SlideShare uma empresa Scribd logo
Conheça o
   ESPIRITISMO,
UMA NOVA ERA PARA A
    HUMANIDADE


    Fonte:FEDERAÇAO ESPIRITA BRASILEIRA
DEUS,INTELIGÊNCIA
     SUPREMA,
CAUSA PRIMEIRA DE
 TODAS AS COISAS
JESUS,
O GUIA E
MODELO
KARDEC,
   A BASE
FUNDAMENTAL
Espiritismo
  Cristão?
O espiritismo, de um modo geral, fundamenta-se
nos seguintes pontos:

o homem é um espírito temporariamente ligado a
um corpo;

a alma é o espírito enquanto se encontra ligado ao
corpo;

o espírito, compreendido como individualidade
inteligente da Criação, é imortal;

a reencarnação é o processo natural de
aperfeiçoamento dos espíritos;
   os espíritos encarnados ("vivos") e os espíritos
    desencarnados ("mortos") podem se comunicar
    entre si através da mediunidade;

   Pluralidade dos Mundos Habitados, a Terra não
    é o único planeta com vida inteligente.

   Lei de Causa-Efeito, ligada à reencarnação, esta
    lei define que recebemos na medida do que
    demos (bom e mau) em existências passadas ou
    nesta existência.
História
   A Doutrina Espírita é uma corrente de
    pensamento - nascida em meados do
    século XIX - que se estruturou a partir de
    diálogos estabelecidos entre o pedagogo
    francês Hippolyte Léon Denizard Rivail e o
    que ele e muitos pesquisadores da época
    concluíram tratarem-se de espíritos de
    pessoas falecidas (desencarnados), a
    manifestar-se através de diversos médiuns
    .
Allan Kardec
   (1804-1869), o codificador da Doutrina
    Espírita.
LITERATURA
   BÁSICA
   O Livro dos Espíritos (Le Livre des Esprits) é o
    primeiro livro sobre a doutrina espírita publicado
    pelo educador francês Denizard Rivail, em
    18 de abril de 1857, sob o pseudônimo
    Allan Kardec. É uma obra básica do espiritismo,
    e foi lançado por Kardec após seus estudos
    sobre os fenômenos, segundo muitos
    pesquisadores da época, de origem mediúnica,
    que se difundiram por toda a Europa durante o
    século XIX.
 Apresenta-se na forma de perguntas,
  dirigidas ao que Kardec defendia serem
  espíritos, e respostas, totalizando 1.019
  tópicos. Foi o primeiro de uma série de
  cinco livros editados pelo pedagodo sobre
  o mesmo tema.
 A 1 de maio de 1864 a Igreja Romana
  coloca a obra no Index - o catálogo das
  obras cuja leitura é vedada aos seus fiéis
 1. Que é Deus?
 “Deus é a inteligência suprema, causa
  primária de todas as coisas.”1 (Vide Nota
  Especial nº 1, da Editora (FEB), à pág.
  604.)
 2. Que se deve entender por infinito?
  “O que não tem começo nem fim: o
  desconhecido; tudo o que é desconhecido
  é infinito.”
    50. A espécie humana começou por um
     único homem?
    “Não; aquele a quem chamais Adão não foi
     o primeiro, nem o único a povoar a Terra.”
  55. São habitados todos os globos que se movem no
  espaço?
   “Sim e o homem terreno está longe de ser, como supõe,
  o primeiro em inteligência, em bondade e em perfeição.
   Entretanto, há homens que se têm por espíritos muito
fortes e que imaginam pertencer a este pequenino globo o
    privilégio de conter seres racionais. Orgulho e vaidade!
      Julgam que só para eles criou Deus o Universo.”
O "Kardec Brasileiro"

   Expoente do Espiritismo no Brasil, Adolfo
    Bezerra de Menezes Cavalcanti
    nasceu em Riacho do Sangue (atual
    Solonópole), Ceará, Brasil, em
    29 de agosto de 1831, e morreu a
    11 de abril de 1900, no Rio de Janeiro
As Várias Divisões Do Espiritismo
                No Brasil
   A) Espiritismo Comum: Caracteriza-se pela utilização de
    práticas “sociais”, sem os elementos comuns às sessões
    mediunicas ou de terreiros. Algumas das sua divisões
    são:
   1 - Astrologia: “arte ou ciência” de predizer o futuro
    humano pôr meio dos astros. Sua maior criação é o
    popularissimo horóscopo.
   2 - Cartomancia: adivinhação pelas cartas de jogar.
   3 - Quiromancia: adivinhação pelo estudo das linhas da
    mão
   4 - Quiromancia: adivinhação por intermédio da água.
   B) Baixo Espiritismo: Teve suas origens
    nas crenças trazidas da África pelos
    escravos associados às crenças indígenas,
    católicas-romanas e kardecistas.
    Caracteriza-se pelos rituais compostos de
    músicas e danças, uso de amuletos e
    bebidas além de sacrifícios de animais.
    Segue algumas divisões:
   1 - Vodu: culto praticado na Antilhas, ilhas do Pacífico,
    principalmente no Haiti.
   2 - Candomblé: Este culto de origem africana tem como
    suas principais divindades, Oxum, Iemanjá e Ogum.
   3 - Quimbanda: Conhecida também como magia negra.
    Nada mais é do que uma variante da umbanda. É a linha
    que mais trabalhas com os exus. A quimbanda pode ser
    entendida como o inverso da umbanda.
   4 - Umbanda: É tradicionalmente brasileira, pois não é
    totalmente africana, nem européia, sendo um produto
    sincrético.
   5 - Catimbó: Ele corresponde à pajelança amazônica
    mas é diferente dos candomblés da Bahia e da umbanda
    do Rio de Janeiro.
   6 - Cultura Racional: Nasceu dentro de um centro de
    Umbanda no Rio de Janeiro tentando dar um lado
    cientifico para a umbanda.
   C) Espiritismo Cientifico: Também
    chamado de “Espiritualismo” , divide-se
    em vários ramos, apresentando-se como
    “sociedade” ou “entidades” beneficente,
    cientificas, filosóficas, que apelam ora
    para o intelectual ora para o espiritual.
    Entre outras destacamos as seguintes:
   1 - L.B.V: Legião da Boa Vontade, voltada para
    assistência social, mantém atualmente creches,
    asilos, orfanatos, escolas, programas de TV e
    rádio.
   2 - Rosa-Cruz: Sociedade secreta semelhante a
    maçonaria.
   3 - Maçonaria: Sociedade secreta baseada na
    cabala, astrologia, numerologia etc.
   4 - Teosofia: Conjunto de doutrinas religioso-
    filosóficas, cujo lema principal é a união do
    homem com a divindade.
   5 - Movimento Cristão Gnóstico Universal:
    Movimento baseado no conhecimento espiritual
    e filosófico que procura elevar o homem a
    divindade.
   6 - Esoterismo: Doutrina ou atitude de espírito
    que frisa que o ensinamento da verdade deve
    reservar-se aos iniciados, escolhidos por sua
    inteligência e valor moral..
   7 - Pró-Vida: Movimento responsável pela maior
    divulgação das idéias da Nova Era no Brasil.
   8 - Eubiose: Movimento baseado no
    conhecimento filosófico-religioso que também
    procura elevar o homem a sua divindade.
   D) Espiritismo Kardecista: Esta baseado
    nas revelações de Alan Kardec. É a classe
    de espiritismo que mais cresce no nosso
    país. Também conhecido como “Alto
    Espiritismo”. Movimento baseado nas
    doutrinas principais que são:
    reencarnação, comunicação com os
    mortos e salvação pelas boas obras. O
    Kardecismo também está dividido em
    várias tendências:
   1 - Tendência ortodoxa: É o Kardecismo mais
    puro, exclusivo que não permite ulterior
    desenvolvimento, nem tolera a presença de
    outro espiritismo.
   2 - Tendência Rusteinista: João Batista
    Roustaing discípulo de Alan Kardec que recebeu
    uma mensagem assinada pôr “Mateus, Marcos,
    Lucas e João, assistidos pelos”, na qual os
    quatro evangelistas se prontificavam a dar a
    “Revelação da Revelação”, que deu origem a sua
    famosa obra “Os Quatro Evangelhos””.
   3 - Tendência Ubaldista: Pietro Ubaldi desde
    muito cedo começou a ouvir uma voz. Esta
    misteriosa “voz” lhe ditou os seguintes livros: “A
    Grande Síntese”, “As Noúres”, “Ascese Mística”,
    “História de um Homem”, “A Nova Civilização do
    Terceiro Milênio”, “Deus e o Universo” etc.
   4 - Racionalismo Cristão: A reação mais violenta
    dentro do Espiritismo Kardecista surgiu em 1910
    com o Sr. Luiz de Mattos que deu um lado
    cientifico e racional das comunicações com o
    “mundo astral”.
Por que O Espiritismo Se Expande
         Tanto No Brasil
 a) “Você é um médium: precisa
  desenvolver sua mediunidade”.
 b) A Saudade dos parentes falecidos.
 c) Fachada cristã.
 d) Religião mais cômoda.
 f) As promessas de cura.
 g) Curiosidade.
 h) Propaganda espírita.
EXISTEM 20 MILHOES DE
 ESPIRÍTAS NO BRASIL,
  FORA OS QUE TÊM O
 ESPIRITISMO COMO 2a.
       RELIGIÀO.
OS ESPIRÍTAS TEM
 RENDA FAMILIAR
150% SUPERIOR A
 MEDIA NACIONAL
77% DOS ESPIRÍTAS TÊM
 ENTRE OITO E 15 ANOS
 DE ESTUDO, EM MÉDIA
  DEZ ANOS A MAIS QUE
     OS CATÓLICOS.
ORKUT – 366
  COMUNIDADES
183.546 MEMBROS
MÍDIA
   GHOST
ALMA  GÊMEA
 O PROFETA
LINHA DIRETA
  A VIAGEM
CLÉO PIRES, FABIO JUNIOR
         GUGA,
  NILTON PETRONE(FILÉ)
   RAICA ( TOP MODEL)
O espiritismo fala em
  “evangelizar”, em “consciência
 cristã”, em “espiritismo cristão”.
Para sabermos se o espiritismo é
 ou não cristão, nada melhor do
que fazermos o confronto de suas
doutrinas com as do cristianismo.
A   Divindade de Jesus
               O que ensina o cristianismo:

   “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com
    Deus, e o Verbo era Deus. O Verbo se fez carne, e
    habitou entre nós”
   (Jo 1.1,14).

