SlideShare uma empresa Scribd logo
Algas verdes 
B 
i 
o 
l 
o 
g 
i 
a 
Chlorophyta 
ou 
Clorófitas
Alguns exemplos
Características gerais 
 As clorofíceas são eucarióticas, 
 Os pigmentos fotossintetizantes são a clorofila a e 
b, carotenóides e xantofilas, e são semelhantes 
aos das briófitas e plantas vasculares. 
 Possuem no interior dos cloroplastos pequenas 
estruturas denominadas pirenoides responsáveis 
pela conversão de açúcar em amido para o 
armazenamento de nutrientes 
 Parede celular de celulose 
 Uni e pluricelulares 
 Dulcícolas e Marinhas
Características gerais 
 É o grupo mais numeroso e diversificado de 
algas 
 As clorophytas habitam os mais diversos 
ambientes, porém sua grande maioria é de 
água doce (cerca de 90%) formando a maior 
parte do plâncton de água doce 
 Algumas algas verdes podem viver em áreas 
congeladas ou sob troncos de árvores ou 
áreas úmidas
Características gerais 
 Podem fazer parte de associações mutualísticas formando 
os (algas + fungos) 
O que são liquens 
Os liquens são seres vivos considerados especiais, pois são formados 
por uma simbiose (relação de mutualismo entre dois organismos onde 
há vantagens para ambos indivíduos). A simbiose que forma os liquens 
ocorre entre uma alga e um fungo. 
Nesta relação simbiótica a alga é responsável pela produção de 
alimento orgânico e realização da fotossíntese. Já o fungo, garante a 
proteção e um ambiente adequado para o desenvolvimento da alga. 
Os liquens são resistentes e podem se desenvolver em pedras e 
galhos e troncos de árvores. Aguentam bem as mudanças de 
temperatura, assim como o sol forte e a umidade.
Reprodução 
 As clorófitas apresentam 3 tipos distintos de 
reprodução 
1. Haplonte-diplonte 
2. Haplonte 
3. Diplonte
Haplonte-diplonte 
O indivíduo diplóide (esporófito) produz por meiose células haplóides, 
flageladas, chamadas zoósporos. Estes originam por mitoses um indivíduo 
haplóide (gametófito), que produz gametas. Por fecundação os gametas 
produzem um zigoto e este, por mitoses, origina uma nova planta diplóide.
•Haplonte 
Uma de suas células sofre meiose produzindo esporos haploides, cada 
um com quatro flagelos (zoósporos) que se dispersam nadando 
através de movimentos flagelares ativos até encontrar algum local 
apropriado. Perdem então seus flagelos, proliferam por mitose 
originando os gametófitos em forma de folha larga achatada, idênticas 
ao esporófito do ponto de vista morfológico. Cada gametófito produz, 
por mitose, gametas masculinos ou femininos idênticos providos de 
dois flagelos cada um. Ambos se locomovem, um em direção ao 
outro, até se fundirem (fecundação isogâmica), originando um zigoto 
diploide. 
Este se prolifera por mitoses sucessivas, originando o novo esporófito 
pluricelular e fechando seu ciclo reprodutivo.
•Haplonte 
filamento adulto 
(talo haplóide) 
zoósporos (n) 
meiose 
gametas (n) 
fecundação 
zigoto (2n)
Diplonte 
Este ciclo de vida ocorre na maioria das algas e sua principal característica é 
a alternância de gerações, onde alterna uma fase haplóide produtora de 
gametas e uma diplóide, produtora de esporos. 
O esporófito (2n) possui células produtoras de esporos. Os esporos são 
haplóides, portanto há meiose na sua produção. Os esporos são liberados 
no ambiente e quando encontram um local adequado irão dar origem a 
organismos haplóides, produtores de gametas. 
Estes produtores de gametas são os gametófitos, e representam a geração 
gametofítica. Os gametas se fundem, dando origem a um organismo 
diplóide, o zigoto, que cresce e se desenvolve, dando origem à fase 
esporofítica.
Importâncias Econômicas 
Algas são fonte de oxigênio 
Ao conjunto de organismos fotossintetizantes 
que ocorrem no meio aquático, vivendo à deriva 
na coluna d'água, é dado o nome de 
fitoplâncton. O fitoplâncton serve de alimento 
para o zooplâncton, ou seja, para os 
microrganismos heterótrofos presentes no 
plâncton, que, por sua vez, são a base da 
alimentação de animais maiores. 
Algumas algas verdes unicelulares, ainda, são 
eficazes no tratamento do esgoto, promovendo 
a decomposição aeróbica de resíduos orgânicos
Importâncias Ecológicas 
As algas são organismos autótrofos,ou seja,que 
fabricam o seu próprio alimento, assim como as 
plantas a partir de um processo chamado 
fotossíntese. além de serem a base da cadeia 
alimentar aquática,elas são responsáveis por 
liberarem aproximadamente 90% do oxigênio 
para a amosfera,permitindo que os seres que 
dependem do oxigênio vivam no planeta terra.
Algas verdes trabalho de biologia
Uso medicinal 
O uso medicinal de algas na cura e 
prevenção de doenças faz parte da 
cultura milenar de muitos países, como 
China, Coréia e Japão. A eficácia de uma 
espécie de alga parda já foi reconhecida, 
pelo meio científico, no tratamento do 
bócio, doença que afeta o metabolismo do 
iodo.
Algas na culinária 
Em muitos países, principalmente no Oriente, as 
algas fazem parte da alimentação diária. Elas 
são fonte de proteínas, vitaminas e sais minerais. 
que podem ser cultivadas em viveiros ou 
simplesmente coletadas no ambiente marinho. 
Algumas das algas comestíveis mais conhecidas 
são o nori, utilizado pelos japoneses no preparo 
do sushi, e o kombu e o wakame, duas algas que 
fazem parte de pratos chineses e japoneses, 
como sopas, molhos e carnes.
Algas verdes trabalho de biologia
Fim 
Grupo 
— Rafael rocha 
—Edmundo Ribeiro 
— Lucas Francisco 
— Luis Eduardo 
— Breno Nunes

