SlideShare uma empresa Scribd logo
Trabalho realizado por: Cristiana Rocha e Tomás Turma: A  Ano: 4º Escola: E.B.1 António Torrado Professora: Odete Pereira Cidade de Viseu
Viseu é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Viseu, na região Centro e sub-região de Dão-Lafões com 47 250 habitantes, sendo por isso a terceira maior e mais populosa cidade no Centro de Portugal, a seguir a Coimbra e Aveiro. Viseu
É sede de um município com 507,10 km de área, com 34 freguesias e 99 016 habitantes segundo os últimos dados do INE de 2008 O município é limitado a norte pelo município de Castro Daire, a nordeste por Vila Nova de Paiva, a leste por Sátão e Penalva do Castelo, a sueste por Mangualde e Nelas, a sul por Carregal do Sal, a sudoeste por Tondela, a oeste por Vouzela e a noroeste por São Pedro do Sul. Para além de sede de distrito e de concelho, Viseu é igualmente sede de Diocese e de Comarca. Alberga inúmeros serviços estatais. Segundo um estudo da DECO de 2007, Viseu é a 17ª melhor cidade europeia, entre as 76 do estudo, sendo ainda a melhor das 18 cidades capitais de distrito portuguesas com melhor qualidade de vida, quando inquiridas as populações destas cidades
Gentílico Viseense Área 507,10 km² População 99 016 hab. (2008) Densidade populacional 195 hab./km² N.º de freguesias 34
Viseu - Igreja da Misericórdia As origens de Viseu remontam à época castreja e, com a Romanização, ganhou grande importância, quiçá devido ao entroncamento de estradas romanas de cuja prova restam apenas os miliários (passíveis de validação pelas inscrições) que se encontram: dois em Reigoso (Oliveira de Frades), outros dois em Benfeitas (Oliveira de Frades), um em Vouzela, dois em Moselos (Campo), um em São Martinho (Orgens), um na cidade (na Rua do Arco), outro em Alcafache (Mangualde) e mais dois em Abrunhosa (Mangualde); outros mais existem, mas devido à ausência de inscrições, a origem é duvidosa. Estes miliários alinham-se num eixo que parece corresponder à estrada de Mérida (Espanha), que se intersectaria com a ligação Olissipo-Cale-Bracara, outros dois pólos bastante influentes. Talvez por esse motivo se possa justificar a edificação da estrutura defensiva octogonal, de dois quilómetros de perímetro — a Cava de Viriato . História
Viseu está associada à figura de Viriato, já que se pensa que este herói lusitano tenha talvez nascido nesta região. Depois da ocupação romana na península, seguiu-se a elevação da cidade a sede de diocese, já em domínio visigótico, no século VI. No século VIII, foi ocupada pelos muçulmanos, como a maioria das povoações ibéricas e, durante a Reconquista da península, foi alvo de ataques e contra-ataques alternados entre cristãos e muçulmanos. De destacar a morte de D. Afonso V rei de Leão e Galiza no cerco a Viseu em 1027 morto por uma flecha oriunda da muralha árabe (cujos vestígios seguem a R. João Mendes, Largo de Santa Cristina e sobem pela R. Formosa). A reconquista definitiva caberia a Fernando Magno, rei de Leão e Castela depois de assassinar em 1037 o legítimo Rei Bermudo III (filho de Afonso V) vencedor da batalha de Cesar em 1035 (segundo a crónica dos Godos). Viriato Viriato
Em Viseu Viseu foi constituído senhorio pela primeira vez a 7 de Julho de 1340, data em que D. Afonso IV o doou a sua nora D. Constança, quando do seu casamento com seu filho sucessor, o futuro D. Pedro I. Por morte desta rainha, seu marido doou o senhorio, a 9 de Junho de 1357, a sua própria mãe, a rainha D. Beatriz, viúva de D. Afonso IV. Quando D. Beatriz morreu, em 1359, o senhorio de Viseu voltou à coroa, até que a 2 de Outubro de 1377 o rei D. Fernando I, filho da antedita rainha D. Constança, o doou a sua filha na tural a condessa D. Isabel, que foi senhora de Viseu até 1383 e aí mandou construir uma torre, onde ficava quando estava na cidade. Com a crise dinástica, o senhorio voltou à coroa, até à criação do ducado de Viseu em 1415.
Viseu tem uma posição central em relação ao Distrito e ao Município, localizando-se no designado "Planalto de Viseu". É envolvida por um sistema montanhoso, constituído a norte pelas Serras de Leomil, Montemuro e Lapa, a noroeste a Serra do Arado, a sul e sudoeste as Serras da Estrela e Lousã, e a oeste a Serra que mais directamente influencia esta área, a do Caramulo. O município caracteriza-se por uma superfície irregular com altitudes compreendidas entre os 400 e os 700 m. Situado numa zona de transição, o concelho apresenta um conjunto de microclimas. A Serra do Caramulo, localizada a oeste do Concelho, assume um papel de relevo em termos climáticos, ao atenuar as influências das massas de ar de oeste (embora o vale do Mondego[7] facilite a sua penetração). Assim, o clima de Viseu caracteriza-se pela existência de elevadas amplitudes térmicas, com Invernos rigorosos e húmidos e verões quentes e secos. A maior extensão do município é composta por granitos, sendo esta rocha a principal responsável na formação dos solos existentes. Em menor percentagem ocorrem formações quartezitas e gneisses do pré-câmbrico e arcaico. Geografia
Eu, a minha mãe, o meu pai, o meu irmão, a minha prima, a minha tia e o meu tio. Costumamos ir passar férias lá.   Cristiana Eu e a minha familia:
Tomás Eu e a minha família Costumamos passar lá ao lado mas Não vamos passar férias lá . Eu e a minha familia
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Cátia Botelho
 
