SlideShare uma empresa Scribd logo
Lição 5
"Não sabeis vós que sois o templo de Deus e
que o Espírito de Deus habita em vós?" (1 Co
3.16).
Cremos que o Espírito Santo é a Terceira Pessoa
da Santíssima Trindade, Senhor e Vivificador, que
convence o mundo do pecado, da justiça e do
juízo, regenera o pecador, e que falou por meio
dos profetas.
João 14.15-18,26
15- Se me amais, guardai os meus mandamentos.
16- E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para
que fique convosco para sempre;
17- O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber,
porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque
habita convosco, e estará em vós.
18- Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós.
26- Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará
em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará
lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
As Escrituras Sagradas revelam a identidade do Espírito Santo, sua
deidade absoluta e sua personalidade, sua consubstancialidade com o
Pai e o Filho como Terceira Pessoa da Trindade e suas obras no
contexto histórico-salvífico. Todos esses dados da revelação só foram
definidos depois do Concílio de Niceia. A formulação da doutrina
pneumatológica aconteceu tardiamente na história da Igreja, na
segunda metade do século IV. A presente lição pretende explicar e
mostrar como tudo isso aconteceu a partir da Bíblia.
1. A revelação divina.
A Bíblia mostra que a revelação divina foi progressiva, como disse um
dos pais da Igreja no século IV: "O Antigo Testamento manifestou
claramente o Pai e, obscuramente, o Filho. O Novo manifestou o Filho
e, obscuramente, indicou a divindade do Espírito Santo. Hoje, o
Espírito habita entre nós e se dá mais claramente a conhecer"
(Gregório de Nazianzo). O Senhor Jesus revelou o Pai (Jo 1.18), e o
Espírito Santo é quem revela o Filho (Jo 16.14; 1Co 12.3).
2. O esquecimento. Há abundância de detalhes na Bíblia sobre a
identidade do Espírito Santo no que diz respeito à sua personalidade
e divindade, bem como ao seu relacionamento com o Pai e o Filho.
Ele aparece, literalmente, em toda a Bíblia desde o Gênesis, na
criação (Gn 1.2), até o Apocalipse (22.17).
Mas esses dados da revelação precisavam ser definidos, daí a
necessidade de formulações teológicas exigidas pela nova realidade
cultural em que a Igreja vivia e pelas demais civilizações em que o
evangelho havia penetrado. Essa difícil tarefa levou séculos para ser
concluída, e as várias tentativas resultaram também em heresias.
3. O Espírito Santo e os primeiros cristãos.
À luz do Novo Testamento e comparando com a literatura patrística
dos séculos II e III, fica claro que os cristãos da Era Apostólica
conheciam mais sobre a identidade do Espírito Santo do que os pais
da Igreja do referido período. A verdadeira identidade do Espírito
Santo, com base bíblica, só aconteceu a partir de Atanásio e dos três
grandes capadócios. Antes disso, a conceituação sobre o Espírito
Santo era quase sempre inadequada.
1. A divindade declarada. O Espírito Santo é chamado de Senhor nas
Escrituras Sagradas: "Ora, o SENHOR é o Espírito" (2 Co 3.17; ARA). Os
nomes "Deus" e "Espírito Santo" aparecem alternadamente na Bíblia:
"Por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao
Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? [...] Não
mentiste aos homens, mas a Deus" (At 5.3,4b).
Deus e o Espírito Santo aqui são uma mesma divindade. O apóstolo
Paulo também emprega esse tipo de linguagem: "Não sabeis vós que
sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?"
(1 Co 3.16). Isso vem desde o Antigo Testamento: "O Espírito do
SENHOR falou por mim, e a sua palavra esteve em minha boca. Disse o
Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou" (2 Sm 23.2,3). É
nessa linguagem que a Bíblia diz que o Espírito Santo é Deus.
2. A divindade revelada.
O relacionamento do Espírito Santo com o Pai e com o Filho revela a
sua divindade e a sua consubstancialidade com Eles. Isso está claro
nas construções tripartidas do Novo Testamento (Mt 28.19, 1Co 12.4-
6; 2 Co 13.13; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2). Em relação ao Pai, o Espírito penetra
todas as coisas, até mesmo as profundezas de Deus (1Co 2.10,11); é
igualmente chamado de "Espírito de Deus" (Gn 1.2) e de "o Espírito
que provém de Deus" (1 Co 2.12). Concernente ao Filho, Ele é
chamado por Jesus de "outro Consolador" (Jo 14.16).
O termo grego para "Consolador" aqui é parácleto, que significa
