SlideShare uma empresa Scribd logo
N° 1.872 (Ano A/Verde) 23º Domingo Tempo Comum                        4 de setembro de 2011

                             Mês da Bíblia - Livro do Êxodo
                       "Travessia: passo a passo, o caminho se faz"

  A COMUNIDADE É O LUGAR DO PERDÃO E DO AMOR
                                                    refletir sobre o livro do Êxodo, com o tema:
                                                    "Travessia: passo a passo, o caminho se
                                                    faz".
                                                    C.1 Unidos aos participantes do Encontro
                                                    Estadual de Fé e Política, acontecendo hoje
                                                    em São Mateus, cantemos:

                                                    02.CANTO
                                                    Tua família aqui reunida... nº 99.

                                                    03. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO
                                                    D. Meus irmãos e minhas irmãs, sintam a
                                                    ternura de Deus Pai que se alegra com a
                                                    presença de vocês em sua casa. Iniciemos
                                                    a celebração festiva do Dia do Senhor em
                                                    nome do Pai e do Filho e do Espírito
(A equipe prepara uma mesa bem bonita e enfei-
tada, na porta da igreja e nela coloca uma bíblia
                                                    Santo. Amém!
e um cartaz: Tua palavra, Senhor, é lâmpada para    D. O Deus que nos dá força, vos dê a gra-
os meus pés". Preparar a entrada da Palavra).       ça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo e
                                                    a comunhão do Espírito Santo.
01. MOTIVAÇÃO                                       Todos: Bendito seja Deus que nos reu-
C.1 Irmãos e irmãs, bom-dia (boa-noite)!            niu no amor de Cristo.
Deixamos nossas casas e viemos para cele-
brar o amor do Senhor. Trazemos a história          04. DEUS NOS PERDOA
de nossa vida e tudo que pudemos viver nesta        D. Conscientes de que nem sempre temos
semana. Sejam bem-vindos! (Todos se cum-            vivido nossa fé em comunhão de amor e
primentam)                                          sob a direção do Espírito de Deus, humil-
C.2 Iniciamos este mês da Bíblia com a dis-         demente peçamos perdão, cantando.
posição de crescermos na escuta e na práti-         Senhor, tende piedade de nós (2x) Pelo
ca da Palavra de Deus. Neste ano vamos              irmão... nº 191
05. HINO DE LOUVOR                           08. PARTILHANDO A PALAVRA
(Escolher entre os números 233 e 252)        - O Evangelho deixa claro a nossa respon-
                                             sabilidade em ajudar cada irmão a tomar
06. ORAÇÃO                                   consciência dos seus erros. Trata-se de um
D. Ó Deus de bondade, Vós nos                dever que resulta do mandamento do amor.
redimistes e nos adotastes como filhos       Jesus ensina, no entanto, que o caminho
e filhas pela fé em Cristo. Concedei a       correto para atingir esse objetivo não pas-
todos os cristãos a liberdade verdadei-      sa pela humilhação ou pela condenação de
                                             quem falhou, mas pelo diálogo fraterno, leal,
ra e a herança eterna. Por Nosso Se-
                                             amigo, que revela ao irmão que a nossa in-
nhor Jesus Cristo vosso Filho, na uni-
                                             tervenção resulta do amor.
dade do Espírito Santo. Amém!
                                             - O capítulo 18 do Evangelho de Mateus é
                                             conhecido como o "discurso eclesial"/Ser-
07. DEUS NOS FALA                            mão sobre a Igreja. Apresenta uma
C.1 A linguagem do amor é a linguagem da     catequese de Jesus sobre a experiência de
salvação. Quem vive o amor é convidado a     caminhada em comunidade. Aqui, Mateus
rever seus critérios de acolhida ao irmão.   ampliou de forma significativa algumas ins-
Acolhamos, com alegria, o Livro Sagrado.     truções apresentadas por Marcos sobre a
(sugestão: a equipe prepara a entrada do     vida comunitária (cf. Mc 9,33-37. 42-47)
