilo que ele não conhece porcompleto, como por exemplo, os animais e os objetosinanimados.Este processo tão natural revela, na verdade, uma possívelaproximação do Homem com o desconhecido. Sua relação comoutras espécies, ou no caso com o vidro, põe a prova a suamaneira de lidar com a alteridade.É neste contexto que o deslumbre e a sede de conhecimentodesperta a identificação do Homem com o vidro enquantoproteção através da pele. A transparência é um fascínio quereveste o que precisa ser protegido do externo. Lembrando quea beleza do vidro pode ser representada por cores, e mais umavez, remete a nossa identidade em que a cor simboliza nossamelanina, a qual “tonaliza” ambas as peles.Fontes: http://www.designsp.com.br/peles-vidros.phphttp://www1.folha.uol.com.br/saopaulo/2013/05/1276495-pele-de-vidro-se-torna-padrao-para-edificios-corporativos-em-sp.shtml
  23. 23. O vidro como pele, reveste casas ou edifícios, garante segurança por receber uma aplicação de películas desegurança que propiciam maior privacidade e dificuldades a furtos. As películas aplicadas possibilitam maiorredução dos raios ultravioleta, impedem o estilhaçamento do vidro, evitam o ofuscamento pela luz solar direta eajudam a proteger móveis e objetos.A pele de vidro serve para atribuir rigidez a estrutura da loja e suportar as pressões do vento, da água da chuva edo movimento dos transportes nas ruas. A função da pele de vidro consiste em permitir a propagação da luznatural nos espaços interiores da loja e, ao mesmo tempo, protegê-los da chuva e do vento.Este trabalho realiza uma vedação maior no estabelecimento que estanca o ar e, assim, proporcionando umisolamento térmico e acústico do interior do edifício. Conclui-se também que quanto maiores forem àsespessuras e a massa do vidro, menores serão as vibrações e maior é o isolamento.A pele de vidro pode receber trabalhos com o fusing, jateamento em vidro, mosaico, impresso e vitrais, além deoutros tipos de vidros desenvolvidos que garantam um visual diferenciado as casas e aos edifícios.Para que haja segurança, a New Design oferece as melhores peles de vidro que é protegida por um sistema deresistência e segurança, com produtos mais desenvolvidos do mercado enquanto tecnologia. Em primeiro lugar,a segurança deve estar quando falamos de conforto e tranqüilidade aos ambientes. Porque a New Design tempaixão em se identificar com aquilo que produz.
  24. 24. O vidro na arquitetura - CLIMAAgora, os contemporâneos "pele de vidro" ressuscitam o debate sobre a pertinência de erguer edifícioscompletamente vedados em uma cidade sem os rigores do inverno do hemisfério norte."Você faz um edifício de vidro e enche de ar-condicionado para garantir habitabilidade. Parece um contra-senso", afirma o coordenador do curso de arquitetura e urbanismo da Escola da Cidade, Alvaro Puntoni. "Aarquitetura brasileira sempre mostrou como resolver essa questão, adotando soluções tradicionais, desombreamento da fachada."Mas, para Roberto Aflalo, 59, da Aflalo & Gasperini, o clima brasileiro não impede o uso dessa solução. "Existemvidros hoje com grande performance, que deixam passar luz mas não deixam passar calor". Isso gera economiano uso de luz elétrica e ar-condicionado e, portanto, de energia. É assim que esses prédios obtêm suascertificações ambientais.Além disso, em avenidas como Berrini e Faria Lima, onde os edifícios corporativos se concentram, o barulho e afuligem dos carros acabam tornando inviável o uso de ventilação cruzada, diz Milene Abla Scala, dona doescritório Vivá e diretora de sustentabilidade da Asbea (Associação Brasileira de Escritórios de Arquitetura)."Se eu abrisse todas as janelas do meu escritório, teria vento levantando folhas da minha mesa. A escolha se dáem função do usuário e do que ele espera", afirma Alberto Botti, 83, sócio do escritório Botti Rubin, outrareferência em fachadas de vidro.E os para-sóis modernistas, onde ficam? Aflalo diz que, ao fazer simulações de consumo energético com para-sole sem para-sol, a diferença é muito pequena. "Nem chega a justificar o próprio custo. Serviria para algunsmomentos do dia". Mas o arquiteto ressalta que, em projetos de edifícios de escritórios menores ou em prédiosresidenciais, o uso de "brise" é, sim, uma boa opção.
  25. 25. "CATEGORIA"Outra vantagem dos "pele de vidro" citada pelos arquitetos é a facilidade na manutenção e limpeza da fachada. "São Paulo éuma cidade poluída. Depois de um ano a fachada está suja e vai ter que ser lavada, pintada", conta o arquiteto Jonas Birger, 58."Há vidro com substâncias que funcionam como catalisadores contra impurezas. Basta chover que ele se autolimpa", diz LuizHenrique Ceotto, diretor de Design e Construção da Tishman Speyer.Existe ainda a questão da imagem moderna e tecnológica que esses edifícios passam. "O mercado exige isso, especialmente emlugares de grande visibilidade, como a marginal Pinheiros. Nesses locais eles necessariamente têm de ser de vidro, para mostrara categoria do prédio [alto padrão]", diz Saulo Nunes, diretor de incorporação da Odebrecht, da obra Parque da Cidade.Foi o endereço valorizado que levou o escritório de arquitetura KOM a fazer o seu primeiro "pele de vidro", o prédio em forma dediamante na avenida Brigadeiro Faria Lima. "É o endereço. Os prédios de maior destaque estão usando muito vidro", contaBeatriz Ometto Moreno, 51, sócia do escritório e com dois projetos "pele de vidro" em andamento.Além das questões estéticas e de sustentabilidade, o sistema de construção agiliza a obra e reduz custos, afirma Jonas Birger."Hoje, antes de acabar o prédio, você já coloca o vidro. O tempo de obra é muito menor", diz. "Nos países desenvolvidos, onde amão de obra é mais cara, se usa fachada de vidro porque elas são mais econômicas.“ "É um pouco chato quando fica umaortodoxia, uma defesa dos bons exemplos do passado sem olhar para o presente", diz Guilherme Wisnik. Ele concorda queedifícios de escritórios precisam de alta eficiência na climatização e de materiais industriais, como é o vidro. Mas soluções deprojeto que minimizem o uso de ar-condicionado são possíveis, diz. Cita como exemplo o prédio do Commerz Bank, emFrankfurt, do "starchitect" americano Norman Foster. O edifício alemão tem varandas dispostas na fachada de forma a captar aventilação natural, que é conduzida então para um vazio central. "Tem um efeito chaminé dentro do prédio inteiro, que dá boaclimatização sem ar-condicionado". Enquanto essas inovações criativas não chegam (ou se tornam viáveis) por aqui, a apostasegue nos avanços tecnológicos. Roberto Aflalo arrisca uma previsão. "No futuro teremos um vidro que escurece de acordo coma incidência do sol. Isso já existe, para óculos, mas para a escala de um edifício ainda não se viabiliza".Alguns prédios usarão os raios solares que incidem na fachada para gerar energia. No Brasil, isso será realidade já em 2015 com olaboratório de Inovação e Empreendedorismo, da Escola Politécnica da USP, projeto de Ruy Ohtake.

×