SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 50
IV SEMINÁRIO DOS CONSELHOS DE CONSUMIDORES DE ENERGIA ELÉTRICA REGIÃO SUDESTE
Sumário da Apresentação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Cenário de Consumo mundial de Energia Fonte:  IEA - World Energy Outlook 2009. ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Papel da Eficiência Energética na segurança energética mundial Fonte:  IEA (2006) ,[object Object],[object Object]
Fonte:  Estudo da WBCSD Projeção de consumo de energia em edifícios baseada nos consumos per capita
Motivadores para Eficiência Energética ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object]
Matriz Energética   ESTRUTURA DA OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA (%) (1)  Toda energia térmica considerada como sendo de fonte não renovável (1) Fonte:  MME  (Balanço Energético)
Programas Nacionais em Eficiência Energética Ministério de Minas e Energia ELETROBRAS PETROBRAS ANEEL CONPET PEE DDE PROCEL
Outros agentes federais envolvidos com Eficiência  Energética ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Brasil:  breve  histórico ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Principais ações brasileiras de Eficiência  Energética 1991 PROCEL 1985 Programa Brasileiro de Etiquetagem -  PBE 1984 PEE  – Programas de Eficiência das Concessionárias de Energia Elétrica 2000 Lei de Eficiência Energética (n o  10.295, de 17 de outubro de 2001) 2001 Etiquetas informativas quanto à eficiência energética de equipamentos Conservação de energia elétrica:  marketing , indústrias, prédios públicos, saneamento ambiental etc. Conservação de petróleo, gás e derivados: transportes, marketing, educação etc. Lei n o  9.991/00 – investimento de 0,5% da receita das concessionárias distribuidoras em eficiência energética Níveis mínimos de eficiência energética para máquinas, equipamentos e edificações
O CONPET ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Ações desenvolvidas pelo CONPET PRÊMIO NACIONAL DE  CONSERVAÇÃO E USO RACIONAL DE ENERGIA Fogões Aquecedores  de Água Veículos Transporte Indústria Imprensa SELO CONPET DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA CONPET em AÇÃO Divulgação Conscientização Eficiência Energética Indústria
Estimativas de Economia de Diesel e Redução de Emissão de CO2 Estimativa de Economia Diesel (10 6  litros) Redução de Emissão de CO 2 (t/ano) (*) 2006 292 818.000 2007 336 941.000 2008 386 1.081.000 2009 444 1.243.000 2010 510 1.428.000 TOTAL 1.968 5.511.000
Programas de Eficiência das Concessionárias de Energia Elétrica  PEE - Lei no 9.991, de 24 /07/ 2000 ,[object Object]
Programas de Eficiência das Concessionárias de Energia Elétrica - PEE ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Fatores que afetam a Modicidade Tarifária ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],Programas de Eficiência das Concessionárias de Energia Elétrica - PEE Ciclo Número de Empresas Investimento  (milhões de R$) Demanda Evitada (MW) Energia Econ. (GWh/ano) 1998/1999 17 196 250 755 1999/2000 42 230 370 1.020 2000/2001 64 152 251 894 2001/2002 64 142 85 348 2002/2003 64 154 54 222 2003/2004 64 313 110 489 2004/2005 64 175 275 925 2005/2006 63 311 158 569 2006/2007 61 261 138 369 Total - 1.934 1.691 5.591
Estimativas de Potencial de Economia de Energia no Brasil ,[object Object],[object Object],[object Object]
Metas do Plano Nacional de Energia 2030 relativas à eficiência energética ,[object Object],[object Object]
Metas do Plano Nacional de Energia 2030 relativas à eficiência energética
[object Object],[object Object]
Procel
Papel   Articulador
Resultados Acumulados (1986-2009)
Investimentos
Plano de Otimização do Procel
