SlideShare uma empresa Scribd logo
Henrique Vieira
Centro Espírita Luz Eterna
31-08-2016
virtude | s. f. | s. f. pl.
vir·tu·de
(latim virtus, -utis)
substantivo feminino
1. Disposição constante do espírito que nos induz a exercer o bem e
evitar o mal.
2. O conjunto de todas ou qualquer das boas qualidades morais.
3. Acção virtuosa.
4. Austeridade no viver.
5. Castidade, pudicícia.
6. Qualidade própria para produzir certos e determinados resultados.
7. Propriedade, eficácia.
8. Validade, força, vigor.
http://www.priberam.pt/dlpo/virtude
Definição de virtude
Platão,
discípulo de Sócrates
Platão e a virtude
(428/427 a.C.-348/347 a.C.)
Prudência
Fortaleza
Temperança
Serenidade, autodomínio
Ordena os nossos
pensamentos
Justiça
Ordena e
harmonizaSubordina o prazer
ao dever
Platão / A República
Fé
Esperança
Caridade
É a expectação de algo de superior e perfeito. A Esperança
não é o produto de nossa vontade, mas de uma
espontaneidade, cujas raízes nos escapam, porque não é ela
genuinamente uma manifestação do homem, mas algo que se
manifesta pelo homem, porque não encontramos na estrutura
de nossa vida biológica, nem da nossa vida intelectual, uma
razão que a explique.
É a mãe de todas as virtudes como dizem os antigos, e
diziam-no com razão: é a raiz de todas as virtudes, porque ela
é a bondade suprema para consigo mesmo, para com os
outros, para com o Ser Infinito.
http://www.sergiobiagigregorio.com.br/filosofia/virtude-e-as-virtudes.htm
É o assentimento do intelecto que crê, com constância e
certeza, em alguma coisa. A prudência, a fortaleza, a justiça
e a moderação podem ser adquiridas.
Virtudes teologais
As sete virtudes
Prudência
Fortaleza
Temperança
Justiça
Caridade
Esperança
Fé
• A polidez
• A fidelidade
• A prudência - virtude cardeal
• A temperança – virtude cardeal
• A coragem – virtude cardeal
• A justiça – virtude cardeal
• A generosidade
• A compaixão
• A misericórdia
• A gratidão
• A humildade
• A simplicidade
• A tolerância
• A pureza
• A doçura
• A boa-fé
• O humor
• O amor
André Comte-Sponville / Pequeno Tratado das Grandes Virtudes
A virtude na visão da filosofia
“893. Qual a mais meritória de
todas as virtudes?
— Todas as virtudes têm seu
mérito, porque todas são indícios
de progresso no caminho do
bem. Há virtude sempre que há
resistência voluntária ao
arrastamento das tendências;
mas a sublimidade da virtude
consiste no sacrifício do interesse
pessoal para o bem do próximo,
sem segunda intenção. A mais
meritória é aquela que se baseia
na caridade mais
desinteressada.”
“913. Entre os vícios, qual o que
podemos considerar mais radical?
Já o dissemos muitas vezes; o
egoísmo. Dele deriva todo do mal.
Estudai todos os vícios e vereis
que no fundo de todos existe o
egoísmo. Por mais que luteis
contra eles não chegareis a
extirpá-los enquanto não os
atacardes pela raiz, enquanto não
lhes houverdes destruído a causa.
Que todos os vossos esforços
tendam para esse fim, porque nele
se encontra a verdadeira chaga da
sociedade.”
Allan Kardec / O Livro dos Espíritos
As virtudes e os vícios na visão espírita
Causas dos vícios
“Condicionamentos passados fortemente fixados nos tecidos sutis do
Espírito ressurgem como incontidas impulsões, que se transformam em
vigorosos senhores dos que lhes padecem a injunção.”
Divaldo Pereira Franco / Leis Morais da Vida
“Procedentes do pretérito espiritual, fazem-se dilaceração da alma
desde cedo, quando o processo da reencarnação se consuma…”
“Constituem imperiosos tormentos que aparecem reiteradamente,
dominam e destroem os seus êmulos.”
“Formam as paisagens lôbregas do mundo moral da criatura humana.”
“459. Influem os Espíritos em
nossos pensamentos e em nossos
atos?
Muito mais do que imaginais.
Influem a tal ponto, que, de
ordinário, são eles que
vos dirigem.”
“460. De par com os
pensamentos que nos são
próprios, outros haverá que nos
sejam sugeridos?
“Vossa alma é um Espírito que
pensa. Não ignorais que,
frequentemente, muitos
pensamentos vos acodem a um
tempo sobre o mesmo assunto,
não raro, contrários uns dos
outros. Pois bem! No conjunto
deles, estão sempre de mistura
os vossos com os nossos. Daí a
incerteza em que vos vedes. É
que tendes em vós duas ideias a
se combaterem.”
Allan Kardec / O Livro dos Espíritos
A influência dos Espíritos
A importância do pensamento
“Os pensamentos que se originam no
ser espiritual, à medida que se
transferem para as áreas da sensação,
da emoção e da ação, imprimem os
seus conteúdos nas (…) células de
energia que os executam na forma
física, estabelecendo os resultados
conforme a qualidade da onda
mental.”
“Graças ao teor vibratório de cada emissão pensante, a carga estimula a
consciência celular que se sente mais fortalecida, gerando saúde, ou se
desarmoniza, produzindo doença. Mesmo que venha a desestruturar-se a
