SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ
Disciplina: FILOSOFIA
ProfªMariaCléliaPintoCoelho
UNIDADE I
MITOE RAZÃO (1)
Filosofia
I - A Passagem do Mito à Razão: Os primeiros pensadores
(Pré-socráticos).
 Resolvido o problema do nascimento da Filosofia, os
estudiosos buscamresolver outra questão:
Filosofia
A Filosofia nasceu realizando uma transformação gradual
nos MITOSgregos?
Ou
A Filosofia nasceu por uma ruptura radical com os
MITOS?
Filosofia
Todos os seres humanos sentem necessidade de “ler” o
mundo e, diante dessa necessidade, os gregos se
utilizavam dos MITOS como instrumentos de ‘leitura’
ou de interpretação do mundo.
Podemos dizer que o MITO é a primeira forma de
interpretação do real.
Filosofia
MITO = é uma narrativa sobre a origem de alguma coisa (astros,
homens,animais,fogo...).
A palavra MITOvemdo grego, MYTHOS(contar, narrar,
conversar).
Para os gregos, MITO é um discurso pronunciado ou proferido
para ouvintes que recebem a narrativa como verdadeira porque
confiamnaquele que narra.
Filosofia
MYTHOS (Mitos)é umapalavra grega que vemde dois verbos:
 MYTHEYO(contar, narrar, falar algumacoisapara outros) e;
 MYTHEO (anunciar, nomear, designar), para os gregos.
• Ou seja: discursoproferidocomonarrativaverdadeira, pronunciadopor
narrador(poeta) que testemunhouos fatos que narra ou recebeua
narrativade quemtestemunhouos acontecimentos narrados (inspiração
das musas).
Filosofia
Sendo assim, quemnarra o MITO? O POETA
Acredita-se que o POETAé umescolhidodosdeuses.
Sua palavra – o MITO - é sagrada porque vem de uma
revelaçãodivina.
Filosofia
 O MITOé, pois, incontestável e inquestionável.
Atualmente, afirma-seque:
A FILOSOFIA, percebendo as contradições e limitações dos MITOS, foi
reformulandoe racionalizandoas narrativasmíticas,transformando-
as numaoutracoisa,numaexplicaçãointeiramentenovae diferente.
Filosofia
Diferenças entre MITOe FILOSOFIA:
1° Diferença:
Mito: é a narraçãodas coisascomoeramno passado imemorial;
Filosofia: se preocupa em explicar como e porque (no passado,
no presentee no futuro), as coisas são comosão.
Filosofia
2° Diferença:
Mito: é a narração das forças divinas sobrenaturais (origem dos
seres – celestes, terrestres e marinhos - por intermédio dos
deuses);
Filosofia: explica o surgimento das coisas por elementos
naturais (ex: céu, mar, terra).
Filosofia
3° Diferença:
Mito: não se importava com contradições. O narrador
erasempreconfiável. Imagemdivina;
Filosofia: não admite contradições. Exige explicações
coerentes, lógicas e racionais.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a A passagem: do Mito à Razão em Filosofia.ppt

Semelhante a A passagem: do Mito à Razão em Filosofia.ppt (20)

Apostila Filosofia
Apostila FilosofiaApostila Filosofia
Apostila Filosofia
 
Apostila filosofia
Apostila filosofiaApostila filosofia
Apostila filosofia
 
Mito e filosofia_1_
Mito e filosofia_1_Mito e filosofia_1_
Mito e filosofia_1_
 
FILOSOFIA_GERAL_OPTATIVA.ppt
FILOSOFIA_GERAL_OPTATIVA.pptFILOSOFIA_GERAL_OPTATIVA.ppt
FILOSOFIA_GERAL_OPTATIVA.ppt
 
Filosofia Unidade 1
Filosofia Unidade 1Filosofia Unidade 1
Filosofia Unidade 1
 
Mito e filosofia
Mito e filosofiaMito e filosofia
Mito e filosofia
 
2 cap.13
2 cap.132 cap.13
2 cap.13
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 
Os mitos
Os mitosOs mitos
Os mitos
 
Webaula 2
Webaula 2Webaula 2
Webaula 2
 
REVISÃO FILOSOFIA PARA 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO.pdf
REVISÃO FILOSOFIA PARA 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO.pdfREVISÃO FILOSOFIA PARA 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO.pdf
REVISÃO FILOSOFIA PARA 1ª SÉRIE ENSINO MÉDIO.pdf
 
1 apostila-filosofia go ok
1 apostila-filosofia go ok1 apostila-filosofia go ok
1 apostila-filosofia go ok
 
Aula 2 - Origens da Filosofia
Aula 2 - Origens da FilosofiaAula 2 - Origens da Filosofia
Aula 2 - Origens da Filosofia
 
Mitologia e Filosofia - diferenças
Mitologia e Filosofia - diferençasMitologia e Filosofia - diferenças
Mitologia e Filosofia - diferenças
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
FILOSOFIA 1°ANO GRECIA.ppt
FILOSOFIA 1°ANO GRECIA.pptFILOSOFIA 1°ANO GRECIA.ppt
FILOSOFIA 1°ANO GRECIA.ppt
 
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdfPASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
PASSAGEM DO MITO AO LOGOS 1º ANO-combinado.pdf
 
Aula 01 mitologia e filosofia
Aula 01   mitologia e filosofiaAula 01   mitologia e filosofia
Aula 01 mitologia e filosofia
 