Economia sec. xiii e xiv
Economia sec. xiii e xivEconomia sec. xiii e xiv
Economia sec. xiii e xiv
cattonia
 
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitáriaA valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
Ilda Bicacro
 
Braga
BragaBraga
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Catarina Castro
 
Beira alta e Beira baixa
Beira alta e Beira baixaBeira alta e Beira baixa
Beira alta e Beira baixa
Endl Félix Muriel
 
Carta de foral
Carta de foralCarta de foral
Carta de foral
Laboreiro
 
Braga
BragaBraga
Braga
20014
 
Coimbra
CoimbraCoimbra
Coimbra
TCHOKAN
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
cattonia
 
Cidade de lisboa
Cidade de lisboaCidade de lisboa
Cidade de lisboa
Sofia Pinto
 
Bragança
BragançaBragança
Bragança
suzana patricia
 
Indústria e desenvolvimento rural 11-6
Indústria e desenvolvimento rural 11-6Indústria e desenvolvimento rural 11-6
Indústria e desenvolvimento rural 11-6
Joao Paulo Curto
 
Recursos marítimos
Recursos marítimosRecursos marítimos
Recursos marítimos
manjosp
 
D. João V
D. João VD. João V
D. João V
guest1d67b
 
A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...
A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...
A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...
200166754
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Raffaella Ergün
 
eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
bruno oliveira
 
Revolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalRevolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em Portugal
Susana Simões
 
Estilo manuelino
Estilo manuelinoEstilo manuelino
Estilo manuelino
berenvaz
 

Mais procurados (20)

Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIVConcelhos e cortes - séculos XIII e XIV
Concelhos e cortes - séculos XIII e XIV
 
Economia sec. xiii e xiv
Economia sec. xiii e xivEconomia sec. xiii e xiv
Economia sec. xiii e xiv
 
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitáriaA valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
A valorização ambiental em portugal e a política ambiental comunitária
 
Braga
BragaBraga
Braga
 
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIVSociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
Sociedade Portuguesa dos séculos XIII e XIV
 
Beira alta e Beira baixa
Beira alta e Beira baixaBeira alta e Beira baixa
Beira alta e Beira baixa
 
Carta de foral
Carta de foralCarta de foral
Carta de foral
 
Braga
BragaBraga
Braga
 
Coimbra
CoimbraCoimbra
Coimbra
 
Séc. xii a xiv
Séc. xii a xivSéc. xii a xiv
Séc. xii a xiv
 
Cidade de lisboa
Cidade de lisboaCidade de lisboa
Cidade de lisboa
 
Bragança
BragançaBragança
Bragança
 
Indústria e desenvolvimento rural 11-6
Indústria e desenvolvimento rural 11-6Indústria e desenvolvimento rural 11-6
Indústria e desenvolvimento rural 11-6
 