"ajudador, advogado" e é aplicado ao Senhor Jesus como Advogado
(1 Jo 2.1). Ele é chamado de "Espírito de Jesus" (At 16.7), "Espírito de
Cristo" (Rm 8.9) e ainda "Espírito de seu Filho" (Gl 4.6).
3. Obras divinas.
A divindade do Espírito Santo é vista não apenas na declaração direta
das Escrituras, nem somente pelo relacionamento dEle com o Pai e o
Filho, mas também nas obras de Deus. O Espírito Santo é o Criador do
Universo e dos seres humanos (Jó 26.13; 33.4; SI 104.30).
Ele gerou Jesus (Mt 1.20; Lc 1.35) e o ressuscitou dentre os mortos
(1Pe 3.18); e ressuscitará os fiéis (Rm 8.11). Ele é o Senhor da Igreja
(At 20.28); autor do novo nascimento (Jo 3.5,6); dá a vida (Ez 37.14),
regenera o pecador (Tt 3.5) e distribui os dons
espirituais (1 Co 12.7-11).
Assim, o Credo Niceno-
Constantinopolita-no
declara: "E no Espírito
Santo, o Senhor e
Vivificador, o que
procede do Pai e do
Filho, o que juntamente
com o Pai e o Filho é
adorado e glorificado, o
que falou por meio dos
profetas". A confirmação
bíblica dessa verdade é
abundante
(2 Co 3.17; Rm 8.2; Jo
15.26; Fp 3.3; 2 Pe 1.21).
1. Alguns atributos incomunicáveis. A divindade do Espírito Santo é
revelada também nos seus atributos divinos. Aqui apresentamos
apenas alguns, devido à exiguidade do espaço. O Espírito é onipotente
(Rm 15.19) e a fonte de poder e milagres (Mt 12.28; At 2.4; 1 Co 12.9-
11). Ele é onipresente, está em toda parte do Universo (SI 139-7-10); e
é onisciente, pois conhece todas as coisas, desde as profundezas de
Deus (1Co 2.10,11), passando pelo coração humano (Ez 11.5), até
alcançar as coisas futuras (Lc 2.26; Jo 16.13; 1 Tm 4.1). Assim a Bíblia
ensina que o Espírito Santo é eterno (Hb 9.14).
2. Alguns atributos comunicáveis.
A santidade de Deus é o atributo mais solenizado nas Escrituras
(Is 6.3; Ap 15.4). O termo "santo" é aplicado ao Espírito como
consequência direta de sua natureza e não como resultado de uma
fonte externa. Ele é santo em si mesmo; assim, não precisa ser
santificado, pois é Ele quem santifica (Rm 15.16; 1 Co 6.11).
A bondade é outro atributo divino, por isso, Jesus disse: "Ninguém há
bom senão um, que é Deus" (Mc 10.18 e passagens paralelas de Mt
19.17; Lc 18.19); no entanto, a Bíblia ensina que o Espírito Santo é
bom (Ne 9.20; SI 143.10). O Espírito é a verdade
(1 Jo 5.6) e sábio (Is 11.2).
3. O Espírito Santo e a Trindade.
O Espírito Santo iguala-se ao Pai e ao Filho, tendo também um nome,
pois o Senhor Jesus determinou que os seus discípulos batizassem
"em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" (Mt 28.19). Isso
significa ser o Espírito Santo objeto de nossa fé, pois em seu nome
somos batizados, indicando reconhecimento igual ao do Pai e do Filho.
A expressão "comunhão com o Espírito Santo" (2 Co 13.13) mostra
que Ele é não apenas objeto de nossa fé, mas também de nossa
oração e adoração. Há uma absoluta igualdade dentro da Trindade e
nenhuma das três Pessoas está sujeita à outra, como se houvesse uma
hierarquia na substância divina. Existe, sim, uma distinção de serviço,
e o Espírito Santo representa os interesses do Pai e do Filho na
vida da Igreja na terra (Jo 16.13,14).
1. As faculdades da personalidade.
A personalidade do Espírito Santo está presente em toda a Bíblia de
maneira abundante e inconfundível e tem sido crença da Igreja desde
o princípio. Há nEle elementos constitutivos da personalidade, tais
como intelecto, pois Ele penetra todas as coisas (1Co 2.10,11) e
inteligência (Rm 8.27). Ele tem emoção, sensibilidade (Rm 15.30; Ef
4.30) e também possui vontade (At 16.7; 1Co 12.11). As três
faculdades intelecto, emoção e vontade caracterizam a personalidade.
2. Reações do Espírito Santo.
Outra prova da personalidade do Espírito Santo é que Ele reage a
certos atos praticados pelo ser humano. Pedro obedeceu ao Espírito
Santo (At 10.19,21); Ananias mentiu ao Espírito Santo (At 5.3); Estêvão
disse que os judeus sempre resistiram ao Espírito Santo (At 7.51); o
apóstolo Paulo nos recomenda não entristecer o Espírito Santo
(Ef 4.30); os fariseus blasfemaram contra o Espírito Santo (Mt 12.29-
31); os cristãos são batizados em nome do Espírito Santo (Mt 28.19).
A frase que se refere ao Espírito Santo como "terceira Pessoa da
Trindade" se deve ao fato de seu nome aparecer depois do Pai e do
Filho na fórmula batismal. Não se trata, pois, de hierarquia
intratrinitariana, porque o Pai, o Filho e o Espírito Santo são um só
Deus que subsiste em três Pessoas distintas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

QUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTOQUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTO
ASD Remanescentes
 
A pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santoA pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santo
WebExecutivo1
 
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deusLBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
Natalino das Neves Neves
 
È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?
guest056458
 
As manifestaçoes do Espirito Santo
As manifestaçoes do Espirito SantoAs manifestaçoes do Espirito Santo
As manifestaçoes do Espirito Santo
Hamilton Souza
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristo
Pr Neto
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a Deus
Éder Tomé
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
André Rocha
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
ESTUDANTETEOLOGIA
 
O Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de DeusO Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de Deus
José Silva
 
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)
Éder Tomé
 
7 pneumatologia
7   pneumatologia7   pneumatologia
7 pneumatologia
Vívian Nascimento
 
A ressurreição de_ cristo_parte_01
A  ressurreição  de_ cristo_parte_01A  ressurreição  de_ cristo_parte_01
A ressurreição de_ cristo_parte_01
Pr Neto
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
Alberto Nery
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
Pr Neto
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
Pr Neto
 
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus CristoLição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Erberson Pinheiro
 
A missao do espirito santo
A missao do espirito santoA missao do espirito santo
A missao do espirito santo
Adenir Pinheiro
 
Uma teologia do espirito santo numa perspectiva atual
Uma teologia do espirito santo numa perspectiva atualUma teologia do espirito santo numa perspectiva atual
Uma teologia do espirito santo numa perspectiva atual
Pastor Paulo Francisco
 
Quem é o espírito santo
Quem é o espírito santoQuem é o espírito santo
Quem é o espírito santo
renovamentocarismaticocatolico
 

Mais procurados (20)

QUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTOQUEM É O ESPIRITO SANTO
QUEM É O ESPIRITO SANTO
 
A pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santoA pessoa do espirito santo
A pessoa do espirito santo
 
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deusLBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
LBA 2017 3 TRI Lição 6 - A pecaminosidade humana e a sua restauração a deus
 
È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?È O Espirito Santo Deus?
È O Espirito Santo Deus?
 
As manifestaçoes do Espirito Santo
As manifestaçoes do Espirito SantoAs manifestaçoes do Espirito Santo
As manifestaçoes do Espirito Santo
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristo
 
Lição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a DeusLição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a Deus
Lição 6 - A pecaminosidade humana e sua restauração a Deus
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)Espírito santo (parte 1)
Espírito santo (parte 1)
 
O Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de DeusO Espírito Santo de Deus
O Espírito Santo de Deus
 
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)
Lição 1 - A Pessoa do Espírito Santo (Windscreen)
 
7 pneumatologia
7   pneumatologia7   pneumatologia
7 pneumatologia
 
A ressurreição de_ cristo_parte_01
A  ressurreição  de_ cristo_parte_01A  ressurreição  de_ cristo_parte_01
A ressurreição de_ cristo_parte_01
 
