SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Na praça mais
importante da
cidade, numa
coluna, erguia-se a
estátua do Príncipe
Feliz. Mesmo sendo
de chumbo, estava
toda coberta de ouro.
No lugar dos olhos
tinha duas grandes
safiras, e na bainha
da espada brilhava
um grande rubi.
Esta história começa numa noite
de Inverno, quando uma
andorinha decidiu dormir um
pouco aos pés do príncipe feliz.
Era uma andorinha que se tinha
atrasado na sua viagem para o
Egito.
Quando estava colocando a
cabeça por baixo da asa, pronta
para descansar, caíram-lhe de
cima umas gotas de água. Olhou
para o alto e
viu, assombrada, que dos olhos
da estátua caiam lágrimas que
iam escorrendo pelo rosto de
ouro.
"Por que choras, se és o príncipe
feliz?" perguntou.
A estátua contou-lhe que de lá de
cima via a dor e a miséria das
pessoas e, mesmo tendo o coração de
chumbo, não podia evitar o choro.
"Daqui vejo uma mãe que
chora, sentada à cabeceira da cama
do seu filhinho que está doente. Não
tem dinheiro para lhe comprar
remédios... Andorinha, tu não
gostarias de levar-lhe o rubi da minha
espada?"
No início a andorinha negou-
se, pois estava bastante atrasada
na sua viagem, e tinha medo do
frio do inverno, mas como viu tão
triste aquele formoso
jovem, decidiu ficar mais uma
noite e ser a mensageira do
príncipe.
Naquela noite o
passarinho fez o que o
príncipe lhe tinha pedido.
Com o rubi, aliviou a pena
daquela mulher.
Quando, na noite
seguinte, decidiu reiniciar
a viagem para o Egito foi-
se despedir do príncipe e
este disse-lhe:
-Andorinha, fica mais uma
noite comigo. Nos
arredores da
cidade, existe um homem
muito pobre que nada tem
para dar de comer aos
seus filhos. Se amanhã
não tiver dinheiro vão
despejá-lo da casa onde
mora... Por favor, arranca
um dos meus olhos e
leva-o para ele.
Mais uma vez a andorinha
deixou-se convencer. Nessa
noite fez o que ele lhe pediu
e, quando viu a alegria do
pobre homem, ao ver a
safira, ficou contente por ter
atrasado mais uma vez a sua
viagem.
Mas o frio chegava bem depressa e
decidiu partir imediatamente. Foi, mais
uma vez, despedir-se do príncipe, que
lhe disse:
- Andorinha, naquela rua há uma
menina que vende fósforos. Mas os
fósforos caíram no riacho e
estragaram-se. Ela está a chorar, pois
se chegar a casa sem o dinheiro, o pai
vai bater -lhe. Por favor, fica mais uma
noite ao meu lado! Arranca-me a outra
safira e leva-a para a menina.
A andorinha respondeu:
-Ficarei mais uma noite contigo, mas
não te vou arrancar o olho, pois assim
ficarias totalmente cego!
- Andorinha, andorinha !– exclamou o
príncipe - Eu sei que gostas muito de
mim, mas faz o que eu te peço.
A avezinha fez o que ele lhe pediu.
Arrancou a outra safira e levou-a à
menina.
Quando voltou para o lado do
príncipe disse-lhe:
-Agora estás cego. Decidi que
ficarei para sempre contigo e serei
os teus olhos.
Então o príncipe tornou a dizer-lhe:
- Se olhares para mim, verás que
estou totalmente revestido de ouro
fino. Desprende-o, aos poucos, e
reparte-o entre os pobres da cidade.
Dias a fio a andorinha
foi levando o ouro aos
pobres da cidade, até
que a estátua ficou feia
e sem brilho.
Foi então que a neve chegou e, depois da neve, o gelo. A pobre
andorinha tinha cada vez mais frio. Um dia, sentindo que ia
morrer, pousou sobre o ombro do príncipe, deu-lhe um beijo e
caiu morta aos pés dele. Nesse mesmo instante escutou-se um
ruído no interior da estátua. A couraça de chumbo tinha-se
partido em dois.
Na manhã seguinte, quando os "importantes"
da cidade passaram perto da estátua, ao vê-la
tão destroçada, decidiram tirá-la dali e fundi-la
para aproveitar o metal.
Fundiram a estátua. Toda.
Toda, menos o coração que não se deixou
fundir. Então os “importantes” pegaram nele e
deitaram - no fora, no local onde estava a
andorinha morta.
Diz-se que quando no céu
Deus decidiu recolher as
duas coisas mais
preciosas da cidade, os
anjos recolheram a
andorinha e o coração do
príncipe e que nos jardins
do paraíso, a andorinha
cantou eternamente ao
lado do Príncipe Feliz, que
tinha o coração de um
ouro puríssimo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Obra contos para a infância guerra junqieiro
Obra contos para a infância  guerra junqieiroObra contos para a infância  guerra junqieiro
Obra contos para a infância guerra junqieiroAna Ferreira
 
