SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Receitas
CPC 30
Introdução
 De acordo com a Estrutura Conceitual,
receita surge no curso das atividades normais
de uma entidade e é designada por uma
variedade de diferentes nomes, incluindo
vendas, honorários, juros, dividendos e
royalties.
Introdução
 A principal questão na contabilização de
receitas é determinar quanto reconhecê-la.
 A receita é reconhecida quando for provável
que os benefícios econômicos futuros
fluirão para a entidade e que possam ser
mensurados de forma confiável.
Identificação da transação
 Em geral, os critérios de reconhecimento são aplicados
separadamente a cada transação.
 Contudo, em determinadas circunstâncias, é necessário
aplicar os critérios de reconhecimento aos componentes
separadamente identificáveis de uma única transação para
refletir a essência da transação.
 “Por exemplo, caso o preço de venda de um produto inclua um valor identificável
referente a um serviço subsequente, esse valor será diferido e reconhecido como
receita no decorrer do período no qual o serviço é prestado, como é o caso da venda
de telefones celulares combinada com contratos de prestação de serviços
relacionados”. (ERNST &YOUNG; FIPECAFI; 2010; p. 153)
Venda de produtos
 A receita proveniente deste evento será reconhecida se as seguintes condições forem
atendidas:
 a) A entidade tiver transferido ao comprador todos os riscos e benefícios significativos da
propriedade dos produtos;
 b) A entidade não mantiver envolvimento gerencial contínuo em um nível gerencialmente
associado à titularidade nem controle efetivo sobre os produtos vendidos;
 c) O valor da receita puder ser mensurado com confiabilidade;
 d) For provável que os benefícios fluirão para a entidade; e
 e) Os custos incorridos ou que virem a ser puderem ser mensurados.
Venda de produtos
 É possível perceber, no desenvolvimento da Norma, que a transferência de riscos e benefícios é
considerada o critério mais importante dessas cinco condições. Quanto a esse critério, existem
quatro situações nas quais os riscos e benefícios significativos podem ser retidos:
 a) Retenção de uma obrigação devido a desempenho insatisfatório não coberto por cláusulas
normais de garantia
 b) O recebimento da receita depende da receita obtida pelo comprador dos bens na revenda dos
próprios (consignação)
 c) Os bens vendidos estejam sujeitos à instalação, sendo a instalação parte importante do
contrato e ainda não executada;
 d) O comprador tiver o direito de anular a compra por um motivo que conste no contrato de
venda, sem que o vendedor tenha certeza sobre a probabilidade de devolução.
Prestação de serviços
 Para este tipo de transação, a receita será reconhecida por referência
ao estágio de conclusão da transação. O resultado pode ser estimado
de forma confiável se as seguintes condições forem atendidas:
 a) O valor da receita puder ser mensurado de forma confiável;
 b) For provável que os benefícios econômicos associados à transação
fluirão para a entidade;
 c) O estágio de conclusão da transação no final do período de relatório
puder ser mensurado de forma confiável; e
 d) Os custos incorridos para a transação e os custos para concluir a
transação puderem ser mensurados de forma confiável.
Juros, royalties e dividendos
 As seguintes bases deverão utilizadas para o reconhecimento:
 a) Os juros serão reconhecidos utilizando o método efetivo
conforme definido na IAS 39 – Instrumentos Financeiros:
Reconhecimento e Mensuração;
 b) Os royalties será reconhecidos pelo regime de competência, de
acordo com a essência do contrato pertinente; e
 c) Dividendos serão reconhecidos quando for estabelecido o direito
do acionista de receber pagamento.
Juros, royalties e dividendos
 As seguintes bases deverão utilizadas para o reconhecimento:
 a) Os juros serão reconhecidos utilizando o método efetivo
conforme definido na IAS 39 – Instrumentos Financeiros:
Reconhecimento e Mensuração;
 b) Os royalties será reconhecidos pelo regime de competência, de
acordo com a essência do contrato pertinente; e
 c) Dividendos serão reconhecidos quando for estabelecido o direito
do acionista de receber pagamento.
Reflexão
1. (questão 01) A empresa Amazon é mundialmente conhecida por vender livros pela
internet. Entretanto, parte significativa da sua geração de caixa é proveniente de duas
fontes: a comercialização de sua tecnologia de venda na internet (e-commerce) e a venda de
livro de terceiros.
a) Determine se estas duas fontes se enquadram na definição de receita do Iasb. Em caso
afirmativo, discuta como deveria ser a evidenciação desta informação.
b) Seria possível o usuário verificar se cada uma delas é lucrativa? Como?
c) No Brasil, o termo faturamento é usado englobando os dois casos. Já a receita leva em
consideração somente o valor líquido (a comissão) que a empresa obtém com a venda de
produtos de terceiros. Qual destes dois termos enquadra-se mais adequadamente no
conceito de receita discutido no capítulo?
Reflexão
4. (questão 08) Em 2002, a empresa Eletropaulo
quitou dívidas bancárias que possuía como o Banco
Espírito Santo no valor de R$ 142 milhões com a
entrega de um edifício de sua propriedade na cidade
de São Paulo. Nesta transação, podemos
caracterizar a geração de receita na Eletropaulo?
Utilize na resposta a definição apresentada no
capítulo. Considere que o valor contábil do edifício é
menor que R$ 142 milhões.
Reflexão
5. (questão 10) A empresa Submarino
comercializa produtos através da internet,
entregando-os na residência do cliente. Em
2005 a empresa divulgou uma receita de frete
de R$ 21,5 milhões e um despesa de R$ 26,3
milhões.Você concorda em classificar o que a
empresa recebe de seus clientes, referente ao
frete na compra dos produtos, como receita?
Reflexão
5. (questão 10) A empresa Submarino
comercializa produtos através da internet,
entregando-os na residência do cliente. Em
2005 a empresa divulgou uma receita de frete
de R$ 21,5 milhões e um despesa de R$ 26,3
milhões.Você concorda em classificar o que a
empresa recebe de seus clientes, referente ao
frete na compra dos produtos, como receita?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custosA ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custosUniversidade Pedagogica
 
