SlideShare uma empresa Scribd logo
Algas
   - Reino Protista -

(Aula do dia 21/04/2012)
Aspectos ecológicos:
• Constituem o fitoplâncton;

• Estão na base da cadeia alimentar, servindo como alimento para
muitas espécies de peixes, crustáceos, poríferos (esponjas), entre
outros organismos marinhos;

• São considerados os pulmões do mundo, apresentando uma alta
taxa de fotossíntese – muitos organismos, alta produção de
oxigênio;

• Conferem coloração e protegem barreiras de corais contra radiação
solar – algas zooxantelas;

• São indicadores de poluição em ambientes aquáticos – florações;

• Realizam simbiose com fungos, formando os líquens – indicadores
ambientais poluição).
Aspectos taxonômicos:
•São organismos uni (uma célula) ou multicelulares (2 ou mais
células);

• Todas as algas apresentam clorofila a, o principal pigmento para
realização da fotossíntese;

• Os pigmentos acessórios dão coloração à alga e auxiliam a
captação de energia luminosa em maiores profundidades onde a luz
não é captada pela clorofila a;

• São encontradas em ambientes marinhos, terrestres e dulcícolas

• Podem ser autótrofos ou heterótrofos, ou os dois, dependendo da
situação (ausência de luz, por exemplo)

• Grupos: Euglenófitas, Dinoflagelados, Diatomáceas, Feófitas,
Rodófitas e Clorofíceas.
Euglenófitas      (Euglenozoa)

• São comuns em água doce (lagos, rios);

• Apresentam vacúolo contrátil – uma
estrutura que auxilia na osmorregulação
(regulação da pressão osmótica – meio interno e
externo com a mesma concentração);

•Apresentam clorofila a e b, tendo como
pigmentos acessórios os carotenóides;




                                                  • Substância de reserva: Paramilo;

                                                  • Reproduzem-se assexuadamente por bipartição;

                                                  •Possuem dois flagelos de tamanhos diferentes,
                                                  sendo o maior para locomoção.
Dinoflagelados (Alveolata)

•Ocorrem em água doce, porém a maior parte
é marinha;

• Apresentam clorofila a e c, e carotenóides.;

• Substância de reserva: Amido;

• Possuem um ou dois flagelos;




                                                 •A membrana plasmática contem vesículas
                                                 chamadas alvéolos, e também há placas de
                                                 celulose (anfiesma);

                                                 • A regulação hidrostática (posição) na
                                                 coluna d’água se dá pelo armazenamento de
                                                 óleo;

                                                 • Fazem parte desse grupo as zooxantelas.
A      grande     concentração      de
                                dinoflagelados causa depleção        de
                                oxigênio (diminuição drástica no índice
                                de oxigênio na água), levando a morte
                                muitos peixes e outros organimos. O
                                fenômeno é causado por algum distúrbio
                                ambiental, geralmente por altos índices
                                de poluição. E é chamado FLORAÇÃO
                                (fig. à dir.). Outras algas também
                                produzem esse fenômeno.




As marés vermelhas também são
proliferações de algas
unicelulares. Podem liberar
toxinas, acumulando-as nos
níveis tróficos.
Diatomáceas (Stramenopila)
                                          Frústula
• São biflageladas (2 flagelos);          (epiteca)

•Autótrofas e heterótrofas;

• Parede celular impregnada com sílica,
formando uma estrutura chamada
frústula – proteção contra predação
(digestão);

• Substância de reserva:
Crisolaminarina;                                                                     Cíngulo

•Clorofila a e c, pigmento acessório:
                                                                               Hipoteca
fucoxantina e beta-caroteno (coloração
amarelada);
• Reprodução assex.: divide-se em dois, cada metade reconstitui a metade que falta. Esse
tipo de reprodução leva a diminuição gradual no tamanho dos indivíduos formados, sendo
necessário a certo ponto realizar a reprodução sexuada;

• Reprodução sexuada: anterozóide (gameta masculino) encontra-se com a oosfera (feminino)
e formam um zigoto, que se desenvolve por divisões mitóticas;

• Morfologia semelhante a uma placa de petri (duas valvas com uma abertura para entrada e
saída de água.
Rodophytas (Archaeplastida)
                        ca)
• Algas vermelhas;

• A maioria é multicelular;

• Produzem seu próprio alimento (autótrofas);

• São bentônicas (vivem associados a um
substrato;

• Apresentam clorofila a e c , ficoeritrina,
ficocianina e beta-caroteno;

