Revestimento industrial

3.110 visualizações

Publicada em

Publicada em: Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.110
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
123
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revestimento industrial

  1. 1. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS Curso de arquitetura e urbanismo Professor: Flávio Paraguassu Alunas: Gabriela Xavier, Giovana Perilo e Rayssa Elias
  2. 2. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS Acabamento é o resultado de um ato finalizador de um trabalho da construção civil. Este ato tem com principal objetivo dar um aspecto exterior trabalhado, para que o produto final seja mais atrativo para o consumidor final. Em obra, em geral, não há um limite exato para o termo acabamento. Para alguns, a aplicação dos revestimentos em uma casa já é uma etapa de acabamento. Os acabamentos podem ser industrializados ou não. Todo material utilizado em revestimento, recobrimento ou montagem final visando um efeito estético interessante pode ser considerado acabamento. Azulejos, porcelanatos, pisos laminados, fórmica e outros são materiais de acabamento. Nas edificações, consideraram-se três tipos de revestimentos para acabamento: revestimento de paredes, revestimento de pisos e revestimento de tetos ou forro. CONCEITO
  3. 3. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS HISTÓRICO Com o objetivo de reforçar suas construções, o homem, desde muito cedo, revestiu as superfícies com argamassa. O uso das argamassas pelas civilizações, entretanto, não tem uma evolução cronológica bem definida, porque a História da Arquitetura enfatiza muito mais a forma das edificações do que os materiais e técnicas construtivas empregadas. Os relatos históricos fornecem as seguintes indicações sobre o uso de revestimentos pelas civilizações antigas: 1- na Grécia, no período micênico ( por volta de 2000 a.c), a argila crua foi empregada em construções de taipa ou pau-a-pique, envolvendo as estruturas resistentes. 2- nas construções egípcias modestas, de 1600 a 1100 A.C., a argila em pasta era usada envolvendo a armação estrutural das casas, feita de caules de plantas ou de tronco de palmeiras;
  4. 4. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS HISTÓRICO 3 - a argila cozida (terracota), em placas molduradas e com baixos relevos, foi também empregada na arquitetura grega, para revestir os paramentos de pedra das fachadas. As placas de terracota tiveram amplo emprego no revestimento dos elementos de madeira dos entablamentos dos templos etruscos; 4 - quanto às argamassas, os gregos e romanos preparavam misturas de cal, areia e água, ou adicionavam gesso para a obtenção do estuque; 5 - nos paramento pétreos dos gregos, mesmo em mármore, as superfícies eram recobertas com uma película de estuque, com vista a ocultar as imperfeições da pedra, ou para receber pintura que proporcionasse aos elementos arquitetônicos um aspecto mais vivo, mais requintado; 6 - os romanos fizeram uso amplo das argamassas, tanto no assentamento das alvenarias, como nos revestimentos de seus edifícios. Empregavam o estuque como acabamento em alto relevo, fornecendo uma base para a pintura.
  5. 5. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS Assim, as argamassas de cal, as mistas de gesso e cal, as resultantes de pó de mármore ou pozolana, constituíram, possivelmente, os primeiros revestimentos dos paramentos verticais das construções. A partir de então, com o tempo, veio o surgimento dos acabamentos naturais e industrializados para dar um acabamento melhor para os revestimentos utilizados nas construções. O surgimento das cerâmicas, marca um período muito importante da história dos acabamentos industriais. As primeiras cerâmicas para acabamento arquitetônico só surgiram por volta de 500 A.C., permanecendo por vários séculos como materiais de uso restrito devido ao alto custo. HISTÓRICO
  6. 6. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS TIPOS Nas edificações, consideraram-se três tipos de revestimentos para acabamento: revestimento de paredes, revestimento de pisos e revestimento de tetos ou forro. Os revestimentos tem como finalidades principais:  A proteção contra as intempéries;  O aumento a resistência ao choque;  A melhoria das qualidades acústicas , térmica de impermeabilização e de higiene;  Beleza Arquitetônico.