   “Quem me vê a mim, vê o Pai” (Jo 14.9; cf. Jo
    8.19).

   “Eu e o Pai somos um. Sendo homem, te fazes
    Deus a ti mesmo” (Jo 10.30-33).
A Divindade de Jesus
   “Em verdade, em verdade eu vos digo:
    Antes que Abraão existisse, Eu Sou” (Jo
    8.58).

    “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu
    és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt
    16.16; cf Mt 14.33; Lc 1.35; Jo 1.49).
A Divindade de Jesus
   O título `O Filho de Deus´, não recusado
    por Jesus, designa uma relação eterna
    entre o Filho e o Pai na Deidade. O Verbo,
    isto é, o Filho, estava com Deus no
    princípio e era Deus. “Ele é considerado
    `Filho´, não porque em certo tempo
    começou a derivar ser do Pai (em tal caso,
    Ele não poderia ser coeterno com o Pai),
    mas porque Ele é e sempre foi a
    expressão do que o Pai é (cf. Jo 14.9).
   As palavras em Hebreus 1.3: `O qual
    [Jesus], sendo o resplendor da sua glória
    [de Deus], e a expressa imagem da sua
    pessoa [de Deus], são definições do que
    significa Filho de Deus” (Notes on
    Galatians, de Hogg e Vine, pp.99,100,
    citado pelo Dicionário VINE).
O que ensina o espiritismo:
“Esta passagem dos Evangelhos [Jo 1.1,14] é a
única que, à primeira vista, parece encerrar
implicitamente uma idéia de identificação entre
Deus e a pessoa de Jesus. Não exprimem senão
uma opinião pessoal [de João]. Jesus pode,
pois, estar encarregado de transmitir a palavra
de Deus sem ser Deus” (Obras Póstumas, Alan
Kardec, 1993, 1a edição, p. 145 e 146).
A Ressurreição de Jesus

    O que ensina o cristianismo:
“Mas, depois de eu ressuscitar, irei adiante
    de vós para a Galiléia” (Mt 26.32; Mc
               14.28 = Jesus).
 “E o entregarão [o Filho do homem] aos
   gentios para que dele escarneçam, e o
  açoitem, e crucifiquem, e ao terceiro dia
      ressuscitará” (Mt 20.19 = Jesus).
   “Derribai este templo, e em três dias o
    levantarei” (Jo 2.19 = Jesus).

    “Quando, pois, ressuscitou dos mortos, os
    seus discípulos lembraram-se de que lhes
    dissera isso” (Jo 2.22
A    Ressurreição de Jesus

   “Desde então, começou Jesus a mostrar aos
    seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e
    padecer muito dos anciãos, e dos principais dos
    sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e
    ressuscitar ao terceiro dia” (Mt 16.21).

   “Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como
    tinha dito. Vinde e vede o lugar onde o Senhor
    jazia. Ide, pois, imediatamente, e dizei aos seus
    discípulos que já ressuscitou dos mortos” (Mt
    28.6-7).
   “Porque foi para isto que morreu Cristo, e
    ressurgiu, e tornou a viver, para ser
    Senhor, tanto dos mortos, como dos
    vivos” (Rm 14.9).
A Ressurreição de Jesus
   Vejam o que o Apóstolo diz: “E que foi
    sepultado, e que ressuscitou ao terceiro
    dia, segundo as Escrituras” (1 Co 15.4);
    “Depois foi visto, uma vez, por mais de
    quinhentos irmãos...por Tiago, por todos
    os apóstolos, por mim” (vv.6,7,8). Em tom
    de repreensão, prossegue: “Ora, se se
    prega que Cristo ressuscitou dentre os
    mortos, como dizem alguns dentre vós
    que não há ressurreição de mortos? ...
   E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a
    nossa pregação, e também vã a nossa
    fé...mas de fato Cristo ressuscitou entre
    os mortos e foi feito primícias dos que
    dormem” (vv.12-20). O significado de
    ressuscitar: “Fazer voltar à vida. Tornar a
    viver, após ter morrido” (Mini Dicionário
    Aurélio).
   O que ensina o espiritismo:
   “A reencarnação fazia parte dos dogmas dos
    judeus, sob o nome de ressurreição....
    Designavam pelo termo ressurreição o que o
    Espiritismo, mais judiciosamente, chama de
    reencarnação. A ressurreição dá idéia de voltar à
    vida o corpo que já está morto, o que a Ciência
    demonstra ser materialmente impossível,
    sobretudo quando os elementos desse corpo já
    se acham desde muito tempo dispersos e
    absorvidos” (O Evangelho Segundo o Espiritismo
    (E.S.E.), Allan Kardec, cap. IV, item 4).
As Aparições de Jesus
        O que ensina o cristianismo:

“E eles, espantados e atemorizados, pensavam
que viam algum espírito. E Jesus lhes disse: Por
que estais perturbados e por que sobem tais
pensamentos aos vossos corações? Vede as
minhas mãos e os meus pés, que sou eu
mesmo. Apalpai-me e vede, pois um espírito não
tem carne nem ossos, como vedes que eu
tenho. Tendes aqui alguma coisa que comer?
   Então eles apresentaram-lhe parte de um
    peixe assado, e um favo de mel. O que Ele
    tomou, e comeu diante deles” (Lc
    24.37-43). “Jesus disse a Tomé: Põe aqui
    o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega
    a tua mão, e põe-na no meu lado; e não
    sejas incrédulo, mas crente” (Jo 20.27).
   O que ensina o espiritismo:


    “As aparições de Jesus depois de sua morte são
    narradas por todos os evangelistas com detalhes
    circunstanciados que não permitem duvidar da
    realidade do fato. Aliás, elas se explicam
    perfeitamente pelas leis fluídicas e pelas
    propriedades do perispírito, e nada apresentam
    de anômalo... Reconhece-se nelas [nas aparições]
    todos os caracteres de um ser fluídico. Aparece
    inopinadamente e desaparece da mesma forma; é
    visto por uns e por outros sob aparência, que não
    o fazem reconhecido, nem mesmo por seus
    discípulos.
   Sua linguagem não tem a vivacidade de
    um ser corporal; tem o tom breve e
    sentencioso... Jesus mostrou-se, pois, com
    seu corpo perispiritual, o que explica não
    ter sido visto por aqueles a quem desejava
    mostrar-se; se estivesse em seu corpo
    carnal, teria sido visto por todos, como
    quando era vivo” (A Gênese, Allan Kardec,
    14a edição, 1985, cap XV-61, p. 300/301).
   “Depois de sua ressurreição, quando ele
    quis deixar a Terra, não morre; seu corpo
    se eleva, se desvanece e desaparece sem
    deixar nenhum sinal, prova evidente de
    que esse corpo era de outra natureza que
    não aquele que pereceu sobre a cruz; de
    onde será forçoso concluir que se Jesus
    pôde morrer, é que tinha corpo carnal”
    (Ibidem, p. 303-304).
QUAL A POSIÇAO
  DE KARDEC?
   Não ficou bem clara a posição de Allan
    Kardec a respeito do corpo carnal de
    Jesus. Se o corpo ressurreto “era de outra
    natureza”, isto é, diferente do que foi
    crucificado, é forçoso perguntarmos onde
    foi parar o corpo carnal. Ora, o próprio
    autor da tese espírita declara que Jesus
    “tinha corpo carnal”. Eis suas explicações:
   “O desaparecimento do corpo de Jesus após sua
    morte foi objeto de numerosos comentários... Uns
    viram neste desaparecimento um fato milagroso;
    outros supuseram uma remoção clandestina.
    Segundo outra opinião, Jesus não teria jamais
    revestido um corpo carnal, mas somente um
    corpo fluídico...e dizem que assim se explica que
    seu corpo, retornado ao estado fluídico, pôde
    desaparecer do sepulcro, e foi com este mesmo
    corpo que ele se teria mostrado depois de sua
    morte. Sem dúvida, um fato destes não é
    radicalmente impossível...A questão é, pois, de
    saber se tal hipótese é admissível, se ela é
    confirmada ou contraditada pelos fatos” (Ibidem,
    cap XV-64, p.302-303).
O espiritismo afirma que Jesus
não foi reconhecido e não foi visto
em suas aparições por tratar-se de
um “ser fluídico”. O que diz o
cristianismo:
   “Abriram-se-lhes os olhos [de dois discípulos a
    caminho de Emaús], e o conheceram...” (Lc
    24.31). Jesus, aos onze discípulos: “Vede as
    minhas mãos e os meus pés, que sou eu
    mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não
    tem carne nem ossos, como vedes que eu
    tenho” (Lc 24.39). Jesus não se declara como
    um “ser fluídico”, um perispírito ou um
    fantasma. Jesus foi reconhecido por Maria
    Madalena (Jo 20.16); reconhecido por Tomé:
    “Porque me viste, Tomé, creste” (Jo 20.27-29);
   reconhecido por alguns discípulos junto ao
    mar de Tiberíades: “E nenhum dos
    discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és
    tu? sabendo que era o Senhor” (Jo 21.12);
    e “foi visto, uma vez, por mais de
    quinhentos irmãos...” (1 Co 15.6).
   O espiritismo diz que Jesus mostrou-se
    com o seu “corpo perispiritual”. O próprio
    Jesus responde: “Espírito [ou perispírito]
    não tem carne nem ossos, como vedes
    que eu tenho” (Lc 24.39).
O Corpo de Jesus