Bela Adormecida
Bela AdormecidaBela Adormecida
Bela AdormecidaAulas_TIC
 
Conto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionais
Conto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionaisConto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionais
Conto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionaisMaria Ferreira
 
Cavaleiro da dinamarca resumo
Cavaleiro da dinamarca   resumoCavaleiro da dinamarca   resumo
Cavaleiro da dinamarca resumoCristina Marques
 
A Bela E O Monstro
A Bela E O MonstroA Bela E O Monstro
A Bela E O Monstrocigm1
 
A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"
A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"
A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"João Pedro Amado
 
Histórias com gente gira
Histórias com gente giraHistórias com gente gira
Histórias com gente giraaasf
 
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)Lurdes Augusto
 
Menina do mar power point1publicar
Menina do mar power point1publicarMenina do mar power point1publicar
Menina do mar power point1publicarIsabelPereira2010
 

Mais procurados (20)

O Coelho Branco
 O Coelho Branco O Coelho Branco
O Coelho Branco
 
El rei
El reiEl rei
El rei
 
Lenços namorados
Lenços namoradosLenços namorados
Lenços namorados
 
O Rei Vai Nu
O Rei Vai NuO Rei Vai Nu
O Rei Vai Nu
 
Bernardim ribeiro
Bernardim ribeiroBernardim ribeiro
Bernardim ribeiro
 
Obra contos para a infância guerra junqieiro
Obra contos para a infância  guerra junqieiroObra contos para a infância  guerra junqieiro
Obra contos para a infância guerra junqieiro
 
Bela Adormecida
Bela AdormecidaBela Adormecida
Bela Adormecida
 
Conto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionais
Conto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionaisConto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionais
Conto torrado teatro_vem-ai-ze-das-moscas_historias-tradicionais
 
O rouxinol
O rouxinolO rouxinol
O rouxinol
 
WILDE Oscar_O príncipe feliz
WILDE Oscar_O príncipe felizWILDE Oscar_O príncipe feliz
WILDE Oscar_O príncipe feliz
 
Cavaleiro da dinamarca resumo
Cavaleiro da dinamarca   resumoCavaleiro da dinamarca   resumo
Cavaleiro da dinamarca resumo
 
Poemas ppt
Poemas pptPoemas ppt
Poemas ppt
 
A Bela E O Monstro
A Bela E O MonstroA Bela E O Monstro
A Bela E O Monstro
 
A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"
A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"
A HISTÓRIA DA "MENINA DO MAR"
 
Histórias com gente gira
Histórias com gente giraHistórias com gente gira
Histórias com gente gira
 
A princesa e o sapo.
A princesa e o sapo.A princesa e o sapo.
A princesa e o sapo.
 
Ulisses 6º b
Ulisses 6º bUlisses 6º b
Ulisses 6º b
 
O gato malhado
O gato malhadoO gato malhado
O gato malhado
 
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
A Aia - Trabalhos de grupo (alunos)
 
Menina do mar power point1publicar
Menina do mar power point1publicarMenina do mar power point1publicar
Menina do mar power point1publicar
 

Destaque

Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02
Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02
Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02Maria Ferreira
 
Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02
Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02
Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02Maria Ferreira
 
Tiposdefrase 121020050310-phpapp02
Tiposdefrase 121020050310-phpapp02Tiposdefrase 121020050310-phpapp02
Tiposdefrase 121020050310-phpapp02Maria Ferreira
 
Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01
Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01
Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01Maria Ferreira
 
Conto natal ninguem.da.prendas
Conto natal ninguem.da.prendasConto natal ninguem.da.prendas
Conto natal ninguem.da.prendasMaria Ferreira
 
Conto sophia noite.natal_total
Conto sophia noite.natal_totalConto sophia noite.natal_total
Conto sophia noite.natal_totalMaria Ferreira
 
Do advento...-até-ao-natal
Do advento...-até-ao-natalDo advento...-até-ao-natal
Do advento...-até-ao-natalMaria Ferreira
 