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Heitor de Oliveira Braga
 
Botânica
BotânicaBotânica
Botânica
familiaestagio
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
Rebeca Vale
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
Renata Magalhães
 
Metazoa
MetazoaMetazoa
Apêndices dos arthropoda
Apêndices dos arthropodaApêndices dos arthropoda
Apêndices dos arthropoda
Fábio Ianomami
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Fatima Comiotto
 
Agnatha atuais e Chondrichthyes
Agnatha atuais e ChondrichthyesAgnatha atuais e Chondrichthyes
Agnatha atuais e Chondrichthyes
Guellity Marcel
 
Bromeeliaceae
BromeeliaceaeBromeeliaceae
Bromeeliaceae
Henrique Zini
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
guest78da28
 
Artropodes agronomia
Artropodes agronomiaArtropodes agronomia
Artropodes agronomia
Henrique Zini
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
Lidia Medeiros
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
thaysribeiro
 
Fungos
FungosFungos
Biologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeosBiologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e Anelídeos
karenfreitasRS21
 
V.3 Gimnospermas
V.3 GimnospermasV.3 Gimnospermas
V.3 Gimnospermas
Rebeca Vale
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
Killer Max
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
Rebeca Vale
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
Bio
 
Filo Arthropoda
Filo ArthropodaFilo Arthropoda
Filo Arthropoda
Diego Yamazaki Bolano
 

Mais procurados (20)

Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetaisTaxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
Taxonomia, sistemática e principais grupos de algas e vegetais
 
Botânica
BotânicaBotânica
Botânica
 
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e NematelmintosIII.2 Platelmintos e Nematelmintos
III.2 Platelmintos e Nematelmintos
 
Ecologia 3º ano
Ecologia 3º anoEcologia 3º ano
Ecologia 3º ano
 
Metazoa
MetazoaMetazoa
Metazoa
 
Apêndices dos arthropoda
Apêndices dos arthropodaApêndices dos arthropoda
Apêndices dos arthropoda
 
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermasAula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
Aula de briófitas, pteridófitas, gimnospermas e angiospermas
 
Agnatha atuais e Chondrichthyes
Agnatha atuais e ChondrichthyesAgnatha atuais e Chondrichthyes
Agnatha atuais e Chondrichthyes
 
Bromeeliaceae
BromeeliaceaeBromeeliaceae
Bromeeliaceae
 
Gimnospermas
GimnospermasGimnospermas
Gimnospermas
 
Artropodes agronomia
Artropodes agronomiaArtropodes agronomia
Artropodes agronomia
 
