SlideShare uma empresa Scribd logo
HISTÓRIA A
10º ANO

Unidade 4: A renovação da
espiritualidade e da religiosidade
 A REFORMA PROTESTANTE
Tempos difíceis viveram a cristandade e a igreja católica nos fins da Idade Média. Nesta época:
 Passava-se fome
 Havia pestes
 Ocorriam guerras

Preocupações com a salvação da Alma pois
acreditava-se que estas calamidades eram “castigo” de Deus
pelo pecado dos homens

Em vez de apoiar os crentes, a igreja católica mostrava-se desunida.

Cisma do Ocidente

Papa de Roma

Papa de Avinhão

(A qual obedecer?)
- Reino de Portugal
- Reino de Inglaterra
- Principados Alemães

- Reino da França
- Reino de Aragão
- Reino de Castela

Mau exemplo dos membros clérigos:
- Papas tinham filhos assumidos, e estes
ganharam honras e riquezas.
- Vida imoral e de Luxo.
- Papas participavam nas Guerras.
- Bispos e prelados acumulavam
benefícios e ausentavam-se das
paróquias.
- Clero secular ignorante.

FORTES CRITICAS Á IGREJA
Como a igreja e os monarcas ignoravam auxilio á população, muitos recorriam á
superstição e ao fanatismo, entregando-se á bruxaria e á feitiçaria assim como às
procissões flagelantes (castigar o corpo para libertar o espirito).

O povo começou então a procurar a paz interior

DEVOTIO MODERNA

Fundada por Geert Groote

- Desapego pelos bens materiais
- Devoção a Deus
- Ajuda ao próximo

Criticas á igreja católica

Wiclif
Não era necessário
ouvir os padres e os
bispos para chegar a
deus, bastava ler a
biblia.

Jan Huss
Defendia a
desobediência
ao papa.

Savonarola
Denunciou os
vícios do clero
e do Papa e
incentivou á
revolta.

Condenados á fogueira
A ROTURA TEOLÓGICA:

Reforma da igreja

Martinho Lutero

“Como pode alguém levar uma vida perfeita perante deus?”

Leitura das Epístolas de São Paulo
Garantiam que as almas saiam
do purgatório mal o dinheiro
“tilintasse” nos cofres

Questão das Indulgências

REFORMA PROTESTANTE

95 TESES CONTRA AS
INDULGÊNCIAS
Lutero excomungado

Criou-se a Igreja Luterana

Teoria da
Justificação pela fé
predestinação
Só a fé da
A fé era uma
humanidade na
questão de
infinita misericórdia
de Deus tornava o eleição, de graça
divina, deus
homem justo e o
conduzia à salvação determinava os
merecedores de
fé

Nelas acusava o Papa e os
dogmas da Igreja, pois afirmava
que a salvação depende da Fé e
não das boas obras.

Bíblia como única
O culto á
fonte de fé e
virgem e aos
autoridade
santos
doutrinal
foi abulido pois
não era
necessário
existir um
mediador entre
Deus e os
Homens.
Organização eclesiástica
O chefe de estado seria
provisoriamente o “bispo
provisório”

Sacerdócio
Universal
O batismo
possibilita que
todos fossem
padres

Celibato
deixou de
existir

Sacramentos
eram o batismo e a eucaristia
EXPANSÃO DO LUTERANISMO

Propaganda
Imprensa
Humanistas

CALVINISMO

João calvino
Justificação pela fé
Sacerdócio universal
Autoridade exclusiva da Bíblia
Predestinação absoluta: Deus
predestina os homens á nascença
Salvação pela fé
Existência de 2 sacramentos: O
batismo e a comunhão
Apoio da burguesia
Defendia a teocracia (hierarquia
dentro da igreja)

