SlideShare uma empresa Scribd logo
//Capítulo I - Site e redes sociais
1
Autores
Textos: Aldara Rodrigues e Cady Gomes Bocum
Revisão: Miguel Nogueira
Design Gráfico: Lucília dos Santos
Sobre a GBSN
A GBSN é uma empresa nacional de consultoria,
monitorização e análise de meios de comunicação digitais.
Trabalha com as empresas no sentido de fornecer dados
de suporte à decisão, com base nas últimas tendências e
no feedback dos consumidores.
Esta informação tem ajudado os seus clientes a tomar
decisões mais rápidas e eficazes a nível estratégico.
Entre em contacto com a empresa para descobrir como
pode potenciar a sua marca no universo digital.
Nota dos
Autores
Quando falamos de Internet falamos de um universo vasto
e com múltiplas oportunidades. O seu crescimento em
termos de potencial faz com que, muitas vezes, não se
saiba o melhor caminho a seguir ou que estratégia adotar.
Nesse sentido, a GBSN Research publica o presente ebook
como forma de apoiar as empresas e os empreendedores
na sua jornada no mundo digital.
As diretrizes propostas fazem parte do know-how da
empresa, fruto da sua ligação ao mundo digital e da
experiência que obteve no contacto com os clientes e com
a sua própria marca. Tem como base as melhores
práticas recomenda- das pelo Google no sentido de ser um
guia útil para todos os que desejam contruir a sua
presença na Internet de forma sustentada.
Com este guia os leitores serão capazes de organizar a sua
estratégia percebendo como o devem fazer, que canais
devem utilizar e quais os objetivos a que devem dar
resposta.
Fornecemos dicas práticas e tutoriais, sempre em contexto
com os temas abordados nos capítulos.
Pretendemos que todos os leitores vejam utilidade nas
páginas que se seguem e que consigam utilizar as nossas
sugestões de forma a melhorar e potenciar os seus
negócios.
Qualquer informação que não vá ao encontro das
expectativas e necessidades pode-nos ser comunicada
através do e-mail abaixo.
publicacoes@gbsnresearch.com
Boas leituras.
Aequipa,
GBSN Research
Índice
6 Capítulo I – Site e redes sociais
7 Parte I – O site: vantagens e desvantagens
11 Dicas de perito
13 Guia prático: Como criar o seu site com o WordPress
23 Parte II – As redes sociais
29 Guia prático: Redes sociais – Como escolher as redes sociais e
aumentar a sua audiência
33 Capítulo II – SEO e SEM
33 Como gerar tráfego e dar nas vistas através dos anúncios
de pesquisa
34 Parte I – SEO
38 Guia prático: On-Site SEO – como otimizar a estrutura
do seu site
46 Parte II – SEM
49 Guia prático: SEM – A experiência do utilizador e as palavras-chave
52 Capítulo III – Analisar para evoluir
55 Guia prático: Como escolher ferramentas de análise e medir os
visitantes de uma página
60 Capítulo IV – O poder do mobile
64 How-to
Como saber as dimensões dos diferentes dispositivos?
Como saber os tamanhos certos em cada rede social?
65 Capítulo V – Geração de leads e monetização
66 Geração de Leads e Monetização
72 How-to
Dos micro-momentos às vendas
73 Capítulo VI – Segurança e privacidade
//Capítulo I - Site e redes sociais
//Capítulo
Siteeredessociais
A presença digital é um processo que engloba todas
as ações de uma marca na Internet. Do site às redes
sociais, há todo um leque de critérios a seguir para
atingir o sucesso no online. Neste capitulo vamos
dar-lhe ferramentas úteis para a preparação da sua
estratégia. Fique a saber os passos que deve seguir
para criar um site e páginas de redes sociais, através
de dicas e tutoriais simplificados. Aproveite as
características do meio para potenciar o seu
negócio.
//Capítulo I - Site e redes sociais
7
ParteI
O site:vantagens
e desvantagens
Contruir uma presença digital não acontece num dia, numa
semana ou até num ano. É todo um processo que engloba
as várias ações da marca no mundo digital: desde o site às
redes sociais.
Há passos básicos que devem ser seguidos antes de
avançar com uma estratégia. É necessário definir objetivos,
analisar a audiência a que nos vamos dirigir e selecionar as
plataformas em que a marca vai estar presente.
Um site bem concebido pode ter um impacto muito positivo
na perceção da marca. No entanto, antes de avançar com
este projeto para a sua criação é necessário fazer uma aná-
lise prévia.
Um site é, cada vez mais, o primeiro contacto que o
consumidor tem com a marca. É lá que constam todas as
informações oficiais sobre a história e missão da marca,
as informações sobre os produtos/serviços, os contactos
e muito mais. Há por isso alguns elementos essenciais a
considerar ao planear a construção do seu site.
DOMÍNIO:
O domínio é o nome do site. É, portanto, o nome pelo qual o
seu negócio é ou vai ser conhecido. Por isso mesmo, deve
ser fácil de memorizar e fácil de escrever. Evite siglas e
estrangeirismos demasiado complicados.
O domínio deve, ainda, ser relacionado com a área de
atividade do negócio de forma a simplificar a informação
na mente do consumidor. Para verificar a disponibilidade
do nome do domínio que tem em mente pode utilizar
plataformas como o https://www.namecheap.com, para
confirmar seonomequedesejaestádisponível.
//Capítulo I - Site e redes sociais
8
Na eventualidade do nome que escolheu já estar a ser
utilizado, pode sempre tentar diferentes extensões – .com,
.pt, .net, .org, etc. Se o ‘xpto.com’ já estiver em uso, o
‘xpto.net’ pode não estar.
ORGANIZAÇÃO:
Depois de escolhido o domínio é altura de organizar o seu
site, e lembre-se: o site deve permitir ao seu consumidor
encontrar informação de forma fácil, organizada e sem
ruído.
Começamos pela ‘homepage’. É aqui que a sua audiência
tem a sua primeira impressão. À semelhança do que
acontece quando entra numa loja, um potencial cliente pode
ser cativado de imediato ou, então, desinteressar-se
rapidamente. No mundo digital a ‘homepage’ funciona
como uma montra, é a primeira impressão que o
consumidor tem da sua marca ou produto.
A ‘homepage’
funciona como
uma montra.É a
primeira impressão
que o consumidor
tem da sua marca
ou produto.
Através da ‘homepage’ deve ser possível navegar para todo
o site de forma intuitiva: não deve conter demasiado texto e
imagens, deve ser simples e clara.
Nela deve ser dada a possibilidade de ir para outras
páginas do site, ou seja, toda a informação adicional –
contactos, produtos, mapas, criticas, etc. – deve estar em
secções próprias. No entanto, deve sempre ser possível
voltar à página inicial, nomeadamente clicando no logo da
empresa que deve constar em todas as páginas do site. É
um pequeno pormenor que deve ter em atenção.
//Capítulo I - Site e redes sociais
9
‘CONTACTOS’ E ‘SOBRE NÓS’
A par da ‘homepage’, há secções que são fundamentais,
seja qual for a sua área de atividade. As secções ‘Sobre
nós’ e ‘Contactos’ são essenciais, pois definem a
identidade da marca e permitem ao cliente encontrá-lo
com facilidade.
A página ‘Sobre nós’ deve contar a história da marca, a sua
filosofia e valores, incluindo, se possível, alguns exemplos
de trabalhos ou clientes. A página de ‘Contactos’ deve incluir
não só a morada, mas também os contactos telefónicos,
horários e mapas com direções. Tudo o que permita ao
seu consumidor entrar em contacto consigo da forma que
lhe seja mais conveniente.
A verdade é que não há uma forma certa ou errada de criar
um site. O ideal é tentar sempre colocar-se no lugar do seu
consumidor para perceber o que deve melhorar ou criar para
atender às suas necessidades.
Além das secções supracitadas, há outros componentes
que pode incluir no seu site de forma a torná-lo mais
dinâmico e produtivo. O horário de funcionamento da loja e
um formulário de encomendas, se houver a
possibilidade de comprar diretamente no site, são dois
simples, mas importantes exemplos.
Garanta que as palavras mais relevantes estão em destaque
de forma a facilitar a navegação. Coloque ‘links’ para
outras páginas, com informação extra sobre usabilidade,
por exemplo, e interaja com o seu cliente através de
formulários ou chatbots. Lembre-se que o site deve
sempre responder a dois objetivos: os da empresa e os do
cliente.
Garanta que as
palavras mais
relevantes estão
em destaque de
forma a facilitar a
navegação.
//Capítulo I - Site e redes sociais
10
Como já dissemos acima, colocar-se no papel do cliente é a
melhor forma de detetar possíveis falhas na comunicação.
Pense no que lhe interessa quando visita o site de uma
marca.
O que lhe transmite confiança. São os testemunhos? Os
anos de experiência? As ofertas e promoções? Preencha o
seu site com aquilo que é realmente relevante.
Garanta que o cliente tem toda a informação disponível caso
queira adquirir o seu produto/serviço.
NAVEGAÇÃO
Sabemos que na Internet todos os segundos contam. Se a
sua página demora muito a carregar, a probabilidade de o
utilizador desistir da mesma é elevada. Evite estes
comportamentos seguindo alguns passos simples:
1. Não carregue imagens muito pesadas, principalmente
se as mesmas vão aparecer em miniatura.
Redimensione as imagens de forma a que tenham a
resolução certa, sem tornar o carregamento lento;
2. Tenha um design simples, utilize símbolos e ícones
universalmente reconhecidos, evitando, assim, o
excesso de texto;
3. Seja ‘mobile friendly’. Sabemos que a maioria dos
acessos atualmente acontecem através de
smartphones. O seu site deve abrir corretamente
nestas plataformas. Como tal, confirme sempre o
formato do que publica.
//Capítulo I - Site e redes sociais
11
Dicas
de perito Evite conceitos demasiado técnicos e não seja o próprio a
elogiar os seus produtos. Deixe os clientes falarem.
Use um tom direto, confiante e que transmita a credibilidade
certa. Use testemunhos reais de consumidores que atestem
a qualidade do que vende. Conte uma história, deixe que os
utilizadores comentem e deixem as suas mensagens na
página. Lembre-se que, na Internet, todos os segundos são
valiosos. As pessoas leem na diagonal, fazem um ‘scan’
à página e só param para ler com atenção aquilo que for
verdadeiramente útil.
Garanta que a usabilidade do seu site permite uma fácil
navegação. Siga uma lógica constante na organização
das secções. Seja por preço, coleção, novidades,
promoções, etc. O importante é que o cliente saiba onde
se dirigir para encontrar aquilo que procura.
Tenha uma caixa de pesquisa no caso do seu cliente
querer encontrar algo muito especifico dentro de uma
secção. Assim, garante que chega lá diretamente, caso
não queira navegar pelo site.
//RESUMINDO
Ao criar o seu site, faça-o de
forma a ser simples de usar.
Dê aos consumidores um
mapa lógico de navegação
e mantenha o design
constante ao longo de toda
a página para não criar
confusão. Use a linguagem
do seu público e dê-lhes a
experiência de que estão à
espera.
Em termos visuais seja coerente e fácil de ler. Evite
demasiadas palavras sublinhadas ou a negrito e siga uma
palete de cores constante. Há vários sites online onde pode
combinar cores e ver o que resulta. Sugestão:
https://coolors.co.
O formato do site deve ser, também ele, de fácil leitura. Não
obrigue o seu cliente a fazer scroll infinito para encontrar a
informação que deseja.
Indique ao consumidor a ação que deseja que tome. Se quer
que ele tome uma ação específica, incentive-o a tal. A isto
chamamos de ‘call to action’. Seja um ‘ligue-nos agora’,
‘encontre-nos em’ ou ‘fale connosco’.
//Capítulo I - Site e redes sociais
12
Checklist
paracriaroseu website:
Defina o propósito e
objetivos do site;
Crie uma lista de
páginas, estruture
e defina as
funcionalidades
disponíveis;
Escolha um
nome e valide a
disponibilidade do
domínio;
Planeie e crie o
conteúdo para cada
página;
Selecione as
ferramentas
e tecnologia
adequadas
para o objetivo;
Crie
e publique o
site;
Selecione um
fornecedor de
alojamento web;
Submeta o endereço
nos diretórios e
motores de busca
relevantes;
Desenvolva um
plano para a
manutenção e
atualização do site e
respetivo conteúdo;
Analise a
performance e
otimize de acordo
com as métricas
que obtém.
//Capítulo I - Site e redes sociais
GUIA
PRÁTICO:Como criar o seu site
com o WordPress
Originalmente lançado em 2003, o WordPress é atualmente
o sistema de gestão de conteúdos (CMS) mais popular do
mundo, tendo uma quota de mercado superior a 50%. Com
mais de 76 milhões de sites, esta solução gratuita, com
desenvolvimento e atualizações contínuas e um elevado
nível de personalização, continua a ser a principal
escolha das empresas e bloguers.
NOTA
Para os efeitos deste tutorial, assumimos que já executou os passos 1-6 da
checklist, selecionou o WordPress como ferramenta de gestão de conteúdos
e o instalou no seu domínio. Se necessitar de mais informação acerca destes
passos visite a nossa página www.gbsnresearch.com .
13
//Capítulo I - Site e redes sociais
14
// Como aceder
ao WordPress?
Fig.1
Endereçodoseudomínio.
A instalação típica do WordPress utiliza sempre a mesma
fórmula para dar acesso ao site. Abra uma janela do browser
e escreva o endereço do seu domínio.
Esta será a página visível a todos os visitantes do seu site
e o endereço por norma corresponde à sua página inicial.
Para aceder ao Painel de administração do WordPress
deverá acrescentar o sufixo wp-admin conforme a imagem
seguinte.
Fig.2
Acesso ao Painel de
administração do WordPress.
Para fazer log-in precisa das
credenciais de acesso
estabelecidas durante a
insta- lação. Caso não se
lembre delas, poderá
recuperar o acesso clicando
no link “Perdeu a senha?” e
indicando o e-mail do
utilizador.
Fig.3
Caixa de log-in.
//Capítulo I - Site e redes sociais
15
// Painel
WordPress
Fig.4
Fig.5
Fig.6
Fig.7
Fig. 8
A primeira vez que aceder ao WordPress encontrará o Painel
que lhe permite configurar o seu site online – aqui estará o
menu com as principais opções disponíveis.
Início – Esta opção dá acesso a um quadro resumo do seu
site, fornecendo também acesso às funcionalidades mais
populares. Este quadro é constituído por vários widgets e
poderá personalizá-lo adicionando ou removendo as
funcionalidades mais úteis.
Artigos – O menu Artigos contém todas as publicações que
constarão do seu blogue. Estas surgem ordenadas de forma
cronológica e podem ser agrupadas por Etiquetas ou
Categorias.
Multimédia – Em Multimédia poderá adicionar ou consultar
ficheiros. Desde imagens a documentos, passando pelos
vídeos, todos os elementos que não sejam texto e
pretenda utilizar no seu site deverão estar na biblioteca.
Páginas – As páginas são os elementos básicos de
agregação de conteúdos no seu site. Poderão conter artigo
de blogue, informação acerca do seu produto ou serviço,
direções para o seu estabelecimento ou formulários de
contacto.
//Capítulo I - Site e redes sociais
16
Fig.9
.
Comentários – Nesta secção poderá gerir os comentários
enviados para o seu site, permitindo que estes sejam ou não
visíveis para todos os visitantes. Também poderá apagar ou
classificar como SPAM os comentários que considere
irrelevantes.
Apresentação – No menu de apresentação poderá
pesquisar e instalar temas. Terá também a oportunidade
de personalizar o tema instalado ativando widgets e
adicionando páginas ou ligações ao menu.
Plugins – Os plugins permitem a extensão das capacidades
nativas do WordPress e a adaptação às necessidades
especificas de cada site. Imagine que necessita de ter um
carrinho de compras ou ligações para as suas páginas nas
redes sociais. Em vez de escrever linhas de código para
configurar e posicionar estes itens, pode, simplesmente,
procurar e instalar um plugin que execute as funções
pretendidas.
//Capítulo I - Site e redes sociais
17
Dicas
Como escolher o plugin
certo?
A variedade e disponibilidade de plugins para WordPress é
imensa, mas, deverá considerar avaliar algumas questões
antes da instalação:
• Existem plugins gratuitos e outros pagos. Por isso, leia
com atenção a descrição dos plugins antes de os
instalar. Muitas vezes os developers disponibilizam
versões de teste com funções limitadas para incentivar a
compra;
• É necessário verificar a compatibilidade com a versão do
WordPress que tem instalada. Adicionar plugins que não
são compatíveis com a versão pode gerar problemas ou
conflitos com outras funcionalidades;
• Se existir um plugin oficial essa é, por norma, a opção
mais segura. Se pretender ligar o seu site ao Google ou
Facebook, uma forma de minimizar eventuais problemas
é selecionar os plugins fornecidos por essas empresas
para efetuar a ligação. Verifique sempre o nome da
empresa ou developer que publicou o plugin;
• Leia as críticas. Antes de instalar o plugin experimente
pesquisar no Google utilizando a formula “WordPress +
descrição do problema que pretende resolver + plugin” e
evite instalações desnecessárias;
• Quando o plugin deixar de ser útil, desinstale-o. Os plugins
necessitam de ser atualizados regularmente pois podem
expor o seu site a vulnerabilidades. Mantenha os plugins
atualizados e minimize ao máximo o número de plugins
instalados.
//Capítulo I - Site e redes sociais
18
Utilizadores – Este menu permite a gestão dos utilizadores
que têm acesso ao seu site. Existem vários níveis de acesso,
sendo os mesmos definidos de acordo com os perfis
atribuídos aos utilizadores. É aqui que pode adicionar,
remover ou editar os perfis.
Ferramentas – Através do menu Ferramentas poderá
configurar funcionalidades adicionais para o seu site com a
ajuda de widgets e plugins. Também é possível importar ou
exportar todo o conteúdo do seu site através deste menu.
// Instalar
e personalizar um tema
A primeira coisa a fazer depois de instalar o WordPress é
escolher o tema para o seu site. O tema define o design e
a apresentação do mesmo – passará a ter um tipo de
letra específico, cores definidas e formas de apresentação
de imagens, bem como um estilo pré-definido para links e
páginas. Para aceder aos Temas, vá a ‘Aparência’ e
selecione a opção Temas.
Na página Temas do menu de Apresentação tem acesso a
todos os temas instalados no WordPress no momento.
Poderá ainda ativar temas instalados ou pesquisar por
temas novos. Para esta demonstração ativamos o tema
“Chinese Restaurant”.
Fig.10
WordPress. Como alterar o tema do WordPress – se o tema para o qual
pretende alterar o seu site já estiver instalado bastará clicar
no botão ‘Ativar’ para o alterar. Caso pretenda encontrar
temas através do repositório WordPress e fazer a
instalação,
//Capítulo I - Site e redes sociais
19
deverá clicar em ‘Adicionar Tema’ no topo da página. Poderá
pesquisar por atributos específicos (“duas colunas”, “preto e
branco”, “restauração”) ou utilizar o nome do tema que
procura. Na mesma página, também é possível adicionar
um tema que esteja no seu computador utilizando o botão
“Fazer Upload do Tema” posicionado no canto superior
esquerdo do da janela. Depois de seguir estes passos o
WordPress fará a instalação e só necessita de voltar à
página inicial de Temas e clicar em “Ativar” para poder ver
o resultado final.
Ao clicar em Personalizador, é apresentada uma pré-
visualização do site e, do lado esquerdo, encontra as várias
opções de configuração disponíveis. No topo, tem também
disponíveis o botão “Mudar”, para alterar o tema, e o botão
“Salvar” para guardar todas as alterações.
Fig.11
Pré-visualização do website.
Fig.12
Criação da identidade dosite.
À esquerda terá uma lista das opções disponíveis e à
direita uma visualização ao vivo do seu site com as
alterações efetuadas. As opções disponíveis variam
consoante o tema, mas, por norma, as secções ‘General’,
‘Footer Section’e ‘Menu’ estarão sempre presentes.
Em ‘General’, vamos criar a identidade do site preenchendo
o título e a respetiva descrição. Estes elementos deverão
ser preenchidos de acordo com o nome escolhido e o
propósito do site.
//Capítulo I - Site e redes sociais
Voltando ao menu principal,
podemos atualizar o logo e
favicon mostrados no nosso
site.
Fig.13
Identidade do site, logo,
favicon, título e descrição.
DICA
Comocriaroseufavicon
Um favicon (também conhecido como um ícone de atalho,
ícone website, ícone guia, ícone URL ou ícone marcador),
é um ficheiro de imagem de dimensão reduzida ‒ 16 × 16
pixéis ‒ associado a um determinado site ou página web. É
o ícone que surge antes do nome de um website na janela
do browser. Caso já tenha um logo, poderá transformá-lo
em favicon em sites como www.favicon-generator.org.
// Criar uma página
ou artigo
Páginas – Uma página é um dos elementos base de um site.
Esta é uma estrutura que pode conter vários elementos
multimédia, tais como texto, vídeo, áudio e imagem. Para
criar a sua primeira página aceda à opção Páginas >
Adicionar Nova.
Fig.14
Criação de uma página.
20
//Capítulo I - Site e redes sociais
21
Nesta página terá acesso ao editor de texto do WordPress.
Os elementos mais importantes desta página são:
Título – O título da página é importante porque será
utilizado pelos browsers para indexar o conteúdo.
Lembre-se de incluir as palavras-chave relacionadas com
a página no título.
Editor – O editor é a área de escrita onde poderá adicionar
o conteúdo da sua página. Na área superior encontra vários
botões para formatar o texto, adicionar elementos e,
também, inserir códigos HTML diretamente.
Widgetde Publicação –Assim que o conteúdo estiver pronto
e formatado poderá publicá-lo utilizando o widget do canto
superior direito. Aqui pode guardar a página como rascunho,
publicá-la imediatamente ou agendar a sua publicação para
uma altura posterior. É também possível gerir a visibilidade
da sua publicação, restringindo o acesso a terceiros.
A qualquer momento poderá ver o resultado das suas
alterações clicando no botão “Visualizar”.
// Artigos Os artigos partilham a estrutura básica das páginas por isso
falaremos apenas dos elementos diferenciadores. Os
artigos serão parte integrante do blogue no seu site.
Fig.15
Categorização deposts.
Fig.16
Criaçãodetags.
Categorias - são utilizadas para agrupar conteúdos,
podendo assumir uma estrutura hierárquica dentro do
blogue. Assim que possível, deverá criar uma estrutura
lógica que permita aos visitantes navegar pelo conteúdo
de forma in- tuitiva. Todos os posts são categorizados por
defeito como “Uncategorized”.
Tags – As tags são um elemento opcional para permitir
uma filtragem mais detalhada do conteúdo, evitando a
proliferação de subcategorias. Um post poderá ter uma ou
várias tags.
//Capítulo I - Site e redes sociais
22
Imagem de destaque - A imagem de destaque é a miniatura
que será mostrada como capa do artigo no seu website e
surgirá nas redes sociais quando partilhar a ligação.
Fig.17
Imagem dedestaque.
// Criar o menu Para que os visitantes possam navegar no seu site e
aceder às páginas que pretende disponibilizar necessita de
um menu. O menu está disponível na opção ‘Menus’ em
‘Aparência’. Ao abrir a página deverá clicar na ligação “Criar
Menu” e seguir as instruções abaixo. Depois de criado o
nome, clique em “Criar Menu” para finalizar o processo.
Fig.18
Criaçãodemenus.
Fig.19
Nomeação de menus.
Fig.20
Pesquisadepáginas.
Posteriormente, é necessário adicionar elementos ao menu
que acabou de criar: ligações, páginas, artigos ou até
elementos não clicáveis como o nome de uma categoria.
Para o fazer selecione o menu na lista:
De seguida, pesquise os elementos que pretende adicionar
no widget abaixo.
Sempre que encontrar um item que pretende adicionar,
clique e arraste para o widget da direita.
Alternativamente, também poderá clicar no botão "Adicionar
ao menu" se pretender selecionar várias páginas em
simultâneo. Poderá utilizar a mesma lógica para organizar o
menu, colocando itens com uma estrutura hierárquica por
baixo dos respetivos ordenadores e arrastando ligeiramente
para a direita.
//Capítulo I - Site e redes sociais
23
DICA
Comocriaritensnãoclicáveisnomenu
Poderá ter a necessidade de adicionar itens não clicáveis
ao menu para servir de âncora ou ligação lógica a outras
páginas. Nesse caso poderemos criar uma ligação
personalizada, substituindo o conteúdo do campo URL
por um ‘#’ e nomeando o campo de acordo com a nossa
necessidade.
Parte II
As redes
sociais
Qual a importância das redes
sociais?
As redes sociais fazem parte do nosso dia a dia. São, aliás,
algo rotineiro na nossa vida. Para as empresas, este
facto não passa despercebido. É nestas plataformas que
as pessoas interagem, partilham informação e se dão a
conhecer. Não admira que sejam, por defeito, o meio de
comunicação mais eficaz da atualidade. Para as marcas, as
vantagens vêm primeiramente no facto de poderem
comunicar diretamente com os seus consumidores,
partilhando conteúdo relevante e envolvendo-se em
discussões pertinentes para a sua área de atividade.
As redes sociais estão em todo o lado e são a melhor forma
de gerar engagement. Antes de analisar as principais
vantagens destas redes, importa perceber o porquê de
estar presente nas redes sociais, saber em que
plataformas deve estar presente e entender como pode
usar as comunidades para fazer crescer a sua presença
online.
Comocriarengagementcoma
audiência sem impingir produtos ou
serviços?
Vamos voltar ao exemplo da sapataria. Se criar uma
publicidade em que diz que o seu produto é o melhor, com
mais durabilidade e que se destaca dos demais, não estará
a fazer nada novo. Está, aliás, a fazer o que a audiência já
espera: vender diretamente.
//Capítulo I - Site e redes sociais
24
Agora imagine um outro cenário. Cria uma parceria com
bloguers de moda ou influencers da sua audiência, e serão
os próprios, nas suas páginas, a atestarem a qualidade do
seu produto. Qual dos casos acha que terá mais impacto
junto do seu cliente? Certamente o segundo. Por quê?
Porque as pessoas confiam em outras pessoas. É mais
fácil confiar em quem já utilizou o produto, do que em quem
o vende.
Além disso, há outras formas de se divulgar sem impingir.
Nos grupos disponíveis nas redes sociais encontram-se
todas as temáticas. São espaços onde se criam
comunidades em torno de determinado assunto, trocando-
se opiniões e feedback.
Pode sempre pesquisar por grupos relacionados com o seu
serviço e introduzir-se nas discussões com informações
relevantes. Seja com tutoriais de ‘como conservar melhor
os sapatos’; ‘como limpar sapatos de pele’ e muito mais. Dê
à audiência informação útil e ela confiará em si.
Basta um utilizador partilhar o seu conteúdo e depois mais
um e mais um, que o sucesso não tardará. Neste
cenário, são os próprios utilizadores das redes sociais
que se tornam os promotores da sua marca.
Esteja também atento à forma como as pessoas interagem
com a sua marca online. Veja o tipo de conteúdos que gera
mais engagement. São fotos? Vídeos? Invista no que resulta
melhor.
Em que redes estar presente?
Há várias redes sociais, das mais profissionais às mais
informais. Mas todas têm algo em comum: a partilha.
Importa a cada indústria perceber em quais deve marcar
presença. Como? Siga os passos listados abaixo:
1. Descubra em quais estão os seus clientes. Quais as
redes que utilizam? Faça uma análise à audiência e veja
as suas preferências;
//Capítulo I - Site e redes sociais
25
2. Adapte o perfil da empresa às características de cada
rede. Por exemplo, se está no LinkedIn adote um tom
mais formal, se está no Facebook permita-se a uma
linguagem mais familiar;
3. Explore os grupos relacionados com a sua área e veja
em quais deve constar. Veja onde a sua concorrência já
está e analise o que tem feito de bom;
Interaja com
pessoas:quantas
mais melhor para
si e para o seu
negócio.
4. Aumente os seus seguidores através de iniciativas
dinâmicas, como concursos, promoções e tudo o que
possa gerar buzz e conversação.
As redes socias são partilha, são interação. Lembre-se que
cada contacto que conquistar tem a sua própria rede e,
dentro dessa rede, há milhares de outras redes. Todos
estamos ligados. Interaja com pessoas: quantas mais
melhor para si e para o seu negócio.
Os diferentes tipos de redes sociais
Todos os dias surgem novos espaços online. Há alguns
maiores, à escala mundial, mas, há também redes locais,
internas e específicas, que se adaptam a certas indústrias
e atividades. Deve olhar para todas elas na hora de criar a
sua presença social.
AUDIÊNCIA GLOBAL
Quando falamos no Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat,
Google+ e LinkedIn falamos de redes com uma enorme
audiência. O Facebook sozinho tem mais de mil milhões
de utilizadores. É provável que uma grande parte dos
seus clientes atuais ou futuros estejam nestas redes,
portanto considere estar presente nas mesmas.
AUDIÊNCIA LOCAL E ESPECIFICA
Para além das supracitadas, há redes dedicadas a nichos e
indústrias nas quais também deve ponderar estar. São
espaços onde se encontram pessoas que procuram
informação mais detalhada sobre determinados conteúdos.
Falamos de sites como o TripAdvisor ou o Zomato, onde
se criam comunidades em torno de determinado tema.
Embora sejam redes de menor dimensão, podem,
eventualmente, ser tão
//Capítulo I - Site e redes sociais
26
ou mais lucrativas que as grandes redes, uma vez que
condensam audiências com interesses muito específicos.
Estabeleça um
calendário e
anote todos os
objetivos.
Osobjetivos
Em todos os capítulos falamos de objetivos e aqui não
fugimos à regra. Cada rede deve ter objetivos definidos. Se
está no Facebook deve ter objetivos estabelecidos para a
sua presença na rede, os quais devem diferir da sua
presença no Instagram ou no Twitter. Por quê? Porque
são espaços diferentes e com audiências diferentes.
Estabeleça um calendário e anote todos os objetivos. Anote
também em que período de tempo os deseja alcançar
(recorde que nada acontece do dia para a noite).
O QUE PODE FAZER:
• Produzir conteúdo relevante e publicá-lo nos espaços
indicados. É fulcral pesquisar as temáticas em destaque
e os locais mais indicados para publicar. Faça uma lista
dos grupos mais importantes de cada rede e detalhe
os temas de cada um, agindo, depois, em conformidade;
• Partilhar conteúdos de outras fontes relevantes para criar
engagement e gerar discussão. Evite publicar somente
coisas da sua autoria;
• Estabeleça o seu tom. Em cada interação deve adaptar o
seu tom e postura à identidade da plataforma.
//Capítulo I - Site e redes sociais
27
Checklist
para criar os seus perfis
de redes sociais:
Crie as suas contas
de rede social;
Garanta que em
todas as redes é
fácil entrar
em contacto
com a marca;
Mantenha a
imagem da marca
uniforme: o logo e
as imagens devem
ser constantes
em todas as redes
sociais;
Descreva a empresa
no tom adequado:
informal nas
redes pessoais e
profissional nas
redes empresariais;
Torne fácil para
o consumidor
conhecer o seu
negócio: faça listas
dos produtos/
serviços que tem,
explique cada um
ao pormenor, dê
exemplos de uso
se necessário
e explique as
vantagens;
Estabeleça
uma cadência
de publicações
constante, criando,
por exemplo, um
mapa.
O conteúdo deve
serexpectável;
Use hashtags
para se relacionar
com tópicos de
conversação
semelhantes;
Faça parte dos
grupos da sua área
e participe nos
mesmos;
Estabeleça
métricas de análise:
engagement, PTAT,
crescimento dos
gostos, conversões,
etc. Monitorize a sua
evolução.
//Capítulo I - Site e redes sociais
28
DICAS
de Perito
Use ferramentas como o ‘Likealyzer’ para obter dados de
análise gratuitamente:
http://likealyzer.com
Há ainda ferramentas que o ajudam a criar imagens de
qualidade e já adaptadas aos tamanhos de cada rede
social, blogue ou post.
Aceda à página do Canva e descubra as imensas
oportunidades de criatividade.
https://www.canva.com
Para uma análise do engagement das suas páginas, pode
ainda usar as ferramentas oficiais:
Google Analytics:
http://www.google.com/analytics
Facebook:
https://www.facebook.com/help/268680253165747
Twitter:
https://analytics.twitter.com/about
LinkedIn:
https://www.linkedin.com/help/linkedin/answer/26032
Pinterest Analytics:
https://business.pinterest.com/pt-pt/pinterest-analytics
//Capítulo I - Site e redes sociais
GUIA
PRÁTICO:Redes sociais – Como escolher
as redes sociais e aumentar
a sua audiência
Como saber quais redes escolher
Quando se trata de escolher as redes sociais em que a sua