Lecionário, com velas e flores)              e compôs, com esses materiais, um dos cin-
Canto: A Bíblia é a Palavra de Deus... nº    co grandes discursos que o seu Evangelho
253                                          nos apresenta.
                                             - A comunidade de Mateus é uma comuni-
PRIMEIRA LEITURA: Ez 33, 7-9                 dade "normal" - isto é, é uma comunidade
                                             parecida com qualquer uma das que nós
L.1 Leitura da Profecia de Ezequiel.         conhecemos. Nessa comunidade existem
                                             tensões entre os diversos grupos e proble-
SALMO RESPONSORIAL – 94(95)                  mas de convivência: há irmãos que se jul-
Refrão: Não fecheis o coração, ouvi,         gam superiores aos outros e que querem
                                             ocupar os primeiros lugares. Há irmãos que
hoje, a voz de Deus!
                                             tomam atitudes prepotentes e que escan-
                                             dalizam os pobres e os débeis. Há irmãos
SEGUNDA LEITURA: Rm 13, 8-10
                                             que magoam e ofendem outros membros
                                             da comunidade. Há irmãos que têm dificul-
L.2 Leitura da Carta de São Paulo aos        dade em perdoar as falhas e os erros dos
Romanos.                                     outros… Para responder a este quadro,
                                             Mateus elaborou uma exortação que con-
EVANGELHO: Mt 18, 15-20                      vida à simplicidade e humildade, ao acolhi-
                                             mento dos pequenos, dos pobres e dos
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cris-        excluídos, ao perdão e ao amor. Ele dese-
to segundo São Mateus.                       nha, assim, um "modelo" de comunidade
                                             para os cristãos de todos os tempos: a co-
CANTO DE ACLAMAÇÃO                           munidade de Jesus tem de ser uma família
Aleluia... Onde dois ou mais... n° 326       de irmãos, que vive em harmonia, que dá
atenção aos pequenos e aos fracos, que         deixar de amar os seus irmãos. Essa exi-
escuta os apelos e os conselhos do Pai.        gência, contudo, nunca estará completa-
- O modo de proceder para com o irmão          mente realizada… Qualquer dívida pode ser
que errou e que provocou conflitos no seio     liquidada de uma vez; mas o amor não: em
da comunidade é o seguinte: é preciso tra-     cada instante é preciso amar e amar sem-
tar o problema com bom senso, com matu-        pre mais. O cristão nunca poderá cruzar os
ridade, com equilíbrio, com tolerância e,      braços e dizer que já ama o suficiente ou
acima de tudo, com amor.                       que já amou tudo: ele tem uma dívida eter-
- Em primeiro lugar, Mateus propõe um          na de amor para com os seus irmãos.
encontro com esse irmão, em particular, e      - A primeira leitura é uma prova do amor
que se fale com ele cara a cara sobre o pro-   zeloso de Deus sobre toda a comunidade.
blema (vers. 15). O caminho correto não        O profeta é chamado de sentinela. Pelo
passa, decididamente, por dizer mal "por       Batismo, todos nós fomos constituídos pro-
trás", por criticar publicamente (ainda que    fetas. Missão do profeta é alertar os ho-
não se invente nada), e muito menos por        mens sobre os valores que norteiam a vida
espalhar boatos, por caluniar, por difamar.    social. Para tanto, o profeta tem de ser al-
- Se esse encontro não surtir efeito, Mateus   guém que vive em comunhão com Deus, que
propõe uma segunda tentativa. Essa nova        medita a Palavra de Deus, que dialoga com
tentativa implica o recurso a outros irmãos    Deus e que, nessa intimidade, vai perceben-
("toma contigo uma ou duas pessoas"- vers.     do o que Deus quer para os homens e para
16) que, com serenidade, sensibilidade e       o mundo. Para isso é preciso que ele de-
bom senso, sejam capazes de fazer o infra-     senvolva uma consciência crítica sobre o
tor perceber o sentido do seu comporta-        mundo que o rodeia. Ele tem de estar aten-
mento.                                         to aos acontecimentos da vida nacional e
Se também essa tentativa falhar, resta o re-   internacional (o profeta tem de ouvir as no-
curso à comunidade. A comunidade será          tícias e ler o jornal!), tem de conhecer a fun-
então chamada a confrontar o infrator, re-     do as questões que os homens debatem.