célula física, no processo de desorganização liberta a de natureza
energética que influenciará os futuros mecanismos de equilíbrio ou de
desajustes do ser humano.”
Divaldo Pereira Franco / Dias Gloriosos
O pensamento e a companhia espiritual
“…o pensamento se reflete no envoltório
perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e
aí de certo modo se fotografa. (…) Desse modo é
que os mais secretos movimentos da alma
repercutem no envoltório fluídico; que uma alma
pode ler noutra alma como num livro e ver o que
não é perceptível aos olhos do corpo.”
Allan Kardec / A Génese
“Os fluidos espirituais, que constituem um dos
estados do fluido cósmico universal, são, a bem
dizer, a atmosfera dos seres espirituais; o elemento
donde eles tiram os materiais sobre que operam (…)
Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais, não
manipulando-os como os homens manipulam os
gases, mas empregando o pensamento e a vontade.
Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o
que é a mão para o homem.”
A obsessão
“Chama-se obsessão à ação persistente que um Espírito mau exerce
sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diferentes, que vão
desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até
a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.”
“Assim como as enfermidades resultam das imperfeições físicas que
tornam o corpo acessível às perniciosas influências exteriores, a
obsessão decorre sempre de uma imperfeição moral, que dá
ascendência a um Espírito mau, A uma causa física, opõe-se uma força
física; a uma causa moral preciso é se contraponha uma força moral.
Para preservá-lo das enfermidades, fortifica-se o corpo; para garanti-la
contra a obsessão, tem-se que fortalecer a alma; donde, para o
obsidiado, a necessidade de trabalhar por se melhorar a si próprio, o que
as mais das vezes basta para livrá-lo do obsessor, sem o socorro de
terceiros.”
Allan Kardec / A Génese
A dúvida de Pedro
“- Senhor! Como vencer aqueles que
nos prejudicaram e ainda nos
perturbam? Como suportar os
adversários, que se multiplicam
como erva má, que de nada
necessita para medrar?”
“- Simão (…) os verdadeiros
adversários do homem não se
encontram fora dele, porém em seu
mundo íntimo, perseguindo e
inquietando-o sem termo (…) - Há
três inimigos ferozes no imo do ser
humano, que respondem por todas
as misérias que assolam a sociedade,
dilacerando os tecidos subtis da
alma. Trata-se do egoísmo, do
orgulho e da ignorância.”
Divaldo Pereira Franco, Dias Venturosos
“A virtude, no mais alto grau, é o conjunto de todas as qualidades
essenciais que constituem o homem de bem. Ser bom, laborioso,
sóbrio, modesto, são qualidades do homem virtuoso. Infelizmente,
quase sempre as acompanham pequenas enfermidades morais que as
desornam e atenuam.”
“Não é virtuoso aquele que faz ostentação da sua virtude, pois que lhe
falta a qualidade principal: a modéstia, e tem o vício que mais se lhe
opõe: o orgulho.”
“A virtude, verdadeiramente digna desse nome, não gosta de estadear-
se.”
“Que direi daquele cujo único valor consiste em parecer o que não é?
Mais vale pouca virtude com modéstia, do que muita com orgulho.”
Allan Kardec / O Evangelho Segundo o Espiritismo
As qualidades da virtude
“A caridade é, em todos os mundos, a eterna âncora de
salvação; é a mais pura emanação do próprio Criador; é a sua
própria virtude, dada por ele à criatura.
Como desprezar essa bondade suprema?
Qual o coração, disso ciente, bastante perverso para recalcar
em si e expulsar esse sentimento todo divino?
Qual o filho bastante mau para se rebelar contra essa doce
carícia: a caridade?”
Allan Kardec / O Evangelho Segundo o Espiritismo
A virtude da caridade
Convites de Jesus
Divaldo Pereira Franco / Convites da vida
• Ao amor
• Ao bem
• À calma
• À compaixão
• À coragem
• Ao desprendimento
• Ao evangelho
• À fé
• À gratidão
• À oração
• Ao perdão
• À prudência
• À caridade
Referências bibliográficas
Avaliação pessoal de vícios
1. Sente-se irresistivelmente condicionado a algum vício?
2. Sofre as consequências maléficas que os mesmos provocam?
3. Já tentou libertar-se voluntariamente de algum desses vícios?
4. Analise como começou neles e conclua: Por livre desejo? Por
sugestão de alguém?
5. Quando tentado a experimentar algum dos vícios sociais, cede
facilmente?
6. Percebe, por vezes a sua imaginação articulando sensações que o
satisfazem ao alimentá-las?
7. Já pensou que esse tipo de imaginação nos predispõe a cometê-las?
8. Tem dificuldades em afastar da mente os devaneios e os
pensamentos ligados a prazeres íntimos?
9. Já chegou a compreender a necessidade de eliminar os vícios?
10. Acha que poderá com o próprio esforço deles se libertar?
Ney Prieto Peres / Manual Prático do Espírita