  7. 7. PISO ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  8. 8.  O Piso Vinílico é a opção mais moderna e ecológica para revestir superfícies residenciais e comerciais. Moderna porque possibilita a criação de desenhos com recortes do mesmo, dando um toque personalizado ao seu ambiente.  Ecologicamente correto porque o Piso Vinílico é fabricado utilizando materiais reciclados. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS VINÍLICO
  9. 9.  O piso de PVC, um derivado vinílico que surge como estrutura básica de uma fina camada de pó branco pode ser a grande solução para a substituição do vidro - que demora 1 milhão de anos para se decompor naturalmente - e na substituição da madeira em assoalhos.  A grande característica do PVC, portanto é sua extrema versatilidade, pode adquirir inúmeras formas e cores, utilizada para incontáveis fins. O piso de PVC é uma alternativa ecológica para o revestimento de pisos de áreas internas com elegância. Hoje é muito utilizado desde pequenas até grandes áreas por ser de fácil e rápida aplicação ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PVC
  10. 10. INDICAÇÃO  O piso de PVC é indicado para áreas onde a necessidade de limpeza úmida seja freqüente. Não se recomenda a aplicação do piso de PVC em áreas de alta umidade, pois esta umidade causa, em médio prazo, o descolamento do piso de PVC da superfície aderente. Não deve, também, ser aplicados em áreas externas e de grande dilatação.  É aconselhável a exposição do piso de PVC ao sol ou ventilador para que não haja umidade em sua superfície. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PVC
  11. 11.  Porcelanatos são placas cerâmicas para revestimento constituídas por argilas, feldspatos e outras matérias-primas inorgânicas.  O processo de fabricação envolve elevado grau de moagem, alto teor de matéria-prima fundente e alta densificação após queima, resultando em produtos com baixa porosidade e elevado desempenho técnico.  Suas principais vantagens são: altíssima resistência a abrasão e alta durabilidade, quando comparado à maioria das  pedras naturais e outros tipos de cerâmica. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PORCELANATO
  12. 12.  POLIDOS - recebe um polimento e uma camada protetora. Todo porcelanato polido é extremamente liso e por isso é indicado para áreas secas da casa como salas, corredores, quartos. Eles podem ser usados em outros ambientes, quando entram em contato com água este porcelanato torna-se bastante escorregadio.  ESMALTADOS - recebem uma camada de esmalte por cima da massa com o desenho (estampa) desejado. A indicação técnica para o seu uso é a superfície que pode ser lisa ou áspera, brilhante ou mate. Os mais brilhantes são mais escorregadios.  STRUTURATO – superfície levemente abrasiva, perfeito para uso em áreas úmidas como sauna, box de banheiro, garagens, decks.  NATURAL – bastante resistente e pouco escorregadio, e por isso pode ser usado em áreas comerciais e residenciais. Possui superfície mate e por isso torna o ambiente aconchegante.  ACETINADO – Este porcelanato possui leve brilho acetinado.  LAPADO - Porcelanato que reproduz o brilho de pedras naturais.  EXT – Porcelanato com superfície abrasiva indicado para áreas externas que tenham frequente contato com água. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PORCELANATO
  13. 13.  O Brasil é o quarto maior produtor mundial de Revestimento Cerâmico, ficando atrás apenas de China, Itália e Espanha, e é o terceiro maior exportador mundial.  A cerâmica de revestimento é uma mistura de argila e outras matérias- primas inorgânicas, queimadas em altas temperaturas Sua aplicação com esses fins teve início com as civilizações do Oriente Médio e Ásia.  A placa cerâmica pode ser utilizada para os revestimentos de pisos, paredes, na forma de azulejos, ladrilhos e pastilhas, tanto em ambientes residenciais, públicos e comerciais como em industriais ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS CERÂMIC A
  14. 14. CLASSIFICAÇÃO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS De acordo com a NBR 13817: 1997 e baseado na ISO 13006: 1998, os revestimentos cerâmicos são classificados pelos os seguintes critérios: 1) Esmaltados e não esmaltados. 2) Método de fabricação (prensado, extrudado, entre outros). 3) Grupos de absorção de água. 4) Classe de resistência a abrasão superficial – PEI. 5) Classe de resistência ao manchamento. 6) Classe de resistência ao ataque de agentes químicos, segundo diferentes níveis de concentração. 7) Aspecto superficial ou análise visual. TIPO DE SUPERFÍCIE a) Esmaltadas (GLAZED) ou GL. b) Não esmaltadas (UNGLAZED) ou UGL. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS CERÂMIC A
