SlideShare uma empresa Scribd logo
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
Ajuda o Pai Natal
e vive uma linda
aventura.
◇ Ajuda o Pai Natal a fazer um acróstico com o seu nome.
Não te esqueças que um acróstico é um jogo de palavras, que consiste em iniciar cada verso
com uma letra de uma palavra escrita verticalmente. Ou seja, a partir das letras dessa
palavra criam-se outras palavras ou pequenas frases.
P
A
I
N
A
T
A
L
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
Eu gosto tanto de viajar no meu trenó e entregar
presentes, mas gostava de ter um acróstico com o
meu nome (Pai Natal), a identificar o meu trenó. Será
que podes ajudar-me?
◇ Ajuda o Pai Natal a fazer um bolo de Natal.
Não te esqueças de colocar
 Ingredientes
 Preparação
 Apresentação (desenho)
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
Quero fazer um bolo de Natal para
a festa de Natal, mas não sei como
o fazer! Ajuda-me.
◇ Ajuda o Pai Natal a fazer o convite.
Quando escreveres o convite não te esqueças de indicar os seguintes elementos:
 O nome de quem convida;
 Qual é a finalidade do convite;
 Para que data convida (dia da semana / mês / dia);
 Para que horas;
 Para que local;
 Assinatura de quem convida.
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
Vou fazer uma festa de Natal. Adoro
festas… Vou convidar a turma do 4º C
da Escola EB1 / JI Agualva 2. Mas…
Preciso de fazer um convite.
◇ Ajuda o Pai Natal e regista 6 argumentos para convenceres os convidados do
Pai Natal a não faltarem à festa. De seguida escreve um texto com esses
argumentos e convence.
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
Espero que os meus convidados não
faltem à minha festa de Natal. Tenho
tantos presentes para oferecer…
Que argumentos vou escrever para os
convencer a não faltarem à minha festa?
Ajuda-me.
◇ Ajuda o Pai Natal a fazer umas bonitas quadras de Natal, para colocar na
árvore e a tornar ainda mais bela. Não te esqueças que as quadras podem ter
rimas!
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
Já enfeitei a árvore para receber
os meus convidados. Mas, ainda
lhe falta um toque especial. Ah!
Já sei, vou fazer umas quadras
de Natal.
◇ Vamos aprender com o Pai Natal a história da árvore de Natal.
 Lê o texto e retira a informação mais importante.
 Faz um desdobrável para o Pai Natal entregar aos convidados.
 Não te esqueças de ilustrar o teu desdobrável.
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
A Árvore de Natal já está
enfeitada.
A história da árvore de Natal…
A Árvore de Natal
A história da Árvore de Natal vem de longe, muito longe. O pinheiro foi sempre a
árvore escolhida por duas razões: porque acreditavam que trazia felicidade e porque as suas
folhas não caem nunca e se mantêm verdes, mesmo quando fustigadas pelo vento ou
cobertas de neve. O pinheiro representava tudo o que não acaba nunca.
Há muitos anos atrás era hábito representar-se no largo da igreja ou dentro dela,
uma peça religiosa tirada de uma cena bíblica. Quase sempre era a história de Adão e Eva. O
cenário do Paraíso era figurado por um pinheiro de cujos ramos pendiam maçãs e rosas de
papel. Se a peça se desenrolasse dentro da igreja, a árvore erguia-se no centro de um círculo
formado por velas acesas. A representação das cenas bíblicas caiu em desuso, mas as
pessoas conversaram o costume de enfeitar em suas casas uma Árvore do Paraíso, com
maçãs e flores.
Os enfeites foram mudando ao longo dos anos. Depois das maçãs, rosas de papel e
guloseimas, passaram a figurar no pinheiro, bolachas modeladas em massa branca com
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
vários feitios: estrelas, anjos e corações. A estes enfeites juntaram-se os fios dourados, as
nozes douradas ou prateadas e os brinquedos.
O hábito de iluminar a Árvore de Natal começou no século XVIII. Havia quem
achasse que só se deviam colocar no pinheiro 12 velas acesas, para simbolizar os 12 meses
do ano.
Por volta de 1850 apareceram as decorações em vidro e em cristal e as bolas
vermelhas substituíram as maçãs do paraíso. Ainda hoje a cor vermelha é a cor preferida
para as decorações do Natal.
À volta da Árvore de Natal era costume cantarem-se canções alusivas ao Menino
Jesus e à fraternidade entre os homens.
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
vários feitios: estrelas, anjos e corações. A estes enfeites juntaram-se os fios dourados, as
nozes douradas ou prateadas e os brinquedos.
O hábito de iluminar a Árvore de Natal começou no século XVIII. Havia quem
achasse que só se deviam colocar no pinheiro 12 velas acesas, para simbolizar os 12 meses
do ano.
Por volta de 1850 apareceram as decorações em vidro e em cristal e as bolas
vermelhas substituíram as maçãs do paraíso. Ainda hoje a cor vermelha é a cor preferida
para as decorações do Natal.
À volta da Árvore de Natal era costume cantarem-se canções alusivas ao Menino
Jesus e à fraternidade entre os homens.
Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

