SlideShare uma empresa Scribd logo
JORNAL DE PEDERNEIRAS
                  JP                                ETERNIZANDO VOCÊ.
  EDIÇÃO 5                                               PEDERNEIRAS, 01 DE dezembro DE 2011                                                GRÁTIS                   PG 1-4



   NATAL - COISAS qUE vOCÊ NUNCA SOUbE
       De onde e como surgiu a árvore de Natal? Por que se trocam presentes nesse período? De onde veio o Papai Noel e

                         por que ele se veste assim? Já existia carvaval em Roma antes de Cristo e era em dezembro?

         Se Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro porque escolheram essa data? Existia outro “aniversário” nessa data?
  Nesse mês de dezembro, não poderíamos deixar a primeira página desse jornal com outra            PAPAI NOEL – COmO SURgIU?
chamada, que a mais importante do ano: o Verdadeiro significado do Natal.
  Muitos desconhecem os simbolismos do Natal que todo ano nos cercam e que não temos                O personagem foi inspirado em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira na Tur-
nada contra, porém atrás desse ambiente todo a mensagem principal fica ofuscada.                 quia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificul-
                                                                                                 dades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das
   Sãos importantes e alegres as festividades, os presentes, o Papai Noel, a árvore de Natal     casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Sua transfor-
– além de comemorarmos a chegada do final do ano e a entrada do novo - a movimentação            mação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha.
financeira agrada a todos e à economia.
  Mas o que incomoda é que tudo isso encobre a verdadeira inspiração da Festa – O nasci-            (...) Uma história quase idêntica é atribuída no folclore grego e bizantino a Basílio de
mento de Jesus.                                                                                  Cesareia. O Dia de São Basílio, 1 ou 1.º de janeiro, é considerado a época de troca de
                                                                                                 presentes na Grécia.
  Assim nessa página primeira, tentaremos disseminar a mensagem primordial e também
descobrir a origem dos símbolos que “encobrem” naturalmente essa mensagem.                          São Nicolau era retratado com trajes de bispo, com as vestes marrons, mas foi no
  NATAL NAS RUAS DE PEDERNEIRAS                                                                  sécula XVIII que o bom velhinho se vestiu das roupas que conhecemos e devemos isso a
                                                                                                 Coca-Cola que na época lançou a propaganda dela com a imagem do velhinho e daí por
   Dezembro, final do ano, compras, presentes, reuniões, festas. Tudo parece se animar no-       diante todos conhecem, todo ano se reforça a imagem ligada a presente, agradando tanto
vamente. Luzes, enfeites, árvore de natal, Papai Noel, presentes, amigo secreto, churrasco de    aos comerciantes quanto a nós que presenteamos a quem gostamos. (Wikipédia: Papai
final de ano.                                                                                    Noel)
   Em Pederneiras, as lojas abertas até altas horas cria a opção de passeio nas lojas, as vit-
rines reluzentes, os enfeites, parece tudo nos envolvendo numa magia.                              POR qUE O DIA 25 DE DEzEmbRO, SE JESUS NãO NASCEU NESSE DIA?

  Muitos adolescentes reúnem-se na praça sentados, celulares de última geração, carros e            Segundo estudos, a data de 25 de dezembro não é a data real do nascimento de Jesus. A
motos nas ruas enfileiram-se em volta da praça.                                                  Igreja entendeu que devia cristianizar as festividades pagãs que os vários povos celebra-
  O calor é complementado com sorvetes. Parece tudo se integrar. Como em toda cidade             vam por altura do solstício de Inverno.
pequena a praça torna-se ponto central e é lá que vemos o Papai Noel surgir no carro.
                                                                                                    Portanto, segundo certos eruditos, o dia 25 de dezembro foi adotado para que a data
   Para as crianças o bom velhinho é o Papai Noel. Para elas quem dá os presentes é o Papai      coincidisse com a festividade romana dedicada ao "nascimento do deus sol invencível",
Noel, e não seu Papai. Aliás, o Papai Noel está em todos os lugares (onipresente) e sabe de      que comemorava o solstício de inverno. No mundo romano, a Saturnália, festividade em
todas as vontades e necessidade das crianças (onisciente).                                       honra ao deus Saturno, era comemorada de 17 a 22 de dezembro; era um período de
   Ele nessa época renasce do irreal e torna-se real na face de cada criança como o Senhor       alegria e troca de presentes. O dia 25 de dezembro era tido também como o do nascimento
de todos os Desejos.                                                                             do misterioso deus persa Mitra, o Sol da Virtude.