  15. 15. A sigla P.E.I. - Porcelain Enamel Institute - é usada para classificar a resistência do esmalte do piso ou revestimento. A classificação P.E.I. é numérica e vai de 1 a 5: • PEI 1 - Indica um esmalte frágil, geralmente encontrado em azulejos, não aceitando nenhum tipo de atrito. Ideal para aplicação em paredes ou em locais com praticamente nenhum tráfego, como pequenos quartos onde usa-se chinelos, por exemplo. • PEI 2 - Os pisos e revestimentos com esta classificação são ideais para aplicação em paredes ou em locais com pouquíssimo tráfego, como pequenos quartos onde usa-se chinelos, por exemplo. • PEI 3 - Este é o tipo mais usado em residências, por suportar pequeno tráfego. Pode ser colocado em praticamente todos os cômodos da casa, como quartos, sala, cozinha e banheiros. • PEI 4 - Com um esmalte mais resistente, os pisos com esta classificação são ideais para corredores de maior tráfego, entradas, áreas externas e garagens cobertas ou não. • PEI 5 - Nesta classificação estão os pisos com o esmalte mais resistente, perfeito para o alto tráfego de pessoas, como lojas, restaurantes, lanchonetes, escritórios, consultórios ou até mesmo shoppings e pequeno tráfego de veículos. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS CERÂMIC A
  16. 16.  Campo de aplicação: escolas, hospitais, lojas, escritórios, museus, bibliotecas, hotéis, restaurantes;  Vantagens: boa resistência aos agentes atmosféricos, boa resistência ao desgaste, bom comportamento ao fogo, fácil limpeza, multiplicidade estética, impermeáveis;  Limitações: impacto, cargas pesadas, riscagem, rotura frágil. TIPOS DE LADRILHOS CERÂMICOS • ladrilhos de barro vermelho; • ladrilhos prensados (tipo S. Paulo); • ladrilhos de grés cerâmico. A absorção de água, a resistência ao choque e o custo dos diferentes tipos são muito diferentes. O assentado é feito com argamassa tradicional ou cimento-cola. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS LADRILHO CERÂMIC O
  17. 17.  Fabricados à base de cimento (branco ou cinzento).  Podem ou não ser revestidos com outros materiais.  Poderão conter marmorites. CARACTERÍSTICAS:  Boa resistência ao choque e desgaste;  Dureza elevada;  Antiderrapantes;  Pouco deformáveis;  Resistentes ao gelo;  Cores resistentes;  Fácil aplicação e limpeza;  Possibilidade de inúmeros acabamentos. O ladrilho hidráulico é feito manualmente, um a um, e em sua composição entram apenas cimento, agua e corantes. Como mesmo um ladrilheiro experiente só dá conta de fabricar de 15 a 20 peças por dia, se for necessária uma grande quantidade deve ser encomendada com antecedência, e nunca fica pronta antes de 30 dias. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS LADRILHO HIDRÁULICO
  18. 18.  Os métodos de aplicação mais comuns são a aplicação com feltro e grippers (réguas colocadas junto ao rodapé) e a colagem de toda a superfície da alcatifa. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS CARPETE
  19. 19.  Ele é feito a partir de óleo de linhaça solidificado, misturado com a farinha de madeira, sobre uma base de uma tela ou de pano grosso. Normalmente criam-se os pigmentos à mistura para dar cores diferentes e, assim, obter o linóleo.  É certamente o piso mais reconhecido e tradicional do mercado. Foi inventado em 1863 pelo comerciante Inglês e inventor Frederick Walton que registrou a patente para a fabricação industrial. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS LINÓLEO
  20. 20. PAREDE ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  21. 21. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PLACA CIMENTÍCIA Rústico sem perder a leveza, despojado e prático, as placas cimentícias são bonitas e duráveis mantendo a mesma aparência por mais de vinte anos. Feitas de concreto e areia são ecologicamente corretas porque dispensam a queima em fornos e ainda em sua composição há reaproveitamento de materiais. VANTAGENS: - Não retém a umidade; - Atérmicos (não esquentam, mesmo sob forte sol); - Acabamento melhor (não apresentam fissuras); - Secagem rápida; - Fácil instalação; - Alta durabilidade.
  22. 22. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS Por custarem pouco e conseguirem criar efeitos que lembram mármore e até madeira, os revestimentos cimentícios adaptam-se a todos os tipos de projeto, além de serem uma opção ecológica, já que optar pelo cimento evita o corte de árvores. Para limpá-lo, é simples: requer apenas utilização de detergentes específicos para revestimentos ou a aplicação de jatos d'água com sabão neutro.