Aula de pneumatologia
Aula de pneumatologiaAula de pneumatologia
Aula de pneumatologia
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
 
Regeneração
RegeneraçãoRegeneração
Regeneração
 
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus CristoLição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
 
A missao do espirito santo
A missao do espirito santoA missao do espirito santo
A missao do espirito santo
 
Uma teologia do espirito santo numa perspectiva atual
Uma teologia do espirito santo numa perspectiva atualUma teologia do espirito santo numa perspectiva atual
Uma teologia do espirito santo numa perspectiva atual
 
Quem é o espírito santo
Quem é o espírito santoQuem é o espírito santo
Quem é o espírito santo
 

Semelhante a A identidade do Espírito Santo.

Lição 05 - A identidade do espirito santo
Lição 05 - A identidade do espirito santoLição 05 - A identidade do espirito santo
Lição 05 - A identidade do espirito santo
Daniel Felipe Kroth
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Éder Tomé
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptx
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptxLição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptx
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptx
MarceloDeLimaGracino
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosanto
Luiza Dayana
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Igreja Evangélica Assembléia de Deus
 
ESPÍRITO SANTO
ESPÍRITO SANTOESPÍRITO SANTO
ESPÍRITO SANTO
Elias Silva
 
Cetadeb sonora- ms
Cetadeb  sonora- msCetadeb  sonora- ms
Cetadeb sonora- ms
Anjela Paes Bueno
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
josiel alves
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
josiel alves
 
Lição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdf
Lição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdfLição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdf
Lição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdf
Tiago Silva
 
Pneumatologia prof sandro valentin
Pneumatologia prof sandro valentinPneumatologia prof sandro valentin
Pneumatologia prof sandro valentin
casa
 
Slides.julio
Slides.julioSlides.julio
Slides.julio
Wildete Silva
 
O espírito santo
O espírito santoO espírito santo
O espírito santo
Joselito Machado
 
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIADoutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Roberto Trindade
 
Batismo com e santo
Batismo com e santoBatismo com e santo
Batismo com e santo
Fernando Lopes
 
Espirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptx
Espirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptxEspirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptx
Espirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptx
carlosrobertoSantos15
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
Wander Pereira
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
Wander Pereira
 
Base bíblica da trindade
Base bíblica da trindadeBase bíblica da trindade
Base bíblica da trindade
José Silva
 
Slide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldoSlide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldo
Wildete Silva
 

Semelhante a A identidade do Espírito Santo. (20)

Lição 05 - A identidade do espirito santo
Lição 05 - A identidade do espirito santoLição 05 - A identidade do espirito santo
Lição 05 - A identidade do espirito santo
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptx
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptxLição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptx
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo.pptx
 
Luzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosantoLuzparavida espiritosanto
Luzparavida espiritosanto
 
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito SantoLição 5 - A Identidade do Espírito Santo
Lição 5 - A Identidade do Espírito Santo
 
ESPÍRITO SANTO
ESPÍRITO SANTOESPÍRITO SANTO
ESPÍRITO SANTO
 
Cetadeb sonora- ms
Cetadeb  sonora- msCetadeb  sonora- ms
Cetadeb sonora- ms
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
 
Espírito santo
Espírito santoEspírito santo
Espírito santo
 
Lição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdf
Lição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdfLição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdf
Lição 5 A identidade do Espírito Santo (1).pdf
 
Pneumatologia prof sandro valentin
Pneumatologia prof sandro valentinPneumatologia prof sandro valentin
Pneumatologia prof sandro valentin
 
Slides.julio
Slides.julioSlides.julio
Slides.julio
 
O espírito santo
O espírito santoO espírito santo
O espírito santo
 
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIADoutrinas bíblicas   PARACLETOLOGIA
Doutrinas bíblicas PARACLETOLOGIA
 
Batismo com e santo
Batismo com e santoBatismo com e santo
Batismo com e santo
 
Espirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptx
Espirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptxEspirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptx
Espirito Santo de Deus E SUAS ATRIBUIÇOES .pptx
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
 
A) nosso credo
A) nosso credoA) nosso credo
A) nosso credo
 
Base bíblica da trindade
Base bíblica da trindadeBase bíblica da trindade
Base bíblica da trindade
 