TradiçõEs De Natal
TradiçõEs De NatalTradiçõEs De Natal
TradiçõEs De Natal
Ana Cunha
 
Natal
NatalNatal
O natal em portugal
O natal em portugalO natal em portugal
O natal em portugal
Ensinar Português Andaluzia
 
O natal em diversos países da europa
O natal em diversos países da europaO natal em diversos países da europa
O natal em diversos países da europa
andrepaiva7a
 
O Natal em Portugal
O Natal em Portugal O Natal em Portugal
O Natal em Portugal
anaiab
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
Silmara Colombo
 
Poesias de Natal
Poesias de NatalPoesias de Natal
Poesias de Natal
angelagomescosta
 
Espanha
EspanhaEspanha
Espanha
PIEF OEIRAS
 
Natal10
Natal10Natal10
Natal10
Maria Gomes
 
Tradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos Santos
Tradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos SantosTradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos Santos
Tradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos Santos
Artur Filipe dos Santos
 
Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]
sorrisinhu
 
Uma áRvore De Natal Partilhada
Uma áRvore De Natal PartilhadaUma áRvore De Natal Partilhada
Uma áRvore De Natal Partilhada
maria do rosario macedo
 
Natal na eslováquia
Natal na eslováquiaNatal na eslováquia
Natal na eslováquia
Natercia
 
Trabalho do natal
Trabalho do natalTrabalho do natal
Trabalho do natal
josesolidario
 
Quadras de natal_bes elias garcia
Quadras de natal_bes elias garciaQuadras de natal_bes elias garcia
Quadras de natal_bes elias garcia
Elias Garcia
 
Apresentação joana...
Apresentação joana...Apresentação joana...
Apresentação joana...
Tito Romeu Gomes de Sousa Maia Mendes
 
Natal
NatalNatal
Atividades de matematica[1]
Atividades de matematica[1]Atividades de matematica[1]
Atividades de matematica[1]
Liz de Oliveira Mendes Francisco
 
O natal
O natal O natal

Mais procurados (19)

TradiçõEs De Natal
TradiçõEs De NatalTradiçõEs De Natal
TradiçõEs De Natal
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
O natal em portugal
O natal em portugalO natal em portugal
O natal em portugal
 
O natal em diversos países da europa
O natal em diversos países da europaO natal em diversos países da europa
O natal em diversos países da europa
 
O Natal em Portugal
O Natal em Portugal O Natal em Portugal
O Natal em Portugal
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
 
Poesias de Natal
Poesias de NatalPoesias de Natal
Poesias de Natal
 
Espanha
EspanhaEspanha
Espanha
 
Natal10
Natal10Natal10
Natal10
 
Tradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos Santos
Tradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos SantosTradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos Santos
Tradições de Natal pelo Mundo - Artur Filipe dos Santos
 
Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]Poesias de natal[1]
Poesias de natal[1]
 
Uma áRvore De Natal Partilhada
Uma áRvore De Natal PartilhadaUma áRvore De Natal Partilhada
Uma áRvore De Natal Partilhada
 