  23. 23. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PASTILHA DE VIDRO Na década de 90 houve um "boom" no uso das pastilhas e, por isso, diversas empresas passaram a produzi-las e vende-las, tornando esse tipo de revestimento mais barato. A aplicação de pastilhas produz efeito clássico e elegante. Versáteis, podem revestir áreas amplas da parede ou serem dispostas em faixas. São apresentadas no mercado em placas geralmente de 30 x 30 cm, formadas por uma rede onde as peças já vem coladas, com o espaçamento necessário ao rejunte. As pastilhas tendem a se soltar com o tempo, devido a pouca área de aderência que elas têm com o rejunte, por isso, a escolha da argamassa a ser usada com as pastilhas também é importante, para ajudar a fixá-las por mais tempo.
  24. 24. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS VANTAGENS: - Aplicação e manutenção fácil; - Diversidades de cores e tamanhos; - Brilho inalterável; - Baixa absorção de água (0,05%); - Resistentes aos produtos químicos; - Permite várias composições. DESVANTAGENS: -Pouco mais cara em relação aos outros materiais mais populares, como a cerâmica; - É necessário caprichar no assentamento, caso contrário o acabamento ficará desnivelado; - Frágeis, tendem a se soltar com o tempo.
  25. 25. Quando se pensa em porcelanato é comum lembrar primeiro do piso, mas usar porcelanato na parede nunca esteve tão em alta na decoração. Com a chegada da tecnologia de impressão digital, a possibilidade de criar desenhos e efeitos na cerâmica teve um grande salto. Com mais opções e com produtos mais elaborados, que geralmente são os preferidos para as paredes. Usar porcelanato na parede tem sido indicação de boa parte dos decoradores e arquitetos. Não só pela qualidade do tipo de revestimento, mas pelas possibilidades de estética, formato e acabamento. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PORCELANATO
  26. 26. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PORCELANATO VANTAGENS: - Mais opções de escolha de grandes formatos. - Juntas de assentamento ficam menos visíveis, já que as placas são maiores. - Possibilidade de coordenar e alinhar o formato do revestimento com o do chão mantendo a mesma junta ou combinando formas modulares. - Possui diversas novas opções de cores, grafismos e acabamentos também. - Dá para combinar as texturas de piso e parede. - Pode ser usado em fachadas ventiladas.
  27. 27. Cada vez mais se vê casas com paredes revestidas com cerâmica, isso deve-se principalmente nas casas de praia, pois o mofo e a maresia acabam facilmente com a tinta das paredes exteriores o que faz com que renove todos os anos. Há décadas, a cerâmica ocupa as primeiras posições no ranking dos revestimentos para piso e parede, quanto para área externa para área interna. Isso se deve ao fato de serem produtos de alta resistência e durabilidade, além de terem fácil limpeza e preço acessível. As peças ganham mais cores ou reproduzem o visual de outros materiais – o resultado é cada vez mais fiel e a vantagem está no custo inferior ao dos originais. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS CERÂMIC A
  28. 28. Diferenciar o uso do revestimento cerâmico para piso ou parede significa, principalmente, diferenciar características de resistência à abrasão e resistência de ruptura. Para paredes é aceitável PEI 0 e resistência mínima à ruptura: módulo, 18 N/mm² e carga de 400 N. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS CERÂMIC A FORMA DE APLICAÇÃO
  29. 29. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS Atualmente, o que diz respeito a decoração, vemos o retorno à década de 70, com paredes totalmente revestidas por papeis. A tecnologia atual é bem desenvolvida, sendo possível encontrar muitos modelos, desde os mais simples aos que imitam personagens de desenhos ou texturas como a palha natural. TIPOS DE PAPEL DE PAREDE -Vinílico: indicado principalmente para grandes áreas de circulação (restaurantes, hotéis). - Vinilizado: podem ser lavados e possuem uma vasta gama de padronagens. -Acetinado: acumula menos poeira, ideal para quartos de criança. - TNT: quando afirmam "tnt" significa que imita tecido, mas não é de fato tecido - Mica: feito a partir de pedras naturais. PAPEL DE PAREDE