 O que teria acontecido com o corpo carnal
    de Jesus? O espiritismo afirma que ele
 tinha um corpo carnal e um corpo fluídico,
 como todos os homens têm. Entendo que
isto seja traduzido como corpo e espírito. O
 espírito, na Sua morte, foi entregue ao Pai
  (Lc 23.46). O Seu corpo foi guardado no
             sepulcro (Lc 23.53).
O espiritismo não firma uma posição sobre o
         assunto. Apenas informa que o
  “desaparecimento do corpo de Jesus após sua
  morte foi objeto de numerosos comentários”;
 que os evangelistas declaram que o corpo não
foi encontrado no sepulcro; que uns viram nisso
    um fato milagroso; outros supuseram uma
 remoção clandestina (A Gênese, cap. XV-64, p.
                      302).
   O cristianismo afirma que o corpo de
    Jesus foi muito bem guardado por
    soldados fortemente armados, e a entrada
    do sepulcro foi fechada com uma pedra
    que recebeu o selo imperial romano (Mt
    27.64-66). Por se tratar de algo
    completamente fora de cogitação, não
    prosperou a mentira dos judeus sobre o
    furto do corpo (Mt 28.11-15). A resposta
    para o “desaparecimento” do corpo é
    simples:
   (1) “Desde então, começou Jesus a mostrar aos
    seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e
    padecer muito dos anciãos, e dos principais dos
    sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e
    ressuscitar ao terceiro dia” (Mt 16.21);

   (2) O Filho do homem “ressuscitará ao terceiro
    dia” (Mt 20.19; Lc 9.22). A ressurreição corporal
    de Jesus é a essência do cristianismo. Por fim,
    ouçamos o apóstolo Paulo:
   “Porque primeiramente vos entreguei o que
    também recebi; que Cristo foi sepultado, e que
    ressuscitou ao terceiro dia, segundo as
    Escrituras, e que foi visto por Cefas e depois
    pelos doze. Depois, foi visto por mais de
    quinhentos irmãos... Ora, se se prega que Cristo
    ressuscitou dos mortos, como dizem alguns
    dentre vós que não há ressurreição de mortos.
    E, se não há ressurreição de mortos, também
    Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não
    ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e
    também vã a nossa fé. Cristo ressuscitou dos
    mortos e foi feito as primícias dos que dormem”
    (1 Co 15.3-20).
   A Bíblia Sagrada
               O que ensina o cristianismo:

    “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a
    verdade” (Jo 17.17 = Jesus).

   “Eles [os irmãos do rico que estava em
    tormentos] têm Moisés e os profetas; ouçam-nos”
    (Lc 16.29 = Jesus). Jesus validou o Pentateuco e
    os Livros Proféticos.

    “Não penseis que vim destruir a Lei ou os
    profetas; eu não vim destruir, mas cumprir; nem
    um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo
    seja cumprido” (Mt 5.17,18).
   “Toda a Escritura divinamente é inspirada por Deus e útil
    para o ensino, para a repreensão, para a correção e
    para a instrução na justiça, para que o homem de Deus
    seja apto e plenamente preparado para toda boa obra”
    (2 Tm 3.16-NVI). Paulo está dizendo que a Bíblia é o
    padrão para nossa vida cristã, nossa bússola, nossa
    regra de fé.

    “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de
    Deus” (Mt 22.29 = Jesus). Para o cristão é fundamental
    conhecer a Bíblia. O Apóstolo não deixa por menos:
    “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro
    que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a
    palavra da verdade” (2 Tm 2.15).
O que ensina o espiritismo:


    “Diremos, pois, que a Doutrina Espírita, ou o Espiritismo,
    tem por princípio as relações do mundo material com os
    Espíritos, ou seres do mundo invisível. Os adeptos do
    Espiritismo serão os espíritas ou, se se quiser, os
    espiritistas. O Livro dos Espíritos contém especialmente a
    doutrina ou teoria do espiritismo que, num sentido geral,
    pertence à escola espiritualista, da qual apresenta uma
    das fases” (O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, 1997,
    Introdução, p. 11).
   Allan Kardec está ensinando que os
    adeptos do espiritismo deverão ser
    chamados “espíritas” ou “espiritistas”, e
    que a doutrina espírita está contida em O
    Livro dos Espíritos, isto é, não está na
    Bíblia. Continua Kardec:
   “Muitos pontos dos Evangelhos, da Bíblia e dos
    autores sacros em geral são ininteligíveis,
    parecendo alguns até disparatados, por falta da
    chave que faculte se lhes aprenda o verdadeiro
    sentido. Essa chave está completa no
    Espiritismo... As instruções que promanam dos
    Espíritos são verdadeiramente as vozes do céu
    que vêm esclarecer os homens e convidá-los à
    prática do Evangelho” (E.S.E. introdução, 90a
    edição, p. 27,28).
PREGAÇAO DO EVANGELHO


   A prática do Evangelho via pregação do
    espiritismo é inteiramente inviável, como se vê
    no confronto das duas doutrinas. A “chave” para
    facilitar o entendimento dos evangelhos teria
    chegado com um atraso de muitos séculos. As
    Boas Novas foram trazidas pelo Verbo
    encarnado, e a Igreja recebeu a missão de dar
    prosseguimento à obra (Mt 4.23; Mt 11.5;
    24.14; 26.13; Mc 16.15). O Apóstolo advertiu os
    gálatas das investidas dos que “querem
    transtornar o evangelho de Cristo”.
   Não usa de meias palavras: “Mas, ainda que nós
    mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro
    evangelho além do que já vos tenho anunciado,
    que seja amaldiçoado. Porque não o recebi, nem
    aprendi de homem algum, mas pela revelação
    de Jesus Cristo” (Gl 1.7,8,12). O esclarecimento
    do evangelho não teve início nos tempos
    modernos através dos “espíritos”. Paulo
    começou a ensiná-lo e a esclarecê-lo há quase
    dois mil anos. Até hoje as cartas paulinas são
    orientação segura para cristãos do mundo
    inteiro. A Bíblia foi escrita por homens tementes
    a Deus e conscientes de suas responsabilidades:
O Espírito Santo
O que ensina o cristianismo:


 “E rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para
que fique convosco para sempre” (Jo 14.16). A palavra
“outro”, traduzida do grego “allon”, significa “outro da
mesma espécie”; e “consolador”, do grego “parakletos”,
tem o sentido de “alguém chamado para ficar ao lado de
outro para o ajudar”. Jesus explica quem é o Consolador:
“Aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará
em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará
lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (Jo 14.26). O
Espírito Santo é o que nos convence do pecado, da justiça
e do juízo (Jo 16.8).
   O Consolador é o Espírito de Juízo (Is 4.4);
    Espírito de Sabedoria, de Conselho, de
    Inteligência, de Poder (Is 11.2); Espírito do
    Senhor (Is 61.1); Espírito de Deus (Mt 3.16); o
    Espírito da Verdade (Jo 14.17); Espírito de
    Santidade (Rm 1.4); Espírito de Vida (Rm 8.32);
    Espírito do Filho (Gl 4.6); Espírito Eterno (Hb
    9.14); Espírito de Graça (Zc 12.10). o Espírito da
    Profecia (Ap 19.10). Seus atributos são os
    mesmos da Divindade: eternidade (Hb 9.14);
    onipresença (Sl 139.7-10); onipotência (Lc
    1.35); onisciência (1 Co 2.10).
   que ensina o espiritismo:

   “Jesus promete outro Consolador: o Espírito de
    Verdade, que o mundo ainda não conhece, por
    não estar maduro para o compreender,
    consolador que o Pai enviará para ensinar todas
    as coisas e para relembrar o que o Cristo há
    dito... O Espiritismo vem, na época predita,
    cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu
    advento o Espírito de Verdade. Ele chama os
    homens à observância da lei: ensina todas as
    coisas fazendo compreender o que Jesus só
    disse por parábolas...
   O Espiritismo vem trazer a consolação suprema aos
    deserdados da Terra... Assim, o Espiritismo realiza o que
    Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das
    coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para
    onde vai e por que está na Terra; atrai para os
    verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e
    pela esperança” (E.S.E., cap. VI, itens 3 e 4, p.
    134-135).

