SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
Baixar para ler offline
COAGULOGRAMA
Prof. Msc. Wandson Rodrigues
Hematologia Clínica
Coagulograma
 Para avaliação do coagulograma existem testes
voltados:
• Hemostasia primária:
• Tempo de sangramento
• Prova do laço
• Contagem de plaquetas
• Agregação plaquetária
Coagulograma
 Tempo de Sangramento (TS):
• Este teste fundamentalmente irá avaliar a capacidade
da plaqueta.
Finalidade do teste: avaliar a resposta
plaquetária a lesões teciduais ou defeitos
congênitos.
Coagulograma
TS pelo método de Duke:
METODOLOGIA:
• Utilizar lanceta descartável
• Realizar uma pequena lesão no lóbulo da orelha ou no
dedo
• Seca o local da lesão a cada 30 segundos
• Medir o tempo até parar o sangramento
Valores de referência: valores entre 1 e 3 mimuto
Coagulograma
Coagulograma
 Prova do laço:
• Este teste irá avaliar fundamentalmente a
resistência dos capilares sanguíneos.
• A plaqueta produz fatores mitogênicos que
estimulam o fortalecimento vascular
METODOLOGIA:
• Fazer marcação no braço 2,5 cm x 2,5
cm
• Submeter o braço a um garroteamento
durante 5 minutos
Coagulograma
• Se usar esfignomanômetro, ajusta-lo
em 80 mmHg
• Após os 5 minutos observar a
formação de pequenas manchas
avermelhadas
Valores de referencia:
< 4 petéqueas normal
> 4 petéqueas resistência vascular diminuída
OBS: Bastante solicitado em casos de dengue
Coagulograma
 Contagem global de plaquetas:
• Realizada para avaliar o número de plaquetas circulantes
• Contagem em câmara de Neubauer
Coagulograma
 Contar os campos H1, H2, H3, H4 e H5
• REFERÊNCIA: 150.0 a 300.0 plaquetas/mm3 de sangue.
CÁLCULO:
H1+H2+H3+H4+H5.1000
Coagulograma
 Retração do coágulo
• Avalia a capacidade da plaqueta em retrair o coágulo
após a sua formação pelos mecanismo hemostáticos.
COÁGULO = Elementos figurados
envoltos numa rede de fibrina
Coagulograma
Trata-se de um método quantitativo
• O % de retração do coágulo é representado pelo volume
do soro obtido após coagulação
 Material
• Tubos cônicos (com arame espiral)
• Amostra de sangue sem anticoagulante
• Banho maria
• Relógio
• Centrifuga
Coagulograma
• Coletar 5 ml de sangue sem anticoagulante
• Transferir para o tubo cônico
• Anotar o volume de sangue
• Colocar o arame em espiral
• Após coagulação colocar o tubo em banho-maria a 37º C por 1
hora
• Retirar o arame com o coágulo
• Centrifugar o tubo
• Medir o volume do soro
Coagulograma
 Cálculo para obtenção do RC:
Coagulograma
• Correção do RC:
• Em pacientes anêmicos o coágulo pode ficar muito
retraído necessitando de uma correção
Coagulograma
Para avaliação do coagulograma existem testes
voltados:
• Hemostasia secundária:
• Tempo de Protrombina
• Tempo de Tromboplastina Parcial Ativada
• Tempo de Coagulação
Coagulograma
 Tempo de protrombina
• Também conhecida como TP, tempo de Quick ou TAP
• Este teste avalia a via extrinseca da coagulação e a via
comum
Avalia os fatores VII,X,V,II e o fibrinogênio
Coagulograma
 O TP apresentara-se aumentado em casos de:
• Deficiência de fibrinogênio
• Dos fatores da via extrínseca
• Pacientes com deficiência de vitamina K (II,VII e X)
 O TP é a determinação do tempo de coagulação de um
´plasma citrado
Coagulograma
PLASMA CITRADO
TROMBOPLASTINA
+ CÁLCIO + 37ºC
Coagulograma
Coagulograma
 Tromboplastina Parcial Ativada (TTPA)
• Este teste avalia a via intrínseca da coagulação e a via
comum.
 O TTPA estará aumentado em pacientes com
deficiência de:
• Fatores XII, XI, IX e VII
• Fatores X, V e II
Coagulograma
• TTPA
PLASMA CITRADO
Cefalina+ celite ou
elastina+ cálcio +
37ºC
Coagulograma
MUITOOOOOOO
OBRIGADO!!!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Tipagem sanguinea
Tipagem sanguineaTipagem sanguinea
Tipagem sanguinea
 