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
JulianoCarvalho29
 
No mundo tereis aflição
No mundo tereis afliçãoNo mundo tereis aflição
No mundo tereis aflição
Graça Maciel
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
Marilice Passos
 
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosEvangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Antonino Silva
 
O Livro dos Espíritos
O Livro dos EspíritosO Livro dos Espíritos
O Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
Antonino Silva
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
igmateus
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
Eduardo Ottonelli Pithan
 
O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
Silvânio Barcelos
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
Norberto Tomasini Jr
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
Ponte de Luz ASEC
 
Aula Perfeição Moral
Aula  Perfeição MoralAula  Perfeição Moral
Aula Perfeição Moral
Ceile Bernardo
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
Izabel Cristina Fonseca
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaMaria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Fábio Paiva
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
Eduardo Ottonelli Pithan
 
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
Mauro Santos
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
Anderson Dias
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Divulgador do Espiritismo
 

Mais procurados (20)

Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor Cap. 11   itens 8 a 10 - a lei de amor
Cap. 11 itens 8 a 10 - a lei de amor
 
No mundo tereis aflição
No mundo tereis afliçãoNo mundo tereis aflição
No mundo tereis aflição
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios OcultosEvangeliza - Infortúnios Ocultos
Evangeliza - Infortúnios Ocultos
 
O Livro dos Espíritos
O Livro dos EspíritosO Livro dos Espíritos
O Livro dos Espíritos
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
 
Justiça das Aflições
Justiça das AfliçõesJustiça das Aflições
Justiça das Aflições
 
Casamento na ótica espirita
Casamento na ótica espiritaCasamento na ótica espirita
Casamento na ótica espirita
 
O cristo consolador
O cristo consoladorO cristo consolador
O cristo consolador
 
A lei de amor ppt
A lei de amor pptA lei de amor ppt
A lei de amor ppt
 
Trabalhador espírita
Trabalhador espíritaTrabalhador espírita
Trabalhador espírita
 