Natal na eslováquia
Natal na eslováquiaNatal na eslováquia
Natal na eslováquia
 
Trabalho do natal
Trabalho do natalTrabalho do natal
Trabalho do natal
 
Quadras de natal_bes elias garcia
Quadras de natal_bes elias garciaQuadras de natal_bes elias garcia
Quadras de natal_bes elias garcia
 
Apresentação joana...
Apresentação joana...Apresentação joana...
Apresentação joana...
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Atividades de matematica[1]
Atividades de matematica[1]Atividades de matematica[1]
Atividades de matematica[1]
 
O natal
O natal O natal
O natal
 

Destaque

Comidas TíPicas Do MaranhãO
Comidas TíPicas Do MaranhãOComidas TíPicas Do MaranhãO
Comidas TíPicas Do MaranhãO
neumase
 
Comercio exterior
Comercio exteriorComercio exterior
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
Luiz Silva Moura
 
Redes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_prRedes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_pr
redesinforma
 
Ciˆncias humanas e suas tecnologias parte i
Ciˆncias humanas e suas tecnologias   parte iCiˆncias humanas e suas tecnologias   parte i
Ciˆncias humanas e suas tecnologias parte i
jullyvi
 
Edital proupe
Edital proupeEdital proupe
Edital proupe
emanuelomena
 
Nanotecnologia Bens de Capital
Nanotecnologia Bens de CapitalNanotecnologia Bens de Capital
Nanotecnologia Bens de Capital
Ipdmaq Abimaq
 
Quimica
QuimicaQuimica
Avaliação de Sistemas de Recuperação da Informação
Avaliação de Sistemas de Recuperação da InformaçãoAvaliação de Sistemas de Recuperação da Informação
Avaliação de Sistemas de Recuperação da Informação
Alexandre Duarte
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Politicasparaasartes completo web-2
Politicasparaasartes completo web-2Politicasparaasartes completo web-2
Politicasparaasartes completo web-2
Pedro da Silva
 
4 arquitetura e urbanismo
4   arquitetura e urbanismo4   arquitetura e urbanismo
4 arquitetura e urbanismo
edwanafabiola
 
Freight Railways in Brazil
Freight Railways in BrazilFreight Railways in Brazil
Freight Railways in Brazil
Rafael Nunan
 
Robótica y nanotecnología natalia
Robótica y nanotecnología  nataliaRobótica y nanotecnología  natalia
Robótica y nanotecnología natalia
Natalia Anzasoy Erazo
 
Case e-Sergipe
Case e-SergipeCase e-Sergipe
Case e-Sergipe
Governo de Sergipe
 
TOW - Eventos de Natal
TOW - Eventos de NatalTOW - Eventos de Natal
TOW - Eventos de Natal
Cascais - Portugal
 
Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012
Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012
Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012
Secretaria Planejamento SC
 
Livro Ecologia de Campo 2010
Livro Ecologia de Campo 2010Livro Ecologia de Campo 2010
Livro Ecologia de Campo 2010
Limnos Ufsc
 
Secretários do Recife
Secretários do RecifeSecretários do Recife
Secretários do Recife
Portal NE10
 
Turismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazoniaTurismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazonia
Andrea Scabello
 

Destaque (20)

Comidas TíPicas Do MaranhãO
Comidas TíPicas Do MaranhãOComidas TíPicas Do MaranhãO
Comidas TíPicas Do MaranhãO
 
Comercio exterior
Comercio exteriorComercio exterior
Comercio exterior
 
Reações Orgânicas
Reações OrgânicasReações Orgânicas
Reações Orgânicas
 
Redes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_prRedes comunicacao de_dados_pr
Redes comunicacao de_dados_pr
 
Ciˆncias humanas e suas tecnologias parte i
Ciˆncias humanas e suas tecnologias   parte iCiˆncias humanas e suas tecnologias   parte i
Ciˆncias humanas e suas tecnologias parte i
 
Edital proupe
Edital proupeEdital proupe
Edital proupe
 
Nanotecnologia Bens de Capital
Nanotecnologia Bens de CapitalNanotecnologia Bens de Capital
Nanotecnologia Bens de Capital
 