cordando-lhe as exigências do caminho
cristão e pedindo-lhe uma decisão (vers.       09. PROFISSÃO DE FÉ
16a).                                          D. Certos do amor ilimitado do Pai, pro-
- Precisamos perceber que não é a Igreja       fessemos a nossa fé, rezando: Creio em
que exclui, mas a própria pessoa que errou     Deus Pai todo poderoso...
é que se exclui quando opta por situações e
valores contrários ao Reino. "Pagão ou co-     10. PRECES DA COMUNIDADE
brador de impostos" são imagens tipicamen-     D. Jesus disse: "onde dois ou três estão
te judaicas para falar de pessoas que estão    reunidos em meu nome, eu estou aí no
instaladas em situações de erro, que se obs-   meio deles". Confiantes na sua presença
tinam no seu mau proceder e que recusam        rezemos nossas preces.
todas as oportunidades de integrar a co-       Todos: Senhor, fazei-nos instrumentos
munidade da salvação.                          de vosso perdão.
- Na segunda leitura, Paulo exorta os cris-    L.1 Para que a Igreja seja fiel testemunha
tãos de Roma a construir toda a sua vida       do amor de Deus e continuadora da missão
sobre o amor. O cristianismo sem amor é        de Jesus no mundo em favor da vida, reze-
uma mentira. Os cristãos não podem nunca       mos.
L.2 Para que a Igreja seja a fiel                      mos porque sois misericordioso e per-
proclamadora da Palavra Divina convocan-               feito no amor. Continuai, Senhor, a en-
do os homens e as mulheres a praticar o                viar profetas como sentinelas, para vi-
Evangelho, rezemos:                                    giar o nosso caminho e para nos guiar.
L.1 Para que as resistências e oposições               Que o vosso Espírito nos purifique das
ao anúncio do Evangelho não nos desani-                más condutas que desvalorizam o nosso
mem em nossa missão, rezemos:                          testemunho. Por Cristo, nosso Senhor.
L.2 Para que superemos a intolerância, o
ódio e o desejo de vingança, rezemos:                  15. AVISOS
                                                       D. Convidar todos para o Grupo de refle-
11. APRESENTAÇÃO DOS DONS                              xão do mês da Bíblia. Avisar local, dia e hora.
C.2 Com alegria, apresentemos nosso                    - Dia 7 é o Dia do Grito dos excluídos. Em
dízimo, ofertas e um coração limpo ao Se-              muitas cidades, realizam-se caminhadas,
nhor, por meio de Jesus, mestre e modelo               celebrações.
da humanidade reconciliada e pacificada                - Dia 8 é festa de Nossa Senhora da Vitó-
no amor.                                               ria, padroeira da arquidiocese de Vitória.
Se meu irmão me estende a mão... n°
466                                                    16. BÊNÇÃO E DESPEDIDA
                                                       D. O Senhor esteja convosco.
12. PAI NOSSO                                          T. Ele está no meio de nós.
D. Guiados pelo Espírito Santo e ilumina-              D. Desça sobre nós a bênção de Deus Pai e
dos pela sabedoria vinda do Evangelho, ou-             Filho e Espírito Santo. Amém!
samos dizer: Pai nosso...                              D. Ide em paz e que o Senhor vos acompa-
                                                       nhe.
13. ABRAÇO DA PAZ                                      T. Graças a Deus!
(Antes do convite para o abraço da paz, a equi-
pe pode preparar um grupo de catequizandos             17. CANTO
para coreografar/dançar uma música adequa-
da ou, então, fazer um pequeno diálogo para            O Evangelho nos ensina... n° 751
que a comunidade perceba a beleza do perdão
e da convivência fraterna).
C.1 A comunidade é também a nossa fa-
mília, onde todos devem se amar, se res-
peitar, onde se vive a alegria da
fraternidade e os ensinamentos de Jesus.
Saudemo-nos como verdadeiros irmãos e                   Leituras para a 23ª Semana do Tempo Comum
irmãs desejando a paz a todos.                         2ª Cl 1, 24– 2, 3 / Sl 61 / Lc 6, 6-11
Aperta a minha mão... nº 541                           3ª Cl 2, 6-15 / Sl 144 / Lc 6, 12-19
                                                       4ª Cl 3, 1-11 / Sl 144 / Lc 6, 20-26
                                                       5ª Mq 5, 1-4 ou Rm 8, 28-30 / Sl 70 / Mt 1, 1-16.18.23
14. ORAÇÃO                                             6ª 1Tm 1, 1-2.12-14 / Sl 15 / Lc 6, 39-42
Ó Deus de santidade, nós vos bendize-                  Sáb.: 1Tm 1,15-17 / Sl 112 / Lc 6, 43-49