    No particular, a palavra do espiritismo destoa totalmente
    do ensino de Jesus. Se fôssemos esperar o ensino
    espírita para podermos compreender o que Jesus nos
    revelou, teríamos perdido dezenove séculos, levando em
    conta que O Livro dos Espíritos foi publicado em 1857.
O Juízo Final
O que ensina o cristianismo:

   (1)“Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo
  depois disso o juízo” (Hb 9.27). Esta palavra é uma pedra
  no caminho da reencarnação porque contesta a teoria de
  muitas mortes e muitos nascimentos e assegura que após a
  morte segue-se o juízo.

    (2) “O Senhor sabe livrar os piedosos da provação e
  manter em castigo os ímpios para o Dia do Juízo” (2 Pe
  2.9).

    (3) “Uma certa expectação horrível de juízo” (Hb 10.27).

    (4) “Para a ressurreição da condenação” (Jo 5.29).
(5) “Mas eu vos digo que de toda palavra ociosa que
os homens disserem hão de dar conta no Dia do Juízo”
(Mt 12.36 = Jesus).

 (6) “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal
de Cristo” (2 Co 5.10)

  (7) “E os mortos foram julgados pelas coisas que
estavam escritas nos livros, segundo as suas obras” (Ap
20.12). No final dos tempos, os ímpios ressuscitarão e
serão condenados ao castigo eterno (Jo 5.29; Ap 20.5).
“E aquele que não foi achado escrito no livro da vida [do
Cordeiro] foi lançado no lago de fogo” (Ap 20.15; 13.8).
A salvação ocorre pela graça, mediante a fé na Pessoa
do Senhor Jesus Cristo (Ef 2.8-9, cf. Jo 3.18 e Rm 10.9).
   O que ensina o espiritismo:

   “A doutrina de um julgamento final, único e
    universal, que coloca fim a toda a humanidade,
    repugna à razão, no sentido em que ela
    implicaria a inatividade de Deus durante a
    eternidade que precedeu a criação da Terra, e a
    eternidade que se seguirá à sua destruição; Não
    há, pois, falando corretamente, julgamento final,
    mas há julgamentos gerais, em todas as épocas
    de renovação parcial ou total da população dos
    mundos...” (A Gênese, cap. XVII-64, 67, p.
    342-343).
   “Deus dá ao homem oportunidade nas novas
    existências, a fim de reparar os erros passados”
    (O Livro dos Espíritos, quesito 964, p.318). “O
    fim da reencarnação é o melhoramento
    progressivo da Humanidade” (Ibidem, quesito
    167). “As encarnações sucessivas são sempre
    muito numerosas, porque o progresso é quase
    infinito”; “Depois da última encarnação, o
    Espírito se torna feliz, e é considerado um
    Espírito puro” (Ibidem, quesitos 169 e 170, p.
    94/95).
   Todos se melhoram passando pelos diferentes
    graus da hierarquia espírita. Esta melhora se
    efetua por meio da encarnação, que é imposta a
    uns como expiação, a outros como missão. A
    vida material é uma prova que lhes cumpre
    sofrer repetidamente, até que hajam atingido a
    absoluta perfeição moral. Deixando o corpo, a
    alma volve ao mundo dos Espíritos, donde saíra,
    para passar por nova existência material, após
    um lapso de tempo mais ou menos longo,
    durante o qual permanece em estado de Espírito
    errante.
   Tendo o Espírito que passar por muitas
    encarnações, segue-se que todos nós temos tido
    muitas existências e que teremos ainda outras,
    mais ou menos aperfeiçoadas, quer na Terra,
    quer em outros mundos. A encarnação dos
    Espíritos se dá sempre na espécie humana; seria
    erro acreditar-se que a alma ou Espírito possa
    encarnar no corpo de um animal. As diferentes
    existências corpóreas do Espírito são sempre
    progressivas e nunca regressivas; mas, a rapidez
    do seu progresso depende dos esforços que faça
    para chegar à perfeição.
   O Juízo Final não significa extermínio da
    humanidade. Deus é Deus dos vivos. O
    espiritismo não considera a verdade bíblica da
    ressurreição. Ora, como Jesus disse, os salvos
    ressuscitarão para viverem eternamente com
    Deus (Jo 5.29). Como vimos, ao ensinar que
    todos terão a mesma oportunidade de atingir a
    perfeição, o espiritismo nega a realidade bíblica
    do Juízo Final. Vale lembrar as palavras do
    Mestre, em oposição a tal ensino: “Apartai-vos
    de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado
    para o diabo e seus anjos” (Mt 25.41).
A Volta de Cristo e o
         Arrebatamento da Igreja
   O que ensina o cristianismo:

   O cristianismo ensina que o Senhor Jesus
    voltará para buscar a sua Igreja, a partir do
    que terão início os demais acontecimentos
    escatológicos que culminarão com o Juízo
    Final. Jesus nos garantiu: "E, se eu for e vos
    preparar lugar, virei outra vez e vos levarei
    para mim mesmo, para que, onde eu estiver,
    estejais vós também" (Jo 14.3). "Não vos
    deixarei órfãos; voltarei para vós" (Jo 14.18).
   "Aquele que testifica estas coisas diz:
    certamente, cedo venho" (Ap 22.20). Palavras
    de dois anjos: "Esse Jesus, que dentre vós foi
    recebido no céu, há de vir, assim como para o
    céu o vistes ir" (At 1.11).
   Jesus fala do arrebatamento: "E ele enviará os
    seus anjos, com rijo clamor de trombeta, os
    quais ajuntarão os seus escolhidos..."(Mt 24.31;
    cf. 1 Ts 4.13-18).
   O que ensina o espiritismo:

    “Jesus anuncia seu segundo advento [a
    Sua volta], mas não diz que virá sobre a
    terra com um corpo carnal, nem que o
    Consolador será personificado nele” (A
    Gênese, cap. XVII-45, p.334). “Este
    quadro [Mt 24.15-22; 6-8; 11-14; 29-34;
    37-38] do fim dos tempos é
    evidentemente alegórico como a maior
    parte dos que Jesus apresenta.
   As imagens que ele contém são, por sua
    energia, de molde a impressionar as
    inteligências ainda subdesenvolvidas. O
    Filho do homem vindo sobre as nuvens do
    céu, com grande majestade, rodeado de
    seus anjos e com o ruído das trombetas,
    lhes parecia muito mais imponente que
    um ser investido apenas de poder moral”
    (Ibidem, XVII-54, p. 338).
 No entender de Kardec, Jesus foi a
 “segunda revelação de Deus”
 (E.S.E., cap I-6, p. 59) e que veio
 em missão divina nos ensinar a
 elevada moral evangélica. Logo,
 Suas palavras têm uma
 significativa importância para o
 espiritismo.
   Deveriam ter, pois a Sua promessa de
    retornar é inconfundível. A Sua vinda e o
    conseqüente “resgate” dos seus são
    promessas bastante claras: “Eu virei outra
    vez e vos levarei para mim mesmo”. As
    vezes em que Jesus falou em parábolas foi
    para transmitir através delas uma
    realidade espiritual, e não uma inverdade.
   O arrebatamento da igreja, incompatível com a
    teoria da reencarnação, não é uma palavra
    figurativa. Jesus levaria para Si pessoas que
    ainda não completaram o ciclo de encarnações?
    Como ficariam na vinda de Jesus os espíritos
    ainda sujeitos a novas vidas corpóreas para
    expungir suas impurezas? A verdade do
    cristianismo é que os que morreram em Cristo
    estão salvos; não dependem de sacrifícios pós-
    morte (Lc 16.22; cf. 1 Ts 4.16-17).
             Hierarquia Espiritual
       O Espiritismo não adota qualquer tipo de divisão
    desse tipo. Apenas mostra que os Espíritos são distintos
    por seu nível intelectual e moral, ou seja, pelo maior ou
    menor conhecimento das coisas e pela maior ou menor
    disposição em fazer o bem. Não adota distinção entre
    "Falange X" ou "Falange Y", simplesmente entre
    elevação espiritual que demonstra pertencer por seu
    linguajar, sua postura e o conteúdo de sua mensagem.
    Além disso, os Espíritos designam-se pelos nomes de
    suas últimas encarnações ou os nomes que queiram,
    sem assumirem "cargo" algum. O máximo que há é a
    assinatura das mensagens como "Um amigo" ou "Um
    Espírito amigo da casa", etc.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec
Power Point
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
Fórum Espírita
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Marcos Antônio Alves
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
Izabel Cristina Fonseca
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
Jorge Luiz dos Santos
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
Leonardo Pereira
 
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Elysio Laroide Lugarinho
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
Ricardo Azevedo
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Izabel Cristina Fonseca
 
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º anoBem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Roseli Lemes
 
Evolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismoEvolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismo
Ailton Guimaraes
 
Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
Victor Passos
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Izabel Cristina Fonseca
 
E a vida continua
E a vida continuaE a vida continua
E a vida continua
Wanderson Luz
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
Denise Aguiar
 
Palestra 8 obsessão espiritual
Palestra 8 obsessão espiritualPalestra 8 obsessão espiritual
Palestra 8 obsessão espiritual
Jose Ferreira Almeida
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Denise Aguiar
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
Izabel Cristina Fonseca
 
AULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalhoAULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalho
Harleyde Santos
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Silvânio Barcelos
 

