SlideShare uma empresa Scribd logo
1º Módulo do
Ciclo Formativo Estadual
URE BALSAS
EIXO EDUCAÇÃO INFANTIL
2022
OS DIFERENTES PAPÉIS NAS REDES DE ENSINO E
A FORMAÇÃO SISTÊMICA.
Boas vindas – Música- Passagem de Deusamar Santos
Mediação - O que me fez sentir, pensar, questionar, reafirmar ou
recordar?
ACOLHIDA
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
Lá na passagem do riacho
A onde os menino vão banhar
Mergulhando e pulando do balanço
De cima do gaio do Ingá
O pesqueiro na sombra da gameleira
O crioli é a melhor isca pra pescar
As pacuzinhas
E na fonte velha pegar curimatá
Cante minha gente cante
Cante que é pra gente se lembrar
(bis)
Passagem
No brejo o clima é frio e
refrescante
De longe vejo os pé de buriti
Bacaba, caju, taturubá
Pitomba, araçá e bacuri
Mutamba, pequi e inharé
Imbu, peroba, murici e juá
A gente sabe
Que é por isso que os bichos
vem pra cá
Cante minha gente cante
Cante que é pra gente se lembrar
E de vez em quando um adjunto
Todo o povo vem pra animar
De dia bate-bola e vaquejada
A noite um momento pra rezar
Mais tarde a gente vai puxar um xote
Passagem
Deusamar Santos II (@deusamar_santos_)
https://www.instagram.com › deusamar_santos
https://www.youtube.com › watch
Dançando dois pra lá e dois pra cá
E as meninas
Lá num cochicho e um disfarce no
olhar
Cante minha gente cante
Cante que é pra gente se lembrar
(bis)
DEUSAMAR SANTOS: UM POETA BRASILEIRO
O cantor e compositor Deusamar Santos é um poeta
brasileiro com mais de vinte anos de experiência tocando
MPB, realizando shows e apresentações.
trabalhos produzidos está o mais recente o CD TERRA.
Com seis CDs gravados é um artista que consegue ser
universal a partir do seu regionalismo e da sua
originalidade. Trabalhos produzidos está o mais recente o
CD TERRA.Graduado e especializado em História o
artista idealizou o show terra e vem viajando com o
espetáculo em várias regiões do Brasil com o intuito de
contribuir com mais qualidade de vida no planeta.
Acolhida;
PAUTA
Cronograma do 1º sem/2022;
Formação Continuada em
Serviço;
Concepção de criança(s) e
infância(s);
Leitura na Educação Infantil;
Comunicados.
CRONOGRAMA 1º sem/2022
CRONOGRAMA 1º sem/2022
FORMAÇÃO
CONTINUADA
Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=fIVNI3jeuY8
Formação continuada dos
profissionais da educação
Para refletir a partir do vídeo:
"Formação continuada dos profissionais da educação/ CONVIVA":
Qual a função da formação continuada em serviço?
Qual o impacto desta prática no processo de desenvolvimento e aprendizagem
das crianças?
Quais premissas precisamos acordar para a qualidade da formação continuada?
FORMAÇÃO CONTINUADA
“A transformação das práticas pedagógicas exige tempo e passa pela elaboração de percursos
formativos voltados para o desenvolvimento profissional dos educadores. Não bastam cursos
específicos, propostas externas e ações pontuais. Para que essa transformação seja efetiva, as ações
devem possibilitar a continuidade das reflexões propostas, bem como a troca permanente entre pares
e a reflexão progressiva sobre as situações de ensino e aprendizagem na prática da escola. Para que
isso aconteça, as equipes precisam construir, revisitar e debater conhecimentos pedagógicos a partir
de seus próprios repertórios, em diálogo com o que consta do documento curricular.”
FORMAÇÃO CONTINUADA
TRECHO DISPONÍVEL EM: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
"Para que a formação seja, de fato, continuada e em serviço, é fundamental que a rede se
estruture de modo a constituir uma cadeia formativa colaborativa, a partir da qual as
equipes técnicas possam assegurar as condições necessárias para que os gestores
escolares (diretores e coordenadores pedagógicos) estejam em formação e, por sua vez,
possam formar os professores e demais educadores da sua escola."
FORMAÇÃO CONTINUADA
TRECHO DISPONÍVEL EM: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
FORMAÇÃO CONTINUADA
IMBERNÓN (2009)
A formação continuada não pode ser
comparada a treinamento,
aperfeiçoamento ou capacitação, nem
vista como ação compensatória à
formação inicial.
RODRIGUES; MENEZES; THERRIEN
(2016, p.5)
É [...] “um conjunto dialeticamente articulado de
processos formativos que começam na história
pessoal de cada docente e continuam ao longo de