  Aliás, alguém mais do que o Papai Noel em dezembro é onipresente e onisciente?                   Assim, em vez de proibir as festividades pagãs, forneceu-lhes um novo significado, e
   A onipresença do Papai Noel, de estar na imagem das crianças, como um bom velhinho            uma linguagem cristã.
(papai) que está em todos os lugares ao mesmo tempo, e a onisciência, de ser sabedor de to-
dos os desejos, necessidades das crianças, parece se assemelhar com algo transcendental que        As evidências confirmam que, num esforço de converter os pagãos, os líderes religiosos
só vimos diante de Deus e de Jesus em seus milagres.                                             adotaram a festa que era celebrada pelos romanos, o "nascimento do deus sol invencível"
                                                                                                 (Natalis Invistis Solis), e tentaram fazê-la parecer "cristã". Para certas correntes místicas
  Acho que todos os pais já passaram por isso.                                                   como o Gnosticismo, a data é perfeitamente adequada para simbolizar o Natal, por
   Seus filhos pedem presentes repetidos, caros e muitas vezes supérfluos e você os limita,      considerarem que o sol é a morada do Cristo Cósmico. Segundo esse princípio, em tese, o
porém seu filho apela pedindo ao Papai Noel o desejado presente visto na TV, e você, pai, não    Natal do hemisfério sul deveria ser celebrado em junho.
sabe o que dizer, pois não quer acabar com o lado “lúdico” da criança.
                                                                                                    Há muito tempo se sabe que o Natal tem raízes pagãs. Por causa de sua origem não-
   Se você diz que o Papai Noel é você, você teme desmanchar a imaginação da criança,            bíblica, no século 17 essa festividade foi proibida na Inglaterra e em algumas colônias
a ilusão, e se você cumpre o desejo de seu filho você teme se endividar, fazer tudo que ele      americanas. Quem ficasse em casa e não fosse trabalhar no dia de Natal era multado. Mas
quer. Então como devemos agir diante desse comércio ilusionista psicológico distante da fé       os velhos costumes logo voltaram, e alguns novos foram acrescentados. O Natal voltou a
em Jesus?                                                                                        ser um grande feriado religioso, e ainda é em muitos países. (Wikipédia: Natal)
   Lembro-me quando minha filha começou a falar, na época de Natal, ela via imagens do
Papai Noel e dizia “papa, papa”, eu ficava indignado com aquilo. Pois vinha em minha mente         O qUE PODEmOS RESUmIR DE TUDO ISSO ?
o apelo comercial, a substituição do pai que presenteia pelo Papai Noel que dá tudo ele pode.
                                                                                                    Que a Igreja resolveu unificar as crenças pagãs (dos vários deuses) para o Cristianismo,
  E a árvore de Natal, por que enfeitamos um árvore e a colocamos dentro de casa?                e que assim uniu-se as festas de culto aos deuses pagãos das árvores com a festa da deusa
  O que tem a ver com o Papai Noel a árvore e vice versa, e aliás, o que tem a ver o nasci-      Mitra (Sol), e da festa Saturnália que durava 6 dias. Tudo isso no período de dezembro,
mento de Cristo o Papai Noel e a árvore de natal?                                                unindo com os cristãos com o nascimento de Cristo.