                                                • Substancia de reserva: amido das
                                                florídeas;
                                                                               Cíngulo
                                                • Reprodução assexuada por esporos
                                                e sexuada por gametas;
                                                                        Hipoteca
                                                • Apresentam aplicação na indústria
                                                farmacêutica, alimentícia (iogurtes,
                                                geléias, flans – textura; Nori - sushi) e
                                                laboratorial (meio de cultura para
                                                fungos/bactérias).
Phaeophytas (Stramenopila)

• Algas pardas, ou marrons;

• Quase todas são marinhas;

• Apresentam clorofila a e c, fucoxantina e
carotenóides;

• Substância de reserva: laminarina e manitol;




                                              • Podem chegar a metros de comprimento;

                                              • São comuns nas praias brasileiras;

                                              • Grande importância comercial também, nas
                                              indústrias farmacêutica, alimentícia e
                                              laboratorial.
Clorofíceas (Chloroplastida -
             Archaeplastida)


• Algas verdes;

• São uni ou multicelulares;

• Organismos coloniais, sendo que cada
colônia apresenta um número fixo de
células – colônia cenobial;

• Clorofila a e b, carotenóides;

• Substância de reserva: Amido.
Evolução:

Estudos sustentam que as algas
provavelmente tiveram origem a partir das
cianobactérias. Um organismo eucarionte
heterótrofo se alimentou de uma
cianobactéria, adquirindo o vacúolo presente
nessa – origem do cloroplasto nas algas. A
esse evento deu-se o nome de
endossimbiose.
Classificação de Whittaker (1969). As algas se
         encontram no clado Protista.
Classificação de Baldauf (2008). As algas de encontram
nos clados Rhizaria, Plantae, Alveolates, Stramenopila e
                       Excavata.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Aula completa reino protista
Aula completa reino protistaAula completa reino protista
Aula completa reino protista
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
Reino Plantae Power Point
Reino Plantae Power PointReino Plantae Power Point
Reino Plantae Power Point
 
II.1 Vírus
II.1 VírusII.1 Vírus
II.1 Vírus
 
III.1 Poríferos e Celenterados
III.1 Poríferos e CelenteradosIII.1 Poríferos e Celenterados
III.1 Poríferos e Celenterados
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
 
Aula vírus
Aula vírusAula vírus
Aula vírus
 
Reino Monera Para Anglo
Reino Monera Para AngloReino Monera Para Anglo
Reino Monera Para Anglo
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Introdução a citologia
Introdução a citologiaIntrodução a citologia
Introdução a citologia
 
I.1 O que caracteriza um ser vivo
I.1 O que caracteriza um ser vivoI.1 O que caracteriza um ser vivo
I.1 O que caracteriza um ser vivo
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Células
CélulasCélulas
Células
 
Microscopia
MicroscopiaMicroscopia
Microscopia
 
Aulão a origem da vida
Aulão a origem da vidaAulão a origem da vida
Aulão a origem da vida
 
Aula citologia
Aula citologiaAula citologia
Aula citologia
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Nematódeos
NematódeosNematódeos
Nematódeos
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 

Destaque (20)

Vegetais inferiores
Vegetais inferioresVegetais inferiores
Vegetais inferiores
 
Algas
AlgasAlgas
Algas
 
Tipos de algas
Tipos de algasTipos de algas
Tipos de algas
 
Vegetais superiores
Vegetais superioresVegetais superiores
Vegetais superiores
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Modelos quantitativos para a tomada de decisão.
Modelos quantitativos para a tomada de decisão.Modelos quantitativos para a tomada de decisão.
Modelos quantitativos para a tomada de decisão.
 
Grupo - 3
Grupo - 3 Grupo - 3
Grupo - 3
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
 
Micoses subcutâneas
Micoses subcutâneasMicoses subcutâneas
Micoses subcutâneas
 
Os fungos 2011
Os fungos 2011Os fungos 2011
Os fungos 2011
 
Apres Algas
Apres AlgasApres Algas
Apres Algas
 
5 fungi
5   fungi5   fungi
5 fungi
 
Importância econômica das algas
Importância econômica das algasImportância econômica das algas
Importância econômica das algas
 
Algas
AlgasAlgas
Algas
 
Fungos nas Plantas - Oídio e Míldio
Fungos nas Plantas - Oídio e MíldioFungos nas Plantas - Oídio e Míldio
Fungos nas Plantas - Oídio e Míldio
 
