SlideShare uma empresa Scribd logo
A Atuação do Assistente Social no
Centro de Atenção Psicossocial -
CAPS
GUTEMBERGUE DO NASCIMENTO
GOMES
HERNYN KELLY RIBEIRO LOPES COSTA
ISABELA ANTONIA RODRIGUES
FERREIRA
MATEUS DE COUTO GOMES
ROSANA SILVA NASCIMENTO REIS DE
SOUZA
TATIANE SOARES FLOR
WESCLEY ROGER ALVES DA SILVA
Surgimento do CAPS
 O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) surgiu em
São Paulo, no ano de 1987. Com recursos federais e de
caráter público, esse novo serviço veio atender a
demanda de atendimentos em saúde mental, tendo
recebido o nome, a princípio, de Centro de Atenção
Psicossocial Luiz da Rocha Cerqueira, com a sigla
CAPS, que foi seguida posteriormente em todo o país
pelos próprios usuários do serviço. O centro tornou-se
um modelo institucional para os demais CAPS
brasileiros.
Objetivo
Trabalhar o usuário como um ser na sua
totalidade, levando em consideração a sua
história de vida e o ambiente no qual está
inserido. A reintegração social, fator
fundamental no resgate dos nossos usuários,
respeitando sua autonomia e as demandas a
ela inerentes.
Funções do CAPS
 Prestar atendimento clínico em regime de atenção diária, evitando
as internações em hospitais psiquiátricos;
 Acolher e atender as pessoas com transtornos mentais graves e
persistentes, procurando preservar e fortalecer os laços sociais do
usuário em seu território;
 Promover a inserção social das pessoas com transtornos mentais
por meio de ações intersetoriais;
 Regular a porta de entrada da rede de assistência em saúde mental
na sua área de atuação;
 Dar suporte a atenção à saúde mental na rede básica;
 Organizar a rede de atenção às pessoas com transtornos mentais
nos municípios;
 Articular estrategicamente a rede e a política de saúde mental num
determinado território;
 Promover a reinserção social do indivíduo através do acesso ao
trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos
laços familiares e comunitários.
Atuação do Profissional de
Serviço Social
 O profissional de Serviço Social, tanto atende de forma
individual, através: do acolhimento; visita domiciliar;
acompanhamento social como atendimentos de forma
coletiva: através dos grupos de família, grupos
operativos, grupos de espera atividades comunitárias e
visitas domiciliares com a família de forma grupal. É
definido dependendo do objetivo da abordagem.
 Segundo CFESS (2009), o assistente social atua no
atendimento aos trabalhadores, seja individual ou em
grupo, na pesquisa, no assessoramento na mobilização
dos trabalhadores, compondo muitas vezes, equipe
multiprofissional. Esses atendimentos são realizados da
forma em que o profissional recebe a solicitação, ou
seja, de acordo com o que foi relatado pelo usuário.
 Se a demanda está direciona a um atendimento em
grupo será então elaborada uma estratégia para a
realização desse atendimento em grupo.
 Nas equipes de saúde mental o assistente social deve
contribuir para que a reforma psiquiátrica alcance seu
projeto ético-político. Nessa direção, os profissionais de
serviço social vão enfatizar as determinações sociais e
culturais, preservando sua identidade profissional.
 Portanto, é importante que o profissional possa sempre
atuar de maneira responsável e coerente conforme as
diretrizes. A necessidade de dinamicidade nas
atividades do assistente social é algo indispensável para
que ocorra uma boa interatividade com a equipe e os
pacientes.
Principais atribuições e
responsabilidades
 Promover a reinserção social dos usuários através de
diversas ações, articulando saúde, educação, trabalho,
cultura, lazer, esporte, esclarecimentos e educação da
população, ou seja, utilizando recursos intersetoriais e
criando estratégias conjuntas;
 Proceder à entrevista para investigação, diagnósticos e
intervenção psicossocial dos casos encaminhados por
qualquer elemento da equipe multiprofissional ou de
usuários que compareçam ao CAPS encaminhados ao
serviço social;
 Relatar através de impresso próprio, as entrevistas
realizadas;
 Elaborar boletim estatístico do movimento diário de
entrevistas realizadas;
 Levar ao conhecimento da equipe multiprofissional os
problemas sociais que surgirem como prioridade na
população atendida, apresentando sugestões para
intervenção;
 Elaborar estudos socioeconômicos dos usuários e suas
famílias, com vistas a subsidiar a construção de laudos
e pareceres sociais a perspectiva de garantia de direitos
e de acesso aos serviços sociais e de saúde;
 Facilitar e possibilitar o acesso dos usuários aos
serviços, bem como a garantia de direitos na esfera da
seguridade social por meio da criação de mecanismos e
rotinas de ação;
 Organizar, normatizar e sistematizar o cotidiano do
trabalho do trabalho profissional por meio da criação e
implementação de protocolos e rotinas de ação;
 Realizar estudos e investigações com relação aos
determinantes sociais da saúde;
 Desempenhar outras atribuições que lhe forem
delegadas pelo seu superior imediato, desde que
estejam situadas nas atribuições e competências da
categoria profissional do Serviço Social.
Grupos e Serviço Social
 Uma das contribuições que o serviço social pode dar
como coordenador de grupos é fazer a analise das
determinações econômicas, políticas e ideológicas, isto
é, dos interesses materiais dos grupos, articuladas com
as suas relações de poder e as representações da
realidade social presentes no grupo e em seus
integrantes.
Família e Serviço Social
 As famílias também são instituídas socialmente e tem
objetos, produtos institucionais. Nelas também se dão
conflitos materiais, de poder e de ideias que atravessam
o comportamento dos usuários em tratamento no
estabelecimento de Saúde Mental. Uma boa reabilitação
em termos familiares é possível se o portador de
transtorno mental, os parentes e os profissionais
mantiverem entre se práticas não opressivas.
Usuários que podem ser
atendidos pelo CAPS
 Todo cidadão pode ser atendido no CAPS.
Não existe de fato na Saúde Mental caso mais grave ou
menos grave.
Existem pessoas que estão em maior ou menor surto ou
que estão melhor ou de modo pior em relação ao
sucesso de tratamento na área de Saúde Mental. O
Atendimento do CAPS é municipal e interligado ao SUS.
Um modo de evitar internamentos hoje desnecessários
na saúde mental.
Como ser atendido pelo CAPS
 Para ser atendido basta procurar diretamente este
serviço ou ser encaminhado pelo PSF (Posto de Saúde
da Família) ou outros serviços de saúde.
Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do
nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos
lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre,
à margem de nós mesmos.
Fernando Pessoa
A atuação do Assistente Social no CAPS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
ivone guedes borges
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
Rosane Domingues
 
