SlideShare uma empresa Scribd logo
Seminário Auto Data Eficiência Energética

Eficiência Energética Veicular:
Políticas Governamentais
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio
Exterior - MDIC
Previsão de Vendas de Novos Veículos
Vendas de Novos Veículos
7.000.000

6.000.000

5.000.000

4.000.000

3.000.000

2.000.000

1.000.000

Fonte: IHS, 2010.

-

2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025
Passenger Car/LCV

Medium/Heavy

Vendas devem duplicar em 2025 quando comparado a 2010 –
6 milhões de unidades em 2025..
2
Aumento da Frota Brasileira: Oportunidade para a Melhoria da Eficiência
Energética dos Veículos Automotores
90.000
80.000

70.000
mil veículos

60.000
50.000
40.000
30.000
20.000
10.000
0

2.011
Ônibus
349
Motocicletas
12.572
Comerciais leves 5.064
Caminhões
1.530
Automóveis
26.032

2.012
376
13.596
5.596
1.629
27.643

2.013
403
14.637
6.145
1.728
29.321

2.014
430
15.697
6.712
1.826
31.065

2.015
458
16.779
7.293
1.926
32.873

2.016
485
17.886
7.890
2.025
34.747

2.017
512
19.018
8.500
2.125
36.684

2.018
539
20.179
9.124
2.225
38.688

2.019
566
21.373
9.760
2.324
40.757

2.020
593
22.605
10.409
2.424
42.895

2.021
620
23.882
11.072
2.524
45.103

Aumento no número de veículos em uso – Frota dobra no período 2010-2020.
Fonte: 1º Inventário Nacional de Fontes Móveis (MMA)

3
Aumento das Emissões de CO2 no Brasil (milhões t): Oportunidade para a
Melhoria da Eficiência Energética dos Veículos Automotores

Aumento das emissões de CO2 – Emissões duplicam no período 2000-2020.
Fonte: Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA)

4
O Problema da Eficiência Energética dos Veículos

Fonte: IHS, 2010.

Cerca de 15% da energia do combustível é utilizado para movimentar o
carro - 85% da energia é perdida.
Existe um grande potencial para melhoria da eficiência energética com
tecnologias avançadas.
5
Legislações para Economia de Combustíveis: Principais Países
280
US

Europe

240

Japan

China

220

S.Korea

Canada

200

Australia

260

180
160
140
120
100
80
Fonte: IHS, 2010.

60

2003

2006

2009

2012

2015

2018

2021

2024

2027

2030

Globalmente, os principais players do setor automotivo, seguem as diretrizes
de política pública para melhoria da eficiência energética de veículos
estabelecidas pela Europa.
6
Marcos Regulatórios Globais: Resultados de Programas Regulatórios e
Voluntários
Padrões Regulatórios

Metas Voluntárias

Ano de Definição

Ano da Meta

Resultados

Ano de Definição

Ano da Meta

Resultados

Japan

1999
2007

2010
2015

Alcançado
Desconhecido

European
Union

2008

2012

Desconhecido

1978
1993
1995
1999

1985
2002
2012
2008

Não Alcançado
Não Alcançado
Desconhecido
Não Alcançado

United States

1975
2006

Each MY

Alcançado
1976
2005

Each MY
2010

Alcançado

Canada
2004
2004

China

2005
2008

Fonte: IHS, 2010.

Alcançado

Australia

1978
1987
2005

Korea

2006
2009

2012
2015

Desconhecido
Desconhecido

1987
2000
2009

Não Alcançado
Não Alcançado
Desconhecido

2005

2009

Desconhecido
Fonte: IHS, 2010.

7
Ciclos de Testes: Diferentes Características
120

80

100

Highway Mode

120
Speed (km/h)

100

JPN: 10-15

60
40

EU: ECE+EUDC

80
60
40
20

20

0

0
0

100

200

300

400

500

600

0

700

100 200

300 400

500 600

700 800

120

10min. Soak

100

US: LA-4(FTP75)

80
60

20

100 200

300

400 500 600 700

800

900 1000 1100 1200 1300 1400 1500 1600 1700 1800 1900
Time (sec)

Condições das medições variam por regiões:
Velocidade máxima, Velocidade media, Taxa de aceleração.
8

BRASIL
Fonte: IHS, 2010.

40

0
0

900 1000 1100 1200

Time (sec)

Time (sec)

Speed (km/h)

Speed (km/h)

City Mode

140
Indústria Automotiva Brasileira: Políticas Públicas
• Grande potencial para melhoria da eficiência energética veicular.
• Europa, Japão, U.S. e China apresentam legislação voltada à melhoria
da eficiência energética dos veículos.
• Programas voluntários apresentam menor efetividade que legislações
mandatórias na introdução de novas tecnologias nos veículos.
• Diversidade dos ciclos de testes no mundo resultam na necessidade de
adaptação das tecnologias para o ciclo de teste da região/País –
Criação de ilhas de tecnologia. Entretanto, a indústria automotiva global
se apoia na aceleração de programas para a racionalização da
produção e na consolidação global de plataformas.
• O setor automotivo no Brasil tem perdido competitividade, com riscos
para o setor no médio prazo, devido à baixa adoção de tecnologia nos
veículos que produz, a estrutura de custos da indústria, a fragmentação
da cadeia de suprimentos e baixo conteúdo, entre outros.
Janela de oportunidade para o Brasil:
Eficiência Energética é um driver para a incorporação de novas tecnologias.
Indústria Automotiva Brasileira: Políticas Públicas
• Acelerar o processo de eliminação de barreiras estruturais à
competividade.
• Aumentar a qualidade, a produtividade e a produção de
veículos e componentes com maior conteúdo tecnológico.
• Fortalecer a cadeia produtiva automotiva.