marca vai estar presente, a estratégia deve passar pela
escolha daquelas que oferecem o melhor potencial para
atingir o seu público ideal. A maioria das pessoas e
empresas não tem capacidade para estar em todas as
plataformas ao mesmo tempo devido à quantidade de
tempo e recursos que isso implica. É melhor concentrar-
se apenas naquelas que são realmente relevantes para a
sua audiência.
29
//Capítulo I - Site e redes sociais
30
A pergunta que se impõe é: como escolher? Utilizando a
ilustração abaixo pode perceber quais as principais redes
sociais, qual a audiência que encontra nelas e o que
procuram nas mesmas. A partir daí, basta selecionar
aquelas que correspondem ao perfil dos seus
consumidores.
A GBSN Research utiliza um modelo baseados nos 3 C’s
para perceber quais as redes sociais mais indicadas para o
seu modelo de negócio. Clientes, Conteúdo e Cadência são
suficientes para eleger as melhores opções para a sua
estratégia.
// Clientes
Descobrir onde pode encontrar os 300
313
milhões
1,94
mil milhões
1
mil milhões
seus potenciais clientes on-line,
é essencial para desenhar uma
estratégia de comunicação digital.
Transformar-se num membro
distinto das comunidades em que
os seus clientes participam vai
ajudá-lo a ganhar a confiança dos
mesmos e adestacar-sefaceà
concorrência.
milhões
106
milhões
150
milhões
111
milhões
700
milhões
Fig.21
Número de utilizadores ativos mensalmente.
Observandoogénero
predominante em cada
comunidade conseguimos
Facebook Pinterest Instagram
perceberondepoderemos
encontrar a audiência específica
para o nosso produto.
77% 66% 44% 16% 31% 24%
Reddit, Digg
LinkedIn Twitter ou Salshdot
25% 26% 21% 25% 11% 20%
Tumblr
Fig.22
11% 10%
Género dos utilizadores ativos na Internet presentes em
cadarede social - O Pinterest, Facebook e Instagram são
mais usados pelas mulheres, enquanto que os fóruns online
dominam entre os homens.
//Capítulo I - Site e redes sociais
31
Refeições
Twitter- 42%
Pinterest-66%
Facebook - 29%
Moda ebeleza
Twitter- 30%
Pinterest - 45%
Facebook - 19%
Tecnologia
Twitter- 44%
Pinterest - 33%
Facebook - 31%
Faça você mesmo
Twitter- 34%
Pinterest - 63%
Facebook - 29%
Saúde
Twitter- 51%
Pinterest-59%
Facebook - 44%
Interesses
e curiosidades
Twitter- 46%
Pinterest - 51%
Facebook - 36%
É possível efetuar uma filtragem ainda mais eficaz ao
analisar apredominância deinteresses, escolhendo
assim as comunidades a que poderemos aderir
consoante a área de negócio.
Fig.23
O que procuram os utilizadores
nas redes sociais.
// Conteúdo
No que concerne o conteúdo, as marcas devem
manter o foco em torno dos seus objetivos de negócio
e aproximar a sua produção – em termos de temas,
formatos e meios de difusão – daquilo que tem maior
impacto junto da sua audiência.
Família
Proximidade
Negócios
Nicho
Fig.24
Tipode publicação.
// Cadência
O fator mais importante no que toca a publicação é a
manutenção de uma cadência constante e expectável.
Antes de começar a publicar, deve considerar quanto
tempo poderá despender na produção de conteúdo.
A frequência de publicação irá afetar a forma como os
motores de busca classificam as páginas.
Estes colocam páginas com atividade regular acima
de páginas que publicam com menor frequência.
É, assim, mais fácil construir uma base leal de
seguidores se estes souberem quando esperar novas
publicações.
3-5
Posts por dia
3
Posts por dia
3
Posts por dia
Fig.25
Cadência recomendada.
2
Posts por dia
1-2
Posts por dia
2-5
Posts por dia
//Capítulo I - Site e redes sociais
32
Após criar as contas é preciso garantir que quem o segue
sabe chegar à sua página. É também necessário trabalhar
para aumentar a exposição destas páginas a novas
audiências. Aqui ficam 8 dicas para fazer crescer a sua
audiência digital:
// Passos para
aumentar a sua
audiência nas redes
VALOR HASHTAGS
sociais
TIMING
Numa altura em que a informação
abunda, o conteúdo popular
consegue emergir e tornar-se
relevante pelo valor que cria para
a sua audiência. Pense em como o
conteúdo que vai produzir pode ser
útil a quem o segue.
Veja as hashtags como marcadores.
Elas permitem uma identificação fácil
do conteúdo e ajudam a que qualquer
pessoa interessada no tema encontre
o que criou. Esta é, também, uma
forma fácil de associar o seu
conteúdo a discussões globais da
mesma área temática.
De um modo geral, o início e o
final da jornada de trabalho são
boas horas para publicar e
alcançar um número significativo
de pessoas que acedem às
redes sociais
FEEDBACK
durante a sua deslocação diária. Siga os temas da atualidade na
sua área de atuação.Partilhe a
sua opinião e conhecimentos
sempre que os mesmos sejam um
contributo positivo.
CURIOSIDADE
As perguntas são uma
oportunidade para partilhar
perspetivas.Coloqueperguntase
dê respostas aos temas em
debate na sua comunidade.
NETWORKING
Encontre os grupos ou
comunidades relacionadas
com asuaárea de interessee
envolva-se nos debates,
partilhe experiências esiga de
perto o que de melhor se faz.
Conheça asnovidades do seu
mercado seguindo os perfis mais
interessantes e relevantes,
incluindo os seus concorrentes
diretos.
CONSISTÊNCIA
Encontre a cadência ideal para a
criação de conteúdos e crie uma
expectativa na suaaudiência.
A consistência permite à sua
audiência acompanhar as suas
publicações e saber quando
esperar novo conteúdo. Isto
fará com que os seguidores
voltem regularmente para
conhecer as novidades.
DIVERSIDADE
Publique conteúdo em
diversos formatos e aborde
temas variados. Encontre o
equilibro entre a publicação
sobre a atualidade, novidades,
tendências, conteúdo
promocional e temas da sua
área de atuação. Imagens de
qualidade têm maior taxa de
resposta e engagement. O
vídeo, por sua vez, apresenta,
atualmente, o mais elevado
crescimento de interações.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
//Capítulo
SEOeSEM
Como gerartráfego
e dar nas vistas
atravésdosanúncios
de pesquisa
Num contexto de concorrência, em que quase todas
as marcas se encontram presentes no mundo
digital, há que garantir que a sua se destaca das
demais. Neste capítulo vamos falar de SEO e SEM,
duas ferramentas que, se bem utilizadas,
colocarão a sua presença em destaque junto da
sua audiência. Garanta que o seu negócio é visto
pelas pessoas que lhe interessam e potencie o seu
investimento.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
34
ParteI
SEO
É o SEO que
define o lugar que
a sua marca ocupa
no ranking de
pesquisa.
(...)as ferramentas
organizam
os resultados
consoante a
qualidade dos
conteúdos,
atribuindo uma
classificação
a cada site
relacionado com
determinada
temática.
Muito se fala sobre o SEO (Search Engine Optimisation) sem
que, muitas vezes, se entenda o seu poder.
Podemos dizer que esta sigla é a responsável pelo impacto
que o seu site terá junto do consumidor. Como? É através do
SEO que o seu site assume relevâncias nas pesquisas.
A toda a hora existem pessoas a pesquisar por alguma
coisa online. Algumas dessas pesquisas são relacionadas
com a sua área de atividade. Será que, quando
pesquisam por ‘sapatos’, por exemplo, a sua sapataria
aparece na pesquisa? Ou será que existem centenas de
outras sapatarias a aparecer primeiro que a sua? É o SEO
que define o lugar que a sua marca ocupa no ranking de
pesquisa. E é de si que depende esta localização. Trabalhe
no seu SEO para garantir que nunca passa ao lado das
pesquisas da sua audiência.
Como équeo SEOfunciona?
As ferramentas de pesquisa possuem um algoritmo que
lhes permite ordenar os milhões de resultados que existem
na Internet. De outra forma, seria impossível encontrar o
que quer que fosse. Assim, as ferramentas organizam os
resultados consoante a qualidade dos conteúdos, atribuindo
uma classificação a cada site relacionado com
determinada temática. Esta classificação depende das
palavras que utiliza para descrever o seu site/negócio.
Como obter um bom SEO
• Produzir conteúdo de relevância. Conteúdos relevantes
para a audiência são mais valorizados pelo Google na
hora de listar os vários sites;
• Estabeleça as keywords (palavras-chave) de pesquisa
certas. Pense no tipo de pesquisa que faria caso
quisesse comprar o seu próprio produto. Quais são as
palavras que o levam até ele? Será ‘sapatos de
plataforma’; ‘sapatarias em lisboa’; ‘sapatos para
cerimonia’? As keywords dependem intimamente do tipo
de público a que deseja chegar e do tipo de negócio e
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
35
produtos/serviços que tem ao dispor. Lembre-se que, quanto
mais específicas forem as palavras-chave mais facilmente
será encontrado.
Que keywords escolher?
O mais importante é estar a par das tendências de pesquisa.
Vá ao Google e veja o número que uma determinada palavra-
chave é pesquisada. Se a palavra for muito popular, é
provável que já seja usada por várias outras empresas.
Tente palavras menos recorrentes, mais especificas.
Garanta, acima de tudo, que todas as palavras-chave se
relacionam com o seu negócio. Não quer que o seu cliente
se sinta enganado.
Análise e monitorização
Na Internet tudo muda rapidamente. E com o SEO, o caso é
o mesmo. Vá analisando a performance do seu site, esteja
sempre a par das novas tendências do mercado e ajuste as
keywords às novidades de sucesso junto do consumidor.
Como? Siga as próximas dicas.
1. Pesquise e selecione ferramentas que permitam a
monitorização da sua performance. Existem opções
gratuitas ou pagas. O importante é perceber que
métricas são relevantes para o seu negócio e como
monitoriza-las.
DICA
Pesquise pela Yoast ou pela SemRush para conhecer duas
das soluções mais utilizadas no mercado para avaliação do
seu site. Aí poderá visualizar algumas métricas e perceber
que parâmetros alterar para obter melhores resultados.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
36
2. Perceba como funcionam as ferramentas: muitas das
ferramentas de SEO possuem blogues ou fóruns de
esclarecimento de dúvidas que pode visitar para seguir
as sugestões que lá são dadas. Muitas empresas
oferecem opções gratuitas para que possa começar a
compreender quais os pontos a melhorar no seu site e
familiarizar-se com as suas ferramentas antes de
subscrevero serviço.
DICA
Poderá também acompanhar a sua progressão através do
ranking fornecido pelos sites Moz e Alexa, que fornecem
estatísticas acerca dos visitantes de sites.
3. Esteja atento às mudanças e ao seu impacto no seu site:
sempre que há uma novidade a mesma é comunicada
online. Vamos imaginar que as ferramentas de
pesquisa vão mudar o seu algoritmo para
corresponder mais eficazmente aos dispositivos
móveis. Sabendo da novidade atempadamente, pode
otimizar os seus conteúdos para o mundo digital móvel
de forma a manter a sua posição no ranking.
4. Inspire-se na concorrência. O que fazem a mais que a
sua marca? São entregas ao domicilio? Descontos? Use
essa informação a seu favor e adote as práticas que
possam funcionar para o seu negócio.
5. Fale com os seus clientes: a melhor forma de conhecer
o seu consumidor é falando com ele. O simples facto de
saber como os seus clientes descrevem o seu produto
é um excelente insight para estabelecer as keywords de
pesquisa.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
37
Checklist
para otimização do seu site
para pesquisas:
Pesquise pelos
termos que
intuitivamente
utilizaria para
encontrar produtos
similares aos
seus.Compare
os resultados
dessa pesquisa
e estabeleça as
palavras-chave
e tópicos mais
adequados
conforme os
resultados;
Analise a
concorrência e
acompanhe as
tendências de
mercado;
Refine e ajuste
consoante os
resultados obtidos;
Certifique-se que o
conteúdo importante
disponibilizado
através de rich
media (Adobe Flash
Player, JavaScript,
Ajax) também é
passível de acesso
e leitura por parte
dos motores de
pesquisa;
Lembre-seque
a descrição para
os motores de
busca deve ser a
mesma que aquela
apresentada aos
utilizadores;
Implemente um
processo de
melhoria contínua.
Monitorize
a performance;
Torne cada página
do seu site acessível
através de um ou
vários links de texto
no seu website;
Crie um site
com uma
hierarquia clara,
assegurando
queosURLs
contêm uma
estrutura
percetível no
que concerne
as palavras-
chave e tópicos
relacionados;
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
GUIA
PRÁTICO:On-SiteSEO–como
otimizar a estrutura
do seu site
A otimização da estrutura e páginas do website é crucial
para garantir os melhores resultados possíveis. Por esse
motivo a estrutura do site e as respetivas páginas devem
ser o produto de um processo de pensamento cuidado, em
que o design intencional espelha a experiência do utilizador
e apresenta uma organização precisa.
O ideal será sempre desenvolver esta estrutura antes de criar
o site. No entanto, é sempre possível reorganizar alguns
elementos e melhorar SEO estrutural numa fase posterior.
38
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
39
DICAS
Asperguntasque
oseusitedeveresponder
O desenho de um site e a maneira como a informação é
estruturada fazem parte do campo de estudo da
Arquitetura de Informação.
O objetivo final dos arquitetos de informação é chegar com
uma estrutura/design que vá simultaneamente ao encontro
dos desejos dos utilizadores e das necessidades do negócio.
Esta arte e ciência de organizar a informação dos sites
baseia-se em 3 pilares: conteúdo, contexto e utilizadores.
Nesse sentido, um site bem desenhado deve responder a
estas 4 questões:
1. Estou no lugar certo? – O propósito do site deve ser
claro e a identidade da marca deverá estar visível em
todas as páginas para assegurar o visitante que este
está no lugar pretendido.
2. Será que têm o que procuro? – A navegação deve ser
fácil para os visitantes. Links de acesso ou pesquisa
deverão estar visíveis e assinalados como tal.
3. Seráquetêmqualquercoisamelhor(casonãosejaisso
que pretendo)? - Certifique-se de que os visitantes
sabem quais as suas opções (links como “Veja
também”, “Produtos Relacionados”).
4. O que eu faço agora? – Proponha aos visitantes várias
ações possíveis, à medida que navegam no seu site,
recorrendo a apelos à ação (CTA: call to action).
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
49
Crie cenários de utilização
(personas e use cases)
A forma mais simples de começar a projetar o seu site é
começar por pensar no tipo de visitante que espera e as
ações que este realizará no mesmo, criando cenários de
utilização.
Estes cenários que caracterizam a experiência do
utilizador vão ajudar na criação de um site otimizado com
base na sua utilização.
Como criarpersonas?
• Defina um nome e escreva uma breve descrição acerca
das características da persona;
Estudanteuniversitário
a concluira tese
de mestrado.
Visitante 1 Visitante 2
Responsável
de compras numa
empresa.
• Liste objetivos potenciais de cada visita, o que cada
visitante pretende obter;
Informação
para a sua tese.
Visitante 1 Visitante 2
Preços e serviços
disponíveis
no mercado.
Como criar cenários de utilização?
• Defina como o website vai ajudar o visitante a alcançar o
seu objetivo. Como será disponibilizado o conteúdo que o
visitante procura e que mecanismos utiliza para o ajudar
na obtenção da mesma (Visitante 1 – pode ler os artigos
do blogue e utilizar a barra de pesquisa para facilitar o
acesso ao que pretende; Visitante 2 – Pode visitar página
com preçário e fazer download do catálogo);
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
41
• Defina as ações que esta persona pode realizar ao aceder
ao seu site (Visitante 1 – obter informação, subscrever
uma newsletter; Visitante 2 – comprar, registar-se);
Faça corresponder as ações dos
visitantes a páginas
O próximo passo é decidir o que acontece nas suas
páginas web e quantas páginas existem. Para tal, é
necessário encontrar um equilíbrio entre aquilo que os
visitantes necessitam para atingir o seu objetivo atual e as
ferramentas que vamos disponibilizar para que atinjam
esse fim.
No final cada página deve fazer duas coisas:
• ajudar o visitante a realizar uma tarefa específica;
• facilitar o acesso ao próximo passo.
Pense na navegabilidade
Ao considerar a navegabilidade do site deve ter em conta
uma questão: quantos cliques são necessários para que o
visitante aceda a esta informação? Se esta informação for
crucial para o visitante assim que acede ao site, ela deve
estar no início. A partir daí a informação necessita de estar
logicamente encadeada e devem ser propostas ações ao
visitante que permitam a navegação até à informação pre-
tendida.
Utilize a metodologia de card sorting
Uma vez definidas as principais categorias do site, podere-
mos dar início ao processo de agrupamento de páginas
através de um sistema de categorias e subcategorias.
O que deve ir para onde? Agora vai precisar de ajuda.
Utilizando a metodologia de card sorting, poderá descobrir
onde as pessoas gostariam de encontrar algo. É um
método intuitivo e fiável para encontrar padrões na
maneira como os visitantes esperam encontrar conteúdo
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
42
ou funcionalidades. Quanto mais parecidas com as suas
personas, as pessoas que o ajudarem forem, mais fiável
será o resultado desta
triagem.
Eis como se processa:
1. É necessário criar um conjunto de cartões de índice,
escrevendo um termo (por exemplo, nome de uma
categoria ou página) em cada um deles;
2. Cada cartão representa um elemento único no seu site;
3. Estes cartões serão dados a cada um dos participantes
neste experiência. Ser-lhes-á pedido que agrupem
logicamente os termos que encontram, dando, no final,
um nome a cada categoria (agrupamento lógico criado
por eles);
4. O resultado final de cada um dos participantes deverá
ser registado;
5. Depois de todos os participantes concluírem a tarefa, é
necessário analisar o resultado para perceber quais as
categorias e como os visitantes esperam ver os
conteúdos organizados no seu website.
Fig.26
Metodologia de card sorting
No final desta análise será possível identificar os menus,
submenus e ligações lógicas a estabelecer entre páginas.
OralBasesAmaciadorRosto
HigieneMaquilhagemCabeloHidratantes
Corpo Máscara Sombras Íntima
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
43
Defina a estrutura das páginas
// Anatomia
de uma página
web otimizada
(Conteúdo)
A estrutura das páginas é crucial para o sucesso do website.
Uma estrutura otimizada poderá ajudar a diminuir a taxa de
rejeições (ao dar visibilidade a conteúdos alternativos que
sejam do interesse do utilizador) ou a ajudar na partilha
social dos links (através dos respetivos links e mensagens
de incentivo à partilha).
Deixamos abaixo a nossa infografia acerca anatomia de
uma página web otimizada.
Navegação
O menu mantém-se em todo o
site ou necessita de um menu
contextual em algumas páginas.
Título
Deve ser descritivo e fazer
referênciaaosconceitos-chave.
Cabeçalho
Claro e informativo, explica o tema
queserá abordado.
Conteúdo
Idealmente deverá ser único,
informativo, claro e simples.
Autoria
Nome do autor, data e informações
pessoais
Links
Seleção de links relacionados com
o tema no próprio site
ou no exterior.
Fig.27
Conteúdo deuma página.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
44
// Anatomia
de uma página
web otimizada
(Apelo à ação)
Botões de redes sociais
Incentivar a ligação à marca
em outras plataformas.
Partilha
A partilha fomenta a difusão
do seu conteúdo por parte dos
visitantes. Redes sociais e email
são essenciais.
Subscrição
Permite a captura de dados acerca
dos visitantes e uma ligação
permanentebaseadanacriação
devaloracrescentado.
// Anatomia de uma página
web otimizada (Design)
Compra
A disponibilidade imediata
dos produtos permite maior fluidez
e agilidade no processo
de compra.
Fontes da web
O uso de fontes permite maior
versatilidade, assegurando ao
mesmo tempo uma experiência
sem falhas.
Legibilidade
O tamanho dos elementos,
contraste, cores
influenciam a experiência
do utilizador.
Imagens
As imagens devem
ser simples e de fácil
leitura.
Responsividade
A otimização para
os vários dispositivos
web é obrigatória.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
45
// Anatomia
de uma página
web otimizada
(Tecnologia)
Carregamento
O tempo de carregamento
da página pode ser a diferença
entre ganhar e perder um leitor ou
cliente. O objetivo é atingir o
menor tempo de carregamento
possível.
Compressão de imagem
Otimizar imagens para web faz
com que o seu site carregue
mais rápido. Ao adicionar
imagens, redimensione-as,
retire o espaço em branco e
guarde as imagens em formato
JPEG.
HTML5
Considerada o standard atual no
desenvolvimento web, esta
linguagem permite
a incorporação de elementos
multimédia e imagens sem
recorrer a outras tecnologias
(Flash).
CSS3
Standard atual no web design,
esta nova versão das folhas
de estilo assegura a retro
compatibilidade e também vem
contribuir para a maior rapidez no
carregamento das paginas do site.
// Anatomia
de uma página
web otimizada
(Meta dados)
Estrutura URL
A estrutura de URL deve exprimir o
encadeamento lógico do caminho
até ao conteúdo. Para melhor
legibilidade, utilize pontuação no
nome das páginas 'www.apadaria.
pt/pao-e-bolos', sendo preferível a
‘www.apadaria.pt/paoebolos’.
Meta descrição
Uma descrição bem redigida
e atraente contribui para um
aumento taxa de cliques (CTR).
Este é um dos fatores
utilizados pelo Google para
melhorar o posicionamento de
um site no seu ranking.
Alternative tags
Permite a captura de dados acerca dos visitantes e uma ligação
permanentebaseada na criação devalor acrescentado.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
46
DICA
A página perfeita
O blogue da MOZ possui vários artigos sobre este tema.
Pode começar por ler este: https://moz.com/blog/visual-
guide-to-keyword-targeting-onpage-optimization. Nele,
Rand Fishkin apresenta um guia bastante completo acerca
daquilo que os motores de busca pretendem e explica a
sua visão acerca da página “perfeitamente” otimizada.
Parte II
SEM
Dê nas vistas. Como? Através dos
anúncios de pesquisa
Vamos começar este ponto tendo em conta os objetivos
básicos da publicidade tradicional. Um anúncio, seja ele
televisivo, em outdoor ou qualquer outro formato, é
mostrado a milhares de pessoas independentemente de
terem ou não interesse no produto.
É feito para as massas, portanto um ótimo veículo para
divulgar uma marca. Por quê? Porque algures no conjunto
de pessoas alcançado estará um potencial cliente.
No entanto, no mundo digital não tem de ser assim. Quando
falamos de anúncios de pesquisa, falamos de anúncios
direcionados, ou seja, que vão ao encontro do seu cliente,
de quem efetivamente procura pelo seu produto.
Se eu vou na rua e vejo um outdoor com uma publicidade a
uma sapataria, estou perante um anúncio tradicional; se, por
outro lado, sou eu que tomo a iniciativa de procurar por uma
determinada gama de sapatos online e o seu site aparece
na pesquisa, estamos perante um anúncio direcionado.
Mas vamos perceber melhor como tudo isto funciona intro-
duzindoumnovotermo:o SEM(ouSearchEngineMarketing).
O SEM está presente em quase todas as pesquisas que
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
47
fazemos online sem que tenhamos noção disso.
Quando pesquisamos por algo no Google, como ‘sapataria’,
vai-nos aparecer uma lista de resultados. A grande maioria
dos links que aparecem na página são os denominados
‘orgânicos’, ou seja, sites que pela sua relevância e pelo
seu bom SEO aparecem em primeiro na pesquisa.
No entanto, no topo da pesquisa há um espaço que o Google
reserva para os anúncios. Ou seja, espaços pagos onde as
marcas podem colocar o seu site desde que utilizem as
keywords da pesquisa e de relevância para o negócio.
Este tipo de anúncio apresenta vantagens face ao
tradicional. O público ao qual vai ser exibido o seu produto,
é o público que pesquisa esse mesmo produto. Já os
anúncios tradicionais, por sua vez, são exibidos às
massas, independentemente de terem ou não interesse.
No entanto, importa aqui frisar que não basta ‘pagar’ para ter
direito a aparecer nos anúncios de pesquisa. É importante
que o site corresponda a todos os critérios acima descritos
quando falamos do SEO. Isto porque, se o site não for
relevante, independentemente de a empresa estar disposta
a pagar, poderá não ter direito a ocupar lugar de destaque
nas pesquisas.
No fundo, o Google faz uma média entre o valor que a em-
presa disponibiliza para anúncio com a relevância do site.
As empresas com as melhores médias são as que
conquistam o espaço.
Garantaque osseusanúncios
se destacam
Um dos maiores constrangimentos deste tipo de anúncios é
que a maioria dos marketeers faz uso do mesmo género de
formato. Isto faz com que os diferentes anúncios se
confundam, complicando o processo de seleção e decisão
para o consumidor.
Se, quando pesquisamos por ‘sapatarias’ tudo o que nos
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
48
Para que o seu
anúncio se
destaque deve
torna-lo único.
Use imagens
títulos apelativos,
promoções, packs
especiais, tudo
que seja
diferenciador.
aparece são resultados idênticos, acabamos por abrir um
qualquer. Para que o seu se destaque, deve torna-lo único,
usando imagens, títulos apelativos, promoções, packs
especiais, tudo que seja diferenciador.
No final de tudo lembre-se do ‘call to action’. Expressões
como ‘clique aqui’; ‘compre já’; ‘faça a sua reserva agora’;
‘deixe-nos o seu contacto’, etc. são incentivadoras de uma
possível decisão.
DICA
Antes de estabelecer as keywords que vai utilizar confirme
a sua relevância. Pode usar a aplicação disponibilizada
pelo ‘Moz’ ou pelo Google.
• Keyword Explorer Moz:
https://moz.com/blog/announcing-keyword-explorer-
mozs-new-keyword-research-tool
• Google Adwords – Keyword Planner:
https://adwords.google.com/KeywordPlanner
• Neste link pode encontrar um tutorial sobre como
utilizar o Keyword Planner:
http://backlinko.com/google-keyword-planner
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
GUIA
PRÁTICO:SEM–Aexperiência
doutilizador
e as palavras-chave
“Imediata. Relevante. Sem ruído.” É assim que o Google
define a experiência que os consumidores esperam quan-
do procuram informação num dispositivo móvel ou quando
querem encontrar, fazer ou comprar algo. Para ganhar a sua
atenção, as marcas têm que estar disponíveis nesses micro-
-momentos.
Para ganhar clientes num mundo cada vez mais ligado à
Internet, as marcas necessitam de se comprometer a estar
presentes nos micro-momentos que realmente importam
para a sua audiência. Para perceber se o está a fazer, atente
ao seguinte: considere os tópicos de pesquisa mais relevan-
tes para a sua marca, pegue no seu equipamento móvel e
faça essa pesquisa. A sua marca está lá? Gosta do que vê?
Perceba o posicionamento da sua empresa no ranking de
pesquisa: observe se está no fim ou no início e planeie a sua
estratégia.
49
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
50
Sridhar Ramaswamy, num artigo produzido para o 'Think
With Google', afirma que é nos micro-momentos que as
marcas podem ganhar os corações, mentes (e dinheiro) dos
consumidores. Deve ligar-se às pessoas que procuram, em
tempo real, fornecendo informações relevantes quando ne-
cessário.
A otimização de conteúdo é um processo contínuo e cíclico.
É sempre necessário perceber quais as palavras-chave re-
levantes para a sua marca no momento para garantir que a
sua audiência o encontra quando necessita.
//Como encontrar
as palavras chave
para a sua marca
No entanto, a pesquisa de palavras-chave ainda é um pro-
cesso manual, contínuo e demorado. Ferramentas como o
Google Keyword Planner permitem obter uma lista de pala-
vras-chave inicial. Outras ferramentas de pesquisa compe-
titiva, como SEMRush ou SpyFu, podem dar-lhe informação
acerca das palavras-chave utilizadas pela concorrência, mas
esta é uma tarefa interminável.
Encontre as expressões mais utilizadas (long tail keywords)
Estas são por norma expressões de 3 a 5 palavras utilizadas para
pesquisar por um determinado tópico. Os estudos indicam que as
pessoas à procura de expressões têm maior probabilidade de comprar.
Nomes de produtos e descrições de produtos são comuns. Estas
pesquisas têm menor volume, mas aumentam a probabilidade de ir ao
encontro do que a sua audiência pretende.
Utilize termos relacionados com a pesquisa
Se vender sapatos, o motor de busca espera encontrar na sua página
termos relacionados, como marcas, modelos e tamanhos. Quanto mais
palavras relacionadas forem encontradas, mais alta será a classificação
da sua página no ranking de pesquisas.
Esteja atento às tendências
As redes sociais são uma espécie de barómetro de popularidade dos
tópicos do dia. Se encontrar hashtags, pesquisas ou temas relacionados
com o seu negócio, poderá utilizar essas palavras para entrar na
discussão e obter um aumento de visitas.
//Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa
51
Utilize a localização a seu favor
Adicionar nomes de cidades, países ouregiões àspalavras pode ajudá-lo
a atrair visitantes que estejam nas proximidades. Este género de palavra-
chave funciona particularmente bem para locais físicos ou audiências em
busca de expedição rápida de bens comprados online.
Esteja atento ao seu site
Se já atrai visitantes, verifique que pesquisas levaram os visitantes ao
seu site. Analise as expressões mais populares e inclua variações das
mesmas nas suas páginas.
Esteja atento à concorrência
Mantenha-se a par das palavras-chave utilizadas pela concorrência
e tente perceber o que está a funcionar para eles. Poderá encontrar
informação relevante para a sua página.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
//Capítulo
Analisar
para evoluir
A partir do momento em que a sua presença digital
possui uma estratégia definida, é importante ir
medindo os resultados. Para isso deve,
obrigatoriamente, ter estabelecidos os objetivos que
deseja atingir. São vendas? Reconhecimento?
Independentemente do que deseja obter, a
monitorização e a análise devem sempre fazer
parte das tarefas associadas à manutenção da
presença digital.
Neste capítulo vamos dar-lhe algumas dicas de
ferramentas e processos que pode seguir para
estar sempre a para da evolução do seu negócio,
adaptando as suas estratégias sempre que
necessário.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
53
Analisar
para evoluir
Qualquer negócio precisa de objetivos. A única forma de
saber se estão a ser atingidos ou não é através da análise
ao trabalho efetuado. Na Internet, a análise é fundamental.
Ela permite avaliar a performance digital e responder a
todas as questões sobre o comportamento dos
consumidores.
Há todo um mundo de ferramentas de análise online –
gratuitas ou pagas – às quais pode aceder. Mas que tipo
de dados podem estas ferramentas obter para ajudar a
sua marca? Independente da ferramenta que use, o
importante é perceber as métricas que deve utilizar, como
as de ‘visitantes únicos’ e/ou o ‘tempo gasto no site’.
As métricas são
adaptadas ao tipo
de negócios e aos
objetivos que
a marca tem.
As métricas são adaptadas ao tipo de negócios e aos
objetivos que a marca tem. Se o seu objetivo é vender
online, há métricas que lhe permitem medir o volume de
vendas e quais os produtos mais populares. Se, por outro
lado, o seu objetivo não é vender online, mas sim que os
utilizadores leiam os seus conteúdos, as métricas mais
indicadas serão as que analisam o tempo médio de leitura,
os artigos mais lidos e até o número de vezes que as
pessoas vão ao seu site ou blogue. Uma das métricas
mais importantes traduz-se em conversões.
Métricas de conversão: por conversão entendemos cada
objetivo cumprido. Seja quando um visitante lhe deixa o
seu e-mail para receber newsletters, seja quando alguém
pede mais informações sobre um produto ou até mesmo
quando faz uma review positiva ao seu negócio. As métricas
de conversão representam a quantidade de pessoas que
foram ao seu site e foram ‘convertidas’ num objetivo.
As métricas permitem-lhe ter acesso a insights básicos, mas