Analise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasAnalise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasbelyalmeida
 
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo PiresConceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo PiresDanilo Pires
 
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira  Professor Danilo PiresIntrodução a administração financeira  Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira Professor Danilo PiresDanilo Pires
 
SAP - General Ledger Account
SAP - General Ledger AccountSAP - General Ledger Account
SAP - General Ledger AccountKumar M.
 
Seminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADE
Seminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADESeminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADE
Seminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADEGerisval Pessoa
 
Contabilidade aula 01 conceitos ii
Contabilidade aula 01 conceitos iiContabilidade aula 01 conceitos ii
Contabilidade aula 01 conceitos iicapitulocontabil
 
Questoes contabilidade gerencial
Questoes contabilidade gerencialQuestoes contabilidade gerencial
Questoes contabilidade gerencialsimuladocontabil
 
Os usuários da informação contábil
Os usuários da informação contábilOs usuários da informação contábil
Os usuários da informação contábilalir franco
 
Contabilidade geral i cap 14 slides - balancete
Contabilidade geral i cap 14   slides - balanceteContabilidade geral i cap 14   slides - balancete
Contabilidade geral i cap 14 slides - balancetegabaritocontabil
 
Resumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade BásicaResumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade Básicaeadrede
 
Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)
Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)
Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)Danilo Pereira
 
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração  do Resultado do ExercícioDRE - Demonstração  do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração do Resultado do ExercícioWandick Rocha de Aquino
 
Contabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritoContabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritocustos contabil
 
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaoExercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaocapitulocontabil
 
Trabalho de contabilidade teoria da contabilidade
Trabalho de contabilidade teoria da contabilidadeTrabalho de contabilidade teoria da contabilidade
Trabalho de contabilidade teoria da contabilidade272018
 

Mais procurados (20)

A ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custosA ciência contabilística e a contabilidade de custos
A ciência contabilística e a contabilidade de custos
 
Analise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeirasAnalise das demonstrações financeiras
Analise das demonstrações financeiras
 
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo PiresConceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
Conceitos básicos de contabilidade- Professor Danilo Pires
 
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira  Professor Danilo PiresIntrodução a administração financeira  Professor Danilo Pires
Introdução a administração financeira Professor Danilo Pires
 
SAP - General Ledger Account
SAP - General Ledger AccountSAP - General Ledger Account
SAP - General Ledger Account
 
Seminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADE
Seminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADESeminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADE
Seminário Análise Financeira e Orçamentária_ENADE
 
Contabilidade aula 01 conceitos ii
Contabilidade aula 01 conceitos iiContabilidade aula 01 conceitos ii
Contabilidade aula 01 conceitos ii
 