                                                                                                    Assim quando presenciarmos simbolismos na festa de Natal, no aniversário, em cul-
  ÁRvORE DE NATAL – COmO SURgIU?                                                                 tos religiosos, mesmo em cultos protestantes já que pegaram de certa forma simbolis-
                                                                                                 mos católicos, vemos que muita coisa refere-se a tradições pagãs. A conclusão é que não
   As civilizações antigas pagãs, já antes de Cristo, cerca de 3 mil antes, cultuavam as ár-     podemos ser escravos de tradições simbólicas que não representam a essência do verdadei-
vores, pois eram das árvores que originavam as madeiras para barcos, construções, papéis         ro Cristianismo, as Palavras de Jesus, e que o dinheiro e o capitalismo nunca poderão ofus-
e derivados. E através das árvores associaram deuses. E assim ao se cultuarem as árvores
                                                                                                 car sua essência. LEIA MAIS NA PÁGINA 2, “COLUNA EVANGELHO”
estavam indiretamente cultuando aos deuses pagãos. Assim cada deus pagão apresenta um
estória mitológica envolvendo determinada árvore e os povos da época comemoravam em
determinados dias esse culto ao deus deles.
   “Entre os egípcios, o cedro se associava a Osíris. Os gregos ligavam o loureiro a Apolo,
o abeto a Átis, a azinheira a Zeus. Os germânicos colocavam presente para as crianças sob
o carvalho sagrado de Odin.
   Nas vésperas do solstício de inverno, os povos pagãos da região dos países bálticos cor-
tavam pinheiros, levavam para seus lares e os enfeitavam de forma muito semelhante ao que
faz nas atuais árvores de Natal. Essa tradição passou aos povos Germânicos. A primeira
árvore de Natal foi decorada em Riga, na Letónia, em 1510
   No início do século XVIII, o monge beneditino São Bonifácio tentou acabar com essa
crença pagã que havia na Turíngia, para onde fora como missionário. Com um machado
cortou um pinheiro sagrado que os locais adoravam no alto de um monte. Como teve
insucesso na erradicação da crença, decidiu associar o formato triangular do pinheiro à
Santíssima Trindade e suas folhas resistentes e perenes à eternidade de Jesus. Nascia aí a
Árvore de Natal.[1].” (Wikipédia: árvore de natal)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Natal
NatalNatal
Símbolos Natalinos
Símbolos NatalinosSímbolos Natalinos
Símbolos Natalinos
Símbolos
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Carla Gonçalves
 
Simbolos do Natal
Simbolos do Natal Simbolos do Natal
Simbolos do Natal
escolamaxcolin
 
411 an 26_dezembro_2012.ok
411 an 26_dezembro_2012.ok411 an 26_dezembro_2012.ok
411 an 26_dezembro_2012.ok
Roberto Rabat Chame
 
Natal
NatalNatal
Natal
NatalNatal
Símbolos de Natal
Símbolos de Natal Símbolos de Natal
Símbolos de Natal
Mary Alvarenga
 
A VERDADE SOBRE O NATAL
A VERDADE SOBRE O NATALA VERDADE SOBRE O NATAL
A VERDADE SOBRE O NATAL
ASD Remanescentes
 
Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1
clubecomunica2010
 
Será que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblicoSerá que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblico
AMIR ANTUNES CEZAR ANTUNES CEZAR
 
Actividade
ActividadeActividade
Actividade
Paróquia Graça
 
A árvore de hanuká
A árvore de hanukáA árvore de hanuká
A árvore de hanuká
PLETZ.com -
 
Natal10
Natal10Natal10
Natal10
Maria Gomes
 
Símbolos do Natal
Símbolos do Natal Símbolos do Natal
Símbolos do Natal
Flor Martha S. Ferreira
 
Mariana e Filipa - 6º M
Mariana e Filipa - 6º MMariana e Filipa - 6º M
Mariana e Filipa - 6º M
evazmila
 
Natal
NatalNatal

Mais procurados (17)

Natal
NatalNatal
Natal
 
Símbolos Natalinos
Símbolos NatalinosSímbolos Natalinos
Símbolos Natalinos
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Simbolos do Natal
Simbolos do Natal Simbolos do Natal
Simbolos do Natal
 
411 an 26_dezembro_2012.ok
411 an 26_dezembro_2012.ok411 an 26_dezembro_2012.ok
411 an 26_dezembro_2012.ok
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Símbolos de Natal
Símbolos de Natal Símbolos de Natal
Símbolos de Natal
 
A VERDADE SOBRE O NATAL
A VERDADE SOBRE O NATALA VERDADE SOBRE O NATAL
A VERDADE SOBRE O NATAL
 
Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1Jornal e 10_d_ez1
Jornal e 10_d_ez1
 