Subprogramas Consumo de Energia no Brasil em 2010 Fonte:  EPE – Empresa de Pesquisa Energética CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
Gestão Energética Municipal  1 Gestão Energética Municipal Ajudar as prefeituras brasileiras a planejar e gerir seus gastos  com energia elétrica. Objetivo Formação de Agentes de Economia de Energia em pequenos municípios Planejamento do uso da energia em grandes municípios Premiação de  projetos eficientes das  Cidades
Iluminação Pública e Semafórica Eficientes  2 Iluminação Pública Diminuição dos gastos públicos dos municípios com  melhoria das condições de vida noturna e segurança dos cidadãos Objetivo 13 anos de  evolução  tecnológica Transformação do mercado : mais de 6 milhões  de novas lâmpadas de vapor de sódio Resultados do Programa Procel Reluz  * U$ 1,00 = R$ 1,70  Crescimento obtido mesmo com um aumento do parque de 70% 63% 7% ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Procel Sanear 3 Saneamento Redução do consumo de energia elétrica e água nos sistemas de saneamento dos municípios. Objetivo
Procel Edifica e EPP - Edificações Eficientes 4 Edificações brasileiras receberão etiqueta classificando o nível de EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. Entra no seleto grupo de países que classificam a EE das suas edificações Brasil Edificações Eficientes
5 Entra no seleto grupo de países que classificam a EE das suas edificações Brasil Indústrias Procel Indústria ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Arquitetura da Atuação  Procel - DTD Planeja Avalia e reporta resultado Capacita-ção Laborato-rial Selo Procel Centros de Excelên-cia Treina-mentos Estudos em IP Apoio a Lei de EE Diagnós-ticos (PPH, solar) Divulga-ção Solenidade Anual Portal Procel Info Eventos Casa genial Prêmio Procel Educa-ção Subsidiaplanos e incenti-vos (Solar,  IPI) Plano de otimiza-ção do Procel Plano Procel Solar Plano Selo Metodo-logias de avaliação Relatório anual Estudos em Energia Solar Acordos com fabrican-tes
Plano Procel Solar Temas: - Estudos, Pesquisas - Apoio ao Ensino Formal - Atuação no Selo Procel - Inovação - Apoio a Programas
Selo Procel 31  categorias 206  empresas 3.770  produtos ORIENTA  o consumidor na hora da compra e   ESTIMULA  a fabricação e a comercialização de produtos mais  eficientes
Selo Procel: Produtos
Selo Procel: Revisão dos Índices Redução de 32% Redução de 26% 15,9 23,3
Selo Procel: Solenidade Anual Parceria com o Conpet/Petrobras Homenagem aos Fabricantes
Selo Procel: Capacitação de laboratórios Ensaio do Selo e PBE
Rede de Centros de Excelência Rede Especializada de Eficiência Energética ,[object Object],[object Object],[object Object]
Estudos em IP Elaboração de um Plano de EE na IP em conjunto com o DTP Estudo
Estudos em IP Lâmpada = VS 70W Iluminância média (Lux) = 10,73 Lâmpada = VM 80W Iluminância média (Lux) = 3,97
Relatório Anual de Resultados Processo de Elaboração Versão Completa Sumário executivo  Português/Inglês/ Espanhol (800 exemplares) Versão on-line  (Procel Info)
Portal Procel Info (www.procelinfo.com.br) Mais de  11.800  usuários  cadastrados em 4 anos 7.000  assinantes  da Newsletter diária Média de  31.400   acessos/mês
  Prêmio Nacional de Conservação de Energia ,[object Object],[object Object],www.premioconservacaoenergia.com.b r ,[object Object],[object Object],153 inscrições em 2009 Micro e Peq.  Empresas Indústria Administração Pública Edificações Imprensa Empresas do Setor Energético
Procel Educação Modelo de Funcionamento do Procel Educação Ferramentas
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Conclusões
Eng º Marco Aurélio Moreira Gerente da Divisão de Eficiência Energética na Indústria e no Comércio [email_address]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