Moluscos
MoluscosMoluscos
Moluscos
 
As Algas
As AlgasAs Algas
As Algas
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 
Biologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e AnelídeosBiologia - Moluscos e Anelídeos
Biologia - Moluscos e Anelídeos
 
V.3 Gimnospermas
V.3 GimnospermasV.3 Gimnospermas
V.3 Gimnospermas
 
Artrópodes
ArtrópodesArtrópodes
Artrópodes
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
 
Filo Arthropoda
Filo ArthropodaFilo Arthropoda
Filo Arthropoda
 

Destaque

Introdução às algas
Introdução às algas Introdução às algas
Introdução às algas
Nome Sobrenome
 
Aula algas (21 04-12)
Aula algas (21 04-12)Aula algas (21 04-12)
Aula algas (21 04-12)
BotanicaCPVA
 
Alface do mar
Alface do marAlface do mar
Alface do mar
naliniram
 
Algas verdes
Algas verdesAlgas verdes
Algas verdes
GPuescas
 
Algas verdes - Divisió Chlorophytas
Algas verdes - Divisió ChlorophytasAlgas verdes - Divisió Chlorophytas
Algas verdes - Divisió Chlorophytas
Paula Perez de Ciriza
 
Efluentes domésticos e industriais
Efluentes domésticos e industriaisEfluentes domésticos e industriais
Efluentes domésticos e industriais
Rafael Luis Tembo
 
01 sistemática
01 sistemática01 sistemática
Evolução das plantas
Evolução das plantasEvolução das plantas
Evolução das plantas
Andrea Barreto
 
Efluentes
EfluentesEfluentes
Efluentes
Priscila Lidia
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
Nuno Correia
 
Classificação e evolução das plantas
Classificação e evolução das plantasClassificação e evolução das plantas
Classificação e evolução das plantas
Alexandre Pusaudse
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
Vanilda Porto Vieira
 
Bg 11 ciclos de vida - aurelia aurita
Bg 11   ciclos de vida - aurelia auritaBg 11   ciclos de vida - aurelia aurita
Bg 11 ciclos de vida - aurelia aurita
Nuno Correia
 
Algas - Importância Biológica e Econômica
Algas - Importância Biológica e EconômicaAlgas - Importância Biológica e Econômica
Algas - Importância Biológica e Econômica
AlexanderLights
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
profgilvano
 
Evolução das plantas
Evolução das plantasEvolução das plantas
Evolução das plantas
Jaqueline Sarges
 
Bio 12 genética - epistasia
Bio 12   genética - epistasiaBio 12   genética - epistasia
Bio 12 genética - epistasia
Nuno Correia
 
11 algas y_plantas2
11 algas y_plantas211 algas y_plantas2
11 algas y_plantas2
fercho3891
 
Importância econômica das algas
Importância econômica das algasImportância econômica das algas
Importância econômica das algas
Paulo Oliveira
 
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e AngiospermasEvolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Sergio Nascimento
 

Destaque (20)

Introdução às algas
Introdução às algas Introdução às algas
Introdução às algas
 
Aula algas (21 04-12)
Aula algas (21 04-12)Aula algas (21 04-12)
Aula algas (21 04-12)
 
Alface do mar
Alface do marAlface do mar
Alface do mar
 
Algas verdes
Algas verdesAlgas verdes
Algas verdes
 
Algas verdes - Divisió Chlorophytas
Algas verdes - Divisió ChlorophytasAlgas verdes - Divisió Chlorophytas
Algas verdes - Divisió Chlorophytas
 
Efluentes domésticos e industriais
Efluentes domésticos e industriaisEfluentes domésticos e industriais
Efluentes domésticos e industriais
 
01 sistemática
01 sistemática01 sistemática
01 sistemática
 
Evolução das plantas
Evolução das plantasEvolução das plantas
Evolução das plantas
 
Efluentes
EfluentesEfluentes
Efluentes
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
 
Classificação e evolução das plantas
Classificação e evolução das plantasClassificação e evolução das plantas
Classificação e evolução das plantas
 
Reino protista
Reino protistaReino protista
Reino protista
 
Bg 11 ciclos de vida - aurelia aurita
Bg 11   ciclos de vida - aurelia auritaBg 11   ciclos de vida - aurelia aurita
Bg 11 ciclos de vida - aurelia aurita
 
Algas - Importância Biológica e Econômica
Algas - Importância Biológica e EconômicaAlgas - Importância Biológica e Econômica
Algas - Importância Biológica e Econômica
 