Questoes contabilidade gerencial
Questoes contabilidade gerencialQuestoes contabilidade gerencial
Questoes contabilidade gerencial
 
Classifique os custos 04
Classifique os custos 04Classifique os custos 04
Classifique os custos 04
 
Os usuários da informação contábil
Os usuários da informação contábilOs usuários da informação contábil
Os usuários da informação contábil
 
Custos básicos
Custos básicosCustos básicos
Custos básicos
 
Contabilidade Modulo 1
Contabilidade   Modulo 1Contabilidade   Modulo 1
Contabilidade Modulo 1
 
Contabilidade geral i cap 14 slides - balancete
Contabilidade geral i cap 14   slides - balanceteContabilidade geral i cap 14   slides - balancete
Contabilidade geral i cap 14 slides - balancete
 
Resumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade BásicaResumo Básico de Contabilidade Básica
Resumo Básico de Contabilidade Básica
 
Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)
Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)
Etapas da contabilidade (Atos, Razonete e Balancete)
 
Cfi 2017 2018
Cfi 2017 2018Cfi 2017 2018
Cfi 2017 2018
 
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração  do Resultado do ExercícioDRE - Demonstração  do Resultado do Exercício
DRE - Demonstração do Resultado do Exercício
 
Contabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabaritoContabilidade de custos exercicios gabarito
Contabilidade de custos exercicios gabarito
 
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucaoExercicios contabilidade gabarito resolucao
Exercicios contabilidade gabarito resolucao
 
Trabalho de contabilidade teoria da contabilidade
Trabalho de contabilidade teoria da contabilidadeTrabalho de contabilidade teoria da contabilidade
Trabalho de contabilidade teoria da contabilidade
 

Destaque

Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)
Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)
Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)Marcelo Linhares
 
Estudo de Casos - CPC 30
Estudo de Casos - CPC 30Estudo de Casos - CPC 30
Estudo de Casos - CPC 30Juliana Rafael
 
Ambassadors sing for peace cd launch event
Ambassadors sing for peace cd launch eventAmbassadors sing for peace cd launch event
Ambassadors sing for peace cd launch eventYanyu Li
 
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladasMoore Stephens Brasil
 
Iap ias 18 revenue
Iap  ias 18 revenueIap  ias 18 revenue
Iap ias 18 revenueAsad Ali
 
Research into music magazines
Research into music magazinesResearch into music magazines
Research into music magazinesJakeMason94
 
3 5dokumenperniagaandalamnegeritg1
3 5dokumenperniagaandalamnegeritg13 5dokumenperniagaandalamnegeritg1
3 5dokumenperniagaandalamnegeritg1Mohd Zaid Zakaria
 
Emprender · Anda que no mola ni nada
Emprender · Anda que no mola ni nadaEmprender · Anda que no mola ni nada
Emprender · Anda que no mola ni nadaDaniel Vecino Castel
 
2012.09.26 photos
2012.09.26 photos2012.09.26 photos
2012.09.26 photosBin Ji
 
Wide horizon for children project
Wide horizon for children projectWide horizon for children project
Wide horizon for children projectDeisi Mireles
 
Office furniture Office Design
Office furniture Office DesignOffice furniture Office Design
Office furniture Office Designwallaceperkins
 
Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017
Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017
Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017Сергей Назаров
 
Mobile Content Strategy for Museums
Mobile Content Strategy for MuseumsMobile Content Strategy for Museums
Mobile Content Strategy for Museumsportlandhead
 

Destaque (19)

Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)
Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)
Reconhecimento de Receitas e Despesas (CPC 30 e CPC17)
 
Poc aula impressao
Poc aula impressaoPoc aula impressao
Poc aula impressao
 
Estudo de Casos - CPC 30
Estudo de Casos - CPC 30Estudo de Casos - CPC 30
Estudo de Casos - CPC 30
 
Ambassadors sing for peace cd launch event
Ambassadors sing for peace cd launch eventAmbassadors sing for peace cd launch event
Ambassadors sing for peace cd launch event
 
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
7 - CPC 18 (R2) Investimentos em coligadas e em controladas
 
Ias 18 revenue
Ias 18 revenueIas 18 revenue
Ias 18 revenue
 
Iap ias 18 revenue
Iap  ias 18 revenueIap  ias 18 revenue
Iap ias 18 revenue
 
Research into music magazines
Research into music magazinesResearch into music magazines
Research into music magazines
 