  30. 30. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS VANTAGENS - É fácil e rápido de ser aplicado (ao contrário das pinturas que exigem proteção do chão e dos móveis); - Não exige mão-de-obra especializada; - A maioria é antialérgico (a cola é a base de água e não deixa cheiro); - Muitos são anti-chamas; -Trazem a sensação de aconchego para o ambiente. DESVANTAGEM - Caso precise retirar uma parte do papel para lidar na parede, provavelmente a tonalidade da nova faixa de papel terá cor diferente, já que a que estava exposta geralmente sofre algum desbotamento. PAPEL DE PAREDE
  31. 31. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS Cada vez mais presente em projetos contemporâneos, o material de ar rústico e espírito industrial tem, paradoxalmente, um grande poder de atualizar residências. O Corten é um tipo de aço que em sua composição contem elementos que melhoram suas propriedades anticorrosivas, apresentando em média 3 vezes mais resistência à corrosão que o aço comum. Uma de suas principais características é a camada de óxido de cor avermelhada que se forma quando ocorre a exposição do aço aos agentes corrosivos do ambiente. Quanto mais tempo exposto ao tempo, mais interessante fica sua textura. AÇO CORTEN
  32. 32. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS AÇO CORTEN VANTAGENS - Além de dispensar a pintura em certos ambientes, os aços patináveis possuem uma resistência mecânica maior que a dos aços estruturais comuns. Esta vantagem é melhor observada em ambientes extremamente agressivos, como regiões de orla marítima e também regiões que apresentam grande poluição de dióxido de enxofre. - Em ambas a pintura os aços patináveis apresentam uma proteção superior àquela inerente aos aços comuns.
  33. 33. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS TINTA Tinta é o nome normalmente dado a uma família de produtos (líquidos, viscosos ou sólidos em pó) que, após aplicação sob a forma de uma fina camada, a um substrato se converte num filme sólido opaco. As tintas são usadas para proteger e dar cor a as paredes. As primeiras utilizações de tintas datam de há 40.000 anos atrás quando os primeiros Homo Sapiens pintaram nas paredes das cavernas. A tinta é muito comum e aplica-se a praticamente qualquer tipo de objetos. Usa-se na construção civil: em paredes interiores, em superfícies exteriores, expostas às condições meteorológicas. A pintura da casa exige planejamento. É importante conhecer os produtos antes de comprar as tintas.
  34. 34. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS TIPOS DE TINTAS LÁTEX Apresenta boa cobertura, é solúvel em água, bastante econômica e seca rapidamente. O melhor uso é em ambientes internos. ACRÍLICA Também solúvel em água, e apresenta resinas acrílicas em sua fórmula. O preço bem maior do que o da tinta látex. ESMALTE SINTÉTICO Seu custo é maior do que o das anteriores e, caso não seja bem aplicada na parede, pode apresentar bolhas e até descascar rápido. EPÓXI A resina epóxi tem como principal característica o fato de ser impermeável. A facilidade na hora de limpar permite que o produto seja aplicado em banheiros e lavanderias. VERNIZ Os vernizes são produtos que formam películas protetoras nas superfícies e trazem um bonito acabamento.
  35. 35. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS TIPOS DE ACABAMENTO FOSCO É ideal para esconder as imperfeições das superfícies. O acabamento apresenta elevado rendimento e boa durabilidade. O problema é a sujeira, uma vez que a porosidade da tinta facilita o acúmulo de pó. ACETINADO É o modelo intermediário na questão de brilho. Confere à parede elegância pelo aspecto suave e geralmente é comercializado em cores intensas. SEMIBRILHANTE A tinta já apresenta algum brilho e seu grau de resistência é maior do que os anteriores. O acabamento conta também com mais facilidade de limpeza, no entanto, as imperfeições começam a se tornar evidentes. BRILHANTE É o modelo que apresenta grande facilidade no quesito limpeza e alta resistência. Apesar disso, qualquer defeito da parede se destaque e a aplicação deve ser feita com cuidado, já que retoques ficam sobressalentes.