Recursos marítimos
Recursos marítimosRecursos marítimos
Recursos marítimos
 
D. João V
D. João VD. João V
D. João V
 
A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...
A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...
A crise comercial de 1670, a política mercantilista do conde da Ericeira e o ...
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
 
eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
 
Revolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em PortugalRevolução Liberal em Portugal
Revolução Liberal em Portugal
 
Estilo manuelino
Estilo manuelinoEstilo manuelino
Estilo manuelino
 

Destaque

Urbanismo comercial
Urbanismo comercialUrbanismo comercial
Urbanismo comercial
Januário Esteves
 
Santarém
SantarémSantarém
Santarém
Ana Paz
 
Santarém trabalho final ppt
Santarém trabalho final pptSantarém trabalho final ppt
Santarém trabalho final ppt
departamentoportugues
 
Trabalho Cidade da Covilhã
Trabalho Cidade da CovilhãTrabalho Cidade da Covilhã
Trabalho Cidade da Covilhã
blog-eic
 
Ss portugal 18 distritos
Ss  portugal 18 distritosSs  portugal 18 distritos
Ss portugal 18 distritos
Luiz Roberto Brandao Pires
 
Distrito da Guarda
Distrito da Guarda  Distrito da Guarda
Distrito da Guarda
Ana Beatriz
 
Actividade 2
Actividade  2Actividade  2
Actividade 2
António Silvano
 
Tipos de Comércio
Tipos de ComércioTipos de Comércio

Destaque (8)

Urbanismo comercial
Urbanismo comercialUrbanismo comercial
Urbanismo comercial
 
Santarém
SantarémSantarém
Santarém
 
Santarém trabalho final ppt
Santarém trabalho final pptSantarém trabalho final ppt
Santarém trabalho final ppt
 
Trabalho Cidade da Covilhã
Trabalho Cidade da CovilhãTrabalho Cidade da Covilhã
Trabalho Cidade da Covilhã
 
Ss portugal 18 distritos
Ss  portugal 18 distritosSs  portugal 18 distritos
Ss portugal 18 distritos
 
Distrito da Guarda
Distrito da Guarda  Distrito da Guarda
Distrito da Guarda
 
Actividade 2
Actividade  2Actividade  2
Actividade 2
 
Tipos de Comércio
Tipos de ComércioTipos de Comércio
Tipos de Comércio
 

Semelhante a Cidade de viseu

Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2
Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2
Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2
Pedro Calado
 
Ponte de sor texto informativo
Ponte de sor   texto informativoPonte de sor   texto informativo
Ponte de sor texto informativo
Beatriz Branco
 
Roteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila ViçosaRoteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila Viçosa
ecovilavicosa
 
Roteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila ViçosaRoteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila Viçosa
ecovilavicosa
 
Torres Vedras
Torres VedrasTorres Vedras
Torres Vedras
jonaspp94
 
Locais AgradáVeis7 Lousada
Locais AgradáVeis7 LousadaLocais AgradáVeis7 Lousada
Locais AgradáVeis7 Lousada
netescrita
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
bruno oliveira
 
Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto
Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto
Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto
Francisco Nogueira
 
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Trabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  LopesTrabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  Lopes
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Ana Baltazar
 
A Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e Inês
A Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e InêsA Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e Inês
A Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e Inês
jmabp4
 
O Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal Henriques
O Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal HenriquesO Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal Henriques
O Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal Henriques
Cascais - Portugal
 
Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...
Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...
Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...
Universidade Sénior Contemporânea do Porto
 
Bandeiras E BrasõEs De Moscavide
Bandeiras E BrasõEs De MoscavideBandeiras E BrasõEs De Moscavide
Bandeiras E BrasõEs De Moscavide
Joao Carvalho
 
Regiões de Portugal
Regiões de PortugalRegiões de Portugal
Regiões de Portugal
Eduarda Costa
 
Apresentação portugal
Apresentação portugalApresentação portugal
Apresentação portugal
Vitor Gomes
 