muito úteis, como o tipo de dispositivo usado para aceder ao
seu site, as horas do dia com maior volume de acessos, as
campanhas de marketing com mais sucesso e muito mais.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
54
Como adaptar as ferramentas
de análise àsnecessidades
dasuaempresa?
Nunca foi tão fácil medir objetivos como no marketing digital.
As métricas de análise permitem-lhe acompanhar o
consumidor em toda a sua jornada: como foram parar ao
seu site, o que fazem enquanto navegam nas suas
páginas e quais os assuntos que lhe despertaram mais
interesse. Tudo isto é vantajoso pois, conhecendo o seu
cliente, os seus hábitos e gostos, é mais fácil ir ao encontro
das suas necessidades. A melhor forma de tirar partido
das ferramentas de análise é esta mesmo: entender a
jornada do consumidor e agir de acordo com as suas
expectativas. Depois, basta ir medindo os resultados.
Voltando ao exemplo da sapataria, vamos imaginar que,
através das métricas, consegue perceber que houve 100
pessoas a clicar num produto mas ninguém comprou. Este
insight permite-lhe ir verificar a possibilidade de algum
problema. Imaginemos, por outro lado, que há várias
pessoas a clicar no cesto de compras mas a desistir na
fase final. Por que será? Haverá algum erro no sistema,
estará o produto com um preço elevado. Deve ir olhando
para as métricas e ajustando a sua estratégia a cada
passo.
Mais do que simplesmente dar dicas sobre o consumidor, a
análise permite-lhe monitorizar o desempenho do seu site
para saber o que está mal e agir em conformidade.
Sem objetivos é
impossível medir
a progressão.
A importância dos objetivos
Como temos vindo a constatar, os objetivos são uma parte
fundamental em todas as áreas do negócio. No caso das
ferramentas de análise, há tanta informação, dados e
métricas que é fulcral saber filtrar o que importa. Sem
objetivos é impossível medir a progressão. Há vários
objetivos que pode ter. Nem sempre um objetivo é
sinónimo de uma venda. Pode, simplesmente, desejar que
os utilizadores subscrevam um formulário. Ao obter os
contactos de um potencial cliente, será mais fácil
conquistá-lo através do envio de ofertas, campanhas e
promoções, por exemplo.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
GUIA
PRÁTICO:Como escolher
ferramentas de análise
e medir os visitantes
de uma página
No que diz respeito a produtos e serviços, nunca antes foi
tão fácil para as marcas saber o que dizem sobre si…o bom
e o menos bom. Mas, para isso, são necessárias
ferramentas que permitem analisar os comentários e o
sentimento latente, de modo a poder agir em conformidade
com as reais necessidades do seu consumidor.
55
//Capítulo III - Analisar para evoluir
56
DICAS
GoogleAnalytics-analisar
o comportamento
dosvisitantes
O Google Analytics é uma das plataformas web mais utiliza-
das para recolher dados sobre os visitantes do seu website.
A plataforma permite recolher e analisar informações sobre
tudo, estando dividido em quatro áreas-chave de relatórios.
• Audiência (quem visita o site):
• Aquisição (como chegam ao site);
• Comportamento (o que fazem enquanto estão no site);
• Conversões (conseguiram atingir o objetivo da visita
enquanto estiveram no site).
A plataforma permite a otimização de campanhas de marke-
ting, melhoria da usabilidade do site e a identificação mais
eficaz de públicos-alvo.
Para perceber como utilizar esta ferramenta pode inscrever-
se nos cursos gratuitos fornecidos pela academia do Goo-
gle: https://analyticsacademy.withgoogle.com.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
57
De forma a saber quais as ferramentas que deve utilizar no
dia a dia da sua empresa, há alguns critérios que deve ter
em conta. Consoante a atividade empresarial e os objetivos
estabelecidos as ferramentas podem variar.
Deixamos aqui 12 sugestões de critérios que pode ter em
conta na hora de escolher a ferramenta com que vai
trabalhar. Lembre-se que os critérios são dependentes da
atividade da marca e que podem ir desde o
comportamento e experiências aos usos internos – as
vantagens e usos que a empresa irá dar à ferramenta.
Pense nos seus objetivos empresariais de um modo global
e estabeleça critérios que separem o essencial do supérfluo.
Analise protótipos e faça experiências.
PRECISÃO, RELEVÂNCIA E RESULTADOS
Não há padrões de métricas que sejam infalíveis,
assim como não há padrões de medida estandardizados.
No entanto, é fulcral que a informação, depois de
trabalhada, seja fundamentada numa base factual
sustentável. Garanta que a ferramenta que vai utilizar tem
a possibilidade de confirmação de dados. As métricas
qualitativas podem ser tão ou mais relevantes que as
quantitativas. A combinação de ambas permite por norma
a extração de informações globais mais precisas.
PERFORMANCE: RAPIDEZ, FACILIDADE DE ACESSO E
UTILIZAÇÃO
A ferramenta deve ser rápida e eficaz a disponibilizar os
dados. Deve ser possível olhar para os resultados sem ter
de estar dias ou horas à espera da extração. Além disso, a
ferramenta deve permitir a extração ou edição rápida dos
mesmos através do uso de filtros: período de análise,
canais, temas, etc.
HISTÓRICO, POSIÇÃO NO MERCADO E CONDIÇÕES
FINANCEIRAS (DA EMPRESA)
Encontre uma empresa – fornecedora da ferramenta – que
esteja disponível para resolver possíveis problemas. Mais
do que isso, uma empresa que esteja habituada a trabalhar
com a sua área de negócio. Não há nada pior do que ter um
problema em mãos e não o poder resolver atempadamente.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
58
Num mercado crescente onde cada vez mais surgem
aplicações e ferramentas, é importante saber o histórico
de cada uma, assim como a posição que ocupam no
mercado e a confiança que lhes é atribuída.
INTEGRAÇÕES
Na sua jornada de compra, o consumidor usa múltiplos
canais. Tendo isso em conta, opte por ferramentas que lhe
permitam ir buscar dados a todas essas fontes. Em vez de
usar várias aplicações – uma para cada canal – opte por
algo que reúna tudo. Assim, irá ter efeitos positivos a longo
prazo, embora no instante possa parecer um maior
investimento.
CUSTOS E LICENÇAS
Os preços para as ferramentas de análise variam em larga
escala. Veja e compare. Não pense que o investimento é só
na ferramenta… muito provavelmente necessitará de investir
recursos em formação ou serviços externos de análise,
investir em possíveis extras ou adaptar a ferramenta às
suas necessidades e tudo isso pesa na fatura.
CUSTOMIZAÇÃO
A customização da linguagem é um fator-chave. As
ferramentas têm dicionários incorporados, mas os mesmos
não possuem a capacidade de filtrar determinados usos
das palavras. Por exemplo, palavras usadas com ironia
podem ser assumidas como positivas embora no contexto
do comentário tenham uma conotação negativa.
FONTE DOS DADOS
Extrair dados do Twitter será sempre diferente de extrair
dados de um fórum ou de uma crítica no TripAdvisor. A
ferramenta escolhida deve conseguir extrair dados das
fontes que importam à marca e deve ter a capacidade de
filtrar somente o que interessa.
LÍNGUAS SUPORTADAS
Algumas ferramentas suportam apenas uma língua
enquanto outras permitem acrescentar dicionários das
línguas ou países onde quer efetuar a análise e retirar a
amostra.
//Capítulo III - Analisar para evoluir
59
FUNÇÃO DE ANÁLISE
Há certas análises que só podem ser feitas humanamente. A
análise do sentimento, por exemplo, embora esteja
disponível em algumas ferramentas, exige um esforço
humano adicional para descodificar o verdadeiro sentido e
contexto dos comentários. A maioria das ferramentas
consegue extrair e classificar relativamente bem, contudo a
análise e validação necessitam, por norma, de uma
confirmação humana.
CAPACIDADE DEADAPTARASEMÂNTICA
Muitas vezes, as palavras que constam nas aplicações
não estão adaptadas à realidade de cada empresa.
Dependendo do ponto de vista, podemos considerar algo
bom ou mau. Se for uma empresa de jogos online, um
comentário como: “este jogo é de morte!!” pode ser
avaliado automaticamente como negativo. Mas será que o
é? Garanta que a ferramenta que escolhe está o mais
próximo possível da sua realidade.
DICA
Como medir visitas a páginas específicas?
Existem vários momentos em que poderá necessitar de
medir o número de visitas a uma página especifica no seu
website. Lançou um novo produto ou promoção, publicou
conteúdo importante ou enviou um email e pretende saber
se clicaram no link que enviou. Existem várias ferramentas
que pode utilizar para esse objetivo.
Uma das mais simples é o Bitly. Para utilizá-la, crie uma
conta em www.bitly.com e clique no botão vermelho
‘Create Bitlink’ que se encontra no canto superior direito.
Irá surgir um separador do lado direito, coloque o link a
seguir na caixa de texto ‘PASTE LONG URL’. Se pretender,
pode personalizar o nome a mostrar e o link. Depois disso,
basta clicar em ‘Create’ e este link será guardado no seu
perfil. A partir desse momento, necessita apenas de
partilhar o novo link e cada clique novo será contabilizado
e apresentado no seu perfil.
//Capítulo IV - O poder do mobile
//Capítulo
Opoder do mobile
As novas tecnologias mudaram a forma como
consumimos e produzimos informação. A partir do
momento em que se torna possível aceder aos
conteúdos a qualquer altura e em qualquer lugar, as
marcas têm de adaptar a sua estratégia para garantir
que estão presentes nesses mesmos momentos. O
mobile representa uma grande parte dos acessos à
internet. Para que a sua presença digital seja
relevante neste contexto, há passos que deve seguir
para adaptar os conteúdos ao meio. Neste
capítulo vamos dar-lhe algumas dicas para que
seja mais fácil fazer esta transição.
//Capítulo IV - O poder do mobile
61
Como todos sabemos, os dispositivos móveis têm
assumido uma relevância fulcral nos últimos tempos. A
comodidade da sua usabilidade e o acesso instantâneo em
qualquer local e em qualquer momento fazem desta
tecnologia a mais popular da atualidade. Não é, portanto,
de estranhar, que as marcas que querem singrar estejam
atentas às novas funcionalidades do mercado.
O denominado de ‘mobile marketing’ tem crescido
significativamente e são, cada vez mais, as empresas que
especificam as suas campanhas e os seus conteúdos
para os dispositivos móveis.
Se, inicialmente, os telemóveis serviam para fazer
chamadas, hoje torna-se difícil pensar na quantidade de
usos que lhe podemos dar: ir à Internet, enviar e-mails,
tirar fotografias, viajar recorrendo ao GPS, publicar nas redes
socias, etc...
(...)o mundo
móvel oferece às
empresas várias
oportunidades
de encontrar os
seus clientes no
momento certo:
quando surge a
necessidade.
A verdade é que esta popularidade se deve a dois simples
fatores: a simplicidade e usabilidade. Estes dispositivos vão
connosco para todo o lado. Se as marcas querem chegar
aos consumidores têm de estar onde? Em todo o lado. E isto
só é possível se estiverem adaptadas ao mundo móvel.
Seja para aumentar o reconhecimento da marca, criar
relações com os consumidores ou aumentar o volume de
vendas, o mundo móvel oferece às empresas várias
oportunidades de encontrar os sus clientes no momento
certo: quando surge a necessidade.
Adaptar-se ao mundo móvel
1. O seu site deve ser rápido: os utilizadores não esperam.
Garanta que os seus conteúdos não tornam o site lento
e confirme sempre se quando abertos num dispositivo
móvel os conteúdos aprecem como é suposto;
2. Adaptado às características: se existe a possibilidade
para o seu consumidor ter um ícone de chamada e
ligar-lhe no momento em que entra no seu site, torne
//Capítulo IV - O poder do mobile
62
isso possível. Tenha o mapa para a sua loja física.
Aproveite todas as características do formato.
Ecrãs e aplicações
Há duas formas de chegar ao seu público no mobile: tendo
um site mobile-friendly (adaptável a ecrãs mais pequenos)
ou tendo uma aplicação.
O que deve o seu site ter para ser mobile-friendly?
• Adaptabilidade aos diferentes ecrãs;
• Fontes e botões fáceis de ler e de clicar;
• Navegação simples e clara: deve ser intuitivo aos
utilizadores navegar pelo seu site;
• Calls To Action identificáveis: se o cliente lhe quiser ligar
ou dirigir-se à sua loja, deve ter ao dispor essas opções.
AplicaçõesMóveis
Além do site em si, é também possível para os utilizadores
visitarem as suas marcas através de uma aplicação. Há
várias empresas que investem em aplicações próprias
quando isso é benéfico para os seus negócios. No entanto,
nem sempre se justifica.
Seja num site, numa versão móvel ou numa aplicação, a
experiência do consumidor deve ser sempre o mais
importante. Além disso, a informação basilar da empresa
deve ser coerente em todos os formatos que venham a ser
adotados.
A vantagem
principal de uma
aplicação é o
facto de permitir
um acesso
mais rápido e
personalizado à
informação que
consta no site.
A vantagem principal de uma aplicação é o facto de permitir
um acesso mais rápido e personalizado à informação que
consta no site. Há, portanto, uma otimização da experiência
do utilizador.
Para avaliar se deve ou não ter uma aplicação, convém
voltar aos pontos anteriores deste ebook de forma a
perceber onde está a sua audiência, olhando para as
métricas e vendo de que dispositivos acedem ao seu site e
percebendo a relevância do formato para o seu negócio.
//Capítulo IV - O poder do mobile
63
Checklist
paraavaliarasua
performancenos
dispositivosmóveis:
Utilize o seu
smartphone para
visitar o seu site.
Não use a rede wi-fi,
mas sim os dados
móveis. Analise o
tempo que demora
a carregar;
Verifique se as
imagens, vídeos,
textos e todos os
conteúdos que
tem disponíveis
aparecem ajustados
ao tamanho do ecrã;
DICA
Vá às redes sociais
e faça o mesmo
processo: verifique
as imagens de
capa, perfil e as
publicações para
garantir que estão
adaptadas.
A forma mais fácil
de verificar se o seu
site é ou não mobile-
friendly, é através da
seguinte aplicação:
http://ready.mobi
//Capítulo IV - O poder do mobile
64
How-to
Como saber as dimensões
dos diferentes dispositivos?
Para o seu site ser mobile-friendly deve ter um design
adaptado a todos os ecrãs, permitindo uma experiência
móvel otimizada, independentemente do formato que o
utilizador esteja a utilizar. De seguida, vamos dar-lhe a
conhecer as diferentes dimensões às quais os seus
conteúdos devem estar adaptados.
1024+ 1023 - 768 767-480 até 479
Dimensões paracadaecrã.
Como saber os tamanhos
certosem cadaredesocial?
Foto de perfil: 180 x 180 px
Foto de capa: 828 x 315 px
Foto de perfil: 400 x 400 px
Foto de capa: 1500 x 500 px
Foto de perfil: 800 x 800 px
Foto de capa: 2560 x 1440 px
Logo: 400 x 400 px
Fundo: entre 1000 x 425
e 4000 x 4000 px
Banner: 646 x 220 px
Img com link: 800 x 800 px
Perfil: 165 x 165 px
Quadro: 222 x 150 px
Pins: 236 px delargura
(a altura é dimensionada)
Perfil: 110 x 110 px
Foto enquadrada no feed: 510 x 510 px
Foto em paisagem no feed: 600 x 450 px
Foto em retrato no feed: 1080 x 1350 px
Foto de perfil: 250 x 250 px
Foto de capa: 1080 x 608 px
Fig.28
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
//Capítulo
Geração de leads
e monetização
Há vários objetivos que uma marca pode ter quando
cria a sua presença digital. No entanto, há um que é
quase sempre comum: rentabilizar o meio. Através
da geração de leads e da monetização pode criar va-
lor para a sua marca. Há formas de monetizar um
site para que o mesmo gere valor. Neste capítulo va-
mos explicar-lhe quais os passos a seguir.
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
66
Geração de Leads
e Monetização
A geração de leads traduz-se num conjunto de ações que
visam transformar o visitante de um determinado site num
potencial cliente final. Podemos definir 3 objetivos
principais para a geração de leads:
Angariar
consumidores (...)
Despertar
o desejo (...)
Gerar vendas
através
do digital (...)
• Angariar consumidores potencialmente interessados no
seu produto/serviço;
• Despertar o desejo de compra incentivando a uma ação;
• Gerar vendas através do digital reduzindo assim o custo
de aquisição.
Como funciona?
Podemos definir uma lead como o incentivo à tomada de
ação do seu consumidor. Vamos supor que o seu desejo é
obter os e-mails de quem o visita para, posteriormente, criar
uma campanha de e-mail marketing. Uma das coisas que
pode fazer é: deixar algo no site que incentive a pessoa a dar-
lhe o e-mail ‒ pode ser um estudo, um inquérito, um ebook,
várias hipóteses. Imaginemos algo como: ‘Clique aqui para
aceder ao estudo sobre X assunto’. A pessoa clica e é
encaminhada para uma página que diz: ‘Deixe-nos o seu e-
mail para fazer o download’ ou então ‘Deixe-nos o seu e-
mail caso queira receber os resultados deste estudo’.
Caso a pessoa efetivamente lhe deixar o e-mail, gerou-se
umalead,ouseja,umcontactoqualificado.
O ideal é angariar as leads através de landing pages –
páginas onde consta informação sobre algo, como um
vídeo, um tutorial, um ebook, etc. Por norma, a página dá
ao utilizador alguma informação de interesse, mas ‘obriga-o’
a preencher um formulário para obter um acesso mais
completo ou integral.
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
67
Estas landing pages podem depois ser partilhadas nas
redes sociais, no seu site, em grupos, etc., de forma a
gerar tráfego e aumentar a possibilidade de leads
qualificadas.
Como se efetua a geração
de uma lead?
1. Os consumidores encontram o produto/serviço através
de um determinado canal de comunicação. As
empresas/marcas devem ter ativos apenas os canais
que estejam em conformidade com as necessidades e
o segmento de negócio.
2. Esses canais de comunicação conduzem o consumidor
para uma página de destino que tem como objetivo
apresentar o produto/serviço. Daí a importância de estar
presente nos canais certos.
3. Na Landing Page, o consumidor interessado no
produto/serviço irá preencher um formulário, na troca
de uma oferta ou benefício.
4. Ao submeter o formulário e enviar os seus dados o
consumidor torna-se um potencial cliente.
5. Assim, gera-se uma lead que será depois trabalhada
pelas equipas comerciais da empresa de modo a que
se transforme numa venda.
As principais vantagens
Aatravés de um bom marketing de conteúdo, a criação de
leads é uma das melhores formas de potenciar o seu
negócio. Há várias vantagens associadas a este processo
pelo que selecionamos as principais.
1. Obtenção das informações de contacto de potenciais
clientes com interesse na aquisição do produto ou
serviço que tem a oferecer;
2. Maior comodidade e rapidez para os consumidores que
pretendem solicitar informações a várias empresas;
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
68
3. Oportunidade de fornecer informação acerca do seu
produto ou serviço de forma controlada, gerindo os
vários níveis de acesso à informação consoante a fase
do ciclo devendas;
4. Maior taxa de sucesso na conversão de leads em
clientes devido ao facto de estes contactos
demonstrarem interesse prévio no produto ou serviço
em questão;
5. Redução e controlo de custos no processo de
angariação de novos clientes – uma vez criada a
informação a página pode permanecer online durante
bastante tempo, maximizando o retorno do seu
investimento;
6. Maior exposição da marca em diversos canais de
marketing;
7. Fortalecimento da relação com os consumidores
através da partilha de conteúdos personalizados;
8. Construção de uma base de dados para comunicações
futuras;
9. Oportunidade de fidelização e angariação de
embaixadores ou promotores da marca devido à
geração de valor intrínseco.
Monetização
Quando falamos em leads quase obrigatoriamente temos
de falar de monetização, em particular da monetização do
seu site/blogue, ou seja, como converter as suas visitas
online em lucro efetivo para a empresa. Por outras
palavras, como ganhar dinheiro com os conteúdos que
produz para a web.
Quando inicia o seu projeto online certamente que um dos
objetivos é monetiza-lo. Mas como pode fazê-lo? Há passos
que deve seguir. Afinal de contas, que conteúdos podem
gerar lucro e como o pode fazer?
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
69
Há duas formas
de gerar
lucro:vender
efetivamente o seu
produto ou serviço
aos utilizadores
ou então gerar
tráfego suficiente
para se tornar
apetecível aos
publicitários.
Há duas formas de gerar lucro: vender efetivamente o seu
produto ou serviço aos utilizadores, ou, então, gerar
tráfego suficiente para se tornar apetecível aos
publicitários. Ou seja, ter publicidade nos seus conteúdos.
1 – No primeiro cenário, tem de ter em mente que as
pessoas, principalmente no mundo digital, só compram
aquilo que acreditam ser uma solução para um problema.
Regra geral as pessoas estão dispostas a pagar por:
• Eficácia: resolver um problema específico;
• Eficiência: poupar tempo, esforços e recursos;
• Estatuto: a relevância do seu produto para as
comunidades virtuais. Se o que vende está ‘trending,’ é
provável que venda muito mais (importância dos
influencers).
2 – No segundo cenário, as coisas são um pouco mais
simples. Aqui o objetivo é gerar lucro, sem, na prática,
vender nada a ninguém. Se o seu site tiver bastante tráfego,
ou seja, seguidores, visitas, comentários, etc., ele será
apetecível para as empresas que fazem publicidade online.
Pode efetivamente gerar bastante lucro com os conteúdos
que publica. Vamos imaginar que tem um blogue sobre
fitness e estilo de vida saudável com um milhão de
seguidores. Para as marcas, aparecer no seu blogue é, no
mínimo vantajoso. E quais marcas poderiam ter interesse
em criar parcerias consigo? Marcas da especialidade
claro. Há que ter sempre em conta como tirar o melhor
partido daquilo que faz, mas sem ‘aborrecer’ os
consumidores.
Se enveredar pelo caminho da publicidade, lembre-se de
evitar massacrar os seus seguidores. Ninguém gosta de
entrar numa página e ter de fechar 4 ou 5 banners
publicitários. A probabilidade de virem a desistir de si é
grande e, aí, a monetização deixa de fazer sentido.
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
70
Dicas
deperito
A forma mais simples de iniciar este processo é através do
AdSense do Google.
O Google Adsense é uma ferramenta utilizada para exibir
anúncios na sua página, adaptando a publicidade exibida
ao nicho de seguidores abordado pelo seu blogue. A partir
do momento em que instala no site o código para as
publicidades de Adsense, passa a ter um retorno financeiro
por parte do Google. Ou seja, o Google paga-lhe para usar
o seu site como plataforma de publicidade.
Como?
Basta fazer o registo no Adsense e colocar os códigos de
publicidade na página. O que acontece é: sempre que um
leitor vai à sua página/blogue/site e clica no anúncio que o
Google lá colocou, a sua empresa irá receber um
determinadovalor financeiropor isso.
É o próprio Google que determina as publicidades que são
exibidas, mas pode selecionar espaços restritos. Lembre-se
que há determinados conteúdos que não devem ter
publicidades. Selecione, dentro do que produz, quais as
secções que podem ter as publicidades sem que isso
cause ruido aos seguidores.
Obs.: há outras plataformas semelhantes ao Adsense que pode usar no seu site.
Faça uma pesquisa e veja o que mais compensa o seu negócio. Para mais
informações sobre este assunto visite:
http://www.google.pt/intl/pt-PT/adsense/start/resources
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
71
Checklist
geraçãodeleads
e monetização:
Selecione um
público-alvo e
decida o que vai
promover junto
dessa audiência;
Escolhaa
plataforma mais
adequada para
comunicar com a
suaaudiência;
Desenvolvauma
campanha de
geração de leads e
utilize os contactos
obtidos para
comunicar acerca
do que pretende;
Decida qual a
sua estratégia de
monetização: venda
direta ou promoção
de produtos de
terceiros através
de conteúdos
patrocinados;
Encontre o equilíbrio
entre aquilo que
a sua audiência
procura e a sua
estratégia de retorno
de investimento.
//Capítulo V - Geração de leads e monetização
72
How-to
Dos micro-momentos
às vendas
// Ações dos consumidores
Decidir sobre todas as
etapas da jornada: seja
arranjaralgo partido,
comprar um produto
novo ou simplesmente
procurar informação.
A Internet permite ao
consumidor receber toda
esse conhecimento em
momentos.
Satisfazer a curiosidade:
se outrora os
consumidores tinham
de esperar para obter
informação, hoje, em
meros segundos,
encontram tudo o que
precisam de saber. Basta
um simples clique para
ficar a par de tudo.
Chegar onde
queremos:
as ferramentas
de localização
permitem ao utilizador
encontrar o que quer
e decidir onde
ir numa questão
de segundos.
Decidir sobre todas as
etapas da jornada: seja
arranjaralgo partido,
comprar um produto
novo ou simplesmente
procurar informação.
A Internet permite ao
consumidor receber toda
esse conhecimento em
momentos.
// Ações das marcas
Atrair a atenção do
cliente tendo o produto
disponível de uma forma
apelativa.
Fidelizar o consumidor
tendo informação
relevanteàdisposição.
Informaçãocredível
levará a marca a ganhar
votos de confiança.
Apoiar o consumidor na
sua fase de procura com
tutoriais, dicas e ideias
de ‘como fazer’.
Convidar o consumidor à
experiência, fornecendo
sugestões estruturadas e
apelativas, com serviços
de localização precisos e
fáceis de utilizar.
Momento
eu quero
fazer
Momento
eu quero
ir
Momento
eu quero
saber
Momento
eu quero
comprar
Convidar
à experiência
Fidelizar
o consumidor
Apoiar
o consumidor
Atrair
a atenção
//CapítuloVI - Segurança e privacidade
//Capítulo
Segurança
e privacidade
Na Internet trabalhamos com dados e com
informações que devem ser protegidas. A
privacidade deve ser assegurada em todas as
suas vertentes: seja interna ou externamente.
Para que tenha sempre a sua segurança em dia,
deixamos-lhe, neste capitulo, algumas indicações e
tutoriais para que possa assegurar a privacidade da
sua marca no mundo digital.
//CapítuloVI - Segurança e privacidade
74
Segurança
e privacidade
A partir do momento em que a sua empresa se encontra na
Internet está sujeita a vários problemas de segurança e
privacidade, principalmente no que diz respeito a pirataria
(entidades que exploram as vulnerabilidades do seu site).
Se o seu site for atacado, pode vir a enfrentar algumas
dores de cabeça. O risco de ficar offline, com o site
demasiado lento ou, até, de ilicitamente obterem dados de
contas alojadas no seu site, são alguns dos problemas que
poderá ter de enfrentar.
É importante garantir a segurança da sua empresa online.
Engana-se se pensa que só as grandes empresas são alvo
destes ataques. A tendência atual é exatamente oposta:
como as empresas mais pequenas tendem a ter sistemas
de seguranças mais fracos acabam por ser alvos fáceis.
Mas há alguns passos que pode implementar para
minimizar o risco de acessos indevidos. Vamos ver alguns
dos passos que deve seguir, usando como exemplo o
WordPress:
Permissões: ao adicionar um novo elemento à sua equipa
garanta que o acesso que lhe dá é o necessário às suas
funções – autor, editor, administrador, etc. Assim, o
colaborador terá somente as permissões necessárias à sua
atividade.
Fig.29
Adicionar novo utilizador.
//CapítuloVI - Segurança e privacidade
75
As palavras-passe
devem sempre
assegurar
a segurança dos
seus perfis.
Palavras-passe: devem sempre assegurar a segurança dos
seus perfis. Esqueça as datas de nascimento, o nome de
familiares e os animais de estimação. Há regras que deve
seguir na elaboração das palavras-passe (suas e da equipa)
para garantir um maior nível de fidelidade, nomeadamente a
complexidade das mesmas e a mudança regular.
Há vários sites que o ajudam a avaliar o nível de segurança
das passwords, como a Microsoft e o Avast:
• https://www.microsoft.com/en-us/safety/pc-security
• https://www.avast.com/pt-pt/passwords
Plugins: os plugins permitem ao seu site ter características
que não vêm predefinidas no tema. São, por isso, uma das
ferramentas mais usadas.
DICA
Uma boa palavra-passe deve ser composta por, pelo
menos, oito caracteres e não deve conter os nomes de
nenhum dos elementos da empresa nem da empresa em si.
Evite colocar palavras completas, ponha iniciais de uma
sigla que só você conhece. Nunca guarde as palavras-
chave nos browsers e evite usar sempre a mesma.
Conjugue letras maiúsculas e minúsculas com números e
símbolos.
Fig.30
Páginadeplugins. No entanto, há que minimizar riscos quando faz uma insta-
lação.
• Esteja atento a novas versões e vá atualizando as suas
instalações;
//CapítuloVI - Segurança e privacidade
76
• Desinstale os plugins que já não usa;
• Dê preferência aos plugins certificados e fidedignos
nomeadamente os que são oficiais.
Antivírus: de nada adianta ter palavras-passe muito
complexas se o seu computador não estiver protegido.
Garanta que tem um bom antivírus e mantenha-o
atualizado.
DICA
Se usar o WordPress, pode gerir os seus plugins
diretamente na barra lateral esquerda. Basta selecionar
a opção ‘Plugins’ e depois gerir as suas instalações.
Backup: mantenha sempre uma cópia de segurança de
todos os arquivos que usa no site, desde os textos e
imagens até aos plugins instalados. Se tiver toda a base
de dados guardada estará sempre mais tranquilo na
eventualidade do seu site ser alvo de pirataria.
Como pode estar atento ao que se
passa e garantir a proteção dos seus
dados?
A melhor forma de se proteger é através da Monitorização
em tempo real. Empresas como a GBSN Research,
disponibilizam o serviço de monitorização das redes sociais
às empresas para detetar possíveis fugas de informação
relevante ou até mesmo dados privados da empresa,
clientes e funcionários que possam estar a ser
disseminados na esfera digital. Neste processo é possível
detetar ameaças emergentes, pontos de referência, locais
que sejam considerados alvo, grupos instigadores e
possíveis vitimas. Esta é a melhor forma de vigiar as suas
contas e estar sempre a par de possíveis ameaças.
//CapítuloVI - Segurança e privacidade
77
Checklist
segurança e privacidade:
Instale um bom
antivírus no seu
computador nos da
suaequipa;
Crie palavras-passe
complexas e garanta
que a sua equipa faz
o mesmo;
Faça backups
com regularidade;
Monitorize as suas
redes sociais e
site com serviços
de alerta – pode
usar os do Google
ou então recorrer
a empresas
especializadas –
para estar sempre
a par do que é
dito sobre a sua
empresa;
Armazene os
conteúdos
importantes em
outras plataformas
como o ‘Google
Drive’ para ter
sempre acesso ao
que lhe interessa;
Esteja sempre
atento às suas
contas de e-mail,
redes sociais, etc.
Qualquer coisa fora
do vulgar que veja
pode ser sinal de
que foi pirateado.
78
Conclusões
Os capítulos que compõem este ebook representam
os primeiros passos para criar uma estratégia
digital.
Em cada secção foram explorados os temas de
interesse para a criação de uma imagem de marca
online havendo, no entanto, muito mais a aprender.
Com esse pensamento em mente, convidámo-lo
a recordar os principais pontos deste ebook na
tabela que disponibilizamos a seguir, resumo dos
principais tópicos de cada capítulo.
Pág. 12 – Checklist para criar o seu website
Pág. 27 – Checklist para criar os seus perfis de redes sociais
Pág. 37 – Checklist para otimização do seusitepara pesquisas
Pág. 63 – Checklist para avaliar a sua performance nos dispositivos móveis
Pág. 71 – Checklist geração de leads e monetização
Pág. 77 – Checklist segurança e privacidade
79
Informações extra
Sabendo que há muitas outras questões complementares
a este ebook que podem surgir, a GBSN Research
disponibiliza:
• Formação presencial/b-learning baseada no ebook:
aprofundar os conteúdos apreendidos e colmatar
quaisquer questões relativas aos processos;
• Serviços de gestão para o seu site, redes sociais, blogue,
etc.;
• Monitorização ativa das suas publicações.
Para mais informações visite-nos em:
www.gbsnresearch.com
Construa o seu negócio online: como, onde e porquê
Construa o seu negócio online: como, onde e porquê
Construa o seu negócio online: como, onde e porquê
Construa o seu negócio online: como, onde e porquê