Quimica
QuimicaQuimica
Quimica
 
Avaliação de Sistemas de Recuperação da Informação
Avaliação de Sistemas de Recuperação da InformaçãoAvaliação de Sistemas de Recuperação da Informação
Avaliação de Sistemas de Recuperação da Informação
 
Ecologia
EcologiaEcologia
Ecologia
 
Politicasparaasartes completo web-2
Politicasparaasartes completo web-2Politicasparaasartes completo web-2
Politicasparaasartes completo web-2
 
4 arquitetura e urbanismo
4   arquitetura e urbanismo4   arquitetura e urbanismo
4 arquitetura e urbanismo
 
Freight Railways in Brazil
Freight Railways in BrazilFreight Railways in Brazil
Freight Railways in Brazil
 
Robótica y nanotecnología natalia
Robótica y nanotecnología  nataliaRobótica y nanotecnología  natalia
Robótica y nanotecnología natalia
 
Case e-Sergipe
Case e-SergipeCase e-Sergipe
Case e-Sergipe
 
TOW - Eventos de Natal
TOW - Eventos de NatalTOW - Eventos de Natal
TOW - Eventos de Natal
 
Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012
Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012
Geologia da ilha de santa catarina - 26/06/2012
 
Livro Ecologia de Campo 2010
Livro Ecologia de Campo 2010Livro Ecologia de Campo 2010
Livro Ecologia de Campo 2010
 
Secretários do Recife
Secretários do RecifeSecretários do Recife
Secretários do Recife
 
Turismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazoniaTurismo e arqueologia na amazonia
Turismo e arqueologia na amazonia
 

Semelhante a Atelier de escrita de Natal

Votos de Natal
Votos de Natal Votos de Natal
Votos de Natal
Cassiano Santana
 
Teatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdf
Teatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdfTeatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdf
Teatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdf
Manuel290700
 
Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1
clubecomunica2010
 
O pai natal verde
O  pai natal verdeO  pai natal verde
O pai natal verde
Constantino Alves
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
De Turista a Viajante
 
Apresentação joana...
Apresentação joana...Apresentação joana...
Apresentação joana...
Tito Romeu Gomes de Sousa Maia Mendes
 
Contato - Alegria ao mundo
Contato - Alegria ao mundoContato - Alegria ao mundo
Contato - Alegria ao mundo
Spiritualibrary
 
363 an 20_dezembro_2011.ok
363 an 20_dezembro_2011.ok363 an 20_dezembro_2011.ok
363 an 20_dezembro_2011.ok
Roberto Rabat Chame
 
Encerramento sl
Encerramento slEncerramento sl
Encerramento sl
Andréa Fonseca
 
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02aQuemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Anabela Barreira
 
Quem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natalQuem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natal
Ana Moreira
 
Trabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moralTrabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moral
Carla Gonçalves
 
Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até 23 de dezembro.
Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até  23 de dezembro.Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até  23 de dezembro.
Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até 23 de dezembro.
escolacaiosergio
 
Gk20
Gk20Gk20
Gk20
fmbarros
 
Nora roberts dom de natal (pt br) (pdl)
Nora roberts   dom de natal (pt br) (pdl)Nora roberts   dom de natal (pt br) (pdl)
Nora roberts dom de natal (pt br) (pdl)
Mari Oldoni
 
1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a
Anabela Barreira
 
Natal 16
Natal 16Natal 16
História do natal
História do natalHistória do natal
História do natal
Luciane Warick
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
jornaldepederneiras
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
jornaldepederneiras
 

Semelhante a Atelier de escrita de Natal (20)

Votos de Natal
Votos de Natal Votos de Natal
Votos de Natal
 
Teatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdf
Teatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdfTeatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdf
Teatro_Musical_A_Magia_do_Natal_Guiao.pdf
 
Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1
 
O pai natal verde
O  pai natal verdeO  pai natal verde
O pai natal verde
 
Edição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai NoelEdição43 Entrevista Papai Noel
Edição43 Entrevista Papai Noel
 
Apresentação joana...
Apresentação joana...Apresentação joana...
Apresentação joana...
 