sua trajetória acadêmica e profissional”.
BEILLEROT (2016, p.10)/ADAPTADO
"O formador de formadores é antes de tudo um profissional da formação que intervém para
formar novos formadores ou para aperfeiçoar, atualizar os formadores em exercício".
O OFÍCIO DO/A FORMADOR/A
Respeito aos saberes dos
professores
Pesquisa/Curiosidade
Estética e ética
Reflexão crítica sobre a prática
Quais premissas precisamos acordar para a
qualidade da formação continuada?
FORMAÇÃO CONTINUADA
Apresentação das premissas para a qualidade
da formação continuada.
FORMAÇÃO CONTINUADA
FORMAÇÃO CONTINUADA
Para que a formação seja, de fato, continuada e em serviço, é fundamental que a
rede se estruture de modo a constituir uma cadeia formativa colaborativa, a partir
da qual as equipes técnicas possam assegurar as condições necessárias para que
os gestores escolares (diretores e coordenadores pedagógicos) estejam em
formação e, por sua vez, possam formar os professores e demais educadores da
sua escola.
TRECHO DISPONÍVEL EM: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx
Conceber e organizar
pedagogicamente
situações de
formação.
(BEILLEROT, 2016)
Construir a
co-participação e
a co-laboração.
Analisar o entorno
e conceber um
dispositivo de
formação.
Construir um plano
operativo e
implementar a
formação
seriamente.
Saber a avaliar o
processo
formativo
continuamente.
Capitalizar,
difundir, disseminar
o conhecimento
construído.
ATRIBUIÇÕES DO/A FORMADOR/A
CONCEPÇÃO
DE
CRIANÇA(s)
E
INFÂNCIA(S)
Que concepção de criança e
infância essas imagens revelam?
CONCEPÇÃO
DE
CRIANÇA(s)
E
INFÂNCIA(S)
Que concepção de criança e
infância essas imagens revelam?
CONCEPÇÃO DE CRIANÇA
(DCNEI 2010, p.12)
Sujeito histórico e de direitos que, nas interações, relações e
práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal
e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa,
experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a
natureza e a sociedade, produzindo cultura.
CONCEPÇÃO DE CRIANÇA
(SANTOS, 2007).
"Ontem e hoje, infâncias são diversas e
contraditórias."
CONCEPÇÃO DE INFÂNCIA
EDUCAÇÃO INFANTIL
Lei de Diretrizes em Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96)
"A Educação Infantil foi constituída como “primeira etapa da
educação básica” e tem como finalidade o desenvolvimento
integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos
físico, psicológico, intelectual e social, contemplando a ação da
família e da comunidade”.
EDUCAÇÃO INFANTIL
(DCNEI 2010, p.12)
As práticas pedagógicas que compõem a proposta
curricular da Educação Infantil devem ter como eixos
norteadores as interações e a brincadeiras.
EIXOS DO CURRÍCULO
CONCEPÇÃO
DE CRIANÇA
E
INFÂNCIA(S)
Tirinha de Quino, retirada do livro Toda Mafalda, de 1993, p.84.
PARA APRECIAR?!..
EDUCAÇÃO INFANTIL
(SPODEK & SARACHO, 1998)
Os professores devem evitar dizer para as crianças o que elas devem saber,
direta e indiretamente. Ao invés disso eles devem planejar atividades que
ofereçam oportunidades de pensar, relacionadas à manipulação de
materiais concretos e a desenvolvimento de habilidades conceituais.
A APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL ...
CONCEPÇÃO
DE
LEITURA
NA
EDUCAÇÃO
INFANTIL
NOME DA CRIANÇA/COLOCAR A URE/ CIDADE/ NOME DA INSTITUIÇÃO DE ED. INFANTIL
VÍDEOS
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A partir dos vídeos compartilhados, responda às
perguntas a seguir:
O que a criança mostra que sabe sobre leitura?
O que ela está aprendendo sobre leitura?
Em qual ou quais dos vídeos você identifica que a criança está lendo?
Como a pessoa adulta que está com a criança contribui para a aprendizagem dela?
1998 -
RCNEI
2009 -
DCNEI
2017 -
BNCC
2019 -
DCTMA
Documento que apoia
o trabalho da
professora na Ed.
Infantil. Brincar e
cuidar como eixo
transversal.
Documento que
define as diretrizes
para o trabalho na Ed.
Infantil. Eixos
estruturantes brincar
e interagir.
Documento que define o
conjunto de
aprendizagens
essenciais a todos os
alunos do país.
Eixos estruturantes da
Ed. Infantil brincar e
interagir.
Documento estadual
alinhado a BNCC.
Eixos estruturantes da
Ed. Infantil brincar e
interagir.
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
● A experiência da criança com a leitura de histórias, além de facilitar o acesso a uma