A Electricidade
A ElectricidadeA Electricidade
A Electricidade
 
Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
 
Matriz energética
Matriz energéticaMatriz energética
Matriz energética
 
Efeito fotoelétrico
Efeito fotoelétricoEfeito fotoelétrico
Efeito fotoelétrico
 
Potencial elétrico
Potencial elétricoPotencial elétrico
Potencial elétrico
 
Conceitos básicos de eletricidade
Conceitos básicos de eletricidadeConceitos básicos de eletricidade
Conceitos básicos de eletricidade
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Energia Eólica - Cenário no Brasil
Energia Eólica  - Cenário no BrasilEnergia Eólica  - Cenário no Brasil
Energia Eólica - Cenário no Brasil
 
02 geradores e receptores eletricos
02  geradores e receptores eletricos02  geradores e receptores eletricos
02 geradores e receptores eletricos
 
Aula 1 história da eletricidade
Aula 1   história da eletricidadeAula 1   história da eletricidade
Aula 1 história da eletricidade
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
2 Estudo Dos Gases
2 Estudo Dos Gases2 Estudo Dos Gases
2 Estudo Dos Gases
 
Apresentação energia elétrica
Apresentação energia elétricaApresentação energia elétrica
Apresentação energia elétrica
 
Eficiencia energetica apresentação
Eficiencia energetica apresentaçãoEficiencia energetica apresentação
Eficiencia energetica apresentação
 
Introdução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaicaIntrodução a energia solar fotovoltaica
Introdução a energia solar fotovoltaica
 
Energia sustentavel - Química
Energia sustentavel  - QuímicaEnergia sustentavel  - Química
Energia sustentavel - Química
 
Aula 5 modelos atômicos
Aula 5   modelos atômicos Aula 5   modelos atômicos
Aula 5 modelos atômicos
 
Princípios da corrente Alternada
Princípios da corrente AlternadaPrincípios da corrente Alternada
Princípios da corrente Alternada
 
Física eletrodinâmica
Física   eletrodinâmicaFísica   eletrodinâmica
Física eletrodinâmica
 
Pilha e eletrolise
Pilha e eletrolisePilha e eletrolise
Pilha e eletrolise
 

Destaque

Políticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de EnergiaPolíticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de EnergiaHabitante Verde
 
Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7Joao Paulo Curto
 
1 palestra megale_eficiencia_energetica
1 palestra megale_eficiencia_energetica1 palestra megale_eficiencia_energetica
1 palestra megale_eficiencia_energeticaFabricio Lopez
 
Apresentação Agrener
Apresentação AgrenerApresentação Agrener
Apresentação AgrenerJim Naturesa
 
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil EnergiaUni
 
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...CPFL Energia
 
À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...
À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...
À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...Universidade Técnica de Lisboa
 
Motor de Alto Rendimento (AR)
Motor de Alto Rendimento (AR)Motor de Alto Rendimento (AR)
Motor de Alto Rendimento (AR)Aparecida Bezerra
 
Eficiência energética - Os novos caminhos da construção
Eficiência energética - Os novos caminhos da construçãoEficiência energética - Os novos caminhos da construção
Eficiência energética - Os novos caminhos da construçãoPedro Hijo
 
M6 eficiência energética
M6   eficiência energéticaM6   eficiência energética
M6 eficiência energéticaconfidencial
 
Uso racional de energia elétrica
Uso racional de energia elétricaUso racional de energia elétrica
Uso racional de energia elétricabiangaman
 
A Conta De Energia Elétrica
A Conta De Energia ElétricaA Conta De Energia Elétrica
A Conta De Energia Elétricatremerejr
 
Uso consciente de energia elétrica
Uso consciente de energia elétricaUso consciente de energia elétrica
Uso consciente de energia elétricaSueli
 

Destaque (20)

Políticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de EnergiaPolíticas Públicas para Conservação de Energia
Políticas Públicas para Conservação de Energia
 
Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7Transporte de eletricidade 12 7
Transporte de eletricidade 12 7
 
1 palestra megale_eficiencia_energetica
1 palestra megale_eficiencia_energetica1 palestra megale_eficiencia_energetica
1 palestra megale_eficiencia_energetica
 
Apresentação Agrener
Apresentação AgrenerApresentação Agrener
Apresentação Agrener
 
Debate Automóvel e Consumo - Paulo Bedran
Debate Automóvel e Consumo - Paulo BedranDebate Automóvel e Consumo - Paulo Bedran
Debate Automóvel e Consumo - Paulo Bedran
 
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
Futuro da Biomassa e Bioenergia no Brasil
 
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
Workshop EE 2014 - 01. Sérgio Valdir Bajay - O Cenário de Eficiência Energe...
 
À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...
À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...
À Descoberta das Rotas Matemáticas da UTL - O cálculo matemático aplicado à d...
 
