SlideShare uma empresa Scribd logo
Técnicas de escrita e elaboração inicial da pesquisa:
saindo do papel em branco, o que fazer, para que fazer e
como fazer
Ilane Ferreira Cavalcante – IFRN
ilane.ifrn@gmail.com
Proposta
solicitada
O enfoque do minicurso para técnica de escrita é
apresentar, de maneira prática e objetiva, como o
participante poderá desenvolver a sua pesquisa
desde a escolha da proposta da pesquisa, do tema,
da formulação do seu resumo, da escolha das
palavras-chaves, da estrutura de tópicos que
abordarão a proposta, da metodologia e dos
resultados e discussões. A ideia será apresentar
técnicas que ajudem o participante a iniciar a sua
pesquisa, ainda que de forma embrionária.
O dilema
da folha
em
branco
O que pesquisar?
Como começar o texto?
Que linguagem utilizar?
Como apresentar a pesquisa?
Linguagem acadêmico-científica
Clareza
Precisão
Comunicabilidade
Consistência
Norma padrão
Organização
lógica
Sequência
Pensando o texto
Clareza - um texto é claro quando utiliza uma linguagem simples, direta e precisa. Informa o leitor diretamente o seu
conteúdo.
Precisão - a linguagem científica deve ser precisa e as palavras e seus acompanhantes (figuras, gráficos, tabelas, etc.)
necessitam ser decodificadas pelo leitor à medida que este percorre o texto. Baseia-se em dados retirados de estudos e
pesquisas e de fontes confiáveis. As informações são selecionadas para apresentar o que for essencial e relevante.
Comunicabilidade - os temas devem ser abordados de maneira direta e simples, com lógica e continuidade no
desenvolvimento das ideias. Utilizar os conceitos com cuidado e de acordo com a linha teórica a que se pretende seguir. A
comunicabilidade exige que se explique, exatamente, o sentido com que aquele termo está sendo utilizado e, inclusive, se
utilize de exemplos ou ilustrações que facilitem a compreensão.
Consistência - a capacidade que um texto tem de ser coerente e coeso e, ao mesmo tempo, bem fundamentado teórica e
metodologicamente. Um texto consistente apresenta uniformidade. Pode ser considerada sob três dimensões: o uso da
norma padrão da linguagem; a organização lógica das ideias desenvolvidas e a sequência da apresentação dessas ideias.
A norma padrão
• O texto acadêmico-científico circula em meios que
prezam pela formalidade no uso da linguagem.
Escrever indevidamente pode demonstrar ignorância
ou desleixo. Assim, é importante que esse tipo de
texto apresente uniformidade gramatical, por
exemplo. E isso não diz respeito apenas à correção
de termos e expressões, mas a seu uso uniforme.
Exemplo:
• "Na redação científica, cumpre observar, entre outras
regras: (1) terminologia precisa; (2) pontuação
criteriosa; (3) não abusar de sinônimos; (4) evitar
ambiguidade de referências".
Organização lógica
Ao elaborar um texto,
é preciso pensar um
plano de como ele
será dividido.
A divisão ou
subdivisão devem
apresentar lógica
interna.
A estrutura de um texto dividido em tópicos exige
cuidado na organização lógica entre os diferentes
tópicos.
As seções de um capítulo devem manter um equilíbrio,
ou seja, conteúdos semelhantes.
Sequência
A lógica do texto deve ser perceptível ao
leitor.
Isso não significa que ele deve seguir
uma sequencia determinada, mas que a
lógica se faça perceber na ordem de
capítulos, seções, subseções, etc.
E a famosa impessoalidade? A
impessoalidade garante a objetividade?
A linguagem impessoal é valorizada por
afastar o ponto de vista do pesquisador.
No entanto, assumir um ponto de vista
também pode ser importante. O que
conta é o equilíbrio.
Sim, mas, como começar?
Definir o gênero discursivo
com o que se vai trabalhar,
pois isso define a dimensão
da pesquisa, quantidade das
fontes e referências.
Pré- selecionar fontes e
referências.
Atentar para a qualidade das
fontes de onde retiramos as
referências:
• 3.1 o fator de impacto
• 3.2 o Qualis-CAPES
• 3.3 a indexação
Analisar a importância dos
autores para a área.
Buscar trabalhos atuais,
exceptuando os clássicos.
Traços
estilísticos
comuns aos
gêneros
acadêmicos
• O que (objetivo)
• Como (metodologia)
• A partir de quem/de qual referencial teórico (
fundamentação teórica)
• Por que (justificativa/contextualização)
• Quando e onde (recorte temporal e espacial)
• A que se chegou (resultados e conclusões)
Deve responder:
Escolha criteriosa de palavras-chave.
Para a produção
Definir o campo de pesquisa e a fundamentação teórica (autores, linhas)
Articular o texto com outros já publicados na área – atentando para os
critérios de pré-seleção.
Inserir a pesquisa em uma área a partir da citação a outras pesquisas –
estado da arte.
Atentar para os limites da pesquisa, há sempre limites e possibilidades a
evidenciar.
No texto, lembrar:
Encadear sentenças e parágrafos entre
si girando em torno de uma ideia
central, organizados de forma que o
texto apresente progressão dessa
ideia.
Consultar as convenções mais
específicas de cada gênero acadêmico
e as convenções da Associação
Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.
(p.e. NBR 6023, sobre referências, e a
NBR 10520, que trata das citações em
documentos).
Enunciar sua própria voz no texto,
