SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Amanda Montalvão Andréa França Luciana Guedes Karla Florêncio Priscila Antão
[object Object],[object Object]
INTRODUÇÃO ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
OBJETIVO: ,[object Object]
MATERIAL E MÉTODOS
[object Object],[object Object]
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
RESULTADOS E DISCUSSÃOS
Tabela 1  –  Consumo médio diário de matéria seca estimadas para três sub-períodos em função dos níveis de farelo de trigo na dieta e suas respectivas médias e coeficientes de variação (CV) Sub-período Níveis de farelo de trigo (%) 0 33 67 100 Média geral CV (%) CMS(kg/dia) 17,00 17,65 17,26 CMS(%PV) 3,14 3,27 3,2 CMS(g/kg º ׂ , 75 ) 151,52 157,62 154,23 16,28 17,63 16,46 3,01 3,27 3,06 145,12 157,57 147,12 1 2 3 1 2 3 1 2 3 16,95 17,10 16,45 3,17 3,19 3,07 152,35 153,35 147,52 16,37 17,23 17,04 3,06 3,21 3,18 146,91 154,5 152,82 Y= 16,65 Y= 17,40 Y= 16,80 Y= 3,10 Y= 3,24 Y= 3,13 Y= 148,97 Y= 155,81 Y= 150,42 7,75 7,19 7,59 6,69 5,72 6,98 6,92 6,06 7,04
[object Object]
Tabela 2  –  Consumo médios diários de matéria seca (MS) matéria orgânica (MO), proteina bruta (PB), extrato etéreo (EE), carboidratos totais (CT), fibra em detergente neutro (FDN), carboidratos não fibrosos (CNF) e nutrientes digetíveis totais (NDT) das dietas experimentais e suas respectivas equações de regressão, coeficiebte de determinação (R²) e coeficiente de variação (CV) Itens Níveis de farelo de trigo (%) 0 33 67 100 Equação de  regressão CV (%) º ,75 17,26 154,23 16,1 2,91 0,498 11,90 6,42 5,34 11,65 3,2 1,19 16,46 147,12 15,33 2,83 0,450 11,25 8,10 4,52 10,82 3,06 1,51 MS kg/dia MS g/kg MO kg/dia PB kg/dia EE kg/dia CT kg/dia FDN kg/dia CNF g/kg NDT kg/dia MS %PV FDN %PV 16,45 147,52 15,64 2,80 0,453 11,73 8,12 4,13 11,08 3,07 1,52 17,04 152,82 15,74 2,91 0,468 11,91 9,29 3,79 10,31 3,18 1,73 Y= 16,08 Y= 150,42 Y= 15,7 Y= 2,86 Y= 0,467 Y= 11,7 Y= 6.696+0,025NT Y= 5,205-0,015NT Y= 10,96 Y= 3,12 Y= 1,242+0,005NT 7,59 7,04 5,79 6,34 11,25 6,43 7,66 10,12 10,26 6,98 7,07 R² Consumos 0,88 0,94 0,88
[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object]
CONCLUSÕES ,[object Object],[object Object]
OBRIGADA !!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

E book gratuito - Vacas em transição
E book gratuito - Vacas em transiçãoE book gratuito - Vacas em transição
E book gratuito - Vacas em transiçãoAgriPoint
 
5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerras5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerrasAgriPoint
 
Ebook bezerras-baixa
Ebook bezerras-baixaEbook bezerras-baixa
Ebook bezerras-baixaAgriPoint
 
Manejos nutricional para aves
Manejos nutricional para avesManejos nutricional para aves
Manejos nutricional para avesMarília Gomes
 
Iniciando no Leite - Nutrição
Iniciando no Leite - NutriçãoIniciando no Leite - Nutrição
Iniciando no Leite - NutriçãoAgriPoint
 
5C's da Criação de Bezerras
5C's da Criação de Bezerras5C's da Criação de Bezerras
5C's da Criação de BezerrasAgriPoint
 
13 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-201113 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-2011Cutrim Junior
 
Apostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatório
Apostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatórioApostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatório
Apostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatórioPortal Canal Rural
 
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leiteManejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leiteMarília Gomes
 
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012Universidade de São Paulo
 
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase críticaPeríodo de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase críticaAgriPoint
 
Mod. 6 vitaminas, minerais e aditivos
Mod. 6   vitaminas, minerais e aditivosMod. 6   vitaminas, minerais e aditivos
Mod. 6 vitaminas, minerais e aditivosPortal Canal Rural
 
Boas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerrosBoas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerrosAgroTalento
 
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?AgriPoint
 
Programa de Nutrição para Bovinos da Kera
Programa de Nutrição para Bovinos da KeraPrograma de Nutrição para Bovinos da Kera
Programa de Nutrição para Bovinos da KeraAgriPoint
 
Ebook manejo-pasto-baixa
Ebook manejo-pasto-baixaEbook manejo-pasto-baixa
Ebook manejo-pasto-baixaAgriPoint
 
Produção eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidadeProdução eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidadeRural Pecuária
 

Mais procurados (20)

E book gratuito - Vacas em transição
E book gratuito - Vacas em transiçãoE book gratuito - Vacas em transição
E book gratuito - Vacas em transição
 
5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerras5CS da criação de bezerras
5CS da criação de bezerras
 
Nutricao Animal
Nutricao AnimalNutricao Animal
Nutricao Animal
 
Ebook bezerras-baixa
Ebook bezerras-baixaEbook bezerras-baixa
Ebook bezerras-baixa
 
Ebook ilp
Ebook ilpEbook ilp
Ebook ilp
 
Manejos nutricional para aves
Manejos nutricional para avesManejos nutricional para aves
Manejos nutricional para aves
 
Iniciando no Leite - Nutrição
Iniciando no Leite - NutriçãoIniciando no Leite - Nutrição
Iniciando no Leite - Nutrição
 
5C's da Criação de Bezerras
5C's da Criação de Bezerras5C's da Criação de Bezerras
5C's da Criação de Bezerras
 
13 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-201113 confinamento.pdf-18-12-2011
13 confinamento.pdf-18-12-2011
 
Apostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatório
Apostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatórioApostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatório
Apostila 9 - Tipo de animal e ganho compensatório
 
Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2Manejo de leitões 2
Manejo de leitões 2
 
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leiteManejo nutricional de ovinos de corte e leite
Manejo nutricional de ovinos de corte e leite
 
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012Introdução zootecnia   bovinocultura de corte - 2012
Introdução zootecnia bovinocultura de corte - 2012
 
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase críticaPeríodo de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
Período de Transição – Conceitos essenciais para entender esta fase crítica
 
Mod. 6 vitaminas, minerais e aditivos
Mod. 6   vitaminas, minerais e aditivosMod. 6   vitaminas, minerais e aditivos
Mod. 6 vitaminas, minerais e aditivos
 
Boas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerrosBoas práticas de manejo de bezerros
Boas práticas de manejo de bezerros
 
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
O que a impede de ter uma lactação bem sucedida?
 
Programa de Nutrição para Bovinos da Kera
Programa de Nutrição para Bovinos da KeraPrograma de Nutrição para Bovinos da Kera
Programa de Nutrição para Bovinos da Kera
 
Ebook manejo-pasto-baixa
Ebook manejo-pasto-baixaEbook manejo-pasto-baixa
Ebook manejo-pasto-baixa
 
Produção eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidadeProdução eficiente de leite em pasto de qualidade
Produção eficiente de leite em pasto de qualidade
 

Destaque

Raças de gado de leite
Raças de gado de leiteRaças de gado de leite
Raças de gado de leiteKiller Max
 
Aula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteAula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteFabio Freitas
 
Guia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinosGuia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinosKiller Max
 
Melhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leite
Melhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leiteMelhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leite
Melhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leiteKarynne Chaves
 