Slide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldoSlide do artigo do agnldo
Slide do artigo do agnldo
 

Mais de Márcio Martins

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
Márcio Martins
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
Márcio Martins
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
Márcio Martins
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
Márcio Martins
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
Márcio Martins
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Márcio Martins
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
Márcio Martins
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
Márcio Martins
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
Márcio Martins
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
Márcio Martins
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
Márcio Martins
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
Márcio Martins
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
Márcio Martins
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
Márcio Martins
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
Márcio Martins
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
Márcio Martins
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
Márcio Martins
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Márcio Martins
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
Márcio Martins
 
O Único Deus Verdadeiro e a Criação.
O Único Deus Verdadeiro e a Criação.O Único Deus Verdadeiro e a Criação.
O Único Deus Verdadeiro e a Criação.
Márcio Martins
 

Mais de Márcio Martins (20)

Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.Arrependimento e Fé para a Salvação.
Arrependimento e Fé para a Salvação.
 
Salvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre ArbítrioSalvação e Livre Arbítrio
Salvação e Livre Arbítrio
 
A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.A Salvação pela Graça.
A Salvação pela Graça.
 
A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.A Abrangência Universal da Salvação.
A Abrangência Universal da Salvação.
 
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
A Obra Salvífica de Jesus Cristo.
 
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
Salvação – O Amor e a Misericórdia de Deus.
 
A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.A Salvação e o Advento do Salvador.
A Salvação e o Advento do Salvador.
 
A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.A Salvação na Páscoa Judaica.
A Salvação na Páscoa Judaica.
 
Uma Promessa de Salvação.
 Uma Promessa de Salvação. Uma Promessa de Salvação.
Uma Promessa de Salvação.
 
Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.Sobre a Família e a sua Natureza.
Sobre a Família e a sua Natureza.
 
O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.O Mundo Vindouro.
O Mundo Vindouro.
 
A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.A Segunda Vinda de Cristo.
A Segunda Vinda de Cristo.
 
As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.As Manifestações do Espírito Santo.
As Manifestações do Espírito Santo.
 
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
A Necessidade de Termos uma Vida Santa.
 
A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.A igreja de Cristo.
A igreja de Cristo.
 
A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.A Necessidade do Novo Nascimento.
A Necessidade do Novo Nascimento.
 
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus. A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
A Pecaminosidade Humana e a sua Restauração a Deus.
 
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
O Senhor e Salvador Jesus Cristo.
 
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
A Santíssima Trindade um só Deus em três Pessoas.
 
O Único Deus Verdadeiro e a Criação.
O Único Deus Verdadeiro e a Criação.O Único Deus Verdadeiro e a Criação.
O Único Deus Verdadeiro e a Criação.
 

Último

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
carla983678
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 

Último (14)

Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf radedgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
edgard-armond-passes-e-radiacoes.pdf rad
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 

A identidade do Espírito Santo.