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As 7 Estratégias do Marketing Digital - FINAL
As 7 Estratégias do Marketing Digital - FINALAs 7 Estratégias do Marketing Digital - FINAL
As 7 Estratégias do Marketing Digital - FINAL
Pedro Cordier
 
Concessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.br
Concessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.brConcessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.br
Concessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.br
Metagov Brasil
 
Minicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado Adolpho
Minicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado AdolphoMinicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado Adolpho
Minicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado Adolpho
Conrado Adolpho
 
Marketing Digital para Vendedores e Gestores Comerciais
Marketing Digital para Vendedores e Gestores ComerciaisMarketing Digital para Vendedores e Gestores Comerciais
Marketing Digital para Vendedores e Gestores Comerciais
Gutenberg Almeida
 
Vendendo Mais Com Marketing de Conteúdo
Vendendo Mais Com Marketing de ConteúdoVendendo Mais Com Marketing de Conteúdo
Vendendo Mais Com Marketing de Conteúdo
Rock Content
 
Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...
Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...
Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...
Conrado Adolpho
 
Palestra vendas e marketing digital - Conrado Adolpho
Palestra vendas e marketing digital - Conrado AdolphoPalestra vendas e marketing digital - Conrado Adolpho
Palestra vendas e marketing digital - Conrado Adolpho
Conrado Adolpho
 
Planejamento para Redes Sociais
Planejamento para Redes SociaisPlanejamento para Redes Sociais
Planejamento para Redes Sociais
Renato Melo
 
Marketing, Vendas e Relacionamento da Internet
Marketing, Vendas e Relacionamento da InternetMarketing, Vendas e Relacionamento da Internet
Marketing, Vendas e Relacionamento da Internet
Lucas Lopan
 
Curso de Mídias Sociais - Mercado E-commerce
Curso de Mídias Sociais - Mercado E-commerceCurso de Mídias Sociais - Mercado E-commerce
Curso de Mídias Sociais - Mercado E-commerce
conteudoecommerce
 
8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam
8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam
8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam
Rafael Damasceno
 
Curso de Whatsapp para Negócios
Curso de Whatsapp para NegóciosCurso de Whatsapp para Negócios
Curso de Whatsapp para Negócios
conteudoecommerce
 
Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?
Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?
Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?
Fabiana Faria
 
Marketing de conteúdo para iniciantes
Marketing de conteúdo para iniciantesMarketing de conteúdo para iniciantes
Marketing de conteúdo para iniciantes
Henrique Carvalho
 
Photoweek - Marketing Digital para Fotografos
Photoweek - Marketing Digital para FotografosPhotoweek - Marketing Digital para Fotografos
Photoweek - Marketing Digital para Fotografos
conteudoecommerce
 
Webinar rockcontent promocao
Webinar rockcontent promocaoWebinar rockcontent promocao
Webinar rockcontent promocao
Rock Content
 
Curso de mkt digital
Curso de mkt digitalCurso de mkt digital
Curso de mkt digital
conteudoecommerce
 
Palestra O Pulo do Gato - SEO
Palestra O Pulo do Gato - SEOPalestra O Pulo do Gato - SEO
Palestra O Pulo do Gato - SEO
Leandra Soares
 
Curso marketing digital de performance
Curso marketing digital de performanceCurso marketing digital de performance
Curso marketing digital de performance
Ricardo Zacho
 
Como criar uma Company Page no LinkedIn
Como criar uma Company Page no LinkedInComo criar uma Company Page no LinkedIn
Como criar uma Company Page no LinkedIn
Enrico Cardoso
 

Mais procurados (20)

As 7 Estratégias do Marketing Digital - FINAL
As 7 Estratégias do Marketing Digital - FINALAs 7 Estratégias do Marketing Digital - FINAL
As 7 Estratégias do Marketing Digital - FINAL
 
Concessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.br
Concessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.brConcessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.br
Concessionárias 2.0 - Metagov - vendas@metagov.com.br
 
Minicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado Adolpho
Minicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado AdolphoMinicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado Adolpho
Minicurso Google Marketing - Marketing Digital - Palestrante Conrado Adolpho
 
Marketing Digital para Vendedores e Gestores Comerciais
Marketing Digital para Vendedores e Gestores ComerciaisMarketing Digital para Vendedores e Gestores Comerciais
Marketing Digital para Vendedores e Gestores Comerciais
 
Vendendo Mais Com Marketing de Conteúdo
Vendendo Mais Com Marketing de ConteúdoVendendo Mais Com Marketing de Conteúdo
Vendendo Mais Com Marketing de Conteúdo
 
Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...
Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...
Apresentação Laila - Curso como vender serviços profissionais de marketing d...
 