 Secretariado Diocesano de Pastoral Av. João XXIII, 410-Centro 29930-420-S. Mateus/ES - Tel: (27) 3763.1177
   Fax 3763.3104 - E-mail: secretariado@diocesedesaomateus.org.br / Site: www.diocesedesaomateus.org.br
                 Rádio Católica da nossa região, é a Kairós FM 94,7. www.radiokairos.com.br
        Associe-se ao Clube do Ouvinte e ajude a manter a rádio. Informações pelo telefone 3767-2000.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jornal Aliança - Edição Especial VI ECJ
Jornal Aliança - Edição Especial VI ECJJornal Aliança - Edição Especial VI ECJ
Jornal Aliança - Edição Especial VI ECJ
CIP2014
 
Espiral 17
Espiral 17Espiral 17
Info Novembro
Info NovembroInfo Novembro
Jornal Aliança V ECJ
Jornal Aliança V ECJJornal Aliança V ECJ
Jornal Aliança V ECJ
CIP2014
 
Jornal Aliança 04/2014
Jornal Aliança 04/2014Jornal Aliança 04/2014
Jornal Aliança 04/2014
CIP2014
 
Espiral 58
Espiral 58Espiral 58
Novena da família
Novena da famíliaNovena da família
Novena da família
OpusDeiBrasil
 
Jornal fevereiro
Jornal fevereiroJornal fevereiro
Jornal fevereiro
saojosepascom
 
Publicação
PublicaçãoPublicação
Publicação
Leigos
 
Publicação Mensal
Publicação MensalPublicação Mensal
Publicação Mensal
Leigos
 
Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Apocalipse 16 de dezembro de 2012Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Paróquia Bom Pastor
 
Jornal Paroquia Santa Bernadette - edição 36
Jornal Paroquia Santa Bernadette -  edição 36Jornal Paroquia Santa Bernadette -  edição 36
Jornal Paroquia Santa Bernadette - edição 36
Ivani Coutinho
 
Espiral 63
Espiral 63Espiral 63
Espiral 49
Espiral 49Espiral 49
Espiral 36
Espiral 36Espiral 36
Novena do trabalho
Novena do trabalhoNovena do trabalho
Novena do trabalho
OpusDeiBrasil
 
Espiral 33
Espiral 33Espiral 33
Espiral 67
Espiral 67Espiral 67

Mais procurados (18)

Jornal Aliança - Edição Especial VI ECJ
Jornal Aliança - Edição Especial VI ECJJornal Aliança - Edição Especial VI ECJ
Jornal Aliança - Edição Especial VI ECJ
 
Espiral 17
Espiral 17Espiral 17
Espiral 17
 
Info Novembro
Info NovembroInfo Novembro
Info Novembro
 
Jornal Aliança V ECJ
Jornal Aliança V ECJJornal Aliança V ECJ
Jornal Aliança V ECJ
 
Jornal Aliança 04/2014
Jornal Aliança 04/2014Jornal Aliança 04/2014
Jornal Aliança 04/2014
 
Espiral 58
Espiral 58Espiral 58
Espiral 58
 
Novena da família
Novena da famíliaNovena da família
Novena da família
 
Jornal fevereiro
Jornal fevereiroJornal fevereiro
Jornal fevereiro
 
Publicação
PublicaçãoPublicação
Publicação
 
Publicação Mensal
Publicação MensalPublicação Mensal
Publicação Mensal
 
Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Apocalipse 16 de dezembro de 2012Apocalipse 16 de dezembro de 2012
Apocalipse 16 de dezembro de 2012
 
Jornal Paroquia Santa Bernadette - edição 36
Jornal Paroquia Santa Bernadette -  edição 36Jornal Paroquia Santa Bernadette -  edição 36
Jornal Paroquia Santa Bernadette - edição 36
 
Espiral 63
Espiral 63Espiral 63
Espiral 63
 
Espiral 49
Espiral 49Espiral 49
Espiral 49
 
Espiral 36
Espiral 36Espiral 36
Espiral 36
 
Novena do trabalho
Novena do trabalhoNovena do trabalho
Novena do trabalho
 
Espiral 33
Espiral 33Espiral 33
Espiral 33
 
Espiral 67
Espiral 67Espiral 67
Espiral 67
 

Semelhante a 04 09 11

13 11 11
13 11 1113 11 11
28 08 11
28 08 1128 08 11
12 02 12
12 02 1212 02 12
22 02 12
22 02 1222 02 12
11 09 11
11 09 1111 09 11
29 01 12
29 01 1229 01 12
Sagrada família 2012
Sagrada família 2012Sagrada família 2012
Sagrada família 2012
Boletim Salesiano Mozambique
 
19 02 12
19 02 1219 02 12
2º dia um coração que aprende
2º dia um coração que aprende2º dia um coração que aprende
2º dia um coração que aprende
Irmão Feliciano Sv
 
04 03 12
04 03 1204 03 12
06 11 11
06 11 1106 11 11
167 de RSV
167 de RSV167 de RSV
22 01 12
22 01 1222 01 12
26 02 12
26 02 1226 02 12
Livreto Páscoa 2013
Livreto Páscoa 2013Livreto Páscoa 2013
Livreto Páscoa 2013
Bernadetecebs .
 