linguagem diferente daquela que está presente no seu cotidiano, possibilita-lhe conhecer os
detalhes do texto e das imagens e ter contato com os personagens reais e imaginários
que a levam a reagir, emocionar, antecipar desfechos.
● A leitura de histórias possibilita à criança perceber como afetos, medos e surpresas
podem ser comunicados pela escrita, constituindo um meio de conhecimento de si mesmo,
dos outros e do mundo, de ampliação de experiência, na vivência estética do texto com suas
imagens e ilustrações.
http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/2.BNCC_EI_Forma%C3%A7%C3%A3o_1PDF.pdf
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A criança manifesta curiosidade com relação à cultura escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos,
ao observar os muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e escolar, ela vai construindo
sua concepção de língua escrita, reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros,
suportes e portadores.
Na Educação Infantil, a imersão na cultura escrita deve partir do que as crianças conhecem e das
curiosidades que deixam transparecer.
As experiências com a literatura infantil, propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças,
contribuem para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação
do conhecimento de mundo.
LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Além disso, o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis etc. propicia a familiaridade
com livros, com diferentes gêneros literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a
aprendizagem da direção da escrita e as formas corretas de manipulação de livros. Nesse convívio
com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a escrita que se revelam,
inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas
espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de
representação da língua (BRASIL, 2017:40).
In: DCTMA, p. 71
AGENDA MENSAL- PACTO PELA APRENDIZAGEM(Via e-mail);
A pauta a ser desenvolvida nos municípios será comum para
gestores, coordenadores e professores no 1º Módulo do
Ciclo Formativo Municipal.
Encontros formativos com públicos específicos de acordo
com o cronograma:
Gestores;
Coordenadores e professores.
COMUNICADOS
REFERÊNCIAS
BEILLEROT, Jacky. La formacion de formadores: entre la teoria y la práctica. Buenos Aires: Centro de Publicaciones
Educativas y Material Didáctico, 2016.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018.
______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil
/Secretaria de Educação Básica. – Brasília : MEC, SEB, 2010.
FERREIRA: Autoformação, APRENDIZAGEM DE PROFESSORES E ENSINO DA LINGUAGEM ESCRITA:
ENTRELAÇAMENTOS NA PESQUISA-FORMAÇÃO. Fortaleza: UECE, 2021.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997.
Guia de Implementação dos Currículos Alinhados à Bncc para Educação Infantil e Ensino Fundamental. Disponível em:
https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
MARANHÃO. Documento Curricular do Território Maranhense para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. 1ª edição.
FGV Editora. Maranhão, 2019. PDF.
RODRIGUES, Cicera Sineide Dantas; MENEZES, Eunice Andrade de Oliveira; THERRIEN, Jacques. A aprendizagem da
docência e o processo de formação continuada no contexto do PIBID. VI ENFORSUP- I INTERFOR, Brasília, 2016.
SANTOS, J. D. F.. As diferentes concepções de infância e adolescência na trajetória histórica do Brasil. Revista
HISTEDBR [On-line], Campinas, n.
28, p. 224-238, 2007. Disponível em:
<www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/28/art15_28.pdf>. Acesso em: 09/07/2014
THERRIEN, Jacques. Os saberes da racionalidade pedagógica na sociedade contemporânea. Revista Educativa,
Goiânia, v. 9, n. 1, p. 67-81, jan./jun. 2006. Disponível em:
http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa/article/view/75.Acesso em 10 de março de 2020.
Deusamar Santos II (@deusamar_santos_) https://www.youtube.com › watch
Video Maria Sophia 3 anos, Universidade Infantil Criança Esperança Municipio Nova Colinas URE Balsas
Video Melissa 3 anos Universidade Infantil Criança Esperança Municipio Nova Colinas URE Balsas
Video Geovana 5 anos município de Fernando Falcao URE Barra do Corda