Contato - Alegria ao mundo
Contato - Alegria ao mundoContato - Alegria ao mundo
Contato - Alegria ao mundo
 
363 an 20_dezembro_2011.ok
363 an 20_dezembro_2011.ok363 an 20_dezembro_2011.ok
363 an 20_dezembro_2011.ok
 
Encerramento sl
Encerramento slEncerramento sl
Encerramento sl
 
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02aQuemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
Quemdaprendaaopainatal 131210075003-phpapp02a
 
Quem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natalQuem da prenda ao pai natal
Quem da prenda ao pai natal
 
Trabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moralTrabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moral
 
Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até 23 de dezembro.
Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até  23 de dezembro.Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até  23 de dezembro.
Roteiro de atividades do Ciclo de interdisciplinar de 21 até 23 de dezembro.
 
Gk20
Gk20Gk20
Gk20
 
Nora roberts dom de natal (pt br) (pdl)
Nora roberts   dom de natal (pt br) (pdl)Nora roberts   dom de natal (pt br) (pdl)
Nora roberts dom de natal (pt br) (pdl)
 
1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a1 131107062810-phpapp01a
1 131107062810-phpapp01a
 
Natal 16
Natal 16Natal 16
Natal 16
 
História do natal
História do natalHistória do natal
História do natal
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
 

Mais de Ana Paula Santos

Vol.2 dislexia exercícios
Vol.2 dislexia exercíciosVol.2 dislexia exercícios
Vol.2 dislexia exercícios
Ana Paula Santos
 
Horas cartazes
Horas cartazesHoras cartazes
Horas cartazes
Ana Paula Santos
 
Exercícios para desenvolver a consciência fonológica
Exercícios para desenvolver a consciência fonológicaExercícios para desenvolver a consciência fonológica
Exercícios para desenvolver a consciência fonológica
Ana Paula Santos
 
Transição para a vida Pós Escolar
Transição para a vida Pós EscolarTransição para a vida Pós Escolar
Transição para a vida Pós Escolar
Ana Paula Santos
 
Guias de Déficit de Atenção
Guias de Déficit de AtençãoGuias de Déficit de Atenção
Guias de Déficit de Atenção
Ana Paula Santos
 
Memoria Visual - Os frutos
Memoria Visual - Os frutosMemoria Visual - Os frutos
Memoria Visual - Os frutos
Ana Paula Santos
 
Ficheiro de leitura funcional
Ficheiro de leitura funcional Ficheiro de leitura funcional
Ficheiro de leitura funcional
Ana Paula Santos
 
Correspondência profissões
Correspondência profissões Correspondência profissões
Correspondência profissões
Ana Paula Santos
 
Dia do Pai-Imagems e poemas
Dia do Pai-Imagems e poemasDia do Pai-Imagems e poemas
Dia do Pai-Imagems e poemas
Ana Paula Santos
 
Livrinho para o pai
Livrinho para o paiLivrinho para o pai
Livrinho para o pai
Ana Paula Santos
 
Brochura ensino escrita-dimensao_textual
Brochura ensino escrita-dimensao_textualBrochura ensino escrita-dimensao_textual
Brochura ensino escrita-dimensao_textual
Ana Paula Santos
 
Livro O coelhinho que não era da Páscoa
Livro O coelhinho que não era  da Páscoa Livro O coelhinho que não era  da Páscoa
Livro O coelhinho que não era da Páscoa
Ana Paula Santos
 
Fichas-de-ortografia-4-ano
 Fichas-de-ortografia-4-ano Fichas-de-ortografia-4-ano
Fichas-de-ortografia-4-ano
Ana Paula Santos
 
Checklist de avaliação da consciência linguística
Checklist de avaliação da consciência linguísticaChecklist de avaliação da consciência linguística
Checklist de avaliação da consciência linguística
Ana Paula Santos
 
20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah
20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah
20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah
Ana Paula Santos
 
Associação lógica
Associação lógica Associação lógica
Associação lógica
Ana Paula Santos
 