Novena ao Padroeiro Santo André 2009
Novena ao Padroeiro Santo André 2009Novena ao Padroeiro Santo André 2009
Novena ao Padroeiro Santo André 2009
José Vieira Dos Santos
 
05 02 12
05 02 1205 02 12
07 08 11
07 08 1107 08 11
15 01 12
15 01 1215 01 12
Livro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdfLivro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdf
Nuno Melo
 

Semelhante a 04 09 11 (20)

13 11 11
13 11 1113 11 11
13 11 11
 
28 08 11
28 08 1128 08 11
28 08 11
 
12 02 12
12 02 1212 02 12
12 02 12
 
22 02 12
22 02 1222 02 12
22 02 12
 
11 09 11
11 09 1111 09 11
11 09 11
 
29 01 12
29 01 1229 01 12
29 01 12
 
Sagrada família 2012
Sagrada família 2012Sagrada família 2012
Sagrada família 2012
 
19 02 12
19 02 1219 02 12
19 02 12
 
2º dia um coração que aprende
2º dia um coração que aprende2º dia um coração que aprende
2º dia um coração que aprende
 
04 03 12
04 03 1204 03 12
04 03 12
 
06 11 11
06 11 1106 11 11
06 11 11
 
167 de RSV
167 de RSV167 de RSV
167 de RSV
 
22 01 12
22 01 1222 01 12
22 01 12
 
26 02 12
26 02 1226 02 12
26 02 12
 
Livreto Páscoa 2013
Livreto Páscoa 2013Livreto Páscoa 2013
Livreto Páscoa 2013
 
Novena ao Padroeiro Santo André 2009
Novena ao Padroeiro Santo André 2009Novena ao Padroeiro Santo André 2009
Novena ao Padroeiro Santo André 2009
 
05 02 12
05 02 1205 02 12
05 02 12
 
07 08 11
07 08 1107 08 11
07 08 11
 
15 01 12
15 01 1215 01 12
15 01 12
 
Livro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdfLivro de peregrinações 2023.pdf
Livro de peregrinações 2023.pdf
 

Mais de Gustavo Scheffer

Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014
Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014
Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014
Gustavo Scheffer
 
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Gustavo Scheffer
 
Domingo 01/02/2014 - Apresentação do Senhor
Domingo 01/02/2014 - Apresentação do SenhorDomingo 01/02/2014 - Apresentação do Senhor
Domingo 01/02/2014 - Apresentação do Senhor
Gustavo Scheffer
 
2º domingo do tempo comum
2º domingo do tempo comum2º domingo do tempo comum
2º domingo do tempo comum
Gustavo Scheffer
 
São raimundo de peñafort
São raimundo de peñafortSão raimundo de peñafort
São raimundo de peñafort
Gustavo Scheffer
 
Epifania do senhor
Epifania do senhorEpifania do senhor
Epifania do senhor
Gustavo Scheffer
 
QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014
QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014
QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014
Gustavo Scheffer
 
27 11 11
27 11 1127 11 11
25 12 11
25 12 1125 12 11
25 03 12
25 03 1225 03 12
24 12 11
24 12 1124 12 11
21 08 11
21 08 1121 08 11
18 12 11
18 12 1118 12 11
18 03 12
18 03 1218 03 12
12 10 11
12 10 1112 10 11
11 12 11
11 12 1111 12 11
08 12 10
08 12 1008 12 10
08 01 12
08 01 1208 01 12

Mais de Gustavo Scheffer (18)

Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014
Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014
Folheto Litúrgico do Mês de Março 2014
 
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
Folheto Litúrgico do mês de fevereiro 2014
 
Domingo 01/02/2014 - Apresentação do Senhor
Domingo 01/02/2014 - Apresentação do SenhorDomingo 01/02/2014 - Apresentação do Senhor
Domingo 01/02/2014 - Apresentação do Senhor
 
2º domingo do tempo comum
2º domingo do tempo comum2º domingo do tempo comum
2º domingo do tempo comum
 
São raimundo de peñafort
São raimundo de peñafortSão raimundo de peñafort
São raimundo de peñafort
 