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx

CURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdf
CURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdfCURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdf
CURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdf
MITA18584
 
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeirasSao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Jefferson Tiagolage
 
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdfESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
LIDIADASILVASANTOS
 
Orientações Curriculares Para A Educação Infantil Final
Orientações Curriculares Para A Educação Infantil FinalOrientações Curriculares Para A Educação Infantil Final
Orientações Curriculares Para A Educação Infantil Final
Maria Galdino
 
Orientações Curriculares para a Educação Infantil final
Orientações Curriculares para a Educação Infantil final   Orientações Curriculares para a Educação Infantil final
Orientações Curriculares para a Educação Infantil final
Maria Galdino
 
protagonismo1.ppt
protagonismo1.pptprotagonismo1.ppt
protagonismo1.ppt
TerezinhaAparecidaGo
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil
filicianunes
 
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdfBNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
JhuGuimaraesNeves
 
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasSantana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
CursoTICs
 
Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2
Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2
Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2
Coraci Machado Araújo
 
EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdf
EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdfEDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdf
EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdf
Dhefferson1
 
Boletim Informativo 2010
Boletim Informativo 2010Boletim Informativo 2010
Boletim Informativo 2010
CeiDirceMigliaccio
 
Educação infantil em jornada de tempo integral
Educação infantil em jornada de tempo integral Educação infantil em jornada de tempo integral
Educação infantil em jornada de tempo integral
Jeovany Anjos
 
Educação ludica
Educação ludicaEducação ludica
Educação ludica
mkbariotto
 
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -ROCaderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
LOCIMAR MASSALAI
 
Informativo 2018.2
Informativo 2018.2Informativo 2018.2
INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE
INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE
INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE
Elison Davi Crispim Ramos
 
Informativo 2018.2
Informativo 2018.2Informativo 2018.2
Informativo 2018.2
Flávio Alberto
 
Pauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação Infantil
Pauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação InfantilPauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação Infantil
Pauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação Infantil
adridaleffi121212
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
RebecaRuan
 

Semelhante a 1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx (20)

CURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdf
CURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdfCURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdf
CURRÍCULO EDUCAÇÃO INFANTIL 2023 OFICIAL.pdf
 