• Fortalecer P&D, Inovação e Engenharia locais.
• Ampliar as exportações de veículos e autopeças.

Melhorar a eficiência energética dos veículos brasileiros.
Conselho de Competitividade Automotivo:
Agenda Estratégica
• Objetivo:
• Aprimorar o marco regulatório para eficiência energética.
• Medidas:
• Estabelecer metas de eficiência energética a serem cumpridas
por automóveis e comerciais leves no âmbito do Programa
Inovar-Auto.
• Elaborar legislação de metas compulsórias a serem cumpridas
por veículos pesados e por veículos leves comercializados no
Brasil a partir de 2017.
• Ações Implantadas e em Curso:
• Veículos Leves: INOVAR-AUTO.
• Veículos Leves e Pesados: Discussão de uma política de
eficiência energética (médio e longo prazos) veículos leves e
pesados (caminhões e ônibus) – Pós 2017.
Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da
Cadeia Produtiva de Veículos Automotores: INOVAR-AUTO

• Melhoria da competitividade e da qualidade dos
veículos brasileiros (mercado interno e exportação).
• Fortalecimento da cadeia produtiva automotiva.
• Desenvolvimento de fornecedores nacionais.
• Estímulo à P&D e Inovação e engenharia automotiva.
• Incorporação de novas tecnologias nos veículos.
• Melhoria da segurança e da eficiência energética dos
veículos.
Elevação do patamar tecnológico associados aos produtos
e ao processos da indústria automotiva nacional.
INOVAR-AUTO: Eficiência Energética
METAS

Linha de base - 2011
Meta para habilitação (2017)
Meta para redução de 1 pp no IPI – 2016 ou 17
Meta para redução de 2 pp no IPI – 2016 ou 17

Autonomia km/l
Gasolina
Etanol
(E22)
(E100)
14,00
9,71
15,93
11,04
16,57
11,48
17,26

11,96

Consumo
energético
MJ/KM
2,07
1,82
1,75

Incremento de
eficiência
energética(%)

1,68

18,84%

12,08%
15,46%

Metas:
• “Meta desafio” de 1,68 MJ/KM, para 2016, (ou 17,26 Km/l com gasolina e
11,96 Km/l com etanol) equivale à meta europeia de 2015 (130 g de CO2
/Km).
• Eficiência energética: níveis de autonomia expressos em quilômetros por
litro de combustível (Km/l) ou níveis de consumo energético expressos
em megajoules por quilômetro (MJ/Km), medidos segundo o ciclo de
testes combinado (urbano e estrada).
• Para atingir as metas de eficiência energética, as empresas precisarão
incorporar novas tecnologias nos veículos, elevando o padrão nacional
com produtos de maior valor agregado.

13
INOVAR-AUTO: Eficiência Energética

Consumo energético (MJ/Km)

Baseline

Meta habilitação
Meta IPI 1 pp
Meta IPI 2 pp

Massa (kg)
INOVAR-AUTO: Multa por Ineficiência Energética dos
Veículos
• R$ 50,00 para até o primeiro centésimo, inclusive, maior que a
meta de eficiência energética, expressa em megajoules por
quilômetro, estabelecida para a empresa habilitada.
• R$ 90,00 a partir do primeiro centésimo, exclusive, até o
segundo centésimo, inclusive, maior que a meta de eficiência
energética.
• R$ 270,00 a partir do segundo centésimo, exclusive, até o
terceiro centésimo, inclusive, maior que a meta de eficiência
energética.
• R$ 360,00 a partir do terceiro centésimo, exclusive, para cada
centésimo maior que a meta de eficiência energética.
• Os valores deverão ser multiplicados pelo número de veículos
comercializados pela empresa a partir da data da primeira
habilitação ao INOVAR-AUTO.
INOVAR-AUTO: Eficiência Energética dos Veículos
• Massa dos veículos: Massa do veículo completo em ordem de
marcha.
• Vendas: Licenciamentos dos veículos conforme dados do
Departamento Nacional de Trânsito –Denatran .
• Âmbito de aplicação: Veículos equipados com motor a gasolina ou
com motor a etanol ou com motor que utilize alternativa ou
simultaneamente gasolina e etanol (motorização flex) e veículos
híbridos e elétricos.
• Verificação do consumo energético: A partir de 1º de outubro de
2016 até 31 de dezembro de 2017.
• Verificação da manutenção dos níveis de eficiência: Até 31 de
dezembro de cada ano – 2018, 2019 e 2020.
• Regras complementares poderão ser editadas por meio de ato do
MDIC.
Eficiência Energética: Regulamentação (em discussão)
• Acompanhamento anual dos níveis de eficiência energética: Antes
e após o alcance das metas - 1º de novembro de 2015 a 1º de
novembro de 2019.
• Créditos off-cycle: Concedidos para reduzir o consumo energético de
cada veículo devido à incorporação de novas tecnologias cujos
benefícios de redução de consumo não são plenamente mensuráveis no
respectivo ciclo de testes.
• Poderão ser requeridos testes, cálculos ou informações adicionais para
quantificar os ganhos de eficiência energética relativo a tecnologias offcycle.
• Os créditos off-cycle terão como limite de concessão de crédito o valor
de 0,0936 MJ/KM por empresa habilitada.
• Para ser elegível ao crédito off-cycle, o crédito para um modelo específico
deve ser de no mínimo 0,0100 MJ/km.
Projeção de Resultados:
Simulação de Investimentos em Tecnologia: Brasil 2012-2016