Palestra vendas e marketing digital - Conrado Adolpho
Palestra vendas e marketing digital - Conrado AdolphoPalestra vendas e marketing digital - Conrado Adolpho
Palestra vendas e marketing digital - Conrado Adolpho
 
Planejamento para Redes Sociais
Planejamento para Redes SociaisPlanejamento para Redes Sociais
Planejamento para Redes Sociais
 
Marketing, Vendas e Relacionamento da Internet
Marketing, Vendas e Relacionamento da InternetMarketing, Vendas e Relacionamento da Internet
Marketing, Vendas e Relacionamento da Internet
 
Curso de Mídias Sociais - Mercado E-commerce
Curso de Mídias Sociais - Mercado E-commerceCurso de Mídias Sociais - Mercado E-commerce
Curso de Mídias Sociais - Mercado E-commerce
 
8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam
8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam
8 Estratégias de Marketing Digital Que Realmente Funcionam
 
Curso de Whatsapp para Negócios
Curso de Whatsapp para NegóciosCurso de Whatsapp para Negócios
Curso de Whatsapp para Negócios
 
Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?
Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?
Como produzir conteúdo relevante para o Facebook?
 
Marketing de conteúdo para iniciantes
Marketing de conteúdo para iniciantesMarketing de conteúdo para iniciantes
Marketing de conteúdo para iniciantes
 
Photoweek - Marketing Digital para Fotografos
Photoweek - Marketing Digital para FotografosPhotoweek - Marketing Digital para Fotografos
Photoweek - Marketing Digital para Fotografos
 
Webinar rockcontent promocao
Webinar rockcontent promocaoWebinar rockcontent promocao
Webinar rockcontent promocao
 
Curso de mkt digital
Curso de mkt digitalCurso de mkt digital
Curso de mkt digital
 
Palestra O Pulo do Gato - SEO
Palestra O Pulo do Gato - SEOPalestra O Pulo do Gato - SEO
Palestra O Pulo do Gato - SEO
 
Curso marketing digital de performance
Curso marketing digital de performanceCurso marketing digital de performance
Curso marketing digital de performance
 
Como criar uma Company Page no LinkedIn
Como criar uma Company Page no LinkedInComo criar uma Company Page no LinkedIn
Como criar uma Company Page no LinkedIn
 

Semelhante a Construa o seu negócio online: como, onde e porquê

Marketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIsMarketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIs
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
Web marketing 6 Contrução Site
Web marketing 6 Contrução SiteWeb marketing 6 Contrução Site
Web marketing 6 Contrução Site
Ronaldo Hofmeister
 
Digitalizar Negócios
Digitalizar NegóciosDigitalizar Negócios
Digitalizar Negócios
Leonardo de Souza
 
KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...
KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...
KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...
YannisMarketing
 
Apresentação rh
Apresentação rhApresentação rh
Apresentação rh
divulnet
 
E book Design - Presença Digital
E book  Design - Presença DigitalE book  Design - Presença Digital
E book Design - Presença Digital
Marcel Bozza
 
Indústrias e marcas: Como tornar seu site imbatível
Indústrias e marcas: Como tornar seu site imbatívelIndústrias e marcas: Como tornar seu site imbatível
Indústrias e marcas: Como tornar seu site imbatível
Arank
 
Multlinks Mídia Digital
Multlinks Mídia DigitalMultlinks Mídia Digital
Multlinks Mídia Digital
Multlinks Mídia Digital
 
Workshop sobre Negócios Digitais
Workshop sobre Negócios DigitaisWorkshop sobre Negócios Digitais
Workshop sobre Negócios Digitais
Carol Merten
 
Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.
Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.
Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.
Tiago Tessmann
 
14 Passos Para Vender Todos os Dias!
14 Passos Para Vender Todos os Dias! 14 Passos Para Vender Todos os Dias!
14 Passos Para Vender Todos os Dias!
Antônio Leonardo dos Santos Neto
 
Como Criar Produtos Digitais
Como Criar Produtos DigitaisComo Criar Produtos Digitais
Como Criar Produtos Digitais
Leonardo de Souza
 
Web Soluções Imobiliárias
Web Soluções ImobiliáriasWeb Soluções Imobiliárias
Web Soluções Imobiliárias
websolucoesimobiliarias
 
Sua empresa na Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...
Sua empresa na  Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...Sua empresa na  Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...
Sua empresa na Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...
Grupo Editagos
 
inteComo criar um site passo a passo
inteComo criar um site   passo a passointeComo criar um site   passo a passo
inteComo criar um site passo a passo
Senior Consultoria em Gestão e Marketing
 
Marketing Digital Com Ferramenta Gratúita
Marketing Digital Com Ferramenta GratúitaMarketing Digital Com Ferramenta Gratúita
Marketing Digital Com Ferramenta Gratúita
Mix Produsom
 
E book marketing digital_2016-4
E book marketing digital_2016-4E book marketing digital_2016-4
E book marketing digital_2016-4
Ellen Hansen
 
Os 10 pontos-chave
Os 10 pontos-chaveOs 10 pontos-chave
Os 10 pontos-chave
SoloStocks
 
Como criar o seu Sistema de Marketing Multinível Digital
Como criar o seu Sistema de Marketing Multinível DigitalComo criar o seu Sistema de Marketing Multinível Digital
Como criar o seu Sistema de Marketing Multinível Digital
Ben Popov
 
O Guia Definitivo do Blog Corporativo
O Guia Definitivo do Blog CorporativoO Guia Definitivo do Blog Corporativo
O Guia Definitivo do Blog Corporativo
Lucio Borges
 

Semelhante a Construa o seu negócio online: como, onde e porquê (20)

Marketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIsMarketing Digital para o Mercado de EPIs
Marketing Digital para o Mercado de EPIs
 
Web marketing 6 Contrução Site
Web marketing 6 Contrução SiteWeb marketing 6 Contrução Site
Web marketing 6 Contrução Site
 
Digitalizar Negócios
Digitalizar NegóciosDigitalizar Negócios
Digitalizar Negócios
 
KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...
KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...
KIT DE MARKETING - 8 dicas para implementar uma estratégia eficiente de marke...
 
Apresentação rh
Apresentação rhApresentação rh
Apresentação rh
 
E book Design - Presença Digital
E book  Design - Presença DigitalE book  Design - Presença Digital
E book Design - Presença Digital
 
Indústrias e marcas: Como tornar seu site imbatível
Indústrias e marcas: Como tornar seu site imbatívelIndústrias e marcas: Como tornar seu site imbatível
Indústrias e marcas: Como tornar seu site imbatível
 
Multlinks Mídia Digital
Multlinks Mídia DigitalMultlinks Mídia Digital
Multlinks Mídia Digital
 
Workshop sobre Negócios Digitais
Workshop sobre Negócios DigitaisWorkshop sobre Negócios Digitais
Workshop sobre Negócios Digitais
 
Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.
Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.
Não invista no Google Adwords antes de ver essa Apresentação.
 
14 Passos Para Vender Todos os Dias!
14 Passos Para Vender Todos os Dias! 14 Passos Para Vender Todos os Dias!
14 Passos Para Vender Todos os Dias!
 
Como Criar Produtos Digitais
Como Criar Produtos DigitaisComo Criar Produtos Digitais
Como Criar Produtos Digitais
 
Web Soluções Imobiliárias
Web Soluções ImobiliáriasWeb Soluções Imobiliárias
Web Soluções Imobiliárias
 
Sua empresa na Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...
Sua empresa na  Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...Sua empresa na  Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...
Sua empresa na Internet: transparência e comunicação com alcance global (Res...
 
inteComo criar um site passo a passo
inteComo criar um site   passo a passointeComo criar um site   passo a passo
inteComo criar um site passo a passo
 
Marketing Digital Com Ferramenta Gratúita
Marketing Digital Com Ferramenta GratúitaMarketing Digital Com Ferramenta Gratúita
Marketing Digital Com Ferramenta Gratúita
 
E book marketing digital_2016-4
E book marketing digital_2016-4E book marketing digital_2016-4
E book marketing digital_2016-4
 
Os 10 pontos-chave
Os 10 pontos-chaveOs 10 pontos-chave
Os 10 pontos-chave
 
Como criar o seu Sistema de Marketing Multinível Digital
Como criar o seu Sistema de Marketing Multinível DigitalComo criar o seu Sistema de Marketing Multinível Digital
Como criar o seu Sistema de Marketing Multinível Digital
 
O Guia Definitivo do Blog Corporativo
O Guia Definitivo do Blog CorporativoO Guia Definitivo do Blog Corporativo
O Guia Definitivo do Blog Corporativo
 