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeirasSao paulo umaescola_manualbrincadeiras
Sao paulo umaescola_manualbrincadeiras
 
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdfESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
ESTUDO_ORIENTADO_PE.pdf
 
Orientações Curriculares Para A Educação Infantil Final
Orientações Curriculares Para A Educação Infantil FinalOrientações Curriculares Para A Educação Infantil Final
Orientações Curriculares Para A Educação Infantil Final
 
Orientações Curriculares para a Educação Infantil final
Orientações Curriculares para a Educação Infantil final   Orientações Curriculares para a Educação Infantil final
Orientações Curriculares para a Educação Infantil final
 
protagonismo1.ppt
protagonismo1.pptprotagonismo1.ppt
protagonismo1.ppt
 
Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil Relatorio estagio educação infantil
Relatorio estagio educação infantil
 
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdfBNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
BNCC-educacao-infantil-interativo.pdf
 
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado FariasSantana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
Santana do Livramento - Fátima Valderes Viana Machado Farias
 
Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2
Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2
Proposta curricular para os anos iniciais em MT.pptx2
 
EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdf
EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdfEDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdf
EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INICIAIS.pdf
 
Boletim Informativo 2010
Boletim Informativo 2010Boletim Informativo 2010
Boletim Informativo 2010
 
Educação infantil em jornada de tempo integral
Educação infantil em jornada de tempo integral Educação infantil em jornada de tempo integral
Educação infantil em jornada de tempo integral
 
Educação ludica
Educação ludicaEducação ludica
Educação ludica
 
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -ROCaderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
Caderno de Orientações Pedagógicas - Educação Infantil -RO
 
Informativo 2018.2
Informativo 2018.2Informativo 2018.2
Informativo 2018.2
 
INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE
INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE
INFORMATIVO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS ALBUQUERQUE
 
Informativo 2018.2
Informativo 2018.2Informativo 2018.2
Informativo 2018.2
 
Pauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação Infantil
Pauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação InfantilPauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação Infantil
Pauta -3º Encontro com Coordenadores Pedagógicos da Educação Infantil
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 

Último

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 

1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual_Eixo Educação Infantil.pptx