  • 2. "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?" (1 Co 3.16).
  • 3. Cremos que o Espírito Santo é a Terceira Pessoa da Santíssima Trindade, Senhor e Vivificador, que convence o mundo do pecado, da justiça e do juízo, regenera o pecador, e que falou por meio dos profetas.
  • 4. João 14.15-18,26 15- Se me amais, guardai os meus mandamentos. 16- E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; 17- O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós. 18- Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós. 26- Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.
  • 5. As Escrituras Sagradas revelam a identidade do Espírito Santo, sua deidade absoluta e sua personalidade, sua consubstancialidade com o Pai e o Filho como Terceira Pessoa da Trindade e suas obras no contexto histórico-salvífico. Todos esses dados da revelação só foram definidos depois do Concílio de Niceia. A formulação da doutrina pneumatológica aconteceu tardiamente na história da Igreja, na segunda metade do século IV. A presente lição pretende explicar e mostrar como tudo isso aconteceu a partir da Bíblia.
  • 6. 1. A revelação divina. A Bíblia mostra que a revelação divina foi progressiva, como disse um dos pais da Igreja no século IV: "O Antigo Testamento manifestou claramente o Pai e, obscuramente, o Filho. O Novo manifestou o Filho e, obscuramente, indicou a divindade do Espírito Santo. Hoje, o Espírito habita entre nós e se dá mais claramente a conhecer" (Gregório de Nazianzo). O Senhor Jesus revelou o Pai (Jo 1.18), e o Espírito Santo é quem revela o Filho (Jo 16.14; 1Co 12.3).
  • 7. 2. O esquecimento. Há abundância de detalhes na Bíblia sobre a identidade do Espírito Santo no que diz respeito à sua personalidade e divindade, bem como ao seu relacionamento com o Pai e o Filho. Ele aparece, literalmente, em toda a Bíblia desde o Gênesis, na criação (Gn 1.2), até o Apocalipse (22.17).
  • 8. Mas esses dados da revelação precisavam ser definidos, daí a necessidade de formulações teológicas exigidas pela nova realidade cultural em que a Igreja vivia e pelas demais civilizações em que o evangelho havia penetrado. Essa difícil tarefa levou séculos para ser concluída, e as várias tentativas resultaram também em heresias.
  • 9. 3. O Espírito Santo e os primeiros cristãos. À luz do Novo Testamento e comparando com a literatura patrística dos séculos II e III, fica claro que os cristãos da Era Apostólica conheciam mais sobre a identidade do Espírito Santo do que os pais da Igreja do referido período. A verdadeira identidade do Espírito Santo, com base bíblica, só aconteceu a partir de Atanásio e dos três grandes capadócios. Antes disso, a conceituação sobre o Espírito Santo era quase sempre inadequada.
  • 10. 1. A divindade declarada. O Espírito Santo é chamado de Senhor nas Escrituras Sagradas: "Ora, o SENHOR é o Espírito" (2 Co 3.17; ARA). Os nomes "Deus" e "Espírito Santo" aparecem alternadamente na Bíblia: "Por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parte do preço da herdade? [...] Não mentiste aos homens, mas a Deus" (At 5.3,4b).
  • 11. Deus e o Espírito Santo aqui são uma mesma divindade. O apóstolo Paulo também emprega esse tipo de linguagem: "Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?" (1 Co 3.16). Isso vem desde o Antigo Testamento: "O Espírito do SENHOR falou por mim, e a sua palavra esteve em minha boca. Disse o Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou" (2 Sm 23.2,3). É nessa linguagem que a Bíblia diz que o Espírito Santo é Deus.
  • 12. 2. A divindade revelada. O relacionamento do Espírito Santo com o Pai e com o Filho revela a sua divindade e a sua consubstancialidade com Eles. Isso está claro nas construções tripartidas do Novo Testamento (Mt 28.19, 1Co 12.4- 6; 2 Co 13.13; Ef 4.4-6; 1Pe 1.2). Em relação ao Pai, o Espírito penetra todas as coisas, até mesmo as profundezas de Deus (1Co 2.10,11); é igualmente chamado de "Espírito de Deus" (Gn 1.2) e de "o Espírito que provém de Deus" (1 Co 2.12). Concernente ao Filho, Ele é chamado por Jesus de "outro Consolador" (Jo 14.16).
  • 13. O termo grego para "Consolador" aqui é parácleto, que significa "ajudador, advogado" e é aplicado ao Senhor Jesus como Advogado (1 Jo 2.1). Ele é chamado de "Espírito de Jesus" (At 16.7), "Espírito de Cristo" (Rm 8.9) e ainda "Espírito de seu Filho" (Gl 4.6).