Mais procurados (20)

Allan Kardec
Allan KardecAllan Kardec
Allan Kardec
 
Como Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra EspiritaComo Fazer Palestra Espirita
Como Fazer Palestra Espirita
 
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
Ressurreição e Reencarnação (Palestra Espírita)
 
O Poder da Prece
O Poder da PreceO Poder da Prece
O Poder da Prece
 
ESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADOESQUECIMENTO DO PASSADO
ESQUECIMENTO DO PASSADO
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
 
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deusEsde    módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
Esde módulo 03 - roteiro 01 - existência de deus
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
 
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obrasReconhece se o cristãos pelas suas obras
Reconhece se o cristãos pelas suas obras
 
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º anoBem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
Bem aventurados os pacíficos - FEESP - Curso de Aprendizes do Evangelho - 1º ano
 
Evolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismoEvolução segundo espiritismo
Evolução segundo espiritismo
 
Palestra a reencarnacao
Palestra   a reencarnacaoPalestra   a reencarnacao
Palestra a reencarnacao
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 
E a vida continua
E a vida continuaE a vida continua
E a vida continua
 
Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1Origem e natureza do Espirito parte 1
Origem e natureza do Espirito parte 1
 
Palestra 8 obsessão espiritual
Palestra 8 obsessão espiritualPalestra 8 obsessão espiritual
Palestra 8 obsessão espiritual
 
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
Ensaio teórico das sensações e percepções dos Espíritos.
 
Objetivo da encarnação
Objetivo da encarnaçãoObjetivo da encarnação
Objetivo da encarnação
 
AULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalhoAULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalho
 
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon pptNão se pode servir a deus e a mamon ppt
Não se pode servir a deus e a mamon ppt
 

Destaque

Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira).
Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira). Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira).
Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
A Imortalidade Da Alma
A Imortalidade Da AlmaA Imortalidade Da Alma
A Imortalidade Da Alma
Emilia Maria Araujo Rios
 
Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!
Leonardo Pereira
 
Imortalidade da alma
Imortalidade da almaImortalidade da alma
Imortalidade da alma
Ceile Bernardo
 
2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa
2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa
2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
A alma é imortal
A alma é imortalA alma é imortal
A alma é imortal
Leonardo Pereira
 

Destaque (6)

Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira).
Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira). Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira).
Lições de jesus para a imortalidade ( Leonardo Pereira).
 
A Imortalidade Da Alma
A Imortalidade Da AlmaA Imortalidade Da Alma
A Imortalidade Da Alma
 
Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!Corpo, alma e espírito!
Corpo, alma e espírito!
 
Imortalidade da alma
Imortalidade da almaImortalidade da alma
Imortalidade da alma
 
2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa
2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa
2013 06-23-Imortalidade do Espírito-Rosana De Rosa
 
A alma é imortal
A alma é imortalA alma é imortal
A alma é imortal
 

Semelhante a A IMORTALIDADE DA ALMA

Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
Taciano Cassimiro Cassimiro
 
Seitas e heresias.pdf
Seitas e heresias.pdfSeitas e heresias.pdf
Seitas e heresias.pdf
FabioCarvalho854599
 
Espiritismo lição 02
Espiritismo lição 02Espiritismo lição 02
Espiritismo lição 02
Escol Dominical
 
Ere capa
Ere capaEre capa
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7
PIBJA
 
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan KardecAula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Sergio Lima Dias Junior
 
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na EuropaAula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
contatodoutrina2013
 
Aula espiritismo Historico
Aula espiritismo HistoricoAula espiritismo Historico
Aula espiritismo Historico
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan KardecAula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan Kardec
Sergio Lima Dias Junior
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
Jorge Coelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
paiaia
 
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Marcelo do Nascimento Rodrigues
 
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europaAula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
contatodoutrina2013
 
Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.
Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.
Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Antonino Silva
 
Introducao apometria4
Introducao apometria4Introducao apometria4

Semelhante a A IMORTALIDADE DA ALMA (20)

Seitas e heresias
Seitas e heresiasSeitas e heresias
Seitas e heresias
 
Seitas e heresias.pdf
Seitas e heresias.pdfSeitas e heresias.pdf
Seitas e heresias.pdf
 
Espiritismo lição 02
Espiritismo lição 02Espiritismo lição 02
Espiritismo lição 02
 
Ere capa
Ere capaEre capa
Ere capa
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 7
 
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan KardecAula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
Aula 1- Mocidade Espírita Chico Xavier - Allan Kardec
 
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na EuropaAula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
Aula 04/2013 - Antecedentes e Contemporâneos de Kardec na Europa
 
Aula espiritismo Historico
Aula espiritismo HistoricoAula espiritismo Historico
Aula espiritismo Historico
 
Aula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan KardecAula 1 - Allan Kardec
Aula 1 - Allan Kardec
 
Espiritismo
EspiritismoEspiritismo
Espiritismo
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Espiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelhoEspiritismo segundo o_evangelho
Espiritismo segundo o_evangelho
 
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
Introdução a doutrina espirita-Palestra do Curso Espiritismo E Evangelho-GECM...
 
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europaAula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
Aula 04 2013 - antecedentes e contemporâneos de kardec na europa
 
Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.
Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.
Espiritismo- analise bíblica sobre os princípios da doutrina espirita.
 
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina EspíritaTríplice Aspecto da Doutrina Espírita
Tríplice Aspecto da Doutrina Espírita
 
Introducao apometria4
Introducao apometria4Introducao apometria4
Introducao apometria4
 