Pauta 2
Pauta 2Pauta 2
Pauta 2
 
3 5dokumenperniagaandalamnegeritg1
3 5dokumenperniagaandalamnegeritg13 5dokumenperniagaandalamnegeritg1
3 5dokumenperniagaandalamnegeritg1
 
My dream
My dreamMy dream
My dream
 
Emprender · Anda que no mola ni nada
Emprender · Anda que no mola ni nadaEmprender · Anda que no mola ni nada
Emprender · Anda que no mola ni nada
 
121 el2f gmb
121 el2f gmb121 el2f gmb
121 el2f gmb
 
2012.09.26 photos
2012.09.26 photos2012.09.26 photos
2012.09.26 photos
 
121 el2f
121 el2f121 el2f
121 el2f
 
Wide horizon for children project
Wide horizon for children projectWide horizon for children project
Wide horizon for children project
 
Office furniture Office Design
Office furniture Office DesignOffice furniture Office Design
Office furniture Office Design
 
Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017
Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017
Песочный альбом-календарь Sand Drive 2017
 
Mobile Content Strategy for Museums
Mobile Content Strategy for MuseumsMobile Content Strategy for Museums
Mobile Content Strategy for Museums
 

Semelhante a cpc 30

Nbc tsp03 pág 510
Nbc tsp03 pág 510Nbc tsp03 pág 510
Nbc tsp03 pág 510CRC-PI
 
Cpc 30 na Íntegra - Receitas
Cpc 30 na Íntegra  - ReceitasCpc 30 na Íntegra  - Receitas
Cpc 30 na Íntegra - Receitasavieiracpa
 
Banco do brasil escrituário
Banco do brasil escrituárioBanco do brasil escrituário
Banco do brasil escrituárioPaulo Junior
 
Mensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo Amortizado
Mensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo AmortizadoMensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo Amortizado
Mensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo AmortizadoM2M Escola de Negócios
 
Receitas e despesas resultados
Receitas e despesas   resultadosReceitas e despesas   resultados
Receitas e despesas resultadoszeramento contabil
 
CPC 30 Receitas
CPC 30   ReceitasCPC 30   Receitas
CPC 30 Receitasavieiracpa
 
Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016
Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016
Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016Renato Lopes da Rocha
 
Controladoria financeiro
Controladoria financeiroControladoria financeiro
Controladoria financeiroDealernet
 
2015.11.17 mfn bmg bloco 5, 6 e 7
2015.11.17 mfn   bmg bloco 5, 6 e 72015.11.17 mfn   bmg bloco 5, 6 e 7
2015.11.17 mfn bmg bloco 5, 6 e 7Rafaella Cavalca
 
Princípios_atividade_alunos
Princípios_atividade_alunosPrincípios_atividade_alunos
Princípios_atividade_alunosClaudio Parra
 
Qualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da Contabilidade
Qualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da ContabilidadeQualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da Contabilidade
Qualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da ContabilidadeMarta Chaves
 
Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...
Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...
Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...Alfredo Saad
 
Contabilidade - Receitas Despesas Ganhos
Contabilidade - Receitas Despesas GanhosContabilidade - Receitas Despesas Ganhos
Contabilidade - Receitas Despesas GanhosHerlon Moitinho
 

Semelhante a cpc 30 (20)

Nbc tsp03 pág 510
Nbc tsp03 pág 510Nbc tsp03 pág 510
Nbc tsp03 pág 510
 
Cpc 30 na Íntegra - Receitas
Cpc 30 na Íntegra  - ReceitasCpc 30 na Íntegra  - Receitas
Cpc 30 na Íntegra - Receitas
 
Banco do brasil escrituário
Banco do brasil escrituárioBanco do brasil escrituário
Banco do brasil escrituário
 
Mensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo Amortizado
Mensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo AmortizadoMensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo Amortizado
Mensuração de Instrumentos Financeiros pelo Custo Amortizado
 
IAS_18_Reg_1725_2003 (1).pdf
IAS_18_Reg_1725_2003 (1).pdfIAS_18_Reg_1725_2003 (1).pdf
IAS_18_Reg_1725_2003 (1).pdf
 
Fundamentos da Gestão de Finanças
Fundamentos da Gestão de FinançasFundamentos da Gestão de Finanças
Fundamentos da Gestão de Finanças
 
Receitas e despesas resultados
Receitas e despesas   resultadosReceitas e despesas   resultados
Receitas e despesas resultados
 