recorrendo à terceira pessoa, à
primeira do plural ou à primeira do
singular.
Citar o discurso alheio é não só
necessário mas também uma atitude
ética. Ao explicitar as fontes, explicita-
se também a filiação teórico-
metodológica.
O caso de um projeto de pesquisa
Fonte: CAVALCANTE, 2020
O gênero
projeto
• O projeto é uma proposta de estudos, portanto, o
tempo verbal predominante é o futuro.
• Caso você use predominantemente o verbo no
passado vai fazer parecer que já desenvolveu a
pesquisa, o que torna o texto contraditório.
• Se você usa o verbo no presente, precisa dar a ideia
de futuro, ou correrá o risco de fazer parecer que já
está desenvolvendo a pesquisa e não projetando.
• Use expressões como: “este estudo observará...”, “ a
pesquisa se debruçará sobre...”, “este projeto
apresenta uma proposta de pesquisa cujo foco é...”
etc
Elementos pré-textuais
Capa: nome da instituição/entidade/programa a que será submetido o projeto; nome do
autor/autores; título e subtítulo(se houver); local (cidade); ano da elaboração/submissão do
projeto.
Título: precisa apresentar de forma suscinta o tema do projeto.
Folha de rosto (opcional): nome do autor/autores; apresentação do projeto (pequeno texto que
vincula o projeto a uma instituição, curso, programa, disciplina e o orientador; local (cidade) e
data (ano).
Sumário (opcional): apresenta de forma suscinta os tópicos que compõem o projeto e a página
de cada item.
Organizadores
discursivos
.., conforme já assinalado em estudo anterior (FULANO,
1989).
..., assim como o estudo de Fulano e Beltrano (1995).
..., havendo, contudo, poucos trabalhos sobre...
(BELTRANO, 2002; FULANO, 1999; SICRANO, 2011).
..., este estudo está sujeito às limitações, de certa forma, já
apontadas anteriormente, tais como...
Todavia, não é demais esclarecer...
Os resultados desse estudo confirmam...
Embora seja bastante antigo..., essa abordagem restringia-
se à...
Elementos textuais
Introdução/apresentação:
apresentação geral que envolva a
vinculação do pesquisador ao tema e
situe o objeto de pesquisa na área e
na linha teórica e inclua as hipóteses,
caso houver e as questões de
pesquisa.
Objetivos: geral (a que você pretende
chegar ao terminar a pesquisa);
específicos (etapas que serão
alcançadas no decorrer da pesquisa e
contribuem para alcançar o objetivo
geral).
Justificativa: a relevância da pesquisa
na área de estudos em que ela se
insere a partir de argumentos que
tratem da emergência do tema, da
escassez de estudos na área; das
situações cotidianas naquele contexto
de pesquisa etc.
Referencial teórico: revisão de
literatura, que pode ser um estado da
arte, em que o pesquisador apresenta
uma pesquisa prévia de publicações
acerca do tema a ser pesquisado.
Metodologia: a metodologia
apresenta método, metodologia,
participantes e procedimentos que se
pretende desenvolver.
Cronograma: organização do tempo
da pesquisa e de cada etapa. Em
geral, em forma de tabela.
Definindo o tema
Tema: campo semântico da área do
conhecimento em que nos
inserimos.
• Exemplo: evasão em cursos
técnicos integrados
Problema: recorte que delimita o
objeto de estudo, algo que nos
instiga dentro do tema. Geralmente
em forma de uma questão.
• Exemplo: que fatores exercem
mais influência entre os
estudantes na decisão de
abandonar o curso técnico
integrado?
Justificando o
tema
Relatar sua experiência pessoal ou
profissional na área e seus
interesses.
Indicar razões de natureza
acadêmica e/ou científica para a
investigação do tema.
Apontar lacunas na área em que a
pesquisa pretende se debruçar.
Como apresentar
o
desenvolvimento
da pesquisa?
Articule muito bem a metodologia ao objeto, aos objetivos e à
fundamentação teórica a que se vincula a pesquisa.
Explique a natureza da pesquisa (se é estudo qualitativo, quantitativo,
exploratório, empírico, bibliográfico apenas)
Descreva os procedimentos adotados e a natureza dos dados obtidos.
Descreva os participantes, no caso de uma pesquisa com seres humanos,
quem fornecerá os dados ou a população envolvida.
Descreva o corpus – o conjunto dos dados que serão analisados, as amostras
que foram coletadas.
Descreva os instrumentos de pesquisa (questionários, entrevistas, programas
de análise de dados, instrumentos de laboratório, pacotes estatísticos etc)
Relate os procedimentos para a coleta (critérios de escolha dos participantes,
critérios de seleção dos dados, método de análise, etc.
Elementos pós-textuais
Referências: exposição, conforme norma, dos autores
que embasaram a elaboração do projeto e
embasarão a pesquisa.
Anexos ou apêndices: raramente aparecem, mas
podem ser documentos que se queira apresentar ou
instrumentos já elaborados pelo pesquisador e que
comporão a pesquisa.
Referências
• CAVALCANTE, Ilane Ferreira. Produção do texto científico. Natal: IFRN. Disponível
em https://memoria.ifrn.edu.br/handle/1044/1933 Acesso 22 de março de 2021.
• MOTTA-ROTH; HENDGES. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola
Editorial, 2010.
• PALHANO, João Maria de Paiva. Leitura e Produção de Textos na Esfera
Acadêmica: Considerações Iniciais. Natal: IFRN, 2010 [material instrucional - U1]