A IMORTALIDADE DA ALMA

  • 1. Conheça o ESPIRITISMO, UMA NOVA ERA PARA A HUMANIDADE Fonte:FEDERAÇAO ESPIRITA BRASILEIRA
  • 2. DEUS,INTELIGÊNCIA SUPREMA, CAUSA PRIMEIRA DE TODAS AS COISAS
  • 4. KARDEC, A BASE FUNDAMENTAL
  • 6. O espiritismo, de um modo geral, fundamenta-se nos seguintes pontos: o homem é um espírito temporariamente ligado a um corpo; a alma é o espírito enquanto se encontra ligado ao corpo; o espírito, compreendido como individualidade inteligente da Criação, é imortal; a reencarnação é o processo natural de aperfeiçoamento dos espíritos;
  • 7. os espíritos encarnados ("vivos") e os espíritos desencarnados ("mortos") podem se comunicar entre si através da mediunidade;  Pluralidade dos Mundos Habitados, a Terra não é o único planeta com vida inteligente.  Lei de Causa-Efeito, ligada à reencarnação, esta lei define que recebemos na medida do que demos (bom e mau) em existências passadas ou nesta existência.
  • 8. História  A Doutrina Espírita é uma corrente de pensamento - nascida em meados do século XIX - que se estruturou a partir de diálogos estabelecidos entre o pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail e o que ele e muitos pesquisadores da época concluíram tratarem-se de espíritos de pessoas falecidas (desencarnados), a manifestar-se através de diversos médiuns .
  • 9. Allan Kardec  (1804-1869), o codificador da Doutrina Espírita.
  • 10. LITERATURA BÁSICA
  • 11.
  • 12. O Livro dos Espíritos (Le Livre des Esprits) é o primeiro livro sobre a doutrina espírita publicado pelo educador francês Denizard Rivail, em 18 de abril de 1857, sob o pseudônimo Allan Kardec. É uma obra básica do espiritismo, e foi lançado por Kardec após seus estudos sobre os fenômenos, segundo muitos pesquisadores da época, de origem mediúnica, que se difundiram por toda a Europa durante o século XIX.
  • 13.  Apresenta-se na forma de perguntas, dirigidas ao que Kardec defendia serem espíritos, e respostas, totalizando 1.019 tópicos. Foi o primeiro de uma série de cinco livros editados pelo pedagodo sobre o mesmo tema.  A 1 de maio de 1864 a Igreja Romana coloca a obra no Index - o catálogo das obras cuja leitura é vedada aos seus fiéis
  • 14.  1. Que é Deus? “Deus é a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas.”1 (Vide Nota Especial nº 1, da Editora (FEB), à pág. 604.)  2. Que se deve entender por infinito? “O que não tem começo nem fim: o desconhecido; tudo o que é desconhecido é infinito.”
  • 15. 50. A espécie humana começou por um único homem? “Não; aquele a quem chamais Adão não foi o primeiro, nem o único a povoar a Terra.”
  • 16.  55. São habitados todos os globos que se movem no espaço? “Sim e o homem terreno está longe de ser, como supõe, o primeiro em inteligência, em bondade e em perfeição. Entretanto, há homens que se têm por espíritos muito fortes e que imaginam pertencer a este pequenino globo o privilégio de conter seres racionais. Orgulho e vaidade! Julgam que só para eles criou Deus o Universo.”
  • 17. O "Kardec Brasileiro"  Expoente do Espiritismo no Brasil, Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti nasceu em Riacho do Sangue (atual Solonópole), Ceará, Brasil, em 29 de agosto de 1831, e morreu a 11 de abril de 1900, no Rio de Janeiro
  • 18. As Várias Divisões Do Espiritismo No Brasil  A) Espiritismo Comum: Caracteriza-se pela utilização de práticas “sociais”, sem os elementos comuns às sessões mediunicas ou de terreiros. Algumas das sua divisões são:  1 - Astrologia: “arte ou ciência” de predizer o futuro humano pôr meio dos astros. Sua maior criação é o popularissimo horóscopo.  2 - Cartomancia: adivinhação pelas cartas de jogar.  3 - Quiromancia: adivinhação pelo estudo das linhas da mão  4 - Quiromancia: adivinhação por intermédio da água.
  • 19. B) Baixo Espiritismo: Teve suas origens nas crenças trazidas da África pelos escravos associados às crenças indígenas, católicas-romanas e kardecistas. Caracteriza-se pelos rituais compostos de músicas e danças, uso de amuletos e bebidas além de sacrifícios de animais. Segue algumas divisões:
  • 20. 1 - Vodu: culto praticado na Antilhas, ilhas do Pacífico, principalmente no Haiti.  2 - Candomblé: Este culto de origem africana tem como suas principais divindades, Oxum, Iemanjá e Ogum.  3 - Quimbanda: Conhecida também como magia negra. Nada mais é do que uma variante da umbanda. É a linha que mais trabalhas com os exus. A quimbanda pode ser entendida como o inverso da umbanda.  4 - Umbanda: É tradicionalmente brasileira, pois não é totalmente africana, nem européia, sendo um produto sincrético.  5 - Catimbó: Ele corresponde à pajelança amazônica mas é diferente dos candomblés da Bahia e da umbanda do Rio de Janeiro.  6 - Cultura Racional: Nasceu dentro de um centro de Umbanda no Rio de Janeiro tentando dar um lado cientifico para a umbanda.
  • 21. C) Espiritismo Cientifico: Também chamado de “Espiritualismo” , divide-se em vários ramos, apresentando-se como “sociedade” ou “entidades” beneficente, cientificas, filosóficas, que apelam ora para o intelectual ora para o espiritual. Entre outras destacamos as seguintes:
  • 22. 1 - L.B.V: Legião da Boa Vontade, voltada para assistência social, mantém atualmente creches, asilos, orfanatos, escolas, programas de TV e rádio.  2 - Rosa-Cruz: Sociedade secreta semelhante a maçonaria.  3 - Maçonaria: Sociedade secreta baseada na cabala, astrologia, numerologia etc.  4 - Teosofia: Conjunto de doutrinas religioso- filosóficas, cujo lema principal é a união do homem com a divindade.  5 - Movimento Cristão Gnóstico Universal: Movimento baseado no conhecimento espiritual e filosófico que procura elevar o homem a divindade.
  • 23. 6 - Esoterismo: Doutrina ou atitude de espírito que frisa que o ensinamento da verdade deve reservar-se aos iniciados, escolhidos por sua inteligência e valor moral..  7 - Pró-Vida: Movimento responsável pela maior divulgação das idéias da Nova Era no Brasil.  8 - Eubiose: Movimento baseado no conhecimento filosófico-religioso que também procura elevar o homem a sua divindade.
  • 24. D) Espiritismo Kardecista: Esta baseado nas revelações de Alan Kardec. É a classe de espiritismo que mais cresce no nosso país. Também conhecido como “Alto Espiritismo”. Movimento baseado nas doutrinas principais que são: reencarnação, comunicação com os mortos e salvação pelas boas obras. O Kardecismo também está dividido em várias tendências:
  • 25. 1 - Tendência ortodoxa: É o Kardecismo mais puro, exclusivo que não permite ulterior desenvolvimento, nem tolera a presença de outro espiritismo.  2 - Tendência Rusteinista: João Batista Roustaing discípulo de Alan Kardec que recebeu uma mensagem assinada pôr “Mateus, Marcos, Lucas e João, assistidos pelos”, na qual os quatro evangelistas se prontificavam a dar a “Revelação da Revelação”, que deu origem a sua famosa obra “Os Quatro Evangelhos””.
  • 26. 3 - Tendência Ubaldista: Pietro Ubaldi desde muito cedo começou a ouvir uma voz. Esta misteriosa “voz” lhe ditou os seguintes livros: “A Grande Síntese”, “As Noúres”, “Ascese Mística”, “História de um Homem”, “A Nova Civilização do Terceiro Milênio”, “Deus e o Universo” etc.  4 - Racionalismo Cristão: A reação mais violenta dentro do Espiritismo Kardecista surgiu em 1910 com o Sr. Luiz de Mattos que deu um lado cientifico e racional das comunicações com o “mundo astral”.
  • 27. Por que O Espiritismo Se Expande Tanto No Brasil  a) “Você é um médium: precisa desenvolver sua mediunidade”.  b) A Saudade dos parentes falecidos.  c) Fachada cristã.  d) Religião mais cômoda.  f) As promessas de cura.  g) Curiosidade.  h) Propaganda espírita.
  • 28. EXISTEM 20 MILHOES DE ESPIRÍTAS NO BRASIL, FORA OS QUE TÊM O ESPIRITISMO COMO 2a. RELIGIÀO.
  • 29. OS ESPIRÍTAS TEM RENDA FAMILIAR 150% SUPERIOR A MEDIA NACIONAL
  • 30. 77% DOS ESPIRÍTAS TÊM ENTRE OITO E 15 ANOS DE ESTUDO, EM MÉDIA DEZ ANOS A MAIS QUE OS CATÓLICOS.
  • 31. ORKUT – 366 COMUNIDADES 183.546 MEMBROS
  • 32. MÍDIA GHOST ALMA GÊMEA O PROFETA LINHA DIRETA A VIAGEM
  • 33. CLÉO PIRES, FABIO JUNIOR GUGA, NILTON PETRONE(FILÉ) RAICA ( TOP MODEL)
  • 34. O espiritismo fala em “evangelizar”, em “consciência cristã”, em “espiritismo cristão”. Para sabermos se o espiritismo é ou não cristão, nada melhor do que fazermos o confronto de suas doutrinas com as do cristianismo.
  • 35. A Divindade de Jesus O que ensina o cristianismo:  “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. O Verbo se fez carne, e habitou entre nós”  (Jo 1.1,14).  “Quem me vê a mim, vê o Pai” (Jo 14.9; cf. Jo 8.19).  “Eu e o Pai somos um. Sendo homem, te fazes Deus a ti mesmo” (Jo 10.30-33).
  • 36. A Divindade de Jesus  “Em verdade, em verdade eu vos digo: Antes que Abraão existisse, Eu Sou” (Jo 8.58).  “E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo” (Mt 16.16; cf Mt 14.33; Lc 1.35; Jo 1.49).
  • 37. A Divindade de Jesus  O título `O Filho de Deus´, não recusado por Jesus, designa uma relação eterna entre o Filho e o Pai na Deidade. O Verbo, isto é, o Filho, estava com Deus no princípio e era Deus. “Ele é considerado `Filho´, não porque em certo tempo começou a derivar ser do Pai (em tal caso, Ele não poderia ser coeterno com o Pai), mas porque Ele é e sempre foi a expressão do que o Pai é (cf. Jo 14.9).
  • 38. As palavras em Hebreus 1.3: `O qual [Jesus], sendo o resplendor da sua glória [de Deus], e a expressa imagem da sua pessoa [de Deus], são definições do que significa Filho de Deus” (Notes on Galatians, de Hogg e Vine, pp.99,100, citado pelo Dicionário VINE).
  • 39. O que ensina o espiritismo: “Esta passagem dos Evangelhos [Jo 1.1,14] é a única que, à primeira vista, parece encerrar implicitamente uma idéia de identificação entre Deus e a pessoa de Jesus. Não exprimem senão uma opinião pessoal [de João]. Jesus pode, pois, estar encarregado de transmitir a palavra de Deus sem ser Deus” (Obras Póstumas, Alan Kardec, 1993, 1a edição, p. 145 e 146).