Se eu-fosse...-o-pai-natal
Se eu-fosse...-o-pai-natalSe eu-fosse...-o-pai-natal
Se eu-fosse...-o-pai-natalMaria Ferreira
 
Frisocronolgico 111125061816-phpapp01
Frisocronolgico 111125061816-phpapp01Frisocronolgico 111125061816-phpapp01
Frisocronolgico 111125061816-phpapp01Maria Ferreira
 
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaO boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaMaria Ferreira
 
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Maria Ferreira
 
Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02
Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02
Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02Maria Ferreira
 
Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02
Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02
Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02Maria Ferreira
 
A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01
A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01
A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01Maria Ferreira
 
Apresentação christmas 3 e 4
Apresentação christmas 3 e 4Apresentação christmas 3 e 4
Apresentação christmas 3 e 4Maria Ferreira
 

Destaque (20)

Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02
Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02
Exibiosimetrias 130112111520-phpapp02
 
Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02
Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02
Uniaoeuropeialeonor 140306170909-phpapp02
 
Tiposdefrase 121020050310-phpapp02
Tiposdefrase 121020050310-phpapp02Tiposdefrase 121020050310-phpapp02
Tiposdefrase 121020050310-phpapp02
 
Preposicao
PreposicaoPreposicao
Preposicao
 
Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01
Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01
Exibio 2ano-diagramasdevennedecarroll-131118082447-phpapp01
 
Months and seasons
Months and seasonsMonths and seasons
Months and seasons
 
Easter vocabulary4
Easter vocabulary4Easter vocabulary4
Easter vocabulary4
 
Conto natal ninguem.da.prendas
Conto natal ninguem.da.prendasConto natal ninguem.da.prendas
Conto natal ninguem.da.prendas
 
Conto sophia noite.natal_total
Conto sophia noite.natal_totalConto sophia noite.natal_total
Conto sophia noite.natal_total
 
Uma prenda de natal
Uma prenda de natalUma prenda de natal
Uma prenda de natal
 
Do advento...-até-ao-natal
Do advento...-até-ao-natalDo advento...-até-ao-natal
Do advento...-até-ao-natal
 
Se eu-fosse...-o-pai-natal
Se eu-fosse...-o-pai-natalSe eu-fosse...-o-pai-natal
Se eu-fosse...-o-pai-natal
 
Frisocronolgico 111125061816-phpapp01
Frisocronolgico 111125061816-phpapp01Frisocronolgico 111125061816-phpapp01
Frisocronolgico 111125061816-phpapp01
 
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaO boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
 
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
Ahistriadeportugal 111228172656-phpapp01
 
Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02
Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02
Exibio trabalharcomocompassocorrigido-130118123004-phpapp02
 
Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02
Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02
Matilderosaarajo vidaeobra-110702052259-phpapp02
 
Poema -inverno__
Poema  -inverno__Poema  -inverno__
Poema -inverno__
 
A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01
A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01
A verdadeira-historia-do-natal-131112201958-phpapp01
 
Apresentação christmas 3 e 4
Apresentação christmas 3 e 4Apresentação christmas 3 e 4
Apresentação christmas 3 e 4
 

Semelhante a Conto oscar wild-principe-feliz

O príncipe feliz
O príncipe felizO príncipe feliz
O príncipe felizIva Valente
 
O príncipe feliz
O príncipe felizO príncipe feliz
O príncipe felizIva Valente
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casaInstituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casaInstituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
As minas de_prata_segunda_parte
As minas de_prata_segunda_parteAs minas de_prata_segunda_parte
As minas de_prata_segunda_parteMClara
 
A chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txt
A chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txtA chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txt
A chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txtDinisMendonca1
 
Capitulo i mesmo na morte
Capitulo i   mesmo na morteCapitulo i   mesmo na morte
Capitulo i mesmo na morteMesmoNaMorte
 
Capitulo i - mais uma parte
Capitulo i - mais uma parteCapitulo i - mais uma parte
Capitulo i - mais uma parteMesmoNaMorte
 

Semelhante a Conto oscar wild-principe-feliz (12)

O príncipe feliz teatro
O príncipe feliz   teatroO príncipe feliz   teatro
O príncipe feliz teatro
 
O príncipe feliz
O príncipe felizO príncipe feliz
O príncipe feliz
 
O príncipe feliz
O príncipe felizO príncipe feliz
O príncipe feliz
 
O Quarto Rei Mago
O Quarto Rei MagoO Quarto Rei Mago
O Quarto Rei Mago
 
O Quarto Rei Mago
O Quarto Rei MagoO Quarto Rei Mago
O Quarto Rei Mago
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
 