Construa o seu negócio online: como, onde e porquê

  • 1. //Capítulo I - Site e redes sociais 1
  • 2. Autores Textos: Aldara Rodrigues e Cady Gomes Bocum Revisão: Miguel Nogueira Design Gráfico: Lucília dos Santos
  • 3. Sobre a GBSN A GBSN é uma empresa nacional de consultoria, monitorização e análise de meios de comunicação digitais. Trabalha com as empresas no sentido de fornecer dados de suporte à decisão, com base nas últimas tendências e no feedback dos consumidores. Esta informação tem ajudado os seus clientes a tomar decisões mais rápidas e eficazes a nível estratégico. Entre em contacto com a empresa para descobrir como pode potenciar a sua marca no universo digital.
  • 4. Nota dos Autores Quando falamos de Internet falamos de um universo vasto e com múltiplas oportunidades. O seu crescimento em termos de potencial faz com que, muitas vezes, não se saiba o melhor caminho a seguir ou que estratégia adotar. Nesse sentido, a GBSN Research publica o presente ebook como forma de apoiar as empresas e os empreendedores na sua jornada no mundo digital. As diretrizes propostas fazem parte do know-how da empresa, fruto da sua ligação ao mundo digital e da experiência que obteve no contacto com os clientes e com a sua própria marca. Tem como base as melhores práticas recomenda- das pelo Google no sentido de ser um guia útil para todos os que desejam contruir a sua presença na Internet de forma sustentada. Com este guia os leitores serão capazes de organizar a sua estratégia percebendo como o devem fazer, que canais devem utilizar e quais os objetivos a que devem dar resposta. Fornecemos dicas práticas e tutoriais, sempre em contexto com os temas abordados nos capítulos. Pretendemos que todos os leitores vejam utilidade nas páginas que se seguem e que consigam utilizar as nossas sugestões de forma a melhorar e potenciar os seus negócios. Qualquer informação que não vá ao encontro das expectativas e necessidades pode-nos ser comunicada através do e-mail abaixo. publicacoes@gbsnresearch.com Boas leituras. Aequipa, GBSN Research
  • 5. Índice 6 Capítulo I – Site e redes sociais 7 Parte I – O site: vantagens e desvantagens 11 Dicas de perito 13 Guia prático: Como criar o seu site com o WordPress 23 Parte II – As redes sociais 29 Guia prático: Redes sociais – Como escolher as redes sociais e aumentar a sua audiência 33 Capítulo II – SEO e SEM 33 Como gerar tráfego e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 34 Parte I – SEO 38 Guia prático: On-Site SEO – como otimizar a estrutura do seu site 46 Parte II – SEM 49 Guia prático: SEM – A experiência do utilizador e as palavras-chave 52 Capítulo III – Analisar para evoluir 55 Guia prático: Como escolher ferramentas de análise e medir os visitantes de uma página 60 Capítulo IV – O poder do mobile 64 How-to Como saber as dimensões dos diferentes dispositivos? Como saber os tamanhos certos em cada rede social? 65 Capítulo V – Geração de leads e monetização 66 Geração de Leads e Monetização 72 How-to Dos micro-momentos às vendas 73 Capítulo VI – Segurança e privacidade
  • 6. //Capítulo I - Site e redes sociais //Capítulo Siteeredessociais A presença digital é um processo que engloba todas as ações de uma marca na Internet. Do site às redes sociais, há todo um leque de critérios a seguir para atingir o sucesso no online. Neste capitulo vamos dar-lhe ferramentas úteis para a preparação da sua estratégia. Fique a saber os passos que deve seguir para criar um site e páginas de redes sociais, através de dicas e tutoriais simplificados. Aproveite as características do meio para potenciar o seu negócio.
  • 7. //Capítulo I - Site e redes sociais 7 ParteI O site:vantagens e desvantagens Contruir uma presença digital não acontece num dia, numa semana ou até num ano. É todo um processo que engloba as várias ações da marca no mundo digital: desde o site às redes sociais. Há passos básicos que devem ser seguidos antes de avançar com uma estratégia. É necessário definir objetivos, analisar a audiência a que nos vamos dirigir e selecionar as plataformas em que a marca vai estar presente. Um site bem concebido pode ter um impacto muito positivo na perceção da marca. No entanto, antes de avançar com este projeto para a sua criação é necessário fazer uma aná- lise prévia. Um site é, cada vez mais, o primeiro contacto que o consumidor tem com a marca. É lá que constam todas as informações oficiais sobre a história e missão da marca, as informações sobre os produtos/serviços, os contactos e muito mais. Há por isso alguns elementos essenciais a considerar ao planear a construção do seu site. DOMÍNIO: O domínio é o nome do site. É, portanto, o nome pelo qual o seu negócio é ou vai ser conhecido. Por isso mesmo, deve ser fácil de memorizar e fácil de escrever. Evite siglas e estrangeirismos demasiado complicados. O domínio deve, ainda, ser relacionado com a área de atividade do negócio de forma a simplificar a informação na mente do consumidor. Para verificar a disponibilidade do nome do domínio que tem em mente pode utilizar plataformas como o https://www.namecheap.com, para confirmar seonomequedesejaestádisponível.
  • 8. //Capítulo I - Site e redes sociais 8 Na eventualidade do nome que escolheu já estar a ser utilizado, pode sempre tentar diferentes extensões – .com, .pt, .net, .org, etc. Se o ‘xpto.com’ já estiver em uso, o ‘xpto.net’ pode não estar. ORGANIZAÇÃO: Depois de escolhido o domínio é altura de organizar o seu site, e lembre-se: o site deve permitir ao seu consumidor encontrar informação de forma fácil, organizada e sem ruído. Começamos pela ‘homepage’. É aqui que a sua audiência tem a sua primeira impressão. À semelhança do que acontece quando entra numa loja, um potencial cliente pode ser cativado de imediato ou, então, desinteressar-se rapidamente. No mundo digital a ‘homepage’ funciona como uma montra, é a primeira impressão que o consumidor tem da sua marca ou produto. A ‘homepage’ funciona como uma montra.É a primeira impressão que o consumidor tem da sua marca ou produto. Através da ‘homepage’ deve ser possível navegar para todo o site de forma intuitiva: não deve conter demasiado texto e imagens, deve ser simples e clara. Nela deve ser dada a possibilidade de ir para outras páginas do site, ou seja, toda a informação adicional – contactos, produtos, mapas, criticas, etc. – deve estar em secções próprias. No entanto, deve sempre ser possível voltar à página inicial, nomeadamente clicando no logo da empresa que deve constar em todas as páginas do site. É um pequeno pormenor que deve ter em atenção.
  • 9. //Capítulo I - Site e redes sociais 9 ‘CONTACTOS’ E ‘SOBRE NÓS’ A par da ‘homepage’, há secções que são fundamentais, seja qual for a sua área de atividade. As secções ‘Sobre nós’ e ‘Contactos’ são essenciais, pois definem a identidade da marca e permitem ao cliente encontrá-lo com facilidade. A página ‘Sobre nós’ deve contar a história da marca, a sua filosofia e valores, incluindo, se possível, alguns exemplos de trabalhos ou clientes. A página de ‘Contactos’ deve incluir não só a morada, mas também os contactos telefónicos, horários e mapas com direções. Tudo o que permita ao seu consumidor entrar em contacto consigo da forma que lhe seja mais conveniente. A verdade é que não há uma forma certa ou errada de criar um site. O ideal é tentar sempre colocar-se no lugar do seu consumidor para perceber o que deve melhorar ou criar para atender às suas necessidades. Além das secções supracitadas, há outros componentes que pode incluir no seu site de forma a torná-lo mais dinâmico e produtivo. O horário de funcionamento da loja e um formulário de encomendas, se houver a possibilidade de comprar diretamente no site, são dois simples, mas importantes exemplos. Garanta que as palavras mais relevantes estão em destaque de forma a facilitar a navegação. Coloque ‘links’ para outras páginas, com informação extra sobre usabilidade, por exemplo, e interaja com o seu cliente através de formulários ou chatbots. Lembre-se que o site deve sempre responder a dois objetivos: os da empresa e os do cliente. Garanta que as palavras mais relevantes estão em destaque de forma a facilitar a navegação.
  • 10. //Capítulo I - Site e redes sociais 10 Como já dissemos acima, colocar-se no papel do cliente é a melhor forma de detetar possíveis falhas na comunicação. Pense no que lhe interessa quando visita o site de uma marca. O que lhe transmite confiança. São os testemunhos? Os anos de experiência? As ofertas e promoções? Preencha o seu site com aquilo que é realmente relevante. Garanta que o cliente tem toda a informação disponível caso queira adquirir o seu produto/serviço. NAVEGAÇÃO Sabemos que na Internet todos os segundos contam. Se a sua página demora muito a carregar, a probabilidade de o utilizador desistir da mesma é elevada. Evite estes comportamentos seguindo alguns passos simples: 1. Não carregue imagens muito pesadas, principalmente se as mesmas vão aparecer em miniatura. Redimensione as imagens de forma a que tenham a resolução certa, sem tornar o carregamento lento; 2. Tenha um design simples, utilize símbolos e ícones universalmente reconhecidos, evitando, assim, o excesso de texto; 3. Seja ‘mobile friendly’. Sabemos que a maioria dos acessos atualmente acontecem através de smartphones. O seu site deve abrir corretamente nestas plataformas. Como tal, confirme sempre o formato do que publica.
  • 11. //Capítulo I - Site e redes sociais 11 Dicas de perito Evite conceitos demasiado técnicos e não seja o próprio a elogiar os seus produtos. Deixe os clientes falarem. Use um tom direto, confiante e que transmita a credibilidade certa. Use testemunhos reais de consumidores que atestem a qualidade do que vende. Conte uma história, deixe que os utilizadores comentem e deixem as suas mensagens na página. Lembre-se que, na Internet, todos os segundos são valiosos. As pessoas leem na diagonal, fazem um ‘scan’ à página e só param para ler com atenção aquilo que for verdadeiramente útil. Garanta que a usabilidade do seu site permite uma fácil navegação. Siga uma lógica constante na organização das secções. Seja por preço, coleção, novidades, promoções, etc. O importante é que o cliente saiba onde se dirigir para encontrar aquilo que procura. Tenha uma caixa de pesquisa no caso do seu cliente querer encontrar algo muito especifico dentro de uma secção. Assim, garante que chega lá diretamente, caso não queira navegar pelo site. //RESUMINDO Ao criar o seu site, faça-o de forma a ser simples de usar. Dê aos consumidores um mapa lógico de navegação e mantenha o design constante ao longo de toda a página para não criar confusão. Use a linguagem do seu público e dê-lhes a experiência de que estão à espera. Em termos visuais seja coerente e fácil de ler. Evite demasiadas palavras sublinhadas ou a negrito e siga uma palete de cores constante. Há vários sites online onde pode combinar cores e ver o que resulta. Sugestão: https://coolors.co. O formato do site deve ser, também ele, de fácil leitura. Não obrigue o seu cliente a fazer scroll infinito para encontrar a informação que deseja. Indique ao consumidor a ação que deseja que tome. Se quer que ele tome uma ação específica, incentive-o a tal. A isto chamamos de ‘call to action’. Seja um ‘ligue-nos agora’, ‘encontre-nos em’ ou ‘fale connosco’.
  • 12. //Capítulo I - Site e redes sociais 12 Checklist paracriaroseu website: Defina o propósito e objetivos do site; Crie uma lista de páginas, estruture e defina as funcionalidades disponíveis; Escolha um nome e valide a disponibilidade do domínio; Planeie e crie o conteúdo para cada página; Selecione as ferramentas e tecnologia adequadas para o objetivo; Crie e publique o site; Selecione um fornecedor de alojamento web; Submeta o endereço nos diretórios e motores de busca relevantes; Desenvolva um plano para a manutenção e atualização do site e respetivo conteúdo; Analise a performance e otimize de acordo com as métricas que obtém.
  • 13. //Capítulo I - Site e redes sociais GUIA PRÁTICO:Como criar o seu site com o WordPress Originalmente lançado em 2003, o WordPress é atualmente o sistema de gestão de conteúdos (CMS) mais popular do mundo, tendo uma quota de mercado superior a 50%. Com mais de 76 milhões de sites, esta solução gratuita, com desenvolvimento e atualizações contínuas e um elevado nível de personalização, continua a ser a principal escolha das empresas e bloguers. NOTA Para os efeitos deste tutorial, assumimos que já executou os passos 1-6 da checklist, selecionou o WordPress como ferramenta de gestão de conteúdos e o instalou no seu domínio. Se necessitar de mais informação acerca destes passos visite a nossa página www.gbsnresearch.com . 13
  • 14. //Capítulo I - Site e redes sociais 14 // Como aceder ao WordPress? Fig.1 Endereçodoseudomínio. A instalação típica do WordPress utiliza sempre a mesma fórmula para dar acesso ao site. Abra uma janela do browser e escreva o endereço do seu domínio. Esta será a página visível a todos os visitantes do seu site e o endereço por norma corresponde à sua página inicial. Para aceder ao Painel de administração do WordPress deverá acrescentar o sufixo wp-admin conforme a imagem seguinte. Fig.2 Acesso ao Painel de administração do WordPress. Para fazer log-in precisa das credenciais de acesso estabelecidas durante a insta- lação. Caso não se lembre delas, poderá recuperar o acesso clicando no link “Perdeu a senha?” e indicando o e-mail do utilizador. Fig.3 Caixa de log-in.
  • 15. //Capítulo I - Site e redes sociais 15 // Painel WordPress Fig.4 Fig.5 Fig.6 Fig.7 Fig. 8 A primeira vez que aceder ao WordPress encontrará o Painel que lhe permite configurar o seu site online – aqui estará o menu com as principais opções disponíveis. Início – Esta opção dá acesso a um quadro resumo do seu site, fornecendo também acesso às funcionalidades mais populares. Este quadro é constituído por vários widgets e poderá personalizá-lo adicionando ou removendo as funcionalidades mais úteis. Artigos – O menu Artigos contém todas as publicações que constarão do seu blogue. Estas surgem ordenadas de forma cronológica e podem ser agrupadas por Etiquetas ou Categorias. Multimédia – Em Multimédia poderá adicionar ou consultar ficheiros. Desde imagens a documentos, passando pelos vídeos, todos os elementos que não sejam texto e pretenda utilizar no seu site deverão estar na biblioteca. Páginas – As páginas são os elementos básicos de agregação de conteúdos no seu site. Poderão conter artigo de blogue, informação acerca do seu produto ou serviço, direções para o seu estabelecimento ou formulários de contacto.
  • 16. //Capítulo I - Site e redes sociais 16 Fig.9 . Comentários – Nesta secção poderá gerir os comentários enviados para o seu site, permitindo que estes sejam ou não visíveis para todos os visitantes. Também poderá apagar ou classificar como SPAM os comentários que considere irrelevantes. Apresentação – No menu de apresentação poderá pesquisar e instalar temas. Terá também a oportunidade de personalizar o tema instalado ativando widgets e adicionando páginas ou ligações ao menu. Plugins – Os plugins permitem a extensão das capacidades nativas do WordPress e a adaptação às necessidades especificas de cada site. Imagine que necessita de ter um carrinho de compras ou ligações para as suas páginas nas redes sociais. Em vez de escrever linhas de código para configurar e posicionar estes itens, pode, simplesmente, procurar e instalar um plugin que execute as funções pretendidas.
  • 17. //Capítulo I - Site e redes sociais 17 Dicas Como escolher o plugin certo? A variedade e disponibilidade de plugins para WordPress é imensa, mas, deverá considerar avaliar algumas questões antes da instalação: • Existem plugins gratuitos e outros pagos. Por isso, leia com atenção a descrição dos plugins antes de os instalar. Muitas vezes os developers disponibilizam versões de teste com funções limitadas para incentivar a compra; • É necessário verificar a compatibilidade com a versão do WordPress que tem instalada. Adicionar plugins que não são compatíveis com a versão pode gerar problemas ou conflitos com outras funcionalidades; • Se existir um plugin oficial essa é, por norma, a opção mais segura. Se pretender ligar o seu site ao Google ou Facebook, uma forma de minimizar eventuais problemas é selecionar os plugins fornecidos por essas empresas para efetuar a ligação. Verifique sempre o nome da empresa ou developer que publicou o plugin; • Leia as críticas. Antes de instalar o plugin experimente pesquisar no Google utilizando a formula “WordPress + descrição do problema que pretende resolver + plugin” e evite instalações desnecessárias; • Quando o plugin deixar de ser útil, desinstale-o. Os plugins necessitam de ser atualizados regularmente pois podem expor o seu site a vulnerabilidades. Mantenha os plugins atualizados e minimize ao máximo o número de plugins instalados.
  • 18. //Capítulo I - Site e redes sociais 18 Utilizadores – Este menu permite a gestão dos utilizadores que têm acesso ao seu site. Existem vários níveis de acesso, sendo os mesmos definidos de acordo com os perfis atribuídos aos utilizadores. É aqui que pode adicionar, remover ou editar os perfis. Ferramentas – Através do menu Ferramentas poderá configurar funcionalidades adicionais para o seu site com a ajuda de widgets e plugins. Também é possível importar ou exportar todo o conteúdo do seu site através deste menu. // Instalar e personalizar um tema A primeira coisa a fazer depois de instalar o WordPress é escolher o tema para o seu site. O tema define o design e a apresentação do mesmo – passará a ter um tipo de letra específico, cores definidas e formas de apresentação de imagens, bem como um estilo pré-definido para links e páginas. Para aceder aos Temas, vá a ‘Aparência’ e selecione a opção Temas. Na página Temas do menu de Apresentação tem acesso a todos os temas instalados no WordPress no momento. Poderá ainda ativar temas instalados ou pesquisar por temas novos. Para esta demonstração ativamos o tema “Chinese Restaurant”. Fig.10 WordPress. Como alterar o tema do WordPress – se o tema para o qual pretende alterar o seu site já estiver instalado bastará clicar no botão ‘Ativar’ para o alterar. Caso pretenda encontrar temas através do repositório WordPress e fazer a instalação,
  • 19. //Capítulo I - Site e redes sociais 19 deverá clicar em ‘Adicionar Tema’ no topo da página. Poderá pesquisar por atributos específicos (“duas colunas”, “preto e branco”, “restauração”) ou utilizar o nome do tema que procura. Na mesma página, também é possível adicionar um tema que esteja no seu computador utilizando o botão “Fazer Upload do Tema” posicionado no canto superior esquerdo do da janela. Depois de seguir estes passos o WordPress fará a instalação e só necessita de voltar à página inicial de Temas e clicar em “Ativar” para poder ver o resultado final. Ao clicar em Personalizador, é apresentada uma pré- visualização do site e, do lado esquerdo, encontra as várias opções de configuração disponíveis. No topo, tem também disponíveis o botão “Mudar”, para alterar o tema, e o botão “Salvar” para guardar todas as alterações. Fig.11 Pré-visualização do website. Fig.12 Criação da identidade dosite. À esquerda terá uma lista das opções disponíveis e à direita uma visualização ao vivo do seu site com as alterações efetuadas. As opções disponíveis variam consoante o tema, mas, por norma, as secções ‘General’, ‘Footer Section’e ‘Menu’ estarão sempre presentes. Em ‘General’, vamos criar a identidade do site preenchendo o título e a respetiva descrição. Estes elementos deverão ser preenchidos de acordo com o nome escolhido e o propósito do site.
  • 20. //Capítulo I - Site e redes sociais Voltando ao menu principal, podemos atualizar o logo e favicon mostrados no nosso site. Fig.13 Identidade do site, logo, favicon, título e descrição. DICA Comocriaroseufavicon Um favicon (também conhecido como um ícone de atalho, ícone website, ícone guia, ícone URL ou ícone marcador), é um ficheiro de imagem de dimensão reduzida ‒ 16 × 16 pixéis ‒ associado a um determinado site ou página web. É o ícone que surge antes do nome de um website na janela do browser. Caso já tenha um logo, poderá transformá-lo em favicon em sites como www.favicon-generator.org. // Criar uma página ou artigo Páginas – Uma página é um dos elementos base de um site. Esta é uma estrutura que pode conter vários elementos multimédia, tais como texto, vídeo, áudio e imagem. Para criar a sua primeira página aceda à opção Páginas > Adicionar Nova. Fig.14 Criação de uma página. 20
  • 21. //Capítulo I - Site e redes sociais 21 Nesta página terá acesso ao editor de texto do WordPress. Os elementos mais importantes desta página são: Título – O título da página é importante porque será utilizado pelos browsers para indexar o conteúdo. Lembre-se de incluir as palavras-chave relacionadas com a página no título. Editor – O editor é a área de escrita onde poderá adicionar o conteúdo da sua página. Na área superior encontra vários botões para formatar o texto, adicionar elementos e, também, inserir códigos HTML diretamente. Widgetde Publicação –Assim que o conteúdo estiver pronto e formatado poderá publicá-lo utilizando o widget do canto superior direito. Aqui pode guardar a página como rascunho, publicá-la imediatamente ou agendar a sua publicação para uma altura posterior. É também possível gerir a visibilidade da sua publicação, restringindo o acesso a terceiros. A qualquer momento poderá ver o resultado das suas alterações clicando no botão “Visualizar”. // Artigos Os artigos partilham a estrutura básica das páginas por isso falaremos apenas dos elementos diferenciadores. Os artigos serão parte integrante do blogue no seu site. Fig.15 Categorização deposts. Fig.16 Criaçãodetags. Categorias - são utilizadas para agrupar conteúdos, podendo assumir uma estrutura hierárquica dentro do blogue. Assim que possível, deverá criar uma estrutura lógica que permita aos visitantes navegar pelo conteúdo de forma in- tuitiva. Todos os posts são categorizados por defeito como “Uncategorized”. Tags – As tags são um elemento opcional para permitir uma filtragem mais detalhada do conteúdo, evitando a proliferação de subcategorias. Um post poderá ter uma ou várias tags.
  • 22. //Capítulo I - Site e redes sociais 22 Imagem de destaque - A imagem de destaque é a miniatura que será mostrada como capa do artigo no seu website e surgirá nas redes sociais quando partilhar a ligação. Fig.17 Imagem dedestaque. // Criar o menu Para que os visitantes possam navegar no seu site e aceder às páginas que pretende disponibilizar necessita de um menu. O menu está disponível na opção ‘Menus’ em ‘Aparência’. Ao abrir a página deverá clicar na ligação “Criar Menu” e seguir as instruções abaixo. Depois de criado o nome, clique em “Criar Menu” para finalizar o processo. Fig.18 Criaçãodemenus. Fig.19 Nomeação de menus. Fig.20 Pesquisadepáginas. Posteriormente, é necessário adicionar elementos ao menu que acabou de criar: ligações, páginas, artigos ou até elementos não clicáveis como o nome de uma categoria. Para o fazer selecione o menu na lista: De seguida, pesquise os elementos que pretende adicionar no widget abaixo. Sempre que encontrar um item que pretende adicionar, clique e arraste para o widget da direita. Alternativamente, também poderá clicar no botão "Adicionar ao menu" se pretender selecionar várias páginas em simultâneo. Poderá utilizar a mesma lógica para organizar o menu, colocando itens com uma estrutura hierárquica por baixo dos respetivos ordenadores e arrastando ligeiramente para a direita.
  • 23. //Capítulo I - Site e redes sociais 23 DICA Comocriaritensnãoclicáveisnomenu Poderá ter a necessidade de adicionar itens não clicáveis ao menu para servir de âncora ou ligação lógica a outras páginas. Nesse caso poderemos criar uma ligação personalizada, substituindo o conteúdo do campo URL por um ‘#’ e nomeando o campo de acordo com a nossa necessidade. Parte II As redes sociais Qual a importância das redes sociais? As redes sociais fazem parte do nosso dia a dia. São, aliás, algo rotineiro na nossa vida. Para as empresas, este facto não passa despercebido. É nestas plataformas que as pessoas interagem, partilham informação e se dão a conhecer. Não admira que sejam, por defeito, o meio de comunicação mais eficaz da atualidade. Para as marcas, as vantagens vêm primeiramente no facto de poderem comunicar diretamente com os seus consumidores, partilhando conteúdo relevante e envolvendo-se em discussões pertinentes para a sua área de atividade. As redes sociais estão em todo o lado e são a melhor forma de gerar engagement. Antes de analisar as principais vantagens destas redes, importa perceber o porquê de estar presente nas redes sociais, saber em que plataformas deve estar presente e entender como pode usar as comunidades para fazer crescer a sua presença online. Comocriarengagementcoma audiência sem impingir produtos ou serviços? Vamos voltar ao exemplo da sapataria. Se criar uma publicidade em que diz que o seu produto é o melhor, com mais durabilidade e que se destaca dos demais, não estará a fazer nada novo. Está, aliás, a fazer o que a audiência já espera: vender diretamente.
  • 24. //Capítulo I - Site e redes sociais 24 Agora imagine um outro cenário. Cria uma parceria com bloguers de moda ou influencers da sua audiência, e serão os próprios, nas suas páginas, a atestarem a qualidade do seu produto. Qual dos casos acha que terá mais impacto junto do seu cliente? Certamente o segundo. Por quê? Porque as pessoas confiam em outras pessoas. É mais fácil confiar em quem já utilizou o produto, do que em quem o vende. Além disso, há outras formas de se divulgar sem impingir. Nos grupos disponíveis nas redes sociais encontram-se todas as temáticas. São espaços onde se criam comunidades em torno de determinado assunto, trocando- se opiniões e feedback. Pode sempre pesquisar por grupos relacionados com o seu serviço e introduzir-se nas discussões com informações relevantes. Seja com tutoriais de ‘como conservar melhor os sapatos’; ‘como limpar sapatos de pele’ e muito mais. Dê à audiência informação útil e ela confiará em si. Basta um utilizador partilhar o seu conteúdo e depois mais um e mais um, que o sucesso não tardará. Neste cenário, são os próprios utilizadores das redes sociais que se tornam os promotores da sua marca. Esteja também atento à forma como as pessoas interagem com a sua marca online. Veja o tipo de conteúdos que gera mais engagement. São fotos? Vídeos? Invista no que resulta melhor. Em que redes estar presente? Há várias redes sociais, das mais profissionais às mais informais. Mas todas têm algo em comum: a partilha. Importa a cada indústria perceber em quais deve marcar presença. Como? Siga os passos listados abaixo: 1. Descubra em quais estão os seus clientes. Quais as redes que utilizam? Faça uma análise à audiência e veja as suas preferências;
  • 25. //Capítulo I - Site e redes sociais 25 2. Adapte o perfil da empresa às características de cada rede. Por exemplo, se está no LinkedIn adote um tom mais formal, se está no Facebook permita-se a uma linguagem mais familiar; 3. Explore os grupos relacionados com a sua área e veja em quais deve constar. Veja onde a sua concorrência já está e analise o que tem feito de bom; Interaja com pessoas:quantas mais melhor para si e para o seu negócio. 4. Aumente os seus seguidores através de iniciativas dinâmicas, como concursos, promoções e tudo o que possa gerar buzz e conversação. As redes socias são partilha, são interação. Lembre-se que cada contacto que conquistar tem a sua própria rede e, dentro dessa rede, há milhares de outras redes. Todos estamos ligados. Interaja com pessoas: quantas mais melhor para si e para o seu negócio. Os diferentes tipos de redes sociais Todos os dias surgem novos espaços online. Há alguns maiores, à escala mundial, mas, há também redes locais, internas e específicas, que se adaptam a certas indústrias e atividades. Deve olhar para todas elas na hora de criar a sua presença social. AUDIÊNCIA GLOBAL Quando falamos no Facebook, Instagram, Twitter, Snapchat, Google+ e LinkedIn falamos de redes com uma enorme audiência. O Facebook sozinho tem mais de mil milhões de utilizadores. É provável que uma grande parte dos seus clientes atuais ou futuros estejam nestas redes, portanto considere estar presente nas mesmas. AUDIÊNCIA LOCAL E ESPECIFICA Para além das supracitadas, há redes dedicadas a nichos e indústrias nas quais também deve ponderar estar. São espaços onde se encontram pessoas que procuram informação mais detalhada sobre determinados conteúdos. Falamos de sites como o TripAdvisor ou o Zomato, onde se criam comunidades em torno de determinado tema. Embora sejam redes de menor dimensão, podem, eventualmente, ser tão
  • 26. //Capítulo I - Site e redes sociais 26 ou mais lucrativas que as grandes redes, uma vez que condensam audiências com interesses muito específicos. Estabeleça um calendário e anote todos os objetivos. Osobjetivos Em todos os capítulos falamos de objetivos e aqui não fugimos à regra. Cada rede deve ter objetivos definidos. Se está no Facebook deve ter objetivos estabelecidos para a sua presença na rede, os quais devem diferir da sua presença no Instagram ou no Twitter. Por quê? Porque são espaços diferentes e com audiências diferentes. Estabeleça um calendário e anote todos os objetivos. Anote também em que período de tempo os deseja alcançar (recorde que nada acontece do dia para a noite). O QUE PODE FAZER: • Produzir conteúdo relevante e publicá-lo nos espaços indicados. É fulcral pesquisar as temáticas em destaque e os locais mais indicados para publicar. Faça uma lista dos grupos mais importantes de cada rede e detalhe os temas de cada um, agindo, depois, em conformidade; • Partilhar conteúdos de outras fontes relevantes para criar engagement e gerar discussão. Evite publicar somente coisas da sua autoria; • Estabeleça o seu tom. Em cada interação deve adaptar o seu tom e postura à identidade da plataforma.
  • 27. //Capítulo I - Site e redes sociais 27 Checklist para criar os seus perfis de redes sociais: Crie as suas contas de rede social; Garanta que em todas as redes é fácil entrar em contacto com a marca; Mantenha a imagem da marca uniforme: o logo e as imagens devem ser constantes em todas as redes sociais; Descreva a empresa no tom adequado: informal nas redes pessoais e profissional nas redes empresariais; Torne fácil para o consumidor conhecer o seu negócio: faça listas dos produtos/ serviços que tem, explique cada um ao pormenor, dê exemplos de uso se necessário e explique as vantagens; Estabeleça uma cadência de publicações constante, criando, por exemplo, um mapa. O conteúdo deve serexpectável; Use hashtags para se relacionar com tópicos de conversação semelhantes; Faça parte dos grupos da sua área e participe nos mesmos; Estabeleça métricas de análise: engagement, PTAT, crescimento dos gostos, conversões, etc. Monitorize a sua evolução.
  • 28. //Capítulo I - Site e redes sociais 28 DICAS de Perito Use ferramentas como o ‘Likealyzer’ para obter dados de análise gratuitamente: http://likealyzer.com Há ainda ferramentas que o ajudam a criar imagens de qualidade e já adaptadas aos tamanhos de cada rede social, blogue ou post. Aceda à página do Canva e descubra as imensas oportunidades de criatividade. https://www.canva.com Para uma análise do engagement das suas páginas, pode ainda usar as ferramentas oficiais: Google Analytics: http://www.google.com/analytics Facebook: https://www.facebook.com/help/268680253165747 Twitter: https://analytics.twitter.com/about LinkedIn: https://www.linkedin.com/help/linkedin/answer/26032 Pinterest Analytics: https://business.pinterest.com/pt-pt/pinterest-analytics