ANGLICANISMO

Henrique VIII
Apaixona-se por Ana Bolena (sua
amante) e pede ao papa a anulação do
casamento com Catarina de Aragão
Papa recusa o pedido
Henrique VIII (rei da Inglaterra)
proclama o ato de supremacia que o
fez supremo da igreja na Inglaterra
Cria a igreja Anglicana
Anglicanismo= catolicismo + calvinismo
Defendia a justificação pela fé
Não aceita a predestinação absoluta
Autoridade da bíblia
Sacramentos: Batismo e Eucaristia
Negava o culto aos santos, imagens ou
relíquias
Defendia a Teocracia
Aboliu o Celibato dos padres
Designados por puritanos (aqueles que
seguem da forma mais pura a religião)

Perseguições entre católicos e protestantes e entre as próprias igrejas reformadas
 A CONTARREFORMA E A REFORMA CATÓLICA
Contrarreforma: efetuou um combate doutrinário, ideológico e repressivo ao protestantismo.
Reforma católica: procurou responder às expectativas dos crentes, renovando-se e
restaurando o catolicismo.

O IMPACTO DA CONTRARREFORMA NA SOCIEDADE PORTUGUESA:
A dureza com que foram aplicadas, em Portugal, as medidas da contrarreforma, em particular
no que diz respeito às penas impostas pela Inquisição e aos Indexes Portugueses, saldou-se por
um atraso cultural lamentável que se prolongou por muitos anos.
A prontidão com que as autoridades portuguesas acatavam as medidas repressivas de Roma
provocaram a fuga de inumes figuras, não só da intelectualidade nacional, mas também do
panorama económico, em especial pertencentes à religião judaica.

ESQUEMA FINAL:

REFORMA

REFORMA
PROTESTANTE

RESPOSTA DA IGREJA
CATÓLICA
REFORMA
CATÓLICA

ANTECEDENTES:
-SECULIZAÇÃO DA
IGREJA
- CISMA DO OCIDENTE

CONTRARREFORMA

- Index
CONCILIO DE
TRENTO:
CAUSAS PRÓXIMAS:

- Disciplinamento
do clero

- Questão das
Indulgências

LUTERANISMO

- Perseguição a João
calvino

CALVINISMO

- Divórcio de
D.Henrique VII

ANGLICANISMO

CATARINA ALMEIDA CAMÕES
ESG
2011/2012

- Inquisição

-reforço dos
principios

ATRASO
CULTURAS/
ECONÓMICO
DE
PORTUGAL

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma ProtestanteOs cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma Protestante
Alberto Simonton
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Adriano Pascoa
 
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
Jose Ribamar Santos
 
A Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
A Reforma Protestante e a Contra Reforma CatólicaA Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
A Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
Maria Gomes
 
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidadeA renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
Álvaro Tito
 
História da Igreja Moderna
História da Igreja ModernaHistória da Igreja Moderna
História da Igreja Moderna
Alberto Simonton
 
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o BrasilHistória dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
Djalma C. Filho
 
O tempo das reformas
O tempo das reformasO tempo das reformas
O tempo das reformas
profisabelfranco
 
Antecedentes da Reforma Protestante
Antecedentes da Reforma ProtestanteAntecedentes da Reforma Protestante
Antecedentes da Reforma Protestante
Tainara Lira
 
Tempo de reformas
Tempo de reformasTempo de reformas
Tempo de reformas
JULIO CESAR BATISTA BOIA
 
Ipb
IpbIpb
Estudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestanteEstudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestante
Francisco Simas
 
Estudos em história da igreja a era da reforma protestante
Estudos em história da igreja   a era da reforma protestanteEstudos em história da igreja   a era da reforma protestante
Estudos em história da igreja a era da reforma protestante
Ary Queiroz Jr
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
Carla Teixeira
 
Pentecostes
PentecostesPentecostes
Pentecostes
pr_afsalbergaria
 
LBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestante
LBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestanteLBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestante
LBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestante
Natalino das Neves Neves
 
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
boasnovassena
 
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
RODRIGO FERREIRA
 
500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante 500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante
Breno Augusto Silveira
 

Mais procurados (20)

Os cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma ProtestanteOs cinco "solas" da Reforma Protestante
Os cinco "solas" da Reforma Protestante
 
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5   Quinto Período - A Reforma ProtestanteAula 5   Quinto Período - A Reforma Protestante
Aula 5 Quinto Período - A Reforma Protestante
 
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
As reformas religiosas do séc.XVI e sua implicações atuais.
 
A Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
A Reforma Protestante e a Contra Reforma CatólicaA Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
A Reforma Protestante e a Contra Reforma Católica
 
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidadeA renovação da espiritualidade e da religiosidade
A renovação da espiritualidade e da religiosidade
 
História da Igreja Moderna
História da Igreja ModernaHistória da Igreja Moderna
História da Igreja Moderna
 
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o BrasilHistória dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
História dos Protestantes e Evangélicos até o Brasil
 
O tempo das reformas
O tempo das reformasO tempo das reformas
O tempo das reformas
 
Antecedentes da Reforma Protestante
Antecedentes da Reforma ProtestanteAntecedentes da Reforma Protestante
Antecedentes da Reforma Protestante
 
Tempo de reformas
Tempo de reformasTempo de reformas
Tempo de reformas
 
Ipb
IpbIpb
Ipb
 
Estudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestanteEstudo bíblico – reforma protestante
Estudo bíblico – reforma protestante
 
Estudos em história da igreja a era da reforma protestante
Estudos em história da igreja   a era da reforma protestanteEstudos em história da igreja   a era da reforma protestante
Estudos em história da igreja a era da reforma protestante
 
A reforma religiosa parte 2
A reforma religiosa  parte 2A reforma religiosa  parte 2
A reforma religiosa parte 2
 
Pentecostes
PentecostesPentecostes
Pentecostes
 
LBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestante
LBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestanteLBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestante
LBJ Lição 7 - A igreja na reforma protestante
 
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
Revista da Escola Dominical - Reforma Protestante 500 Anos - Todos Podem Preg...
 
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7   A igreja na reforma protestanteLbj lição 7   A igreja na reforma protestante
Lbj lição 7 A igreja na reforma protestante
 
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
 
500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante 500 anos da Reforma Protestante
500 anos da Reforma Protestante
 

Semelhante a Arenovacaodaespiritualidade

A reforma aula
A reforma aulaA reforma aula
A reforma aula
Nuno Faustino
 
A Reforma e a Contra Reforma Revisões
A Reforma e a Contra Reforma RevisõesA Reforma e a Contra Reforma Revisões
A Reforma e a Contra Reforma Revisões
Maria Gomes
 
A renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidadeA renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidade
cattonia
 
Revejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma Católica
Revejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma CatólicaRevejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma Católica
Revejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma Católica
Maria Gomes
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
Vítor Santos
 
As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3
adalbertovha
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma   Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
Valkuiria Andrade
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
Daniel Alves Bronstrup
 
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Aula  reforma e contra-reforma religiosa2Aula  reforma e contra-reforma religiosa2
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Janete Garcia de Freitas
 
a reforma religiosa. - temas de História
a reforma religiosa. - temas de Históriaa reforma religiosa. - temas de História
a reforma religiosa. - temas de História
RuiMeireles15
 
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
enzolivia00
 
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
Christier Gomes
 
Polo centro reforma religiosa - ppt
Polo centro   reforma religiosa - pptPolo centro   reforma religiosa - ppt
Polo centro reforma religiosa - ppt
Jorge Marcos Oliveira
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
Professores História
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
Professores História
 
Reforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreformaReforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreforma
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
A reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosaA reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosa
Kelly Delfino
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
Ciências Humanas e Suas Tecnologias
 
Reforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° AnoReforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° Ano
danibronstrup
 
Reforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EMReforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EM
danibronstrup
 

Semelhante a Arenovacaodaespiritualidade (20)