Fonte: IHS

A definição das metas de eficiência energética pelo Inovar-Auto deve
levar a um investimento adicional, ao já previsto pelas empresas, de R$
2,0 bilhões no período 2013-2016 (Fonte: IHS)
reais

Projeção de Resultados: Simulação de Investimentos
Incrementais por Tecnologia - Brasil 2012-2016

Fonte: IHS
Inovar-Auto: Impacto nas Emissões de CO2 Fóssil e na Demanda por
Gasolina C – Estimativa IEMA
Três cenários:

•

•
•

Cenário base: Cenário baseado nas projeções de eficiência energética
apresentadas no Plano Decenal de Energia – 2021 (EPE/MME), onde são
consideradas apenas as forças de mercado e avanços tecnológicos
espontâneos. Nessas condições, projeta-se uma melhora de 0,7% ao
ano na eficiência média dos veículos leves novos que entrarão em
circulação no País.
Cenário 1 (“meta compulsória” do INOVAR-AUTO): Melhoria, até 2017,
da eficiência energética dos veículos leves de 12,08%, em relação ao
nível atual.
Cenário 2 (“meta voluntária” do INOVAR-AUTO): Melhoria, até 2017, da
eficiência energética dos veículos leves de 18,84%, em relação ao nível
atual (redução adicional de 2 pontos percentuais no IPI).
Emissões de CO2 fóssil (mil t)

Inovar-Auto: Impacto nas Emissões de CO2 Fóssil por Veículos Leves (mil t)

80.000
78.000
76.000
74.000
72.000
70.000
68.000
66.000
64.000
62.000

2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
2021
cenário base- veículos leves 71.340 70.267 70.653 70.622 72.284 73.885 75.437 76.951 78.436
cenário 1- veículos leves
71.340 70.129 70.110 69.424 70.198 70.839 71.507 72.223 73.002
cenário 2- veículos leves
71.340 69.941 69.395 67.900 67.886 67.886 67.918 68.003 68.161

Estima-se que as emissões evitadas de CO2 fóssil, acumuladas
entre 2014 e 2021, estarão entre 21,1 milhões t (Cenário 1) e
41,5 milhões t (Cenário 2).

Fonte: IEMA
Inovar Auto: Potencial de Redução de Emissões de CO2 (milhões t)
45

41,5

40
33

35
30
25

21,2

20

15

15

10

10
5
0

Inovar-Auto
(cenário 1)

Inovar-Auto
(cenário 2)

Eficiência
energética *

Energia
alternativa *

Carvão
vegetal *

* Compromissos voluntários assumidos pelo governo brasileiro até 2020 (Acordo de Copenhague - Convenção-Quadro das
Nações Unidas sobre Mudança do Clima)
Carvão vegetal: substituição de mata nativa por florestas plantadas na produção de ferro-gusa.
Inovar-Auto: Impacto na Demanda por Gasolina C (milhões l) – Veículos Leves
36.000

milhões de litros

34.000
32.000
30.000
28.000
26.000
24.000

22.000
20.000

2011
cenário base- veículos leves 32.834
cenário 1- veículos leves
32.834
cenário 2- veículos leves
32.834

2012
34.122
34.122
34.122

2013
34.379
34.379
34.379

2014
34.349
34.265
34.152

2015
34.044
33.722
33.286

2016
33.481
32.782
31.840

2017
33.908
32.702
31.256

2018
34.290
32.547
30.673

Estima-se que a economia de gasolina C, acumulada entre 2014
e 2021, estará entre 12 bilhões de litros (Cenário 1) e 28 bilhões
de litros (Cenário 2).

2019
34.634
32.415
30.101

2020
34.945
32.315
29.551

2021
35.231
32.259
29.037

Fonte: IEMA
INOVAR-AUTO: Panorama Atual - Habilitações

•

Até o momento, há 48 habilitações no INOVAR-AUTO:

•
•
•
•
•
•

21 fabricantes.
14 importadores.
13 novos investimentos.
Previsão de investimentos em ativos fixos: R$ 8,0 bilhões.
Previsão de incremento da capacidade instalada de
produção: 525 mil veículos
Previsão de 12,5 mil novos empregos diretos
Indústria Automotiva Brasileira: Visão 2012-2017

•

Novo ciclo da indústria automotiva brasileira:

•
•
•

•
•
•

•

Aumento da competitividade e dos investimentos na cadeia
automotiva.
Produtos de maior valor agregado e conteúdo tecnológico.
Veículos com mais qualidade, energeticamente eficientes,
seguros e aptos a concorrer nos mercados interno e externo.