Aula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e Amostras
Aula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e AmostrasAula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e Amostras
Aula de Instrumentação Biomédica sobre Coleta e Amostras
 
Interpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriaisInterpretao de-exames-laboratoriais
Interpretao de-exames-laboratoriais
 
Exames laboratoriais - cardiologia
Exames laboratoriais -  cardiologiaExames laboratoriais -  cardiologia
Exames laboratoriais - cardiologia
 
Estudo da velocidade de hemossedimentação (vhs)
Estudo da velocidade de hemossedimentação (vhs)Estudo da velocidade de hemossedimentação (vhs)
Estudo da velocidade de hemossedimentação (vhs)
 
Apresentação tipagem sanguinea
Apresentação tipagem sanguineaApresentação tipagem sanguinea
Apresentação tipagem sanguinea
 
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitosICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
ICSA17 Imunologia (Prática) - Identificação de leucócitos
 
Imunodiagnostico
ImunodiagnosticoImunodiagnostico
Imunodiagnostico
 
Aula Grupos Sangíneos
Aula Grupos SangíneosAula Grupos Sangíneos
Aula Grupos Sangíneos
 
1ª aula amostras biológicas
1ª aula   amostras biológicas1ª aula   amostras biológicas
1ª aula amostras biológicas
 
Hemostasia
HemostasiaHemostasia
Hemostasia
 
Slide imuno
Slide imunoSlide imuno
Slide imuno
 
Hemograma
HemogramaHemograma
Hemograma
 
Manual de coleta de material biologico
Manual de coleta de material biologicoManual de coleta de material biologico
Manual de coleta de material biologico
 
Hemotransfusão
Hemotransfusão Hemotransfusão
Hemotransfusão
 
Imunodiagnóstico de doenças infecciosas
Imunodiagnóstico de doenças infecciosasImunodiagnóstico de doenças infecciosas
Imunodiagnóstico de doenças infecciosas
 
Hemoterapia 1
Hemoterapia 1Hemoterapia 1
Hemoterapia 1
 
1 c
1  c1  c
1 c
 
Anemia hemolitica
Anemia hemoliticaAnemia hemolitica
Anemia hemolitica
 
Sangue e hematopoiese
Sangue e hematopoieseSangue e hematopoiese
Sangue e hematopoiese
 

Semelhante a Coagulação em

Tcnicas de coagulao apostila usp
Tcnicas de coagulao  apostila  uspTcnicas de coagulao  apostila  usp
Tcnicas de coagulao apostila uspMaykon Avalo Berndt
 
Técnicas de coagulação apostila usp
Técnicas de coagulação  apostila  uspTécnicas de coagulação  apostila  usp
Técnicas de coagulação apostila uspMaykon Avalo Berndt
 
Tcnicas de coagulao apostila
Tcnicas de coagulao  apostila Tcnicas de coagulao  apostila
Tcnicas de coagulao apostila rasg75
 
Coleta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptxColeta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptxPinheiroNeto2
 
Laboratorio clinico veterinario
Laboratorio clinico veterinarioLaboratorio clinico veterinario
Laboratorio clinico veterinariobarbara_barbi
 
Avaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacaoAvaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacaoeaprocha
 
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coletarasg75
 
Velocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptx
Velocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptxVelocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptx
Velocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptxEltonNhantumbo2
 
Circulação Extra Corpórea - CEC
Circulação Extra Corpórea - CECCirculação Extra Corpórea - CEC
Circulação Extra Corpórea - CECresenfe2013
 
Triagem clínica
Triagem clínicaTriagem clínica
Triagem clínicaUnicruz
 
Exame quimico da urina
Exame quimico da urinaExame quimico da urina
Exame quimico da urinaArley Melo
 
Procedimentos Especiais
Procedimentos EspeciaisProcedimentos Especiais
Procedimentos Especiaisresenfe2013
 
2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.
2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.
2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.Heitor Gomes
 
Preveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascular
Preveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascularPreveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascular
Preveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascularneenahshare
 
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoArtigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoErick Bragato
 
link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...
link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...
link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...Heitor Gomes
 
Tempo e atividade de protrombina
Tempo e atividade de protrombinaTempo e atividade de protrombina
Tempo e atividade de protrombinarasg75
 

Semelhante a Coagulação em (19)

Tcnicas de coagulao apostila usp
Tcnicas de coagulao  apostila  uspTcnicas de coagulao  apostila  usp
Tcnicas de coagulao apostila usp
 
Técnicas de coagulação apostila usp
Técnicas de coagulação  apostila  uspTécnicas de coagulação  apostila  usp
Técnicas de coagulação apostila usp
 
Tcnicas de coagulao apostila
Tcnicas de coagulao  apostila Tcnicas de coagulao  apostila
Tcnicas de coagulao apostila
 
Coleta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptxColeta de sangue para exames.pptx
Coleta de sangue para exames.pptx
 
Laboratorio clinico veterinario
Laboratorio clinico veterinarioLaboratorio clinico veterinario
Laboratorio clinico veterinario
 
Avaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacaoAvaliacao laboratorial da coagulacao
Avaliacao laboratorial da coagulacao
 
1. coleta de sangue
1. coleta de sangue1. coleta de sangue
1. coleta de sangue
 
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta2o ano.bioquimica.seminario de pratica   coleta
2o ano.bioquimica.seminario de pratica coleta
 
Velocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptx
Velocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptxVelocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptx
Velocidade de Sedimentação globular.Elton Nhantumbo.pptx
 
Circulação Extra Corpórea - CEC
Circulação Extra Corpórea - CECCirculação Extra Corpórea - CEC
Circulação Extra Corpórea - CEC
 
Aula 1 - B
Aula 1 - BAula 1 - B
Aula 1 - B
 
Triagem clínica
Triagem clínicaTriagem clínica
Triagem clínica
 
Exame quimico da urina
Exame quimico da urinaExame quimico da urina
Exame quimico da urina
 
Procedimentos Especiais
Procedimentos EspeciaisProcedimentos Especiais
Procedimentos Especiais
 
2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.
2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.
2018 Protocolo de Transfusão Maciça no Trauma - H.C. UFU - Uberlândia (MG) 2018.
 
Preveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascular
Preveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascularPreveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascular
Preveno e cuidados de enfermagem ao paciente cardiovascular
 
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque sépticoArtigo  diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
Artigo diagnóstico inicial e manejo da sepse grave e choque séptico
 
link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...
link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...
link p/ versão nova 2018 - https://pt.slideshare.net/heitorgomescirurgiao/pro...
 
Tempo e atividade de protrombina
Tempo e atividade de protrombinaTempo e atividade de protrombina
Tempo e atividade de protrombina
 

Último

PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdfHELLEN CRISTINA
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999vanessa270433
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALCarlosLinsJr
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdfHELLEN CRISTINA
 
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfAromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfanalucia839701
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoPamelaMariaMoreiraFo
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdfLEANDROSPANHOL1
 
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptos-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptfernandoalvescosta3
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obrasosnikobus1
 
Aula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptx
Aula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptxAula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptx
Aula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptxRaissaEufrazio
 

Último (11)

PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdfPLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I  GESTaO.pdf
PLANO DE ENSINO Disciplina Projeto Integrado I GESTaO.pdf
 
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
AULA 12 Sistema urinário.pptx9999999999999
 
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTALDEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
DEPRESSÃO E CUIDADOS DE ENFERMAGEM - SAÚDE MENTAL
 
avaliação pratica. pdf
avaliação pratica.                           pdfavaliação pratica.                           pdf
avaliação pratica. pdf
 
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdfAromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções-Aromaterapia e emoções.pdf
 
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamentoTécnica Shantala para bebês: relaxamento
Técnica Shantala para bebês: relaxamento
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
63mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm7769.pdf
 
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.pptos-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
os-principios-das-leis-da-genetica-ou-mendelianas.ppt
 
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
1. 2 PLACAS DE SINALIAÇÃO - (1).pptx Material de obras
 
Aula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptx
Aula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptxAula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptx
Aula TE 18-19 Legislação Aula 2 - Entidades de Classe.pptx
 