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2
Ana Paula Santos
 
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1
Ana Paula Santos
 
Texto " A amizade"
Texto " A amizade"Texto " A amizade"
Texto " A amizade"
Ana Paula Santos
 
Palabras que-me-descrevem
Palabras que-me-descrevemPalabras que-me-descrevem
Palabras que-me-descrevem
Ana Paula Santos
 

Mais de Ana Paula Santos (20)

Vol.2 dislexia exercícios
Vol.2 dislexia exercíciosVol.2 dislexia exercícios
Vol.2 dislexia exercícios
 
Horas cartazes
Horas cartazesHoras cartazes
Horas cartazes
 
Exercícios para desenvolver a consciência fonológica
Exercícios para desenvolver a consciência fonológicaExercícios para desenvolver a consciência fonológica
Exercícios para desenvolver a consciência fonológica
 
Transição para a vida Pós Escolar
Transição para a vida Pós EscolarTransição para a vida Pós Escolar
Transição para a vida Pós Escolar
 
Guias de Déficit de Atenção
Guias de Déficit de AtençãoGuias de Déficit de Atenção
Guias de Déficit de Atenção
 
Memoria Visual - Os frutos
Memoria Visual - Os frutosMemoria Visual - Os frutos
Memoria Visual - Os frutos
 
Ficheiro de leitura funcional
Ficheiro de leitura funcional Ficheiro de leitura funcional
Ficheiro de leitura funcional
 
Correspondência profissões
Correspondência profissões Correspondência profissões
Correspondência profissões
 
Dia do Pai-Imagems e poemas
Dia do Pai-Imagems e poemasDia do Pai-Imagems e poemas
Dia do Pai-Imagems e poemas
 
Livrinho para o pai
Livrinho para o paiLivrinho para o pai
Livrinho para o pai
 
Brochura ensino escrita-dimensao_textual
Brochura ensino escrita-dimensao_textualBrochura ensino escrita-dimensao_textual
Brochura ensino escrita-dimensao_textual
 
Livro O coelhinho que não era da Páscoa
Livro O coelhinho que não era  da Páscoa Livro O coelhinho que não era  da Páscoa
Livro O coelhinho que não era da Páscoa
 
Fichas-de-ortografia-4-ano
 Fichas-de-ortografia-4-ano Fichas-de-ortografia-4-ano
Fichas-de-ortografia-4-ano
 
Checklist de avaliação da consciência linguística
Checklist de avaliação da consciência linguísticaChecklist de avaliação da consciência linguística
Checklist de avaliação da consciência linguística
 
20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah
20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah
20 estratégias escolares para crianças com déficit de atenção ou tdah
 
Associação lógica
Associação lógica Associação lógica
Associação lógica
 
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 2
 
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1
Percepção Discriminação- Aprendizagem da Leitura e Escrita 1
 
Texto " A amizade"
Texto " A amizade"Texto " A amizade"
Texto " A amizade"
 
Palabras que-me-descrevem
Palabras que-me-descrevemPalabras que-me-descrevem
Palabras que-me-descrevem
 