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Apresentação Trabalhos Acadêmicos- Ilane Ferreira.pdf

Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioComo fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Lucila Pesce
 
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptxAPRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
EugrencioJooMaposse
 
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABApresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Renata Aquino
 
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
Aline Karen Gomes
 
COMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRB
COMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRBCOMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRB
COMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRB
ICARORIBEIROCAZUMBAS
 
Orientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptx
Orientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptxOrientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptx
Orientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptx
jovemadministrador
 
Projeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-PesquisaProjeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-Pesquisa
Jesrayne Nascimento
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
Jesrayne Nascimento
 
Como elaborar um projeto
Como elaborar um projetoComo elaborar um projeto
Como elaborar um projeto
Evelise Faraco de Oliveira
 
Procedimentos elaboracao artigos_pp2_alunos
Procedimentos elaboracao artigos_pp2_alunosProcedimentos elaboracao artigos_pp2_alunos
Procedimentos elaboracao artigos_pp2_alunos
ampla engenharia
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Mara Salvucci
 
Modelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisaModelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisa
Adriana Figueira
 
Modelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisaModelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisa
Paula Naranjo
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Humberto Serra
 
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrnProjeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Sérgio Ferreira DA Silva
 
Passos do projeto modelo
Passos do projeto   modeloPassos do projeto   modelo
Passos do projeto modelo
Marcelo Basi
 
Como se faz uma monografia
Como se faz uma monografiaComo se faz uma monografia
Como se faz uma monografia
Lorena Vanesa Duthil
 
Como fazer monografia
Como fazer monografiaComo fazer monografia
Como fazer monografia
wgenilene
 
Como fazer monografia
Como fazer monografiaComo fazer monografia
Como fazer monografia
wgenilene
 
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptxSLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
FABOLASOARESDOSREIS
 

Semelhante a Apresentação Trabalhos Acadêmicos- Ilane Ferreira.pdf (20)

Como fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatórioComo fazer projeto de pesquisa e relatório
Como fazer projeto de pesquisa e relatório
 