Os 5 desafios das equipes - Grupo 3 - Apresentação
Os 5 desafios das equipes - Grupo 3 - ApresentaçãoOs 5 desafios das equipes - Grupo 3 - Apresentação
Os 5 desafios das equipes - Grupo 3 - Apresentação
 
Fungos noturno 3 D
Fungos  noturno 3 D Fungos  noturno 3 D
Fungos noturno 3 D
 
Protozoário algas e fungos capitulo 3
Protozoário algas e fungos capitulo 3Protozoário algas e fungos capitulo 3
Protozoário algas e fungos capitulo 3
 
Algas uni e pluricelulares
Algas uni e pluricelularesAlgas uni e pluricelulares
Algas uni e pluricelulares
 

Semelhante a Aula algas (21 04-12)

Semelhante a Aula algas (21 04-12) (20)

Algas
AlgasAlgas
Algas
 
Algas.pptx
Algas.pptxAlgas.pptx
Algas.pptx
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Algas filo protista
Algas filo protistaAlgas filo protista
Algas filo protista
 
Diversidade de autótrofos estágio ii iara linhares
Diversidade de autótrofos estágio ii iara linharesDiversidade de autótrofos estágio ii iara linhares
Diversidade de autótrofos estágio ii iara linhares
 
PARA 2S_ Reino Protoctista _abril_2014
PARA 2S_ Reino Protoctista _abril_2014PARA 2S_ Reino Protoctista _abril_2014
PARA 2S_ Reino Protoctista _abril_2014
 
Algas verdes trabalho de biologia
Algas verdes trabalho de biologia Algas verdes trabalho de biologia
Algas verdes trabalho de biologia
 
FILO HAPTOPHYTA
FILO HAPTOPHYTAFILO HAPTOPHYTA
FILO HAPTOPHYTA
 
Ppoint.Reino.Protoctista2009
Ppoint.Reino.Protoctista2009Ppoint.Reino.Protoctista2009
Ppoint.Reino.Protoctista2009
 
Reino protoctistas
Reino protoctistasReino protoctistas
Reino protoctistas
 
Fred biologia algas_050509
Fred biologia algas_050509Fred biologia algas_050509
Fred biologia algas_050509
 
6 protista
6   protista6   protista
6 protista
 
Reino Protoctista e Fungi.pdf
Reino Protoctista e Fungi.pdfReino Protoctista e Fungi.pdf
Reino Protoctista e Fungi.pdf
 
Zoologia aula 05
Zoologia aula 05Zoologia aula 05
Zoologia aula 05
 
Reino Protoctista - Algas
Reino Protoctista - AlgasReino Protoctista - Algas
Reino Protoctista - Algas
 
Reino protoctista
Reino protoctistaReino protoctista
Reino protoctista
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Reino Protista
Reino ProtistaReino Protista
Reino Protista
 
Algas protistas.ppt
Algas protistas.pptAlgas protistas.ppt
Algas protistas.ppt
 

Último

São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxSolangeWaltre
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfLeandroTelesRocha2
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxEduardaMedeiros18
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaaCarolineFrancielle
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoPedroFerreira53928
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 

Último (20)

São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docxAtividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
Atividades-Sobre-o-Conto-Venha-Ver-o-Por-Do-Sol.docx
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docxCONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
CONTO-3º-4º-E-5ºANO-A-PRINCESA-E-A-ERVILHA[1] (1).docx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
22-modernismo-5-prosa-de-45.pptxrpnsaaaa
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 

Aula algas (21 04-12)