Apresentaçãoportugal
ApresentaçãoportugalApresentaçãoportugal
Apresentaçãoportugal
Vitor Gomes
 
A BARROSANA
A BARROSANA A BARROSANA
A BARROSANA
DomingosChaves3
 
Parque Nacional Peneda-Gerês, Portugal
Parque Nacional Peneda-Gerês, PortugalParque Nacional Peneda-Gerês, Portugal
Parque Nacional Peneda-Gerês, Portugal
Irene Aguiar
 
Parque Natural de Sintra-Cascais
Parque Natural de Sintra-CascaisParque Natural de Sintra-Cascais
Parque Natural de Sintra-Cascais
Pedro Peixoto
 

Semelhante a Cidade de viseu (19)

Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2
Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2
Turismo em elvas pedro calado ,sandra piedade2
 
Ponte de sor texto informativo
Ponte de sor   texto informativoPonte de sor   texto informativo
Ponte de sor texto informativo
 
Roteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila ViçosaRoteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila Viçosa
 
Roteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila ViçosaRoteiro Vila Viçosa
Roteiro Vila Viçosa
 
Torres Vedras
Torres VedrasTorres Vedras
Torres Vedras
 
Locais AgradáVeis7 Lousada
Locais AgradáVeis7 LousadaLocais AgradáVeis7 Lousada
Locais AgradáVeis7 Lousada
 
Alentejo
AlentejoAlentejo
Alentejo
 
Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto
Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto
Viana Do Castelo 6º Ano / Areá De Projeto
 
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
Trabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  LopesTrabalho De Pesquisa  Monsaraz    Miguel  Lopes
Trabalho De Pesquisa Monsaraz Miguel Lopes
 
A Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e Inês
A Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e InêsA Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e Inês
A Minha Freguesia...Vimieiro lendário - Ana B. e Inês
 
O Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal Henriques
O Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal HenriquesO Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal Henriques
O Milagre Alquímico de Estremoz - por João Aníbal Henriques
 
Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...
Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...
Património cultural - Distrito de Vila Real - Artur Filipe dos Santos - Unive...
 
Bandeiras E BrasõEs De Moscavide
Bandeiras E BrasõEs De MoscavideBandeiras E BrasõEs De Moscavide
Bandeiras E BrasõEs De Moscavide
 
Regiões de Portugal
Regiões de PortugalRegiões de Portugal
Regiões de Portugal
 
Apresentação portugal
Apresentação portugalApresentação portugal
Apresentação portugal
 
Apresentaçãoportugal
ApresentaçãoportugalApresentaçãoportugal
Apresentaçãoportugal
 
A BARROSANA
A BARROSANA A BARROSANA
A BARROSANA
 
Parque Nacional Peneda-Gerês, Portugal
Parque Nacional Peneda-Gerês, PortugalParque Nacional Peneda-Gerês, Portugal
Parque Nacional Peneda-Gerês, Portugal
 
Parque Natural de Sintra-Cascais
Parque Natural de Sintra-CascaisParque Natural de Sintra-Cascais
Parque Natural de Sintra-Cascais
 

Mais de 20014

Presépio
PresépioPresépio
Presépio
20014
 
Trabalho antónio josé de alme
Trabalho antónio josé de almeTrabalho antónio josé de alme
Trabalho antónio josé de alme
20014
 
D.Maria II
D.Maria IID.Maria II
D.Maria II
20014
 
Gomes da Costa
Gomes da CostaGomes da Costa
Gomes da Costa
20014
 
D.Maria II
D.Maria IID.Maria II
D.Maria II
20014
 
Espanha
EspanhaEspanha
Espanha
20014
 
Itália
ItáliaItália
Itália
20014
 
Itália
ItáliaItália
Itália
20014
 
D.Manuel II
D.Manuel IID.Manuel II
D.Manuel II
20014
 
Gastronomia natalícia
Gastronomia natalícia Gastronomia natalícia
Gastronomia natalícia
20014
 
Caminho maritimo para a índia
Caminho maritimo para a índiaCaminho maritimo para a índia
Caminho maritimo para a índia
20014
 