Inserção do País na rota global do desenvolvimento
tecnológico, com a incorporação de novas tecnologias nos
veículos.
Consolidação do País entre os produtores automotivos
globais - processo de eliminação de barreiras estruturais à
competividade.
Fortalecimento da cadeia produtiva automotiva e da
manufatura local.
Efeitos multiplicadores na economia e na sociedade brasileira.
Obrigada !
Margarete Gandini
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

margarete.gandini@mdic.gov.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL EnergiaApresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL Energia
CPFL RI
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
CPFL RI
 
Gb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são paulo
Gb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são pauloGb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são paulo
Gb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são paulo
Galvabrasil
 
Apresentação Institucional - CPFL Energia
Apresentação Institucional - CPFL EnergiaApresentação Institucional - CPFL Energia
Apresentação Institucional - CPFL Energia
CPFL RI
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016
Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016
Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016
CPFL RI
 
Gestão de-energia
Gestão de-energia Gestão de-energia
Gestão de-energia
Maria Teixiera
 
Perspectivas do Setor Elétrico
Perspectivas do Setor ElétricoPerspectivas do Setor Elétrico
Perspectivas do Setor Elétrico
ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
CPFL RI
 
Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015
Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015
Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015
Câmara de Comercialização de Energia Elétrica
 
Apresentação de Resultados 1T17 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 1T17 - CPFL EnergiaApresentação de Resultados 1T17 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 1T17 - CPFL Energia
CPFL RI
 
Sessão Temática - Infra-estrutura - Eduardo Carlos Spalding - 2007
Sessão Temática - Infra-estrutura -   Eduardo Carlos Spalding - 2007Sessão Temática - Infra-estrutura -   Eduardo Carlos Spalding - 2007
Sessão Temática - Infra-estrutura - Eduardo Carlos Spalding - 2007
Confederação Nacional da Indústria
 
O papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energia
O papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energiaO papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energia
O papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energia
Câmara de Comercialização de Energia Elétrica
 
Financiamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento Nacionais
Financiamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento NacionaisFinanciamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento Nacionais
Financiamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento Nacionais
slides-mci
 

Mais procurados (13)

Apresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL EnergiaApresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 4T16/2016 - CPFL Energia
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Maio 2017
 
Gb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são paulo
Gb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são pauloGb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são paulo
Gb2013 carlos antonio cavalcanti_federação das indústrias do estado de são paulo
 
Apresentação Institucional - CPFL Energia
Apresentação Institucional - CPFL EnergiaApresentação Institucional - CPFL Energia
Apresentação Institucional - CPFL Energia
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016
Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016
Corporate Presentation CPFL Energia - Novembro 2016
 
Gestão de-energia
Gestão de-energia Gestão de-energia
Gestão de-energia
 
Perspectivas do Setor Elétrico
Perspectivas do Setor ElétricoPerspectivas do Setor Elétrico
Perspectivas do Setor Elétrico
 
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
Corporate Presentation CPFL Energia - Agosto 2017
 
Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015
Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015
Agenda do mercado livre de energia elétrica para 2015
 
Apresentação de Resultados 1T17 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 1T17 - CPFL EnergiaApresentação de Resultados 1T17 - CPFL Energia
Apresentação de Resultados 1T17 - CPFL Energia
 
Sessão Temática - Infra-estrutura - Eduardo Carlos Spalding - 2007
Sessão Temática - Infra-estrutura -   Eduardo Carlos Spalding - 2007Sessão Temática - Infra-estrutura -   Eduardo Carlos Spalding - 2007
Sessão Temática - Infra-estrutura - Eduardo Carlos Spalding - 2007
 
O papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energia
O papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energiaO papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energia
O papel institucional da CCEE e a operação do mercado de energia
 
Financiamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento Nacionais
Financiamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento NacionaisFinanciamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento Nacionais
Financiamento para Eficiência Energética nas Agências de Fomento Nacionais
 

Semelhante a 3 palestra margarete_eficiencia_energetica

2 palestra pimenta_eficiencia_energetica
2 palestra pimenta_eficiencia_energetica2 palestra pimenta_eficiencia_energetica
2 palestra pimenta_eficiencia_energetica
Fabricio Lopez
 
Plano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.ePlano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.e
David Sobrinho
 
Regime automotivo
Regime automotivoRegime automotivo
Regime automotivo
Eliézer Vasconcelos
 
HVGV - Hidrogeno Veículos Geração Verde
HVGV - Hidrogeno Veículos Geração VerdeHVGV - Hidrogeno Veículos Geração Verde
HVGV - Hidrogeno Veículos Geração Verde
Marco Coghi
 
Veículos elétricos
Veículos elétricosVeículos elétricos
Veículos elétricos
Lucio Guido Carpio
 
Gestão de-energia
Gestão de-energiaGestão de-energia
Gestão de-energia
Maria Teixiera
 
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02
Evandro Gama (Prof. Dr.)
 