Motor de Alto Rendimento (AR)
Motor de Alto Rendimento (AR)Motor de Alto Rendimento (AR)
Motor de Alto Rendimento (AR)
 
Eficiência energética - Os novos caminhos da construção
Eficiência energética - Os novos caminhos da construçãoEficiência energética - Os novos caminhos da construção
Eficiência energética - Os novos caminhos da construção
 
M6 eficiência energética
M6   eficiência energéticaM6   eficiência energética
M6 eficiência energética
 
Uso racional de energia elétrica
Uso racional de energia elétricaUso racional de energia elétrica
Uso racional de energia elétrica
 
Fusiveis
FusiveisFusiveis
Fusiveis
 
Eficiência Energética
Eficiência EnergéticaEficiência Energética
Eficiência Energética
 
Potência e rendimento
Potência e rendimentoPotência e rendimento
Potência e rendimento
 
A Conta De Energia Elétrica
A Conta De Energia ElétricaA Conta De Energia Elétrica
A Conta De Energia Elétrica
 
Aula Energia - Presente e Futuro.
Aula   Energia - Presente e Futuro.Aula   Energia - Presente e Futuro.
Aula Energia - Presente e Futuro.
 
Uso consciente de energia elétrica
Uso consciente de energia elétricaUso consciente de energia elétrica
Uso consciente de energia elétrica
 
Projeto recriar escolas
Projeto recriar escolasProjeto recriar escolas
Projeto recriar escolas
 
Cartilha consumo energia
Cartilha consumo energiaCartilha consumo energia
Cartilha consumo energia
 

Semelhante a Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás

Jania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficienciaJania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficienciaEvandro Calisto
 
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptxO PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptxAntonio Carlos Baltazar
 
Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...
Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...
Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...CPFL Energia
 
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Conrado Augustus de Melo
 
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações PúblicasGuia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicasascommme
 
Reflexões sobre os principais programas em Eficiência Energética
Reflexões sobre os principais programas em Eficiência EnergéticaReflexões sobre os principais programas em Eficiência Energética
Reflexões sobre os principais programas em Eficiência EnergéticaDenise Matos
 
0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdf0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdfJooCarlosMidon
 
0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdf0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdfJooCarlosMidon
 
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifeiitgfiles
 
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELMecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELslides-mci
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEken.nunes
 
Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?
Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil? Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?
Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil? Instituto Escolhas
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.pptken.nunes
 

Semelhante a Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás (20)

Jania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficienciaJania akamatsu eficiencia
Jania akamatsu eficiencia
 
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptxO PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
O PAPEL DA ANEEL NA implementação das metas do ODS 7.pptx
 
Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...
Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...
Workshop EE 2014 - 03. Ruy Bottesi - A Visão da Fiesp Sobre Eficiência Ener...
 
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
Padrões de Eficiência Energética para Equipamentos Elétricos de uso Residencial
 
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações PúblicasGuia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
Guia para Eficiência Energética nas Edificações Públicas
 
Livro bombeamento
Livro bombeamentoLivro bombeamento
Livro bombeamento
 
Reflexões sobre os principais programas em Eficiência Energética
Reflexões sobre os principais programas em Eficiência EnergéticaReflexões sobre os principais programas em Eficiência Energética
Reflexões sobre os principais programas em Eficiência Energética
 
Guia gestao energetica
Guia gestao energeticaGuia gestao energetica
Guia gestao energetica
 
0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdf0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdf
 
0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdf0913478_2011_cap_2.pdf
0913478_2011_cap_2.pdf
 
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
17.ago ruby 14.00_painel m&v_unifei
 
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCELMecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
Mecanismos para Aplicação dos Recursos do PROCEL
 
Agrener 08 02
Agrener 08 02Agrener 08 02
Agrener 08 02
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
 
Artigo cilca jim
Artigo cilca jimArtigo cilca jim
Artigo cilca jim
 
Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?
Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil? Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?
Quais os reais custos e benefícios das fontes de geração elétrica no Brasil?
 
A comin
A cominA comin
A comin
 
Alexandre 14 30
Alexandre 14 30Alexandre 14 30
Alexandre 14 30
 
Alexandre 14 30
Alexandre 14 30Alexandre 14 30
Alexandre 14 30
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
 

Mais de Ampla Energia S.A.

Revista Consciência Ampla - 10ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla - 10ª edição em inglêsRevista Consciência Ampla - 10ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla - 10ª edição em inglêsAmpla Energia S.A.
 