A avioneta
A  avionetaA  avioneta
A avioneta
20014
 
Évora
ÉvoraÉvora
Évora
20014
 
Brasil
BrasilBrasil
Brasil
20014
 
Cidade de viseu
Cidade de viseuCidade de viseu
Cidade de viseu
20014
 
As politicas da globalização apresentação-final1
As politicas da globalização apresentação-final1As politicas da globalização apresentação-final1
As politicas da globalização apresentação-final1
20014
 
Lisboa
LisboaLisboa
Lisboa
20014
 
Laponia
LaponiaLaponia
Laponia
20014
 
Lisboa
LisboaLisboa
Lisboa
20014
 
Laponia
LaponiaLaponia
Laponia
20014
 

Mais de 20014 (20)

Presépio
PresépioPresépio
Presépio
 
Trabalho antónio josé de alme
Trabalho antónio josé de almeTrabalho antónio josé de alme
Trabalho antónio josé de alme
 
D.Maria II
D.Maria IID.Maria II
D.Maria II
 
Gomes da Costa
Gomes da CostaGomes da Costa
Gomes da Costa
 
D.Maria II
D.Maria IID.Maria II
D.Maria II
 
Espanha
EspanhaEspanha
Espanha
 
Itália
ItáliaItália
Itália
 
Itália
ItáliaItália
Itália
 
D.Manuel II
D.Manuel IID.Manuel II
D.Manuel II
 
Gastronomia natalícia
Gastronomia natalícia Gastronomia natalícia
Gastronomia natalícia
 
Caminho maritimo para a índia
Caminho maritimo para a índiaCaminho maritimo para a índia
Caminho maritimo para a índia
 
A avioneta
A  avionetaA  avioneta
A avioneta
 
Évora
ÉvoraÉvora
Évora
 
Brasil
BrasilBrasil
Brasil
 
Cidade de viseu
Cidade de viseuCidade de viseu
Cidade de viseu
 
As politicas da globalização apresentação-final1
As politicas da globalização apresentação-final1As politicas da globalização apresentação-final1
As politicas da globalização apresentação-final1
 
Lisboa
LisboaLisboa
Lisboa
 
Laponia
LaponiaLaponia
Laponia
 
Lisboa
LisboaLisboa
Lisboa
 
Laponia
LaponiaLaponia
Laponia
 

Último

epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Centro Jacques Delors
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 

Último (20)

epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
Folheto | Centro de Informação Europeia Jacques Delors (junho/2024)
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 