  • 40. A Ressurreição de Jesus O que ensina o cristianismo: “Mas, depois de eu ressuscitar, irei adiante de vós para a Galiléia” (Mt 26.32; Mc 14.28 = Jesus).  “E o entregarão [o Filho do homem] aos gentios para que dele escarneçam, e o açoitem, e crucifiquem, e ao terceiro dia ressuscitará” (Mt 20.19 = Jesus).
  • 41. “Derribai este templo, e em três dias o levantarei” (Jo 2.19 = Jesus).  “Quando, pois, ressuscitou dos mortos, os seus discípulos lembraram-se de que lhes dissera isso” (Jo 2.22
  • 42. A Ressurreição de Jesus  “Desde então, começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muito dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia” (Mt 16.21).  “Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como tinha dito. Vinde e vede o lugar onde o Senhor jazia. Ide, pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dos mortos” (Mt 28.6-7).
  • 43. “Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos” (Rm 14.9).
  • 44. A Ressurreição de Jesus  Vejam o que o Apóstolo diz: “E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1 Co 15.4); “Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos...por Tiago, por todos os apóstolos, por mim” (vv.6,7,8). Em tom de repreensão, prossegue: “Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dentre os mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos? ...
  • 45. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também vã a nossa fé...mas de fato Cristo ressuscitou entre os mortos e foi feito primícias dos que dormem” (vv.12-20). O significado de ressuscitar: “Fazer voltar à vida. Tornar a viver, após ter morrido” (Mini Dicionário Aurélio).
  • 46. O que ensina o espiritismo:  “A reencarnação fazia parte dos dogmas dos judeus, sob o nome de ressurreição.... Designavam pelo termo ressurreição o que o Espiritismo, mais judiciosamente, chama de reencarnação. A ressurreição dá idéia de voltar à vida o corpo que já está morto, o que a Ciência demonstra ser materialmente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo já se acham desde muito tempo dispersos e absorvidos” (O Evangelho Segundo o Espiritismo (E.S.E.), Allan Kardec, cap. IV, item 4).
  • 47. As Aparições de Jesus O que ensina o cristianismo: “E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito. E Jesus lhes disse: Por que estais perturbados e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações? Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo. Apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho. Tendes aqui alguma coisa que comer?
  • 48. Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel. O que Ele tomou, e comeu diante deles” (Lc 24.37-43). “Jesus disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente” (Jo 20.27).
  • 49. O que ensina o espiritismo:  “As aparições de Jesus depois de sua morte são narradas por todos os evangelistas com detalhes circunstanciados que não permitem duvidar da realidade do fato. Aliás, elas se explicam perfeitamente pelas leis fluídicas e pelas propriedades do perispírito, e nada apresentam de anômalo... Reconhece-se nelas [nas aparições] todos os caracteres de um ser fluídico. Aparece inopinadamente e desaparece da mesma forma; é visto por uns e por outros sob aparência, que não o fazem reconhecido, nem mesmo por seus discípulos.
  • 50. Sua linguagem não tem a vivacidade de um ser corporal; tem o tom breve e sentencioso... Jesus mostrou-se, pois, com seu corpo perispiritual, o que explica não ter sido visto por aqueles a quem desejava mostrar-se; se estivesse em seu corpo carnal, teria sido visto por todos, como quando era vivo” (A Gênese, Allan Kardec, 14a edição, 1985, cap XV-61, p. 300/301).
  • 51. “Depois de sua ressurreição, quando ele quis deixar a Terra, não morre; seu corpo se eleva, se desvanece e desaparece sem deixar nenhum sinal, prova evidente de que esse corpo era de outra natureza que não aquele que pereceu sobre a cruz; de onde será forçoso concluir que se Jesus pôde morrer, é que tinha corpo carnal” (Ibidem, p. 303-304).
  • 52. QUAL A POSIÇAO DE KARDEC?
  • 53. Não ficou bem clara a posição de Allan Kardec a respeito do corpo carnal de Jesus. Se o corpo ressurreto “era de outra natureza”, isto é, diferente do que foi crucificado, é forçoso perguntarmos onde foi parar o corpo carnal. Ora, o próprio autor da tese espírita declara que Jesus “tinha corpo carnal”. Eis suas explicações:
  • 54. “O desaparecimento do corpo de Jesus após sua morte foi objeto de numerosos comentários... Uns viram neste desaparecimento um fato milagroso; outros supuseram uma remoção clandestina. Segundo outra opinião, Jesus não teria jamais revestido um corpo carnal, mas somente um corpo fluídico...e dizem que assim se explica que seu corpo, retornado ao estado fluídico, pôde desaparecer do sepulcro, e foi com este mesmo corpo que ele se teria mostrado depois de sua morte. Sem dúvida, um fato destes não é radicalmente impossível...A questão é, pois, de saber se tal hipótese é admissível, se ela é confirmada ou contraditada pelos fatos” (Ibidem, cap XV-64, p.302-303).
  • 55. O espiritismo afirma que Jesus não foi reconhecido e não foi visto em suas aparições por tratar-se de um “ser fluídico”. O que diz o cristianismo:
  • 56. “Abriram-se-lhes os olhos [de dois discípulos a caminho de Emaús], e o conheceram...” (Lc 24.31). Jesus, aos onze discípulos: “Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho” (Lc 24.39). Jesus não se declara como um “ser fluídico”, um perispírito ou um fantasma. Jesus foi reconhecido por Maria Madalena (Jo 20.16); reconhecido por Tomé: “Porque me viste, Tomé, creste” (Jo 20.27-29);
  • 57. reconhecido por alguns discípulos junto ao mar de Tiberíades: “E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor” (Jo 21.12); e “foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos...” (1 Co 15.6).
  • 58. O espiritismo diz que Jesus mostrou-se com o seu “corpo perispiritual”. O próprio Jesus responde: “Espírito [ou perispírito] não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho” (Lc 24.39).
  • 59. O Corpo de Jesus O que teria acontecido com o corpo carnal de Jesus? O espiritismo afirma que ele tinha um corpo carnal e um corpo fluídico, como todos os homens têm. Entendo que isto seja traduzido como corpo e espírito. O espírito, na Sua morte, foi entregue ao Pai (Lc 23.46). O Seu corpo foi guardado no sepulcro (Lc 23.53).
  • 60. O espiritismo não firma uma posição sobre o assunto. Apenas informa que o “desaparecimento do corpo de Jesus após sua morte foi objeto de numerosos comentários”; que os evangelistas declaram que o corpo não foi encontrado no sepulcro; que uns viram nisso um fato milagroso; outros supuseram uma remoção clandestina (A Gênese, cap. XV-64, p. 302).
  • 61. O cristianismo afirma que o corpo de Jesus foi muito bem guardado por soldados fortemente armados, e a entrada do sepulcro foi fechada com uma pedra que recebeu o selo imperial romano (Mt 27.64-66). Por se tratar de algo completamente fora de cogitação, não prosperou a mentira dos judeus sobre o furto do corpo (Mt 28.11-15). A resposta para o “desaparecimento” do corpo é simples:
  • 62. (1) “Desde então, começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muito dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia” (Mt 16.21);  (2) O Filho do homem “ressuscitará ao terceiro dia” (Mt 20.19; Lc 9.22). A ressurreição corporal de Jesus é a essência do cristianismo. Por fim, ouçamos o apóstolo Paulo:
  • 63. “Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi; que Cristo foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras, e que foi visto por Cefas e depois pelos doze. Depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos... Ora, se se prega que Cristo ressuscitou dos mortos, como dizem alguns dentre vós que não há ressurreição de mortos. E, se não há ressurreição de mortos, também Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, logo é vã a nossa pregação, e também vã a nossa fé. Cristo ressuscitou dos mortos e foi feito as primícias dos que dormem” (1 Co 15.3-20).
  • 64. A Bíblia Sagrada O que ensina o cristianismo: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade” (Jo 17.17 = Jesus).  “Eles [os irmãos do rico que estava em tormentos] têm Moisés e os profetas; ouçam-nos” (Lc 16.29 = Jesus). Jesus validou o Pentateuco e os Livros Proféticos.  “Não penseis que vim destruir a Lei ou os profetas; eu não vim destruir, mas cumprir; nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido” (Mt 5.17,18).
  • 65. “Toda a Escritura divinamente é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (2 Tm 3.16-NVI). Paulo está dizendo que a Bíblia é o padrão para nossa vida cristã, nossa bússola, nossa regra de fé.  “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus” (Mt 22.29 = Jesus). Para o cristão é fundamental conhecer a Bíblia. O Apóstolo não deixa por menos: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade” (2 Tm 2.15).
  • 66. O que ensina o espiritismo:  “Diremos, pois, que a Doutrina Espírita, ou o Espiritismo, tem por princípio as relações do mundo material com os Espíritos, ou seres do mundo invisível. Os adeptos do Espiritismo serão os espíritas ou, se se quiser, os espiritistas. O Livro dos Espíritos contém especialmente a doutrina ou teoria do espiritismo que, num sentido geral, pertence à escola espiritualista, da qual apresenta uma das fases” (O Livro dos Espíritos, Allan Kardec, 1997, Introdução, p. 11).
  • 67. Allan Kardec está ensinando que os adeptos do espiritismo deverão ser chamados “espíritas” ou “espiritistas”, e que a doutrina espírita está contida em O Livro dos Espíritos, isto é, não está na Bíblia. Continua Kardec:
  • 68. “Muitos pontos dos Evangelhos, da Bíblia e dos autores sacros em geral são ininteligíveis, parecendo alguns até disparatados, por falta da chave que faculte se lhes aprenda o verdadeiro sentido. Essa chave está completa no Espiritismo... As instruções que promanam dos Espíritos são verdadeiramente as vozes do céu que vêm esclarecer os homens e convidá-los à prática do Evangelho” (E.S.E. introdução, 90a edição, p. 27,28).