Revista Consciência Ampla 11ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla 11ª edição em inglêsRevista Consciência Ampla 11ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla 11ª edição em inglêsAmpla Energia S.A.
 
Informativo consciencia ampla - Nº 12
Informativo consciencia ampla - Nº 12Informativo consciencia ampla - Nº 12
Informativo consciencia ampla - Nº 12Ampla Energia S.A.
 
Revista Consciência Ampla - 11ª edição
Revista Consciência Ampla - 11ª ediçãoRevista Consciência Ampla - 11ª edição
Revista Consciência Ampla - 11ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Ações sociais, educação e sustentabilidade
Ações sociais, educação e sustentabilidadeAções sociais, educação e sustentabilidade
Ações sociais, educação e sustentabilidadeAmpla Energia S.A.
 
Revista Consciência Ampla 9ª Edição Inglês
Revista Consciência Ampla 9ª Edição InglêsRevista Consciência Ampla 9ª Edição Inglês
Revista Consciência Ampla 9ª Edição InglêsAmpla Energia S.A.
 
Revista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglês
Revista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglêsRevista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglês
Revista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglêsAmpla Energia S.A.
 
Revista Consciência Ampla nº10
Revista Consciência Ampla nº10Revista Consciência Ampla nº10
Revista Consciência Ampla nº10Ampla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 2ª edição
Revista Visão Ampla 2ª ediçãoRevista Visão Ampla 2ª edição
Revista Visão Ampla 2ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla EnergiaRelatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla EnergiaAmpla Energia S.A.
 
Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)
Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)
Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)Ampla Energia S.A.
 
Revista Consciência Ampla nº 9
Revista Consciência Ampla nº 9Revista Consciência Ampla nº 9
Revista Consciência Ampla nº 9Ampla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 5ª edição
Revista Visão Ampla 5ª ediçãoRevista Visão Ampla 5ª edição
Revista Visão Ampla 5ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 9ª edição
Revista Visão Ampla 9ª ediçãoRevista Visão Ampla 9ª edição
Revista Visão Ampla 9ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 6ª edição
Revista Visão Ampla 6ª ediçãoRevista Visão Ampla 6ª edição
Revista Visão Ampla 6ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 8ª edição
Revista Visão Ampla 8ª ediçãoRevista Visão Ampla 8ª edição
Revista Visão Ampla 8ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 10ª edição
Revista Visão Ampla 10ª ediçãoRevista Visão Ampla 10ª edição
Revista Visão Ampla 10ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 7ª edição
Revista Visão Ampla 7ª ediçãoRevista Visão Ampla 7ª edição
Revista Visão Ampla 7ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 
Revista Visão Ampla 4ª edição
Revista Visão Ampla 4ª ediçãoRevista Visão Ampla 4ª edição
Revista Visão Ampla 4ª ediçãoAmpla Energia S.A.
 

Mais de Ampla Energia S.A. (20)

Revista Consciência Ampla - 10ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla - 10ª edição em inglêsRevista Consciência Ampla - 10ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla - 10ª edição em inglês
 
Revista Consciência Ampla 11ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla 11ª edição em inglêsRevista Consciência Ampla 11ª edição em inglês
Revista Consciência Ampla 11ª edição em inglês
 
Informativo consciencia ampla - Nº 12
Informativo consciencia ampla - Nº 12Informativo consciencia ampla - Nº 12
Informativo consciencia ampla - Nº 12
 
3º Boletim Desenvolver
3º Boletim Desenvolver3º Boletim Desenvolver
3º Boletim Desenvolver
 
Revista Consciência Ampla - 11ª edição
Revista Consciência Ampla - 11ª ediçãoRevista Consciência Ampla - 11ª edição
Revista Consciência Ampla - 11ª edição
 
Ações sociais, educação e sustentabilidade
Ações sociais, educação e sustentabilidadeAções sociais, educação e sustentabilidade
Ações sociais, educação e sustentabilidade
 
Revista Consciência Ampla 9ª Edição Inglês
Revista Consciência Ampla 9ª Edição InglêsRevista Consciência Ampla 9ª Edição Inglês
Revista Consciência Ampla 9ª Edição Inglês
 
Revista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglês
Revista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglêsRevista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglês
Revista Consciência Ampla 10ª edição - Em inglês
 