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa( Espiritismo)   # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
( Espiritismo) # - amag ramgis - conto de natal # a música que vinha da casa
 
A princesa e o sapo
A princesa e o sapoA princesa e o sapo
A princesa e o sapo
 
As minas de_prata_segunda_parte
As minas de_prata_segunda_parteAs minas de_prata_segunda_parte
As minas de_prata_segunda_parte
 
A chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txt
A chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txtA chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txt
A chuva pasmada by couto mia (z lib.org).txt
 
Capitulo i mesmo na morte
Capitulo i   mesmo na morteCapitulo i   mesmo na morte
Capitulo i mesmo na morte
 
Capitulo i - mais uma parte
Capitulo i - mais uma parteCapitulo i - mais uma parte
Capitulo i - mais uma parte
 

Mais de Maria Ferreira

Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02
Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02
Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02Maria Ferreira
 
Tiposdetexto 121020050344-phpapp01
Tiposdetexto 121020050344-phpapp01Tiposdetexto 121020050344-phpapp01
Tiposdetexto 121020050344-phpapp01Maria Ferreira
 
Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02
Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02
Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02Maria Ferreira
 
Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01
Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01
Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01Maria Ferreira
 
O beijo da palavrinha 2 mia couto
O beijo da palavrinha 2 mia coutoO beijo da palavrinha 2 mia couto
O beijo da palavrinha 2 mia coutoMaria Ferreira
 
Adverbio 140218123245-phpapp02
Adverbio 140218123245-phpapp02Adverbio 140218123245-phpapp02
Adverbio 140218123245-phpapp02Maria Ferreira
 
Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12
Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12
Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12Maria Ferreira
 
Aspectos da costa_p._point
Aspectos da costa_p._pointAspectos da costa_p._point
Aspectos da costa_p._pointMaria Ferreira
 
Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...
Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...
Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...Maria Ferreira
 
Osastros 2-130422170827-phpapp02
Osastros 2-130422170827-phpapp02Osastros 2-130422170827-phpapp02
Osastros 2-130422170827-phpapp02Maria Ferreira
 
Ppt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoPpt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoMaria Ferreira
 
Ppt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoPpt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoMaria Ferreira
 
Ppt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoPpt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoMaria Ferreira
 

Mais de Maria Ferreira (20)

Liberdade viseu pdf
Liberdade  viseu pdfLiberdade  viseu pdf
Liberdade viseu pdf
 
Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02
Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02
Ashoraseosminutos 140502103917-phpapp02
 
Tiposdetexto 121020050344-phpapp01
Tiposdetexto 121020050344-phpapp01Tiposdetexto 121020050344-phpapp01
Tiposdetexto 121020050344-phpapp01
 
Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02
Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02
Contomatilde rosa-araujomisterios-140221050511-phpapp02
 
Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01
Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01
Exibio diagramadecauleefolhas-130120161545-phpapp02-140116174819-phpapp01
 
O beijo da palavrinha 2 mia couto
O beijo da palavrinha 2 mia coutoO beijo da palavrinha 2 mia couto
O beijo da palavrinha 2 mia couto
 
Adverbio 140218123245-phpapp02
Adverbio 140218123245-phpapp02Adverbio 140218123245-phpapp02
Adverbio 140218123245-phpapp02
 
Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12
Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12
Hist+¦ria adivinha quanto eu gosto de ti.12
 
Aspectos da costa_p._point
Aspectos da costa_p._pointAspectos da costa_p._point
Aspectos da costa_p._point
 
Det posse
Det posseDet posse
Det posse
 
Det artigos
Det artigosDet artigos
Det artigos
 
Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...
Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...
Exibio retassemirretasesegmentosderetaretasparalelaseperpendicularescorrigido...
 
Rios de portugal
Rios de portugalRios de portugal
Rios de portugal
 
Osastros 2-130422170827-phpapp02
Osastros 2-130422170827-phpapp02Osastros 2-130422170827-phpapp02
Osastros 2-130422170827-phpapp02
 
Os planetas
Os planetasOs planetas
Os planetas
 
Ppt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoPpt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacueco
 
Ppt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoPpt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacueco
 
Ppt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacuecoPpt serafim e malacueco
Ppt serafim e malacueco
 
Ciclo da agua areal
Ciclo da agua arealCiclo da agua areal
Ciclo da agua areal
 
Agua ciclo
Agua cicloAgua ciclo
Agua ciclo
 

Último

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 

Último (20)