  • 14. 3. Obras divinas. A divindade do Espírito Santo é vista não apenas na declaração direta das Escrituras, nem somente pelo relacionamento dEle com o Pai e o Filho, mas também nas obras de Deus. O Espírito Santo é o Criador do Universo e dos seres humanos (Jó 26.13; 33.4; SI 104.30).
  • 15. Ele gerou Jesus (Mt 1.20; Lc 1.35) e o ressuscitou dentre os mortos (1Pe 3.18); e ressuscitará os fiéis (Rm 8.11). Ele é o Senhor da Igreja (At 20.28); autor do novo nascimento (Jo 3.5,6); dá a vida (Ez 37.14), regenera o pecador (Tt 3.5) e distribui os dons espirituais (1 Co 12.7-11).
  • 16. Assim, o Credo Niceno- Constantinopolita-no declara: "E no Espírito Santo, o Senhor e Vivificador, o que procede do Pai e do Filho, o que juntamente com o Pai e o Filho é adorado e glorificado, o que falou por meio dos profetas". A confirmação bíblica dessa verdade é abundante (2 Co 3.17; Rm 8.2; Jo 15.26; Fp 3.3; 2 Pe 1.21).
  • 17. 1. Alguns atributos incomunicáveis. A divindade do Espírito Santo é revelada também nos seus atributos divinos. Aqui apresentamos apenas alguns, devido à exiguidade do espaço. O Espírito é onipotente (Rm 15.19) e a fonte de poder e milagres (Mt 12.28; At 2.4; 1 Co 12.9- 11). Ele é onipresente, está em toda parte do Universo (SI 139-7-10); e é onisciente, pois conhece todas as coisas, desde as profundezas de Deus (1Co 2.10,11), passando pelo coração humano (Ez 11.5), até alcançar as coisas futuras (Lc 2.26; Jo 16.13; 1 Tm 4.1). Assim a Bíblia ensina que o Espírito Santo é eterno (Hb 9.14).
  • 18. 2. Alguns atributos comunicáveis. A santidade de Deus é o atributo mais solenizado nas Escrituras (Is 6.3; Ap 15.4). O termo "santo" é aplicado ao Espírito como consequência direta de sua natureza e não como resultado de uma fonte externa. Ele é santo em si mesmo; assim, não precisa ser santificado, pois é Ele quem santifica (Rm 15.16; 1 Co 6.11).
  • 19. A bondade é outro atributo divino, por isso, Jesus disse: "Ninguém há bom senão um, que é Deus" (Mc 10.18 e passagens paralelas de Mt 19.17; Lc 18.19); no entanto, a Bíblia ensina que o Espírito Santo é bom (Ne 9.20; SI 143.10). O Espírito é a verdade (1 Jo 5.6) e sábio (Is 11.2).
  • 20. 3. O Espírito Santo e a Trindade. O Espírito Santo iguala-se ao Pai e ao Filho, tendo também um nome, pois o Senhor Jesus determinou que os seus discípulos batizassem "em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" (Mt 28.19). Isso significa ser o Espírito Santo objeto de nossa fé, pois em seu nome somos batizados, indicando reconhecimento igual ao do Pai e do Filho.
  • 21. A expressão "comunhão com o Espírito Santo" (2 Co 13.13) mostra que Ele é não apenas objeto de nossa fé, mas também de nossa oração e adoração. Há uma absoluta igualdade dentro da Trindade e nenhuma das três Pessoas está sujeita à outra, como se houvesse uma hierarquia na substância divina. Existe, sim, uma distinção de serviço, e o Espírito Santo representa os interesses do Pai e do Filho na vida da Igreja na terra (Jo 16.13,14).
  • 22. 1. As faculdades da personalidade. A personalidade do Espírito Santo está presente em toda a Bíblia de maneira abundante e inconfundível e tem sido crença da Igreja desde o princípio. Há nEle elementos constitutivos da personalidade, tais como intelecto, pois Ele penetra todas as coisas (1Co 2.10,11) e inteligência (Rm 8.27). Ele tem emoção, sensibilidade (Rm 15.30; Ef 4.30) e também possui vontade (At 16.7; 1Co 12.11). As três faculdades intelecto, emoção e vontade caracterizam a personalidade.
  • 23. 2. Reações do Espírito Santo. Outra prova da personalidade do Espírito Santo é que Ele reage a certos atos praticados pelo ser humano. Pedro obedeceu ao Espírito Santo (At 10.19,21); Ananias mentiu ao Espírito Santo (At 5.3); Estêvão disse que os judeus sempre resistiram ao Espírito Santo (At 7.51); o apóstolo Paulo nos recomenda não entristecer o Espírito Santo (Ef 4.30); os fariseus blasfemaram contra o Espírito Santo (Mt 12.29- 31); os cristãos são batizados em nome do Espírito Santo (Mt 28.19).
  • 24. A frase que se refere ao Espírito Santo como "terceira Pessoa da Trindade" se deve ao fato de seu nome aparecer depois do Pai e do Filho na fórmula batismal. Não se trata, pois, de hierarquia intratrinitariana, porque o Pai, o Filho e o Espírito Santo são um só Deus que subsiste em três Pessoas distintas.