  • 1. 1º Módulo do Ciclo Formativo Estadual URE BALSAS EIXO EDUCAÇÃO INFANTIL 2022 OS DIFERENTES PAPÉIS NAS REDES DE ENSINO E A FORMAÇÃO SISTÊMICA.
  • 2. Boas vindas – Música- Passagem de Deusamar Santos Mediação - O que me fez sentir, pensar, questionar, reafirmar ou recordar? ACOLHIDA
  • 4. Lá na passagem do riacho A onde os menino vão banhar Mergulhando e pulando do balanço De cima do gaio do Ingá O pesqueiro na sombra da gameleira O crioli é a melhor isca pra pescar As pacuzinhas E na fonte velha pegar curimatá Cante minha gente cante Cante que é pra gente se lembrar (bis) Passagem No brejo o clima é frio e refrescante De longe vejo os pé de buriti Bacaba, caju, taturubá Pitomba, araçá e bacuri Mutamba, pequi e inharé Imbu, peroba, murici e juá A gente sabe Que é por isso que os bichos vem pra cá
  • 5. Cante minha gente cante Cante que é pra gente se lembrar E de vez em quando um adjunto Todo o povo vem pra animar De dia bate-bola e vaquejada A noite um momento pra rezar Mais tarde a gente vai puxar um xote Passagem Deusamar Santos II (@deusamar_santos_) https://www.instagram.com › deusamar_santos https://www.youtube.com › watch Dançando dois pra lá e dois pra cá E as meninas Lá num cochicho e um disfarce no olhar Cante minha gente cante Cante que é pra gente se lembrar (bis)
  • 6. DEUSAMAR SANTOS: UM POETA BRASILEIRO O cantor e compositor Deusamar Santos é um poeta brasileiro com mais de vinte anos de experiência tocando MPB, realizando shows e apresentações. trabalhos produzidos está o mais recente o CD TERRA. Com seis CDs gravados é um artista que consegue ser universal a partir do seu regionalismo e da sua originalidade. Trabalhos produzidos está o mais recente o CD TERRA.Graduado e especializado em História o artista idealizou o show terra e vem viajando com o espetáculo em várias regiões do Brasil com o intuito de contribuir com mais qualidade de vida no planeta.
  • 7. Acolhida; PAUTA Cronograma do 1º sem/2022; Formação Continuada em Serviço; Concepção de criança(s) e infância(s); Leitura na Educação Infantil; Comunicados.
  • 11. Para refletir a partir do vídeo: "Formação continuada dos profissionais da educação/ CONVIVA": Qual a função da formação continuada em serviço? Qual o impacto desta prática no processo de desenvolvimento e aprendizagem das crianças? Quais premissas precisamos acordar para a qualidade da formação continuada? FORMAÇÃO CONTINUADA
  • 12. “A transformação das práticas pedagógicas exige tempo e passa pela elaboração de percursos formativos voltados para o desenvolvimento profissional dos educadores. Não bastam cursos específicos, propostas externas e ações pontuais. Para que essa transformação seja efetiva, as ações devem possibilitar a continuidade das reflexões propostas, bem como a troca permanente entre pares e a reflexão progressiva sobre as situações de ensino e aprendizagem na prática da escola. Para que isso aconteça, as equipes precisam construir, revisitar e debater conhecimentos pedagógicos a partir de seus próprios repertórios, em diálogo com o que consta do documento curricular.” FORMAÇÃO CONTINUADA TRECHO DISPONÍVEL EM: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
  • 13. "Para que a formação seja, de fato, continuada e em serviço, é fundamental que a rede se estruture de modo a constituir uma cadeia formativa colaborativa, a partir da qual as equipes técnicas possam assegurar as condições necessárias para que os gestores escolares (diretores e coordenadores pedagógicos) estejam em formação e, por sua vez, possam formar os professores e demais educadores da sua escola." FORMAÇÃO CONTINUADA TRECHO DISPONÍVEL EM: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
  • 14. FORMAÇÃO CONTINUADA IMBERNÓN (2009) A formação continuada não pode ser comparada a treinamento, aperfeiçoamento ou capacitação, nem vista como ação compensatória à formação inicial. RODRIGUES; MENEZES; THERRIEN (2016, p.5) É [...] “um conjunto dialeticamente articulado de processos formativos que começam na história pessoal de cada docente e continuam ao longo de sua trajetória acadêmica e profissional”. BEILLEROT (2016, p.10)/ADAPTADO "O formador de formadores é antes de tudo um profissional da formação que intervém para formar novos formadores ou para aperfeiçoar, atualizar os formadores em exercício".