CPC 30 Receitas
CPC 30   ReceitasCPC 30   Receitas
CPC 30 Receitas
 
Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016
Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016
Boletim CARF - Setembro e Outubro 2016
 
Controladoria financeiro
Controladoria financeiroControladoria financeiro
Controladoria financeiro
 
Exercicios contabeis 04
Exercicios contabeis 04Exercicios contabeis 04
Exercicios contabeis 04
 
2015.11.17 mfn bmg bloco 5, 6 e 7
2015.11.17 mfn   bmg bloco 5, 6 e 72015.11.17 mfn   bmg bloco 5, 6 e 7
2015.11.17 mfn bmg bloco 5, 6 e 7
 
Princípios_atividade_alunos
Princípios_atividade_alunosPrincípios_atividade_alunos
Princípios_atividade_alunos
 
Qualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da Contabilidade
Qualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da ContabilidadeQualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da Contabilidade
Qualifica CFC 2017.2 Estácio - Teoria da Contabilidade
 
Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...
Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...
Contrato de terceirização de ti em crise qmk o que fazer ou o que deveria ter...
 
Aula 05 _contabilidade_comercial
Aula 05 _contabilidade_comercialAula 05 _contabilidade_comercial
Aula 05 _contabilidade_comercial
 
A colocação de resseguro facultativo
A colocação de resseguro facultativoA colocação de resseguro facultativo
A colocação de resseguro facultativo
 
A colocação de resseguro facultativo
A colocação de resseguro facultativoA colocação de resseguro facultativo
A colocação de resseguro facultativo
 
Contabilidade - Receitas Despesas Ganhos
Contabilidade - Receitas Despesas GanhosContabilidade - Receitas Despesas Ganhos
Contabilidade - Receitas Despesas Ganhos
 
175 cpc 09_rev 14
175 cpc 09_rev 14175 cpc 09_rev 14
175 cpc 09_rev 14
 

Último

Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...E-Commerce Brasil
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfReinerModro
 
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...imostorept
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...E-Commerce Brasil
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...E-Commerce Brasil
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxEduardoRodriguesOliv2
 

Último (8)

Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
Digitalização do varejo | A importância do engajamento e fidelização de clien...
 
Opções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdfOpções estratégicas de competitividade.pdf
Opções estratégicas de competitividade.pdf
 
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
Imóvel do Banco, Apartamento T5 com Sótão; Bank Property, Apartment near Cent...
 
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.Digitalização de varejo | Importe ou morra.
Digitalização de varejo | Importe ou morra.
 
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
Digitalização do varejo | Tecnologia na gestão do negócio: como alavancar a e...
 
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
Digitalização do varejo| Clienting no varejo: dados e tendências sobre relaci...
 
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
Digitalização do varejo | Como a logística pode ajudar na melhor experiência ...
 
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptxCavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
Cavaleiros do Futebol: Equipamentos e Moda para Campeões.pptx
 