Último

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 

Atelier de escrita de Natal

  • 1. Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 Ajuda o Pai Natal e vive uma linda aventura.
  • 2. ◇ Ajuda o Pai Natal a fazer um acróstico com o seu nome. Não te esqueças que um acróstico é um jogo de palavras, que consiste em iniciar cada verso com uma letra de uma palavra escrita verticalmente. Ou seja, a partir das letras dessa palavra criam-se outras palavras ou pequenas frases. P A I N A T A L Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 Eu gosto tanto de viajar no meu trenó e entregar presentes, mas gostava de ter um acróstico com o meu nome (Pai Natal), a identificar o meu trenó. Será que podes ajudar-me?
  • 3. ◇ Ajuda o Pai Natal a fazer um bolo de Natal. Não te esqueças de colocar  Ingredientes  Preparação  Apresentação (desenho) Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 Quero fazer um bolo de Natal para a festa de Natal, mas não sei como o fazer! Ajuda-me.
  • 4. ◇ Ajuda o Pai Natal a fazer o convite. Quando escreveres o convite não te esqueças de indicar os seguintes elementos:  O nome de quem convida;  Qual é a finalidade do convite;  Para que data convida (dia da semana / mês / dia);  Para que horas;  Para que local;  Assinatura de quem convida. Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 Vou fazer uma festa de Natal. Adoro festas… Vou convidar a turma do 4º C da Escola EB1 / JI Agualva 2. Mas… Preciso de fazer um convite.
  • 5. ◇ Ajuda o Pai Natal e regista 6 argumentos para convenceres os convidados do Pai Natal a não faltarem à festa. De seguida escreve um texto com esses argumentos e convence. Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 Espero que os meus convidados não faltem à minha festa de Natal. Tenho tantos presentes para oferecer… Que argumentos vou escrever para os convencer a não faltarem à minha festa? Ajuda-me.
  • 6. ◇ Ajuda o Pai Natal a fazer umas bonitas quadras de Natal, para colocar na árvore e a tornar ainda mais bela. Não te esqueças que as quadras podem ter rimas! Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 Já enfeitei a árvore para receber os meus convidados. Mas, ainda lhe falta um toque especial. Ah! Já sei, vou fazer umas quadras de Natal.
  • 7. ◇ Vamos aprender com o Pai Natal a história da árvore de Natal.  Lê o texto e retira a informação mais importante.  Faz um desdobrável para o Pai Natal entregar aos convidados.  Não te esqueças de ilustrar o teu desdobrável. Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009 A Árvore de Natal já está enfeitada. A história da árvore de Natal…
  • 8. A Árvore de Natal A história da Árvore de Natal vem de longe, muito longe. O pinheiro foi sempre a árvore escolhida por duas razões: porque acreditavam que trazia felicidade e porque as suas folhas não caem nunca e se mantêm verdes, mesmo quando fustigadas pelo vento ou cobertas de neve. O pinheiro representava tudo o que não acaba nunca. Há muitos anos atrás era hábito representar-se no largo da igreja ou dentro dela, uma peça religiosa tirada de uma cena bíblica. Quase sempre era a história de Adão e Eva. O cenário do Paraíso era figurado por um pinheiro de cujos ramos pendiam maçãs e rosas de papel. Se a peça se desenrolasse dentro da igreja, a árvore erguia-se no centro de um círculo formado por velas acesas. A representação das cenas bíblicas caiu em desuso, mas as pessoas conversaram o costume de enfeitar em suas casas uma Árvore do Paraíso, com maçãs e flores. Os enfeites foram mudando ao longo dos anos. Depois das maçãs, rosas de papel e guloseimas, passaram a figurar no pinheiro, bolachas modeladas em massa branca com Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
  • 9. vários feitios: estrelas, anjos e corações. A estes enfeites juntaram-se os fios dourados, as nozes douradas ou prateadas e os brinquedos. O hábito de iluminar a Árvore de Natal começou no século XVIII. Havia quem achasse que só se deviam colocar no pinheiro 12 velas acesas, para simbolizar os 12 meses do ano. Por volta de 1850 apareceram as decorações em vidro e em cristal e as bolas vermelhas substituíram as maçãs do paraíso. Ainda hoje a cor vermelha é a cor preferida para as decorações do Natal. À volta da Árvore de Natal era costume cantarem-se canções alusivas ao Menino Jesus e à fraternidade entre os homens. Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009
  • 10. vários feitios: estrelas, anjos e corações. A estes enfeites juntaram-se os fios dourados, as nozes douradas ou prateadas e os brinquedos. O hábito de iluminar a Árvore de Natal começou no século XVIII. Havia quem achasse que só se deviam colocar no pinheiro 12 velas acesas, para simbolizar os 12 meses do ano. Por volta de 1850 apareceram as decorações em vidro e em cristal e as bolas vermelhas substituíram as maçãs do paraíso. Ainda hoje a cor vermelha é a cor preferida para as decorações do Natal. À volta da Árvore de Natal era costume cantarem-se canções alusivas ao Menino Jesus e à fraternidade entre os homens. Carla Francisco EB1 / JI Agualva2 PNEP 2008/2009