Cras
CrasCras
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
Rosane Domingues
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
Rosane Domingues
 
Serviços do CRAS
Serviços do CRASServiços do CRAS
Serviços do CRAS
Daniele Aguiar Oliveira
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Rosane Domingues
 
Saúde mental no sus
Saúde mental no susSaúde mental no sus
Saúde mental no sus
Alinebrauna Brauna
 
Apresentação serviços social
Apresentação serviços socialApresentação serviços social
Apresentação serviços social
jorge luiz dos santos de souza
 
Saúde Mental
Saúde Mental Saúde Mental
Saúde Mental
Marco Aurélio Leão
 
Relatório final de estágio
Relatório final de estágio Relatório final de estágio
Relatório final de estágio
Monique Elen Rodrigues de Araújo Oliveira
 
Relatorio social adoção
Relatorio social adoçãoRelatorio social adoção
Relatorio social adoção
Diario de Assistente Social
 
Projeto de intervenção estagio ii -
Projeto de intervenção   estagio ii -Projeto de intervenção   estagio ii -
Projeto de intervenção estagio ii -
Alexsandra Veras
 
A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)
Joanna de Angelis lopes
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
Alinebrauna Brauna
 
Serviço Social e Educação
Serviço Social e EducaçãoServiço Social e Educação
Serviço Social e Educação
Faculdade União das Américas
 
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência SocialCRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
Allan Shinkoda
 
5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)
Ana Ferraz
 
Reforma psiquiátrica e política de saúde mental
Reforma psiquiátrica e  política de saúde mentalReforma psiquiátrica e  política de saúde mental
Reforma psiquiátrica e política de saúde mental
multicentrica
 
Informativo suas, cras, creas .-o que é, diferenças-
Informativo  suas, cras, creas .-o que é, diferenças-Informativo  suas, cras, creas .-o que é, diferenças-
Informativo suas, cras, creas .-o que é, diferenças-
Rosane Domingues
 

Mais procurados (20)

VISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIARVISITA DOMICILIAR
VISITA DOMICILIAR
 
Suas 13 estudos de caso para debate
Suas  13 estudos de caso para debateSuas  13 estudos de caso para debate
Suas 13 estudos de caso para debate
 
Cras
CrasCras
Cras
 
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.CRAS e CREAS- Quem faz o que.
CRAS e CREAS- Quem faz o que.
 