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptxAPRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
APRESENTACAO ARTIGOS CIENTIFICOS VERSAO FINAL.pptx
 
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABApresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
 
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
1 - Informações gerais. Artigo pós graduação
 
COMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRB
COMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRBCOMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRB
COMO FAZER UMA PESQUISA BIBLIOGRFICA SLIDES UFRB
 
Orientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptx
Orientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptxOrientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptx
Orientação_ sistematização SEMINÁRIO_.pptx
 
Projeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-PesquisaProjeto de Pré-Pesquisa
Projeto de Pré-Pesquisa
 
Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013Projeto de pesquisa 2013
Projeto de pesquisa 2013
 
Como elaborar um projeto
Como elaborar um projetoComo elaborar um projeto
Como elaborar um projeto
 
Procedimentos elaboracao artigos_pp2_alunos
Procedimentos elaboracao artigos_pp2_alunosProcedimentos elaboracao artigos_pp2_alunos
Procedimentos elaboracao artigos_pp2_alunos
 
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuaçãoPesquisa cientifica i projeto de atuação
Pesquisa cientifica i projeto de atuação
 
Modelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisaModelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisa
 
Modelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisaModelo projeto pesquisa
Modelo projeto pesquisa
 
Estrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de PesquisaEstrutura de Projeto de Pesquisa
Estrutura de Projeto de Pesquisa
 
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrnProjeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
Projeto de pesquisa_-_orientacoes_ifrn
 
Passos do projeto modelo
Passos do projeto   modeloPassos do projeto   modelo
Passos do projeto modelo
 
Como se faz uma monografia
Como se faz uma monografiaComo se faz uma monografia
Como se faz uma monografia
 
Como fazer monografia
Como fazer monografiaComo fazer monografia
Como fazer monografia
 
Como fazer monografia
Como fazer monografiaComo fazer monografia
Como fazer monografia
 
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptxSLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
SLIDE METODOLOGIA DE PESQUISA USP (1).pptx
 

Último

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
soaresdesouzaamanda8
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Érika Rufo
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
Mary Alvarenga
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
MessiasMarianoG
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 

Último (20)

cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdfCRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
CRONOGRAMA - PSC 2° ETAPA 2024.pptx (1).pdf
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sonsAula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
Aula 1 do livro de Ciências do aluno - sons
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Sinais de pontuação
Sinais de pontuaçãoSinais de pontuação
Sinais de pontuação
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
759-fortaleza-resultado-definitivo-prova-objetiva-2024-05-28.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 