  • 69. PREGAÇAO DO EVANGELHO  A prática do Evangelho via pregação do espiritismo é inteiramente inviável, como se vê no confronto das duas doutrinas. A “chave” para facilitar o entendimento dos evangelhos teria chegado com um atraso de muitos séculos. As Boas Novas foram trazidas pelo Verbo encarnado, e a Igreja recebeu a missão de dar prosseguimento à obra (Mt 4.23; Mt 11.5; 24.14; 26.13; Mc 16.15). O Apóstolo advertiu os gálatas das investidas dos que “querem transtornar o evangelho de Cristo”.
  • 70. Não usa de meias palavras: “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, que seja amaldiçoado. Porque não o recebi, nem aprendi de homem algum, mas pela revelação de Jesus Cristo” (Gl 1.7,8,12). O esclarecimento do evangelho não teve início nos tempos modernos através dos “espíritos”. Paulo começou a ensiná-lo e a esclarecê-lo há quase dois mil anos. Até hoje as cartas paulinas são orientação segura para cristãos do mundo inteiro. A Bíblia foi escrita por homens tementes a Deus e conscientes de suas responsabilidades:
  • 71. O Espírito Santo O que ensina o cristianismo: “E rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre” (Jo 14.16). A palavra “outro”, traduzida do grego “allon”, significa “outro da mesma espécie”; e “consolador”, do grego “parakletos”, tem o sentido de “alguém chamado para ficar ao lado de outro para o ajudar”. Jesus explica quem é o Consolador: “Aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito” (Jo 14.26). O Espírito Santo é o que nos convence do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16.8).
  • 72. O Consolador é o Espírito de Juízo (Is 4.4); Espírito de Sabedoria, de Conselho, de Inteligência, de Poder (Is 11.2); Espírito do Senhor (Is 61.1); Espírito de Deus (Mt 3.16); o Espírito da Verdade (Jo 14.17); Espírito de Santidade (Rm 1.4); Espírito de Vida (Rm 8.32); Espírito do Filho (Gl 4.6); Espírito Eterno (Hb 9.14); Espírito de Graça (Zc 12.10). o Espírito da Profecia (Ap 19.10). Seus atributos são os mesmos da Divindade: eternidade (Hb 9.14); onipresença (Sl 139.7-10); onipotência (Lc 1.35); onisciência (1 Co 2.10).
  • 73. que ensina o espiritismo:  “Jesus promete outro Consolador: o Espírito de Verdade, que o mundo ainda não conhece, por não estar maduro para o compreender, consolador que o Pai enviará para ensinar todas as coisas e para relembrar o que o Cristo há dito... O Espiritismo vem, na época predita, cumprir a promessa do Cristo: preside ao seu advento o Espírito de Verdade. Ele chama os homens à observância da lei: ensina todas as coisas fazendo compreender o que Jesus só disse por parábolas...
  • 74. O Espiritismo vem trazer a consolação suprema aos deserdados da Terra... Assim, o Espiritismo realiza o que Jesus disse do Consolador prometido: conhecimento das coisas, fazendo que o homem saiba donde vem, para onde vai e por que está na Terra; atrai para os verdadeiros princípios da lei de Deus e consola pela fé e pela esperança” (E.S.E., cap. VI, itens 3 e 4, p. 134-135). No particular, a palavra do espiritismo destoa totalmente do ensino de Jesus. Se fôssemos esperar o ensino espírita para podermos compreender o que Jesus nos revelou, teríamos perdido dezenove séculos, levando em conta que O Livro dos Espíritos foi publicado em 1857.
  • 75. O Juízo Final O que ensina o cristianismo: (1)“Aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo” (Hb 9.27). Esta palavra é uma pedra no caminho da reencarnação porque contesta a teoria de muitas mortes e muitos nascimentos e assegura que após a morte segue-se o juízo. (2) “O Senhor sabe livrar os piedosos da provação e manter em castigo os ímpios para o Dia do Juízo” (2 Pe 2.9). (3) “Uma certa expectação horrível de juízo” (Hb 10.27). (4) “Para a ressurreição da condenação” (Jo 5.29).
  • 76. (5) “Mas eu vos digo que de toda palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no Dia do Juízo” (Mt 12.36 = Jesus). (6) “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo” (2 Co 5.10) (7) “E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras” (Ap 20.12). No final dos tempos, os ímpios ressuscitarão e serão condenados ao castigo eterno (Jo 5.29; Ap 20.5). “E aquele que não foi achado escrito no livro da vida [do Cordeiro] foi lançado no lago de fogo” (Ap 20.15; 13.8). A salvação ocorre pela graça, mediante a fé na Pessoa do Senhor Jesus Cristo (Ef 2.8-9, cf. Jo 3.18 e Rm 10.9).
  • 77. O que ensina o espiritismo:  “A doutrina de um julgamento final, único e universal, que coloca fim a toda a humanidade, repugna à razão, no sentido em que ela implicaria a inatividade de Deus durante a eternidade que precedeu a criação da Terra, e a eternidade que se seguirá à sua destruição; Não há, pois, falando corretamente, julgamento final, mas há julgamentos gerais, em todas as épocas de renovação parcial ou total da população dos mundos...” (A Gênese, cap. XVII-64, 67, p. 342-343).
  • 78. “Deus dá ao homem oportunidade nas novas existências, a fim de reparar os erros passados” (O Livro dos Espíritos, quesito 964, p.318). “O fim da reencarnação é o melhoramento progressivo da Humanidade” (Ibidem, quesito 167). “As encarnações sucessivas são sempre muito numerosas, porque o progresso é quase infinito”; “Depois da última encarnação, o Espírito se torna feliz, e é considerado um Espírito puro” (Ibidem, quesitos 169 e 170, p. 94/95).
  • 79. Todos se melhoram passando pelos diferentes graus da hierarquia espírita. Esta melhora se efetua por meio da encarnação, que é imposta a uns como expiação, a outros como missão. A vida material é uma prova que lhes cumpre sofrer repetidamente, até que hajam atingido a absoluta perfeição moral. Deixando o corpo, a alma volve ao mundo dos Espíritos, donde saíra, para passar por nova existência material, após um lapso de tempo mais ou menos longo, durante o qual permanece em estado de Espírito errante.
  • 80. Tendo o Espírito que passar por muitas encarnações, segue-se que todos nós temos tido muitas existências e que teremos ainda outras, mais ou menos aperfeiçoadas, quer na Terra, quer em outros mundos. A encarnação dos Espíritos se dá sempre na espécie humana; seria erro acreditar-se que a alma ou Espírito possa encarnar no corpo de um animal. As diferentes existências corpóreas do Espírito são sempre progressivas e nunca regressivas; mas, a rapidez do seu progresso depende dos esforços que faça para chegar à perfeição.
  • 81. O Juízo Final não significa extermínio da humanidade. Deus é Deus dos vivos. O espiritismo não considera a verdade bíblica da ressurreição. Ora, como Jesus disse, os salvos ressuscitarão para viverem eternamente com Deus (Jo 5.29). Como vimos, ao ensinar que todos terão a mesma oportunidade de atingir a perfeição, o espiritismo nega a realidade bíblica do Juízo Final. Vale lembrar as palavras do Mestre, em oposição a tal ensino: “Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos” (Mt 25.41).
  • 82. A Volta de Cristo e o Arrebatamento da Igreja  O que ensina o cristianismo:  O cristianismo ensina que o Senhor Jesus voltará para buscar a sua Igreja, a partir do que terão início os demais acontecimentos escatológicos que culminarão com o Juízo Final. Jesus nos garantiu: "E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também" (Jo 14.3). "Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós" (Jo 14.18).
  • 83. "Aquele que testifica estas coisas diz: certamente, cedo venho" (Ap 22.20). Palavras de dois anjos: "Esse Jesus, que dentre vós foi recebido no céu, há de vir, assim como para o céu o vistes ir" (At 1.11).  Jesus fala do arrebatamento: "E ele enviará os seus anjos, com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos..."(Mt 24.31; cf. 1 Ts 4.13-18).
  • 84. O que ensina o espiritismo:  “Jesus anuncia seu segundo advento [a Sua volta], mas não diz que virá sobre a terra com um corpo carnal, nem que o Consolador será personificado nele” (A Gênese, cap. XVII-45, p.334). “Este quadro [Mt 24.15-22; 6-8; 11-14; 29-34; 37-38] do fim dos tempos é evidentemente alegórico como a maior parte dos que Jesus apresenta.
  • 85. As imagens que ele contém são, por sua energia, de molde a impressionar as inteligências ainda subdesenvolvidas. O Filho do homem vindo sobre as nuvens do céu, com grande majestade, rodeado de seus anjos e com o ruído das trombetas, lhes parecia muito mais imponente que um ser investido apenas de poder moral” (Ibidem, XVII-54, p. 338).
  • 86.  No entender de Kardec, Jesus foi a “segunda revelação de Deus” (E.S.E., cap I-6, p. 59) e que veio em missão divina nos ensinar a elevada moral evangélica. Logo, Suas palavras têm uma significativa importância para o espiritismo.
  • 87. Deveriam ter, pois a Sua promessa de retornar é inconfundível. A Sua vinda e o conseqüente “resgate” dos seus são promessas bastante claras: “Eu virei outra vez e vos levarei para mim mesmo”. As vezes em que Jesus falou em parábolas foi para transmitir através delas uma realidade espiritual, e não uma inverdade.
  • 88. O arrebatamento da igreja, incompatível com a teoria da reencarnação, não é uma palavra figurativa. Jesus levaria para Si pessoas que ainda não completaram o ciclo de encarnações? Como ficariam na vinda de Jesus os espíritos ainda sujeitos a novas vidas corpóreas para expungir suas impurezas? A verdade do cristianismo é que os que morreram em Cristo estão salvos; não dependem de sacrifícios pós- morte (Lc 16.22; cf. 1 Ts 4.16-17).
  • 89. Hierarquia Espiritual O Espiritismo não adota qualquer tipo de divisão desse tipo. Apenas mostra que os Espíritos são distintos por seu nível intelectual e moral, ou seja, pelo maior ou menor conhecimento das coisas e pela maior ou menor disposição em fazer o bem. Não adota distinção entre "Falange X" ou "Falange Y", simplesmente entre elevação espiritual que demonstra pertencer por seu linguajar, sua postura e o conteúdo de sua mensagem. Além disso, os Espíritos designam-se pelos nomes de suas últimas encarnações ou os nomes que queiram, sem assumirem "cargo" algum. O máximo que há é a assinatura das mensagens como "Um amigo" ou "Um Espírito amigo da casa", etc.