O bem e o mal
O bem e o malO bem e o mal
O bem e o mal
 
Aula Perfeição Moral
Aula  Perfeição MoralAula  Perfeição Moral
Aula Perfeição Moral
 
Cuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espíritoCuidar do corpo e do espírito
Cuidar do corpo e do espírito
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espíritaMaria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
Maria, Mãe de Jesus - um olhar espírita
 
Bem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiososBem aventurados os que são misericordiosos
Bem aventurados os que são misericordiosos
 
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDESPALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
PALESTRA - RENOVANDO ATITUDES
 
Fora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvaçãoFora da caridade não há salvação
Fora da caridade não há salvação
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
 

Destaque

10 истор атлас_пособ_всемирн_укр
10 истор атлас_пособ_всемирн_укр10 истор атлас_пособ_всемирн_укр
10 истор атлас_пособ_всемирн_укр
Aira_Roo
 
Contigo en la distancia
Contigo en la distanciaContigo en la distancia
Contigo en la distancia
Mireia Corachán Latorre
 
Outdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius Minimus
Outdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius MinimusOutdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius Minimus
Outdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius Minimus
Lebendiges Trinkwasser
 
Reunió inici de curs 16-17
Reunió inici de curs 16-17Reunió inici de curs 16-17
Reunió inici de curs 16-17
Maribel Pocovi Mas
 
Actividades Asociación Vecinos Arroyoculebro
Actividades Asociación Vecinos ArroyoculebroActividades Asociación Vecinos Arroyoculebro
Actividades Asociación Vecinos Arroyoculebro
Dinamo Educación Deportes y Viajes SL
 
Draft Inspection Matrix.Rev.03
Draft Inspection Matrix.Rev.03Draft Inspection Matrix.Rev.03
Draft Inspection Matrix.Rev.03
Jose Agustin Gonzalez
 
10 - Java. Многопоточность в Java: основы
10 - Java. Многопоточность в Java: основы10 - Java. Многопоточность в Java: основы
10 - Java. Многопоточность в Java: основы
Roman Brovko
 
Tema 3 Experimentos de Mendel
Tema 3 Experimentos de MendelTema 3 Experimentos de Mendel
Tema 3 Experimentos de Mendel
Rocío Guerrero Rodríguez
 
Jesus um homem extraordinario
Jesus um homem extraordinarioJesus um homem extraordinario
Jesus um homem extraordinario
Henrique Vieira
 
O culto dos mortos a luz do espiritismo
O culto dos mortos a luz do espiritismoO culto dos mortos a luz do espiritismo
O culto dos mortos a luz do espiritismo
Henrique Vieira
 
Desprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenosDesprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenos
Henrique Vieira
 
Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)
Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)
Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)
TING-HSUAN WANG
 
אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?
אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?
אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?
אור זלקוביץ - Urban Young
 
Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010
Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010
Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010
Darin Hitchings, Ph.D.
 
2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판
2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판
2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판
Minseok(Jacky) Cha
 
10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр
10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр
10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр
Aira_Roo
 

Destaque (16)

10 истор атлас_пособ_всемирн_укр
10 истор атлас_пособ_всемирн_укр10 истор атлас_пособ_всемирн_укр
10 истор атлас_пособ_всемирн_укр
 
Contigo en la distancia
Contigo en la distanciaContigo en la distancia
Contigo en la distancia
 
Outdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius Minimus
Outdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius MinimusOutdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius Minimus
Outdoor Wasserfilter mit der Osmoseanlage Aquarius Minimus
 
Reunió inici de curs 16-17
Reunió inici de curs 16-17Reunió inici de curs 16-17
Reunió inici de curs 16-17
 
Actividades Asociación Vecinos Arroyoculebro
Actividades Asociación Vecinos ArroyoculebroActividades Asociación Vecinos Arroyoculebro
Actividades Asociación Vecinos Arroyoculebro
 
Draft Inspection Matrix.Rev.03
Draft Inspection Matrix.Rev.03Draft Inspection Matrix.Rev.03
Draft Inspection Matrix.Rev.03
 