  36. 36. TETO ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  37. 37.  O gesso é um dos materiais mais antigo de construção fabricado pelo homem.  Tem-se conhecimento da utilização do gesso desde o Neolítico com vários fins como: para fazer cimentos, paredes e também como suporte pictórico.  O gesso de estuque aparece como material de construção aplicado em paredes interiores de algumas pirâmides egípcias, com cerca de 5000 anos.  Na Península Ibérica generalizou-se o uso do gesso durante o período da ocupação romana. São ainda exemplos da sua aplicação, elementos ornamentais e de arquitetura muçulmana.  No período românico o gesso foi empregue na elaboração de frescos para decoração de igrejas e capelas. GESSO ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  38. 38.  No séc. XIX, o gesso vai gradualmente incorporando a arquitetura como material de reboco e como elemento decorativo em palácios e vivendas.  Hoje em dia o gesso é um produto na vanguarda da técnica e o seu uso generalizou-se como material fundamental na construção. As suas propriedades estéticas e mecânicas convertem-no na melhor escolha para a obtenção de conforto e qualidade de vida ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS GESSO
  39. 39. O forro ou rebaixamento de gesso de placa 60 x 60 é colocado placa a placa, sendo que cada placa tem 2 lados com encaixe macho e 2 lados com encaixe fêmea, assim as placas são encaixadas umas nas outras, e depois travadas com gesso e sizal, para unir todo o forro. VANTAGENS:  O valor por m² é mais barato que qualquer outro tipo de rebaixamento em gesso.  O forro de gesso 60 x 60 não precisa necessariamente de acabamento em locais comerciais, apenas se o cliente optar por deixar o forro totalmente liso.  O serviço de pintura não precisa esperar muito, 2 horas após o término do forro, o serviço de pintura pode começar. DESVANTAGENS:  As placas são feitas unicamente de gesso e absorve umidade com facilidade.  O forro está mais propenso a trincas e rachaduras do que os outros forros em gesso.  O forro de placa 60 x 60 pesa em média 22 kg/m², o que torna a obra muito pesada.  Facilidade em adquirir fungos e bactérias que por si só mancham o forro FORRO DE GESSO – 60 x 60 ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  40. 40. O forro de gesso Aramado Gypsum é o forro mais usado no Brasil. O forro Gypsum é executado com as placas acartonadas ou placas Gypsum: - A placa de gypsum usada para Forro Aramado tem as medidas de 2 m x 0.60 m e são encaixadas umas nas outras com a junção H. - A junção H une as 2 placas, e a amarração do forro é feita diretamente na junção H, que por sua vez segura todo forro. FORRO DE GESSO ARMADO GYPSUM ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  41. 41. VANTAGENS:  Obra sem muito desperdício;  Execução com o mínimo de entulho;  Bom desempenho de isolamento acústico e térmico;  Execução do serviço muito mais rápida e prático;  O forro Gypsum é muito leve, em média apenas 11kg/m²;  Forro mais resistente à trinca e fissuras, as placas gypsum foram feito justamente para ambientes onde há vibrações e dilatações da estrutura. FORRO DE GESSO ARMADO GYPSUM ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  42. 42.  O Forro estruturado é feito com placas de gesso, onde elas são aparafusadas em perfis de aço galvanizado chamadas canaletas.  O forro estruturado tem rápida execução, baixo desperdício e é um ótimo isolante termo-acústico.  A estrutura do forro é suspensa por meio de reguladores que são afixados no teto e depois fixados nas canaletas.  O forro estruturado é mais usado em locais grandes, como shoppings, galpões e bancos. VANTAGENS:  Não há problemas com dilatações ou fissuras no forro  É possivel a manutenção entre o teto e o forro sem danificações  Não é necessários juntas de dilatação FORRO ESTRUTURADO ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  43. 43. O conforto acústico existe quando o ambiente proporciona boa inteligibilidade da fala (ou clareza musical) e ausência de sons indesejáveis no ambiente, criando uma sensação de paz e bem-estar. Dependendo do caso, o conforto acústico pode depender de uma boa absorção sonora, de um eficiente isolamento acústico, ou de ambos simultaneamente Os materiais construtivos e de acabamento, a mobília e até mesmo as pessoas presentes exercem influência significativa sobre a acústica de um ambiente. O forro é o elemento que mais contribui para a qualidade da acústica em áreas internas e sua finalidade é absorver os sons e eliminar a reverberação (eco). A aplicação de um forro acústico altera favoravelmente a absorção dos sons aéreos, propiciando uma considerável melhora interna e mais conforto aos usuários. Sua utilização depende inteiramente do tipo de ocupação do espaço. Salas de espetáculo, hospitais, escritórios e até bares podem necessitar de tratamento acústico e, para tanto, é indispensável identificar as características das emissões sonoras do ambiente e o quanto de som se quer absorver. Existem diversos tipos de Forro , tais com: Forro Isopor, Forro Lã de Vidro, Fibra Mineral, Gesso Acartonado e PVC. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS FORRO ACÚSTICO