Modelo parecer social
Modelo  parecer socialModelo  parecer social
Modelo parecer social
 
Serviços do CRAS
Serviços do CRASServiços do CRAS
Serviços do CRAS
 
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.Oficina de serviço social   elaboração de relatórios e laudos.
Oficina de serviço social elaboração de relatórios e laudos.
 
Saúde mental no sus
Saúde mental no susSaúde mental no sus
Saúde mental no sus
 
Apresentação serviços social
Apresentação serviços socialApresentação serviços social
Apresentação serviços social
 
Saúde Mental
Saúde Mental Saúde Mental
Saúde Mental
 
Relatório final de estágio
Relatório final de estágio Relatório final de estágio
Relatório final de estágio
 
Relatorio social adoção
Relatorio social adoçãoRelatorio social adoção
Relatorio social adoção
 
Projeto de intervenção estagio ii -
Projeto de intervenção   estagio ii -Projeto de intervenção   estagio ii -
Projeto de intervenção estagio ii -
 
A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)A rede de atenção psicossocial (raps)
A rede de atenção psicossocial (raps)
 
Saúde mental
Saúde mentalSaúde mental
Saúde mental
 
Serviço Social e Educação
Serviço Social e EducaçãoServiço Social e Educação
Serviço Social e Educação
 
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência SocialCRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
CRAS - Centro de Referencia de Assistência Social
 
5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)5093 palestra saude_mental_(3)
5093 palestra saude_mental_(3)
 
Reforma psiquiátrica e política de saúde mental
Reforma psiquiátrica e  política de saúde mentalReforma psiquiátrica e  política de saúde mental
Reforma psiquiátrica e política de saúde mental
 
Informativo suas, cras, creas .-o que é, diferenças-
Informativo  suas, cras, creas .-o que é, diferenças-Informativo  suas, cras, creas .-o que é, diferenças-
Informativo suas, cras, creas .-o que é, diferenças-
 

Semelhante a A atuação do Assistente Social no CAPS

caps.pptx
caps.pptxcaps.pptx
Trabalho escrito caps
Trabalho escrito capsTrabalho escrito caps
Trabalho escrito caps
Robeísa Danya
 
Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01
Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01
Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01
Adriana Carla Bogo
 
CAPS.pptx
CAPS.pptxCAPS.pptx
CAPS.pptx
Joice Lima
 
slides.pptx
slides.pptxslides.pptx
slides.pptx
AndraRibeiroSouza
 
5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos
5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos
5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos
Edison Santos
 
Raps mental tchê
Raps mental tchêRaps mental tchê
Raps mental tchê
Binô Zwetsch
 
Programa de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSFPrograma de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSF
Faculdade União das Américas
 
Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Trabalho sobre o Programa de Saúde da FamíliaTrabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Faculdade União das Américas
 
Serviço social e alcoolismo
Serviço social e alcoolismoServiço social e alcoolismo
Serviço social e alcoolismo
Carol Alves
 
Sm sus.pdf caps saude mental iraja-noite
Sm sus.pdf caps saude mental iraja-noiteSm sus.pdf caps saude mental iraja-noite
Sm sus.pdf caps saude mental iraja-noite
Edison Santos
 
Manual do caps
Manual do capsManual do caps
Manual do caps
Dacir Castro
 
O cuidado em saúde mental
O cuidado em saúde mentalO cuidado em saúde mental
O cuidado em saúde mental
Iasmin Castro
 
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
Creudenia Freitas Santos
 
Instrumentos de trabalho do profissional no creas
Instrumentos de trabalho do profissional no creasInstrumentos de trabalho do profissional no creas
Instrumentos de trabalho do profissional no creas
Roberta Lopes
 
Cartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental Paulistana
Cartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental PaulistanaCartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental Paulistana
Cartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental Paulistana
Centro de Desenvolvimento, Ensino e Pesquisa em Saúde - CEDEPS
 
psf
psfpsf
Processo seletivo 2014 2º semestre(19maio14)
Processo seletivo 2014   2º semestre(19maio14)Processo seletivo 2014   2º semestre(19maio14)
Processo seletivo 2014 2º semestre(19maio14)
ACSHospitais
 
Apresentação sm -caminhos-cuidado_novo
Apresentação sm -caminhos-cuidado_novoApresentação sm -caminhos-cuidado_novo
Apresentação sm -caminhos-cuidado_novo
André Oliveira
 
Aula saúde-da-família[1][1]
Aula saúde-da-família[1][1]Aula saúde-da-família[1][1]
Aula saúde-da-família[1][1]
Monica Mamedes
 