10 - Java. Многопоточность в Java: основы
10 - Java. Многопоточность в Java: основы10 - Java. Многопоточность в Java: основы
10 - Java. Многопоточность в Java: основы
 
Tema 3 Experimentos de Mendel
Tema 3 Experimentos de MendelTema 3 Experimentos de Mendel
Tema 3 Experimentos de Mendel
 
Jesus um homem extraordinario
Jesus um homem extraordinarioJesus um homem extraordinario
Jesus um homem extraordinario
 
O culto dos mortos a luz do espiritismo
O culto dos mortos a luz do espiritismoO culto dos mortos a luz do espiritismo
O culto dos mortos a luz do espiritismo
 
Desprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenosDesprendimento dos bens terrenos
Desprendimento dos bens terrenos
 
Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)
Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)
Pokemon的歷史 (The history of Pokemon)
 
אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?
אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?
אור זלקוביץ' - כיצד ניתן לבחור נציג לדיירים בפרויקט תמ"א 38?
 
Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010
Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010
Receding Horizon Stochastic Control Algorithms for Sensor Management ACC 2010
 
2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판
2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판
2016년 2분기 주요 정보보안 소식 차민석 20160815_공개판
 
10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр
10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр
10 истор мокрогуз_розумієнко_пособ_2012_укр
 

Semelhante a A virtude

Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20
Leonardo Pereira
 
Justiça das aflicoes
Justiça das aflicoesJustiça das aflicoes
Justiça das aflicoes
Henrique Vieira
 
Arrogância.pptx
Arrogância.pptxArrogância.pptx
Arrogância.pptx
M.R.L
 
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
Wagner Quadros
 
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptxFLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
ssuser9b8021
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
Henrique Vieira
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
Ceile Bernardo
 
Reforma íntima: uma abordagem espírita
Reforma íntima:   uma abordagem espíritaReforma íntima:   uma abordagem espírita
Reforma íntima: uma abordagem espírita
EmmanuelSales4
 
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Euzebio Raimundo da Silva
 
A alegria de servir
A alegria de servirA alegria de servir
A alegria de servir
Eduardo Manoel Araujo
 
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
Therezinha Dinelli
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
paikachambi
 
Vontade e Renovação.pptx
Vontade e Renovação.pptxVontade e Renovação.pptx
Vontade e Renovação.pptx
Echacara1
 
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
ComoosespritospodempenetrarnossospensamentosComoosespritospodempenetrarnossospensamentos
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
DeborahARodolfo
 
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos PensamentosComo Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Sergio Menezes
 
Verdadeiro Ensinamento 30abr2011
Verdadeiro Ensinamento  30abr2011Verdadeiro Ensinamento  30abr2011
Verdadeiro Ensinamento 30abr2011
Fraternidade Hilaríon de Monte Nebo
 
Influencia dos espíritos
Influencia dos espíritosInfluencia dos espíritos
Influencia dos espíritos
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
home
 
GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014
GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014
GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014
Sérgio Pitaki
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
Antonino Silva
 

Semelhante a A virtude (20)

Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20Estudos do evangelho 20
Estudos do evangelho 20
 
Justiça das aflicoes
Justiça das aflicoesJustiça das aflicoes
Justiça das aflicoes
 
Arrogância.pptx
Arrogância.pptxArrogância.pptx
Arrogância.pptx
 
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem13ª aula   da obsessão - conceitos e causas - coem
13ª aula da obsessão - conceitos e causas - coem
 
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptxFLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
FLAGELOS DESTRUIDORES.pptx
 
Bem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coraçãoBem aventurados os puros de coração
Bem aventurados os puros de coração
 
A Vontade
A VontadeA Vontade
A Vontade
 
Reforma íntima: uma abordagem espírita
Reforma íntima:   uma abordagem espíritaReforma íntima:   uma abordagem espírita
Reforma íntima: uma abordagem espírita
 
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
Influência dos espíritos em nossas vidas berimbau 2017
 
A alegria de servir
A alegria de servirA alegria de servir
A alegria de servir
 
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...Perfeição moral: as virtudes e os vícios  .                                  ...
Perfeição moral: as virtudes e os vícios . ...
 