Será que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblicoSerá que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblico
 
Actividade
ActividadeActividade
Actividade
 
A árvore de hanuká
A árvore de hanukáA árvore de hanuká
A árvore de hanuká
 
Natal10
Natal10Natal10
Natal10
 
Símbolos do Natal
Símbolos do Natal Símbolos do Natal
Símbolos do Natal
 
Mariana e Filipa - 6º M
Mariana e Filipa - 6º MMariana e Filipa - 6º M
Mariana e Filipa - 6º M
 
Natal
NatalNatal
Natal
 

Destaque

JEISON JIMENES
JEISON JIMENESJEISON JIMENES
JEISON JIMENES
artebac
 
Pacientes Postrados
Pacientes PostradosPacientes Postrados
Pacientes Postrados
paokeko
 
Cartaz
CartazCartaz
Conocimientos
ConocimientosConocimientos
Conocimientos
sariuxtur
 
Vinculación LA TIENDA VIRTUAL
Vinculación LA TIENDA VIRTUALVinculación LA TIENDA VIRTUAL
Vinculación LA TIENDA VIRTUAL
subhan1063
 
Curso de PEPP AFESA
Curso de PEPP AFESACurso de PEPP AFESA
Curso de PEPP AFESA
Associação Afesa
 
Programa de lanzamiento
Programa de lanzamientoPrograma de lanzamiento
Programa de lanzamiento
pjct
 

Destaque (9)

JEISON JIMENES
JEISON JIMENESJEISON JIMENES
JEISON JIMENES
 
§ 18 arb vg
§ 18 arb vg§ 18 arb vg
§ 18 arb vg
 
Pacientes Postrados
Pacientes PostradosPacientes Postrados
Pacientes Postrados
 
Cartaz
CartazCartaz
Cartaz
 
Conocimientos
ConocimientosConocimientos
Conocimientos
 
Límites
LímitesLímites
Límites
 
Vinculación LA TIENDA VIRTUAL
Vinculación LA TIENDA VIRTUALVinculación LA TIENDA VIRTUAL
Vinculación LA TIENDA VIRTUAL
 
Curso de PEPP AFESA
Curso de PEPP AFESACurso de PEPP AFESA
Curso de PEPP AFESA
 
Programa de lanzamiento
Programa de lanzamientoPrograma de lanzamiento
Programa de lanzamiento
 

Semelhante a Jp pag 1 de 4

História do natal
História do natalHistória do natal
História do natal
Luciane Warick
 
Será que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblicoSerá que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblico
AMIR ANTUNES CEZAR ANTUNES CEZAR
 
Trabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moralTrabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moral
Carla Gonçalves
 
A verdade sobre o natal
A verdade sobre o natalA verdade sobre o natal
A verdade sobre o natal
Marcio de Medeiros
 
a verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismo
a verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismoa verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismo
a verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismo
Marcio de Medeiros
 
Feliz natal
Feliz natalFeliz natal
Feliz natal
Jackeline Cruz
 
averdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdf
averdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdfaverdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdf
averdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdf
PastorAndrRodrigues
 
Simbolos de Natal
Simbolos de NatalSimbolos de Natal
Simbolos de Natal
Maria Delfina Rodrigues
 
Natal
NatalNatal
Mariana e filipa
Mariana e filipaMariana e filipa
Mariana e filipa
evazmila
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
grupoacontece
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
brunoebalto
 
Os feriados
Os feriadosOs feriados
Natal- Uma festa Cristã
Natal- Uma festa CristãNatal- Uma festa Cristã
Natal- Uma festa Cristã
Kaue Andres Krewer
 
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
isabel preto
 
10 motivos para não celebrar a festa Natalina
10 motivos para não celebrar a festa Natalina10 motivos para não celebrar a festa Natalina
10 motivos para não celebrar a festa Natalina
Marcio de Medeiros
 
Natal uma festa bonita, mas perigosa
Natal  uma festa bonita, mas perigosaNatal  uma festa bonita, mas perigosa
Natal uma festa bonita, mas perigosa
Marcio de Medeiros
 