  • 29. //Capítulo I - Site e redes sociais GUIA PRÁTICO:Redes sociais – Como escolher as redes sociais e aumentar a sua audiência Como saber quais redes escolher Quando se trata de escolher as redes sociais em que a sua marca vai estar presente, a estratégia deve passar pela escolha daquelas que oferecem o melhor potencial para atingir o seu público ideal. A maioria das pessoas e empresas não tem capacidade para estar em todas as plataformas ao mesmo tempo devido à quantidade de tempo e recursos que isso implica. É melhor concentrar- se apenas naquelas que são realmente relevantes para a sua audiência. 29
  • 30. //Capítulo I - Site e redes sociais 30 A pergunta que se impõe é: como escolher? Utilizando a ilustração abaixo pode perceber quais as principais redes sociais, qual a audiência que encontra nelas e o que procuram nas mesmas. A partir daí, basta selecionar aquelas que correspondem ao perfil dos seus consumidores. A GBSN Research utiliza um modelo baseados nos 3 C’s para perceber quais as redes sociais mais indicadas para o seu modelo de negócio. Clientes, Conteúdo e Cadência são suficientes para eleger as melhores opções para a sua estratégia. // Clientes Descobrir onde pode encontrar os 300 313 milhões 1,94 mil milhões 1 mil milhões seus potenciais clientes on-line, é essencial para desenhar uma estratégia de comunicação digital. Transformar-se num membro distinto das comunidades em que os seus clientes participam vai ajudá-lo a ganhar a confiança dos mesmos e adestacar-sefaceà concorrência. milhões 106 milhões 150 milhões 111 milhões 700 milhões Fig.21 Número de utilizadores ativos mensalmente. Observandoogénero predominante em cada comunidade conseguimos Facebook Pinterest Instagram perceberondepoderemos encontrar a audiência específica para o nosso produto. 77% 66% 44% 16% 31% 24% Reddit, Digg LinkedIn Twitter ou Salshdot 25% 26% 21% 25% 11% 20% Tumblr Fig.22 11% 10% Género dos utilizadores ativos na Internet presentes em cadarede social - O Pinterest, Facebook e Instagram são mais usados pelas mulheres, enquanto que os fóruns online dominam entre os homens.
  • 31. //Capítulo I - Site e redes sociais 31 Refeições Twitter- 42% Pinterest-66% Facebook - 29% Moda ebeleza Twitter- 30% Pinterest - 45% Facebook - 19% Tecnologia Twitter- 44% Pinterest - 33% Facebook - 31% Faça você mesmo Twitter- 34% Pinterest - 63% Facebook - 29% Saúde Twitter- 51% Pinterest-59% Facebook - 44% Interesses e curiosidades Twitter- 46% Pinterest - 51% Facebook - 36% É possível efetuar uma filtragem ainda mais eficaz ao analisar apredominância deinteresses, escolhendo assim as comunidades a que poderemos aderir consoante a área de negócio. Fig.23 O que procuram os utilizadores nas redes sociais. // Conteúdo No que concerne o conteúdo, as marcas devem manter o foco em torno dos seus objetivos de negócio e aproximar a sua produção – em termos de temas, formatos e meios de difusão – daquilo que tem maior impacto junto da sua audiência. Família Proximidade Negócios Nicho Fig.24 Tipode publicação. // Cadência O fator mais importante no que toca a publicação é a manutenção de uma cadência constante e expectável. Antes de começar a publicar, deve considerar quanto tempo poderá despender na produção de conteúdo. A frequência de publicação irá afetar a forma como os motores de busca classificam as páginas. Estes colocam páginas com atividade regular acima de páginas que publicam com menor frequência. É, assim, mais fácil construir uma base leal de seguidores se estes souberem quando esperar novas publicações. 3-5 Posts por dia 3 Posts por dia 3 Posts por dia Fig.25 Cadência recomendada. 2 Posts por dia 1-2 Posts por dia 2-5 Posts por dia
  • 32. //Capítulo I - Site e redes sociais 32 Após criar as contas é preciso garantir que quem o segue sabe chegar à sua página. É também necessário trabalhar para aumentar a exposição destas páginas a novas audiências. Aqui ficam 8 dicas para fazer crescer a sua audiência digital: // Passos para aumentar a sua audiência nas redes VALOR HASHTAGS sociais TIMING Numa altura em que a informação abunda, o conteúdo popular consegue emergir e tornar-se relevante pelo valor que cria para a sua audiência. Pense em como o conteúdo que vai produzir pode ser útil a quem o segue. Veja as hashtags como marcadores. Elas permitem uma identificação fácil do conteúdo e ajudam a que qualquer pessoa interessada no tema encontre o que criou. Esta é, também, uma forma fácil de associar o seu conteúdo a discussões globais da mesma área temática. De um modo geral, o início e o final da jornada de trabalho são boas horas para publicar e alcançar um número significativo de pessoas que acedem às redes sociais FEEDBACK durante a sua deslocação diária. Siga os temas da atualidade na sua área de atuação.Partilhe a sua opinião e conhecimentos sempre que os mesmos sejam um contributo positivo. CURIOSIDADE As perguntas são uma oportunidade para partilhar perspetivas.Coloqueperguntase dê respostas aos temas em debate na sua comunidade. NETWORKING Encontre os grupos ou comunidades relacionadas com asuaárea de interessee envolva-se nos debates, partilhe experiências esiga de perto o que de melhor se faz. Conheça asnovidades do seu mercado seguindo os perfis mais interessantes e relevantes, incluindo os seus concorrentes diretos. CONSISTÊNCIA Encontre a cadência ideal para a criação de conteúdos e crie uma expectativa na suaaudiência. A consistência permite à sua audiência acompanhar as suas publicações e saber quando esperar novo conteúdo. Isto fará com que os seguidores voltem regularmente para conhecer as novidades. DIVERSIDADE Publique conteúdo em diversos formatos e aborde temas variados. Encontre o equilibro entre a publicação sobre a atualidade, novidades, tendências, conteúdo promocional e temas da sua área de atuação. Imagens de qualidade têm maior taxa de resposta e engagement. O vídeo, por sua vez, apresenta, atualmente, o mais elevado crescimento de interações.
  • 33. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa //Capítulo SEOeSEM Como gerartráfego e dar nas vistas atravésdosanúncios de pesquisa Num contexto de concorrência, em que quase todas as marcas se encontram presentes no mundo digital, há que garantir que a sua se destaca das demais. Neste capítulo vamos falar de SEO e SEM, duas ferramentas que, se bem utilizadas, colocarão a sua presença em destaque junto da sua audiência. Garanta que o seu negócio é visto pelas pessoas que lhe interessam e potencie o seu investimento.
  • 34. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 34 ParteI SEO É o SEO que define o lugar que a sua marca ocupa no ranking de pesquisa. (...)as ferramentas organizam os resultados consoante a qualidade dos conteúdos, atribuindo uma classificação a cada site relacionado com determinada temática. Muito se fala sobre o SEO (Search Engine Optimisation) sem que, muitas vezes, se entenda o seu poder. Podemos dizer que esta sigla é a responsável pelo impacto que o seu site terá junto do consumidor. Como? É através do SEO que o seu site assume relevâncias nas pesquisas. A toda a hora existem pessoas a pesquisar por alguma coisa online. Algumas dessas pesquisas são relacionadas com a sua área de atividade. Será que, quando pesquisam por ‘sapatos’, por exemplo, a sua sapataria aparece na pesquisa? Ou será que existem centenas de outras sapatarias a aparecer primeiro que a sua? É o SEO que define o lugar que a sua marca ocupa no ranking de pesquisa. E é de si que depende esta localização. Trabalhe no seu SEO para garantir que nunca passa ao lado das pesquisas da sua audiência. Como équeo SEOfunciona? As ferramentas de pesquisa possuem um algoritmo que lhes permite ordenar os milhões de resultados que existem na Internet. De outra forma, seria impossível encontrar o que quer que fosse. Assim, as ferramentas organizam os resultados consoante a qualidade dos conteúdos, atribuindo uma classificação a cada site relacionado com determinada temática. Esta classificação depende das palavras que utiliza para descrever o seu site/negócio. Como obter um bom SEO • Produzir conteúdo de relevância. Conteúdos relevantes para a audiência são mais valorizados pelo Google na hora de listar os vários sites; • Estabeleça as keywords (palavras-chave) de pesquisa certas. Pense no tipo de pesquisa que faria caso quisesse comprar o seu próprio produto. Quais são as palavras que o levam até ele? Será ‘sapatos de plataforma’; ‘sapatarias em lisboa’; ‘sapatos para cerimonia’? As keywords dependem intimamente do tipo de público a que deseja chegar e do tipo de negócio e
  • 35. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 35 produtos/serviços que tem ao dispor. Lembre-se que, quanto mais específicas forem as palavras-chave mais facilmente será encontrado. Que keywords escolher? O mais importante é estar a par das tendências de pesquisa. Vá ao Google e veja o número que uma determinada palavra- chave é pesquisada. Se a palavra for muito popular, é provável que já seja usada por várias outras empresas. Tente palavras menos recorrentes, mais especificas. Garanta, acima de tudo, que todas as palavras-chave se relacionam com o seu negócio. Não quer que o seu cliente se sinta enganado. Análise e monitorização Na Internet tudo muda rapidamente. E com o SEO, o caso é o mesmo. Vá analisando a performance do seu site, esteja sempre a par das novas tendências do mercado e ajuste as keywords às novidades de sucesso junto do consumidor. Como? Siga as próximas dicas. 1. Pesquise e selecione ferramentas que permitam a monitorização da sua performance. Existem opções gratuitas ou pagas. O importante é perceber que métricas são relevantes para o seu negócio e como monitoriza-las. DICA Pesquise pela Yoast ou pela SemRush para conhecer duas das soluções mais utilizadas no mercado para avaliação do seu site. Aí poderá visualizar algumas métricas e perceber que parâmetros alterar para obter melhores resultados.
  • 36. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 36 2. Perceba como funcionam as ferramentas: muitas das ferramentas de SEO possuem blogues ou fóruns de esclarecimento de dúvidas que pode visitar para seguir as sugestões que lá são dadas. Muitas empresas oferecem opções gratuitas para que possa começar a compreender quais os pontos a melhorar no seu site e familiarizar-se com as suas ferramentas antes de subscrevero serviço. DICA Poderá também acompanhar a sua progressão através do ranking fornecido pelos sites Moz e Alexa, que fornecem estatísticas acerca dos visitantes de sites. 3. Esteja atento às mudanças e ao seu impacto no seu site: sempre que há uma novidade a mesma é comunicada online. Vamos imaginar que as ferramentas de pesquisa vão mudar o seu algoritmo para corresponder mais eficazmente aos dispositivos móveis. Sabendo da novidade atempadamente, pode otimizar os seus conteúdos para o mundo digital móvel de forma a manter a sua posição no ranking. 4. Inspire-se na concorrência. O que fazem a mais que a sua marca? São entregas ao domicilio? Descontos? Use essa informação a seu favor e adote as práticas que possam funcionar para o seu negócio. 5. Fale com os seus clientes: a melhor forma de conhecer o seu consumidor é falando com ele. O simples facto de saber como os seus clientes descrevem o seu produto é um excelente insight para estabelecer as keywords de pesquisa.
  • 37. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 37 Checklist para otimização do seu site para pesquisas: Pesquise pelos termos que intuitivamente utilizaria para encontrar produtos similares aos seus.Compare os resultados dessa pesquisa e estabeleça as palavras-chave e tópicos mais adequados conforme os resultados; Analise a concorrência e acompanhe as tendências de mercado; Refine e ajuste consoante os resultados obtidos; Certifique-se que o conteúdo importante disponibilizado através de rich media (Adobe Flash Player, JavaScript, Ajax) também é passível de acesso e leitura por parte dos motores de pesquisa; Lembre-seque a descrição para os motores de busca deve ser a mesma que aquela apresentada aos utilizadores; Implemente um processo de melhoria contínua. Monitorize a performance; Torne cada página do seu site acessível através de um ou vários links de texto no seu website; Crie um site com uma hierarquia clara, assegurando queosURLs contêm uma estrutura percetível no que concerne as palavras- chave e tópicos relacionados;
  • 38. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa GUIA PRÁTICO:On-SiteSEO–como otimizar a estrutura do seu site A otimização da estrutura e páginas do website é crucial para garantir os melhores resultados possíveis. Por esse motivo a estrutura do site e as respetivas páginas devem ser o produto de um processo de pensamento cuidado, em que o design intencional espelha a experiência do utilizador e apresenta uma organização precisa. O ideal será sempre desenvolver esta estrutura antes de criar o site. No entanto, é sempre possível reorganizar alguns elementos e melhorar SEO estrutural numa fase posterior. 38
  • 39. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 39 DICAS Asperguntasque oseusitedeveresponder O desenho de um site e a maneira como a informação é estruturada fazem parte do campo de estudo da Arquitetura de Informação. O objetivo final dos arquitetos de informação é chegar com uma estrutura/design que vá simultaneamente ao encontro dos desejos dos utilizadores e das necessidades do negócio. Esta arte e ciência de organizar a informação dos sites baseia-se em 3 pilares: conteúdo, contexto e utilizadores. Nesse sentido, um site bem desenhado deve responder a estas 4 questões: 1. Estou no lugar certo? – O propósito do site deve ser claro e a identidade da marca deverá estar visível em todas as páginas para assegurar o visitante que este está no lugar pretendido. 2. Será que têm o que procuro? – A navegação deve ser fácil para os visitantes. Links de acesso ou pesquisa deverão estar visíveis e assinalados como tal. 3. Seráquetêmqualquercoisamelhor(casonãosejaisso que pretendo)? - Certifique-se de que os visitantes sabem quais as suas opções (links como “Veja também”, “Produtos Relacionados”). 4. O que eu faço agora? – Proponha aos visitantes várias ações possíveis, à medida que navegam no seu site, recorrendo a apelos à ação (CTA: call to action).
  • 40. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 49 Crie cenários de utilização (personas e use cases) A forma mais simples de começar a projetar o seu site é começar por pensar no tipo de visitante que espera e as ações que este realizará no mesmo, criando cenários de utilização. Estes cenários que caracterizam a experiência do utilizador vão ajudar na criação de um site otimizado com base na sua utilização. Como criarpersonas? • Defina um nome e escreva uma breve descrição acerca das características da persona; Estudanteuniversitário a concluira tese de mestrado. Visitante 1 Visitante 2 Responsável de compras numa empresa. • Liste objetivos potenciais de cada visita, o que cada visitante pretende obter; Informação para a sua tese. Visitante 1 Visitante 2 Preços e serviços disponíveis no mercado. Como criar cenários de utilização? • Defina como o website vai ajudar o visitante a alcançar o seu objetivo. Como será disponibilizado o conteúdo que o visitante procura e que mecanismos utiliza para o ajudar na obtenção da mesma (Visitante 1 – pode ler os artigos do blogue e utilizar a barra de pesquisa para facilitar o acesso ao que pretende; Visitante 2 – Pode visitar página com preçário e fazer download do catálogo);
  • 41. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 41 • Defina as ações que esta persona pode realizar ao aceder ao seu site (Visitante 1 – obter informação, subscrever uma newsletter; Visitante 2 – comprar, registar-se); Faça corresponder as ações dos visitantes a páginas O próximo passo é decidir o que acontece nas suas páginas web e quantas páginas existem. Para tal, é necessário encontrar um equilíbrio entre aquilo que os visitantes necessitam para atingir o seu objetivo atual e as ferramentas que vamos disponibilizar para que atinjam esse fim. No final cada página deve fazer duas coisas: • ajudar o visitante a realizar uma tarefa específica; • facilitar o acesso ao próximo passo. Pense na navegabilidade Ao considerar a navegabilidade do site deve ter em conta uma questão: quantos cliques são necessários para que o visitante aceda a esta informação? Se esta informação for crucial para o visitante assim que acede ao site, ela deve estar no início. A partir daí a informação necessita de estar logicamente encadeada e devem ser propostas ações ao visitante que permitam a navegação até à informação pre- tendida. Utilize a metodologia de card sorting Uma vez definidas as principais categorias do site, podere- mos dar início ao processo de agrupamento de páginas através de um sistema de categorias e subcategorias. O que deve ir para onde? Agora vai precisar de ajuda. Utilizando a metodologia de card sorting, poderá descobrir onde as pessoas gostariam de encontrar algo. É um método intuitivo e fiável para encontrar padrões na maneira como os visitantes esperam encontrar conteúdo
  • 42. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 42 ou funcionalidades. Quanto mais parecidas com as suas personas, as pessoas que o ajudarem forem, mais fiável será o resultado desta triagem. Eis como se processa: 1. É necessário criar um conjunto de cartões de índice, escrevendo um termo (por exemplo, nome de uma categoria ou página) em cada um deles; 2. Cada cartão representa um elemento único no seu site; 3. Estes cartões serão dados a cada um dos participantes neste experiência. Ser-lhes-á pedido que agrupem logicamente os termos que encontram, dando, no final, um nome a cada categoria (agrupamento lógico criado por eles); 4. O resultado final de cada um dos participantes deverá ser registado; 5. Depois de todos os participantes concluírem a tarefa, é necessário analisar o resultado para perceber quais as categorias e como os visitantes esperam ver os conteúdos organizados no seu website. Fig.26 Metodologia de card sorting No final desta análise será possível identificar os menus, submenus e ligações lógicas a estabelecer entre páginas. OralBasesAmaciadorRosto HigieneMaquilhagemCabeloHidratantes Corpo Máscara Sombras Íntima
  • 43. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 43 Defina a estrutura das páginas // Anatomia de uma página web otimizada (Conteúdo) A estrutura das páginas é crucial para o sucesso do website. Uma estrutura otimizada poderá ajudar a diminuir a taxa de rejeições (ao dar visibilidade a conteúdos alternativos que sejam do interesse do utilizador) ou a ajudar na partilha social dos links (através dos respetivos links e mensagens de incentivo à partilha). Deixamos abaixo a nossa infografia acerca anatomia de uma página web otimizada. Navegação O menu mantém-se em todo o site ou necessita de um menu contextual em algumas páginas. Título Deve ser descritivo e fazer referênciaaosconceitos-chave. Cabeçalho Claro e informativo, explica o tema queserá abordado. Conteúdo Idealmente deverá ser único, informativo, claro e simples. Autoria Nome do autor, data e informações pessoais Links Seleção de links relacionados com o tema no próprio site ou no exterior. Fig.27 Conteúdo deuma página.
  • 44. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 44 // Anatomia de uma página web otimizada (Apelo à ação) Botões de redes sociais Incentivar a ligação à marca em outras plataformas. Partilha A partilha fomenta a difusão do seu conteúdo por parte dos visitantes. Redes sociais e email são essenciais. Subscrição Permite a captura de dados acerca dos visitantes e uma ligação permanentebaseadanacriação devaloracrescentado. // Anatomia de uma página web otimizada (Design) Compra A disponibilidade imediata dos produtos permite maior fluidez e agilidade no processo de compra. Fontes da web O uso de fontes permite maior versatilidade, assegurando ao mesmo tempo uma experiência sem falhas. Legibilidade O tamanho dos elementos, contraste, cores influenciam a experiência do utilizador. Imagens As imagens devem ser simples e de fácil leitura. Responsividade A otimização para os vários dispositivos web é obrigatória.
  • 45. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 45 // Anatomia de uma página web otimizada (Tecnologia) Carregamento O tempo de carregamento da página pode ser a diferença entre ganhar e perder um leitor ou cliente. O objetivo é atingir o menor tempo de carregamento possível. Compressão de imagem Otimizar imagens para web faz com que o seu site carregue mais rápido. Ao adicionar imagens, redimensione-as, retire o espaço em branco e guarde as imagens em formato JPEG. HTML5 Considerada o standard atual no desenvolvimento web, esta linguagem permite a incorporação de elementos multimédia e imagens sem recorrer a outras tecnologias (Flash). CSS3 Standard atual no web design, esta nova versão das folhas de estilo assegura a retro compatibilidade e também vem contribuir para a maior rapidez no carregamento das paginas do site. // Anatomia de uma página web otimizada (Meta dados) Estrutura URL A estrutura de URL deve exprimir o encadeamento lógico do caminho até ao conteúdo. Para melhor legibilidade, utilize pontuação no nome das páginas 'www.apadaria. pt/pao-e-bolos', sendo preferível a ‘www.apadaria.pt/paoebolos’. Meta descrição Uma descrição bem redigida e atraente contribui para um aumento taxa de cliques (CTR). Este é um dos fatores utilizados pelo Google para melhorar o posicionamento de um site no seu ranking. Alternative tags Permite a captura de dados acerca dos visitantes e uma ligação permanentebaseada na criação devalor acrescentado.
  • 46. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 46 DICA A página perfeita O blogue da MOZ possui vários artigos sobre este tema. Pode começar por ler este: https://moz.com/blog/visual- guide-to-keyword-targeting-onpage-optimization. Nele, Rand Fishkin apresenta um guia bastante completo acerca daquilo que os motores de busca pretendem e explica a sua visão acerca da página “perfeitamente” otimizada. Parte II SEM Dê nas vistas. Como? Através dos anúncios de pesquisa Vamos começar este ponto tendo em conta os objetivos básicos da publicidade tradicional. Um anúncio, seja ele televisivo, em outdoor ou qualquer outro formato, é mostrado a milhares de pessoas independentemente de terem ou não interesse no produto. É feito para as massas, portanto um ótimo veículo para divulgar uma marca. Por quê? Porque algures no conjunto de pessoas alcançado estará um potencial cliente. No entanto, no mundo digital não tem de ser assim. Quando falamos de anúncios de pesquisa, falamos de anúncios direcionados, ou seja, que vão ao encontro do seu cliente, de quem efetivamente procura pelo seu produto. Se eu vou na rua e vejo um outdoor com uma publicidade a uma sapataria, estou perante um anúncio tradicional; se, por outro lado, sou eu que tomo a iniciativa de procurar por uma determinada gama de sapatos online e o seu site aparece na pesquisa, estamos perante um anúncio direcionado. Mas vamos perceber melhor como tudo isto funciona intro- duzindoumnovotermo:o SEM(ouSearchEngineMarketing). O SEM está presente em quase todas as pesquisas que
  • 47. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 47 fazemos online sem que tenhamos noção disso. Quando pesquisamos por algo no Google, como ‘sapataria’, vai-nos aparecer uma lista de resultados. A grande maioria dos links que aparecem na página são os denominados ‘orgânicos’, ou seja, sites que pela sua relevância e pelo seu bom SEO aparecem em primeiro na pesquisa. No entanto, no topo da pesquisa há um espaço que o Google reserva para os anúncios. Ou seja, espaços pagos onde as marcas podem colocar o seu site desde que utilizem as keywords da pesquisa e de relevância para o negócio. Este tipo de anúncio apresenta vantagens face ao tradicional. O público ao qual vai ser exibido o seu produto, é o público que pesquisa esse mesmo produto. Já os anúncios tradicionais, por sua vez, são exibidos às massas, independentemente de terem ou não interesse. No entanto, importa aqui frisar que não basta ‘pagar’ para ter direito a aparecer nos anúncios de pesquisa. É importante que o site corresponda a todos os critérios acima descritos quando falamos do SEO. Isto porque, se o site não for relevante, independentemente de a empresa estar disposta a pagar, poderá não ter direito a ocupar lugar de destaque nas pesquisas. No fundo, o Google faz uma média entre o valor que a em- presa disponibiliza para anúncio com a relevância do site. As empresas com as melhores médias são as que conquistam o espaço. Garantaque osseusanúncios se destacam Um dos maiores constrangimentos deste tipo de anúncios é que a maioria dos marketeers faz uso do mesmo género de formato. Isto faz com que os diferentes anúncios se confundam, complicando o processo de seleção e decisão para o consumidor. Se, quando pesquisamos por ‘sapatarias’ tudo o que nos
  • 48. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 48 Para que o seu anúncio se destaque deve torna-lo único. Use imagens títulos apelativos, promoções, packs especiais, tudo que seja diferenciador. aparece são resultados idênticos, acabamos por abrir um qualquer. Para que o seu se destaque, deve torna-lo único, usando imagens, títulos apelativos, promoções, packs especiais, tudo que seja diferenciador. No final de tudo lembre-se do ‘call to action’. Expressões como ‘clique aqui’; ‘compre já’; ‘faça a sua reserva agora’; ‘deixe-nos o seu contacto’, etc. são incentivadoras de uma possível decisão. DICA Antes de estabelecer as keywords que vai utilizar confirme a sua relevância. Pode usar a aplicação disponibilizada pelo ‘Moz’ ou pelo Google. • Keyword Explorer Moz: https://moz.com/blog/announcing-keyword-explorer- mozs-new-keyword-research-tool • Google Adwords – Keyword Planner: https://adwords.google.com/KeywordPlanner • Neste link pode encontrar um tutorial sobre como utilizar o Keyword Planner: http://backlinko.com/google-keyword-planner
  • 49. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa GUIA PRÁTICO:SEM–Aexperiência doutilizador e as palavras-chave “Imediata. Relevante. Sem ruído.” É assim que o Google define a experiência que os consumidores esperam quan- do procuram informação num dispositivo móvel ou quando querem encontrar, fazer ou comprar algo. Para ganhar a sua atenção, as marcas têm que estar disponíveis nesses micro- -momentos. Para ganhar clientes num mundo cada vez mais ligado à Internet, as marcas necessitam de se comprometer a estar presentes nos micro-momentos que realmente importam para a sua audiência. Para perceber se o está a fazer, atente ao seguinte: considere os tópicos de pesquisa mais relevan- tes para a sua marca, pegue no seu equipamento móvel e faça essa pesquisa. A sua marca está lá? Gosta do que vê? Perceba o posicionamento da sua empresa no ranking de pesquisa: observe se está no fim ou no início e planeie a sua estratégia. 49
  • 50. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 50 Sridhar Ramaswamy, num artigo produzido para o 'Think With Google', afirma que é nos micro-momentos que as marcas podem ganhar os corações, mentes (e dinheiro) dos consumidores. Deve ligar-se às pessoas que procuram, em tempo real, fornecendo informações relevantes quando ne- cessário. A otimização de conteúdo é um processo contínuo e cíclico. É sempre necessário perceber quais as palavras-chave re- levantes para a sua marca no momento para garantir que a sua audiência o encontra quando necessita. //Como encontrar as palavras chave para a sua marca No entanto, a pesquisa de palavras-chave ainda é um pro- cesso manual, contínuo e demorado. Ferramentas como o Google Keyword Planner permitem obter uma lista de pala- vras-chave inicial. Outras ferramentas de pesquisa compe- titiva, como SEMRush ou SpyFu, podem dar-lhe informação acerca das palavras-chave utilizadas pela concorrência, mas esta é uma tarefa interminável. Encontre as expressões mais utilizadas (long tail keywords) Estas são por norma expressões de 3 a 5 palavras utilizadas para pesquisar por um determinado tópico. Os estudos indicam que as pessoas à procura de expressões têm maior probabilidade de comprar. Nomes de produtos e descrições de produtos são comuns. Estas pesquisas têm menor volume, mas aumentam a probabilidade de ir ao encontro do que a sua audiência pretende. Utilize termos relacionados com a pesquisa Se vender sapatos, o motor de busca espera encontrar na sua página termos relacionados, como marcas, modelos e tamanhos. Quanto mais palavras relacionadas forem encontradas, mais alta será a classificação da sua página no ranking de pesquisas. Esteja atento às tendências As redes sociais são uma espécie de barómetro de popularidade dos tópicos do dia. Se encontrar hashtags, pesquisas ou temas relacionados com o seu negócio, poderá utilizar essas palavras para entrar na discussão e obter um aumento de visitas.
  • 51. //Capítulo II - SEO E SEM: como gerar tráfego no seu site e dar nas vistas através dos anúncios de pesquisa 51 Utilize a localização a seu favor Adicionar nomes de cidades, países ouregiões àspalavras pode ajudá-lo a atrair visitantes que estejam nas proximidades. Este género de palavra- chave funciona particularmente bem para locais físicos ou audiências em busca de expedição rápida de bens comprados online. Esteja atento ao seu site Se já atrai visitantes, verifique que pesquisas levaram os visitantes ao seu site. Analise as expressões mais populares e inclua variações das mesmas nas suas páginas. Esteja atento à concorrência Mantenha-se a par das palavras-chave utilizadas pela concorrência e tente perceber o que está a funcionar para eles. Poderá encontrar informação relevante para a sua página.
  • 52. //Capítulo III - Analisar para evoluir //Capítulo Analisar para evoluir A partir do momento em que a sua presença digital possui uma estratégia definida, é importante ir medindo os resultados. Para isso deve, obrigatoriamente, ter estabelecidos os objetivos que deseja atingir. São vendas? Reconhecimento? Independentemente do que deseja obter, a monitorização e a análise devem sempre fazer parte das tarefas associadas à manutenção da presença digital. Neste capítulo vamos dar-lhe algumas dicas de ferramentas e processos que pode seguir para estar sempre a para da evolução do seu negócio, adaptando as suas estratégias sempre que necessário.
  • 53. //Capítulo III - Analisar para evoluir 53 Analisar para evoluir Qualquer negócio precisa de objetivos. A única forma de saber se estão a ser atingidos ou não é através da análise ao trabalho efetuado. Na Internet, a análise é fundamental. Ela permite avaliar a performance digital e responder a todas as questões sobre o comportamento dos consumidores. Há todo um mundo de ferramentas de análise online – gratuitas ou pagas – às quais pode aceder. Mas que tipo de dados podem estas ferramentas obter para ajudar a sua marca? Independente da ferramenta que use, o importante é perceber as métricas que deve utilizar, como as de ‘visitantes únicos’ e/ou o ‘tempo gasto no site’. As métricas são adaptadas ao tipo de negócios e aos objetivos que a marca tem. As métricas são adaptadas ao tipo de negócios e aos objetivos que a marca tem. Se o seu objetivo é vender online, há métricas que lhe permitem medir o volume de vendas e quais os produtos mais populares. Se, por outro lado, o seu objetivo não é vender online, mas sim que os utilizadores leiam os seus conteúdos, as métricas mais indicadas serão as que analisam o tempo médio de leitura, os artigos mais lidos e até o número de vezes que as pessoas vão ao seu site ou blogue. Uma das métricas mais importantes traduz-se em conversões. Métricas de conversão: por conversão entendemos cada objetivo cumprido. Seja quando um visitante lhe deixa o seu e-mail para receber newsletters, seja quando alguém pede mais informações sobre um produto ou até mesmo quando faz uma review positiva ao seu negócio. As métricas de conversão representam a quantidade de pessoas que foram ao seu site e foram ‘convertidas’ num objetivo. As métricas permitem-lhe ter acesso a insights básicos, mas muito úteis, como o tipo de dispositivo usado para aceder ao seu site, as horas do dia com maior volume de acessos, as campanhas de marketing com mais sucesso e muito mais.