Epistasia
EpistasiaEpistasia
Epistasia
 
Evolução das plantas
Evolução das plantasEvolução das plantas
Evolução das plantas
 
Bio 12 genética - epistasia
Bio 12   genética - epistasiaBio 12   genética - epistasia
Bio 12 genética - epistasia
 
11 algas y_plantas2
11 algas y_plantas211 algas y_plantas2
11 algas y_plantas2
 
Importância econômica das algas
Importância econômica das algasImportância econômica das algas
Importância econômica das algas
 
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e AngiospermasEvolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
Evolução das plantas Briofitas,Pteridofitas,Gimnospermas e Angiospermas
 

Semelhante a Algas verdes trabalho de biologia

Algas.pptx
Algas.pptxAlgas.pptx
Algas.pptx
Daniel Ferreira
 
Reino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelulares
Reino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelularesReino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelulares
Reino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelulares
ProfessorThrsisGabry
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Aula reino protoctista
Aula reino protoctistaAula reino protoctista
Aula reino protoctista
Plínio Gonçalves
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
Protistas
ProtistasProtistas
Avaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia iiAvaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia ii
Isabella Silva
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
Isabella Silva
 
6 protista
6   protista6   protista
6 protista
Pelo Siro
 
fungos
fungosfungos
fungos
Dilo Nianga
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
aulasdotubao
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
aulasdotubao
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
aulasdotubao
 
Algas e sua importância ecológica, econômica
Algas e sua importância ecológica, econômicaAlgas e sua importância ecológica, econômica
Algas e sua importância ecológica, econômica
Universidade Federal do Pará - UFPA
 
Biologia 2
Biologia 2Biologia 2
Algas filo protista
Algas filo protistaAlgas filo protista
Algas filo protista
ludianaribeiro
 
Fungos
FungosFungos

Semelhante a Algas verdes trabalho de biologia (20)

Algas.pptx
Algas.pptxAlgas.pptx
Algas.pptx
 
Reino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelulares
Reino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelularesReino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelulares
Reino Protista: protozoários e algas unicelulares e pluricelulares
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Aula reino protoctista
Aula reino protoctistaAula reino protoctista
Aula reino protoctista
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
Protistas
ProtistasProtistas
Protistas
 
Avaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia iiAvaliação parcial de biologia ii
Avaliação parcial de biologia ii
 
Avaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia IIAvaliação parcial de Biologia II
Avaliação parcial de Biologia II
 
6 protista
6   protista6   protista
6 protista
 
fungos
fungosfungos
fungos
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
 
Fungos e algas
Fungos e algasFungos e algas
Fungos e algas
 
Algas e sua importância ecológica, econômica
Algas e sua importância ecológica, econômicaAlgas e sua importância ecológica, econômica
Algas e sua importância ecológica, econômica
 
Biologia 2
Biologia 2Biologia 2
Biologia 2
 
Biologia 2
Biologia 2Biologia 2
Biologia 2
 
Algas filo protista
Algas filo protistaAlgas filo protista
Algas filo protista
 
Fungos
FungosFungos
Fungos
 

Último

quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 

Último (20)

quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 

Algas verdes trabalho de biologia

  • 1. Algas verdes B i o l o g i a Chlorophyta ou Clorófitas
  • 3. Características gerais  As clorofíceas são eucarióticas,  Os pigmentos fotossintetizantes são a clorofila a e b, carotenóides e xantofilas, e são semelhantes aos das briófitas e plantas vasculares.  Possuem no interior dos cloroplastos pequenas estruturas denominadas pirenoides responsáveis pela conversão de açúcar em amido para o armazenamento de nutrientes  Parede celular de celulose  Uni e pluricelulares  Dulcícolas e Marinhas
  • 4. Características gerais  É o grupo mais numeroso e diversificado de algas  As clorophytas habitam os mais diversos ambientes, porém sua grande maioria é de água doce (cerca de 90%) formando a maior parte do plâncton de água doce  Algumas algas verdes podem viver em áreas congeladas ou sob troncos de árvores ou áreas úmidas
  • 5. Características gerais  Podem fazer parte de associações mutualísticas formando os (algas + fungos) O que são liquens Os liquens são seres vivos considerados especiais, pois são formados por uma simbiose (relação de mutualismo entre dois organismos onde há vantagens para ambos indivíduos). A simbiose que forma os liquens ocorre entre uma alga e um fungo. Nesta relação simbiótica a alga é responsável pela produção de alimento orgânico e realização da fotossíntese. Já o fungo, garante a proteção e um ambiente adequado para o desenvolvimento da alga. Os liquens são resistentes e podem se desenvolver em pedras e galhos e troncos de árvores. Aguentam bem as mudanças de temperatura, assim como o sol forte e a umidade.
  • 6. Reprodução  As clorófitas apresentam 3 tipos distintos de reprodução 1. Haplonte-diplonte 2. Haplonte 3. Diplonte
  • 7. Haplonte-diplonte O indivíduo diplóide (esporófito) produz por meiose células haplóides, flageladas, chamadas zoósporos. Estes originam por mitoses um indivíduo haplóide (gametófito), que produz gametas. Por fecundação os gametas produzem um zigoto e este, por mitoses, origina uma nova planta diplóide.
  • 8. •Haplonte Uma de suas células sofre meiose produzindo esporos haploides, cada um com quatro flagelos (zoósporos) que se dispersam nadando através de movimentos flagelares ativos até encontrar algum local apropriado. Perdem então seus flagelos, proliferam por mitose originando os gametófitos em forma de folha larga achatada, idênticas ao esporófito do ponto de vista morfológico. Cada gametófito produz, por mitose, gametas masculinos ou femininos idênticos providos de dois flagelos cada um. Ambos se locomovem, um em direção ao outro, até se fundirem (fecundação isogâmica), originando um zigoto diploide. Este se prolifera por mitoses sucessivas, originando o novo esporófito pluricelular e fechando seu ciclo reprodutivo.
  • 9. •Haplonte filamento adulto (talo haplóide) zoósporos (n) meiose gametas (n) fecundação zigoto (2n)
  • 10. Diplonte Este ciclo de vida ocorre na maioria das algas e sua principal característica é a alternância de gerações, onde alterna uma fase haplóide produtora de gametas e uma diplóide, produtora de esporos. O esporófito (2n) possui células produtoras de esporos. Os esporos são haplóides, portanto há meiose na sua produção. Os esporos são liberados no ambiente e quando encontram um local adequado irão dar origem a organismos haplóides, produtores de gametas. Estes produtores de gametas são os gametófitos, e representam a geração gametofítica. Os gametas se fundem, dando origem a um organismo diplóide, o zigoto, que cresce e se desenvolve, dando origem à fase esporofítica.
  • 11. Importâncias Econômicas Algas são fonte de oxigênio Ao conjunto de organismos fotossintetizantes que ocorrem no meio aquático, vivendo à deriva na coluna d'água, é dado o nome de fitoplâncton. O fitoplâncton serve de alimento para o zooplâncton, ou seja, para os microrganismos heterótrofos presentes no plâncton, que, por sua vez, são a base da alimentação de animais maiores. Algumas algas verdes unicelulares, ainda, são eficazes no tratamento do esgoto, promovendo a decomposição aeróbica de resíduos orgânicos
  • 12. Importâncias Ecológicas As algas são organismos autótrofos,ou seja,que fabricam o seu próprio alimento, assim como as plantas a partir de um processo chamado fotossíntese. além de serem a base da cadeia alimentar aquática,elas são responsáveis por liberarem aproximadamente 90% do oxigênio para a amosfera,permitindo que os seres que dependem do oxigênio vivam no planeta terra.
  • 14. Uso medicinal O uso medicinal de algas na cura e prevenção de doenças faz parte da cultura milenar de muitos países, como China, Coréia e Japão. A eficácia de uma espécie de alga parda já foi reconhecida, pelo meio científico, no tratamento do bócio, doença que afeta o metabolismo do iodo.
  • 15. Algas na culinária Em muitos países, principalmente no Oriente, as algas fazem parte da alimentação diária. Elas são fonte de proteínas, vitaminas e sais minerais. que podem ser cultivadas em viveiros ou simplesmente coletadas no ambiente marinho. Algumas das algas comestíveis mais conhecidas são o nori, utilizado pelos japoneses no preparo do sushi, e o kombu e o wakame, duas algas que fazem parte de pratos chineses e japoneses, como sopas, molhos e carnes.
  • 17. Fim Grupo — Rafael rocha —Edmundo Ribeiro — Lucas Francisco — Luis Eduardo — Breno Nunes