A reforma aula
A reforma aulaA reforma aula
A reforma aula
 
A Reforma e a Contra Reforma Revisões
A Reforma e a Contra Reforma RevisõesA Reforma e a Contra Reforma Revisões
A Reforma e a Contra Reforma Revisões
 
A renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidadeA renovação da espiritualidade e religiosidade
A renovação da espiritualidade e religiosidade
 
Revejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma Católica
Revejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma CatólicaRevejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma Católica
Revejo o que aprendi .- A reforma protestante e a Contra Reforma Católica
 
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
03_04 A renovação da espiritualidade e da religiosidade.pdf
 
As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3As reformas-religiosas-ildete-3
As reformas-religiosas-ildete-3
 
Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma   Reforma e contrarreforma
Reforma e contrarreforma
 
1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa1º ano - Reforma Religiosa
1º ano - Reforma Religiosa
 
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
Aula  reforma e contra-reforma religiosa2Aula  reforma e contra-reforma religiosa2
Aula reforma e contra-reforma religiosa2
 
a reforma religiosa. - temas de História
a reforma religiosa. - temas de Históriaa reforma religiosa. - temas de História
a reforma religiosa. - temas de História
 
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
_REFORMA RELIGIOSA e a contra reforma católica
 
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
_REFORMA RELIGIOSA 2.ppt
 
Polo centro reforma religiosa - ppt
Polo centro   reforma religiosa - pptPolo centro   reforma religiosa - ppt
Polo centro reforma religiosa - ppt
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
 
A Crise Religiosa
A Crise ReligiosaA Crise Religiosa
A Crise Religiosa
 
Reforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreformaReforma religiosa contrarreforma
Reforma religiosa contrarreforma
 
A reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosaA reforma & a contra reforma religiosa
A reforma & a contra reforma religiosa
 
05 reforma protestante
05   reforma protestante05   reforma protestante
05 reforma protestante
 
Reforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° AnoReforma Protestante 1° Ano
Reforma Protestante 1° Ano
 
Reforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EMReforma Protestante - 1° ano - EM
Reforma Protestante - 1° ano - EM
 