Apresentação Trabalhos Acadêmicos- Ilane Ferreira.pdf

  • 1. Técnicas de escrita e elaboração inicial da pesquisa: saindo do papel em branco, o que fazer, para que fazer e como fazer Ilane Ferreira Cavalcante – IFRN ilane.ifrn@gmail.com
  • 2. Proposta solicitada O enfoque do minicurso para técnica de escrita é apresentar, de maneira prática e objetiva, como o participante poderá desenvolver a sua pesquisa desde a escolha da proposta da pesquisa, do tema, da formulação do seu resumo, da escolha das palavras-chaves, da estrutura de tópicos que abordarão a proposta, da metodologia e dos resultados e discussões. A ideia será apresentar técnicas que ajudem o participante a iniciar a sua pesquisa, ainda que de forma embrionária.
  • 3. O dilema da folha em branco O que pesquisar? Como começar o texto? Que linguagem utilizar? Como apresentar a pesquisa?
  • 5. Pensando o texto Clareza - um texto é claro quando utiliza uma linguagem simples, direta e precisa. Informa o leitor diretamente o seu conteúdo. Precisão - a linguagem científica deve ser precisa e as palavras e seus acompanhantes (figuras, gráficos, tabelas, etc.) necessitam ser decodificadas pelo leitor à medida que este percorre o texto. Baseia-se em dados retirados de estudos e pesquisas e de fontes confiáveis. As informações são selecionadas para apresentar o que for essencial e relevante. Comunicabilidade - os temas devem ser abordados de maneira direta e simples, com lógica e continuidade no desenvolvimento das ideias. Utilizar os conceitos com cuidado e de acordo com a linha teórica a que se pretende seguir. A comunicabilidade exige que se explique, exatamente, o sentido com que aquele termo está sendo utilizado e, inclusive, se utilize de exemplos ou ilustrações que facilitem a compreensão. Consistência - a capacidade que um texto tem de ser coerente e coeso e, ao mesmo tempo, bem fundamentado teórica e metodologicamente. Um texto consistente apresenta uniformidade. Pode ser considerada sob três dimensões: o uso da norma padrão da linguagem; a organização lógica das ideias desenvolvidas e a sequência da apresentação dessas ideias.
  • 6. A norma padrão • O texto acadêmico-científico circula em meios que prezam pela formalidade no uso da linguagem. Escrever indevidamente pode demonstrar ignorância ou desleixo. Assim, é importante que esse tipo de texto apresente uniformidade gramatical, por exemplo. E isso não diz respeito apenas à correção de termos e expressões, mas a seu uso uniforme. Exemplo: • "Na redação científica, cumpre observar, entre outras regras: (1) terminologia precisa; (2) pontuação criteriosa; (3) não abusar de sinônimos; (4) evitar ambiguidade de referências".
  • 7. Organização lógica Ao elaborar um texto, é preciso pensar um plano de como ele será dividido. A divisão ou subdivisão devem apresentar lógica interna. A estrutura de um texto dividido em tópicos exige cuidado na organização lógica entre os diferentes tópicos. As seções de um capítulo devem manter um equilíbrio, ou seja, conteúdos semelhantes.
  • 8. Sequência A lógica do texto deve ser perceptível ao leitor. Isso não significa que ele deve seguir uma sequencia determinada, mas que a lógica se faça perceber na ordem de capítulos, seções, subseções, etc. E a famosa impessoalidade? A impessoalidade garante a objetividade? A linguagem impessoal é valorizada por afastar o ponto de vista do pesquisador. No entanto, assumir um ponto de vista também pode ser importante. O que conta é o equilíbrio.
  • 9. Sim, mas, como começar? Definir o gênero discursivo com o que se vai trabalhar, pois isso define a dimensão da pesquisa, quantidade das fontes e referências. Pré- selecionar fontes e referências. Atentar para a qualidade das fontes de onde retiramos as referências: • 3.1 o fator de impacto • 3.2 o Qualis-CAPES • 3.3 a indexação Analisar a importância dos autores para a área. Buscar trabalhos atuais, exceptuando os clássicos.
  • 10. Traços estilísticos comuns aos gêneros acadêmicos • O que (objetivo) • Como (metodologia) • A partir de quem/de qual referencial teórico ( fundamentação teórica) • Por que (justificativa/contextualização) • Quando e onde (recorte temporal e espacial) • A que se chegou (resultados e conclusões) Deve responder: Escolha criteriosa de palavras-chave.
  • 11. Para a produção Definir o campo de pesquisa e a fundamentação teórica (autores, linhas) Articular o texto com outros já publicados na área – atentando para os critérios de pré-seleção. Inserir a pesquisa em uma área a partir da citação a outras pesquisas – estado da arte. Atentar para os limites da pesquisa, há sempre limites e possibilidades a evidenciar.
  • 12. No texto, lembrar: Encadear sentenças e parágrafos entre si girando em torno de uma ideia central, organizados de forma que o texto apresente progressão dessa ideia. Consultar as convenções mais específicas de cada gênero acadêmico e as convenções da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. (p.e. NBR 6023, sobre referências, e a NBR 10520, que trata das citações em documentos). Enunciar sua própria voz no texto, recorrendo à terceira pessoa, à primeira do plural ou à primeira do singular. Citar o discurso alheio é não só necessário mas também uma atitude ética. Ao explicitar as fontes, explicita- se também a filiação teórico- metodológica.