Inovar-Auto
Inovar-AutoInovar-Auto
Inovar-Auto
glau2
 
Agências de Fomento Internacionais
Agências de Fomento InternacionaisAgências de Fomento Internacionais
Agências de Fomento Internacionais
slides-mci
 
Inovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor Automobilístico
Inovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor AutomobilísticoInovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor Automobilístico
Inovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor Automobilístico
CESAR
 
Programa de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas Gerais
Programa de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas GeraisPrograma de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas Gerais
Programa de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas Gerais
Neimar Costa
 
Jania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficienciaJania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficiencia
Evandro Calisto
 
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo Morem
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo MoremCarta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo Morem
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo Morem
Fundação de Economia e Estatística
 
KM Inovação - Marcelo castilho
KM Inovação - Marcelo castilhoKM Inovação - Marcelo castilho
KM Inovação - Marcelo castilho
Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento
 
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e EletrobrásProcel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Ampla Energia S.A.
 
Livro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdf
Livro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdfLivro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdf
Livro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdf
ssusera07a36
 
Dwnl plano.carros.eficientes.2013
Dwnl plano.carros.eficientes.2013Dwnl plano.carros.eficientes.2013
Dwnl plano.carros.eficientes.2013
Vava Vava
 
Plano de Qualidade da CET - 2003
Plano de Qualidade da CET - 2003Plano de Qualidade da CET - 2003
Plano de Qualidade da CET - 2003
Chico Macena
 
Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...
Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...
Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...
Fundação Dom Cabral - FDC
 
Painel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência Energética
Painel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência EnergéticaPainel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência Energética
Painel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência Energética
UKinBrazilNetwork
 

Semelhante a 3 palestra margarete_eficiencia_energetica (20)

2 palestra pimenta_eficiencia_energetica
2 palestra pimenta_eficiencia_energetica2 palestra pimenta_eficiencia_energetica
2 palestra pimenta_eficiencia_energetica
 
Plano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.ePlano de comunicação para a gama z.e
Plano de comunicação para a gama z.e
 
Regime automotivo
Regime automotivoRegime automotivo
Regime automotivo
 
HVGV - Hidrogeno Veículos Geração Verde
HVGV - Hidrogeno Veículos Geração VerdeHVGV - Hidrogeno Veículos Geração Verde
HVGV - Hidrogeno Veículos Geração Verde
 
Veículos elétricos
Veículos elétricosVeículos elétricos
Veículos elétricos
 
Gestão de-energia
Gestão de-energiaGestão de-energia
Gestão de-energia
 
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02
ProIndústria 2018 - dia 23 - H201 - A02
 
Inovar-Auto
Inovar-AutoInovar-Auto
Inovar-Auto
 
Agências de Fomento Internacionais
Agências de Fomento InternacionaisAgências de Fomento Internacionais
Agências de Fomento Internacionais
 
Inovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor Automobilístico
Inovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor AutomobilísticoInovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor Automobilístico
Inovar-Auto - Lei de Inovação para o Setor Automobilístico
 
Programa de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas Gerais
Programa de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas GeraisPrograma de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas Gerais
Programa de Incentivo à Renovação da Frota de Caminhões em Minas Gerais
 
Jania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficienciaJania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficiencia
 
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo Morem
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo MoremCarta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo Morem
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Rodrigo Morem
 
KM Inovação - Marcelo castilho
KM Inovação - Marcelo castilhoKM Inovação - Marcelo castilho
KM Inovação - Marcelo castilho
 
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e EletrobrásProcel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
 
Livro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdf
Livro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdfLivro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdf
Livro digital do Projeto Hidrogênio-2.pdf
 
Dwnl plano.carros.eficientes.2013
Dwnl plano.carros.eficientes.2013Dwnl plano.carros.eficientes.2013
Dwnl plano.carros.eficientes.2013
 
Plano de Qualidade da CET - 2003
Plano de Qualidade da CET - 2003Plano de Qualidade da CET - 2003
Plano de Qualidade da CET - 2003
 
Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...
Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...
Transformação Global das Indústrias até 2025: como mapear tendências e captar...
 