Desobsessao
DesobsessaoDesobsessao
Desobsessao
 
Vontade e Renovação.pptx
Vontade e Renovação.pptxVontade e Renovação.pptx
Vontade e Renovação.pptx
 
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
ComoosespritospodempenetrarnossospensamentosComoosespritospodempenetrarnossospensamentos
Comoosespritospodempenetrarnossospensamentos
 
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos PensamentosComo Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
Como Os EspíRitos Podem Penetrar Nossos Pensamentos
 
Verdadeiro Ensinamento 30abr2011
Verdadeiro Ensinamento  30abr2011Verdadeiro Ensinamento  30abr2011
Verdadeiro Ensinamento 30abr2011
 
Influencia dos espíritos
Influencia dos espíritosInfluencia dos espíritos
Influencia dos espíritos
 
Da encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos EspíritosDa encarnação dos Espíritos
Da encarnação dos Espíritos
 
GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014
GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014
GRALHA AZUL No. 48 - JULHO - 2014
 
Evangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do ProgressoEvangeliza - Lei do Progresso
Evangeliza - Lei do Progresso
 

Último

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 

Último (14)

16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 

A virtude

  • 1. Henrique Vieira Centro Espírita Luz Eterna 31-08-2016
  • 2. virtude | s. f. | s. f. pl. vir·tu·de (latim virtus, -utis) substantivo feminino 1. Disposição constante do espírito que nos induz a exercer o bem e evitar o mal. 2. O conjunto de todas ou qualquer das boas qualidades morais. 3. Acção virtuosa. 4. Austeridade no viver. 5. Castidade, pudicícia. 6. Qualidade própria para produzir certos e determinados resultados. 7. Propriedade, eficácia. 8. Validade, força, vigor. http://www.priberam.pt/dlpo/virtude Definição de virtude
  • 3. Platão, discípulo de Sócrates Platão e a virtude (428/427 a.C.-348/347 a.C.) Prudência Fortaleza Temperança Serenidade, autodomínio Ordena os nossos pensamentos Justiça Ordena e harmonizaSubordina o prazer ao dever Platão / A República
  • 4. Fé Esperança Caridade É a expectação de algo de superior e perfeito. A Esperança não é o produto de nossa vontade, mas de uma espontaneidade, cujas raízes nos escapam, porque não é ela genuinamente uma manifestação do homem, mas algo que se manifesta pelo homem, porque não encontramos na estrutura de nossa vida biológica, nem da nossa vida intelectual, uma razão que a explique. É a mãe de todas as virtudes como dizem os antigos, e diziam-no com razão: é a raiz de todas as virtudes, porque ela é a bondade suprema para consigo mesmo, para com os outros, para com o Ser Infinito. http://www.sergiobiagigregorio.com.br/filosofia/virtude-e-as-virtudes.htm É o assentimento do intelecto que crê, com constância e certeza, em alguma coisa. A prudência, a fortaleza, a justiça e a moderação podem ser adquiridas. Virtudes teologais
  • 6. • A polidez • A fidelidade • A prudência - virtude cardeal • A temperança – virtude cardeal • A coragem – virtude cardeal • A justiça – virtude cardeal • A generosidade • A compaixão • A misericórdia • A gratidão • A humildade • A simplicidade • A tolerância • A pureza • A doçura • A boa-fé • O humor • O amor André Comte-Sponville / Pequeno Tratado das Grandes Virtudes A virtude na visão da filosofia
  • 7. “893. Qual a mais meritória de todas as virtudes? — Todas as virtudes têm seu mérito, porque todas são indícios de progresso no caminho do bem. Há virtude sempre que há resistência voluntária ao arrastamento das tendências; mas a sublimidade da virtude consiste no sacrifício do interesse pessoal para o bem do próximo, sem segunda intenção. A mais meritória é aquela que se baseia na caridade mais desinteressada.” “913. Entre os vícios, qual o que podemos considerar mais radical? Já o dissemos muitas vezes; o egoísmo. Dele deriva todo do mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos existe o egoísmo. Por mais que luteis contra eles não chegareis a extirpá-los enquanto não os atacardes pela raiz, enquanto não lhes houverdes destruído a causa. Que todos os vossos esforços tendam para esse fim, porque nele se encontra a verdadeira chaga da sociedade.” Allan Kardec / O Livro dos Espíritos As virtudes e os vícios na visão espírita