Revista Consciência Ampla nº10
Revista Consciência Ampla nº10Revista Consciência Ampla nº10
Revista Consciência Ampla nº10
 
Revista Visão Ampla 2ª edição
Revista Visão Ampla 2ª ediçãoRevista Visão Ampla 2ª edição
Revista Visão Ampla 2ª edição
 
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla EnergiaRelatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
Relatório Anual de Sustentabilidade 2010 - Ampla Energia
 
Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)
Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)
Cidade Inteligente Búzios (Smartcity)
 
Revista Consciência Ampla nº 9
Revista Consciência Ampla nº 9Revista Consciência Ampla nº 9
Revista Consciência Ampla nº 9
 
Revista Visão Ampla 5ª edição
Revista Visão Ampla 5ª ediçãoRevista Visão Ampla 5ª edição
Revista Visão Ampla 5ª edição
 
Revista Visão Ampla 9ª edição
Revista Visão Ampla 9ª ediçãoRevista Visão Ampla 9ª edição
Revista Visão Ampla 9ª edição
 
Revista Visão Ampla 6ª edição
Revista Visão Ampla 6ª ediçãoRevista Visão Ampla 6ª edição
Revista Visão Ampla 6ª edição
 
Revista Visão Ampla 8ª edição
Revista Visão Ampla 8ª ediçãoRevista Visão Ampla 8ª edição
Revista Visão Ampla 8ª edição
 
Revista Visão Ampla 10ª edição
Revista Visão Ampla 10ª ediçãoRevista Visão Ampla 10ª edição
Revista Visão Ampla 10ª edição
 
Revista Visão Ampla 7ª edição
Revista Visão Ampla 7ª ediçãoRevista Visão Ampla 7ª edição
Revista Visão Ampla 7ª edição
 
Revista Visão Ampla 4ª edição
Revista Visão Ampla 4ª ediçãoRevista Visão Ampla 4ª edição
Revista Visão Ampla 4ª edição
 

Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás

  • 1. IV SEMINÁRIO DOS CONSELHOS DE CONSUMIDORES DE ENERGIA ELÉTRICA REGIÃO SUDESTE
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5. Fonte: Estudo da WBCSD Projeção de consumo de energia em edifícios baseada nos consumos per capita
  • 6.
  • 7.
  • 8. Matriz Energética ESTRUTURA DA OFERTA DE ENERGIA ELÉTRICA (%) (1) Toda energia térmica considerada como sendo de fonte não renovável (1) Fonte: MME (Balanço Energético)
  • 9. Programas Nacionais em Eficiência Energética Ministério de Minas e Energia ELETROBRAS PETROBRAS ANEEL CONPET PEE DDE PROCEL
  • 10.
  • 11.
  • 12. Principais ações brasileiras de Eficiência Energética 1991 PROCEL 1985 Programa Brasileiro de Etiquetagem - PBE 1984 PEE – Programas de Eficiência das Concessionárias de Energia Elétrica 2000 Lei de Eficiência Energética (n o 10.295, de 17 de outubro de 2001) 2001 Etiquetas informativas quanto à eficiência energética de equipamentos Conservação de energia elétrica: marketing , indústrias, prédios públicos, saneamento ambiental etc. Conservação de petróleo, gás e derivados: transportes, marketing, educação etc. Lei n o 9.991/00 – investimento de 0,5% da receita das concessionárias distribuidoras em eficiência energética Níveis mínimos de eficiência energética para máquinas, equipamentos e edificações
  • 13.
  • 14. Ações desenvolvidas pelo CONPET PRÊMIO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO E USO RACIONAL DE ENERGIA Fogões Aquecedores de Água Veículos Transporte Indústria Imprensa SELO CONPET DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA CONPET em AÇÃO Divulgação Conscientização Eficiência Energética Indústria
  • 15. Estimativas de Economia de Diesel e Redução de Emissão de CO2 Estimativa de Economia Diesel (10 6 litros) Redução de Emissão de CO 2 (t/ano) (*) 2006 292 818.000 2007 336 941.000 2008 386 1.081.000 2009 444 1.243.000 2010 510 1.428.000 TOTAL 1.968 5.511.000
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Metas do Plano Nacional de Energia 2030 relativas à eficiência energética
  • 23.
  • 25. Papel Articulador
  • 29. Subprogramas Consumo de Energia no Brasil em 2010 Fonte: EPE – Empresa de Pesquisa Energética CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA CENTRO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA
  • 30. Gestão Energética Municipal 1 Gestão Energética Municipal Ajudar as prefeituras brasileiras a planejar e gerir seus gastos com energia elétrica. Objetivo Formação de Agentes de Economia de Energia em pequenos municípios Planejamento do uso da energia em grandes municípios Premiação de projetos eficientes das Cidades
  • 31.
  • 32. Procel Sanear 3 Saneamento Redução do consumo de energia elétrica e água nos sistemas de saneamento dos municípios. Objetivo
  • 33. Procel Edifica e EPP - Edificações Eficientes 4 Edificações brasileiras receberão etiqueta classificando o nível de EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. Entra no seleto grupo de países que classificam a EE das suas edificações Brasil Edificações Eficientes
  • 34.
  • 35. Arquitetura da Atuação Procel - DTD Planeja Avalia e reporta resultado Capacita-ção Laborato-rial Selo Procel Centros de Excelên-cia Treina-mentos Estudos em IP Apoio a Lei de EE Diagnós-ticos (PPH, solar) Divulga-ção Solenidade Anual Portal Procel Info Eventos Casa genial Prêmio Procel Educa-ção Subsidiaplanos e incenti-vos (Solar, IPI) Plano de otimiza-ção do Procel Plano Procel Solar Plano Selo Metodo-logias de avaliação Relatório anual Estudos em Energia Solar Acordos com fabrican-tes
  • 36. Plano Procel Solar Temas: - Estudos, Pesquisas - Apoio ao Ensino Formal - Atuação no Selo Procel - Inovação - Apoio a Programas
  • 37. Selo Procel 31 categorias 206 empresas 3.770 produtos ORIENTA o consumidor na hora da compra e ESTIMULA a fabricação e a comercialização de produtos mais eficientes
  • 39. Selo Procel: Revisão dos Índices Redução de 32% Redução de 26% 15,9 23,3
  • 40. Selo Procel: Solenidade Anual Parceria com o Conpet/Petrobras Homenagem aos Fabricantes
  • 41. Selo Procel: Capacitação de laboratórios Ensaio do Selo e PBE
  • 42.
  • 43. Estudos em IP Elaboração de um Plano de EE na IP em conjunto com o DTP Estudo
  • 44. Estudos em IP Lâmpada = VS 70W Iluminância média (Lux) = 10,73 Lâmpada = VM 80W Iluminância média (Lux) = 3,97
  • 45. Relatório Anual de Resultados Processo de Elaboração Versão Completa Sumário executivo Português/Inglês/ Espanhol (800 exemplares) Versão on-line (Procel Info)
  • 46. Portal Procel Info (www.procelinfo.com.br) Mais de 11.800 usuários cadastrados em 4 anos 7.000 assinantes da Newsletter diária Média de 31.400 acessos/mês
  • 47.
  • 48. Procel Educação Modelo de Funcionamento do Procel Educação Ferramentas
  • 49.
  • 50. Eng º Marco Aurélio Moreira Gerente da Divisão de Eficiência Energética na Indústria e no Comércio [email_address]