Cidade de viseu

  • 1. Trabalho realizado por: Cristiana Rocha e Tomás Turma: A Ano: 4º Escola: E.B.1 António Torrado Professora: Odete Pereira Cidade de Viseu
  • 2. Viseu é uma cidade portuguesa, capital do Distrito de Viseu, na região Centro e sub-região de Dão-Lafões com 47 250 habitantes, sendo por isso a terceira maior e mais populosa cidade no Centro de Portugal, a seguir a Coimbra e Aveiro. Viseu
  • 3. É sede de um município com 507,10 km de área, com 34 freguesias e 99 016 habitantes segundo os últimos dados do INE de 2008 O município é limitado a norte pelo município de Castro Daire, a nordeste por Vila Nova de Paiva, a leste por Sátão e Penalva do Castelo, a sueste por Mangualde e Nelas, a sul por Carregal do Sal, a sudoeste por Tondela, a oeste por Vouzela e a noroeste por São Pedro do Sul. Para além de sede de distrito e de concelho, Viseu é igualmente sede de Diocese e de Comarca. Alberga inúmeros serviços estatais. Segundo um estudo da DECO de 2007, Viseu é a 17ª melhor cidade europeia, entre as 76 do estudo, sendo ainda a melhor das 18 cidades capitais de distrito portuguesas com melhor qualidade de vida, quando inquiridas as populações destas cidades
  • 4. Gentílico Viseense Área 507,10 km² População 99 016 hab. (2008) Densidade populacional 195 hab./km² N.º de freguesias 34
  • 5. Viseu - Igreja da Misericórdia As origens de Viseu remontam à época castreja e, com a Romanização, ganhou grande importância, quiçá devido ao entroncamento de estradas romanas de cuja prova restam apenas os miliários (passíveis de validação pelas inscrições) que se encontram: dois em Reigoso (Oliveira de Frades), outros dois em Benfeitas (Oliveira de Frades), um em Vouzela, dois em Moselos (Campo), um em São Martinho (Orgens), um na cidade (na Rua do Arco), outro em Alcafache (Mangualde) e mais dois em Abrunhosa (Mangualde); outros mais existem, mas devido à ausência de inscrições, a origem é duvidosa. Estes miliários alinham-se num eixo que parece corresponder à estrada de Mérida (Espanha), que se intersectaria com a ligação Olissipo-Cale-Bracara, outros dois pólos bastante influentes. Talvez por esse motivo se possa justificar a edificação da estrutura defensiva octogonal, de dois quilómetros de perímetro — a Cava de Viriato . História
  • 6. Viseu está associada à figura de Viriato, já que se pensa que este herói lusitano tenha talvez nascido nesta região. Depois da ocupação romana na península, seguiu-se a elevação da cidade a sede de diocese, já em domínio visigótico, no século VI. No século VIII, foi ocupada pelos muçulmanos, como a maioria das povoações ibéricas e, durante a Reconquista da península, foi alvo de ataques e contra-ataques alternados entre cristãos e muçulmanos. De destacar a morte de D. Afonso V rei de Leão e Galiza no cerco a Viseu em 1027 morto por uma flecha oriunda da muralha árabe (cujos vestígios seguem a R. João Mendes, Largo de Santa Cristina e sobem pela R. Formosa). A reconquista definitiva caberia a Fernando Magno, rei de Leão e Castela depois de assassinar em 1037 o legítimo Rei Bermudo III (filho de Afonso V) vencedor da batalha de Cesar em 1035 (segundo a crónica dos Godos). Viriato Viriato
  • 7. Em Viseu Viseu foi constituído senhorio pela primeira vez a 7 de Julho de 1340, data em que D. Afonso IV o doou a sua nora D. Constança, quando do seu casamento com seu filho sucessor, o futuro D. Pedro I. Por morte desta rainha, seu marido doou o senhorio, a 9 de Junho de 1357, a sua própria mãe, a rainha D. Beatriz, viúva de D. Afonso IV. Quando D. Beatriz morreu, em 1359, o senhorio de Viseu voltou à coroa, até que a 2 de Outubro de 1377 o rei D. Fernando I, filho da antedita rainha D. Constança, o doou a sua filha na tural a condessa D. Isabel, que foi senhora de Viseu até 1383 e aí mandou construir uma torre, onde ficava quando estava na cidade. Com a crise dinástica, o senhorio voltou à coroa, até à criação do ducado de Viseu em 1415.
  • 8. Viseu tem uma posição central em relação ao Distrito e ao Município, localizando-se no designado "Planalto de Viseu". É envolvida por um sistema montanhoso, constituído a norte pelas Serras de Leomil, Montemuro e Lapa, a noroeste a Serra do Arado, a sul e sudoeste as Serras da Estrela e Lousã, e a oeste a Serra que mais directamente influencia esta área, a do Caramulo. O município caracteriza-se por uma superfície irregular com altitudes compreendidas entre os 400 e os 700 m. Situado numa zona de transição, o concelho apresenta um conjunto de microclimas. A Serra do Caramulo, localizada a oeste do Concelho, assume um papel de relevo em termos climáticos, ao atenuar as influências das massas de ar de oeste (embora o vale do Mondego[7] facilite a sua penetração). Assim, o clima de Viseu caracteriza-se pela existência de elevadas amplitudes térmicas, com Invernos rigorosos e húmidos e verões quentes e secos. A maior extensão do município é composta por granitos, sendo esta rocha a principal responsável na formação dos solos existentes. Em menor percentagem ocorrem formações quartezitas e gneisses do pré-câmbrico e arcaico. Geografia
  • 9. Eu, a minha mãe, o meu pai, o meu irmão, a minha prima, a minha tia e o meu tio. Costumamos ir passar férias lá. Cristiana Eu e a minha familia:
  • 10. Tomás Eu e a minha família Costumamos passar lá ao lado mas Não vamos passar férias lá . Eu e a minha familia
  • 11. FIM