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 

Conto oscar wild-principe-feliz

  • 1.
  • 2. Na praça mais importante da cidade, numa coluna, erguia-se a estátua do Príncipe Feliz. Mesmo sendo de chumbo, estava toda coberta de ouro. No lugar dos olhos tinha duas grandes safiras, e na bainha da espada brilhava um grande rubi.
  • 3. Esta história começa numa noite de Inverno, quando uma andorinha decidiu dormir um pouco aos pés do príncipe feliz. Era uma andorinha que se tinha atrasado na sua viagem para o Egito. Quando estava colocando a cabeça por baixo da asa, pronta para descansar, caíram-lhe de cima umas gotas de água. Olhou para o alto e viu, assombrada, que dos olhos da estátua caiam lágrimas que iam escorrendo pelo rosto de ouro. "Por que choras, se és o príncipe feliz?" perguntou.
  • 4. A estátua contou-lhe que de lá de cima via a dor e a miséria das pessoas e, mesmo tendo o coração de chumbo, não podia evitar o choro. "Daqui vejo uma mãe que chora, sentada à cabeceira da cama do seu filhinho que está doente. Não tem dinheiro para lhe comprar remédios... Andorinha, tu não gostarias de levar-lhe o rubi da minha espada?" No início a andorinha negou- se, pois estava bastante atrasada na sua viagem, e tinha medo do frio do inverno, mas como viu tão triste aquele formoso jovem, decidiu ficar mais uma noite e ser a mensageira do príncipe.
  • 5. Naquela noite o passarinho fez o que o príncipe lhe tinha pedido. Com o rubi, aliviou a pena daquela mulher.
  • 6. Quando, na noite seguinte, decidiu reiniciar a viagem para o Egito foi- se despedir do príncipe e este disse-lhe: -Andorinha, fica mais uma noite comigo. Nos arredores da cidade, existe um homem muito pobre que nada tem para dar de comer aos seus filhos. Se amanhã não tiver dinheiro vão despejá-lo da casa onde mora... Por favor, arranca um dos meus olhos e leva-o para ele.
  • 7. Mais uma vez a andorinha deixou-se convencer. Nessa noite fez o que ele lhe pediu e, quando viu a alegria do pobre homem, ao ver a safira, ficou contente por ter atrasado mais uma vez a sua viagem.
  • 8. Mas o frio chegava bem depressa e decidiu partir imediatamente. Foi, mais uma vez, despedir-se do príncipe, que lhe disse: - Andorinha, naquela rua há uma menina que vende fósforos. Mas os fósforos caíram no riacho e estragaram-se. Ela está a chorar, pois se chegar a casa sem o dinheiro, o pai vai bater -lhe. Por favor, fica mais uma noite ao meu lado! Arranca-me a outra safira e leva-a para a menina. A andorinha respondeu: -Ficarei mais uma noite contigo, mas não te vou arrancar o olho, pois assim ficarias totalmente cego! - Andorinha, andorinha !– exclamou o príncipe - Eu sei que gostas muito de mim, mas faz o que eu te peço.
  • 9. A avezinha fez o que ele lhe pediu. Arrancou a outra safira e levou-a à menina. Quando voltou para o lado do príncipe disse-lhe: -Agora estás cego. Decidi que ficarei para sempre contigo e serei os teus olhos. Então o príncipe tornou a dizer-lhe: - Se olhares para mim, verás que estou totalmente revestido de ouro fino. Desprende-o, aos poucos, e reparte-o entre os pobres da cidade.
  • 10. Dias a fio a andorinha foi levando o ouro aos pobres da cidade, até que a estátua ficou feia e sem brilho.
  • 11. Foi então que a neve chegou e, depois da neve, o gelo. A pobre andorinha tinha cada vez mais frio. Um dia, sentindo que ia morrer, pousou sobre o ombro do príncipe, deu-lhe um beijo e caiu morta aos pés dele. Nesse mesmo instante escutou-se um ruído no interior da estátua. A couraça de chumbo tinha-se partido em dois.
  • 12. Na manhã seguinte, quando os "importantes" da cidade passaram perto da estátua, ao vê-la tão destroçada, decidiram tirá-la dali e fundi-la para aproveitar o metal. Fundiram a estátua. Toda. Toda, menos o coração que não se deixou fundir. Então os “importantes” pegaram nele e deitaram - no fora, no local onde estava a andorinha morta. Diz-se que quando no céu Deus decidiu recolher as duas coisas mais preciosas da cidade, os anjos recolheram a andorinha e o coração do príncipe e que nos jardins do paraíso, a andorinha cantou eternamente ao lado do Príncipe Feliz, que tinha o coração de um ouro puríssimo.