  • 8. Causas dos vícios “Condicionamentos passados fortemente fixados nos tecidos sutis do Espírito ressurgem como incontidas impulsões, que se transformam em vigorosos senhores dos que lhes padecem a injunção.” Divaldo Pereira Franco / Leis Morais da Vida “Procedentes do pretérito espiritual, fazem-se dilaceração da alma desde cedo, quando o processo da reencarnação se consuma…” “Constituem imperiosos tormentos que aparecem reiteradamente, dominam e destroem os seus êmulos.” “Formam as paisagens lôbregas do mundo moral da criatura humana.”
  • 9. “459. Influem os Espíritos em nossos pensamentos e em nossos atos? Muito mais do que imaginais. Influem a tal ponto, que, de ordinário, são eles que vos dirigem.” “460. De par com os pensamentos que nos são próprios, outros haverá que nos sejam sugeridos? “Vossa alma é um Espírito que pensa. Não ignorais que, frequentemente, muitos pensamentos vos acodem a um tempo sobre o mesmo assunto, não raro, contrários uns dos outros. Pois bem! No conjunto deles, estão sempre de mistura os vossos com os nossos. Daí a incerteza em que vos vedes. É que tendes em vós duas ideias a se combaterem.” Allan Kardec / O Livro dos Espíritos A influência dos Espíritos
  • 10. A importância do pensamento “Os pensamentos que se originam no ser espiritual, à medida que se transferem para as áreas da sensação, da emoção e da ação, imprimem os seus conteúdos nas (…) células de energia que os executam na forma física, estabelecendo os resultados conforme a qualidade da onda mental.” “Graças ao teor vibratório de cada emissão pensante, a carga estimula a consciência celular que se sente mais fortalecida, gerando saúde, ou se desarmoniza, produzindo doença. Mesmo que venha a desestruturar-se a célula física, no processo de desorganização liberta a de natureza energética que influenciará os futuros mecanismos de equilíbrio ou de desajustes do ser humano.” Divaldo Pereira Franco / Dias Gloriosos
  • 11. O pensamento e a companhia espiritual “…o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa. (…) Desse modo é que os mais secretos movimentos da alma repercutem no envoltório fluídico; que uma alma pode ler noutra alma como num livro e ver o que não é perceptível aos olhos do corpo.” Allan Kardec / A Génese “Os fluidos espirituais, que constituem um dos estados do fluido cósmico universal, são, a bem dizer, a atmosfera dos seres espirituais; o elemento donde eles tiram os materiais sobre que operam (…) Os Espíritos atuam sobre os fluidos espirituais, não manipulando-os como os homens manipulam os gases, mas empregando o pensamento e a vontade. Para os Espíritos, o pensamento e a vontade são o que é a mão para o homem.”
  • 12. A obsessão “Chama-se obsessão à ação persistente que um Espírito mau exerce sobre um indivíduo. Apresenta caracteres muito diferentes, que vão desde a simples influência moral, sem perceptíveis sinais exteriores, até a perturbação completa do organismo e das faculdades mentais.” “Assim como as enfermidades resultam das imperfeições físicas que tornam o corpo acessível às perniciosas influências exteriores, a obsessão decorre sempre de uma imperfeição moral, que dá ascendência a um Espírito mau, A uma causa física, opõe-se uma força física; a uma causa moral preciso é se contraponha uma força moral. Para preservá-lo das enfermidades, fortifica-se o corpo; para garanti-la contra a obsessão, tem-se que fortalecer a alma; donde, para o obsidiado, a necessidade de trabalhar por se melhorar a si próprio, o que as mais das vezes basta para livrá-lo do obsessor, sem o socorro de terceiros.” Allan Kardec / A Génese