  • 13. O caso de um projeto de pesquisa Fonte: CAVALCANTE, 2020
  • 14. O gênero projeto • O projeto é uma proposta de estudos, portanto, o tempo verbal predominante é o futuro. • Caso você use predominantemente o verbo no passado vai fazer parecer que já desenvolveu a pesquisa, o que torna o texto contraditório. • Se você usa o verbo no presente, precisa dar a ideia de futuro, ou correrá o risco de fazer parecer que já está desenvolvendo a pesquisa e não projetando. • Use expressões como: “este estudo observará...”, “ a pesquisa se debruçará sobre...”, “este projeto apresenta uma proposta de pesquisa cujo foco é...” etc
  • 15. Elementos pré-textuais Capa: nome da instituição/entidade/programa a que será submetido o projeto; nome do autor/autores; título e subtítulo(se houver); local (cidade); ano da elaboração/submissão do projeto. Título: precisa apresentar de forma suscinta o tema do projeto. Folha de rosto (opcional): nome do autor/autores; apresentação do projeto (pequeno texto que vincula o projeto a uma instituição, curso, programa, disciplina e o orientador; local (cidade) e data (ano). Sumário (opcional): apresenta de forma suscinta os tópicos que compõem o projeto e a página de cada item.
  • 16. Organizadores discursivos .., conforme já assinalado em estudo anterior (FULANO, 1989). ..., assim como o estudo de Fulano e Beltrano (1995). ..., havendo, contudo, poucos trabalhos sobre... (BELTRANO, 2002; FULANO, 1999; SICRANO, 2011). ..., este estudo está sujeito às limitações, de certa forma, já apontadas anteriormente, tais como... Todavia, não é demais esclarecer... Os resultados desse estudo confirmam... Embora seja bastante antigo..., essa abordagem restringia- se à...
  • 17. Elementos textuais Introdução/apresentação: apresentação geral que envolva a vinculação do pesquisador ao tema e situe o objeto de pesquisa na área e na linha teórica e inclua as hipóteses, caso houver e as questões de pesquisa. Objetivos: geral (a que você pretende chegar ao terminar a pesquisa); específicos (etapas que serão alcançadas no decorrer da pesquisa e contribuem para alcançar o objetivo geral). Justificativa: a relevância da pesquisa na área de estudos em que ela se insere a partir de argumentos que tratem da emergência do tema, da escassez de estudos na área; das situações cotidianas naquele contexto de pesquisa etc. Referencial teórico: revisão de literatura, que pode ser um estado da arte, em que o pesquisador apresenta uma pesquisa prévia de publicações acerca do tema a ser pesquisado. Metodologia: a metodologia apresenta método, metodologia, participantes e procedimentos que se pretende desenvolver. Cronograma: organização do tempo da pesquisa e de cada etapa. Em geral, em forma de tabela.
  • 18. Definindo o tema Tema: campo semântico da área do conhecimento em que nos inserimos. • Exemplo: evasão em cursos técnicos integrados Problema: recorte que delimita o objeto de estudo, algo que nos instiga dentro do tema. Geralmente em forma de uma questão. • Exemplo: que fatores exercem mais influência entre os estudantes na decisão de abandonar o curso técnico integrado?
  • 19. Justificando o tema Relatar sua experiência pessoal ou profissional na área e seus interesses. Indicar razões de natureza acadêmica e/ou científica para a investigação do tema. Apontar lacunas na área em que a pesquisa pretende se debruçar.
  • 20. Como apresentar o desenvolvimento da pesquisa? Articule muito bem a metodologia ao objeto, aos objetivos e à fundamentação teórica a que se vincula a pesquisa. Explique a natureza da pesquisa (se é estudo qualitativo, quantitativo, exploratório, empírico, bibliográfico apenas) Descreva os procedimentos adotados e a natureza dos dados obtidos. Descreva os participantes, no caso de uma pesquisa com seres humanos, quem fornecerá os dados ou a população envolvida. Descreva o corpus – o conjunto dos dados que serão analisados, as amostras que foram coletadas. Descreva os instrumentos de pesquisa (questionários, entrevistas, programas de análise de dados, instrumentos de laboratório, pacotes estatísticos etc) Relate os procedimentos para a coleta (critérios de escolha dos participantes, critérios de seleção dos dados, método de análise, etc.
  • 21. Elementos pós-textuais Referências: exposição, conforme norma, dos autores que embasaram a elaboração do projeto e embasarão a pesquisa. Anexos ou apêndices: raramente aparecem, mas podem ser documentos que se queira apresentar ou instrumentos já elaborados pelo pesquisador e que comporão a pesquisa.
  • 22. Referências • CAVALCANTE, Ilane Ferreira. Produção do texto científico. Natal: IFRN. Disponível em https://memoria.ifrn.edu.br/handle/1044/1933 Acesso 22 de março de 2021. • MOTTA-ROTH; HENDGES. Produção textual na universidade. São Paulo: Parábola Editorial, 2010. • PALHANO, João Maria de Paiva. Leitura e Produção de Textos na Esfera Acadêmica: Considerações Iniciais. Natal: IFRN, 2010 [material instrucional - U1]