Semelhante a A atuação do Assistente Social no CAPS (20)

caps.pptx
caps.pptxcaps.pptx
caps.pptx
 
Trabalho escrito caps
Trabalho escrito capsTrabalho escrito caps
Trabalho escrito caps
 
Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01
Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01
Otrabalhodoassistentesocialnocapsad 130713013000-phpapp01
 
CAPS.pptx
CAPS.pptxCAPS.pptx
CAPS.pptx
 
slides.pptx
slides.pptxslides.pptx
slides.pptx
 
5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos
5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos
5 assistência+de+enfermagem+ao+paciente+com+distúrbios+cardíacos
 
Raps mental tchê
Raps mental tchêRaps mental tchê
Raps mental tchê
 
Programa de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSFPrograma de Saúde da Família (PSF
Programa de Saúde da Família (PSF
 
Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Trabalho sobre o Programa de Saúde da FamíliaTrabalho sobre o Programa de Saúde da Família
Trabalho sobre o Programa de Saúde da Família
 
Serviço social e alcoolismo
Serviço social e alcoolismoServiço social e alcoolismo
Serviço social e alcoolismo
 
Sm sus.pdf caps saude mental iraja-noite
Sm sus.pdf caps saude mental iraja-noiteSm sus.pdf caps saude mental iraja-noite
Sm sus.pdf caps saude mental iraja-noite
 
Manual do caps
Manual do capsManual do caps
Manual do caps
 
O cuidado em saúde mental
O cuidado em saúde mentalO cuidado em saúde mental
O cuidado em saúde mental
 
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
O sentido do cuidar para familiares de pessoas com transtorno mental: um estu...
 
Instrumentos de trabalho do profissional no creas
Instrumentos de trabalho do profissional no creasInstrumentos de trabalho do profissional no creas
Instrumentos de trabalho do profissional no creas
 
Cartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental Paulistana
Cartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental PaulistanaCartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental Paulistana
Cartilha Programa Rede Sampa - Saúde Mental Paulistana
 
psf
psfpsf
psf
 
Processo seletivo 2014 2º semestre(19maio14)
Processo seletivo 2014   2º semestre(19maio14)Processo seletivo 2014   2º semestre(19maio14)
Processo seletivo 2014 2º semestre(19maio14)
 
Apresentação sm -caminhos-cuidado_novo
Apresentação sm -caminhos-cuidado_novoApresentação sm -caminhos-cuidado_novo
Apresentação sm -caminhos-cuidado_novo
 
Aula saúde-da-família[1][1]
Aula saúde-da-família[1][1]Aula saúde-da-família[1][1]
Aula saúde-da-família[1][1]
 