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
Marcio de Medeiros
 
Simbolosdonatal 100103173913-phpapp01a
Simbolosdonatal 100103173913-phpapp01aSimbolosdonatal 100103173913-phpapp01a
Simbolosdonatal 100103173913-phpapp01a
Anabela Barreira
 
555 an 24 dezembro_2015.ok
555 an 24 dezembro_2015.ok555 an 24 dezembro_2015.ok
555 an 24 dezembro_2015.ok
Roberto Rabat Chame
 

Semelhante a Jp pag 1 de 4 (20)

História do natal
História do natalHistória do natal
História do natal
 
Será que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblicoSerá que o natal é bíblico
Será que o natal é bíblico
 
Trabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moralTrabalho de grupo de moral
Trabalho de grupo de moral
 
A verdade sobre o natal
A verdade sobre o natalA verdade sobre o natal
A verdade sobre o natal
 
a verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismo
a verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismoa verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismo
a verdadeira historia de uma festa marcada pelo ocultismo
 
Feliz natal
Feliz natalFeliz natal
Feliz natal
 
averdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdf
averdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdfaverdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdf
averdadesobrenatal-100719060022-phpapp02.pdf
 
Simbolos de Natal
Simbolos de NatalSimbolos de Natal
Simbolos de Natal
 
Natal
NatalNatal
Natal
 
Mariana e filipa
Mariana e filipaMariana e filipa
Mariana e filipa
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
 
Raleste25
Raleste25Raleste25
Raleste25
 
Os feriados
Os feriadosOs feriados
Os feriados
 
Natal- Uma festa Cristã
Natal- Uma festa CristãNatal- Uma festa Cristã
Natal- Uma festa Cristã
 
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
Viver o Natal, por Sidónio e Tiago.
 
10 motivos para não celebrar a festa Natalina
10 motivos para não celebrar a festa Natalina10 motivos para não celebrar a festa Natalina
10 motivos para não celebrar a festa Natalina
 
Natal uma festa bonita, mas perigosa
Natal  uma festa bonita, mas perigosaNatal  uma festa bonita, mas perigosa
Natal uma festa bonita, mas perigosa
 
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
O paganismo é algo sutil, vem bem disfarçado, aparentemente inocente mas tem ...
 
Simbolosdonatal 100103173913-phpapp01a
Simbolosdonatal 100103173913-phpapp01aSimbolosdonatal 100103173913-phpapp01a
Simbolosdonatal 100103173913-phpapp01a
 
555 an 24 dezembro_2015.ok
555 an 24 dezembro_2015.ok555 an 24 dezembro_2015.ok
555 an 24 dezembro_2015.ok
 

Mais de jornaldepederneiras

Jp9 1 4
Jp9 1 4Jp9 1 4
Jp9 2 4
Jp9 2 4Jp9 2 4
Jp9 3 4
Jp9 3 4Jp9 3 4
Jp9 4 4
Jp9 4 4Jp9 4 4
Jp9 4 4
Jp9 4 4Jp9 4 4
Jp8 pg 4 4
Jp8 pg 4 4Jp8 pg 4 4
Jp8 pg 03 4
Jp8  pg 03 4Jp8  pg 03 4
Jp8 pg 03 4
jornaldepederneiras
 
Jp8 pg 02 4
Jp8  pg 02 4Jp8  pg 02 4
Jp8 pg 02 4
jornaldepederneiras
 
Jp8 pg 01 4
Jp8  pg 01 4Jp8  pg 01 4
Jp8 pg 01 4
jornaldepederneiras
 
Jp7 página 01
Jp7 página 01Jp7 página 01
Jp7 página 01
jornaldepederneiras
 
Jp7 página 02
Jp7 página 02Jp7 página 02
Jp7 página 02
jornaldepederneiras
 
Jp7 página 03
Jp7 página 03Jp7 página 03
Jp7 página 03
jornaldepederneiras
 
Jp7 página 04
Jp7 página 04Jp7 página 04
Jp7 página 04
jornaldepederneiras
 
Jp7 página 05
Jp7 página 05Jp7 página 05
Jp7 página 05
jornaldepederneiras
 
Jp7 página 06
Jp7 página 06Jp7 página 06
Jp7 página 06
jornaldepederneiras
 
Edição 6
Edição 6 Edição 6
Edição 6
jornaldepederneiras
 
Jp pag 2 de 4
Jp pag 2 de 4Jp pag 2 de 4
Jp pag 2 de 4
jornaldepederneiras
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
jornaldepederneiras
 