  • 15. O OFÍCIO DO/A FORMADOR/A Respeito aos saberes dos professores Pesquisa/Curiosidade Estética e ética Reflexão crítica sobre a prática
  • 16. Quais premissas precisamos acordar para a qualidade da formação continuada? FORMAÇÃO CONTINUADA
  • 17. Apresentação das premissas para a qualidade da formação continuada. FORMAÇÃO CONTINUADA
  • 18. FORMAÇÃO CONTINUADA Para que a formação seja, de fato, continuada e em serviço, é fundamental que a rede se estruture de modo a constituir uma cadeia formativa colaborativa, a partir da qual as equipes técnicas possam assegurar as condições necessárias para que os gestores escolares (diretores e coordenadores pedagógicos) estejam em formação e, por sua vez, possam formar os professores e demais educadores da sua escola. TRECHO DISPONÍVEL EM: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf
  • 30. Conceber e organizar pedagogicamente situações de formação. (BEILLEROT, 2016) Construir a co-participação e a co-laboração. Analisar o entorno e conceber um dispositivo de formação. Construir um plano operativo e implementar a formação seriamente. Saber a avaliar o processo formativo continuamente. Capitalizar, difundir, disseminar o conhecimento construído. ATRIBUIÇÕES DO/A FORMADOR/A
  • 31. CONCEPÇÃO DE CRIANÇA(s) E INFÂNCIA(S) Que concepção de criança e infância essas imagens revelam?
  • 32. CONCEPÇÃO DE CRIANÇA(s) E INFÂNCIA(S) Que concepção de criança e infância essas imagens revelam?
  • 33. CONCEPÇÃO DE CRIANÇA (DCNEI 2010, p.12) Sujeito histórico e de direitos que, nas interações, relações e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura. CONCEPÇÃO DE CRIANÇA
  • 34. (SANTOS, 2007). "Ontem e hoje, infâncias são diversas e contraditórias." CONCEPÇÃO DE INFÂNCIA
  • 35. EDUCAÇÃO INFANTIL Lei de Diretrizes em Bases da Educação Nacional (LDB 9394/96) "A Educação Infantil foi constituída como “primeira etapa da educação básica” e tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, contemplando a ação da família e da comunidade”.
  • 36. EDUCAÇÃO INFANTIL (DCNEI 2010, p.12) As práticas pedagógicas que compõem a proposta curricular da Educação Infantil devem ter como eixos norteadores as interações e a brincadeiras. EIXOS DO CURRÍCULO
  • 37. CONCEPÇÃO DE CRIANÇA E INFÂNCIA(S) Tirinha de Quino, retirada do livro Toda Mafalda, de 1993, p.84. PARA APRECIAR?!..
  • 38. EDUCAÇÃO INFANTIL (SPODEK & SARACHO, 1998) Os professores devem evitar dizer para as crianças o que elas devem saber, direta e indiretamente. Ao invés disso eles devem planejar atividades que ofereçam oportunidades de pensar, relacionadas à manipulação de materiais concretos e a desenvolvimento de habilidades conceituais. A APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO INFANTIL ...
  • 39. CONCEPÇÃO DE LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL NOME DA CRIANÇA/COLOCAR A URE/ CIDADE/ NOME DA INSTITUIÇÃO DE ED. INFANTIL VÍDEOS
  • 40. LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A partir dos vídeos compartilhados, responda às perguntas a seguir: O que a criança mostra que sabe sobre leitura? O que ela está aprendendo sobre leitura? Em qual ou quais dos vídeos você identifica que a criança está lendo? Como a pessoa adulta que está com a criança contribui para a aprendizagem dela?
  • 41. 1998 - RCNEI 2009 - DCNEI 2017 - BNCC 2019 - DCTMA Documento que apoia o trabalho da professora na Ed. Infantil. Brincar e cuidar como eixo transversal. Documento que define as diretrizes para o trabalho na Ed. Infantil. Eixos estruturantes brincar e interagir. Documento que define o conjunto de aprendizagens essenciais a todos os alunos do país. Eixos estruturantes da Ed. Infantil brincar e interagir. Documento estadual alinhado a BNCC. Eixos estruturantes da Ed. Infantil brincar e interagir. LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • 42. LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL ● A experiência da criança com a leitura de histórias, além de facilitar o acesso a uma linguagem diferente daquela que está presente no seu cotidiano, possibilita-lhe conhecer os detalhes do texto e das imagens e ter contato com os personagens reais e imaginários que a levam a reagir, emocionar, antecipar desfechos. ● A leitura de histórias possibilita à criança perceber como afetos, medos e surpresas podem ser comunicados pela escrita, constituindo um meio de conhecimento de si mesmo, dos outros e do mundo, de ampliação de experiência, na vivência estética do texto com suas imagens e ilustrações. http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/2.BNCC_EI_Forma%C3%A7%C3%A3o_1PDF.pdf