Epifania do senhor
Epifania do senhorEpifania do senhor
Epifania do senhor
 
QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014
QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014
QUARTA - FEIRA - SANTO AMARO.15/01/2014
 
27 11 11
27 11 1127 11 11
27 11 11
 
25 12 11
25 12 1125 12 11
25 12 11
 
25 03 12
25 03 1225 03 12
25 03 12
 
24 12 11
24 12 1124 12 11
24 12 11
 
21 08 11
21 08 1121 08 11
21 08 11
 
18 12 11
18 12 1118 12 11
18 12 11
 
18 03 12
18 03 1218 03 12
18 03 12
 
12 10 11
12 10 1112 10 11
12 10 11
 
11 12 11
11 12 1111 12 11
11 12 11
 
08 12 10
08 12 1008 12 10
08 12 10
 
08 01 12
08 01 1208 01 12
08 01 12
 

04 09 11

  • 1. N° 1.872 (Ano A/Verde) 23º Domingo Tempo Comum 4 de setembro de 2011 Mês da Bíblia - Livro do Êxodo "Travessia: passo a passo, o caminho se faz" A COMUNIDADE É O LUGAR DO PERDÃO E DO AMOR refletir sobre o livro do Êxodo, com o tema: "Travessia: passo a passo, o caminho se faz". C.1 Unidos aos participantes do Encontro Estadual de Fé e Política, acontecendo hoje em São Mateus, cantemos: 02.CANTO Tua família aqui reunida... nº 99. 03. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO D. Meus irmãos e minhas irmãs, sintam a ternura de Deus Pai que se alegra com a presença de vocês em sua casa. Iniciemos a celebração festiva do Dia do Senhor em nome do Pai e do Filho e do Espírito (A equipe prepara uma mesa bem bonita e enfei- tada, na porta da igreja e nela coloca uma bíblia Santo. Amém! e um cartaz: Tua palavra, Senhor, é lâmpada para D. O Deus que nos dá força, vos dê a gra- os meus pés". Preparar a entrada da Palavra). ça e a paz de Nosso Senhor Jesus Cristo e a comunhão do Espírito Santo. 01. MOTIVAÇÃO Todos: Bendito seja Deus que nos reu- C.1 Irmãos e irmãs, bom-dia (boa-noite)! niu no amor de Cristo. Deixamos nossas casas e viemos para cele- brar o amor do Senhor. Trazemos a história 04. DEUS NOS PERDOA de nossa vida e tudo que pudemos viver nesta D. Conscientes de que nem sempre temos semana. Sejam bem-vindos! (Todos se cum- vivido nossa fé em comunhão de amor e primentam) sob a direção do Espírito de Deus, humil- C.2 Iniciamos este mês da Bíblia com a dis- demente peçamos perdão, cantando. posição de crescermos na escuta e na práti- Senhor, tende piedade de nós (2x) Pelo ca da Palavra de Deus. Neste ano vamos irmão... nº 191
  • 2. 05. HINO DE LOUVOR 08. PARTILHANDO A PALAVRA (Escolher entre os números 233 e 252) - O Evangelho deixa claro a nossa respon- sabilidade em ajudar cada irmão a tomar 06. ORAÇÃO consciência dos seus erros. Trata-se de um D. Ó Deus de bondade, Vós nos dever que resulta do mandamento do amor. redimistes e nos adotastes como filhos Jesus ensina, no entanto, que o caminho e filhas pela fé em Cristo. Concedei a correto para atingir esse objetivo não pas- todos os cristãos a liberdade verdadei- sa pela humilhação ou pela condenação de quem falhou, mas pelo diálogo fraterno, leal, ra e a herança eterna. Por Nosso Se- amigo, que revela ao irmão que a nossa in- nhor Jesus Cristo vosso Filho, na uni- tervenção resulta do amor. dade do Espírito Santo. Amém! - O capítulo 18 do Evangelho de Mateus é conhecido como o "discurso eclesial"/Ser- 07. DEUS NOS FALA mão sobre a Igreja. Apresenta uma C.1 A linguagem do amor é a linguagem da catequese de Jesus sobre a experiência de salvação. Quem vive o amor é convidado a caminhada em comunidade. Aqui, Mateus rever seus critérios de acolhida ao irmão. ampliou de forma significativa algumas ins- Acolhamos, com alegria, o Livro Sagrado. truções apresentadas por Marcos sobre a (sugestão: a equipe prepara a entrada do vida comunitária (cf. Mc 9,33-37. 