cpc 30

  • 2. Introdução  De acordo com a Estrutura Conceitual, receita surge no curso das atividades normais de uma entidade e é designada por uma variedade de diferentes nomes, incluindo vendas, honorários, juros, dividendos e royalties.
  • 3. Introdução  A principal questão na contabilização de receitas é determinar quanto reconhecê-la.  A receita é reconhecida quando for provável que os benefícios econômicos futuros fluirão para a entidade e que possam ser mensurados de forma confiável.
  • 4. Identificação da transação  Em geral, os critérios de reconhecimento são aplicados separadamente a cada transação.  Contudo, em determinadas circunstâncias, é necessário aplicar os critérios de reconhecimento aos componentes separadamente identificáveis de uma única transação para refletir a essência da transação.  “Por exemplo, caso o preço de venda de um produto inclua um valor identificável referente a um serviço subsequente, esse valor será diferido e reconhecido como receita no decorrer do período no qual o serviço é prestado, como é o caso da venda de telefones celulares combinada com contratos de prestação de serviços relacionados”. (ERNST &YOUNG; FIPECAFI; 2010; p. 153)
  • 5. Venda de produtos  A receita proveniente deste evento será reconhecida se as seguintes condições forem atendidas:  a) A entidade tiver transferido ao comprador todos os riscos e benefícios significativos da propriedade dos produtos;  b) A entidade não mantiver envolvimento gerencial contínuo em um nível gerencialmente associado à titularidade nem controle efetivo sobre os produtos vendidos;  c) O valor da receita puder ser mensurado com confiabilidade;  d) For provável que os benefícios fluirão para a entidade; e  e) Os custos incorridos ou que virem a ser puderem ser mensurados.
  • 6. Venda de produtos  É possível perceber, no desenvolvimento da Norma, que a transferência de riscos e benefícios é considerada o critério mais importante dessas cinco condições. Quanto a esse critério, existem quatro situações nas quais os riscos e benefícios significativos podem ser retidos:  a) Retenção de uma obrigação devido a desempenho insatisfatório não coberto por cláusulas normais de garantia  b) O recebimento da receita depende da receita obtida pelo comprador dos bens na revenda dos próprios (consignação)  c) Os bens vendidos estejam sujeitos à instalação, sendo a instalação parte importante do contrato e ainda não executada;  d) O comprador tiver o direito de anular a compra por um motivo que conste no contrato de venda, sem que o vendedor tenha certeza sobre a probabilidade de devolução.
  • 7. Prestação de serviços  Para este tipo de transação, a receita será reconhecida por referência ao estágio de conclusão da transação. O resultado pode ser estimado de forma confiável se as seguintes condições forem atendidas:  a) O valor da receita puder ser mensurado de forma confiável;  b) For provável que os benefícios econômicos associados à transação fluirão para a entidade;  c) O estágio de conclusão da transação no final do período de relatório puder ser mensurado de forma confiável; e  d) Os custos incorridos para a transação e os custos para concluir a transação puderem ser mensurados de forma confiável.
  • 8. Juros, royalties e dividendos  As seguintes bases deverão utilizadas para o reconhecimento:  a) Os juros serão reconhecidos utilizando o método efetivo conforme definido na IAS 39 – Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração;  b) Os royalties será reconhecidos pelo regime de competência, de acordo com a essência do contrato pertinente; e  c) Dividendos serão reconhecidos quando for estabelecido o direito do acionista de receber pagamento.
  • 9. Juros, royalties e dividendos  As seguintes bases deverão utilizadas para o reconhecimento:  a) Os juros serão reconhecidos utilizando o método efetivo conforme definido na IAS 39 – Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração;  b) Os royalties será reconhecidos pelo regime de competência, de acordo com a essência do contrato pertinente; e  c) Dividendos serão reconhecidos quando for estabelecido o direito do acionista de receber pagamento.
  • 10. Reflexão 1. (questão 01) A empresa Amazon é mundialmente conhecida por vender livros pela internet. Entretanto, parte significativa da sua geração de caixa é proveniente de duas fontes: a comercialização de sua tecnologia de venda na internet (e-commerce) e a venda de livro de terceiros. a) Determine se estas duas fontes se enquadram na definição de receita do Iasb. Em caso afirmativo, discuta como deveria ser a evidenciação desta informação. b) Seria possível o usuário verificar se cada uma delas é lucrativa? Como? c) No Brasil, o termo faturamento é usado englobando os dois casos. Já a receita leva em consideração somente o valor líquido (a comissão) que a empresa obtém com a venda de produtos de terceiros. Qual destes dois termos enquadra-se mais adequadamente no conceito de receita discutido no capítulo?
  • 11. Reflexão 4. (questão 08) Em 2002, a empresa Eletropaulo quitou dívidas bancárias que possuía como o Banco Espírito Santo no valor de R$ 142 milhões com a entrega de um edifício de sua propriedade na cidade de São Paulo. Nesta transação, podemos caracterizar a geração de receita na Eletropaulo? Utilize na resposta a definição apresentada no capítulo. Considere que o valor contábil do edifício é menor que R$ 142 milhões.
  • 12. Reflexão 5. (questão 10) A empresa Submarino comercializa produtos através da internet, entregando-os na residência do cliente. Em 2005 a empresa divulgou uma receita de frete de R$ 21,5 milhões e um despesa de R$ 26,3 milhões.Você concorda em classificar o que a empresa recebe de seus clientes, referente ao frete na compra dos produtos, como receita?
  • 13. Reflexão 5. (questão 10) A empresa Submarino comercializa produtos através da internet, entregando-os na residência do cliente. Em 2005 a empresa divulgou uma receita de frete de R$ 21,5 milhões e um despesa de R$ 26,3 milhões.Você concorda em classificar o que a empresa recebe de seus clientes, referente ao frete na compra dos produtos, como receita?

Notas do Editor

  1. <number>