Jp pag 3 de 4
Jp pag 3 de 4Jp pag 3 de 4
Jp pag 3 de 4
jornaldepederneiras
 
Jp pag 4 de 4
Jp pag 4 de 4Jp pag 4 de 4
Jp pag 4 de 4
jornaldepederneiras
 

Mais de jornaldepederneiras (20)

Jp9 1 4
Jp9 1 4Jp9 1 4
Jp9 1 4
 
Jp9 2 4
Jp9 2 4Jp9 2 4
Jp9 2 4
 
Jp9 3 4
Jp9 3 4Jp9 3 4
Jp9 3 4
 
Jp9 4 4
Jp9 4 4Jp9 4 4
Jp9 4 4
 
Jp9 4 4
Jp9 4 4Jp9 4 4
Jp9 4 4
 
Jp8 pg 4 4
Jp8 pg 4 4Jp8 pg 4 4
Jp8 pg 4 4
 
Jp8 pg 03 4
Jp8  pg 03 4Jp8  pg 03 4
Jp8 pg 03 4
 
Jp8 pg 02 4
Jp8  pg 02 4Jp8  pg 02 4
Jp8 pg 02 4
 
Jp8 pg 01 4
Jp8  pg 01 4Jp8  pg 01 4
Jp8 pg 01 4
 
Jp7 página 01
Jp7 página 01Jp7 página 01
Jp7 página 01
 
Jp7 página 02
Jp7 página 02Jp7 página 02
Jp7 página 02
 
Jp7 página 03
Jp7 página 03Jp7 página 03
Jp7 página 03
 
Jp7 página 04
Jp7 página 04Jp7 página 04
Jp7 página 04
 
Jp7 página 05
Jp7 página 05Jp7 página 05
Jp7 página 05
 
Jp7 página 06
Jp7 página 06Jp7 página 06
Jp7 página 06
 
Edição 6
Edição 6 Edição 6
Edição 6
 
Jp pag 2 de 4
Jp pag 2 de 4Jp pag 2 de 4
Jp pag 2 de 4
 
Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4Jp pag 1 de 4
Jp pag 1 de 4
 