42-47) Lecionário, com velas e flores) e compôs, com esses materiais, um dos cin- Canto: A Bíblia é a Palavra de Deus... nº co grandes discursos que o seu Evangelho 253 nos apresenta. - A comunidade de Mateus é uma comuni- PRIMEIRA LEITURA: Ez 33, 7-9 dade "normal" - isto é, é uma comunidade parecida com qualquer uma das que nós L.1 Leitura da Profecia de Ezequiel. conhecemos. Nessa comunidade existem tensões entre os diversos grupos e proble- SALMO RESPONSORIAL – 94(95) mas de convivência: há irmãos que se jul- Refrão: Não fecheis o coração, ouvi, gam superiores aos outros e que querem ocupar os primeiros lugares. Há irmãos que hoje, a voz de Deus! tomam atitudes prepotentes e que escan- dalizam os pobres e os débeis. Há irmãos SEGUNDA LEITURA: Rm 13, 8-10 que magoam e ofendem outros membros da comunidade. Há irmãos que têm dificul- L.2 Leitura da Carta de São Paulo aos dade em perdoar as falhas e os erros dos Romanos. outros… Para responder a este quadro, Mateus elaborou uma exortação que con- EVANGELHO: Mt 18, 15-20 vida à simplicidade e humildade, ao acolhi- mento dos pequenos, dos pobres e dos Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cris- excluídos, ao perdão e ao amor. Ele dese- to segundo São Mateus. nha, assim, um "modelo" de comunidade para os cristãos de todos os tempos: a co- CANTO DE ACLAMAÇÃO munidade de Jesus tem de ser uma família Aleluia... Onde dois ou mais... n° 326 de irmãos, que vive em harmonia, que dá
  • 3. atenção aos pequenos e aos fracos, que deixar de amar os seus irmãos. Essa exi- escuta os apelos e os conselhos do Pai. gência, contudo, nunca estará completa- - O modo de proceder para com o irmão mente realizada… Qualquer dívida pode ser que errou e que provocou conflitos no seio liquidada de uma vez; mas o amor não: em da comunidade é o seguinte: é preciso tra- cada instante é preciso amar e amar sem- tar o problema com bom senso, com matu- pre mais. O cristão nunca poderá cruzar os ridade, com equilíbrio, com tolerância e, braços e dizer que já ama o suficiente ou acima de tudo, com amor. que já amou tudo: ele tem uma dívida eter- - Em primeiro lugar, Mateus propõe um na de amor para com os seus irmãos. encontro com esse irmão, em particular, e - A primeira leitura é uma prova do amor que se fale com ele cara a cara sobre o pro- zeloso de Deus sobre toda a comunidade. blema (vers. 15). O caminho correto não O profeta é chamado de sentinela. Pelo passa, decididamente, por dizer mal "por Batismo, todos nós fomos constituídos pro- trás", por criticar publicamente (ainda que fetas. Missão do profeta é alertar os ho- não se invente nada), e muito menos por mens sobre os valores que norteiam a vida espalhar boatos, por caluniar, por difamar. social. Para tanto, o profeta tem de ser al- - Se esse encontro não surtir efeito, Mateus guém que vive em comunhão com Deus, que propõe uma segunda tentativa. Essa nova medita a Palavra de Deus, que dialoga com tentativa implica o recurso a outros irmãos Deus e que, nessa intimidade, vai perceben- ("toma contigo uma ou duas pessoas"- vers. do o que Deus quer para os homens e para 16) que, com serenidade, sensibilidade e o mundo. Para isso é preciso que ele de- bom senso, sejam capazes de fazer o infra- senvolva uma consciência crítica sobre o tor perceber o sentido do seu comporta- mundo que o rodeia. Ele tem de estar aten- mento. to aos acontecimentos da vida nacional e Se também essa tentativa falhar, resta o re- internacional (o profeta tem de ouvir as no- curso à comunidade. A comunidade será tícias e ler o jornal!), tem de conhecer a fun- então chamada a confrontar o infrator, re- do as questões que os homens debatem. cordando-lhe as exigências do caminho cristão e pedindo-lhe uma decisão (vers. 09. PROFISSÃO DE FÉ 16a). D. Certos do amor ilimitado do Pai, pro- - Precisamos