AULA-MITO.ppt
AULA-MITO.pptAULA-MITO.ppt
AULA-MITO.ppt
 

Mais de Fabi294142

Historia da Psicologia_FilipedeSouza.pptx
Historia da Psicologia_FilipedeSouza.pptxHistoria da Psicologia_FilipedeSouza.pptx
Historia da Psicologia_FilipedeSouza.pptxFabi294142
 
O-capitalismo-geopolítica-mundial-.ppt
O-capitalismo-geopolítica-mundial-.pptO-capitalismo-geopolítica-mundial-.ppt
O-capitalismo-geopolítica-mundial-.pptFabi294142
 
atividades asia.docx
atividades asia.docxatividades asia.docx
atividades asia.docxFabi294142
 
atividades asia.docx
atividades asia.docxatividades asia.docx
atividades asia.docxFabi294142
 
atividades asia.docx
atividades asia.docxatividades asia.docx
atividades asia.docxFabi294142
 
cartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.ppt
cartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.pptcartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.ppt
cartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.pptFabi294142
 
EnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdf
EnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdfEnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdf
EnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdfFabi294142
 
ATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docx
ATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docxATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docx
ATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docxFabi294142
 
ATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdf
ATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdfATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdf
ATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdfFabi294142
 

Mais de Fabi294142 (9)

Historia da Psicologia_FilipedeSouza.pptx
Historia da Psicologia_FilipedeSouza.pptxHistoria da Psicologia_FilipedeSouza.pptx
Historia da Psicologia_FilipedeSouza.pptx
 
O-capitalismo-geopolítica-mundial-.ppt
O-capitalismo-geopolítica-mundial-.pptO-capitalismo-geopolítica-mundial-.ppt
O-capitalismo-geopolítica-mundial-.ppt
 
atividades asia.docx
atividades asia.docxatividades asia.docx
atividades asia.docx
 
atividades asia.docx
atividades asia.docxatividades asia.docx
atividades asia.docx
 
atividades asia.docx
atividades asia.docxatividades asia.docx
atividades asia.docx
 
cartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.ppt
cartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.pptcartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.ppt
cartografia-orientaoelocalizao-090322155400-phpapp01.ppt
 
EnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdf
EnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdfEnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdf
EnsFundII Resumo aula 1 8 ANO.pdf
 
ATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docx
ATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docxATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docx
ATIVIDADES GUERRA FRIA E ORDEM BIPOLAR.docx
 
ATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdf
ATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdfATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdf
ATIVIDADES ORDEM BIPOLAR.pdf
 

Último

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfemeio123
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfrarakey779
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-carloseduardogonalve36
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfrarakey779
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfssuserbb4ac2
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosbiancaborges0906
 

Último (20)

Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
Os Tempos Verbais em Inglês-tempos -dos-
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 

A passagem: do Mito à Razão em Filosofia.ppt

  • 1. UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ Disciplina: FILOSOFIA ProfªMariaCléliaPintoCoelho UNIDADE I MITOE RAZÃO (1)
  • 2. Filosofia I - A Passagem do Mito à Razão: Os primeiros pensadores (Pré-socráticos).  Resolvido o problema do nascimento da Filosofia, os estudiosos buscamresolver outra questão:
  • 3. Filosofia A Filosofia nasceu realizando uma transformação gradual nos MITOSgregos? Ou A Filosofia nasceu por uma ruptura radical com os MITOS?
  • 4. Filosofia Todos os seres humanos sentem necessidade de “ler” o mundo e, diante dessa necessidade, os gregos se utilizavam dos MITOS como instrumentos de ‘leitura’ ou de interpretação do mundo. Podemos dizer que o MITO é a primeira forma de interpretação do real.
  • 5. Filosofia MITO = é uma narrativa sobre a origem de alguma coisa (astros, homens,animais,fogo...). A palavra MITOvemdo grego, MYTHOS(contar, narrar, conversar). Para os gregos, MITO é um discurso pronunciado ou proferido para ouvintes que recebem a narrativa como verdadeira porque confiamnaquele que narra.
  • 6. Filosofia MYTHOS (Mitos)é umapalavra grega que vemde dois verbos:  MYTHEYO(contar, narrar, falar algumacoisapara outros) e;  MYTHEO (anunciar, nomear, designar), para os gregos. • Ou seja: discursoproferidocomonarrativaverdadeira, pronunciadopor narrador(poeta) que testemunhouos fatos que narra ou recebeua narrativade quemtestemunhouos acontecimentos narrados (inspiração das musas).
  • 7. Filosofia Sendo assim, quemnarra o MITO? O POETA Acredita-se que o POETAé umescolhidodosdeuses. Sua palavra – o MITO - é sagrada porque vem de uma revelaçãodivina.
  • 8. Filosofia  O MITOé, pois, incontestável e inquestionável. Atualmente, afirma-seque: A FILOSOFIA, percebendo as contradições e limitações dos MITOS, foi reformulandoe racionalizandoas narrativasmíticas,transformando- as numaoutracoisa,numaexplicaçãointeiramentenovae diferente.
  • 9. Filosofia Diferenças entre MITOe FILOSOFIA: 1° Diferença: Mito: é a narraçãodas coisascomoeramno passado imemorial; Filosofia: se preocupa em explicar como e porque (no passado, no presentee no futuro), as coisas são comosão.
  • 10. Filosofia 2° Diferença: Mito: é a narração das forças divinas sobrenaturais (origem dos seres – celestes, terrestres e marinhos - por intermédio dos deuses); Filosofia: explica o surgimento das coisas por elementos naturais (ex: céu, mar, terra).
  • 11. Filosofia 3° Diferença: Mito: não se importava com contradições. O narrador erasempreconfiável. Imagemdivina; Filosofia: não admite contradições. Exige explicações coerentes, lógicas e racionais.