Notas do Editor

  1. Este gráfico mostra que, desde o primeiro choque do petróleo até o final do século passado, as ações de eficiência energética empreendidas proporcionaram uma economia de quase 50% relativa á base histórica de 1973.
  2. O fim da energia farta e barata: os esforços governamentais e privados para obtenção de uma maior eficiência energética são uma conseqüência direta dos choques do petróleo de 1973 e 1979. a vigorosa reação internacional e a tímida reação nacional enquanto os países industrializados adotaram rigorosas medidas para conter o consumo dos derivados de petróleo - Europa e Estados Unidos - (racionamento de combustível, cotas para aquecimento etc.), o Brasil seguiu praticamente indiferente à crise, no ritmo do então vigente II Plano Nacional de Desenvolvimento. as primeiras reações nacionais foram efetivamente esboçadas somente a partir do segundo choque (1979), quando o conselho nacional de petróleo promoveu cortes lineares (5% e 10%) de suprimento de combustíveis(1980~1983). Os Primeiros Programas Nacionais: CONSERVE - Conservação de Energia na Indústria, promovido pelo Ministério da Indústria e Comércio e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, junto aos consumidores enego-intensivos, buscando a substituição ou redução de derivados de petróleo PECO - Programa de Economia de Combustíveis (1983) PME - Programa de Mobilização Energética, com recursos da união para o mme . visando investir em iluminação pública. EGTD - Energia Garantida Por Tempo Determinado , com substituição de combustíveis por eletricidade. a estratégia adotada pelo Brasil foi a redução do consumo do petróleo por meio do incentivo ao consumo de energia elétrica e da a diversificação da matriz de combustíveis, inclusive com o lançamento do PRÓ-ALCOOL .
  3. Os programas sistematizados, considerados referências internacionais são: PBE - PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM criação: 1984; coordenação: INMETRO promoção da eficiência energética por meio de etiquetas informativas de classificação de equipamentos em função da eficiência energética 33 equipamentos etiquetados e 27 em processo PROCEL – PROGRAMA NACIONAL DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA criação: 1985; executora: Eletrobrás áreas de atuação: comércio, saneamento, indústria, edificações, prédios públicos, iluminação pública, gestão energética municipal, etiquetagem, prêmio e selo, educação números de 1986 a 2005: energia economizada: 22 TWh/ano; redução de demanda na ponta: 5.905 MW; investimentos totais: R$ 15,6 bilhões CONPET – PROGRAMA NACIONAL DE RACIONALIZAÇÃO DO USO DOS DERIVADOS DO PETRÓLEO E DO GÁS NATURAL criação: 1991; executora: Petrobras áreas de atuação: etiquetagem, transporte de cargas e passageiros, prêmio e selo conpet, educação números de 2000 a 2005: 300 milhões de litros de diesel economizados por ano; 860 mil toneladas de CO2 não emitidas por ano; 2,3 milhões de alunos e 3.800 escolas assistidos
  4. Obriga as concessionárias de distribuição de energia elétrica a aplicarem, no mínimo, 0,25% de suas receitas em programas de eficiência energética Os tipos de projetos são: comércios e serviços, comunidades de baixa renda, indústria, poderes públicos, serviços públicos, residencial, aquecimento solar e rural
  5. Perdas Comerciais – Elemento facilitador para negociação de débitos junto a clientes devedores, inclusive no setor público; Perdas Técnicas – Redução do índice de perdas técnicas; Clientes Livres - Fidelização de clientes livres e potencialmente livres utilizando a eficiência energética como vantagem competitiva; Responsabilidade Social – Promoção da cidadania em áreas de baixo poder aquisitivo, através de projeto de educação de hábitos de consumo; e Imagem – A Empresa obtém ganhos de imagem devido ao caráter social de muitos projetos. Apesar da IP ser de responsabilidade das prefeituras muitos consumidores enxergam como responsabilidade da Concessionária, aumentando os ganhos de imagem.
  6. Perdas Comerciais – Elemento facilitador para negociação de débitos junto a clientes devedores, inclusive no setor público; Perdas Técnicas – Redução do índice de perdas técnicas; Clientes Livres - Fidelização de clientes livres e potencialmente livres utilizando a eficiência energética como vantagem competitiva; Responsabilidade Social – Promoção da cidadania em áreas de baixo poder aquisitivo, através de projeto de educação de hábitos de consumo; e Imagem – A Empresa obtém ganhos de imagem devido ao caráter social de muitos projetos. Apesar da IP ser de responsabilidade das prefeituras muitos consumidores enxergam como responsabilidade da Concessionária, aumentando os ganhos de imagem.
  7. apresento agora as estimativas iniciais de potencial de economia de energia, que estão sendo trabalhados pelo Departamento de Desenvolvimento Energético da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético tratam-se de estimativas conservadoras de potenciais técnicos cujas fontes são o PROCEL, CONPET e a ABESCO os potenciais técnicos hoje existentes para economia de energia elétrica concentram-se nos setores industrial, residencial e comercial, e totalizam 29,7 TWh já no setor de petróleo e gás, destacam-se os setores de transportes, industrial e residencial, totalizando-se um potencial 5,5 bilhões de toneladas equivalentes de petróleo