Jp pag 3 de 4
Jp pag 3 de 4Jp pag 3 de 4
Jp pag 3 de 4
 
Jp pag 4 de 4
Jp pag 4 de 4Jp pag 4 de 4
Jp pag 4 de 4
 

Jp pag 1 de 4

  • 1. JORNAL DE PEDERNEIRAS JP ETERNIZANDO VOCÊ. EDIÇÃO 5 PEDERNEIRAS, 01 DE dezembro DE 2011 GRÁTIS PG 1-4 NATAL - COISAS qUE vOCÊ NUNCA SOUbE De onde e como surgiu a árvore de Natal? Por que se trocam presentes nesse período? De onde veio o Papai Noel e por que ele se veste assim? Já existia carvaval em Roma antes de Cristo e era em dezembro? Se Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro porque escolheram essa data? Existia outro “aniversário” nessa data? Nesse mês de dezembro, não poderíamos deixar a primeira página desse jornal com outra PAPAI NOEL – COmO SURgIU? chamada, que a mais importante do ano: o Verdadeiro significado do Natal. Muitos desconhecem os simbolismos do Natal que todo ano nos cercam e que não temos O personagem foi inspirado em São Nicolau Taumaturgo, arcebispo de Mira na Tur- nada contra, porém atrás desse ambiente todo a mensagem principal fica ofuscada. quia, no século IV. Nicolau costumava ajudar, anonimamente, quem estivesse em dificul- dades financeiras. Colocava o saco com moedas de ouro a ser ofertado na chaminé das Sãos importantes e alegres as festividades, os presentes, o Papai Noel, a árvore de Natal casas. Foi declarado santo depois que muitos milagres lhe foram atribuídos. Sua transfor- – além de comemorarmos a chegada do final do ano e a entrada do novo - a movimentação mação em símbolo natalino aconteceu na Alemanha. financeira agrada a todos e à economia. Mas o que incomoda é que tudo isso encobre a verdadeira inspiração da Festa – O nasci- (...) Uma história quase idêntica é atribuída no folclore grego e bizantino a Basílio de mento de Jesus. Cesareia. O Dia de São Basílio, 1 ou 1.º de janeiro, é considerado a época de troca de presentes na Grécia. Assim nessa página primeira, tentaremos disseminar a mensagem primordial e também descobrir a origem dos símbolos que “encobrem” naturalmente essa mensagem. São Nicolau era retratado com trajes de bispo, com as vestes marrons, mas foi no NATAL NAS RUAS DE PEDERNEIRAS sécula XVIII que o bom velhinho se vestiu das roupas que conhecemos e devemos isso a Coca-Cola que na época lançou a propaganda dela com a imagem do velhinho e daí por Dezembro, final do ano, compras, presentes, reuniões, festas. Tudo parece se animar no- diante todos conhecem, todo ano se reforça a imagem ligada a presente, agradando tanto vamente. Luzes, enfeites, árvore de natal, Papai Noel, presentes, amigo secreto, churrasco de aos comerciantes quanto a nós que presenteamos a quem gostamos. (Wikipédia: Papai final de ano. Noel) Em Pederneiras, as lojas abertas até altas horas cria a opção de passeio nas lojas, as vit- rines reluzentes, os enfeites, parece tudo nos envolvendo numa magia. POR qUE O DIA 25 DE DEzEmbRO, SE JESUS NãO NASCEU NESSE DIA? Muitos adolescentes reúnem-se na praça sentados, celulares de última geração, carros e Segundo estudos, a data de 25 de dezembro não é a data real do nascimento de Jesus. A motos nas ruas enfileiram-se em volta da praça. Igreja entendeu que devia cristianizar as festividades pagãs que os vários povos celebra- O calor é complementado com sorvetes. Parece tudo se integrar. Como em toda cidade vam por altura do solstício de Inverno. pequena a praça torna-se ponto central e é lá que vemos o Papai Noel surgir no carro. Portanto, segundo certos eruditos, o dia 25 de dezembro foi adotado para que a data Para as crianças o bom velhinho é o Papai Noel. Para elas quem dá os presentes é o Papai coincidisse com a festividade romana dedicada ao "nascimento do deus sol invencível", Noel, e não seu Papai. Aliás, o Papai Noel está em todos os lugares (onipresente) e sabe de que comemorava o solstício de inverno. No mundo romano, a Saturnália, festividade em todas as vontades e necessidade das crianças (onisciente). honra ao deus Saturno, era comemorada de 17 a 22 de dezembro; era um período de Ele nessa época renasce do irreal e torna-se real na face de cada criança como o Senhor alegria e troca de presentes. O dia 25 de dezembro era tido também como o do nascimento de todos os Desejos. do misterioso deus persa Mitra, o Sol da Virtude. Aliás, alguém mais do que o Papai Noel em dezembro é onipresente e onisciente? Assim, em vez de proibir as festividades pagãs, forneceu-lhes um novo significado, e A onipresença do Papai Noel, de estar na imagem das crianças, como um bom velhinho uma linguagem cristã. (papai) que está em todos os lugares ao mesmo