Painel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência Energética
Painel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência EnergéticaPainel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência Energética
Painel 2 – Aliança Empresarial pela Eficiência Energética
 

3 palestra margarete_eficiencia_energetica

  • 1. Seminário Auto Data Eficiência Energética Eficiência Energética Veicular: Políticas Governamentais Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC
  • 2. Previsão de Vendas de Novos Veículos Vendas de Novos Veículos 7.000.000 6.000.000 5.000.000 4.000.000 3.000.000 2.000.000 1.000.000 Fonte: IHS, 2010. - 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 2022 2023 2024 2025 Passenger Car/LCV Medium/Heavy Vendas devem duplicar em 2025 quando comparado a 2010 – 6 milhões de unidades em 2025.. 2
  • 3. Aumento da Frota Brasileira: Oportunidade para a Melhoria da Eficiência Energética dos Veículos Automotores 90.000 80.000 70.000 mil veículos 60.000 50.000 40.000 30.000 20.000 10.000 0 2.011 Ônibus 349 Motocicletas 12.572 Comerciais leves 5.064 Caminhões 1.530 Automóveis 26.032 2.012 376 13.596 5.596 1.629 27.643 2.013 403 14.637 6.145 1.728 29.321 2.014 430 15.697 6.712 1.826 31.065 2.015 458 16.779 7.293 1.926 32.873 2.016 485 17.886 7.890 2.025 34.747 2.017 512 19.018 8.500 2.125 36.684 2.018 539 20.179 9.124 2.225 38.688 2.019 566 21.373 9.760 2.324 40.757 2.020 593 22.605 10.409 2.424 42.895 2.021 620 23.882 11.072 2.524 45.103 Aumento no número de veículos em uso – Frota dobra no período 2010-2020. Fonte: 1º Inventário Nacional de Fontes Móveis (MMA) 3
  • 4. Aumento das Emissões de CO2 no Brasil (milhões t): Oportunidade para a Melhoria da Eficiência Energética dos Veículos Automotores Aumento das emissões de CO2 – Emissões duplicam no período 2000-2020. Fonte: Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA) 4
  • 5. O Problema da Eficiência Energética dos Veículos Fonte: IHS, 2010. Cerca de 15% da energia do combustível é utilizado para movimentar o carro - 85% da energia é perdida. Existe um grande potencial para melhoria da eficiência energética com tecnologias avançadas. 5
  • 6. Legislações para Economia de Combustíveis: Principais Países 280 US Europe 240 Japan China 220 S.Korea Canada 200 Australia 260 180 160 140 120 100 80 Fonte: IHS, 2010. 60 2003 2006 2009 2012 2015 2018 2021 2024 2027 2030 Globalmente, os principais players do setor automotivo, seguem as diretrizes de política pública para melhoria da eficiência energética de veículos estabelecidas pela Europa. 6
  • 7. Marcos Regulatórios Globais: Resultados de Programas Regulatórios e Voluntários Padrões Regulatórios Metas Voluntárias Ano de Definição Ano da Meta Resultados Ano de Definição Ano da Meta Resultados Japan 1999 2007 2010 2015 Alcançado Desconhecido European Union 2008 2012 Desconhecido 1978 1993 1995 1999 1985 2002 2012 2008 Não Alcançado Não Alcançado Desconhecido Não Alcançado United States 1975 2006 Each MY Alcançado 1976 2005 Each MY 2010 Alcançado Canada 2004 2004 China 2005 2008 Fonte: IHS, 2010. Alcançado Australia 1978 1987 2005 Korea 2006 2009 2012 2015 Desconhecido Desconhecido 1987 2000 2009 Não Alcançado Não Alcançado Desconhecido 2005 2009 Desconhecido Fonte: IHS, 2010. 7
  • 8. Ciclos de Testes: Diferentes Características 120 80 100 Highway Mode 120 Speed (km/h) 100 JPN: 10-15 60 40 EU: ECE+EUDC 80 60 40 20 20 0 0 0 100 200 300 400 500 600 0 700 100 200 300 400 500 600 700 800 120 10min. Soak 100 US: LA-4(FTP75) 80 60 20 100 200 300 400 500 600 700 800 900 1000 1100 1200 1300 1400 1500 1600 1700 1800 1900 Time (sec) Condições das medições variam por regiões: Velocidade máxima, Velocidade media, Taxa de aceleração. 8 BRASIL Fonte: IHS, 2010. 40 0 0 900 1000 1100 1200 Time (sec) Time (sec) Speed (km/h) Speed (km/h) City Mode 140
  • 9. Indústria Automotiva Brasileira: Políticas Públicas • Grande potencial para melhoria da eficiência energética veicular. • Europa, Japão, U.S. e China apresentam legislação voltada à melhoria da eficiência energética dos veículos. • Programas voluntários apresentam menor efetividade que legislações mandatórias na introdução de novas tecnologias nos veículos. • Diversidade dos ciclos de testes no mundo resultam na necessidade de adaptação das tecnologias para o ciclo de teste da região/País – Criação de ilhas de tecnologia. Entretanto, a indústria automotiva global se apoia na aceleração de programas para a racionalização da produção e na consolidação global de plataformas. • O setor automotivo no Brasil tem perdido competitividade, com riscos para o setor no médio prazo, devido à baixa adoção de tecnologia nos veículos que produz, a estrutura de custos da indústria, a fragmentação da cadeia de suprimentos e baixo conteúdo, entre outros. Janela de oportunidade para o Brasil: Eficiência Energética é um driver para a incorporação de novas tecnologias.