Coagulação em

  • 1. COAGULOGRAMA Prof. Msc. Wandson Rodrigues Hematologia Clínica
  • 2. Coagulograma  Para avaliação do coagulograma existem testes voltados: • Hemostasia primária: • Tempo de sangramento • Prova do laço • Contagem de plaquetas • Agregação plaquetária
  • 3. Coagulograma  Tempo de Sangramento (TS): • Este teste fundamentalmente irá avaliar a capacidade da plaqueta. Finalidade do teste: avaliar a resposta plaquetária a lesões teciduais ou defeitos congênitos.
  • 4. Coagulograma TS pelo método de Duke: METODOLOGIA: • Utilizar lanceta descartável • Realizar uma pequena lesão no lóbulo da orelha ou no dedo • Seca o local da lesão a cada 30 segundos • Medir o tempo até parar o sangramento Valores de referência: valores entre 1 e 3 mimuto
  • 6. Coagulograma  Prova do laço: • Este teste irá avaliar fundamentalmente a resistência dos capilares sanguíneos. • A plaqueta produz fatores mitogênicos que estimulam o fortalecimento vascular METODOLOGIA: • Fazer marcação no braço 2,5 cm x 2,5 cm • Submeter o braço a um garroteamento durante 5 minutos
  • 7. Coagulograma • Se usar esfignomanômetro, ajusta-lo em 80 mmHg • Após os 5 minutos observar a formação de pequenas manchas avermelhadas Valores de referencia: < 4 petéqueas normal > 4 petéqueas resistência vascular diminuída OBS: Bastante solicitado em casos de dengue
  • 8. Coagulograma  Contagem global de plaquetas: • Realizada para avaliar o número de plaquetas circulantes • Contagem em câmara de Neubauer
  • 9. Coagulograma  Contar os campos H1, H2, H3, H4 e H5 • REFERÊNCIA: 150.0 a 300.0 plaquetas/mm3 de sangue. CÁLCULO: H1+H2+H3+H4+H5.1000
  • 10. Coagulograma  Retração do coágulo • Avalia a capacidade da plaqueta em retrair o coágulo após a sua formação pelos mecanismo hemostáticos. COÁGULO = Elementos figurados envoltos numa rede de fibrina
  • 11. Coagulograma Trata-se de um método quantitativo • O % de retração do coágulo é representado pelo volume do soro obtido após coagulação  Material • Tubos cônicos (com arame espiral) • Amostra de sangue sem anticoagulante • Banho maria • Relógio • Centrifuga
  • 12. Coagulograma • Coletar 5 ml de sangue sem anticoagulante • Transferir para o tubo cônico • Anotar o volume de sangue • Colocar o arame em espiral • Após coagulação colocar o tubo em banho-maria a 37º C por 1 hora • Retirar o arame com o coágulo • Centrifugar o tubo • Medir o volume do soro
  • 13. Coagulograma  Cálculo para obtenção do RC:
  • 14. Coagulograma • Correção do RC: • Em pacientes anêmicos o coágulo pode ficar muito retraído necessitando de uma correção
  • 15. Coagulograma Para avaliação do coagulograma existem testes voltados: • Hemostasia secundária: • Tempo de Protrombina • Tempo de Tromboplastina Parcial Ativada • Tempo de Coagulação
  • 16. Coagulograma  Tempo de protrombina • Também conhecida como TP, tempo de Quick ou TAP • Este teste avalia a via extrinseca da coagulação e a via comum Avalia os fatores VII,X,V,II e o fibrinogênio
  • 17. Coagulograma  O TP apresentara-se aumentado em casos de: • Deficiência de fibrinogênio • Dos fatores da via extrínseca • Pacientes com deficiência de vitamina K (II,VII e X)  O TP é a determinação do tempo de coagulação de um ´plasma citrado
  • 20. Coagulograma  Tromboplastina Parcial Ativada (TTPA) • Este teste avalia a via intrínseca da coagulação e a via comum.  O TTPA estará aumentado em pacientes com deficiência de: • Fatores XII, XI, IX e VII • Fatores X, V e II
  • 21. Coagulograma • TTPA PLASMA CITRADO Cefalina+ celite ou elastina+ cálcio + 37ºC