tempo, e a onisciência, de ser sabedor de to- dos os desejos, necessidades das crianças, parece se assemelhar com algo transcendental que As evidências confirmam que, num esforço de converter os pagãos, os líderes religiosos só vimos diante de Deus e de Jesus em seus milagres. adotaram a festa que era celebrada pelos romanos, o "nascimento do deus sol invencível" (Natalis Invistis Solis), e tentaram fazê-la parecer "cristã". Para certas correntes místicas Acho que todos os pais já passaram por isso. como o Gnosticismo, a data é perfeitamente adequada para simbolizar o Natal, por Seus filhos pedem presentes repetidos, caros e muitas vezes supérfluos e você os limita, considerarem que o sol é a morada do Cristo Cósmico. Segundo esse princípio, em tese, o porém seu filho apela pedindo ao Papai Noel o desejado presente visto na TV, e você, pai, não Natal do hemisfério sul deveria ser celebrado em junho. sabe o que dizer, pois não quer acabar com o lado “lúdico” da criança. Há muito tempo se sabe que o Natal tem raízes pagãs. Por causa de sua origem não- Se você diz que o Papai Noel é você, você teme desmanchar a imaginação da criança, bíblica, no século 17 essa festividade foi proibida na Inglaterra e em algumas colônias a ilusão, e se você cumpre o desejo de seu filho você teme se endividar, fazer tudo que ele americanas. Quem ficasse em casa e não fosse trabalhar no dia de Natal era multado. Mas quer. Então como devemos agir diante desse comércio ilusionista psicológico distante da fé os velhos costumes logo voltaram, e alguns novos foram acrescentados. O Natal voltou a em Jesus? ser um grande feriado religioso, e ainda é em muitos países. (Wikipédia: Natal) Lembro-me quando minha filha começou a falar, na época de Natal, ela via imagens do Papai Noel e dizia “papa, papa”, eu ficava indignado com aquilo. Pois vinha em minha mente O qUE PODEmOS RESUmIR DE TUDO ISSO ? o apelo comercial, a substituição do pai que presenteia pelo Papai Noel que dá tudo ele pode. Que a Igreja resolveu unificar as crenças pagãs (dos vários deuses) para o Cristianismo, E a árvore de Natal, por que enfeitamos um árvore e a colocamos dentro de casa? e que assim uniu-se as festas de culto aos deuses pagãos das árvores com a festa da deusa O que tem a ver com o Papai Noel a árvore e vice versa, e aliás, o que tem a ver o nasci- Mitra (Sol), e da festa Saturnália que durava 6 dias. Tudo isso no período de dezembro, mento de Cristo o Papai Noel e a árvore de natal? unindo com os cristãos com o nascimento de Cristo. Assim quando presenciarmos simbolismos na festa de Natal, no aniversário, em cul- ÁRvORE DE NATAL – COmO SURgIU? tos religiosos, mesmo em cultos protestantes já que pegaram de certa forma simbolis- mos católicos, vemos que muita coisa refere-se a tradições pagãs. A conclusão é que não As civilizações antigas pagãs, já antes de Cristo, cerca de 3 mil antes, cultuavam as ár- podemos ser escravos de tradições simbólicas que não representam a essência do verdadei- vores, pois eram das árvores que originavam as madeiras para barcos, construções, papéis ro Cristianismo, as Palavras de Jesus, e que o dinheiro e o capitalismo nunca poderão ofus- e derivados. E através das árvores associaram deuses. E assim ao se cultuarem as árvores car sua essência. LEIA MAIS NA PÁGINA 2, “COLUNA EVANGELHO” estavam indiretamente cultuando aos deuses pagãos. Assim cada deus pagão apresenta um estória mitológica envolvendo determinada árvore e os povos da época comemoravam em determinados dias esse culto ao deus deles. “Entre os egípcios, o cedro se associava a Osíris. Os gregos ligavam o loureiro a Apolo, o abeto a Átis, a azinheira a Zeus. Os germânicos colocavam presente para as crianças sob o carvalho sagrado de Odin. Nas vésperas do solstício de inverno, os povos pagãos da região dos países bálticos cor- tavam pinheiros, levavam para seus lares e os enfeitavam de forma muito semelhante ao que faz nas atuais árvores de Natal. Essa tradição passou aos povos Germânicos. A primeira árvore de Natal foi decorada em Riga, na Letónia, em 1510 No início do século XVIII, o monge beneditino São Bonifácio tentou acabar com essa crença pagã que havia na Turíngia, para onde fora como missionário. Com um machado cortou um pinheiro sagrado que os locais adoravam no alto de um monte. Como teve insucesso na erradicação da crença, decidiu associar o formato triangular do pinheiro à Santíssima Trindade e suas folhas resistentes e perenes à eternidade de Jesus. Nascia aí a Árvore de Natal.[1].” (Wikipédia: árvore de natal)