  44. 44.  O Forro em Lã de Vidro é revestido com filme PVC branco micro perfurado, apresenta função termo acústica e isolação térmica.  É ideal para ambientes como escolas, indústrias, supermercados e farmácias que necessitem de tratamento acústico e térmico. Cada placa do Forro em Lã de Vidro possui 25 mm x 62,5 cm x 1,25 m de medidas.  Resistente ao fogo e oferece facilidade de limpeza porque suas placas são removíveis.  O forro é suspenso através de perfis metálicos fixados ao teto por tirantes rígidos. Em caso de vãos elevados entre o forro e o teto, recomenda- se o uso de estrutura auxiliar.  Recomenda-se o uso de luminárias suspensas ou embutidas, evitando que a ação do calor possa prejudicar os revestimentos LÃ DE VIDRO ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS
  45. 45.  Forro Isopor apresenta um ótimo acabamento com pintura acrílica texturizada, fácil limpeza e conservação.  O Forro Isopor proporciona um ótimo custo benefício não só através da economia pela diminuição de consumo de energia do ar condicionado, mas também por seu preço mais acessível em relação a seus concorrentes.  O Forro de Isopor tem boa resistência mecânica e baixo peso específico, são mais seguros contra incêndio, pois não propagam chamas.  A economia, a leveza, a facilidade de uso, a rapidez de execução e a qualidade de acabamento final são, entre outros, fatores que tornaram o Forro de Isopor especialmente indicados para o uso em escritórios, hotéis, restaurantes, shoppings centers e entre outros...  O Forro de Isopor, não é tóxico, não produz nem libera CFC e é 100% reciclável, suporta temperaturas de até 80ºC, pode ser limpo facilmente, não descolam, não mancham, recuperam a estética de tetos / forros afetados por mofo ou umidade. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS FORRO DE ISOPOR
  46. 46.  Forro de Fibra mineral foi projetado para proporcionar soluções efetivas para redução de ruídos, absorção de sons indesejáveis, reflexão da luz e melhorar os espaços sem comprometer o estilo arquitetônico.  Atende os padrões anti-incêndio e propagação de chama e desenvolvimento de fumaça.  O Forro é uma placa de fibra mineral obtida a partir da mistura de areia, vidro reciclado e lã de rocha, obtendo-se um composto de fibra mineral, que não causa prejuízos à saúde ou a natureza.  O acabamento aparente das placas do Forro de Fibra Mineral é constante e todas as placas são cobertas com prime dos dois lados, além do acabamento padrão de pintura, o Forro de Fibra Mineral consiste de 2 camadas de tinta acrílica branca com pigmentos naturais isentos de solventes.  As dimensões e tamanhos do Forro Fibra Mineral são sempre em módulos.. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS FIBRA MINERAL
  47. 47.  O Forro de PVC foi desenvolvida para fazer parte da arquitetura de qualquer projeto. Por isso, lâminas e complementos possuem fino acabamento.  Além de proporcionar conforto térmico e acústico, o Forros de PVC possuem outras vantagens.  São extremamente duráveis, resistindo à umidade, atmosferas salinas e cupim.  Dispensa pinturas periódicas e baixa manutenção, preservando a beleza por muito mais tempo.  Os Forros de PVC têm um sistema de encaixe simples entre as lâminas e os acabamentos. A leveza do material facilita o manuseio, agilizando ainda mais a montagem.  No caso de manutenção das redes ocultas pelo forro (elétrica, água e esgoto) basta desencaixar os perfis para a realização do serviço, evitando quebras, furos ou quaisquer outras aberturas que possibilitem o acúmulo de sujeira no ambiente.  O Forro de PVC é Indicado para ambientes internos de residências, estabelecimentos comerciais, salões de festas, cozinhas industriais, hospitais, escolas, igrejas.  Os Forros de PVC também são indicados para o uso em áreas externas como Postos de Gasolina, sacadas, beirais e garagens. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS FORRO DE PVC
  48. 48. ACABAMENTOS INDUSTRIALIZADOS FORRO DE PVC
  49. 49. OBRIGADA

×