A atuação do Assistente Social no CAPS

  • 1. A Atuação do Assistente Social no Centro de Atenção Psicossocial - CAPS GUTEMBERGUE DO NASCIMENTO GOMES HERNYN KELLY RIBEIRO LOPES COSTA ISABELA ANTONIA RODRIGUES FERREIRA MATEUS DE COUTO GOMES ROSANA SILVA NASCIMENTO REIS DE SOUZA TATIANE SOARES FLOR WESCLEY ROGER ALVES DA SILVA
  • 2. Surgimento do CAPS  O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) surgiu em São Paulo, no ano de 1987. Com recursos federais e de caráter público, esse novo serviço veio atender a demanda de atendimentos em saúde mental, tendo recebido o nome, a princípio, de Centro de Atenção Psicossocial Luiz da Rocha Cerqueira, com a sigla CAPS, que foi seguida posteriormente em todo o país pelos próprios usuários do serviço. O centro tornou-se um modelo institucional para os demais CAPS brasileiros.
  • 3. Objetivo Trabalhar o usuário como um ser na sua totalidade, levando em consideração a sua história de vida e o ambiente no qual está inserido. A reintegração social, fator fundamental no resgate dos nossos usuários, respeitando sua autonomia e as demandas a ela inerentes.
  • 4. Funções do CAPS  Prestar atendimento clínico em regime de atenção diária, evitando as internações em hospitais psiquiátricos;  Acolher e atender as pessoas com transtornos mentais graves e persistentes, procurando preservar e fortalecer os laços sociais do usuário em seu território;  Promover a inserção social das pessoas com transtornos mentais por meio de ações intersetoriais;  Regular a porta de entrada da rede de assistência em saúde mental na sua área de atuação;  Dar suporte a atenção à saúde mental na rede básica;  Organizar a rede de atenção às pessoas com transtornos mentais nos municípios;  Articular estrategicamente a rede e a política de saúde mental num determinado território;  Promover a reinserção social do indivíduo através do acesso ao trabalho, lazer, exercício dos direitos civis e fortalecimento dos laços familiares e comunitários.
  • 5. Atuação do Profissional de Serviço Social  O profissional de Serviço Social, tanto atende de forma individual, através: do acolhimento; visita domiciliar; acompanhamento social como atendimentos de forma coletiva: através dos grupos de família, grupos operativos, grupos de espera atividades comunitárias e visitas domiciliares com a família de forma grupal. É definido dependendo do objetivo da abordagem.
  • 6.  Segundo CFESS (2009), o assistente social atua no atendimento aos trabalhadores, seja individual ou em grupo, na pesquisa, no assessoramento na mobilização dos trabalhadores, compondo muitas vezes, equipe multiprofissional. Esses atendimentos são realizados da forma em que o profissional recebe a solicitação, ou seja, de acordo com o que foi relatado pelo usuário.  Se a demanda está direciona a um atendimento em grupo será então elaborada uma estratégia para a realização desse atendimento em grupo.
  • 7.  Nas equipes de saúde mental o assistente social deve contribuir para que a reforma psiquiátrica alcance seu projeto ético-político. Nessa direção, os profissionais de serviço social vão enfatizar as determinações sociais e culturais, preservando sua identidade profissional.  Portanto, é importante que o profissional possa sempre atuar de maneira responsável e coerente conforme as diretrizes. A necessidade de dinamicidade nas atividades do assistente social é algo indispensável para que ocorra uma boa interatividade com a equipe e os pacientes.
  • 8. Principais atribuições e responsabilidades  Promover a reinserção social dos usuários através de diversas ações, articulando saúde, educação, trabalho, cultura, lazer, esporte, esclarecimentos e educação da população, ou seja, utilizando recursos intersetoriais e criando estratégias conjuntas;  Proceder à entrevista para investigação, diagnósticos e intervenção psicossocial dos casos encaminhados por qualquer elemento da equipe multiprofissional ou de usuários que compareçam ao CAPS encaminhados ao serviço social;
  • 9.  Relatar através de impresso próprio, as entrevistas realizadas;  Elaborar boletim estatístico do movimento diário de entrevistas realizadas;  Levar ao conhecimento da equipe multiprofissional os problemas sociais que surgirem como prioridade na população atendida, apresentando sugestões para intervenção;  Elaborar estudos socioeconômicos dos usuários e suas famílias, com vistas a subsidiar a construção de laudos e pareceres sociais a perspectiva de garantia de direitos e de acesso aos serviços sociais e de saúde;
  • 10.  Facilitar e possibilitar o acesso dos usuários aos serviços, bem como a garantia de direitos na esfera da seguridade social por meio da criação de mecanismos e rotinas de ação;  Organizar, normatizar e sistematizar o cotidiano do trabalho do trabalho profissional por meio da criação e implementação de protocolos e rotinas de ação;  Realizar estudos e investigações com relação aos determinantes sociais da saúde;  Desempenhar outras atribuições que lhe forem delegadas pelo seu superior imediato, desde que estejam situadas nas atribuições e competências da categoria profissional do Serviço Social.
  • 11. Grupos e Serviço Social  Uma das contribuições que o serviço social pode dar como coordenador de grupos é fazer a analise das determinações econômicas, políticas e ideológicas, isto é, dos interesses materiais dos grupos, articuladas com as suas relações de poder e as representações da realidade social presentes no grupo e em seus integrantes.
  • 12. Família e Serviço Social  As famílias também são instituídas socialmente e tem objetos, produtos institucionais. Nelas também se dão conflitos materiais, de poder e de ideias que atravessam o comportamento dos usuários em tratamento no estabelecimento de Saúde Mental. Uma boa reabilitação em termos familiares é possível se o portador de transtorno mental, os parentes e os profissionais mantiverem entre se práticas não opressivas.
  • 13. Usuários que podem ser atendidos pelo CAPS  Todo cidadão pode ser atendido no CAPS. Não existe de fato na Saúde Mental caso mais grave ou menos grave. Existem pessoas que estão em maior ou menor surto ou que estão melhor ou de modo pior em relação ao sucesso de tratamento na área de Saúde Mental. O Atendimento do CAPS é municipal e interligado ao SUS. Um modo de evitar internamentos hoje desnecessários na saúde mental.
  • 14. Como ser atendido pelo CAPS  Para ser atendido basta procurar diretamente este serviço ou ser encaminhado pelo PSF (Posto de Saúde da Família) ou outros serviços de saúde.
  • 15.
  • 16. Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos. Fernando Pessoa