  • 43. LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A criança manifesta curiosidade com relação à cultura escrita: ao ouvir e acompanhar a leitura de textos, ao observar os muitos textos que circulam no contexto familiar, comunitário e escolar, ela vai construindo sua concepção de língua escrita, reconhecendo diferentes usos sociais da escrita, dos gêneros, suportes e portadores. Na Educação Infantil, a imersão na cultura escrita deve partir do que as crianças conhecem e das curiosidades que deixam transparecer. As experiências com a literatura infantil, propostas pelo educador, mediador entre os textos e as crianças, contribuem para o desenvolvimento do gosto pela leitura, do estímulo à imaginação e da ampliação do conhecimento de mundo.
  • 44. LEITURA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Além disso, o contato com histórias, contos, fábulas, poemas, cordéis etc. propicia a familiaridade com livros, com diferentes gêneros literários, a diferenciação entre ilustrações e escrita, a aprendizagem da direção da escrita e as formas corretas de manipulação de livros. Nesse convívio com textos escritos, as crianças vão construindo hipóteses sobre a escrita que se revelam, inicialmente, em rabiscos e garatujas e, à medida que vão conhecendo letras, em escritas espontâneas, não convencionais, mas já indicativas da compreensão da escrita como sistema de representação da língua (BRASIL, 2017:40). In: DCTMA, p. 71
  • 45. AGENDA MENSAL- PACTO PELA APRENDIZAGEM(Via e-mail); A pauta a ser desenvolvida nos municípios será comum para gestores, coordenadores e professores no 1º Módulo do Ciclo Formativo Municipal. Encontros formativos com públicos específicos de acordo com o cronograma: Gestores; Coordenadores e professores. COMUNICADOS
  • 46. REFERÊNCIAS BEILLEROT, Jacky. La formacion de formadores: entre la teoria y la práctica. Buenos Aires: Centro de Publicaciones Educativas y Material Didáctico, 2016. BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, 2018. ______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil /Secretaria de Educação Básica. – Brasília : MEC, SEB, 2010. FERREIRA: Autoformação, APRENDIZAGEM DE PROFESSORES E ENSINO DA LINGUAGEM ESCRITA: ENTRELAÇAMENTOS NA PESQUISA-FORMAÇÃO. Fortaleza: UECE, 2021. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia. Saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1997. Guia de Implementação dos Currículos Alinhados à Bncc para Educação Infantil e Ensino Fundamental. Disponível em: https://observatorio.movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2022/02/guia-de-implementacao-final.pdf MARANHÃO. Documento Curricular do Território Maranhense para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental. 1ª edição. FGV Editora. Maranhão, 2019. PDF. RODRIGUES, Cicera Sineide Dantas; MENEZES, Eunice Andrade de Oliveira; THERRIEN, Jacques. A aprendizagem da docência e o processo de formação continuada no contexto do PIBID. VI ENFORSUP- I INTERFOR, Brasília, 2016. SANTOS, J. D. F.. As diferentes concepções de infância e adolescência na trajetória histórica do Brasil. Revista HISTEDBR [On-line], Campinas, n. 28, p. 224-238, 2007. Disponível em: <www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/28/art15_28.pdf>. Acesso em: 09/07/2014 THERRIEN, Jacques. Os saberes da racionalidade pedagógica na sociedade contemporânea. Revista Educativa, Goiânia, v. 9, n. 1, p. 67-81, jan./jun. 2006. Disponível em: http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/educativa/article/view/75.Acesso em 10 de março de 2020. Deusamar Santos II (@deusamar_santos_) https://www.youtube.com › watch Video Maria Sophia 3 anos, Universidade Infantil Criança Esperança Municipio Nova Colinas URE Balsas Video Melissa 3 anos Universidade Infantil Criança Esperança Municipio Nova Colinas URE Balsas Video Geovana 5 anos município de Fernando Falcao URE Barra do Corda