  • 10. Indústria Automotiva Brasileira: Políticas Públicas • Acelerar o processo de eliminação de barreiras estruturais à competividade. • Aumentar a qualidade, a produtividade e a produção de veículos e componentes com maior conteúdo tecnológico. • Fortalecer a cadeia produtiva automotiva. • Fortalecer P&D, Inovação e Engenharia locais. • Ampliar as exportações de veículos e autopeças. Melhorar a eficiência energética dos veículos brasileiros.
  • 11. Conselho de Competitividade Automotivo: Agenda Estratégica • Objetivo: • Aprimorar o marco regulatório para eficiência energética. • Medidas: • Estabelecer metas de eficiência energética a serem cumpridas por automóveis e comerciais leves no âmbito do Programa Inovar-Auto. • Elaborar legislação de metas compulsórias a serem cumpridas por veículos pesados e por veículos leves comercializados no Brasil a partir de 2017. • Ações Implantadas e em Curso: • Veículos Leves: INOVAR-AUTO. • Veículos Leves e Pesados: Discussão de uma política de eficiência energética (médio e longo prazos) veículos leves e pesados (caminhões e ônibus) – Pós 2017.
  • 12. Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica e Adensamento da Cadeia Produtiva de Veículos Automotores: INOVAR-AUTO • Melhoria da competitividade e da qualidade dos veículos brasileiros (mercado interno e exportação). • Fortalecimento da cadeia produtiva automotiva. • Desenvolvimento de fornecedores nacionais. • Estímulo à P&D e Inovação e engenharia automotiva. • Incorporação de novas tecnologias nos veículos. • Melhoria da segurança e da eficiência energética dos veículos. Elevação do patamar tecnológico associados aos produtos e ao processos da indústria automotiva nacional.
  • 13. INOVAR-AUTO: Eficiência Energética METAS Linha de base - 2011 Meta para habilitação (2017) Meta para redução de 1 pp no IPI – 2016 ou 17 Meta para redução de 2 pp no IPI – 2016 ou 17 Autonomia km/l Gasolina Etanol (E22) (E100) 14,00 9,71 15,93 11,04 16,57 11,48 17,26 11,96 Consumo energético MJ/KM 2,07 1,82 1,75 Incremento de eficiência energética(%) 1,68 18,84% 12,08% 15,46% Metas: • “Meta desafio” de 1,68 MJ/KM, para 2016, (ou 17,26 Km/l com gasolina e 11,96 Km/l com etanol) equivale à meta europeia de 2015 (130 g de CO2 /Km). • Eficiência energética: níveis de autonomia expressos em quilômetros por litro de combustível (Km/l) ou níveis de consumo energético expressos em megajoules por quilômetro (MJ/Km), medidos segundo o ciclo de testes combinado (urbano e estrada). • Para atingir as metas de eficiência energética, as empresas precisarão incorporar novas tecnologias nos veículos, elevando o padrão nacional com produtos de maior valor agregado. 13
  • 14. INOVAR-AUTO: Eficiência Energética Consumo energético (MJ/Km) Baseline Meta habilitação Meta IPI 1 pp Meta IPI 2 pp Massa (kg)
  • 15. INOVAR-AUTO: Multa por Ineficiência Energética dos Veículos • R$ 50,00 para até o primeiro centésimo, inclusive, maior que a meta de eficiência energética, expressa em megajoules por quilômetro, estabelecida para a empresa habilitada. • R$ 90,00 a partir do primeiro centésimo, exclusive, até o segundo centésimo, inclusive, maior que a meta de eficiência energética. • R$ 270,00 a partir do segundo centésimo, exclusive, até o terceiro centésimo, inclusive, maior que a meta de eficiência energética. • R$ 360,00 a partir do terceiro centésimo, exclusive, para cada centésimo maior que a meta de eficiência energética. • Os valores deverão ser multiplicados pelo número de veículos comercializados pela empresa a partir da data da primeira habilitação ao INOVAR-AUTO.
  • 16. INOVAR-AUTO: Eficiência Energética dos Veículos • Massa dos veículos: Massa do veículo completo em ordem de marcha. • Vendas: Licenciamentos dos veículos conforme dados do Departamento Nacional de Trânsito –Denatran . • Âmbito de aplicação: Veículos equipados com motor a gasolina ou com motor a etanol ou com motor que utilize alternativa ou simultaneamente gasolina e etanol (motorização flex) e veículos híbridos e elétricos. • Verificação do consumo energético: A partir de 1º de outubro de 2016 até 31 de dezembro de 2017. • Verificação da manutenção dos níveis de eficiência: Até 31 de dezembro de cada ano – 2018, 2019 e 2020. • Regras complementares poderão ser editadas por meio de ato do MDIC.