  • 1. Algas - Reino Protista - (Aula do dia 21/04/2012)
  • 2. Aspectos ecológicos: • Constituem o fitoplâncton; • Estão na base da cadeia alimentar, servindo como alimento para muitas espécies de peixes, crustáceos, poríferos (esponjas), entre outros organismos marinhos; • São considerados os pulmões do mundo, apresentando uma alta taxa de fotossíntese – muitos organismos, alta produção de oxigênio; • Conferem coloração e protegem barreiras de corais contra radiação solar – algas zooxantelas; • São indicadores de poluição em ambientes aquáticos – florações; • Realizam simbiose com fungos, formando os líquens – indicadores ambientais poluição).
  • 3. Aspectos taxonômicos: •São organismos uni (uma célula) ou multicelulares (2 ou mais células); • Todas as algas apresentam clorofila a, o principal pigmento para realização da fotossíntese; • Os pigmentos acessórios dão coloração à alga e auxiliam a captação de energia luminosa em maiores profundidades onde a luz não é captada pela clorofila a; • São encontradas em ambientes marinhos, terrestres e dulcícolas • Podem ser autótrofos ou heterótrofos, ou os dois, dependendo da situação (ausência de luz, por exemplo) • Grupos: Euglenófitas, Dinoflagelados, Diatomáceas, Feófitas, Rodófitas e Clorofíceas.
  • 4. Euglenófitas (Euglenozoa) • São comuns em água doce (lagos, rios); • Apresentam vacúolo contrátil – uma estrutura que auxilia na osmorregulação (regulação da pressão osmótica – meio interno e externo com a mesma concentração); •Apresentam clorofila a e b, tendo como pigmentos acessórios os carotenóides; • Substância de reserva: Paramilo; • Reproduzem-se assexuadamente por bipartição; •Possuem dois flagelos de tamanhos diferentes, sendo o maior para locomoção.
  • 5. Dinoflagelados (Alveolata) •Ocorrem em água doce, porém a maior parte é marinha; • Apresentam clorofila a e c, e carotenóides.; • Substância de reserva: Amido; • Possuem um ou dois flagelos; •A membrana plasmática contem vesículas chamadas alvéolos, e também há placas de celulose (anfiesma); • A regulação hidrostática (posição) na coluna d’água se dá pelo armazenamento de óleo; • Fazem parte desse grupo as zooxantelas.
  • 6. A grande concentração de dinoflagelados causa depleção de oxigênio (diminuição drástica no índice de oxigênio na água), levando a morte muitos peixes e outros organimos. O fenômeno é causado por algum distúrbio ambiental, geralmente por altos índices de poluição. E é chamado FLORAÇÃO (fig. à dir.). Outras algas também produzem esse fenômeno. As marés vermelhas também são proliferações de algas unicelulares. Podem liberar toxinas, acumulando-as nos níveis tróficos.
  • 7. Diatomáceas (Stramenopila) Frústula • São biflageladas (2 flagelos); (epiteca) •Autótrofas e heterótrofas; • Parede celular impregnada com sílica, formando uma estrutura chamada frústula – proteção contra predação (digestão); • Substância de reserva: Crisolaminarina; Cíngulo •Clorofila a e c, pigmento acessório: Hipoteca fucoxantina e beta-caroteno (coloração amarelada); • Reprodução assex.: divide-se em dois, cada metade reconstitui a metade que falta. Esse tipo de reprodução leva a diminuição gradual no tamanho dos indivíduos formados, sendo necessário a certo ponto realizar a reprodução sexuada; • Reprodução sexuada: anterozóide (gameta masculino) encontra-se com a oosfera (feminino) e formam um zigoto, que se desenvolve por divisões mitóticas; • Morfologia semelhante a uma placa de petri (duas valvas com uma abertura para entrada e saída de água.
  • 8. Rodophytas (Archaeplastida) ca) • Algas vermelhas; • A maioria é multicelular; • Produzem seu próprio alimento (autótrofas); • São bentônicas (vivem associados a um substrato; • Apresentam clorofila a e c , ficoeritrina, ficocianina e beta-caroteno; • Substancia de reserva: amido das florídeas; Cíngulo • Reprodução assexuada por esporos e sexuada por gametas; Hipoteca • Apresentam aplicação na indústria farmacêutica, alimentícia (iogurtes, geléias, flans – textura; Nori - sushi) e laboratorial (meio de cultura para fungos/bactérias).
  • 9. Phaeophytas (Stramenopila) • Algas pardas, ou marrons; • Quase todas são marinhas; • Apresentam clorofila a e c, fucoxantina e carotenóides; • Substância de reserva: laminarina e manitol; • Podem chegar a metros de comprimento; • São comuns nas praias brasileiras; • Grande importância comercial também, nas indústrias farmacêutica, alimentícia e laboratorial.
  • 10. Clorofíceas (Chloroplastida - Archaeplastida) • Algas verdes; • São uni ou multicelulares; • Organismos coloniais, sendo que cada colônia apresenta um número fixo de células – colônia cenobial; • Clorofila a e b, carotenóides; • Substância de reserva: Amido.
  • 11. Evolução: Estudos sustentam que as algas provavelmente tiveram origem a partir das cianobactérias. Um organismo eucarionte heterótrofo se alimentou de uma cianobactéria, adquirindo o vacúolo presente nessa – origem do cloroplasto nas algas. A esse evento deu-se o nome de endossimbiose.
  • 12. Classificação de Whittaker (1969). As algas se encontram no clado Protista.
  • 13. Classificação de Baldauf (2008). As algas de encontram nos clados Rhizaria, Plantae, Alveolates, Stramenopila e Excavata.