  • 54. //Capítulo III - Analisar para evoluir 54 Como adaptar as ferramentas de análise àsnecessidades dasuaempresa? Nunca foi tão fácil medir objetivos como no marketing digital. As métricas de análise permitem-lhe acompanhar o consumidor em toda a sua jornada: como foram parar ao seu site, o que fazem enquanto navegam nas suas páginas e quais os assuntos que lhe despertaram mais interesse. Tudo isto é vantajoso pois, conhecendo o seu cliente, os seus hábitos e gostos, é mais fácil ir ao encontro das suas necessidades. A melhor forma de tirar partido das ferramentas de análise é esta mesmo: entender a jornada do consumidor e agir de acordo com as suas expectativas. Depois, basta ir medindo os resultados. Voltando ao exemplo da sapataria, vamos imaginar que, através das métricas, consegue perceber que houve 100 pessoas a clicar num produto mas ninguém comprou. Este insight permite-lhe ir verificar a possibilidade de algum problema. Imaginemos, por outro lado, que há várias pessoas a clicar no cesto de compras mas a desistir na fase final. Por que será? Haverá algum erro no sistema, estará o produto com um preço elevado. Deve ir olhando para as métricas e ajustando a sua estratégia a cada passo. Mais do que simplesmente dar dicas sobre o consumidor, a análise permite-lhe monitorizar o desempenho do seu site para saber o que está mal e agir em conformidade. Sem objetivos é impossível medir a progressão. A importância dos objetivos Como temos vindo a constatar, os objetivos são uma parte fundamental em todas as áreas do negócio. No caso das ferramentas de análise, há tanta informação, dados e métricas que é fulcral saber filtrar o que importa. Sem objetivos é impossível medir a progressão. Há vários objetivos que pode ter. Nem sempre um objetivo é sinónimo de uma venda. Pode, simplesmente, desejar que os utilizadores subscrevam um formulário. Ao obter os contactos de um potencial cliente, será mais fácil conquistá-lo através do envio de ofertas, campanhas e promoções, por exemplo.
  • 55. //Capítulo III - Analisar para evoluir GUIA PRÁTICO:Como escolher ferramentas de análise e medir os visitantes de uma página No que diz respeito a produtos e serviços, nunca antes foi tão fácil para as marcas saber o que dizem sobre si…o bom e o menos bom. Mas, para isso, são necessárias ferramentas que permitem analisar os comentários e o sentimento latente, de modo a poder agir em conformidade com as reais necessidades do seu consumidor. 55
  • 56. //Capítulo III - Analisar para evoluir 56 DICAS GoogleAnalytics-analisar o comportamento dosvisitantes O Google Analytics é uma das plataformas web mais utiliza- das para recolher dados sobre os visitantes do seu website. A plataforma permite recolher e analisar informações sobre tudo, estando dividido em quatro áreas-chave de relatórios. • Audiência (quem visita o site): • Aquisição (como chegam ao site); • Comportamento (o que fazem enquanto estão no site); • Conversões (conseguiram atingir o objetivo da visita enquanto estiveram no site). A plataforma permite a otimização de campanhas de marke- ting, melhoria da usabilidade do site e a identificação mais eficaz de públicos-alvo. Para perceber como utilizar esta ferramenta pode inscrever- se nos cursos gratuitos fornecidos pela academia do Goo- gle: https://analyticsacademy.withgoogle.com.
  • 57. //Capítulo III - Analisar para evoluir 57 De forma a saber quais as ferramentas que deve utilizar no dia a dia da sua empresa, há alguns critérios que deve ter em conta. Consoante a atividade empresarial e os objetivos estabelecidos as ferramentas podem variar. Deixamos aqui 12 sugestões de critérios que pode ter em conta na hora de escolher a ferramenta com que vai trabalhar. Lembre-se que os critérios são dependentes da atividade da marca e que podem ir desde o comportamento e experiências aos usos internos – as vantagens e usos que a empresa irá dar à ferramenta. Pense nos seus objetivos empresariais de um modo global e estabeleça critérios que separem o essencial do supérfluo. Analise protótipos e faça experiências. PRECISÃO, RELEVÂNCIA E RESULTADOS Não há padrões de métricas que sejam infalíveis, assim como não há padrões de medida estandardizados. No entanto, é fulcral que a informação, depois de trabalhada, seja fundamentada numa base factual sustentável. Garanta que a ferramenta que vai utilizar tem a possibilidade de confirmação de dados. As métricas qualitativas podem ser tão ou mais relevantes que as quantitativas. A combinação de ambas permite por norma a extração de informações globais mais precisas. PERFORMANCE: RAPIDEZ, FACILIDADE DE ACESSO E UTILIZAÇÃO A ferramenta deve ser rápida e eficaz a disponibilizar os dados. Deve ser possível olhar para os resultados sem ter de estar dias ou horas à espera da extração. Além disso, a ferramenta deve permitir a extração ou edição rápida dos mesmos através do uso de filtros: período de análise, canais, temas, etc. HISTÓRICO, POSIÇÃO NO MERCADO E CONDIÇÕES FINANCEIRAS (DA EMPRESA) Encontre uma empresa – fornecedora da ferramenta – que esteja disponível para resolver possíveis problemas. Mais do que isso, uma empresa que esteja habituada a trabalhar com a sua área de negócio. Não há nada pior do que ter um problema em mãos e não o poder resolver atempadamente.
  • 58. //Capítulo III - Analisar para evoluir 58 Num mercado crescente onde cada vez mais surgem aplicações e ferramentas, é importante saber o histórico de cada uma, assim como a posição que ocupam no mercado e a confiança que lhes é atribuída. INTEGRAÇÕES Na sua jornada de compra, o consumidor usa múltiplos canais. Tendo isso em conta, opte por ferramentas que lhe permitam ir buscar dados a todas essas fontes. Em vez de usar várias aplicações – uma para cada canal – opte por algo que reúna tudo. Assim, irá ter efeitos positivos a longo prazo, embora no instante possa parecer um maior investimento. CUSTOS E LICENÇAS Os preços para as ferramentas de análise variam em larga escala. Veja e compare. Não pense que o investimento é só na ferramenta… muito provavelmente necessitará de investir recursos em formação ou serviços externos de análise, investir em possíveis extras ou adaptar a ferramenta às suas necessidades e tudo isso pesa na fatura. CUSTOMIZAÇÃO A customização da linguagem é um fator-chave. As ferramentas têm dicionários incorporados, mas os mesmos não possuem a capacidade de filtrar determinados usos das palavras. Por exemplo, palavras usadas com ironia podem ser assumidas como positivas embora no contexto do comentário tenham uma conotação negativa. FONTE DOS DADOS Extrair dados do Twitter será sempre diferente de extrair dados de um fórum ou de uma crítica no TripAdvisor. A ferramenta escolhida deve conseguir extrair dados das fontes que importam à marca e deve ter a capacidade de filtrar somente o que interessa. LÍNGUAS SUPORTADAS Algumas ferramentas suportam apenas uma língua enquanto outras permitem acrescentar dicionários das línguas ou países onde quer efetuar a análise e retirar a amostra.
  • 59. //Capítulo III - Analisar para evoluir 59 FUNÇÃO DE ANÁLISE Há certas análises que só podem ser feitas humanamente. A análise do sentimento, por exemplo, embora esteja disponível em algumas ferramentas, exige um esforço humano adicional para descodificar o verdadeiro sentido e contexto dos comentários. A maioria das ferramentas consegue extrair e classificar relativamente bem, contudo a análise e validação necessitam, por norma, de uma confirmação humana. CAPACIDADE DEADAPTARASEMÂNTICA Muitas vezes, as palavras que constam nas aplicações não estão adaptadas à realidade de cada empresa. Dependendo do ponto de vista, podemos considerar algo bom ou mau. Se for uma empresa de jogos online, um comentário como: “este jogo é de morte!!” pode ser avaliado automaticamente como negativo. Mas será que o é? Garanta que a ferramenta que escolhe está o mais próximo possível da sua realidade. DICA Como medir visitas a páginas específicas? Existem vários momentos em que poderá necessitar de medir o número de visitas a uma página especifica no seu website. Lançou um novo produto ou promoção, publicou conteúdo importante ou enviou um email e pretende saber se clicaram no link que enviou. Existem várias ferramentas que pode utilizar para esse objetivo. Uma das mais simples é o Bitly. Para utilizá-la, crie uma conta em www.bitly.com e clique no botão vermelho ‘Create Bitlink’ que se encontra no canto superior direito. Irá surgir um separador do lado direito, coloque o link a seguir na caixa de texto ‘PASTE LONG URL’. Se pretender, pode personalizar o nome a mostrar e o link. Depois disso, basta clicar em ‘Create’ e este link será guardado no seu perfil. A partir desse momento, necessita apenas de partilhar o novo link e cada clique novo será contabilizado e apresentado no seu perfil.
  • 60. //Capítulo IV - O poder do mobile //Capítulo Opoder do mobile As novas tecnologias mudaram a forma como consumimos e produzimos informação. A partir do momento em que se torna possível aceder aos conteúdos a qualquer altura e em qualquer lugar, as marcas têm de adaptar a sua estratégia para garantir que estão presentes nesses mesmos momentos. O mobile representa uma grande parte dos acessos à internet. Para que a sua presença digital seja relevante neste contexto, há passos que deve seguir para adaptar os conteúdos ao meio. Neste capítulo vamos dar-lhe algumas dicas para que seja mais fácil fazer esta transição.
  • 61. //Capítulo IV - O poder do mobile 61 Como todos sabemos, os dispositivos móveis têm assumido uma relevância fulcral nos últimos tempos. A comodidade da sua usabilidade e o acesso instantâneo em qualquer local e em qualquer momento fazem desta tecnologia a mais popular da atualidade. Não é, portanto, de estranhar, que as marcas que querem singrar estejam atentas às novas funcionalidades do mercado. O denominado de ‘mobile marketing’ tem crescido significativamente e são, cada vez mais, as empresas que especificam as suas campanhas e os seus conteúdos para os dispositivos móveis. Se, inicialmente, os telemóveis serviam para fazer chamadas, hoje torna-se difícil pensar na quantidade de usos que lhe podemos dar: ir à Internet, enviar e-mails, tirar fotografias, viajar recorrendo ao GPS, publicar nas redes socias, etc... (...)o mundo móvel oferece às empresas várias oportunidades de encontrar os seus clientes no momento certo: quando surge a necessidade. A verdade é que esta popularidade se deve a dois simples fatores: a simplicidade e usabilidade. Estes dispositivos vão connosco para todo o lado. Se as marcas querem chegar aos consumidores têm de estar onde? Em todo o lado. E isto só é possível se estiverem adaptadas ao mundo móvel. Seja para aumentar o reconhecimento da marca, criar relações com os consumidores ou aumentar o volume de vendas, o mundo móvel oferece às empresas várias oportunidades de encontrar os sus clientes no momento certo: quando surge a necessidade. Adaptar-se ao mundo móvel 1. O seu site deve ser rápido: os utilizadores não esperam. Garanta que os seus conteúdos não tornam o site lento e confirme sempre se quando abertos num dispositivo móvel os conteúdos aprecem como é suposto; 2. Adaptado às características: se existe a possibilidade para o seu consumidor ter um ícone de chamada e ligar-lhe no momento em que entra no seu site, torne
  • 62. //Capítulo IV - O poder do mobile 62 isso possível. Tenha o mapa para a sua loja física. Aproveite todas as características do formato. Ecrãs e aplicações Há duas formas de chegar ao seu público no mobile: tendo um site mobile-friendly (adaptável a ecrãs mais pequenos) ou tendo uma aplicação. O que deve o seu site ter para ser mobile-friendly? • Adaptabilidade aos diferentes ecrãs; • Fontes e botões fáceis de ler e de clicar; • Navegação simples e clara: deve ser intuitivo aos utilizadores navegar pelo seu site; • Calls To Action identificáveis: se o cliente lhe quiser ligar ou dirigir-se à sua loja, deve ter ao dispor essas opções. AplicaçõesMóveis Além do site em si, é também possível para os utilizadores visitarem as suas marcas através de uma aplicação. Há várias empresas que investem em aplicações próprias quando isso é benéfico para os seus negócios. No entanto, nem sempre se justifica. Seja num site, numa versão móvel ou numa aplicação, a experiência do consumidor deve ser sempre o mais importante. Além disso, a informação basilar da empresa deve ser coerente em todos os formatos que venham a ser adotados. A vantagem principal de uma aplicação é o facto de permitir um acesso mais rápido e personalizado à informação que consta no site. A vantagem principal de uma aplicação é o facto de permitir um acesso mais rápido e personalizado à informação que consta no site. Há, portanto, uma otimização da experiência do utilizador. Para avaliar se deve ou não ter uma aplicação, convém voltar aos pontos anteriores deste ebook de forma a perceber onde está a sua audiência, olhando para as métricas e vendo de que dispositivos acedem ao seu site e percebendo a relevância do formato para o seu negócio.
  • 63. //Capítulo IV - O poder do mobile 63 Checklist paraavaliarasua performancenos dispositivosmóveis: Utilize o seu smartphone para visitar o seu site. Não use a rede wi-fi, mas sim os dados móveis. Analise o tempo que demora a carregar; Verifique se as imagens, vídeos, textos e todos os conteúdos que tem disponíveis aparecem ajustados ao tamanho do ecrã; DICA Vá às redes sociais e faça o mesmo processo: verifique as imagens de capa, perfil e as publicações para garantir que estão adaptadas. A forma mais fácil de verificar se o seu site é ou não mobile- friendly, é através da seguinte aplicação: http://ready.mobi
  • 64. //Capítulo IV - O poder do mobile 64 How-to Como saber as dimensões dos diferentes dispositivos? Para o seu site ser mobile-friendly deve ter um design adaptado a todos os ecrãs, permitindo uma experiência móvel otimizada, independentemente do formato que o utilizador esteja a utilizar. De seguida, vamos dar-lhe a conhecer as diferentes dimensões às quais os seus conteúdos devem estar adaptados. 1024+ 1023 - 768 767-480 até 479 Dimensões paracadaecrã. Como saber os tamanhos certosem cadaredesocial? Foto de perfil: 180 x 180 px Foto de capa: 828 x 315 px Foto de perfil: 400 x 400 px Foto de capa: 1500 x 500 px Foto de perfil: 800 x 800 px Foto de capa: 2560 x 1440 px Logo: 400 x 400 px Fundo: entre 1000 x 425 e 4000 x 4000 px Banner: 646 x 220 px Img com link: 800 x 800 px Perfil: 165 x 165 px Quadro: 222 x 150 px Pins: 236 px delargura (a altura é dimensionada) Perfil: 110 x 110 px Foto enquadrada no feed: 510 x 510 px Foto em paisagem no feed: 600 x 450 px Foto em retrato no feed: 1080 x 1350 px Foto de perfil: 250 x 250 px Foto de capa: 1080 x 608 px Fig.28
  • 65. //Capítulo V - Geração de leads e monetização //Capítulo Geração de leads e monetização Há vários objetivos que uma marca pode ter quando cria a sua presença digital. No entanto, há um que é quase sempre comum: rentabilizar o meio. Através da geração de leads e da monetização pode criar va- lor para a sua marca. Há formas de monetizar um site para que o mesmo gere valor. Neste capítulo va- mos explicar-lhe quais os passos a seguir.
  • 66. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 66 Geração de Leads e Monetização A geração de leads traduz-se num conjunto de ações que visam transformar o visitante de um determinado site num potencial cliente final. Podemos definir 3 objetivos principais para a geração de leads: Angariar consumidores (...) Despertar o desejo (...) Gerar vendas através do digital (...) • Angariar consumidores potencialmente interessados no seu produto/serviço; • Despertar o desejo de compra incentivando a uma ação; • Gerar vendas através do digital reduzindo assim o custo de aquisição. Como funciona? Podemos definir uma lead como o incentivo à tomada de ação do seu consumidor. Vamos supor que o seu desejo é obter os e-mails de quem o visita para, posteriormente, criar uma campanha de e-mail marketing. Uma das coisas que pode fazer é: deixar algo no site que incentive a pessoa a dar- lhe o e-mail ‒ pode ser um estudo, um inquérito, um ebook, várias hipóteses. Imaginemos algo como: ‘Clique aqui para aceder ao estudo sobre X assunto’. A pessoa clica e é encaminhada para uma página que diz: ‘Deixe-nos o seu e- mail para fazer o download’ ou então ‘Deixe-nos o seu e- mail caso queira receber os resultados deste estudo’. Caso a pessoa efetivamente lhe deixar o e-mail, gerou-se umalead,ouseja,umcontactoqualificado. O ideal é angariar as leads através de landing pages – páginas onde consta informação sobre algo, como um vídeo, um tutorial, um ebook, etc. Por norma, a página dá ao utilizador alguma informação de interesse, mas ‘obriga-o’ a preencher um formulário para obter um acesso mais completo ou integral.
  • 67. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 67 Estas landing pages podem depois ser partilhadas nas redes sociais, no seu site, em grupos, etc., de forma a gerar tráfego e aumentar a possibilidade de leads qualificadas. Como se efetua a geração de uma lead? 1. Os consumidores encontram o produto/serviço através de um determinado canal de comunicação. As empresas/marcas devem ter ativos apenas os canais que estejam em conformidade com as necessidades e o segmento de negócio. 2. Esses canais de comunicação conduzem o consumidor para uma página de destino que tem como objetivo apresentar o produto/serviço. Daí a importância de estar presente nos canais certos. 3. Na Landing Page, o consumidor interessado no produto/serviço irá preencher um formulário, na troca de uma oferta ou benefício. 4. Ao submeter o formulário e enviar os seus dados o consumidor torna-se um potencial cliente. 5. Assim, gera-se uma lead que será depois trabalhada pelas equipas comerciais da empresa de modo a que se transforme numa venda. As principais vantagens Aatravés de um bom marketing de conteúdo, a criação de leads é uma das melhores formas de potenciar o seu negócio. Há várias vantagens associadas a este processo pelo que selecionamos as principais. 1. Obtenção das informações de contacto de potenciais clientes com interesse na aquisição do produto ou serviço que tem a oferecer; 2. Maior comodidade e rapidez para os consumidores que pretendem solicitar informações a várias empresas;
  • 68. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 68 3. Oportunidade de fornecer informação acerca do seu produto ou serviço de forma controlada, gerindo os vários níveis de acesso à informação consoante a fase do ciclo devendas; 4. Maior taxa de sucesso na conversão de leads em clientes devido ao facto de estes contactos demonstrarem interesse prévio no produto ou serviço em questão; 5. Redução e controlo de custos no processo de angariação de novos clientes – uma vez criada a informação a página pode permanecer online durante bastante tempo, maximizando o retorno do seu investimento; 6. Maior exposição da marca em diversos canais de marketing; 7. Fortalecimento da relação com os consumidores através da partilha de conteúdos personalizados; 8. Construção de uma base de dados para comunicações futuras; 9. Oportunidade de fidelização e angariação de embaixadores ou promotores da marca devido à geração de valor intrínseco. Monetização Quando falamos em leads quase obrigatoriamente temos de falar de monetização, em particular da monetização do seu site/blogue, ou seja, como converter as suas visitas online em lucro efetivo para a empresa. Por outras palavras, como ganhar dinheiro com os conteúdos que produz para a web. Quando inicia o seu projeto online certamente que um dos objetivos é monetiza-lo. Mas como pode fazê-lo? Há passos que deve seguir. Afinal de contas, que conteúdos podem gerar lucro e como o pode fazer?
  • 69. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 69 Há duas formas de gerar lucro:vender efetivamente o seu produto ou serviço aos utilizadores ou então gerar tráfego suficiente para se tornar apetecível aos publicitários. Há duas formas de gerar lucro: vender efetivamente o seu produto ou serviço aos utilizadores, ou, então, gerar tráfego suficiente para se tornar apetecível aos publicitários. Ou seja, ter publicidade nos seus conteúdos. 1 – No primeiro cenário, tem de ter em mente que as pessoas, principalmente no mundo digital, só compram aquilo que acreditam ser uma solução para um problema. Regra geral as pessoas estão dispostas a pagar por: • Eficácia: resolver um problema específico; • Eficiência: poupar tempo, esforços e recursos; • Estatuto: a relevância do seu produto para as comunidades virtuais. Se o que vende está ‘trending,’ é provável que venda muito mais (importância dos influencers). 2 – No segundo cenário, as coisas são um pouco mais simples. Aqui o objetivo é gerar lucro, sem, na prática, vender nada a ninguém. Se o seu site tiver bastante tráfego, ou seja, seguidores, visitas, comentários, etc., ele será apetecível para as empresas que fazem publicidade online. Pode efetivamente gerar bastante lucro com os conteúdos que publica. Vamos imaginar que tem um blogue sobre fitness e estilo de vida saudável com um milhão de seguidores. Para as marcas, aparecer no seu blogue é, no mínimo vantajoso. E quais marcas poderiam ter interesse em criar parcerias consigo? Marcas da especialidade claro. Há que ter sempre em conta como tirar o melhor partido daquilo que faz, mas sem ‘aborrecer’ os consumidores. Se enveredar pelo caminho da publicidade, lembre-se de evitar massacrar os seus seguidores. Ninguém gosta de entrar numa página e ter de fechar 4 ou 5 banners publicitários. A probabilidade de virem a desistir de si é grande e, aí, a monetização deixa de fazer sentido.
  • 70. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 70 Dicas deperito A forma mais simples de iniciar este processo é através do AdSense do Google. O Google Adsense é uma ferramenta utilizada para exibir anúncios na sua página, adaptando a publicidade exibida ao nicho de seguidores abordado pelo seu blogue. A partir do momento em que instala no site o código para as publicidades de Adsense, passa a ter um retorno financeiro por parte do Google. Ou seja, o Google paga-lhe para usar o seu site como plataforma de publicidade. Como? Basta fazer o registo no Adsense e colocar os códigos de publicidade na página. O que acontece é: sempre que um leitor vai à sua página/blogue/site e clica no anúncio que o Google lá colocou, a sua empresa irá receber um determinadovalor financeiropor isso. É o próprio Google que determina as publicidades que são exibidas, mas pode selecionar espaços restritos. Lembre-se que há determinados conteúdos que não devem ter publicidades. Selecione, dentro do que produz, quais as secções que podem ter as publicidades sem que isso cause ruido aos seguidores. Obs.: há outras plataformas semelhantes ao Adsense que pode usar no seu site. Faça uma pesquisa e veja o que mais compensa o seu negócio. Para mais informações sobre este assunto visite: http://www.google.pt/intl/pt-PT/adsense/start/resources
  • 71. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 71 Checklist geraçãodeleads e monetização: Selecione um público-alvo e decida o que vai promover junto dessa audiência; Escolhaa plataforma mais adequada para comunicar com a suaaudiência; Desenvolvauma campanha de geração de leads e utilize os contactos obtidos para comunicar acerca do que pretende; Decida qual a sua estratégia de monetização: venda direta ou promoção de produtos de terceiros através de conteúdos patrocinados; Encontre o equilíbrio entre aquilo que a sua audiência procura e a sua estratégia de retorno de investimento.
  • 72. //Capítulo V - Geração de leads e monetização 72 How-to Dos micro-momentos às vendas // Ações dos consumidores Decidir sobre todas as etapas da jornada: seja arranjaralgo partido, comprar um produto novo ou simplesmente procurar informação. A Internet permite ao consumidor receber toda esse conhecimento em momentos. Satisfazer a curiosidade: se outrora os consumidores tinham de esperar para obter informação, hoje, em meros segundos, encontram tudo o que precisam de saber. Basta um simples clique para ficar a par de tudo. Chegar onde queremos: as ferramentas de localização permitem ao utilizador encontrar o que quer e decidir onde ir numa questão de segundos. Decidir sobre todas as etapas da jornada: seja arranjaralgo partido, comprar um produto novo ou simplesmente procurar informação. A Internet permite ao consumidor receber toda esse conhecimento em momentos. // Ações das marcas Atrair a atenção do cliente tendo o produto disponível de uma forma apelativa. Fidelizar o consumidor tendo informação relevanteàdisposição. Informaçãocredível levará a marca a ganhar votos de confiança. Apoiar o consumidor na sua fase de procura com tutoriais, dicas e ideias de ‘como fazer’. Convidar o consumidor à experiência, fornecendo sugestões estruturadas e apelativas, com serviços de localização precisos e fáceis de utilizar. Momento eu quero fazer Momento eu quero ir Momento eu quero saber Momento eu quero comprar Convidar à experiência Fidelizar o consumidor Apoiar o consumidor Atrair a atenção
  • 73. //CapítuloVI - Segurança e privacidade //Capítulo Segurança e privacidade Na Internet trabalhamos com dados e com informações que devem ser protegidas. A privacidade deve ser assegurada em todas as suas vertentes: seja interna ou externamente. Para que tenha sempre a sua segurança em dia, deixamos-lhe, neste capitulo, algumas indicações e tutoriais para que possa assegurar a privacidade da sua marca no mundo digital.
  • 74. //CapítuloVI - Segurança e privacidade 74 Segurança e privacidade A partir do momento em que a sua empresa se encontra na Internet está sujeita a vários problemas de segurança e privacidade, principalmente no que diz respeito a pirataria (entidades que exploram as vulnerabilidades do seu site). Se o seu site for atacado, pode vir a enfrentar algumas dores de cabeça. O risco de ficar offline, com o site demasiado lento ou, até, de ilicitamente obterem dados de contas alojadas no seu site, são alguns dos problemas que poderá ter de enfrentar. É importante garantir a segurança da sua empresa online. Engana-se se pensa que só as grandes empresas são alvo destes ataques. A tendência atual é exatamente oposta: como as empresas mais pequenas tendem a ter sistemas de seguranças mais fracos acabam por ser alvos fáceis. Mas há alguns passos que pode implementar para minimizar o risco de acessos indevidos. Vamos ver alguns dos passos que deve seguir, usando como exemplo o WordPress: Permissões: ao adicionar um novo elemento à sua equipa garanta que o acesso que lhe dá é o necessário às suas funções – autor, editor, administrador, etc. Assim, o colaborador terá somente as permissões necessárias à sua atividade. Fig.29 Adicionar novo utilizador.
  • 75. //CapítuloVI - Segurança e privacidade 75 As palavras-passe devem sempre assegurar a segurança dos seus perfis. Palavras-passe: devem sempre assegurar a segurança dos seus perfis. Esqueça as datas de nascimento, o nome de familiares e os animais de estimação. Há regras que deve seguir na elaboração das palavras-passe (suas e da equipa) para garantir um maior nível de fidelidade, nomeadamente a complexidade das mesmas e a mudança regular. Há vários sites que o ajudam a avaliar o nível de segurança das passwords, como a Microsoft e o Avast: • https://www.microsoft.com/en-us/safety/pc-security • https://www.avast.com/pt-pt/passwords Plugins: os plugins permitem ao seu site ter características que não vêm predefinidas no tema. São, por isso, uma das ferramentas mais usadas. DICA Uma boa palavra-passe deve ser composta por, pelo menos, oito caracteres e não deve conter os nomes de nenhum dos elementos da empresa nem da empresa em si. Evite colocar palavras completas, ponha iniciais de uma sigla que só você conhece. Nunca guarde as palavras- chave nos browsers e evite usar sempre a mesma. Conjugue letras maiúsculas e minúsculas com números e símbolos. Fig.30 Páginadeplugins. No entanto, há que minimizar riscos quando faz uma insta- lação. • Esteja atento a novas versões e vá atualizando as suas instalações;
  • 76. //CapítuloVI - Segurança e privacidade 76 • Desinstale os plugins que já não usa; • Dê preferência aos plugins certificados e fidedignos nomeadamente os que são oficiais. Antivírus: de nada adianta ter palavras-passe muito complexas se o seu computador não estiver protegido. Garanta que tem um bom antivírus e mantenha-o atualizado. DICA Se usar o WordPress, pode gerir os seus plugins diretamente na barra lateral esquerda. Basta selecionar a opção ‘Plugins’ e depois gerir as suas instalações. Backup: mantenha sempre uma cópia de segurança de todos os arquivos que usa no site, desde os textos e imagens até aos plugins instalados. Se tiver toda a base de dados guardada estará sempre mais tranquilo na eventualidade do seu site ser alvo de pirataria. Como pode estar atento ao que se passa e garantir a proteção dos seus dados? A melhor forma de se proteger é através da Monitorização em tempo real. Empresas como a GBSN Research, disponibilizam o serviço de monitorização das redes sociais às empresas para detetar possíveis fugas de informação relevante ou até mesmo dados privados da empresa, clientes e funcionários que possam estar a ser disseminados na esfera digital. Neste processo é possível detetar ameaças emergentes, pontos de referência, locais que sejam considerados alvo, grupos instigadores e possíveis vitimas. Esta é a melhor forma de vigiar as suas contas e estar sempre a par de possíveis ameaças.
  • 77. //CapítuloVI - Segurança e privacidade 77 Checklist segurança e privacidade: Instale um bom antivírus no seu computador nos da suaequipa; Crie palavras-passe complexas e garanta que a sua equipa faz o mesmo; Faça backups com regularidade; Monitorize as suas redes sociais e site com serviços de alerta – pode usar os do Google ou então recorrer a empresas especializadas – para estar sempre a par do que é dito sobre a sua empresa; Armazene os conteúdos importantes em outras plataformas como o ‘Google Drive’ para ter sempre acesso ao que lhe interessa; Esteja sempre atento às suas contas de e-mail, redes sociais, etc. Qualquer coisa fora do vulgar que veja pode ser sinal de que foi pirateado.
  • 78. 78 Conclusões Os capítulos que compõem este ebook representam os primeiros passos para criar uma estratégia digital. Em cada secção foram explorados os temas de interesse para a criação de uma imagem de marca online havendo, no entanto, muito mais a aprender. Com esse pensamento em mente, convidámo-lo a recordar os principais pontos deste ebook na tabela que disponibilizamos a seguir, resumo dos principais tópicos de cada capítulo. Pág. 12 – Checklist para criar o seu website Pág. 27 – Checklist para criar os seus perfis de redes sociais Pág. 37 – Checklist para otimização do seusitepara pesquisas Pág. 63 – Checklist para avaliar a sua performance nos dispositivos móveis Pág. 71 – Checklist geração de leads e monetização Pág. 77 – Checklist segurança e privacidade
  • 79. 79 Informações extra Sabendo que há muitas outras questões complementares a este ebook que podem surgir, a GBSN Research disponibiliza: • Formação presencial/b-learning baseada no ebook: aprofundar os conteúdos apreendidos e colmatar quaisquer questões relativas aos processos; • Serviços de gestão para o seu site, redes sociais, blogue, etc.; • Monitorização ativa das suas publicações. Para mais informações visite-nos em: www.gbsnresearch.com