  • 13. A dúvida de Pedro “- Senhor! Como vencer aqueles que nos prejudicaram e ainda nos perturbam? Como suportar os adversários, que se multiplicam como erva má, que de nada necessita para medrar?” “- Simão (…) os verdadeiros adversários do homem não se encontram fora dele, porém em seu mundo íntimo, perseguindo e inquietando-o sem termo (…) - Há três inimigos ferozes no imo do ser humano, que respondem por todas as misérias que assolam a sociedade, dilacerando os tecidos subtis da alma. Trata-se do egoísmo, do orgulho e da ignorância.” Divaldo Pereira Franco, Dias Venturosos
  • 14. “A virtude, no mais alto grau, é o conjunto de todas as qualidades essenciais que constituem o homem de bem. Ser bom, laborioso, sóbrio, modesto, são qualidades do homem virtuoso. Infelizmente, quase sempre as acompanham pequenas enfermidades morais que as desornam e atenuam.” “Não é virtuoso aquele que faz ostentação da sua virtude, pois que lhe falta a qualidade principal: a modéstia, e tem o vício que mais se lhe opõe: o orgulho.” “A virtude, verdadeiramente digna desse nome, não gosta de estadear- se.” “Que direi daquele cujo único valor consiste em parecer o que não é? Mais vale pouca virtude com modéstia, do que muita com orgulho.” Allan Kardec / O Evangelho Segundo o Espiritismo As qualidades da virtude
  • 15. “A caridade é, em todos os mundos, a eterna âncora de salvação; é a mais pura emanação do próprio Criador; é a sua própria virtude, dada por ele à criatura. Como desprezar essa bondade suprema? Qual o coração, disso ciente, bastante perverso para recalcar em si e expulsar esse sentimento todo divino? Qual o filho bastante mau para se rebelar contra essa doce carícia: a caridade?” Allan Kardec / O Evangelho Segundo o Espiritismo A virtude da caridade
  • 16. Convites de Jesus Divaldo Pereira Franco / Convites da vida • Ao amor • Ao bem • À calma • À compaixão • À coragem • Ao desprendimento • Ao evangelho • À fé • À gratidão • À oração • Ao perdão • À prudência • À caridade
  • 18. Avaliação pessoal de vícios 1. Sente-se irresistivelmente condicionado a algum vício? 2. Sofre as consequências maléficas que os mesmos provocam? 3. Já tentou libertar-se voluntariamente de algum desses vícios? 4. Analise como começou neles e conclua: Por livre desejo? Por sugestão de alguém? 5. Quando tentado a experimentar algum dos vícios sociais, cede facilmente? 6. Percebe, por vezes a sua imaginação articulando sensações que o satisfazem ao alimentá-las? 7. Já pensou que esse tipo de imaginação nos predispõe a cometê-las? 8. Tem dificuldades em afastar da mente os devaneios e os pensamentos ligados a prazeres íntimos? 9. Já chegou a compreender a necessidade de eliminar os vícios? 10. Acha que poderá com o próprio esforço deles se libertar? Ney Prieto Peres / Manual Prático do Espírita

Notas do Editor

  1. Virtude é um conceito que remete para a conduta do ser humano, quando existe uma adaptação perfeita entre os princípios morais e a vontade humana. Virtude é uma qualidade moral, um atributo positivo de um indivíduo. Virtude é a disposição de um indivíduo de praticar o bem; e não é apenas uma característica, trata-se de uma verdadeira inclinação, virtudes são todos os hábitos constantes que levam o homem para o caminho do bem. Há diferentes usos do termo, e existem vários exemplos de virtude, que estão relacionados com a força,paciência, coragem, o poder de agir, a eficácia de um ou a integridade da mente. Há virtudes intelectuais, que são ligadas à inteligência e as virtudes morais, que são relacionadas com o bem. A virtude intelectual consiste na capacidade de aprender com o diálogo e a reflexão em busca do verdadeiro conhecimento. A virtude moral, por sua vez, é a ação ou comportamento moral, é o hábito que é considerado bom de acordo com a ética. Saiba mais sobre o conceito de ética. Em geral, na linguagem cotidiana, a palavra virtude é usada para nomear as qualidades gerais de uma pessoa.