  • 17. Eficiência Energética: Regulamentação (em discussão) • Acompanhamento anual dos níveis de eficiência energética: Antes e após o alcance das metas - 1º de novembro de 2015 a 1º de novembro de 2019. • Créditos off-cycle: Concedidos para reduzir o consumo energético de cada veículo devido à incorporação de novas tecnologias cujos benefícios de redução de consumo não são plenamente mensuráveis no respectivo ciclo de testes. • Poderão ser requeridos testes, cálculos ou informações adicionais para quantificar os ganhos de eficiência energética relativo a tecnologias offcycle. • Os créditos off-cycle terão como limite de concessão de crédito o valor de 0,0936 MJ/KM por empresa habilitada. • Para ser elegível ao crédito off-cycle, o crédito para um modelo específico deve ser de no mínimo 0,0100 MJ/km.
  • 18. Projeção de Resultados: Simulação de Investimentos em Tecnologia: Brasil 2012-2016 Fonte: IHS A definição das metas de eficiência energética pelo Inovar-Auto deve levar a um investimento adicional, ao já previsto pelas empresas, de R$ 2,0 bilhões no período 2013-2016 (Fonte: IHS)
  • 19. reais Projeção de Resultados: Simulação de Investimentos Incrementais por Tecnologia - Brasil 2012-2016 Fonte: IHS
  • 20. Inovar-Auto: Impacto nas Emissões de CO2 Fóssil e na Demanda por Gasolina C – Estimativa IEMA Três cenários: • • • Cenário base: Cenário baseado nas projeções de eficiência energética apresentadas no Plano Decenal de Energia – 2021 (EPE/MME), onde são consideradas apenas as forças de mercado e avanços tecnológicos espontâneos. Nessas condições, projeta-se uma melhora de 0,7% ao ano na eficiência média dos veículos leves novos que entrarão em circulação no País. Cenário 1 (“meta compulsória” do INOVAR-AUTO): Melhoria, até 2017, da eficiência energética dos veículos leves de 12,08%, em relação ao nível atual. Cenário 2 (“meta voluntária” do INOVAR-AUTO): Melhoria, até 2017, da eficiência energética dos veículos leves de 18,84%, em relação ao nível atual (redução adicional de 2 pontos percentuais no IPI).
  • 21. Emissões de CO2 fóssil (mil t) Inovar-Auto: Impacto nas Emissões de CO2 Fóssil por Veículos Leves (mil t) 80.000 78.000 76.000 74.000 72.000 70.000 68.000 66.000 64.000 62.000 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020 2021 cenário base- veículos leves 71.340 70.267 70.653 70.622 72.284 73.885 75.437 76.951 78.436 cenário 1- veículos leves 71.340 70.129 70.110 69.424 70.198 70.839 71.507 72.223 73.002 cenário 2- veículos leves 71.340 69.941 69.395 67.900 67.886 67.886 67.918 68.003 68.161 Estima-se que as emissões evitadas de CO2 fóssil, acumuladas entre 2014 e 2021, estarão entre 21,1 milhões t (Cenário 1) e 41,5 milhões t (Cenário 2). Fonte: IEMA
  • 22. Inovar Auto: Potencial de Redução de Emissões de CO2 (milhões t) 45 41,5 40 33 35 30 25 21,2 20 15 15 10 10 5 0 Inovar-Auto (cenário 1) Inovar-Auto (cenário 2) Eficiência energética * Energia alternativa * Carvão vegetal * * Compromissos voluntários assumidos pelo governo brasileiro até 2020 (Acordo de Copenhague - Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima) Carvão vegetal: substituição de mata nativa por florestas plantadas na produção de ferro-gusa.
  • 23. Inovar-Auto: Impacto na Demanda por Gasolina C (milhões l) – Veículos Leves 36.000 milhões de litros 34.000 32.000 30.000 28.000 26.000 24.000 22.000 20.000 2011 cenário base- veículos leves 32.834 cenário 1- veículos leves 32.834 cenário 2- veículos leves 32.834 2012 34.122 34.122 34.122 2013 34.379 34.379 34.379 2014 34.349 34.265 34.152 2015 34.044 33.722 33.286 2016 33.481 32.782 31.840 2017 33.908 32.702 31.256 2018 34.290 32.547 30.673 Estima-se que a economia de gasolina C, acumulada entre 2014 e 2021, estará entre 12 bilhões de litros (Cenário 1) e 28 bilhões de litros (Cenário 2). 2019 34.634 32.415 30.101 2020 34.945 32.315 29.551 2021 35.231 32.259 29.037 Fonte: IEMA
  • 24. INOVAR-AUTO: Panorama Atual - Habilitações • Até o momento, há 48 habilitações no INOVAR-AUTO: • • • • • • 21 fabricantes. 14 importadores. 13 novos investimentos. Previsão de investimentos em ativos fixos: R$ 8,0 bilhões. Previsão de incremento da capacidade instalada de produção: 525 mil veículos Previsão de 12,5 mil novos empregos diretos
  • 25. Indústria Automotiva Brasileira: Visão 2012-2017 • Novo ciclo da indústria automotiva brasileira: • • • • • • • Aumento da competitividade e dos investimentos na cadeia automotiva. Produtos de maior valor agregado e conteúdo tecnológico. Veículos com mais qualidade, energeticamente eficientes, seguros e aptos a concorrer nos mercados interno e externo. Inserção do País na rota global do desenvolvimento tecnológico, com a incorporação de novas tecnologias nos veículos. Consolidação do País entre os produtores automotivos globais - processo de eliminação de barreiras estruturais à competividade. Fortalecimento da cadeia produtiva automotiva e da manufatura local. Efeitos multiplicadores na economia e na sociedade brasileira.
  • 26. Obrigada ! Margarete Gandini Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior margarete.gandini@mdic.gov.br