Seleção em gado de leite e controle leiteiro
Seleção em gado de leite e controle leiteiroSeleção em gado de leite e controle leiteiro
Seleção em gado de leite e controle leiteiroLuan Moura
 

Destaque (9)

Gado leite
Gado leiteGado leite
Gado leite
 
Raças de gado de leite
Raças de gado de leiteRaças de gado de leite
Raças de gado de leite
 
Bovinocultura
BovinoculturaBovinocultura
Bovinocultura
 
Aula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leiteAula pecu€ ¦ária de leite
Aula pecu€ ¦ária de leite
 
Guia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinosGuia de raças de bovinos
Guia de raças de bovinos
 
Bovinos de corte
Bovinos de corteBovinos de corte
Bovinos de corte
 
gado deLeite
gado deLeitegado deLeite
gado deLeite
 
Melhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leite
Melhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leiteMelhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leite
Melhoramento animal,caracteristicas exteriores do bovino de leite
 
Seleção em gado de leite e controle leiteiro
Seleção em gado de leite e controle leiteiroSeleção em gado de leite e controle leiteiro
Seleção em gado de leite e controle leiteiro
 

Semelhante a Bovino De Leite

Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...AgriPoint
 
Estudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinEstudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinAgriPoint
 
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior finalSuínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior finalAcessoMacauba
 
Composição Centesimal Alimentos 2020.ppt
Composição Centesimal Alimentos 2020.pptComposição Centesimal Alimentos 2020.ppt
Composição Centesimal Alimentos 2020.pptBernardoLopes57
 
TORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOS
TORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOSTORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOS
TORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOSRural Pecuária
 
Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...
Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...
Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...EmanuelFelipedeOlive
 
Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...
Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...
Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...Diana Cleide Silva
 
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteirasArtigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteirasMagna Coroa Lima
 
Resumo alimentar residual
Resumo alimentar residualResumo alimentar residual
Resumo alimentar residualguestd33e10
 
Consumo Alimentar Residual
Consumo Alimentar ResidualConsumo Alimentar Residual
Consumo Alimentar Residualguest2eec157
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...
Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...
Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...INTA
 
Palestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamente
Palestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamentePalestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamente
Palestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamenteSiluana
 
NUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdf
NUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdfNUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdf
NUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdfclinicavetbarreiro47
 

Semelhante a Bovino De Leite (20)

Slide artigo
Slide artigoSlide artigo
Slide artigo
 
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
Efeito da suplementação de duas formas comerciais de somatotropina bovina (bS...
 
Estudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostinEstudo somatotropina boostin
Estudo somatotropina boostin
 
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior finalSuínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
Suínos em terminação alimentados com torta da polpa martolino junior final
 
Composição Centesimal Alimentos 2020.ppt
Composição Centesimal Alimentos 2020.pptComposição Centesimal Alimentos 2020.ppt
Composição Centesimal Alimentos 2020.ppt
 
TORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOS
TORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOSTORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOS
TORTA DE CUPUAÇU NA ALIMENTAÇÃO DE NELORE CONFINADOS
 
Artigo dql
Artigo dqlArtigo dql
Artigo dql
 
Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...
Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...
Artigo 2010 rbz_condiohepticadecordeirosmantidoscomdietascontendotortadedendp...
 
Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...
Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...
Composição bromatológica e digestibilidade ruminal in vitro de concentrados c...
 
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteirasArtigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
Artigo sobre variação das massas de gordura em cabras leiteiras
 
resumo_4350
resumo_4350resumo_4350
resumo_4350
 
Instrução Técnica Para o Produtor Rural de Pernambuco - Formulação de Rações
Instrução Técnica Para o Produtor Rural de Pernambuco - Formulação de Rações Instrução Técnica Para o Produtor Rural de Pernambuco - Formulação de Rações
Instrução Técnica Para o Produtor Rural de Pernambuco - Formulação de Rações
 
Consumo Alimentar Residual
Consumo Alimentar ResidualConsumo Alimentar Residual
Consumo Alimentar Residual
 
Resumo alimentar residual
Resumo alimentar residualResumo alimentar residual
Resumo alimentar residual
 
Consumo Alimentar Residual
Consumo Alimentar ResidualConsumo Alimentar Residual
Consumo Alimentar Residual
 
Capitulo07
Capitulo07Capitulo07
Capitulo07
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...
Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...
Girolando_de_alta_produccion_Una_alternativa_viable_para_la_produccion_de_lec...
 
Palestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamente
Palestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamentePalestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamente
Palestra palma-pecnordeste-2012.ppt-salvo-automaticamente
 
NUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdf
NUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdfNUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdf
NUTRAC. ALIMENTAÇÃO PETS (1).pdf
 

Último

ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx2m Assessoria
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx2m Assessoria
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfInocencioHoracio3
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx2m Assessoria
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 

Último (8)

ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - GESTÃO DE PESSOAS E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES - 52_2024.docx
 
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CUSTOS DE PRODUÇÃO - 52_2024.docx
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdfAula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
Aula 01 - Introducao a Processamento de Frutos e Hortalicas.pdf
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docxATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
ATIVIDADE 1 - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 52_2024.docx
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 

Bovino De Leite

  • 1. UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DE PERNAMBUCO Amanda Montalvão Andréa França Luciana Guedes Karla Florêncio Priscila Antão
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5.
  • 7.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 12. Tabela 1 – Consumo médio diário de matéria seca estimadas para três sub-períodos em função dos níveis de farelo de trigo na dieta e suas respectivas médias e coeficientes de variação (CV) Sub-período Níveis de farelo de trigo (%) 0 33 67 100 Média geral CV (%) CMS(kg/dia) 17,00 17,65 17,26 CMS(%PV) 3,14 3,27 3,2 CMS(g/kg º ׂ , 75 ) 151,52 157,62 154,23 16,28 17,63 16,46 3,01 3,27 3,06 145,12 157,57 147,12 1 2 3 1 2 3 1 2 3 16,95 17,10 16,45 3,17 3,19 3,07 152,35 153,35 147,52 16,37 17,23 17,04 3,06 3,21 3,18 146,91 154,5 152,82 Y= 16,65 Y= 17,40 Y= 16,80 Y= 3,10 Y= 3,24 Y= 3,13 Y= 148,97 Y= 155,81 Y= 150,42 7,75 7,19 7,59 6,69 5,72 6,98 6,92 6,06 7,04
  • 13.
  • 14. Tabela 2 – Consumo médios diários de matéria seca (MS) matéria orgânica (MO), proteina bruta (PB), extrato etéreo (EE), carboidratos totais (CT), fibra em detergente neutro (FDN), carboidratos não fibrosos (CNF) e nutrientes digetíveis totais (NDT) das dietas experimentais e suas respectivas equações de regressão, coeficiebte de determinação (R²) e coeficiente de variação (CV) Itens Níveis de farelo de trigo (%) 0 33 67 100 Equação de regressão CV (%) º ,75 17,26 154,23 16,1 2,91 0,498 11,90 6,42 5,34 11,65 3,2 1,19 16,46 147,12 15,33 2,83 0,450 11,25 8,10 4,52 10,82 3,06 1,51 MS kg/dia MS g/kg MO kg/dia PB kg/dia EE kg/dia CT kg/dia FDN kg/dia CNF g/kg NDT kg/dia MS %PV FDN %PV 16,45 147,52 15,64 2,80 0,453 11,73 8,12 4,13 11,08 3,07 1,52 17,04 152,82 15,74 2,91 0,468 11,91 9,29 3,79 10,31 3,18 1,73 Y= 16,08 Y= 150,42 Y= 15,7 Y= 2,86 Y= 0,467 Y= 11,7 Y= 6.696+0,025NT Y= 5,205-0,015NT Y= 10,96 Y= 3,12 Y= 1,242+0,005NT 7,59 7,04 5,79 6,34 11,25 6,43 7,66 10,12 10,26 6,98 7,07 R² Consumos 0,88 0,94 0,88
  • 15.
  • 16.
  • 17.