perceber que não é a Igreja fessemos a nossa fé, rezando: Creio em que exclui, mas a própria pessoa que errou Deus Pai todo poderoso... é que se exclui quando opta por situações e valores contrários ao Reino. "Pagão ou co- 10. PRECES DA COMUNIDADE brador de impostos" são imagens tipicamen- D. Jesus disse: "onde dois ou três estão te judaicas para falar de pessoas que estão reunidos em meu nome, eu estou aí no instaladas em situações de erro, que se obs- meio deles". Confiantes na sua presença tinam no seu mau proceder e que recusam rezemos nossas preces. todas as oportunidades de integrar a co- Todos: Senhor, fazei-nos instrumentos munidade da salvação. de vosso perdão. - Na segunda leitura, Paulo exorta os cris- L.1 Para que a Igreja seja fiel testemunha tãos de Roma a construir toda a sua vida do amor de Deus e continuadora da missão sobre o amor. O cristianismo sem amor é de Jesus no mundo em favor da vida, reze- uma mentira. Os cristãos não podem nunca mos.
  • 4. L.2 Para que a Igreja seja a fiel mos porque sois misericordioso e per- proclamadora da Palavra Divina convocan- feito no amor. Continuai, Senhor, a en- do os homens e as mulheres a praticar o viar profetas como sentinelas, para vi- Evangelho, rezemos: giar o nosso caminho e para nos guiar. L.1 Para que as resistências e oposições Que o vosso Espírito nos purifique das ao anúncio do Evangelho não nos desani- más condutas que desvalorizam o nosso mem em nossa missão, rezemos: testemunho. Por Cristo, nosso Senhor. L.2 Para que superemos a intolerância, o ódio e o desejo de vingança, rezemos: 15. AVISOS D. Convidar todos para o Grupo de refle- 11. APRESENTAÇÃO DOS DONS xão do mês da Bíblia. Avisar local, dia e hora. C.2 Com alegria, apresentemos nosso - Dia 7 é o Dia do Grito dos excluídos. Em dízimo, ofertas e um coração limpo ao Se- muitas cidades, realizam-se caminhadas, nhor, por meio de Jesus, mestre e modelo celebrações. da humanidade reconciliada e pacificada - Dia 8 é festa de Nossa Senhora da Vitó- no amor. ria, padroeira da arquidiocese de Vitória. Se meu irmão me estende a mão... n° 466 16. BÊNÇÃO E DESPEDIDA D. O Senhor esteja convosco. 12. PAI NOSSO T. Ele está no meio de nós. D. Guiados pelo Espírito Santo e ilumina- D. Desça sobre nós a bênção de Deus Pai e dos pela sabedoria vinda do Evangelho, ou- Filho e Espírito Santo. Amém! samos dizer: Pai nosso... D. Ide em paz e que o Senhor vos acompa- nhe. 13. ABRAÇO DA PAZ T. Graças a Deus! (Antes do convite para o abraço da paz, a equi- pe pode preparar um grupo de catequizandos 17. CANTO para coreografar/dançar uma música adequa- da ou, então, fazer um pequeno diálogo para O Evangelho nos ensina... n° 751 que a comunidade perceba a beleza do perdão e da convivência fraterna). C.1 A comunidade é também a nossa fa- mília, onde todos devem se amar, se res- peitar, onde se vive a alegria da fraternidade e os ensinamentos de Jesus. Saudemo-nos como verdadeiros irmãos e Leituras para a 23ª Semana do Tempo Comum irmãs desejando a paz a todos. 2ª Cl 1, 24– 2, 3 / Sl 61 / Lc 6, 6-11 Aperta a minha mão... nº 541 3ª Cl 2, 6-15 / Sl 144 / Lc 6, 12-19 4ª Cl 3, 1-11 / Sl 144 / Lc 6, 20-26 5ª Mq 5, 1-4 ou Rm 8, 28-30 / Sl 70 / Mt 1, 1-16.18.23 14. ORAÇÃO 6ª 1Tm 1, 1-2.12-14 / Sl 15 / Lc 6, 39-42 Ó Deus de santidade, nós vos bendize- Sáb.: 1Tm 1,15-17 / Sl 112 / Lc 6, 43-49 Secretariado Diocesano de Pastoral Av. João XXIII, 410-Centro 29930-420-S. Mateus/ES - Tel: (27) 3763.1177 Fax 3763.3104 - E-mail: secretariado@diocesedesaomateus.org.br / Site: www.diocesedesaomateus.org.br Rádio Católica da nossa região, é a Kairós FM 94,7. www.radiokairos.com.br Associe-se ao Clube do Ouvinte e ajude a manter a rádio. Informações pelo telefone 3767-2000.