Arenovacaodaespiritualidade

  • 1. HISTÓRIA A 10º ANO Unidade 4: A renovação da espiritualidade e da religiosidade  A REFORMA PROTESTANTE Tempos difíceis viveram a cristandade e a igreja católica nos fins da Idade Média. Nesta época:  Passava-se fome  Havia pestes  Ocorriam guerras Preocupações com a salvação da Alma pois acreditava-se que estas calamidades eram “castigo” de Deus pelo pecado dos homens Em vez de apoiar os crentes, a igreja católica mostrava-se desunida. Cisma do Ocidente Papa de Roma Papa de Avinhão (A qual obedecer?) - Reino de Portugal - Reino de Inglaterra - Principados Alemães - Reino da França - Reino de Aragão - Reino de Castela Mau exemplo dos membros clérigos: - Papas tinham filhos assumidos, e estes ganharam honras e riquezas. - Vida imoral e de Luxo. - Papas participavam nas Guerras. - Bispos e prelados acumulavam benefícios e ausentavam-se das paróquias. - Clero secular ignorante. FORTES CRITICAS Á IGREJA
  • 2. Como a igreja e os monarcas ignoravam auxilio á população, muitos recorriam á superstição e ao fanatismo, entregando-se á bruxaria e á feitiçaria assim como às procissões flagelantes (castigar o corpo para libertar o espirito). O povo começou então a procurar a paz interior DEVOTIO MODERNA Fundada por Geert Groote - Desapego pelos bens materiais - Devoção a Deus - Ajuda ao próximo Criticas á igreja católica Wiclif Não era necessário ouvir os padres e os bispos para chegar a deus, bastava ler a biblia. Jan Huss Defendia a desobediência ao papa. Savonarola Denunciou os vícios do clero e do Papa e incentivou á revolta. Condenados á fogueira
  • 3. A ROTURA TEOLÓGICA: Reforma da igreja Martinho Lutero “Como pode alguém levar uma vida perfeita perante deus?” Leitura das Epístolas de São Paulo Garantiam que as almas saiam do purgatório mal o dinheiro “tilintasse” nos cofres Questão das Indulgências REFORMA PROTESTANTE 95 TESES CONTRA AS INDULGÊNCIAS Lutero excomungado Criou-se a Igreja Luterana Teoria da Justificação pela fé predestinação Só a fé da A fé era uma humanidade na questão de infinita misericórdia de Deus tornava o eleição, de graça divina, deus homem justo e o conduzia à salvação determinava os merecedores de fé Nelas acusava o Papa e os dogmas da Igreja, pois afirmava que a salvação depende da Fé e não das boas obras. Bíblia como única O culto á fonte de fé e virgem e aos autoridade santos doutrinal foi abulido pois não era necessário existir um mediador entre Deus e os Homens. Organização eclesiástica O chefe de estado seria provisoriamente o “bispo provisório” Sacerdócio Universal O batismo possibilita que todos fossem padres Celibato deixou de existir Sacramentos eram o batismo e a eucaristia
  • 4. EXPANSÃO DO LUTERANISMO Propaganda Imprensa Humanistas CALVINISMO João calvino Justificação pela fé Sacerdócio universal Autoridade exclusiva da Bíblia Predestinação absoluta: Deus predestina os homens á nascença Salvação pela fé Existência de 2 sacramentos: O batismo e a comunhão Apoio da burguesia Defendia a teocracia (hierarquia dentro da igreja) ANGLICANISMO Henrique VIII Apaixona-se por Ana Bolena (sua amante) e pede ao papa a anulação do casamento com Catarina de Aragão Papa recusa o pedido Henrique VIII (rei da Inglaterra) proclama o ato de supremacia que o fez supremo da igreja na Inglaterra Cria a igreja Anglicana Anglicanismo= catolicismo + calvinismo Defendia a justificação pela fé Não aceita a predestinação absoluta Autoridade da bíblia Sacramentos: Batismo e Eucaristia Negava o culto aos santos, imagens ou relíquias Defendia a Teocracia Aboliu o Celibato dos padres Designados por puritanos (aqueles que seguem da forma mais pura a religião) Perseguições entre católicos e protestantes e entre as próprias igrejas reformadas
  • 5.  A CONTARREFORMA E A REFORMA CATÓLICA Contrarreforma: efetuou um combate doutrinário, ideológico e repressivo ao protestantismo. Reforma católica: procurou responder às expectativas dos crentes, renovando-se e restaurando o catolicismo. O IMPACTO DA CONTRARREFORMA NA SOCIEDADE PORTUGUESA: A dureza com que foram aplicadas, em Portugal, as medidas da contrarreforma, em particular no que diz respeito às penas impostas pela Inquisição e aos Indexes Portugueses, saldou-se por um atraso cultural lamentável que se prolongou por muitos anos. A prontidão com que as autoridades portuguesas acatavam as medidas repressivas de Roma provocaram a fuga de inumes figuras, não só da intelectualidade nacional, mas também do panorama económico, em especial pertencentes à religião judaica. ESQUEMA FINAL: REFORMA REFORMA PROTESTANTE RESPOSTA DA IGREJA CATÓLICA
  • 6. REFORMA CATÓLICA ANTECEDENTES: -SECULIZAÇÃO DA IGREJA - CISMA DO OCIDENTE CONTRARREFORMA - Index CONCILIO DE TRENTO: CAUSAS PRÓXIMAS: - Disciplinamento do clero - Questão das Indulgências LUTERANISMO - Perseguição a João calvino CALVINISMO - Divórcio de D.Henrique VII ANGLICANISMO CATARINA ALMEIDA CAMÕES ESG 2011/2012 - Inquisição -reforço dos principios ATRASO CULTURAS/ ECONÓMICO DE PORTUGAL